Você está na página 1de 17

Professora Vanuza Duarte

EEEFM Irineu Jóffily


tem diferentes processos de combinação de morfemas para formar novas palavras. Os
principais processos de formação são a derivação e a composição.

é o processo pelo qual


palavras novas são criadas a
Derivação partir de outras já existentes
na língua, alterando, assim, o
sentido.
Formação de palavras
Composição é o processo
pelo qual palavras novas são
formadas pela junção de
Composição
duas ou mais palavras, ou
seja, de dois ou mais
radicais.
As palavras novas são chamadas de Derivadas e as que lhe dão origem, Primitivas. A
derivação pode ser dividida conforme abaixo:
Prefixal

Prefixal
Sufixal e
Sufixal

Derivação

Parassintética Imprópria

Regressiva
É quando acontece um acréscimo de prefixo à palavra primitiva.

Exemplo:
▪ In + feliz - infeliz
▪ In – prefixo
▪ Feliz – palavra primitiva
▪ Infeliz – palavra nova (derivada)
É quando acontece um acréscimo de sufixo à palavra primitiva.
Exemplo:
▪ Mal + vado – malvado
▪ Mal – palavra primitiva
▪ Vado – sufixo
▪ Malvado - palavra nova (derivada)
Essa derivação sufixal tem por finalidade formar séries de palavras da mesma classe gramatical e a partir
dela são formados novos substantivos, adjetivos verbos e até advérbios; por isso são classificados em:
• Nominal: quando é formado pela junção de um radical para dar origem a um substantivo ou a um
adjetivo.
Exemplo: ponteira – pontinha – pontudo.
• Verbal: quando é formado pela junção de um radical para dar origem a um verbo.
Exemplo: amanhecer – atualizar - suavizar.
• Adverbial: quando é formado pela junção de um radical para dar origem a um advérbio de modo.
Exemplo: perigosamente – felizmente – religiosamente.
É quando acontece um acréscimo de prefixo e sufixo à palavra primitiva.
Exemplo:
▪ In + feliz = mente - infelizmente
▪ In – prefixo
▪ Feliz – palavra primitiva
▪ Mente - sufixo
▪ Infelizmente – palavra nova (derivada)

Na derivação prefixal e sufixal, a presença apenas do sufixo ou apenas do sufixo na


palavra primitiva é suficiente para a formação de uma nova palavra:
infeliz ou felizmente.
É quando acontece um acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva.
Exemplo:
▪ Em + pobre + cer = empobrecer
▪ Em – prefixo
▪ pobre – palavra primitiva
▪ cer - sufixo
▪ Empobrecer – palavra nova (derivada)
▪ Diferente da derivação prefixal e sufixal, a presença apenas do sufixo e apenas do
prefixo na palavra primitiva não é suficiente para a formação de uma nova palavra. No
caso da palavra empobrecer, por exemplo, ela só existe com ambas as derivações
aplicadas simultaneamente.
Derivação prefixal e sufixal Derivação Parassintética

Perceba que podemos formar três palavras Perceba que as palavras “ensol”
novas a partir de igual e “solarado” não existem

desigualdade ensolarado

des igual dade en sol arado

desigual igualdade ensol solarado


É quando acontece uma redução na palavra primitiva. Exemplo: flagrante – flagra, delegado – delega,
português – portuga. A derivação regressiva tem maior importância na formação de substantivos
deverbais ou pós-verbais, que foram unidos por uma das vogais –o, -a ou –e ao radical do verbo.
Exemplos:
• Ajudar – a ajuda
• Perder – a perda
• Vender – a venda
• Debater – o debate
• Cortar – o corte
• Atacar – o ataque
• Atrasar – o atraso
• Chorar – o choro
• Apelar – o apelo
As palavras podem mudar de classe gramatical sem sofrer alteração na forma.

Exemplo:

• Os bons sempre se prejudicam. – Adjetivo substantivado


• O argumento da advogada foi bem claro. – Adjetivo Adverbalizado
Essas palavras são chamadas de Compostas em oposição às simples, que possuem um
só radical. A Composição pode acontecer de duas formas, conforme abaixo:

Composição

Por Por
aglutinação justaposição
É a junção das palavras em que elas sofrem alteração fonética.

Exemplos:
▪ Plano + Alto: planalto – queda do o
▪ Água + ardente: aguardente – queda do a
▪ Perna + alta: pernalta – queda do a
▪ Em + boa + hora: embora – queda do a
É a junção das palavras em que elas não sofrem alteração fonética.

Exemplos:
▪ Ponta + pé: pontapé
▪ Gira + sol: girassol
▪ Passa + tempo: passatempo
▪ Madre + pérola: madrepérola
Além desses casos, existem casos especiais de palavras compostas que não são
formadas a partir de outras palavras da língua portuguesa, mas sim de radicais
pertencentes a outras línguas.
Compostos Eruditos Compostos Híbridos (Hibridismo)

Quando as palavras são compostas de radicais apenas latinos Quando as palavras são compostas de radicais de idiomas diferentes.

ou gregos.
Exemplos:
▪ Monocultura
Exemplos:

▪ Agrícola
mono- (grego) + -cultura (latim)

agri- (latim) + -cola (latim)


▪ Bicicleta

▪ Piscicultura bi- (latim) + -ciclo (grego) + -eta (francês)

pisci- (latim) + -cultura (latim)


▪ Automóvel
▪ Pentágono auto- (grego), -móvel (latim)
penta- (grego) + -gono (grego)
Neologismo Onomatopéia

Quando novas palavras são criadas a Quando a palavra imita, representa


partir de uma necessidade do falante certos sons.
em contextos específicos que podem ser
temporárias ou permanentes em vista Exemplos:
de um novo conceito. ▪ Tique-tique
Exemplos: ▪ Chuá-chuá
▪ Informática – informatizar ▪ Atchim
▪ Plaft
▪ Dingo-dong
Abreviatura Sigla
possui um contexto específico de uso: na escrita, ela Chamamos de sigla a abreviatura formada pelas
representa parte da palavra como equivalente de um letras iniciais de expressões, sejam elas nomes
todo, ou seja, ela reduz determinados vocábulos. compostos ou locuções substantivas.
Costuma ser reduções tradicionais mais ou menos
fixas.
Exemplos: Exemplos:
▪ v. = veja ▪ ONU = Organização das Nações Unidas
▪ of. = ofício ▪ ABNT = Associação Brasileira de Normas Técnicas
▪ pq. = porque ▪ CNPq = Conselho Nacional de Pesquisa
▪ ed. = edição ▪ FMI = Fundo Monetário Internacional
▪ V. Exa. = Vossa Excelência ▪ UFRJ = Universidade Federal do Rio de Janeiro
▪ cód. = código ▪ STF = Supremo Tribunal Federal
Carinhosamente, profª. Vanuza Duarte!

Você também pode gostar