Você está na página 1de 16

EXCELLENCE ENSINO SUPERIOR

FAENE - FACULDADE ESCOLA DE NEGÓCIOS EXCELLENCE


MBA EM GESTÃO DE PROJETOS

ANA CARLA ARAÚJO ARRUDA

GERENCIAMENTO DO TEMPO DO PROJETO: um estudo de caso de


implantação de ISO 9001:2015

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado


ao curso de MBA da Faculdade de Negócios
Excellence como requisito final para obtenção
do título de MBA em Gestão de Projetos.

SÃO LUÍS-MA
2017
1

Gerenciamento do Tempo Do Projeto: um estudo de caso de implantação de ISO

9001:2015

Ana Carla Araújo Arruda1

Resumo

Este artigo tem como proposta demonstrar a importância do gerenciamento de tempo no


processo de implantação do Sistema de Gestão da Qualidade, baseada na Norma ISO
9001:2015 em uma empresa de área portuária. Com os resultados obtidos será possível
evidenciar que a utilização do gerenciamento de tempo é um processo importante para o
sucesso de um projeto, independentemente de sua complexidade. Para desenvolver o estudo
apresentou-se inicialmente uma abordagem teórica sobre a Gestão de Projetos e
Gerenciamento do Tempo em projetos segundo o Guia PMBOK® - 5º Edição. No que se
refere à consolidação da pesquisa, procedeu-se a um estudo de caso no intuito de reiterar a
eficácia das ferramentas e técnicas próprias do gerenciamento de tempo do projeto.

Palavras-chave: Gerenciamento do tempo; Gestão de projetos; PMBOK; ISO 9001:2015.

1 Introdução

Tornou-se muito comum na atualidade estarmos envoltos a temáticas referentes a


escassez de matérias-primas voltadas a produção em determinadas áreas. Sem dúvidas a
dependência desses recursos faz com que as empresas se tornem cada vez mais interessadas
em investir seus esforços buscando a otimização de sua produção assim como ampliar a
capacidade de gerenciamento desses recursos.

No mundo coorporativo, podemos classificar como recursos não apenas os materiais ou


capital humano assim como demais ativos tangíveis voltados para a operação, mas também os
ativos intangíveis que estão inseridos no processo produtivo e que representam sem dúvida
nenhuma uma importante fração na entrega dos resultados desejados. Quando da elaboração e
execução de um projeto, todos os processos e rotinas mapeadas precisam ser determinadas de
forma harmônica e orientados ao mesmo objetivo.

1
Aluna do Curso de MBA em Gestão de Projetos da Faculdade de Negócios Excellence.
2

O tempo, assim como qualquer outro recurso precisa ser aplicado a partir do
entendimento da relação entre a necessidade e a disponibilidade dos indivíduos assim como a
gestão dos prazos de um projeto que é um processo que precisa considerar o envolvimento de
todos os atores planejados, com um cronograma elaborado de modo a conciliar o ciclo de vida
de cada etapa do projeto, mitigando assim as possibilidades de atraso na entrega do projeto.

De acordo com a metodologia PMBOK (Project Management Body of Knowledge)


desenvolvido pelo PMI (Project Management Institute) define através de chamadas áreas de
conhecimento, que representam as dimensões que determinado projeto pode assumir ao longo
de uma cadeia produtiva. Dentre essas áreas de conhecimento, o gerenciamento de tempo do
projeto representa atualmente um dos ativos de maior importância na elaboração e execução
dos projetos pelas organizações.

Em organizações produtoras de bens de consumo, o gerenciamento dos projetos torna-se


ainda mais importantes devido a toda a cadeia de valor envolvida em seus processos, além de
toda a implicação resultante de eventuais atrasos. Nesse estudo de caso, apresentarei de que
forma as técnicas e processos de gerenciamento do tempo do projeto pode ser aplicada face a
um processo de certificação em área portuária.

2 Visão Geral da Gestão de Projetos e Gerenciamento do Tempo de Projetos

De acordo com o PMBOK (5º edição) o projeto é um esforço temporário empreendido


para criar um produto, serviço ou resultado único, tendo um início e término definidos.
Por sua vez, Maximiano (2002) define projeto como um empreendimento temporário ou
uma sequência de atividades com começo, meio e com o objetivo de fornecer um produto
singular.
O gerenciamento de projetos é a aplicação do conhecimento, ferramentas e técnicas aos
seus requisitos do projeto. O gerenciamento é realizado através da aplicação dos 47 processos
de gerenciamento de projetos, que são reunidos em cinco grupos: iniciação, planejamento,
execução, monitoramento e controle e encerramento.
O Guia PMBOK (5º edição) também apresenta as 10 áreas de conhecimento para a
gestão de projetos, são:
1. Gerenciamento da Integração: gerenciar os diversos processos e atividades dos
grupos de processos;
3

2. Gerenciamento de Escopo: Garantir que o projeto inclui todo o trabalho necessário


para terminar o projeto;
3. Gerenciamento de Custos: gerenciar custos e orçamentos;
4. Gerenciamento das Aquisições: gerenciar as etapas necessárias nos processos de
aquisições;
5. Gerenciamento de Recursos Humanos: gerenciar a equipe do projeto;
6. Gerenciamento das Comunicações: gerenciar as informações dentro dos processos;
7. Gerenciamento de Risco: gerenciar as respostas necessárias para controlar os riscos
da execução do projeto, minimizando os seus efeitos negativos;
8. Gerenciamento de Tempo: gerenciar o cronograma do projeto, garantindo seu
término no prazo estabelecido;
9. Gerenciamento das Partes Interessadas: Monitorar o empenho das partes interessadas;
10. Gerenciamento de Qualidade: gerenciar o projeto de acordo com os requisitos e
padrões estabelecidos.
No gerenciamento de tempo, faz-se necessário destacar que os conceitos relativos a esta
área do conhecimento que são adotados pelo Guia PMBOK, sendo eles:
 Planejar o gerenciamento do cronograma
 Definir as atividades
 Sequenciar as atividades
 Estimar os recursos das atividades
 Estimar a duração das atividades
 Desenvolver o cronograma; e
 Controlar o cronograma

2.1 Planejar o gerenciamento do cronograma

Planejar o gerenciamento do cronograma estabelece as políticas, processos e


procedimentos com objetivo de planejar, desenvolver, monitorar, executar e controlar o
cronograma do projeto, considerando os grupos de entregas apresentados.
O guia PMBOK 5º edição esclarece que o plano de gerenciamento do cronograma é
uma das mais importantes partes componentes do plano de gerenciamento do projeto, não
podendo ser dispensável durante a elaboração do projeto. Pode ser classificado como formal
ou informal, altamente detalhado ou generalizado, baseado nas necessidades do projeto. O
4

plano de gerenciamento define como as contingências do cronograma são reportadas e


avaliadas.
Para planejar o gerenciamento do cronograma, o PMBOK insere como ferramentas e
técnicas a opinião especializada, técnicas analíticas além de reuniões gerenciais ou com a
equipe do projeto. A partir da execução dessas ferramentas e técnicas, são observadas saídas
(resultados) no processo. As saídas desse planejamento são:

Desenvolvimento do modelo de cronograma do projeto: o procedimento e a


ferramenta de cronograma a serem usadas no desenvolvimento do modelo do
cronograma.
Nível de exatidão: as faixas de tempos aceitáveis usada na determinação das
estimativas e das entregas de produtos e serviços e duração das atividades
Unidade de medida: unidades utilizadas para as medições
Associações com procedimentos organizacionais: a estrutura analítica do
projeto (EAP) fornece a estrutura para o plano de gerenciamento do cronograma,
considerando a consistência com as estimativas e os cronogramas resultantes.
Manutenção do padrão do cronograma do projeto: processo usado para
atualizar o progresso no andamento e registro do projeto no modelo do cronograma.
Limites de controle: limites de variação para monitoramento do desempenho.
Regras de monitoramento e desempenho: regras de medição de desempenho e
medição.
Descrições dos processos: descrições detalhadas e documentadas de todos os
processos de gerenciamento dos prazos.

2.2 Definir as atividades

O guia PMBOK 5º edição estabelece que a definição de atividades representa o


processo de identificação e documentação de ações e procedimentos específicos a serem
realizadas para produzir e garantir as entregas planejados no projeto. O principal benefício
deste processo é a divisão dos pacotes de trabalho em atividades, tornando assim possíveis a
previsão, programação, execução, gerenciamento e controle dos trabalhos.
As formas de obtenção de atividades podem apresentar variações ou ramificações, mas
sempre são orientadas a partir do escopo, tornando assim imprescindível o correto
5

planejamento das ações, pois de sua elaboração e definição dependem todos os processos
seguintes ao gerenciamento de tempo do projeto.

2.2.1 Influência do escopo

Toda a área de gerenciamento de projetos tem o escopo como base de seu planejamento.
Apenas com base nas informações apresentadas nestes documentos é que podemos definir os
entregáveis do projeto em atividades.
A EAP como ferramenta de detalhamento do escopo possui as seguintes características
para o gerenciamento de tempo (Gerenciamento do tempo em projetos - 4º edição):

 Aumentar a exatidão das estimativas de tempo;


 Auxiliar na definição de bases que permitem medir e controlar o desempenho;
 Permitir o acompanhamento e controle do prazo do projeto tanto pelo todo como por
entregas

Quanto mais detalhada a EAP e a definição das atividades no escopo, maior o número
de entregáveis e atividades incluídas no projeto, a estimativa de tempo na realização das
atividades pode ser realizada com maior precisão e consequentemente aumentando a precisão
do cronograma.

Como saída a esse processo são gerados a Lista de Atividades, Atributos das atividades
e Lista de Marcos.

2.2.2 Marcos (milestones)

Os marcos do projeto representam atividades especiais constantes no cronograma, com


função de demonstrar um evento pontual no tempo do projeto, durante sua execução. São
ocasiões representadas ao longo do cronograma de eventos considerados importantes para o
projeto, que podem ser (Gerenciamento do tempo em projetos - 4º edição):
Entrega do projeto;
Grupo de atividades entregáveis;
Reuniões, apresentações e eventos importantes;
Datas importantes ou ressalvas do controle e projeto.
6

2.3 Sequenciamento de atividades

Representa o processo responsável por identificar e documentar os relacionamentos


entre as atividades do projeto, permitindo analisar holisticamente a atuação dos envolvidos no
processo ao longo do projeto.

Este processo define uma sequência lógica para a realização do trabalho, com o objetivo
de aumentar o nível de eficiência não esquecendo das restrições apresentadas para o projeto.
Como saída são gerados os Diagramas de rede do Cronograma do Projeto e Atualizações nos
Documentos do Projeto.

2.4 Estimar os recursos das atividades

Conforme o guia PMBOK 5ª edição, a estimativa de recursos das atividades é o


processo de avaliação dos tipos e quantidades de material, pessoas, equipamentos ou
suprimentos que serão necessários para realizar cada atividade, sendo ativos tangíveis ou
intangíveis. O principal benefício desse processo é tornar possível a identificação de tipo,
quantidades e características dos recursos necessários para concluir as atividades, permitindo
melhor a gestão orçamentária dos custos e de tempo desprendido na duração das atividades
realizadas.
Essa fase tem como saídas os requisitos de recursos das atividades, a estrutura analítica
dos recursos e atualizações nos documentos do projeto.

2.5 Estimar a duração das atividades

Esse processo consiste em representa a capacidade de estimar a quantidade de trabalho


necessário para finalizar as atividades específicas, com os recursos apresentados. Fornece uma
estimativa média de quantidade de tempo necessário para concluir cada atividade ao longo do
projeto. Como saída são gerados as Estimativas das durações das Atividades e as Atualizações
no Documentos do Projeto (PMBOK 5º edição).
7

2.6 Desenvolver o cronograma

Representa o processo de análise de sequenciamento de atividades, suas durações,


recursos necessários e restrições ao cronograma, com objetivo de criar o modelo de
cronograma do projeto. Reflete ainda a capacidade de gerir o andamento do projeto,
considerando todos os recursos necessários para a execução, bem como o relacionamento das
atividades executadas ao longo dos processos. Como saída são gerados a Linha de base do
cronograma, o Cronograma do Projeto, os Dados do Cronograma, o Calendário do Projeto, as
Atualizações no Plano de Gerenciamento do Projeto e as Atualizações nos Documentos do
Projeto (PMBOK 5º edição).

2.7 Controlar o cronograma

Segundo PMBOK 5º edição, é o processo responsável por monitorar o andamento das


atividades do projeto para atualização no seu progresso e gerenciamento das mudanças feitas
na linha de base do cronograma para realizar o planejamento.
Este processo fornece meios para reconhecimento dos desvios com relação ao caminho
planejado e tomada de medidas corretivas e preventivas para com isso minimizar os riscos.
Como saída são gerados as Informações sobre o Desempenho do Trabalho, as Previsões de
Cronograma, as Solicitações de Mudança, as Atualizações no Plano de Gerenciamento do
Projeto, as Atualizações nos Documentos do Projeto e as Atualizações nos Ativos de
Processos Organizacionais.

3 Estudo de Caso

Para exemplificar os conceitos apresentados nesse artigo e verificar como o


gerenciamento de tempo é abordado em um projeto de implantação de certificação ISO
9001:2015, utilizou-se como metodologia científica a pesquisa documental. Será apresentado
primeiramente o contexto da certificação e depois os resultados das informações obtidas com
esse estudo.
8

3.1 Apresentação do projeto

A necessidade da certificação surgiu por motivos legais estabelecidos através


da Secretaria dos Portos da Presidência da República (SEP), que tem como área de atuação a
formulação de políticas e diretrizes para o desenvolvimento e o fomento do setor de portos e
instalações portuárias marítimos, fluviais e lacustres e, especialmente, promover a execução e
a avaliação de medidas, programas e projetos de apoio ao desenvolvimento da infraestrutura e
da superestrutura dos portos e instalações portuárias marítimos, fluviais e lacustres.
Nesse contexto, nos termos da art. 10, II da Portaria SEP n° 111/2013, observa-se como
requisito para comprovação da capacidade técnica de operador portuário “adotar programas
de boas práticas, baseadas nos princípios dos programas de certificação das normas ISO
9001:2000, NBR ISO 14001:2004, ISO 22000 e GMP Plus e ISSO OHSAS 180001, relativos
às atividades como operador portuário”.
A Administradora Portuária do porto em que a empresa analisada atua possui o seu
sistema de Gestão de Qualidade certificado ISO 9001 versões 2008. Diante disso, observa-se
a redação do art. 10, II, a que dispõe que “nos portos organizados que já detêm certificações,
os operadores portuários qualificados deverão obter as mesmas qualificações”.
Do mesmo modo, a art. 10, II, b, da referida Portaria, traz que os operadores portuários
deverão comprovar junto à Administração do Porto a contratação desses programas
específicos no prazo de 24 meses, após a certificação como operador portuário.
Neste artigo demonstrarei de forma sucinta os ganhos que podem ser agregados ao
projeto de implantação da norma ISO 9001 ao garantirmos a utilização de ferramentas e
processos do Gerenciamento de Tempo PMBOK.
A partir da estruturação deste plano de gerenciamento, foi estabelecido o planejamento
do gerenciamento de tempo, que permite a empresa identificar o cumprimento do prazo
estabelecido para realização do projeto.

3.2 Implantação do gerenciamento de tempo

Para implantação do gerenciamento de tempo a empresa realizou uma reunião inicial


com os gestores da organização para:
 Entender o escopo da prestação de serviço
o O escopo do processo de implantação
9

o O escopo da certificação (em que atividade a empresa iria se certificar)


 Apresentação prévia da Norma ISO 9001:2015;
 Prazo para conclusão do projeto (seis meses);
 Levantamento prévio dos processos já definidos; e
 Apresentação do cronograma de reunião para apresentação do desempenho e
desenvolvimento do projeto de implantação.
Após a reunião inicial a empresa identificou e definiu as atividades, assim como a sua
sequência de realização, através da ferramenta EAP (Estrutura Analítica do Projeto),
conforme descrito na Figura 1:

Figura 1
Estrutura Analítica do Projeto (EAP) da implantação ISO 9001:2015
Fonte: Ana Arruda, 2017

A companhia estabeleceu como marco do projeto, conforme demonstrado na Figura 2:

Figura 2
Linha do tempo da implantação ISO 9001:2015
Autor: Ana Arruda, 2017
10

Auditoria Interna: verificação de cumprimento de requisitos da norma ISO


9001:2015 e ações corretivas, caso necessário;
Auditoria Externa: verificação de empresa certificadora quanto aos
cumprimentos de requisitos da norma ISO 9001:2015
Certificado ISO 9001:2015: entrega do projeto.

Após elaboração da EAP, foi desenvolvido o cronograma de realização de atividades,


avaliado e aprovado em reunião com a participação dos gestores da organização, conforme
Figura 3:

CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO - ISO 9001:2015

JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO


AÇÕES
S1 S2 S3 S4 S5 S6 S7 S8 S9 S10 S11 S12 S13 S14 S15 S16 S17 S18 S19 S20 S21 S22 S23 S24 S25 S26
P 1 0 0 0
CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA
R 0
DEFINIÇÃO DO ESCOPO, PRAZO E P 1 0 0 0
CUSTOS R 0
CONTRATAÇÃO DE EMPRESA P 1 0 0 0
CERTIFICADORA R 0
P 0 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1
REUNIÕES DE ACOMPANHAMENTO
R 0
CONTRATAÇÃO DE EMPRESA P 1 0 0 0
CERTIFICADORA R 0
LEVANTAMENTOS DE DADOS DE P 1 1 0
COLABORADORES R 0
P 0 1 1 1 1 0 0 1 1 1 1 1 0
TREINAMENTOS
R
P 1 1 1 1 1 1 1 1
AVALIAÇÃO DE TREINAMENTOS
R
ELABORAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE P 1 1 1 1 1 1
DOCUMENTOS ESTRATÉGICOS R
P 1 1 1 1 0 0 0 0 0
MAPEAMENTO DE PROCESSOS
R
ELABORAÇÃO E REVISÃO DE P 1 1 1 1 1 1
PROCEDIMENTOS R
P 1 1 1 1 0
IMPLANTAÇÃO DE PROCESSOS
R
IMPLANTAÇÃO DO MONITORAMENTO P 1 1
DO PROCESSO R
P 1
RELATÓRIO DE ANÁLISE CRITICA
R
P 0 1
AUDITORIA INTERNA
R
P 1 1
AÇÕES CORRETIVAS E TRATATIVAS
R
P 1
AUDITORIA EXTERNA
R
ENCERRAMENTO (ENTREGA DO P 1
PROJETO) R
1 PROGRAMADA 2 REALIZADA 3 ADIADA 4 ATRASADA

Figura 3
Cronograma de implantação ISO 9001:2015
Fonte: Ana Arruda, 2017
11

3.3 Controle e medição do cronograma

O controle de prazos foi feito através de um processo de monitoramento contínuo,


objetivando diminuir os efeitos negativos das possíveis variações no resultado e proporcionar
tempo hábil para ações corretivas serem desenvolvidas. Dessa forma, foram definidos como
monitoramento do desempenho o recebimento do status do projeto e reuniões de avaliação e
revisão.
Durante as reuniões foram observadas:

O progresso das atividades do cronograma: para acompanhamento pontual das


ações estabelecidas no cronograma a empresa utilizou a metodologia 5W2H para
garantir e gerenciar que as atividades estão sendo realizadas, exemplificado na Figura
4:

PLANO DE AÇÃO

ONDE
O QUE QUEM QUANDO COMO POR QUE
SEQ (Área, Setor, STATUS
(Atividades a serem executadas) (Responsável) (Cronograma) (Metodologia) (Objetivo)
Máquina)

SOLICITANDO PROPOSTAS PARA DAR SUPORTE NO PROCESSO DE


CONTRATAÇÃO DE ADMINISTRATI COORDENADOR 05 DE
1 COMERCIAIS E VALIDAÇÃO IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO NO PRAZO
CONSULTORIA VO DE CONTRATOS JANEIRO
DA GERÊNCIA BASEADO NA NORMA ISO 9001:205

AGENDAR VISITA DA
ANALISTA DE 12 DE PARA CONSULTORIA CONHECER OS
2 CONSULTORIA NA QUALIDADE ENVIANDO E-MAIL NO PRAZO
QUALIDADE JANEIRO PROCESSOS E ESTRUTURA DA EMPRESA
COMPANHIA

PARA DEFINIÇÃO DE ESCOPO DA


REALIZAR PRIMEIRA REUNIÃO SALA DE ANALISTA DE 14 DE CERTIFICAÇÃO, PRAZOS, RESPONSÁVEIS
3 ENVIANDO E-MAIL NO PRAZO
DE ACOMPANHAMENTO REUNIÃO QUALIDADE JANEIRO POR PROCESSO E LEVANTAMENTO DE
INFORMAÇÕES

APRESENTAÇÃO E PRA QUE A EQUIPE TOME CIÊNCIA DAS


SALA DE 19 DE
4 VALIDAÇÃO DO CONSULTORIA APRESENTANDO PLANILHA ATIVIDADES A SEREM REALIZADAS E NO PRAZO
REUNIÃO JANEIRO
CRONOGRAMA DO PROJETO PRAZOS DE CUMPRIMENTO

Figura 4
Plano de ação
Fonte: Ana Arruda, 2017

Questionou se alguma etapa/ação deveria ser implementada ou revisada;


Adequação de cronograma ou ações corretivas para seu cumprimento
(mantendo baseline);
Avaliação se os métodos e técnicas empregados foram adequados.
12

Todas as reuniões foram realizadas com a equipe de gestores da empresa, sendo


registrada em ata de reunião e atualização do status das ações.

Para medição do desempenho a empresa comparou as ações e atividades previstas e


com as realizadas para verificar o cumprimento dos objetivos do projeto. O projeto foi
avaliado regularmente para que fossem identificadas as variações derivadas da execução em
relação ao plano de gerenciamento do cronograma.

A comunicação com a equipe de gestão foi realizada formalmente através das reuniões
de acompanhamento e follow-up quinzenal das ações. Com os colaboradores a comunicação
se deu de forma direta, através de conversas, treinamentos, utilização de quadros informativos
e e-mails.

3.4 Lições aprendidas

Durante o processo de execução do projeto alguns problemas e lições aprendidas foram


identificados em seu planejamento. São eles:
1. Demora para iniciar o projeto de implantação: como a própria lei da Secretaria dos
Portos Secretaria dos Portos da Presidência da República (SEP) declara, o operador
portuário tem um prazo de 24 meses para se certificar, a contar da certificação da
Autoridade Portuária, porém a empresa atrasou o início da implantação, começando
somente quando faltava 6 (seis) meses para o fim do prazo, sobrecarregando a
equipe. Para as próximas certificações, o processo de implantação iniciará assim que
a Autoridade portuária divulgar seus certificados;
2. Desconsiderou o turno da madrugada: A operação da empresa funciona 24 horas por
dia, 7 dias por semana. No processo de planejamento dos treinamentos não foi
identificado a dificuldade de treinar o turno da noite e da madrugada, pois a área
responsável por treinamento funciona em horário administrativo. Dessa forma foi
preciso excluir alguns dos treinamentos planejados e realizar os essenciais para o
projeto. Além disso, foram necessárias readequações de horário, em que a área de
treinamento teve que trabalhar no turno da madrugada ou a equipe da madrugada ser
treinada no dia de folga, tornando o processo mais custoso, devido pagamento de
horas extras. Os treinamentos pendentes foram realizados após a auditoria e foram
definidos gestores multiplicadores para realização dessa etapa.
13

3. Norma recente: a norma ISO 9001:2015 foi lançada recentemente e a empresa


passou pelo processo de certificação no início de 2016. Dessa forma, não havia
empresas na área portuária com essa certificação, impossibilitando o benchmarking
e dificuldades de encontrar consultorias com o conhecimento mais profundo da
norma. A decisão de certificar em norma mais recente foi estratégia da direção da
empresa
4. Ausência de registros consistentes: como a norma foi implantada em um curto prazo
de tempo, não foi possível gerar registros consistentes capaz de demonstrar
maturidade no sistema de gestão da qualidade da empresa estudada. A ação tomada
foi ser transparente com a equipe auditora, que percebeu que apesar de não haver
quantitativo de registros, os colaboradores conheciam bem os processos. As
evidências consistentes foram apresentadas em auditoria de recertificação.

4 Considerações Finais

Este estudo de caso teve como objetivo mostrar uma visão da utilização das ferramentas
do gerenciamento de tempo apresentada pelo PMBOK 5º edição no processo de implantação
do sistema ISO 9001:2015 em uma empresa de área portuária.
Verificou-se que mesmo sendo uma norma recente, com poucas empresas e
profissionais no mercado com o conhecimento profundo e o prazo para implantação curto,
diante da complexidade de uma área portuária, o projeto obteve sucesso.
Assim, uma abordagem simplificada das ferramentas foi suficiente para elaboração da
EAP e Cronograma de Gerenciamento, sendo de fundamental importância para o controle,
priorização de atividades, visualização das etapas e tempo disponíveis para realização do
projeto.
Dessa forma, o uso de técnicas, ferramentas do gerenciamento de tempo na realização
de qualquer projeto, desde os mais simples, até aqueles de maior complexidade, é
fundamental para evitar que estes apresentem falhas e cumpram o escopo do projeto,
mostrando que não é necessariamente obrigatório a implementação de todos os processos no
projeto, pois cada projeto e organização tem suas particularidades e características e os
processos são utilizados de acordo com tais elementos.
14

Project Time Management: a case study of implantation of ISO 9001:2015

Abstract

This article has as proposal demonstrate the importance of time management in the process of
implementation of the quality management system, based on ISO 9001:2015 in a port area.
With the obtained results will be possible to show that the use of time management is a
process essential for the success of a project, regardless of your complexity. To develop the
study performed, initially a theoretical approach on the project management and time
management in projects according to the PMBOK ® Guide – 5º Edition. As regards the
consolidation of research, a case study in order to reaffirm the effectiveness of tools and
techniques of project time management.

Key Words: Time Management; Project Management; PMBOK; ISO 9001:2015.

Referências

BARCAUI, André B. Gerenciamento do tempo em projetos – 4.ed. – Rio de janeiro:


Editora FGV, 2013

ENE. Apostila de Metodologia da pesquisa. São Luís, 2014

http://www.portosdobrasil.gov.br/ Acesso em: 16/05/2017

https://www.tiespecialistas.com.br/2015/03/tudo-no-seu-tempo-determinado-gerenciamento-
tempo-projeto-segundo-o-pmbok/ Acesso em: 15/05/2017

KERZNER, H. Gestão de Projetos: as melhores práticas. Trad. Marco Antonio Viana


Borges, Marcelo Klippel e Gustavo Severo de Borba. Porto Alegre: Bookman, 2002.
15

MAXIMIANO, Antônio Cesar Amaru. Administração de Projetos: como transformar ideias


em resultados. 2. ed. – São Paulo: Atlas, 2002.

PMI - PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Guia PMBOK®: Um Guia do Conjunto


de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos. 5ª. ed. Newton Square: Project
Management Institute, 2013.

Você também pode gostar