Você está na página 1de 2

Estudo de Caso – In.

à Sistemas da Informação
Prof: Anderson Moura Aluno: Jeremias Moraes
CRA: 1915912

Estamos em um mundo cada vez mais tecnológico, com um


nível de  mecanização e a automação das empresas e fábricas
nunca visto. Observando esse cenário comente a expressão:
"As pessoas tem um papel fundamental nas organizações".

As pessoas compõem dentro de uma organização um papel fundamental na


gestão do conhecimento assim como os processos e tecnologia, e mais
recentemente estrutura organizacional, cultura e liderança. [1]

A gestão do conhecimento desde a década de 80 tomou protagonismo uma


vez que contribui para a valoração das empresas, adicionando a componente
de ativos intangíveis, sendo esta de igual o maior importância que os ativos
tangíveis de uma empresa em alguns casos e setores. [1,2]

A gestão do conhecimento pode ser descrita como um esforço mútuo,


intencional e padronizado do conhecimento das pessoas, tecnologias e
processos e da estrutura de uma organização, com a finalidade de gerar mais
valor através do conjunto de práticas documentadas sobre o conhecimento. [2]

Séverin define que o recurso com maior valor na gestão do conhecimento de


uma organização são suas pessoas, e que um ambiente que estimula,
encoraja seus colaboradores a criar, aprender, compartilhar e se utilizar do
conhecimento beneficia mais fornecedores, clientes e a organização como
um todo.[3]

Descreve ainda que os processos e a tecnologia são importantes para a


otimização de recursos escassos como o tempo, o dinheiro e os esforços
dos colaboradores, entregando uma melhor gestão do conhecimento por
parte das pessoas. Contudo os processos e as tecnologias devem ser
utilizados alinhadas com a estratégia e visão da empresa, pois aplicadas de
forma errônea, podem sobrecarregar colaboradores de informações, gerar
processos administrativos sem valor algum para a instituição e instituir
conflito entre colaboradores e sua forma de trabalhar. [3]
Em suma as pessoas têm o papel chave na gestão do
conhecimento e as empresas podem se beneficiar ou não do
conhecimento aprendido, criado, utilizado e compartilhado por
seus colaboradores, com auxílio ou não de processos e tecnologia.

Referência Bibliográfica:

[1] NEVES, Maria Lúcia Corrêa; VARVAKIS, Gregório jean; FIALHO, Francisco
Antonio Pereira. Pessoas, processos e tecnologia na gestão do
conhecimento: uma revisão da literatura. Revista de Ciências da
Administração, Florianópolis, p. 152-167, ago. 2018. ISSN 2175-8077.

Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/2175-


8077.2018v20n51p152>.

Acesso em: 10 nov. 2019.

[2] DALKIR, Kimiz. Knowledge Management in Theory and Practice. 3ed.


Cambridge: MIT Press, 2017.

Disponível em:

< https://dianabarbosa.files.wordpress.com/2009/03/knowledge-
management-kimiz-dalkir.pdf >

Acessado em 10 nov. 2019

[3] SERVIN, Géraud. ABC of Knowledge Management. Wigan: NHS National


Library for Health, 2005

Disponível em:

<
http://www.fao.org/fileadmin/user_upload/knowledge/docs/ABC_of_KM.pdf
>

Acessado em 10 nov. 2019