Você está na página 1de 32

EBOOK GRATUITO

Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer ou forma sem a
prévia autorização do autor. A violação dos direitos autoriais é crime estabelecido na lei No.
9610/98 e punido no artigo 184 do Código Penal.

ALEXANDRE GARCEZ

3 ARMAS CONTRA
ILEGALIDADES
ATUAÇÃO ADVOCATÍCIA
PENAL
EM ÂMBITO POLICIAL

Produção, Edição e Revisão: Alexandre Garcez e Equipe


Fotografia: Thiago de Almeida Silva
Revisão: Danielle Scotellaro
Projeto de Arte: Alexandre Garcez
Divulgação e Mídias: Mônica Freitas

Para reportar algum erro nesta obra, ou caso queira


enviar alguma sugestão, envie email para
ebook3armas@gmail.com

Seja membro gratuitamente da nossa comunidade


https://alexandremgarcez.wixsite.com/telegram-advomachine

Rio de Janeiro, Brasil – 2020


2

1 4 1 0 2 0 - 0 8 4 3 - GAR6 E RDNAXE L A
Olá, primeiramente parabéns por Esses são alguns entre tantos outros
adquirir esse e-book. Embora gratuito, o percalços que enfrentei durante minha
valor das informações aqui contidas é jornada. Admito - não foi nada fácil -, na hora
inestimável. da tensão a coisa pode ficar feia e uma vez
no campo de batalha, é muito difícil
improvisar. Consegui driblar esse tipo de
Aproveite esse material porque a
situação com conhecimento técnico, mas,
partir de agora você tem em mãos um
também houve muito suor e prática.
pequeno arsenal de uso prático para ser
utilizado em situações reais de
dificuldade durante sua trajetória como Por isso, de forma direta e fácil aqui
criminalista, em especial, no âmbito do estão 3 armas em primeira mão para te
atendimento em delegacia de polícia. ajudar a saber o que fazer quando for
ameaçado no exercício da nobre profissão de
advogado e em especial, da incrível e
Não sei se você sabe, mas
fantástica carreira de advogado criminalista.
provavelmente deve suspeitar,
delegacias de polícia eventualmente
podem ser ambientes complicados e até
hostis para o advogado criminalista e Seja bem-vindo e prepare-se para
para o seu cliente. começar a afiar suas armas .

Aqui vai algumas das situações


reais que você pode se deparar ao
atender um cliente na delegacia de Alexandre Garcez:.
polícia:
Ps: Mas antes leia o aviso na próxima página.
• Uso de algemas do cliente sem
amparo legal;
• Identificação criminal desmotivada
em detrimento do cliente;
• Impedimento de acesso do
advogado aos autos de inquérito;
• Impedimento para realizar cópia de
documentos do inquérito;
• Tomar um "chá de cadeira"
interminável;
• Ter o cliente exposto à mídia;
• Sofrer ameaça de prisão para
intimidar sua atuação;
• Interrogatório sub-repitício (ilegal e 3
mediante coação);
Mesmo quando tudo parecer
desfavorável, quando sentir medo, quando
tentarem te tornar pequeno, quando um
tremor atravessar sua pele, quando
Antes de iniciar o voo, os precisar enfrentar a injustiça e assumir a
passageiros são sempre orientados por defesa do seu cliente, seja ele quem for,
um membro da tripulação lembre-se, o desafio serve apenas para
especialmente treinado sobre as regras e torná-lo mais experiente, mais forte e mais
procedimentos de segurança em caso de sensato. O resultado positivo é o objetivo,
emergência. Leia as informações dadas mas a experiência prática em si é um
nesse e-book – elas foram feitas para ganho inestimável.
aumentar a sua segurança e a dos seus
clientes , e para que você saiba como se Mesmo que, vez ou outra, você
comportar em caso de emergência ou de perca, mostre combatividade. É disso que
tensão. Abaixo vai a ideia conceitual de os advogados de verdade são feitos!
como pensar estrategicamente e manter Então, se no final você for atingido
a combatividade. e chegar perto do limite, baixe sua cabeça
diante do seu inimigo e quando ele estiver
rindo, levante-a com toda força e dê-lhe
uma última cabeçada no nariz.
1ª – Tenha iniciativa, pois não receberá Combatividade jurídica é a
ajuda para todas as situações. Tenha em qualidade que o advogado e a advogada,
vista o objetivo final que é de construir em especial os criminalistas, têm para
soluções para o seu cliente e ser bem buscar ferozmente uma solução
remunerado por isso. absolutória para o seu cliente e em última
2ª – Há sempre uma surpresa, por isso opção, a diminuição da pena.
esteja preparado, jamais pare de
estudar. Se puder entender isso, então
3ª – Mantenha seu corpo forte, sua continue lendo. Senão, ok! Eu vou
mente afiada e seu smartphone entender e te espero até você sentir que
carregado. seu momento chegou. Mas até lá saiba que
mais dia, menos dia, o desafio baterá a sua
4ª – Aprenda a suportar o desconforto e
porta.
a fadiga sem queixar-se e seja moderado
em suas necessidades.
5ª – Pense e aja como caçador, não como Estar preparado é uma escolha.
caça. Então, pense bem: já não é hora de
começar direito?
6ª – Defender significa combater sempre
com inteligência, portanto, seja o mais
criativo e estratégico. 4
Índice
Leia isso antes de começar direito
04
Capítulo I – Você Preparado
06
Capítulo II – Garanta seu cliente – quando as mulas desafiam as Súmulas
19
Capítulo III – Sem Misericórdia – Um golpe de mestre na violação
25
Advogado de Verdade_
30

5
Pense comigo: em qual situação um
advogado precisará lançar mão de suas
prerrogativas? Bem, não será na hora do
abraço caloroso! Certo?

Possivelmente será quando o


`bicho estiver pegando´, quando já
estiver rolando um estresse entre você e
A primeira arma que você precisa alguma autoridade.
ter no bolso é o resumo das principais
prerrogativas dos advogados aplicáveis
em âmbito de delegacia de polícia. Embora seja cada vez mais raro
que algo assim ocorra, sobretudo, porque
os servidores públicos estão se tornando
Afinal, como criminalista, você cada vez mais bem preparados,
eventualmente poderá se deparar com infelizmente, ainda acontece.
algum tipo de constrangimento ilegal ou
violação de direito fundamental nas DP´s
(Delegacias de Polícia) da vida. Então, se acontecer a situação,
invariavelmente, por si só, poderá deixá-
lo nervoso ou nervosa, e pior,
Não há coisa pior, desprevenido e inerte. Algo que você não
vai querer para sua brilhante carreira.
especialmente no exercício da
advocacia, que apresentar
conhecimento sobre seu Por isso a primeira
próprio direito, mas não saber arma que você precisa ter
precisamente em que fonte em mãos são alguns
esse direito se fundamenta. importantes artigos da Lei
nº 8.906, de 04 de julho de
E apesar do seu smartphone
ajudar na consulta de leis e etc, imagine o 1994 que trata das
quão complicado isso pode se tornar após prerrogativas no exercício
um momento de tensão com a
Autoridade Policial. da advocacia, em especial,
àquelas aplicáveis durante
sua atuação em âmbito
policial.

8
Por favor, não cometa o erro
medonho de ficar recitando as Use os fundamentos jurídicos
prerrogativas contra a autoridade que das suas prerrogativas (estão todos
estiver criando problemas. Não vai aqui ao final deste e-book) não
funcionar e pode piorar ainda mais as apenas para mostrar que você tem
coisas. direito, mas para registrar a violação
que você está combatendo. Isso é
Existem advogados que, por importante para suscitar nulidades
razões que fogem à lógica estratégica, no momento oportuno.
insistem em enfrentar autoridades no
estilo "vence quem fala mais alto". Isso Faça isso com uma petição simples e
dá margem a todo tipo de pronto!
aborrecimento e normalmente não
resolve.
Você estará sendo
Bom, então como utilizar as combativo e
prerrogativas na prática?
estratégico.
Tudo que é dito se perde, mas, o
que se escreve fica para a eternidade.

Solicitar a um abusador que cesse Então já que agora você


a violação é tão útil quanto dizer que vai
chover. Não perca tempo, diante de uma está ficando mais
violação, use uma das suas principais combativo , vamos ao
armas, sua caneta!
TOP 5 PRERROGATIVAS
A caneta (ou token)! Isso mesmo, a QUE VOCÊ TEM QUE
caneta (ou token) é a espada ninja do SABER ANTES DE PÔR OS
advogado e a sua assinatura é o golpe de
mestre que você dá (escrita ou digital). PÉS NA DELEGACIA

Obviamente que uma assinatura sozinha


não fará diferença alguma no mundo.

9
TOP 5 PRERROGATIVAS QUE VOCÊ TEM Um dos maiores problemas na atuação
QUE SABER ANTES DE PÔR OS PÉS NA como advogado criminalista é que muitos
DELEGACIA policiais se sentem provocados apenas
porque você está exercendo sua profissão.
É preciso ter parcimônia, porém jamais
deixe que passem por cima dos seus
direitos.
UM SUAVE CASO REAL
É prerrogativa do advogado ingressar
livremente , no caso de delegacias e
Certa vez precisei apurar os autos
prisões, mesmo fora da hora de
de um IP (inquérito policial) que estavam
expediente e independentemente da
acautelados na 21ª DP de Bonsucesso aqui
presença de seus titulares.
do RJ (um dos locais que considero mais
hostis do Rio). É comum haver uma
Muitos jovens advogados e corrente separando o público dos policiais
advogadas se sentem um pouco que ficam atrás do balcão.
intimidados quando leem “mesmo
fora da hora de expediente e
Eu sabia onde ficava o setor de
independentemente da presença de
informações sobre inquéritos e, portanto,
seus titulares”, mas... é isso aí mesmo.
sem qualquer cerimônia, afastei a
corrente e entrei na delegacia indo até
Em qualquer horário você pode onde deveria.
ingressar onde quer que seja que seu
cliente esteja preso! Não se preocupe Um jovem policial virou-se com
se vai incomodar. dureza e tentou me admoestar dizendo:

- Mas Alexandre, isso significa “ – Tem que pedir para entrar “ - e eu


que se eu quiser falar com o meu cliente prontamente respondi resoluto:
às 2hs da manhã lá no Complexo
Penitenciário de Bangu eu posso, “ - Não preciso! Recomendo que
doutor? - PODE! você estude a lei, meu jovem. “

- Espera aí Alexandre! e no Esse relato termina com uma


quartel do Exército, pode? - Pode expressão do meu filhinho de 5 anos que
também, Jesus! diz sempre ao final da historinha da
formiga Herold e seu amigo dinossauro:
- E na delegacia eu posso ir falar
com o meu cliente às 3h32min da “e...fim!”
madrugada? Pode, meu filho! Vai na fé
e na lei! 10
TOP 5 PRERROGATIVAS QUE VOCÊ TEM
QUE SABER ANTES DE PÔR OS PÉS NA
Não vá arrumar confusão DELEGACIA
estando equivocado,
cuidado com o sigilo!
É prerrogativa do
advogado/advogada examinar, em qualquer
instituição responsável por conduzir Nos autos sujeitos a
investigação, mesmo sem procuração, autos sigilo, deve o
de flagrante e de investigações de qualquer
natureza, findos ou em andamento, ainda que advogado/advogada
conclusos à autoridade, podendo copiar peças apresentar procuração.
e tomar apontamentos, em meio físico ou
digital;
Cuidado para não cometer
a gafe de exigir o inexigível.
É prerrogativa do
advogado/advogada examinar, em qualquer
órgão dos Poderes Judiciário e Legislativo, ou
da Administração Pública em geral, autos de
processos findos ou em andamento, mesmo
sem procuração, quando não estiverem A autoridade competente poderá delimitar
sujeitos a sigilo ou segredo de justiça, o acesso do advogado aos elementos de
assegurada a obtenção de cópias, com prova relacionados a diligências em
possibilidade de tomar apontamentos; andamento e ainda não documentados nos
autos, quando houver risco de
comprometimento da eficiência, da eficácia
ou da finalidade das diligências.

Quando os autos do inquérito forem Nesses casos, a prerrogativa de acesso


considerados sigilosos, hipótese que precisa do advogado sofre mitigação quando se
ser declarada somente mediante autorização trata de sigilo, para que a eficácia da
judicial, o advogado só poderá ter investigação seja preservada. Mas isso
não quer dizer que o advogado não terá
acesso ao que estiver documentado acesso aos autos. O acesso ocorrerá,
nos autos do inquérito, fica a dica! após finalizadas as diligências que
envolvem o sigilo.
11
TOP 5 PRERROGATIVAS QUE VOCÊ TEM QUE
SABER ANTES DE PÔR OS PÉS NA DELEGACIA
É prerrogativa do
advogado/advogada comunicar-se com
seus clientes, pessoal e
reservadamente, mesmo sem
procuração, quando estes se acharem É prerrogativa do
presos, detidos ou recolhidos em advogado/advogada reclamar,
estabelecimentos civis ou militares, verbalmente ou por escrito, perante
ainda que considerados qualquer juízo, tribunal ou autoridade,
incomunicáveis; contra a inobservância de preceito de
lei, regulamento ou regimento;

LEI No 8.906/94 (aqui estão somente as prerrogativas)


Dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Origem http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8906.htm

Art. 7º São direitos do advogado:


I - exercer, com liberdade, a profissão em todo o território nacional;
II – a inviolabilidade de seu escritório ou local de trabalho, bem como de seus instrumentos de
trabalho, de sua correspondência escrita, eletrônica, telefônica e telemática, desde que relativas ao
exercício da advocacia; (Redação dada pela Lei nº 11.767, de 2008)
III - comunicar-se com seus clientes, pessoal e reservadamente, mesmo sem procuração, quando
estes se acharem presos, detidos ou recolhidos em estabelecimentos civis ou militares, ainda que
considerados incomunicáveis;
IV - ter a presença de representante da OAB, quando preso em flagrante, por motivo ligado ao
exercício da advocacia, para lavratura do auto respectivo, sob pena de nulidade e, nos demais casos, a
comunicação expressa à seccional da OAB;
V - não ser recolhido preso, antes de sentença transitada em julgado, senão em sala de Estado Maior,
com instalações e comodidades condignas, assim reconhecidas pela OAB, e, na sua falta, em prisão
domiciliar; (Vide ADIN 1.127-8)
VI - ingressar livremente:
a) nas salas de sessões dos tribunais, mesmo além dos cancelos que separam a parte reservada aos
magistrados;
b) nas salas e dependências de audiências, secretarias, cartórios, ofícios de justiça, serviços notariais e
de registro, e, no caso de delegacias e prisões, mesmo fora da hora de expediente e
independentemente da presença de seus titulares;
c) em qualquer edifício ou recinto em que funcione repartição judicial ou outro serviço público onde o
advogado deva praticar ato ou colher prova ou informação útil ao exercício da atividade profissional,
dentro do expediente ou fora dele, e ser atendido, desde que se ache presente qualquer servidor ou 12
empregado;
d) em qualquer assembléia ou reunião de que participe ou possa participar o seu cliente, ou perante a
qual este deva comparecer, desde que munido de poderes especiais;
LEI No 8.906/94
Dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Origem http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8906.htm

VII - permanecer sentado ou em pé e retirar-se de quaisquer locais indicados no inciso anterior,


independentemente de licença;
VIII - dirigir-se diretamente aos magistrados nas salas e gabinetes de trabalho, independentemente de horário
previamente marcado ou outra condição, observando-se a ordem de chegada;
IX - (Vide ADIN 1.127-8) (Vide ADIN 1.105-7)
X - usar da palavra, pela ordem, em qualquer juízo ou tribunal, mediante intervenção sumária, para esclarecer
equívoco ou dúvida surgida em relação a fatos, documentos ou afirmações que influam no julgamento, bem como
para replicar acusação ou censura que lhe forem feitas;
XI - reclamar, verbalmente ou por escrito, perante qualquer juízo, tribunal ou autoridade, contra a inobservância de
preceito de lei, regulamento ou regimento;
XII - falar, sentado ou em pé, em juízo, tribunal ou órgão de deliberação coletiva da Administração Pública ou do
Poder Legislativo; XIII - examinar, em qualquer órgão dos Poderes Judiciário e Legislativo, ou da Administração
Pública em geral, autos de processos findos ou em andamento, mesmo sem procuração, quando não estiverem
sujeitos a sigilo ou segredo de justiça, assegurada a obtenção de cópias, com possibilidade de tomar
apontamentos; (Redação dada pela Lei nº 13.793, de 2019)
XIV - examinar, em qualquer instituição responsável por conduzir investigação, mesmo sem procuração, autos de
flagrante e de investigações de qualquer natureza, findos ou em andamento, ainda que conclusos à autoridade,
podendo copiar peças e tomar apontamentos, em meio físico ou digital; (Redação dada pela Lei nº 13.245,
de 2016)
XV - ter vista dos processos judiciais ou administrativos de qualquer natureza, em cartório ou na repartição
competente, ou retirá-los pelos prazos legais;
XVI - retirar autos de processos findos, mesmo sem procuração, pelo prazo de dez dias;
XVII - ser publicamente desagravado, quando ofendido no exercício da profissão ou em razão dela;
XVIII - usar os símbolos privativos da profissão de advogado;
XIX - recusar-se a depor como testemunha em processo no qual funcionou ou deva funcionar, ou sobre fato
relacionado com pessoa de quem seja ou foi advogado, mesmo quando autorizado ou solicitado pelo constituinte,
bem como sobre fato que constitua sigilo profissional;
XX - retirar-se do recinto onde se encontre aguardando pregão para ato judicial, após trinta minutos do horário
designado e ao qual ainda não tenha comparecido a autoridade que deva presidir a ele, mediante comunicação
protocolizada em juízo. XXI - assistir a seus clientes investigados durante a apuração de infrações, sob pena de
nulidade absoluta do respectivo interrogatório ou depoimento e, subsequentemente, de todos os elementos
investigatórios e probatórios dele decorrentes ou derivados, direta ou indiretamente, podendo, inclusive, no curso
da respectiva apuração: (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)
a) apresentar razões e quesitos; (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)
b) (VETADO). (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)
§ 1º Não se aplica o disposto nos incisos XV e XVI:
1) aos processos sob regime de segredo de justiça;
2) quando existirem nos autos documentos originais de difícil restauração ou ocorrer circunstância relevante que
justifique a permanência dos autos no cartório, secretaria ou repartição, reconhecida pela autoridade em despacho
motivado, proferido de ofício, mediante representação ou a requerimento da parte interessada;

13
LEI No 8.906/94
Dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Origem http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8906.htm

3) até o encerramento do processo, ao advogado que houver deixado de devolver os respectivos autos no
prazo legal, e só o fizer depois de intimado.
§ 2º O advogado tem imunidade profissional, não constituindo injúria, difamação ou desacato puníveis qualquer
manifestação de sua parte, no exercício de sua atividade, em juízo ou fora dele, sem prejuízo das sanções
disciplinares perante a OAB, pelos excessos que cometer. (Vide ADIN 1.127-8) § 3º O advogado somente
poderá ser preso em flagrante, por motivo de exercício da profissão, em caso de crime inafiançável, observado o
disposto no inciso IV deste artigo.
§ 4º O Poder Judiciário e o Poder Executivo devem instalar, em todos os juizados, fóruns, tribunais, delegacias
de polícia e presídios, salas especiais permanentes para os advogados, com uso e controle assegurados à
OAB. (Vide ADIN 1.127-8)
§ 5º No caso de ofensa a inscrito na OAB, no exercício da profissão ou de cargo ou função de órgão da OAB, o
conselho competente deve promover o desagravo público do ofendido, sem prejuízo da responsabilidade
criminal em que incorrer o infrator.
§ 6o Presentes indícios de autoria e materialidade da prática de crime por parte de advogado, a autoridade
judiciária competente poderá decretar a quebra da inviolabilidade de que trata o inciso II do caput deste artigo,
em decisão motivada, expedindo mandado de busca e apreensão, específico e pormenorizado, a ser cumprido
na presença de representante da OAB, sendo, em qualquer hipótese, vedada a utilização dos documentos, das
mídias e dos objetos pertencentes a clientes do advogado averiguado, bem como dos demais instrumentos de
trabalho que contenham informações sobre clientes. (Incluído pela Lei nº 11.767, de 2008)
§ 7o A ressalva constante do § 6o deste artigo não se estende a clientes do advogado averiguado que estejam
sendo formalmente investigados como seus partícipes ou co-autores pela prática do mesmo crime que deu
causa à quebra da inviolabilidade. (Incluído pela Lei nº 11.767, de 2008)
§ 8o (VETADO) (Incluído pela Lei nº 11.767, de 2008)
§ 9o (VETADO) (Incluído pela Lei nº 11.767, de 2008)
§ 10. Nos autos sujeitos a sigilo, deve o advogado apresentar procuração para o exercício dos direitos de que
trata o inciso XIV. (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)
§ 11. No caso previsto no inciso XIV, a autoridade competente poderá delimitar o acesso do advogado aos
elementos de prova relacionados a diligências em andamento e ainda não documentados nos autos, quando
houver risco de comprometimento da eficiência, da eficácia ou da finalidade das diligências. (Incluído pela
Lei nº 13.245, de 2016)
§ 12. A inobservância aos direitos estabelecidos no inciso XIV, o fornecimento incompleto de autos ou o
fornecimento de autos em que houve a retirada de peças já incluídas no caderno investigativo implicará
responsabilização criminal e funcional por abuso de autoridade do responsável que impedir o acesso do
advogado com o intuito de prejudicar o exercício da defesa, sem prejuízo do direito subjetivo do advogado de
requerer acesso aos autos ao juiz competente. (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)
§ 13. O disposto nos incisos XIII e XIV do caput deste artigo aplica-se integralmente a processos e a
procedimentos eletrônicos, ressalvado o disposto nos §§ 10 e 11 deste artigo. (Incluído pela Lei nº 13.793,
de 2019)

14
LEI No 8.906/94
Dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Origem http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8906.htm

Art. 7o-A. São direitos da advogada: (Incluído pela Lei nº 13.363, de 2016)
I - gestante: (Incluído pela Lei nº 13.363, de 2016)

a) entrada em tribunais sem ser submetida a detectores de metais e aparelhos de raios


X; (Incluído pela Lei nº 13.363, de 2016)

b) reserva de vaga em garagens dos fóruns dos tribunais; (Incluído pela Lei nº 13.363, de
2016)

II - lactante, adotante ou que der à luz, acesso a creche, onde houver, ou a local adequado ao
atendimento das necessidades do bebê; (Incluído pela Lei nº 13.363, de 2016)

III - gestante, lactante, adotante ou que der à luz, preferência na ordem das sustentações orais e
das audiências a serem realizadas a cada dia, mediante comprovação de sua
condição; (Incluído pela Lei nº 13.363, de 2016)

IV - adotante ou que der à luz, suspensão de prazos processuais quando for a única patrona da
causa, desde que haja notificação por escrito ao cliente. (Incluído pela Lei nº 13.363, de
2016)

§ 1o Os direitos previstos à advogada gestante ou lactante aplicam-se enquanto perdurar,


respectivamente, o estado gravídico ou o período de amamentação. (Incluído pela Lei nº
13.363, de 2016)

§ 2o Os direitos assegurados nos incisos II e III deste artigo à advogada adotante ou que der à luz
serão concedidos pelo prazo previsto no art. 392 do Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943
(Consolidação das Leis do Trabalho). (Incluído pela Lei nº 13.363, de 2016)

§ 3o O direito assegurado no inciso IV deste artigo à advogada adotante ou que der à luz será
concedido pelo prazo previsto no § 6o do art. 313 da Lei no 13.105, de 16 de março de 2015
(Código de Processo Civil). (Incluído pela Lei nº 13.363, de 2016)

Art. 7º-B Constitui crime violar direito ou prerrogativa de advogado previstos nos incisos II, III,
IV e V do caput do art. 7º desta Lei: (Incluído pela Lei nº 13.869. de 2019)
Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa. (Incluído pela Lei nº 13.869. de 2019)
15
II – a inviolabilidade de seu escritório ou local de trabalho, bem como de seus
instrumentos de trabalho, de sua correspondência escrita, eletrônica, telefônica
e telemática, desde que relativas ao exercício da advocacia; (Redação dada pela
Lei nº 11.767, de 2008)

III - comunicar-se com seus clientes, pessoal e reservadamente, mesmo sem


procuração, quando estes se acharem presos, detidos ou recolhidos em
estabelecimentos civis ou militares, ainda que considerados incomunicáveis;

IV - ter a presença de representante da OAB, quando preso em flagrante, por


motivo ligado ao exercício da advocacia, para lavratura do auto respectivo, sob
pena de nulidade e, nos demais casos, a comunicação expressa à seccional da
OAB;

V - não ser recolhido preso, antes de sentença transitada em julgado, senão em


sala de Estado Maior, com instalações e comodidades condignas, assim
reconhecidas pela OAB, e, na sua falta, em prisão domiciliar; (Vide ADIN
1.127-8)

16
Bem, Alexandre, ok!
TOP 5 PRERROGATIVAS QUE VOCÊ TEM QUE
Mas o que eu faço se no
SABER ANTES DE PÔR OS PÉS NA DELEGACIA
final minha prerrogativa
for desrespeitada?
Nesse caso, você terá Você pode chamar a mãe
primeiramente que agir na modalidade
que eu chamo de medidas paliativas que, neste caso, é a Ordem
nível « café com leite ». Algo semelhante dos Advogados do Brasil
a quando você era criança e corria para
pedir abrigo ao seu responsável adulto (OAB). Uma mãe que... às
porque seu coleguinha te derrubou. vezes, devo dizer, meio
Minha infância serve para ilustrar. desleixada.
Cresci no período das trevas, na década
de 1980 (sim eu sou um ancião), fui A depender da seccional da
criado na têmpera selvagem de uma OAB do seu Estado, você vai
região pobre, onde fazia parte da nossa precisar que os astros estejam
educação sobreviver ao amiguinho alinhados em Capricórnio com a
porque, geralmente, a porrada comia.
Lua em saturno para receber
aquele apoio real.
Bullyng não existia. Na verdade,
Falando sério, penso que os advogados
mexer com o outro e humilhá-lo porque
criminalistas, em especial os iniciantes, não
o pobrezinho era caolha, não passava de
devem jamais esperar que a OAB vai « comprar
um treinamento natural para encarar a
a sua briga ».
vida e, normalmente, a resposta para
esses conflitos terminava com um apelo
à agressão imediata com o fim de afastar - Mas Alexandre, então quer dizer que
a injusta provocação. eu não posso contar com a OAB? Resposta:
Veja, você pode contar com ela sim, já que
Então, para resolver as questões afinal é para isso que pagamos uma das
da velha e boa violência recíproca maiores anuidades entre as demais profissões,
intersubjetiva infantil, quando havia um não é mesmo? Pelo menos a sua ligação
litígio, raramente o pai ou a mãe de telefônica alguém deve atender lá na OAB!
alguma criança da minha rua eram Porém, para a sua saúde emocional, reserve
acionados como tribunal de exceção. uma margem de incredulidade quanto ao
Mas, voltando à questão inicial, auxílio da OAB.
ter a prerrogativa violada é como ser
derrubado ou sofrer bullyng pelo Tente pensar que a vida do criminalista é como
coleguinha no meu bairro na década de a minha rua na década de 1980, defenda-se
1980. como puder, sozinho, com as suas próprias
armas, já que afinal você é um defensor.
17
TOP 5 PRERROGATIVAS QUE VOCÊ TEM QUE
SABER ANTES DE PÔR OS PÉS NA DELEGACIA
Defenda-se Defensor!
Hoje em dia, graças aos
Ao se deparar com algum nível de smartphones, é fácil encontrar
violação de suas prerrogativas em o contato dos órgãos de
âmbito policial você poderá acionar a fiscalização da própria polícia
OAB, ok já falamos disso há pouco.
e você deve fazer uso dessa
Mas quero ressaltar que antes de alternativa sem medo de ser
lançar mão da OAB, recomendo que feliz.
você avalie bem a situação e tenha
calma para deixar a boa e velha Ordem As Ouvidorias são órgãos da
para o final, se for mesmo o caso de
chamar a cavalaria (que pode não vir).
Secretaria da Segurança Pública
que em geral têm como atribuições
ouvir, encaminhar e acompanhar
A depender da situação, um
simples telefonema para a Ouvidoria da denúncias, reclamações, sugestões
Polícia às vezes é mais rápido e eficaz. e elogios feitos pela população
sobre a atuação policial.
É claro que isso vai depender da
prerrogativa que está sendo violada. Já Já fiz algumas
me deparei com situações em que a
Autoridade Policial criava embaraços
autoridades policiais
para que o advogado não tivesse acesso calçarem as sandálias da
aos autos.Isso às vezes acontece de
maneira muito sutil como, por exemplo, humildade
promover um « chá de cadeira » para
gerar desistência pelo cansaço. Então, é
simplesmente ligando
preciso ter um certo feeling. para a Ouvidoria.
Recomendo o estudo das Quando a violação ocorre nos Tribunais aí
prerrogativas. Vou deixar as providências possíveis são mais
robustas, mas isso é assunto para outro e-
todas elas ao final desse e- book.
book.

18
Arma no2 MAS AFINAL O
SÚMULAS VINCULANTES
QUE SÃO
SÚMULAS VINCULANTES SÚMULAS
CONTRA ILEGALIDADES
EM ÂMBITO DA VINCULANTES?
ATIVIDADE POLICIAL
Mas o que são súmulas vinculantes? O
Se por um lado as prerrogativas
Art. 103-A da Constituição Federal diz que
estão ligadas à proteção das garantias do
“o Supremo Tribunal Federal poderá, de
advogado, por outro, algumas súmulas
ofício ou por provocação, mediante
vinculantes estão ligadas à proteção e
decisão de dois terços dos seus membros,
garantias de direitos constitucionais de
após reiteradas decisões sobre matéria
qualquer pessoa, neste caso, do seu cliente
constitucional, aprovar súmula que, a
especialmente em âmbito policial.
www.advomac
partir de sua publicação na imprensa
oficial, terá efeito vinculante em relação
Recomendo o estudo de aos demais órgãos do Poder Judiciário e à
súmulas vinculantes e as hine.com.br
administração pública direta e indireta, nas
esferas federal, estadual e municipal, bem
súmulas de um modo geral, como proceder à sua revisão ou
tanto do STF (Supremo cancelamento, na forma estabelecida em
lei. ”
Tribunal Federal) quanto do
STJ (Superior Tribunal de Fique atento ao fato de que
SÚMULA VINCULANTE é diferente de
Justiça SÚMULA! A palavra vinculante faz toda a
diferença porque justamente impele que
Embora neste e-book, eu chame as seja compulsoriamente observada. Por
Súmulas Vinculantes de Arma No2, na isso, não adianta usar as técnicas aqui
verdade elas funcionam mais como apresentadas usando apenas súmulas
munição para uma outra poderosa arma ´comuns´, ok? Fica esperto.
contra violações constitucionais, inclusive,
Fundamentação:
em âmbito policial, assunto que tratarei
mais detidamente no Capítulo III, a Artigos 103-A, e respectivos incisos da
chamada Reclamação Constitucional. Constituição Federal;
Súmula Vinculante 11
Súmula Vinculante 14
Súmula Vinculante 25
E outras

21
Arma no2
SÚMULAS VINCULANTES

A Súmula Vinculante é
realmente poderosa, porque, exceto
pelo próprio STF e o Poder Legislativo,
os demais órgãos do Poder Judiciário e
a administração pública direta e
indireta, nas esferas federal, estadual e
municipal, ficam vinculados, isto é,
devem obedecer suas diretrizes.

Portanto, a Autoridade
Policial (que faz parte
do Poder Executivo)
deverá observar os
ditames das Súmulas
Vinculantes e obedecê-
las detidamente.

Há muitas situações que as Súmulas


Vinculantes de certa forma funcionam
ferramenta de garantia de direitos
constitucionais de pessoas acusadas ou
detidas pelo Poder Público.

Aqui estão algumas situações


comuns e reais em que podem ser
aplicadas tanto as prerrogativas do
advogado, como súmulas vinculantes e,
é claro, o próprio Art.5º da Constituição
Federal:

22
Arma no2 O exemplo é baseado em
SUMULAS VINCULANTES fatos reais e, acredite, os
policiais possivelmente
USO ILEGAL DE tentarão dizer que ele
ALGEMAS NO SEU está algemado porque
CLIENTE « estava dando
alteração » ou qualquer
Imagine a seguinte situação: você é clichê do tipo.
chamado para atender um cliente preso em
flagrante delito pela suposta prática do
crime de furto em um Shopping. Chegando
lá, seu cliente é um jovem franzino com Como reagir a
desculpa sem
olhos esbugalhados, assustado e trêmulo.
Ele está algemado. Os policiais estão
aguardando a viatura chegar.

Você é o advogado do
sentido do
rapaz. O que você faz? Vai policial?
ficar parado olhando?
Veja, no caso apresentado, o
Claro que não! Você se aproxima, se rapaz (seu cliente) preso está
identifica e cumprimenta seu cliente, apavorado, tremendo e, portanto, não
pergunta se ele está bem e depois se dirige oferece nenhum tipo de resistência,
os policiais. Então pergunta porque ele está intenção de fuga ou perigo.
algemado. Se o motivo que os policiais
alegarem não for porque ele resistiu a prisão, Então, sem medo, você deve
ou porque tentou fugir ou porque oferece solicitar aos policiais com seriedade
risco à integridade das pessoas, então, as brutal e respeitosa, que as algemas
algemas devem ser removidas sejam removidas.
imediatamente. Mas não é só isso, apure a
situação! Eu aposto um jantar no
Outback que eles atenderão ao seu
pedido. Como tenho tanta certeza?
Graças a Súmula vinculante No 11

23
Arma no2 Então, o
SÚMULAS VINCULANTES
conhecimento da
Súmula empodera
Dá uma olhada no que diz a o advogado? Claro
SÚMULA que sim!
VINCULANTE 11:
Aqui vai algumas situações que
Só é lícito o uso de algemas em casos podem ser mais comuns do que se
de resistência e de fundado receio de fuga ou imagina e a aplicação de súmulas
de perigo à integridade física própria ou representam a saída para esses
alheia, por parte do preso ou de terceiros, percalços:
justificada a excepcionalidade por escrito,
sob pena de responsabilidade disciplinar, • Impedimento de acesso do
civil e penal do agente ou da autoridade e de advogado aos autos de inquérito -
nulidade da prisão ou do ato processual a Aplica-se a Súmula Vinculante 14
que se refere, sem prejuízo da
responsabilidade civil do Estado.
• Cliente preso por ser depositário
infiel – aplica-se a Súmula Vinculante
O exemplo do uso ilegal 25

de algemas é um • Uso ilegal de algemas – aplica-se a


paradigma que pode ser Súmula Vinculante 11.

usado para se desenhar CUIDADO PORQUE O


tipos de abordagem em VENTO QUE VENTA
qualquer hipótese de LÁ, VENTA CÁ
violação constitucional,
utilizando súmulas  A falta de defesa técnica por
vinculantes de acordo advogado no processo
administrativo disciplicar (PAD)
com a situação. não ofende a Constituição.
Súmula Vinculante 5.

24
26
Bem, se você leu esse e-book É possível ajuizar Reclamação
até aqui deve ter notado que existe uma para garantir a autoridade das súmulas
lógica na apresentação das 3 armas vinculantes: depois de editada uma
contra ilegalidades as quais tratamos súmula vinculante pelo Plenário do STF,
até então. seu comando vincula ou subordina
todas as autoridades judiciárias e
administrativas do país. Em caso de
Recapitulando, o que vimos até
descumprimento, a parte pode ajuizar
agora é que como advogado você conta
Reclamação diretamente ao STF.
com um acervo de prerrogativas (as
quais recomendo ter no bolso antes de
entrar em uma delegacia ou mesmo no
fórum), acrescido do conhecimento de
Aqui encontramos
Súmulas Vinculantes (em especial uma importante arma
àquelas pertinentes à atuação policial).
Agora vem a cereja do bolo. A para combater
reclamação constitucional.
ilegalidades.
Segundo o site do Supremo
Tribunal Federal (STF) “A Reclamação
(RCL) é um instrumento jurídico com
Entre outras possibilidades de aplicação,
status constitucional que visa preservar
a Reclamação Constitucional visa
a competência do STF e garantir a
proteger a devida aplicação das Súmulas
autoridade de suas decisões.
Vinculantes.
(http://www.stf.jus.br) .

Portanto, é admitida contra ato


Originalmente, ela é resultado
administrativo ou decisão judicial que
do entendimento jurisprudencial
contrariar a súmula aplicável ou que
sedimentado do STF que, com o
indevidamente a aplicar, conforme artigo
decorrer do tempo, foi sendo
103-A, § 3º, da CF e artigo 7º, da Lei nº
incorporada ao texto constitucional
11.417/06. Fique atento pois a previsão da
(artigo 102, inciso I, alínea “l”, da
reclamação constitucional não está na lei
Constituição Federal).”
processual penal, mas no artigo 988 do
Código de Processo Civil (CPC).
Cuidado, pois a natureza
jurídica está no âmbito do
direito constitucional de petição
previsto no artigo 5º, inciso XXXIV da
Constituição Federal
27
A lei nº 8.038/90 que estabelece normas Pois bem, vocês se lembram do exemplo lá
procedimentais para os processos no STF e do Capítulo II – Garanta Seu Cliente –
no STJ, trata da reclamação nos artigos 13 a Quando as mulas desafiam as Súmulas – em
18. Já os Regimentos Internos dessas Cortes que exemplifiquei o desrespeito à Súmula
Superiores, em termos gerais, tratam sobre Vinculante No 11?
o tema nos artigos 156 a 162 e nos artigos
187 a 192, respectivamente.
Lembra quando eu
A Reclamação Constitucional como já
dito antes, possui outras possibilidades de
também disse: “Tudo que
aplicação, mas, por ora, estamos tratando é dito se perde, mas, o que
aqui apenas os casos de desrespeito às
súmulas vinculantes em âmbito policial. se escreve fica para a
eternidade? ”
Nesse e-book vamos nos ater apenas
a essa situação, mas, recomendo a leitura do Pois bem, após ler tudo isso imagine
artigo 103-A, da Constituição Federal na que você chegou até a delegacia pediu para
íntegra e também do artigo 7º, da Lei nº falar com o seu cliente e teve o pedido negado
11.417/06 para que você tenha uma visão pela autoridade policial. Você não vai embora
macroscópica da abrangência desse e nem vai ficar com cara de paisagem pois
importante instituto. está armado com suas prerrogativas e sabe
exatamente o que pode exigir (neste caso,
acesso ao seu ciente).
Desde janeiro de 2010, as
Reclamações tramitam exclusivamente por
meio eletrônico. A petição inicial, Após ler esse e-book , havendo
obedecendo os requisitos do art. 282 do negativa do delegado de polícia você pega
CPC, será direcionada ao presidente do seu smartphone e liga para a Ouvidoria.
tribunal que editou a súmula vinculante. Simples assim! Se o caldo engrossar liga
para nossa madrasta OAB. Então senta e
aguarda atrás do balcão da delegacia.
Neste caso, ao presidente do STF, juízo
competente e único legitimado, já que o STJ
não edita súmula vinculante (atenção: não
confunda com as súmulas comuns que tanto Lindo de ver! Com essa
o STJ quanto o STF editam
corriqueiramente).
mentalidade vocês, jovens
guerreiros, estão se tornando
combativos e combativas!!

28
PRODUZINDO A reclamação
DEFESA pressupõe a prática
de ato específico
TÉCNICA para que possa ser
conhecida no STF.
Se ligar para a Ouvidoria produzir algum efeito,
então não vai demorar muito para o delegado Não seja tímido ou tímida.
reaparecer e não mais impedir acesso ao seu Registre para provar a
cliente. materialidade do fato e anexar à
reclamação! Tire uma foto, faça um
vídeo filmando seu cliente naquela
Mas... obviamente, ele não vai se tornar seu fã ao situação.
ser compelido a fazer qualquer coisa que seja.
Afinal tomou um “calorzinho” da Ouvidoria e, Preferencialmente, se
neste caso, digamos que ele traga o seu cliente puder, protocolize uma petição ali
algemado sem justificativa. E, para tornar sua vida na delegacia na hora, narrando o
um pequeno inferno, ele chama a imprensa, que que houve e que teve o pedido
chega ao local e começa a tirar fotos do seu cliente negado para que seja incluída nos
algemado. autos do inquérito policial. E, por
fim, por óbvio, colacione a matéria
O delegado talvez tenha te subestimado, pois não que for veiculada na imprensa com
sabe que você se armou com as principais súmulas fotos do seu cliente.
vinculantes em âmbito policial.
Após, esqueça toda
Então você solicita que as algemas sejam
removidas e cesse “aquele circo”. Digamos que o a chateação, inspire
“delegado do capeta”, no exemplo dado, e na primeira
simplesmente negue. E aí, o que você faz doutor?
O que você faz doutora? oportunidade
comece a trabalhar
Para começar registre o fato! na reclamação.
Isso é fundamental.

29
Fundamentação:
- Mas, Alexandre isso
Artigos 102, I, "l", 103--A, § 3º,
vai me dar um 105, I, "f", da Constituição
Federal
trabalhão, vale a
Lei nº 11.417/06
pena ingressar com
Art. 988, do Código de Processo
uma reclamação? Civil

Se no exemplo dado seu cliente


tiver sido preso em flagrante delito e
permaneça preso, a violação da
súmula vinculante que você apontar
na Reclamação, se conhecida e for
dado provimento ao seu pedido, terá
o condão residual de anular os atos
ilegalmente praticados, ou seja, de
produzir a nulidade do auto de prisão
em flagrante e a consequência disso
será que seu cliente deverá ser
imediatamente posto em liberdade.

Portanto, vale muito a pena


você estar atento a essa
possibilidade, pois ela poderá refletir
efeitos que muito lembram aos
produzidos por um habeas corpus,
porém, com a vantagem de ser
dirigido diretamente ao STF!
30
Eu quero que você
ADVOGADO se torne um
DE VERDADE vencedor no estilo
ADVOMACHINE
Bem, gente, chegamos ao final do
nosso e-book. Espero que de alguma forma
esse singelo trabalho o ajude a pensar em ADVOMACHINE é o nosso
como é importante o criminalista assumir curso de prática penal forense,
uma posição combativa - em primeiro lugar um método assertivo que
para erguer escudos para si - e, uma vez desenvolvi com base na prática
seguro, possa de forma concreta, proteger penal real e com o qual tenho
o cliente. orgulho de ter ajudado muitos
alunos, estagiários e advogados
a se tornarem profissionais fortes
Eu sou um pouco dramático, admito!
e eficientes.
Mas minha intenção é que usando esse
jeito particular de abordar os assuntos
jurídicos você entenda de verdade tudo o Se faz sentido para você,
que está sendo ensinado. eu quero te convidar a fazer
parte da nossa comunidade,
acesse:
Confesso, não suporto o blá blá blá
https://alexandremgarcez.wixsit
doutrinário porque embora seja útil, quase
e.com/telegram-advomachine
nunca passa da quinta marcha que é a
prática real .
Seja Bem-Vindo!
Esse material não pretende mais do Um abraço
que se propõe, é simples e sem açúcar, Alexandre Garcez:.
suficiente apenas para ajudar você
advogada e advogado iniciante ou quem
deseja militar na área, começar direito,
ajudar as pessoas e, é claro, ser
remunerado pelo seu trabalho.

31
Alexandre Garcez é pai, advogado sênior,
especialista em várias áreas do Direito,
criador do Método Advomachine, escritor,
empresário, palestrante e youtuber nas
horas vagas.

Atualmente se dedica à advocacia e ao


ensino de prática penal forense a jovens
advogados e advogadas iniciantes ou
experientes que queiram militar na área.
Para reportar algum erro nesta obra, ou caso queira
enviar alguma sugestão, mande email para
ebook3armas@gmail.com

Seja membro gratuitamente da nossa comunidade


https://alexandremgarcez.wixsite.com/telegram-advomachine 32

Você também pode gostar