Você está na página 1de 7

Universidade Federal do Rio Grande

Escola de Engenharia
Disciplina de Mecânica das Vibrações
Prof. Humberto Camargo Piccoli

Vibrações Torcionais

Denner Samuel Engster – 84615

Rio Grande, 22 de novembro.


1. Introdução
Segundo Silva (2010) a vibração pode ser definida como um movimento
periódico, i.e., uma oscilação de uma partícula, um sistema de partículas ou um
corpo rígido em torno de uma posição de equilíbrio. Para o estudo dessas
vibrações são utilizados modelos matemáticos desenvolvidos com o objetivo de
auxiliar no seu entendimento e facilitar sua aplicação na engenharia. O presente
trabalho busca apresentar os conhecimentos adquiridos nas aulas de Vibrações
Mecânicas, focando a análise nas vibrações torcionais e suas aplicações.
Inicialmente serão abordados modelos teóricos normalmente utilizados nesse tipo
de estudo seguindo com uma análise mais profunda de situações no contexto da
engenharia mecânica além de um exemplo de aplicação de vibrações torcionais
para a mesma área.

2. Vibrações Torcionais

2.1 Definição
Segundo Silva (2010) vibração torcional é entendida como a oscilação de um
corpo em relação a um eixo de referência. O movimento é descrito por uma
coordenada angular e os esforços atuantes se apresentam na forma de momentos.
Desta forma o elemento elástico apresenta um momento de restauração, resultante
da torção deste mesmo elemento.

2.2 Abordagem Teórica


Para entendermos o contexto das vibrações torcionais usaremos um
exemplo teórico onde será usado um sistema composto de uma haste cilíndrica
sólida engastada, de comprimento l, diâmetro da seção transversal d e rigidez 𝑘𝑡 ,
junto a um disco de diâmetro D, espessura h e momento de inércia de massa J0,
como mostra a figura 1 (a). Na figura 1(b) também é apresentado o diagrama de
corpo livre do disco.
Figura 1 - Vibração torcional de um disco (Rao 2008)

A Figura 1(a) indica que o disco está submetido a uma torção θ. O ângulo
de torção em eixos circulares é dado pela fórmula:

𝑀𝑡 𝑙
𝜃=
𝐽𝐺

Onde, G é o módulo de elasticidade transversal, 𝑀𝑡 é o momento que gera


o deslocamento angular θ e J é o momento de inércia polar da seção transversal
do eixo que é dado por:

𝜋𝑑 4
𝐽=
32

Nos casos onde a seção transversal não for cilíndrica é utilizado seu
respectivo momento de inércia. A rigidez da barra cilíndrica se dá analogamente
à equação da rigidez de molas translacionais 𝐹 = 𝑘𝑥 (Segunda Lei de Newton),
visto que o eixo produzirá um momento quando o disco rotacionar uma distância
θ:

𝑘𝑡 = 𝑀𝑡 𝜃 = 𝐺𝐽 𝑙
Considerando o diagrama de corpo livre do disco mostrado na figura 1 (b),
a equação do movimento do disco pode ser derivada, encontrando:

𝐽0 𝜃̈ + 𝑘𝑡 𝜃 = 0

Onde o momento de inércia de massa é obtido a partir de:

𝑀𝐷2
𝐽0 =
28

Uma vez que m é a massa total do disco.

A vibração livre, gerada por uma condição inicial, é regida por uma
equação resultante da aplicação do segundo axioma da mecânica ao movimento
angular, em que os esforços atuantes estão mostrados no diagrama de corpo livre
da figura.

De forma análoga, em relação às equações de mola de movimento linear,


pode-se deduzir a frequência natural e a equação geral do movimento:

𝑘𝑡
𝜔𝑛 = √
𝐽0

𝜃(𝑡) = 𝐴1 cos 𝜔𝑛 𝑡 + 𝐴2 sen 𝜔𝑛 𝑡

Aplicando as condições iniciais:

𝜃 (0) = 𝜃0

𝑑𝜃
(0) = 𝜔0
𝑑𝑡

A equação se transforma em:

𝜔0
𝜃 (𝑡) = 𝜃0 cos(𝜔𝑛 𝑡) + 𝑠𝑒𝑛(𝜔𝑛 𝑡)
𝜔𝑛

2.3 Exemplo de exercício com aplicação dos conceitos


Qualquer corpo rígido pivotado em um ponto que não seja o seu centro
de gravidade oscilará em torno do ponto de pivotamento, quando deslocado de
sua condição de equilíbrio estático, em virtude da força gravitacional. Este tipo
de sistema (Figura 2) é conhecido como pêndulo composto. Determinar a sua
frequência natural.

Figura 2 - Vibração de um motor com amortecimento de Coulomb (Rao 2008)

2.3.1 Solução

O Segundo axioma da mecânica aplicado ao movimento em relação ao


ponto de pivotamento resulta em:

que pode ser linearizada com senθ ≅ θ, assumindo-se pequenas oscilações,


resultando em:

que é uma oscilação com frequência natural igual a:

Como a frequência natural do pêndulo simples é dada por:

é possível se estabelecer um pêndulo simples equivalente ao pêndulo composto


(com a mesma frequência natural) que deverá ter um comprimento igual a:

Se I0 = m(k0)2, onde k0 é o raio de giração em relação ao pivô O, a frequência


natural e o comprimento do pêndulo simples equivalente são dados por:
3. Aplicação Prática

Os conceitos de vibrações torcionais podem ser amplamente utilizados para


análises em sistemas de transmissão de potência. Para o presente trabalho usaremos
como exemplo um ventilador utilizado na lavagem de gases de uma indústria química.

Este ventilador funciona com um motor elétrico, sistema de transmissão de


potência com correias e um eixo bi apoiado por mancais. No eixo temos um rotor, que
é responsável por movimentar os gases presentes na tubulação.

O ambiente no qual opera esse ventilador é bastante agressivo, este ambiente


agressivo acaba desgastando as pás do rotor pelo fenômeno da erosão, onde partículas
duras presente no fluido de trabalho se impactam com o rotor causando a perda de
material nas pás.

Essa perda de material faz com que cada pá do rotor tenha um peso diferente,
deixando-o desbalanceado e então causando vibrações torcionais no eixo. Esse
desbalanceamento pode acarretar em problemas sérios no equipamento, podendo
condenar mancais e eixo se não for detectado com eficácia.

Para contornar o problema são feitas análises periódicas de vibração e caso algum
desvio seja detectado a pá do rotor é inspecionada e caso haja falta de material são
soldadas chapas onde houve erosão para que ele volte ao estado de equilíbrio.

4. Conclusão

O campo de aplicação das vibrações torcionais dentro do contexto da engenharia


mecânica é bastante vasto, levando em consideração que esse evento pode acontecer
em quase todas as formas de transmissão de potência e/ou movimento e no presente
trabalho foi apresentada uma parte desse todo como exercício de fixação do conteúdo.

Além disso o trabalho também teve como resultado promover o entendimento


de como os modelos matemáticos teóricos são aplicados e vastamente utilizados em
situações comuns no dia-a-dia de um engenheiro mecânico.
5. Referências
RAO, S. S. Vibrações mecânicas. 4. ed. São Paulo: Pearson Prince Hall, 2008.
SILVA, G. Estudo do Comportamento Vibratório Torcional do Trem de Potência de um
Aerogerador de Eixo Horizontal, 2015. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) -
Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

da Silva, Fernando Ribeiro, VIBRAÇÕES MECÂNICAS, Departamento de Engenharia


Mecânica, Setembro 2011.

Você também pode gostar