Você está na página 1de 7

AIT 2020/2 conteúdo ministrado 21/01/2021

remotamente em decorrência da COVID19

Universidade de Brasília
Faculdade de Ciências da Saúde
Espectroscopia
Curso de Farmácia (DIURNO/NOTURNO)
• Espectroscopia: Parte da ciência que trata da mensuração e da interpretação
da luz que é absorvida ou emitida por uma amostra (interação da radiação
com a matéria).
• Os método espectroscópicos podem ser classificados de acordo com a
Aula 4. Espectroscopia Molecular região espectral envolvida (UV-Vis, IR, raios X, γ, micro-ondas e
radiofrequência (RF)
(UV-Vis)
absorvida
Amostra atômica ou molecular
Análise Instrumental Teórica (Código FAR0180)
emitida
Profa. Sonia Naomi Nomi
Radiação Radiação
Conteúdo Ministrado Remotamente em Decorrência da Pandemia de Incidente Transmitida
COVID19 P0 P

2
1
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Classificação dos Métodos Analíticos


Espectroscopia Molecular
CLÁSSICOS INSTRUMENTAIS
Interação entre analito Baseados em propriedades físicas
e RE à nível molecular: Chamados de métodos de via (químicas em alguns casos )
úmida

- UV-VIS (180-780nm) Eletroanalítico Cromatográfico


Gravimetria Volumetria
- IR (780 nm - 50 000 nm)
Espectrométrico
- Luminescência
(UVVIS) (próxima aula)
Propriedades Propriedades Propriedades
elétricas ópticas mistas

Quantificar/identificar Interação da radiação eletromagnética (RE) com a


matéria (molécula)
o analito
3 4
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Captação de Luz pela Matéria Espectroscopia UV-Visível (Colorimetria)


• Interação com Absorção de Energia: Transições eletrônicas envolvidas COLORIMETRIA: Um objeto/matéria tem a cor correspondente aos comprimentos de
onda que ele transmite (cor complementar).
A absorção da radiação costuma envolver CorAbsorvida
Observada  (nm) Cor Complementar
Cor
transições eletrônicas em moléculas por
Estados Excitados (E1) Ultravioleta < 380 ---
Energia

elétrons π ou elétrons não-ligantes (n) enquanto


passam para um estado de elétrons excitados Energia elevada Violeta 380 – 420 Amarelo
π*. Portanto, hidrocarbonetos (HC) não podem Violeta – azul 420 – 440 Amarelo – laranja
ser medidos Azul 440 – 470 Laranja
Estado Fundamental (E0)
Absorção Emissão Baixa energia Azul – verde 470 – 500 Laranja – vermelho
Métodos de Absorção
Verde 500 – 520 Vermelho
São baseados na transferência de energia (RE LUZ BRANCA
proveniente de uma fonte externa) para espécie Verde – amarelo 520 – 550 Púrpura
de interesse (molécula) em função de λ Amarelo 550 – 580 Violeta
Amarelo – laranja 580 – 600 Violeta – azul
DETECTOR
Laranja 600 – 620 Azul
Radiação analisada (absorvida) Radiação transmitida
Laranja – vermelho 620 – 640 Azul – verde
Analito Vermelho 640 – 680 Verde
Púrpura 680 – 780 Amarelo - verde
Região Visível 5 6
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

1
AIT 2020/2 conteúdo ministrado 21/01/2021
remotamente em decorrência da COVID19

Cromóforos
Espectroscopia UV-Visível Os máximos de absorção devem-se à presença de cromóforos na molécula. (Temos duas absorções em
190 e 270 nm no espectro da acetona e uma em 510 nm no espectro do complexo [Fe(fen)3]2+).
Espectro UV Espectro Vis
Se o analito M não for uma espécie absorvente (cromóforo) ou que tenha uma
baixa absorção, deve-se buscar reagentes reajam seletiva e quantitativamente [Fe(fen)3]2+
com M formando produtos que absorvam no UV ou no Visível.
• Uma série de agentes complexantes são usados para determinação de
espécies inorgânicas.
• Exemplos: SCN- para Fe3+; I- para Bi3+.

• Natureza do solvente, pH, temperatura, concentração de eletrólitos e presença


de substâncias interferentes são as variáveis comuns que influenciam o Como a energia absorvida é quantizada, o espectro de uma
Cromóforo: única transição eletrônica deveria corresponder a uma
espectro de absorção e, evidentemente, seus efeitos precisam ser conhecidos. linha discreta. Esta previsão não se confirma, uma vez que a
• São os grupos funcionais com absorção
absorção eletrônica se sobrepõe a subníveis rotacionais e
característica na região do ultra-violeta ou do
vibracionais; assim, um espectro de UV-Vis tem o aspecto
visível (relacionado à absortividade molar ε)
de uma banda larga
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 7 8
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Espectro de Absorção Molecular vs Atômico Análise Baseada em Espectrofotometria no UV-Vis

•Instrumentação geral: Espectrofotômetro • Espectrofotômetro


• mede a radiação após
interação com amostra
Amostra e recipiente • absorção da radiação
atenua o feixe (P<Po)
Seletor de
Fonte de Luz comprimento de
onda LUZ ABSORVIDA
P<P0
λ P0 Analito P Detector e
processador de sinal

A absorção molecular nas regiões Espectro de absorção atômica


do UV-Vis consiste em bandas de
absorção constituídas por linhas QUANTIFICAÇÃO
próximas entre si. A = log (Po/P)
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 9 A=-log T 10
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Espectrofotômetro - Dispositivos Espectrofotômetro UV-Vis


Espelho colimador
Fonte de Radiação
 Dispositivo de feixe simples (3) Recipiente
- Visual Interno
fonte de (4) Detector
monocromador amostra detector
radiação

(1) Fontes
amplificador (5) Processador
(2) Seletor de λ referência

sinal (6) Dispositivo Leitura


 Dispositivo de feixe duplo
motor
Esse tipo de dispositivo
fonte de ajuda a diminuir os erros Monocromador de rede
monocromador amostra detector
radiação causados por qualquer Detector
desvio na intensidade da
A luz se divide por divisor de feixe. Metade lâmpada ou na resposta
amplificador
passa pela amostra e outra metade do detector.
simultaneamente pela referência referência
11 Cela de amostra 12
sinal AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

2
AIT 2020/2 conteúdo ministrado 21/01/2021
remotamente em decorrência da COVID19

AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Fontes de Luz: Lâmpada de W

[UV: 200 a 400 nm]


Composto por 2
eletrodos inertes
• Produz amplo espectro de luz através dos quais uma
alta voltage é imposta a
um bulbo de quartzo
(Produz radiação entre
que está preenchido
320 < λ < 2500 nm): VIS
com H2 ou D2 à baixa
e IV
pressão (por excitação
elétrica do D2).

A distribuição (intensidade) de energia dessa fonte aproxima-se da de um corpo negro e é,


portanto, dependente da temperatura do filament de W. 13 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 14

Seletor de comprimento de onda (λ) Seletores de Comprimento de Onda (λ)


Espelho colimador
Fonte de Radiação
Consiste de uma fenda estreita Como conseguir luz monocromática?
através da qual a luz entra em
um dispositivo para separar a luz
em seus vários λ e em outra
fenda estreita através da qual se  Filtros de absorção
permite que uma parte específica
1) Filtros
da luz saia e passe para a
amostra e para o detector Filtro de interferência

Prisma
2) Monocromadores
Monocromador de rede
Rede de difração
Detector

Cela de amostra AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 15 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 16

• Filtro de absorção - seleção de bandas na região VIS Seletor de λ: Filtro de Interferência


• Vidro colorido, corantes suspenso em gelatina (baixo custo)
• Largura de bandas efetivas variam de 30 a 250 nm Filtro de Fabry-Perot
• Desempenho inferior aos de interferência: larguras maiores, e intensidade A interferência óptica fornece bandas
de luz transmitida é menor Disponíveis para as regiões UV-VIS e IR estreitas de radiação
Radiação branca
•Simplesmente absorve alguns comprimentos de onda.
Placa de vidro

Filme metálico

Camada de dielétrico
dielétrico transparente (fluoreto de cálcio)
Banda estreita de radiação
Vidro colorido
Seção transversal de um filtro de interferência

Usando de reflexões e interferências destrutivas e


construtivas, o comprimento de onda é selecionado.
17 18
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

3
AIT 2020/2 conteúdo ministrado 21/01/2021
remotamente em decorrência da COVID19

AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Recipientes para Amostra


Monocromadores rede ou grade

• Como selecionar o comprimento de onda desejado?


• Monocromadores (dispersores de radiação)
• Porta amostra
• Fenda de entrada (solução):
• Lente colimadora ou espelho cubeta/célula de
• Prisma ou rede (sistema de dispersão) caminho óptico (b)
definido 20 mm
de difração ou holográfica 1 mm
1 cm 5 mm
• Elemento de focalização
• Fenda de saída
O recipiente precisa ser construído com um material
que deixe passar a radiação na região espectral de
interesse (transparente)
prisma
Figura. Cubetas são confeccionadas em vidro ou plástico transparente (VIS), e quartzo ou silica
19 fundida (UV). 20
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Tubo
Fotodetectores (transdutores) fotomultiplicador
Muito sensível. Consegue
detectar níveis muito
• Como fazer a leitura do absorção de luz? baixos de luminosidade.
• Tipos de Transdutores de Radiação: Usados em UV-Vis
• Detectores:
• Células fotovoltaicas
• Fotomultiplicadores
• Fotodiodos de Si
• Arranjo de fotodiodos (PDA) Arranjo linear de
fotodiodos
(pda - photodiode array)
Permite detectar
simultaneamente vários
OBS.: Transdutores: Converte informação codificada em número de fótons a partir comprimentos de onda.
do sinal elétrico Usados em UV-Vis
21 22
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Fotodiodos de Silício
• Detector usado nas regiões UV e visível)
• Mecanismos de funcionamento:
• junção p-n reversamente polarizada
• zona de depleção reduz a zero a condutância da junção Qual a relação entre a absorção e a concentração?
• radiação cria pares elétron-vacância na camada de depleção da junção pn
• Se radiação é incidida sobre o chip, lacunas e elétrons são formados na camada
produzindo corrente proporcional à intensidade de radiação

Junção pn
Contato
metálico
Lei de Beer
A correlação teórico-matemática (empírica) que demonstra a proporcionalidade
Fio de
entre a radição absorvida e a concentração do analito na amostra.
Região p Região n contato

AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 23 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 24

4
AIT 2020/2 conteúdo ministrado 21/01/2021
remotamente em decorrência da COVID19

Lei de Lambert-Beer Lei de Lambert-Beer:


Transmitância (T): Parte da luz Radiação
(Relação linear)
original que atravessou a amostra monocromática Absorção Tabela 1. Relação entre Transmitância e Absorbância

A = ebc
Incidente P/P0 %T A
(%) (Relação não-linear) Radiação

P P0 P Transmitida 1 100 0

T 0,1
0,01
10
1
1
2
P0
λ amostra A absortividade molar,ε, está associado com
transições eletrônicas, rotacionais ou vibracionais de
cada espécie considerada como uma “impressão
Absorbância (A): Relação Linear digital” de cada espécie química. Varia com
P ≤ P0 Relação A vs C pode ser feita para qualquer solvente, composição da solução e temperatura
P  tipo de luz
Nenhuma luz absorvida, P = P0 e A = 0  T =
A   log T  log  0   bc
P b=caminho óptico
A: absorbância (adimensional) 100% transmissão
ε: absortividade molar (impressão digital), M -1cm-1 Se 90% da luz é absorvida, 10% é transmitida
A = ebc AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 25
b: caminho ótico, cm
c: concentração, M AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi
A=1
26

Relação Absorbância vs Concentração Exercício: Encontre a absorbância e a transmitância de uma solução


A = ebc
0,00240 M de uma substância com coeficiente de absortividade molar de
313 M-1 cm-1 em uma célula com 2,00 cm de caminho óptico.

c  0,00240 M A  bc
b  2,0cm
Aumento da concentração Aumento da absorbância A  313M 1cm 1 .2cm.0,00240 M
  313 M 1cm 1
A  1,50

A   log T
Apena\s 3,16% da luz incidente
log T   A emerge dessa solução.
T  10  A T  0,0316 x100  3,16%
T  10 1,50  0,0316
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 27 28
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Exercício: O O3 gasoso possui uma absortividade molar de 2700 M-1 cm-1 no


pico de absorção próximo a 260 nm no espectro. Encontre a concentração de O3 Validade da Lei de Beer
(mol/l) no ar se uma amostra possui uma absorbância de 0,23 em uma célula de
10 cm. O ar possui absorbância desprezível a 260 nm.
A lei de Beer estabelece que a absorbância (A) é proporcional a
c  8,5 x10 6 M
A  bc 
A concentração da espécie absorvente, e aplica-se a maioria das
substâncias quando a radiação é monocromática e as soluções
A 0,23 bc estão relativamente diluídas ( ≤ 0,01 M).
c  
b (2700 M 1cm 1 )(10cm)
0,23
  2705,9M 1
c  8,5 x10 6 M 10.8,5 x10 6 A = ebc
A partir dessa relação é possível determinar a absortividade
molar da substância e também sua concentração, a partir da
absorbância
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 29 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 30

5
AIT 2020/2 conteúdo ministrado 21/01/2021
remotamente em decorrência da COVID19

Desvios químicos aparentes da Lei de Beer


Desvios Instrumentais aparentes da Lei de Beer
• Quando a espécie absorvente sofre associação, dissociação ou reação com o
solvente para formar outra espécie com espectro diferente do analito
Radiação Policromática (deslocamento de equilíbrio).
• A Lei de Beer somente é verdadeira para radiação monocromática; • Exemplo: Mudança de cor associada a Indicadores
• Dispositivos (seletores de comprimento de onda) que isolam apenas ácido-base.
um comprimento de onda muitas vezes não são práticos; HIn + H2O  In- + H3O+ Ka = 1,42 x 10-5
• Utiliza-se dispositivos que isolam faixas de poucos nanômetros. Cor 1 Cor 2 Ind-

Espécie  430  570


Hin 6,30 x 102 7,12 x 103
In- 2,06 x 104 9,61 x 102 HInd

A direção da curvatura é oposta nos 2 comprimentos de onda


AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 31 32
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi

Limitações Reais da Lei de Beer Os métodos espectrofotométricos apresentam


características importantes:
• Concentrações maiores ocorre interação entre as espécies absorventes:
- espécies muito próximas • Poucas aplicações em análise qualitativa
- alteração na distribuição de cargas O resultado é uma absorbância menor!! • Análises quantitativas:
- alteração na capacidade de absorção • Ampla aplicação a sistemas orgânicos e inorgânicos (absorventes e
não-absorventes)
• soluções diluídas, com alta concentração de eletrólitos (outras espécies • Limite de detecção 10-4 -10-5 mol/L (podem ser melhorados para 10-6 a
presentes) : 10-7 mol/L)
- interações eletrostáticas • Seletividade moderada a alta
- alteração no coeficiente de absortividade molar
• Boa exatidão e precisão (1-3%)
• Instrumentação e aquisição de dados relativamente simples
• coeficiente de absortividade molar varia com o índice de refração da solução
• Técnica mais usada no campo da saúde (análises clínicas)
- Assim, se variações de concentração causam alterações significativas no
índice de refração de uma solução, desvios são observados
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 33 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 34

EXERCÍCIO:
Quão efetivo é o protetor solar?
• Uma solução padrão foi adequadamente diluída para fornecer as concentrações
• Que fração da radiação UV é transmitida através do protetor solar na figura de ferro mostradas na tabela a seguir. O complexo Fe(II)/1,10-fenantrolina foi
abaixo no pico de absorbância próximo de 300 nm? formado em alíquotas de 25,00 mL dessas soluções, que foram em seguida
diluídas a 50,00 mL. As absorbâncias, medidas em 510 nm em células de 1,00 cm,
 0,50 estão mostradas na tabela a seguir.
Teste a você mesmo: Se você se besuntarAcom mais
A 0, 50
protetor solar para dobrar sua espessura, Ta absorbância
10  10 • As leituras de absorbâncias de soluções-amostras, preparadas a partir de 10,00
mL de amostras originais diluídas em balões de 50,00 mL, onde foi adicionado o
será dobrada. Qual será a transmitância próxima a 300 agente complexante, foram: 0,143, 0,068, 0,675 e 1,512.
T  0,32  32%
nm e que porcentagem da radiação UV é bloqueada?
• Determine as concentrações de Fe2+ nas amostras originais e discuta se as
(0,10 e 90% são bloqueados). absorbâncias são adequadas para a faixa de trabalho.

68% é absorvido pelo protetor


AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 35 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 36

6
AIT 2020/2 conteúdo ministrado 21/01/2021
remotamente em decorrência da COVID19

Dados: Resolução :
• Traçar o gráfico da concentração do complexo versus absorbância e
Concentrações das
Concentrações dos complexos determinar a equação da reta.
formados e leituras de absorbância
soluções-padrão Y = A + B * X

Parameter Value Error


[[Fe(fen)3]2+], Absorbância 1,6
--------------------------------
A 0,01478 0,00997
[Fe2+], ppm ppm B 0,07812 8,175E-4
Preparar a tabela 1,4
--------------------------------
de C x A 2,00 0,164
4,00 R SD N P
--------------------------------
1,2
0,99978 0,01244 6 <0.0001
10,00 5,00 0,425 --------------------------------

Absorbância
1,0
16,00 8,00 0,628
0,8
24,00 12,00 0,951
0,6
32,00 16,00 1,260
0,4
40,00 20,00 1,582
0,2

0,0
0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22
Fe2+ + 3 phen  1[Fe(phen)3]2+ 2+
[[Fe(fen)3] ], ppm
ppb
AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 37 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 38

Resolução:
• A partir do gráfico construído e dos valores obtidos pela regressão linear, pode-se
determinar as concentrações de Fe2+ nas amostras de uma maneira rotineira, bastando que
as amostras não apresentem interferências de matriz.

• A equação obtida da regressão é:


A = 0,07812 [Fe(fen)3] + 0,01478
• As leituras de 0,143 e 0,068 estão abaixo do primeiro ponto da curva e portanto não
estão adequadas para curva traçada. Observe:
• 0,068  [Fe(fen)3] = 0,681 ppm
•0,143  [Fe(fen)3] = 1,64 ppm
Os outros dois valores estão adequados e a concentração para cada um deles é:
• 0,675  [Fe(fen)3] = 8,45 ppm
Aula 4.1 Espectroscopia no IV
• Diluição 5x  [Fe2+] = 42,25 ppm
• 1,512  [Fe(fen)3] = 19,17 ppm
•Diluição 5x  [Fe2+] = 95,85 ppm

AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 39 AIT 2020/2 Profa.Sonia Naomi Nomi 40