Você está na página 1de 1

A FIGURA FEMININA DE DEUS

Muitas vezes, Jesus falou de Deus ou do Reino de Deus, recorrendo a figuras tipicamente
masculinas. Essa era a forma mais comum, pois naquele tempo, os homens eram a referência
cultural mais habitual. A novidade, foi que Jesus também usou figuras femininas para ilustrar
como Deus era e como ele agia. Antes dele, o profeta Isaías, entre outros, já tinha feito uso
deste recurso.

Sião dizia: “Iahweh me abandonou; o Senhor se esqueceu de mim”.


Por acaso, uma mulher se esquecerá da sua criancinha de peito? Não se
compadecerá ela do filho do seu ventre? Ainda que as mulheres se
esquecessem, eu, contudo, não me esqueceria de ti. (Is 49,14-15)

Em Deuteronômio 32:18, Moisés repreende Israel, dizendo:

Abandonaste a Rocha que te gerou; e te esqueceste do Deus que te


deu o nascimento.

Depois da parábola da ovelha perdida (Lc 15,3-7), Jesus narrou outra parábola, a da moeda
perdida (Lc 15,8-10). Neste caso, a protagonista é uma mulher pobre, que perdeu uma das dez
moedas que tinha e, ante o seu infortúnio, acende uma lâmpada, varre a casa e, com muita
ansiedade, procura cuidadosamente até a encontrar. É assim que se faz quando a pobreza é
muita.

Quando ela encontra a sua moeda, reúne suas amigas e vizinhas, para lhes contar a boa
notícia. A propósito, nesta parábola, só aparecem personagens femininas: a dona das moedas,
as amigas e vizinhas. Não se faz menção de um só homem. Estes, aliás, já tinham estado na
parábola anterior, a do pastor e sua ovelha perdida.

Assim Jesus falou sobre Deus: algumas vezes como homem e outras como mulher. Afinal, de
Deus só pode se falar por meio da linguagem figurada. Deus é Deus! Nem é mulher nem é
homem; nem idoso nem criança; nem rico nem pobre. É, transcendentalmente, Deus!

Nesta parábola, Jesus teve a liberdade de apresentar Deus como uma mulher pobre, mas
perseverante e alegre, rodeada de amigas e vizinhas, que se alegraram com ela por uma
simples moeda que tinha sido perdida, mas encontrada. É o feliz e comovente rosto feminino
de Deus.

Seu coração é imenso como as ondas, e sua alma abençoada como o salgado do mar.
Gratidão Deus