Você está na página 1de 12

22

1.5 CÁLCULO de [H3O+] e pH DE ÁCIDOS e BASES

Dado um ácido hipotético HA, de concentração Ca (mol/L) e constante Ka. A ionização


desse ácido em solução aquosa é dada pela reação abaixo, onde parte desse ácido HA
se ioniza (-X) dando os íons A- (+X) e H3O+ (+X). Assim, após esta reação ter atingido o
equilíbrio pode-se calcular a [H3O+] e o pH da solução aquosa desse ácido HA.
Reação de ionização do ácido HA em água:
HA + H2O  A- + H3O+
Início: Ca
Reage/forma: -x +x +x
Equilíbrio: Ca - x  x x

Observação: o sinal menos (-) significa consumo de reagente e o sinal mais (+) significa
formação de produto.

Onde: Ca = [HA]inicial
x = fração de Ca que se ioniza.
Logo: x é igual ao que se forma de A- e H3O+:

Então, no equilíbrio:
x = [A-] = [H3O+] (e é expressa em mol/L)
[HA] = Ca - [H3O+]

A constante de equilíbrio para a reação acima é dada por:

K = [A-] x [H3O+]_ K x [H2O] = [A-] x [H3O+]


[HA] x [H2O] [HA]
Onde:
K [H2O] = Ka = constante de ionização do ácido.
e [A-] = [H3O+], [HA] = Ca - [H3O+] (no equilíbrio)

Que substituindo na expressão da constante de equilíbrio, obtém-se a equação 4:

Ka = [H3O+]2_ (4)
Ca - [H3O+]

Que re-arranjada fornece a equação 5:

[H3O+]2 + Ka[H3O+] - KaCa = 0 5)

Onde se pode calcular [H3O+] para qualquer ácido em solução aquosa.

Exemplos de cálculo da [H3O+] para os ácidos abaixo, aplicando a equação (5).

(1) HA 0,1mol/L com Ka = 100.

Aplicando-se a equação (5), tem-se que:

[H3O+]2 + 100[H3O+] – 10 = 0

Resolvendo a equação do segundo grau obtém-se:


[H3O+] = 0,0999 mol/L ≈ 0,1 mol/L, que é ≈ igual a Ca.
23

(2) HA 0,1mol/L com Ka = 10-5

Aplicando-se a equação (5), tem-se que: [H3O+]2 + 10-5[H3O+] - 10-6 = 0


Resolvendo a equação do segundo grau obtém-se: [H3O+] = 0,001mol/L.
[H3O+] = 0,001 mol/L, que é ≈ 100 vezes menor que Ca.

1.5.1 A matemática a serviço da química (regra de aproximação)

Para evitar o uso da equação quadrática para o cálculo de [H3O+] de ácidos,


algumas aproximações matemáticas podem ser feitas, com base no conhecimento da de
Ka e de Ca, como mostrado a seguir:

1.5.1.1 Quando Ka >> 10 > Ca

Examinando o exemplo (1) no item anterior, onde Ka = 100 e Ca = 0,1 m0l/L, observa-se
que, matematicamente, a fração ionizada, [H3O+], é aproximadamente igual à
concentração inicial do ácido. Isto significa que, praticamente, o ácido foi totalmente
ionizado. Logo, ácidos com Ka >> 10 são considerados como ÁCIDOS FORTES.

[H3O+] = 0,0999 mol/L ≈ 0,1 mol/L, que é ≈ igual a Ca.

Então, observando a reação de ionização desse ácido:

HA + H2O  A- + H3O+
Início: Ca
Reage/forma: -x +x +x
Equilíbrio: Ca -x ≈ 0 x=Ca x=Ca

Logo : x = Ca = [H3O+] = [A-]

Obs. 1: Se Ca = [HA]inicial = 0,1 mol/L, e se a concentração das espécies ionizadas no


equilíbrio, [A-] = [H3O+] = 0,0999 mol/L, pode-se calcular a fração ionizada (α) e a
% de ionização (α%) desse ÁCIDO FORTE , que será:

α = [A-]/Ca = 0,0999/0,1 = 0,999 ≈ 1,0


α%= [A-]/Ca*100 = 0,0999/0,1*100 = 99,9% ≈ 100%

Obs. 2: Como a ionização é quase 100%, considera-se, para cálculo aproximado que a
ionização desse ácido é total. Ou seja, praticamente não há moléculas de HA
não ionizadas.

Resumo: Para Ka >> 10


Ca = [HA]inicial
x = fração de Ca que se ioniza.
Logo: x é igual ao que se forma de A- e H3O+:
[HA]equilíbrio ≈ 0 e pode-se dizer que o ácido HA está 100% ionizado.

Então, para ácidos Fortes utiliza-se a equação (6) para o cálculo da [H3O+]:
24

x = [A-] = [H3O+] = Ca

Ca = [H3O+] (6)

1.5.1.2 Quando Ka < 10-3 < Ca

Examinando o exemplo (2) no item anterior, onde Ka = 10-5 e Ca = 0,1 mol/L, observa-se
que Ka é pequeno , e que a [H3O+] é 100 vezes menor que Ca. Isto significa que o ácido
HA neste caso está pouco ionizado, ou seja, X é muito pequeno em relação à Ca.

[H3O+] = 0,001mol/L (cálculo aplicando a equação quadrática).

Então, aplicando a regra de aproximação matemática, em função de que a ionização


desse ácido é pequena, tem-se que:

- Se Ka é pequeno significa dizer que o ácido HA neste caso está pouco


ionizado, ou seja, X é muito pequeno em relação à Ca. Assim, despreza-se a quantidade
que ioniza de HA.

Observando-se, de novo, a reação que descreve a ionização deste ácido em água:

HA + H2O  A- + H3O+
Início: Ca
Reage/forma: -x +x +x
Equilíbrio: Ca - x  x x

Ca = [HA]inicial
x = fração de Ca que se ioniza = [A-] = [H3O+]
[HA]equilíbrio = Ca - x = Ca - [H3O+] ≈ Ca*

*Como o ácido HA está pouco ionizado, pode-se desprezar nessa diferença a fração do
ácido que se ioniza (numericamente é muito pequena perto de Ca).

Então: [HA]equilíbrio ≈ Ca

Substituindo-se na equação (4), obtém-se a equação (7):

Ka = [H3O+]2 (7)
Ca

Que re-arrajanda fornece a equação (8):

[H3O+] = (Ka x Ca)1/2 (8)

Então, aplicando-se a equação (8), tem-se: [H3O+] = (10-5 x 0,1)1/2 = (10-6)1/2


Obtém-se: [H3O+] = 0,001mol/L.

OBS: Nesse caso, tanto se aplicando a equação (4) quanto (8), o resultado numérico
obtido foi o mesmo, sendo a aproximação matemática válida.
25

Então, para ácidos com Ka < 10-3 pode-se usar a equação aproximada (8), para o
cálculo da [H3O+]. Estes ácidos são considerados ÁCIDOS FRACOS.

Obs. 1: Se Ca = [HA]inicial = 0,1 mol/L, e se a concentração das espécies ionizadas no


equilíbrio, [A-] = [H3O+] = 0,001 mol/L, pode-se calcular a fração ionizada (α) % de
ionização (α%) desse ácido fraco HA, que será:

α = [A-]/Ca = 0,001/0,1 = 0,01


α%= [A-]/Ca*100 = 0,001/0,1*100 = 1,0%

Obs. 2: Como a ionização é somente 1%, considera-se que poucas moléculas desse
ácido se ionizam. Ou seja, praticamente não houve ionização do ácido HA.

RESUMINDO, para cálculos aproximados:

(1) Ácidos com Ka>>10 são considerados ÁCIDOS FORTES, e estão


completamente ionizados em solução aquosa. Neste caso tem-se que:
[H3O+] = Ca e suas constantes de ionização NÃO SÃO TABELADAS.

(2) Ácidos com Ka < 10-3 são considerados ÁCIDOS FRACOS, são pouco ionizados
em solução aquosa. Neste caso tem-se que:
[H3O+] = (Ka x Ca)1/2 e suas CONSTANTES SÃO TABELADAS.

+
Obs. 1: Neste curso sempre serão utilizadas as equações aproximadas para o cálculo da [H3O ] de ácidos e
bases fortes e fracos.

Obs. 2: O mesmo raciocínio é aplicado para o cálculo de base em água.

Abaixo essas regras de aproximação são exemplificadas para cada ácido ou base, forte
ou fraco:

1.5.2 Cálculo de pH

1.5.2.1 ÁCIDOS FORTES

[H3O+] = Ca

Assim, para um ácido forte o cálculo de pH se dá diretamente, pela equação (2):

pH = - Log [H3O+] (2)

Então: pH = - Log [H3O+] = - Log Ca

Obs. 1: ÁCIDOS FORTES, em solução aquosa, apresentam Ka > 10 e, considera-se a ionização


completa em solução aquosa.

Obs. 2: As constantes de ionização (Ka) de ácidos fortes em água não são descritas nos livros
textos, pois todos têm a mesma força em água, ou seja, dissociam completamente.
26

Exemplo: Calcular a [H3O+] e o pH de uma solução de HCl 0,01mol/L.

Então: 0,01 moles/L de solução de HCl se dissociam totalmente em:


HCl + H2O  H3O+ + Cl-
0,01
Equilíbrio: ≈0 0,01 0,01 (moles/L)

Ca = [H3O+] = 0,01 mol/L pH = - Log [H3O+] = - Log Ca


pH = - Log 0,01
pH = 2,0

1.5.2.2 BASE FORTE

A dissociação de bases fortes também é completa (Kb >> 10)

B + H2O  BH+ + OH-


Cb
Equilíbrio: ≈0 Cb Cb (moles/L)

Por analogia ao ácido forte, a base forte BOH, se dissocia totalmente em OH-.

Assim: [HO-] = Cb

E o cálculo é feito por: pOH = - Log [OH-]

Sabendo-se que, em solução aquosa, pH + pOH = 14

Para calcular o pH pH = 14 - pOH

Obs. 1: BASES FORTES, em solução aquosa, apresentam Kb > 10 e considera-se a ionização


completa em solução aquosa.

Obs. 2. As constantes de ionização de bases fortes (Kb) em água não são descritas nos livros
textos, pois todos têm a mesma força em água, ou seja, dissociam completamente.

Exemplo: Calcular o pH de uma solução de Ca(OH)2 3,2 x 10-3 mol/L.

Como o hidróxido de cálcio é uma Base Forte está completamente ionizada em solução
aquosa. Logo, 3,2 x 10-3 moles/Litro de solução de Ca(OH)2 se dissociam segundo a
reação:

Como para cada 1mol de base forte têm-se 2 moles de –OH.

Assim: Ca(OH)2  Ca2+ + 2 OH-


Cb
Equilíbrio: ≈0 Cb 2Cb

No equilíbrio, como há dissociação completa:

[OH-] = 2 Cb = 2 x 3,2 x 10-3 mol/L


[OH-] = 6,4 x 10-3 mol/L
pOH = - Log[OH-] = - Log (6,4 x 10-3) = 2,19
pKw = pOH + pH pH = 14 - pOH = 14 - 2,19 = 11,81
27

1.5.2.3 ÁCIDO FRACO

Como já foi dito anteriormente, um ácido fraco, não sofre ionização completa (se
ioniza menos que 5%), pois sua constante é muito pequena. Isto significa que uma
pequena parte ácido se transforma em H3O+, mas a outra parte (a maior) continua na
forma inicial, isto é, não ionizada.

EXEMPLO: Calcular a [H3O+] e o pH de uma solução 0,005mol/L de CH3COOH.


Dado: Ka = 1,8 x 10-5

CH3COOH + H2O  CH3COO- + H3O+


Início Ca
Reage/forma -x +x + x
Equilíbrio: Ca - x ≈ Ca  x x

Onde: Ca = [CH3COOH] inicial


x = [CH3COOH] que se ioniza = [CH3COO-] = [H3O+] que são formados.

Logo, aplicando a equação (8) descrita anteriormente:

[H3O+] = (Ka x Ca)1/2 (8)

Completando o exemplo onde, Ca = 0,005 mol/L; Ka = 1,8 x 10-5.


Substituindo em (8): [H3O+] = 3 x 10-4 mol/L
Como pH = - log [H3O+] pH = - log (3 x 10-4) pH = 3,52

1.5.2.4 BASE FRACA

Da mesma forma que para um ácido fraco, uma base fraca não sofre ionização
completa, pois sua constante é muito pequena. Isto significa que uma pequena parte da
base se transforma em OH-, mas a outra parte (a maior) continua na forma inicial (não
ionizada).

O exemplo abaixo ilustra uma solução hidróxido de amônio (NH4OH = NH3 + H2O). Uma
parte (x) desta base se transforma em íon amônio e OH-.

Exemplo: Calcular a [H3O+] e o pH de uma solução 0,01mol/L de NH3. Kb = 1,8 x 10-5

Por analogia com ácidos fracos: Cb = [NH3] inicial


NH3 + H2O  NH4+ + OH-
Início Cb
Reage -x +x +x
Equilíbrio: Cb - x ≈ Cb  x x

Cb = [NH3]inicial
x = fração de Cb que se ioniza = [NH4+] = [HO-]
[NH3]equilíbrio = Cb - x = Cb - [NH4+] ≈ Cb*

*Como a base NH3 está pouco ionizada, pode-se desprezar nessa diferença a fração da
base que sofre ionização (numericamente é muito pequena perto de Cb).
Então: [NH3]equilíbrio ≈ Cb

Substituindo-se na constante de equilíbrio, Kb obtém-se a equação (10):


28

Kb = [HO-]2 (10)
Cb

Que re-arrajanda fornece a equação (11):

[HO-] = (Kb x Cb)1/2 (11)

Observação: Essas equações são análogas às equações (7) e (8), para ácidos fracos.

Então, aplicando-se a equação (11), para a resolução do exercício, tem-se:


[HO-] = (1,8 x10-5 x 0,01)1/2
[HO-] = 4,2 x 10-4 mol/L
pOH = 3,4
pH = 14 – pOH =14 – 3,37 = 10,6

1.5.3 As concentrações de solutos em uma dada solução em função do pH

Químicos ambientais considerando a poluição causada por fertilizantes usados na


agricultura, ou um mineralogista interessado nas rochas sedimentares, como as
formações rochosas dos lençóis freáticos, podem estar interessados nas concentrações
de cada um dos íons presentes na solução. Isto parece amedrontador, no entanto, uma
abordagem científica a aprender não só para química, mas para todas as disciplinas
científicas – é encontrar caminhos para simplificar os cálculos.

Como é comum na construção de um modelo científico, utiliza-se o conhecimento sobre


o assunto para visualizar a solução em nível molecular. Esse processo ajuda a estimar
as concentrações relativas de cada espécie e aponta para termos que podem ser
desprezados, em função de regra geral de que as concentrações das espécies
presentes em grande quantidade não são significativamente afetadas pelas
concentrações das espécies presentes em pequena quantidade, especialmente se as
diferenças são grandes.

Às vezes é importante saber como as concentrações dos íons presentes em uma


solução de um ácido variam em função do pH. Essa informação é particularmente
importante no estudo de águas naturais, tais como as dos rios e dos lagos. Por exemplo,
ao examinar o ácido carbônico, H2CO3 na água da chuva. Então em pH baixo, espera-se
que a espécie totalmente protonada (H2CO3) predomine. Em pH alto, espera-se que a
espécie completamente desprotonada (CO3=) seja dominante e em pH intermediário,
espera-se que a espécie intermediária (HCO3-) predomine. Pode-se verificar estas
expectativas quantitativamente.

Para tornar fácil o desenvolvimento do raciocínio vai-se usar como exemplo uma
solução aquosa de um ácido monoprótico, CH3COOH.

A regra geral é:
As concentrações de todas as espécies em uma solução de um ácido monoprótico
podem ser calculadas considerando que as espécies presentes em pequenas
quantidades não afetam as concentrações das espécies presentes em grandes
quantidades.
29

Exemplo:
Tem-se a seguinte reação em equilíbrio:

CH3COOH + H2O  CH3COO- + H3O+

Com sua respectiva constante de ionização:

Ka = [CH3COO-] x [H3O+]/[CH3COOH]

As espécies presentes são: CH3COOH e CH3COO-

Pode-se expressar a composição de cada espécie em solução em termos de fração


molar, α, de cada espécie. Assim, para este equilíbrio tem-se:

αCH3COOH e αCH3COO-, também chamados de α0 e α1, respectivamente, e sabendo-se que:

Ca = [CH3COOH] + [CH3COO-], se pode escrever que:

α0 = [CH3COOH] = [CH3COOH]
Ca [CH3COOH] + [CH3COO-]
e
α1 = [CH3COO-] = [CH3COO-]
Ca [CH3COOH] + [CH3COO-]

Dividindo α0 e α1 por [CH3COO-], tem-se:

α0 = [CH3COOH]/ [CH3COO-]
[CH3COOH]/ [CH3COO-] + [CH3COO-]/[CH3COO-]

α1 = [CH3COO-]/ [CH3COO-]
[CH3COOH]/ [CH3COO-] + [CH3COO-]/[CH3COO-]

E sabendo-se pela constante de ionização que:

[CH3COOH]/[CH3COO-] = [H3O+]/Ka

Substituindo na expressão de α0 e α1 e fazendo algumas operações matemáticas, tem-


se:

α0 = [H3O+]/Ka = [H3O+]/Ka = [H3O+] x Ka/Ka = [H3O+]


[H3O+] + 1 [H3O+] + Ka [H3O+] + Ka [H3O+] + Ka
Ka Ka

α1 = 1 = 1 = Ka
[H3O+] + 1 [H3O+] + Ka [H3O+] + Ka
Ka Ka

Observação: Em função do pH, com α0 e α1 pode-se predizer a composição de uma


solução de em qualquer pH. Basta conhecer a concentração molar, Ca, do CH3COOH.

Exemplo: Em uma solução de ácido acético 0,1 mol/L, predizer a composição das
espécies CH3COOH e CH3COO- em: pH 1, pH 5 e pH 12.
Dado: Ka (CH3COOH) = 1,0 x 10-5
30

Resolução:

- Em pH 1: [H3O+] = 10–pH = 10–1 = 0,1 mol/L


α0 = [H3O ]/[H3O+] + Ka = 0,1/0,1 +0,00001 = 0,1/0,10001 = 0,99999
+

α1 = Ka/[H3O+] + Ka = 0,00001/0,1 +0,00001 = 0,00001/0,10001 = 0,00001


Como:
[CH3COOH] = α0 x Ca = 0,99999 x 0,1 = 0,099999 mol/L ≈ 0,1 mol/L
[CH3COO-] = α1 x Ca = 0,00001 x 0,1 = 0,000001 mol/L

Obs: Nesse pH, considerar que todo [CH3COOH] = Ca.

- Em pH 5: [H3O+] = 10–pH = 10–5 mol/L


α0=[H3O+]/[H3O+]+Ka = 0,00001/0,00001 +0,00001 = 0,00001/0,00002 = 0,5
α1 = Ka/[H3O+] + Ka = 0,00001/0,00001 +0,00001 = 0,00001/0,00002 = 0,5

Como:
[CH3COOH] = α0 x Ca = 0,5 x 0,1 = 0,05 mol/L
[CH3COO-] = α1 x Ca = 0,5 x 0,1 = 0,05 mol/L

Obs: Nesse pH, considerar que todo [CH3COOH] = [CH3COO-] e tem-se uma
situação importante, que será estudada em solução tampão.

- Em pH 12: [H3O+] = 10–12 = 10–12 mol/L


α0 = [H3O+]/[H3O+] + Ka = 10–12/10–12+0,00001 = 10–12/0,00001 ≈ 0,0
α1 = Ka/[H3O+] + Ka = 0,00001/10–12+0,00001 = 0,00001/0,10001 ≈ 1,0

Como:
[CH3COOH] = α0 x Ca = 0,99999 x 0,0 ≈ 0,0
[CH3COO-] = α1 x Ca = 1, x 0,1 = 0,1 mol/L.
-
Obs: Nesse pH, considerar que todo [CH3COO ] = Ca, ou seja, o ácido está todo desprotonado.

Pode-se concluir então que, em pH < pka, a forma protonada é a espécie


predominante, enquanto que em pH > pKa a forma predominante é a desprotonada,
como esperado pela regra geral.

Os valores alfa são razões, sem unidade, na qual a soma é sempre igual a 1,0.

α0 + α1 = 1,0

Os valores alfa são determinados pela [H3O+] e Ka do ácido fraco somente.

Os valores alfa de todas as espécies do ácido acético em função do pH podem ser


plotados em função da variação de pH, como mostrado na Figura 1. Na Figura 1 pode
ser observado que espécies são predominantes em função do pH.

A Figura 1 mostra claramente as mudanças de concentração de cada espécie em


função da mudança de pH.
31

1 ,0 α0
α1
0 ,8

0 ,6
α

0 ,4

0 ,2

0 ,0

0 2 4 6 8 10 12 14
pH

Figura 1 – Distribuição das espécies presentes em uma solução de ácido acético em


função do pH. Considerado que pKa = 5,0.

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

Obs: Atenção para os exercícios (3) e (4), que são resolvidos de forma diferente,
não seguem a regra geral para o cálculo aproximado de pH.

1) Determinar o pH das soluções abaixo:

a) Ácido acético 0,1 mol/L (CH3COOH – Ka = 1,8 x 10-5)

Resolução: [H3O+] = (Ka x Ca)1/2 = (1,8 x 10-5 x 0,1) 1/2 = 1,34 x 10 - 3 mol/L
pH = - Log [H3O+] = - Log (1,34 x 10 - 3) → pH = 2,87

b) Ácido clorídrico 0,1 mol/L (Fórmula do ácido clorídrico: HCl - ácido forte - Ka>10)

Resolução: [H3O+] = Ca = 0,1mol/L


pH = - Log [H3O+] = - Log Ca = - Log 0,1 pH = 1,0

c) Ca(OH)2 0,1 mol/L

Resolução: Cb = 0,1 mol/L ; [OH-] = 2 Cb ; [OH-] = 0,2 mol/L


pOH = - Log 0,2 = 0,70
pH = 14 - pOH = 13,30

d) NH3 (Kb = 1,8 x 10-5) 0,02 mol/L

Resolução: [OH-] = (Kb x Cb)1/2 = (1,8 x 10 -5 x 0,02)1/2 = (3,6 x 10-7)1/2


[OH-] = 6,0 x 10-4 mol/L
pOH = - Log 6,0 x 10-4
pOH = 3,22; pH = 10,78

2) Calcule a concentração molar (Ca) das soluções abaixo:

a) HCl, cujo pH = 3,00


Resolução: pH = 3,00 ; pH = - Log [H3O+] ; Log [H3O+] = - 3 ; [H3O+] = 10 -3 mol/L
32

[H3O+] = 0,001 mol/L . Para um ácido forte [H3O+] = [HCl] = Ca; Ca = 0,001 mol/L

b) CH3COOH (Ka = 1,8 x 10-5), cujo pH = 3,00

Resolução: pH = 3,0 ; pH = - Log [H3O+] ; Log [H3O+] = - 3 H3O+] = 10 -3 mol/L


Sabe-se que para um ácido fraco [H3O+] = (Ka x Ca)1/2 , logo:

Ca = [H3O+]2 ; Ca = (10 -3)2 = 0,056 mol/L ; Ca = 0,056 mol/L


Ka 1,8 x 10-5

c) NaOH, cujo pH = 12,00.

Resolução: pH = 12,0; pOH = 2,0; pOH = -Log [OH-]; Log[OH-] = - 2,0 ; [OH-]= 10-2 mol/L

Se para uma base forte mono-hidroxilada: [OH-] = Cb = 10-2 mol/L = 0,01 mol/L

d) Ca(OH)2 cujo pH = 13,30.

Resolução: pH = 13,30 ; pOH = 0,70 ; pOH = - Log [OH-];


Log [OH-] = - 0,70 ; [OH-]= 10-0,7 = 0,2 mol/L

Se para uma base forte di-hidroxilada: [OH-] = 2 Cb; Cb = [HO-]/2 Cb = 0,1 mol/L

e) BOH (Kb = 8,0 x 10-4 ) cujo pH = 12,00.

Resolução: pH = 12,00 ; pOH = 2,00 ;


pOH = - Log [OH-] ; Log [OH-] = - 2,0 [OH-]= 10-2 mol/L

Se para uma base fraca [OH-] = (Kb x Cb)1/2 ; Cb = [OH-]2


Kb
Cb = (10 -2)2 = 0,125 mol/L ; Cb = 0,125 mol/L
8,0 x 10-4

3) Calcular o pH de uma solução de HCl 5,0 x 10-8 mol/L.

Neste caso não se pode simplesmente calcular que:


pH = - Log [H3O+] = 5,0 x 10-8 = 7,30, pois a solução é ácida.

Neste caso, deve-se considerar tanto a ionização do HCl quanto da água.

Portanto, têm-se dois equilíbrios ácido-base, em que a [H3O+] é importante para o


cálculo do pH.

Reações: HCl + H2O  H3O+ + Cl-


H2O + H2O  H3O+ + HO- Kw = [H3O+] x [HO-]
+ - -
Assim: [H3O ] = [Cl ]HCl + [HO ]H2O (condição de neutralidade da solução)
[H3O+] = 5,0 x 10-8 + Kw/[H3O+]

Que é uma equação do segundo grau, que após resolução (só interessa a raiz positiva),
obtendo-se:
[H3O+] = 1,28 x 10-7 mol/L
pH = - Log [H3O+] = 6,89.
4) Estimar o pH de uma solução de H2SO4 0,01 mol/L (Ka1 > 103 e Ka2 = 1,2 x 10-2).
33

Tem-se um ácido diprótico, forte, em que a primeira ionização é completa. A reação é:

H2SO4 + H2O  HSO4- + H3O+

Tem-se, da primeira ionização: [H3O+] = [HSO4-] = 0,01 mol/L

HSO4- + H2O  SO4= + H3O+


Primeira ionização 0,01 0,01
Segunda ionização -x +x +x
Equilíbrio 0,01 – x x 0,01 + x

Substituindo na segunda constante de ionização, Ka2 = 0,012:

Ka2 = [SO4=] x [H3O+]/[HSO4-] = (0,01 + x) . x/(0,01 –x)

Que re-arranjada: x2 + 0,022x – 1,2.10-4 = 0


Resolvendo a equação do 2o. grau, tem-se:
x = [H3O+] = 1,4. 10-2 mol/L
pH = [H3O+] = 1,4. 10-2 = 1,9