Você está na página 1de 12

CAP 1.

TEMPERATURA
Antonio Eduardo Assis Amorim
FATEC-JAHU
aea.amorim@fatec.sp.gov.br
RESUMO
As leis da mecânica aplicam-se tanto a objetos macroscópicos como microscópicos. Um gás contido em
um recipiente contém uma quantidade considerável de partículas, de forma que aplicar as leis de Newton para
cada uma das partículas se torna inviável, uma vez que há várias colisões ocorrendo em intervalos de tempos
muito pequenos. As partículas de gás se movem de forma desordenada, colidindo entre elas e com a parede do
recipiente. Por outro lado, poderia se escolher um sólido que eliminaria o problema de colisão. Contudo, por
razões históricas, o homem percebeu que variar a temperatura modificava as dimensões do objeto e isto o levou
a desenvolver aparelhos para medir a temperatura. Isto mostra porque a maioria dos livros tratam inicialmente
em definir temperatura. Em geral, os livros tratam de apresentar as escalas de temperatura mais conhecidas.
Aqui mostramos as escalas de temperaturas e como trabalhar com elas usando o SMath Studio e como efetuar
a conversão entre elas. Mostramos como a temperatura pode ser medida usando o Arduino e os sensores de
temperatura.

Palavras-chave: SI; CGS; Kelvin; Celsius; Fahrenheit; Rankine; Réaumur; Conversão de unidades;
Termômetro; Lei zero da Termodinâmica.

1.1. INTRODUÇÃO

Pode-se dizer que na antiguidade, a noção de quente e frio era corriqueiro. Colocar a
mão no gelo, a sensação é de frio. Colocar a mão na fogueira, a sensação é de quente.
Contudo, só o conceito qualitativo não é suficiente para se fazer ciência. Uma medida precisa
de número. Considere que a mão esteja imersa em um recipiente com água e gelo. Ao tirar a
mão desta vasilha e colocar a mão em um recipiente com água, a pessoa irá dizer que esta
água é quente. Por outro lado, a pessoa que estava com a mão imersa em uma vasilha com
água bem quente, ao retirar a mão e colocar a mão no recipiente com água, irá dizer quie a
água é fria. Portanto, quente e frio são conceitos relativos. É preciso criar um novo conceito
que quantifique esta grandeza que será chamada de temperatura. Por meio dela, é possível
verificar se um material é quente ou frio.
2

Sabe-se que ao aquecer um sólido ou líquido, este dilata, se expande. Desta forma
pode-se usar estas propriedades para desenvolver um aparelho que permita a temperatura
do objeto. Um termoscópio é um dispositivo que sinaliza estas variações.
Considerando que ao colocar o termoscópio perto de algum objeto, o aparelho irá
indicar alguma coisa, pode-se presumir que todo objeto está em um estado térmico, ou seja,
tem uma temperatura.

1.2. LEI ZERO DA TERMODINÂMICA

Considere dois corpos A e B, por exemplo um deles quente e outro frio. No evento
inicial os dois objetos são postos em contato. À medida que o tempo passa, observa-se que o
objeto quente começa a esfriar enquanto o objeto frio começa a esquentar. Há uma troca de
calor entre os objetos. O objeto quente perde calor e o objeto frio recebe calor. Inicialmente
se observa esta troca de calor. Após um certo tempo, a troca de calor cessa entre os corpos,
ou seja, os dois corpos entraram em equilíbrio térmico pois os estados térmicos dos corpos
não se altera mais. Em outras palavras os dois corpos têm a mesma temperatura.
Figura 1. Dois objetos que têm a mesma temperatura estão no mesmo estado
térmico (JEARL WALKER, 2007a).

Este lei pode ser aplicada para a construção do termômetro, ou no uso do termoscópio.
Para medir o estado térmico de uma substância é preciso encostar o aparelho na substância
e aguardar ambos entrarem em equilíbrio térmico. Desta forma pode-se dizer que o estado
térmico do aparelho é o mesmo da substância. Esta é a razão pela qual se deve aguardar
alguns segundos quando se coloca o termômetro para medir a temperatura da pessoa. Este
tempo é necessário para que tanto o termômetro como o corpo da pessoa entrem em
equilíbrio térmico.
Ao adicionar uma escala de medida no termoscópio, tem-se o termômetro, ou seja,
um aparelho que mede o estado térmico dos objetos, ou numa linguagem coloquial, a
temperatura da substância.
3

Portanto, a lei zero da termodinâmica pode ser dita na seguinte forma:

Todo corpo possui uma propriedade chamada temperatura. Dois corpos A e B com
temperaturas distintas, quando são postos em contato, estarão em equilíbrio térmico quando
as suas temperaturas forem iguais.

1.3. TERMÔMETRO

Para se medir o estado térmico da substância é preciso que o termoscópio tenha uma
escala de leitura, ou seja, números.
Um formato simples para o termômetro, é um bulbo contendo líquido preso a um
tubo, cujo diâmetro interno é estreito. Ao aquecer o bulbo, o líquido se expande e sobe pelo
tubo até atingir o equilíbrio térmico. Ao se inserir uma escala com marcas, pode-se então
atribuir um valor, como é visto na Figura 2.
Alguns termômetro usam o mercúrio como líquido. Outros podem usar o óleo ou o
álcool. Cabe destacar que, como cada líquido se expande de forma diferente, vão surgir
pequenos erros de leituras.
Para calibrar os termômetros são necessários dois estados térmicos. Historicamente
Celsius usou uma mistura de água e gelo e quando começa a ferver. Atribuiu-se dois valores 0
quando congela e 100 quando ferve. A escala é dividida em 100 partes iguais. A unidade
empregada é °C.

Figura 2. Termômetro com bulbo. A escala é demarcada pelos pontos pretos ao longo
do tubo.
4

Outro tipo de termômetro com grande aplicação médica usa o mesmo método acima
descrito. O único detalhe é que numa das extremidades do tubo há uma redução considerável
do seu diâmetro de forma a reter o líquido que se expandiu. Desta forma o tubo preserva a
quantidade de líquido que expandiu.

Figura 3. Termômetro clínico.

Outro tipo de termômetro, com aplicações industriais usa a propriedade de expandir,


quando o metal é aquecido. Tal processo permite construir um termômetro como é visto na
Figura 4.

Figura 4. Termômetro com aplicação industrial. No termômetro à direita o


aquecimento dilata o filamento metálico no seu interior e faz com que o ponteiro gire. No da
esquerda, o aquecimento do fluido impulsiona uma estrutura mecânica e faz com que o
ponteiro gire.

Há dispositivos na qual a variação de temperatura produz variação do sinal elétrico.


5

Figura 5. Termômetros que geram um sinal elétrico de saída.

Outro tipo de escala conhecida é o grau Fahrenheit, representado por °F. Neste caso,
adotou-se como 32 o ponto de congelamento da água e 212 o ponto de ebulição da água. A
escala foi dividida em 180 partes iguais.
Considere um gráfico na qual no eixo x se coloca a faixa de temperatura em °C e no
eixo y, a faixa de temperatura em °F, como mostrado na Figura 6.

Figura 6. Gráfico de relação entre as temperaturas Celsius e Fahrenheit.

Neste gráfico são identificados 2 triângulos: △ ABE e △ ACD. A base do triângulo maior
mede 100 °C. A base do triângulo menor mede T(°F)-32. A altura do triângulo maior mede 212-
32=180°F enquanto a altura do triãngulo menor mede T(°F)-32. Por semelhança de triângulos,
tem-se
𝑇(°𝐶) 𝑇(°𝐹) − 32
= . (1.1)
100 180
6

Observe que a conversão entre as duas unidades é feita considerando que as escalas
são lineares. A inserção das unidades no SMath Studio é feita colocando o valor e a unidade,
selecionando no grupo da temperatura. Estas duas escalas podem ter valores positivos e
negativos.
Um outro tipo de termômetro usa a pressão como medida. Neste caso são utilizados
gases. O arranjo do aparato é mostrado na Figura 7. No interior do bulbo é colocado um gás e
no lado direito se encontra um tubo em U contendo mercúrio. Ao aquecer o bulbo, a pressão
do gás aumenta, e a sua medida é feita medindo o desnível entre as superfícies do mercúrio,
𝑝 = 𝑝0 + 𝜌𝑔ℎ, (1.2)
na qual 𝑝0 é a pressão atmosférica, 𝜌 é a densidade do mercúrio e h o desnível.

Figura 7. Termômetro à gás (NUSSENZVEIG, 2014).

Sejam 𝑝0𝑣 a pressão do gás quando imerso na água a 0°C e 𝑝0𝑔 a pressão do gás quando
imerso na água a 100 °C. Suponha que as medidas são repetidas mudando a massa do gás e
mantendo o seu volume constante. As pressões medidas serão diferentes e menores. Se um
𝑝
gráfico da razão 𝑝𝑣 , a mostra o resultado esperado.
𝑔

Figura 8. Resultado para diferentes gases (NUSSENZVEIG, 2014).


7

Extrapolando a reta, observa-se que todos os gases cruzam no eixo y no valor


𝑝𝑣
= 1,3661.
𝑝𝑔
Este limite, quando 𝑝𝑔 → 0, define a razão das temperaturas absolutas do vapor e do
gelo. Se na escala Kelvin for definido um intervalo de 100 unidades, então
𝑇𝑣 − 𝑇𝑔 = (1,3661 − 1)𝑇𝑔 = 0,3661𝑇𝑔 = 100.
Portanto,
100
𝑇𝑔 = ≈ 273,15𝐾.
0,3661
O padrão de temperatura no SI é o kelvin, cuja unidade é K. A sua dimensão é 𝜃. Para
definir um padrão internacional de temperatura, o procedimento precisa ser reprodutível. Por
convenção foi adotado o ponto triplo da água, na qual coexistem os três estados da matéria.
O ensaio para obter este ponto é mostrado na Figura 9. Atribuiu-se o valor de 273,16 K para
este valor.
Figura 9. Dispositivo empregado para a definição do ponto triplo da água (JEARL
WALKER, 2007a)(JEARL WALKER, 2007b).

A relação entre a temperatura em kelvin e em graus Celsius é


Tk = TC + 273,15. (1.3)

Há uma outra unidade de temperatura, pouco usual chamada Rankine. A conversão de


Fahrenheit para Rankine é
𝑇𝑅𝐴 = 𝑇𝐹 + 459,67. (1.4)

Outra unidade pouco conhecida é a Réaumur, cuja relação com o kelvin é


TRe = 0,8(TK − 273,15). (1.5)
8

Todas estas unidades podem ser inseridas no Smath Studio. Basta inserir a variável:=
valor seguido da unidade de temperatura que pode ser acessada no SMath Studio.

1.4. CALIBRAÇÃO DO TERMÔMETRO

Periodicamente, aparelhos precisam ser calibrados e isto pode ser feito com o
termômetro. Considere que em uma mistura de água e gelo o termômetro marca 0,5°C e que
na água fervente marca 99,5°C. Coloque no eixo x as temperaturas de referência 0 e 100. No
eixo y coloque as temperaturas do aparelho, no caso, 0,5 °C e 99,5°C. Se a temperatura do
padrão é Tp, no aparelho marca T. Neste caso, como as escalas são lineares, por semelhança
de triângulo, segue a relação,
100
𝑇= (𝑇 − 0,5). (1.6)
99 𝑇

1.5. ARDUINO

Para a medida da temperatura, pode-se usar os sensores DHT11, DHT22 ou mesmo o


DS18B20. Tanto o DHT11 como o DHT22 usam uma porta analógica para a medida, como é
visto na Figura 10.
Figura 10. Sensor de temperatura bastante usado no Arduino.

O código para a leitura da temperatura é mostrado no Anexo 1. Outro sensor é o


DS18B20 que usa a porta digital. A Figura 11 mostra a conexão deste sensor com o Arduino.
Figura 11. Conexão do sensor DS18B20 na porta digital do Arduino.
9

No anexo 2 segue o código para o Arduino para efetuar leitura da temperatura.

1.6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O conceito rudimentar que as pessoas têm de calor ou frio gera conceitos equivocados.
Como ciência, a construção do conceito sobre temperatura requer a definição de um
procedimento de medida que gere um número. As alterações que ocorrem sobre a matéria
podem ser utilizadas para medir a temperatura.
Quando um objeto é aquecido, a matéria se expande e gases aumentam a pressão.
Tais efeitos estão relacionados com a temperatura. Aparelhos que mostram apenas estes
efeitos quando são chamados de termoscópios. Se uma escala de temperatura for adicionada
ao aparelho, este recebe o nome de termômetro.
Um sistema é entendido como uma região abstrata na qual se quer estudar. Todo
sistema tem uma temperatura. Assim, diz-se que o sistema está em um estado térmico.
Para se medir a temperatura de um objeto, é preciso aguardar um certo tempo até
atingir equilíbrio térmico. Assim, a lei zero da termodinâmica informa que dois objetos estão
em equilíbrio térmico quando estão na mesma temperatura.
A unidade de temperatura no Sistema Internacional de Unidades é kelvin (K). Existem
outras unidades de temperatura, tais como o Celsius (°C), Fahrenheit (°F), Rankine (°Raudio)
e Réaumur (°Re). Por meio do aplicativo Smath Studio a mudança de unidade é bem simples.

REFERÊNCIAS
JEARL WALKER. Fundamentals of Physics Halliday & resnick 10ed. [S. l.: s. n.], 2007a.
JEARL WALKER. Fundamentals of Physics Halliday & resnick 10ed. [S. l.: s. n.], 2007b.
NUSSENZVEIG, H. M. Curso de Física Básica: fluidos, oscilações e ondas e calor. 5aed.
[S. l.]: Editora Blucher, 2014.
10

Anexo 1
//Programa : Sensor de umidade e temperatura DHT11
#include <dht.h>
#define dht_dpin A1 //Pino DATA do Sensor ligado na porta Analogica A1
dht DHT; //Inicializa o sensor
void setup()
{
Serial.begin(9600);
delay(1000);//Aguarda 1 seg antes de acessar as informações do sensor
}

void loop()
{
DHT.read11(dht_dpin); //Lê as informações do sensor
Serial.print("Umidade = ");
Serial.print(DHT.humidity);
Serial.print(" % ");
Serial.print("Temperatura = ");
Serial.print(DHT.temperature);
Serial.println(" Celsius ");

//Não diminuir o valor abaixo. O ideal é a leitura a cada 2 segundos


delay(2000);
}
11

Anexo 2
#include <OneWire.h>
#include <DallasTemperature.h>

OneWire pino(3);
DallasTemperature barramento(&pino);
DeviceAddress sensor;

void setup(void)
{
Serial.begin(9600);
barramento.begin();
barramento.getAddress(sensor, 0);
}

void loop()
{
barramento.requestTemperatures();
float temperatura = barramento.getTempC(sensor);
Serial.print(temperatura);
delay(500);
}
12

1.7. PROBLEMAS

As tarefas estão organizadas por dificuldade * mais simples e **** mais difíceis.

Problema 1. * Se um termômetro marca 80 °C, qual a sua temperatura em °F ?


Resp: 176°F
Problema 2. * Se um termômetro marca 80 °F, qual a sua temperatura em °C ?
Resp: 26,667 °C.
Problema 3. * Qual o valor da temperatura em que T(Re)=T(K) ?
Resp: -1092.6 K.
Problema 4. * Qual o valor da temperatura na qual T(°C)=2 T(°F) ?
Resp: -24.615 °C
Problema 5. * Qual o valor da temperatura na qual T(°F)=2 T(°C) ?
Resp: 160 °C.
Problema 6. * Em 1964, a temperatura na aldeia de Oymyakon, na Sibéria, chegou a
-71°C. Qual é o valor dessa temperatura em graus Fahrenheit?
Resp: 159,8 °F.
Problema 7. A temperatura mais alta registrada oficialmente nos Estados Unidos foi
1348°F, no Vale da Morte, Califórnia. Qual é o valor dessa temperatura em graus Celsius?
Resp: 731.11 °C.
Problema 8. Para qual temperatura o valor em graus Fahrenheit é igual a três vezes
o valor em graus Celsius?
Resp: 26,667 °C.
Problema 9. Para qual temperatura o valor em graus Rankine é igual à temperatura
em graus Celsius?
Resp: -614.5875 °C.
Problema 10. Em uma escala linear de temperatura X, a água congela a -125,0°X e
evapora a 375,0 °X. Em uma escala linear de temperatura Y, a água congela a -70,00°Y e
evapora a 230,00°Y. Uma temperatura de 50,00°Y corresponde a que temperatura na
escala X?
Resp: 75°X

Você também pode gostar