Você está na página 1de 16

1.

Dados do experimento
Desenvolva uma simulação que contemple o circuito retificador de seis pulsos a
tiristor com as seguintes características:

• Carga RLE para que possa controlar os tipos de cargas mais usuais;
• Alimentação com tensão de linha de 220V;
• 𝑅0 = 1,5Ω, 𝐿0 = 1𝐻, 𝐸 = 100𝑉

Variação dinâmica de α com faixa de operação de 180º.

2. Circuito de comando

Apresente uma descrição de como foi elaborado o circuito de comando, utilizando


as formas de onda que julgarem importantes.

Para a realização desse experimento, foi utilizado o mesmo circuito de comando


apresentado no experimento anterior. Foi utilizada uma tensão de referência cosenoidal
que obedece a seguinte função:

𝑉𝑀 𝑉𝑀
𝑉𝐶 = − ∙ cos (𝛼)
2 2

O bloco responsável para geração da tensão 𝑉𝐶 é apresentado abaixo, onde pode-


se observar um 𝛼 variável com a função slider do simulink. Essa função resolve o
problema para ângulos onde é necessário o carregamento do indutor antes da alteração de
𝛼.

Após a criação do circuito de geração da tensão 𝑉𝐶 , foi criado um circuito para


obter a parte com derivada positiva da função senoidal de entrada para ser feita a
comparação com 𝑉𝐶 e gerar os pulsos de controle com um ângulo de variação de 180°.
Para isso, comparamos a derivada do sinal de referência e, se maior que zero, jogamos na
saída do switch a tensão de referência e, se menor que zero, a saída também será zerada.

A diferença do circuito de controle para esse experimento são as tensões de


entrada desse circuito. Para o controle dos tiristores T1, T2 e T3 temos como tensões de
referência 𝑉𝐴𝐵 , 𝑉𝐵𝐶 , 𝑉𝐶𝐴 e para os tiristores T3,T4 e T5 temos como tensões de referências
𝑉𝐵𝐴 , 𝑉𝐶𝐵 𝑒 𝑉𝐴𝐶 .

Após isso, já temos o pulso de controle, porém, é necessário manter esse pulso
para que possa ser efetuado o controle do tiristor. Para isso, foi utilizado um monoestável
que, ao detectar uma borda de subida, gera sempre um sinal de 120° para o gate do
Tiristor.
As formas de onda do circuito de controle são apresentadas abaixo. Na primeira
figura é apresentado as tensões de linha positivas e negativas. A segunda figura apresenta
as tensões de referência cossenoidais juntamente com 𝑉𝐶 . Conforme alteramos o valor de
alfa no slider, a curva 𝑉𝐶 em vermelho sobe e a comparação dos dois sinais gera os pulsos
de controle apresentados na terceira figura.

O circuito final é então condensado em um subcircuito e conectado ao circuito


principal, como apresentado abaixo:
3. Formas de ondas para diferentes cargas

3.1. Apresente as formas de onda para α = 30º e carga puramente resistiva, realizando

os cálculos de tensão de saída e potência na carga (P0 = V0 ∙ I0):

- Tensão e corrente na carga


- Tensão e corrente nos Tiristores 1 e 4

- Pulsos de disparo dos tiristores

- Potência na carga

Cálculo da tensão média na carga:

1 𝜔𝑡𝑜 +𝑇
𝑉𝑜 = ∫ √2 𝑉𝑒𝑓 sin(𝜔𝑡) 𝑑 𝜔𝑡
𝑇 𝜔𝑡𝑜

𝜋
1 2 +𝛼
𝑉𝑜 = ∫ 𝑣 (𝜔𝑡)𝑑 𝜔𝑡
2𝜋 𝜋+𝛼 𝑎𝑏
6 6

Logo:
𝑣𝑎𝑏 (𝜔𝑡) = 𝑣𝑎 (𝜔𝑡) − 𝑣𝑏 (𝜔𝑡)

2𝜋
𝑣𝑎𝑏 (𝜔𝑡) = √2 𝑉𝑒𝑓 (sin(𝜔𝑡) − sin (𝜔𝑡 − ))
3
𝜋
1 2 +𝛼 2𝜋
𝑉𝑜 = ∫ √2 𝑉𝑒𝑓 (sin(𝜔𝑡) − sin (𝜔𝑡 − )) 𝑑𝜔𝑡
2𝜋 𝜋+𝛼 3
6 6

Fazendo os cálculos, chegamos no seguinte resultado:

3√6 𝑉𝑒𝑓
𝑉𝑜 = ∙ cos (𝛼)
𝜋

220
3√6 ( )
𝑉𝑜 = √3 ∙ cos (30)
𝜋

𝑉𝑜 = 257,299 𝑉

Para encontrarmos a corrente na carga, basta utilizarmos a equação 𝑉 = 𝑅 ∙ 𝐼:

257,299
𝐼= = 171,53 𝐴
1,5

Para a potência da carga:

𝑃 = 𝑉𝑜 ∙ 𝐼𝑜

𝑃 = 44,135 𝑘𝑊

Do Matlab temos os seguintes valores para podermos confirmar os resultados


obtidos em cálculos:
Como podemos observar, para uma carga resistiva e com 𝛼 = 30°, o circuito
funciona como um retificador, onde podemos também observar que a corrente da carga
segue a curva de tensão com uma queda devido resistência de 1,5Ω.

3.2. Apresente as formas de onda para α = 30º e carga RL, realizando os cálculos
de tensão de saída e potência na carga (P0 = V0 ∙ I0):

- Tensão e corrente na carga

-Tensão e corrente no Tiristores 1 e 4


-Pulsos de disparo dos tiristores

- Potência na carga

Cálculo da tensão média na carga para uma carga RL

2𝜋
3 3 +𝛼
𝑉𝑜 = ∫ √2 𝑉𝑒𝑓 sin(𝜔𝑡) 𝑑 𝜔𝑡
𝜋 𝜋+𝛼
3

Logo:

3√6
𝑉𝑜 = ∙ 𝑉0 ∙ cos (𝛼)
𝜋

220
𝑉𝑜 = 2,33 ∙ ( ) ∙ cos (30)
√3

𝑉𝑜 = 257,29 𝑉

Considerando-se a corrente de regime permanente, temos:

𝑉 257,29
𝐼= = = 171,53 𝐴
𝑅 1,5

Logo, para o cálculo da potência:

𝑃 = 𝑉𝑜 ∙ 𝐼𝑜

𝑃 = 257,29 ∙ 171,53
𝑃 = 44,133 𝑘𝑊

Do Matlab temos os seguintes valores para podermos confirmar os resultados


obtidos em cálculos:

Para uma carga fortemente indutiva, como a utilizada nesse experimento, podemos
ver um comportamento contínuo da corrente na carga, contendo apenas um ripple quase
que imperceptível. Nesse caso, para 𝛼 = 30°, o circuito também funciona como um
retificador.

3.3.Apresente as formas de onda para α = 120º e carga RL, realizando os cálculos


de tensão de saída e potência na carga (P0 = V0 ∙ I0):

- Tensão e corrente na carga


-Tensão e corrente no Tiristores 1 e 4

-Pulsos de disparo dos tiristores


- Potência na carga

Cálculo da tensão média na carga para uma carga RL

2𝜋
3 3 +𝛼
𝑉𝑜 = ∫ √2 𝑉𝑒𝑓 sin(𝜔𝑡) 𝑑 𝜔𝑡
𝜋 𝜋+𝛼
3

Logo:

3√6
𝑉𝑜 = ∙ 𝑉0 ∙ cos (𝛼)
𝜋

220
𝑉𝑜 = 2,33 ∙ ( ) ∙ cos (120)
√3

𝑉𝑜 = −147,97 𝑉

Logo, para o cálculo da potência:

𝑃 = 𝑉𝑜 ∙ 𝐼𝑜

𝑃 = −147,97 ∙ 171,4

𝑃 = −25,36 𝑘𝑊

Para 𝛼 > 90°, o circuito funciona como um inversor não-autônomo, como podemos
observar na curva de tensão na carga.
3.4.Apresente as formas de onda para α = 30º e carga RLE, realizando os cálculos
de tensão de saída e potência na carga (P0 = V0 ∙ I0):
(As formas de onda devem ser coletadas em regime permanente):

- Tensão e corrente na carga

-Tensão e corrente nos Tiristores 1 e 4

-Pulsos de disparo dos tiristores


- Potência na carga

Cálculo da tensão média na carga para uma carga RLE

3√6
𝑉𝑜 = ∙ 𝑉0 ∙ cos (𝛼)
𝜋

220
𝑉𝑜 = 2,33 ∙ ( ) ∙ cos (30)
√3

𝑉𝑜 = 257,29 𝑉

Para a corrente, temos:

𝑉𝑜 = 𝑅 ∙ 𝐼 + 100

𝐼 = 104,86 𝐴

Logo, para o cálculo da potência:

𝑃 = 𝑉𝑜 ∙ 𝐼𝑜

𝑃 = 257,29 ∙ 104,86

𝑃 = 26,97 𝑘𝑊

Do Matlab temos os seguintes valores para podermos confirmar os resultados


obtidos em cálculos:
3.5.Apresente as formas de onda para (α = αRA) e carga RL, realizando os cálculos
de tensão de saída e potência na carga (P0 = V0 ∙ I0):
(As formas de onda devem ser coletadas em regime permanente para α < 90º,
ou enquanto existir energia armazenada no indutor para α > 90º)

- Tensão e corrente na carga

-Tensão e corrente nos Tiristor 1 e 4


-Pulsos de disparo dos tiristores

- Potência na carga

Cálculo da tensão média na carga para uma carga RL

3√6
𝑉𝑜 = ∙ 𝑉0 ∙ cos (𝛼)
𝜋

220
𝑉𝑜 = 2,33 ∙ ( ) ∙ cos (68)
√3

𝑉𝑜 = 110,86 𝑉
Retirando a corrente média do gráfico, podemos calcular a potência média:

𝑃 = 𝑉𝑜 ∙ 𝐼𝑜

𝑃 = 110,86 ∙ 73,91

𝑃 = 8,193 𝑘𝑊

Como a inicial do meu nome começa com J, temos para esse exemplo 𝛼 = 68°.
Para uma carga RL com 𝛼 < 90°, o circuito funciona como um circuito retificador e,
assim, como apresentado anteriormente, por possuir uma carga fortemente indutiva,
apresenta uma corrente contínua.

Você também pode gostar