Você está na página 1de 39

Ficha de revisão 1

Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Lança-se um dado equilibrado, com as faces numeradas de 1 a 6, e regista-se o número da face


que fica voltada para cima.

Represente, em extensão, os acontecimentos:

1.1. A : “Sair um número menor do que 4”

1.2. B : “Sair um número quadrado perfeito”

1.3. C : “Sair um divisor de 6”

1.4. D : “Sair um múltiplo de 3”

1.5. E : “Sair um número primo”

2. Lançaram-se dois dados equilibrados, ambos com as faces numeradas de 1 a 6.

Qual é a probabilidade:

2.1. de ter saído o mesmo número em ambos os dados?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

2.2. de a soma de os números saídos ser não inferior a 8?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

3. Um baralho de cartas completo é constituído por 52 cartas repartidas por quatro naipes:
espadas, copas, ouros e paus. Em cada naipe há um ás, três figuras (rei, dama e valete) e mais
nove cartas (do 2 ao 10).

Extrai-se, ao acaso, uma carta de um baralho completo.

Qual é a probabilidade de se obter:

3.1. uma figura? Apresente a probabilidade na forma de fração irredutível.

3.2. uma carta preta ou uma carta de copas? Apresente a probabilidade na forma de
percentagem.

3.3. uma carta vermelha e não figura? Apresente a probabilidade na forma de fração
irredutível.

Ficha de revisão 1 – Domínio 1 – Página 1


Ficha de revisão 1

4. Uma turma do 12.º ano é constituída por alunos de ambos os géneros.

O diretor desta turma fez a sua caracterização, onde incluiu a tabela que se segue.

Menos de 17 anos 17 anos ou mais


Idade

Rapariga 4 10

Rapaz 2 9

Escolheu-se, ao acaso, um aluno desta turma. Qual é a probabilidade de o aluno escolhido:

4.1. ter 17 anos ou mais? Apresente o valor na forma de dízima.

4.2. não ser rapaz e ter menos de 17 anos? Apresente o valor na forma de fração irredutível.

4.3. ser rapariga ou ter menos de 17 anos? Apresente o valor na forma de percentagem.

5. A Cristina tem um saco que contém quatro bolas numeradas, indistinguíveis ao tato: uma com

o número 2 , outra com o número 8 , outra com o número π e outra com o número 1.

5.1. A Cristina retira, ao acaso, uma bola do seu saco.

Qual é a probabilidade de retirar uma bola com número superior a 1?

Apresente a probabilidade na forma de fração irredutível.

5.2. A Cristina retira, ao acaso, duas bolas do seu saco, uma a seguir à outra, com reposição,
multiplica os números das bolas retiradas e regista esse produto.

Qual é a probabilidade de o produto ser um número irracional?

Apresente a probabilidade na forma de fração irredutível.

6. Em relação à escolha das línguas estrangeiras, dos alunos de uma turma, sabe-se que:

• 55% dos estudantes escolheram a disciplina de Inglês;

• 40% dos estudantes escolheram a disciplina de Alemão;

• 10% dos estudantes escolheram ambas as disciplinas, Inglês e Alemão.

6.1. Elabore um digrama de Venn para representar a situação descrita.

6.2. Qual é a probabilidade de um aluno desta turma, escolhido ao acaso, ter escolhido

uma só destas disciplinas? Apresente o valor pedido na forma de percentagem.

Ficha de revisão 1 – Domínio 1 – Página 2


Miniteste 1.1.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. O António tem seis CD de música.

1.1. Quantos são os subconjuntos do conjunto formado pelos seis CD de música?

1.2. O António vai a uma festa de amigos e pretende levar com ele pelo menos dois dos CD
de música.

De quantas maneiras diferentes pode o António escolher os CD que pretende levar?

2. Considere todos os números naturais entre 5000 e 6999, inclusive.

2.1. Quantos são estes números?

2.2. Quantos destes números são múltiplos de 5?

2.3. Quantos destes números têm os algarismos todos diferentes?

3. Resolva as equações seguintes.

n!
n
3.1.  n  2 !

3.2.
 n  2  !  5  n  1 !  21n !  0

Miniteste 1.1. – Domínio 1 – Página 1


Questão-aula 1.1.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Item de seleção

De quantas maneiras diferentes se podem sentar sete pessoas em três cadeiras de modo que cada
pessoa ocupe uma só cadeira, ficando, assim, quatro pessoas de pé?

(A) 35

(B) 210

(C) 840

(D) 5040

Item de construção

Simplifique.

7 ! 7!

 n  2 !
1. 6 ! 8! 2. n!

50 ! 48! P100 99 !
  0!
3. 47 ! 4. P99 98!

 n  2  !   n  1 ! n !  n  1 !

5.
n!  n  1 ! 6.
n 2
 n   n  1 !

Questão-aula 1.1. – Domínio 1 – Página 1


Miniteste 1.2.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Lança-se três vezes consecutivas um dado equilibrado, com as faces numeradas de 1 a 6.

De quantas maneiras diferentes se pode obter:

1.1. número par em todos os três lançamentos?

1.2. um número ímpar e dois números pares nos três lançamentos?

1.3. exatamente dois 6 nos três lançamentos?

1.4. números iguais nos três lançamentos?

2. A chave do Euromilhões consiste em cinco números, entre os números naturais de 1 a 50,


mais dois números, as estrelas, entre os números naturais de 1 a 12.

Quantas chaves diferentes podem ocorrer em cada sorteio do Euromilhões?

3. Considere o seguinte problema:

Um saco contém 12 bolas, indistinguíveis ao tato: quatro bolas com o número 1,


cinco bolas com o número 2 e três bolas com o número 3.

Retiram-se, do saco, três bolas ao acaso.

De quantas maneiras diferentes podem as três bolas ser retiradas, sabendo que a soma dos
números saídos é igual a 6?

Uma resposta correta para este problema é C3  4  5  3 .


5

Numa pequena composição explique esta resposta.

Miniteste 1.2. – Domínio 1 – Página 1


Questão-aula 1.2.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Item de seleção

Um baralho de cartas completo é constituído por 52 cartas, repartidas em quatro naipes (espadas,
copas, ouros e paus). Em cada naipe há 13 cartas: um ás, três figuras (rei, dama e valete) e mais
nove cartas (do 2 ao 10).

Utilizando apenas o naipe de copas, quantas sequências diferentes de 13 cartas, iniciadas e


terminadas com uma carta que não seja figura, é possível construir?

(A) 13!

(B) 2  11!

(C) 10  9  11!

(D) 13! 2

Item de construção

Considere sete pontos, quatro sobre uma reta r e três sobre uma reta s , estritamente paralela à
reta r . Quantas circunferências distintas passam por três desses sete pontos?

C3   4C3  1
7
Uma resposta correta para este problema é .

Numa pequena composição explique esta resposta.

Questão-aula 1.2. – Domínio 1 – Página 1


Miniteste 1.3.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Na figura está representada uma circunferência.

Os pontos A, B, C , D, E e F pertencem à circunferência.

1.1. Quantas cordas existem com extremos nos pontos assinalados na circunferência?

1.2. Quantos triângulos existem com vértices nos pontos assinalados na circunferência?

n 1
2. Prove que C1  n1C3  n 1C5  n 1
C7  n 1C9  29 .

P  x    x  5
100

3. Considere a expressão .

P  x
Quantos termos do desenvolvimento de têm coeficiente positivo?

Miniteste 1.3. – Domínio 1 – Página 1


Questão-aula 1.3.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Item de seleção

Sete amigos vão passear deslocando-se num automóvel e numa mota, ambos alugados.

O automóvel dispõe de cinco lugares: o do condutor e mais quatro.

A mota dispõe de dois lugares: o do condutor e mais um.

Apenas três elementos do grupo, o António, o Borges e o João, têm carta de condução, podendo
qualquer um deles conduzir quer o automóvel quer a moto.

Os sete amigos têm de se separar em dois grupos, de modo que um grupo viaje no automóvel e o
outro na moto.

De quantas maneiras diferentes podem ficar constituídos os dois grupos de amigos (admita que os
grupos ficam constituídos de maneira diferente se tiverem pelo menos uma pessoa diferente ou se
pelo menos um dos condutores for diferente)?

(A) 10 (B) 30 (C) 120 (D) 360

Item de construção

De um grupo de 120 alunos de uma escola secundária, sabe-se que:

• a quarta parte não pratica desporto;

• metade são rapazes que praticam desporto;

• a terça parte são raparigas.

Pretende-se formar uma comissão de cinco destes alunos para organizar uma atividade escolar.

Quantas comissões diferentes se podem formar com:

1. exatamente dois rapazes que pratiquem desporto?

2. pelo menos três raparigas que não pratiquem desporto?

Questão-aula 1.3. – Domínio 1 – Página 1


Miniteste 1.4.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

99
1. No Triângulo de Pascal, considere a linha que contém os elementos da forma Ck .
99
1.1. Quantos elementos dessa linha são menores que C5 ?

1.2. Qual é o terceiro elemento da linha anterior?

1.3. Qual é o maior elemento da linha seguinte?

12
 2
A x   x   , x  0
2. Considere a expressão  x .

A x
Relativamente ao desenvolvimento de pelo Binómio de Newton, três alunos de uma

turma do 12.º ano, o António, a Beatriz e a Cristina, escreveram as proposições p, q e r ,


respetivamente.

p : “O termo independente de x do desenvolvimento de A  x  é T5  7920 .”

q : “O desenvolvimento de A  x  tem um termo de grau 2.”

9
A x

é 101 376x .”
2
r : “O 8.º termo do desenvolvimento de

Mostre que apenas um destes três alunos escreveu uma proposição verdadeira.

3. Resolva, em  , a equação seguinte.

cos 4 x  4 cos3 x  6 cos2 x  4 cos x  1  0

Miniteste 1.4. – Domínio 1 – Página 1


Questão-aula 1.4.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Item de seleção

O terceiro elemento de uma certa linha do Triângulo de Pascal é 3240.

Qual é o maior elemento da linha seguinte?


80
(A) C40

81
(B) C41

81
(C) C42

82
(D) C41

Item de construção
n
 2
A  x    x2  3  , x  0
Considere a seguinte expressão  x  e n .

A x
Determine o menor valor de n de tal forma que o desenvolvimento de tenha um termo
independente de x .

Questão-aula 1.4. – Domínio 1 – Página 1


Miniteste 1.5.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Uma escola aplicou um miniteste de Matemática A aos seus alunos do 12.º ano.

Esse miniteste era constituído por apenas duas questões.

Sabe-se que:

• 132 alunos acertaram a primeira questão;

• 86 alunos erraram a segunda questão;

• 120 alunos acertaram ambas as questões;

• 54 alunos acertaram somente uma das questões.

1.1. Quantos alunos não acertaram qualquer questão?

1.2. Qual é a probabilidade de escolhendo um aluno, ao acaso, dos que realizaram este
miniteste, este ter acertado apenas a segunda questão?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

1.3. Escolheu-se, ao acaso, dois alunos dos que realizaram este miniteste.

Qual é a probabilidade de cada um deles ter acertado exatamente numa questão?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

A   1 , 2 , 3 , 4 , 5
2. Considere o conjunto e todos os números de seis algarismos que se podem

formar com os elementos de A .

Escolhendo um desses números, ao acaso, qual é a probabilidade:

2.1. de não ter o algarismo 4? Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

2.2. de ter pelo menos um algarismo 4? Apresente o valor pedido na forma de fração
irredutível.

Miniteste 1.5. – Domínio 1 – Página 1


Questão-aula 1.5.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Item de seleção

Três prateleiras estão vazias e cada uma tem espaço para cinco livros.

A Cristina tem 15 livros diferentes e vai dispô-los pelas três prateleiras. Destes livros, quatro são
de Física, cinco são de Matemática e os restantes são de outras áreas científicas.

Qual é a probabilidade de os livros de Matemática ficarem juntos, numa das prateleiras, e os livros
de Física ficarem na prateleira debaixo?

1
(A) 63 063

1
(B) 126 126

1
(C) 1 728 000

1
(D) 86 400

Item de construção

Seja E um conjunto finito, P uma probabilidade em


P  E e
A, B P  E  , tais que:

P  B | A   0, 2 , P  A  B   0, 3 P  A  B   0, 05
e

Prove que B e B são acontecimentos equiprováveis.

Questão-aula 1.5. – Domínio 1 – Página 1


Miniteste 1.6.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Para assistir a um dos festivais de verão que se realizou em Portugal encontram-se acampados
jovens de ambos os géneros.

Sabe-se que:

• 60% dos jovens são do género masculino;

• a quarta parte dos jovens são portugueses do género masculino;

• a quinta parte das jovens do género feminino são portuguesas.

Escolheu-se, ao acaso, um jovem de entre todos os jovens acampados.

Qual é a probabilidade de ser escolhido:

1.1. um jovem português?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

1.2. um jovem do género masculino embora seja estrangeiro?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

2. Seja E um conjunto finito, P uma probabilidade em


P  E e
A, B P  E 
, tais que A e B
são acontecimentos independentes.

Prove que:

P  A  B   P  A  P  B   P  B 

Miniteste 1.6. – Domínio 1 – Página 1


Questão-aula 1.6.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Item de seleção

Num saco existem 20 bolas, 15 são brancas e 5 são verdes, todas elas indistinguíveis ao tato.

Extraiu-se sucessivamente, ao acaso e sem reposição, duas bolas deste saco.

A probabilidade de a segunda bola extraída ser verde, sabendo que a primeira bola extraída era
branca, é:

15 5 1 1 5 1
 
(A) 20 19 (B) 15 5 (C) 19 (D) 4

Item de construção

Um saco tem dez bolas, das quais quatro estão numeradas com o número 1, cinco com o número 2
e uma com o número 3.

1. Extrai-se, ao acaso, uma bola e, caso tenha um número par, volta-se a colocar no saco e faz-se
uma segunda extração. Em contrapartida, caso tenha um número ímpar, extrai-se uma segunda
bola do saco sem repor a primeira bola.

Qual é a probabilidade de a segunda bola extraída do saco estar numerada com o número 2?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

2. Admita que se volta a extrair uma bola, ao acaso, do saco.

Observa-se o número da bola extraída e repõe-se a bola no saco juntamente com mais
quatro bolas com o mesmo número.

Seguidamente, extrai-se, ao acaso, uma segunda bola do saco.

Sejam A e B os acontecimentos:

A : “Sair bola com um número par na primeira extração”

B : “Sair bola com o número 2 na segunda extração”

Sem aplicar a fórmula da probabilidade condicionada, indique, na forma de fração irredutível,

P  B | A
o valor de . Numa pequena composição, explique o seu raciocínio, começando por

P  B | A
explicar o significado de no contexto da situação descrita.

Questão-aula 1.6. – Domínio 1 – Página 1


Miniteste 1.7.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Três caixas idênticas, A, B e C , têm bolas vermelhas e bolas azuis.

A caixa A tem três bolas vermelhas e cinco bolas azuis.

A caixa B tem quatro bolas vermelhas e uma bola azul.

A caixa C tem três bolas vermelhas e duas bolas azuis.

Escolhe-se, ao acaso, uma caixa e extrai-se dessa caixa uma bola.

Qual é a probabilidade de a bola extraída ter cor azul?

Apresente o resultado na forma de fração irredutível.

2.1. Seja E um conjunto finito, P uma probabilidade em


P  E e
A, B P  E  , com P  B   0 .

P  B  A  1 P  B   P  A | B 
Prove que .

2.2. Dos alunos de uma turma do 12.º ano, sabe-se que:

• a quarta parte tem um smartphone;

• metade dos que têm smartphone têm acesso à


Internet.

Escolhendo aleatoriamente um aluno desta turma,


qual é a probabilidade de não ter smartphone ou
não ter acesso à Internet?

Apresente o resultado na forma de fração


irredutível.

Sugestão: Se o desejar, pode utilizar a igualdade da alínea anterior (nesse caso, comece por
identificar claramente, no contexto do problema, os acontecimentos A e B ). No entanto,
pode optar por resolver o problema por outro processo (como, por exemplo, através de uma
tabela de dupla entrada ou de um diagrama em árvore).

Miniteste 1.7. – Domínio 1 – Página 1


Questão-aula 1.7.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Item de seleção

Seja E um conjunto finito, P uma probabilidade em


P  E e
A, B e C P  E , com
P  A  0
,

P  B  0 P C  0
e , tais que C  A e A e B são acontecimentos incompatíveis.

Qual das igualdades é verdadeira?

P  A | B  1 P  C | B  0
(A) (B)

P A|C  0 P  A  B  | C   1
(C) (D)

Item de construção

Na figura está representado um tabuleiro, o qual se encontra dividido em nove quadrículas iguais,
numeradas com os números naturais de 1 a 9.

Pretende-se colocar, aleatoriamente, neste tabuleiro, três fichas de cores diferentes, não mais do
que uma por quadrícula.

1. De quantas maneiras diferentes podem as três fichas ser colocadas no tabuleiro?

2. Qual é a probabilidade de as três fichas:

2.1. ficarem todas na mesma fila horizontal?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

2.2. ficarem em quadrículas com número primo?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

2.3. ficarem colocadas em quadrículas cujo produto é um número par, sabendo que ficaram
colocadas na última fila (na que tem cinco quadrículas).

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

Ficha de preparação para o teste de avaliação 1 – Domínio 1 – Página 1


Ficha de preparação para o teste de avaliação 1
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Uma turma do 12.º ano é constituída por 24 alunos, dos quais 15 são raparigas e 9 são rapazes.

Vai formar-se, ao acaso, uma comissão de trabalho que terá um coordenador, um


subcoordenador e um porta-voz.

1.1. De quantas formas pode ser feita a comissão? E se o coordenador for um rapaz?

1.2. Qual é a probabilidade de o António, um dos rapazes da turma, fazer parte da


comissão?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

2. Um saco contém seis bolas indistinguíveis ao tato, três são vermelhas, duas são brancas e uma
é azul. Foram extraídas sem reposição três bolas do saco.

Determine de quantas maneiras diferentes é possível obter três bolas de cor diferente.

A   2 , 3 , 4 , 5 , 6 , 8 , 9
3. Utilizando os algarismos do conjunto , quantos números de quatro
algarismos é possível formar de modo que:

3.1. tenham exatamente dois algarismos iguais a 9?

3.2. os números sejam múltiplos de 5 e maiores que 7000?

3.3. o produto dos algarismos seja um número ímpar?

4. Um saco contém seis cartões indistinguíveis ao tato e numerados de 1 a 6.

4.1. Foram extraídos sem reposição três cartões do saco e dispostos por ordem formando um
número.

Qual é a probabilidade de o produto dos algarismos do número formado ser par?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

4.2. Admita que foram extraídos dois cartões do saco em simultâneo.

Qual é a probabilidade de o produto dos números dos cartões retirados ser superior à
soma dos números dos cartões não retirados?

Apresente o valor na forma de fração irredutível.

Ficha de preparação para o teste de avaliação 1 – Domínio 1 – Página 1


Ficha de preparação para o teste de avaliação 1

5. Lança-se três vezes um dado equilibrado, com as faces numeradas de 1 a 6.

Qual é a probabilidade de o produto dos números saídos ser igual a


6 ou a soma dos números saídos ser igual, também, a 6?

3! 7
3
Uma resposta correta a este problema é 6 .

Numa pequena composição, explique porquê incluindo:

• uma referência à Regra de Laplace;

• uma explicação do número de casos possíveis e de casos favoráveis.

 x  4
13

6. Considere a expressão .

6.1. Determine a soma dos sétimo e décimo termos do desenvolvimento desta expressão
pelo Binómio de Newton.

6.2. Escolhem-se aleatoriamente duas das parcelas deste desenvolvimento pelo Binómio de
Newton. Determine a probabilidade de o respetivo produto ser negativo.

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.

7. Seja E um conjunto finito, P uma probabilidade em


P  E , A, B P  E  , com P  A  0 e

P  B  0 P  A | B  P  B
, tais que .

Prove que
 
P A  B  P  B  P  B 
.

8. O António necessita de comprar um computador portátil que apenas se pode encontrar


disponível para venda em três lojas, que designamos por loja 1, loja 2 e loja 3.

A probabilidade desse computador portátil se encontrar disponível na loja 1 é de 0,8, na loja 2


é de 0,75 e na loja 3 é de 0,9.

O António, habitualmente, gosta de fazer compras na loja 2, pelo que a probabilidade de


escolher esta loja é tripla da probabilidade de escolher qualquer uma das outras duas lojas.

O António não encontrou o computador portátil que necessitava.

Qual é a probabilidade de ter escolhido a loja 2?

Apresente o valor pedido na forma de fração irredutível.


Ficha de preparação para o teste de avaliação 1 – Domínio 1 – Página 2
Teste de avaliação 1
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 12.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

Teste de avaliação 1 – Domínio 1 – Página 1


Teste de avaliação 1

Teste de avaliação 1 – Domínio 1 – Página 2


Proposta de resoluções

A turma é constituída por 25 alunos, logo, o número de


Ficha de revisão 1 Págs. 23 e 24
casos possíveis é 25.
A   1 , 2 , 3
1.1. 19
 0,76
B   1 , 4 A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 25
1.2.
C   1 , 2 , 3 , 6 .
1.3. 4.2. Há 4 alunos que não são rapazes e têm menos de 17 anos:
D   3 , 6 são as 4 raparigas com menos de 17 anos. Portanto, o
1.4.
E   2 , 3 , 5 número de casos favoráveis é 4.
1.5.
O número de casos possíveis é 25.
2.1. No lançamento de dois dados equilibrados, o acontecimento 4
A : “Sair o mesmo número em ambos os dados”, pode ser
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 25 .
representado em extensão por:
4.3. O número de casos favoráveis é igual à soma do número de
A    1 , 1 ,  2 , 2  ,  3 , 3  ,  4 , 4  ,  5 , 5  ,  6 , 6  
raparigas com o número de rapazes que têm menos de 17
O número de casos favoráveis é 6. anos, ou seja, 14  2  16 .
O número de casos possíveis é 36. O número de casos possíveis é 25.
6 1 16
  64%
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 36 6.
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 25
2.2. Vamos construir uma tabela de dupla entrada. .
5.1. O número de casos possíveis é 4.
+ 1 2 3 4 5 6 O número de casos favoráveis é 3 e corresponde ao número
1 2 3 4 5 6 7 2, 8
de bolas numeradas com um número superior a 1:
2 3 4 5 6 7 8
e π.
3 4 5 6 7 8 9
3
4 5 6 7 8 9 10
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 4 .
5 6 7 8 9 10 11
5.2. Vamos organizar todos os resultados possíveis, recorrendo a
6 7 8 9 10 11 12
uma tabela de dupla entrada.
Há 36 casos possíveis e destes 15 são favoráveis ao
acontecimento “Soma de os números saídos ser não inferior × 1 2 8 π
a 8”. 1 1 2 8 π
15 5 2 2 2 4 2π

A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 36 12 . 8 8 4 8 8π
3.1. O baralho completo é constituído por 12 figuras (3 de cada π π 2π 8π π2
naipe), pelo que o número de casos favoráveis é 12.
O número de casos possíveis é 52. O número de casos possíveis é 16.
12 3 O número de casos favoráveis é 11.

11
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 52 13 .
3.2. O baralho completo é constituído por 26 cartas pretas (13 de A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 16 .
paus e 13 de espadas) e por 13 cartas de copas, pelo que o 6.1. 45% dos estudantes desta turma escolheram Inglês e não
número de casos favoráveis é 39. escolheram Alemão, pois 55% – 10% = 45%.
O número de casos possíveis é 52. Por outro lado, 30% dos estudantes desta turma escolheram
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, Alemão e não escolheram Inglês, pois 40% – 10% = 30%.
39 Já 15% dos estudantes desta turma não escolheram qualquer
 0,75  75%
52 . uma destas duas disciplinas, porque
3.3. O baralho completo é constituído por 26 cartas vermelhas 100% – 45% – 30% – 10% = 15%.
(13 de ouros e 13 de copas). Destas, 6 são figuras (3 de Assim:
ouros e 3 de copas), logo, o número de casos favoráveis é
26  6  20 .
O número de casos possíveis é 52.
20 5

A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 52 13 .
4.1. Há 19 alunos dos quais 10 são raparigas e 9 são rapazes,
com 17 anos ou mais. Portanto, o número de casos
favoráveis é 19. onde:
• E é o espaço de resultados

Resoluções – Domínio 1 – Página 1


• A e I são os acontecimentos:
• A : “O aluno escolheu Alemão”
• I : “O aluno escolheu Inglês”
n  0
6.2. O valor pedido é a soma das percentagens de alunos que Como , temos n  6 .
escolheram Alemão e não escolheram Inglês e de alunos que
escolheram Inglês e não escolheram Alemão, ou seja,
30% + 45% = 75%. Assim, o valor pedido é 75%. Questão-aula 1.1. Pág. 26
Item de seleção
Miniteste 1.1. Pág. 25 7  6  5  210 (existem sete escolhas diferentes para a 1.ª pessoa
1.1. Se o cardinal do conjunto é 6, então o conjunto tem 2  64
6
se sentar, para cada uma destas escolhas existem seis escolhas
subconjuntos. diferentes para a 2.ª pessoa se sentar e para cada escolha das duas
1.2. O valor pedido pode ser dado pela diferença entre todos os primeiras pessoas a sentar-se, existem cinco escolhas diferentes
subconjuntos que se podem formar com 6 elementos e a
para a 3.ª pessoa o fazer). O número pedido é 210.
soma de um (conjunto vazio – corresponde a nenhum CD)
Resposta: (B)
com seis (há 6 subconjuntos de um elemento –
correspondem aos 6 subconjuntos que se podem formar com
exatamente um CD). Item de construção
7! 7! 7  6! 7! 1 57
26   1  6   57    7 
Assim, o número pedido é . 1. 6! 8! 6! 8  7! 8 8
2.1.  n  2  !   n  2   n  1 n! 
2 × 10 × 10 × 10  n  2   n  1  n 2  3n  2
2. n! n!
50! 48! 50  49  48  47! 48  47!
5 ou 6 Em qualquer dos casos pode ser escolhido  
3. 47! 47!
um número de 0 a 9
47! 50  49  48  48 
O número pedido é 2  10  2000 .
3

47!
2.2.  50  49  48  48  117648
2 × 10 × 10 × 2 P100 99! 100! 99  98! 100  99!
  0!   1   99  1 
P99 98! 99! 98! 99!
4.
5 ou 6 Em qualquer dos casos 0 ou 5
 100  99  1  0
pode ser escolhido um
número de 0 a 9  n  2  !   n  1 !   n  2   n  1 n! n  1 ! 
n!  n  1 ! n ! n  1 n!
O número pedido é 2  10  400 .
2 2
5.
2.3. 
 n  2   n  1 !   n  2   n  1 !  n  2
2 × 9 × 8 × 7 n! n  n  1 ! n
n !  n  1 ! n!  n  1 ! n!   n  1 n!
  
5 ou 6 Diferente dos Diferente dos
6.
 n  n   n  1 ! n  n  1  n  1 !  n  1 ! n  n  1 !
2

algarismos algarismos dos


dos milhares milhares, das n!1   n  1  1 n 1 n  2
  
Diferente e das centenas centenas e das  n  1 n ! n 1 n 1
do algarismo dezenas
dos milhares
Miniteste 1.2. Pág. 27
O número pedido é 2  9  8  7  1008 . 1.1. O dado tem três números pares (2 , 4 e 6), pelo que, em cada
n! n  n  1  n  2  !
n  n  n  n  1  n  lançamento, há três possibilidades de sair número par.
3.1.
 n  2 !  n  2 ! O número pedido é 3  27 .
3

 n 2  n  n  n 2  2n  0  n  n  2   0  1.2. O dado tem três números pares (2 , 4 e 6) e três números


ímpares (1 , 3 , 5).
 n  0 n  2
Vamos recorrer a um esquema para contabilizar todos os
n e n  2
Como , temos que n  0  n  2 . casos:
3.2.
 n  2  ! 5  n  1 ! 21n!  0  Par Par Ímpar ou Par Ímpar Par
3 × 3 × 3 + 3 × 3 × 3
  n  2   n  1 n! 5  n  1 n ! 21n!  0 
ou Ímpar Par Par
  n  2   n  1  5  n  1  21  0  3 × 3 × 3
O número pedido é 3  3  81 .
3
 n 2  3n  2  5n  5  21  0 
 n 2  2n  24  0  1.3. Recorrendo a um esquema:
6 6 1, 2, 3, 4 ou 5 ou 6 1,2,3,4 ou 5 6
 2   4  24 
2
2
n  1 × 1 × 5 + 1 × 5 × 1
2 ou 1,2,3,4 ou 5 6 6
 n  4  n  6 + 5 ×1 × 1

Resoluções – Domínio 1 – Página 2


O número pedido é 5 × 3 = 15.
1.4. Há apenas seis possibilidades:
1, 1, 1 ; 2, 2, 2 ; 3, 3, 3 ; 4, 4, 4 ; 5, 5, 5 e 6, 6, 6
O número pedido é 6.
9
2. Escolhe-se cinco números de um conjunto de 50, o que pode
50
  nC 0  29
C5 i0  29  29
ser feito de maneiras diferentes, em seguida escolhe-se
dois números de um conjunto de 12, o que pode ser feito de
12
C2 P  x
maneiras diferentes. 3. O desenvolvimento de tem 101 termos de
De acordo com o princípio geral da multiplicação, existem coeficientes alternadamente positivos e negativos. Como o
50
C5  12C2  139 838 160
chaves possíveis. primeiro coeficiente é positivo
 1x100  , podemos concluir
3. Para que a soma dos números saídos seja 6, ou se retiram que há 51 termos de coeficiente positivo e 50 termos de
três bolas com o número 2, ou se retiram uma bola com o coeficiente negativo.
número 1, uma bola com o número 2 e uma bola com o O número pedido é, portanto, 51.
número 3.
No primeiro caso, temos de escolher três bolas com o Questão-aula 1.3. Pág. 30
5
C3 Item de seleção
número 2, de entre cinco, pelo que existem maneiras
diferentes de o fazer. No segundo caso, temos de escolher Comecemos por observar que uma vez escolhidas as cinco pessoas
uma bola com o número 1, de entre quatro, uma bola com o que vão viajar no automóvel e o condutor da moto, o grupo que
número 2, de entre cinco, e uma bola com o número 3, de vai viajar na moto fica univocamente determinado.
entre três, pelo que existem 4  5  3 maneiras diferentes de A 6
3
Para os condutores, existem 2 hipóteses de escolher os dois
o fazer. jovens que vão conduzir. De seguida, escolhe-se, por exemplo, os
5
C3  4  5  3 restantes quatro ocupantes para o automóvel, para o qual existem
O número pedido é .
5
C4  5
hipóteses.
Questão-aula 1.2. Pág. 28 3
A  5C4  6  5  30
Assim, existem 2 maneiras diferentes de os
Item de seleção
dois grupos de amigos ficarem constituídos.
Existem 10 escolhas possíveis para a primeira carta da sequência,
Resposta: (B)
Para cada uma destas, existem 9 escolhas possíveis para a última
carta da sequência e para cada escolha da primeira carta e da
Item de construção
última, existem 11! maneiras diferentes de dispor as restantes cartas
Vamos organizar os dados numa tabela.
do naipe de copas.
Rapazes Raparigas Total
O número pedido é 10 × 9 × 11!.
Não praticam 1
Resposta: (C) 20 10  120  30
desporto 4
1
Item de construção Praticam desporto  120  60 30 90
2
Por três pontos não colineares passa uma única circunferência e
1
nenhuma circunferência passa por três pontos colineares. Total 80  120  40 120
7
C
3
N.º de maneiras de escolher 3 pontos de entre os 7: 3
1. Pretende-se formar uma comissão de cinco alunos com
Contudo, é necessário subtrair o número de casos em que os três
exatamente dois rapazes que pratiquem desporto.
pontos não definem uma circunferência (correspondem às situações
Existem 60 rapazes que praticam desporto e pretende-se
em que os três pontos escolhidos estão sobre a reta r ), ou seja, 60
C2
4
C3 escolher dois, ou seja, existem maneiras de o fazer e
ou os três pontos escolhidos estão sobre a reta s , ou seja, 60
C3
3
C3  1
7
C3   4C3  1 para cada uma destas maneiras existem maneiras
. Assim, a expressão é uma resposta correta diferentes de escolher os restantes três alunos de entre os
a este problema. outros 60 que não são rapazes que praticam desporto.
60
C2  60C3  60 569 400
O número pedido é .
Miniteste 1.3. Pág. 29 2. Pretende-se formar uma comissão de cinco alunos com pelo
1.1. O número de cordas diferentes corresponde ao número de menos três raparigas que não pratiquem desporto, ou seja,
conjuntos de dois elementos escolhidos de entre 6 (que são com exatamente três raparigas que não pratiquem desporto
6
C  15
os pontos assinalados), ou seja, 2 . ou com exatamente quatro raparigas nestas condições ou, ainda,
1.2. O número de triângulos diferentes corresponde ao número com exatamente cinco.
de conjuntos de três elementos escolhidos de entre 6, ou Existem 10 raparigas que não praticam desporto, portanto
6
C  20 existem 110 alunos que não são raparigas que praticam
seja, 3 .
n 1
C1  n 1C3  n 1C5  n 1C7  n 1C9  29  desporto. O número pedido é:
2. 10
C3  110C2  10C4  110C1  10C5  742 752
  nC0  nC1    nC2  nC3    nC4  nC5  

  nC6  nC7    nC8  nC9   29  Miniteste 1.4. Pág. 31

Resoluções – Domínio 1 – Página 3


99
C5
1.1. Os elementos desta linha que são menores que são:
99
C0 , C1 , C2 , C3 , C4 , C95 , C96 , C97 , 99C98
99 99 99 99 99 99 99
e
99
C99
, ou seja, são os cinco primeiros elementos mais os
cinco últimos elementos. O número pedido é 10.
1.2. A linha anterior tem ordem 98, pelo que o terceiro elemento Como n é um número natural maior ou igual a 2, tem-se que
98
C2  4753 n  81 .
dessa linha é .
1.3. A linha seguinte tem ordem 100, onde o maior elemento é o A linha seguinte é a de ordem 82, onde o maior elemento é o
82
100
C50 C41
central, que é . central, que é .
A x  Resposta: (D)
2. O termo geral do desenvolvimento de é:
p 12  p p
 12 
 x  2 1
12  p
Tp 1  12C p    2 
p Item de construção
  
12
  C px 
 x   x A x 
O termo geral do desenvolvimento de é:
p p

 x 1   12C p  2 x
6 6
 12C p  2  x
p p p p
x p   2
T p 1  n C p  x 
2 2
2 n p
 3  
3
6 p
 x 
 C p  2  x
12 p
2 p
p 1 
 nC p x 2 n  2 p  2   3  
O termo independente de x , caso exista, é aquele em que x 
3
6  p  0  p  0 , com p  12
2
 n C p x 2 n  2 p  2 
p
x 3 p

.
 nC p x 2 n  2 p  2  x 3 p 
p
3 3
6 p0 p6 p4
 n C p  2  x 2 n  2 p  3 p 
p
2 2
p T
por 4 em p 1 :  n C p  2  n 2 n  5 p
p
Substituindo
T4 1  12C4  2  x 0  7920
4

O termo independente de x é tal que 2n  5 p  0 .


A proposição p é verdadeira, já que o termo independente 2n
2n  5 p  0  p 
A  x  T5  7920 5
de x do desenvolvimento de é .
Como p    0  p  n , n tem de ser múltiplo natural de 5.
Relativamente ao termo de grau 2:
3 Portanto, o menor valor de n é 5.
6  p  2  p  0
2 , com p  12
3 3 8 Miniteste 1.5. Pág. 33
6 p2 p4 p
2 2 3 A1 A2
1.1. Sejam os acontecimentos e tais que:
8 A1
 0 A x  : “O aluno acerta a primeira questão”
Como 3 , o desenvolvimento de não tem termo A2
: “O aluno acerta a segunda questão”
de grau 2, pelo que a proposição q é falsa.
#  A1  A2   120 ; #  A1   132 ; # A2  86
A x  e
O 8.º termo do desenvolvimento de é obtido
Tp 1 #  A1  A2    A1  A2    54
p
substituindo por 7 em .
3
6 7 
9

9 
A1  A2 
A1  A2  
T7 1  12C7  2  x  792   128  x
7
2 2
 101 376 x 2 Como e são acontecimentos
incompatíveis, podemos dizer que:
A proposição r é falsa.
#  A1  A2    A1  A2    54 
Conclui-se que apenas o António escreveu uma
proposição verdadeira.  
 # A1  A2  # A1  A2  54   
3. cos 4 x  4cos3 x  6cos 2 x  4cos x  1  0 
  #  A1   #  A1  A2     #  A2   #  A1  A2    54 
  cos x  1  0  cos x  1  0 
4

 #  A1   #  A2   2#  A1  A2   54
 cos x  1  x  2kπ, k  
#  A1   132 #  A1  A2   120
x  2kπ, k   Como e , substituindo:
As soluções da equação são .
132  #  A2   2  120  54  #  A2   162

Questão-aula 1.4. Pág. 32 O número total de alunos é 248:


Item de seleção  
#  E   #  A2   # A2  #  E   162  86  #  E   248
n
C
Seja n a ordem dessa linha, então 2 é o terceiro elemento da Construindo uma tabela:
n
C  3240
linha e, portanto, 2 .
A1 A1
n
C2  3240 
n  n  1  3240  n 2  n  6480 
2 A2 120 42 162
 n 2  n  6480  0  A2 12 74 86
 1  4  6480 
2
1 132 116 248
n 
2
 n  80  n  81

Resoluções – Domínio 1 – Página 4


O número de alunos que não acertaram qualquer questão

corresponde a
 
# A1  A2
, ou seja, é 74.
1.2. Pretende-se determinar
P A1  A2. Assim:
 Resposta: (A)

42 21

P A1  A2   
248 124
21
Item de seleção
A probabilidade pedida é 124 . P  B | A   0, 2 P  A  B   0,05
248
C2 Tem-se que e .
1.3. O número de casos possíveis é , pois corresponde aos
P  B  A
conjuntos de dois elementos escolhidos entre 248. P  B | A 
P  A
O número de alunos que acertaram exatamente numa Por outro lado, .
0,05
questão é: 0, 2   P  A   0, 25
P  A
   
# A1  A2  # A1  A2  12  42  54
54
C2 P  A  B   P  A  P  B   P  A  B 
Assim, o número de casos favoráveis é . Como , então:
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, P  A  B   0, 25  P  B   0,05  P  A  B   0,2  P  B  
54

248
C2

1431   
 1  P A  B  0,2  P  B   1  P A  B  0, 2  P  B  
C2 30 628
.
Do enunciado,

P A  B  0,3  , logo:
5
A6  56
2.1. O número de casos possíveis é , corresponde ao
1  0,3  0, 2  P  B   P  B   0,5
número da sequência de seis algarismos, repetidos ou não,
que se podem formar usando os cinco elementos do P  B   1  P  B   1  0,5  0,5 P B   P B
, pelo que , ou seja,
conjunto A. B e B são acontecimentos equiprováveis.
4
A  46
O número de casos favoráveis é 6 (como o número
não tem o algarismo 4, dispõe-se de quatro algarismos para Miniteste 1.6. Pág. 35
colocar em seis lugares, podendo ou não ser repetidos). 1.1. Sejam os acontecimentos:
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, A : “O jovem é português”
4
A6 46 4096 B : “O jovem é do género masculino”
 
5
A6 56 15 625 60% dos jovens são do género masculino, pelo que
.
2.2. Seja o acontecimento A : “O número tem pelo menos um P  B   0,6
algarismo 4”. A quarta parte dos jovens são portugueses do género
O acontecimento contrário de A , ou seja, A é: 1
P  A  B    0,25
A : “O número não tem o algarismo 4” masculino, portanto, 4 e, finalmente,
4096
P  A 
uma quinta parte das jovens do género feminino são
1
Pela questão 2.1., 15625 .
P A | B   0,2
5
 
4096 11 529 portugueses, ou seja, .
P  A  1  
15 625 15 625 P A  B P A  B
Portanto, . P A | B   P A | B  
11 529 P B 1  P  B
15 625
Assim, a probabilidade pedida é .  P  A  B   P  A | B  1  P  B  

P  A  B   0, 2  1  0,6   P  A  B   0,08
Questão-aula 1.5. Pág. 34 Assim,
Item de seleção Construindo uma tabela, temos:
Na prateleira debaixo há 5 lugares para os 4 livros de Física, pelo
5
A4 A A
que estes podem ocupar esta prateleira de maneiras
B 0,25 0,35 0,6
diferentes.
B 0,08 0,32 0,4
Os livros de Matemática podem ocupar a prateleira do meio ou a
prateleira de cima e em cada uma das prateleiras podem permutar 0,33 0,67 1

entre si de 5! maneiras diferentes. Restam 6 lugares para os P  A


A probabilidade de ser português, isto é, , é igual a
restantes 6 livros e estes podem ocupá-los de 6! maneiras
33
5
A  2  5!  6! 0,33 
diferentes. Assim, o número de casos favoráveis é 4 . 100 .
O número de casos possíveis é 15!, pois corresponde ao número 1.2. Pretende-se determinar a probabilidade de ser escolhido um
de permutações dos 15 livros. jovem do género masculino embora seja estrangeiro, ou seja,
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace,
5
A4  2  5!  6! 1

P B| A 
.

15! 63063 .

Resoluções – Domínio 1 – Página 5



P BA 

P B| A   P A  
0,35 35

 P B| A  
0,67 67
35
A probabilidade pedida é 67 .
2.
 
P A  B  P  A  P  B   P  B   observarmos que saiu bola com o número 2 na primeira
extração, repomos essa bola no saco, juntamente com mais
 
 P A  B  P  A   1  P  B    P  B  
quatro bolas com o número 2. O saco fica, assim, com nove
 1  P  A  B   P  A  P  A  P  B   P  B   bolas com o número 2, num total de 14 bolas.
9
 1   P  A  P  B   P  A  B    P  A  
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 14 .
 P  A  P  B   P  B  
 1  P  A  P  B   P  A  B   P  A  Miniteste 1.7. Pág. 37
 P  A  P  B   P  B  1. Sejam os acontecimentos:
A1
Como A e B são acontecimentos independentes, então: : “A caixa escolhida é A ”
P  A  B   P  A  P  B  B1
: “A caixa escolhida é B ”
C1
Assim: : “A caixa escolhida é C ”
1  P  A  P  B   P  A  P  B   P  A   V : “A bola extraída é vermelha”

 P  A  P  B   P  B   Construindo um diagrama em árvore:

 1 P B  P B 

 P B  P B

Questão-aula 1.6. Pág. 36


Item de seleção
Sejam os acontecimentos:
B1
: “A primeira bola extraída é branca”
V2
: “A segunda bola extraída é verde”
P  V2 | B1 
Pretende-se determinar . PV 
Na segunda extração, o saco tem 19 bolas (primeira bola, que era Pretende-se determinar .
branca, não foi reposta no saco), das quais 5 são bolas verdes (a P  V   P  V  A1   P  V  B1   P  V  C1  
5
P  V2 | B1    P  A1   P  V | A1   P  B1   P  V | B1   P  C1   P  V | C1 
primeira não era verde). Assim, 19 .
Resposta: (C) 1 5 1 1 1 2 49
      
Item de construção 3 8 3 5 3 5 120
1. Sejam os acontecimentos: 49
I : “A 1.ª bola extraída tem um número ímpar» A probabilidade pedida é 120 .
D : “A 2.ª bola extraída está numerada com o número 2” P  B  A  1  P  B   P  A | B  
2.1.
Construindo um diagrama em árvore:
P A  B
 
 P B  A  1 P  B 
P B

 
 P B  A  1 P A  B 

 P  B  A  P  A  B  

 P  B  A  P  B  A
2.2. Sejam os acontecimentos:
A : “O aluno tem acesso à Internet”
B : “O aluno tem um smartphone”
P  D  P  D  I   P  D  I  
A probabilidade pedida é
P BA
.
 
 P I   P D | I   P I   P D | I  
Do enunciado, sabemos que, dos alunos desta turma:
1 5 1 1 19 1
    P  B 
2 9 2 2 36 4;
• a quarta parte tem um smartphone, ou seja,
19
• metade dos que têm smartphone têm acesso à Internet, ou
A probabilidade pedida é 36 . 1
P A | B 
2. É pedida a probabilidade de sair bola com o número 2 na 2.
seja,
segunda extração, sabendo que saiu bola com número par, ou
seja, saiu bola com o número 2 na primeira extração. Ao

Resoluções – Domínio 1 – Página 6


1 1 1 7
 
P B  A  1 P B  P A | B  1 4  2  1 8  8
7
A probabilidade pedida é 8 .
Questão-aula 1.7. Pág. Ficha de preparação para o teste de avaliação 1 Págs. 39 e
38 40
Item de seleção 1.1. Para cada comissão temos 24 opções de escolha para o
P A  B P   0 coordenador, 23 opções de escolha para o subcoordenador e
P A | B    0
P  B  A e B são incompatíveis, P  B  P  B 
 22 opções de escolha para o porta-voz.
• logo, A  B  .
24  23  22  12 144
Ao todo, podem formar-se comissões
 
P C  B  1 P  B 

P C|B  P  B

P  B
1 diferentes.
• Para cada comissão temos nove opções de escolha para o

(1)
 
P C  B  P  B  , porque B  C
.
coordenador, por este ter de ser um rapaz, 23 opções de
escolha para o subcoordenador e 22 opções de escolha para
o porta-voz.
Neste caso, o número de comissões diferentes que podem
ser formadas é 9  23  22  4554 .
1.2. O António poderá fazer parte da comissão sendo o
coordenador, subcoordenador ou porta-voz. Assim, temos
1  23  22 comissões em que o António é o coordenador.

P A  C P C Como há igual número de comissões em que o António é


P A | C   1 subcoordenador e porta-voz, são, no total,
P C  P C
• CA
3  23  22  1518 comissões de que o António faz parte, ou
P  A  B   C  P C
P  A  B  | C    1 seja, o número de casos favoráveis é 1518.
P C  P C 24  23  22  12 144
• C  A C  A B
O número de casos possíveis é .
Resposta: (D) A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace,
1518 1

Item de construção 12 144 8
.
1. As três fichas têm cores diferentes e vão ser distribuídas por 2. Esquematizando:
nove quadrículas, pelo que o número de maneiras diferentes vermelha branca azul
9
A  504 3 × 2 × 1 = 6 e, para cada uma destas
de o fazer é 3 .
2.1. As três fichas podem ficar na fila do meio e têm 3! maneiras maneiras, as três cores podem permutar entre si de 3!  6
de serem colocadas ou podem ser colocadas na última fila (a maneiras diferentes, pelo que o número pedido é 6  3!  36 .
5
A 4
C2
que tem cinco quadrículas) e, nesse caso, têm 3 maneiras 3.1. Existem maneiras diferentes de escolher dois lugares
diferentes de serem colocadas. (de entre os quatro) para colocar os dois algarismos iguais a
3! 5 A3  66 6
A2  6 2
O número de casos favoráveis é: 9. Para cada uma destas maneiras, existem
9
A  504 maneiras diferentes de escolher os restantes dois algarismos,
O número de casos possíveis é: 3
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, repetindo-os ou não, de entre os restantes seis elementos de
66 11 A (diferentes de 9).

504 84 .
4
C2  6 A2  216
Assim, podemos formar números distintos
2.2. Existem quatro quadrículas com número primo: as que têm nas condições pedidas.
os números 2, 3, 5 e 7. 3.2. Um número é múltiplo de 5 se o seu algarismo das unidades
A  24 é zero ou cinco. Como 0  A e 5  A , existe apenas uma
4
Assim, o número de casos favoráveis é 3 .
9
A3  504 opção de escolha para o algarismo das unidades, o 5. Por
O número de casos possíveis é .
outro lado, o número deve ser maior que 7000, pelo que, de
24 1
 entre os elementos de A , apenas o 8 e o 9 podem ser os
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 504 21
algarismos a ocupar a casa dos milhares. E para cada uma
. 7
A2  7 2
destas duas escolhas, temos escolhas diferentes
2.3. Número de casos possíveis:
5
C3  10 para os restantes dois algarismos.
(número de maneiras de escolher três lugares na 1  2  7 A2  98
Ao todo temos números distintos.
última fila)
3.3. O produto de quatro algarismos é ímpar se e somente se os
Número de casos favoráveis:
quatro algarismos são ímpares. O conjunto A tem três
9 (só não serve a escolha 5, 7 e 9)
9 números ímpares, 3, 5 e 9, estes podem ou não ser repetidos,
3
A4  34  81
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 10 . pelo que existem números nas condições
pedidas.

Resoluções – Domínio 1 – Página 7


4.1. O produto de três algarismos só não é par quando os três
algarismos são ímpares. Como existem três cartões com
números ímpares (1, 3 e 5), podem ser formados
3  2  1  6 números com três algarismos ímpares.
6
A3
Por outro lado, podem ser formados ao todo números
distintos.
6 19
1 6 
A3 20
A probabilidade pedida é .
4.2. O número de casos possíveis corresponde ao número de Relativamente à terceira hipótese, esta já foi considerada
conjuntos diferentes que é possível formar com dois na situação anterior, isto é, quando o produto dos
6
C  15 números saídos é igual a 6. Portanto, o número de casos
elementos escolhidos de entre seis, ou seja, 2 .
Destes 15 casos vamos ver quais são os favoráveis, isto é, favoráveis é 3! + 3 + 3 + 1 = 3! + 7.
3! 7
quais são aqueles em que o produto dos números dos cartões 3
retirados é superior à soma dos números dos cartões não A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 6
retirados. .
6.1. O termo geral do desenvolvimento é:
Cartões Cartões não T p 1  n C p a n  p b p
Produto Soma
retirados retirados
n  13, a  x b  4
1e2 2 3,4,5,6 18 com e .
1e3 3 2,4,5,6 17 Logo:
T7  T10  T6 1  T9 1 
1e4 4 2,3,5,6 16
 13C6 x13  6  4   13C9 x13 9  4  
6 9
1e5 5 2,3,4,6 15
1e6 6 2,3,4,5 14  1716 x 7  4096   715 x 4  262 144  
2e3 6 1,4,5,6 16  7 028 736 x 7  187 432 960 x 4
2e4 8 1,3,5,6 15
 x  4  tem 14 termos de
13

2e5 10 1,3,4,6 14 6.2. O desenvolvimento de


2e6 12 1,3,4,5 13 coeficientes alternadamente positivos e negativos, pelo que
3e4 12 1,2,5,6 14 há sete termos de coeficiente positivo e sete termos de
3e5 15 1,2,4,6 13 coeficiente negativo. Por outro lado, o produto das duas
3e6 18 1,2,4,5 12 parcelas deste desenvolvimento é negativo se um dos
4e5 20 1,2,3,6 12 termos tiver coeficiente positivo e o outro tiver coeficiente
4e6 24 1,2,3,5 11 negativo. Portanto, o número de casos favoráveis é
7  7  49 .
5e6 30 1,2,3,4 10
O número de casos possíveis corresponde ao número de
Pela análise da tabela existem cinco casos favoráveis. conjuntos de dois elementos escolhidos de entre 14, ou seja,
5 1 14
C2  91
 .
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 15 3 . 49 7
5. De acordo com a Regra de Laplace, dado um espaço de 
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 91 13 .
resultados E , finito, se os acontecimentos elementares
forem equiprováveis, a probabilidade de um acontecimento
7.
 
P A  B  P B  P B 
A P E
é igual ao quociente entre o número de casos  1  P A  B   P B  P  B  
favoráveis ao acontecimento A e o número de casos
 1   P  A  P  B   P  A  B    P  B   P  B  
possíveis.
3
O número de casos possíveis é 6 , pois, como em cada  1  P  A  P  B   P  A  B   P  B   P  B  
lançamento existem seis hipóteses, no conjunto dos três  1  P  A  P  B   P  A  P  A  B   P  B   P  B  
lançamentos existem 6  6  6 possibilidades.
 1  P B   P A  B  P  B  P  B  
Relativamente aos casos favoráveis, temos duas situações:
• “O produto dos números saídos ser igual a 6”  1  P  B   P A | B  P  B  P  B  P  B  
Existem duas hipóteses em alternativa que se excluem  1  P B   P B  P  B  P B  P  B  
mutuamente: ou os números saídos são 1, 2 e 3 ou são 1
 P B  P B  P  B  P  B  P  B  
e 6. Na primeira hipótese, temos 3! possibilidades, que é
o número de permutações de três elementos. Na segunda  P  B  1  P  B    P  B   P  B  
hipótese, temos três possibilidades (a face 6 pode sair ou  P B  P B  P B  P B 
no primeiro lançamento, ou no segundo ou no terceiro).
• “A soma dos números saídos ser igual a 6” 8. Sejam os acontecimentos:
A : “O António escolheu a loja 1”
Existem três hipóteses em alternativa que se excluem
B : “O António escolheu a loja 2”
mutuamente: ou os números saídos são 4, 1 e 1, ou são
C : “O António escolheu a loja 3”
2, 2 e 2, ou são 1, 2 e 3. Na primeira hipótese temos três
D : “O António encontrou o computador portátil que
possibilidades (a face 4 pode sair ou no primeiro
lançamento ou no segundo ou no terceiro). Na segunda necessitava”
hipótese temos somente uma possibilidade (a face 2 sai P  A   P  B   P  C   1 P  B   3P  A 
, e
no primeiro lançamento, no segundo e no terceiro). P  B   3P  C 

Resoluções – Domínio 1 – Página 8


P B P  B
P  A  P  B   P  C   1   P  B  1
3 3
5 3
 P  B  1  P B 
3 5
P  A 
1
P C 
1   
 P   A  B   P A  B  P A  B    
Assim, 5 e 5.
 1  P  A  B   1   P  A  P  B   P  A  B   
Por outro lado:
P  D | A   0,8 ; P  D | B   0,75
P  D | C   0,9  1  P  A  P  B   P  A  B  
e
 1  P  A  P  B   P  A   P  B 
Construindo um diagrama em árvore: , pois A e B são
P  A  B   P  A  P  B 
independentes, logo .
 1  0,3  0,8  0,3  0,8  0,14
Resposta: (D)
C3  20
6
4. O número de casos possíveis é (escolhe-se três dos
seis vértices do hexágono).

O número de casos favoráveis é 2 (são os triângulos


 ACE 
e
 BDF  ).
2 1

A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace, 20 10 .
Resposta: (A)

Pretende-se determinar
P B|D
.
  P  B   B  A  
P  B |  B  A     
P  B  D 5.
P BA 
P  B | D  
P  D P  B  B   A P  B  A
  1
 P  B | D  P  B  A P  B  A

P B  P  D | B
Resposta: (B)
  6. As faces pares são equiprováveis, portanto,
P  A  P  D | A  P  B   P  D | B   P  C   P  D | C 
P   2   P   4   P   6 
3 e as faces ímpares são, também,
 0,25 P   1   P   3   P   5 
 P  B | D  5  equiprováveis, logo .
1 3 1
 0, 2   0,25   0,1 Por outro lado:
5 5 5
P (“Sair face com número par”) =
5
 P  B | D  = 3  P (“Sair face com número ímpar”)
7
5  P   2   P   4   P   6  

A probabilidade pedida é . 7  3   P   1   P   3   P   5   

 3P   2   3  3P   1  
Teste de avaliação 1 Págs. 41 e
 P   2   3P   1 
42
1. A soma de todos os elementos da linha de ordem n do Por outro lado:
P   1   P   2   P   3   P   4   P   5   P   6   1
Triângulo de Pascal é 2 . Como 2  512 , trata-se da linha
n 9

9
C  84  3P   1   3P   2   1 
de ordem 9 e o seu quarto elemento é 3 .
Resposta: (C)  P   2   3P   2   1 
2. O termo geral do desenvolvimento pelo Binómio de Newton 1 1
 P   2   P   1  
é: 4 e, consequentemente, 12 .
8 p
 1
p p
 14 
 x  1
8 p
Tp 1  8C p Assim:
    Cp  x  
4 8

P (“sair número primo”)  P   2 , 3 , 5  


 x   xp
8 p 85 p
 8C p  1 x
p
4
x  p  8C p  1 x
p
4  P   2   P   3   P   5 
1 1
Como se pretende o termo de grau –3: P   3   P   5   P   1   P   2  
8  5p Como 12 e 4,
 3  8  5 p  12
4  p4 temos:
Assim, o termo de grau –3 é: 1 1 1 5
P   2   P   3   P   5   4  12  12  12
T4 1  T5  C4  1 x  70 x
8 4 3 3

5
Resposta: (A)
A probabilidade pedida é 12 .
3.
  
P A   A  B   P  A  A  A  B     

Resoluções – Domínio 1 – Página 9


7.1. As bolas com números múltiplos de 3 são a bola com o
número 3 e a bola com o número 6. Estas duas bolas podem
ficar ao lado uma da outra de cinco maneiras diferentes: ou
ocupando as duas primeiras posições, ou a segunda e a
terceira, ou a terceira e a quarta, ou a quarta e a quinta, ou as
duas últimas posições.
Para cada uma destas cinco hipóteses, as bolas com os números 3 O número de casos favoráveis é, portanto,
e 6 podem permutar entre si, bem como as restantes quatro 8  7  6  2  9  8  7  6  6384 .
bolas. Portanto, há 5  2  4! maneiras diferentes de colocar, Relativamente aos casos possíveis, temos: nove hipóteses
lado a lado, as seis bolas de modo que as bolas com números para o algarismo das dezenas de milhar (não pode ser o 0),
múltiplos de 3 fiquem ao lado uma da outra. para cada uma dessas hipóteses temos outras nove para o
Então, o número pedido é 5  2  4!  240 . algarismo dos milhares (não pode ser o algarismo das
7.2. A probabilidade pedida é a probabilidade de a soma dos dezenas de milhar, mas já pode ser o 0), para cada par de
números das bolas retiradas ser inferior a 10, sabendo que a escolhas já feitas (algarismo das dezenas de milhar e dos
8
soma dos números das bolas retiradas é ímpar. A
milhares) temos 3 maneiras de escolher a sequência dos
Como a soma dos números das bolas retiradas é ímpar temos três algarismos restantes de entre os 8 que estão disponíveis:
duas situações que se excluem mutuamente: ou os números todos exceto os que já foram utilizados para algarismo das
das três bolas são ímpares ou uma bola tem número ímpar e dezenas de milhar e de milhar.
as duas restantes têm número par. Assim, os casos 9  9  8 A3  27 216
O número de casos possíveis é .
favoráveis são os seguintes:
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace,
 1 , 3 , 5 ;  1 , 2 , 4 ;  1 , 2 , 6 ;  1 , 4 , 6 ;  3 , 2 , 4 ; 6384 19

 3 , 2 , 6 ;  3 , 4 , 6 ;  5 , 2 , 4 ;  5 , 2 , 6 e
 5 , 4 , 6 27 216 81
.
Atendendo a que: 32
C2 x 1  31C x  3  31C x  4  32C2 x 1  32C x  4 
9.
1  3  5  9 ; 1  2  4  7 ; 1  2  6  9 ; 1  4  6  11;
 2x  1  x  4  2x  1  x  4 
3  2  4  9 ; 3  2  6  11; 3  4  6  13 ; 5  2  4  11;  32, 2 x  1  0  x  4  0  2 x  1  32  x  4  32 
5  2  6  13 e 5  4  6  15
 x  3 x  9
os casos favoráveis a que a soma dos números das bolas Portanto, as soluções da equação são: x  3  x  9 .
retiradas é inferior a 10 são:
 1 , 3 , 5 ,  1 , 2 , 4 ,  1 , 2 , 6 e
 3 , 2 , 4 .
A probabilidade pedida é, pela Regra de Laplace,
4 2
P  B | A  
10 5 .
8.1. Um número é ímpar quando o algarismo das unidades é
ímpar: 1, 3, 5, 7 e 9.
No entanto, como se pretende números de cinco algarismos
diferentes e o algarismo das dezenas de milhar é um 7, o das
unidades já não o pode ser. Temos, então, quatro hipóteses
para o algarismo das unidades e para cada uma destas temos
oito hipóteses de escolha para o algarismo dos milhares (não
pode ser o 7 nem o algarismo das unidades); sete hipóteses
de escolha para o algarismo das centenas e seis hipóteses de
escolha para o algarismo das dezenas. Portanto, o número
pedido é 4  8  7  6  1344 .
8.2. Esquematizando:
7 5
1 × 1 × 8 × 7 × 6

Nã o pode Nã o pode ser o Nã o pode ser o 7, nem


ser o 7 7, nem o 5, o 5, nem o algarismo
nem o 5. nem o
algarismo das das centenas, nem o
centenas. algarismo das
ou dezenas.
8
1 × 9 × 8 × 7 × 6
ou
9
1 × 9 × 8 × 7 × 6

Resoluções – Domínio 1 – Página 10

Você também pode gostar