Você está na página 1de 2

Condução em barras metálicas

Carolina de Campos; Hélide Gomes; Matheus Alberti;


Thaysa Moya & Wédisley Maroldi
Fenômenos de Transporte I / Engenharia de Alimentos
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Professor: Charles Windson Isidoro Haminiuk

Resumo -

Introdução
Os materiais utilizados foram:
A  transferência de energia térmica equipamento de condução de calor em barra
ocorre entre um sistema e sua vizinhança formado de um painel elétrico com a finalidade
apenas em consequência da diferença de de regular a temperatura dos termopares,
temperatura existente entre eles. A condução quatro barras cilíndricas distintas sendo a
e a convecção são duas formas essenciais barra A e B de aço inox com diâmetros iguais
para que esta aconteça (ÇENGEL, 2012). a 25 e 13 mm, respectivamente, a barra C de
A condução é um processo que ocorre cobre e a D de alumínio ambas com diâmetro
em meio estacionário através de um gradiente de 13 mm.
de temperatura entre fluídos, sólidos ou No equipamento haviam 10
ambos. Podemos associar o aumento da termopares em cada barra e as distâncias
energia molecular dessas substâncias à entre eles constam na tabela a seguir.
temperaturas elevadas, ocorrendo quando as
moléculas do mesmo meio se chocam com Barras Distancia entre os termopares.
maior frequência através do movimento A,B,C Nº1 50 Nº6 450
aleatório, nesta interação entre as mais eD Nº2 100 Nº7 600
energéticas e menos energéticas ocorre a Nº3 150 Nº8 750
transferência de calor  para a vizinhança na Nº4 250 Nº9 900
direção da diminuição de temperatura Nº5 350 Nº10 1150
(INCROPERA, 2008). Tabela 1. Posição dos termopares ao longo das
Já na convecção, além de utilizar o barras, a partir da parede da Fonte quente, em mm.
mecanismo de transferência através do
movimento aleatório, é necessário também o Inicialmente realizou-se a leitura dos
movimento global de um fluido, na qual, em termopares das barras, a fim de regular
um instante qualquer com a presença de um possíveis desvios em relação a temperatura
gradiente de temperatura, um grande número média ambiente de (temperatura ambiente
de moléculas se move coletivamente inicial) informada pelo termopar instalado
contribuindo para o transporte de calor sobre o painel elétrico.
(INCROPERA, 2008). Em seguida, o recipiente do Banho
Um fator importante é a superfície em termostático foi enchido com água em
que o processo ocorre, pois ela pode temperatura ambiente até o nível idicado no
influenciar em uma maior ou menor visor do mesmo e regulou-se a temperatura
transferência. Se o processo ocorrer em inicial ( T0 ) da Fonte quente para 50º C, assim
fluídos, o uso de aletas é recomendado devido que esperado 30 minutos para que atingisse o
a uma grande exposição das superfícies, regime permanente de transferência de calor
aumentando a taxa de transferência de calor ao longo das barras, anotou-se as
por convecção (ÇENGEL, 2012). temperaturas da Fonte quente ( T 0 ) e das
Portanto, o experimento teve como barras conforme cada termopar, segundo a
objetivo determinar as temperaturas  conforme Tabela 2.
o comprimento das barras de seção circular O mesmo procedimento foi repetido
uniforme e analisar o comportamento de sendo modificada a temperatura ambiente à (X
acordo com os materiais das mesmas. GRAUS) e da fonte quente à 90º C, conforme
a Tabela 3.
Metodologia
5 33 31 38 36
Resultados e Discussões 4 33 33 41 40
3 34 34 40 43
2 38 38 46 44
Termopares Barra Barra Barra Barra 1 44 41 48 44
A B C D Tabela 3. Temperatura das barras de acordo com
10 30 31 30 30 cada termopar em fonte quente a 50º C.
9 31 30 31 31 AR = 29,5
8 31 31 31 31 Tabela 4. Temperatura das barras de acordo com
7 31 31 31 30 cada termopar em fonte quente a 90º C.
6 31 31 30 35
5 31 30 30 30 AR = 29,5
4 32 31 31 31
3 30 30 30 30 Conclusões
2 30 31 31 30
1 31 31 30 31
Referências
Tabela 2. Temperatura das barras de acordo com
cada termopar em fonte quente a 27,8º C.
AR = 30,4º C 1. ÇENGEL, Yunus A. Transferência de
calor e massa: uma abordagem
Termopares Barra Barra Barra Barra pratica. 4. ed. São        Paulo:
A B C D McGraw-Hill, 2012.
10 32 32 32 32 2.
9 32 31 33 33 INCROPERA, Frank P. et al.
8 31 32 34 32 Fundamentos de transferência de
7 32 32 34 33 calor e de massa. 6. ed. Rio de
6 32 32 36 39 Janeiro, RJ: LTC, 2008.

Termopares Barra Barra Barra Barra


A B C D
10 32 32 33 32
9 32 29 35 33
8 31 32 38 34
7 32 31 39 36
6 31 32 44 44
5 34 30 53 43
4 34 30 53 43
3 42 38 51 62
2 54 48 73 67
1 69 61 80 66

Você também pode gostar