Você está na página 1de 25

PRODUÇÃO REALIZAÇÃO

HISTÓRICO

riado em 1997 por um violinista alemão que tinha o sonho


de produzir ópera no Teatro Amazonas, o Festival Amazonas
de Ópera – FAO começou como um evento pontual, onde
tudo era importado do Leste Europeu: orquestra, solistas, cenários e
figurinos vinham todos de fora. A partir da criação da Amazonas
Filarmônica, no mesmo ano, e consequentemente de todos os
outros corpos artísticos do Teatro Amazonas – incluindo o Coral do
Amazonas, a Companhia de Dança, o Balé Experimental, a Orquestra
de Câmara, entre outros -, este cenário foi gradativamente
mudando. Festival passou a absorver e encabeçar a confecção e
desenvolvimento das produções e a cidade passou a valorizar - e
trabalhar para - a Ópera, incorporando-a à sua identidade cultural.
IMPACTOS
O FAO hoje tem uma das maiores centrais técnicas do país,
com um acervo gigantesco de cenários e figurinos de produções operísticas;
cursos profissionalizantes são ministrados em cada edição do FAO; foi
criado o Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, onde 3 mil crianças da
comunidade recebem aulas de música, dança e drama. Pioneiro nas
políticas de acessibilidade, ofereceu em 2008 a primeira ópera com áudio-
descrição da América Latina.

Em concordância com seu papel formador, o Festival colabora e impulsiona


a carreira de artistas e cantores brasileiros, dando a estes papéis de
destaque em seus títulos e formando cantores, músicos e artistas locais,
que passam a integrar a programação do FAO. Neste sentido, é relevante a
sua atuação como descentralizador da produção de cultura.
IMPACTOS
Além do seu papel de formador, o Festival, em seus 22 anos de existência,
propulsionou a criação brasileira, encomendando obras compostas
especialmente para sua programação, as quais permanecem no repertório de
óperas brasileiras, e inclui em cada edição pelo menos um título de compositor
brasileiro. Como resultado do processo contínuo de formação, atualmente fazem
parte da programação oficial do Festival títulos produzidos por artistas locais.

Diante de todas estas ações, a cena cultural da cidade mudou drasticamente em


22 anos de existência deste projeto e tal processo se desenvolveu tendo como
base e princípio motor a ópera. Hoje, com o entorno do Teatro Amazonas
completamente revitalizado, além de contar com um representativo público
local e vindo de outras partes do Brasil, o Festival atrai turistas estrangeiros e a
repercussão internacional é enorme. O FAO é uma iniciativa para o
desenvolvimento sustentável na Amazônia e projeta externamente a imagem do
Estado e do Brasil de maneira excepcionalmente positiva.
DIFERENCIAL E IMPORTÂNCIA
• Impulsionador da Economia criativa
• Desenvolvimento da produção artística nacional
• Descentralização da produção
• Intercâmbio com agentes e artistas internacionais,
com troca de experiências e conhecimentos
• Formação de cantores, músicos, técnicos e
propulsor de desenvolvimento de carreira
• Impulsionador da economia criativa
• Importante empregador e gerador de renda na
região amazônica
• Projeção da imagem do Brasil no exterior
(principalmente Europa)
• Atração de turistas internacionais de maior poder
aquisitivo, que geram renda na região
• Projeto de excelência (ópera no mundo é vista
como aliada a produtos de maior valor agregado).

Opera Maria Stuarda


Para alcançar o público esperado, o projeto adotará
as ESTRATÉGIAS de divulgação:
PÚBLICO E DIVULGAÇÃO

• Assessoria de imprensa
• Criação de site exclusivo para o projeto
• Espalhamento digital nas mídias sociais
• Anúncios em rádios locais
• Também serão emitidos convites virtuais a formadores
de opinião, artistas, autoridades, empresários e gestores
culturais
• Um Backdrop de grande proporção com as logos
patrocinadoras e parceiras estará sempre como fundo
nos espaços para entrevistas e nos locais de shows
• Outdoors, banners e cartazes serão distribuídos de
forma estratégica pela cidade, nos locais das
apresentações, estarão destacando as marcas
patrocinadoras.

Ópera Mater
Ballet Alma Dolorosa
O que se vê hoje em Manaus, com o desenvolvimento destes
22 anos de atividades do FAO, é o estabelecimento do que
pode ser considerado um parque industrial cultural.
NÚMEROS DO FAO

Em 2019, foram 678 empregos gerados no Festival


Amazonas de Ópera – os quais representam mais do que 8
setores da zona franca de Manaus. Onde antes não havia
nada no setor, hoje existem 6 lojas de instrumentos musicais
e outras lojas profissionais de venda e aluguel de
equipamentos para espetáculos: 6 de som, 4 de vídeo, 7
empresas de luz e 4 de estruturas de palco.

7 novos hotéis foram abertos no entorno do Teatro


Amazonas, o último 5 estrelas. Cerca de 10 novos
estabelecimentos comerciais no entorno da praça do teatro,
entre eles restaurantes, lanchonetes, cafés e bares.

Ópera Florencia en el Amazonas


Crescimento dos cruzeiros internacionais, que aliam o turismo ecológico ao
cultural, marcando suas paradas em Manaus de acordo com o calendário das
récitas das óperas e comprando ingressos para os tripulantes (vale destacar que o
turista de cultura normalmente tem maior poder aquisitivo e gasta mais no local).

Resultados da última edição, XXII FAO, 2019:


NÚMEROS DO FAO 2019

5 óperas C oncertos e recitais


• 2 em shoppings da cidade
• 14 apresentações no Teatro Amazonas
• 4 em centros culturais
• 2 em hospitais
• 1 no Teatro da Instalação
• 2 em escolas públicas
• Total de 27 apresentações, em um
• 2 em cidades do interior
mês e meio de execução do Festival
• 10.350 pessoas atingidas
Parceria com a TV Cultura:

O PÚBLICO DO FESTIVAL, ESTIMATIVAMENTE:


6 espetáculos
23%
NÚMEROS DO FAO 2019

33%

18h de transmissão ao vivo

45 matérias jornalísticas

44%

13 países alcançados na internet


Amazonenses Nacional Internacional

• Amazonenses 33%
130 profissionais envolvidos
• Nacional 44%, com destaque para: Acre, Alagoas, Amapá,
Bahia, Ceará, Distrito Federal, Paraná

• Internacional 23%, com destaque para: Alemanha,


100 mil internautas alcançados
Argentina, Áustria, Canadá, Chile, Colômbia
Na sua 23ª Edição, em 2020, o FAO apresentará:
PROGRAMAÇÃO 23ª EDIÇÃO

• 4 óperas encenadas no Teatro Amazonas (duas das quais realizadas em


parceria com a Universidade da Colômbia e a Ópera da Colômbia),
entre elas uma de compositor brasileiro vivo;
• 1 ópera encenada no Teatro da Instalação;
• Uma ópera a ser desenvolvida com alunos de canto da Universidade do
Estado do Amazonas, também apresentada no Teatro da Instalação;
• 1 ópera de compositor brasileiro encenada com marionetes pelo grupo
Pequeno Teatro do Mundo, em programa especialmente voltado para
as crianças, em 10 apresentações que acontecerão tanto no Teatro
Amazonas quanto em circuito pelas escolas públicas, periferias e dois
municípios do interior do Estado;
• Concertos e recitais;
• Workshops técnico-profissionalizantes em áreas como serralheria,
marcenaria, adereços, perucaria, camareira, técnica de palco e de luz.
• Cada um dos 5 títulos principais terá uma de suas apresentações com
áudio-descrição e libras.

Ópera Dessana Dessana


PROGRAMAÇÃO 23ª EDIÇÃO

Dentre os artistas convidados, constam vários cantores de destaque na cena


lírica nacional, mesclados a importantes cantores internacionais, vindos da
Europa, Estados Unidos e América Latina, um importante intercâmbio para o
crescimento da atividade. Os diretores cênicos e equipe criativa serão oriundos
do Brasil e de países da América do Sul e Europa.

Além da programação artística, o Festival abrigará o 2º Encontro de Economia


Criativa e Teatros de Ópera, envolvendo a participação de representantes de
outros teatros da América Latina e organizações internacionais.
18, 24 e 26 de abril -Teatro Amazonas

PETER GRIMES – Benjamin Britten


PROGRAMAÇÃO 23ª EDIÇÃO
(Inglaterra, 1913 – 1976)
Produção em parceria com a Universidade da Colômbia
Direção de cena de Pedro Salazar (Colômbia)

19 e 25 de abril, 3 e 9 de maio - Teatro Amazonas

O MENINO MALUQUINHO – Ernani Aguiar (Brasil, 1950 -)


Ópera infantil baseada na obra homônima de Ziraldo Alves Pinto, com
libreto de Maria Gessy de Sales.
Direção de cena de Matheus Sabba (Amazonas - Brasil)

10, 15 e 17 de maio - Teatro Amazonas

FIDELIO – Ludwig von Beethoven


(Alemanha, 1770 – Áustria,1827)
(única ópera do compositor)
Parceria com a Ópera da Colômbia
Direção de cena de Alejandro Chacón (Colômbia)
16, 19, 22 e 24 de maio – Teatro da Instalação
PROGRAMAÇÃO 23ª EDIÇÃO

ARMIDE – Jean Baptiste Lully (Itália, 1632 – França,1687)


Direção de cena de William Pereira ( São Paulo, Brasil)

31 de maio, 5 e 7 de junho – Teatro Amazonas

ATTILA – Giuseppe Verdi (Itália, 1813 – 1901)


Direção de cena de Julianna Santos (Rio de Janeiro, Brasil)

Projeto Ópera Mirim – Pequeno Teatro do Mundo

ONHEAMA – João Guilherme Ripper (Brasil, 1959 -)


(10 apresentações distribuídas entre o teatro Amazonas, escolas públicas,
periferia e duas cidades do interior do Estado do Amazonas.)
Direção de Fábio Retti e Pequeno Teatro do Mundo (São Paulo – Brasil)
ÓPERA MIRIM
A formação de novos públicos; educação
PROGRAMAÇÃO 23ª EDIÇÃO
e novas perspectivas por meio da arte.

Como ação integrante do Festival Amazonas de Ópera, a Ópera Mirim foi


concebida com o intuito de ampliar ao máximo a abrangência das
atividades do Festival, levando para fora do Teatro suas produções, com o
objetivo de formar novos públicos e iniciar as crianças e estudantes no
universo desta que tem sido uma atividade econômica e culturalmente
muito relevante na região, a ópera. O FAO entende que, hoje, tal
manifestação é para o Estado do Amazonas tão inquestionável quanto o Boi
de Parintins e o Carnaval, e as ações de formação e educação contribuem
para despertar o interesse em potenciais apreciadores/ trabalhadores do
segmento e zelar pela sua continuidade.

Para a edição 2020, os professores das escolas a serem beneficiadas serão


preparados por educadores e pedagogos envolvidos com o projeto e
receberão material didático a ser trabalhado em sala de aula. Também
serão oferecidas palestras e bate-papos com o compositor da ópera
escolhida, Onheama, de João Guilherme Ripper.

Ópera Onde Vivem os Monstros


PROGRAMAÇÃO 23ª EDIÇÃO

Encenados por um teatro de marionetes, títulos de obras operísticas


especialmente selecionados, extraídos tanto do repertório tradicional
quanto de novas composições nacionais, são apresentados em escolas
públicas, hospitais, asilos, cidades do interior do Estado – muitas delas
afastadas e de dificilíssimo acesso, por barca ou helicóptero -, aldeias
indígenas, entre outros.

Na edição 2019, por exemplo, foram realizadas apresentações em um


hospital para crianças em tratamento de câncer, um centro de tratamento
para crianças e jovens portadores de HIV e em uma aldeia indígena a mais
de 1.000 km de Manaus, a qual retribuiu com uma apresentação ritual
tradicional. Assim, além de disseminar este segmento cultural que já faz
parte da sociedade amazônica, o projeto Ópera Mirim atua para o bem-
estar e enriquecimento de sua população.

Projeto infantil - Ópera com marionetes


Artistas em
destaque

• William Pereira - diretor de cena • Denise de Freitas - mezzo-soprano


FICHA TÉCNICA

• Homero Perez - baixo • Julian Hubbard - tenor

• Maria Katzarava - soprano • Homero Velho - barítono

• Manuela Uhl - soprano • Pedro Salazar - diretor de cena

• Sávio Sperandio - baixo • Julianna Santos - diretora de cena


Flavia Furtado
Diretora Executiva
Vlaanderen Produções Culturais

Pianista de formação, estudou no Brasil com Entre seus trabalhos mais significativos estão o
Linda Bustani e na Bélgica com Heidi Hendricks. Festival Amazonas de Ópera desde 2004, e
produções como: A Menina das Nuvens, ópera de
Em 2006 cria a Vlaanderen Produções Culturais, Villa-Lobos, Aula Magna com Stálin de David
empresa especializada em grandes eventos de Pownall, Ça ira de Roger Waters, Bienal de Música
música clássica com mais de 70 produções no Hoje, duas turnês do grupo ICE – International
curriculum entre, óperas, teatro, concertos, Contemporary Ensemble, no Brasil, entre outros.
festivais, trabalhando com algumas das Nos últimos anos, vem gerindo e desenvolvendo
instituições mais importantes do país, como: vários trabalhos paralelos com a economia da
Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Teatro cultura em diversos âmbitos, junto ao Fórum
Municipal de São Paulo, Teatro São Pedro, Teatro Brasileiro pelos Direitos Culturais e Ópera
Amazonas, Centro Cultural Banco do Brasil, Latinoamerica.
Universidade Federal do Paraná, Theatro da Paz.
Luiz Fernando Malheiro
Diretor Artístico FAO

Reconhecido pela crítica como um dos principais ópera/2000, dirigiu no FAO/2005 a primeira
nomes da ópera no Brasil, Malheiro tem em seu montagem brasileira do Anel do Nibelungo de
repertório mais de 60 títulos regidos. Wagner, recebendo ainda mais dois prêmios:
Universo da Ópera e Espetáculo do Ano. Possui
É o atual Diretor Artístico e Regente Titular da gravações de óperas com a radio nacional da
Orquestra Amazonas Filarmônica, diretor artístico Bulgária e já regeu orquestras pelo mundo inteiro.
do Festival Amazonas de Ópera (FAO). Foi diretor
artístico do Teatro São Pedro de São Paulo e Estudou composição com J. Targosz na Polônia e
regente titular de sua orquestra e foi diretor de com R. Dionisi na Itália. Estudou regência com T.
Ópera no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Colacioppo no Brasil, K. Missona na Polônia e na
Itália estudou com Leonard Bernstein em Roma, F.
Vencedor do Prêmio Carlos Gomes: Regente de Leitner em Siena e Carlo Maria Giulini em Milão.
Ópera (2012, 2011 e 2009) e Universo da
A Ópera é entendida mundialmente como impulsionadora da economia, grande geradora de
empregos, incentivadora do turismo e forte fonte de soft power, além de uma linguagem
PORQUE INVESTIR NESSE PROJETO?
que transpassa barreiras culturais. Uma produção contínua e efetiva deste gênero
movimenta os setores de cultura, educação, turismo, exportação e políticas públicas.

O FAO sem dúvida é o principal evento de Ópera no Brasil, o mais constante e longevo do país,
e suas ramificações vão desde levar educação e cultura a todas as camadas da população, além
de, durante o Festival, formar técnicos nas várias funções que um teatro de ópera precisa para
funcionar em sua plenitude. Com isso, toda a cadeia artística da cidade se beneficia, pois um
profissional formado na ópera é capacitado a atuar em várias outras formas de arte, como
teatro, dança e o próprio Boi de Parintins, e se mantém empregados durante todo o ano.

Poucas formas de arte têm uma cadeia produtiva tão extensa e abrangente quanto à ópera.
Uma das vantagens da formação de profissionais em ópera, em especial aqueles ligados às
suas atividades técnicas e artesania, é que esta pode dar-se sem que o aprendiz tenha
completado o ensino formal, propiciando assim a possibilidade de profissionalização a
camadas mais desfavorecidas da população.

O Festival Amazonas de Ópera atinge e se comunica com diversas camadas da população,


independentemente de sua formação ou condição socioeconômica, e seu público é hoje um
dos mais jovens do país (Segundo a Consultoria J Leiva), o que contribui para a formação de
novas plateias e consumidores de cultura.
As CONTRAPARTIDAS pensadas
para os investidores do projeto são:
RELACIONAMENTO
BENEFÍCIOS DO PATROCINADOR

VISIBILIDADE 10% dos ingressos para os


patrocinadores trabalharem
Inserção da logomarca dos Citação dos patrocinadores nos
seus relacionamentos
patrocinadores em todos os anúncios de rádio e na locução
institucionais com públicos
materiais de divulgação, a saber: que antecede as apresentações.
de interesse.
• Release da assessoria de Possibilidade de inserção de vídeo
imprensa institucional da empresa
• Outdoors patrocinadora antes das
apresentações. GESTÃO
• Cartazes, banners, folders
• Mídias digitais (com Entrega de relatórios de
possibilidade de trabalhar avaliação, clipping de mídia
conjuntamente os conteúdos) ISENÇÃO FISCAL e prestação de contas.
• Convites virtuais
Projeto aprovado na Lei
• Programa de sala
Federal de Incentivo à
• Backdrop Cultura no Artigo 18 (100% Outras contrapartidas e ações de
de isenção fiscal do IR). ativação podem ser negociadas.
CONTRAPARTIDAS INDIRETAS
• Responsabilidade social
BENEFÍCIOS DO PATROCINADOR

• Aproximação com poder público


• Descentralização de investimentos
• Ampliação de públicos

O Festival Amazonas de Ópera colabora com o desenvolvimento da região amazônica,


formando mão de obra, criando empregos e incentivando o turismo, tudo isso
colaborando com a preservação da vegetação e do ecossistema da Amazônia, pois são
atividades altamente geradoras de renda que não desmatam e não poluem. O FAO é
um grande representante e agente do desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Exemplo de excelência, reconhecido pelo setor, público e mídia nacionais e


internacionais, o FAO é um projeto diferenciado, com justificativa e embasamento
socioeconômico e ambiental, fora do eixo tradicional de produção cultural brasileiro e
com grande potencial agregador de valor. OUTRAS CONTRAPARTIDAS E AÇÕES DE
ATIVAÇÃO PODEM SER NEGOCIADAS.
Plano de cotas
OPÇÕES DE INVESTIMENTO

1 2 3 4

Patrocinador Master Cota Solista Cota Coro Cota Orquestra


R$ 1.500.000 = 1 cota R$ 1.000.000 = 1 cota R$ 650.000 = 2 cotas R$ 300.000 = 4 cotas

Há uma cota “apresentador” em negociação, no valor de R$ 2,5 M.

VALOR TOTAL DO PROJETO: R$ 5.000.000,00


Ópera Latinoamérica
no Brasil

Em 2021, Manaus sediará o Encontro Anual da Ópera A OLA foi formada em 2007, tendo o Teatro Amazonas
Latinoamérica (OLA), entidade que reúne como um dos membros fundadores. Sediada em
SOBRE A OLA

representantes dos teatros de ópera da América Latina Santiago (Chile), tem hoje mais de 25 membros de 11
e Espanha. O anúncio foi feito durante a 12ª edição do países da América Latina e Espanha: Argentina, Brasil,
evento, que está acontecendo no Teatro Solís, em Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Espanha, Estados
Montevidéu, no Uruguai, após votação em que a Unidos, México, Peru e Uruguai.Atualmente o Brasil
capital do Amazonas concorreu com as cidades de Cali tem quatro membros ativos na OLA: Teatro Amazonas
(Colômbia) e Lima (Peru). Será a primeira vez que o (AM), Theatro da Paz (PA), Theatro Municipal de São
Brasil receberá o evento. Paulo (SP) e Cia Opera São Paulo.
CONTATOS DE CAPTAÇÃO

Daniele Torres
11 97286 5227
daniele@companhiadacultura.com.br

Flávia Furtado
11 98381 7186
flavia.vlaanderen@gmail.com