Você está na página 1de 61

Uma Visão Estratégica sobre o

Futuro da Mobilidade no Brasil

Plinio Nastari
Presidente, DATAGRO
Representante da Sociedade Civil no CNPE
Conselho Nacional de Política Energética

Encontro BNDES
Futuro da Mobilidade: Mais Eficiência Energética e
Menos Impacto Ambiental
Rio de Janeiro, RJ
6 Maio 2019
Papel do Estado

Intervenção Regulação

Indução

2
Consumo de Energia no Setor Transportes
é Crescente
CONSUMO DE ENERGIA NO SETOR DE TRANSPORTES, em 000 tep
CONSUMO DE ENERGIA 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 % 2017 CAGR
TRANSPORTES TOTAL 62.829 63.041 69.720 73.989 79.027 83.152 86.315 84.037 82.647 84.553 100,0% 3,0%
RODOVIARIO 57.370 57.683 63.963 67.896 72.721 77.007 79.945 78.267 77.436 79.174 93,6% 3,3%
FERROVIARIO 1.149 1.125 1.135 1.148 1.190 1.181 1.176 1.148 1.125 1.209 1,4% 0,5%
AÉREO 2.857 2.874 3.241 3.623 3.820 3.667 3.709 3.658 3.347 3.335 3,9% 1,6%
HIDROVIÁRIO 1.452 1.359 1.380 1.323 1.297 1.298 1.485 965 740 835 1,0% -5,4%
CONSUMO FINAL TOTAL BRASIL 226.215 220.732 240.477 245.860 253.037 260.218 265.774 261.203 255.547 258.659 1,3%
TRANSPORTES / TOTAL 27,8% 28,6% 29,0% 30,1% 31,2% 32,0% 32,5% 32,2% 32,3% 32,7%
Fonte: BEN 2018.

3
Consumo de Energia no Setor Transportes
é Crescente
CONSUMO DE ENERGIA NO SETOR DE TRANSPORTES, em 000 tep
CONSUMO DE ENERGIA 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 % 2017 CAGR
TRANSPORTES TOTAL 62.829 63.041 69.720 73.989 79.027 83.152 86.315 84.037 82.647 84.553 100,0% 3,0%
RODOVIARIO 57.370 57.683 63.963 67.896 72.721 77.007 79.945 78.267 77.436 79.174 93,6% 3,3%
FERROVIARIO 1.149 1.125 1.135 1.148 1.190 1.181 1.176 1.148 1.125 1.209 1,4% 0,5%
AÉREO 2.857 2.874 3.241 3.623 3.820 3.667 3.709 3.658 3.347 3.335 3,9% 1,6%
HIDROVIÁRIO 1.452 1.359 1.380 1.323 1.297 1.298 1.485 965 740 835 1,0% -5,4%
CONSUMO FINAL TOTAL BRASIL 226.215 220.732 240.477 245.860 253.037 260.218 265.774 261.203 255.547 258.659 1,3%
TRANSPORTES / TOTAL 27,8% 28,6% 29,0% 30,1% 31,2% 32,0% 32,5% 32,2% 32,3% 32,7%
Fonte: BEN 2018.

4
140.000.000
Consumo de Combustíveis Líquidos para
Transportes, em m3
120.000.000 Diesel A
Biodiesel
100.000.000
Gasolina A
Etanol Anidro
Etanol Hidratado
80.000.000

60.000.000

40.000.000

20.000.000

-
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

Consumo de Combustíveis Líquidos para Transportes, em m3


2000 2005 2010 2015 2018 % 2018
Gasolina A 17.529.913 17.665.118 22.755.795 30.200.612 27.996.799 24,7%
Etanol Anidro 5.100.280 5.888.373 7.087.870 10.936.790 10.354.980 9,1%
Etanol Hidratado 4.603.588 4.667.223 15.074.300 17.862.740 19.384.719 17,1% 30,9%
Biodiesel - 204 2.318.874 3.826.905 5.315.729 4,7%
Diesel A 35.151.264 39.166.951 46.920.165 53.383.965 50.313.738 44,4%
Total 62.385.044 67.387.868 94.157.005 116.211.011 113.365.966 100,0%
5 Fonte: ANP, calculado por DATAGRO.
Consumo de Biocombustíveis
000 m3
em crescimento no Brasil
40000
Em 2018, foram consumidos
35000 5,32 bilhões de litros de
biodiesel, 10,35 bilhões de
30000 etanol anidro, e 19,38
Biodiesel Anidro Hidratado bilhões de litros de etanol
25000 hidratado.
20000
O biodiesel foi misturado na
proporção de 10% v/v em
15000
todo o diesel convencional,
10000 o etanol anidro foi misturado
à gasolina C na proporção de
5000 27% +/- 1% v/v, e o etanol
hidratado foi utilizado na
0 frota flex que representa
76,5% da frota total de

01/02
75/76
77/78
79/80
81/82
83/84
85/86
87/88
89/90
91/92
93/94
95/96
97/98
99/00

03/04
05/06
07/08
09/10
11/12
13/14
15/16
17/18
19/20e
veículos leves.
Fonte: DATAGRO
6
% do Etanol no Consumo de
Combustíveis do Ciclo Otto, 2018
50,0%
43,8% Nos primeiros 3 meses de 2019 é de 45,6% no Brasil
45,0%

40,0%

35,0%

30,0%
25,0%
25,0%

20,0%

15,0% 12,0% 12,4%


9,9% 9,5% 10%
10,0% 8,0%

5,0% 3,5% 3,2%


1,5%
0,0%

7
Fonte: DATAGRO
A participação do etanol (anidro mais hidratado) no
consumo de combustíveis do ciclo Otto
55%

50,0%
50% 48,6%
47,7%
49,2% 45,6%
48,5% 45,0%
45%
44,3% 42,0%
41,8% 41,5% 42,0% 43,8%
40,2% 39,4%
39,2% 39,4%
40%
38,9% 37,7% 37,2%
39,7%
38,1% 38,2%
37,3%
35% 37,0% 33,7% 36,2%
32,3%

30% 31,6%
30,3%

25%

2006
1990
1991
1992
1993
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005

2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
Fonte: ANP, elaboração DATAGRO *
*Média de Jan-Mar 2019 8
Pode fazer mais

• Etanol

– Meta RenovaBio aprovada em 2018, é passar de 26,7 para 47,1 bilhões de


litros de gasolina equivalente,
– Com aumento de eficiência energética e ambiental, reduzindo custos e
preços ao consumidor,
– Em 2028, significa atingir 54,7% de participação no consumo de comb.
Ciclo Otto.

9
RenovaBio – meta nacional aprovada em 05.Jun.18
-10,1% Redução
Meta Considerada
de IC
Demanda (MM m3) 2018 2028
Ciclo Otto (gas eq)* 56,0 69,5
Gasolina A (m3) 31,1 30,0
Anidro (m3) 11,5 11,1
Hidratado (m3) 15,2 36,0
Etanol Total (m3) 26,7 47,1
Ciclo Diesel 57,0 73,9
Diesel A (m3) 51,2 62,8
Biodiesel (m3) 5,7 11,1
GNV (m3) (gas eq)* 2,5 2,5
Biometano (m3) 0 0,25
QAV (m3) 7,2 9,5
BioQAV (m3) 0 0,36
* Valores em Gasolina Equivalente
Pode fazer mais

• Biodiesel

– Passar de 40% para 65% de esmagamento de soja,


– Potencial de 18 bi litros de biodiesel,
– Exportação de proteína e não do grão, > valor agregado.
– CNPE aprovou aumento na mistura para B15 até 2023.
– Palmáceas e outras matérias primas podem contribuir de forma expressiva.

11
Pode fazer mais
• Biogás e Biometano,
– Produção e uso descentralizado, podendo ser consumido no próprio
local em que é produzido, sem que necessite rede de transmissão,
transporte ou distribuição, e transportado junto com o Gás Natural
Comprimido (GNC) ou injetado em gasodutos de distribuição.
– Potencial:
• 56 milhões de m3/dia no setor sucroenergético,
• 20 milhões de m3/dia por dia no setor de alimentos, e
• 6 milhões de m3/dia no setor de saneamento,
• = 82 milhões de m3/dia de biometano distribuídos ao longo do território nacional.
• Equivalem ao consumo de 115 mil GWh/ano, ou 24% da demanda total de EE, 44% do
diesel, ou 73% do gás natural consumidos no País.

12
Redução na importação de gasolina
A importação de gasolina caiu 34% em 2018 para 2,95 bilhões de litros, o que reduziu o
dispêndio com a compra do combustível em 17,2% para US$ 1,43 bilhão.

US$ bilhões
5,0 Bilhões de litros Volume 3,5

Bilhões
4,47
4,5 3,76
3,00 Dispêndio 3,0
4,0

3,5 2,87 2,5

2,14 2,91 2,95


3,0
2,0
2,18 2,17 2,46
2,5 1,73
1,64 1,58
1,5
2,0 1,43

1,5 1,05 1,0


0,92
1,0 0,51
0,5
0,5
0,28
0,0 0,0
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Fonte: SECEX, Elaboração DATAGRO 13
Uma Visão Estratégica para
o Futuro da Mobilidade no Brasil
É possível ampliar o uso de combustíveis líquidos de alta
densidade energética e baixa pegada de carbono, com maior
eficiencia energética e menor impacto ambiental,
Complementando de forma virtuosa combustíveis renováveis e
tradicionais,
Usando a infra-estrutura de distribuição já instalada,
Promovendo tecnologia local de produção de combustíveis e
tecnologia automotiva para uso local e exportação.

14
Recentemente,
Veículos Elétricos a Bateria (VEBs)
tem capturado atenção
em todo o mundo

15
Mas é a Visão Conceitual

que irá definir a Rota Tecnológica a ser


adotada para a combinação de
Combustível & Tecnologia Automotiva

Poço-à-Roda (WtW)
Avaliação do Ciclo de Vida (Life-Cycle Assessment)

ou
Tanque-à-Roda (TtW)
16
Etanol é opção moderna e eficiente (WtW)

Fonte: MAHLE Metal Leve, 2019.


17
Etanol é opção moderna e eficiente (WtW)
Emissões Totais de GEE em gCO2e/km – 2017 & 2030
160
145
140
127
122
120
98
100 92
87
80 74
64 65
58
60
47
42 39
40
27 27
20

Fonte: MAHLE Metal Leve, 2019.


18
Etanol é opção moderna e eficiente (WtW)
Emissões Totais de GEE em gCO2e/km – 2017 & 2030
160
145
140
127
122
120
98
100 92
87
80 74
64 65
58
60
47
42 39
40
27 27
20

Fonte: MAHLE Metal Leve, 2019.


19
Carros elétricos são realmente limpos?

20
Carros elétricos são realmente limpos?

21
Carros elétricos são realmente limpos?

22
Carros elétricos são realmente limpos?

23
Baterias tem baixa
Densidade Energética

24
Baterias: densidade energética < 1,000 Wh/kg

Fonte: Van Noorden , “A Better Battery”, 2 8 | N AT U R E | VO L 5 0 7 | 6 M A R C H 2 0 1 4 in Brito, BBEST, 2017.

25
Baterias: densidade energética,
evolução esperada

Fonte: Brito, BBEST, 2017, FAPESP.

26
Densidade Energética
em Combustíveis Líquidos é muito maior do que em Baterias
10000

9000
Densidade Energética (Wh/litro
Gasolina
8000

7000

6000

5000 Etanol
4000

3000

2000

1000 Baterias
0
0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000
Energia Específica (Wh/kg)

Fonte: Brito, BBEST, 2017, FAPESP.


27
Cenário 2 Graus: Energia para Transporte
por Combustível, 2010-2075
• Even with aggressive
reductions in travel growth,
shifts to mass transport modes,
strong efficiency
improvements, and deep
market penetration by vehicles
running on electricity and
hydrogen, there remains a
large demand for dense liquid
fuels in 2050 (80% of
transportation fuel) and even
in 2075 (50%).

Fonte: Fulton et al., Biofuels, Bioprod. Bioref. 9:476–483 (2015); doi: 10.1002/bbb.

28
3 Possíveis Rotas de Eletrificação
• VEBs: Veículos Elétricos a Bateria
– Baterias de íons de Lítio e Cobalto: disponibilidade limitada, e
dependência estratégica (reservas concentradas na China,
Chile e Congo);
– Baixa densidade energética: custo/peso determina autonomia;
– Infraestrutura a ser construída: custo, investimento;
– Bateria tem vida útil limitada e há questão do descarte;
– Fonte de energia determina se é opção limpa, ou não;
– Custo alto para consumidor.

29
Projeção da Demanda Global por Lítio
Evolução dos preços de insumos de
baterias para veículos elétricos
Custo total e per capita de implantação de
smart grid nos EUA
Estimativas de custos de implantação
de smart grid no Brasil

Fonte: EPE

Custo de implantação do smart grid no Brasil é estimado entre US$ 210 e US$ 300 bilhões
3 Possíveis Rotas de Eletrificação

• HFC: Célula a combustível movida a Hidrogênio


– Hidrogênio é caro para ser produzido, armazenado e
distribuído;
– É armazenado em tanques de Titânio;
– Distribuição cara;
– Risco de manuseio;
– Fonte de energia usada para produzir H2 determina se é limpo
ou não.

34
3 Possíveis Rotas de Eletrificação

• Híbrido Flex e FCV: Híbridos e Células a Combustível


capazes de usar Biocombustíveis
– Opção com menor emissão de GEE;
– Acessível em custo para consumidor;
– Gera emprego, desenvolvimento e efeito multiplicador;
– Aproveita capacitação em Biocombustíveis e Engenharia
Automotiva nacional.

35
Declaração Sergio Marchionne
Falando sobre a necessidade de redução de
emissões, Marchionne elogiou a posição
destacada do Brasil com o etanol, e anunciou o
fim do uso do motor a diesel em automóveis de
passeio em todas as marcas da FCA até 2022.

“Brasil é o único país do mundo que com o etanol tem uma


verdadeira alternativa ao petróleo”

Sergio Marchionne
CEO Mundial, FCA
Fiat, Jeep, Dodge, Chrysler, Maserati, AlfaRomeo, RAM, e Lancia
01.Junho.2018 – FCA Capital Markets Day 2018

36
Declaração Antonio Filosa
CEO do Grupo FCA na Am. Latina indicou que empresa
pretende investir R$ 14 bilhões na Latam nos próximos
5 anos, sendo R$ 9 bi na Fiat e R$ 5 bi na Jeep, a maior
parte no Brasil. A previsão está diretamente
relacionada à intenção de investir em carros movidos a
etanol, com a aprovação do Rota 2030.

“Ninguém sabe tanto no mundo de etanol como se sabe


no Brasil, ninguém tem etanol tão eficiente no mundo
como se tem no Brasil”

Antonio Filosa
CEO, Grupo FCA Latam
Fiat, Jeep
25.Junho.2018
37
Declaração Antonio Filosa
Antonio Filosa
CEO, Grupo FCA Latam
Fiat, Jeep
Jornal do Carro
27.Junho.2018

“Sou um grande fã do etanol. Poderemos fazer híbridos


com motores a etanol e, no futuro, quando as células a
combustível forem realidade, e isso vai acontecer, o etanol
tem a molécula mais fácil de se extrair hidrogênio do
mercado. O futuro do etanol será brilhante.”

38
Declaração Herbert Diess, presidente
mundial, Grupo VW
Para ele, cada país definirá sua matriz
energética a partir de políticas públicas e
da consciência em torno das fontes de
energia. O executivo não vê ainda grande
potencial para carros elétricos no Brasil,
a não ser que seja futuramente uma
decisão de governo. “Se for, estaremos
preparados.”

“Na Alemanha, onde a eletricidade é gerada com carvão, o


diesel gera menos poluentes do que os carros elétricos.”

Herbert Diess
Presidente Mundial, Grupo VW
Marcas VW, Audi, Bentley, Bugatti, Ducati, Lamborghini, Seat, Porsche, Škoda
Auto, MAN, Volkswagen Caminhões e Ônibus, e Scania
Líder mundial de venda de veículos em 2017
Valor Econômico, 15 agosto 2018 39
Próximos Passos
Otimização do MCI Flex

Híbrido Flex

Eletrificação com Biocombustíveis

40
KPMG Global Automotive Executive Survey 2017
Veículos Elétricos a Bateria (VEBs) irão fracassar devido aos seus
desafios de infraestrutura, enquanto Veículos com Células a Combustível
(VCCs) representam o real avanço da eletricidade para mobilidade.

62% dos executivos concordam totalmente ou 78% dos executivos concordam totalmente ou
parcialmente que os VEBs irão fracassar devido a parcialmente que os VCCs representam o real
desafios de infraestrutura. avanço da eletricidade para mobilidade

Concordam tofalmente 22% Concordam tofalmente 33%

Concordam parcialmente 40% Concordam parcialmente 45%

Neutro 20% Neutro 16%

12% Discordam parcialmente 5% Discordam parcialmente

6% Discordam totalmente 1% Discordam totalmente

Fonte: 18th consecutive Global Automotive Executive Survey, Feb 2017


O Brasil já tem o que o mundo está buscando
• Montadoras nos EUA querem motores otimizados para combustíveis
de elevada octanagem contendo teores elevados de etanol.
Depoimentos no Congresso dos EUA:

– “Higher octane fuels permit higher compression ratios which directly improve efficiency. . . .
[A] powertrain . . . optimized for a high-octane with mid-blend ethanol fuel . . . can
simultaneously fulfill what the customer desires—performance and economy—while reducing
the environmental impact.” Mercedes-Benz, Tier 3 Comment Letter.

– “Combustíveis com elevada octanagem permitem taxas de compressão mais elevadas que
aumentam diretamente a eficiencia … da motorização … otimizada para combustíveis de
alta octanagem com misturas elevadas de etanol .. que podem simultaneamente trazer o
que os consumidores almejam – performance e economia – ao mesmo tempo em que
reduzem o impacto no meio ambiente” – Mercedes-Benz, Tier 3 Comment Letter.

42
O Brasil já tem o que o mundo está buscando
• Montadoras nos EUA querem motores otimizados para combustíveis
de elevada octanagem contendo teores elevados de etanol.
Depoimentos no Congresso dos EUA:

– “Ford supports the development and introduction of an intermediate level blend fuel (E16-
E50), with a minimum octane rating of 91 anti-knock index (AKI) that increases
proportionally as ethanol is splash- blended on top of the base Tier 3 gasoline emission test
fuel.” Ford Motor Co., Tier 3 Comment Letter.

– “A Ford apoia o desenvolvimento e a introdução de misturas de teor mais elevado de etanol


na gasolina (E16 a E50), com uma octanagem minima de 91 que aumenta proporcionalmente
à medida em que se mistura etanol sobre a gasolina base de teste Tier 3.” Ford Motor Co., Tier
3 Comment Letter.

43
O Brasil já tem o que o mundo está buscando
• Montadoras nos EUA querem motores otimizados para combustíveis
de elevada octanagem contendo teores elevados de etanol.
Depoimentos no Congresso dos EUA:

– “GM supports the future of higher octane and higher ethanol content in order to provide a
pathway to improved vehicle efficiency and lower GHG emissions.” Gen. Motors, Tier 3
Comment Letter.

– A GM apoia o futuro de maiores teores de octanagem e de etanol com o objetivo de permitir


um caminho na direção de um aumento na eficiencia dos veículos e menores emissões de
gases do efeito estufa.” General Motors, Tier 3 Comment Letter.

44
BIELA VARIÁVEL PARA ADAPTAR A TAXA
DE COMPRESSÃO
Tecnologia Automotiva
• Célula a combustível movida a etanol
– É um carro elétrico movido a etanol, sem os entraves que hoje
existem para a sua aplicação, aproveitando o elevado teor de
Hidrogênio do etanol.

46
Tecnologia Automotiva
• Célula a combustível movida a etanol
– SOFC não utiliza metais raros.
– “Com a infraestrutura já existente de distribuição de etanol, o Brasil já
resolveu o problema de distribuição de Hidrogênio” (Nissan, junho 2016).
– 40.700 postos de revenda distribuem etanol puro e misturado à gasolina
em um País de dimensão continental (1.600 distribuem GNV).

47
48
Empresa da Europa produz Biometano
para frota própria

• A empresa Suiker Unie, uma das maiores fabricantes de açúcar dos Países Baixos, na Europa, acabou de adquirir
três caminhões Scania R410 e também um caminhão Iveco movidos a gás, que é produzido pela empresa em suas
usinas.
• A empresa produz anualmente cerca de 30 milhões de m3 de gás, que são obtidos a partir da fermentação da
beterraba açucareira. Esse gás é vendido para diversas aplicações no país, e agora alimentam também a frota.
• Os caminhões são equipados com cilindros no lugar dos tanques de combustível, e rodam cerca de 160 mil
quilômetros por ano. Com o uso do gás, a emissão de CO2 é reduzida em cerca de 90%, em comparação com um
motor diesel Euro 6.
Scania renova aposta no Gás e Biocombustíveis

• A nova geração de caminhões que a Scania começou a produzir no Brasil em fevereiro de 2019 tem cinco versões
que podem rodar com biocombustível, duas a etanol e três a biometano. Em 2011 a fabricante já tinha lançado uma
versão a etanol da cabine P, mas as vendas foram irrelevantes. Agora a aposta é de maior demanda por soluções
sustentáveis por parte de embarcadores, o que poderá motivar transportadores no Brasil e exterior a comprar
veículos que causam menor impacto ao meio ambiente.
• “Hoje já existem combustíveis alternativos mais rentáveis que o diesel, ao mesmo tempo em que vários
embarcadores estão pressionados pela questão ambiental, o que aumenta a procura por soluções sustentáveis de
transporte. Por isso temos hoje mais chances de introduzir no mercado caminhões a biogás e bioetanol, mas isso
está só começando”, avalia Silvio Munhoz, diretor comercial da Scania Brasil.
Relevância do Sistema de Distribuição

• Brasil tem uma grande vantagem, pois dispõe de um sistema de


distribuição já instalado:
– Etanol Hidratado, em mais de 40.700 postos de revenda, capaz de ser
usada em frota flex que representa 75,6% da frota (dez/18),
– Etanol Anidro, adicionado na % de 27% em toda a gasolina (E27) – Brasil
já usa o “mid-level blend” há muito tempo,
– Biodiesel misturado em todo o diesel fóssil na proporção de 10% (B10),
indo para B15 até 2023.

• Biocombustível é ENERGIA SOLAR capturada,


armazenada e distribuída de forma eficiente,
econômica e segura.
51
Relevância do Sistema de Distribuição

• Brasil tem uma grande vantagem, pois dispõe de um sistema de


distribuição já instalado:
– Etanol Hidratado, em mais de 40.700 postos de revenda, capaz de ser
usada em frota flex que representa 75,6% da frota (dez/18),
– Etanol Anidro, adicionado na % de 27% em toda a gasolina (E27) – Brasil
já usa o “mid-level blend” há muito tempo,
– Biodiesel misturado em todo o diesel fóssil na proporção de 10% (B10),
indo para B15 até 2023.

• Biocombustível é HIDROGÊNIO capturado,


armazenado e distribuído de forma eficiente,
econômica e segura.
52
Rota2030 e RenovaBio são irmãos siameses,
Plataforma para o Biofuturo é a sua
internacionalização

53
COP23-Fiji in Bonn
Declaração de Visão de 19 Nações
representando mais de 50% da população
e 37% do PIB mundial + IEA + IRENA
Bonn, Novembro 16, 2017

Meta para 2030 (2DS)


• % da Bioenergia na demanda mundial de energia precisa dobrar.
• % dos Biocombustíveis de baixo carbono na energia para
transporte, incluindo mar e ar, precisa triplicar.

“Aumentar a escala da Bioenergia é possível, usando práticas


sustentáveis e utilizando o potencial de expansão da produção de
cana e de grãos, com um melhor aproveitamento de resíduos
agroindustriais e urbanos, e com a adoção de políticas apropriadas.”
54
“Beyond 2025, IRENA’s Renewable Energy Roadmaps (ReMap) scenario
foresees that a global output of 500 billion liters of biofuels would be
needed by 2030 (of which 124 billion liters in advanced biofuels) and
1,120 billion liters per year by 2050 to most cost-effectively contribute
to the achievement of the Paris Agreement’s goals (IRENA, 2017).”

In Creating the Biofuture: A Report on the State of the Low Carbon Bioeconomy, 2018, pp.23-24.

Nastari, P., Eletrificação com Biocombustíveis, ANP, Fev 2019.

55
A SOLUÇÃO PARA OS DOIS MAIORES
PROBLEMAS DA HUMANIDADE
A Agricultura Energética complementa e alavanca a Agricultura Alimentar.
Através dos Biocombustíveis e da Bioeletricidade temos em nossas mãos a solução para os
dois grandes problemas atuais da Humanidade:
• o Aquecimento Global e
• a Crise dos Refugiados.

Nastari, P., Eletrificação com Biocombustíveis, ANP, Fev 2019.

56
Biocombustíveis, Petróleo e
Mobilidade
A opção pela expansão dos Biocombustíveis e da Bioeletricidade:
• Pode dar longevidade ao uso sustentável de reservas de petróleo e gás
natural;
• A Integração entre os setores de biocombustíveis e petróleo é
estratégica;
• Permite adoção de modelo moderno, acessível ao consumidor e
sustentável em termos sociais, econômicos e ambientais;
• Valoriza a engenharia automotiva local, promovendo sustentabilidade
ambiental.
• Cria plataforma de exportação dessa opção tecnológica para outros
países.
57
Estamos caminhando em direção à
Era do Hidrogênio !
• Não o Hidrogênio capturado e armazenado em tanques de alta pressão (700
Bar), caros e arriscados de Titânio,
• Mas Hidrogênio representado por Combustíveis Líquidos de Alta Densidade
Energética e Baixa Pegada de Carbono, produzidos de forma eficiente e
sustentável,
• Biocombustíveis como o Etanol, Biodiesel, Biogas & Biometano e
Bioquerosene,
• que usados de forma complementar vão dar longevidade e sustentabilidade
ambiental para o uso de nossas reservas de Combustíveis Tradicionais, de
forma economica e acessível ao consumidor.

58
Bioenergia e Biocombustíveis Sustentáveis => solução
integrada para questões estruturais em diversas dimensões

Emprego e
economia

Meio Agricultura
Ambiente

Biocombustíveis
RenovaBio

Expansão dos Petroleo e


Biocombustíveis derivados

Setor
59 Automotivo
RenovaBio – modelo de expansão
de Bioenergia e Biocombustíveis
Inovação e Tecnologia em Energia e Meio Ambiente
Plinio Nastari
plinio@datagro.com
T +55 11 4133.3944
F +55 11 4195.6659

www.datagro.com
61

Você também pode gostar