Você está na página 1de 11

Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

NORMA ABNT NBR


BRASILEIRA 15424

Segunda edição
13.10.2016

Ensaios não destrutivos ― Termografia ―


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

Terminologia
Non-destructive testing — Thermography — Terminology

ICS 19.100 ISBN 978-85-07-06612-5

Número de referência
ABNT NBR 15424:2016
7 páginas

© ABNT 2016
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

© ABNT 2016
Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser
reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por
escrito da ABNT.

ABNT
Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar
20031-901 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: + 55 21 3974-2300
Fax: + 55 21 3974-2346
abnt@abnt.org.br
www.abnt.org.br

ii © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

Sumário Página

Prefácio................................................................................................................................................iv
1 Escopo.................................................................................................................................1
2 Termos e definições............................................................................................................1

Tabela
Tabela 1 – Classificação baseada em limites espectrais de detectores de infravermelho...........4
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados iii


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

Prefácio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas


Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos
de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE),
são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas pelas partes interessadas no tema objeto
da normalização.

Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras da ABNT Diretiva 2.


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

A ABNT chama a atenção para que, apesar de ter sido solicitada manifestação sobre eventuais direitos
de patentes durante a Consulta Nacional, estes podem ocorrer e devem ser comunicados à ABNT
a qualquer momento (Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996).

Ressalta-se que Normas Brasileiras podem ser objeto de citação em Regulamentos Técnicos. Nestes
casos, os Órgãos responsáveis pelos Regulamentos Técnicos podem determinar outras datas para
exigência dos requisitos desta Norma.

A ABNT NBR 15424 foi elaborada no Organismo de Normalização Setorial de Ensaios Não Destrutivos
(ABNT/ONS-058), pela Comissão de Estudo de Termografia (CE-058:000.011). O seu 1º Projeto
circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 04, de 28.04.2016 a 26.06.2016. O seu 2º Projeto
circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 09, de 06.09.2016 a 07.10.2016.

Esta segunda edição cancela e substitui a edição anterior (ABNT NBR 15424:2006), a qual foi tecni-
camente revisada.

O Escopo em inglês desta Norma Brasileira é o seguinte:

Scope
This Standard defines the terms used in the method of non-destructive testing of thermography.

iv © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15424:2016

Ensaios não destrutivos ― Termografia ― Terminologia

1 Escopo
Esta Norma define os termos utilizados no método de ensaio não destrutivo de termografia.

2 Termos e definições
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

Para os efeitos deste documento, aplicam-se os seguintes termos e definições.

2.1
absortividade
absorvidade
absortância
razão da radiação absorvida por um objeto pela radiação incidente sobre a sua superfície.
A absortividade pode variar entre 0 (refletor perfeito) e 1 (corpo negro)

NOTA Na termografia, estes termos são frequentemente usados indistintamente.

2.2
amplitude térmica (span)
intervalo de temperaturas dentro da faixa de temperatura da câmera termográfica que é utilizada
na imagem. A amplitude pode ser expandida ou reduzida para melhorar o contraste da imagem

2.3
anomalia térmica
qualquer indicação de temperatura que se desvie de um padrão térmico conhecido

2.4
assinatura térmica
padrão térmico particular de um determinado objeto

2.5
atenuação atmosférica
perda resultante da propagação da radiação infravermelha pelo meio atmosférico, devido à absorção
ou dispersão. É função da distância, umidade, temperatura, concentração de partículas em suspensão,
gases, entre outros

2.6
campo de visão (field of view)
FOV
extensão angular que determina a área total de uma cena, vista pela câmera termográfica, em um
dado momento. Geralmente expresso em graus e caracteristicamente descrito em HFOV × VFOV,
ou seja, campo de visão horizontal × campo de visão vertical

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados 1


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

2.7
campo de visão instantâneo (instantaneous field of view)
IFOV
ângulo sólido através do qual um elemento detector é sensível à radiação. Projeção angular de um
elemento detector sobre a superfície do objeto. Define o menor detalhe dentro do campo de visão que
pode ser detectado a uma certa distância. É expresso em milirradianos ou na razão D:S (distância
de observação dividida pelo tamanho do alvo)

NOTA 1 Em termômetros de infravermelho, o campo de visão instantâneo é o próprio campo de visão; em


um escâner de linha ou câmera termográfica, ele representa a resolução de um elemento detector em uma
linha de varredura ou em um termograma.
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

NOTA 2 Ângulo sólido pode ser definido como aquele que, visto do centro de uma esfera, percorre uma
dada área sobre a superfície desta.

2.8
corpo cinza
objeto radiante cuja emissividade é constante e inferior a 1,0

2.9
corpo negro
emissor e absorvedor perfeito de radiação em todos os comprimentos de onda. Por definição, o valor
de sua emissividade é 1,0

2.10
corpo real
radiador seletivo
objeto cuja emissividade pode variar com o comprimento de onda

2.11
correção de não uniformidade (non uniformity correction)
NUC
correção para compensação das diferentes sensibilidades dos vários elementos detectores de uma
matriz (FPA), bem como outros distúrbios de natureza óptica ou geométrica

2.12
detector de infravermelho
detector que responde à variação da radiação infravermelha incidente. Os detectores podem
ser divididos em duas grandes categorias: detectores térmicos ou termodetectores (por exemplo,
bolômetro) e fotodetectores (por exemplo, Mercúrio-Cádmio-Telúrio - HgCdTe)

2.13
emissividade
razão da radiação emitida por um corpo real pela que seria emitida por um corpo negro, à mesma
temperatura. A emissividade pode variar entre 0 (refletor perfeito) e 1 (corpo negro)

2.14
emitância
exitância radiante
fluxo radiante emitido por uma superfície, expresso em watts por metro quadrado (W/m2)

2 © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

2.15
equipamentos infravermelhos de varredura linear (line scanners)
dispositivo unidimensional que, por meio de uma varredura relativa à superfície de um objeto, produz
uma imagem térmica bidimensional

2.16
faixa de medição
faixa de temperatura
faixa de temperatura para a qual o instrumento é projetado a medir, dentro de suas especificações
de exatidão
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

2.17
filtro espectral
elemento óptico, de transmissividade seletiva, utilizado para restringir, em termos espectrais,
a radiação recebida pelo detector de um instrumento

2.18
inspeção qualitativa
modalidade de inspeção baseada na análise de padrões térmicos para detectar anomalias

2.19
inspeção quantitativa
modalidade de inspeção baseada na utilização de valores específicos de temperatura, para determinar
a criticidade da anomalia e estabelecer prioridades de intervenções e reparos

2.20
inspeção termográfica
inspeção não destrutiva e não intrusiva, realizada com a utilização de câmeras termográficas, para
a medição de temperaturas e visualização de distribuições térmicas, que fornece informações relativas
à condição operacional de um componente, equipamento ou processo

2.21
isoterma
função de processamento de imagem que demarca uma faixa ou intervalo de mesma temperatura
aparente em um termograma

2.22
janelas atmosféricas (infravermelho)
intervalos dentro do espectro de infravermelho, nos quais a atenuação atmosférica é mínima

EXEMPLOS

 a) 0,78 µm a 2,0 µm;

 b) 2,0 µm a 5,5 µm;

 c) 7,5 µm a 14,0 µm.

2.23
janela de inspeção infravermelha
dispositivo fabricado com material semitransparente aos comprimentos de onda na faixa do infraver-
melho, utilizado para permitir a inspeção termográfica de componentes instalados em equipamentos
que não podem ser abertos por razões de segurança

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados 3


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

2.24
matriz de plano focal (focal plane array)
FPA
matriz de uma ou duas dimensões de elementos detectores, posicionada no plano focal da câmera

2.25
padrão de calibração infravermelho
padrão de temperatura infravermelho
simulador de corpo negro ou outra referência de emissividade e temperatura conhecidas, utilizado
como padrão para calibração de instrumentos infravermelhos
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

2.26
radiação infravermelha
infravermelho
faixa do espectro eletromagnético que se estende do limite inferior da radiação visível (0,78 µm) até
o comprimento de onda de 1 000 µm. A classificação é apresentada na Tabela 1

Tabela 1 – Classificação baseada em limites espectrais de detectores de infravermelho


Classificação Faixa de comprimento de onda
Infravermelho próximo 0,78 µm – 1 µm
Infravermelho de ondas curtas 1 µm – 3 µm
Infravermelho de ondas médias 3 µm – 6 µm
Infravermelho de ondas longas 6 µm – 15 µm
Infravermelho de ondas muito longas 15 µm – 1 000 µm

2.27
radiação térmica
transferência de calor na forma de radiação eletromagnética que se propaga na velocidade da luz

2.28
radiância
fluxo radiante por unidade de área projetada, por unidade de ângulo sólido, expresso em watts por
metro quadrado esteradiano, W/(m2 sr)

NOTA Se o fluxo radiante deixa a superfície, este é chamado de exitância ou emitância. Se o fluxo
radiante incide sobre a superfície, este é chamado de irradiância.

2.29
radiosidade
fluxo radiante total que deixa a superfície de um objeto. É a soma da radiação emitida, transmitida
e refletida

NOTA Somente a radiação emitida está relacionada à temperatura da superfície do objeto.

2.30
refletividade
refletância
razão da radiação refletida por uma superfície pela radiação incidente sobre ela. A refletividade pode
variar entre 0 (corpo negro) e 1 (espelho perfeito)

4 © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

2.31 resolução espacial


resolução geométrica
resolução óptica
ver 2.7

2.32
resolução espacial de medida
MFOV
IFOVmeas
menor objeto que pode ter sua temperatura medida com exatidão a uma determinada distância.
Raramente é declarada pelo fabricante, mas é tipicamente igual à resolução espacial multiplicada
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

por um fator entre 3 e 5 (dependendo do modelo do equipamento). Também reportado como campo
de visão instantâneo de medida, ou MFOV

2.33
sensibilidade térmica
diferença de temperatura equivalente ao ruído (noise equivalent temperature difference)
NETD
menor diferença de temperatura que se pode detectar, limitada pelo ruído interno do equipamento
infravermelho a uma determinada temperatura. Geralmente obtida à temperatura de 30 °C

2.34
taxa de atualização de imagem
taxa de atualização de quadro (frame rate)
número de imagens capturadas por segundo (geralmente dado em hertz - Hz)

2.35
temperatura ambiente
temperatura do meio circundante ao objeto

NOTA Não confundir com temperatura aparente refletida.

2.36
temperatura aparente
leitura de temperatura obtida por radiômetros (câmeras termográficas e termômetros de infravermelho),
sem nenhuma correção (emissidade = 1 e distância = 0 m), considerando todas as radiações incidentes
no detector, independentemente da fonte

2.37
temperatura aparente refletida
temperatura relacionada à radiação proveniente de outros objetos, refletida pela superfície do objeto
sob análise e detectada pelo radiômetro (câmeras termográficas e termômetros de infravermelho)

2.38
temperatura atmosférica
temperatura da atmosfera entre a câmera termográfica e o objeto

2.39
temperatura operacional
temperatura de operação
faixa de temperatura para a qual o instrumento é projetado para operar dentro de suas especificações

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados 5


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

2.40
termografia ativa
técnica de inspeção termográfica que requer estímulo térmico adicional (fontes externas)

NOTA O estimulo térmico pode ser óptico, sônico (ultrassom), indutivo, micro-ondas ou pelo uso de outra
forma de energia.

2.41
termografia passiva
técnica de inspeção termográfica que mede a radiação infravermelha emitida pelos objetos sem
a necessidade de estímulos térmicos adicionais (fontes externas)
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

2.42
termografia por infravermelho
método de medição de temperatura, sem contato, que possibilita a formação de imagens térmicas
(chamadas termogramas) de um componente, equipamento ou processo, a partir da radiação
infravermelha emitida pelos objetos

2.43
termografista
inspetor de termografia
profissional qualificado para realizar inspeções termográficas por meio da operação de uma câmera
termográfica

2.44
termograma
imagem térmica
imagem obtida a partir da radiação infravermelha emitida pelos objetos, em função de sua temperatura

NOTA A imagem pode ser em tons de cinza ou diferentes cores, representando a temperatura aparente
da superfície.

2.45
termometria sem contato
método para medir temperatura, sem contato, por meio da detecção da radiação térmica emitida pela
superfície do objeto

2.46
termômetro infravermelho
radiômetro
pirômetro infravermelho
instrumento infravermelho que mede temperaturas a partir da radiação total recebida de um campo
de visão fixo (D:S), de um único elemento detector

2.47
câmera termográfica
termovisor
câmera de termografia
instrumento destinado a detectar a radiação infravermelha de um objeto e convertê-la em sinais
eletrônicos que, devidamente processados, permitem a formação de imagens relacionadas
à distribuição de temperatura aparente do objeto

6 © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

ABNT NBR 15424:2016

2.48
transmissividade
transmitância
razão da radiação transmitida por uma superfície pela radiação incidente sobre ela. Para um corpo
opaco, a transmissividade é igual a 0. Materiais transparentes possuem valores de transmissividade
entre 0 e 1

2.49
visor térmico
equipamento infravermelho que produz imagens térmicas não radiométricas (sem capacidade
de medição de temperatura). É utilizado, principalmente, na área militar e de segurança
Documento impresso em 25/09/2019 09:46:33, de uso exclusivo de UNIVERSIDADE DE SAO PAULO - SEF

2.50
vídeo radiométrico
vídeo produzido por uma câmera termográfica no qual cada quadro é um termograma, por meio
do qual é possível a medição da temperatura aparente de qualquer ponto (pixel) de sua matriz

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados 7

Você também pode gostar