Você está na página 1de 3

1

UM POVO SEDENTO

Êxodo 17.1-7

Nosso tema no mês de novembro é “Comunicação do jeito de


Deus”. Já vimos que Deus nos comunica sua provisão no cordeiro
dado a Abraão e Isaque, vimos em Betel, com Jacó, que Jesus é a
escada que nos leva a Deus.

A falta de água leva-nos a um risco iminente de morte. O ser


humano é composto basicamente por 75% em seu organismo de
água, em média vivemos cerca de 28 dias sem alimento, mas
apenas 3 dias sem água. A mulher necessita em média de 2,5
litros de água por dia e o homem de 3,5 litros. No texto que lemos
o povo de Israel está diante desta situação.

Que lições aprendemos nesta passagem para nossa vida hoje?

1) A busca desesperada

O povo de Deus estava caminhando no deserto em busca da


promessa. Apesar de todas as experiências vividas com Deus, a
libertação do Egito através de sinais e prodígios (10 pragas), o
livramento do exército de Faraó diante do mar vermelho e a chuva
de pão saciando sua fome, novamente o povo levanta contenda (v
2) e murmura (v 3) contra Moisés e contra Deus. Que povo
complicado!

Diante das dificuldades mais uma vez o povo lembra-se do Egito, a


despeito de lá ser lugar de escravidão e sofrimento. Que povo
complicado! Muitas vezes somos assim, nos esquecemos do que
Deus já fez, nos esquecemos de suas promessas e levantamos
contendas (liderança ou diretamente com Deus) e murmuramos.
Somos até capazes de dizer que lá no Egito é que era bom, na
velha vida eu dava um jeitinho (Salmo 73). Jeremias 2.13:
“Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o
manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas,
que não retêm as águas”.

Veja o destaque do v. 7, Moisés chama aquele lugar de Massá


(tentação) e Meribá (contenda). Uma palavra de alerta para nós,
que a sede não nos faça tentar a Deus nem contender com ele. Há
2

ainda uma lembrança, existe um povo sedento que nunca


experimentou da água que pode matar verdadeiramente a sede,
ele busca em fontes erradas, ele está em desespero.

O que nos causa sede hoje? Há uma sede em nosso coração? Qual
tem sido nossa postura?

2) A fonte é revelada

Diante da sede do povo e de seu desespero, Moisés busca em


Deus como resolver o problema. Em Deus sempre encontraremos
a resposta. “Respondeu o Senhor a Moisés...” (v 5). Vejamos as
orientações de Deus:

1) Passa adiante do povo – olhe além do que eles estão


vendo, cresça com esta situação;
2) Toma consigo alguns anciãos de Israel – converse com
os mais experientes, busque conselho e
3) Leva contigo o bordão. Que lindo! O bordão era símbolo
da ação de Deus, ele havia se transformado em serpente
(4.3 e 7.10), as águas do rio se tornaram em sangue (7.20)
e o mar vermelho se abriu quando o bordão foi levantado
diante das águas (14.16). Lembre-se do que já fiz.

Agora Deus revela a fonte. “Eis que estarei ali diante de ti sobre a
Rocha em Horebe...” (v 6). O apóstolo Paulo, referindo-se a este
acontecimento, afirmou: “Todos eles comeram de um só manjar
espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de
uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo”. (1
Coríntios 10.3-4). A fonte de água que mata a sede é Cristo. Deus
se revela em Jesus para saciar toda a sede da humanidade.

3) A sede é saciada

Diante de um povo sedento, Deus revela a fonte onde podemos


saciar nossa sede. Agora Moisés recebe a ordem de ferir a rocha (v
6). Que figura bonita! Deus revela a rocha, mas ela precisou ser
ferida. Não basta apenas sabermos que Jesus existiu, mas que
morreu por nossos pecados e ressuscitou para nos salvar. Isaías
53.4-5: “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e
3

as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito,


ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas
transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos
traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos
sarados”.

V 6 - “... Dela sairá água e o povo beberá”. Cristo não é apenas a


rocha de onde sai a água, mas ele é a própria água viva que nos
mata a sede. Em João 7, Jesus está no último dia da festa dos
Tabernáculos, Ele já havia afirmado que ele cumpriria o significado
do maná (6.31-35). Agora ele afirma diante da cerimônia das
águas: 7.37-38: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba.
Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão
rios de água viva”.

Um povo sedento tem sua sede saciada somente em Cristo. Agora,


através do Espírito Santo que vem habitar em nós, temos dentro
de nós uma fonte inesgotável e permanente. Você deseja matar
sua sede hoje?

Conclusão

Vimos a história de um povo que estava sedento. Ele teve uma


busca desesperada, teve a fonte revelada e sua sede saciada.

Assim como eu e você tivemos nossa sede saciada em Jesus,


agora ele quer que sejamos fonte de água para todos os que ainda
não o conhecem.

Há um provérbio chinês muito interessante “Você não pode obrigar


um cavalo a beber água, mas você pode dar sal para ele”.

“Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede;14


aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá
sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a
jorrar para a vida eterna” (João 4.13-14).

Você também pode gostar