Você está na página 1de 4

ENSAIO SOBRE INFLUÊNCIA DA HISTÓRIA DA ÁFRICA DO SUL NA

HISTÓRIA DO BRASIL: RELIGIÃO, CULTURA E DIVERSIDADE

João Américo Xavier Chiqueto 1


Larissa Lubiana Costa 2
Luana Miranda Engelhardt 3
Pablo Henrique da Silva Lourenzoni 4
Thauany Ferreira dos Santos 5

1. INTRODUÇÃO
Este ensaio é parte de uma análise sobre a influência da história da África do Sul na
história do Brasil, apontando o histórico da formação da cultura afro-brasileira, por meio da
religião e a variedade de aspectos que coopera para a formação da cultura brasileira,
demonstrando como os africanos foram passando seus costumes através do processo de
colonização do Brasil, mediante a contribuição dos escravos na geração de uma grande
diversidade deste a religião a cultura, costumes e práticas, como também teve grande
influência na linguagem, no qual a presença de variadas palavras do dialeto africano estão
entrelaçado a nossa forma de comunicação.

2. DESENVOLVIMENTO
A influência africana no processo de formação da cultura afro-brasileira começou a
ser delineada a partir do tráfico negreiro, por meio da introdução de aspectos religiosos, e
culturais, como a culinária, a musicalidade e a configuração linguística em território
brasileiro. A união e a mistura de todos esses elementos deram origem à identidade
brasileira.Tudo isso denota a influência das tradições e costumes africanos na cultura do povo
brasileiro.
2.1 Contribuição africana para algumas religiões brasileiras
Com a chegada dos escravos africanos ao Brasil no século XVIII, em sua maioria da
etnia iorubá, muitos elementos de sua cultura e religião foram trazidos com eles. Contudo,
havia uma proibição de suas práticas religiosas pela Igreja Católica. Para lidar com tal
situação, os escravos recorreram ao sincretismo religioso, no qual associavam suas
divindades, os orixás, aos santos católicos (BEZERRA, 2015).
Após a abolição da escravatura, em 1888, a proibição das religiões de matrizes africanas
foi gradualmente invalidada. Formaram-se, então, religiões afro-brasileiras, como o
Candomblé e a Umbanda. Atualmente, “cerca de 1,5% da população brasileira é adepta de
alguma religião de matriz africana”. (CAMPOLIM, 1994, p.01)
Apesar de as práticas religiosas serem livres e até protegidas pela lei federal 6292, de 15
de dezembro de 1975 (BRASIL, 1975, p.01), ainda há um preconceito muito grande em
relação às religiões afro-brasileiras, principalmente por parte de adeptos do Cristianismo. A
intolerância religiosa vai desde agressões verbais, incluindo o emprego do termo pejorativo
“macumba” para designar seus rituais, até agressões físicas e invasão de terreiros.
Compreender alguns aspectos da riqueza das religiões de matrizes africanas é o ponto de
partida para combater o preconceito, que é fonte da intolerância religiosa.
2.2 Influência africana na diversidade e na cultura brasileira
Consoante, a vinda dos africano no processo de colonização do Brasil, como escravos
ocasionou em uma ampla diversidade deste a religião a cultura,costumes e práticas, como
também teve grande influência na linguagem, no qual a presença de variadas palavras do
dialeto africano estão entrelaçado a nossa forma de comunicação. E essa ampla diversidade
está relacionado principalmente a algumas etnias como os nagôs, bantos e jejes.
Dessa forma, a diversidade linguística presente no Brasil, pode ser explicado pela
adoção de algumas palavras na nossa escrita e fala informal, dentre algumas delas que são
mais utilizadas são de origem banta, no qual podemos destacar são bagunça, batucar,
cachaça,caçula, cafuné, carimbo, caatinga, cochilar, marimbondo, moleque, quilombo,
senzala, entre várias outras, sendo aproximadamente 5 mil palavras que são de origem
africana e estão presente na linguagem de com mais frequência em algumas regiões como na
Bahia(FRANZIN,2012).
Outro aspecto que demonstra a influência africana na diversidade principalmente
cultural, e a produção musical em que em alguns ritmos apresenta características
predominante desse povos, dando origem a diversas letras de músicas e ritmos como o
samba, afoxé, maracatu, lundu, moçambique e a congada. Além da música, muitos
instrumentos da cultura africana se mostram presentes, dentre esses então o afoxé que
consiste em um tipo de chocalho, o agogô que aparenta um cone de metal que é tocado com
uma baqueta, caxixi que equivale a um cesto de vime em forma de chocalho; atabaque e
cuíca que são tambores, e os mais conhecido o berimbau.
Outro ponto que merece atenção trata-se da influência advinda da culinária e da
dança africana no processo de formação da cultura afro-brasileira. Parte dos ingredientes
usados na culinária brasileira deve-se em razão a introdução de muitos elementos africanos,
dentre os dotes culinários presente em território brasileiro oriundo das tradições africanas
estão, o vatapá, o caruru, o acarajé, a famosa feijoada, a tapioca, a pamonha e a canjica, entre
outros. A capoeira também foi um dos fatores que contribui na construção da identidade
brasileira. Tal expressão cultural consiste no envolvimento de diversos componentes tais
como, arte-marcial, dança e música, no qual, foi criada pelos escravos como uma estratégia
de defesa, sendo eles embalados pelo som do berimbau. Assim como muitas formas da
cultura africana, a capoeira se mantém viva até hoje, e obteve várias conquistas. Por exemplo
em 2008, a capoeira foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
(IPHAN), e ao final de 2014, a roda de capoeira foi reconhecida pela Unesco como
Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.Além disso, criou-se a Casa da Capoeira de
Bauru no qual emprega atividades que incluem samba de roda, maculelê, tal iniciativa busca
a inclusão de expressões culturais na cidade.

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS
O estudo da influência dos povos africanos na cultura, arte, música e religião
brasileira permite que sejam estabelecidas a importância de conhecer e divulgar a cultura
africana e afro-brasileira no território nacional, bem como a necessidade de combater o
preconceito vigente contra suas práticas culturais e manifestações religiosas. Um dos
principais motivos para a discriminação e preconceito em relação às religiões de matrizes
africanas é a falta de conhecimento acerca de suas crenças e práticas, que tem sido deturpadas
e distorcidas pela mídia e outras religiões, sendo frequentemente associadas a algo negativo.
Sendo assim, a divulgação de informações concretas e pesquisas aprofundadas sobre o tema
são essenciais na desconstrução da imagem pejorativa atribuída a esse complexo cultural.

4. REFERÊNCIAS

CAMPOLIM. Candomblé no Brasil: orixás, tradições, festas e costumes. Super


interessante, 1994. Disponível em:
<https://super.abril.com.br/historia/candomble-no-brasil-orixas-tradicoes-festas-e-
costumes/>. Acesso em 17 de novembro de 2018.

BEZERRA, Juliana. Sincretismo e Religiões Afro-brasileiras. Niterói - Rj: Toda Matéria,


2015. Disponível em:
<https://www.todamateria.com.br/sincretismo-e-religioes-afro-brasileiras/>. Acesso em: 15
nov. 2018.

BRASIL. LEI Nº 6.292, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1975. Presidência da República Casa


Civil: Brasília, 1975. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/1970-1979/L6292.htm>. Acesso em 17 de
novembro de 2018.
POR DENTRO DA ÁFRICA. “O iorubá precisa ser reconhecido como parte da nossa
cultura”, diz Marciode Jagun. Por dentro da África, 2017. Disponível em:
<http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/ioruba-precisa-ser-reconhecido-como-parte-da-
nossa-cultura>. Acesso em 17 de novembro de 2018.

MELO. A influência africana na cultura brasileira. Estudo kids, 20--. Disponível em:
<https://www.estudokids.com.br/a-influencia-africana-na-cultura-brasileira/>. Acesso em 17
de novembro de 2018.

BATISTA. Os costumes e a cultura da África herdados pelos brasileiros. Estudo prático,


20--. Disponível em:
<https://www.estudopratico.com.br/os-costumes-e-a-cultura-da-africa-herdados-pelos-
brasileiros/> . Acesso em 17 de novembro de 2018.

FERREIRA. A influência africana no processo de formação da cultura afro-brasileira.


Cor da cultura, 2013. Disponível em:
<http://www.acordacultura.org.br/artigos/29082013/a-influencia-africana-no-processo-de-
formacao-da-cultura-afro-brasileira>. Acesso em 17 de novembro de 2018.

FRANZIN. Você sabe qual é a importância da cultura negra para a história do Brasil?.
EBC, 2012. Disponível em:
<http://www.ebc.com.br/infantil/voce-sabia/2012/11/voce-sabe-qual-e-a-importancia-da-
cultura-negra-para-a-historia-do>. Acesso em 17 de novembro de 2018.

HESPANHOL, Giovanna. As raízes da capoeira: luta, dança e jogo. Repórter Unesp.


<http://reporterunesp.jor.br/2015/04/03/a-capoeira-e-suas-raizes/>. Acesso em 17 de
novembro de 2018.