Você está na página 1de 18

HISTÓRIA DA ARTE: ARTE POP À

CONTEMPORANEIDADE
CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (LATO-SENSU)
História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade – Profª. Ma. Halima Alves de Lima Elusta

Meu nome é Halima Alves de Lima Elusta. Sou mestre em Cultura Visual pela Universidade
Federal de Goiás (FAV/UFG), especialista em Saúde e Educação pela Universidade de
São Paulo (USP) e também em Design Instrucional pela Universidade Federal de Itajubá
(UNIFEI). Sou graduada em licenciatura e bacharelado pela Universidade Estadual de
Campinas (Unicamp) em Artes Plásticas/Educação Artística e Pedagogia pelo Claretiano
– Centro Universitário. Já atuei em escolas públicas e particulares como professora de
artes do Ensino Fundamental e Médio e também na pós-graduação em Arte/Educação
da Universidade Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Atualmente trabalho na rede estadual
de ensino de São Paulo, em cursos livres de desenho na cidade de Campinas e no Curso
de Licenciatura em Artes do Claretiano – Centro Universitário.
E-mail: halimaelusta@claretiano.edu.br

Fazemos parte do Claretiano - Rede de Educação


Profª. Ma. Halima Alves de Lima Elusta

HISTÓRIA DA ARTE: ARTE POP À


CONTEMPORANEIDADE
Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE)

Batatais

Claretiano

2021
© Ação Educacional Claretiana, 2016 – Batatais (SP)
Trabalho realizado pelo Claretiano – Centro Universitário

Cursos: Pós-Graduação (Lato-Sensu)


Disciplina: História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade
Versão: fev./2021

Reitor: Prof. Dr. Pe. Sérgio Ibanor Piva


Vice-Reitor: Prof. Dr. Pe. Cláudio Roberto Fontana Bastos
Pró-Reitor Administrativo: Pe. Luiz Claudemir Botteon
Pró-Reitor de Extensão e Ação Comunitária: Prof. Dr. Pe. Cláudio Roberto Fontana Bastos
Pró-Reitor Acadêmico: Prof. Me. Luís Cláudio de Almeida

Coordenador Geral de EaD: Prof. Me. Evandro Luís Ribeiro


Gerente do Material Didático Mediacional: Rodrigo Ferreira Daverni

Corpo Técnico Editorial do Material Didático Mediacional


Preparação Revisão
Eduardo Henrique Marinheiro
Aline de Fátima Guedes Filipi Andrade de Deus Silveira
Camila Maria Nardi Matos Rafael Antonio Morotti
Vanessa Vergani Machado
Carolina de Andrade Baviera
Projeto gráfico, diagramação e capa
Cátia Aparecida Ribeiro Bruno do Carmo Bulgarelli
Joice Cristina Micai
Lidiane Maria Magalini Lúcia Maria de Sousa Ferrão
Luis Antônio Guimarães Toloi
Luciana A. Mani Adami
Raphael Fantacini de Oliveira
Luciana dos Santos Sançana de Melo Tamires Botta Murakami

Patrícia Alves Veronez Montera Videoaula


André Luís Menari Pereira
Simone Rodrigues de Oliveira Bruna Giovanaz Bulgarelli
Luis Gustavo Millan
Vanessa Ito Nazar
Marilene Baviera
Renan de Omote Cardoso

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, a transmissão total ou parcial por qualquer forma
e/ou qualquer meio (eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia, gravação e distribuição na web), ou o
arquivamento em qualquer sistema de banco de dados sem a permissão por escrito do autor e da Ação
Educacional Claretiana.

Claretiano – Centro Universitário


Rua Dom Bosco, 466 - Bairro: Castelo – Batatais SP – CEP 14.300-000
cead@claretiano.edu.br
Fone: (16) 3660-1777 – Fax: (16) 3660-1780 – 0800 941 0006
claretiano.edu.br/batatais

Fazemos parte do Claretiano - Rede de Educação


SUMÁRIO

1 APRESENTAÇÃO ..............................................................................................................................................................7
2 DADOS GERAIS DA DISCIPLINA......................................................................................................................................9
3 BIBLIOGRAFIA BÁSICA ...................................................................................................................................................10
4 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR...................................................................................................................................10
5 E-REFERÊNCIAS ...............................................................................................................................................................10
6 ORIENTAÇÕES PARA O ESTUDO DA DISCIPLINA...........................................................................................................11
1º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA .................................................................................................................11
2º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA..................................................................................................................13
3º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA..................................................................................................................14
4º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA..................................................................................................................16
7 CONSIDERAÇÕES GERAIS...............................................................................................................................................17
Claretiano - Centro Universitário
Plano de Ensino (PE)/
Guia de Estudos (GE)
PE/GE

1. APRESENTAÇÃO
Seja bem-vindo! Você está iniciando o estudo de História da Arte: Arte Pop à
Contemporaneidade!
Nessa disciplina trataremos dos marcos históricos e discussões relativos ao período de
transição entre a modernidade e a contemporaneidade. Destacaremos as transformações
ocorridas nas funções e linguagens, assim como nos suportes da arte a partir da Pop Arte,
chegando até a expressão artística conhecida como arte conceitual e a inserção das novas
tecnologias na arte.
Iniciaremos o estudo pela Pop Arte, pois as produções artísticas desse período configuram
mudanças impactantes nas produções subsequentes. Começaremos pela produção de Andy
Warhol com a inserção de elementos da cultura de massa na arte até então elitizada. A
reprodução seriada das imagens de ídolos populares por meio da serigrafia levanta questões
importantes sobre o valor da arte, a reprodutibilidade da obra de arte, além da valorização de
temas populares.
As linguagens da arte se misturam na contemporaneidade, criando linguagens híbridas,
em que suporte, material, espaço, corpo, objetos e ideias se combinam de forma inseparável,
desfazendo os limites antes tão definidos. As instalações tomam conta dos museus de arte
contemporânea e modificam a relação do público com a arte, tornando a interação parte da
arte.
Nas décadas de 1960 e 1970 surge a arte conceitual, que, conforme seu título, indica e
valoriza o conceito em detrimento da matéria. Dessa forma, a função do artista também passa
por mudanças. A habilidade manual valorizada em todos os períodos da história da arte até então
8 © História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade

deixa de ser fundamental e a habilidade intelectual é valorizada. O surgimento da arte conceitual


contribuiu muito para o rompimento de vários tabus da arte acadêmica e, posteriormente, da
arte moderna.
Por outro lado, críticos de arte defendem que, com o fim das vanguardas e o início do
“vale tudo na arte”, a verdadeira arte morreu. Muitas são as opiniões que questionam o valor
e a qualidade da arte contemporânea, mas os fatos apontam para mudanças que vieram para
ficar. A busca pela inovação, seja em conceito, em matéria ou até na ausência dela, hoje dita
tendências da arte.
Nesse contexto, as instituições de arte, como museus e galerias, veem o curador ser
valorizado e, por meio dessa figura, os artistas e seus trabalhos são selecionados e valorados no
mercado. Essa valorização da arte, assim como sua materialidade e função comunicativa, tem
constantemente seus padrões alterados, cada vez com maior velocidade. Essas características
são parte da nova mentalidade do homem diante da arte e condizem perfeitamente com o
mundo contemporâneo, em que os aparelhos eletrônicos nos comunicam simultaneamente e as
realidades podem ser virtuais. Dessa forma, entendemos que a arte contemporânea acompanha
e se apropria das tecnologias e dos valores de nosso mundo contemporâneo.
Enfim, diante desse contexto, e para facilitar nossos estudos, esta disciplina está dividida
em quatro ciclos de aprendizagem e utilizará os seguintes materiais de estudo:

Material de Estudo Tipo de Material Onde encontrá-lo

GIANNOTTI, Marco. Andy Warhol ou a


sombra da imagem. In: Ars – Revista do Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ars/
Artigo
Departamento de Artes Plásticas – ECA – v2n4/08.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
USP, n. 4, 2004, p. 117-126.

KUDIELKA, Robert. Objetos da Observação:


lugares da experiência. Sobre a mudança
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/nec/
da concepção de arte no séc. XX. Novos Artigo
n82/09.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
Estudos, CEBRAP, São Paulo, n. 82, nov.
2008.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


YOUTUBE. Pop Arte [Parte 1/3]. Vídeo watch?v=D1kCB5xqk4M>. Acesso em: 26 jan.
2017.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


watch?v=DXC18I5qCqc&ebc=ANyPxKr_
YOUTUBE. Pop Arte [Parte 2/3]. Vídeo C0XheGow9geM6LKbJ4jWUNB2iYAABMZRHe_
e6GR646XFm6OJ160R-F3EeLn31K00BwYAIBccZu
krOxgs0oZmvjsVTw>. Acesso em: jan. 2017.

DANTO, Arthur C. Aprendendo a viver com


Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/
o pluralismo. Tradução de Daniela Kern.
Artigo RevistaValise/article/viewFile/25017/14541>.
Rev. Valise, Porto Alegre, v. 1, n. 2, p. 147-
Acesso em: 26 jan. 2017.
161, dez. 2011.

Disponível em: <http://www.


SANTAELLA, Lúcia. O pluralismo pós-
scielo.br/scielo.php?pid=S1678-
utópico da arte. ARS (São Paulo), v. 7, n. 14, Artigo
53202009000200010&script=sci_
São Paulo, 2009.
arttext&tlng=es>. Acesso em: 26 jan. 2017.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


YOUTUBE. Celso Favaretto no Itaú Cultural:
Vídeo watch?v=-XG-71wqwUI>. Acesso em: 26 jan.
É isso Arte?.
2017.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


DIDIER, C. A. Ferreira Gullar e a Arte
Vídeo watch?v=CIQ1ckiTQRw>. Acesso em: 26 jan.
Contemporânea.
2017.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 9

Material de Estudo Tipo de Material Onde encontrá-lo

Disponível em: <http://www.comum.com/


TODESCO, E. Instalação: campo de
Artigo elainetedesco/pdfs/instalacao.pdf>. Acesso em:
relações.
26 jan. 2017.

SOGABE, M. O espaço das instalações:


objeto, imagem e público. In: 17º
ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO
Disponível em: <http://anpap.org.br/anais/2008/
NACIONAL DE PESQUISADORES EM Artigo
artigos/180.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
ARTES PLÁSTICAS, 19 a 23 de agosto de
2008, Florianópolis. Anais... Florianópolis:
Anpap, 2008.

Disponível em: <http://enciclopedia.


itaucultural.org.br/termo329/hiper-
ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL. Hiper realismo?utm_source=hiper%20realismo&utm_
Verbete
realismo. medium=/termo329/hiper-realismo&utm_
campaign=pagina_busca>. Acesso em: 26 jan.
2017.

FABRIS, A. O debate crítico sobre o Hiper- Disponível em: <http://www.artcultura.inhis.


realismo. Art Cultura, v. 8, n. 12, jan./jun. Artigo ufu.br/PDF27/9.2_O_debate_critico_sobre_o_
2006. HiperRealismo.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


AZEVEDO, A. Arte Conceitual. Vídeo
watch?v=hMW2E1-5JB4>. Acesso em dez/2016.

ARCHER, M. Arte contemporânea: uma Disponível em: <http://docslide.us/documents/


história concisa. São Paulo: Martins Fontes, Livro Digital michael-archer-arte-contemporanea-uma-
2001. historia-concisa.html>. Acesso em: 26 jan. 2017.

MACHADO, A. Arte e mídia: aproximações Disponível em: <http://www.compos.


e distinções. Revista eletrônica e-compós, Artigo org.br/seer/index.php/e-compos/article/
n. 1, dez. 2004. viewFile/15/16>. Acesso em: 26 jan. 2017.

ZANINI, W. "A Arte da Comunicação


Disponível em: <http://www.scielo.
Telemática: a interatividade no
br/scielo.php?script=sci_arttext&pid
ciberespaço". Ars – Revista do Artigo
=S1678-53202003000100003>. Acesso em: 26
Departamento de Artes Plásticas, São
jan. 2017.
Paulo, ano 1, n. 1, p. 11-34, 2003.

Disponível em: <http://www.facom.ufba.br/


LEMOS, A. Ciber cultura Remix. Artigo ciberpesquisa/andrelemos/remix.pdf>. Acesso
em: 26 jan. 2017.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


ITAÚ CULTURAL. Acervo Itaú Cultural: Arte
Vídeo watch?v=TZu9cfH_pDs>. Acesso em: 26 jan.
Cibernética.
2017.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


YOUTUBE. Prestigie o maior encontro do
Vídeo watch?v=vmO5sosj_aY>. Acesso em: 26 jan.
país sobre arte digital – HOJE TEM FILE. .
2017

2. DADOS GERAIS DA DISCIPLINA

Ementa
Mudanças nas funções e nas linguagens da arte a partir da Pop Arte. Novos suportes. O
hibridismo de linguagens. Instalações. Arte conceitual. Arte Povera. Hiper realismo. Vídeo arte,
Web arte e a nova configuração da contemporaneidade.

Claretiano - Centro Universitário


10 © História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade

Objetivo geral
Os alunos da disciplina História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade do curso de
Especialização em História da Arte, na modalidade EaD do Claretiano, dado o suporte do Sistema
Gerenciador de Aprendizagem e de suas ferramentas, serão capazes de acompanhar discussões
teóricas e metodológicas acerca da história da arte da segunda metade do século 20 até a
contemporaneidade. Para isso, contarão não só com as obras de referência, mas também com
outras referências bibliográficas e eletrônicas, complementadas por debates no Fórum e troca
de mensagens no Correio.
No decorrer da disciplina, sob a orientação do tutor, redigirão atividades que demonstrem
sua aprendizagem sobre os principais conteúdos estudados e os temas debatidos, publicando-
as no Portfólio.

Objetivos específicos
• Conhecer as principais discussões relativas à contemporaneidade.
• Conhecer algumas manifestações artísticas contemporâneas.
• Detectar formas de utilização de recursos tecnológicos na arte contemporânea.
• Compreender a Pop Arte e as mudanças nas linguagens, suportes e funções da arte a
partir desse período.
• Compreender as transformações ocorridas a partir das mudanças nas ideias, materiais
e linguagens da arte contemporânea.
• Compreender, a partir de uma perspectiva teórica, as transformações ocorridas na arte
após a modernidade.
• Refletir sobre a materialidade das manifestações artísticas contemporâneas.
• Analisar, de forma crítica, os conhecimentos produzidos no campo da História da Arte.
• Desenvolver práticas e reflexões em relação às formas e conteúdos da expressão
artística contemporânea.

3. BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARCHER, M. Arte contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
ARGAN, G. C. Arte moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
SALGADO, L. A. Z. Arte digital. Curitiba: Inetrsaberes, 2020. Bibioteca Digital Pearson.

4. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BAUDELAIRE, C. Sobre a modernidade. São Paulo: Paz e Terra, 2011.
DANTO, A. Após o fim da arte: a arte contemporânea e os limites da história. Tradução de Saulo Krieger. São Paulo: Odysseus
Editora, 2006.
KRAUSS, R. E. Caminhos da escultura moderna. Tradução de Júlio Fisher. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
READ, H. Escultura moderna: uma história concisa. Tradução de Ana Aguiar Cotrim. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
VAZ, A. Fundamentos da Linguagem Visual. Curitiba: Intersaberes, 2016.

5. E-REFERÊNCIAS
BARROS, Anna. Nano arte, a poética metafórica. Disponível em: <http://www.anpap.org.br/anais/2008/artigos/142.pdf>.
Acesso em: 26 jan. 2017..
BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. Disponível em: <http://www.mariosantiago.net/
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 11
Textos%20em%20PDF/A%20obra%20de%20arte%20na%20era%20da%20sua%20reprodutibilidade%20t%C3%A9cnica.pdf>.
Acesso em: 26 jan. 2017.
CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas, poderes oblíquos. Disponível em: <http://www.cdrom.ufrgs.br/garcia/garcia.pdf>.
Acesso em: 26 jan. 2017.
DANTO, A. Marcel Duchamp e o fim do gosto: uma defesa da arte contemporânea. ARS, São Paulo, v. 6, n. 12, p. 15-28, Jul./Dec.
2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1678-53202008000200002&script=sci_arttext&tlng=es>. Acesso
em: 26 jan. 2017.
FABRINNI, Ricardo Nascimento. O fim das vanguardas. Disponível em: <http://www.iar.unicamp.br/dap/vanguarda/artigos_
pdf/ricardo_fabrini.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
FORTES, Hugo. Transversalidades entre arte e ciência nas imagens contemporâneas. Disponível em: <http://www.anpap.org.br/
anais/2009/pdf/cpa/hugo_fernando_salinas_fortes_jr.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
MAMMI, Lorenzo. Mortes recentes da arte. Disponível em: <http://novosestudos.org.br/v1/files/uploads/contents/94/20080627_
mortes_recentes_da_arte.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
RAHDE, Maria Beatriz; CAUDURO, Flávio Vinicius. Imagens e Imaginários: do moderno ao pós-moderno. Disponível em: <http://
www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/viewFile/180/181>. Acesso em: 26 jan. 2017.
RIBAS, Maria Cristina. Deficiência ou eficiência de visão: especulações em torno do (hiper)real. Disponível em: <http://www.uel.
br/pos/letras/terraroxa/g_pdf/vol8/8_2.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
SANTAELLA, Lúcia. Pós-humano – por quê?. Disponível em: <www.revistas.usp.br/revusp/article/download/13607/15425>.
Acesso em: 26 jan. 2017.
TOCANTINS, Walace. As proporções ímpares do hiper-realismo existencialista de Ron Mueck. Disponível em:
<http://200.129.173.132/revista/index.php/anthesis/article/viewFile/180/222>. Acesso em: 26 jan. 2017.

6. ORIENTAÇÕES PARA O ESTUDO DA DISCIPLINA

–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

Ciclos de Aprendizagem a Distância


–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Os quatro Ciclos de Aprendizagem desta disciplina correspondem a momentos de
aprendizagem a distância, que articulam os conteúdos indicados na ementa e as formas de
avaliação. Eles foram organizados para que você possa desenvolver as atividades propostas e
alcançar uma aprendizagem que lhe permita a compreensão e o aprofundamento dos conteúdos
estudados.
No decorrer deste Plano de Ensino/Guia de Estudos, você encontrará as indicações de
leitura em cada ciclo de aprendizagem, bem como as propostas de atividades, interatividades
e/ou questões on-line. Fique atento, pois elas fazem parte de sua avaliação formativa, ou seja,
comporão a nota final da disciplina.

1º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA


Conteúdos
Mudanças nas funções e nas linguagens da arte a partir da Pop Arte. Novos suportes.

Problematização
O que foi a Pop Arte e qual sua importância para a história da arte? Quais as contribuições
de Andy Wahrol e dos demais artistas para a contemporaneidade? Quais as mudanças no
conceito de obra de arte e na relação entre arte e público?

Claretiano - Centro Universitário


12 © História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade

O que preciso estudar?


Material de Estudo Tipo de Material Onde encontrá-lo

GIANNOTTI, Marco. Andy Warhol ou a


sombra da imagem. In: Ars – Revista do Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ars/
Artigo
Departamento de Artes Plásticas – ECA v2n4/08.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017
– USP, n. 4, 2004, p. 117-126. .

KUDIELKA, Robert. Objetos da


Observação: lugares da experiência.
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/nec/
Sobre a mudança da concepção de arte Artigo
n82/09.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.
no séc. XX. Novos Estudos, CEBRAP, São
Paulo, n. 82, nov. 2008.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


YOUTUBE. Pop Arte [Parte 1/3]. Vídeo watch?v=D1kCB5xqk4M>. Acesso em: 26 jan.
2017.

Disponível em: <https://www.youtube.com/


w a t c h ? v = DXC 1 8 I 5 q C q c & e b c = A N y P x Kr _
YOUTUBE. Pop Arte [Parte 2/3]. Vídeo C0XheGow9geM6LKbJ4jWUNB2iYAABMZRHe_
e6GR646XFm6OJ160R-F3EeLn31K00BwYAIBccZ
ukrOxgs0oZmvjsVTw>. Acesso em: 26 jan. 2017.

O que preciso fazer?

1º Ler e estudar os conteúdos propostos

2º Atividade no Portfólio

Descrição da atividade
Você realizará um exercício prático seguindo o exemplo de Andy Warhol em suas
serigrafias seriadas de ícones da cultura popular de sua época. Dentre elas estão imagens de
Marylin Monroe, Elvis Presley, Mick Jagger, Mickey Mouse, Mao Tsé-Tung, garrafas de Coca-
Cola, entre outros.
Escolha uma imagem relevante para a sociedade de consumo atual e a reproduza
diversas vezes alterando suas cores, mas preservando as formas. Não é necessário utilizar a
técnica da serigrafia como Warhol fez, você pode imprimir (ou fotocopiar) a imagem diversas
vezes e pintar sobre ela. Pode também alterá-la com softwares de edição de imagens, caso
tenha facilidade com essa técnica. Use sua imaginação!
Após a conclusão do trabalho, digitalize a imagem, salve o arquivo em formado pdf e
poste-o em seu Portfólio. Escreva uma breve justificativa da escolha da imagem relevante para
nossa sociedade de consumo hoje.

Pontuação
A atividade vale de 0 a 1,0 ponto.

Critérios de avaliação
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Compreensão dos textos estudados.
• Escolha de imagem relevante para sociedade de consumo atual.
• Atendimento ao que foi solicitado na proposta: reprodução seriada da imagem
escolhida.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 13

3º Responder as Questões on-line disponibilizadas na Sala de Aula Virtual


Pontuação
As Questões online valem de 0 a 0,5 ponto.

2º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA


Conteúdos
Novos suportes. O hibridismo de linguagens.

Problematização
Quais os novos suportes utilizados nas criações artísticas? Quais paradigmas da
modernidade foram rompidos na contemporaneidade?

O que preciso estudar?


Material de Estudo Tipo de Material Onde encontrá-lo

DANTO, Arthur C. Aprendendo a viver Disponível em: <http://seer.ufrgs.


com o pluralismo. Tradução de Daniela br/index.php/RevistaValise/article/
Artigo
Kern. Rev. Valise, Porto Alegre, v. 1, n. viewFile/25017/14541>. Acesso em:
2, p. 147-161, dez. 2011. 26 jan. 2017.

Disponível em: <http://www.


SANTAELLA, Lúcia. O pluralismo pós- scielo.br/scielo.php?pid=S1678-
utópico da arte. ARS (São Paulo), v. 7, Artigo 53202009000200010&script=sci_
n. 14. São Paulo, 2009. arttext&tlng=es>. Acesso em: 26 jan.
2017.

Disponível em: <https://www.youtube.


YOUTUBE. Celso Favaretto no Itaú
Vídeo com/watch?v=-XG-71wqwUI>. Acesso
Cultural: É isso Arte?.
em: 26 jan. 2017.

Disponível em: <https://


SESC TV. Documentário: Ferreira Gullar w w w . y o u t u b e . c o m /
Vídeo
- A Necessidade da Arte. watch?v=yRLDFOjxRWc&t=594s>.
Acesso em: 12 maio 2020.

O que preciso fazer?

1º Ler e estudar os conteúdos propostos

2º Interatividade no Fórum

Descrição da interatividade
Após a leitura dos textos indicados no quadro de Material de Estudo, assista aos vídeos
sobre arte contemporânea que indicamos a seguir. No primeiro, o crítico de arte Ferreira
Gullar expressa suas ideias em relação às Bienais de arte contemporânea, e o segundo é um
documentário produzido pela Nova Escola sobre arte contemporânea:
• DIDIER, C. A. Ferreira Gullar e a Arte Contemporânea. Disponível em: <https://www.
youtube.com/watch?v=CIQ1ckiTQRw>. Acesso em: 26 jan. 2017.

Claretiano - Centro Universitário


14 © História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade

• NOVA ESCOLA. O que é Arte Contemporânea? O exemplo da Bienal 2014. Disponível


em: <https://www.youtube.com/watch?v=8-XltLNkOhs>. Acesso em: 26 jan. 2017.
Esses vídeos serão referência para a interatividade, em que você deve discutir com seus
colegas a seguinte questão:
A arte morreu?

Pontuação
A interatividade vale de 0 a 1,0 ponto.
Critérios de avaliação
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Compreensão dos textos estudados.
• Coerência à questão proposta para discussão.
• Clareza na exposição das ideias.

3º Responder as Questões on-line disponibilizadas na Sala de Aula Virtual


Pontuação
As Questões online valem de 0 a 0,5 ponto.

3º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA


Conteúdos
Instalação. Arte conceitual. Arte Povera. Hiper realismo.

Problematização
O que são instalações? Qual a ruptura da arte conceitual em relação à materialidade da
obra de arte? Quais as questões propostas pela Arte Povera relativas aos materiais? Qual a
relevância da imagem para os artistas hiper realistas?

O que preciso estudar?


Material de Estudo Tipo de Material Onde encontrá-lo

Disponível em: <http://www.comum.


TODESCO, E. Instalação: campo de
Artigo com/elainetedesco/pdfs/instalacao.
relações.
pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.

SOGABE, M. O espaço das instalações:


objeto, imagem e público. In: 17º
ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO Disponível em: <http://anpap.org.br/
NACIONAL DE PESQUISADORES EM Artigo anais/2008/artigos/180.pdf>. Acesso
ARTES PLÁSTICAS, 19 a 23 de agosto em: 26 jan. 2017.
de 2008, Florianópolis. Anais...
Florianópolis: Anpap, 2008.

Disponível em: <http://enciclopedia.


itaucultural.org.br/termo329/hiper-
realismo?utm_source=hiper%20
ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL. Hiper
Verbete realismo&utm_medium=/
realismo.
termo329/hiper-realismo&utm_
campaign=pagina_busca>. Acesso em:
26 jan. 2017.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 15

Material de Estudo Tipo de Material Onde encontrá-lo

Disponível em: <http://www.artcultura.


FABRIS, A. O debate crítico sobre o
inhis.ufu.br/PDF27/9.2_O_debate_
Hiper-realismo. Art Cultura, v. 8, n. 12, Artigo
critico_sobre_o_HiperRealismo.pdf>.
jan./jun. 2006.
Acesso em: 26 jan. 2017.

Disponível em: <https://www.


ARCHER, M. Arte contemporânea: uma
a c a d e m i a . e d u / 3 6 6 7 4 8 8 5 /A r t e _
história concisa. São Paulo: Martins Livro Digital
Contempora_nea_-_Uma_histo_ria_
Fontes, 2001. (p. 91-93).
concisa>. Acesso em: 12 maio 2020.

O que preciso fazer?

1º Ler e estudar os conteúdos propostos

2º Atividade no Portfólio

Descrição da atividade
Para realizar a atividade desta unidade, você deve ler o texto a seguir. Nele é apresentada
a obra Inserções em circuitos ideológicos, do artista Cildo Meireles.

Garrafas no mar, da urgência à desesperança___________________________________


I. Em 1970, Cildo Meireles deu início à proposta Inserções em circuitos ideológicos [1], que se implementou através
de dois projetos: o Projeto Coca-Cola e o Projeto Cédula. O Projeto Coca-Cola consistia em gravar informações e
opiniões críticas nas garrafas retornáveis dessa bebida para, depois, devolvê-las à circulação. O artista colocava
um decalque impresso em tinta branca, que só se tornava visível quando a garrafa estava cheia. O Projeto Cédula,
do mesmo ano, convidava a inscrever informações ou críticas no papel moeda. O próprio Meireles utilizava um
carimbo para imprimir frases como: Quem matou Herzog? Yanquis, go home! Qual é o lugar de um trabalho de
arte? [2] Com esses trabalhos, nos quais o objeto era retirado do seu contexto, suplementado por uma proposição
conceptual e reconduzido outra vez ao circuito originário, o artista dava início a um processo de comunicação em
aberto, cuja extensão desconhecia e cujo alcance fugia a qualquer intento de controle. O público era o destinatário,
mas também o agente dessas ações que propiciavam a colaboração das pessoas para manter um fluxo de contra-
informação ideológica [3].
Meireles considerava que as Inserções partiam de duas práticas culturais comuns: as correntes de santos — uma
rede de correspondência que se inicia quando alguém que recebe uma carta atende a proposta na qual se pede
que seja copiada e enviada para um certo número de pessoas, que por sua vez... — e as garrafas de náufragos
arrojadas ao mar [4].
O conceito de circuito elaborado por Meireles — Circuito é uma circulação criada pela repetição [5] — foi matricial
para a concepção e execução dessas obras. O circuito seria, para o autor, o fato pré-existente sobre o qual poderia
ser feito um trabalho real: a “inserção”, cujo caráter seria sempre contra-informativo [6]. A sofisticação do meio
criaria sua própria armadilha, já que seria utilizada para desconstruir o paradigma inerente a ele: a alienação e a
desidentificação.
Nos textos escritos na época da realização dos trabalhos, o artista insistia no fato de que as Inserções aspiravam
a substituir a noção de mercado pela de público. Nesse sentido, Meireles apontava para o conceito emergente
no Brasil da época da relação artista-marchand-mercado, que ele identificava como sendo similar ao processo de
produção-distribuição-consumo.
Anos mais tarde, em 1988, ao refletir sobre esse trabalho, o artista alega que as ICI tinham a pretensão de fazer
o caminho inverso do ready-made. Não é mais o objeto industrial colocado no lugar do objeto de arte, mas o
objeto de arte agindo como objeto industrial [7]. Como grafites ou pichações feitos sobre um objeto que circula
possibilitavam a interação entre o discurso do sujeito e a linguagem do artista: uma prática eminentemente social
era transmutada em prática artística. (MELENDI, 2016).
__________________________________________________________________________
Após a leitura do texto, busque inspiração na obra de Cildo Meireles, Inserções em
circuitos ideológicos, para criar sua própria ideia para uma "obra conceitua".
Essa sua obra não precisa ser realizada de fato, ela pode ser descrita apenas com palavras
ou imagens.
Escolha um tema atual e provoque uma discussão sobre o assunto por meio da arte.

Claretiano - Centro Universitário


16 © História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade

Depois de concluir seu texto ou imagem, poste-o no Portfólio.

Pontuação
A atividade vale de 0 a 1,0 ponto.

Critérios de avaliação
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Compreensão dos textos estudados.
• Demonstrar domínio do conteúdo estudado por meio da criação de uma obra
conceitual.
• Clareza na exposição das ideias.

3º Responder as Questões on-line disponibilizadas na Sala de Aula Virtual


Pontuação
As Questões online valem de 0 a 0,5 ponto.

4º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA


Conteúdos
Vídeo arte. Web arte. Nova configuração da contemporaneidade.

Problematização
Como os artistas utilizam a tecnologia em suas criações? Quais os parâmetros, conteúdos
e materialidade da arte na contemporaneidade?

O que preciso estudar?


Material de Estudo Tipo de Material Onde encontrá-lo

MACHADO, A. Arte e mídia: Disponível em: <https://www.e-


aproximações e distinções. Revista Artigo compos.org.br/e-compos/article/
eletrônica e-compós, n. 1, dez. 2004. view/15>. Acesso em: 12 maio 2020.

ZANINI, W. "A Arte da Comunicação


Disponível em: <http://www.scielo.
Telemática: a interatividade no
br/scielo.php?script=sci_arttext&pid
ciberespaço". Ars – Revista do Artigo
=S1678-53202003000100003>. Acesso
Departamento de Artes Plásticas, São
em: 26 jan. 2017.
Paulo, ano 1, n. 1, p. 11-34, 2003.

Disponível em: <http://www.facom.


LEMOS, A. Ciber cultura Remix. Artigo ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/
remix.pdf>. Acesso em: 26 jan. 2017.

Disponível em: <https://www.youtube.


ITAÚ CULTURAL. Acervo Itaú Cultural:
Vídeo com/watch?v=TZu9cfH_pDs>. Acesso
Arte Cibernética.
em: 26 jan. 2017.

YOUTUBE. Prestigie o maior encontro Disponível em: <https://www.youtube.


do país sobre arte digital – HOJE TEM Vídeo com/watch?v=vmO5sosj_aY>. Acesso
FILE. . em: 26 jan. 2017
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 17

O que preciso fazer?

1º Ler e estudar os conteúdos propostos

2º Interatividade no Fórum

Descrição da interatividade
Assista ao vídeo Arte e tecnologia: instalações fantásticas para as cidades, disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=7V5UHiUlvKo>. Acesso em: 26 jan. 2017.
Esse vídeo apresenta trabalhos de arte que utilizam a tecnologia como parte fundamental
da construção. Perceba que por meio dessa tecnologia os artistas permitem que o público
participe do trabalho artístico final. Além de participar, o público é parte vital das obras, pois,
sem essa participação, os objetos construídos não têm sentido.
Faça uma pesquisa na internet sobre trabalhos artísticos que possuem aparato
tecnológico. Escolha um deles. Após a escolha, compartilhe no Fórum esse trabalho por meio
de link ou imagem, destacando em sua postagem a importância da tecnologia para a arte
contemporânea.
Lembre-se de citar as referências (artista, materiais, data).
Aproveite para conhecer e comentar as postagens dos colegas.
Boa discussão!

Pontuação
A interatividade vale de 0 a 1,0 ponto.

Critérios de avaliação
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Compreensão dos textos estudados.
• Demonstrar conhecimento do conteúdo ao selecionar o trabalho artístico
compartilhado no Fórum.
• Clareza na exposição de ideias.

3º Responder as Questões on-line disponibilizadas na Sala de Aula Virtual


Pontuação
As Questões online valem de 0 a 0,5 ponto.

7. CONSIDERAÇÕES GERAIS
Chegamos ao final da disciplina História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade. É
oportuno observar que a disciplina não teve a pretensão de esgotar o assunto, mas sim de
traçar os principais pontos que envolvem o tema, com o intuito de despertar o seu interesse
pela continuidade das investigações nessa área.
A arte contemporânea iniciou-se na década de 1960 e não tem um marco final, sendo,
portanto, a arte da atualidade, com características híbridas e repleta de inovações. Para saber
mais sobre o assunto, basta acompanhar exposições de galerias e museus e, especialmente,
navegar pela internet, buscando informações, imagens e vídeos do que os artistas estão criando
atualmente.
Desse modo, nesta disciplina, você pôde obter as informações básicas necessárias para
iniciar uma investigação mais aprofundada sobre a arte contemporânea. Resta, por fim, desejar-
Claretiano - Centro Universitário
18 © História da Arte: Arte Pop à Contemporaneidade

lhe sucesso na continuidade dos estudos, uma vez que os ensinamentos aqui adquiridos
constituem apenas o primeiro passo de uma carreira bem-sucedida.

Você também pode gostar