Você está na página 1de 4

CEETEPS – CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA “PAULA SOUZA”

ETEc de Ilha Solteira


CURSO: Técnico em açúcar e álcool
DISCIPLINA: ANÁLISE E CONTROLE DE QUALIDADE
Prof.ª. Charline Zaratin Alves.

RELATÓRIO EXPERIMENTAL:

DETERMINAÇÃO DE
ACIDEZ, pH e
CONDUTIVIDADE da
ÁGUA.

NOME: Renato de Souza Miranda N° 19


4° AÇÚCAR & ÁLCOOL
DETERMINAÇÃO DE ACIDEZ, pH e CONDUTIVIDADE DA ÁGUA.

OBJETIVO: Mostrar aos alunos como são realizadas as análises de acidez, pH e condutividade
da água, e a importância das mesmas.

INTRODUÇÃO:
2.2.3. Análises físico químicas

2.2.3.1. Condutividade

A análise de condutividade é feita com base no contato do eletrodo com a amostra. Esse eletrodo é
mantido submerso em água destilada. Para o experimento utilizou-se Becker com as amostras. O
aparelho utilizado foi um condutivimetro Orion 011510.

2.2.3.2. pH

Para a determinação desse parâmetro utilizou-se um Becker com água destilada para calibrar o
equipamento colocando os eletrodos de temperatura e pH dentro desse recipiente, calibrando o
equipamento até o pH chegar a 7 (neutro). Em seguida o Becker com água destilada foi substituído
pelo Becker contendo a amostra e esse pH foi medido. O aparelho utilizado para essa análise foi o
pHmetro Digimed MD20, com eletrodos de

temperatura e pH.

MATEIRAIS UTILIZADOS:
✗ Balança analítica;
✗ Proveta;
✗ Béquer;
✗ Erlemeyer;
✗ Bureta;
✗ Suporte universal;
✗ Amostras de água destilada, da torneira e do rio;
REAGENTES:
✗ Fenolftaleína 1%;
✗ Hidróxido de Sódio (NaOH) 0,01 mol/l.

PROCEDIMENTO:

Para determinarmos a acidez da água, foi calculado, a partir do peso molar de NaOH,
obtendo seguinte resultado:

PM NaOH = 40 g/mol.

1 mol - 40 g - 1000 ml se 0,4 g - 1000 ml

0,01mol - x___________ x - 100 ml

x = 0,4 g de NaOH

x = 0,4 x 100 x = 0,04 g de NaOH.

1000

Estes 0,04 g de NaOH foram diluídos em 100 ml de água , medidos em proveta graduada, a
fim de se produzir uma solução de NaOH para ser inserida na bureta, para titulação. Em
seguida, foi inserido no erlemeyer 100ml de água amostrada onde foram adicionadas 5 gotas de
fenolftaleína 1 %. Para cada amostra, foi feito o mesmo procedimento – água destilada, água da
torneira e água do rio.
Seguindo para a titulação, a bureta teve o volume da solução tituladora “zerado” na
graduação zero da bureta. A solução foi titulada sobre as amostras até o ponto de viragem.
Foi calculado o volume gasto na titulação de cada amostra, sendo posteriormente
determinado o pH e a CONDUTIVDADE de cada uma delas.
RESULTADOS:

A solução indicadora de fenolftaleína 1% foi preparada 0,1 g para 10 ml de água.


Na titulação, foram obtidos os seguintes volumes de solução de NaOH gastos neste
experimento:

H2O TORNEIRA = 2,1 ml de solução de NaOH, até a viragem;


H2O DESTILADA = 9,1 ml de solução de NaOH, até a viragem;
H20 DO RIO = 3 ml de solução de NaOH, até a viragem.

O Ponto de viragem na solução é denominado de coloração rósea, de cada amostra (água


residencial, destilada e do rio).
Em seguida, fez-se a determinação de pH e condutividade nas amostras de água, obtendo os
seguintes abaixo:

AMOSTRAS pH* CONDUTIVIDADE

H2O RESIDENCIAL 8,2* 253 μS/cm

H2O DESTILADA 5,0* 3,3 μS/cm

H2O DO RIO 7,0* 58,9 μS/cm

OBS: A analise de pH apresentou variação nos seus resultados devido a imprecisão do pHmetro
utilizado no experimento.

CONCLUSÃO: Concluímos que todo efluente lançado ao meio ambiente deve ser tratado e antes
de tudo, analisado para garantir se o mesmo possui qualidade para este retorno. Por isso, foi
importante conhecermos as analises de acidez, pH e condutividade da água, já que esta é uma das
maiores utilidades numa indústria alcooleira..

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 II Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica


João Pessoa PB 2007.