Você está na página 1de 10

Universidade Federal do Pará

Instituto de Tecnologia
Faculdade de Engenharia Elétrica
Laboratório de Conversão de
Energia

EXPERIÊNCIA 05
ENSAIO DE CURTO-CIRCUITO E DE CIRCUITO ABERTO EM
TRANSFORMADORES

Belém/PA, 24 de janeiro de 2017.


Universidade Federal do Pará
Instituto de Tecnologia
Faculdade em Engenharia Elétrica.
Laboratório de Conversão de Energia

Disciplina: Lab. de Conversão de Energia.


Ministrante: Prof. Paulo Sérgio Gama

EXPERIÊNCIA 05
ENSAIO DE CURTO-CIRCUITO E DE CIRCUITO ABERTO EM
TRANSFORMADORES

Turma: TE05130
Equipe B (Terça-Feira)
Filipe de Sousa Fagundes – 201307140049
Hedimilton Bioche de Almeida – 201007140086
Isaías Jean Martins Barros – 201307140043
Jhonatan Wasley da Silva Tavares- 201207140082

Belém/PA, 24 de janeiro de 2017.


1. OBJETIVO.

Determinação dos parâmetros do circuito equivalente do transformador.

2. INTRODUÇÃO.

Chamamos de transformador uma máquina elétrica, com partes necessariamente


estáticas, que por meio da indução eletromagnética, transfere energia elétrica de um
circuito para outro, mantendo a mesma frequência, podendo haver alterações nos
valores de tensões, correntes e impedâncias.

Algumas aplicações dos transformadores:

- Elevação e abaixamento dos níveis de tensão e corrente em sistemas de


transmissão e distribuição.
- Isolação de circuitos com altas tensões e/ou correntes para que se possam ser
medidas, bem como, para a proteção de sistemas (TP's e TC's).
- Alimentação de diversos equipamentos com tensões diferentes, a partir de uma
única (Telecomunicações e serviços auxiliares em SE's).
- Controle e sinalização
- Alimentação de lâmpadas de descargas (fluorescentes e/ou vapor de mercúrio).
- Operação de campainhas e alarmes.
- Alimentação de pontes conversoras.

Essa prática em laboratório consiste na realização de 2 ensaios (a vazio e de curto-


circuito) em transformador monofásico, cujo objetivo é a obtenção de resultados
práticos, que serão confrontados com os cálculos teóricos obtidos a partir de
determinadas características desse tipo de equipamento. Com base nos resultados
aferidos, o profissional poderá alterar ou manter as características do transformador com
o fim de lhe conferir segurança, estabilidade e durabilidade.
3. LISTAGEM DOS MATERIAIS UTILIZADOS:

Abaixo consta uma tabela com os principais materiais utilizados para realizar o
experimento:

Material Quantidade Imagem

Multímetro digital. 01 unid.

Fonte de alimentação ajustável. 01 unid.

Transformador de corrente 02 unid.

Amperímetro Analógico 02 unid.

Wattímetro 01 unid.

Transformador 01 unid.

4. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL:
4.1 – Ensaios de curto circuito
Esse ensaio é feito com os terminais no secundário em curto circuito, simulando
uma carga máxima. Realizado em um transformador com a finalidade de determinar os
valores das resistências e reatâncias do circuito.

Figura 1 - Ensaio de curto circuito

Durante a realização deste teste os terminais do enrolamento secundário são


colocados em curto ou, a eles, é aplicado um amperímetro para registro de In que
representa a corrente de curto circuito do secundário. Para obtermos a corrente nominal
do primário é necessária a aplicação de uma fonte com valor de tensão baixo do
nominal daquele enrolamento. A corrente através do ramo de excitação é bastante
pequena, quando comparado com a nominal.

Características do Transformador

Vsc 220 V

Psc 1KVA

In(220V) 4,6 A

In(110V) 9,2 A

Com um transformador de saída variável, ajustamos para dar tensão de saída nula, e
curto-circuitamos os terminais de baixa tensão. Em seguida aumentamos a tensão
usando o transformador ajustável, até que a corrente nominal primaria fosse lida no
amperímetro. Então lemos a potencia de curto circuito, Pcc, a tensão de curto circuito,
Vcc, e por ultimo a corrente primaria de curto circuito Icc.

Leitura do Voltimetro Vcc 88,9 V

Leitura do Amperimetro Icc 4,5 A

Leitura do Wattímetro Pcc 104 W

De posse dos valores lidos, calculamos Zc1, Rc1 e Xc1:


Vcc 88,9
Zc1  Zc1  Zc1  19,75
Icc 4,5

Pcc 104
Rc1  Rc1  Rc1  5,135
Icc 2 4,5 2

Xc1  Zc12  Rc12 Xc1  19,75 2  5,135 2 Xc1  19,07

Figura 2 - Circuito equivalente de curto circuito.

4.2 – Ensaios de circuito aberto

É realizado em um transformador com secundário em aberto, não ligado a nada,


e ligamos no primário a sua tensão nominal. E como não há carga no secundário, a
corrente no secundário é nula, e a corrente no primário é mínima, suficiente apenas para
magnetizar o núcleo. Por tanto, neste ensaio, determinamos parâmetros em relação ao
núcleo e a magnetização, já que o fluxo magnético é proporcional a tensão aplicada.

Figura 3 – Ensaio de Circuito Aberto

O objetivo deste ensaio foi determinar Xm1 e Rfe1, no entanto, foi preciso fazer
a leitura novamente dos equipamentos com essa nova ligação.

Então, levamos o transformador ajustável, desde zero até a tensão nominal, para
o enrolamento em que está ligado o voltímetro CA, logo em seguida, lemos a potencia a
circuito aberto, Pca, a tensão nominal, Vnom, e a corrente de magnetização, Im.
Leitura do Voltimetro V1 220 V

Leitura do Amperimetro Io 0,52 A

Leitura do Wattímetro Po 36 W

Calculo de Xm1 e Rfe1, a partir dos valores medidos:

Po 36
cos   cos   cos   0,314
V 1.Io 220.0,52

Irm  Io. cos   0,52. cos   0,52.0,31468  0,1636 A

Ixm  Io.sen  0,52.sen  0,52.sen71,65  0,4935 A

Po 36
Rfe1  Rfe1  Rfe1  1,34 K
Irm² 0,1637²

V1 220
Xm1  Xm1  Xm1  445,75
Ixm 0,49355

Figura 4 – circuito equivalente de circuito aberto

4.3 – Circuito equivalente


Xc1 Rc1

Zc1

Ref1 Xm1

Xc1 19,07Ω

Rc1 5,135Ω

Zc1 19,75Ω

Ref1 1,343KΩ

Xm1 445,75Ω

4.4 – Calculo do rendimento do transformador

Dados:

Pn  1KVA

In( 220V )  4,6 A

In(110V )  9,2 A

Ensaio a Vazio: Vo  220V Io  0,52 A Po  36W

Ensaio de curto circuito: Vcc  88,9V Icc  4,5 A Pcc  104W

Parâmetros de dispersão em P.U.:


Pcc 104
Re pu    0,104 pu
Pn 1.10 3

1 Po Po Pn Po 36
gm   2 gmpu  /    0,036 pu
rm Vo Vo 2 Vo 2 Pn 1K

1 1
rmpu    27,77 pu
gm 0,036

4.4.1- Metade da carga nominal com fator de potencia indutivo 0,8

K=0,5;

Fp=0,8 indutivo;

Cos
n .100%
1
cos   gmpu  K . Re pu
K

0,8
n .100%  86,58%
0,036
0,8   0,5.0,104
0,5

4.4.2- Metade da carga nominal com fator de potencia capacitivo 0,8

K=0,5;

Fp=0,8 capacitivo;

Cos
n .100%
1
cos   gmpu  K . Re pu
K

0,8
n .100%  86,58%
0,036
0,8   0,5.0,104
0,5

4.4.3- Carga nominal com fator de potencia indutivo 0,8

K=1;

Fp=0,8 indutivo;
Cos
n .100%
1
cos   gmpu  K . Re pu
K

0,8
n .100%  85,1%
0,036
0,8   1.0,104
1

4.4.4- Carga nominal com fator de potencia capacitivo 0,8

K=1;

Fp=0,8 capacitivo;

Cos
n .100%
1
cos   gmpu  K . Re pu
K

0,8
n .100%  85,1%
0,036
0,8   1.0,104
1

CONCLUSÃO.

O objetivo desse relatório era através de dois ensaios determinarem os valores dos
parâmetros de um transformador no domínio da frequência. Para isso foi desenvolvido
toda uma teoria em cima do transformador e de circuitos de corrente alternada.
Essa análise concluiu o relatório deixando claro que os ensaios em vazio e em curto
circuito, em conjunto, são capazes de recolher dados suficientes para simular e prever o
funcionamento de qualquer transformador.

Você também pode gostar