Você está na página 1de 102

Combustão

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 1


Características dos Combustíveis

GASOLINA (OCTANAGEM)

Quanto maior for a octanagem maior será a


resistência a ignição por compressão.

DIESEL (CETANAGEM)

Quanto maior for a cetanagem menor será a


resistência a ignição por compressão.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 2


Motor Quatro Tempos - Otto

1.º Tempo 2.º Tempo 3.º Tempo 4.º Tempo


Admissão Compressão Combustão Escapamento

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 3


Relação de Compressão

RC = Relação de Compressão;
c = Curso; V
d = Diâmetro do cilindro;
V = Volume da câmara de combustão;
V= Volume total do cilindro. V

RC 
V V
V

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 4


Motor Quatro Tempos - Diesel
1.º Tempo 2.º Tempo 3.º Tempo 4.º Tempo
Admissão Compressão Combustão Escapamento

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 5


Diagrama de Válvulas - Diesel

ADMISSÃO

COMPRESSÃO

EXPANSÃO

DESCARGA

A - Início da admissão;
B - Fechamento da admissão;
C - Avanço de injeção;
D - Início da descarga;
E - Fechamento da descarga;
A+E - Cruzamento de válvulas. 180°

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 6


Tempo de Queima
p
PMS = 0º C
 20º DPMS
TORQUE MÁXIMO

INÍCIO
INJEÇÃO B

A  20°

ATRASO DE t REGIÃO DE
IGNIÇÃO
TORQUE MÁXIMO

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 7


Tempo de Queima

12 12
9 3 9 3
6 6

   20º

V ALTURA

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 8


Cruzamento de Válvulas

AR DESCARGA

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 9


Motores DIESEL 4 Tempos
Vejamos então, quais são os quatro tempos de um motor Diesel e
quais as diferenças em relação aos motores à ciclo Otto.

De forma resumita temos: OTTO DIESEL

Mistura
1.º Tempo – Admissão Ar 
ar + combustível
Mistura
2.º Tempo – Compressão Ar 
ar + combustível
Introdução de
Ignição por
3.º Tempo – Expansão combustível, ignição por
centelha
compressão da mistura
Saída de gases Saída de gases de
4.º Tempo – Escapamento
de escape escape

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 10


FATORES QUE INFLUENCIAM O TEMPO DE
QUEIMA DO DIESEL
1.º - Cetanagem do Diesel utilizado;

2.º - Impurezas contidas no Diesel que não


participam da combustão;

3.º - Relação ar / combustível;

4.º - Direcionamento e pulverização do combustível;

5.º - Temperatura, pressão e turbulência interna na câmara de


combustão;

6.º - Pressão de injeção de combustível;

7.º - Avanço de injeção de combustível.


CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 11
Comparativo

A - MOTOR DO CICLO OTTO

Aspira mistura ar/combustível ocorrendo a expansão


através do centelhamento da vela de ignição.

B - MOTOR DIESEL

Aspira apenas AR ocorrendo a expansão após a


compressão do ar durante a injeção do diesel em alta
pressão, provocando a combustão.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 12


Comparativo
VARIÁVEL OTTO DIESEL
Pressão no fim da
8 à 15 Kg/cm2 40 à 50 Kg/cm2
compressão
Pressão máxima de
45 à 55 Kg/cm2 60 à 80 Kg/cm2
combustão
Pressão na abertura da 2 2
4 à 5 Kg/cm 3 à 4 Kg/cm
válvula de escape
Teor da mistura
9/1 à 18/1 20/1 à 50/1
ar/combustível
Tempo de formação da Simultâneo à
Antes da combustão
mistura combustão
No corpo de borboleta
Na câmara ou pré-
Formação da mistura ou atrás da válvula de
câmara
admissão

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 13


Comparativo
VARIÁVEL OTTO DIESEL
Volatilidade do
Alta Baixa
combustível
Resistência a ignição
Alta Baixa
por compressão
Temperatura dos gases
800º C 600º C
de descarga
Custo de fabricação Baixo Alto

Rendimento Térmico Menor Maior

Forma de ignição Centelha (faísca) Compressão

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 14


Comparativo
VARIÁVEL OTTO DIESEL

Taxa de compressão 6/1 à 12/1 18/1 à 23/1

Relação peso/potência Menor Maior


Consumo de
Maior Menor
Cobustível
Sistema Elétrico de
Complexo Inexiste
ignição
Rumorosidade e
Menor Maior
trepidação
Sensibilidade às
variações de pressão, Maior Menor
temperatura e umidade

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 15


Divisão do Fluxo de Calor em um
Motor Endotérmico

1 - Poder calórico do combustível;


2 - Calor transformado em trabalho;
3 - Calor dos gases de descarga;
4 - Calor transmitido do gás as paredes;
5 - Calor perdido por atrito;
6 - Calor perdido com o gás de descarga;
7 - Calor perdido no líquido de arrefecimento;
8 - Calor perdido por radiação.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 16


Número de Válvulas por Cilindro

2 Válvulas/Cilindro 2 Válvulas/Cilindro
Comando único Comando duplo (em V)

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 17


Número de Válvulas por Cilindro

3 Válvulas/Cilindro 3 Válvulas/Cilindro
Comando duplo (em V) Comando único com balancins

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 18


Número de Válvulas por Cilindro

4 Válvulas/Cilindro 5 Válvulas/Cilindro
Comando duplo (em V) Comando duplo (em V)

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 19


Motores do Ciclo Diesel
Sistema de Alimentação
1 - Bomba de Injeção;
2 - Tubo de retorno dos injetores a bomba;
3 - Tubulação de envio do filtro à bomba ;
4 - Injetores;
5 - Filtro de Combustível;
6 - Tubulação de alimentação;
de combustível do
tanque ao filtro;
7 - Tubulação de retorno da
bomba ao tanque;
8 - Tanque de combustível;
9 - Bocal de enchimento;
10 - Tubulação;
11 - Tubulação de respiro do tanque.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 20


Filtro de Combustível
5

1 - Tubo de Capitação do tanque;


2 - Tubo de envio para bomba;
3 - Elemento filtrante;
1
4 - Válvula de sobre pressão;
5 - Parafuso de enchimento do
filtro.
3

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 21


Bomba Injetora - Tipo VE

1 - Alavanca de comando de aceleração;


2 - Regulador centrífugo;
3 - Entrada de combustível;
4 - Válvula de sobrepressão;
5 - Eixo de comando;
6 - Bomba de palheta;
7 - Variador de avanço;
8 - Anel porta-rolos;
9 - Disco a came;
10 - Saída de combust. aos injetores;
11 - Válvula de envio;
12 - Bucha de regulagem;
13 - Pistão distribuidor;
14 - Válvula de parada;
15 - Grupo de alavancas de regulagem;
16 - Retorno de combustível ao tanque.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 22


Regulador de Velocidade Centrífuga

1 - Massa Centrífuga; 6 - Mola da marcha lenta; 11 - Parafuso de partida;


2 - Alojamento dos Pesos; 7 - Haste com mola de posição; 12 - Alavanca de aceleração;
3 - Cursor de Progressão; 8 - Pino de Comando; 13 - Alavanca de débito;
4 - Alavanca de comando; 9 - Dosado;r 14 - Alavanca de parada do motor;
5 - Mola de regulagem; 10 - Furo de alimentação pistão; 15 - Tirante de parada do motor.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 23


Distribuidor

1 - Bucha de regulagem;
2 - Corpo do distribuidor;
3 - Pistão distribuidor;
4 - Porta válvula;
5 - Válvula de envio.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 24


Fases de um Ciclo de Injeção

A - Entrada de combustível na câmara de alta pressão;


1 - Pistão distribuidor;
2 - Entrada de Combustível;
3 - Canal Longitudinal;
4 - Câmara de alta pressão; a - PMI.
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 25
Fases de um Ciclo de Injeção

B - Envio de combustível ao injetor;


4 - Câmara de alta pressão;
5 - Canal de envio;
6 - Canal de injeção;
a - PMI.
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 26
Fases de um Ciclo de Injeção

C - Fim do envio de combustível;


7 - Furo de descarga da pressão;
8 - Cursor de regulagem;
a - PMI;
b - PMS.
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 27
Fases de um Ciclo de Injeção

D - Envio de combustível: início de uma nova fase;


a - PMI;
b - PMS.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 28


Válvula de Envio

1 - Porta Válvula;
2 - Sede da válvula;
3 - Mola;
4 - Corpo da válvula;
5 - Haste da válvula;
6 - Canal;
7 - Pistão;
A - Fechado;
B - Aberto.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 29


Válvula de Envio

1 - Massa centrífuga;
2 - Alavanca comando de aceleração;
3 - Parafuso regulagem da marcha lenta;
4 - Mola de regulagem;
5 - Mola de intermediária;
6 - Pino porta-mola;
7 - Mola da marcha lenta;
8 - Alavanca de partida;
9 - Alavanca de tensionamento;
10 - Limitador alavanca de tensionamento;
11 - Mola de Reação;
12 - Bucha de regulagem.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 30


Válvula de Envio

13 - Parafuso de regulagem carga máxima;


14 - Haste de progressão;
15 - Haste de fixação;
16 - Furo de alívio;
17 - Pistão distribuidor.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 31


Avanço Hidráulico

1 - Carcaça da bomba; 5 - Furo; 9 - Mola do Variador;


2 - Anel porta roletes; 6 - Tampa;
3 - Roletes; 7 - Pistão variador; A - Posição de repouso;
4 - Pino; 8 - Alojamento da haste; B - Posição de Trabalho.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 32


LDA

1 - Diafragma;
2 - Mola de retorno;
3 - Eixo de comando;
4 - Parafuso de regulagem
do débito máximo;
5 - Pino porta mola;
6 - Alavanca de tensão;
7 - Mola de regulagem;
8 - Alavanca de parada;
9 - Haste limitadora;
10 - Base regulável da mola.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 33


Eletrostop

1 - Furo de alimentação;
2 - Pistão distribuidor;
3 - Distribuidor;
4 - Solenóide;
5 - Câmara de alta pressão.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 34


Injetor

1 - Entrada de combustível;
2 - Filtro;
3 - Corpo;
4 - Canal de envio;
5 - Cabeçote;
6 - Porta injetor;
7 - Tampa superior;
8 - Saída do retorno;
9 - Calço de calibragem;
10 - Mola de pressão;
11 - Base da mola;
12 - Pulverizador.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 35


Injetor de furo cego

1 - Corpo;
2 - Agulha;
3 - Assento da agulha;
4 -Furo cego;
5 - Orifício de injeção.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 36


Injetor com pino estrangulador

1 - Corpo;
2 - Agulha;
3 - Assento da agulha;
4 - Pino.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 37


Sistema de Gerenciamento Eletrônico
1 - ECU;
2 - Conector
3 - Potenciômetro pedal acelerador;
4 - Indicador de velocidade;
5 - Sensor rotação;
6 - Medidor vazão de ar;
7 - Injetor;
8 - Sensor temp. liq. Arrefecimento;
9 - Sensor temp. ar aspirado;
10 - Sensor temp. combustível;
11 - Potenciômetro do cursor da bomba;
12 - Bomba injeção combustível;
13 - Atuador (Eletrostop);
14 - Válvula reg. envio combustível;
15 - Central partida a frio;
16 - Comando da EGR;
17 - EGR.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 38


Turbo-compressor

1 - Compressor;
2 - Eixo;
3 - Turbina.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 39


Sobre-alimentação
1 - Turbo-compressor;
2 - Coletor de admissão;
3 - Filtro de ar;
4 - Intercooler;
5 - Coletor de descarga;
6 - Blow-by.

Circuito do ar aspirado;
Circuito do ar comprimido;
Circuito do gás de descarga.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 40


Turbo Compressor

1 - Válvula West Gate


Limitar a pressão do
Turbo

2 - Compressor
Comprimir os gases para o
interior da câmara de
combustão.

3 - Turbina
Motriz do rotor do
compressor.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 41


Injeção Direta

É aquela que se dá diretamente na câmara principal.


CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 42
Injeção com pré-câmara
Também conhecida
como injeção indireta.
A combustão se
inicializa dentro da
pré-câmara e logo
após na câmara
principal. Nos
veículos Ducato 2.5 e
2.8 aspirados a pré
câmara é FIAT.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 43


Injeção Direta Injeção Indireta

O rendimento térmico de um motor diesel


de Injeção Direta é aproximadamente 10%
O motor de Injeção Indireta tem como
mais alto do que o rendimento de um
característica, maior estabilidade de
motor de injeção indireta, que se traduz em
funcionamento e menor rumorosidade.
menor consumo de combustível.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 44


Injeção Direta

•Maior economia de combustível,


( Melhor atomização e rendimento térmico ausência pré-câmara );

•Maior torque disponível;

•Menor atraso de ignição, ( início da queima );

•Alto desempenho, ( Rendimento mecânico ).

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 45


Sistema EGR

1 - Coletor de descarga;
2 - Coletor de admissão;
3 - EGR;
4 - Eletroválvula 3 vias;
5 - Termoválvula;
6 - Bomba de vácuo p/
servo-freio;
7 - Bomba de injeção;
8 - Sensor posição
angular do acelerador.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 46


Potência

2.5 ASPIRADO ( Com pré - câmara )  84,3 C.v.

2.8 ASPIRADO ( Com pré - câmara )  89,7 C.v.

2.8 TURBO DIESEL ( Sem Intercooler )  103,3 C.v.

2.8 TURBO DIESEL ( Com Intercooler )  122,3 C.v.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 47


Valor de compressão dos motores novos
2.5 ASPIRADO ( Com pré - câmara )  35 bar

2.8 ASPIRADO ( Com pré - câmara )  32 bar

2.8 TURBO DIESEL ( Sem Intercooler )  33 bar

2.8 TURBO DIESEL ( Com Intercooler )  33 bar


TENÇÃO ! OS VALORES FORNECIDOS FORAM MEDIDOS A QUENTE
DESCONECTANDO TODA A LINHA DE ASPIRAÇÃO ATÉ O
COLETOR DE ADMISSÃO INCLUINDO O TURBO E O
INTERCOOLER SE EXISTENTES.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 48


Dispositivo Auxiliar de Partida a Frio
2.5 / 2.8 ASPIRADO

- Velas de pré-aquecimento;
- K.S.B..

2.8 TURBO

- Termoviatore ( opcional p/ MY 2001 )


- K.S.B..

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 49


Características dos componentes
BOMBA DE ÓLEO -
- 0,8 bar em marcha lenta
- 3,5 bar acima de 3500 rpm.

ÓLEO LUBRIFICANTE - ABASTECIMENTOS

- Troca de óleo : 5,9 L;


- Troca de óleo c/ filtro : 7,0 L;
- Após desmontagem total: 7,6 L;

VÁLVULA TERMOSTÁTICA ( Arrefecimento ):

- Início de abertura a 79º ± 2º


C
- Abertura total a 110º C.
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 50
Características dos componentes
BOMBA DE TRANSFERÊNCIA ( Palhetas ): - Pressão máxima 9 Bar;
BOMBA INJETORA ALTA PRESSÃO:
- Pressão máxima 550 bar para motores 2.5 e 2.8 aspirados.
- Pressão máxima 700 bar para motores 2.8 Turbo.

BICOS INJETORES - 120 bar + 8 bar ( 2.5 aspirado );


130 bar + 8 bar ( 2.8 aspirado );
240 bar + 12 bar ( 2.8Turbo S/ e C/ Intercooler Nacional );
( 2.8 Turbo
240 bar 1° estágio;
Importado ).
300 bar + 12 bar 2° estágio.
PONTOS DE BOMBAS -
2.5 Aspirado - 1,08mm;
2.8 Aspirado - 1,00mm;
2.8 Turbo c/ Intercooler (importado ) - 1,15mm;
2.8 Turbo s/ Intercooler ( nacional ) - 0,78mm;
2.8 Turbo c/ Intercooler ( nacional ) - 1,15mm.
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 51
Bomba Injetora
Bomba Injetora
Ducato 2.8 Turbo
A conexão de retorno com a
inscrição OUT ( saída) na
cabeça do sextavado, não
pode ser trocada com a
conexão de captação que
possui um furo maior na
base. Isto vale para todas as
bombas Bosch que equipam
todas as motorizações do
Ducato no Brasil.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 52


Bombas injetoras
2.5 Aspirado N° Bosch 0 460 404 084
R 518-1 FIAT ( 500323356 )
2.8 Aspirado N° Bosch 0 460 494 477
R 812-1 FIAT ( 500305724 )
* O modelo 2.8 Aspirado possui sensor
de posição da borboleta ( EGR )
2.8 Turbo intercooler ( Importado)
N° Bosch 0 460 424 152
R 735 FIAT ( 500323362 )
2.8 Turbo sem intercooler (nacional)
N° Bosch 0 460 424 227
R 735-2 FIAT ( 500399366 )
2.8 Turbo com intercooler (nacional)
N° Bosch 0 460 424 220
R 735-1
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 53
Tubos de Envio de Combustível
Os tubos de envio de
combustível são tubos sem
costura ( extrudados ), que
não podem ser deformados
durante a montagem. Na
montagem enroscar as
conexões apenas com as
mãos, utilizando a
ferramenta específica
1852138000 apenas para
aplicar o torque previsto.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 54


Bicos injetores
N° Bosch KBE 58 S 8 ( FIAT - 4789864 )
2.5 Aspirado

N° Bosch KCN 18 P 2 ( FIAT - 500303485 )

2.8 Aspirado

N° Bosch 0 432 193 666 ( FIAT - 500328286 )


2.8 Turbo ( Importado )

N° Bosch 0 432 193 757 ( FIAT - 99443744 )


2.8 Turbo ( Nacional )
com e sem Intercooler

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 55


Principais Componentes Intercambiáveis
Entre os Motores do Ducato
MOTORIZAÇÕES
COMPONENTES 2.8 turbo 2.8 turbo
2.5 asp. 2.8 asp.
imp. nac.
Motor Parcial 99473994 500354761 500354232 500354232
std 500352614 500352773 500352818 500352818
Pistão c/ Anéis
0,40 500352681 500352776 500352820 500352820

Biela c/ Bucha e
7473171 500352497 500352497 500352497
Parafuso
Árvore de Manivelas 994372215 500344443 500344443 500344443

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 56


Principais Componentes Intercambiáveis
Entre os Motores do Ducato
MOTORIZAÇÕES
COMPONENTES 2.8 turbo 2.8 turbo
2.5 asp. 2.8 asp imp. nac.
Eng. Bomba Injetora 98415211 98415210 98415210 98415210
Árvore 99483335 98483338 98483338 98483338
1,20 99432354 99432354
1,30 99432353 99432353
1,40 99460983 99460983
Guarnição 1,50 99458402 99458402
1,60 98492580 500306170
1,70 98492581 500306171
1,80 98498291 500306172

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 57


Principais Componentes Intercambiáveis
Entre os Motores do Ducato
MOTORIZAÇÕES
COMPONENTES 2,.8 turbo 2.8 turbo
2.5 asp. 2.8 asp.
imp. nac.
Eixo Com. Válvulas 98427672 98427672 98427674 98427674
Eng. Com. Válvulas 99454876 500340186 99454876 99454876
Correia Distribuição 99456476 500323627 99456477 99456477
Válvula de Admissão 98468338 98468338 7301820 7301820
Válvula de Descarga 98418161 98432837 98432837 98432837
Tensor da Correia 4279745 4279745 4279745 4279745
Rolamento 99432547 99432547 99432547 99432547
std 4733350 4733350 4733350 4733350
Tucho
0,20 4834345 4834345 4834345 4834345

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 58


Turbo Compressor Ducato
MOTOR 2.8 TURBO C/ INTERCOOLER ( Nacional, Importado )

MITSUBISHI TFO 35HM - 1050+- 25 mbar (3600rpm ), carga máxima.


KKK K14 - 1050+- 25 mbar (3600rpm ), carga máxima.

MOTOR 2.8 TURBO S/ INTERCOOLER ( Nacional )

MITSUBISHI TFO 35HM - 1050+- 25 mbar (3600rpm ), carga máxima.

KKK K14 - 1050+- 25 mbar (3600rpm ), carga máxima.

• Nova tecnologia empregada no turbo compressor, turbo de baixa


inércia.

• 116.000 rpm no eixo da turbina à 0,8 bar

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 59


Aplicação em outros veículos

CARACTERÍSTICAS:

• Novo turbo compressor Mitsubishi (redução de diâmetro e


160.000 rpm á 1.1 bar de pressão de trabalho turbina de
baixa inércia/ válvula waste gate.( Turbo Dayle )

• Bomba rotativa Bosch c/ tubulação de Ø12mm x 11mm,


novo formato do cames e pressão de operação de 700 bar.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 60


Intercooler
GÁS DE DESCARGA

PRESSÃO

DEPRESSÃO
AR FRONTAL

INTERCOOLER

AR ATM.

AR COMPRIMIDO

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 61


Fasagem do Motor

Coincidência da nervura
tampa de válvula com o
entalhe existente na polia
dentada da árvore de
comando de válvulas.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 62


Fasagem do Motor 2

Deve-se alinhar o furo da


engrenagem dentada
motriz do conjunto auxiliar,
com o furo da tampa
anterior do conjunto
auxiliar, utilizando a
ferramenta específica
indicada pelo Multifiat.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 63


Fasagem do Motor 3

Para checar o sincronismo da


bomba injetora é necessário
introduzir um pino de 8mm no
orifício do câmbio, para garantir
a exata posição da árvore de
manivelas, estando as demais
referências alinhadas.
Lembramos que o Câmbio ML,
atualmente possui o referido
orifício.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 64


Regulagem da Folga das Válvulas

De: 0,50 mm  0,05 mm


para admissão e descarga.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 65


Regulagem da Folga de Válvulas

O came deve estar voltado


para cima, ao se verificar a
folga , que deve ser de :
- admissão 0,50± 0,05
- descarga 0,50± 0,05,
para todos os motores da
família Ducato .

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 66


Parafuso de Fixação do Cabeçote

O parafuso de fixação do
cabeçote, ao ser retirado,
deve ser avaliado para
verificar uma possível
remontagem.

Para isso ao se medir o


diâmetro da rosca e esta
apresentar um valor menor
que 11,5 mm, este deverá
ser substituído.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 67


Altura do Bico Injetor

Ducato
2.8 Turbo

De 2,230 mm até 2,690 mm

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 68


Pré-Câmara

0 ± 0,04 mm

A Pré-câmara deve ser plana com o cabeçote ou:

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 69


Verificação de PMS

Girar o motor no sentido


horário até que o ponteiro
do relógio pare e inverta
sua posição de giro.

O PMS será no momento


em que o ponteiro do
relógio parar para inverter
o giro.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 70


Altura do Pistão
Ducato 2.5/2.8 Asp.
Injeção indireta
Altura do pistão Guarnição
0,85 1,60
0,85 - 0,95 1,70
0,95 - 1,05 1,80

Ducato 2.8 T
Injeção direta
Altura do pistão Guarnição
0,40 - 0,50 1,20
0,51 - 0,60 1,30
0,61 - 0,70 1,40
0,71 - 0,80 1,50

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 71


Altura do Pistão

Injeção Direta
0,40 ~ 0,80 mm

Injeção Indireta
Máximo 1,05 mm

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 72


Direcionamento do Pistão
Representação do
Volante do Motor

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 73


Manuseio da Camisa
Ø 94,402 até 94,412

0,000

0,4

Ø 97,390 até 97,450


CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 74
Manuseio da Camisa
A interferência da
camisa deve ser de: 0,11mm
0,02 / 0,11mm
0,000

0,4

0,02mm

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 75


Sistema de Auxiliar de Partida à Frio
Ducato 2.8 Turbo

Termoviatore

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 76


Sistema de Auxiliar de Partida à Frio
Ducato 2.8 Turbo

1 - Eletroválvula de Bloqueio
do Combustível de retorno 1 2
2 - Terminal da resistência
do bulbo pulverizador

3 - Válvula limitadora com


0,3 bar.

4 - Tubulação de óleo diesel 4 5


3
5 - Bulbo pulverizador

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 77


Sistema de Auxiliar de Partida à Frio Ducato 2.8 TD
RELÉ DE QUADRO DE CAIXA DE COMUTADOR DE
PARTIDA INSTRUMENTOS FUSÍVEIS IGNIÇÃO

16 S
10 A
30 85 86 87a 87b +15 54

P
P

LP

V
VE
SOLENÓIDE
VELA

Z

Z

MB

SG
BV

V
TB

V 
P
VP

MEGA
P
FUSÍVEL _
a b c d e f g MOTOR +
M6 DE PARTIDA 175 A BATERIA
CENTRAL DO M P
M5
P

TERMOVIATORE
ALTERNADOR

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 78


Controle da Distância do Rotor da Bomba
d’água

De 0,56 mm até 1,08 mm.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 79


Filtro de Óleo Lubrificante
Canal de lubrificação

Recalque para a bomba Entrada

Válvula de segurança

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 80


Lubrificante

• Composição do óleo:

Hidrocarboneto + aditivo

• Propriedade do lubrificante:

1) viscosidade, principal característica e a resistência de


um liquido ao seu escoamento

2) A P I : emprego especifico do lubrificante , no caso do


Diesel (Ducato ) CG-4

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 81


Lubrificante
FUNÇÃO PRINCIPAL: Reduzir o atrito através da
diminuição do contato metálico ( superfícies sólidas ).

Atrito: Resistência passiva que dificulta o deslocamento

da partes moveis do motor causando perda de


rendimento mecânico.

O atrito gera: desgaste, ruído, dissipação de calor e


desperdício de energia motriz
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 82
Filtro de Combustível

DIESEL DIESEL
CONTAMINADO
COM ÁGUA
FILTRO DE ÓLEO
DIESEL DIESEL

COMUTADOR CAIXA DE
DE IGNIÇÃO FUSÍVEIS
ÁGUA 1 A
10 A
- +

Bateria
12V
SENSOR
CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 83
Variador do Avanço (KSB)2.5 Aspirado
COMUTADOR DE
IGNIÇÃO RELÉ DO KSB
CAIXA DE FUSÍVEIS
AG Relé localizado na base
30 de relés próximo ao
15 POS. MAR porta luvas.

Fusível
A
1
10
30 85 86 87
AV BE CG
PT
D+ ( ALTERNADOR )
V

P
- +
Cera

Bateria
12V
Variador do Avanço

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 84


Variador do Avanço (KSB)2.8 Aspirado
COMUTADOR DE
IGNIÇÃO RELÉ DO KSB
CAIXA DE FUSÍVEIS
AG Relé localizado
30 Próximo a central da
15 POS. MAR
E.G.R. No vão motor.

Fusível
A
1
15
30 85 86 87
AV CG C
CV
V

E
23
A central E.G.R.
Libera o negativo CENTRAL
P/ o pino 85 do relé E.G.R.
Após a partida do
- + Motor.
Cera

Bateria
12V
Variador do Avanço

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 85


Variador do Avanço (KSB) 2.8 T
COMUTADOR DE
(Todos os tipos )
IGNIÇÃO CAIXA DE FUSÍVEIS
AG
30
15 POS. MAR

Fusível
A
1
15

CG CG
V

1 2 Sensor de temperatura
da água do motor
Sensor normalmente aberto. (Localizado na carcaça
Fecha o contato c/ temperatura do termostato)
acima de 65º C

- +
Cera

Bateria
12V
Variador do Avanço

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 86


CODE Ducato 2.5 Aspirado.
INTERRUPTOR RELÉ DO DDS COMUTADOR DE
INERCIAL IGNIÇÃO ANTENA

.
CAIXA DE
30 85 86 87 FUSÍVEIS LP
P AB
1 A
LP
10 A AG

.
AV

3
P
DDS 2 8 1
1 N.C. 7 P

V
CE 6 2
P P
BV 5

P
4 CODE _
3
+
AG BATERIA
2
P

ELETROSTOP 2 3 N.C. 1
V
CONECTOR DIAGN.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 87


CODE Ducato 2.8 D e TD ( Todos os tipos )
INTERRUPTOR COMUTADOR DE
INERCIAL CAIXA DE IGNIÇÃO ANTENA
FUSÍVEIS

16 S
L
10 A LP

1 A
LP
15 A AG

.
AV

3
P
DDS 2 8 1
1 N.C. 7 P

V
CE 6 2
P P
BV 5

P
4 CODE _
3
+
AG BATERIA
2
P

ELETROSTOP 1 2 N.C. 1
V
CONECTOR DIAGN.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 88


CODE Ducato
Ao colocarmos a chave de ignição na
posição MAR, o DDS pede a central
CODE um código para liberação da
alimentação do ELETROSTOP. Após
receber o código da chave, a central
CODE comunica-se com o DDS
permitindo a alimentação do
ELETROSTOP.

A COMUNICAÇÃO ENTRE A CENTRAL


DO CODE E O DDS DURA CERCA DE
77 ms.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 89


E.G.R. Ducato 2.8 D aspirado
CENTRAL E.G.R. / VELAS DE PRÉ-AQUECIMENTO
NC NC NC NC NC NC NC NC NC
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
P
RELÉ VELAS
PRE AQUEC.
CZ

EP
SG
VB

VE

CM

SP
87 85 86 30

CP
G

B
S

E
Z

V
RELÉ RELÉ
M

KSB A/C

60 A
MAXI
M
 L

85 85

     
16 S 
CONTA GIROS

10 A
PRÉ -AQUEC.

_
123 1 2 123 123 123 1 2 +
TOMADA SENSOR SENSOR QUADRO DE SENSOR SENSOR ELETR VELAS COMUTADOR DE BATERIA
DE DIAGN. TEMP. H2O POS. BORB. INSTRUMENTOS ROTAÇÃO ALTITUDE EGR PRÉ-AQUEC IGNIÇÃO

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 90


Códigos das cores dos cabos
A - Azul claro M - Marron

B - Branco P - Preto

L - Laranja V- Vermelho

G - Amarelo S- Rosa

C - Cinza E- Verde

Z - Azul-escuro T- Violeta

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 91


Sensor de Rotação p/ Câmbio MG / ME
Sensor indutivo para a caixa de câmbio MG
cujo valor de resistência  750 
Magneti Marelli ( Itália )0240. O sinal
apresentado corresponde a 750 ± 25 Rpm.
Este sinal é utilizado p/ o CONTA GIROS .
Existe a pré-disposição no câmbio ME para
montagem deste sensor.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 92


Sensor de Rotação p/ Câmbio ML
Ducato 2.8 D aspirado
Sensor indutivo para a caixa de câmbio ML
cujo valor de resistência  1262
Magneti Marelli ( Itália )0410 número
FIAT 46538536. O sinal apresentado
corresponde a 750 ± 25 Rpm. Este sinal é
utilizado p/ a Central EGR e p/ o
CONTA GIROS.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 93


Velas de Pre-aquecimento Ducato 2.8 e
2.5 Aspirado

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 94


Esquema Elétrico de Pre-aquecimento
Ducato 2.5 Aspirado

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 95


Cambios Ducato
MOTORIZAÇÕES
VERSÕES/CAMBIO 2.8 turbo 2.8 turbo
2.5 asp. 2.8 asp.
importado nacional
10 Lugares 9566759680-ME
15 Lugares 9566759680-ME
8 9567380180-MG
10 9567380180-MG
15 9567364380-ML 9567380680-MG 9567406380-MG
15 Vetrato Teto Alto 9567364380-ML 9567380680-MG
15 Vetrato Teto Baixo 9567364380-ML 9567380680-MG
Combinato 10 Lugares 9567364380-ML 9567380680-MG 9567406380-MG
Maxi 9567380180-MG 9567382280-MG 9567406380-MG
Minibus 15 Lugares 9567383980-ML 9567381980-MG 9567406380-MG

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 96


Conjunto de Embreagem
Câmbio MG 30 Kgm

O colar fica solidário ao


platô, fazendo-se
necessário, removê-lo caso
haja necessidade. Para isto,
deve-se utilizar duas
lâminas de
aproximadamente 0,50 mm
à 1,00 mm, retrabalhadas.

Esta operação encontra-se


no Multifiat.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 97


Conjunto de Embreagem
Câmbio MG 30 Kgm

Lâminas retrabalhadas.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 98


Colar de Embreagem
Câmbio MG 30 Kgm

O anel plástico do colar de


embreagem deve ser
recolocado no alojamento
da trava para possibilitar a
colocação do colar.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 99


Relação de Transmissão
3.000 rpm Z = 32
15 Kgm
Z = 10

MOVIDA Z2
I
MOTORA

1.000 rpm 250 rpm Z1


45 Kgm 180 Kgm
I = Relação de
Transmissão
MOVIDA MOTORA
Z1 = Motora
Z=8 Z2 = Movida
T : R = Redução
Z = 30 T : R = Multiplicação

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 100


Depressor do Servo Freio

Faz-se necessário nos


motores do Ciclo Diesel,
em virtude da não
existência de borboleta
aceleradora.

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 101


Sistema de Freios

Cilindro
Cilindro
Auxiliar Cilindro
Mestre
Auxiliar

Corretor de
Frenagem

Cilindro
Cilindro Auxiliar
Auxiliar

CÉLULA MECÂNICA: JOSÉ GUILHERME / ILDEBRANDO / JOSÉ PIMENTA / FLAVIO W. 102

Você também pode gostar