Você está na página 1de 155

Almanaque da

COVID-19
Mateus Pereira
Mayra Marques
Copyright © 2020, Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo.
Copyright © 2020, Editora Milfontes. Valdei Araujo
Avenida Adalberto Simão Nader, 1065/ 302, República, Vitória - ES, 29070-053.
Compra direta e fale conosco: https://editoramilfontes.com.br
Distribuição nacional em: www.amazon.com.br
editor@editoramilfontes.com.br
Brasil

Editor Chefe
Bruno César Nascimento

Conselho Editorial
Prof. Dr. Alexandre de Sá Avelar (UFU) Almanaque da
COVID-19
Prof. Dr. Arnaldo Pinto Júnior (UNICAMP)
Prof. Dr. Arthur Lima de Ávila (UFRGS)
Prof. Dr. Cristiano P. Alencar Arrais (UFG)
Prof. Dr. Diogo da Silva Roiz (UEMS)
Prof. Dr. Eurico José Gomes Dias (Universidade do Porto)
Prof. Dr. Fábio Franzini (UNIFESP)
Prof. Dr. Hans Urich Gumbrecht (Stanford University)
Profª. Drª. Helena Miranda Mollo (UFOP) 150 dias para não esquecer ou a história do
Prof. Dr. Josemar Machado de Oliveira (UFES)
Prof. Dr. Júlio Bentivoglio (UFES) encontro entre um presidente fake e um virus real
Prof. Dr. Jurandir Malerba (UFRGS)
Profª. Drª. Karina Anhezini (UNESP - Franca)
Profª. Drª. Maria Beatriz Nader (UFES)
Prof. Dr. Marcelo de Mello Rangel (UFOP)
Profª. Drª. Rebeca Gontijo (UFRRJ)
Prof. Dr. Ricardo Marques de Mello (UNESPAR)
Prof. Dr. Thiago Lima Nicodemo (UNICAMP)
Prof. Dr. Valdei Lopes de Araujo (UFOP)
Profª. Drª Verónica Tozzi (Universidad de Buenos Aires)

Editora Milfontes
Vitória, 2020
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta obra poderá ser reproduzida
ou transmitida por qualquer forma e/ou quaisquer meios (eletrônico ou mecânico,
incluindo fotocópia e gravação digital) sem a permissão prévia da editora.

Revisão
De responsabilidade exclusiva dos organizadores

Capa
Imagem da capa:
Criador: Peter Zelei Images - Crédito: Getty Imagesintelectual
Disponível em:
https://www.metropoles.com/coronavirus/covid-19-todos-os-estados-do-brasil-tem-au-
mento-de-casos-veja-ranking
Bruno César Nascimento - Aspectos

Projeto Gráfico e Editoração


Bruno César Nascimento

Impressão e Acabamento
GM Gráfica e Editora

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


P436a Pereira, Mateus Henrique de Faria; Marques, Mayra; Araujo, Valdei Lopes. “Só o Almanaque verdadeiramente nos penetra na realidade
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer ou a história do encontro entre da nossa existência, porque a circunscreve, a limita, a divide
um presidente fake e um vírus real.
em talhões regulares, curtos, compreensíveis, fáceis de desejar e
Vitória: Editora Milfontes, 2020.
306 p.: 23 cm.: il. depois fáceis de recordar porque têm nome, e quase têm forma,
e onde se vão depondo e vão ficando os fatos da nossa feliz
ISBN: 978-65-86207-15-6 ou desgraçada História. As datas, e só elas, dão verdadeira
1. Almanaque 2. COVID-19 3. Bolsonarismo I. Pereira, Mateus Henrique de Faria II. consistência à vida e à sua evolução”. “O que me parece que um
Marques, Mayra III. Araujo, Valdei Lopes IV. Título. almanaque devia ser, era uma espécie de guia especial, para o
pensamento e para a ação”.
CDD 036.9
Eça de Queiroz, 1895
Sumário
Introdução..................................................................................13
Parte I
Diário da Pandemia
1ª Quinzena - O último ano novo do Velho Mundo..................21
1º dia – 31 de dezembro............................................................................ 21
5º dia – 5 de janeiro.................................................................................. 21
8º dia – 7 de janeiro.................................................................................. 23
12º dia – 11 de janeiro ............................................................................. 23
14º dia – 13 de janeiro.............................................................................. 24

2ª Quinzena - Um vírus infiltrado na aldeia global...................25


17º dia – 16 de janeiro.............................................................................. 25
18º dia – 17 de janeiro.............................................................................. 25
21º dia – 20 de janeiro.............................................................................. 25
22º dia – 21 de janeiro.............................................................................. 25
24º dia – 23 de janeiro.............................................................................. 26
25º dia – 24 de janeiro.............................................................................. 27
26º dia – 25 de janeiro.............................................................................. 28
27º dia – 26 de janeiro.............................................................................. 28
28º dia – 27 de janeiro.............................................................................. 28
29º dia – 28 de janeiro.............................................................................. 30
30º dia – 29 de janeiro.............................................................................. 30

3ª Quinzena - O vírus mostra a sua cara...................................31


31º dia – 30 de janeiro.............................................................................. 31
32º dia – 31 de janeiro ............................................................................. 32
33º dia - 1º de fevereiro............................................................................. 33
34º dia - 2 de fevereiro.............................................................................. 34
35º dia – 3 de fevereiro............................................................................. 35
36ºdia – 04 de fevereiro............................................................................ 36
37º dia – 05 de fevereiro........................................................................... 36
38º dia – 06 de fevereiro........................................................................... 36
39º dia – 07 de fevereiro........................................................................... 36
41º dia – 09 de fevereiro........................................................................... 38
42º dia – 10 de fevereiro........................................................................... 38
42º dia – 11 de fevereiro........................................................................... 39 82º dia – 21 de março..............................................................................60
45º dia – 13 de fevereiro........................................................................... 40 83º dia – 22 de março..............................................................................60
84º dia – 23 de março..............................................................................61
4ª Quinzena - O vírus conquista partes do mundo, mas Milão não
85º dia – 24 de março .............................................................................61
pode parar .................................................................................41
86º dia – 25 de março .............................................................................63
46º dia – 14 de fevereiro...........................................................................41
87º dia – 26 de março..............................................................................64
47º dia – 15 de fevereiro...........................................................................41
88º dia – 27 de março .............................................................................65
50º dia – 18 de fevereiro...........................................................................42
89º dia – 28 de março .............................................................................66
51º dia – 19 de fevereiro...........................................................................42
90º dia – 29 de março .............................................................................66
52º dia – 20 de fevereiro...........................................................................42
53º dia – 21 de fevereiro............................................................................43 7ª Quinzena - O mundo confinado; Mandetta é a estrela que
54º dia – 22 de fevereiro...........................................................................43 brilha..........................................................................................69
55º dia – 23 de fevereiro...........................................................................43 91º dia – 30 de março...............................................................................69
57º dia – 25 de fevereiro ..........................................................................44 92º dia – 31 de março...............................................................................69
56º dia – 26 de fevereiro...........................................................................44 93º dia – 01 de abril .................................................................................70
57º dia – 27 de fevereiro...........................................................................45 94º dia – 02 de abril ................................................................................70
95º dia – 03 de abril.................................................................................71
5ª Quinzena - O mundo precisa parar, a Europa vai à lona ......47 96º dia – 04 de abril ................................................................................73
61º dia – 29 de fevereiro...........................................................................47 97º dia – 05 de abril ................................................................................74
62º dia – 01 de março...............................................................................47 98º dia – 06 de abril ................................................................................74
63º dia – 02 de março...............................................................................48 99º dia – 07 de abril ................................................................................75
66º dia – 05 de março...............................................................................49 100º dia – 08 de abril...............................................................................76
67º dia – 06 de março...............................................................................49 101º dia – 09 de abril...............................................................................79
68º dia – 07 de março...............................................................................50 102º dia – 10 de abril ..............................................................................82
69º dia – 08 de março...............................................................................51 103º dia – 11 de abril...............................................................................83
70º dia – 09 de março...............................................................................51 104º dia – 12 de abril...............................................................................87
71º dia – 10 de março...............................................................................51 105º dia – 13 de abril...............................................................................88
72º dia – 11 de março...............................................................................52
73º dia – 12 de março...............................................................................53 8ª Quinzena - O vírus nocauteia o Tio Sam e Super Moro abandona
74º dia – 13 de março...............................................................................53 o ringue......................................................................................91
75º dia – 14 de março ..............................................................................54 106º dia – 14 de abril............................................................................... 91
107º dia – 15 de abril............................................................................... 95
6ª Quinzena - No mundo: decisões; no Brasil: a gripezinha.....55 109º dia – 17 de abril.............................................................................100
76º dia – 15 de março..............................................................................55 110º dia – 18 de abril.............................................................................100
77º dia – 16 de março..............................................................................56 111º dia – 19 de abril.............................................................................100
78º dia – 17 de março .............................................................................57 114º dia – 22 de abril. ...........................................................................100
79º dia – 18 de março..............................................................................58 115º dia – 23 de abril ............................................................................105
80º dia – 19 de março .............................................................................58 116º dia – 24 de abril.............................................................................111
81º dia – 20 de março..............................................................................59
117º dia – 25 de abril.............................................................................113 149º dia - 27 de maio............................................................................ 171
118º dia – 26 de abril.............................................................................113 150º dia - 28 de maio............................................................................ 173
119º dia – 27 de abril.............................................................................115
Parte II
120º dia – 28 de abril.............................................................................115
Crônicas Atualistas: vivendo no limite da agitação
9ª Quinzena - O encontro marcado entre o vírus e Bolsonaro: não Bolsonaro perde ou ganha com a pandemia?.............................
era só uma gripezinha..............................................................119 181
121º dia – 29 de abril.............................................................................119
122º dia – 30 de abril.............................................................................120 Somos Todos Brothers! Bolsonarismo e vigilância digital.........
123º dia – 01 de maio............................................................................120
189
124º dia – 02 de maio............................................................................122 Depois de Moro,Guedes também cai ........................................
125º dia – 03 de maio............................................................................123 199
126º dia – 04 de maio............................................................................124 Bolsonaro e sua verdade sobre Moro......................................................... 204
127º dia – 05 de maio............................................................................125 Bolsonaro quer uma história oficial olavista. O que está por trás do
128º dia – 06 de maio............................................................................126 veto de Bolsonaro à regulamentação da profissão de historiador?
129º dia – 07 de maio ...........................................................................128 207
130º dia – 08 de maio............................................................................130
131º dia – 09 de maio ...........................................................................132
A saída de Moro dividiu, mas o vício em fake news reunirá o
enxame bolsonarista..................................................................
132º dia – 10 de maio............................................................................134
213
133º dia – 11 de maio ...........................................................................134
134º dia – 12 de maio ...........................................................................136 Marcha Virtual pela Ciência invade Brasília e cientistas pedem
135º dia – 13 de maio............................................................................138 socorro.......................................................................................
221
10ª Quinzena - O Brasil está nu; o presidente é fake e o vírus é
real............................................................................................ 143 Regina Duarte está com medo da Comissão da Verdade da
136º dia – 14 de maio........................................................................... 143
COVID-19..................................................................................
137º dia – 15 de maio........................................................................... 149
227
138º dia - 16 de maio............................................................................ 150 Morre o ministério de Nelson Teich, mas os negócios não podem
139º dia - 17 de maio............................................................................ 153 parar...........................................................................................
140º dia - 18 de maio............................................................................ 156 235
141º dia - 19 de maio............................................................................ 158 Cloroquina ou Tubaína?............................................................
142º dia - 20 de maio............................................................................ 160 243
143º dia - 21 de maio............................................................................ 161 O caso Fox News, com F de fake...............................................................244
144º dia - 22 de maio............................................................................ 163 A atualização da Jovem Pan....................................................................246
145º dia - 23 de maio............................................................................ 165 O quê a trajetória da Fox e da Jovem Pan pode ensinar ao campo
146º dia - 24 de maio............................................................................ 165 progressista?...................................................................................250
147º dia - 25 de maio............................................................................ 168 O que fazer? .........................................................................................251
148º dia - 26 de maio............................................................................ 170 Enfim, porque a cloroquina é tão importante para Trump e Bolsonaro? .......252
Vídeo revela que Bolsonaro é prisioneiro das alucinações
olavistas......................................................................................
255

A reunião é um retrato do que é esse governo.........................


Introdução
257
Cento e cinquenta dias se passaram, após um início recheado
Parte III de perguntas: Como a pandemia afeta o destino das democracias
Hiperlinks liberais? Como as direitas, em especial, a extrema-direita e
O novo coronavírus (SARS-CoV-2) e a COVID-19........................263 a Alt Right, estão lidando com a revalorização da ciência e da
curadoria jornalística? Quem herdará as estruturas de vigilância
Cambridge Analytica...................................................................266
que estão se constituindo? Quem será mais capaz de combater a
Apoio evangélico a Bolsonaro........................................................267 pandemia: as ditaduras ou as democracias? Por que demoramos
Infodemia...................................................................................269 tanto a aceitar que seríamos atingidos pela pandemia? O que o
Atualismo..................................................................................271 governo Bolsonaro ganha e perde com a pandemia?
Cloroquina e Hidroxicloroquina....................................................274 Ao longo deste almanaque, o leitor poderá constatar que
foram essas as perguntas que ocuparam o nosso tempo e as nossas
Mandetta, um médico-político no Ministério da Saúde.....................275
preocupações, mas considerando que um almanaque é algo
Hikikomori.................................................................................276 vivo, cuja materialização se realiza a partir dos acontecimentos,
Artistas brasileiros falecidos durante a pandemia............................278 muitas vezes, independentes de nós mesmos, algumas dessas
Crise econômica e a pandemia.......................................................279 perguntas foram ganhando mais relevância do que outras. E
outras questões e análises foram sendo incorporadas ao texto,
Trabalhadores brasileiros e a pandemia ......................................... 283
já que a pandemia, somada à performance de Bolsonaro e
Mulheres e a pandemia................................................................. 287 do bolsonarismo, estabeleceu um jogo dinâmico, para nós,
Os indígenas e os negros na pandemia............................................ 289 brasileiros, entre previsibilidade e imprevisibilidade, que nos fez
A pandemia na África.................................................................. 290 tomar direções, muitas vezes distintas das previstas inicialmente.
O leitor também perceberá que, na nossa escrita, algumas vezes
Dados da pandemia na América Latina.......................................... 293
podemos passar a sensação de que está acontecendo tudo-ao-
Os países do BRICS na pandemia.................................................. 296 mesmo-tempo-agora, e talvez possa se sentir desnorteado com o
Tempo epidêmico......................................................................... 298 fluxo de informações que nem sempre têm relação entre si. No
Almanaques: história e tradição ................................................... 299 entanto, como mostraremos, sentir-se sufocado pelas cascatas
de informações parece ser uma experiência própria do nosso
Agradecimentos....................................................................... 305 tempo epidêmico, bem como de sua infodemia.
Fontes e Referências Bibliográficas.......................................... 307 Pois bem, a nossa tentativa foi uma escrita, de forma
bastante livre, do registro dos eventos a que assistimos e ou

13
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

vivenciamos, tendo como referência as perguntas que nos A escolha pela forma de almanaque foi reforçada pelo clima
nortearam. Foram com esses elementos que pensamos em fazer apocalíptico que temos vivido. Além do noticiário diário, dos
uma espécie de diário dos 150 dias da pandemia, desde que a canais de streaming, dos filmes sobre epidemias, como Outbreak
China informou à Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre (Wolfgang Petersen, 1995), etc, reforçam essa sensação de uma
o novo vírus, no dia 31 de dezembro. contagem progressiva em direção ao inevitável.
Mas, ao longo desse tempo, acabamos por alternar e No fim de março, nos perguntávamos quando chegaria
misturar três gêneros de escrita: o diário, a cronologia e a entre nós o pico da epidemia e quão severas seriam as suas
crônica, que constitui esse almanaque. Os leitores e as leitoras consequências, que haviam se agravado pela imagem da segunda
vão observar que a algumas partes do diário foi escrita de forma onda representada pelo colapso econômico. No filme de 1995,
retrospectiva, como é comum a esse gênero. a origem do surto está em alguma república de bananas; em
O nosso laboratório-base foi, o tempo todo, o grupo de nossa história real ele se origina em uma cidade de 11 milhões
WhatsApp chamado “Atualismo”, com o qual, desde 2015, de habitantes, na segunda maior economia do mundo.
produzimos reflexões e debates. Pois bem, o que faremos adiante é escrever a história
Em nossas narrativas, optamos, quase sempre, por utilizar de como o vírus SARS-CoV-2 e a doença a ele associada, a
o tempo presente, já que essa forma retrata melhor o momento COVID-19, foi se infiltrando em nossas vidas, tomando o dia 31
que transcorre, mas recorrendo a um recurso que a nossa língua de dezembro como o primeiro dia e se estendendo até o dia 150.
oferece, não nos furtamos em utilizar o presente histórico. Já, Nosso objetivo, assim, é apresentar uma modesta e fragmentária
o tempo passado, é invocado, praticamente, quando algo já compreensão cronológica, entrecruzando subjetividade e
terminou, em especial, no interior dessa história. Além disso, objetividade, dessa triste e catastrófica experiência histórica
por vezes, no diário, foi preciso intercalar a primeira pessoa do que estamos vivendo. Queremos pensar para além da agitação
plural com a terceira pessoa do singular, quando o texto faz atualista, a fim de analisarmos as possibilidades do nosso
referência a uma ação individual de um de nós, autores. futuro próximo, durante e após essa emergência. Mas, também,
Boa parte do que escrevemos foi publicado, em primeira queremos refletir sobre o nosso presente imediato, sobre a
mão, e em português, pelo site Jornalistas Livres, e, em inglês, catástrofe vivida, em especial, no Brasil, já que aqui o poder
pelo site Brazil Solidarity Initiative. Inicialmente, a nossa escrita simbólico e real do vírus foi potencializado pela presença do
foi impulsionada pela ideia de que um esforço de parada Presidente Bolsonaro.
reflexiva é, em nosso tempo, necessário para evitar sermos O “atualismo”, tão bem explorado pelas direitas e pelas
devorados pelas atualizações. A nova direita e a extrema-direita extrema-direitas globais, é uma das consequências da explosão
global têm se utilizado da agitação das notícias, provocadas pelo de notícias em fluxo contínuo, em que o valor de verdade
fluxo de atualizações, e pelas chamadas fake news, para reforçar parece ser confundido com o valor de novidade ou atualização
o seu poder. Como acreditamos que o caminho progressista da informação recebida. Essa estrutura, impede, muitas vezes,
precisa seguir em outra direção, o nosso trabalho tem, também, que o passado, mesmo o mais recente, seja trazido à reflexão.
a intenção de nos levar a um engajamento que busque outras Por isso, políticos atualistas como Trump, Boris Johnson e
alternativas ao que nos apresentam as direitas mundiais. Bolsonaro, em geral, não admitem erros, mas, simplesmente

14 15
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

atualizam suas narrativas e afirmações quando as anteriores Ao navegar por esse almanaque, acreditamos que você,
se tornam insustentáveis. Muitas vezes, os seus discursos leitor ou leitora, poderá reviver e pensar sobre os momentos
mudam em função da conveniência da atualidade, sem a mínima em que a pandemia, causada pelo coronavírus, deixava a sua
necessidade de se prestar conta da negação da realidade do dia condição latente para se tornar o evento reorganizador de nossas
anterior. Fato que contribui para a dispersão e distração. Esses vidas em sua articulação com a crise das democracias liberais.
líderes se assemelham a apresentadores de shows de variedades, Queremos entender como dois grandes países, no caso,
só que, nesse caso, os shows apresentados são perversos e o Brasil e os Estados Unidos, divergiram da OMS e, mesmo
sombrios. São shows de horrores. assim, os seus líderes continuaram no poder de forma mais ou
O passado e o futuro são mobilizados, muitas vezes, nesses menos estável. Se não estáveis, apoiados por pelo menos ⅓ de sua
discursos e práticas, como dispositivos para a agitação política. população. Como entender esse escândalo?
Mas, isso não significa que não existam projetos de passado e Ao final dessa jornada, vemos a evolução catastrófica
futuro nos movimentos políticos atualistas, representados tão da pandemia no Brasil e nos EUA com a perspectiva de o
bem por esses líderes. O caos é apenas uma cortina de fumaça, número de mortos chegar à milhares. Quem acompanhar nossa
assentada numa complicada realidade do passado histórico, narrativa poderá perceber como o governo brasileiro se alinhou
muitas vezes idealizado. Uma de suas consequências é a com alguns outros poucos países em que a política pública
mobilização política em prol de presentes-passados, passados- divergiu programaticamente daquilo traçado pela OMS. Ainda
presentes e presentes-futuros autoritários, na maioria das vezes, assim, a popularidade de Jair Bolsonaro não foi, até agora,
incitada pela negação, pela nostalgia e pelo ressentimento. E, substancialmente atingida. Ficamos com a sensação de que
talvez, o principal projeto de futuro desses movimentos seja estamos contando a história de como o regime de verdade, que
a destruição ou, pelo menos, o enfraquecimento das bases da sustentava as democracias ocidentais, foi comprometido em
Democracia e do Estado Liberal. países como o Brasil e os Estados Unidos.
Por tudo isso, o almanaque, uma das formas mais A nossa hipótese é a de que, em certas dimensões da
tradicionais de organização do passado, volta a ter uma função temporalidade atualista em que vivemos, a verdade que mais
crítica importante. Nesse exercício de história imediata, os importa é aquela que nos chega na forma de notícia, de news.
dias relativos a primeira parte estão organizados por quinzena, A maior parte das pessoas tomam decisões orientadas por um
acompanhando um dos tempos da pandemia já que o vírus pode ambiente de notícias em fluxo contínuo, consumido como
levar até duas semanas para se manifestar. Na segunda parte, entretenimento, embaladas pela crença de que quanto mais
apresentamos nossa leitura reflexiva, mais verticalizada e em recente e atual é a notícia, mais relevante se torna para nossas
forma de crônica, de alguns fatos que ocorreram durante o vidas. Controlar a produção incessante das news - pouco importa
encontro do presidente fake com o vírus real. E, na terceira parte, se verdadeiras ou simuladas (fakes) - tornou-se a mais importante
abrimos e destacamos alguns dos assuntos mais recorrentes do fonte de poder político, até mais relevante do que partidos e
período, que podem ser lidos de forma isolada ou podem ser outros sujeitos políticos tradicionais. Esse universo paralelo,
entendidos como aprofundamento informativo, como hiperlinks, da simulação da notícia como arma política, com seus agentes
de temas tratados nas duas primeiras partes. e estruturas, é o fato mais relevante para compreendermos a

16 17
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

história da COVID-19. Ele é o hospedeiro em que o bolsonarismo,


e também o trumpismo, parasita em simbiose. Mas, como se
verá, os níveis de insanidade do bolsonarismo e de Bolsonaro
parecem ser insuperáveis.
Ao longo desse período, escrever foi para nós uma forma
de lidar com a pandemia e com a crise política e econômica.
Um ato de resistência e de conhecimento. Procuramos, assim,
trabalhar com as dimensões positivas do atualismo, que em
nosso livro, Atualismo 1.0, só estavam anunciadas. A atualização,
em sentido próprio, se apresenta aqui como uma possibilidade
de lidar de forma ativa e não reativa frente os acontecimentos e
as notícias que vêm a tona. Portanto, ao invés de só repercutir,
alargar e repetir incessantemente, fazendo reverberar ainda mais Parte I
a agitação, propomos deslocar os eventos e as notícias com a

Diário da Pandemia
força do passado e do futuro. Dessa maneira, esperamos que
esse gesto contribua, a seu modo, para a construção de um outro
tempo.

Mariana e Ouro Preto


28 de maio de 2020

18

Quinzena

O último ano novo


do Velho Mundo
1º dia – 31 de dezembro
O algoritmo de Inteligência Artificial (IA) da empresa
canadense BlueDot faz um alerta sobre uma possível pandemia.
Era 31 de dezembro de 2019 e a China alerta a OMS para casos de
uma pneumonia incomum em Wuhan, cidade de 11 milhões de
habitantes no centro da China. Os casos ocorrem ao longo do mês
de dezembro. Ao que parece, o primeiro caso clínico ocorreu nos
primeiros dias do mês. Vários dos infectados tiveram exposição
direta ao Mercado Atacadista de Frutos do Mar Huanan, pois é
o centro suspeito do surto. Além de frutos do mar, o mercado
também vende 120 tipos de animais selvagens de 75 espécies,
e nele trabalham mais de 1000 vendedores. Frequentemente,
esses animais são vendidos vivos ou são abatidos no local.
Em nosso grupo no WhatsApp discutimos um dos assuntos
que mais tem atormentado o nosso país: o aumento do número
de trabalhadores informais. De acordo com a Pesquisa Nacional
por Amostra de Domicílios temos um alto índice de desemprego
e o aumento da informalidade do mercado de trabalho, girando
em torno de 40%.

5º dia – 5 de janeiro
As autoridades sanitárias chinesas descartam a possibilidade
de uma recorrência do vírus da síndrome respiratória aguda
grave (SARS), bem como de gripe aviária, gripe sazonal e a

21
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

MERS. A OMS desaconselha a aplicação de quaisquer restrições doenças virais como a Ebola, a gripe e a SARS (Síndrome
de viagens ou comércio com a China, tendo em vista as Respiratória Aguda Grave) são cada vez mais difíceis de controlar
informações disponíveis. É nesse dia que o site da OMS registra e são propensas a epidemias. E que: “Um agente infeccioso em
a primeira informação sobre o vírus: “Em 31 de dezembro de rápido movimento pode provocar uma doença que se espalha
2019, o Escritório da OMS na China foi informado de casos rapidamente e tem o potencial de matar dezenas de milhões
de pneumonia de etiologia desconhecida (causa desconhecida) de pessoas, perturbar economias e desestabilizar a segurança
detectada na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China. nacional”. Logo em seguida, em novembro de 2019, a série
Em 3 de janeiro de 2020, um total de 44 pacientes, com Pandemia, Netflix, apontava riscos semelhantes.
pneumonia de etiologia desconhecida, foram notificados à OMS
pelas autoridades nacionais da China. Dos 44 casos relatados, 11 8º dia – 7 de janeiro
estão gravemente doentes, enquanto os 33 pacientes restantes O vírus é identificado como sendo da família do coronavírus
estão em condição estável. Segundo relatos da mídia, o mercado e batizado provisoriamente de novo coronavírus, nCoV. Da
de Wuhan foi fechado em 1 de janeiro de 2020 para saneamento e nossa parte, continuamos envolvidos em um projeto, cuja
desinfecção ambiental. O agente causal ainda não foi identificado temática tem nos absorvido há algum tempo: o bolsonarismo e
ou confirmado. Em 1 de janeiro de 2020, a OMS solicitou mais seus desdobramentos. Analisamos, também, as provas do livro
informações às autoridades nacionais para avaliar os riscos. Do Fake ao Fato: (des)atualizando Bolsonaro, que organizamos, com
As autoridades nacionais relatam que todos os pacientes estão Bruna Klem.
isolados e recebendo tratamento nas instituições médicas de
Wuhan”. E ainda: “Com base nas informações preliminares da 12º dia – 11 de janeiro
equipe de investigação chinesa, não há nenhuma evidência de Anúncio oficial da primeira morte, que ocorreu dois dias
transmissão significativa de homem para homem e nenhuma antes. Um homem de 61 anos, que havia feito compras no
infecção por profissionais de saúde foram relatadas”. Por fim, mercado de frutos do mar de Wuhan. Há dois dias a China já
destacamos: “Há informações limitadas para determinar o havia liberado a sequência do genoma para o mundo. Eram 44
risco geral desse grupo de pneumonia relatado de etiologia o número de infectados oficiais informados à OMS entre 31/12
desconhecida”. e 03/01. Hoje, o que nos mobiliza é a pesquisa que mostra o
Em 2019, a OMS havia relatado mais de 100 surtos de rosto negro e feminino dos evangélicos brasileiros. Perguntamo-
doença. Por essa razão, em setembro do mesmo ano, um grupo nos sobre os discursos e as práticas que os setores progressistas
de especialistas do Banco Mundial, da OMS e ONU se reuniu poderiam construir para essa parte fundamental do eleitorado
para analisar se o mundo seria capaz de responder a uma hoje e, em especial, quais seriam as estratégias para afastar
pandemia. Resposta: não. Naquela altura, a OMS alertou que certos eleitores da zona de encantamento da chamada pauta
“a ameaça de uma pandemia global é real”. O grupo liderado de costumes da direita e da extrema-direita, que capturou os
por Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor geral da Organização valores e os sentimentos dessas pessoas. Ou, ainda, como dar
Mundial de Saúde, afirmava que os governos deveriam trabalhar um significado emancipador a uma determinada parte desses
para minimizar os riscos. O documento alertava que algumas valores.

22 23
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

14º dia – 13 de janeiro


É registrado, na Tailândia, o primeiro caso fora da China.

Quinzena
É de uma mulher que havia chegado de Wuhan. Ela apresentava
sintomas semelhantes aos da gripe. Mas com um elemento
diferenciador: ela não havia ido ao mercado de frutos do mar.
Wuhan implementa medidas de rastreamento às pessoas que Um vírus infiltrado
na aldeia global
saem da cidade. A primeira e provisória recomendação de
vigilância da OMS é uma adaptação das recomendações para
MERS-Cov, e deixa claro que “atualizará essas recomendações
à medida que tiver novas informações sobre a situação em
Wuhan”. 17º dia – 16 de janeiro
O Ministério da Saúde do Japão relata seu primeiro caso,
oriundo também de Wuhan. Será que o surto ficará restrito à
Ásia? É o que todos acreditam.

18º dia – 17 de janeiro


Morre a segunda vítima oficial na China. Estados Unidos
passam a verificar a condição de saúde dos passageiros que
chegam de Wuhan, em três dos seus aeroportos. A Tailândia
relata o seu segundo caso.

21º dia – 20 de janeiro


A China registra a terceira ou quarta morte e mais de
200 infecções. Alguns desses casos foram identificados fora da
província de Hubei onde se localiza Wuhan. Um chinês, que
viajou para Coreia do Sul foi detectado com o vírus. A transmissão
de humano para humano é confirmada.

22º dia – 21 de janeiro


Wuhan registra 6 mortos e são identificados casos em várias
províncias chinesas. É anunciado o primeiro caso nos EUA e em
Hong Kong. Um dia depois no Fórum Econômico de Davos,
Trump afirma: “É só uma pessoa que veio da China e temos
tudo sob controle. Tudo ficará bem”. Sai o primeiro relatório de

24 25
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

situação, da OMS, especificamente sobre o novo vírus. Informa- coronavírus uma emergência internacional de saúde, porém, em
se que o número de casos já confirmados são: “China (278 função de divergências internas, decidiu esperar mais uns dias,
casos), Tailândia (2 casos), Japão (1 caso) e República da Coreia já com a certeza de que a situação é urgente.
(1 caso). Já há 5 casos em Pequim e 1 em Shanghai”. Enquanto Por outro lado, o relatório de hoje, da OMS, é bem enfático:
isso, analisamos os dados de uma pesquisa que mostra que “estima-se que mais casos sejam exportados para outros
Bolsonaro é o político com mais interações nas redes sociais e países e que ocorram mais transmissões. O foco inicial ainda
no Youtube. Em 2019, ele havia postado 5.708 vezes e havia tido permanece desconhecido. No entanto, já há clareza de que o
731,4 milhões de reações, comentários e compartilhamentos. A crescente surto não se deve mais às exposições no mercado de
média de “interações” de uma postagem dele era de 128 mil, o frutos do mar Huanan em Wuhan. Agora, há mais evidências
que mostra que suas ações seguem a lógica das redes. Começa de que o 2019-nCoV se espalha de humano para humano e
a ficar claro para o mundo que o vírus não vai estacionar na também entre gerações de casos”. Para a entidade, ainda existem
Ásia. Com o passar dos dias, o que se percebeu é que não era “muito poucos relatos de surtos hospitalares ou de infecções de
uma versão, mas algo novo e assustador. A revista Exame solta profissionais de saúde, que é uma característica proeminente do
matéria com o seguinte título: “O que se sabe sobre o misterioso MERS e SARS”.
vírus que está se espalhando pelo mundo”, e afirma que já há Ainda se afirma que o risco do “evento” é muito alto na
mais de 7 mil pessoas infectadas e que a doença ultrapassa as China e alto em nível regional e global. O Imperial College of
fronteiras chinesas. Mas, a rapidez de transmissão é relativizada London estima que o total de casos atuais, em Wuhan, é de
pelo fato de as taxas de mortalidade serem mais baixas do que a 4000. É a primeira vez que percebemos os riscos crescentes de
de outros vírus. uma pandemia global a partir da reportagem intitulada “Por que
o coronavírus desperta o temor de uma pandemia”, publicada
24º dia – 23 de janeiro
no Nexo Jornal. A notícia se vale de comparações históricas. A
O número de casos no mundo é de 583; sendo 571 só na
reportagem fala de uma possível vítima em Belo Horizonte. Os
China, com maior concentração em Hubei: 375. 95 chineses
médicos usaram um robô para tratar o primeiro paciente de
estão em estado grave e já são 17 mortos, todos na província
coronavírus dos EUA. São anunciados vários projetos para a
originária. Hoje, Wuhan está sendo colocada em quarentena
realização da vacina.
efetiva, com a suspensão dos transportes aéreos e ferroviários.
Além de Wuhan, Xiantao e Chibi, outras duas cidades da 25º dia – 24 de janeiro
província de Hubei, também entraram em quarentena efetiva. Hoje, são 846 casos confirmados no mundo, sendo 830 na
Fechar Wuhan é como fechar São Paulo. Amanhã, 24 de janeiro, China. Seis países já relataram casos para a OMS, mas a maioria
começa o feriado do Ano Novo Chinês, que se estende até o dia deles são de pessoas com histórico de viagens para Wuhan ou
30, e milhões de pessoas saem em viagem para dentro e fora que tiveram contato com pessoas que vieram da China. 25 mortes
do país. Diante do cenário, que se desenha alarmante, Pequim até o momento. 2 primeiros casos no Vietnã e 1 em Singapura.
cancela as festividades, na tentativa de conter a propagação China impõe restrições a mais cidades e inicia a construção de
do vírus. Mas, será tarde demais? Veremos. A OMS, por sua dois hospitais temporários em Wuhan.
vez, se reuniu no dia anterior, com a expectativa de declarar o
26 27
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

26º dia – 25 de janeiro do novo coronavírus, em particular, se a transmissão pode


Observamos que a expressão situation update/atualização ocorrer a partir de dados assintomáticos dos indivíduos ou
da situação, é muito utilizada nos boletins da OMS. Parece que durante o período de incubação”. Atualização da situação em
compreender a atualização é fundamental para combater esse números: 2798 casos confirmados, 5794 suspeitos, 461 casos
vírus. E por falar em atualização, a situação de hoje, em números graves, 80 mortos e 37 casos fora da China, em 11 países.
é: 1.320 casos globais, distribuídos em nove países, com 41 O prefeito de Wuhan admite ter ocultado dados sobre
mortes, sendo que 1297 dos casos estão na China. A OMS afirma a disseminação do coronavírus e oferece a sua renúncia. Ele
que a avaliação sobre o risco deste evento não mudou desde confirmou que ao menos 5 milhões de pessoas saíram da
a última atualização, em 22 de janeiro, ou seja: muito alto na cidade antes do isolamento, o que certamente contribuiu para
China, alto no nível regional e alto no nível global”. Três casos a disseminação do vírus e que, pelo menos, 3 mil pessoas
são confirmados na Austrália e na França. suspeitas devem estar infectadas. Carta Capital anuncia que “o
diretor da Comissão Nacional de Saúde da China, Ma Xiaowei,
27º dia – 26 de janeiro afirmou, no domingo 26, que o vírus está se espalhando mais
Atualização da situação em números: 2014 casos globais, rápido e que a velocidade pode aumentar por causa das pessoas
sendo 1.985 na China. As evidências dão a entender que o vírus que carregam o vírus, mas não apresentam sintomas. O período
não chegará no Brasil. São apenas 29 casos fora da China, em de incubação da doença é de 1 a 14 dias, segundo Xiaowei”.
11 países. Não parece difícil conter esse surto já que os casos São, atualmente, 40 milhões de pessoas em isolamento. Uma
fora da China são baixos. Parece, também, que o problema será imagem da entrevista do prefeito, Zhou Xianwang chama a
resolvido em Hubei, já que das 56 mortes que foram relatadas até atenção pelo uso de máscara:
o momento, 52 foram lá. Finalmente a China proíbe o comércio
de animais selvagens em todo o país.

28º dia – 27 de janeiro


Relatório de situação da OMS muda de visual. E a
palavra atualização, que sempre aparecia em primeiro plano,
é substituída por destaque; a seção dos dados estatísticos
passa a ser intitulada “a situação em números”. O Diretor-
Geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, e alguns de
seus colegas estão em Pequim. Afirma-se que as estimativas
Fonte: Veja
do período de incubação do vírus variam de 2 a 10 dias e
“compreender a hora em que os pacientes infectados podem A revista Veja afirma: “Embora um pequeno número de
transmitir o vírus é fundamental para os esforços de controle. casos vinculados a pessoas que viajaram de Wuhan tenham sido
Informações epidemiológicas detalhadas, de mais pessoas confirmados em mais de 10 países, incluindo Tailândia, França,
infectadas, são necessárias para determinar o período infeccioso Japão e Estados Unidos, nenhuma morte foi relatada em outro
lugar”.
28 29
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

29º dia – 28 de janeiro


A OMS lança uma Plataforma Global de Dados Clínicos do

Quinzena
novo coronavírus. Atualização da situação em números: 4593
casos confirmados na China, 6973 suspeitos, 976 graves, 106
mortos. Fora da China: 56 casos confirmados em 14 países.
Hong Kong e Mongólia anunciam fechamento parcial de suas O vírus
fronteiras com a China continental. O Japão e os Estados Unidos
repatriam seus cidadãos de Wuhan. A United Airlines suspende mostra a sua cara
todos os voos para a China a partir dos Estados Unidos. No dia
seguinte várias companhias aéreas fazem o mesmo.
31º dia – 30 de janeiro
30º dia – 29 de janeiro Atualização da situação em números: 7818 casos globais
A Casa Branca anuncia a formação de força-tarefa para confirmados, sendo 7736 na China com 1370 graves, 170 mortos
monitorar e conter a propagação do vírus e, também, para garantir e 12167 suspeitos. Fora da China: 82 confirmados em 18 países.
que os americanos tenham informações precisas e atualizadas Rússia fecha fronteira com a China.
sobre saúde e viagens. A OMS declara o novo coronavírus uma emergência global,
considerando o salto de número de mortos na China. Índia e
Filipinas confirmam, também, seus primeiros casos. A OMS
declara que o nome provisório da doença, que está causando
a pandemia atual será “Doença respiratória aguda nCoV-2019
(onde ‘n’ é para novo e ‘CoV’ é para coronavírus)”
Nesse momento, estamos preocupados com o crescimento
do prestígio da ministra dos Direitos Humanos [Damares
Alves], entre os mais pobres. Ao mesmo tempo, acompanhamos
com entusiasmo o crescimento do “Movimento das Sardinhas”,
na Itália.
Hoje foram publicadas várias reportagens sobre a
Inteligência Artificial (IA) que havia antecipado a possibilidade
de uma pandemia. Por meio do acesso às passagens aéreas, a IA
canadense, BlueDot, conseguiu “prever”, com muita certeza, a
disseminação do vírus fora da China. A esse respeito, o fundador e
CEO da BlueDot, afirmou: “Sabemos que não se pode confiar nos
governos para fornecer informações em tempo hábil. Podemos
captar notícias de possíveis surtos, pequenos murmúrios, fóruns

30 31
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

ou blogs com indicações de algum tipo de evento incomum em tempo real o número de casos e vítimas do novo coronavírus
acontecendo”. Basicamente, a IA cria alertas, em 65 idiomas, a confirmados no mundo. Um site, elaborado pela Universidade
partir de dados de companhias aéreas e notícias de surtos de Johns Hopkins, monitora a propagação da doença.
doenças em animais. A empresa foi fundada em 2014 e o seu Além disso, aposta-se que a taxa de letalidade do novo
fundador, com capital inicial de US$ 9,4 milhões, era especialista coronavírus será menor do que o SARS, mas uma reportagem do
em doenças infecciosas em Toronto, tendo trabalhado, inclusive, site da Revista Piauí, publicada hoje, alerta: “A menor letalidade
durante a epidemia de SARS em 2003, que também atingiu o do vírus é uma boa notícia para quem estiver infectado, mas
Canadá, infectando 375 pessoas em Toronto e matando 44. Para não necessariamente é algo positivo do ponto de vista da saúde
o “dono” da IA, a solução para as pandemias é a antecipação pública”. A mesma reportagem sinaliza para um dos principais
proporcionada pelas Inteligências Artificiais. riscos trazidos pelo vírus: “Há uma variável silenciosa que pode
O médico brasileiro Drauzio Varella afirma que continuará dificultar a estratégia de contenção do novo coronavírus, baseada
a andar pelas ruas, apesar do novo coronavírus. O novo vírus em quarentena e isolamento: a capacidade de transmissão da
não justificaria mudanças de hábitos: “De cada 100 pessoas que doença por pessoas que, embora infectadas, não apresentam
pegam o vírus, 80, 90 pessoas têm um resfriadinho de nada”. sintomas”. Ao mesmo tempo, a reportagem relativiza a
preocupação com a epidemia, ao dizer que, no Brasil, é mais
32º dia – 31 de janeiro provável que se contraia sarampo.
Atualização da situação em números: 9826 casos globais Reportagem da BBC afirma que as pandemias farão
confirmados; 9720 são chineses, com 15238 suspeitos, 1527 casos parte do nosso futuro e que a atual relação do humano com a
graves e 213 mortos. Já são 106 confirmados fora da China, em 19 natureza, em especial, o aquecimento global, tem muita relação
países. Primeiro caso na Rússia, Itália e Reino Unido. Mongólia com esse possível futuro catastrófico: “o risco permanece real
fecha fronteira com a China. Cingapura anuncia proibição e potencialmente catastrófico - se algo semelhante acontecesse
total de visitantes chineses e de todos aqueles que visitaram a novamente [da gripe espanhola], remodelaria o mundo. Em
China nos últimos catorze dias. Donald Trump anuncia que não meados do século passado, alguns alegaram que as doenças
aceitará a entrada de estrangeiros que viajaram pela China nos infecciosas eram domináveis. Mas, à medida que a urbanização e
últimos 14 dias, mas exclui os familiares imediatos de cidadãos a desigualdade crescem e as mudanças climáticas desestabilizam
americanos ou residentes permanentes. Dois turistas chineses ainda mais nossos ecossistemas, precisamos reconhecer as
testam positivo em Roma. doenças emergentes como um risco crescente”.
O correspondente canadense do The New York
Times  pergunta: “SARS foi mortal no Canadá. O país está 33º dia - 1º de fevereiro
preparado para o coronavírus?” Para ele, o sistema de saúde Atualização da situação em números: 11.953 casos
de Toronto ficou caótico e confuso durante o surto de SARS, confirmados, sendo que 2.128 são novos. Na China, são 11.821
há 17 anos. Ele afirma que as mudanças, motivadas por aquela casos confirmados (2.102 novos), 1.795 graves (268 novas), 259
crise, provavelmente seriam testadas novamente. Em muitos mortos (46 novos). Fora da China: 132 confirmados (26 novos),
smartphones se pode jogar o Plague Inc e também acompanhar 23 países (4 novos). Desses países, 13 estão na Ásia e 8 na Europa.

32 33
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Para a OMS, os assintomáticos parecem ser raros: “O principal (2.590 novos), 2.110 graves (315 novos) e 304 mortos (45
fator de transmissão, com base nos dados atualmente disponíveis, novos). Fora da China: 146 confirmados (14 novos) em 23
são os casos sintomáticos. Mas, a OMS está ciente de uma países, e a primeira morte relatada fora da China, nas Filipinas.
possível transmissão de 2019-nCoV de pessoas infectadas antes Afirma-se que a vítima, um homem de 44 anos, teve contato
de desenvolverem sintomas. Exposição detalhada de histórias próximo com o primeiro paciente confirmado nas Filipinas.
estão sendo tomadas para entender melhor a fase pré-clínica da Parece que a OMS está preocupada com as fake news. E
infecção e como a transmissão pode ter ocorrido nesses poucos já colocou uma equipe técnica para rastrear mitos e rumores:
casos. A infecção assintomática pode ser rara, e a transmissão de “Gerenciando o ‘infodêmico’ 2019-nCoV. O surto de 2019-nCoV
uma pessoa assintomática é muito rara em outros coronavírus”. e a resposta a ele foi acompanhado por uma enorme “infodemia”
Parece que a coisa é séria, pois o texto destaca que situações - uma abundância excessiva de informações - algumas precisas
diversas estão acontecendo, pela primeira vez, fora da China: e outras não - que dificultam o acesso a fontes confiáveis e
“Na França, pela primeira vez fora da China, um profissional orientação adequada quando se precisa”. Afirma-se que os mitos
de saúde foi diagnosticado como doente com 2019-nCoV”, e precisam ser refutados com informações baseadas em evidências
também ,“pela primeira vez, um caso foi exportado de um país e a OMS estaria fazendo isso em todos seus canais.
que não a China: um paciente foi identificado, na Coreia do Sul, Depois de 10 dias é finalizada a construção de um hospital
após sua exposição no Japão, a um caso confirmado. Nas últimas em Wuhan.
24 horas, foram relatados casos adicionais de transmissão de
homem para homem fora da China: no Japão, um guia turístico, 35º dia – 3 de fevereiro
que faz parte do mesmo conjunto de casos de japoneses, que É provável que as autoridades chinesas acreditem
tiveram contato com turistas de Wuhan”. O texto também faz na capacidade de contenção da epidemia. A porta-voz do
referência a um caso na Tailândia de “um motorista de táxi que Ministério das Relações Exteriores da China acusa os EUA de
não tinha histórico de viagens para a China”. gerar e espalhar pânico em relação ao novo coronavírus. É uma
Reportagem da BBC Brasil tem o seguinte título: “Países mudança na postura diplomática. A agência de saúde pública
fecham fronteiras para viajantes que passaram pela China; Brasil da Alemanha refuta informações de um estudo anterior que
ainda não tomou decisão”. A reportagem afirma que, para a OMS, teria comprovado a transmissão assintomática do coronavírus
o fechamento de fronteiras não é a melhor política, pois pode na Alemanha. Ainda sim, Anthony Fauci, diretor do Instituto
acelerar a propagação do vírus com a entrada de pessoas ilegais. Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, afirmou:
Recomenda-se que sejam realizados exames nas passagens oficiais “Esta noite telefonei para um dos meus colegas na China, que
de fronteira. Wuhan evacua cidadãos de vários países e muitos é um cientista de doenças infecciosas altamente respeitado e
desses países estão deixando os casos suspeitos em quarentena. funcionário da saúde. Ele disse que está convencido de que há
infecção assintomática e que algumas pessoas assintomáticas
34º dia - 2 de fevereiro estão transmitindo infecção”. Mas, ao que parece, se for
Atualização da situação em números: 14.557 casos verdade, eles provavelmente desempenham um papel menor
confirmados (2.604 novos), sendo que na China são 14.411 na epidemia. A ver.

34 35
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

36ºdia – 04 de fevereiro 30 mil confirmados (31.481). Na China são 31.211, sendo 4.821
Atualização da situação em números: 20.630 confirmados graves e 637 mortos. Fora da China temos 270 casos confirmados
(3.241 novos); na China são 20.471 confirmados (3.235 em 24 países e 1 óbito.
novos), sendo 2.788 graves (492 novos). Fora da China são Morre o jovem médico chinês Li Wenliang, de 33 anos,
159 confirmados (6 novos) em 23 países e uma morte. Taiwan um dos oito médicos de Wuhan que alertaram, em dezembro,
anuncia proibição da entrada de estrangeiros que estiveram na sobre uma possível epidemia semelhante ao SARS. O médico
China nos últimos catorze dias. foi reprimido pelas autoridades policiais de Wuhan, acusado
de espalhar notícias falsas. O oftalmologista deixou a esposa
37º dia – 05 de fevereiro grávida de seu segundo filho. O parto está programado para
Após uma viagem de duas semanas ao sudeste da Ásia, junho. A repercussão negativa de sua morte, nas redes sociais
mais de 3.600 passageiros começaram uma quarentena a bordo chinesas, é enorme. Donald Trump e Xi Jinping conversam sobre
do navio de luxo Diamond Princess, em Yokohama, no Japão. As o coronavírus. Trump elogia os esforços da China, prometendo
autoridades começaram a rastrear os passageiros e o número de apoio. O Japão confirma mais vinte e um casos a bordo do navio
pessoas que testaram positivo é de 10. do cruzeiro. Entre eles há um argentino, o primeiro latino-
americano infectado.

Fonte: Twitter

Uma foto do cruzeiro Diamond Princess, de 2014. Fonte: Wikipédia.

38º dia – 06 de fevereiro


As autoridades chinesas determinam que as autoridades
de Wuhan façam buscas de casa em casa e levem todos os
indivíduos infectados para centros de quarentena. A Rússia não
aceita a proposta encabeçada pela Arábia Saudita para reduzir
a produção de petróleo da Opep como resposta ao coronavírus.

39º dia – 07 de fevereiro


Atualização da situação em números: os casos passam de Homenagens ao Dr. Li, em Wuhan. Fonte: pt.euronews.com.

36 37
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

41º dia – 09 de fevereiro governo Trump, que foi apresentada recentemente, inclui cortes
Um dia depois da entrega do segundo hospital, construído acentuados nos programas globais de saúde e na Organização
em tempo recorde pelo governo chinês, para atender pacientes Mundial da Saúde, mesmo quando o mundo enfrenta a
infectados pela Covid, a possibilidade do novo coronavírus ser disseminação do novo coronavírus”.
menos letal começa a desmoronar. O número de mortos na
42º dia – 11 de fevereiro
China chega a 812 e supera o total global da epidemia da SARS
de 2002-2003. O número de infectados do navio sobre para 64. A doença agora tem nome definitivo: COVID-19. O
Todos que testaram positivo foram desembarcados e internados. atestado de batismo diz: “Seguindo as melhores práticas da
O embaixador chinês nos Estados Unidos, Cui Tiankai, vai à OMS para nomear novas doenças infecciosas humanas, [...], a
televisão americana para combater rumores sobre a origem do OMS nomeou a doença de COVID-19, abreviação de “doença
coronavírus: “Eu acho que ainda é muito desconhecido e nossos por coronavírus 2019” (coronavírus disease 2019). Certamente,
cientistas, cientistas chineses, americanos, cientistas de outros querem resguardar a China de ser vítima de xenofobia e racismo,
países estão fazendo o possível para aprender mais sobre o vírus, caso a expressão vírus chinês ou doença chinesa ganhe mais vida.
mas é muito prejudicial. É muito perigoso suscitar suspeitas, A fim de evitar estigma, o nome não faz referência a nenhuma
rumores e espalhá-los entre as pessoas. Por um lado, isso criará pessoa, local ou animal associado ao coronavírus.
pânico. Outra coisa é defender a discriminação racial, a xenofobia, O Comité Internacional de Taxonomia de Vírus anunciou
todas essas coisas que realmente prejudicarão nossos esforços que tendo em vista a semelhança genética entre o SARS-CoV e
conjuntos para combater o vírus. Claro, existem todos os tipos o novo vírus a melhor nome para o vírus seria SARS-CoV-2. “Os
de especulações e rumores. Há quem diga que esse vírus vem dois vírus são geneticamente tão próximos um do outro que suas
de algum laboratório militar, não da China, talvez dos Estados histórias e características evolutivas são [e serão] mutuamente
Unidos. Como podemos acreditar em todas essas coisas loucas?” informativas”.
Foram repatriados 34 brasileiros que viviam na cidade Nesse dia, a OMS também procura traçar a paternidade do
chinesa de Wuhan. Duas aeronaves da Força Aérea Brasileira vírus: “Evidências crescentes demonstram a ligação entre o novo
aterrissaram no Brasil com o grupo. Eles ficarão de quarentena coronavírus e outros coronavírus conhecidos e semelhantes
por 14 dias em Goiás. (CoV) circulando em morcegos mais especificamente, nas
subespécies de morcegos Rhinolophus. Estudos recentes indicam
42º dia – 10 de fevereiro que mais de 500 CoVs foram identificados em morcegos na
Atualização da situação em números: os casos confirmados China”. Mas, “a rota de transmissão aos seres humanos no início
passam de 40 mil (40554), sendo 40.235 na China e 6.484 são deste evento permanece incerta”. “A hipótese mais provável
casos graves. O número de mortes chega a 909. Fora da China, atual é que um animal hospedeiro intermediário desempenhou
temos 319 confirmados, em 24 países e uma morte. O Reino um papel na transmissão”.
Unido declara que o coronavírus constitui uma ameaça séria e Apesar das revelações da OMS serem importantes, não
iminente à saúde pública. A Rússia impõe quarentena para um temos quase nada a festejar: o número de mortos passa de mil.
diplomata chinês. CNN afirma: “A proposta de orçamento do As atualizações da situação nos mostram que são 43103 casos

38 39
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

confirmados, sendo que na China são 42708, e que 7333 pessoas


estão em estado grave. O número de mortes é de 1017. Fora da
China, são 395 casos confirmados em 24 países e 1 óbito.

Quinzena

45º dia – 13 de fevereiro


É no Japão que a COVID-19 faz a segunda vítima fora da O vírus conquista partes do mundo,
China. Ministros da Saúde da União Europeia fazem reunião
emergencial para discutir estratégias de impedir a propagação
da COVID-19 na Europa. O Vietnã institui quarentena para uma
mas Milão não pode parar
comunidade de 10 mil pessoas perto de Hanói.
46º dia – 14 de fevereiro
O novo coronavírus chega ao continente africano e o Egito
registra o primeiro caso da doença.

47º dia – 15 de fevereiro


Atualização da situação em números: passam de 50.000
o número de infectados. São 50.580. Os casos chineses somam
50054 com 1.524 mortos. Fora da China são 526, em 25 países, e
duas mortes. Pouco depois da publicação do boletim da OMS que,
em geral, tem uma desatualização de um dia, vem da França o
anúncio da primeira morte em solo europeu. Era um turista chinês
de 80 anos que estava visitando o país. O número de casos a bordo
do navio Diamond Princess sobe para 285. Na Conferência de
Segurança de Munique, o diretor geral da OMS, afirma que o surto
de COVID-19 é preocupante, pois se observa “o surgimento de um
patógeno com potencial pandêmico, movendo-se rapidamente de
país para país e exigindo uma resposta imediata, e em larga escala,
nos países”. Ele destaca que 99% dos casos estão na China, mas
que “é impossível prever que direção essa epidemia tomará”. Para
ele, “o mundo gasta bilhões de dólares se preparando para um
ataque terrorista, mas relativamente pouco se preparando para o
ataque de um vírus, que poderia ser muito mais mortal e muito
mais prejudicial economicamente, politicamente e socialmente”.
De acordo com o diretor, “Isso é francamente difícil de entender

40 41
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

e perigosamente míope”. Ele afirma, ainda, que “não estamos iniciam-se em alguns países, como Coreia do Sul, Irã e Itália.
apenas lutando contra uma epidemia; estamos lutando contra A Coreia do Sul anuncia sua primeira morte. O Iraque fecha
uma infodemia. Notícias falsas se espalham com mais rapidez e fronteira com o Irã. No Brasil, o senador Cid Gomes enfrenta a
facilidade do que esse vírus e são igualmente perigosas. É por isso milícia, os PMs amotinados no Ceará e é baleado.
que, para combater a disseminação de rumores e a desinformação,
também trabalhamos com empresas de pesquisa e mídia, como o 53º dia – 21 de fevereiro
Facebook, o Google, o Pinterest, o Tencent, o Twitter, o TikTok, o O governo italiano anuncia o início da quarentena de 50 mil
YouTube entre outras. Convocamos todos os governos, empresas pessoas. A Itália registra o seu primeiro óbito. Na Lombardia, 16
e organizações de notícias a trabalharem conosco para soar o nível casos da doença são confirmados. Coreia do Sul relata a segunda
apropriado de alarme, sem acender as chamas da histeria”, finaliza morte, e os casos já passam de 200. No Irã, já são 4 mortes.
o diretor. Líbano e Israel anunciam o primeiro caso. O Ministério da Saúde
do Brasil informa que não há circulação do novo coronavírus no
50º dia – 18 de fevereiro país, depois de descartar 51 casos suspeitos. Bolsonaro cobra de
Centro Europeu para o Controle e a Prevenção de Doenças Guedes crescimento de 2%. Mas, isso é assunto muito sério e o
(ECDC) considera que o risco do novo vírus para a população carnaval já está começando.
européia é baixo. Até hoje, na Europa, há 45 casos do novo
coronavírus e todos são importados. O critério para ser submetido 54º dia – 22 de fevereiro
a exames é ter viajado a Wuhan. Parece que acreditam que a Todos os principais jornais italianos estampam manchetes
propagação vai seguir o padrão da SARS e da MERS. alarmantes: “O vírus na Itália: um morto no Vêneto” (Corriere
Della Sera); “Vírus, o Norte com medo” (la Repubblica); “Vírus
51º dia – 19 de fevereiro na Itália, quarentena para 50 mil” (24 Ore); “Coronavírus,
Atualização da situação em números: mortos passam de primeiro morto na Itália” (La Stampa); “Avança o vírus, Norte
2.000. 75.204 casos são confirmados, e na China são 74.280 em quarentena” (Il Messaggero); “Itália infectada” (il Giornale);
confirmados com 2006 óbitos. Fora da China são 924, em 25 “Para tudo” (Il Manifesto). Para muitos italianos, essas manchetes
países e 3 mortos. A imprensa internacional já considera que não passam de um alarmismo exagerado e desnecessário. Ainda
o número de mortos fora da China é de 5 pessoas. O total de assim, a Itália, nesse dia, relata sua segunda morte. O Irã mais
contaminados no navio atracado no Japão sobe para 621. A Coreia duas, chegando a um total de 6. O número de mortes na Coreia
do Sul relata vinte casos em um dia, elevando para 51 o número do Sul chega a 4. Mayra participa ativamente do carnaval, nos
de casos no país. A maioria dos novos casos se relacionam a Jardins, em Mariana, enquanto Valdei cuida do seu jardim
pessoas que frequentavam uma mesma igreja. Irã e Hong Kong japonês, em Padre Viegas. Mesmo sendo carnaval, os jornais
confirmam duas mortes em seus respectivos países. brasileiros dão algum destaque para a situação italiana.

52º dia – 20 de fevereiro 55º dia – 23 de fevereiro


Cerca de 87% dos novos casos estão na China, com mais Atualização da situação pela OMS: 78.811 confirmados. Na
de 2 mil mortes e 74 mil infectados. O vírus se espalha e surtos China, são 77.042 confirmados e 2.445 mortos. Fora da China:

42 43
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

1.769 confirmados, 28 países, 17 mortos. O número de casos na e o Google para combater a disseminação de fake news sobre a
Itália salta de 5 para 150. Mateus cai na folia, na Ilha de Malta, doença. A reportagem citava o uso da palavra para lidar com
em um dos carnavais mais animados da Europa. a situação. Até então, só há na Wikipédia verbetes sobre a
palavra em catalão e finlandês. A página em catalão afirma que o
57º dia – 25 de fevereiro termo “é utilizado pela OMS para referenciar-se à sobrecarga de
Atualização da situação pela OMS: os casos passam de 80 informações falsas, à desinformação que gera alarde generalizado
mil, sendo 239 confirmados. Na China são 77.780 confirmados, e às teorias conspiratórias. O fenômeno está relacionado com as
2.666 mortos. Fora da China: 2.459 confirmados, em 33 países, fake news e com a ausência de checagem das informações antes
34 mortos. O Irã já tem 61 casos e 12 mortes. Apesar de ser do compartilhamento”. Na Wikipédia lusófona, a página que
terça-feira de carnaval a manchete da folha é o novo coronavírus: trata da questão se chama: “Desinformação na pandemia de
“Vírus alarma a Europa, e mercados do mundo caem”. No O COVID-19”. A página finlandesa afirma que a palavra foi usada
Globo também: “Temor de pandemia derruba Bolsas de NY e no jornal The Washington Post no contexto da epidemia de SARS,
Europa”. Mayra recebe alguns amigos em casa para uma tarde em 2003. O acrônimo significaria uma enorme quantidade de
de jogos. informações certas ou erradas, mas que, muitas vezes, pouco
agregam valor informativo.
56º dia – 26 de fevereiro
Hoje, quarta-feira de cinzas, o governo brasileiro confirmou
a primeira pessoa infectada no Brasil, e na América Latina: um
homem que havia viajado à Itália. A Folha de São Paulo publica
uma entrevista com o epidemiologista Wanderson Oliveira,
cujo título é: “Secretário do Ministério da Saúde alerta para
‘infodemia’ sobre coronavírus”. O epidemiologista, responsável
pelo coronavírus no Brasil, pelo Ministério da Saúde, afirma
que estamos vivendo uma “infodemia”. Para os representantes
estaduais com ele reunidos, as informações parecem perecíveis,
porque “não dá tempo para o sistema se adaptar às novas
Fonte: Facebook
evidências, pois logo em seguida surgem outras”. Do ponto de
vista das notícias, e da própria dinâmica da pandemia, as lógicas Depois de muitas críticas na condução da crise, Trump
atualistas parecem se aprofundar. Segundo Oliveira, os dados indica o vice-presidente, Mike Pence, para o comando da resposta
escorrem pelas mãos, pois estamos vivendo uma epidemia em do governo dos EUA ao novo coronavírus.
tempo real
57º dia – 27 de fevereiro
Infodemia é uma das palavras do momento. Uma reportagem
O prefeito de Milão compartilha o vídeo “Milão não para”,
do The New York Times, de 7 de fevereiro de 2020, dizia que a OMS
desafiando a política de quarentena. No mesmo dia, a Itália
estava trabalhando com as redes sociais (Facebook, Twitter etc)
registra 14 mortes pela COVID-19 e 528 casos confirmados.

44 45
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

Há casos de contágio pelo vírus na maioria dos países do


mundo. É registrada a primeira infecção na Nigéria, o país mais
populoso da África. O paciente era um italiano vindo de Milão.

Quinzena

O mundo precisa parar,


a Europa vai à lona
61º dia – 29 de fevereiro
Atualização da situação pela OMS: 85403 confirmados. Só
na China são 79 394, sendo 2838 mortes. Fora da China: 6009
confirmados, em 53 países, com 86 mortes.
A Itália já tem 800 infectados. A Europa já tem casos em 14
países. A Alemanha e França já têm, pelo menos, 60 casos. Brasil
confirma o segundo caso importado. Ele também veio da Itália,
como o primeiro caso. Primeira morte oficial nos Estados Unidos.
Enquanto isso, no Brasil, ao longo de fevereiro, em nosso
grupo de WhatsApp, discutimos muito se a esquerda teria
morrido e se o PT estava obsoleto; o
Encontro do ex-presidente Lula com o Papa; a liderança de
Bolsonaro nas pesquisas para a eleição de 2022, e as especulações
sobre a possível candidatura de Luciano Huck. Além dos planos
golpistas de Bolsonaro, que poderiam estar em curso. No cenário
internacional, o destaque político são as especulações em torno
do sucesso de Bernie Sanders nas primárias democratas da
corrida presidencial nos EUA. Trocamos muitos áudios sobre
isso, já que o Valdei acompanha de perto a política americana.
Ele vê com esperança a possibilidade do Sanders derrotar Trump.

62º dia – 01 de março


Atualização da situação em números: mais de 3.000 mil
mortes. Nesse momento, os relatórios da OMS passam a ficar

46 47
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

mais desatualizados, em especial, em relação ao site da Johns primeiros casos em vários países. A OMS afirma: “A contenção
Hopkins University, no qual se afirma que o objetivo é “fornecer continua sendo a principal prioridade de todos os países. O
as informações mais atualizadas, a COVID-19 Global Case gerenciamento para a COVID-19 globalmente, no entanto,
Tracker é atualizado com frequência. Se faltar informação, seja não é uma abordagem única e deve ser adaptado ao cenário de
paciente - os dados provavelmente serão atualizados e estarão transmissão que cada país enfrenta. Medidas precoces e robustas
disponíveis em breve”. O “sucesso” do site é a classificação são essenciais para salvar vidas e interromper a transmissão”.
ranqueada entre países. Ainda assim, decidimos por utilizar, São preparadas medidas para treinamento, em tempo real, para
neste diário, preferencialmente, as informações da OMS, por a preparação e respostas eficazes.
serem a autoridade principal da pandemia e, também, pelo fato
de as informações passadas não estarem facilmente disponíveis 66º dia – 05 de março
no site da universidade, já que estão mais preocupados com a A Europa já contabiliza 41% dos novos casos. No Brasil,
atualização das informações. É um site atualista. Assim, para o dia já são 6 casos, sendo um de transmissão interna e há 636 casos
01 de março, as informações da OMS são: 87.137 confirmados, suspeitos no país. Um dos casos era assintomático. Já há mais de
sendo 79.968 na China e 2.873 mortos. Fora da China: 7.169 100 mil infectados em todo o mundo e o total de mortos supera
confirmados, em 58 países, com 104 mortos. 3,4 mil. A OMS procura definir melhor o que é infodemia e ações
Uma série de equívocos marca a história da quarentena para controlá-la: “Infodemia é uma quantidade excessiva de
no navio de luxo Diamond Princess, em Yokohama, no Japão. informações sobre um problema, o que dificulta a identificação
O saldo final, no dia primeiro de março, foi de 712 infectados. de uma solução. A infodemia pode espalhar desinformação e
A OMS afirma que o “atendimento clínico de pacientes com rumores durante uma emergência de saúde. Infodêmicos podem
COVID-19 se concentra no reconhecimento precoce, isolamento dificultar uma resposta eficaz à saúde pública e criar confusão e
imediato e implementação de medidas apropriadas de prevenção desconfiança entre as pessoas. Para gerenciar a infodemia, a OMS
e controle de infecção (IPC); prestação de cuidados sintomáticos desenvolveu uma iniciativa inovadora de comunicação, chamada
às pessoas com doença; e atendimento de suporte otimizado Rede da OMS para Informação em Epidemias (EPI-WIN)”.
para pessoas com doença grave”. A OMS afirma que pacientes
67º dia – 06 de março
com sintomas leves devem ser tratados em casa, isoladamente,
em caso de sobrecarga dos sistemas de saúde. “A oxigenoterapia O número de casos no mundo passa de 100.000 mil. Brasil
é a principal intervenção terapêutica para pacientes com tem 13 casos e há 768 suspeitos. A OMS está preocupada com as
COVID-19 grave. Todos os países devem trabalhar para otimizar comparações entre a COVID-19 e a gripe, e procura mostrar as
a disponibilidade de oxímetros de pulso e sistemas médicos de semelhanças e diferenças dos sintomas e das doenças. Algumas
oxigênio”. das diferenças são o período de incubação e a velocidade
de transmissão. A transmissão pré-sintomática parece ser
63º dia – 02 de março mais importante para a gripe do que para a COVID-19. Os
Mais 2 infectados no Brasil e quase 500 casos suspeitos. possíveis casos assintomáticos de COVID-19 não parecem
Viajantes oriundos da Itália são responsáveis por serem os “ser um dos principais fatores de transmissão”. Afirma-se,
contraditoriamente, pelo menos do nosso modesto ponto de
48 49
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

vista: “Para a COVID-19, os dados até o momento sugerem Trump. Na primeira página da Folha de São Paulo o destaque é a
que 80% das infecções são leves ou assintomáticas, 15% são crise na Bolsa. A pandemia, no Brasil, ocupa um lugar modesto no
infecções graves, requerendo oxigênio e 5% são infecções jornal, com um pequeno box lateral que informa serem 13 casos
críticas, que requerem ventilação”. Destaca-se, ainda, que confirmados. No noticiário político, predomina a manifestação
essas frações de infecção grave e crítica seriam maior do que o contra o STF e o Congresso, convocada por grupos bolsonaristas.
observado para a infecção por influenza. Os que correm maior
risco de infecção grave pela gripe são crianças, mulheres grávidas, 69º dia – 08 de março
idosos, pessoas com condições médicas crônicas e aqueles que Um dos virologistas responsáveis pelo descobrimento
são imunossuprimidos. Para COVID-19, nosso entendimento da Zica relativiza o impacto da pandemia no Brasil e destaca,
atual é que idade avançada e condições subjacentes aumentam em 8 de março, que o novo vírus não irá conseguir sobreviver
o risco de infecção grave. A mortalidade por COVID-19 parece no calor. Número de casos nos EUA passa de 500. Protestos
ser mais alta que a influenza, especialmente a influenza sazonal. em todo mundo marcam o dia Internacional da Mulher. Em
Embora a verdadeira mortalidade da COVID-19 leve algum Madrid, sede dos principais protestos, mulheres tinham cartazes
tempo para ser entendida completamente, os dados que temos com dizeres: “stop a la pandemia patriarcal” e “urgence: vitale
até agora indicam que a taxa de mortalidade bruta (o número virus patriarcal”. Em Paris também se denunciou a “pandemia
de mortes relatadas dividido pelos casos relatados) está entre patriarcal”. No Chile, mais de 100 pessoas foram para as ruas
3-4%, a taxa de mortalidade por infecção (o número das mortes em Santiago. A misoginia de Bolsonaro foi denunciada em quase
relatadas divididas pelo número de infecções) será menor. Para todas 70 cidades brasileiras que tiveram protestos.
a influenza sazonal, a mortalidade é geralmente bem abaixo de
0,1%”. 70º dia – 09 de março
Mayra recebe duas amigas em casa, uma delas recém Atualização da situação no Brasil: 25 casos confirmados,
chegada da Europa (havia chegado ao Brasil no dia 22). Esta 4 foram por transmissão local. Os estados são: São Paulo (16),
amiga veio no mesmo voo que o primeiro infectado e, por isso, Rio de Janeiro (3), Bahia (2), Alagoas (1), Espírito Santo (1),
precisou ficar de quarentena por 15 dias em casa, monitorada pela Minas Gerais (1) e Distrito Federal (1). O Diretor-Geral da OMS
prefeitura de sua cidade, mas em nenhum momento apresentou afirma que a ameaça de uma pandemia tornou-se muito real.
sintomas. Mas essa seria a primeira pandemia na história que poderia ser
controlada. Itália decreta bloqueio (lockdown) nacional.
68º dia – 07 de março
71º dia – 10 de março
Atualização da situação em números segundo a OMS:
101.927 confirmados, na China são 80.813 e 3.073 mortos. Fora Atualização da situação no Brasil: 34 casos confirmados.
da China 21.110 confirmados e 413 em 93 países. A doença chega também ao Rio Grande do Sul. O relatório de
situação da OMS, do dia anterior, afirma que são 872 mortos
A imprensa noticia a chegada da comitiva brasileira, ao
fora da China, mas, ao que parece, no dia 10, a informação foi
estado da Flórida, Estados Unidos, no sábado, 7 de março, para
bastante atualizada, pois o número sobre para 3.809.
uma visita oficial que inclui um encontro com o presidente

50 51
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

72º dia – 11 de março tratam, isolam, rastreiam e mobilizam suas pessoas na resposta,
A OMS declara a existência de uma pandemia global de aqueles com um punhado de casos podem impedir que esses
COVID-19. Muitos criticam o atraso da entidade em declarar casos se tornem aglomerados e esses aglomerados se tornem
essa situação. A principal manchete da Folha é sobre o risco do transmissão da comunidade. Mesmo os países com transmissão
colapso do sistema de saúde no Brasil, cujos casos confirmados comunitária ou grandes grupos podem virar a maré contra esse
já somam 52, em oito estados, e 902 suspeitos. El Salvador vírus. Vários países demonstraram que esse vírus pode ser
decreta quarentena de 21 dias e proíbe a entrada de estrangeiros. suprimido e controlado”. Por fim destacamos: “Todos os países
20% dos estudantes do mundo já estão sem escola em função devem encontrar um bom equilíbrio entre proteger a saúde,
da pandemia. Itália fecha restaurantes, bares e lojas em todo minimizar as perturbações econômicas e sociais e respeitar os
o país. Irlanda e Suécia relatam primeira morte. Nos Estados direitos humanos”.
Unidos, NBA suspende a temporada. Trump anuncia restrição
73º dia – 12 de março
das viagens da Europa aos Estados Unidos por 30 dias. Turquia,
Costa do Marfim, Honduras, Bolívia, República Democrática do Áudio do médico Fábio Jatene viraliza no WhatsApp.
Congo, Panamá e Mongólia confirmam o primeiro caso. Depois de muitas controvérsias afirma-se que não é fake. Ele
relata uma reunião científica sobre a pandemia no Incor e, em
Atualização da situação pela OMS: 118.319 casos
um determinado trecho afirma-se que: “o infectologista David
confirmados com 4.292 mortos no mundo. Na China são 80 955
Uip também disse que devem ser, nos próximos quatro meses,
confirmados e 3162 mortos. Fora da China: 37.364 confirmados
na Grande São Paulo, 45 mil casos e estão prevendo que vão
e 1.130 mortos, em 113 países. Informa-se, no discurso de
precisar de UTI para 10 a 11 mil pessoas. E não tem dez mil
declaração da pandemia, que nas duas últimas semanas, o
leitos de UTI disponíveis. Não tem. O também infectologista,
número de casos de COVID-19 fora da China aumentou 13
Marcelo Amato disse que na Itália está o caos, porque as UTIs
vezes e o número de países afetados triplicou. O Diretor-Geral
estão cheias, lotadas, abarrotadas e agora eles estão pondo
afirma: “Pandemia não é uma palavra para ser usada de maneira
pacientes em centro cirúrgico, porque centro cirúrgico tem
leve ou descuidada. É uma palavra que, se mal utilizada, pode
respirador”. Israel, Portugal e França fecham todas as escolas
causar medo irracional ou aceitação injustificada de que a
e a Grécia, todos os lugares de entretenimento. Primeira morte
luta acabou, levando a sofrimento e morte desnecessários. A
na Índia. No Brasil são 60 casos confirmados e 930 suspeitos.
descrição da situação, como sendo uma pandemia, não altera
Ministério da Saúde abre edital com vagas para os Mais Médicos:
a avaliação da OMS da ameaça representada por esse vírus.
onde estão os médicos cubanos?
Não muda o que a OMS está fazendo, nem o que os países
devem fazer. Nunca vimos uma pandemia provocada por um
74º dia – 13 de março
coronavírus. Esta é a primeira pandemia causada por um
A OMS declara a Europa o novo epicentro do surto.
coronavírus. E nunca vimos uma pandemia que possa ser
Atualização da situação em números: 5000 mil mortos. O
controlada ao mesmo tempo”. Solicita-se que os países tomem
Ministério da Saúde regulamentou critérios de isolamento e
medidas urgentes e agressivas: “todos os países ainda podem
quarentena para serem utilizados pelas autoridades sanitárias.
mudar o curso dessa pandemia. Se os países detectam, testam,
O primeiro brasileiro diagnosticado é curado. Trump declara
52 53
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

emergência nacional e libera 50 bilhões de dólares para


combater a pandemia. 6ª
Quinzena
75º dia – 14 de março
Com o risco eminente do alastramento do vírus, a imprensa
brasileira destaca que os especialistas recomendam: o Brasil deve No mundo: decisões;
parar. Trump testa negativo para coronavírus.
no Brasil: a gripezinha
76º dia – 15 de março
Há manifestações bolsonaristas contra o STF e o Congresso
nas ruas, embora as autoridades de saúde tenham indicado que
aglomerações fossem evitadas. Bolsonaro cumprimentou os
manifestantes e passeou por Brasília. Um desrespeito insano do
presidente para com as autoridades sanitárias. Esperamos que
não se repita. A indignação é grande.

Fonte: WhatsApp

54 55
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

77º dia – 16 de março tem 7.753 casos e 152 mortes e a França tem 5.380 casos e 36
Segunda-feira. Ontem, domingo, dia 15, Mateus retornou mortes. No Brasil, são 234 casos. Ao longo desses dias, vários
de sua viagem de estudos, de seis meses, em Bolonha, na Itália, países estão fechando as fronteiras e/ou adotando medidas
e estávamos ansiosos para nos reencontrar. O Brasil tem 15 restritivas.
casos de COVID-19. A imprensa cobre o ato contra o STF e o Trump aconselhou os cidadãos a evitar grupos de mais de
Congresso Nacional, realizado no domingo, com a presença 10 pessoas.
de Bolsonaro, apesar dos riscos de contaminação. Desde o dia
11 de março repercutem as contaminações de membros da 78º dia – 17 de março
comitiva da viagem do presidente aos Estados Unidos, tendo o A Europa responde por 74% dos novos casos. No Brasil,
primeiro caso sido confirmado já no dia 12. Bolsonaro se recusa as primeiras mortes são registradas no Rio e em São Paulo. À
a divulgar os exames que confirmariam que ele mesmo não teria noite, pode-se ouvir o primeiro “panelaço” contra o governo
sido contaminado. Ou teria o presidente se contaminado, mas se de Jair Bolsonaro. Fica pronto o livro organizado por nós,
curado com o tratamento da hidroxicloroquina? Por entre tantos Valdei e Mateus, e por Bruna Klem, intitulado Do Fake ao
fakes, como saber? fato: (des)atualizando Bolsonaro. Mayra ajuda a divulgá-lo nas
Em uma de suas declarações hoje, o presidente Bolsonaro mídias. Discutimos com o editor da Milfontes estratégias para
falou a respeito da pandemia, em sua peculiar linguagem lançamentos presenciais. O primeiro deve ser em Vitória.
fragmentada: “Foi surpreendente o que aconteceu na rua até Atualização da situação em números pela OMS: 179.111
com esse superdimensionamento. Que vai ter problema vai ter, confirmados e 7.426 mortes. Situação passa a ser mostrada por
quem é idoso, [quem] está com problema, [quem tem] alguma região e não mais dentro e fora da China, na seguinte ordem:
deficiência, mas não é tudo isso que dizem. Até a China já Pacífico Ocidental 91.779 confirmados, 3.357 mortes; Europa
praticamente está acabando”. 64.188 confirmados e 3.108 mortes; Sudeste Asiático: 508
The New York Times: “A América Latina começou a sentir os confirmados, 9 mortes; Oriente Médio 16.786 confirmados, 873
efeitos. Vários países da América Latina impuseram restrições mortos; Américas 4.910 confirmados, 68 mortos; e África 228
a seus cidadãos, para retardar a propagação do vírus. A confirmados e 4 mortos. No Brasil, são 291 casos confirmados
Venezuela anunciou uma quarentena nacional. Equador e Peru e 8.819 casos suspeitos. A recomendação do Ministério da
implementaram bloqueios em todo o país, enquanto Colômbia e Saúde é que o teste seja feito somente em casos graves. Para os
Costa Rica fecharam suas fronteiras. No entanto, Jair Bolsonaro, outros casos, deve-se levar em consideração o quadro clínico. O
presidente do Brasil, incentivou manifestações em massa de seus Estado do Rio de Janeiro suspende diversas atividades por 15
apoiadores contra seus oponentes no congresso”. dias. Coreia do Sul aparece como um bom modelo de combate
a COVID-19, segundo a imprensa. A União Europeia fecha suas
Atualização da situação em números: 167.515 casos no
fronteiras; a Rússia fecha suas fronteiras; a Bolívia fecha suas
mundo, 6.606 mortos. O número total de casos e mortes fora
fronteiras.
da China ultrapassou o total do número de casos na China que
hoje somam 81.077 com 3.218 mortes; a Itália 24.747 casos e Ministério da Saúde é notificado da primeira morte no
368 mortes; o Irã tem 14.991 casos e 245 mortes; a Espanha Brasil.

56 57
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

79º dia – 18 de março vírus mental, que está infectando a amizades entre os nossos
Os jornais noticiam a primeira morte pelo vírus em São povos”. Economistas apontam para o risco de depressão e do
Paulo. O presidente do Senado e dois ministros de Bolsonaro aumento da pobreza em função da pandemia. São 621 casos no
testaram positivo para a COVID-19. Reportagem do site Outras Brasil e 5 mortes. A Itália supera a China no número de mortes
Palavras pergunta: “Coronavírus impulsionará impeachment?”. por coronavírus. O Haiti entra em bloqueio total. A França tem
Uma brasileira, diretora-assistente da OMS, afirma que os mais de 10.000 casos.
brasileiros estão minimizando o risco do coronavírus. Médico Atualização da situação em números pela OMS: o número
que tratou o primeiro paciente morto no Brasil faz apelo para de casos globais é superior a 200.000 mil. Foram 3 meses para
que pessoas fiquem em casa. O site Intercept noticia que a chegar em 100 mil e 12 dias para chegar em 200 mil. Preocupante
empresa Riachuelo mantém funcionários em escritório, mesmo demais!
com casos de coronavírus confirmados. À noite ouvimos mais
panelaços contra o governo. Eles são vistos e ouvidos por nós 81º dia – 20 de março
com esperança. Reportagem do ConJur afirma que corte de O Ministério da Saúde reconhece a transmissão
jornada e salários proposto pelo governo divide advogados. comunitária do novo coronavírus em todo país. Todos os
O Ministro da Economia, Paulo Guedes, anuncia um auxílio gestores nacionais devem adotar medidas que promovam
emergencial de 200 reais aos trabalhadores informais. Governo distanciamento social e evitem aglomerações. O número de
da Bahia suspende diversas atividades por 15 dias. casos confirmados no país é de 904. São 11 mortes, sendo
Depois de 14 anos Angela Merkel, primeira ministra alemã, duas no Rio e 9 em São Paulo. A Itália registra 627 mortes.
faz um discurso televisionado, para além do de Ano Novo. Ela Cuba fecha fronteiras. Para aumentar o acesso a informações
enfatiza a gravidade da situação e afirma que o coronavírus é o confiáveis, a OMS estabeleceu parceria com o WhatsApp e
maior desafio desde a Segunda Guerra Mundial: “Levem isso a o Facebook para lançar um serviço de mensagens de alerta
sério”. “Desde a Segunda Guerra Mundial não houve um desafio de saúde da OMS. O serviço fornecerá as últimas notícias e
para o nosso país que dependesse tanto da nossa ação conjunta informações sobre a COVID-19. Afirma-se, também, que “o
e solidária”. primeiro teste de vacina começou há apenas 60 dias após a
sequência genética do vírus ter sido compartilhado pela China.
80º dia – 19 de março Esta é uma conquista incrível”. A OMS lança a campanha:
A China consegue zerar a transmissão local. Nas esquerdas, #TogetherAtHome. Os relatórios da OMS passam a apresentar,
aumenta a preocupação com as periferias e os mais vulneráveis. pela primeira vez, alguma informação mais precisa sobre
A Embaixada da China, no Brasil, responde o deputado federal casos pré-sintomáticos e assintomáticos. No que se refere aos
Eduardo Bolsonaro (sem partido) e filho do presidente que, no últimos, afirma-se: “para casos assintomáticos confirmados, o
dia anterior, acusou o país asiático, de omitir informações sobre período de contato é medido nos 2 dias anteriores aos 14 dias
a pandemia: “As suas palavras são extremamente irresponsáveis após a data em que a amostra foi coletada”. Um contato é uma
e nos soam familiares. Não deixam de ser uma imitação dos seus pessoa que experimentou algum tipo de exposição durante os
queridos amigos. Ao voltar de Miami, contraiu, infelizmente, 2 dias anteriores e 14 dias de um caso provável ou confirmado.

58 59
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

82º dia – 21 de março


Atualização da situação brasileira: 1128 casos confirmados
e 18 mortes. Bolsonaro determina o que pode e o que não pode
parar, isto é, o que é e não é essencial. Começa a circular em
grupos bolsonaristas o vídeo do Drauzio Varella de final de
janeiro, onde se diz que, em 90% dos casos, a COVID-19 gera só
um resfriadinho.

Fonte: Facebook.

84º dia – 23 de março


Segunda-feira. Boris Johnson reconhece a gravidade da
crise no Reino Unido e muda o discurso e as ações que vinha
Fonte: Twitter
adotando. No dia 3 de março ele havia se gabado de continuar
83º dia – 22 de março apertando as mãos das vítimas da COVID-19. A OMS enfatiza
que o teste de diagnóstico para a COVID-19 “é fundamental
No dia anterior e depois de longas discussões, decidimos
para rastrear o vírus, entendendo epidemiologia, informando
marcar um churrasco para, enfim nos encontrarmos, após mais
o gerenciamento de casos e suprimindo a transmissão”. Além
de 6 meses distantes. As discussões sobre o provável encontro
disso, destaca que a pandemia está se acelerando. Zimbabue e
foram extensas, pois ponderamos o fato de que Valdei, tendo
Nigéria também fecham suas fronteiras. Atualização da situação
asma, fizesse parte do grupo de risco. Mas, na manhã deste
no Brasil: 1891 casos e 34 mortes. Brasil restringe a entrada de
domingo, Mateus acorda com tosse, fadiga, perda de apetite e
alguns estrangeiros, não todos, como vem fazendo a maioria dos
febre: churrasco e reencontro adiados. À noite, após ter áudio de
países. Enquanto isso, Olavo de Carvalho pergunta:
conversa em WhatsApp vazado, em que chamava de histéricas as
preocupações com a epidemia, o empresário Roberto Justus é alvo
de protestos no Twitter e em outras redes sociais. Justus alinha-
se com outros empresários bolsonaristas, cujos argumentos são
similares, como os donos da Madero, Havan e Riachuelo. Agora,
todos os estados brasileiros já têm casos de coronavírus e os
Fonte: Twitter.
casos globais dobram em relação à semana passada. Já são quase
330.000. No Brasil, são 1.546 confirmados e 25 mortos. À noite,
85º dia – 24 de março
Bolsonaro divulga Medida Provisória que permite suspensão do
contrato de trabalho por 4 meses. Uma imagem que circulou em Ao mesmo tempo em que Bolsonaro recua, em relação à
nossa bolha no Facebook: medida provisória sobre o corte de salários, o Banco Central

60 61
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

libera mais de 1 trilhão de reais para os bancos. Reportagens Médica e enfermeira do SUS, de Ouro Preto, fazem visita
denunciam que o empresário, dono da Madero, afirma que a domiciliar a Mateus, para avaliar se o caso era suspeito de
economia não pode parar em função de 5 ou 7 mil mortes. Renda COVID-19, dados os sintomas que sentia: febre, tosse seca, perda
Familiar de Emergência é anunciada na Argentina. O alerta de do paladar e olfato, certa dificuldade para respirar e, sobretudo,
saúde do WhatsApp da OMS já atraiu 10 milhões de usuários. fadiga.
Atualização da situação brasileira em números: 47 mortos
86º dia – 25 de março
e total de casos: 2.201. No mundo, são 372.755 confirmados e
16.231 mortos. Outra enfermeira da cidade de Ouro Preto recolhe três
amostras, nas narinas e na garganta de Mateus. O exame é
Às 20h30 Bolsonaro fez um pronunciamento televisionado
enviado para a Fundação Ezequiel Dias, em Belo Horizonte,
que difere substancialmente daqueles realizados nos dias 6 e
Minas Gerais. Nesse dia, a febre cede. A possibilidade de o vírus
12 de março. Neste fatídico discurso, o presidente minimiza a
estar dentro do próprio corpo e dentro de casa é angustiante.
doença, criticando as medidas de isolamento. Apesar de breves
Verônica, a companheira de Mateus, dorme no sofá da sala de
elogios ao Ministro da Saúde, faz apelos para que as pessoas
sua casa, e leva comida para ele no quarto. A hora do banho, é
voltem à normalidade, contrariando o próprio Ministro. Critica
uma operação de guerra.
o que ele denominou de histeria da imprensa, argumentando
que o caso da Itália só seguiu os rumos que conhecemos, pelo Atualização da situação no Brasil: 2.433 casos e 57 mortes.
elevado número de idosos do país, além do seu clima frio, e que, O ministro Luiz Henrique Mandetta anuncia a distribuição de
portanto, não poderia servir de exemplo ao Brasil. Questiona o 3,4 milhões de unidades de cloroquina e hidroxicloroquina para
fechamento de escolas e sugere que apenas pessoas do grupo pacientes graves hospitalizados. O Ministério da Saúde também
de risco deviam se confinar. Critica duramente os governadores solta um guia em que afirma que o velório dos corpos das vítimas
de estados, os quais acusa de estarem levando a economia ao devem ocorrer em espaço aberto, com, no máximo, 10 pessoas
colapso. Nomeia os efeitos do coronavírus de “gripezinha”, se e com distância de dois metros entre elas. Os caixões devem
vangloria de seu histórico de atleta e ainda especula sobre o permanecer fechados durante todo o tempo.
tratamento com a hidroxicloroquina. Mais panelaços durante A doença não respeita nem a aristocracia: o príncipe Charles
o pronunciamento. E muitas reações imediatas, inclusive do testa positivo. A Espanha, depois da Itália, ultrapassa o número
presidente do Senado, que pede liderança séria para lidar com de mortos da China. 1/3 da população mundial vive algum tipo
a crise. de isolamento.
O premiê do Japão pede o adiamento dos jogos olímpicos O Diretor Geral da OMS faz um pronunciamento no qual
de Tóquio por um ano. Os Estados Unidos superam 50 mil casos. afirma que: “pedir às pessoas que fiquem em casa e interromper
Austrália se fecha. Nova Zelândia entra em confinamento. Índia o movimento da população está ganhando tempo e reduzindo
anuncia bloqueio (lockdown) de 21 dias. O número de casos no a pressão sobre os sistemas de saúde. Mas, por si só, essas
país é de 500. medidas não extinguirão epidemias. O objetivo dessas ações é
OMS vê potencial para que os EUA se tornem o novo permitir as medidas mais precisas e direcionadas necessárias
epicentro da crise. para interromper a transmissão e salvar vidas. Convidamos todos

62 63
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

os países que introduziram as chamadas medidas de “bloqueio” 88º dia – 27 de março


a usar esse tempo para atacar o vírus. Você criou uma segunda O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson,
janela de oportunidade. A questão é: como você vai usá-la?”. é diagnosticado com o novo coronavírus. Bolsonaro lança a
Para suprimir e interromper a transmissão, ele recomenda seis campanha publicitária com o slogan #OBrasilNãoPodeParar e o
ações principais a fim de que quando as restrições acabem, site Intercept mostra que há certa adesão social a esse discurso. A
novos surtos não venham a ocorrer. “A última coisa que um OMS afirma que a evolução da pandemia na África é gravíssima.
país precisa é abrir escolas e empresas, apenas para ser forçado Chegam-nos relatos de que em condomínios de luxo, em bairros
a fechá-las novamente por causa de um ressurgimento”. Ele nobres de Vitória (ES), os cuidados com o vírus são minuciosos,
também destaca que mais de 150 países e territórios ainda têm com funcionários, que não foram dispensados, higienizando, três
menos de 100 casos, o que amplia a possibilidade de controle vezes ao dia, os espaços comuns. No final da tarde desta sexta-
caso se tomem medidas agressivas. Destaca, ainda, que distância feira, alguns moradores desses prédios devem ter se juntado à
física não significa “distância social”. É preciso cuidar dos outros, carreata que pedia a reabertura do comércio em Vitória e Vila
saber como estão, em especial, os mais vulneráveis e os mais Velha, #OBrasilNãoPodeParar. A imagem do papa Francisco
velhos. Mas, também, os pais, vizinhos, parentes e amigos. caminhando sozinho pela Praça de São Pedro, vazia, na presença
de um crucifixo que, conforme diz a tradição, salvou a cidade de
87º dia – 26 de março
Roma da peste negra, em 1522, é das mais icônicas dos últimos
O sociólogo português Boaventura de Souza Santos afirma tempos.
que a ultradireita fracassa no combate ao vírus. Ao mesmo tempo,
pesquisa do instituto Gallup indica que a aprovação de Trump
subia para o maior nível do seu mandato. Mais de 1.000 mortos
nos EUA pelo coronavírus. A epidemia avança na Espanha, com
mais de 4.000 mortos e 56 mil casos confirmados. Na América
Latina, medidas rígidas são adotadas pela maioria dos governos.
Trump reafirma que a COVID-19 é como uma gripe e os casos
nos EUA estariam caindo; no entanto, os EUA passam a ser o país
com o maior número de casos. São 81,321 confirmados e mais
de 1000 mortos. Nova York torna-se o epicentro. 3,2 milhões
de americanos entram com pedido de desemprego. Moscou
Fonte: Veja.
anuncia fechamento. Os EUA anunciam um plano de estímulo
da economia, no valor de 2 trilhões de dólares. Atualização da Atualização da situação no Brasil: são 3.417 casos
situação no Brasil: Bolsonaro publica decreto que considera confirmados de coronavírus, com 92 mortes nos seguintes
atividades religiosas como essenciais. Tem muita igreja com estados: São Paulo (68), Rio de Janeiro (10), Pernambuco
medo de quebrar. São 2.915 casos de coronavírus e 77 pessoas (4), Ceará (3), Rio Grande do Sul (2), Paraná (2), Amazonas
mortas, sendo 58 só em São Paulo. (1), Goiás (1) e Santa Catarina (1). China proíbe visitantes

64 65
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

estrangeiros. Primeira morte na África do Sul e bloqueio por 3 governadores do país, bem como ao seu ministro da Saúde, que
semanas. Atualização da situação no mundo, segundo a OMS: reforçam as políticas de isolamento. Bolívia e Uruguai anunciam
são 509.164 casos confirmados, com 23.335 mortos. Pacífico a primeira morte. Os EUA têm mais casos do que qualquer
Ocidental: 100.018 confirmados, e 35.67 mortos; Europa outro país. Trump estende diretrizes de distanciamento social.
286.697 confirmados, com 16.105 mortos; Sudeste Asiático Atualização da situação no Brasil: 4.309 casos, 139 mortes,
2.932 confirmados, e 105 mortos; Oriente Médio, 35.249,com sendo 98 em São Paulo. Primeira morte na Bahia e no Maranhão.
2336 mortos; Américas, 81.137 confirmados, 1.176 mortos; e
África: 2.419 confirmados, 39 mortos.

89º dia – 28 de março


A manchete de um jornal português sintetiza a preocupação
do país com o alastramento do vírus: “COVID-19 em Portugal.
A caminho do desconhecido e a tentar atrasar o passo”. Uma
manchete, uma síntese, uma constatação: a de que vivemos um
momento em que atrasar o passo pode ser mais prudente do
que a chegada rápida a um certo futuro. Mas quem decide como
e quanto atrasar? Quem paga a conta? Questões da boa e velha
política. Atualização da situação em números: as mortes globais
já são superiores a 30 mil. No Brasil, 3.928 casos e 113 mortos.
Parece que está crescendo muito rápido aqui. Um estudo do
Imperial College de Londres prevê que o Brasil pode chegar a
1.150.000 mortes, se nenhum tipo de isolamento for feito.

90º dia – 29 de março 


A manchete da Folha afirma que moradores passam fome
nas favelas e começam a sair às ruas. Trump agora refere-se à
“gripe” como pandemia e prolonga o isolamento nos EUA. Ele
se diz preocupado: “Eu só via essas coisas em países distantes,
nunca no nosso”. Enquanto isso, Bolsonaro passeia pelas ruas
do Distrito Federal, estimulando as pessoas a saírem de casa.
Em decisão inédita, as postagens com os vídeos do presidente
foram removidos de sua conta pelo Twitter no mesmo dia. Nesse
momento, as declarações de Bolsonaro passam a se distanciar
um pouco das de Trump, embora o repertório comum seja vasto.
Bolsonaro continua a se contrapor à maioria dos prefeitos e
66 67

Quinzena

O mundo confinado;
Mandetta é a estrela que brilha
91º dia – 30 de março
Segunda-feira. O Parlamento Húngaro, sob justificativa
de combater o coronavírus, dá poderes quase ilimitados ao
primeiro-ministro Viktor Orbán, dentre eles, a possibilidade de
censura. Trump anuncia que mais de 1 milhão de americanos
foram testados para coronavírus.

92º dia – 31 de março


Segundo a imprensa, os Ministros da Justiça e Economia
se opõem a Bolsonaro e apoiam o Ministro da Saúde. O
isolamento social é respeitado por 60% das pessoas no Brasil,
mostra software. Quinze estados brasileiros usam a tecnologia
que mapeia comportamento individual através de sinais de
dispositivo de rede sem fio.
O site O Antagonista resume o novo pronunciamento do
presidente da seguinte forma: “Jair Murphy Bolsonaro. Se algo
pode dar errado, é porque vai dar errado”. Vice-presidente
exalta Ditadura Militar (1964-1985) no dia do aniversário do
golpe de Estado de 31 de março de 1964. Os autores passam o
dia envolvidos com a campanha #DitaduraNuncaMais. Mateus
continua com vários sintomas. Ainda sem resultado do exame.
Atualização da situação no Brasil: 5.812 casos confirmados,
202 mortes. Amazonas relata terceira morte e Minas Gerais a
segunda.

69
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

93º dia – 01 de abril milhão em 171 países, com mais de 51 mil mortos. As notícias
A Prefeitura de Mariana confirma a primeira morte pela sobre subnotificação ganham as manchetes. Governo anuncia
COVID-19 na cidade: um homem de 44 anos, sem comorbidades redução e suspensão de salários durante a pandemia. O jornal El
e com provável contaminação local. Não sem alguma ironia, a País afirma que o Brasil tem sido preterido por fornecedores para
Folha noticia que no pronunciamento do dia anterior o presidente obter material médico contra o coronavírus. Usar ou não usar as
teria mudado o tom buscando a conciliação. Dia da mentira? Ele máscaras? Eis a questão!
e seu grupo político continuam a guerra de desinformação contra Atualização da situação: 8.066 casos e 327 mortes no
o seu próprio Ministério da Saúde. O país já registra 42 mortes. Brasil. A Arábia Saudita decreta toque de recolher de 24 horas a
Bolsonaro compartilha um vídeo falso, a fim de sugerir que o Meca e Medina, as duas cidades mais sagradas do Islã. Tailândia
isolamento social pode gerar uma crise de desabastecimento. decreta toque de recolher. Peru e Panamá decretam quarentena
Depois que a farsa foi denunciada, ele pede desculpas, gesto de gênero. OMS atualiza sua compreensão sobre a transmissão
raríssimo que, talvez, demonstre o quanto se sente isolado. do vírus. A entidade afirma que o período de incubação da
A luta é contra a pandemia e a infodemia, ao mesmo COVID-19 é, em média, de 5 a 6 dias, mas pode levar até 14
tempo. As notícias falsas e o vírus competem no quesito quem dias. Destaca-se, também, que algumas pessoas pré-sintomáticas
viraliza mais, isto é, quem sofre mais mutações atualizantes. É podem transmitir.
confirmado o primeiro caso de coronavírus entre indígenas, no É interessante também perceber o tom conservador e
Amazonas. Atualização da situação no Brasil: 6.386 casos e 241 cuidadoso da OMS, pois eles estão no olho do furacão, o que
mortes. São mais de 1000 novos casos nas últimas horas. São significa, em certo sentido, em estar parcialmente desatualizado
Paulo parece ser um possível epicentro. Tem quase 3000 mil em relação às informações e à propagação da doença. É a
casos e mais de 150 mortes. Espanha passa de 100.000 mil casos. prudência? De todo modo, já dá para perceber que quem está
Atualização dos casos no mundo, segundo a OMS: 823 seguindo a OMS está se saindo melhor na epidemia. Preocupante
626 confirmados, 598 mortes; Pacífico Ocidental 106 422 a situação dos Estados Unidos e do Brasil, nesse sentido.
confirmados, 3701 mortes; Europa 464 212 confirmados, 30 089 Afirma-se, ainda, que não há estudos suficientes para dizer que
mortos; Sudeste Asiático 5175 confirmados, 195 mortos; Oriente há casos assintomáticos de transmissão, se são apenas casos pré-
Médio 54 281 confirmados, 3115 mortos; Américas 188 751 sintomáticos. Assim, “A OMS monitora regularmente todas as
confirmados, 3400 mortos; África 4073 confirmados, 91 mortos. evidências emergentes sobre esse tópico crítico e fornecerá uma
A OMS enfatiza que “os países das Américas devem agir agora atualização à medida que obtiver mais informações”. A máscara
para retardar a disseminação da COVID-19”. A entidade reforça chega ao ocidente. Diversos países começam a incentivar seu
a necessidade de se implementarem medidas de distanciamento uso em público.
físico, para evitar a propagação da doença, além da realização de
95º dia – 03 de abril
testes em massa.
No Brasil, Bolsonaro continua em rota de colisão com o
94 dia – 02 de abril 
º
seu Ministro da Saúde. Equador entra em colapso sanitário. O
O número de pessoas infectadas no mundo ultrapassa um país tem a oitava população do continente sul-americano, mas já

70 71
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

registra o segundo maior número de mortes. COVID-19 acaba que deve continuar durante a resposta a COVID-19”. “Nunca há
com 10 milhões de empregos nos EUA. Profissionais da saúde desculpa para a violência. Nós abominamos toda a violência de
no Brasil denunciam a precarização das condições de trabalho todas as formas, em todos os momentos”.
em tempos de pandemia. O bolsonarismo dissemina diversas Trump evoca a Lei de Produções de Defesa para interromper
narrativas eficazes, em especial entre a população evangélica. a exportação de máscaras e outros equipamentos de proteção
Mandetta, o Ministro da Saúde, é o principal alvo das milícias individual e indica o uso de máscaras de pano para todos os
digitais: Quantos são robôs? Quem financia? Qual o papel da americanos.
leniência de Facebook, Twitter e Google com essas práticas? É
divulgada uma pesquisa feita com dados do Twitter do dia 15 de 96º dia – 04 de abril
março, quando a hashtag #BolsonaroDay subiu, apontando que Todas as chamadas da primeira página da Folha de São Paulo
55% das postagens nessa hashtag haviam sido feitas por robôs. O são dedicadas à pandemia, sem exceção. Chega em nosso Zap,
Judiciário e o Legislativo assistem a tudo impassíveis: bilontras enviado por uma amiga do Rio Grande do Norte, um áudio
ou bestializados? convocando para o jejum e oração do domingo que começava
Enquanto a Líbia registra sua primeira morte, os EUA pedindo a “proibição e criminalização do socialismo, comunismo
confirmam 32000 mil casos em um dia. A Organização Mundial e marxismo cultural dentro do Brasil”. No vídeo, a atriz (?)
da Saúde (OMS) alerta os governos do Oriente Médio a agir continuava sua fala – com um sotaque nordestino genérico –
rapidamente para limitar a disseminação. Os casos na região pedindo a destruição do Foro de São Paulo, que estaria por trás da
aumentaram para quase 60.000. Quase o dobro da semana grande conspiração para quebrar o Brasil, e explicava: “A China
anterior. Ministério da Saúde destaca que Distrito Federal, São comprou a Itália e, com isso, no fim do ano, a Itália ficou cheia
Paulo, Ceará, Rio de Janeiro e Amazonas podem estar em fase de de jovens chineses que cuspiam e tossiam em tudo para espalhar
aceleração descontrolada do vírus. o vírus”. E continua: “A Itália tem 30% de velhos e é fria, por
Atualização da situação no Brasil em números: 9.216 casos isso houve aquela matança generalizada. O vírus só gosta de frio.
e 365 mortes. OMS reafirma que os idosos correm mais riscos A cloroquina está sendo muito eficaz na cura da COVID-19; os
de desenvolver casos graves. Os casos também começam a subir governos estaduais de esquerda estão usando a quarentena para
no sudeste asiático. Afirma-se: “Quase 1,5 bilhão de pessoas - quebrar o Brasil, com o país parado, com demissões em massa,
em Bangladesh, Índia, Mianmar, Nepal, Sri Lanka e Tailândia o povo vai ficar sem dinheiro e com fome. A Europa pode fazer
- estão atualmente enfrentando bloqueios (lockdowns)”. Assim, quarentena por ter lastro da moeda em ouro, a do Brasil não,
“À medida que as medidas de distanciamento físico entram esse é o plano dos comunistas para tomar o poder no Brasil,
em vigor e as capacidades são construídas, qualquer que seja o estão soltando presos. Tudo isso para levar ao impeachment de
cenário de transmissão, com a abordagem correta o vírus pode Bolsonaro, mas se ele cair, o Mourão não vai poder assumir,
ser contido”. A OMS também está preocupada com a situação porque houve uma PEC37 em 2019 que vetaria. Haveria nova
das pessoas e países mais vulneráveis do mundo. O Diretor- eleição e Ciro Gomes – que está sendo financiado pelo governo
Geral afirmou que: “Convidamos os países a incluir serviços chinês, é o candidato, pois o país asiático quer comprar todas as
para combater a violência doméstica como um serviço essencial empresas brasileiras a preço de banana. Assim, o Brasil se torna

72 73
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

socialista”. Sentimos um certo desespero de professor: como se “Estamos sendo atualizados no papel de transmissores passivos
combate esse tipo de narrativa? Podemos descobrir a cura para a de vírus, sem alma e sem coração”. Em função da pressão de
pandemia, mas a infodemia será o novo normal? Bolsonaro, o Ministério da Saúde adotará, na próxima semana,
A Turquia passa a obrigar o uso de máscaras em público. Ao a arriscada estratégia do distanciamento social ampliado, isto
mesmo tempo, Trump, independemente de evidências científicas, é, reduzir o isolamento em cidades e estados com 50% da
passa a apoiar a hidroxicloroquina, como um tratamento eficaz capacidade de saúde vaga. Essa medida, segundo o próprio
para o coronavírus. Ministério, aumentará o número de infectados. Finalmente, a
OMS divulga um documento sobre o uso das máscaras, que até
97º dia – 05 de abril o momento, já foram do inferno ao céu. No mesmo dia, uma
Bolsonaro e apoiadores fazem jejum religioso contra o reportagem afirma: “Mortes por coronavírus se concentram em
novo coronavírus – e o plano comunista para dominar o Brasil. poucas cidades no mundo: Nova York tem 29% dos mortos pela
Olavo de Carvalho, guru do presidente, defende a demissão de COVID-19 nos EUA e se tornou o epicentro da doença. São Paulo
Mandetta, em seu perfil no Facebook, usando um desrespeitoso reúne 40% dos óbitos do Brasil”. São Paulo estará a caminho de
trocadilho: “Fora, ministro Punhetta”. O Ministro seria o ser um epicentro global?
“exemplo típico do que acontece quando um governo escolhe Em conferência de imprensa conjunta e em um artigo, o
seus altos funcionários por puros ‘critérios técnicos’, sem levar Diretor Geral da OMS e o Diretor Gerente do FMI reiteraram
em conta a sua fidelidade ideológica”. O guru do governo ainda a importância de salvar vidas e meios de subsistência. Eles
afirma que “tudo o que os comunistas mais desejam é que o enfatizam que o compromisso entre salvar vidas ou empregos
adversário tente vencê-los fugindo da briga ideológica”. Os EUA, é um falso dilema. 90% dos estudantes do mundo estão sem
lugar onde vive o guru do bolsonarismo, registram 1300 mortes ir presencialmente às escolas. São 12.239 casos e 566 mortes
em um único dia. No Brasil, são 11.281 casos e 487 mortes. no Brasil. O número de mortes nos Estados Unidos passa de
75% dos britânicos assistem ao discurso da rainha Elizabeth 10.000. O número de casos no Irã passa de 60.000.
sobre o coronavírus. Em discurso raro, ela presta homenagem
aos profissionais da saúde. 99º dia – 07 de abril 
Estimativas apontam para o fato de que a pandemia iria
98º dia – 06 de abril elevar em até 22 mil as pessoas em condições de extrema
Segunda-feira. A imprensa internacional anuncia o pobreza na América Latina. Na África, os casos confirmados
agravamento da situação de saúde de Boris Johnson, premier passam de 10 mil. A maioria dos 54 países já havia tido um caso.
britânico da nova direita global que, inicialmente, fez coro com A África do Sul, o país mais atingido, já tinha 1.700 doentes.
os que minimizam os efeitos da pandemia. O pensador indígena Brasil tem 114 mortes por coronavírus em 24 horas, o maior
brasileiro, Ailton Krenak, afirma que “voltar ao normal seria número em um dia. O total de mortes chega a 667. O Datafolha
como se converter ao negacionismo e aceitar que a Terra é plana. divulga pesquisa mostrando que 28% dos brasileiros não fazem
Que devemos seguir nos devorando”. O ministro Mandetta quase isolamento, uma porcentagem parecida com o apoio quase
cai ao longo do dia. Um amigo envia um e-mail no fim da noite: incondicional ao presidente: as narrativas do WhatsApp estariam

74 75
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

funcionando? Ao mesmo tempo, a Folha afirma que o remédio as mineradoras não pararam suas atividades. A cada dia ônibus
defendido pelo governo pode não ser a salvação esperada por repletos de trabalhadores circulam entre as minas, os bairros e
muitos bolsonaristas: “Taxa de mortes com cloroquina equivale distritos.
a de quem não usa, diz estudo preliminar da Fiocruz”. Hoje, pela manhã, trabalhamos na edição e publicação do
O WhatsApp limita o envio de mensagens para combater a texto sobre os 100 primeiros dias da pandemia no Jornalistas
infodemia: todos se perguntam se o limite vale também para os Livres. Convidamos Mayra para participar desse projeto, para nos
robôs e empresas de impulsionamento. Morre de COVID-19 o ajudar a lidar com a infodemia, ou seja, o bombardeio incessante
pastor norte-americano Landon Spradlin, que ficou famoso por de dados e informações que recebemos diariamente. Enquanto
chamar a pandemia de histeria. Nova York tem mais mortes por isso, ao longo do dia, o debate no Brasil gira em torno do auxílio
COVID-19 do que no 11 de setembro. Os EUA lideram o número emergencial de 600 reais (só hoje, quase 30 milhões de pessoas
de casos no mundo, sendo que registraram o maior número de se cadastraram para receber o auxílio, e muitas outras foram às
mortes por coronavírus em um único dia, com mais de 1.800 ruas para regularizar o CPF). Outro assunto que ocupa parte
mortes. No Twitter, Trump ataca a OMS e a China. O site O da agenda diz respeito à eficácia e o uso ou não da cloroquina.
antagonista registra que, por razões econômicas, o presidente ⅓ Tóquio se fecha e Wuhan se abre. Com a chegada da Mayra,
da Turquia, “Erdogan, rejeita o isolamento, e o vírus avança resolvemos melhorar nossa comunicação em nosso grupo de
na Turquia”. “Erdogan tem resistido aos apelos dos médicos WhatsApp, que tem nos servido de base, desde o início, para a
e da oposição para que ordene às pessoas a permanência em elaboração desse diário. Mas a internet da Mayra não funcionou.
casa – ele insiste que ‘as rodas da economia precisam continuar É a sobrecarga das redes nesses tempos. ⅓
girando’”. No Twitter, Bolsonaro envia votos de recuperação a
Boris Johnson. A Caixa Econômica Federal libera aplicativo para
pedidos do apoio de 600 reais aprovado pelo Congresso (e não
mais 200 como proposto inicialmente). China não registra novas
mortes.

100º dia – 08 de abril


A cidade que foi o epicentro original, Wuhan, recebe de
presente sua “liberdade”. Depois de 11 semanas e 76 dias, o
bloqueio da cidade chega ao fim. Há receios, no entanto, de ondas
de recontaminação na China. De acordo com o The Guardian:
“Cidade chinesa de Wuhan reabre quando Boris Johnson passa
a segunda noite em terapia intensiva”. Casos globais atingem
1,4 milhão de pessoas. O teste feito por Mateus ainda não
está pronto, mas a recuperação é visível. Valdei continua em
isolamento em Padre Viegas, distrito de Mariana, cidade em que
Fonte: Folha de São Paulo

76 77
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Às 20 h. 30 min., em pronunciamento em rede


nacional, Bolsonaro atribui, novamente, aos governadores,
a responsabilidade do isolamento, e defende o tema do dia: a
cloroquina! Além disso, volta a criticar, ainda que de maneira
mais “polida”, o isolamento. Impossível não notar o sorriso
de William Bonner, apresentador do Jornal Nacional, ao
dar as notícias sobre o panelaço que aconteceu durante o
pronunciamento do presidente.
Fonte: Facebook.
A OMC anunciou que a América Latina sofrerá a maior
Casos globais superam 1,5 milhões.
diminuição do PIB do mundo. Ah! De novo a Nossa América
Latina! Desigualdade e racismo fazem com que os negros sejam 101º dia – 09 de abril
os mais contaminados e a maioria das vítimas da COVID-19 Acordamos com a sensação de que a onda mais forte e mais
nos EUA. Mateus consegue conversar com seu médico pelo alta da epidemia se aproxima e nós pouco podemos fazer para
WhatsApp e ele prescreve um pedido para a realização de um reverter possíveis tragédias, ainda mais tendo na presidência um
exame rápido (IgM e IgG) na rede privada. Na opinião do médico, Bolsonaro. Ao que parece, a aposta dele é de que a pandemia
muitos resultados estão dando negativo, em especial, do PCR, não será grave no país. Talvez ele tenha razão, justamente pelas
em função de problemas na coleta do material e do tempo de medidas de isolamento que ele tanto critica. Veremos!
armazenamento para a realização do exame. De acordo com ele,
07 h 12 min.: “COVID-19 já matou em 43 dias mais do
o melhor para detectar a presença (ou não), de anticorpos, é fazer
que o sarampo, a dengue e o H1N1 durante todo o ano de
o exame 21 dias após os primeiros sintomas. Fim de mais um dia
2019” (O Globo, online). Aproveitando o momento, o jornal faz
de esperas e de notícias conturbadas. Mas um dia que, também,
as seguintes publicidades: “Informação é a melhor prevenção”.
nos traz certa satisfação pelo reconhecimento do nosso esforço
Depois da leitura do jornal uma sensação de que somos os novos
hercúleo de produzir este diário, na tentativa de estruturar esse
hikikomori, de que o fenômeno analisado no livro Atualismo 1.0
tempo tão desestruturado, como sintetizou um amigo, Daniel
havia nos capturado.
Faria da UNB, em seu feedback, sobre nosso texto, publicado pela
manhã: “dos raros textos esclarecedores dos que li. Vocês pegam Pela manhã, Valdei cadastrou sua mãe no aplicativo da
esse tempo desestruturado, desorientador… e de certo modo Caixa (simples e funcional), criado pelo governo. Esperemos que
reestruturam esse tempo, não naturalizando ou ‘explicando’, dê resultado positivo. Mateus está aprendendo, cada vez mais,
mas dando profundidade e desacelerando o tempo”. a usar as ferramentas digitais compartilhadas. Entre nós, muito
debate sobre a melhor forma de conduzir o diário … No final do
Quem pode imaginar como serão os próximos 100 ou 50
dia, fizemos nossa primeira reunião no GMeeting. Vivemos um
dias? O Globo noticia que o pacote de 600 reais de ajuda exclui
tempo indistinto e cada vez mais homogêneo. Até o fim da tarde
21 milhões de trabalhadores necessitados. Somália relata sua
não tínhamos nos dado conta de que amanhã é Sexta-feira Santa,
primeira morte. O uso da cloroquina entra na guerra de opiniões,
de que Ouro Preto estaria vivendo um de seus momentos mais
como demonstram alguns memes que circulam no Facebook.
turísticos. Mas a cidade está fechada.

78 79
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Valdei foi à farmácia, no centro de Mariana: muitas lojas nenhuma conquista do feminismo dos séculos XX e XXI deverá
fechadas, outras semiabertas, filas em supermercados e bancos, regredir. Sobre o futuro na política, ela acredita que esta crise
e muitas pessoas nas ruas usando máscaras. O prefeito da cidade tende a fazer com que as pessoas acreditem mais na ciência, e
quer relaxar o isolamento, em especial, depois que dois óbitos não seria de se espantar caso o próximo presidente fosse um
suspeitos deram negativo para a COVID-19. A subnotificação e médico. Ela alerta para o fato de que embora o Mandetta tenha
o falso negativo reinando? ganhado proeminência agora, não devemos nos esquecer de que
Em Ouro Preto, na noite do dia 08, faleceu a primeira ele está vinculado a seguros médicos privados e que ele foi o
pessoa do grupo de 13 suspeitos. Sem os resultados do exame, responsável pelo fim do programa Mais Médicos. Ainda assim,
nada pode ser confirmado. Fica só a certeza de que a pessoa a nossa colega parece acreditar mais na dimensão positiva do
estava no grupo de suspeitos. legado da crise do que no negativo, como nós.
Reportagem do G1, de Helio Gurovitz, datada do dia 07, A esse respeito, destacamos o áudio recebido de um amigo,
afirma, com razão: “acordo político que manteve Mandetta, acerca do nosso texto, sobre os 100 primeiros dias da pandemia.
o Ministro da Saúde, no cargo, despreza a ciência e custará De acordo com ele, nós, os autores, estamos ajudando a jogar o
milhares de vidas”. país no buraco, pois só criticamos o presidente, coisa que, segundo
16:22. Tomamos ciência de um texto da historiadora Lília ele, não acontecia com a Dilma. As mídias estariam interessadas
Schwarcz, para quem a crise do coronavírus marca o fim do em derrubar o presidente, em especial a Rede Globo. “Em vez
século XX, pois mostra os limites da tecnologia. O negacionismo de falar sobre Bolsonaro, ‘vocês’ deveriam alertar as pessoas não
não é algo novo, mas recorrente, tendo como exemplo a Revolta sobre as mortes, mas sim sobre as pessoas que se recuperaram da
da Vacina e a Gripe Espanhola. O negacionismo nega a história, COVID-19; alertar que quem é jovem deve trabalhar e quem deve
por isso há alguns erros que são recorrentes. O entendimento da ficar em casa é ‘velho’”. Teme morrer de fome, caso não possa
juventude como uma qualidade é algo que faz com que as pessoas voltar a trabalhar e tem medo de que o Brasil vire uma Cuba ou
desvalorizem os idosos e a história. O receio da velhice e da morte, Venezuela. Ele diz que a oposição deveria respeitar o presidente
segundo a historiadora, têm a ver com o negacionismo e com a e deixá-lo governar; e a esquerda e os comunistas devem ser
tecnologia também, pois os idosos são, geralmente, associados extintos do Brasil. Aliás, um dos principais memes circulando em
à ideia de desconhecimento tecnológico. Sobre remédios grupos bolsonaristas nesses dias faz referência indireta aos presos
milagrosos contra as doenças, ela diz: “Nossa prepotência é um de grupos de riscos que estavam em prisão domiciliar, bem como
pouco esta: achamos que somos uma sociedade muito racional, a minoria que voltava a cometer algum tipo de delito:
que se pauta pela tecnologia, mas todos nós esperamos por
um milagre sempre”. As desigualdades sociais também serão
destacadas nesta crise, embora sejam correntemente negadas,
pois a doença provavelmente afetará os mais pobres. Da mesma
forma, as mulheres também deverão ganhar destaque, como
aquelas que já têm algum costume com a administração da própria
casa ou como cuidadoras, no caso de enfermeiras e médicas, e Fonte: WhatsApp

80 81
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Mais notícias do dia: Primeiro caso entre os Yanomami O adolescente Yanomami infectado morreu de coronavírus. O
na Amazônia: um garoto de 15 anos. A Rússia registra 1.459 Equador registra 2.196 novos casos, elevando o total para 7.161.
novos casos, elevando o total para mais de 10.000. Quase 150 O México registra duas novas mortes, elevando o número de
mortes no Brasil nas últimas 24 horas. Os dados das secretarias mortos para 194. Timor Leste relata o seu segundo caso. O
de saúde indicam 18.176 casos de coronavírus e 957 mortes. Iêmen confirma seu primeiro caso. O número de mortes no
São Paulo e Rio de Janeiro são os estados mais atingidos. Dois monitoramento da Universidade Johns Hopkins passou de
novos casos são confirmados no território disputado do Saara 100.000 com 372.000 recuperações. Os casos disparam na Rússia
Ocidental, elevando o total para seis. Segundo dados divulgados também: o que o Olavo de Carvalho deve estar dizendo agora
pela Universidade Johns Hopkins, houve até aqui um total de lá dos Estados Unidos? Por aqui, recebemos a informação de
1.502.618 casos, 89.915 mortes e 339.775 recuperações. que o Hospital Delphina Aziz, em Manaus, entrou em colapso.
17 milhões de pessoas já pediram auxílio-desemprego nos As perspectivas indicam que, nos próximos dias, a situação no
EUA. norte e nordeste do país será dramática. Muito triste. Muitas
vidas já poderiam ter sido salvas, caso não fosse Bolsonaro o
102º dia – 10 de abril nosso chefe de estado.
A cidade de Nova York tem mais casos do que qualquer
país do mundo. 103º dia – 11 de abril

Mateus e Valdei pedem o depoimento de Mayra sobre o Valdei vai novamente à farmácia no centro de Mariana,
momento e ela disse que desde o início do isolamento ela se evitando ir a uma sala de espera de algum hospital. A cidade
sente bem mais estressada. A UCE (urticária crônica espontânea) está em semiconfinamento, mas muita gente está na rua. Há,
piorou, os antialérgicos já não funcionam mais. Não dorme inclusive, fila na porta da loja Cacau Show sem distanciamento
direito e tem dor de cabeça quase todo dia, além de crises de social.. Boa parte das pessoas ainda tentando manter alguma
choro com frequência. Ela está muito preocupada com os pais, normalidade. A falta de exemplo de Bolsonaro e do prefeito local
pois além do fato de eles serem de “grupos de risco”, também ajudam.
estão com um pouco mais de dificuldade econômica devido à Em diversas sacadas, pode-se ver estendido o baluarte de
crise do coronavírus. A internet, que nunca foi muito boa, agora São Roque, santo nascido no século XIII e reconhecido por seus
está péssima - às vezes simplesmente não funciona. Aliás, esta é milagres de cura contra a peste negra. A devoção a São Roque
uma reclamação recorrente entre os amigos que precisam fazer sempre foi forte na cidade. Há alguns anos, um ex-professor
vídeo-aulas. A sobrecarga da internet também tem dificultado a do ICHS-UFOP, José Arnaldo Aguiar, já falecido, reeditou
sua pesquisa de doutorado, já que as fontes que usa estão todas a novena de São Roque em belo livreto. Assim como o Papa,
online. Ela não sabe se o estresse vem mais do medo da doença alguns católicos parecem ainda buscar refúgio em uma tradição
atingir os pais ou das notícias a respeito de como o governo está plurissecular. Esses usos da tradição são contra-atualistas. Mas
lidando com esta crise. a tradição aprendeu com o tempo a respeitar a ciência, e não
Neste dia, a África registrou um total de quase 11.000 disputa com ela, como os negacionistas o fazem, já que acreditam
casos e 562 mortes. No Brasil eram 19.638 casos e 1.056 mortes. ter uma ciência melhor.

82 83
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

que ponto eles se aplicam à nossa realidade? Fica a dúvida do


nosso amigo Henrique Estrada: nós não temos um Estado de
Bem-Estar Social... por trás da nossa análise.
O Jornal português Público afirma que o acesso a internet
cresceu exponencialmente durante a pandemia, sendo que
as páginas para crianças foram as que mais contribuíram para
o aumento do tráfego. A reportagem do jornal Público ainda
afirma: “Vários serviços sediados na internet têm aproveitado
o confinamento generalizado para fazerem os seus negócios
crescer. Um desses serviços é o PornHub, o site de pornografia
mais popular do mundo, que tem lançado campanhas para manter
as pessoas em casa e no seu site, oferecendo serviços premium”. A
reportagem ainda afirma que a tristeza e o desespero são alguns
dos principais sentimentos na análise do Twitter.
Em mensagem circulando em whatsApp os Bolsonaristas
propagam informações de um hospital da rede particular: “Os
hospitais em BH estão vazios, ao contrário da campanha de
pânico da mídia esquerdista, veja o relatório de ontem do Mater
Dei, por exemplo:

“Os que forem feridos de peste e implorarem a intercessão


de São Roque, alcançaram a saúde”.
Depois de quase um mês sem sair da casa da Verônica, e
após 7 dias sem nenhum sintoma, Mateus resolve dar uma volta
de carro, em Ouro Preto, para ver a rua. Mesmo com os vidros
fechados e usando máscara, a sensação foi uma estranha mistura
de alegria e culpa. O passeio durou 5 minutos. Tempo suficiente
para ver a uma procissão motorizada. Fonte: WhatsApp.

Hoje lemos vários diagnósticos e prognósticos de Colegas da UFOP procuram estimar o número de casos
pensadoras e pensadores europeus e norte-americanos. Mas, até reais no Brasil e percebemos que eles são bem maiores:

84 85
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Pacífico Ocidental 118.549 confirmados, 4.017 mortos; Oriente


Médio 92.226 confirmados, 4.771 mortos; Sudeste Asiático
14.161 confirmados, 617 mortos; África, 9.340 confirmados,
415 mortos. O Brasil ultrapassa os 20.000 mil casos: 20.727 e
1.124 mortes. Coreia do Sul passa a utilizar uma pulseira de
rastreamento para monitorar a adesão à quarentena.
The New York Times afirma que Trump, após ser
responsabilizado pela forma como a epidemia evolui nos
Estados Unidos, “ordenou que seu governo interrompesse
o financiamento para a OMS. Ele alegou que a organização
cometeu uma série de erros ao tentar combater o vírus, como
Fonte: Grupo Conjor. confiar demais no governo chinês, mesmo que Trump tenha
Uma matéria da Folha de São Paulo de hoje talvez ajude elogiado repetidamente a China por sua resposta ao vírus”.
a esclarecer a onda atualista... Osmar Terra, ex-ministro Última notícia: os EUA superam a Itália em número de
bolsonarista, teria feito uma previsão muito precisa, minimizando mortes.
o número eventual de vítimas, e ele mesmo teria dito que, se
sua previsão falhasse, ele estaria desmoralizado. Pois bem, a 104º dia – 12 de abril
previsão falha com força e, ao ser cobrado, ele ignora e segue em 20 h. Mandetta no Fantástico pede fala única entre ele e
frente - certamente fará novas previsões em breve. Bolsonaro. Uma reportagem dá a entender que 1/3 dos infectados
Circula no Twitter uma imagem de Bolsonaro com uma pode não adquirir anticorpos e imunidade. A qualidade de alguns
focinheira de cachorro. Ao mesmo tempo, numa reportagem testes é questionada. Afirma-se que 97% de testes, insumos e
sobre a situação da crise no estado do Amazonas, o governador equipamentos vêm da China.
Wilson Lima afirma: “Temos muita dificuldade em manter as No Brasil, são 22.318 casos e 1.223 mortos. O Amazonas
pessoas em casa. São duas situações delicadas. A primeira diz registra 260 casos nas últimas 24 horas.
respeito à saúde, para evitar que o vírus se propague, e a outra Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, homenageia
são as atividades econômicas, porque muita gente comprometeu profissionais da saúde.
a sua única fonte de renda”. Muitos governantes têm se eximido
de suas responsabilidades, atribuindo as pessoas, a culpa pelo
fracasso do isolamento.
Atualização da situação mundial em números. A OMS
mostra o quanto o epicentro migrou da Ásia para a Europa e vai
chegando na América: são 1.610.909 de casos confirmados no
mundo, e 99.690 mortos. Europa com 839.257 confirmados e
70.565 mortos; Américas, 536.664 confirmados, 19.294 mortos; Fonte: Anúncios automáticos no site do jornal O Globo.

86 87
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Notícias internacionais: a Guatemala registra 16 novos 14 h. 04 min. Os profissionais da enfermagem são cada vez
casos, elevando o total para 153, sendo três mortes. A África do mais valorizados.
Sul registra 145 novos casos, elevando o total para 2.173. 18 h. Plano de saúde de Mateus diz que não pagará pelo
teste IgM e IgG indicado por seu médico como contraprova, pois
105º dia – 13 de abril
a recomendação do Ministério da Saúde é de pagar apenas o PCR.
09 h. 03 min. Banco Central (BC) comprará títulos soberanos
18 h. 30 min. OMS afirma que o coronavírus é 10 vezes
do Brasil denominados em dólar (global bonds) das instituições
mais letal que a H1N1.
financeiras nacionais. “Socorro aos bancos é 11 vezes maior
No Facebook: “Polícia intervém, porque mulher se recusa
que à população mais pobre”. Esse é um aspecto importante
a cumprir o isolamento por achar que o coronavírus é uma farsa
para ser pensado no cenário pós-pandemia. Os bancos estão
comunista”.
armando uma arapuca para saírem mais fortes do que nunca,
e os economistas de sempre repetem a fórmula: ajuste fiscal e 20h. Valdei vai ao supermercado, em Mariana, e vê um
corte no funcionalismo e nos direitos sociais. clima geral de tranquilidade. Quase ninguém tem os cuidados
básicos. Como se a vida seguisse, como se nada estivesse
acontecendo. As caixas de supermercado também serão vítimas
dessa epidemia.
20 h. 30 min. Jornal Nacional. Dúvidas sobre o
10:00 – Facebook: desenvolvimento de anticorpos e imunidade entre os que já
pegaram. O número de mortos pelo novo coronavírus no estado
de Nova York passou de 10.000.
13 h. – Prefeitura de Ouro Preto liga para Mateus e informa
23 h. É estranho, mas Snowden e Bolsonaro estão
que seu exame PCR, realizado pela FUNED, deu negativo.
preocupados com o monitoramento de pessoas via celulares,
13: h. 30 min. WhatsApp: entre outras ações de vigilância: “Temos de nos lembrar que
este vírus vai passar. Mas as decisões que tomarmos nesta
atmosfera vão perdurar. E nós vamos ter de viver com elas, os
nossos filhos vão ter de viver com elas. [...]. Estes sistemas,
se nós não os alterarmos, um dia eles vão tomar decisões de
forma automatizada para determinar quem é que consegue um
emprego, quem é que pode ter uma casa. E quem é que não
pode ter essas coisas”. (Snowden). Bolsonaro quer mais testes
em monitoramento de aglomeração via celular.
23 h. Jornalista da TV Globo, Guga Chacra, que vive
em Nova York, afirmou, em 30 de março, duas coisas bem
interessantes para pensarmos na multiplicidade temporal vivida

88 89
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

nessa pandemia. Ele olha para o Brasil dos EUA e diz: “vocês
estão no passado em relação a aqui”. De forma repentina, o
tsunami virá e nos pegará inevitavelmente. Ainda assim, para

Quinzena
ele, Nova York não repete o passado da Lombardia, na Itália.
Provavelmente, a epidemia lá será como foi em Madri. “É tudo
muito de repente”. O vírus nocauteia o Tio Sam e
Os casos totais na África saltam para 14.744, sendo 793
mortes. 52 dos 55 países africanos já têm infectados. As mortes Super Moro abandona o ringue
no Reino Unido chegam a 11.329.
Em função do crescimento da epidemia, as autoridades de
106º dia – 14 de abril
saúde do Reino Unido realizaram 18.000 testes nas últimas 24
horas. 01h. 93% dos casos reais de COVID-19 não são notificados,
segundo pesquisa veiculada pelo Jornal da Globo. Estado de Nova
York tem mais casos que qualquer país do mundo, de acordo
com o mesmo noticiário.
10 h. Mateus participa de debate na reunião do Departamento
de Educação da UFOP. Ao final do encontro, a sensação é de
que paira uma angústia em relação ao presente e ao futuro.
Como síntese prática do encontro, ou como apontamento, ficou
a questão de como nós, professores, podemos contribuir para
o desenvolvimento de ferramentas críticas de maneira que os
cidadãos possam lidar com as fake news.
10 h. 25 min. O Jornal Campo Grande News publica: “Alanys
Matheusa, primeira advogada trans negra do MS morre aos
22 anos”. Ela teve uma parada cardiorrespiratória. Nada na
reportagem se remete à possibilidade de a morte ter sido causada
pela COVID-19… Além de advogada, Alanys era militante do
movimento LGBT. “Ainda no ano passado, ela foi capa do jornal
The Intercept com a frase que marcou o início de uma trajetória
como advogada. De acordo com Matheusa: “Todo mundo gosta
de travesti na esquina, não na universidade”.
Enquanto a esquerda descobre a live, os memes correm
soltos nos grupos de direita.
12 h. 07 min. Pesquisadores da USP e da UnB dizem que a

90 91
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

falta de testes faz com que haja muitos mais pessoas infectadas caminho. A chamada elite não tem as menores condições de orientar
do que o Ministério da Saúde divulga. Eles preveem que o a humanidade já faz tempo. Baixa renda e alta consciência”.
número de infectados seria 15 vezes maior, o que significaria, 17 h. Segundo o site da Veja, “O tráfego em veículos digitais
hoje, 313 mil pessoas, e não 23.430. de imprensa registrou um aumento de 46% na América Latina.
12 h. 51 min. Vinho tinto é opção terapêutica no combate Os conteúdos relacionados a ‘atualidades’ compõem a categoria
à COVID-19, segundo revista Nature. mais visitada com um crescimento de 186% na Argentina,
13 h. 05 min. 11 pacientes que receberam altas doses de seguido pela Colômbia com 184% e Peru com 133%. Já no Brasil,
cloroquina em Manaus morreram. Cientistas interromperam os a evolução foi de 84%”.
estudos depois das mortes. 20 h. 30 min. Assistindo ao Jornal Nacional: Died or not died
13 h. 07 min. Mourão diz que Mandetta “cruzou a linha da of COVID-19? That is the question. Resultado da tragédia brasileira.
bola” e merecia um cartão por ter falado demais na entrevista Governadores do Rio e do Pará testaram positivo, sendo que o
para o Fantástico do último domingo (12/04). governador do Pará é assintomático. Para o FMI, esta é a maior
13 h. 47 min. Mais de 500 mil contas do Zoom, muito crise econômica sincrônica mundial, desde 1929. A Espanha
usado para as reuniões a distância, exigidas pelo isolamento, apresenta o menor número de mortes em um mês. (Uma amiga
estão sendo vendidas por valores irrisórios em fóruns de hackers que vive em Barcelona nos informa que “a coisa está melhorando,
e também na Dark Web. luzinha no fim do túnel. Já vamos para uma desescalada, mas
a partir de junho. Maio continua igual, todo mundo dentro de
14 h. Mateus vai a Mariana, paga 350 reais e faz, no carro,
casa e tal. Estão falando que em dezembro volta ao normal.
o “teste rápido” IgM e IgG. O resultado do exame rápido, só sai
Dezembro. Mas eu não acho que o Brasil não vai chegar a esse
na sexta-feira à tarde.
ponto que chegamos, então, a coisa aí talvez se resolva de forma
14 h. 36 min. Amazônia perto do colapso. “Osmar Terra mais rápida, mais tranquila. Tomara”.)
enviou um áudio pelo WhatsApp, para Flávio Bolsonaro, dizendo
É curioso saber que a Finlândia se prepara, há décadas, para
que a pandemia do novo coronavírus está ‘desabando’”.
guerras e pandemias. Há décadas. Paranoia? Agora não sabemos.
15 h. 35 min. Valdei escreve em nosso grupo do Whatsapp: Nada como ser vizinha da Rússia.
“Nessa infodemia, áudio tende a se perder”. Ele, sempre contra os
Os EUA suspendem envio de dinheiro à OMS, pois, de
áudios, agora tem Mayra como aliada. No grupo de três, Mateus
acordo com Trump, a organização não foi honesta. Uma tentativa
é minoria. As ações de hoje podem ter impacto daqui a 15 dias.
de atualizar o discurso em função da atualidade e, assim, criar
Isso muda nossa lógica de pensar as causas e as consequências
novos inimigos para não assumir os erros e responsabilidades?
no cotidiano. Esse é um típico exemplo não atualista do que
É Trump confrontando com os seus Estados, enquanto aqui,
estamos vivendo.
é Bolsonaro confrontando com os seus governadores, ou seja,
16 h. Hoje, recebemos várias vezes a mesma reportagem também com os seus Estados. Não há nada de novo sob a luz do
seguida do mesmo comentário: “Favela de São Paulo vira exemplo sol do norte e do sul da América, ainda que a incidência dos raios
em ações contra o coronavírus | Jornal Nacional | G1’ eu já falei 1000 solares se apresentem, para muitos como diferentes, porque,
vezes e repito: nas guerras de classe o pobre triunfará e apontará o afinal, esses muitos consideram que a Terra é plana. Disse o

92 93
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

epidemiologista da Casa Branca: “É o vírus que determinará 23 h. A OMS publica o documento “COVID-19 - Estratégia
quando voltar a normalidade”. O JN a favor dos índios, contra o atualizada”. O Diretor-Geral, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus,
garimpo, e defendendo o IBAMA. Boa noite! afirma, logo na primeira página: “Aprendemos muito sobre esse
21 h. Lemos uma entrevista de Noam Chomsky para o site vírus e ainda estamos aprendendo. Essa atualização da estratégia
Democracy Now, na qual ele cita e analisa em detalhes as ações se baseia nas evidências que o mundo acumulou nos últimos
de Bolsonaro, datada do dia 10 de abril. Traduzimos aqui um três meses sobre como a COVID-19 se espalha, a gravidade da
pequeno trecho: “Então, na parte sul do hemisfério, há outro doença que causa, como tratá-la e como pará-la”.
louco, Jair Bolsonaro, que está tentando competir com Trump
107º dia – 15 de abril
para ver quem pode ser o pior criminoso do planeta”.
08 h. 08 min. A reportagem da Folha de São Paulo mostra
21 h. 20 min. Mais de 1,9 milhão de casos de coronavírus
como uma linguagem de programação, produzida pelos
foram confirmados em todo o mundo, incluindo mais de 125.000
militares estadunidenses nos anos 1960, ainda roda em
mortes. A Áustria inicia a flexibilização da quarentena.
diversos sistemas. Com a necessidade de mudar rapidamente
21 h. 30 min. O diário está em movimento e movimenta as
os parâmetros dos bancos de dados, para dar conta de ações
nossas vidas, mas será que essa nova lógica de organização por
na pandemia, como traçar o perfil de pessoas elegíveis para
horário está ficando boa? Hoje conversamos sobre a possibilidade
políticas de apoio, se não há mão de obra suficiente? Um
de fazer dessa experiência um livro, ao final da pandemia. A ver...
exemplo interessante de uma estrutura do passado que
Mas, quando, afinal, será o fim?
permanece latente e resistente à cultura atualista... Ela é atual
21 h. 35min. Acaba de sair o nosso novo texto reflexivo por resistir, não por ter sido relevante atualizá-la, pelo descaso
para a coluna do Jornalistas Livres: “Bolsonaro ganha ou perde?” dos governos? Um exemplo de como a pandemia pode forçar
Agora, é divulgar. tanto ondas atualistas quanto uma tomada de consciência de
estruturas latentes que pareciam obsoletas, mas que, de uma
hora para outra, reemergem como parte do presente, ainda
que com certo cheiro de naftalina.
08 h. 10 min. Um número para causar pânico: 15% das
pessoas internadas por coronavírus em SP não sobrevivem.
Segundo Evaldo Stanislau, diretor da Sociedade Paulista de
Infectologia, se esse número for confirmado, ele não pode ser
desprezado, e talvez esteja até mesmo subestimado.
08 h. 12 min. Será que diminuirão o salário dos funcionários
públicos? Esse é um dos aspectos do cenário pré-crise que deve
ser aprofundado. É, o tema hiperneoliberal (libertarianismo, nos
termos de Jane Mayer) de satanizar os agentes de estado como
seres obsoletos e parasitários que continua. Será o tema para a
O milagre da cloroquina. Fonte: Twitter.

94 95
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

coluna que vai tratar do neoliberalismo como um dos ambientes 09 h. 39 min. Gabriel Peters faz uma análise sociológica
do bolsonarismo. do bolsonarismo em tempos de coronavírus. A estratégia
08 h. 16 min. Uma das fronteiras mais ameaçadoras do bolsonarista é insistir na paranoia, na ‘trolagem’ e na autoverdade.
coronavírus é o uso maciço de informações médicas, de pessoas 10 h. 48 min. OMS recomenda que os governos regulem
para mover Inteligências Artificiais e formatar produtos e o consumo de álcool, pois ele pode reduzir a imunidade e
serviços corporativos. Tem várias denúncias sobre isso nos prejudicar a saúde.
EUA, de companhias de saúde privadas que fazem acordo com 11 h. 36 min. Um dos mais famosos escritores da Itália,
empresas como Google e como contrapartida cedem o acesso aos Paolo Giordano, escreveu uma bela reflexão sobre a crise do
bancos de dados de pacientes. Mesmo que essa informação não coronavírus em seu país.
seja usada em termos pessoais, pelos algoritmos elas acabam 11 h. 36 min. Trump e Bolsonaro têm reações parecidas na
revelando todo mundo. crise do coronavírus: negacionismo, briga com governadores e
08 h. 19 min. Trump agora culpa a OMS, dizendo que eles autoridades, indiretas no Twitter.
são responsáveis por lidar mal e esconder informações sobre a 14 h. Mateus e Valdei em reuniões virtuais.
pandemia, mas, na verdade, esses foram erros cometidos por ele
15 h. 48 min. No início de abril, houve uma festa em Porto
mesmo. Quanto tempo Bolsonaro vai levar para tocar esse som?
Velho chamada “Coronafest”. Algumas das pessoas que testaram
08 h. 25 min. O New York Times traz uma fala de Trump em positivo para COVID-19, em Rondônia, estavam nessa festa. O
uma coletiva de imprensa: “Quando alguém é o presidente dos governo vai investigar o caso. Fortaleza é a capital com o maior
Estados Unidos, a autoridade é total”. Trump reivindica poder número de casos do país.
total sobre os Estados nos tempos de crise de pandemia, mas
JN: O cai ou não cai de Mandetta parece ser mais importante
foi logo refutado por governadores e constitucionalistas, que
para os jornais do que os óbitos do dia. A quantidade de mortes
não veem esse poder na presidência e reforçam a autoridade dos
diárias é de impressionar, mas parece que a medida que os dias
estados em decidir sobre as quarentenas em suas fronteiras. O
vão passando esse fato vai se banalizando.
vice, cara de boneco de cera, mais uma vez apoiou integralmente
Trump. Subnotificação vai de 4-7 vezes pelo jeito. A Universidade,
a pesquisa e o SUS sendo valorizados. Será que isso continuará?
08 h. 33 min. Um tema quente: a perda, nos EUA, de
alunos nas universidades privadas... nas públicas, pode não ser UTI’s já estão ficando cheias, sendo 80% em São Paulo.
diferente. Como vai ser no Brasil? Esse governo vai criar um Taxa de isolamento no estado de SP: 50% - dizem os dados
novo Prouni? do monitoramento via satélite. Governo e o CPF: O CPF é a
forma de evitar fraudes. Mas os grandes contratos e a corrupção
08 h. 36 min. Propostas para a pós-pandemia acabam
parecem estar correndo soltos. O povo pobre sofrendo,
dobrando as apostas ideológicas. Os democratas americanos
dormindo na fila, para sacar os 600 reais. Uma parte desses
sonhando com uma espécie de plano para acelerar a transição para
CPF são de pessoas que não votaram. Muitos terão uma conta
uma economia limpa, investimento em infraestrutura a partir do
no banco pela primeira vez. Filas nas agências da Caixa e na
Estado. Tudo isso também envolve acelerar a digitalização, com
Receita. Uma fonte de contaminação que só saberemos dentro
mais internet e mais dados, mas, e a regulação de tudo isso?

96 97
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

do futuro próximo. Muitos vão presencialmente a esses lugares, preocupada com a flexibilização do isolamento no mundo. Pede-
por serem excluídos digitais. G-20 suspende a cobrança de se extrema cautela, pois “as medidas de distanciamento social
dívidas de “países pobres”. Compromisso com o ajuste fiscal e continuam sendo nossa melhor aposta para reduzir a transmissão
agenda de reformas serão retomados, assim que passar a crise e retardar a propagação do vírus em nossas comunidades”.
da pandemia. Provavelmente, no ano que vem. Alguns países da 02 h. Reportagem da BBC mostra que a Irlanda, dentre
Europa, em especial, Alemanha e Itália, apontam para a queda do outros fatores, agiu rápido e seguiu a OMS e, por isso, está muito
pico. Passa de 2 milhões os contaminados no mundo. Mudanças melhor que o Reino Unido: “temos 18,17 mortes por 100 mil
de discursos de Trump são alvos de crítica e longas reportagens. pessoas no Reino Unido; ante 7,45 mortes por 100 mil pessoas
21 h. 30 min. Assassinato de mulheres em casa dobra na Irlanda”.
durante a quarentena. Ficar velho é uma coisa muito complicada. Tem dias que o
22 h. 13 min. Pai do Mateus compartilha fake news que redes Gilmar Mendes parece um dos ministros do STF mais lúcidos.
de 5G disseminam o coronavírus. Um dos seus irmãos manda Hoje ele afirmou que Bolsonaro não dispõe de poderes para fazer
uma série de reportagens, no grupo da família dele, dizendo que política genocida. Bingo! O jornalista Reinaldo Azevedo também
essa informação é fake. tem sido uma das vozes mais ativas, crítica e lúcidas em relação
23 h. Washington Post: A gravidade do surto tem dependido ao bolsonarismo. São as voltas que o mundo dá.
do quão bem - ou mal - os governantes têm respondido a ela. 108º dia – 16 de abril
Os melhores desempenhos em relação ao coronavírus incluem 16 h. 30 min. Após várias idas e vindas, Mandetta anuncia
a Nova Zelândia, Taiwan, Coreia do Sul e Alemanha. Os piores no Twitter que foi demitido do Ministério da Saúde. Enquanto
são os governantes da Bielorrússia, Turcomenistão, Nicarágua e isso, a África confirmou um total de 17.247 casos, 911 mortes
Brasil, sendo que “de longe, o caso mais grave de malfeitoria é e mais de 3.500 recuperações. Nos Estados Unidos morreram
do presidente Jair Bolsonaro… o presidente tem repetidamente mais de 30 mil pessoas. Na Europa, o número de casos passam
tentado prejudicar as medidas tomadas pelos 27 governadores de 1 milhão, com 84 mil mortes. Ainda não conseguimos coletar
de estado do país para conter o surto”. os dados gerais da América Latina, mas, ao que parece, o Brasil
23 h. 30 min. Reportagem da Nexo mostra o impacto do possui o maior número de infectados, 30 mil, seguido pelo Peru,
racismo estrutural nas mortes por COVID-19. Um trecho com mais de 10 mil, e Chile, com mais de 8 mil.
afirma: “Nos Estados Unidos e no Brasil, as populações negras
vêm apresentando vulnerabilidade maior com relação ao novo
coronavírus em comparação a pessoas brancas. A desigualdade
de índices sociais, econômicos e de acesso à saúde é o principal
fator que explica as diferenças nas taxas de letalidade e infecção”.
23 h. 45 min. Dinamarca é o primeiro país europeu a
reabrir as escolas. Segundo o FMI, a economia mundial deve
encolher 3% no ano. Maior contração desde 1930. Só falta o New
Deal? Ou teremos o pós-pós-neoliberalismo em ação? OMS está

98 99
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Após um mês da primeira morte no país registramos nesse digital, pandemia e atualismo. Recepções e interlocuções muito
dia 1.952 mortes. boas. A experiência da live é, em especial para o Mateus, uma
O Japão declara estado de emergência em todo o país. 22 novidade e um desafio completo. A live dele, de hoje, com o
milhões de americanos já perderam o emprego. Trump traça Breno Mendes, da UFG, teve ótima acolhida. Amanhã, ele fará
diretrizes para a abertura dos EUA. outra com a Carol Barbosa, da UFBA e o Fernando Nicolazzi
Em uma série de tweets, Trump incentiva protestos de da UFRGS.
direita contra restrições de distanciamento social em alguns Sensação de estar distanciando da alienação que nos levou
estados. a acreditar que a democracia brasileira estava consolidada e
podia se radicalizar, no sentido de se democratizar ainda mais.
109º dia – 17 de abril No fundo, andamos trabalhando muito nesse projeto, além de
Nelson Teich, o novo Ministro da Saúde, toma posse. outros: bancas, cargos administrativos e públicos, organização
Em seu discurso, Teich disse que não pode haver uma divisão de eventos, pesquisa de teses… nas coisas de casa, e no cuidado
entre economia e vidas, além de garantir que trabalhará em com os amigos. Mateus voltou à sua casa, depois de 9 meses
alinhamento total ao governo. Dois terços das mortes por fora. Reocupando o espaço. Não está tendo tempo de estudar
COVID-19, no mundo, estão na Europa. Autoridade palestina inglês, o que era um propósito certo. Estamos à espera do pior, o
relata a primeira morte. que é péssimo. Os estados do Amazonas, São Paulo, Rio e Ceará
já dão mostras de que a situação pode ser muito ruim. Muito
110º dia – 18 de abril triste. A imagem de corpos sendo abandonados, a escolha entre
O Globo: “Após endosso de Trump, EUA veem novos a vida e a morte pelo saber médico são aterrorizantes. Toda a
protestos para fim do isolamento social”. nossa solidariedade ao nosso vizinho Equador.
Enquanto isso, no Brasil, o novo Ministro da Saúde
111º dia – 19 de abril mantém certa discrição; o Ministro das Relações Exteriores
Estatísticas latinas: Honduras 472 casos e 46 mortes; chama o coronavírus de comunavírus. E Bolsonaro faz exaltação
México 7.947 casos e 650 mortes; Panamá 4.273 casos e 120 à Ditadura, critica os poderes e, no outro dia, muda o discurso,
mortes; Peru 15.628 casos e 400 mortes; Brasil 39.114 infectados como de praxe. Dispersão e distração são consequências desses
e 2.484 mortos. São Paulo ultrapassa os mil mortos. agentes políticos que surfam nas ondas atualistas. Ao longo
da semana, Bolsonaro procura conversar com os partidos. Será
114º dia – 22 de abril. medo do impeachment? Talvez a esquerda resolva agir, pois ele
Retorno ligeiramente esquizofrênico. Resolvemos dar não cairá sozinho. Hoje, Ciro Gomes entrou com o pedido de
um tempo sem escrever o diário, com exceção de breves notas. impeachment. Já são mais de vinte pedidos na Câmara (são tantas
Afinal, nenhum diário deve ser mesmo escrito diariamente. notícias importantes…). Quantos crimes de responsabilidade o
Cansa, estressa, vira compromisso, responsabilidade. Alguns de presidente já cometeu? A política institucional e parlamentar tem
nós já tem possíveis infectados na família. Participamos de lives o seu tempo … Ainda assim, não fazer nada e só reagir a ele é fazer
sobre esse projeto e soltamos mais um texto sobre capitalismo o jogo daquele que aprendeu a parasitar o ambiente atualista. Os

100 101
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

mesmos que diziam que Hillary Clinton iria ganhar do Trump contra os povos tradicionais e o meio ambiente. Muito bom o áudio
estão animados com a perda de 20% de popularidade do ídolo de Julio Bentivoglio sobre a COVID-19 e as distopias. Mateus
do nosso apresentador de programa de variedade, Bolsonaro. conversa por horas com seu irmão bolsonarista: ele continua
Ao que parece, essa perda foi entre os mais velhos. Discutimos achando que Bolsonaro está totalmente certo. O monopólio
hoje como devemos fazer a organização da “infodemia teórica”. da crítica à ciência e a solução das questões econômicas não
Voltamos a pensar nas metáforas dos surfistas (profissionais e deveriam estar só na mão da direita. Aliás, o novo texto do
amadores) e pescadores (profissionais e amadores), bem como Agamben perde a possibilidade de dizer que ele minimizou a
nos barcos de pesca de arrastão, esses precisos e letais barcos! pandemia e dobrou a realidade para inserir sua teoria. Somos
Não esquecer que “navegar é preciso, viver não é preciso”. mais Drauzio Varella, que reconheceu que minimizou os riscos.
Lembrar de não ficar pessimista (esse exercício que se nos O aprofundamento do capitalismo de vigilância e do aspecto
impõe, diariamente). Vislumbrar caminhos é uma necessidade. negativo do atualismo parecem se aprofundar e desenvolver
As “Ideias para adiar o fim do mundo”, do Aílton Krenak, independemente da manutenção da exceção, no sentido mais
têm sido companheiras. Um livro, como um amigo, daqueles formal … Bem como a dissociação radical, pós-2008, entre
que a gente quer por perto. Aprender com ele a vislumbrar capitalismo e democracia liberal. Ter acompanhado a Globo, por
possibilidades abertas já no nosso presente. Ideias que ajudam algum tempo, nos faz recordar o passado por trás da abordagem
a abrir, a liberar o passado/futuro, aprisionados pelo atualismo correta que a TV apresenta hoje. Ativa memórias involuntárias,
na própria atualização da realidade, na nostalgia/ressentimento fantasmagóricas. Não dá pra assistir todo dia. 
e na ausência de antecipação/planejamento. Passado e futuro Hoje, decidimos escrever de maneira mais livre, sem
como dispositivos para produzir agitação, distração e variação aprisionamentos formais. Cansaço e esgotamento do fluxo
sem sentido. Pequenas e singelas agendas (aleatórias): recuperar incessante de notícias? Talvez. Mas não há como ficar alheios.
e produzir outras formas de relação com a natureza, com os Muitas das notícias dizem respeito a vidas vulneráveis e lutar
animais, com o mundo. Rediscutir a segurança pública, repensar contra a indiferença em relação ao sofrimento alheio deve ser
a política de drogas no Brasil, disputar a municipalidade, a um imperativo de todos os privilegiados dessa quarentena. 
territorialidade, repensar o mundo do trabalho e pensar em A pandemia coloca em questão qualquer crença ingênua
futuros possíveis para o mundo do trabalho, taxar as grandes no progresso da ciência, na relação dos saberes com o poder,
fortunas, combater todas as formas de desigualdades de gênero, bem como com a atual ordem técnico-científica... Difícil até ler
raça e classe. Temos projeto de futuro. Mas, nos falta apenas um quando estamos vendo a luta entre o direito de morrer e viver da
Duda Mendonça das redes, como brincou nosso amigo Daniel forma mais bárbara, bem como a negação disso. Mas, certamente,
Pinha da UERJ? Será que um dos legados da pandemia será o o texto jornalístico mais interessante do dia, publicado pela
reforço do modelo hospitalocêntrico condenado pelo modelo imprensa brasileira, é o que coloca em questão, o uso da metáfora
do SUS desde 1988? Tendo um novo ministro da saúde que é da guerra para pensar nossas dores e aflições desse momento.
privatista, temos que desconfiar. 
São 23 h. 45 min.: será possível ir dormir e, acima de tudo,
Uma forte impressão de que o ajuste fiscal e os planos de conseguir dormir, com a percepção de toda a crueza do capitalismo
recuperação econômica, que estão por vir, aumentarão a violência e do neoliberalismo contemporâneos, que se torna, cada dia

102 103
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

mais explícito? Como não pensar nos tantos desempregados, Irã e Israel começam a reabrir. Mais um estudo considera a
nos trabalhadores precarizados, como entregadores e caixas de hidroxocloroquina ineficaz.
supermercados, nas diaristas… Estudo publicado hoje mostra
que 62 milhões de pessoas têm algum tipo de vulnerabilidade 115º dia – 23 de abril
no mercado de trabalho brasileiro. 39% das trabalhadoras Um dia no grupo Atualismo/Diário da Pandemia (sem
domésticas estão sendo dispensadas sem receber o salário. 23% imagens e áudios):
das diaristas e 39% das mensalistas continuam trabalhando [07 h. 49 min., 23/04/2020] Valdei: No estudo de física
normalmente na quarentena. é muito importante fazer diferenciação entre dois tipos de
Notícia internacional importante: em 19 de abril a Turquia grandezas: grandezas escalares e grandezas vetoriais. As
superou o Irã com maior número de infecções no Oriente Médio. grandezas escalares são aquelas que, para serem representadas,
E Chile que disse que irá emitir cartões da imunidade? Paulo necessitam apenas de um número. Massa, energia, tempo e
Guedes já está de olho. Nos EUA: dois californianos morreram temperatura são exemplos desse tipo de grandeza. As grandezas
de novos coronavírus no início e no meio de fevereiro, isto é, vetoriais, ao contrário das grandezas escalares, necessitam de algo
bem antes da primeira morte oficial. Hoje a OMS passou a deixar a mais para que possam ser representadas corretamente. Além
clara, em seus relatórios, a definição de morte por covid-19: “A da parte numérica, também chamada de módulo, ela necessita de
morte de COVID-19 é definida para fins de supervisão como uma direção e um sentido para sua perfeita determinação. Força,
uma morte resultante de uma doença compatível em um caso aceleração, impulso, quantidade de movimento entre outros são
provável ou confirmado de COVID-19, a menos que haja uma exemplos de grandezas vetoriais.
alternativa clara à causa de morte que pode não estar relacionada [07:50, 23/04/2020] Valdei: O bolsonarismo é de grandeza
à doença de COVID (por exemplo, trauma). Não deve haver escalar.
período de recuperação completa entre a doença e a morte”. [07:52, 23/04/2020] Valdei: direção e sentido não são
Notícia boa do dia: a pandemia deve reduzir em seis por essenciais, podem ser meios para o objetivo de sua expansão.
cento as emissões de dióxido de carbono este ano, maior queda [09:35, 23/04/2020] Valdei: Muito interessante esse
anual desde a Segunda Guerra Mundial. painel montado pelo Estado do Espírito Santo, deve ter algo
semelhante em outros estados - https://coronavírus.es.gov.br/
PAINEL-COVID-19-ES
[09 h. 43 min., 23/04/2020] Valdei: O caso da minha tia
no Rio. Moradora do Jacarezinho, uma favela gigante na zona
norte. Ela teve tuberculose há cerca de cinco anos. Está internada
e os parentes não conseguem notícias claras sobre a situação
dela. Ficamos com a pergunta, não pode ser uma estratégia para
enfrentar a falta de respiradores? Qual o tratamento que uma
pessoa pobre da periferia recebe, considerando esse isolamento.
Fonte: Twitter. Minha irmã ficou sabendo que o hospital onde ela vai se consultar

104 105
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

para fazer risco cirúrgico para tratar de um câncer de mama vai


começar também a receber pacientes de COVID-19: Hospital da
Lagoa.
[10 h. 08 min., 23/04/2020] Valdei: mais notícia da minha
tia (Compartilhando áudio)
[10 h. 39 min., 23/04/2020] Mayra: Bom dia! Poxa, Valdei,
melhoras pra sua tia... Acabei de postar o textinho sobre a
Cambridge Analytica no Drive.
[12 h. 55 min., 23/04/2020] Mateus: Tb desejo melhoras.
Que agonia essa ausência de notícias. Hospital tá virando campo
de quê? Tenso.
[12:57, 23/04/2020] Mateus (Compartilhando): algumas
impressões sobre a quarentena em Mariana, enquanto a
mineração mantém suas atividades, nesse texto, para uma
série de reflexões que o grupo de pesquisa lá na Unicamp está [17h. 13 min., 23/04/2020] Valdei [anúncio]: Mas esses
organizando. https://cemiunicamp.com.br/observatorio-no- aqui ainda são piores, meros clickbait, mas promovidos por outro
29/?fbclid=IwAR3PtTJNthU4gDNof9YWGc77IL4qudrU-_ mecanismo.
jFWsubhJoddCrbSasdsaAzM4M [17 h. 31 min., 23/04/2020] Mayra: Esses, muitas vezes,
[13 h. 24 min., 23/04/2020] Mateus (Áudio sobre o projeto usam nossa localização, tipo “Nova dieta promete milagres em
de futuro do bolsonarismo): Ponte Nova” (Aparentemente Ponte Nova é o lugar mais perto
[13 h. 26 min., 23/04/2020] Mateus: Texto sobre o Macri de Mariana que os robôs conhecem).
tb do Wasserman pode ajudar. [17 h. 33 min., 23/04/2020] Mateus: Kkkk!
[15 h. 51 min., 23/04/2020] Mayra: https://noticias.uol. [17 h. 36 min., 23/04/2020] Mateus: Moro cai ou não cai?
com.br/colunas/reinaldo-azevedo/2020/04/23/moro-pede- Se cair, mudamos a coluna da semana que vem? Saí da reunião
demissao-apos-troca-na-pf-e-bolsonaro-tenta-reverter.htm da pós e tô preparando pra live do Luppa à noite.
[17 h. 12 min., 23/04/2020] Valdei [anúncio]: Esse [18 h. 02 min., 23/04/2020] Valdei: Pois é... Nossa
fenômeno tem que ser estudado, no meio do jornal um anúncio metrópole. Mas já recebi muita coisa com Mariana tbm.
desses automáticos, simulando noticías... promovido pelo Google [18 h. 10 min., 23/04/2020] Mateus: https://www.
ads. oantagonista.com/brasil/carlos-fernando-defende-saida-de-
moro-e-diz-que-bolsonaro-nao-tem-palavra/?desk
[18 h. 11 min., 23/04/2020] Mateus: https://www.
oantagonista.com/brasil/militares-e-parlamentares-
bolsonaristas-tentam-acalmar-moro/?desk

106 107
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

[18 h. 13 min., 23/04/2020] Mateus: https://www1. resposta do amigo da África do Sul): Beautiful tribute to
folha.uol.com.br/colunas/fernandocanzian/2020/04/pilares- humanity. Did you also make a planet Earth?
desmoronam-e-bolsonaro-se-entrega-a-velha-politica.shtml [18 h. 38 min., 23/04/2020] Mateus: (compartilhando
[18 h. 14 min., 23/04/2020] Mateus (Compartilhando zap resposta do amigo da África do Sul): That is a brilliant idea I will
do meu amigo Bolsonarista): Estou enviando duas reportagens add to collection! I will get them up online for free download. I
feitas por duas jornalistas da mesma emissora [Globo]. Detalhe: will update
o paciente é o mesmo. Porém, no primeiro caso morreu em [18 h. 38 min., 23/04/2020] Mateus: A África do Sul vai
decorrência de um AVC, no segundo caso de COVID-19 reabrir em 10 de maio. Ver isso: https://youtu.be/6uPx9D7XZYs
[18 h. 14 min., 23/04/2020] Mateus (Compartilhando zap [18 h. 45 min., 23/04/2020] Mateus: aqui os áudios meus
do meu amigo Bolsonarista): Vai tomar no seu cu, comunista... vc e do valdei pensando a queda do moro:
agora do ladinho da Globo é uma comédia mesmo, viu, Matheus. [20 h. 13 min., 23/04/2020] Valdei: @Mayra https://
[18 h. 34 min., 23/04/2020] Mateus (compartilhando de COVID19obs.fbk.eu/ viu isso?
um amigo da esquerda sobre a queda de Moro): Acho que ainda [20h. 15 min., 23/04/2020] Mayra: Que doideira, não
não caiu. Mas dependendo do fuso horário, já tem gente tratando tinha visto não
ele de comunista.
[20 h. 18 min., 23/04/2020] Mayra (Transcrição do áudio
[18 h. 34 min., 23/04/2020] Mateus (compartilhando do amigo de Mateus): Eu já fui partidário dos seus pensamentos,
resposta de um amigo de esquerda): esse pessoal aí tem pós- né, eu ajudei a colocar a desgraça do Lula no governo – foi a
graduação em truco ou em poker. Tem blefe todo dia. Acho difícil última vez que eu tinha votado na minha vida – e aí pela segunda
o Moro cair. Se cair, o jogo embaralha. Deve ser mais uma cortina vez que eu fui votar de novo pra tirar – porque, pra mim, o que
de fumaça... mais me falha é um desgraçado falar que vai ajudar as pessoas
[18 h. 36 min., 23/04/2020] Mateus (compartilhando zap e ela fazer ao contrário quando elas estão no lugar, agora esse
que enviei para meu amigo Bolsonarista): Se ele [Moro] sair, já cara que taí eu sempre vi ele falando essas mesmas merdas e ele
será comunista? Se ficar, continua sendo mito? tá até hoje fazendo e falando essas mesmas merdas. Então, pra
[18 h. 36 min., 23/04/2020] Mateus: hj vou colocar no mim, eu sou muito mais a favor das pessoas que... Peraí, quer
diário esse papo de zap com amigos de esquerda e direita. A ver [interrompe]. Eu sou mais a favor da pessoa que é imoral do
ideia é recriar o efeito real do nosso ambiente aqui. que a pessoa que se diz ética. A ética te obriga – imoral, o que
[18 h. 38 min., 23/04/2020] Mateus (compartilhando de que é o imoral: imoral é aquele que não está com a maioria, né?
um amigo da África do Sul): I wanted to do something for all of Todos os líderes espirituais do mundo eram imorais.
us, in honor of what we are all going through together. Breath [20 h. 19 min., 23/04/2020] Mayra: Comentário rápido
of Life part 2, The popcorn also looks like a valley of bones, but sobre o amigo de Mateus: parece que ele mandou o áudio de
it is new life and energy released from inside. Some of the other dentro do banheiro, que desagradável, rs.
countries. [22 h. 37 min., 23/04/2020] Mateus: https://science.
[18 h. 38 min., 23/04/2020] Mateus (compartilhando sciencemag.org/content/early/2020/04/14/science.abb5793

108 109
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

[22 h. 46 min., 23/04/2020] Mateus: https://www. temporariamente a imigração para os Estados Unidos!”. O
medrxiv.org/content/10.1101/2020.04.14.20060160v2 número de pessoas que enfrentam insegurança alimentar aguda
[22 h. 48 min., 23/04/2020] Mateus: https://www. pode dobrar, saltando para 265 milhões. Em 20 de abril, a Itália
economist.com/graphic-detail/2020/04/15/americans-are-not- registrou seu menor número de mortes em uma semana. Em 14
rallying-around-donald-trump-during-the-pandemic de abril, Índia e França estenderam os isolamentos nacionais.
[23:19, 23/04/2020] Mateus: rs Notícia de destaque veiculada pela Agência France-Presse afirma
que os casos no Equador dobram após milhares e passavam de
Uma imagem do dia no grupo:
22 mil. As mortes oficiais passavam de 500, mas mais de 1.000
suspeitos morreram sem testes. A população do Equador é de
17 milhões de habitantes. Nesse momento, o Brasil tem 45 mil
casos oficiais, com uma população de 210 milhões.

Fonte: Twitter

Síntese geral Brasil:


Fonte: Twitter. Live do Bolsonaro: “Entre o Brasil e um país pobre africano:
a expectativa é maior aqui ou maior do Zimbábue? É maior aqui.
Síntese geral mundial: Por quê? Porque tem uma renda maior. Então, se a nossa renda
Tá difícil acompanhar o cenário mundial, dadas a atualizações vai cair, a morte chega mais cedo. É isso que eu sempre busquei
da crise brasileira. A doença matou cerca de 182.000 pessoas e ao conhecimento público. Não poderia fugir da verdade. Eu
infectou mais de 2,6 milhões (Universidade John Hopkins). Quase estou sendo acusado, dentro e fora do Brasil, de genocídio por
690.000 pessoas se recuperaram. O número de cidadãos norte- ter defendido uma tese diferente da OMS. [...]. O pessoal fala
americanos que solicitaram benefícios de desemprego atingiu tanto em seguir a OMS, né? O diretor da OMS é médico? Não é
um recorde de 26 milhões. A OMS afirma que metade de todas médico. É a mesma coisa se o presidente da Caixa não fosse da
as mortes por coronavírus, na Europa, ocorreram em casas de economia. Não tem cabimento. Então, o diretor da OMS não é
repouso. OMS: “tendências crescentes preocupantes” em partes médico”. Atualização da situação em números: 50.036 casos e
da África e na América Central e do Sul. A pandemia deve reduzir 3.331 mortes. É muita gente! Que tristeza.
em seis por cento as emissões de dióxido de carbono este ano.
Em 21 de abril, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou 116º dia – 24 de abril
no Twitter que “assinará uma ordem executiva para suspender 11 h. Moro faz um pronunciamento no qual não apenas

110 111
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

anuncia a sua saída do Ministério da Justiça, como também faz


sérias denúncias. Diz que assumiu o cargo de Ministro, porque
lhe foi garantida a autonomia, e que a razão de seu rompimento
com o governo foi o fato de o Presidente insistir em trocar o
Diretor da Polícia Federal, baseado em motivos políticos e não
técnicos.
12 h. 18 min. A possibilidade de um pedido de impeachment
volta a rondar os meios de comunicação. Segundo O Antagonista,
a interferência de Bolsonaro na PF configura crime de
responsabilidade. Para Marcos Nobre, na Folha de São Paulo, o
impeachment só seria possível, caso esquerda e direita se unissem Fonte: WhatsApp
contra Bolsonaro.
12:42. O total de mortos por COVID-19 no Brasil é de Notícias do amigo do norte: Trump sugere que uma “injeção
4.205; total de casos oficiais é de 61.888. no interior” do corpo humano com um desinfetante como água
sanitária ou álcool isopropílico poderia ajudar a combater o
13:52. Bolsonaro anuncia, através do Twitter, que
vírus. Mais ou menos ao mesmo tempo, o número de mortes nos
“restabelecerá a verdade” sobre a fala de Moro às 17 horas.
EUA passa de 50 mil. Praticamente ¼ das mortes mundiais por
17:00. Bolsonaro, ao lado de seus Ministros, faz um
COVID-19 ocorrem nos EUA. E a Federal Drug Administration
“confuso” discurso sobre a sua relação com Moro. Uma DR
se manifesta contra o uso da hidroxicloroquina.
mesmo. Cita o caso Marielle, dizendo que muitas vezes o ex-
ministro parecia se importar mais com esse caso do que com a 117º dia – 25 de abril
investigação da facada que ele havia recebido durante a campanha 14 h. 42 min. mesmo decepcionados com a saída de Moro,
eleitoral. Fala sobre o seu filho “04”, sobre desligamento do militares dizem que continuarão apoiando o presidente até o
aquecedor da piscina do Palácio da Alvorada, como forma de fim.
economizar, sobre a sensação de que ele havia “aberto seu
18 h. 52 min. Bolsonaro e seus filhos perdem mais de 90
coração” a Moro, mas o ex-Ministro não havia feito o mesmo.
mil seguidores em suas redes sociais. Enquanto isso, o número
Cf. as crônicas feitas em tempo real.
de mortos pelo novo coronavírus no mundo chega a 200 mil.
21 h. 22 min. O Ministro Celso de Mello será o relator
OMS adverte que não há evidências que os pacientes
do pedido de instauração de inquérito para apurar as acusações
curados estejam imunes.
que Moro fez em seu pronunciamento. Terminamos o dia com a
sensação de que a saída de Moro do governo poderia indicar que 118º dia – 26 de abril
o ex-Ministro seria mais um candidato nas eleições de 2022.
15:04. Uma amiga de Mateus diz que tem “uma conhecida
Quadro-síntese do pronunciamento do Presidente: casada com um coronel do exército, que, claro, frequenta grupos
e famílias de militares. Ela conta que nesses meios o discurso do

112 113
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Bolsonaro colou, que a imagem de um Moro traidor, ambicioso já estava em curso: politizar e destruir cada vez mais quaisquer
e personalista está crescendo. Lealdade e espírito de corpo em vestígios de autonomia da justiça. O STF já se tornou o QG do
meio à guerra são valores fundamentais entre milicos”. “comunismo” e a luta por ministros terrivelmente evangélicos
23:16. Uma pesquisa encomendada pelo Estadão revela vai se tornar uma grande sacola do votos e mandatos.
que 65% dos brasileiros acreditam nas acusações de Moro contra
Bolsonaro sobre a interferência na PF.

Fonte: WhatsApp

O total de contaminados no México é de 13.842, sendo 1.305 As redes bolsonaristas aquecem o Twitter subindo hashtags
mortos. A ausência de lockdown na Suécia mais adesão massiva sobre Moro e Rodrigo Maia.
da população ao isolamento é tema de discussão entre Mateus e Atualização da catástrofe brasileira em número: 61.888
seu irmão bolsonarista em grupo de WhatsApp familiar. casos e 4.205 mortes.
Agora que se tornou alvo, a imprensa que promoveu os
piores instintos sociais contra o governo Dilma e o PT começa 119º dia – 27 de abril
a entender o que deveria ser óbvio, isto é: que cabe a todos Mais de 3 milhões de casos confirmados em todo o mundo.
defenderem os valores básicos da democracia. A matéria da Folha Alguns países como Austrália, Nova Zelândia, Irã e Espanha,
de São Paulo trata a suposta ideologia de gênero como ela deveria passaram a aliviar os respectivos isolamentos. A Itália anuncia
ter sido tratada desde sempre, ou seja, uma invenção para que diminuirá suas medidas de restrição, que já duram dois
catapultar uma agenda autoritária. A ideologia de gênero deveria meses, a partir de 4 de maio.
ter sido, desde o início, vista como o símile da mamadeira de
piroca no mundo das ideias. 120º dia – 28 de abril

Mas não nos enganemos, qualquer decisão do Supremo vai A Índia, segundo país mais populoso do mundo, tem a
alimentar ainda mais a direita e extrema-direita. Sua resposta taxa de mortalidade por COVID-19 relativamente baixa. Alguns

114 115
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

atribuem esse fato às medidas rígidas de isolamento implantadas


pelo governo, outros acreditam que seja o fato de a população
indiana ser predominantemente jovem. No entanto, a Índia
parece não estar fazendo muitos testes e, além disso, 80% das
mortes no país (por qualquer doença) acontecem em casa, não
em hospitais, e muitos dos mortos são queimados em áreas
rurais, não em crematórios.

Fonte: WhatsApp

Síntese da performance de Bolsonaro e os casos de mortes


oficiais no país:

Perfil de uma apoiadora de Bolsonaro no Twitter.

Brasil tem mais de 5.000 mortes notificadas, mas o número


real é bem maior. Passamos a China. Quando perguntado sobre
o assunto, o presidente responde com “E daí, quer que eu faça Fonte: WhatsApp
o que?”. Nos EUA, o número de casos ultrapassou um milhão, Sexta, dia do trabalho, em Belo Horizonte, terá nova
um terço das infecções globais; enquanto o número de mortes manifestação bolsonarista:
ultrapassou 57.000. Em São Paulo, o número de mortos, na
periferia, aumenta, enquanto o número de casos em hospitais
particulares é estável. Em 37 dias, o coronavírus matou mais que
armas de fogo e o trânsito em um ano na cidade.
Crianças chinesas voltam às aulas com várias técnicas de
controle sobre seus corpos e com novos acessórios:
Fonte: WhatsApp

116 117

Quinzena

O encontro marcado entre o vírus e Bolsonaro:


não era só uma gripezinha
121º dia – 29 de abril
Brasil supera China em mortos por coronavírus. E
o Presidente, ao ser questionado sobre o crescimento da
pandemia no Brasil, responde: “E daí? O que eu posso fazer?
Não posso fazer milagre”. O desdenhado “e daí?” será lembrado
para sempre. Ele nos chegou, assustadoramente, em um dia em
que 5.513 pessoas haviam morrido no Brasil e 79.685, segundo
as Secretarias de Saúde, estavam infectadas. No mesmo dia, o
Ministro da Saúde manteve a recomendação de distanciamento
social. No mundo, 47 milhões de mulheres ficarão sem acesso
a métodos anticoncepcionais devido a algumas medidas
de combate ao coronavírus. Boa parte da Europa prevê o
relaxamento do confinamento em maio, testando diferentes
planos graduais. Segundo o Datafolha, a saída de Moro tem
pouco impacto nos estratos de maior peso na população e o
perfil dos apoiadores de Bolsonaro tem uma ligeira alteração,
agregando segmentos mais carentes da população. Hoje é
aniversário da mãe da Mayra e, apesar do isolamento, as duas
acabaram se encontrando por um motivo que não era para se
comemorar: a avó da Mayra havia sido internada, não devido
ao coronavírus, mas por outra infecção, o que fez com que a
família fosse à cidade onde ela estava internada. Atualização da
situação no mundo: 3.157.549 casos em 185 países, 219.610
mortes.

119
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

122º dia – 30 de abril zonas do mundo em que os sistemas de saúde foram devastados
O número de pessoas nos Estados Unidos que apresentaram por anos de negligência organizada, o pior ainda está para vir”.[...]
pedidos de benefícios sem emprego desde o início dos “Até onde terá de chegar a propagação de bactérias de animais
isolamentos relacionados ao coronavírus subiu para mais de 30 selvagens entre os humanos se, na realidade, a cada vinte anos,
milhões. O primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, testou são cortados quase cem milhões de hectares de floresta tropical
positivo para o coronavírus. No mundo, as infecções confirmadas (pulmões da Terra)?” [...] “Em África, em particular, e bem dentro
chegaram a mais de 3,2 milhões, com cerca de 232.000 mortes. das regiões do Sul do mundo, a extração consumidora de energia, a
Justiça decreta bloqueio (lockdown) no Maranhão. Atualização expansão agrícola e a predação, razão de ser da venda de terras e da
da catástrofe no Brasil: mesmo com a subnotificação, o país destruição de florestas, continuarão sem entrave. A alimentação e
tem mais casos confirmados do que a China, onde a epidemia o arrefecimento de chips e supercomputadores disso depende. [...]
começou. São 6.006 mortes e 87.187 casos. Segundo o Imperial “Antes deste vírus, a humanidade já estava ameaçada de asfixia.
College London, nós temos a maior taxa de contágio do mundo. Se tiver de haver guerra, deverá ser, em consequência, não contra
Atualização da catástrofe no mundo em números, segundo um vírus em particular, mas contra tudo o que condena a grande
a OMS: 3.090.445 confirmados, 217.769 mortes. Região maioria da humanidade à paragem prematura de respiração, tudo
europeia: 1.434.649 confirmados, 135.961 mortes. Região das o que ataca fundamentalmente as vias respiratórias, tudo o que,
Américas 1.246.190 confirmados, 65.228 mortes. Região do na longa duração do capitalismo, confinou segmentos inteiros de
Oriente Médio: 182.417 confirmados, 7.447 mortes. Região do populações e raças inteiras a uma respiração difícil, ofegante, a
Pacífico Ocidental: 147.743 confirmadas, 6.094 mortes. Região uma vida pesada. Mas para daí sair é preciso ainda compreender a
do Sudeste Asiático 54.021 confirmadas e 2.088 mortes. Região respiração, para lá de aspectos puramente biológicos, como aquilo
Africana: 24.713 confirmadas e 938 mortes. que nos é comum e que, por definição, escapa a qualquer cálculo.
Falamos, assim, de um direito universal de respiração”.
123º dia – 01 de maio Centrais sindicais fazem “live solidária”. Valdei envolvido
Mayra volta para Mariana, agora que sua avó já está com a campanha #anpuh1demaio. Inquilinos de Nova York
recuperada. Na semana do dia do trabalho, Bolsonaro manda a organizam greve de aluguéis. O Conselho Nacional de Saúde
Receita Federal perdoar dívidas milionárias de igrejas evangélicas. brasileiro divulga carta aberta conclamando esforços para
Ao menos no combate ao vírus, os chineses estão dando aula de enfrentarmos a pandemia. Afirma-se, ainda, que o governo vem
valorização da vida de seus cidadãos. O comportamento genocida tendo “atitudes irresponsáveis, criminosas e genocidas e que
de Trump e Bolsonaro não é tão excepcional, como podemos ser terão como desfecho seu impeachment”.
levados a acreditar. Será que está no DNA do projeto ocidental? The New York Times: “Em 1 de maio, a OMS estendeu sua
Talvez não seja a sua única mutação, mas tem sido recorrente declaração de emergência de saúde global, em meio a críticas
em nossa história. A esse respeito, lemos o belo texto de Achille crescentes do governo Trump sobre o manejo da pandemia.
Mbembe, “O direito universal à respiração”. Seguem alguns A mudança ocorreu três meses após a OMS anunciar uma
trechos: “Algumas pessoas enunciam já um pós-COVID-19. Por “emergência de saúde pública de interesse internacional” em 30
que não? No entanto, para a maioria de nós, especialmente nas de janeiro”.

120 121
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

instantâneo do imaginário destes tempos semi-apocalípticos.


Um estudo liderado por três economistas da Faculdade Getúlio
Vargas e da Universidade de Cambridge aponta que as falas de
Bolsonaro influenciaram diretamente na taxa de isolamento
dos municípios onde ele recebeu mais votos. Após 48 dias de
confinamento em casa, as pessoas na Espanha foram autorizadas
a passear ou praticar esportes. Enquanto isso, o número de casos
confirmados em todo o continente africano ultrapassou 40.000.

Fonte: Twitter

125º dia – 03 de maio


Fonte: Twitter Alunos de educação a distância, das 11 instituições ligadas
à rede educacional Laureate no Brasil, tiveram suas atividades de
124º dia – 02 de maio texto em plataforma digital avaliadas por software de inteligência
1933-1939: Na Alemanha, a jornalista Charlotte Beradt artificial. Os estudantes não sabiam. O Ministério da Saúde
coleta sonhos de seus contemporâneos, de modo a descobrir se do Afeganistão deu o alarme sobre a disseminação do novo
seria possível encontrar elementos oníricos, comuns ao ambiente coronavírus, depois de um pequeno estudo com testes aleatórios
social nazifascista, no qual os sonhadores se encontravam em Cabul sugerir que cerca de um terço dos residentes da capital
mergulhados. 2020: Artistas e pesquisadores se unem para poderiam estar infectados.
coletar sonhos, agora, durante a pandemia da COVID-19, em Atualização da catástrofe brasileira: 101.826 casos e 7.051
um outro momento de exceção e de angústia da humanidade. O mortes.
projeto, desenvolvido por Antenna Rush, Erick Felinto, Tiago F.
Diversos países começam a culpar a China pela pandemia
Pimentel, Lívia Diniz e Rafael Frazão consiste em um site no qual
e/ou pelo seu manejo inicial. Trump lidera o coro.
as pessoas podem livremente depositar suas imagens de sonho.
A meta é produzir uma cartografia onírica capaz de oferecer um Na ausência do Estado, vai o tráfico mesmo?

122 123
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

do Ódio”, de João Cezar de Castro Rocha. Para o autor, a guerra


cultural é o jeito de o bolsonarismo manter as massas digitais
mobilizadas, mas, ao mesmo tempo, ela impede que se articule
um programa de governo.
Bolsonaro faz novos amigos para superar o divórcio com
Moro:

Fonte: Revista Época

127º dia – 05 de maio


O Reino Unido registrou o maior número oficial de mortos
na Europa: mais de 30.000 pessoas. Enquanto isso, no Brasil,
Fonte: WhatsApp descobria-se a existência de um acampamento autodenominado
“Os 300 do Brasil”, cujo objetivo principal é defender a intervenção
126º dia – 04 de maio
militar no governo e atacar o Congresso e o STF. Sabe-se apenas
Austrália, Malásia e Índia estão entre os países da Ásia que que o acampamento se localiza em Brasília, mas seu endereço é
começarão a minimizar partes de seu bloqueio. Vários países secreto, por isso os novos adeptos devem ser encaminhados por
africanos, incluindo a Nigéria, Gana e Camarões suspenderam “funcionários” do movimento. A porta-voz do movimento é Sara
os bloqueios parciais. Criado o site “Memorial para as pessoas Winter, a agitadora antifeminista ex-membro do Femen (grupo
que morreram no Brasil por COVID-19”, para lembrar que elas feminista fundado na Ucrânia, com sede atual em Paris), sobre
não são apenas mais um número nas estatísticas. Saiu no Estadão quem paira a suspeita de ter tendências neonazistas. Membros
a introdução do livro “Guerra Cultural Bolsonarista – A Retórica desse movimento têm promovido manifestações em Brasília,

124 125
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

mas não parece possuir muitos adeptos. De qualquer forma, seu 21 h. 43 min. O podcast do Nexo Jornal informa a situação do
combate às instituições democráticas é alarmante. novo coronavírus na América do Sul. Na Colômbia, a quarentena
Atualização da catástrofe brasileira em números: 600 foi estendida até 25 de maio, pelo governo federal. O país possui
mortes nas últimas 24 horas. Com isso, passamos a China em 8.600 casos e 378 mortes confirmadas, mas a transmissão
número de mortes. está sob controle e há 90% dos leitos de UTIs disponíveis. No
Ao que parece, médicos franceses haviam tratado como Equador, o estado de emergência foi prorrogado por mais 30
pneumonia um caso de COVID-19 em fins de dezembro, um mês dias, até meados de julho. O governo decretou que as aulas
antes do primeiro caso oficial. O mundo vai descobrindo que o fossem suspensas, que a maioria das pessoas fizesse home office
vírus estava circulando bem antes do que se pensava inicialmente. e há toque de recolher. Em algumas cidades, houve um colapso
funerário, com famílias mantendo seus entes falecidos em casa.
Sérgio Moro presta depoimento na Polícia Federal acerca
Mesmo assim, o Equador não possui o pior quadro geral: o Peru é
das denúncias contra Bolsonaro.
o segundo país em que a doença mais se expande no continente,
128º dia – 06 de maio só fica atrás do Brasil, que tem a taxa de contágio mais alta do
mundo, segundo o Imperial College. Os nossos vizinhos olham
09 h. 23 min. O site de direita O Antagonista afirma que “O
o Brasil com preocupação: Uruguai reforçou a segurança das
Brasil não pode esperar a tragédia da COVID-19 para afastar seu
fronteiras; enquanto o presidente argentino disse que o Brasil
maior responsável”.
não está enfrentando a crise sanitária de forma séria.
09 h. 26 min. Lula diz que Teich parece nunca ter entrado em
A Universidade Federal de Pelotas mostra que há uma alta
uma UBS (Unidade Básica de Saúde) e o ministro de Bolsonaro
taxa de subnotificação no país e a Fiocruz apontou um aumento
responde.
nas internações por síndrome respiratória aguda grave. Embora
12 h. 26 min. EUA pressionam China por respostas sobre o presidente seja contra o isolamento, o novo Ministro da Saúde,
a COVID-19. Nelson Teich, não defende a flexibilização; enquanto os números
12 h. 27 min. Especial do jornal Haaretz é sobre os de contagiados e mortos aumenta. Assim, os responsáveis pelo
neonazistas nas manifestações anti-lockdown nos EUA. isolamento são os prefeitos e governadores.
12 h. 39 min. Pesquisa afirma que três em cada quatro 22 h.- Fiocruz considera urgente a adoção de ações de
jornalistas, em 77 países, sofreram restrições, obstruções ou lockdown no estado do Rio de Janeiro. Denúncias de corrupção
intimidação, ao reportarem sobre a pandemia causada pelo envolvendo a construção de hospitais de campanha e compra de
novo coronavírus. 8.588 mortes no Brasil. Em Manaus, para respiradores. Valdei liga para amigo médico e bolsonarista. Ele
cada 5,6 óbitos apenas um é atribuído à doença. Outro estudo defende Bolsonaro com base no modelo da Suécia, como faz,
prevê 15 milhões de empregos perdidos. Movimentos sociais atualmente o ex-ministro Osmar Terra. Rússia registrou mais
chilenos lançaram plataformas para não deixar que o isolamento de 10.000 casos pelo quarto dia seguido. A Espanha estendeu
enfraqueça as tentativas de mudança no país. o estado de emergência por mais duas semanas, a partir de
Tarde - Bancas, reuniões e atividades da Universidade domingo. Notícia sobre amor em tempos de quarentena afirma
online. que as nudes estão correndo soltas e há muito contato com exs.

126 127
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

IBGE mostra que aumenta a diferença salarial entre brancos e caras vivem? JN destaca o uso de termos médicos, por parte
negros; e metade dos brasileiros vive com menos de 15 reais por de empresários, para falar da economia. O pior de todos foi o
dia. empresário que disse que haverá mortes de CNPJ.
21:17. The Lancet aponta bolsonaro como a maior ameaça.
21:45. Segundo óbito por corona em Mariana.
21:57. Podcast Fórum de Teresina cita Estudo da Faculdade
de Medicina de Ribeirão Preto, da USP, apontando que,
sem subnotificação, Brasil seria o epicentro da pandemia e o
boletim epidemiológico da prefeitura de São Paulo mostra que
a mortalidade por COVID-19 nas periferias é dez vezes maior.
Moro será a terceira via?
22:09. Lavajatismo começa campanha

Fonte: Twitter

129º dia – 07 de maio


18 h. 47 min. STF tem maioria de votos contra a MP sobre
envio de dados telefônicos ao IBGE.
19 h. 59 min. Entrevista de Regina Duarte, à CNN Brasil,
deixa os telespectadores sem palavras, tamanha sordidez. Merecia
fazermos uma coluna no calor da hora, mas, no momento, nos
falta a energia necessária. A apresentadora não só disse coisas
absurdas, como não prestou as devidas homenagens aos artistas
falecidos durante a pandemia.
20 h. 44 min. Jornal Nacional: Enquanto Bolsonaro vai ao
STF fazer teatro pro seu público, o diário do momento, isto é, Fonte: WhatsApp.
o Jornal Nacional nos faz ver a realidade. A Globo finalmente
do lado certo? Quem diria que viveríamos para ver isso, rs. Enquanto a crise política nos contamina uma dura realidade
Por outro lado, quem imaginava que seria Manaus a primeira se impõe. Seis estados já têm colapso na rede privada de saúde:
cidade a ter tantos problemas? Faltam UTIs em vários lugares Rio de Janeiro, Ceará, Pernambuco, Amazonas, Maranhão e Pará.
do país. Parece que estamos vendo as notícias que vimos antes O que significa que não há mais leitos de UTI que possam ser
da Itália. Toffoli responde Bolsonaro, afirmando que tem que ter contratados pelo poder público. Atualização da nossa catástrofe
coordenação para a saída. Saída no meio do caos? Onde esses em números: 9.146 mortes e 135.106 casos.

128 129
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Ao longo do dia participamos da Marcha Virtual pela caso do Brasil, afirma-se que “já registrou quase o dobro de
Ciência, convocada pela SBPC e diversas outras sociedades mortes por COVID-19 do que a China e mais de 100.000 casos
científicas. confirmados. Mas, apesar desses números altos, estimamos que
apenas uma pequena proporção de indivíduos em cada estado foi
infectada até o momento”. A conclusão é dramática: “No geral,
nossos resultados revelam que, apesar da extensa disseminação
e transmissão do vírus em todo o país, a extensão da infecção
na população em geral permanece baixa e muito aquém do nível
necessário para a imunidade de rebanho. [...]. Mais amplamente,
nossos resultados sugerem que na ausência da introdução de
novas medidas de controle que coíbam mais fortemente a
transmissão, O Brasil enfrenta a perspectiva de uma epidemia
que continuará a crescer exponencialmente”.

130º dia – 08 de maio


Ontem a Polônia adiou a sua eleição presidencial, prevista
para 10 de maio. É divulgado o Relatório do Imperial College
London “Relatório 21 - Estimativa de casos de COVID-19 e
número de reprodução no Brasil”, a partir de estudos em 16
estados: “A distribuição das mortes entre os estados é altamente
A OMS alertou que na África devem morrer de 83.000 a
heterogênea, com cinco estados - São Paulo, Rio de Janeiro,
190.000 pessoas pela COVID-19. Apenas neste ano, a doença
Ceará, Pernambuco e Amazonas - respondendo por 81% das
pode infectar entre 29 e 44 milhões, se medidas duras não forem
mortes relatadas até o momento. Nesses estados, estimamos
tomadas. A Rússia tem mais de 177.000 casos e ultrapassa a
que o percentual de pessoas infectadas com SARS-CoV-2 varie
França e a Alemanha, tornando-se o quinto maior país em
de 3,3% (IC95%: 2,8% -3,7%) em São Paulo a 10,6% (IC95%:
número de casos.
8,8% - 12,1%) no Amazonas”. São 3,5 milhões de casos no
mundo e quase 250 mil mortes relatadas em 187 países. No

130 131
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

redes sociais. A comoção popular fomentada pelo desemprego,


pela quebradeira generalizada e pela fome vai se voltar contra
os gestores locais, não contra o efetivo patrocinador da anomia:
ele próprio, Bolsonaro, que semeia desordem e anarquia para
colher poder. “As classes conservadoras solfejaram meses a fio
a pia ladainha que generais iluminados tutelariam o Mitômano.
131º dia – 09 de maio
Deu-se o contrário. Ele é o chefão inconteste das Forças
Em todo o mundo, o número de novos casos de coronavírus
Armadas. Vem encurralando o Supremo e o Congresso para,
ultrapassa quatro milhões, enquanto o número de mortes
na hora agá, recorrer à força bruta e peitá-los”, escreve Conti.
superou o de 277.000 pessoas. Diretor da ONU chama a atenção
E como Bolsonaro fará isso? Conti aponta vários cenários e
para o aumento da fome no mundo, no contexto da pandemia.
pretextos disponíveis ao fascista: descumprir uma ordem
Seul, a capital da Coreia do Sul, fecha mais de 2.100 boates,
judicial; saques; a prisão de um filho; a sublevação de um
bares e discotecas; justamente enquanto relaxava as diretrizes
setor da PM; um levante popular; inventar uma conspiração
de distanciamento físico. Novas regiões do Irã sofrem novos
comunista. “Numa paisagem de caos, contando com a simpatia
surtos. Número de mortes no Brasil sobe mais do que na
de Trump e a obediência da tropa, Bozo pode muito”, aposta
Europa, e a primeira capital a decretar o lockdown é São Luiz,
Conti. E acerta: “e tanto mais poderá, se não for enfrentado.
no Maranhão. No entanto, para que o vírus seja contido, seria
Mas, exceto por um ou outro juiz, os mandachuvas se limitam
preciso uma aderência de 70% da população, enquanto na
ao suave palavrório das notinhas de repúdio. O grosso da
realidade o número de pessoas que realmente está em casa é de
elite tem lavado as mãos”. Mais uma vez: é questão de dias.
pouco mais de 50%. Artigo na Folha alerta, mais uma vez, para
A institucionalidade e o campo democrático vão entregar de
a maior vulnerabilidade dos negros, tanto no Brasil, como nos
bandeja o país nas mãos de um miliciano boçal e seus seguidores
EUA, durante a pandemia. O auxílio emergencial foi depositado
mentecaptos. Não haverá reação, porque a pandemia, mais
para 50 milhões de pessoas. Embora Bolsonaro acredite que
do que atrapalhar, ajuda Bolsonaro. Sobretudo, por isolar as
“o brasileiro pode até pular no esgoto que não acontece nada”,
forças democráticas em casa - por conta de nosso zelo e nossa
estudos de China e Cingapura indicam que o vírus estava
responsabilidade com a vida e com a saúde pública. O que
presente nas fezes de alguns contaminados, o que faz com que o
teremos pela frente é somente o horror fascista e miliciano?
esgoto possa se tornar um “depósito viral”.
Atualização da nossa catástrofe em números: mais de
Mário Sergio Conti antecipa na Folha de São Paulo o cenário
10.000 mil mortos!!!. 10.627 vidas. Número de casos: 155.939.
inevitável da nossa tragédia? Amparado pela elite financeira,
Um contraponto. Como o Vietnã venceu a COVID-19,
pelo corporativismo das forças armadas e pela parcela da
mesmo com um sistema de saúde frágil? 300 casos e nenhuma
opinião pública (25% da população) - formada por idiotas
morte. 95 milhões de habitantes e um terço da renda per
e canalhas - que lhe apoia, Bolsonaro vai dar seu golpe. É
capita do Brasil. Reportagem da BBC afirma: “A resposta
questão de dias, a contar do agravamento incontornável do
está em uma combinação de fatores, entre os quais testagem
caos sanitário, que será creditado aos governadores e prefeitos
agressiva, quarentena rigorosa e rastreamento de contatos de
às custas de uma avalanche de fake news no WhatsApp e demais

132 133
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

doentes. Além disso, o país recorreu a uma ampla campanha das maiores prevalências do mundo. A melhoria do combate à
de conscientização com a ajuda da tecnologia e de artistas epidemia passa por um uso coordenado e treinado dos agentes
famosos”. A ação foi rápida, e em 23 de abril o país começou a de saúde. A tese que o calor mataria o vírus já foi pro saco há
flexibilizar a quarentena. muito tempo.
Svetlana Aleksiévitch vê muitas semelhanças na situação
132º dia – 10 de maio
atual da Bielorrússia, onde o presidente é também negacionista,
O jornal britânico The Guardian contrasta o “sucesso” no com o que aconteceu depois da tragédia nuclear de Chernobyl.
gerenciamento da pandemia na Argentina em relação ao “surto Auto-Isolados e sem indenizações por parte do governo, muitos
devastador” do Brasil. Indígenas mortos por COVID-19 chegam russos criticam Putin. A comemoração do 75º aniversário da
a 55, segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil vitória do Exército Vermelho e a consulta popular sobre a
(Apib); número cresceu 45% em dois dias. Depois de quase um reforma constitucional, que permitiria que Putin continuasse
ano, Mateus reencontra o padre que é seu vizinho de parede. O no cargo até 2036, foram adiados. Americanos, ligados às
padre abençoa, sem máscara, o seu retorno ao Brasil. Inglaterra Alt Right, protestam contra a quarentena, pois são contra a
relaxa algumas restrições. restrição de liberdades. Infecção de sarampo também avança
no Brasil. Juízes ignoram a lei e mantêm pelo menos 5 mil
133º dia – 11 de maio
mães na cadeia, longe dos filhos, durante a pandemia, mesmo
Estudo da Fiocruz mostra que, em janeiro, o vírus já com decisão do Supremo Tribunal para que detentas possam
circulava no Brasil. Provavelmente, a primeira infecção pelo cumprir pena em domicílio.
coronavírus foi registrada no Rio de Janeiro, entre 19 e 25
Abertura cautelosa no Reino Unido, com incentivo do home
de janeiro. Live do dia anterior de Atila Iamarino com Marcia
office e permissão para a prática de exercícios. A Arábia Saudita
Castro: 90% dos mortos de Fortaleza vivem em áreas de IDH
anuncia medidas de austeridade para lidar com os preços baixos
baixo. Destaca-se o papel negativo da ausência de lideranças e
do petróleo e a crise econômica da pandemia.
de mensagem única, mas também a necessidade de se fazerem
Brasil soma 16% das mortes e 11% dos novos contaminados
adaptações ao isolamento no Brasil, dado o tamanho e o fato de
no mundo, em 24h. Um a cada nove contaminados pela COVID-19
parte da população não poder fazer isolamento social devido a
no mundo foi infectado no Brasil nas últimas 24 horas. Nesse
nossa desigualdade social, bem como ao auxílio insuficiente da
período, o país registrou 10,6 mil novos casos. No mundo, foram
governança. Muitos são invisíveis em relação ao Estado. Haja
88,8 mil. Algumas cidades de Pernambuco já estão bloqueadas
vista que milhões de pessoas nem estavam no cadastro único
(lockdown), inclusive, Recife. Atualização da nossa catástrofe em
e tiveram que se cadastrar nesse momento. Essas pessoas nem
números: 11.519 mortes e 168.331 casos. A taxa de letalidade
podem lavar as mãos, por causa da ausência de água potável:
pelos dados oficiais é de 6,8%.
43% da população da região Amazônica não têm acesso à
água potável! No Amapá, esse índice é de 63%. Mesmo com a Em várias regiões do mundo, estudos apontam que os
subenumeração essa desigualdade se reflete nas estatísticas de mais atingidos pelo coronavírus são os mais pobres. Aqui não é
infecção e morte. Provavelmente, 10% da população do estado diferente.
do Amazonas já foi infectada: qual o papel da Zona Franca? Uma
134 135
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

134º dia – 12 de maio


Dia internacional da(o) enfermeira(o) recebe homenagem
em todo o mundo. O secretário-geral da ONU, Antonio
Guterres, afirmou que a pandemia está gerando um tsunami
de ódio e xenofobia. Mesmo antes do decreto de Bolsonaro, em
Ouro Preto salões de beleza, barbearia (considerados serviços
essenciais por Bolsonaro desde ontem) e bar estão funcionando
quase-normalmente. Na quadra de futebol comunitária do bairro
popular do Padre Faria, todo dia tem pelada e tem ficado bem
cheia. As academias de ginásticas também foram consideradas
pelo Presidente como essenciais. Ele está de olho no precariado.
Mesmo com a subnotificação, Brasil passa a Alemanha e ocupa Fonte: John Hopkins - coronavirus resource center
o 7o lugar com mais infectados (177.189) na classificação da
Universidade Johns Hopkins. Em poucos dias passaremos A pandemia chega a Mariana. Provavelmente, é a Vale
a França. Nas últimas 24 horas, tivemos quase 900 óbitos, e trazendo o “progresso”:
passamos os 12 mil mortos. Pesquisa da CNT/MDA, divulgada
hoje, mostra que a avaliação negativa do governo subiu de 32%
em janeiro para 43% em maio mas, o apoio continua sendo de
32%. A mudança ocorreu entre os regulares. É curioso que a
aprovação do governo federal, no combate à pandemia, é de
51,7%, o que é alto, ainda sim o apoio aos governadores dos
estados é de 68,2%, sendo que 67,3 são favoráveis ao isolamento
social. O assustador é que apenas 24,3% confiam muito nas
informações divulgadas pela imprensa sobre a pandemia e
28,8% das pessoas são favoráveis as recentes manifestações
contra o Congresso Nacional e contra o STF. Jornal Nacional:
mais um estudo mostra a ineficácia da cloroquina. Uma
mensagem compartilhada por Bolsonaro que afirmava que no
ano passado houve menos mortes por doenças respiratórias no
Ceará é considerada falsa pelo Instagram. O JN mostra outras
vezes que o Presidente compartilha fake news. Gastos com cartão
corporativo da presidência sobem.

Fonte: Instagram da Prefeitura de Mariana.

136 137
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

com o novo coronavírus e 5 óbitos foram registrados. Mesmo


que os quilombos tenham se organizado para evitar o contágio,
adotando o isolamento, faltam políticas públicas que impeçam
o desrespeito dessas medidas por agentes externos. Os grupos
Malungu e Terra de Direitos pedem que o MPF e o MP-PA
criem um grupo de trabalho para proteger as áreas quilombolas
durante a pandemia. Em todo Brasil, 19 quilombolas já
perderam a vida.
O Brasil, que já foi referência internacional em saúde
Fonte: WhatsApp. pública, é motivo de preocupação para os países vizinhos, já
que tem a maior taxa de letalidade por COVID-19 da América
É provável que a pandemia na África seja menos mortal
do Sul. Paraguai, Bolívia e Argentina fecharam as fronteiras
do que se previa inicialmente, pois os governantes lá, em
com o Brasil; o Uruguai reforçou a segurança nas fronteiras; o
sua maioria, seguiram a OMS e agiram rápido. Reportagem
Peru comunicou que está preocupado com seus indígenas que
da BBC afirma: “Apesar de algumas exceções, a maioria
vivem próximos às fronteiras brasileiras; e a Colômbia também
dos países africanos tomou medidas “mais rapidamente do
se preocupa com a Amazônia colombiana, onde há casos de
que o resto do mundo. [...]. Ruanda foi um dos primeiros a
indígenas contaminados.
implementar o confinamento quando tinham menos de 20
Dados da Universidade John Hopkins para alguns países da
casos confirmados. Eles fecharam a fronteira e interromperam
América Latina:
os voos internacionais”. O fato de haver menos fluxo de pessoas
circulando ao redor do mundo também pode ter ajudado, além País Pessoas contaminadas Óbitos
da pirâmide demográfica. Mas, ainda é cedo para falar em uma Brasil 189.157 13.149
exceção. Vamos torcer para que a África continue sendo uma Peru 76.306 2.169
exceção. México 38.324 3.926
Mais um estudo mostra a ineficácia do “milagre da Chile 34.381 346
cloroquina” A expressão é da ministra Damares em vídeo
Equador 30.486 2.334
que circulou essa semana. Atualização da nossa catástrofe em
Colômbia 12.930 509
números: 881 mortes nas últimas 24 horas. 12,4 mil mortes e
177.589 casos. Argentina 6.879 329
Bolívia 2.964 128
135º dia – 13 de maio. Cuba 1.810 79
Bolsonaro entrega ao STF seus exames negativos Paraguai 740 11
para a COVID-19 e volta a defender o uso da cloroquina. A Uruguai 719 19
Coordenação das comunidades quilombolas do Pará estima que,
Venezuela 440 10
no mínimo, 60 quilombolas do estado estejam contaminados

138 139
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Mateus vai ao supermercado e morre de vontade, mais uma fazia até uma associação dele com a maçonaria. A imagem
uma vez, de parar em seu bar preferido de Ouro Preto, onde se foi retirada no início deste mês e, agora, temos uma nova. E
pode comer um dos melhores torresmo de barriga do mundo. o cartaz é assinado por um movimento denominado direita
Prefeito do Rio, o pastor Marcelo Crivella, afirma que Bolsonaro Minas. Nele, vemos a foto do Presidente com a seguinte
é feio por fora e bonito por dentro. O Antagonista afirma que legenda: “Bolsonaro tem razão”. Aliás, isso nos faz lembrar
Bolsonaro cobrou Moro por não apoiar ato golpista nem algumas análises do nosso livro Atualismo, onde discutimos o
defender fim do isolamento. Retração da economia brasileira fato de que cada vez mais o movimento substitui o partido.
deve ser próxima de 5%. O bolsonarismo e as suas milícias são, antes de tudo,
Brasil já é o 6o lugar em casos no mundo. Passamos a movimentos atualistas. Incrível que até Sergio Moro tenha
França. Quase 190.000 contaminados e mais de 13 mil mortos. sido descartado. Acho que conseguimos perceber bem esse
Projeção da Universidade de Washington afirma que na movimento, em nossa análise, em tempo real, do discurso de
primeira metade de agosto podemos atingir os quase 100 mil Bolsonaro.
mortos no Brasil. Ministro da Saúde não consegue consenso A guerra cultural não pode parar. No Dia da Consciência
para plano de distanciamento social. Na cidade de Araxá, Negra, a Fundação Palmares, de forma lastimável e bastante
Minas Gerais, velório de vítima de COVID-19 tem mais de 100 combatida, afirmou que Zumbi é o herói da consciência negra
pessoas presentes. escravizada pela esquerda. O texto em que se baseia o post
Jornal O Tempo, de Minas Gerais, afirma: “Suspensas desde é de um professor de história, jornalista: Luiz Gustavo dos
o dia 18 de março devido à pandemia do coronavírus, as aulas Santos Chrispino. O texto referenciado no post tem 5 páginas
da rede estadual de ensino de Minas Gerais serão retomadas e é a prova de que a história oficial olavista está sendo
a partir da próxima segunda-feira (18) em regime remoto. escrita. Chrispino termina com uma imagem e uma frase do
Os conteúdos serão transmitidos pelos professores pela Rede ator negro estadunidense, Morgan Freeman, cuja finalidade
Minas, e os alunos terão acesso também a um aplicativo, em que é negar o racismo estrutural: “O dia em que pararmos de
será possível interagir com os próprios docentes, e a planos de nos preocupar com Consciência Negra, Amarela, ou Branca
estudos tutorados disponibilizados na internet. Quem não tiver e nos preocuparmos com Consciência Humana, o racismo
acesso a esses meios, receberá o material impresso, segundo a desaparece”. Em 2017, um post dessa frase, às vésperas do Dia
Secretaria de Estado de Educação”. Nacional da Consciência Negra, feito pela jornalista global e
7 mil policiais saíram das ruas do Brasil no atual negra, Glória Maria, já havia causado grande discussão. Uma
contexto. Kotscho na Folha resume a situação de Bolsonaro parte do texto de Chrispino afirma que foi em 1978, momento
e Moro: os dois queriam livrar-se um do outro, com vistas da fundação do Movimento Negro Unificado (MNU), que
a 2022. Mandetta ataca Bolsonaro: a história vai dizer quem Zumbi torna-se o ícone que passa a representar o MNU sob
estava do lado certo. influência do processo “Marxista Cultural”, “usando o povo
negro como massa de manobra”. No Twitter, Valdei comenta
Num canto de uma das entradas principais do campus da
sobre a postagem:
UFOP, em Ouro Preto, durante mais de 5 anos alternaram-se
duas ou três imagens de Moro. Se não nos falha a memória,

140 141
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

10ª
Quinzena

O Brasil está nu;


o presidente é fake e o vírus é real
136º dia – 14 de maio
Ontem, Mateus, com ligeira dor no pulso de tanto digitar,
passou uma parte da noite modificando alguns títulos de
seções no livro, mas, como nós estamos usando o recurso de
sumário automático e ele fez alterações no sumário e não no
corpo do livro, hoje cedo quando atualizamos a versão todas as
modificações do Mateus haviam sido perdidas. Por sorte, Mayra
lembrou do recurso do histórico de versões que o Google Drive
oferece e conseguimos recuperar uma parte daquilo que Mateus
Como já dissemos, muitos bolsonaristas usam atualmente havia modificado durante a noite.
o exemplo da Suécia com um bom exemplo de país que não fez Valdei e Mateus estão sempre discutindo sobre o quanto
isolamento. Eis alguns dados para se pensar: Suécia 340 mortes cada um deve mergulhar no mundo do atualismo: para Mateus,
por milhão; Brasil 63 mortes por milhão; Argentina 7,4 mortes a única rede social é ainda WhatsApp ou no máximo e-mail; já,
por milhão. É uma estatística fria, ainda sim, precisa ser usada Valdei está, de maneira um tanto contrariada, em quase todas as
no combate das mentiras propagadas por eles. que existem. Nossa versão “tira bom, tira mau” ou, na linguagem
do atualismo, “cara atualizado versus cara obsoleto”. A Mayra
tem desempenhado um papel importante no “adestramento” do
Mateus em relação aos recursos de um trabalho colaborativo em
nuvem, mas volta e meia ele tem alguma crise de abstinência e
tenta trabalhar off-line e nos empurrar uma versão clandestina do
texto.
Outra dimensão do conflito “atualizado versus obsoleto”
é o quanto podemos usar a mensagem de áudio no grupo de
Fonte: WhatsApp. WhatsApp chamado Diário da Pandemia. Mateus, principalmente

142 143
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

no começo do trabalho, insistia em enviar muitos áudios longos; Enquanto isso, o Brasil está pegando fogo. Entre os amigos
Valdei se irritava porque sempre dizia que áudio dá mais de esquerda diversas especulações sobre o golpe e o papel dos
trabalho, tem que parar para ouvir, depois não se consegue militares nisso. Em especial, após texto de Mourão publicado
recuperar através de recursos de busca, e que nós deveríamos hoje em que ele critica todo mundo, menos o governo. Ao que
nos concentrar em mensagens de texto. Valdei, para resolver parece, Bolsonaro cobrou mesmo de Moro apoio em relação à
isso, usa o recurso de reconhecimento de voz do teclado do seu sua participação em atos antidemocráticos e contra o isolamento
celular Android, o que provoca uma série de pequenos erros de social. Falando nisso, Mandetta voltou ao ataque hoje. Pela manhã,
digitação que deixam Mateus irônico e puto rs. Afinal, como Bolsonaro foi perguntado por que o Brasil tem mais mortes por
entender que a palavra voltei, erradamente reconhecida pelo COVID-19 do que a Argentina. Resposta: “É só você fazer a
aparelho, na verdade era o nome Valdei? conta por milhão de habitantes”. A conta não bate. Enquanto a
Após recuperar as alterações quase perdidas no texto, Mayra Argentina tem 7 mortes por milhão de habitantes, o Brasil tem
tenta acessar o site da Universidade John Hopkins, mas com 62. O jornalista Fernando Canzian faz uma boa síntese do drama:
dificuldade: ao fazer um teste de velocidade em sua wi-fi, percebe “Talvez comece a ficar claro também que Bolsonaro colocou o
que, dos 10 megas que deveria ter à sua disposição, só chegam Brasil no pior dos mundos: nem fechamos, nem abrimos. Isso
menos que 2. Problema recorrente em tempos de home office. manterá o vírus entre nós por muito mais tempo, espalhando-
Enquanto isso, o panorama atual dos dez países mais se em ondas paralisantes por aqui enquanto o resto do mundo
populosos do mundo é este: reabre”. Lei da Anistia? Medida Provisória 966 flexibiliza a
responsabilização de agentes públicos por erros cometidos no
País Número de contaminados Número de óbitos
combate à COVID-19. É o medo de responsabilização futura.
China 84.025 4.637 De todo modo, isso deve cair e ajuda a jogar ainda mais o
Índia 81.705 2.644 bolsonarismo contra o congresso e o STF.
EUA 1.398.393 84.575 O debate internacional sobre a judicialização da China
Indonésia 16.006 1.043 corre solto, mas parece que o melhor seria a criação de um fundo
Paquistão 35.788 770 internacional. Bolsonaro e sua trupe devem pensar: “tem tanta
Brasil 196.158 13.551 gente para responsabilizar, que vamos sair dessa”. Para Arnaldo
Lichtenstein, médico diretor-técnico de clínicas do Hospital das
Nigéria 4.971 164
Clínicas da USP, o discurso e as práticas de Bolsonaro são mais
Bangladesh 18.863 283
do que negacionistas. Elas são eugênicas. E hoje pela manhã, o
Rússia 252.245 2.305 Presidente afirmou que parece que o Brasil está virando um país
México 4.186 4.220 pobre e nos compara com a África.
Parece que o mundo não mudou. Reabertura do comércio
Atualização da situação em números: mais de 300.000 mortes
lota lojas na Europa. 15% das indústrias demitiram durante
no mundo. No Brasil, quase 900 mortes nas últimas 24 horas,
a pandemia. O economista Armando Castelar, da Fundação
quase 14000 mortos e mais de 200 mil casos oficiais. Muitos são
Getúlio Vargas, publica relatório aconselhando os investidores
profissionais da saúde. 4,3 milhões de infectados no mundo.

144 145
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

a fugirem do Brasil: “Meu conselho de investimento é o de não vídeos contra a Globo, inclusive um com o Lula. Outra imagem
correr para um edifício em chamas. Neste momento, é melhor é uma leitura distorcida de uma frase do Governador de Nova
deixar o Brasil para especialistas, loucos, oportunistas de longo York, a fim de sugerir a flexibilização da quarentena:
prazo e aqueles sem outras opções”. “Os investidores estão
horrorizados com os custos econômicos dessa reação desastrada,
como mostram a saída de capitais e o desabamento da moeda”.
Na reunião matinal de Bolsonaro, com o Ministro Guedes e o
presidente da Fiesp, Paulo Skaf, um dos articuladores do futuro
partido de Bolsonaro – Aliança pelo Brasil, e com empresários,
o nosso Presidente afirma para os empresários que tem que ser
guerra com os governadores dos estados.
A segunda parcela do auxílio emergencial começa a ser
liberada na segunda. Novas filas e contaminações. Mais de 36
milhões de americanos já solicitaram o seguro-desemprego.
A COVID-19 já chegou oficialmente em mais da metade dos
municípios brasileiros. A intenção do Ministério da Saúde
é distribuir quase 50 milhões de testes, mas até agora foram Fonte: WhatsApp.
entregues em torno de 8 milhões de kits.
Todos os dias somos inundados de estudos, reflexões, Depois de hoje Mourão deixou de ser opção?
números e estatísticas sobre a pandemias, a crise econômica e
política. Tem que ter muita sabedoria para viver a infodemia e
tomar cuidado para não se infoxificar…
A ex-Presidente do Chile, Michelle Bachelet, atual alta
comissária de Direitos Humanos da ONU, afirmou: “Acreditamos
que a negação de importantes líderes políticos provavelmente
levou à disseminação da infecção [no Brasil] e que, se outras
medidas tivessem sido tomadas desde o início, talvez isso
pudesse ter sido revertido”. O portal G1 mostra uma foto
comovente de indígenas chorando e se abraçando com a máscara
com os seguintes dizeres: “vidas indígenas importam”. Ao que
parece, essas máscaras se disseminaram em função do trabalho
da técnica de enfermagem Vanderlecia Ortega dos Santos.
No Brasil, muitas pessoas estão morrendo em casa. Só no Fonte: istoe.com.br.
Ceará, foram 115. Amigo bolsonarista do Mateus manda vários

146 147
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Nosso amigo, aluno do mestrado e professor da educação de comunicação da prefeitura soltou uma nota em que afirma:
básica, Aguinaldo, lança várias dúvidas em relação ao retorno às “Todas as orientações foram passadas desde a semana passada
aulas online pelo estado de Minas Gerais: para os familiares, que se mostraram resistentes em acreditar na
possibilidade de ser coronavírus. Hoje, com o resultado positivo,
mais uma vez, mostraram-se incrédulos e hostilizaram a equipe
da Saúde”. Afirma-se ainda que: “Todo o protocolo foi orientado
à família desde o óbito na Santa Casa e novamente na localidade,
quando o corpo chegou ao município. Todas as medidas
preventivas em caso de suspeita foram explicadas, como não
permitir muitas pessoas no velório e manter o caixão fechado,
mas os familiares insistiam que não era coronavírus e, ao que
tudo indica, sim houve muitas pessoas no velório”. Pouco antes
do dia acabar recebemos uma notícia do G1: “Prefeito da Cidade
de Ouro Preto, do interior de MG anuncia ‘Lei Seca’, proibição
da venda de bebida alcoólica, por 30 dias, a partir de hoje, uma
medida rígida mas que visa ao combate à COVID19”.

137º dia – 15 de maio


Hoje pela manhã começamos a escrever uma coluna que
seria sobre a força de grandes empresários conservadores no
sequestro da democracia e na construção daquilo que estava
sendo chamado de anarcocapitalismo. A ideia era conectar com a
conjuntura brasileira o apoio de setores empresariais ao Bolsonaro
à emergência de letrados que atuam como propagandista dessa
desse ideário contra o Estado. Mas, na parte da tarde vem a
notícia do pedido de demissão e saída do Ministro da Saúde e a
coluna agora passava a ser algo urgente, para que pudéssemos
Fonte: Twitter. ter uma intervenção na atualidade. A coluna muda de rumo.
Mayra e Mateus trabalham de um lado; e Valdei trabalha de
Eliane Brum, em mais um belo e lúcido texto pergunta: outro, pois tem que intervir em simultâneo com uma reunião
“é isso que diremos aos nossos filhos, que vamos esperar virtual da Anpuh. Por volta de 18 h. 10 min. a coluna vai para os
passivamente Bolsonaro nos matar a todos?” Velório de vítima Jornalistas Livres e talvez seja publicada ainda hoje.
da COVID-19 na cidade de Cairu, sul da Bahia, como em várias
Após a saída de Teich, quem assume interinamente o
cidades acontece sem restrições, com o caixão aberto. Já há 5
Ministério da Saúde é Eduardo Pazuello, um general da ativa
casos suspeitos de pessoas que foram ao velório. A diretoria

148 149
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

que admitiu ser leigo em questões relativas à saúde. Ontem, poucas horas após a demissão de Nelson Teich, o
Atualização da catástrofe em números, segundo a OMS: Ministério da Saúde anunciou que iria adotar um novo protocolo
4.338 658 casos, 297.119 mortes. África 54.190 casos e 1.623 em relação ao uso da cloroquina e da hidroxicloroquina,
mortes; Américas 1.864.468 casos e 111.934 óbitos; Oriente que deverá ser ministrada em pacientes com quadros leves
Médio: 305.189 casos e 9.558 mortes; Europa 1.826.295 casos e da doença. Assim como o presidente venezuelano Nicolás
163.277 mortes. Sudeste Asiático: 122.254 casos e 4.050 mortes; Maduro, Bolsonaro insiste no uso do medicamento que,
Pacífico Ocidental 165.550 casos e 6.666 mortes. segundo estudos internacionais, divulgados no The New England
Journal of Medicine e na revista The British Medical Journal, não é
138º dia - 16 de maio tão eficaz no combate ao novo coronavírus e ainda pode causar
Brasil ultrapassa a Espanha em número de infectados e se efeitos colaterais perigosos, agravando o estado de saúde dos
torna o quarto país mais atingido pela COVID-19, com 233.142 pacientes. Hoje, o vice-presidente Hamilton Mourão precisou
casos confirmados. Em relação ao número de mortes, ocupa o ser colocado de quarentena devido ao fato de ter tido contato
quinto lugar, com 15.633 óbitos. No mundo todo há, segundo com um servidor público infectado ao longo da semana. Ele e a
a Universidade John Hopkins, 4.626.632 pessoas infectadas e esposa fizeram testes para a COVID-19 e o resultado deve sair
311.363 óbitos. Um estudo publicado na Health Affairs mostra na segunda-feira.
que, nos Estados Unidos, as cidades que adotaram o isolamento Enquanto isso, nas redes sociais, uma fala de Bolsonaro
social tiveram 10 vezes menos casos em relação às outras em de 2017 é trazida à tona: “Estive à frente para aprovar a
que a população voltou a sair de casa, e 35 vezes menos casos fosfoetanolamina. Cura ou não cura, não sei. Sou capitão do
em relação aos locais que não tomaram medidas de combate à Exército, a minha especialidade é matar, não é curar ninguém.
doença. Mas apresentei, junto com mais alguns colegas, e aprovamos.
Dá certo ou não dá? Vamos dar a chance daquele que tem o dia
marcado para morrer tomar a pílula”. O Presidente teria dito isso
enquanto defendia o uso de uma possível “pílula do câncer”, para
a qual ainda não havia estudos científicos que comprovassem
sua eficácia. Enquanto isso, no presente, Bolsonaro desiste de
fazer o pronunciamento no qual defenderia o fim do isolamento
em redes de rádio e televisão, mas fez declarações em defesa da
cloroquina no Twitter. Será, mais uma vez, a tática do “jogar a
isca”, na qual o presidente diz que fará algo; é criticado e, em
seguida, desiste de fazê-lo?

Fonte: Twitter

150 151
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

escrita do livro e um minicurso no qual se inscreveu.


A Índia supera o número de casos chineses. São 85.940
casos e 2.752 mortes. O país estendeu seu rigoroso lockdown de
quase dois meses por mais duas semanas.

As redes bolsonaristas sobem a tag #500DiasSemCorrupção, mas o Twitter fica


polarizado.

Universidades Federais de São Paulo e o Instituto Federal


do Estado de São Paulo lançaram um manifesto hoje pedindo
o adiamento do Enem devido à pandemia. As inscrições para o
Exame Nacional do Ensino Médio começaram na última segunda-
feira, embora muitos estudantes não tenham acesso às aulas ou Fonte: Facebook

a materiais de estudo. Ontem, o Ministério Público Federal já


139º dia - 17 de maio
havia divulgado uma nota técnica, dizendo que a insistência
na realização do Enem viola a Constituição Federal, devido à Desde ontem à noite os bolsonaristas subiram a hashtag
desigualdade no acesso dos estudantes à educação a distância. #ÍtaloMarsiliMinistroDaSaúde. Este é um youtuber/psiquiatra
discípulo de Olavo de Carvalho, cuja mensagem é a denúncia
Valdei compartilha com Mayra e Mateus algumas de suas
de que o globalismo teria infantilizado as pessoas, e que, então,
leituras sobre neoliberalismo, enquanto Mayra se divide entre a

152 153
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

a função dele como psiquiatra é ajudar as pessoas a assumirem uma sensação de que todos os meios são válidos para alcançar o
a responsabilidade pela sua própria vida, ou seja, é o topo do objetivo, que é sustentar o governo e o projeto de Jair Bolsonaro,
“mimimi” transformado em autoajuda. seja lá qual for.
Quando chamamos a atenção para o aspecto sofisticado,
estamos nos referindo ao fato de que a qualquer hora do dia
você pode entrar numa rede social como Twitter ou YouTube
e “sintonizar” e “entrar no clima” do bolsonarismo. Há uma
dimensão de entretenimento 24 horas disponível, que não é tão
fácil de ser produzido. Parte desse engajamento é espontâneo,
mas há também centros e pessoas muito talentosas que cuidam
de sua reprodução.
Durante o almoço, Valdei vê a matéria gravada da CNN
Brasil sobre a caminhada do presidente descendo a rampa do
Planalto, mais cedo, e uma chamada para uma manifestação que
deverá reunir 2 mil apoiadores. Os comentaristas fazem vínculos
mais ou menos óbvios - a gramática do “populismo” - mas o que
fica na nossa cabeça, depois de estruturar todos, ou pelo menos
muitos dos elementos do ambiente do bolsonarismo, é que se
trata de um processo cuja complexidade dificulta a redução a
Fonte: Twitter
partir de categorias históricas tradicionais, não que elas não se
apliquem, mas elas parecem insuficientes se temos em mente
O que é desesperador, nesses mergulhos no universo
a grande quantidade de vetores nos quais um projeto como
paralelo do bolsonarismo, é perceber como ele é sofisticado e
esse de Bolsonaro precisa se sustentar. Por isso, que cada vez
completamente capaz de dar sentido às vidas sem sentido do
mais vemos operacionalidade teórica e heurística na noção de
capitalismo contemporâneo. Valdei fez um print de uma sequência
agitação, em especial, em sua capacidade de aquecer um sistema
de comentários em cima de uma denúncia contra o governo da
ansioso por energia.
Paraíba, que estava sendo acusado de ter proibido a realização
de cultos e missas, mesmo que online. Naturalmente é uma fake Quando vemos a imprensa não bolsonarista, temos a
news comprovada; inclusive um usuário publica uma matéria, na impressão de que nós temos toda a razão, de que todas as ações
sequência, apontando a notícia como fake, mas os comentários do governo têm levado ao colapso do sistema de saúde e que é
continuam, ignorando a denúncia de fake e repercutindo como se um absurdo que as pessoas não consigam ver isso. Mas quando
fosse a verdade mais cristalina do universo. Claro que podemos mudamos de universo e assistimos às matérias e agitações do
sempre descontar a atuação dos robôs, mas naturalmente não é universo bolsonarista, podemos ficar com dúvidas, pulgas atrás
só isso: as pessoas atuam ali com o sentido de guerrilha cultural, da orelha. A sensação de injustiça que eles sentem acaba sendo
de reforço contínuo de uma determinada crença política e de um estímulo de reforço de suas próprias crenças. Considerando

154 155
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

que estamos às vésperas das semanas que serão, talvez, o com o número de mortos pela covid-19 só aumentando.
auge da epidemia no Brasil, bate um certo desespero frente Ironicamente, um dos países mais afetados pela pandemia agora
à nossa incapacidade de agir com algum tipo de coordenação está preocupado com a situação do Brasil.
social e política. E ainda que, independentemente da realidade, Tomamos conhecimento de uma notícia sobre Matt Rivitz,
independentemente do que possa acontecer, ao final, os que um publicitário que, através da sua conta de Twitter, denominada
sobreviverem estarão mais ou menos na mesma situação. Sleeping Giants, conseguiu com que diversos veículos de
Hoje é 17 de março, dia internacional de luta contra a comunicação ultraconservadores perdessem patrocínio. Seu
LGBTfobia. Valdei ajudou em algumas ações da Associação método é simples: ele faz capturas de tela - ou print screens - que
Nacional de História, e só por volta de 13 h. 20 min. que, mostravam a ideologia das páginas e as publicava em seu perfil,
no Twitter, ele consegue ver com alguma projeção a hashtag marcando os anunciantes que apareciam nas páginas. Ao perceber
#homofobia. Novamente, a hashtag popular não é exatamente a que seus produtos estavam associados com ideias extremistas,
que nós havíamos decidido nos debates internos da associação, os anunciantes se retiravam, causando uma perda de capital
que são sempre muito preocupados com a precisão conceitual, para sites de extrema-direita. Seria algo aplicável ao Brasil? Não
mas aquelas que são mais óbvias, mesmo que mais imprecisas sabemos, já que aqui o principal veículo de propagação de fake
ou polêmicas do ponto de vista da discussão especializada. news, teorias da conspiração e afins é o Whatsapp. Mas talvez
Nos dois meses em que o Ministério da Saúde e a OMS pudesse ser um começo...
recomendaram que as pessoas evitassem aglomerações, o No Brasil, 29% das pessoas que morreram em decorrência
Presidente esteve presente em ao menos 62 encontros com do novo coronavírus tiveram a cor da pele ignorada no atestado
aglomerações, o que é praticamente um encontro por dia, sendo de óbito. No registro de internações, essa porcentagem é ainda
a maior parte no “cercadinho” diante do Palácio da Alvorada. maior. A maioria dos estudos e reportagens sérias indicam que
Hoje aconteceu mais uma manifestação na qual ele fez uma houve, no Brasil, um aumento acelerado das mortes de pretos e
aparição. Antes que chegasse ao protesto, os seguranças da pardos .O Pará estendeu seu lockdown para mais sete municípios
Presidência pediram que as faixas contra o Congresso e o até o dia 24.
STF fossem retiradas. Bolsonaro, ao notar a ausência de tais Nos EUA, segundo o The Guardian, a maior parte dos grupos
faixas, elogiou o caráter “democrático” da manifestação. Neste que se manifestam contra o isolamento social são vinculados à
domingo, a América Latina e o Caribe passaram de 500 mil casos extrema-direita.
confirmados do novo coronavírus, sendo o Brasil o país mais O site da Revista Piauí faz um raio-x do Twitter de Bolsonaro:
afetado. neste ano, até abril, o presidente falou mais no Exército do que
Japão e Alemanha entram em recessão. Obama ataca a em UTIs; mais dos EUA do que de Manaus; falou mais em
liderança de Trump durante a pandemia. cloroquina do que em isolamento social; fez mais ataques à
imprensa do que prestou condolências às famílias que perderam
140º dia - 18 de maio
familiares para o covid-19.
Os jornais italianos Corriere della Serra e La Republica
Minas Gerais começa a ter aulas remotas pela rede estadual,
publicam notícias sobre o caos político e sanitário do Brasil,
mas o início não foi nada bom. O grande número de acessos

156 157
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

derrubou o site da Rede Minas e logo o chat do Youtube precisou menos que o da União Europeia, economistas alertam que o país
ser desativado devido às piadinhas dos alunos. não deixará de sofrer uma recessão tão severa quanto os outros
Hoje à tarde Valdei foi ao principal mercado de Mariana para países europeus.
fazer compras e a sensação que ele teve foi que pela primeira vez O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaça
há um protocolo mais rigoroso para evitar o contágio da covid-19. novamente deixar a OMS e suspender os repasses econômicos,
Todos os funcionários estavam de máscara, havia um controle acusando a organização de ser muito dependente da China.
numérico de entrada e álcool em gel de uso obrigatório - mas,
por outro lado, as caixas só tinham como elementos de proteção
máscaras e álcool em gel, não havia, por exemplo, aquelas capas
acrílicas ou algum afastamento físico entre elas e o público.
À noite, Mayra, que toca violino, recebe a ligação de mais
uma noiva que precisa desmarcar o casamento - já é o terceiro
evento desmarcado este ano. No início do ano, Mayra havia
comprado um encordoamento e um adaptador novos para o
violino, planejando repor o dinheiro pago, à vista, com o cachê
que viria ao longo do ano. Com a pandemia, as três noivas que
já a haviam contratado para tocar precisaram desmarcar, e os
outros possíveis casamentos que surgiriam ao longo do ano,
obviamente, não apareceram. No entanto, não havia muitos
motivos para decepção: mesmo que as noivas não desmarcassem,
ela mesma optaria por não tocar.
Enquanto isso, no Twitter…

Fonte: Midia Matters for America.

Uma reportagem da BBC Brasil, do dia 06 de maio, aponta


os sete erros que estão levando o Brasil em direção ao lockdown: a
falta de adesão ao isolamento social; a tentativa de flexibilização
141º dia - 19 de maio
da quarentena por alguns gestores; a falta de restrição de
A Suécia, que não fechou sua economia para combater a circulação nas ruas durante feriados; o comportamento
COVID-19, apresenta um número de óbitos pela doença maior despreocupado do presidente; a falta de uma diretriz única entre
do que os países vizinhos. Embora o PIB sueco tenha caído presidente, governadores e prefeitos; a troca de ministros da

158 159
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

saúde; as notícias falsas e as promessas de curas milagrosas. O


jornal francês Le Monde parafraseia Shakespeare e diz que “há
algo de podre no Brasil”, condenando veementemente as ações
de Bolsonaro durante a crise do novo coronavírus e a teoria do
Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, de que o vírus
seria resultado de uma conspiração comunista.
O Diretor-Geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus,
prometeu uma investigação independente da resposta global à
pandemia. No Reino Unido, o número de desempregados atinge
2,1 milhões.
Fonte: Folha de São Paulo on line.

143º dia - 21 de maio


Apesar de toda a ansiedade e do caos na saúde do Rio, a
cirurgia da irmã de Valdei foi marcada para sexta-feira, dia 22.
142º dia - 20 de maio Na noite passada Valdei teve, depois de algum tempo, uma crise
de asma leve. Acordou resfriado, com coriza, espirrando e uma
Hoje, ao comentar a aprovação do novo protocolo sobre
leve dor de cabeça, mas ele não acredita que seja COVID-19,
o uso da cloroquina, o presidente escreveu em suas redes
provavelmente um desses resfriados sazonais.
sociais: “Ainda não existe comprovação científica. [...] Contudo,
estamos em Guerra: ‘Pior do que ser derrotado é a vergonha de A matéria de destaque, hoje cedo, no site do The New
não ter lutado’. Deus abençoe o nosso Brasil!”. Fora das redes, o York Times, é um estudo que fez previsões de quantas mortes
presidente continua negociando o apoio do Centrão. poderiam ter sido evitadas nos Estados Unidos caso as medidas
de quarentena e mesmo o bloqueio tivessem sido adotadas
E por falar em redes, um estudo feito por pesquisadores
antes. No cenário mais restritivo teriam sido salvas cerca de 50
do Centro de Estudos e Pesquisas de Direito Sanitário da
mil pessoas, ou seja, 85% das mortes poderiam ter sido evitadas.
USP, do Centro de Análise da Liberdade e do Autoritarismo e
do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia O editorial da Folha de São Paulo de hoje, chama bolsonaro de
Digital (sediado na UFBA), mostrou que canais de fake news Presidente conspirador. Talvez pudéssemos emprestar o adjetivo
sobre o novo coronavírus são acessados quase 3 vezes mais do para título do nosso livro, o encontro entre um presidente
que os dados reais. conspirador e um vírus letal.
Regina Duarte deixa a Secretaria Especial da Cultura do Outra alternativa seria “A história do encontro entre um
governo Bolsonaro. fakedente e um vírus letal”. Na introdução, poderíamos explicar
que, embora tendo sido eleito dentro das regras democráticas,
se ignoramos escândalos e o uso irregular das plataformas da
mídia digital, a presidência de bolsonaro seria marcada por um

160 161
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

governo normal e um governo paralelo ou conspiratório, um eles publicada, no site Jornalistas Livres naquela manhã, assim
governo simulado sustentado em universos conspiracionais como sobre o Almanaque em produção. O resultado foi muito
movidos à desinformação. bom, mesmo que o Mateus tenha conseguido fugir…
O editorial da Folha também questiona o número crescente
de militares no governo bolsonaro, em particular no novo
Ministério da Saúde. A ideia é que uma das intenções paralelas
do governo bolsonaro é mesmo restaurar um “regime militar”,
mesmo que pela falsificação e exploração dos limites da
Democracia liberal. Mas fica a pergunta: esse governo paralelo
vai aceitar as regras do revezamento democrático garantido por
eleições justas e honestas?
O jornal El País, do dia 20 de maio, traz uma matéria
intitulada “Movimento expõe empresas do Brasil que financiam,
anúncios, site de extrema-direita e notícias falsas”.
Trata-se da versão brasileira da iniciativa americana
Sleeping Giants. A ideia é denunciar ou alertar grandes empresas
que financiam, mesmo que de modo inadvertido, sites que
promovem fake news e o ideário da extrema-direita. A matéria
mostra que muitas empresas, sentindo a pressão, retiraram os
seus anúncios através do bloqueio, particularmente usando as
ferramentas do Google Ads. O número de casos do mundo atinge a marca de cinco
A matéria chama a atenção para o grau de controle que hoje milhões pessoas. Os Estados Unidos, Rússia e Brasil tem o
o capitalismo tem, de como ele pode distribuir verba publicitária. maior número de casos.
Embora não aborde essa questão, certamente sites de esquerda e
com causas progressistas que possam comprometer os grandes 144º dia - 22 de maio
interesses dessas corporações sempre estiveram de fora da lista O decano do STF, ministro Celso de Mello, decidiu, nesta
de sites financiáveis por suas verbas de propaganda. Mais um tarde, que o vídeo da reunião ministerial, ocorrida no dia 22
grande problema a ser discutido no enfrentamento da necessária de abril, deveria ser divulgado na íntegra. O vídeo faz parte do
regulação da circulação da informação em nosso tempo. Será que processo de investigação das denúncias feitas pelo ex-ministro
as empresas deveriam ser as únicas a decidir qual o veículo vai Sérgio Moro, sobre as interferências de Bolsonaro na Polícia
ser financiado e qual não será? Isso não reforça o poder cultural Federal. Vários políticos de oposição ao governo, entre eles o
e político das grandes corporações? deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e o senador Randolfe
À noite, Valdei, Mayra e Mateus fazem uma live no Rodrigues (Rede-AP) passaram a pedir ao STF que tornasse
Instagram para falar sobre os assuntos abordados na coluna, por público o vídeo da reunião. Enquanto, ansiosos, aguardávamos

162 163
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

a publicação do vídeo, uma nota publicada pelo ministro do GSI, só reforçaram todas as impressões que sempre tiveram a respeito
General Augusto Heleno saiu antes e nos deixou estarrecidos: o do Presidente. Como de costume, escrevemos uma coluna para
general se opunha à possibilidade de que o celular do presidente o site Jornalistas Livres a respeito da reunião. Um texto escrito no
fosse apreendido para averiguações, e deixa um “aviso”: “tal calor do momento. Poucas horas após a divulgação do vídeo, o
atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia nosso texto não só já havia sido publicado como intensamente
entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para compartilhado nas redes.
a estabilidade nacional”.
145º dia - 23 de maio
Por volta das 19h tivemos acesso ao vídeo da famigerada
reunião, no qual, entre muitos palavrões, Bolsonaro e seus Um estudo feito com 96 mil pacientes e publicado na revista
ministros deram claros exemplos de que não estão preocupados The Lancet mostrou que o tratamento com a hidroxicloroquina
com a pandemia ou com as mortes por ela provocadas, mas não só é ineficiente, como em muitos casos pode ser prejudicial
sim com a reeleição em 2022, com as leis que poderiam ser para o combate ao novo coronavírus. A OMS afirmou que a
aprovadas usando a pandemia como cortina de fumaça, com a América do Sul se tornou um novo epicentro e que a situação
vontade de prender membros do STF, prefeitos e governadores. do Brasil é preocupante, além de reafirmar que não indica o uso
Enquanto o presidente esbraveja, cobrando mais apoio político amplo da cloroquina. Hoje, no Brasil, já são 330.890 infectados
dos ministros, alguns personagens parecem apáticos ou mesmo e 21.048 pessoas já faleceram em decorrência da doença.
incomodados com a situação, como o vice-presidente Mourão, A China não registra novos casos sintomáticos de
o então Ministro da Saúde Nelson Teich e o então Ministro da coronavírus. É a primeira vez desde que tudo começou.
Justiça Sérgio Moro. Os outros mostram que seu bolsonarismo é
legítimo e concordam com qualquer tipo de impropérios, como 146º dia - 24 de maio
é o caso do Ministro da Educação, que disse odiar a expressão Ontem, o SBT deixou de transmitir o jornal SBT Brasil. Claro,
“povos indígenas” pois brasileiro é um povo só, e a Ministra da o assunto principal da sexta-feira havia sido o vídeo da reunião
Mulher, Família e dos Direitos Humanos, que defendeu a prisão ministerial, e Sílvio Santos, apoiador veemente de Bolsonaro,
de prefeitos e governadores. O Ministro do Meio Ambiente, não gostando da abordagem do jornal, decidiu por censurá-lo.
Ricardo Salles, sugeriu que o momento da pandemia deveria ser Em seu lugar, foi transmitido um programa de fofocas.
aproveitado para que fossem aprovadas leis pouco populares. Enquanto algumas pessoas evitam falar sobre o assunto,
Por mais absurdas que estas cenas parecessem, na transmissão outras não se cansam de ler sobre o tal vídeo: termômetro desse
da CNN, através do Youtube, havia muitos bolsonaristas fato foi o sucesso da nossa coluna sobre a reunião ministerial,
concordando com o conteúdo da reunião, dizendo que o tiro mesmo que tenhamos deixado de abordar um ou outro ponto
havia saído pela culatra, pois graças a este vídeo Bolsonaro importante, em função da rapidez com que tudo aconteceu.
seria reeleito em 2022. Aparentemente, o vídeo não mudou Tem algo de auto atualização em reagir ao noticiário, que pode
muita coisa entre os extremos da população brasileira, ou seja: ser respostas do atualismo. O fato é que, quando se consegue
os apoiadores de Bolsonaro se sentiram extasiados com o seu decidir e se organizar, com eficácia, os resultados são rápidos. É
discurso armamentista e chulo, enquanto os críticos do governo a velocidade do tempo kairológico: se há uma pequena janela de

164 165
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

tempo, e se a decisão é boa, funciona. Esse foi, provavelmente, Durante o dia, também vimos notícias sobre a
o nosso artigo de maior sucesso, em termos de alcance. A nossa subnotificação: segundo um levantamento feito pelo Instituto
avaliação é que ele contribuiu para produzir uma interpretação Nacional de Assistência Social do país, podem ter havido 19 mil
menos derrotista do vídeo, já que muitas pessoas da esquerda mortes a mais do que o notificado. Já em Minas Gerais, o número
temiam que o vídeo fortalecesse os bolsonaristas. Ontem, no relativamente baixo de infectados e mortos por COVID-19 pode
Twitter, Valdei escreveu sobre Braga Neto e Mourão, os militares ser devido à pendência nos resultados dos exames, já que o estado
que estavam do lado esquerdo e direito imediato ao presidente, é um com os maiores números de exames “a confirmar”. A Capa
e que, em nenhum momento, deram qualquer sinal de apoio às do jornal The New York Times de hoje trouxe mil nomes de vítimas
sandices que ele dizia. do COVID-19 - mais uma forma de não deixar que os falecidos
A escrita da coluna, em tempo real, sobre o vídeo, foi se tornem apenas números. Nos EUA, já são 1.639.872 casos e
construída de maneira bastante inusitada: Valdei colocou o vídeo 97.599 óbitos. O Brasil é o segundo país com mais infectados,
da reunião ministerial em velocidade 2, no Youtube; ele ouvia e sendo 347.398 pessoas; já em relação aos óbitos, o país está em
via enquanto escrevíamos. Mayra ouvia o vídeo, ao mesmo tempo 6º lugar, com 22.013 pessoas falecidas.
em que lia (mais rapidamente) o laudo com a transcrição oficial.
Mateus, simultaneamente, via, ouvia e escrevia sobre o vídeo,
enquanto participava de uma reunião, para discutir as condições
atuais de trabalho, dos professores de história, na Região dos
Inconfidentes, promovida pelo Departamento de História da
UFOP e professores da região.

Capa da edição impressa do The New York Times


Fonte: Twitter.

166 167
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Os EUA proíbem voos vindos do Brasil. Rússia registra o O Japão suspendeu o estado de emergência em todo o país
maior número de mortos desde o início da pandemia: 153 óbitos. e está reabrindo gradualmente. Na Rússia, o número de casos
O total chega a 3.541. O número de casos é de 344.481. aumentou para 353.427, com 8.946 novas infecções nas últimas
24 horas. Atualização da catástrofe global em números, segundo
147º dia - 25 de maio a OMS: 5.304.772 casos e 342.029 óbitos no mundo. África:
Lemos a matéria de hoje, no Estadão, que traz um retrato 80.002 casos, 2.120 óbitos. Américas 2.395.295 casos, 141.472
do colapso do sistema de saúde, em diversos estados brasileiros, óbitos. Oriente Médio: 427.832 casos, 11.164 mortos. Europa:
além de mostrar os atrasos na construção de hospitais, os 2.025.176 casos, 174.429 óbitos. Sudeste Asiático: 201.207
pacientes morrendo por falta de atendimento médico, e o medo casos, 5.952 óbitos. Pacífico Ocidental: 174.548 casos, 6. 879
que se espalha entre as comunidades mais pobres, que não terão óbitos.
o atendimento adequado por parte do Estado. Se comparamos Os dados oficiais mostram que a pandemia literalmente
a situação brasileira com o que aconteceu na China, pelas chegou em nosso território. Em Ouro Preto temos 14 casos
descrições presentes no Diário de Wuhan, perceberemos o quanto confirmados e 01 óbito. Já, em Mariana, são 80 casos e 6 óbitos.
é escandaloso o descaso brasileiro para com a Pandemia. Por Em todo o Brasil, são 376.669 casos e 23.522 mortes, e nos
muito menos os chineses se revoltaram, com aquilo que eles últimos 14 dias o país somou 3 vezes mais o número da do que a
consideravam negligência do governo, ainda que a resposta União Europeia. Hoje somos, pela segunda vez, o país onde mais
chinesa tenha sido imensamente mais eficaz e respeitosa para se morre por COVID-19 no mundo. Apenas um em cada três
com as pessoas. Os memes chegam com certo atraso no Facebook. pacientes graves sobrevive no Brasil, segundo um levantamento
feito pelo Projeto UTIs Brasileiras com a Associação de Medicina
Intensiva Brasileira e uma ferramenta de análise de dados e
desempenho hospitalar chamada Epimed.
Ministro do Meio Ambiente justifica a expressão “passar
a boiada”, citada em nossa crônica de sexta, dia vinte e dois de
abril, e que ele utilizou na Reunião Ministerial, dizendo que
não queria dizer flexibilizar, mas atualizar normas. Vai que a
atualização cola, né?
Até onde pudemos verificar, o papel dos assintomáticos na
difusão do vírus ainda não é clara para a OMS. Em compensação,
o papel da cloroquina, sim: a organização suspendeu os testes
com a substância após a revista The Lancet ter publicado um
estudo sobre os riscos do remédio.

Fonte: Facebook

168 169
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

A Universidade de Washington prevê, de acordo com o


modelo usado pela Casa Branca, mais de 125 mil mortes por
COVID-19 no Brasil até agosto. Em Minas Gerais, o número
de infectados pode ser maior do que o divulgado em até 800%.
As mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave aumentaram
em 838% em relação ao ano passado e não há testes para
COVID-19 suficientes no estado. William Bonner, âncora do
Jornal Nacional, está sendo intimidado. Um número com código
de área de Brasília teria enviado mensagens de Whatsapp a ele
e à filha com uma lista de endereços e números de CPF dele e
de seus familiares. Fraudadores usaram o CPF de seu filho para
dar entrada no pedido do auxílio emergencial do governo, o que
levou o jornalista a ser alvo de diversos ataques.
O Senado marcou para 2 de junho a votação do projeto de lei
que visa instituir a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade
148º dia - 26 de maio e Transparência na Internet.
Os casos continuam crescendo na Índia. O total já é de O “Covidão” - investigação para averiguar possíveis desvios
145.380. 350 mil pessoas. Nos EUA, o estado de NY tem o menor de verba que deveria ser usada no combate a COVID-19 - começa
número em dois meses. São 5,5 milhões de infectados no mundo. no Rio: o ministro do STJ Benedito Gonçalves autorizou a quebra
Abaixo, a atualização dos países mais populosos do mundo: do sigilo de celulares e computadores do governador Wilson
Óbitos/milhão de Witzel. Provável perseguição de Bolsonaro ? Parece que só isso
País Contaminados Óbitos
habitantes explica a celeridade da Procuradoria da República.
China 82.992 4.634 3
149º dia - 27 de maio
Índia 150.739 4.349 3
Hoje, Valdei acordou com leve mal-estar, um pouco de dor
EUA 1.713.607 100.064 302
de cabeça, uma leve coriza além da garganta irritada. Depois
Indonésia 23.165 1.418 5 do almoço, os sintomas continuaram. Sempre preocupante,
Paquistão 57.705 1.197 5 afinal, nessa conjuntura, a COVID-19 é uma possibilidade. No
Brasil 377.711 23.606 111 fim da tarde, depois de conversar com Mateus, Valdei mandou
Nigéria 8.068 233 1 uma mensagem de WhatsApp para o serviço que foi criado pela
Bangladesh 36.751 522 3 Prefeitura de Mariana. Ele foi orientado a procurar a unidade de
saúde mais próxima. Ele vai aguardar até amanhã, dia 28, para
Rússia 362.342 3.807 26
avaliar se os sintomas se agravam ou mesmo continuam. Em
México 71.105 7.633 59
qualquer outra circunstância seria apenas uma destas quedas
Fonte: Worldmeters.info/coronavirus/

170 171
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

de resistência normais, próprias desta época do ano, mas com a maioria ligada a um centro de logística de varejo, a oeste da
a COVID ao lado, tudo muda. De todo modo, essa situação só capital, Seul. Já, a Espanha, iniciou um período oficial de luto de
reforça a precariedade da resposta no Brasil: ter de ir a um posto 10 dias em memória das mais de 27 mil pessoas falecidas devido
de saúde, sabendo que não serei testado, e ainda correndo risco de à COVID-19. Triste marco: 100.000 mortos por COVID-19
contrair a doença, é contra tudo o que as boas práticas indicariam nos Estados Unidos. Primeiro país a atingir a marca dos seis
nessa situação. Ficamos com uma ligeira inveja de uma amiga, dígitos. Os dados da OMS, sobre a situação geral, hoje, são: no
que no Facebook publicou uma postagem com os dizeres “livre mundo, são 5.488.825 infectados e 349.095 óbitos; na África,
da COVID” (ela tinha testado positivo sem ter apresentado, 85.815 casos e 2.308 óbitos; nas Américas, 2.495.924 casos e
aparentemente, os sintomas da doença). Inveja boa. 145.810 óbitos; no Mediterrâneo Oriental, são 449.590 casos e
De acordo com uma pesquisa do IDEA Big Data, 76% dos 11.452 óbitos; na Europa, são 2.061.828 casos e 176.226 óbitos;
brasileiros entrevistados se mostraram mais interessados em no Sudeste Asiático, 218.523 casos e 6.359 óbitos; e no Pacífico
ouvir orientações de especialistas sobre a pandemia - mesmo Oeste, 176.404 casos e 6.927 óbitos.
vivendo sob um governo que se contrapõe à ciência. Seria uma
150º dia - 28 de maio
esperança?
Ontem, o Brasil registrou o maior número diário de casos e
Em Mariana, durante uma reunião da Câmara Municipal,
mortes por COVID-19 no mundo. Foi o terceiro dia seguido que
realizada de forma remota, um dos vereadores sacou uma arma
o país lidera o número de óbitos a cada 24 horas. Hoje, já são
diante da câmera após fazer uma crítica ao prefeito. Durante a
411.821 pessoas infectadas no Brasil e 25.598 mortos no Brasil,
reunião, discutia-se o retorno das atividades da Fundação Renova
de acordo com o site da Universidade John Hopkins. No mundo,
na cidade, empresa responsável pelos programas de reparação
são 5.765.094 contaminados e 358.369 mortos. Já, de acordo
e reconstrução das regiões impactadas pelo rompimento da
com a OMS, são 5.593.631 casos e 353.334 mortes no mundo,
barragem de Fundão, em 2015. A justificativa do vereador é a
enquanto no Brasil são 391.222 casos e 24.512 mortos. Como se
de que ele estava limpando a arma. Enquanto isso, o número
pode perceber, como já falamos, há uma desatualização entre a
de infectados na cidade só aumenta. É certo que o crescimento
contagem da Universidade John Hopkins e da OMS.
se deve também ao fato de que agora são feitos mais testes -
possivelmente o número de infectados já era mais alto antes, só Continuamos sem ministro titular da saúde. O Brasil ainda
não sabíamos. Mas de qualquer forma, este aumento nos casos é não testou nem 1 milhão de habitantes. Enquanto isso, só a
chocante e preocupante. cidade de Wuhan entre 12 de maio e 21 de maio fez 3 milhões
de testes.
Nas redes sociais, muitas pessoas discutem a possibilidade
de uma “frente ampla” para fazer oposição a Bolsonaro. Alguns Valdei acordou melhor, sem sintomas, mais um alarme
sugerem que, para que isso se realize, seria preciso fazer falso, felizmente.
concessões, para reunir o maior número de pessoas possíveis, A primeira página do New York Times de hoje traz reportagem
mesmo com ideologias divergentes. sobre o segundo dia de revoltas nas ruas de Minneapolis após a
Hoje, a Coreia do Sul sofreu seu maior aumento em novos divulgação de um vídeo que mostra um homem negro, George
casos de COVID-19, nos últimos 49 dias. São 40 novas infecções, Floyd, sendo friamente assassinado por um policial branco na

172 173
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

segunda-feira, dia 25. As cenas são aterradoras, o policial com contabilizações. Justamente quando o prefeito quer retomar a
o joelho sobre a garganta da vítima que implora dizendo “não atividade econômica. A flexibilização do estado de SP ocorre
consigo respirar”. Mais de oito minutos se passam e o corpo, já depois de 64 dias desde o início da quarentena.
sem vida, de Floyd, é colocado em uma maca. Toda a história O desemprego sobe para 12,6% em abril, além de um perda
de opressão pelo racismo evocada e condensada naquele vídeo. de quase 5 milhões de postos de trabalho. A população fora da
Lembramos das palavras de Achille Mbembe sobre o direito força de trabalho chega a quase 71 milhões.
universal à respirar. Ontem mais de 800 associações organizaram Mateus continua com sono irregular. Ontem, foi dormir
um ato virtual em memória de João Pedro Mattos Pinto, 14 anos, à meia noite, mas acordou às 4h. No nosso grupo, ele ganhou
assassinado pela polícia com arma de fogo no dia 18 na favela o apelido de Batman. Mas como Mayra e Valdei trabalham em
do Salgueiro no Rio de Janeiro. Em Minneapolis, saques e lojas expediente normal, isso faz o almanaque funcionar em sistema
queimadas. de 24hs.
Embora o Brasil seja um epicentro da doença e uma Muitas vezes Mateus acordou, e ainda acorda, depois de
pesquisa do Datafolha aponte que 60% da população é favorável sonhar com o Bolsonaro. Ontem, ele resolveu ver o Jornal Nacional
ao lockdown, o isolamento parece estar saturado. Alguma às 4 da manhã. Vai ajudar no sono? Tudo indica que não. As
cidades, como São Paulo, pretendem flexibilizá-lo. Muitos notícias são sobre a flexibilização da quarentena em SP, fake
desempregados não estão conseguindo seguro desemprego news e o aumento das queimadas na Amazônia. Na madrugada,
e ainda há quase 10 milhões com o auxílio emergencial em ele leu muitas coisas falando do despreparo de Bolsonaro para a
análise. A crise da COVID-19 já afeta 1 em cada 4 trabalhadores atual situação. Porém, as críticas do Mourão ao STF feitas ontem
com carteira assinada: 1,1 milhão foram demitidos e 8,1 milhões preocupam. Será que estão abrindo caminho para impugnar a
tiveram contrato suspenso ou salário reduzido. chapa?
As regiões Norte e Nordeste do Brasil são as que possuem Notícias da política brasileira: ao que parece, empresários
o maior número de óbitos por COVID-19, provavelmente devido apoiadores de Bolsonaro, do grupo “Brasil 200”, ajuda a
à falta de estrutura médica e à carência em comparação ao Sul e disseminar fake news e outros materiais para atacar as instituições
Sudeste. democráticas.
Um estudo do Núcleo de Operações e Inteligência em O ex-secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson
Saúde, da PUC-Rio, mostrou que a chance de um paciente negro de Oliveira, publicou hoje, na internet, uma carta de despedida,
e analfabeto morrer em decorrência da COVID-19 é 3,8 vezes na qual dizia que “no meio do caminho tinha uma pedra”, usando
maiores do que a de um paciente branco com nível superior, o poema de Drummond para se referir a Bolsonaro.
demonstrando o impacto da desigualdade social na crise sanitária.
Em abril e maio, durante a pandemia, o presidente assinou
Essa situação, por si, já seria suficientemente revoltante. Só que
uma portaria que relaxa a fiscalização e a compra de munições e
sabemos que a população negra morre mais, não apenas devido
acionou a Receita para que as igrejas deixem de pagar dívidas à
ao vírus em questão, mas também à violência institucional.
União. O Governo também exonerou servidores do Ibama que
A cidade do Rio muda a forma de contar os mortos. No coordenavam operações de fiscalização contra o garimpo ilegal.
Rio não se sabe quantos morreram. Ontem, saíram duas

174 175
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Aparentemente, a agenda conservadora, que elegeu o presidente, Chegamos ao fim do nosso diário de 150 dias, embora
continuou a ser colocada em prática, mesmo quando o foco saibamos que ainda há muito por acontecer em relação à
principal das preocupações do governo deveria ser o combate à pandemia no Brasil e no Mundo. Através da nossa narrativa e dos
COVID-19. Trump, por sua vez, tenta atacar o Twitter já que há textos que produzimos nesta jornada, tentamos levantar nossa
dois dias atrás a rede mostrou que ele estava disseminando fake voz em meio ao caos atual, desejando chamar a atenção para as
news sobre o sistema eleitoral americano. ameaças à nossa democracia, para o perigo da infodemia e das
Agora, a Marinha decidiu se pronunciar sobre o vídeo da fake news, para a desigualdade que se acentua entre os diferentes
reunião ministerial, repudiando a decisão do ministro Celso grupos sociais diante dessa crise, para os perigos de não se dar
de Mello de divulgá-lo. Além disso, alegam que a suspensão ouvidos à ciência.
da nomeação de Alexandre Ramagem para a Polícia Federal, a Apesar de nosso esforço de organização desse pandemônio,
contragosto de Bolsonaro, é uma usurpação das competências o leitor ou leitora por vezes pode ter se sentido sufocado pela
do presidente. Estes oficiais apoiam o general Augusto Heleno cascata de informação, pela velocidade e gravidade dos eventos.
em relação o fato de que a apreensão do celular do presidente é Remover completamente essa sensação de asfixia do texto seria
“inconcebível”. falsificar a realidade que vivenciamos e desonrar a memória
O que nos impressiona, negativamente, é que, mesmo com de todas e todos que hoje são impedidos de respirar seja pela
toda a péssima atuação do governo, em especial do presidente, COVID-19, seja pelos podres poderes dos humanos.
durante a pandemia , ainda há muitas pessoas que o apoiam. Ao final de nosso percurso, gostaríamos de fazer uma
Uma pesquisa do Atlas Político, divulgada ontem, diz que pausa para lembrar a todos e todas que se foram e os muitos
58,1% dos brasileiros avaliam a sua gestão como ruim ou que, infelizmente, ainda serão atingidos pela pandemia.
péssima, mas que de abril para maio houve um ligeiro aumento
na aprovação: em abril 30,5 dos entrevistados o apoiavam, em
maio o número sobe para 32,9%. Segundo o Datafolha, 43% da
#fiqueemcasa
população é contrária ao presidente, mas 33% é favorável a ele.
De acordo com esta última pesquisa, a maioria dos apoiadores
do presidente é composta por empresários, moradores do
Centro-Oeste/Norte e pessoas que ganham mais de dez salários
mínimos. Já, os contrários ao presidente, são, em sua maioria,
estudantes, pessoas com ensino superior e moradores do
Nordeste. Aparentemente há, no bolsonarismo, um núcleo duro
de aproximadamente 20% a 30% da população, núcleo este que
não se abala com o número de mortos pela pandemia, nem pelas
claras ameaças à democracia. Ou, pode ser que parte desses
números tenham relação com o auxílio emergencial.
**

176 177
Parte II
Crônicas Atualistas:
vivendo no limite da agitação
1
Bolsonaro perde ou ganha com a
pandemia?1
É chocante e revoltante ver a autoridade máxima do nosso país
brincando com a morte alheia

Temos acordado com a sensação de que pouco podemos


fazer para reverter possíveis tragédias, já que a onda mais forte
da crise se aproxima. Ao que nos parece, o Presidente aposta que
o seu futuro político depende mais do controle das narrativas
em sua base de apoio do que da realidade da pandemia. Se o
cenário for controlado pelas políticas de isolamento, que ele
tanto critica, ele vai reafirmar o tema da “gripezinha”; e se a
situação sair de controle, haverá a herança maldita petista e os
chineses para culpar.
O que parece certo, no entanto, é que a máquina de
comunicação atualista, montada pelo bolsonarismo, estará pronta
para explorar qualquer cenário. Em 2016, para exemplificar o
quão fiel era sua base de apoio, Trump disse que poderia atirar em
alguém no meio da rua que, ainda assim, não perderia um voto.
Bolsonaro tem exposto seus os apoiadores ao vírus diariamente
e, até agora, não parece ter perdido muitos votos.
Para garantir esse nível inédito de fidelidade, é preciso
manter um fluxo incessante de narrativas que moldem a realidade
aos interesses do líder atualista e de sua base. É preciso ainda
que o líder e a base sintam-se um só. De certa forma, Bolsonaro
não apenas representa sua base de apoio, ele a corporifica, por
isso essa necessidade contínua de exibição de apoio mútuo em
1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 14/04/2020

181
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

manifestações públicas. Enquanto escrevemos estas linhas, em o mesmo, ou seja 36%. Pesquisa do Ideia Big Data, do mesmo
11/04/2020, a imprensa noticia mais uma quebra da quarentena, dia, indicava percentuais semelhantes.
com o Presidente aglomerando apoiadores em visita à obra de O que aconteceu, já que a popularidade do Presidente
hospital de campanha em Goiás. estava caindo? Como bem mostra um artigo do site da revista
Em nosso diário, escrevemos sobre a experiência do tempo Piaui, assinada por José Roberto de Toledo, Bolsonaro fez duas
atualista e de como ela se relaciona com a digitalização da realidade mudanças táticas: moderou o discurso, mas só para inglês ver;
e a realidade digital. Pois bem, afirmamos que essa experiência e mudou a agenda, ao passar a defender, ainda mais, o remédio
tem relação direta com a infodemia. A explosão de notícias em milagroso para a cura da COVID-19: a cloroquina.
fluxo contínuo é um fenômeno que evoluiu com a Internet e No pronunciamento, também no dia 08, ele chegou a
o capitalismo de vigilância. Nesse processo, percebemos que o elogiar o médico do ex-presidente Lula, que afirmou ter utilizado
valor de verdade é constantemente confundido com o valor de a cloroquina em seu tratamento, acompanhado por outros
novidade ou atualização da informação recebida. médicos. No mesmo discurso, ele se solidarizou, pela primeira
Essa estrutura atualista impede que o passado, mesmo o vez, com a família das vítimas. Além disso, reafirmou que a
mais recente, seja trazido à reflexão. Outro elemento que parece responsabilidade do isolamento é dos governadores e voltou a
sustentar essa forma de comunicação é o diagnóstico em tempo fazer oposição ao seu próprio Ministro da Saúde.
real dos valores e disposições das bases de apoio. Esse diagnóstico Nesse movimento, como em outros, Bolsonaro segue de
está amparado em novos e velhos canais, desde a sinergia com perto a agenda de Trump, com diferenças acessórias e de ênfase.
os líderes evangélicos, militares e grupos empresariais, até o uso No Brasil, Bolsonaro briga com Mandetta; nos EUA, Trump
legal e ilegal do mapeamento e manipulação de dados digitais. seguidamente desautoriza e é desautorizado pelo Dr. Anthony
E não é justamente isso que Bolsonaro tem feito nas últimas S. Fauci, especialista médico da Casa Branca. O Dr. Fauci teve,
semanas? A oscilação em suas afirmações e uma certa revisão da inclusive, sua segurança pessoal reforçada, após receber diversas
postura negacionista, como o fato de nomear a COVID-19 de ameaças de morte por parte de apoiadores de Trump os quais
“gripezinha”, certamente têm a ver com a percepção, por parte acreditam que as medidas de quarentena fazem parte de um
de sua equipe, da queda de sua popularidade, em especial, entre complô para sabotar o Presidente.
os mais ricos. Em ambos os casos os Presidentes lucram por supostamente
Mas, ainda assim, seus índices de aprovação têm ficado mais terem escolhido um técnico competente à frente da resposta à
ou menos estáveis, variando entre 33% a 40%, considerando crise e, ao mesmo tempo, alimentam-se de teorias da conspiração
as margens de erro. Uma pesquisa do Datafolha do dia 08/04 contra esses mesmos técnicos. A insistência de Trump nos
mostrava que 83% das pessoas que votaram em Bolsonaro, no poderes de cura da hidroxicloroquina motivou o The New York
segundo turno, não se arrependeram do voto. 33% achavam ótima Times a publicar, no dia 9 de abril, uma matéria especial sobre
ou boa a conduta do Presidente na atual crise e 25% achavam os mitos envolvendo a droga que começa com a seguinte frase:
regular, isto é, a maioria. Para 39% a conduta do Presidente na “Não há provas de que qualquer droga possa curar ou prevenir a
crise era ruim ou péssima. Considerando a margem de erro de 3 infecção do coronavírus”. Enquanto isso, no Twitter brasileiro,
pontos, é possível que o número de aprovação e reprovação fosse diversas pessoas publicam em seus perfis o mesmo relato de

182 183
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

cura de um mesmo primo, que depois se tornaria um meme. Fica atuação do presidente estão mais presentes no espaço público e
a pergunta: quantos apoiadores do presidente estão dispostos a na mídia. Até mesmo nos muros das grandes cidades, como na
espalhar mentiras para defender suas narrativas? marginal Pinheiros, em 10/04, em São Paulo:

Fonte: Nexo Jornal.

Ainda assim, acreditamos que ele ganhará mais se a crise


epidêmica for menor.
Fonte: Twitter.
E o impeachment?
No momento, parece ser uma opção difícil de se concretizar,
Nos dias 08 e 09 o Jornal Nacional mostrava que efeitos até porque a base bolsonarista continua mobilizada e disposta
da ação de Bolsonaro eram a diminuição e o relaxamento do a lutar e defender seu Presidente. Difícil avaliar a extensão do
isolamento social. Enquanto isso, em três investidas, até o dia trauma que uma interrupção precoce de mandato provocaria
11, o Presidente provocava aglomerações em passagens por em uma base tão fiel. E caso aconteça, esse fato realizaria as
espaços públicos. E em sua live, no Facebook, no dia 08, faz uma fantasias de perseguição e conspiração.
provocação, ao afirmar que queixas sobre a quarentena devem Mesmo na esquerda há quem duvide que a substituição de
ser encaminhadas aos governadores. Bolsonaro por Mourão representaria algum avanço. As elites do
O cálculo parece ser o seguinte: caso o número de mortes atraso, ditas ilustradas, que se distanciaram do bolsonarismo,
seja elevado e ainda que a sua popularidade caia, é provável que podem voltar a se aproximar, particularmente quando a agenda
ele diga que o isolamento não funcionou. Caso o desdobramento do ajuste fiscal ressurgir como a panaceia para a crise econômica.
da pandemia não seja tão trágico, ele vai atribuir aos governadores Afinal, as direitas mundiais têm sido eficazes em reagrupar, com
a crise econômica, além da imprensa por ter causado a “histeria”. agilidade, os setores obsoletos e atualizados em seus campos.
Ou seja, é possível que ele ganhe (ou lucre) em qualquer A questão, portanto, é entender o bolsonarismo.
que seja o cenário, mesmo com e apesar do “isolamento” atual. A esse respeito, destacamos o áudio recebido de um amigo,
Ainda assim, paradoxalmente, ele sai dessa crise mais fraco acerca do nosso texto, sobre os 100 primeiros dias da pandemia.
do que entrou. Certamente o vírus, em 3 meses, causou mais De acordo com ele, nós, os autores, estamos ajudando a jogar o
danos em sua imagem e em seu governo do que a oposição em 1 país no buraco, pois só criticamos o Presidente, coisa que, ainda
ano. Além disso, desde o dia 10/04, as panelas e vozes contra a

184 185
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

segundo ele, não acontecia com a “p*ta da Dilma”. As mídias


estariam interessadas em derrubar o presidente, em especial a
Rede Globo. “Em vez de falar sobre Bolsonaro, ‘vocês’ deveriam
alertar as pessoas não sobre as mortes, mas sim sobre os doentes
que se recuperaram da COVID-19; alertar que quem é jovem
deve trabalhar e quem deve ficar em casa é ‘velho’”.
Ele tem medo de que o Brasil vire uma Cuba ou Venezuela.
Nosso amigo grita, ainda, que a oposição deveria respeitar o
Fonte: WhatsApp.
presidente e deixá-lo governar, que a esquerda e os comunistas
devem ser extintos do Brasil: esse parece ser o desejo com maior
Articular o bolsonarismo com o atual capitalismo de
conteúdo emocional, embora comunista possa ser qualquer
vigilância pode contribuir para superar certas ilusões. Como
coisa nesse tipo de discurso, não há um contorno ideológico
a de que a democracia brasileira havia se consolidado e estava
claro. Repete, quase em transe, diversos temas da propaganda
sólida. Ilusão que levou a maioria do campo progressista a não
bolsonarista: a crise é apenas um pretexto para derrubar o
ver o ativismo de direita e centro-direita, particularmente após
presidente; a quarentena é uma forma de implantar o comunismo
2013. Desse modo, é preciso entender que o negacionismo
no Brasil, já que ele não pode dispor de seu negócio, não pode
bolsonarista não admite seu aspecto irracional ou anticientífico,
ir e vir.
ao contrário, alimenta as expectativas de que uma “ciência
Infelizmente, essa reação não parece ser um caso extremo
verdadeira” legitima suas narrativas.
ou isolado. Então, fica a pergunta: qual é o espaço para diálogo e
Diante disso, podemos nos perguntar até que ponto
argumentação com este tipo de reação? Qual percentual da base
vivemos uma real guerra de ideologias e até que ponto as
bolsonarista chegou a esse ponto de radicalização que parece
estratégias deliberadas de desinformação tornam mesmo
sem volta? Alguma mudança na realidade poderá quebrar esse
impossível falarmos em ideologias. Também não sabemos até
círculo de fidelidade e identificação emocional?
onde figuras como Bolsonaro e Olavo de Carvalho apresentam
Nas redes bolsonaristas, os comunistas chineses são os
um grande conhecimento intuitivo e um controle “carismático”
inimigos da vez. Ainda mais com o PT e o Lula sumidos do
sobre seus seguidores.
noticiário. Tudo isso pode ser visto em imagens que circulam
Na atual guerra cultural, talvez o primeiro passo a ser dado
nos grupos de WhatsApp:
por uma parcela significativa da esquerda, seja reconhecer a
derrota, isto é, aceitar que o bolsonarismo tem uma base social
que o apoia e o defende ativamente, apesar da nossa tendência
em não querer aceitar. Isso significa compreender que a atual
pandemia, assim como o bolsonarismo, se articulam com um
dado de fundo: a tragédia humana produzida pelo capitalismo
em seu estágio digital. Muitas pessoas que tiveram e têm as suas

186 187
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

vidas destruídas por esse modelo econômico, desigual e cruel,


tiveram esperanças de transformação a partir da voz de Bolsonaro.
Do nosso ponto de vista, as vítimas desse modelo econômico
2
são alvos fáceis para a desinformação, que deve ser separada da
apropriação espontânea das narrativas e dos discursos de ódio.
Considerando o grave momento que vive a humanidade,
gostaríamos de não ter que discutir os ganhos ou perdas das
irresponsáveis disputas políticas de Bolsonaro, em um cenário
em que o mais relevante é, no final das contas, a luta pela
sobrevivência da vida humana, sem distinção de credo étnico, Fonte: Facebook.

religioso ou político. Isso, já sabendo que as pessoas negras,


pardas, indígenas e pobres, tanto no Brasil como em outras partes
do mundo, estão sendo e serão as mais atingidas, infelizmente.
Somos Todos Brothers! Bolsonarismo e
Bolsonaro não irá cair de maduro, como muitos esperam. vigilância digital1
E a sua reeleição não é algo inviável, como muitos acreditam.
Quem herdará as estruturas do capitalismo de vigilância
Despidos de qualquer teoria, ou paixão política, podemos dizer aperfeiçoadas para o combate à Covid-19?
que é chocante e revoltante ver a autoridade máxima do nosso
país brincando com a morte alheia. Infelizmente, enquanto não Assim como o vírus da COVID-19 se infiltrou em
formos capazes de voltar a ter algum controle coletivo sobre a nossos cotidianos, de maneira lenta e silenciosa até se tornar
produção e a circulação de dados e informações, os políticos o assunto dominante, o bolsonarismo saiu de zonas cinzentas
atualistas continuarão a dobrar a realidade a seu favor. Até da sociedade brasileira, como que mercados Huanan de ideias e
breve! E fiquem em casa! comportamentos, para se tornar uma síndrome determinante de
nossa vida política e social.
Mesmo que essa reflexão tenha sido motivada pela
pandemia, nas condições atuais do Brasil somos obrigados a
tratar o Presidente como parte do problema. A pandemia parece
ter tornado visível o parasita que ameaça a nossa existência
como sociedade organizada. Quais as condições ambientais que
permitiram o surto bolsonarista? Como essas condições poderão
ser afetadas pelas consequências da pandemia? E como a polêmica
sobre o monitoramento de celulares se relaciona com isso?
Podemos definir os elementos desse ambiente de muitas
formas, pois ele é dinâmico e nem todos os seus componentes
1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 20/04/2020.

188 189
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

são novos. Apenas para nos orientarmos, vamos listar alguns robôs surpreendeu poucas pessoas. Desde a eleição de 2018, as
dos elementos que permitiram o surto bolsonarista: denúncias de uso ilegal das redes sociais têm se multiplicado sem
1. A ideologia neoliberal e seus magnatas-mecenas, que, gerar grandes consequências legais ou políticas. Poucas grandes
desde os anos 1970, financiam iniciativas cujo único empresas, todas elas estadunidenses, controlam efetivamente a
objetivo é enfraquecer os estados-nacionais e facilitar a realidade digital. A Google, dona do Youtube e de uma máquina
maior concentração de riquezas da história humana; de anúncios baseados em dados dos seus usuários, Facebook, que
2. O fracasso dos sistemas educacionais em oferecer também controla o WhatsApp e o Instagram, Twitter, Apple e
ferramentas críticas que sejam capazes de proteger a Amazon. Pouco tem sido feito para limitar o uso abusivo de suas
cidadania das formas mais básicas de manipulação e plataformas, aliás, elas mesmas têm sido acusadas de abusarem
propaganda; do enorme poder que acumulam.

3. Uma cultura pública que continuamente celebra o Mas afinal, que poder é esse?
individualismo e a competição como únicas formas legítimas Shoshana Zuboff, em seu livro A era do capitalismo de
de interação entre as pessoas (enquanto escrevemos estas vigilância, afirma que 2008 foi o momento-chave de tomada de
linhas, o assunto mais discutido no Brasil é a vigésima consciência de uma nova forma de dominação. Pressionadas pela
edição do Big Brother. Temporariamente, o Jornal Nacional recessão, as empresas de tecnologia precisavam provar que eram
passou a falar dos nomes grandes empresas que estão capazes de gerar os enormes lucros que prometiam. A saída
fazendo doações para combater a epidemia em nome da encontrada pela Google foi relaxar suas políticas de privacidade,
solidariedade; por essa lógica a solidariedade é sempre de modo que pudesse usar mais livremente o enorme volume de
vista como caridade). dados que coletava sobre o comportamentos de seus usuários.
4. A tolerância da sociedade e seus representantes com Todos já devem ter lido alguma solicitação ao instalar um
a manipulação da religião, em particular nas vertentes programa ou um novo recurso no computador, tablet ou celular,
neopentecostais, que se tornaram verdadeiro projetos cujo teor promete que a cessão das informações teria como
de poder que misturam fé, cultura, fundamentalismo, objetivo a melhoria do serviço. Esses contratos ficaram cada vez
negacionismo, interesses corporativo-comerciais e política; e, mais longos e ilegíveis, na medida em que foram sendo ampliados
5. Por fim, mas sem querer esgotar a lista, as diversas os direitos das empresas sobre as informações confidenciais que
ondas da revolução digital que desde os anos 1970 vêm estavam autorizadas quando o usuário clicava “eu concordo”.
se acelerando. A partir do novo milênio, esse universo Legitimadas pela ideia da melhoria do serviço, as grandes
digital parece ter dado lugar a uma nova variedade de corporações estavam, na verdade, acumulando um enorme
capitalismo que a socióloga Shoshana Zuboff tem chamado “excedente comportamental”, isto é, um volume maciço de
de capitalismo de vigilância. dados sobre nossa intimidade, que pouco tinha a ver com os
Hoje trataremos deste último item! serviços, mas, sim, com a formatação de novos produtos para
clientes corporativos e grupos políticos. A ponta desse iceberg
O estudo conjunto da UFRJ-FespSP que apontou que 55%
ficou visível para todos no escândalo da Cambridge Analytica, a
das postagens no Twitter a favor do presidente são feitas por
empresa que roubou informações pessoais de mais de 87 milhões

190 191
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

de usuários do Facebook e as usou para formular e direcionar situação idêntica a da Aware Home, com a grande diferença de
propaganda política em eleições como a de Trump e o plebiscito que os dados coletados e seu processamento em tempo real, por
que decidiu pela saída do Reino Unido da União Europeia, o Inteligências Artificiais, estão, em sua maior parte, inacessíveis
chamado BrExit. para nós mesmos e sob controle exclusivo das corporações ou
Em alguma medida, a promessa de melhoria dos serviços dos hackers e empresas que conseguem burlar seus sistemas
tem sido cumprida, mas os dados que estamos constantemente de proteção. As grandes corporações usam essa avalanche de
cedendo para as empresas têm sido usados com outros objetivos. dados, em tempo real, processados por um gigantesco poder
A Google descobriu e aperfeiçoou essa nova modalidade de computacional, para antecipar e induzir comportamentos.
capitalismo, quando percebeu que poderia descobrir os estados
emocionais das pessoas a partir de erros ortográficos e outros
detalhes, quando os usuários digitam termos de pesquisa em seu
serviço de busca. Esse processo foi aprofundado com a criação
do Gmail em 1o. de abril de 2004, que permite a coleta de dados
pessoais e a personalização de anúncios eletrônicos. A venda de
anúncios, com base nesses dados, logo passaria a ser a principal
fonte de lucro da empresa.
Zuboff nos dá um exemplo de como passamos rapidamente
da utopia para a distopia digital. No ano 2000, foi lançado um
experimento chamado “Aware Home” (Lar Consciente), que Fonte: Facebook
acoplava um conjunto de sensores a aparelhos e moradores
de uma determinada residência em uma rede local. Era um Enquanto o capitalismo clássico estaria assentado em
experimento de computação omnipresencial que antecipava o vários níveis de reciprocidade com a sociedade, inclusive certa
que depois ficou conhecido como internet das coisas. ligação com instituições liberais-democráticas, o capitalismo
Em 2018, o mercado das chamadas casas inteligentes de vigilância teria quebrado essas reciprocidades. A ideologia
foi avaliado em 36 bilhões de dólares. Ele envolve assistentes neoliberal, que se expandiu a partir dos anos 1970, contribuiu
de voz, como o Google Home, e o Alexa, da Amazon, ambos para alimentar esse divórcio, dando lugar ao que Zuboff chama
já envolvidos em denúncias de invasão de privacidade, mas, de mutação espúria do capitalismo.
também, uma infinidade de aparelhos inteligentes, como Não queremos concluir aqui que o Bolsonarismo é um
interruptores, lâmpadas e câmeras de vigilância, tudo 24 horas agente infiltrado do capitalismo de vigilância, apenas que ele
on-line. parasita esse ambiente de modo bem-sucedido, sem ameaçar o
Mas havia uma diferença ética e política fundamental no hospedeiro. Até certo ponto essa relação tem sido simbiótica,
experimento do ano 2000: todos os dados gerados sobre cada um beneficiando os dois em algum sentido.
dos moradores estavam disponível apenas para eles mesmos. O A adesão e agitação digital promovidas pelo bolsonarismo
que temos chamado até aqui de capitalismo de vigilância é uma expande os bancos de dados das empresas do capitalismo de

192 193
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

vigilância que, por sua vez, são bastantes permissivas com os da jaula digital. Como na fotografia de Victor Moriyama,
pequenos abusos cometidos por seus usuários poderosos. a privacidade do lar ao qual fomos confinados é o grande
No caso do bolsonarismo, percebemos que ele cresceu laboratório do capitalismo de vigilância. Do dia para a noite
desde 2014, no início dos trabalhos da Comissão Nacional da ficou visível que, em alguma medida, somos todos membros
Verdade, a partir e no interior de uma comunidade de memória involuntários de um Big Brother global do qual não conhecemos
de negação do passado autoritário. E nunca nada foi feito para bem a audiência.
conter apologias e mentiras sobre a Ditadura, por exemplo.
Empresas como Facebook têm resistido a regular o uso de sua
plataforma para a disseminação de fake news por grandes agentes
políticos da nova direita global, como pode ser lido na matéria
do The Guardian de dezembro de 2019.
Em 29 de março de 2020, toda a imprensa noticiou a
decisão do Twitter de apagar duas postagens do perfil pessoal de
Jair Bolsonaro, alegando que o conteúdo contrariava orientações
das autoridades de saúde no combate à COVID-19. Nenhum
poder público havia solicitado a ação, mas, ainda assim, a
empresa decidiu agir: uma gota no oceano de notícias e perfis
falsos que infestam o Twitter, como mostrou a pesquisa que
citamos no começo da coluna. Longe de representar um avanço,
a decisão legítima a demanda das grandes corporações acerca de Fonte: Facebook
sua autorregulação e oculta os abusos em massa que toleram.
O cenário não é diferente no Youtube, no Facebook ou no O direito à privacidade e a própria existência de uma mente
WhatsApp. O Youtube tem sido amplamente condenado por usar individual inviolável foram condições para as liberdades políticas
um mecanismo de seleção de vídeos que reforça a polarização, conquistadas nos últimos séculos. Então nos perguntamos: o que
tudo isso em nome de maiores lucros. vai acontecer quando a mente e a intimidade estiverem em tempo
Como retomar o controle de nossas próprias vidas, de real monitoradas e condicionadas pelas grandes corporações ou
assumir de volta os projetos de futuro que teriam sido substituídos pelos estados de vigilância no modelo chinês?
pelos planejamentos corporativos, em sua cruzada antipolítica e Essa nova e súbita demanda por digitalização tem ampliado
pelas expectativas atualistas de que devemos deixar as decisões o interesse de grupos que até então mantinham-se a uma
coletivas para as máquinas inteligentes? A União Europeia e distância segura das redes sociais. Quem sabe se dessa nova
os estados da Califórnia aprovaram leis de proteção aos dados onda de interesse não possa também surgir uma consciência
pessoais que são um passo importante em uma longa batalha. mais aguda das reformas que precisamos fazer?
Antes que pudéssemos avançar muito nessa direção, a Quem herdará as estruturas do capitalismo de vigilância
pandemia nos tornou ainda mais dependentes das armadilhas que estão sendo aperfeiçoadas para o combate da pandemia?

194 195
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Ao longo de março e abril, vários países, inclusive o


Brasil, em parte, inspirados no modelo chinês e sul coreano,
montavam e ampliavam as suas estratégias de combate à
crise a partir de práticas de vigilância digital, por exemplo,
em relação à mobilidade, ao controle da temperatura corporal,
dos movimentos, dos batimentos cardíacos, e também dos
sinais de celular e dos acessos virtuais, entre outras ações. O
governo paulista recentemente anunciou um acordo com as Fonte: Facebook
quatro grandes operadoras locais para produzir mapas das
concentrações de pessoas pela cidade. No dia seguinte, o governo
federal desistia de iniciativa semelhante, ao que tudo indica, por
decisão direta do Presidente. Embora essa posição parece mudar
com a indicação de um nome de confiança do bolsonarismo para
o Ministério da Saúde. O novo Ministro, com fortes ligações com
Fabio Wajngarten, chefe da Secretaria Especial de Comunicação
Social (SECOM), já deu sinais de que conta com os sistemas de
vigilância para combater a pandemia.
Essas estruturas de vigilância ficarão cada vez mais
disponíveis aos Estados após a pandemia, independentemente
do tipo de governo, pois não se trata aqui de pensar a eficiência
no controle da pandemia a partir da dicotomia entre ditaduras
e democracias. Se a China parece ter sido bem-sucedida
utilizando-se de seu imenso controle social, a Coreia do Sul
também tem sido um exemplo exitoso em um ambiente mais
aberto e democrático. A dimensão da tragédia americana e,
possivelmente, a brasileira, se relaciona, diretamente, com a
ineficiência de seus governantes.
Enquanto fechamos a coluna, recebemos de um amigo
no WhatsApp um vídeo em que Flávio Bolsonaro divulga a
TV Bolsonaro. Através de um aplicativo, promete superar as
limitações que o Facebook estaria impondo aos bolsonaristas.
Mais um lance em um jogo de xadrez cuja complexidade cresce
a cada dia.

196 197
3
Depois de Moro,Guedes também cai1
É preciso pensar o quanto as previsões de agravamento da
tragédia da pandemia não podem também estar por trás desse
movimento de abandono do barco.

O título é parcialmente verdadeiro, pelo menos até as 16


horas do dia 24/04/2020 - dia em que o ex-juiz Sérgio Moro se
demite do governo Bolsonaro e faz acusações sérias ao presidente.
Alguns chegaram a dizer que se esperava apenas um pedido de
demissão, mas que fomos brindados com uma delação premiada.
O bolsonarismo sobreviverá ao divórcio com o lavajatismo? Ou
seja, o bolsonarismo raiz, obsoleto, conseguirá sobreviver, sem
alianças, com os setores “atualizados” da direita?
Vamos por partes. Primeiro Moro. Dizem que ele é um
ótimo jogador de xadrez. Ao que parece cansou de jogar com
o computador da IBM quando descobriu (que surpresa!) que a
equipe da IBM ficava atrás dos panos querendo acessos ilegais
ao jogo, ou melhor, aos relatórios e informações da inteligência
da Polícia Federal. É claro que, em tempos de capitalismo de
vigilância, o xadrez já não é o jogo da moda. O jogo se chama
Go. Mas, a inteligência artificial cumpre o seu papel em, por
exemplo, destruir as reputações de quem pula do barco.
Mas, os bons jogadores de xadrez, como se vê nesse
acontecimento, pulam do barco querendo levar consigo o capitão.
Já o capitão... se fosse um lutador de boxe, poderíamos dizer que
balançou com um cruzado da plateia, isto é, o vírus, e pelo juiz
da luta. O oponente, isto é, o lulismo ou mesmo a esquerda e
a centro-esquerda, continua só se defendendo dos seus ataques
1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 24 de abril de 2020

199
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

e movimentos, que produzem mais agitação e distração do que Assim, o discurso, em forma de projeto de uma sociedade
qualquer outra coisa. futura transparente, sem sombras, sem corrupção, sem
O lavajatismo, diferente do bolsonarismo, vive do discurso ilegalidades, não corresponde exatamente à prática dos seus
da transparência; a dos outros, é claro. Como permanecer em agentes, que se utilizam de ferramentas que seriam de controle
um governo em que o presidente quer ter acesso, nas sombras, a e transparência para objetivos obscuros e intransparentes, como
relatórios da Polícia Federal? O mestre do xadrez viu que não ia ficou claro nas relações espúrias de Moro com Dallagnol e os
para o STF e preferiu se guardar para a presidência, no momento procuradores da Lava Jato, na maior campanha de marketing
em que o seu aliado estava parcialmente enfraquecido pelo vírus? jurídico-jornalístico da nossa história recente.
Cansou dos olavistas? De algum modo, o funcionamento da Lava Jato não é muito
Na perspectiva do atualismo, como discutimos em nosso diferente do funcionamento da Google e dos capitalistas da
livro Atualismo 1.0, o desejo por transparência total é um dos vigilância. Eles pedem um acesso ilimitado à sua privacidade, à
traços perversos da era digital. A experiência do tempo atualista sua vida íntima, aos seus dados, ao seu telefone, ao seu celular,
implica em uma pressão por ser e estar atual. Em um mundo com a promessa de que isso vai resolver inúmeros problemas,
que tudo muda rapidamente, quem não tem medo de ficar por vai acabar com a corrupção, e terminam, na verdade, construindo
fora? De não saber o que atua, o que impacta em você e no grandes estruturas de poder e manipulação com as informações
seu tempo. O atualista confunde aquilo que nos impacta com que reúnem.
o que é noticiado infodemicamente. O atual se confunde com Ao que parece, Moro cansou da concorrência atroz e sem
as atualidades, ou seja, as atualizações em fluxo incessante limites do bolsonarismo, instituindo uma fissura na base que só
das notícias, pouco importa se verdadeiras ou falsas. Mas ser o tempo dirá o tamanho. Mas não nos enganemos! Ele voltará
contemporâneo, ou seja, atuar em seu tempo, transformá-lo, é com sua cruzada pela transparência e não seria improvável que
diferente de estar por dentro do fluxo incessante de notícias. ele encontre Bolsonaro para mais um duelo daqui a dois anos.
As diversas infodemias de nosso tempo nos impedem, muitas Em dois anos haverá ainda Bolsonaros?
vezes, de ver o acontecimento relevante. A saída de Moro é um A energia antissistêmica (contra tudo isso aí) se dividirá?
bom exemplo. Ela não é apenas uma notícia, uma atualidade. Como a máquina bolsonarista de caluniar vai atuar? Que
Ela é um acontecimento, porque altera o presente, o passado e narrativas serão construídas para tornar o ex-juiz mais um
o futuro. malvado que quer destruir o capitão? O quanto da base de
O discurso da transparência é uma das promessas do Bolsonaro estará disposta a desconstruir o ex-juiz de Curitiba?
lavajatismo, que, agora, parece abandonar o bolsonarismo. E daí O presidente promete “restaurar a verdade” às 17h. Aguardemos
que sabemos que o pedido de demissão de Moro é mais uma novas atualizações, mas fiquemos atentos para não nos deixar
jogada política do que qualquer revolta contra Bolsonaro. O levar pelo seu falso brilho.
escândalo do Intercept mostrou que o discurso da transparência Quinta, dia 23, quando a saída era ainda uma especulação,
é um cheque em branco que só vale quando usado a favor do ex- que alimentava o fluxo de notícia e a cortina de fumaça, já havia
juiz. Na cozinha da Lava-Jato, a intransparência foi a regra. um meme interessante circulando nos grupos de esquerda:

200 201
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Fonte: Twitter.
Fonte: WhatsApp.
Por outro lado, a campanha #Moro2020 já começou:
O meme mostra que o discurso anticomunista pode
colar em Moro? Difícil dizer. Mas não podemos subestimar
Bolsonaro. A alegria de muitos pode ser passageira. Não vamos
nos esquecer que nada aconteceu depois que a Globo divulgou
as gravações entre Joesley e Temer. Bolsonaro ficará mais livre
para continuar negociando com o centrão alguma maioria
que o permita sobreviver à pandemia e ao emagrecimento de
sua base? Seu governo será “temerizado”? Uma parte da base
sentirá, mas, ao que parece, continuará fiel. É o que mostram Fonte: Twitter.
esses dois aliados:
Nosso amigo bolsonarista continua #fechadocomBolsonaro: Nesse sentido, Guedes não deve sair por objetivos políticos.
“É foda. De todo jeito, véi, tá certo de uma maneira, Bolsonaro Mas, se saísse, seria também outro acontecimento. Talvez
não tinha que ter mandado o delegado embora não. Só mandou não saia por não entregar o que prometeu. Assim, a tendência
ele embora porque tava investigando o filho dele... E o filho dele é que ele continue a sua cruzada em destruir o Estado em prol
é um fdp mesmo, e ele foi salvar o filho dele, ele se f...eu. E o da concentração de renda e do aumento das desigualdades. O
Moro tomou as dores e saiu fora. Tá certo. Cabô. O foda é que tempo dirá. Já o bolsonarismo continuará a se alimentar de uma
não vai ter outra oportunidade igual a essa, de gente honesta memória revisionista da Ditadura Militar e do antipetismo. Talvez
igual Sérgio Moro lá em cima – e até as intenções do Bolsonaro até do antimorismo? O traidor? É preciso pensarmos o quanto as
foram fatídicas [sic] , mas... ele foi... nessa hora que é foda a ética previsões de agravamento da tragédia da pandemia não podem
e a moral. O imoral vai salvar o filho, o ético vai prender o filho. também estar por trás desse movimento de abandono do barco.
Eu também salvaria meu filho. Foderia minha vida por ele. Por Encerramos o texto às 16 h. Infelizmente, não estaremos
isso que eu sou imoral”. atualizados às 17 h., quando:

202 203
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

fase começa? Só um dos Ministros de máscara: Guedes. A próxima


vítima? Ao recordar o episódio em que Moro o ignora em encontro
casual em Brasília em 2017, o Presidente reescreve a história de
seu complicado relacionamento com Moro como uma espécie de
casamento por interesse. Enquanto Bolsonaro se apaixonou, o ex-
juiz queria apenas usar o seu corpinho presidencial.
A ideia central foi retirar as acusações políticas e policiais
Fonte: Twitter.
do centro da discussão. Quando recorre ao tema de que é difícil
Dizem que alegria de pobre dura pouco. Pode ser. As conviver com o Moro, ele simplifica a disputa a partir da metáfora
mortes no Brasil, causadas pela COVID-19, dobram a cada 5 do casamento, novamente. Seu discurso também reforçou a
dias. O ritmo parece superar os EUA e a Europa, mesmo com noção de que Moro é movido pelo ego, pela vaidade e não pela
as subnotificações. O caos político só piorará a vida dos mais causa pública, não pelo Brasil acima de tudo. A questão, para ele,
vulneráveis. Mas, se entregar ao riso é, também, inevitável, uma é que Moro tem intenção de afastá-lo do povo brasileiro.
forma mesmo de sobrevivência. Em mais um dia agitado da E fez até um balanço da relação, já deixando claro que Moro
política brasileira, fomos inundados com o fluxo de memes que agora é um inimigo. Talvez o grande inimigo, o homem que quer
não param de chegar. Parece que o atualismo é também uma tirá-lo da presidência.
estratégia do nosso tempo, para não morrermos de tédio, ou Bolsonaro nega que teria pedido acesso ao relatório de
medo. inteligência. Mas reivindicou a ideia de poder falar diretamente
com o chefe da Polícia Federal. E se reconcilia com sua base,
ao dizer que Moro criava dificuldades para o relaxamento da
posse de armas e da compra de munições, que era uma pauta
importante da campanha.
Síntese: Bolsonaro se mostra um mestre da comunicação
para a sua base. É fantasia e negação da realidade não ver esse
fato. Ele balançou, mas não caiu. Sua mensagem de combatente
Fonte: WhatsApp.
da corrupção foi reforçada. Um homem do povo, modesto e sem
3.1 - Bolsonaro e sua verdade sobre Moro2 ambições pessoais. Afinal, ele é a Constituição e uma vítima ao
mesmo tempo. Reconstrói a agenda e a relação com o oponente
Em sua resposta à fala de despedida de Moro, Bolsonaro
falso e vaidoso. Um discurso muito bem pensado, que nada
acerta para sua base! Se discordar do Presidente, tá fora. Bolsonaro
tem de improviso além da aparência. O Presidente deve ter
retoma as promessas de campanha e acusa Moro de ter um projeto
pensado nesse discurso desde o dia em que convidou Moro para
pessoal de poder. Faz um balanço do governo. Para que tanta
o ministério.
gente, todo o ministério, para demitir um subalterno? Uma nova
Muitos acharam a menção ao tema Marielle obscuro, mas a
2  Publicada no site: Jornalistas Livres em 24 de abril de 2020. Atualização às 19h da
coluna “Depois de Moro, Guedes também cai”, após a resposta de Bolsonaro comparação entre as duas investigações, da facada e de Marielle,

204 205
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

foi inúmeras vezes mobilizada pela base bolsonarista. Confirma


a sensação de que Bolsonaro, apesar de eleito, ainda é uma vítima
do sistema.
4

Fonte: ANPUH.

Bolsonaro quer uma história oficial


olavista. O que está por trás do veto
de Bolsonaro à regulamentação da
profissão de historiador?1
Foi publicado hoje, 27/04/2020, no diário Oficial da União,
o veto ao Projeto de Lei 4699/12, de autoria do senador Paulo
Paim (PT-RS) que regulamentava a profissão de historiador. O
PL foi aprovado pela Câmara e pelo Senado. Segundo o projeto,
poderiam exercer a atividade de historiador os diplomados
com curso superior, mestrado ou doutorado em História, com
linhas de pesquisas dedicadas à história, bem como profissionais
diplomados em outras áreas que comprovarem ter exercido a
profissão de historiador por mais de cinco anos.
A justificativa do veto por Bolsonaro, a partir de
recomendação pelo Ministério da Economia e AGU, afirma que
a PL 4699/12 restringe o livre exercício profissional e a livre
expressão. A alegação de inconstitucionalidade se deu no último
1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 27 de abril de 2020.

206 207
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

dia do prazo e em meio à guerra política deflagrada pela saída de dominando, assim, o futuro.
Moro do governo e à pandemia do coronavírus. O que pode estar Como perder esse prato cheio para as fake news e a
por trás dessa ação? desinformação? Trata-se, portanto, de mais uma ação do
O projeto visava garantir a presença de profissionais de bolsonarismo em sua cruzada para criar uma versão negacionista
história em arquivos, museus e outros lugares de história. Não de uma história única que interesse à sua agenda política.
havia nenhuma tentativa corporativa de criar monopólio de O bolsonarismo não sobrevive sem a negação, a revisão e a
exercício profissional. O projeto regulamentava a atuação desse manipulação da história, como as manifestações recentes com o
profissional em espaços onde a história é mobilizada, tendo em apoio do Presidente, pedindo a reedição do AI-5, nos mostram.
vista a lógica de regulamentação profissional brasileira. Pesquisa divulgada hoje, pelo Atlas Político, mostra que
O fato é que, independente de um debate filosófico sobre o 30% da população ainda aprova o governo de Jair Bolsonaro. E
tema, o que se pode constatar é que diversas profissões que atuam Bolsonaro governa para essa “pequena maioria”. E, no interior
em campos próximos, ou mesmo em áreas próximas, foram em desse projeto, a guerra cultural é peça-chave, pois o bolsonarismo
algum momento regulamentadas. Exemplos: arquivistas, desde precisa de um ambiente e de novas gerações favoráveis para que
1976; geógrafos, desde 1979; sociólogos, desde 1980; museólogos, o universo paralelo de desinformação mantenha seu público
desde 1984. Ou seja, porque a existência dessas profissões não doutrinado e cativo.
restringe o livre exercício profissional e a livre expressão? Não O caso Moro mostra que os fatos podem ser distorcidos
se trata, portanto, de inconstitucionalidade. Até porque o mesmo para se produzir uma narrativa de acordo com a conveniência
projeto foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça política do bolsonarismo. À medida que velhos aliados se tornem
e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados. Na época, a adversários, suas biografias são reescritas misturando verdades e
relatora do projeto, a deputada Fátima Bezerra argumentou que a mentiras, deslocando os fatos de seu contexto e produzindo um
exigência garantiria a qualidade do ensino: “quem ganha com isso conjunto que é simplesmente falso. É um projeto de uma falsa
é o estudante, quem ganha com isso é a educação”. história escrita de acordo com a conveniência dos poderosos,
A luta da Associação Nacional de História (ANPUH) é sem fontes, sem crítica, impulsionada por uma máquina de
longa. E, como se vê, vários governos se omitiram nessa questão. propaganda. O poder de veto das fontes, tão caro aos historiadores
Mas, o ponto é: o porquê desse veto agora? e historiadoras, pouco importa.
Sem meias verdades: o que está por trás dele é a produção Uma parte do núcleo duro do bolsonarismo nasceu
de conteúdo histórico por aparelhos de propaganda olavistas e o da comunidade de memória da negação da Ditadura. Essa
bolsonaristas. E aí estamos falando de um mercado milionário, comunidade de memória é especialista em criar simulacros de
em especial, dos livros didáticos para educação básica, comprados verdade, a fim de legitimar a impunidade, a mentira, os abusos
pelo MEC. e as distorções de memória. Para esse tipo fundamentalista, a
Em poucas palavras: esse veto pode ajudar a monetizar memória inventada da comunidade em si tem mais importância
ainda mais o chamado “Gabinete do Ódio”! Enfraquecendo a que a verdade, mesmo que ela negue e/ou revise, isto é, que não
ciência histórica, os bolsonaristas esperam poder vender sem aceite e distorça a factualidade do que ocorreu anteriormente
concorrência suas mentiras acerca de nosso passado e presente, para os combates do presente.

208 209
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Não podemos esquecer a exaltação ao torturador Ustra, Cada profissão tem sua especificidade e historicidade. Nem
feita por Bolsonaro, durante a votação do impeachment, em 2016. todos são favoráveis às regulamentações profissionais. Mas, no
Nem a sua tentativa de reescrever e reinterpretar a história contexto atual, esse veto, como procuramos demonstrar, é, antes
recente do Brasil. Afinal, dentro (e fora) da “Razão de Estado”, de tudo, político.
ontem (e ainda hoje) era (e é) possível justificar o injustificável: Como disse nosso colega de UFOP e professor de História
tortura e assassinatos. A pesquisa histórica contemporânea Antiga, Fábio Faversani, “eu, pessoalmente, era contra a
demonstra que a tortura e a prática dos desaparecimentos foram regulamentação. Mas a aprovação da lei que regulamenta
uma política de Estado durante a Ditadura Militar (1964-1985). nossa profissão é uma conquista não só da categoria (discutida
E são evidências como essas que o bolsonarismo pretende amplamente em um sem número de encontros da Associação
reescrever em seu projeto de curto, médio e longo prazo. Nacional de História e tantos outros), mas também uma
O veto à regulamentação da profissão de historiador é salvaguarda da sociedade (na medida em que foi aprovada
oportuno para os bolsonaristas, pois contribui para desvalorizar no Parlamento). O veto a essa lei é mais um ato autoritário e
as Ciências Humanas, justificando o corte de bolsas promovidos desrespeitoso com a sociedade e com o Parlamento”.
pelo Ministério da Educação. Essa redução das bolsas não é apenas Temos a oportunidade de pressionar a Câmara e o Senado
uma medida econômica do governo, mas também ideológica, para derrubar o veto, que é um ataque a historiografia científica,
visto que o ministro Abraham Weintraub já se manifestou várias aos profissionais da história e a todos/as professores/as que
vezes em suas redes sociais, de modo a destilar ódio contra os estão em sala de aula em todos os níveis de ensino, zelando pelo
estudantes de Filosofia, História, Ciências Sociais, Letras e áreas patrimônio comum que é a história nacional e mundial.
afins.
A desvalorização de uma história científica e profissional
contribui para a profusão de vídeos olavistas como os produzidos
pelo canal Brasil Paralelo, no YouTube, que pretendem revelar
“uma história verdadeira” de vários aspectos da sociedade
brasileira, mas produzindo propaganda política com objetivos
de doutrinação, sem qualquer compromisso científico ou
profissional.
Nesse momento, toda a sociedade civil que discorda desta
iniciativa tem o dever cívico de pressionar seu parlamentar para
derrubar esse veto. A regulamentação de uma profissão cria
responsabilidades do serviço ofertado à sociedade. Um governo
que não acredita na ciência e tem visão privatista certamente
prefere as desregulamentações às regulamentações. Não quer
correr o risco de ter de responder por seus crimes contra a
história.

210 211
5

Fonte: Facebook

A saída de Moro dividiu, mas o vício


em fake news reunirá o enxame
bolsonarista1
Apesar de as últimas pesquisas apontarem certa divisão na
direita, ainda é difícil saber o quanto da base que rachou,
para apoiar Sérgio Moro, resistirá ao afastamento do enxame
bolsonarista.

Na conversa de WhatsApp entre Moro e Bolsonaro,


mostrada pelo próprio ex-juiz, lemos que o Presidente utilizou o
inquérito das fake news no STF para justificar a troca no comando
da Polícia Federal. Ora, por que Bolsonaro está preocupado com
o inquérito das fakes news no STF? Certamente não é apenas pelo
fato de as investigações estarem se aproximando de seu filho
Carlos. Os desdobramentos do inquérito podem enfraquecer uma
das estruturas que mais sustentam o bolsonarismo. Vejamos.
As fake news se alimentam de um discurso do “contra
tudo o que está aí”, que tem muitas causas, como o desgaste
produzido pelos achismos impulsionados pela cultura do like e
1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 6 de maio 2020.

213
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

do comentário on line, até a baixa confiança que há muito tempo o colapso da saúde em Manaus realmente existe? Em muitos
vem desgastando o papel das mídias e de outras instituições casos, só o fato de a notícia sobre as mortes em Manaus ser
democráticas, como a política institucional e mesmo a ciência. A veiculada pelo Jornal Nacional faz com que perca credibilidade
pandemia tem sido um alerta para o risco que a banalização do ou se torna uma verdade inconveniente a ser ocultada. Esses
desmonte de toda e qualquer autoridade pode trazer. Assistir aos comportamentos nos mostram, pelo menos, dois aspectos a
populistas, como Bolsonaro e Trump, desafiando abertamente serem considerados: o das pessoas que são enganadas e o das
a ciência e as verdades mais bem estabelecidas e, ainda assim, pessoas que querem se enganar, pois consideram as notícias não
serem ouvidos, deixou de ser apenas curioso para se tornar uma apenas um elemento para formar opinião e decidir, mas uma
ameaça a nossa existência. arma na briga de torcidas que se tornou a política em tempos de
A desconstrução da ciência pelo novo populismo assenta polarização.
em teorias conspiratórias nas quais uma suposta verdade real
teria sido ocultada por estruturas de poder. Assim, agendas como
o revisionismo da ditadura militar, o movimento antivacina, a
denúncia da indústria da multa, a invenção da ideologia de gênero
nas escolas, o ensino domiciliar e a crença na Terra plana são
quase sempre acompanhadas de uma pseudociência, de pseudos
ou quase-cientistas, bem como de estratégias de desinformação
e mobilização identitária e emocional.
O negacionismo bolsonarista não admite seu aspecto
irracional ou anticientífico; ao contrário, alimenta as expectativas
de que uma ciência verdadeira legitima suas narrativas e delírios.
E sempre haverá uma pseudo-autoridade para dar um verniz
de ciência à mais absurda das teorias. Quando já não podem
sustentar suas farsas, os bolsonaristas recorrem ao argumento
Fonte: WhatsApp.
da liberdade de expressão, sempre a partir de um entendimento
tão falso e deturpado quanto o de suas pseudo-teorias. Liberdade Assim, aqueles que se informam pelo Jornal da Record ou pelo
de expressão torna-se, então, direito à impunidade e a opinião Jornal Nacional estão cada vez menos interessados na realidade e
um mero achismo. mais em como usá-la, para fortalecer suas identidades e crenças.
Vale ressaltar que opinião é um juízo que resulta de um Afinal, os mesmos fatos dão lugar a climas e narrativas muito
processo de conhecimento, o qual envolve ações como ler e ouvir distintas em cada emissora de TV, a depender das ênfases
pessoas qualificadas; já o achismo é o livre exercício da ignorância dadas, de como o noticiário é editado e de como os âncoras e
individual sem qualquer compromisso com a realidade. comentaristas se comportam.
Mas, como separar o joio do trigo ou, no nosso caso, a notícia A tendência ao achismo disfarçado de jornalismo, muito
da falsa notícia? Como convencer um apoiador de Bolsonaro que piorado com a expansão dos canais de notícias 24hs, também

214 215
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

contribuiu para a confusão generalizada. A notícia tornou-se de atualizações, o que cria uma sensação de urgência e impede a
um entretenimento que mais reforça convicções do que forma escolha e a seleção do que deveria ser relevante.
opinião. A desconfiança fanática da autoridade vem disfarçada por A popularização recente da palavra atualizar mostra o
uma retórica que simula o pensamento crítico. Todos “sabem” quanto estamos diante de um fenômeno novo. É somente entre
agora que os interesses da Rede Globo afetam a forma como as décadas de 1960 e 1970 que as ocorrências da palavra, em
seus telejornais noticiam, mas essa “crença” substitui qualquer inglês (update) e em português (atualização) se multiplicam e o
esforço de análise individual do que é noticiado. Um juízo que uso associado à cultura do computador começa a definir melhor
inicialmente até poderia ser crítico, torna-se um dogma. o seu sentido. Desde então, a ideia de atualizar passou a ser
Além disso, os comentários, em tempo real, em canais do uma espécie de remédio para todos os males e preocupação.
Youtube que replicam ao vivo a programação dos noticiários Quanto mais aceleramos o processo comunicativo, maior é nossa
promovem uma verdadeira guerra de guerrilha atualista. A demanda por estarmos atualizados. Daí, surge o desejo por um
matéria jornalística é desconstruída antes mesmo que seja “tempo real” da total transparência, do total acesso às coisas e
concluída, como podemos ver na imagem abaixo, retirada da aos indivíduos.
seção de comentários ao Jornal Nacional do dia 24 de abril em um Antes da Internet, era comum as pessoas passarem o dia
canal do Youtube, dia da demissão de Sérgio Moro. inteiro sem falar ou saber das notícias de quem mudava de
cidade para trabalhar, por exemplo. Famílias ficavam meses e
anos sem ter notícias de seus parentes distantes. Hoje, a ideia
de não falar ou saber de alguém no momento mesmo em que se
deseja é insuportável.
Queremos estar 100% atualizados acerca de quem nos
interessa, somos atuais em um sentido completamente novo. Mas
essa atualização tem seu preço, significa ter milhares ou mesmo
milhões de pessoas te cancelando no Twitter por uma frase que
você acabou de postar-pensar; e sabemos que o intervalo entre o
pensar e o postar é cada vez menor.
Fonte: Youtube.
Um sonho atualista é viver em um tempo em que não
Cada indivíduo é hoje uma ilha cercada de telas por todos haja distância entre a ação e sua comunicação/integração a um
os lados. Os transtornos psicológicos causados pelas ondas de sistema. É estar sempre em estado presente, o que significa
atualizações que chegam sem parar em nossas telas têm nome que as ações passadas continuariam disponíveis, sem que fosse
e siglas: SIF e FOMO. E todas elas se relacionam a uma espécie preciso decidir sobre sua relevância e recuperação. Talvez, por
de “infoxicação”, isto é, ao medo de estar perdendo algo, de isso, as transmissões ao vivo - chamadas de lives - vêm fazendo
não estar atualizado, de ficar por fora. É esse medo que leva as tanto sucesso. Enquanto você assiste a um programa ao vivo,
pessoas a checar suas redes sociais compulsivamente em busca pode ficar focado em um único fluxo atualizado de informações;
isso antes de lembrar de todas as outras coisas que continuam a

216 217
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

acontecer enquanto você está entretido. No Instagram, a gravação incapacidade de formar sua opinião, a pessoa aceita como sendo
das lives ficam disponíveis por algumas horas apenas, depois se seus os julgamentos de alguém que está mais próximo. Em
esvaem como qualquer conversa presencial, sem deixar registro um mundo cada vez mais solitário, esse alguém mais próximo
além da memória viva e móvel dos que a viveram. Em outros deixou de ser um ente amado ou sua comunidade e passou a ser
canais, as gravações permanecem indefinidamente, acumulando o grupo do WhatsApp, a celebridade digital e as novas igrejas
uma multidão zumbi - não seria esse o nome para uma live que que funcionam como conglomerados de mídia.
já não está ao vivo? O cinema não imaginou que o apocalipse Apesar de as últimas pesquisas apontarem certa divisão na
zumbi pudesse vir na forma de uma pandemia de infoxicação. direita, ainda é difícil saber o quanto da base que rachou, para
O sonho atualista torna-se pesadelo quando esse fluxo apoiar o Sérgio Moro, resistirá ao afastamento do enxame ou da
incessante é marcado pelo ressurgir constante de apreciações manada bolsonarista. Como esses viciados ficarão sem produzir
opostas e contraditórias, como o atual conflito Moro e Bolsonaro e destilar o ódio que dá sentido a suas vidas e realidade? A nova
ilustram tão bem. É, também, o que sentimos em uma disputa direita alinhada com Moro conseguirá criar seu próprio universo
de hashtags no Twitter em um dia de noticiário relevante, ou sem o apoio unânime da grande mídia ou da máquina de mentira
com a gritaria dos youtubers pró-governo tentando chamar nossa bolsonarista? Talvez a judicialização da questão ditará os rumos
atenção. Quantos tuítes preciso postar ou retuitar para mudar a desta disputa. Ainda mais se o impedimento do presidente
opinião de alguém? Quero dialogar ou silenciar? Quero informar por crime comum via STF caminhar. Enquanto isso, teorias da
ou infoxicar meu oponente? conspiração e fake news crescem sem freios.
O ativista virtual pode ser comparado com um viciado. Ao E o que fazer? Parte da solução passaria por mais
que parece, essa experiência é análoga à maratona de séries nos investimentos em instituições e sujeitos capazes de promover
canais como Netflix, com a diferença de que as temporadas e os uma atualização responsável das crenças socialmente relevantes,
episódios de ativismo são intermináveis. A cada dia, o gabinete a fim de quebrar as máquinas de fake news. No lugar de menos,
do ódio oferece novas missões para sua base, e como a identidade precisamos de mais profissionais das humanidades capazes de
é mais emocional que ideológica, fica fácil tornar um antigo assumir o papel de curadores desse fluxo incessante de conteúdo
aliado no mais terrível oponente, um campeão do liberalismo produzido em tempo real. Esses novos profissionais trabalhariam
em um comunista, um tucano em petista. Como nos desenhos ao lado dos especialistas em informática, para propor soluções
animados, nenhuma lei natural parece limitar a realidade desse digitais mais responsáveis e eficientes no tratamento da
universo paralelo. infodemia.
Nessa direção, asfixiar as ciências humanas é também um Uma maior regulação das grandes empresas do capitalismo
objetivo. Só assim se pode entender, por exemplo, sua exclusão de vigilância como Google, Amazon, Facebook, etc, também é
do último edital do CNPq para bolsas de iniciação científica. urgente. A quebra de seus monopólios, a imposição de limites
Quanto menos capazes de criticar e formar opinião através da ao uso de dados pessoais, são ações estruturantes que poderiam
leitura e recepção inteligente das mídias, mais as pessoas vão mudar este cenário.
se ancorar no achismo e no conforto do rebanho. Nossos avós De todo modo, uma coisa é certa: as fake news bolsonaristas
chamavam isso de “maria vai com as outras”. Por preguiça ou foram e serão responsáveis por muitas mortes durante a

218 219
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

pandemia no Brasil, em especial, porque estimularam o


afrouxamento da quarentena. Além disso, a política oficial de
subnotificação também tem como objetivo manter essa máquina
6
de guerra em pleno funcionamento para tentar responsabilizar o
STF, os municípios e os estados pelos erros do próprio governo
federal; enquanto o Presidente posa de guardião dos empregos
e da economia.
Ou seja: Bolsonaro e os bolsonaristas têm razão para
estarem preocupados e irados, como fica claro nas agressões Fonte: manif.app
constantes à imprensa.
Enquanto isso, “Chora a nossa pátria, mãe gentil/ Choram Marcha Virtual pela Ciência invade
Marias e Clarices no solo do Brasil”. Fiquem em casa!
Brasília e cientistas pedem socorro1
Também Bolsonaro foi lembrado em diversos cartazes,
quase todos pedindo o seu afastamento e condenando
sua atuação irresponsável. Assim como Trump, Bolsonaro
será lembrado negativamente e para sempre, na história
da COVID-19.

O que motiva a marcha pela ciência organizada hoje


pela Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência - SBPC?
Presenciamos no dia 7 de maio uma das maiores manifestações
virtuais do Brasil organizada por telepresença. Por volta das
13 horas havia mais de nove mil manifestantes individuais em
Brasília, cientistas, professores, estudantes. No mapa acima,
podemos ver uma fotografia da manifestação.
A pandemia não congelou a guerra contra a ciência
organizada por Bolsonaro, pelo contrário, deixou mais evidente a
dimensão anticientífica do seu projeto. Por isso, a marcha virtual
de hoje, organizada pela SBPC, fundada em 1948, defende o apoio
à pesquisa como uma forma de enfrentamento da pandemia e
como ferramenta essencial para sairmos da crise econômica e
social que começamos a viver.

1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 07/05/2020.

220 221
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

A marcha é apoiada por diversas outras associações grande exemplo de cidadania.


científicas, como a Associação Nacional de História - ANPUH, e Um dos grupos lembrados com frequência foram os
acontece através de um site em que cada pessoa pode construir enfermeiros e as enfermeiras, além de todos os outros profissionais
o seu pequeno avatar, associar a ele um cartaz e movê-lo em da saúde que estão na frente de combate da COVID-19.
tempo real para qualquer lugar no planeta. A sociedade adaptou Também Bolsonaro foi lembrado em diversos cartazes,
para o Brasil o aplicativo francês manif.app, a partir do serviço quase todos pedindo o seu afastamento e condenando sua atuação
colaborativo Open Street Map, que vem sendo utilizado para irresponsável. Assim como Trump, Bolsonaro será lembrado
manifestações em tempo de pandemia. negativamente e para sempre, na história da COVID-19.
Cada avatar representa um único manifestante que só pode Nos últimos dias, foi divulgado estudo da UFMG,
estar em um lugar e em um evento por vez, o que dificulta a coordenado pela professora Fernanda Cimini, sobre as respostas
manipulação dos números por robôs. Em Brasília, as pessoas políticas do governo brasileiro, entre 31/12/2019 e 15/04/2020
virtuais marcaram pontos de encontro: em frente ao MEC, em para o enfrentamento da COVID 19. As conclusões são
frente ao Congresso ou qualquer outro local no mapa. Usando- assustadoras: “(i) ausência de uma política nacional coordenada
se o recurso de zoom, pode-se ver a agregação das pessoas pelos para contenção da transmissão do vírus; (ii) desalinhamento
slogans mais usados. entre as medidas para o aumento da capacidade de atendimento
É importante ressaltar que a chamada PEC do orçamento da e as políticas para achatamento da curva; (iii) priorização da
Guerra (PEC 10/2020) não propõe mais recursos para a ciência austeridade econômica, sobre a mitigação social, com atraso
e a tecnologia, o que é um equívoco enorme. Ela simplifica e insuficiência nas respostas para a proteção da segurança
gastos ao combate a pandemia, mas não garante investimentos financeira das famílias e (iv) dinâmica de governança marcada
na ciência, os quais poderiam oferecer soluções e criar riqueza. não somente por conflitos dentro do Executivo e entre governo
Isso em uma conjuntura de cortes e sucateamento que já vinha federal, autoridades estaduais e municipais, mas, também, pela
acontecendo antes da COVID-10 se apresentar. falta de diálogo com a sociedade civil e o empresariado na tomada
Estamos assistindo, ao longo do dia, pelo aplicativo, os de decisão e monitoramento das ações”.
slogans que os manifestantes empunham no mapa de Brasília Ou seja, Bolsonaro representa uma ameaça real à vida dos
em defesa da ciência, da vida. Slogans que não são apenas meras brasileiros. Isso, após três meses de pandemia e com mais de
palavras de ordem: Mais ciência, menos bolsonaro; Viva a ciência, 1 milhão de infectados em todo o mundo. E sua postura, bem
abaixo o obscurantismo; Sem ciência não há soluções; Mais SUS, como a do Ministro da Educação e vários outros membros de seu
menos Corona; Respeito à ciência é respeito à vida; Periferia governo, é de desprezo pela ciência e pela comunidade científica.
chora; a ciência não pode parar; Pacto pela vida; entre outros. Além da negação constante das evidências da pandemia.
Alguns manifestantes se identificaram com nome e suas Não se observa, nesse momento, uma convocação das
instituições, houve até quem fizesse declaração de amor. O lideranças e dos institutos científicos para auxiliar o governo
protesto virtual produziu muitos dos efeitos e encontros dos federal na tomada de boas decisões. E a situação se repete em
protestos presenciais. Colegas de trabalho posicionaram seus muitos estados e municípios. Ao que parece, Bolsonaro prefere
avatares em uma mesma esquina para protestarem juntos. Um confiar em seus consultores de marketing e no ‘gabinete do ódio’.

222 223
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

“Todos os principais erros cometidos pelo governo Trump, lembrar: a ciência é o lugar da dúvida metódica e da controvérsia
ao lidar com a pandemia, podem ser atribuídos a essa falha em fundamentada. Afinal, conhecimento e opinião (in)formada são
ouvir e confiar em conselhos científicos. Trump demorou a coisas bem diferentes do achismo dogmático. O cientista pode
mobilizar o governo federal, porque não atendeu às advertências fazer sua parte, mas ele não substitui a cidadania, essas esferas
científicas; em vez disso, escolheu seguir seu “palpite” de que um devem funcionar em diálogo permanente. Viva a ciência, viva a
“milagre” aconteceria e o vírus desapareceria. Sua obsessão com cidadania crítica, viva a boa política!
a droga antimalárica cloroquina como um potencial “divisor de
águas” no tratamento da COVID-19 causou estragos nos EUA e
em todo o mundo, confirmada pelos estudos recentes sugerindo
que a droga não tem qualidades benéficas e muitos efeitos
colaterais”. Essa afirmação de Ed Pilkington (The Guardian,
03/05/2020), sobre Trump, parece cair perfeitamente para
Bolsonaro.
E ainda: “O ataque à ciência não termina na Casa Branca. O
desdém vocal de Trump pelo pensamento baseado em evidências
encorajou um exército de charlatões, grupos de pseudociência
e teóricos da conspiração que intensificaram seu proselitismo
online e em protestos em todo o país”. Pilkington, porém, é
otimista, pois acha que a COVID-19 entregou à ciência um
presente inesperado, pois muitas pessoas viram os custos em
desprezar a verdade e deixar de lado os pesquisadores. 
Para os mais otimistas, a crise do novo coronavírus pode ser
uma possibilidade para que a população em geral reconheça não
apenas o valor da ciência, mas a forma como ela é construída. O
filósofo Edgar Morin, em entrevista recente, chamou a atenção
para o fato de que a ciência não é feita de dogmas, e sim de diálogos,
crítica e mudanças de paradigma. Assim como a democracia, que
também só pode existir se houver a possibilidade de divergência
e mudança.
Assim, nesse momento, um dos desafios é não deixar a
crítica à ciência apenas à contestação rasa dos grupos de direita.
E sabemos que uma parte da crise certamente se relaciona
com uma aliança de setores da comunidade científica com o
capital, muitas vezes, em detrimento da vida. É sempre bom

224 225
7
Regina Duarte está com medo da
Comissão da Verdade da COVID-191
Enquanto brasileiros choram seus mortos, atriz nos convida a
esquecê-los. O que aproxima os criminosos da Ditadura dos atuais
criminosos da pandemia?

O Brasil já tem, provavelmente, o segundo maior número


de casos e mortes do mundo, considerando as subnotificações. É
sempre bom lembrar que somos um dos países que menos realiza
testes para a COVID-19 do mundo. Exemplos: Cuba testou
4 vezes mais do que nós; o Peru 7 vezes e Portugal 30 vezes.
Nós estamos testando 0.6 para cada 1000 habitantes. Os que
mais testaram foram: Alemanha (25/1000h), Itália (23/1000h),
Estados Unidos (12/1000h) e Coreia do Sul (11/1000h).
Boa parte dessas mortes estão diretamente ligadas às
irresponsabilidades do Governo Federal, do Presidente e sua
equipe. Também o são os casos não notificados, mesmo depois
dos corpos já enterrados, os “desaparecidos da COVID-19”. No
entanto, estes desaparecidos não o são apenas por não estarem
presentes nas estatísticas, mas por sofrerem, também, um
apagamento ativo através dos discursos do Presidente e de seus
apoiadores.
Pesquisadores brasileiros estimam que o número de
contaminados pelo novo coronavírus no Brasil é de 1,6 milhões,
número 14 vezes maior que o registro oficial. Outros estimam
que o número pode ser até 50 vezes maior que o notificação
oficial. A isso soma-se o fato de que nas áreas periféricas das

1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 10/05/2020

227
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

grandes cidades, como São Paulo, a mortalidade por COVID-19 deles, protagonizado pelo ministro Dias Toffoli, presidente do
tem sido dez vezes maior. Ou seja, os mais vulneráveis do Brasil Supremo Tribunal Federal (STF), anulou a decisão do Tribunal
são as maiores vítimas. São eles os pobres, pretos, pardos, Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) que determinava a
mulheres e jovens. retirada de uma publicação, do dia 31 de março, em defesa do
É considerando esse contexto que devemos entender a golpe de 1964, do site do Ministério da Defesa. Tofolli balizou a
entrevista concedida por Regina Duarte, Secretária de Cultura sua decisão, utilizando-se do argumento de que há um excesso de
do Governo Federal, ao jornalista Daniel Adjuto, da CNN Brasil, judicialização em atos públicos, e de que essa decisão censurava
no dia 07 de maio. Ela criticou as pessoas que ficam “cobrando a livre expressão do Ministro de Estado.
por coisas que aconteceram nos anos 60, 70, 80” e disse que é Outro acontecimento foi o encontro ocorrido no dia 04 de
preciso olhar pra frente, cantarolando a música tema da Copa maio entre Bolsonaro e Sebastião Rodrigues de Moura, o Major
do Mundo de futebol de 1970. Quando o jornalista disse que na Curió, acusado de assassinato, tortura e ocultação de cadáveres
Ditadura havia desaparecido muita gente e havia censura, ela na Guerrilha do Araguaia. Vale lembrar que no dia anterior, no
rebateu com um simplório “Cara, desculpa, eu vou falar uma domingo, houve mais uma manifestação em apoio ao Presidente,
coisa assim: na humanidade, não para de morrer. Se você falar contra o STF, o Congresso, a imprensa e Moro. Nesse dia, o
‘vida’; do lado, tem ‘morte’. Por que as pessoas ficam ‘oh, oh, Presidente afirmou que ele tem o apoio do povo, das Forças
oh!’? Por quê?!” e “Por que olhar pra trás? Não vive quem fica Armadas e de Deus, e, por isso, faria cumprir a Constituição
arrastando cordéis de caixões”. Ela, que vinha sendo cobrada “a qualquer preço”. Já no dia 06, em reunião com o ministro
por não se manifestar pelas mortes de importantes artistas, Dias Toffoli (do STF), Bolsonaro defendia a flexibilização do
por COVID-19 ou não, como Aldir Blanc, Ciro Pessoa e Daisy isolamento social, dizendo que a liberdade (no sentido de ir e
Lúcidi, Rubem Fonseca, Moraes Moreira e Flávio Migliaccio, vir) é mais importante do que a própria vida.
interrompeu a entrevista bruscamente após a transmissão de A negação, justificação e apologia da Ditadura, contrariando
um vídeo em que Maitê Proença critica a sua gestão à frente da toda a literatura especializada, e a negação da COVID-19,
Secretaria de Cultura. desafiando as recomendações mais básicas das autoridades de
A Secretária da Cultura de Bolsonaro se recusou a ouvir ou saúde, são dois exemplos de um mesmo fenômeno: a exploração
a responder qualquer coisa, dizendo que os jornalistas estavam ilegal da desinformação como arma política. Vamos lembrar
“desenterrando mortos” e que deveriam ser mais “leves”, ao que que mesmo empresas como Google e Twitter, que eram muito
a âncora do jornal, Daniela Lima, responde que eles não estão reticentes em eliminar de suas plataformas as fake news, revisaram
desenterrando mortos, e sim enterrando, visto que no momento suas políticas e hoje não permitem postagens que contrariem
o país já havia perdido milhares de brasileiros para o coronavírus, recomendações da OMS, como a necessidade de quarentena no
dentre eles pessoas da classe artística, da qual faz parte a própria combate à pandemia. Foi por essa nova orientação que o Twitter
secretária. apagou postagens do próprio Bolsonaro.
A fala de Regina Duarte, para a qual faltam adjetivos, e A Lei da Anistia, de 1979, é o vício de origem no qual assenta
que deixou estarrecida boa parte dos brasileiros, deve ser a Nova República. Ela consagrou a impunidade de torturadores,
contextualizada a partir de outros acontecimentos recentes. Um agora celebrados pelo presidente e outras autoridades públicas.

228 229
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

A Constituinte, o Congresso e o STF escolheram não revisá-la. construir. Será certamente um governo assentado sob cadáveres,
E onde isso foi dar? Em Bolsonaro e seus asseclas. Enquanto a exemplo, aliás, do que fizeram os generais da Ditadura Militar.
não enfrentarmos esse passado, não será possível impedir sua Maria Herminda Tavares, no mesmo dia da famigerada
re-atualização em suas variadas formas. entrevista, lembrou uma frase que “quase” foi dita por Regina
Por isso, é preciso urgentemente combatermos as mentiras Duarte: “Viva a morte! Abaixo a inteligência”. Essa frase foi
que afirmam que não houve corrupção na Ditadura; que aquela proferida pelo general fascista espanhol Millán-Astray em
época foi um tempo melhor e mais seguro do que hoje; de que 1930. Apesar de ser difícil aceitar, não podemos negligenciar o
os conflitos e crimes devem ser esquecidos. Sem isso, Regina fato de que, em várias dimensões, o governo bolsonaro é uma
Duarte continuará a representar o que uma parte significativa da atualização do fascismo, e ainda mais eficaz, porque livre de
sociedade brasileira acredita. Em especial, as novas gerações que qualquer coerência ideológica e detentores de ferramentas de
se identificam politicamente com esse tipo de discurso. Afinal, propaganda com as quais os fascistas nem sonhavam. E isso é
no Brasil, uma parte considerável dos jovens apoiam discursos e mais do que uma mera assombração que retorna. Não podemos
ações da chamada nova direita. negar a realidade; ao contrário, quando acordarmos, pode ser
Nem sempre é fácil traçar as fronteiras entre a direita que tarde.
se acredita iluminista, vide as recentes declarações do ministro A negação, e em especial o revisionismo, é um tipo radical e
do STF, Luís Roberto Barroso, e a direita que alguns chamam perigoso de fundamentalismo. Diverso, portanto, do relativismo
de xucra. A ilustração brasileira foi construída pela escravidão e cultural, que é inclusivo e reconhece o valor da diversidade
muitos paladinos da democracia foram direta ou indiretamente e o diálogo livre e aberto como condição de produção de
sócios e beneficiários da Ditadura. A própria Regina Duarte é conhecimento. Já o negacionismo e o revisionismo autoritários
filha de militar e até hoje recebe pensão pelo pai falecido em colocam em questão o poder de veto das fontes, utiliza-se de
1981. Não sabemos ao certo até onde essa memória incômoda maneira aberta e sistemática da mentira e da desinformação,
não está embaraçada com sua biografia. A Regina secretária estão baseados em lógicas de justificação e dissimulação que
de Bolsonaro é a mesma que apoiou José Serra na eleição de pretendem extrapolar, estender, manipular, minimizar e, no
2002 contra Lula, o mesmo medo, a mesma direita em formas limite, negar o próprio poder de veto das fontes e a existência
distintas. e valor das posições contraditórias, da existência mesma das
A fala de Regina Duarte se assemelha com o discurso minorias.
bolsonarista de que “quem procura osso é cachorro”. Assim Em outros termos, nega e/ou revê a dimensão política e a
como a secretária fecha os olhos para os mortos por COVID-19 intenção ética que valoriza e estimula o dissenso, a pluralidade
e diz que quer ir “pra frente”, Bolsonaro, várias vezes, também e o diálogo que fundamenta a experiência democrática. A
defendeu que o passado ficasse a cargo dos historiadores - talvez interação entre a ética e a política pressupõe a exigência de um
ele estivesse se referindo aos olavistas, que estão produzindo reconhecimento mútuo. A ética do político, nessa perspectiva,
uma falsa história nacional que já orienta a produção de material visa criar espaços de liberdade, o que implica olhar para trás, para
didático. A insistência em “seguir em frente”, sem olhar para trás, o agora e para frente ao mesmo tempo. Essa intenção ética, na
nos faz temer o futuro que Regina Duarte e Bolsonaro esperam esfera do político, não depende apenas das vontades individuais,

230 231
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

mas também do Estado de direito que tem sido omisso em Outra ação urgente é cobrar a retirada dos militares da ativa
várias esferas. Além da refutação e da desconstrução factual, é e da reserva de postos políticos reservados aos civis. Sobre esse
preciso criar espaço de diálogo, de liberdade e de pluralidade último ponto, cabe dizer que, infelizmente, as forças armadas
para estabelecermos os limites legais e éticos, das narrações, (sob o disfarce do combate ao comunismo) – mais uma vez estão
interpretações e representações. manchando a reputação da instituição, ao darem o suporte a esse
Os historiadores e historiadoras profissionais devem governo genocida, respaldando como instituição as ambições
desempenhar um papel central nesse processo, seja por sua de poder pessoal de alguns generais. Depois pouco vai adiantar
perícia de especialistas, seja como educadores; mas é a sociedade a revolta contra a verdade histórica, mais uma vez terão seus
civil que precisa construir espaços institucionais autorizados nomes arrastados na infâmia da memória.
para mediar e reprimir os abusos do poder ao mobilizar as A lembrança das mortes que poderiam ter sido evitadas
novas ferramentas de comunicação para distorcer a história. É acompanhará as famílias e as gerações que estão vivendo essa
certo que a regulamentação da profissão de historiador vetada tragédia nacional: mais de 10.000 mil mortes oficiais. Todos
por Bolsonaro teria sido uma oportunidade para avançarmos os dias pessoas estão sendo enterradas em covas coletivas em
nesta fronteira, com a criação, por exemplo, de conselhos de Manaus! A insensibilidade e os crimes de muitos, em especial, do
autorregulamentação. Presidente, não podem ser justificados sob nenhuma hipótese,
Assim, o que fazer frente ao desprezo pela vida? nem muito menos esquecidos. Além de sermos impedidos de
Uma boa sugestão para impedirmos que a impunidade velar nossos mortos, querem também que os esqueçamos, e
do presente perdure no tempo foi dada por Gregorio Duvivier, tudo isso em nome de um projeto sórdido de poder.
ao afirmar que os crimes cometidos pelo governo Bolsonaro Enquanto não enfrentarmos o nosso passado-presente de
devem ser julgados por uma Comissão da Verdade em tempo violência, isto é, a Ditadura Militar, a escravidão, o racismo, o
real. O medo dos mortos que tanto assombra Regina Duarte é etnocídio, o patriarcalismo, dentre outros, o passado continuará
o medo da verdade e da justiça. Qualquer sociedade que queira a se atualizar negativamente, impedindo a construção de uma
sobreviver precisa ter a coragem de cuidar também de seus país efetivamente menos desigual e mais justo. Cabe ainda
mortos, de sua memória, de sua história e da verdade coletiva. destacar que, agora, além do estudo coordenado pela professora
Quantas mortes pela COVID-19 poderiam ter sido evitadas? A Fernanda Cimini da UFMG, também o editorial da prestigiosa
ciência tem respostas para essa pergunta. Conseguiremos punir revista The Lancet aponta para o fato de que Bolsonaro é a maior
as autoridades por esses crimes ou o modelo da anistia e da ameaça ao combate à COVID-19.
impunidade vai prevalecer mais uma vez? Portanto, a fala de Regina Duarte como Secretária de
Enquanto isso, esperamos no mínimo que o parlamento, Cultura do Governo Federal deve ser entendida como uma
presidido por Rodrigo Maia, essa pessoa que nasceu no exílio atualização do discurso autoritário e criminoso da Ditadura
político da Ditadura, aprove uma lei punindo toda e qualquer Militar, no sentido de que ela tenta proteger a entrada de qualquer
apologia à violência, em especial, a de Estado. Mas parece que “vírus” no interior desse sistema. Essa atualização só é possível
cabe a nós, da sociedade civil, o impulso e a pressão para que pela desinformação atualista que silencia o conhecimento e a
isso se realize. experiência sobre o passado e coloca em seu lugar uma espécie

232 233
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

de réplica fantasmática. Regina não quer ouvir os mortos, apenas


o jingle de propaganda “pra frente Brasil, Brasil..”..
Em outras palavras, ela pretende se antecipar a qualquer
8
tipo de julgamento, não da história, mas das cortes penais que
finalmente venham a combater crimes contra a humanidade, de
ontem e de hoje, ou seja, a busca pela verdade e justiça dos mortos Morre o ministério de Nelson Teich, mas os
e desaparecidos da Ditadura Militar e do Governo Bolsonaro.
Para muitos não foi novidade saber que Regina Duarte tem negócios não podem parar1
medo, tem medo da esperança e do futuro, tem medo de seu
A saída de Teich é a ponta do iceberg das contradições do governo.
passado de culpa. Nesse sentido, devemos aplaudir o manifesto Contradições entre anarcocapitalismo, olavismo e militarismo.
em repúdio às declarações da secretária de cultura assinada por Prenúncio de um golpe em curso? Bolsonaro pode ser o líder de um
novo golpe empresarial-militar?
mais de 500 artistas. A sociedade civil brasileira não está morta!
E não podemos esquecer, por fim, que tudo poderia estar muito
#Sextou. Falecimento. Viemos informar que hoje, 15
pior. Só não está porque existe um patrimônio do povo brasileiro
de maio de 2020, veio à óbito o ministério do senhor Nelson
chamado Sistema Único de Saúde.
Sperle Teich à frente da pasta da Saúde. Mais uma sexta-feira
de exonerações. Nesse ano, desde a Sexta-Feira da Paixão, esta
é a segunda Sexta-Feira da Exoneração. Moro saiu na sexta.
Mandetta quase sai na sexta, pois saiu na quinta à tarde. Será
que Bolsonaro cairá numa sexta-feira? Brasileiro: profissão
esperança.
Nelson Teich teria sido apresentado ao Presidente pelo
Ministro da Economia, Paulo Guedes. Além da relação com
Guedes, o médico também tem outras proximidades com a
economia, a ver pelo seu currículo: formado pela Universidade
Estadual do Rio de Janeiro, em Medicina, e especialista em
oncologia no Instituto Nacional de Câncer (Inca), ele possui
especialização em Economia da Saúde pela Universidade de
York, na Inglaterra, e vários cursos de formação complementar
em economia ou administração na área da saúde. Atualmente
é diretor executivo da empresa de consultoria MedInsight –
Decisions in Health Care e presidente da COI – Clínicas Oncológicas
Integradas. Foi sócio do Secretário de Ciência, Tecnologia e
Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, sob o comando
1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 15/05/2020.

234 235
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

de Denizar Vianna. Na empresa MDI Instituto de Educação e tanto desconcertada, e depois de muito balbuciar, foi a de que
Pesquisa, a qual funcionou entre 2009 e 2019, e que, de acordo esta decisão não havia partido do Ministério da Saúde.
com reportagem da BBC Brasil, trabalhava com “pesquisa e As redes sociais continuam não perdoando e, parafraseando
desenvolvimento experimental em ciências sociais, humanas, a letra de uma canção sertaneja, soltam um meme onde se lê que
físicas e naturais e treinamento em desenvolvimento profissional já foram 3 os que caíram na ilusão de exercer um cargo “técnico”:
e gerencial”.
Já na época da campanha, o médico apoiou Bolsonaro,
atuando como seu consultor na área de saúde. Era um nome
bem cotado para o Ministério, já no início do mandato, mas
acabou sendo preterido em favor de Luiz Henrique Mandetta - a
quem mais tarde substituiria. Tornou-se Ministro da Saúde com
o apoio de nomes importantes como o de Meyer Nigri, dono da
empresa Tecnisa, que atua no mercado imobiliário; e de Fábio
Wejngarten, Secretário de Comunicação do atual governo.
Em seu discurso de posse, Teich havia dito que não haveria
nenhuma mudança brusca e que as decisões deveriam ser Fonte: Facebook.

tomadas com base em informações sólidas; não em emoções.


Também disse que saúde e economia não competem entre si, Atualização da situação da pandemia, em números,
mas se complementam. Defendeu um grande projeto entre o durante a curta vida do Ministro: em 17/04/2020, havia 34.221
SUS, o empresariado e o governo, para se realizarem os testes casos confirmados e 2.171 mortos no Brasil; em 15/05/2020,
e mais pesquisas sobre o novo coronavírus. Por fim, disse que são 202.918 casos confirmados e 13.993 mortos no Brasil. Os
havia um “alinhamento completo” entre ele e o governo, e que dados deixam claro que o fim do isolamento só aumentará o
pretendia fazer de tudo para que o país possa voltar o mais rápido número de mortes, que cresce, a cada dia, dada a crise política e
possível à normalidade, com o fim do isolamento. a flexibilização do isolamento, única política efetiva, comprovada
até o momento, para a redução do número de vítimas. É bom
Pelo jeito, o “alinhamento completo” não era tão completo
lembrar que diversas pesquisas têm mostrado a ineficácia da
assim. Teich e Bolsonaro discordavam em relação ao uso da
cloroquina para o tratamento da COVID-19.
cloroquina: para o primeiro, a substância ainda deveria ser melhor
estudada; para o segundo, o tratamento com esse medicamento Mas, por que o genocida mantém a sua “convicção”?
deveria ser imediatamente ampliado e já começar a ser utilizado No momento, é possível pensar nessa pergunta por meio
no princípio da doença. Além disso, os dois divergiram em relação de uma outra: o que a “morte” desse empresário da saúde, como
ao isolamento social: Teich só descobriu que o Presidente havia Ministro, pode revelar?
permitido que salões de beleza, barbearia e academias voltassem A historiografia profissional já demonstrou, amplamente,
a funcionar durante uma coletiva de imprensa, quando foi que a ditadura de 1964 só foi possível pela aliança criminosa entre
perguntado por um repórter sobre a medida. A resposta, um empresários e militares. Os primeiros sempre se direcionaram

236 237
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

em busca de vantagens e maiores lucros para os seus negócios; Charles e David Koch são donos da Koch Industries, a
e os segundos, sempre em busca de fama e protagonismo, mas segunda maior companhia privada dos EUA que possui negócios
também de dinheiro e poder. O resultado foi um dos episódios envolvendo petróleo, carvão, produtos químicos e outros. Em
mais sombrios de nossa história, repletos de casos de corrupção 1980 David Koch concorreu à vice-presidência dos EUA pelo
e violência, que comprometeu a democratização da sociedade Partido Libertário, mas recebeu apenas 1% dos votos. Esse
brasileira e aprofundou as desigualdades sociais que nos fracasso reforçou a ideia de que a forma de chegar ao poder seria
impedem, até hoje, de progredir em direção a um mundo mais promovendo intelectuais e políticos que apoiassem a sua agenda
sustentável e justo. “anarcototalitária”. Nas eleições de 2016, em que foi eleito
Mas, como bem nos mostra Maria Victória Benevides: Trump, o grupo Koch investiu 886 milhões de dólares em seus
“os empresários acreditavam que os militares agiriam como candidatos.
“restauradores da ordem” e depois desalojariam o poder em seu Com amplo apoio financeiro de diversos outros grupos
benefício, no papel de eficientes “leões de chácara” das grandes econômicos, os irmãos Koch aceleraram uma agenda ideológica
finanças. O que, obviamente, não ocorreu”. Será que haverá uma que vinha sendo construída desde os anos 1970. Essa agenda
re-atualização da história em breve? propagava a ideia de um governo limitado, menos impostos,
Ainda não é possível saber. O que se sabe é que, ao assistência social mínima, menos supervisão e regulação das
contrário do que pensam alguns intelectuais, essa conjunção atividades industriais, especialmente em relação ao meio ambiente.
entre empresários e grupos políticos para saquear a sociedade e Se achou tudo isso muito familiar, você não está
o Estado está longe de ser uma jabuticaba. Em um certo sentido, confundindo, essa versão de um capitalismo sem freios é a mesma
as elites brasileiras estavam na vanguarda das mutações mais defendida pelo governo Trump e adaptada ao Brasil por setores
recentes do capitalismo global. empresariais, que podem estar representados por Dória, pelo
Em livro esclarecedor, publicado em 2016, com o título Partido Novo, por Luciano Huck, por Nelson Teich ou mesmo
“Dinheiro Sombrio: a história secreta dos bilionários por trás Bolsonaro. A estratégia empresarial é fazer valer sua agenda,
da ascensão da direita radical”, a jornalista Jane Mayer revela, indireta ou diretamente, pouco importando quem estiver à
com detalhes, como os grandes empresários sequestraram a frente do governo. Mas, por vezes, o interesse militar pode falar
democracia para promover políticas públicas que só atendem mais alto, ainda que ele não seja excludente em relação à agenda
aos seus próprios interesses. atualizada do capitalismo.
A autora descreve, logo no começo de seu livro, um encontro Ao tornar evidente a necessidade de políticas públicas e
promovido pelos bilionários Charles e David Koch, em 2009; de um Estado organizado, a pandemia da COVID-19 colocou
enquanto Barack Obama tomava posse como presidente dos em xeque diversos elementos da ideologia do anarcocapitalismo,
Estados Unidos. A agenda do encontro, que reuniu um seleto mas por si só não será suficiente para quebrar sua força discursiva
grupo de bilionários e representantes políticos conservadores, e o poder político e econômico acumulado. No Brasil, em
era impedir que o novo presidente democrata, eleito em um particular, nas últimas décadas, empresários e grupos políticos
clima de grandes expectativas, pudesse implementar políticas locais descobriram como mobilizar a guerra ideológica e cultural
que contrariassem os interesses desses grandes capitalistas. para chegar ao poder.

238 239
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Assim, a cultura do empreendedorismo, a celebração e mamatas, que odeiam o Estado e a política sempre que se
heroicizante de empresários do passado e do presente, a tornam forças que ameaçam seus interesses comerciais. Uma
glamourização do risco e da precariedade abriram caminho das estratégias desses homens é o segredo, o agir nas sombras,
para uma adesão inédita de novos setores sociais à falsa utopia enquanto os letrados e empresas que estão em suas listas de
do anarcocapitalismo. As grandes transformações no mundo beneficiados fazem o debate público. Teich parece que fracassou
do trabalho, com a expansão da terceirização e da gig-economy nessa missão, pois há um obstáculo frente a essas “demandas”,
ou uberização, contribuiu para a ilusão de que somos todos a saber: o projeto de poder autoritário de Bolsonaro.
capitalistas. De que o grande inimigo é o estado cobrador de E, para efetivar esse projeto autoritário, pelo menos nesse
impostos. momento, há um grupo com bastante experiência: os homens
de farda, tendo as polícias militares como retaguarda, bem como
as milícias digitais. Como se vê, o olavismo e o militarismo são
as duas faces da mesma moeda. O artigo publicado ontem por
Mourão deixa isso bem evidente. O “serviço” pode ser feito
via golpe ou apenas assegurando a continuidade do governo.
Enquanto isso, o governo é edificado em cima de milhões de
cadáveres. O que também parece ser uma atualização negativa
de um passado que não enfrentamos como se deveria.
Por outro lado, Bolsonaro precisa do apoio empresarial
para se sustentar no poder. A atual dissociação entre capitalismo
e democracia não significa que projetos autoritários, dentro, nas
Fonte: WhatsApp. margens e fora da própria democracia, se sustentam apenas pela
força, violência e por “pequenas maiorias”. É preciso apoio do
É apenas com a crise que o motorista de aplicativo pode grande capital e, também, dos “pequenos”, isto é, os precarizados:
descobrir que, no fim das contas, ele vai precisar do Estado, como barbeiros, donos de salão, motorista de uber, etc.
do SUS, do cheque de 600 reais, etc. As relações precarizadas
Há ainda esperança. A análise das redes e as pesquisas
de trabalho geram a ilusão de não ter patrão. Na verdade, em
mostram que cada vez mais Bolsonaro perde apoio. A sociedade
um mundo em que, no meio de uma grande crise, estamos às
civil e os setores democráticos precisam reagir rápido e em meio
vésperas de ver o primeiro ser humano a acumular sozinho 1
à pandemia. De todo modo, se Deus for mesmo brasileiro, ele
trilhão de dólares, Jeff Bezos, da empresa de e-commerce Amazon,
deve estar escutando Elis Regina cantar:
é muitas vezes difícil experimentar individualmente a extensão
das desigualdades e injustiças sociais. Cai o rei de Espadas
Esses grandes empresários, que os letrados da direita Cai o rei de Ouros
tentam transformar em grandes heróis, são, muitas vezes, Cai o rei de Paus
herdeiros mimados, acostumados com todo tipo de ilegalidades Cai, não fica nada.

240 241
9

Cloroquina ou Tubaína?1
A força oculta por trás da campanha de Bolsonaro e Trump a
favor da cloroquina. Como o sucesso da Fox News e da Jovem
Pan nos ajuda a entender a força dos defensores da cloroquina?
Um perigoso processo de desmonte que começou pela destruição
da autoridade do professor, do historiador, do jornalista, e que,
agora, atinge a medicina e a saúde pública.

Ontem, 19/05/2020, morreram mais de mil pessoas


em decorrência da COVID-19. Uma verdadeira catástrofe!
Indiferente, ou mesmo para ocultar aos fatos, Bolsonaro
atualizou a disputa entre coxinhas e mortadelas para cloroquinas
e tubaínas. A que ponto chegamos! Como entender o que está
por trás dessa nova agitação presidencial?
O presidente afirmou: “O que é a democracia? Você não
quer? Você não faz. Você não é obrigado a tomar cloroquina”.
E, em seguida, lançou a seguinte piada: quem é de esquerda
deveria tomar tubaína e não cloroquina. Nos últimos dias, os
bolsonaristas têm divulgado diversos vídeos sobre o sucesso do
uso da hidroxicloroquina, em um hospital, na cidade de Floriano,
no Piauí. A ministra Damares, por exemplo, foi à cidade, no
último dia 14, para ver de perto “o milagre da cloroquina”.

1 Publicado no site: Jornalistas Livres em 14/04/2020.

243
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Acreditamos que compreender a fórmula de “sucesso” da Republicano, tem sido exaustivamente estudada nos Estados
Fox News e da Jovem Pan News pode nos ajudar a entender o Unidos. David Brock, em livro publicado em 2012, já havia
chão de realidade no qual está assentado esse suposto “milagre”, descrito com detalhes essa transformação, que na época ele
principalmente se considerarmos as últimas declarações de chamou de efeito Fox. Brock estava à frente na época da Media
Trump de que está fazendo uso do medicamento de forma Matters for America, instituição cujo objetivo é monitorar as
preventiva contra a COVID-19, bem como o movimento de notícias falsas promovidas pela imprensa conservadora. Ontem,
Bolsonaro para mudar o protocolo de uso da cloroquina. dia 19, o site trazia uma matéria que constava que o programa
Tudo isso tem como uma das consequências o aumento predileto de Trump, o Fox & Friends, havia recebido 49 pessoas
da pressão sobre os médicos da rede pública para prescrever o para discutir o coronavírus nos últimos quatro dias, e apenas um
remédio. Ao mesmo tempo, ocorre em um momento em que era especialista médico.
mais pesquisas demonstram a ineficácia e os riscos da cloroquina Em seu livro Brock narra a participação de um dos grandes
e da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19. gerentes da Fox em Washington, Bill Sammon, em seminário
Mas, infelizmente, vivemos em um país em que, já faz organizado em um cruzeiro 6 estrelas da Luxury Liner. Cada
algum tempo, as “convicções” valem mais que as provas… casal teria pago entre 50 e 150 mil reais, em valores de hoje,
Algumas mudanças no interior das mídias nos ajudam a entender para participar do evento com influenciadores da direita
a questão: parte delas, das mídias conservadoras, vivem de uma estadunidense, muitos deles jornalistas. Em sua fala, o funcionário
cortina de fumaça: do argumento de que tudo tem dois lados, de da Fox revelava como no contexto da eleição de Barack Obama
que basta apresentar os dois lados para que não haja viés. Mas, ele havia conscientemente distorcido um episódio da campanha
ora, os lados podem ser muito mais que dois e, além disso, nem para promover a narrativa de que Obama seria um simpatizante
todo lado tem razão. do socialismo. Para uma audiência conservadora, o jornalista
É como um estúdio de TV discutir o uso da cloroquina e admitia que a manipulação dos fatos era uma atividade regular
colocar de um lado uma autoridade pública de saúde e, de outro, de seu trabalho na Fox News.
uma subcelebridade do Youtube. Não é um cenário, digamos O que torna a questão ainda mais grave é o fato de que não
assim, que contribui para a formação de opinião, mas apenas se tratava de um episódio isolado, mas uma ação coordenada
para que cada lado da polarização política reforce suas crenças e por Roger Ailes, presidente e chefe do canal Fox desde 1996.
desejos. Ailes, falecido em 2017, foi uma personalidade do mundo da
É este tipo de lógica, cada vez mais hegemônica, que explica comunicação que desde a polêmica eleição de Nixon em 1968
o fato, que tem ficado cada vez mais claro, das autoridades de trabalhou para diversos presidentes e candidatos do partido
saúde estarem perdendo o debate relativo ao uso da cloroquina, republicano. Já nos anos 70 Ailes tinha como estratégia a criação
apesar de estarem com a razão. de falsas notícias ou de formatos de TV que simulavam programas
noticiosos como estratégia de marketing político.
O caso Fox News, com F de fake Na última semana da eleição de 2008, Roger Ailes
A transformação da Fox News em uma máquina de produziu um roteiro a partir da leitura de uma autobiografia de
propaganda conservadora, capaz de pautar inclusive o Partido Obama publicada em 1995. Usando informações que já eram de

244 245
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

conhecimento público, mas que descontextualizadas e vendidas é um bom exemplo de como um canal de notícias se tornou um
como furos jornalísticos, funcionavam como propaganda negativa partido político.
para atingir a campanha do candidato democrata. Que esse tipo Como a Jovem Pan atualiza o projeto Fox no Brasil? Isto
de procedimento seja feito por publicitários contratados por é, de ser o principal canal por onde as distorções e as mentiras
partidos é algo “normal”, que isso seja produzido pelo chefe conservadoras fluem para outras mídias? Ainda nos faltam
de jornalismo de um canal de TV especializado em jornalismo pesquisas para responder ou mesmo dimensionar essa hipótese,
indicava uma transformação substantiva nas fronteiras entre a mas temos alguns fortes indícios.
produção da notícia e a guerra política. A revolução Fox News, que hoje ameaça destruir o jornalismo
Quando questionada acerca da parcialidade de sua corporativo, começou com um conceito muito simples: o de
programação, a Fox afirma que manteria separado o jornalismo construir uma rede, com base no sucesso de programas de rádio,
dos programas de opinião e comentário. Naturalmente essa com comentaristas conservadores sem nenhum escrúpulo em
separação não existe quando o próprio diretor geral do canal recorrer à violência e à mentira para atender aos seus objetivos
coordena uma ação política direta a ser operada por sua equipe políticos e comerciais. Assim, em primeiro lugar, podemos dizer
de jornalismo. A vitória de Obama em 2008 foi recebida como que a Jovem Pan usou e abusou desse modelo, em especial, no
um verdadeiro apocalipse por figuras como Ailes, que a partir contexto das eleições de 2014 e durante o golpe de 2016.
de então vão trabalhar para inviabilizar a agenda do presidente Em outras palavras, como todos estamos imersos no
democrata. Entre 2009 e 2011, a quantidade de notícias falsas ambiente noticioso em fluxo, muito daquilo em que acreditamos
cuja origem poderia ser atribuída à Fox News passou de 33% depende de como esse ambiente tem sido constituído. Assim,
para 54%. se nos Estados Unidos a Fox News se constrói enquanto força
Mesmo alguns republicanos moderados começaram a política, reagindo ao governo de Barack Obama, no Brasil o
perceber, antes da eleição de Trump, que o excesso de polarização fenômeno análogo pode ser identificado na ascensão da Jovem
que a Fox News produzia nos eleitores dificultava a negociação Pan a partir do governo Dilma.
no congresso com os democratas, e se perguntavam, então, se Isso significa que a Jovem Pan transformou o noticiário
a Fox News trabalhava para o partido ou se era o partido que em entretenimento, incorporando à sua grade programas como
trabalhava para ela. De algum modo, o autor não poderia antecipar o Pânico, cuja agenda conservadora é disfarçada em elementos
a ascensão de Trump, mas certamente essa autonomização antissistêmicos. Compreender a ascensão da Jovem Pan e o
da máquina de propaganda foi fundamental para quebrar o papel que ela tem hoje na produção do universo paralelo do
establishment do partido republicano. No Brasil, o mesmo poderia bolsonarismo é fundamental, ainda mais se considerarmos
ser dito com relação ao PSDB e a direita tradicional com a eleição que ela é a rede de rádio mais ouvida no Brasil, com maior
de Bolsonaro. capilaridade em diversas capitais e no interior, que acabou
promovendo e colocando em sua folha de pagamento jovens e
A atualização da Jovem Pan
não tão jovens articulistas da reação conservadora brasileira.
No contexto norte-americano, a ascensão da Fox News
Hoje, talvez, seja na Jovem Pan que os protagonistas do governo
como principal canal de TV a cabo noticioso dos Estados Unidos
bolsonaro, inclusive a facção olavista, encontram a sua maior

246 247
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

válvula de comunicação, sem grande enfrentamento crítico ou mais seguidores são aqueles que também atuam em programas
qualquer vestígio de boas práticas jornalísticas. de rádio e/ou TV e, sem dúvida alguma, a Jovem Pan é uma das
Em entrevista no portal Brazil Journal, de setembro de suas principais vitrines.
2019, o Tutinha, Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, Naturalmente a empresa mantém alguns comentaristas à
que herdou a empresa (Jovem Pan) de seu pai, declarava: esquerda do espectro político, como Thaís Oyama, pois manter
“Jornalismo é commodity. O que viraliza e gera audiência é a retórica da imparcialidade e do “dois ladismo”, como se todo e
opinião,” “E a gente adora um pauzinho, gente se pegando de qualquer fato pudesse ser reduzido a isso. Como argumentamos
porrada”. A matéria afirma, ainda, que, naquele momento, a acima, o “dois ladismo” é uma cortina de fumaça fundamental
rádio era líder de audiência no segmento matutino, com cerca de para sustentar a credibilidade do universo simulado que ajudam
200 mil ouvintes por minuto. a construir.
A virada do negócio começou quando introduziram as Ao apostar na retórica do confronto e da violência, a
transmissões das gravações dos programas de rádio para o Jovem Pan segue a mesma cartilha da Fox News. Claro que o
Youtube, prática que começou com o programa Pânico, em 2002, cenário brasileiro de mídia é um pouco mais pulverizado que o
e depois se expandiu para o show de horrores que são os seus estadunidense, afinal temos a Globo, a Bandeirantes, a Record
programas, verdadeiros simulacros do ambiente jornalístico com e, agora, a CNN Brasil, todos canais com forte presença no
toques de machismo, homofobia e combate ao “politicamente noticiário televisivo e que surfam na segmentação do mercado
correto”. Uma mistura de entretenimento e propaganda em que das notícias que produzem, mercado esse que é produzido pela
o produto vendido pode ser tanto um refrigerante quanto as polarização política.
ideias de um charlatão como Olavo de Carvalho. A Jovem Pan lançou, no dia 01 de maio, a plataforma de
Na folha de pagamento da Jovem Pan - seguindo o modelo streaming Panflix, que oferece conteúdo novo e ao vivo todos
Fox News - se misturam políticos fantasiados de comentaristas os dias e que está disponível para download em diversas
e jornalistas fantasiados de ideólogos. É considerando esse agregadoras de conteúdo. No último mês (provavelmente devido
modelo que já trabalharam para a rádio Reinaldo Azevedo, Marco à pandemia), a audiência aumentou nas plataformas de vídeo: 57
Antonio Villa, Joice Hasselmann, Rodrigo Constantino, Augusto milhões. Recentemente, o grupo fez uma parceria com a Google
Nunes, Samy Dana, Caio Coppola, Felipe Moura, dentre outros. para veicular, diariamente, notícias sobre o novo coronavírus.
Este último foi diretor de jornalismo e apresentador entre 2017 Embora a plataforma só tenha estreado em maio, em 27
e 2020. O que todos têm em comum é serem ou terem sido de janeiro o programa Pânico ressurgiu, já no estúdio novo da
ícones da virada conservadora que ajudou a destruir a hegemonia Jovem Pan, preparado para a Panflix. O convidado especial não foi
petista na política nacional. ninguém mais ninguém menos que o então Ministro da Justiça,
Além disso, os seus programas se tornaram salas de Sérgio Moro. Inclusive, como era de se esperar, a possibilidade
estar para agitadores de direita, como Olavo de Carvalho e a de Moro ser eleito em 2022 foi comentada no programa, ao que
juventude do MBL. Outro dado que os estudos têm mostrado é Moro respondeu que apoiaria Bolsonaro, pois, esse sim, tem
que a maioria dos “intelectuais de direita” atua muito nas redes pretensões à reeleição. Já ele, Moro, é só um ministro do atual
sociais, especialmente no Twitter. No entanto, os que possuem governo e que apoia o seu presidente. Um dos apresentadores diz

248 249
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

que há boatos de que há muito atrito entre Moro e Bolsonaro, ao remédios sem eficácia para as pessoas que chegam aos seus
que Moro diz que não, mas ninguém acredita - e, ao fim, Emílio consultórios cheias de convicções e de achismos. Um processo
Surita diz que, independentemente do que cada um quer, “a voz que começou pelo questionamento da autoridade do professor,
do povo é a voz de Deus”. do historiador, do jornalista, e que, agora, atinge a medicina e a
saúde pública. Talvez agora a sociedade desperte para os riscos
O quê a trajetória da Fox e da Jovem Pan pode ensinar ao da ignorância e do achismo como bandeiras políticas.
campo progressista?
O que estamos assistindo é a criação de um novo tipo de O que fazer?
“jornalismo”, que se alimenta de um discurso “antissistema”, Como temos destacado nos últimos artigos, é necessário
ao denunciar o suposto viés progressista da grande imprensa, combater a indústria da desinformação nos seus vários níveis
e se coloca, assim, como um contrapeso conservador. Mas o e mídias. Sem dúvida, um dos caminhos passa por apoiar a PL
problema não é a existência em si de um viés, de certo modo 1429/2020, que pretende Instituir a Lei Brasileira de Liberdade,
inevitável, nas questões humanas, mas, sim, a licença que a ideia Responsabilidade e Transparência na Internet. Isso é urgente,
da compensação acaba dando para todo o tipo de falsificação e pois do presidente aos nossos amigos, sabemos que muitos
manipulação das notícias para que se encaixem no universo da têm se formado pela internet e pelo show de “notícias” de canais
polarização política. A busca pela audiência (ou pelo aumento como Fox e Jovem Pan e suas relações espúrias com plataformas
no número de seguidores), agora, se sobrepõe à checagem dos e milícias digitais.
fatos, às boas práticas jornalísticas e mesmo à responsabilidade Enquanto isso, as redes sociais nos lembram uma fala de
que esses agentes deveriam ter ao propagar informações cujos Bolsonaro de 2017. O presidente teria dito a frase enquanto
efeitos massivos são sabidamente nocivos à coletividade. Em defendia o uso de uma possível “pílula do câncer”, para a qual
síntese, o que queremos dizer é que esse tipo de “jornalismo” ainda não haviam estudos científicos que comprovassem sua
abre portas perigosas, como as que estamos assistindo e pela qual eficácia: “Estive à frente para aprovar a fosfoetanolamina. Cura ou
passou a ideia de que basta tomar cloroquina que a pandemia não cura, não sei. Sou capitão do Exército, a minha especialidade
estaria resolvida. é matar, não é curar ninguém. Mas apresentei, junto com mais
Ao ceder à lógica do entretenimento, dos likes, e da alguns colegas, e aprovamos”..
polarização, os canais de notícias 24 horas se tornaram um Perguntamos ao nosso amigo bolsonarista se ele tomará a
dos focos da grande bolha de ignorância orgulhosa que não cloroquina. Resposta:
para de crescer. Você pode agora simplesmente escolher qual
“Eu não entendo vocês não, seus malucos comunistas. No
noticiário, qual jornalista, qual jornal se enquadra no seu gosto
início do ano eles já tinham mandado retirar todas as cloroquinas
pessoal e em suas crenças, as empresas de jornalismo cedem
da farmácia. Eu não sei quantos artigos existem falando que a
cada vez mais ao seu desejo, afinal, você quem as financia, direta
cloroquina não dá resultado. Mas, o que eu tenho visto aqui é
ou indiretamente. São essas certezas, estimuladas por esses
que tem mais artigos falando que funciona do que não funciona.
noticiários, que alimentam as convicções que fazem com que
Se eu tivesse doente eu tomaria. Com a maior certeza. Eu não
até os médicos sejam obrigados, como estão sendo, a receitar
entendo é se pode usar e em alguns casos funcionaram, por que

250 251
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

esses deputados não deixam? Porque a cloroquina custa 9 reais. política tem como objetivo manter o auditório agitado e ativo,
Você acha que as grandes empresas farmacêuticas que estão isto é, garantir que a “pequena maioria” que dá suporte a esses
ganhando com a covid só vão perder. Um remédio de 9 reais para genocidas permaneça entretida e consumindo. O filho mais novo
curar uma pandemia e vocês não querem! Vocês, todo mundo, é de Bolsonaro aguarda a sua boquinha na próxima eleição.
manipulado pelas grandes empresas. Tem gente que sarou com A cloroquina é, assim, uma triste metáfora de como o
isso. Não funciona para quem não toma. Se seu filho precisasse regime de verdade, que sustentava as democracias liberais, está
você não usaria? Ainda mais que tem um artigo que mostra que profundamente comprometido em países como o Brasil e os
pode funcionar. Vai ficar esperando cair do céu uma coisa que Estados Unidos. E, certamente, a trajetória da Fox News e da
não existe? Fica esperto. Contra o quê vocês estão lutando?” Jovem Pan são parte desse processo de erosão, que é bem mais
Ele mandou também um vídeo contra a indústria complexo, como temos explorado aqui neste espaço.
farmacêutica, estrelado por uma ativista norte-americana anti- A produção incessante de notícias tornou-se a mais
vacina, Judy Mikovitz. Ele ainda afirmou: “você sabe quantas importante fonte de poder político, mais relevante que partidos
pessoas estão morrendo de outras coisas e os hospitais falam e outros sujeitos tradicionais. E o universo paralelo da simulação
que é para ganhar dinheiro?” da notícia, o que se tem chamado de modo um tanto simplista de
fake news, como arma política, com seus agentes e estruturas,
Enfim, porque a cloroquina é tão importante para Trump e
é o fato mais relevante para compreendermos esse momento de
Bolsonaro?
pandemia que vivemos. Bolsonaro e Trump são os parasitas que
Para começar, é preciso deixar registrado que eles são os em simbiose se alimentam e são alimentados por esses universos
líderes de dois dos três países mais infectados do mundo. Parte paralelos.
da resposta passa por entender a penetração de canais como Fox
Ao reforçar a sensação de urgência, a pandemia acaba
News e a Jovem Pan. Nestes dois grandes países seus líderes
por aprofundar certos aspectos do atualismo, a pressa e a
divergiram da OMS e de suas próprias autoridades de saúde,
desconfiança com tudo e todos. Assim, por que confiar em seu
ainda assim continuam no poder de forma mais ou menos
médico ou nas autoridades de saúde? A verdade, como parece
estável e, se não estáveis, apoiados por pelo menos um terço de
sugerir nosso amigo bolsonarista, agora só pode ser medida pela
sua população.
quantidade de atualização do artigos.
É um escândalo, mas é a realidade. E sabemos, não podemos
Hoje, dia 20, pela manhã, nos deparamos com uma
confundir o desejo com o diagnóstico. Há interesses comerciais na
grande reportagem do The New York Times com o título “Como
questão da cloroquina, bem como perversidade em fazer pessoas
o filme Plandemic e suas falsificações se espalharam on line
voltarem a trabalhar, seguras de que há uma cura, e morrerem
amplamente”. Trata-se de uma bela investigação de como as
em casa para demorarem a entrar nas estatísticas (se entrarem).
redes sociais e setores da mídia promoveram mais uma vez um
O “milagre da cloroquina” é, antes de tudo, uma fake news, uma
ataque orquestrado à verdade. A matéria registra o esforço de
simulação eficaz da realidade, mais do que uma simples mentira.
algumas plataformas para banir o vídeo e de diversos grupos
Essas simulações atendem a diversas demandas e desejos,
para produzir contra-vídeos refutando as mentiras exploradas
afinal, quem não quer uma cura milagrosa? Mas sua exploração
no falso documentário.

252 253
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer

Mas como podemos constatar pelos comentários de


ontem de nosso amigo bolsonarista, Plandemic já está sendo
tratado como a mais real das verdades nas suas bolhas e sendo
10
acoplado a novas narrativas que dão sentido aos multiversos
conspiracionais. Em uma pesquisa hoje cedo no Youtube, apesar
de haver realmente diversos vídeos refutando Plandemic, e de ele
não estar mais disponível, o primeiro vídeo que o youtube nos
Vídeo revela que Bolsonaro é
mostrou foi a live de um youtuber inglês que estava a caminho prisioneiro das alucinações olavistas1
de uma entrevista com a controversa médica do documentário,
prometendo refutar todos os argumentos da mídia tradicional. Por trás de simulações alucinadas, Bolsonaro admite que trocou
diretoria do IPHAN para beneficiar o amigo Luciano Hang
Ou seja, hoje você pode escolher viver no universo paralelo,
agitado e divertido da cloroquina, ou enfrentar a realidade dura
#Sextou. O decano do STF, ministro Celso de Mello,
e assustadora da tubaína. Qual pílula vai tomar? A pergunta,
decidiu, nesta tarde, que o vídeo da reunião ministerial, ocorrida
inspirada no universo do filme Matrix, também já foi corroída
no dia 22 de abril, deveria ser divulgado na íntegra, mantendo
pela guerrilha digital. A Matrix é sempre a realidade do outro.
sigilo para “determinados Estados estrangeiros”. Provavelmente,
Assim, na noite da selva digital, toda as pílulas são cinzas.
a China, já que vemos uma interrupção da fala onde o Ministro
da Educação afirma que o Partido Comunista [chinês] pretende
transformar o Brasil numa colônia.
O vídeo faz parte do processo de investigação das denúncias
feitas pelo ex-ministro Sérgio Moro sobre as interferências de
Bolsonaro na Polícia Federal. Em meados de maio, Moro pediu
para que o vídeo fosse divulgado, pois seu conteúdo confirmaria
suas acusações ao presidente. Desde então, só vieram a público
alguns trechos de falas do presidente, transcritos pela Advocacia-
Geral da União (AGU), que o defende. Um deles é este a seguir:
“Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro
oficialmente e não consegui. Isso acabou. Eu não vou esperar f...
minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu não
posso trocar alguém da segurança na ponta da linha que pertence
Fonte: The New York Times. à estrutura. Vai trocar; se não puder trocar, troca o chefe dele;
não pode trocar o chefe, troca o Ministro. E ponto final. Não
estamos aqui para brincadeira”.

1  Publicada no site: Jornalistas Livres em 22/05/2020.

254 255
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Vários políticos de oposição ao governo passaram a pedir ao proteções sociais, tentando não confrontar o delírio coletivo de
STF que tornasse público o vídeo da reunião, como o deputado seus colegas e usando a pandemia como cortina de fumaça para
federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e o senador Randolfe Rodrigues avançar suas agendas.
(Rede-AP). Os meios de comunicação também criaram grande
expectativa em relação ao vídeo. Seria a bala de prata de Moro, A reunião é um retrato do que é esse governo.
do lavajatismo versus o bolsonarismo. Como disse um amigo, A conclusão que chegamos é que o grupo olavista do
hoje assistiríamos o fim de uma temporada. governo vive em estado permanente as alucinações alimentadas
Em reação às três notícias-crime e a decisão de Celso de pela própria máquina de fake news que ajudam a alimentar. O
Mello, o general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de que os torna ainda mais perigosos para a democracia e a saúde
Segurança Institucional (GSI), rapidamente publicou uma pública, como tem sido amplamente demonstrado.
“Nota à Nação Brasileira” em seu Twitter, na qual afirma que o Algo a ser notado é o estado emocional que os gestos e a
pedido de apreensão do celular do presidente é “inconcebível” e linguagem do presidente revela, estressado, assustado, agressivo.
“inaceitável” e diz que o GSI “alerta as autoridades constituídas Se faltassem ainda motivos para o impedimento de Bolsonaro,
que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer o vídeo revela que temos boas razões para duvidar de sua saúde
a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências mental.
imprevisíveis para a estabilidade nacional”. Seria isso uma ameaça Além disso, a fala do Ministro do Meio Ambiente mostra
ao STF? Umas das pessoas que melhor resumiu a situação foi a que o governo está usando a Covid para “passar a boiada”: “Então
senadora Kátia Abreu: “É muita ousadia e pretensão assistir a pra isso precisa ter um esforço nosso, aqui, enquanto estamos
um ministro, general do glorioso Exército Brasileiro, ameaçar a neste momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de
DEMOCRACIA. Faça-me o favor, meu senhor”. imprensa, porque só fala de COVID e ir passando a boiada e
O que percebemos é que Heleno tentou pautar o debate, a mudando todo o regramento e simplificando normas. De IPHAN,
recepção, e já mobilizou as redes bolsonaristas. Nessa direção, do ministério da Agricultura, de ministério de Meio Ambiente,
a expressão que mais ouvimos até agora é que o tiro saiu pela de ministério disso, de ministério daquilo. Agora é hora de unir
culatra. Se um dos efeitos do Bolsonarismo é a corrosão da esforços para dar de baciada a simplificação, é de regulação que
democracia e suas instituições, substituindo-a por uma versão nós precisamos, em todos os aspectos”. Muito grave e sincero.
simulada e fantasiosa de poder, o que a reunião mostra é que os Revela que a catástrofe que estamos vivendo é de alguma medida
seus principais personagens vivem a simulação como realidade. produzida e estimulada por um projeto genocida.
É certo que figuras como Mourão e outros parecem A recepção de nosso amigo bolsonarista confirma a
deslocados do universo compartilhado pela ala chamada alucinação coletiva e mostra que a revelação do vídeo serviu,
ideológica. Weintraub, Damares e Ernesto Araújo fazem parte entre os bolsonaristas, para reforçar a confiança na figura do
do mesmo arco narrativo e não saem dele. Além dos militares e Bolsonaro, pois o mito vai se transformando em humano: “velho,
de Moro, que parecem tentar manter alguma distância do circo, você pode não acreditar, mas o único que pode quebrar essa roda
figuras como o ministro do Meio Ambiente e Paulo Guedes que existe no país. [...] O problema dele é que ele tem uns filhos,
procuram inserir suas agendas de desmonte do Estado e das ele tem uma vida, um monte de coisas. Pra mim, ele é único cara

256 257
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

que está tentando mudar. E tá todo mundo puto com isso. [...] em mente: os bons homens brancos. Cidadãos de bem!
Pode ter corrupção do filho dele, ele tá correndo atrás do que Um último fato: quando Bolsonaro grita que vai interferir
é dele. Mas, no geral, ele tá querendo quebrar o sistema. [...] nos serviços de informação é mesmo para Sérgio Moro que ele
E a Globo vai perder. Ele vai derrubar a Globo, coisa que nem olha. Afinal, o presidente patriarcal vai nos espionar para o
o Lula conseguiu. E hoje estamos vendo isso. É o início do fim nosso próprio bem, como um pai que ouve atrás da porta. Em
da Globo. Ela vai se f. [...] Sei que ele erra e tem um monte de outro trecho ele revela que mudou a diretoria do IPHAN para
coisas erradas, mas os fins que estão acontecendo, vão justificar beneficiar uma obra de Luciano Hang.
os meios daqui para frente”. Enfim, os bolsonaristas estão recebendo o vídeo como uma
Enfim, sem oposição efetiva e luta Bolsonaro não cai. vitória, ele confirma todas as suas alucinações. Uma análise mais
Nem mesmo após milhares de mortes, que poderiam ter sido pontual revela que por trás das simulações alucinadas o que
evitadas por uma ação organizada de seu governo. O atualismo predomina é o velho hábito de tratar o Estado como o espaço
pode criar a ilusão que ele cairá pelos seus próprios erros e pela doméstico em benefício dos amigos. A respeito dos comentários
briga entre o bolsonarismo e os que o apoiaram até ontem. Só do Ministro da Educação, sobre prender os juízes do Supremo,
que não. Comentários feitos em um chat do Youtube, onde o cabe à corte reagir ou confirmar a ideia que basta mesmo um
vídeo da reunião estava sendo transmitido, mostram que muitos cabo e um sargento para fechá-la.
bolsonaristas só reforçaram a sua visão ao assistir a reunião, e
isto os levava a prever a reeleição de seu “mito” em 2022. Sem
ação política e política nada se transforma efetivamente. E isso
não é fake! É a mais pura verdade.
Talvez o tema novo, que fique visível na fala de Bolsonaro,
é sua decisão de fazer e pedir ao ministros - que antes deveriam
ser técnicos - que façam política. Era já os efeitos da aproximação
com o centrão e o medo real do impeachment.
Assim, o principal evento da semana não foi a divulgação
do vídeo, e sim o movimento Sleeping Giants, que tornou
um pouco mais visível a política oculta das grandes empresas
na horas de distribuir suas verbas de publicidade. Mas essa
novidade vai apenas ser mais uma força a polarizar e politizar
todos os aspectos da vida cotidiana. Talvez seja a realidade dessa
fragmentação que alimente o desejo paranoico de Bolsonaro e
seus discípulos olavistas pela unidade do “povo”, mesmo que
isso seja obtido pela destruição dos que são “diferentes”, negros,
mulheres, pobres, indígenas, ciganos, os de esquerda. Aliás, um
olhar rápido em seu ministério revela o tipo de povo que ele tem

258 259
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Parte III
Hiperlinks

260 261
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

O novo coronavírus (SARS-CoV-2) e a COVID-19


SARS-CoV-2 é o novo vírus da família coronavírus, a
mesma que causou a pandemia de síndrome respiratória aguda
grave (Sars) entre 2003 e 2004, e o Mers-CoV, responsável
pela síndrome respiratória do Oriente Médio, descoberta em
2012. São chamados de “coronavírus” por possuírem a forma
semelhante a uma coroa, quando vistos em microscópio.
Alguns coronavírus podem causar sintomas semelhantes
a uma gripe. A classificação atual dos coronavírus reconhece 39
espécies em 27 subgêneros, cinco gêneros e duas subfamílias
que pertencem à família Coronaviridae. Recentemente, estudos
de vigilância molecular identificaram pelo menos 60 novos
coronavírus de morcego na China, América do Norte, Europa
e África. São conhecidas seis espécies de coronavírus humanos,
sendo sete linhagens. Das linhagens que afetam humanos,
quatro já foram encontradas no Brasil. Camelos, roedores e, em
caso raro, bovinos são fontes de coronavírus que passaram a
contaminar humanos.
Segundo o virologista Eduardo Brandão, cavalos, galinhas,
cães e gatos também abrigam variedades de coronavírus, embora
até agora menos letais ou capazes de contaminar humanos. Os
de morcegos e roedores, ao que parece, são mais “preparados”
para “saltar” para humanos por terem receptores celulares que
podem “aderir” às células humanas. O ar de cavernas habitadas
por morcegos podem ser fonte de contágio. Já foram identificadas
variedades “brasileiras” de coronavírus em animais silvestres.
Em geral, o risco principal está na manipulação e no contato com
o sangue e fluidos de animais mortos, em particular os fluidos
do pulmão ou intestino, que podem estar contaminados.
A origem do SARS-CoV-2 ainda é alvo de pesquisas. O
vírus mostrou muita similaridade genômica com um vírus de um
morcego coletado na China. Assim, os morcegos são a provável
origem. Aliás, eles já são os identificados como a origem do Sars-
CoV de 2003. Investiga-se se o hospedeiro intermediário possa

262 263
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

ter sido ratos de bambu ou pangolins. Embora ainda não haja uma adotados alguns hábitos a fim de evitar o contágio, como a
comprovação, muitos especialistas acreditam que os mercados de lavagem correta das mãos com sabão, o uso do álcool em gel 70%,
animais silvestres, muito comuns na China, possam ter facilitado evitar aglomerações de pessoas, mantendo-se a uma distância de
o contágio entre os animais e dos animais para os humanos. pelo menos 1 metro, o uso de máscaras e evitar tocar o rosto
No entanto, é preciso tomar cuidado para não atribuirmos o com as mãos, especialmente na região dos olhos, nariz e boca.
espalhamento da doença à cultura chinesa propriamente, pois Muitos países adotaram estratégias variadas de bloqueios e
o hábito da caça e do consumo de animais silvestres é algo que isolamento obrigatório e voluntário, para evitar que a pandemia
também ocorre em quase todo o mundo, inclusive no Brasil, e piore ao “achatar a curva de transmissão”. A ideia é procurar
esse preconceito acaba justificando xenofobia contra os chineses. mitigar, minimizar e desacelerar a transmissão e disseminação
Esse tipo de preconceito tem dado lugar a mentiras que viralizam, do vírus para diminuir o número de mortos e evitar a sobrecarga
como a da inventada sopa de morcego de Wuhan. dos hospitais e sistemas de saúde.
Embora algumas teorias da conspiração digam que o vírus Como esta é uma doença que pode causar uma pneumonia
foi feito em laboratório – seja por norte-americanos para atacar grave, o uso de respiradores por longos períodos, até duas
os chineses ou o contrário – não há nenhum traço genético que semanas, é necessário, o que implica a ocupação de muitos
indique que o vírus tenha sido manipulado ou de que tenha leitos de hospitais e pode elevar muito o número de mortes, caso
havido qualquer vazamento a partir de laboratórios militares, haja um colapso do sistema de saúde. Por isso, a recomendação
como muito se especulou entre os ativistas de direita e de geral é que todas as pessoas que possam fiquem em suas casas e
extrema-direita, em diversas partes do mundo. evitem ao máximo sair ou ter contato com outras pessoas.
A doença causada pelo novo coronavírus recebeu o nome De modo que as três principais estratégias no combate
de COVID-19, sigla para a expressão inglesa Doença por à pandemia, são: distanciamento social, testagem em massa
Coronavírus de 2019. Os sintomas COVID-19 podem variar, e isolamento dos casos identificados. O recurso à chamada
dentre outros, de um resfriado até uma pneumonia grave, “imunidade de rebanho” foi descartada pelas autoridades em
incluindo tosse, febre, coriza, dor de garganta e dificuldade de função, principalmente, dos altos índices de perdas humanas
respirar. Algumas pessoas podem ser mais afetadas pelo vírus, envolvidas. A expressão era usada para descrever o fato de que
como os idosos ou pessoas com doenças crônicas. Mas o fato quando uma grande parcela de uma população está imunizada
é que há ainda um grande desconhecimento acerca dos efeitos por meio de vacina, mesmo aqueles que não estão, ficariam
do vírus em humanos, mesmo a caracterização da doença como livres do risco de contaminação. Algumas pesquisas estimam
uma doença respiratória tem sido questionada, em função que, para isso acontecer, seria necessário que ao menos 95%
do comprometimento de outros órgãos além dos pulmões. O da população fosse imune. No caso da COVID-19, como não há
período de incubação do vírus é de 1 a 14 dias, por isso pessoas vacina, a imunização acontece por meio da resposta imune, após
com suspeita de contágio devem ficar em quarentena por duas se contrair a doença. Logo, considerando os índices de letalidade,
semanas, para que se possa verificar se ela apresentará sintomas. o número de vítimas seria insustentável ou o tempo para que
Ainda não há vacinas ou remédios comprovadamente essa imunização ocorresse bastante alongado.
eficazes no combate à COVID-19. A OMS orienta que sejam

264 265
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Cambridge Analytica a empresa parece ter usado também dados privados obtidos de
A Cambridge Analytica (CA) foi criada em 2013 como um outras fontes digitais e analógicas e mesmo por métodos escusos,
desdobramento da empresa britânica de mineração de dados como foi possível inferir após a divulgação de um vídeo gravado
Strategic Communication Laboratories (SCL Group). Atuou na secretamente pela emissora de televisão britânica Channel 4, no
política dos Estados Unidos, ajudando a eleger Ted Cruz, para qual Alexander Nix, então diretor executivo, sugere que um dos
senador no Texas, e Donald Trump para presidente em 2016, métodos possíveis de serem usados em uma campanha eleitoral
além de ter influenciado na saída do Reino Unido da União seria enviar garotas de programa à casa do adversário para
Europeia, no referendo apelidado de Brexit. Seus principais provocar um escândalo.
investidores foram Robert Mercer, um bilionário ativista A SCL Group teria atuado em processos eleitorais de vários
ultraconservador, e Steve Bannon, então diretor-executivo da países e colaborado com os Departamentos de Defesa dos EUA e
campanha de Trump e dono do portal envolvido na difusão do Reino Unido, no Oriente Médio e no Afeganistão. De acordo
de opiniões e fake news conservadoras, Breitbart News. Uma com Christopher Wyllie, eles teriam trabalhado nas eleições de
mistura de propaganda e jornalismo que replica o modelo dos mais de 200 países pelo mundo. Em um dos vídeos gravados pela
infomerciais para o mundo da política. Vale lembrar que os Channel 4, um dos diretores da empresa se gaba de ter atuado
infomerciais nascem nos Estados Unidos na década de 1980 na Malásia, na Austrália e no México e diz que eles viriam para
justamente após desregulamentações que permitiam esse o Brasil. Para Britanny Kaiser, ex-funcionária da CA, o candidato
tipo de confusão entre propaganda comercial e programas brasileiro teria sido provavelmente Jair Bolsonaro. Ela disse não
informativos de entretenimento ou jornalismo. Rapidamente o ter tido acesso ao nome do candidato, mas acredita que o modo
modelo passou a ser adotado por tele-evangelistas e, finalmente como a campanha de Bolsonaro operou é muito parecido com
chegou ao mundo da política. aquele usado para eleger Donald Trump.
Em 2018, a Cambridge Analítica tornou-se mais conhecida
Apoio evangélico a Bolsonaro
devido a uma polêmica envolvendo o Facebook. Dados de
milhares de usuários foram usados para direcionar propagandas Jair Bolsonaro foi eleito presidente com um grande apoio
políticas, de forma a fazer com que as pessoas votassem em do eleitorado evangélico. Quase um terço da população brasileira
Trump. Tal informação veio à tona quando um ex-funcionário é de alguma denominação cristã evangélica e, dentre eles, 42%
da empresa, Christopher Wylie, decidiu denunciá-la. Para traçar votaram em Bolsonaro. Embora seja católico, o atual presidente foi
um perfil dos usuários era utilizado o modelo comportamental batizado por um pastor, no rio Jordão, em 2016, e costuma ir aos
conhecido como Big Five (Cinco Grandes) ou pela sigla OCEAN, cultos na igreja frequentada pela esposa. Seu lema de campanha
que avalia os seguintes aspectos, através das ações dos usuários foi “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”. A aliança com
no Facebook: abertura para experiências, conscienciosidade, grandes lideranças evangélicas de importantes denominações
extroversão, irritabilidade e amabilidade. como a Assembleia de Deus e a Igreja Universal, bem como o
combate a pautas progressistas como a legalização do aborto e
Ao traçar o perfil de um usuário do Facebook, torna-se
o casamento homoafetivo fizeram com que muitos pastores o
possível para a empresa produzir propagandas e gerar conteúdos
apoiassem e orientassem seus fiéis a votar neste candidato. No
compatíveis com as suas crenças e o seu estilo de vida. No entanto,

266 267
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Brasil, assim como nos Estados Unidos, a mistura entre religião, Infodemia
negócios, política e entretenimento é um forte realidade. Muitas A palavra infodemia foi usada pela primeira vez em 2003,
dessas lideranças são tele-evangelistas, a principal delas, o Bispo durante a epidemia de Síndrome Respiratória Aguda (SARS),
Edir Macedo, é dono de um dos principais canais da TV aberta em um artigo de David Rothkopf, no jornal Washington Post, para
brasileira. caracterizar notícias que misturam medo, especulação e rumores,
O discurso de Bolsonaro nem sempre foi tão religioso: e que são amplificadas pelas novas tecnologias da informação,
foi a partir de 2013, ao se aproximar do então presidente afetando a política, a economia e até mesmo a segurança dos
da Comissão de Direitos Humanos, Marcos Feliciano, que países. O termo ganhou repercussão ao ser usado em 2020, desta
ele passou a ter mais contato com a “Bancada Evangélica”. vez pela Organização Mundial da Saúde: em 15 de fevereiro, na
Marcos Feliciano, pastor da igreja neopentecostal Catedral Conferência de Segurança de Munique, o diretor-geral da OMS,
do Avivamento e vice-líder do governo no Congresso, e Silas Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que a infodemia se espalha
Malafaia, pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, hoje mais rápido que o coronavírus e que, caso não fosse combatida,
são alguns dos principais conselheiros de Bolsonaro. A Frente ela poderia levar a um caminho de divisão e desarmonia.
Parlamentar Evangélica, popularmente conhecida como Bancada Há diversos casos de políticos e meios de comunicação em
Evangélica, compõe atualmente boa parte do Parlamento: massa que contribuem para a propagação de notícias falsas e
dos 594 parlamentares, 203 pertencem ao grupo, sendo 195 teorias conspiratórias: na China, um representante do governo
deputados e 8 senadores, o que significa mais de 30% dos disse que o coronavírus tinha sido trazido dos EUA; na Rússia,
parlamentares. Os partidos que têm maior adesão a essa frente houve quem sugerisse que o vírus havia sido criado em um
são Partido Social Liberal (PSL), Partido Social Democrático laboratório americano. Nicolas Maduro, da Venezuela, disse que
(PSD), Republicanos, Partido Liberal (PL), Progressistas (PP) o vírus provavelmente era uma arma biológica feita para atacar
e Movimento Democrático Brasileiro (MDB), embora haja a China. Por sua vez, Trump disse que o coronavírus não é pior
representantes de diversos outros partidos. A maior parte de que uma gripe e espalhou notícias incertas sobre indicações
seus componentes é de homens autodeclarados brancos. Em médicas, da mesma forma que, logo em seguida, faria Bolsonaro,
2019, este grupo de parlamentares foi considerado o mais no Brasil; e, assim, trilhamos o caminho de divisão e desarmonia
governista dos últimos cinco mandatos presidenciais pelo temido por Ghebreyesus.
Estadão, pois 90% dos seus votos foram a favor do governo. A infodemia pode adoecer: houve casos de pessoas
No livro Do Fake ao Fato: (des)atualizando Bolsonaro, internadas, nos EUA, após beberem água sanitária por indicação
organizado por Bruna Klem, Mateus Pereira e Valdei Araujo, de Trump, acreditando que isso as livraria do novo coronavírus.
há algumas reflexões pertinentes a respeito da relação entre a Da mesma forma, há transtornos psicológicos associados
eleição de Bolsonaro e o apoio que ele recebe de boa parte da ao fluxo intenso de informações: a FOMO e a SIF. O medo
parcela evangélica da população. Embora o estado seja laico e de estar perdendo algo (Fear Of Missing Out) é o que faz as
as Ciências Humanas tenham se acostumado a pensar de forma pessoas checarem as suas redes sociais a todo momento, com
secular, não é possível ignorar a influência neopentecostal dentro a preocupação de ficarem desatualizadas, o que gera ansiedade
da política brasileira. e pode se transformar em depressão. Já a Síndrome da Fadiga

268 269
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Informativa foi definida pelo psicólogo britânico David Lewis, novo coronavírus. Além disso, a Organização também requisitou
como uma ansiedade decorrente do excesso de informações, que que Google, Facebook e Twitter gerenciassem as informações
pode prejudicar a capacidade analítica e a tomada de decisões da divulgadas, a fim de restringir a propagação de notícias falsas.
pessoa que dela sofre. No Brasil essa medida levou ao desaparecimento de algumas
A nível individual, o que devemos fazer para diminuir a postagens de pessoas públicas como o próprio Presidente. No
infodemia é nos questionarmos a respeito de algumas coisas âmbito nacional, alguns deputados e senadores brasileiros se
antes de compartilharmos a informação recebida. Procurar saber uniram para protocolar um projeto de lei na Câmara e no Senado
as fontes é importante, como, por exemplo se quem produziu a com o objetivo de diminuir a divulgação de fake news no Brasil.
informação tem alguma autoridade para falar sobre o assunto.
Atualismo
Saber quais são os motivos que levaram essa pessoa (ou
empresa) a disseminar tal informação. Checar se alguém pode Atualismo é uma categoria desenvolvida no livro Atualismo
se beneficiar ou lucrar com isto. Verificar se é possível examinar 1.0: como a ideia de atualização mudou o século XXI, que busca
esta informação em outros sites, reconhecidamente confiáveis. compreender alguns aspectos de como vivenciamos o tempo
Pensar se, ao disseminar a notícia, causaria pânico desnecessário. hoje.
Em abril, a Rede de Informação da OMS para Epidemias As palavras atualização, em português, e update, em
(EPI-WIN) realizou uma consulta on-line global sobre o inglês, ganharam destaque a partir de meados dos anos 1960,
gerenciamento da crise em relação ao novo coronavírus. A consulta significando o melhoramento de algo através de sua adequação
reuniu ideias de um grupo interdisciplinar de especialistas e ao presente, ou seja, através de uma versão mais nova. Hoje,
participantes de webinários, além de muitas ideias enviadas a a experiência está consagrada na vida cotidiana, assim como
partir de um fórum online. Essas sugestões formarão a base de na pressão das empresas em oferecer produtos e serviços em
uma estrutura que pretende orientar as ações dos governos e constante atualização. Sejam eles um programa de computador,
instituições de saúde pública. A estrutura é construída em torno um celular ou um aplicativo. As pessoas esperam que eles
de quatro princípios fundamentais: 1. Intervenções e mensagens estejam atualizados e em constante atualização.
devem ser baseadas em ciência e evidência; 2. Esse conhecimento Nesse sentido, ser novo não é sinônimo de estar atualizado.
deve ser apresentado de maneira acessível a todos os setores de Você pode comprar um telefone novo, em uma promoção, por
todas as sociedades; 3. Os governos devem procurar as principais exemplo, mas ele já estar desatualizado em relação a versão
comunidades para entender suas preocupações e necessidades mais recente. Muitas empresas, hoje, vendem produtos, que
de informação, para adaptar melhor os conselhos e mensagens rapidamente se tornam obsoletos, com o objetivo de induzir,
que podem ajudar essas comunidades a abordar seus públicos; 4. por exemplo, a compra de uma nova versão ou geração do
Parcerias estratégicas devem ser formadas com as mídias sociais mesmo produto. Esse fenômeno é conhecido por obsolescência
e plataformas de tecnologia e partes interessadas e relevantes, programada e hoje é uma prática generalizada, a ponto de todos
como as da academia e da sociedade civil. estarmos dispostos a pagar ou aceitar a atualização automática
A OMS estabeleceu um canal de comunicação, via WhatsApp, de produtos e serviços sem pensar muito nas vantagens e
que funciona 24 horas por dia para esclarecer dúvidas sobre o desvantagens dessa escolha.

270 271
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Nesse contexto de mutação da técnica, o futuro tende a levar pelas energias liberadas, por exemplo, pelo fluxo contínuo
deixar de ser um espaço de esperança de transformação, para se de notícias no smartphone, televisão ou computador, conectados
tornar uma cópia atualizada e, por isso mesmo, supostamente à internet. Os sentimentos básicos em relação à agitação
melhorada, do presente. Não apenas a obsolescência é temporal, que alguns líderes políticos manejam muito bem, são,
programada como torna-se necessário pagar pelos serviços de em especial: ansiedade, provocada pela liberação energética, do
atualização continuada. Ao trocar sua coleção de vinis ou de lado dos atualizados e nostalgia ou desejo de quietude pelo lado
CDs por uma assinatura de um serviço como o Spotify, você dos obsoletos. Claro que esses dois lados existem em cada um de
deixa a estabilidade de seu pequeno repertório para entrar na nós em graus variados, assim como podem variar em intensidade
instabilidade de um repertório virtualmente ilimitado. O acesso a depender da conjuntura; podem inclusive atuar em um mesmo
a esse universo musical depende da atualização mensal da conta indivíduo como pólos complementares que se compensam em
que se deve pagar pelo serviço. busca de equilíbrios dinâmicos.
A temporalidade é sempre fragmentária e pluridimensional Um dos efeitos do tempo atualista é a crença de que estar
e com o atualismo não seria diferente. A pressão por atualização atualizado com as últimas notícias é o mesmo que estar certo. A
se relaciona com sentimentos como a ansiedade e a nostalgia, o expansão dos canais de notícias 24 horas e das novas plataformas
que possibilita que pensemos alguns modelos de existência social digitais se alimentam dessa pulsão atualista pela atualização.
frente à experiência de tempo atualista. De um lado, há sujeitos Nesse ambiente, as fake news tendem a dominar. No lugar de
obsoletos, que se sentem inadequados ao tempo presente e têm checar fontes, buscar suas origens e consequências, toda a nossa
dificuldades em acompanhar as mudanças tecnológicas do dia a energia é capturada pelo próprio fluxo contínuo das notícias e de
dia; de outro, há sujeitos atualizados, que se utilizam das novas seus comentadores. Não parece casual que a hibridização entre
tecnologias e sabem lidar com a pressão pela constante atualização, propaganda, comerciais, religião, política e entretenimento seja
tirando proveito desse movimento de repetição com novidades. um fenômeno simultâneo ao tempo atualista. Assim, não por
Há, também, é claro, modulações desses tipos. Nesse sentido, acaso, a política atualista é dominada por infomerciantes, tele-
a situação atualista é caracterizada por uma percepção de que a evangelistas e subcelebridades opiniáticas digitais.
realidade se reproduz automaticamente. É uma situação que cria a Para sobreviver à ansiedade e à nostalgia do atualismo, assim
ilusão de que a ação não vale a pena, não é possível ou necessária. como poder sair do fluxo contínuo de apropriações do passado e
Essa percepção produz ondas frequentes e contínuas de do futuro pelo tempo presente, é necessário criar possibilidades
obsolescência e de atualização, seja no âmbito tecnológico ou no de desatualização e de atualizações próprias, o que é mais do que
social. Afinal, “em 20 minutos tudo pode mudar”? As repetições desacelerar o tempo. Oscilar entre o atual e o inatual é entender
com novidades, que se sobrepõem a cada minuto, e a aceleração que podemos ainda ter um papel sobre o futuro, que o presente
tecnológica se tornaram constantes, fazendo com que a expectativa pode ser futurizado e passadizado por decisões que podemos
de mudança também seja constante, o que causa uma agitação tomar coletivamente. O futuro, em especial, não tem de ser
temporal que dificulta a identificação e a produção de rupturas. apenas uma escolha entre um destino único e homogêneo ou a
A agitação temporal tende a dificultar a parada reflexiva, catástrofe, como fica subjacente na temporalidade atualista.
induzindo obsoletos e atualizados a simplesmente se deixarem

272 273
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Cloroquina e Hidroxicloroquina falsas e teorias da conspiração bolsonaristas, que cogitaram a


A cloroquina, droga que se tornou famosa por ser a mais possibilidade de que os médicos estivessem exagerando nas
testada no combate ao coronavírus no mundo, é usada no doses apenas para contrariar as falas do Presidente.
Brasil desde os anos 1950 no tratamento de diversas doenças,
Mandetta, um médico-político no Ministério da Saúde
especialmente lúpus e malária. A hidroxicloroquina é uma versão
mais leve e nova do medicamento, com menos efeitos colaterais. Luiz Henrique Mandetta é médico ortopedista, formado
No Brasil, a maioria das pesquisas em andamento sobre a eficácia pela Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro. Possui pós-
da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento contra a graduação em ortopedia pediátrica, pela Universidade Federal de
COVID-19 acontece em São Paulo, Manaus e Fortaleza. Mato Grosso do Sul e especialização em ortopedia pediátrica pela
Emory University em Atlanta (EUA). Após terminar os estudos,
A droga tornou-se famosa depois do presidente Donald
serviu como médico militar no Hospital Central do Exército no
Trump dizer, em 19 de março de 2020, que ela tinha potencial
Mato Grosso do Sul, recebendo a patente de tenente. Também
para combater a pandemia. Dois dias depois, Jair Bolsonaro pedia
atuou como presidente da empresa Unimed, em Campo Grande,
ao exército que intensificasse a produção de cloroquina. O apoio
de 2001 a 2004.
de Trump à droga tem como base um estudo do microbiologista
francês Didier Raoult, trabalho criticado mundialmente por Mandetta entrou para a política em 2005, quando seu
diversos cientistas, por ter sido feito com uma amostra pequena primo, Nelson Trad Filho, foi eleito prefeito de Campo Grande
e por ter excluído os seis pacientes que pioraram dos resultados e o convidou para assumir a Secretaria de Saúde da cidade. Sua
publicados (um deles, inclusive, chegou a óbito). Um estudo família, aliás, possui vários membros na política: seu pai foi
feito por médicos estadunidenses e publicado no New England vice-prefeito de Campo Grande, um tio e vários primos já foram
Journal of Medicine, em 21 de abril de 2020, que analisou 368 vereadores, prefeitos, deputados estaduais e deputados federais.
militares veteranos hospitalizados indica que a droga não apenas Nelson Trad Filho, mais tarde, se tornou senador. Após deixar a
não tem eficácia contra o coronavírus, como pode estar associada Secretaria de Saúde, Mandetta continuou na política; candidatou-
a mais mortes. A divergência sobre o uso da cloroquina foi um se a deputado federal pelo Mato Grosso do Sul, trocando o MDB
dos fatores que levou à demissão do ministro Luiz Henrique pelo DEM, em 2010. Foi eleito e exerceu o cargo de 2011 a 2019,
Mandetta e ao pedido de demissão de Nelson Teich. Enquanto período em que também foi escolhido pelos seus pares para ser
o Ministério da Saúde indicava que o medicamento fosse usado presidente da Comissão de Seguridade Social da Família da
apenas em casos graves, o Presidente defendia que ele fosse Câmara. Foi reeleito em 2014 e atuou como deputado até 2019.
administrado desde o início do tratamento. Mandetta é maçom e católico. É contra o aborto, mas
Alguns dos seus efeitos colaterais são arritmia, danos à é a favor do uso medicinal da maconha. Em 2013, durante o
visão e à audição. Até o dia 21 de abril, a Comissão Nacional de governo da presidente Dilma Rousseff (PT), fez forte oposição ao
Ética em Pesquisa (Conep) havia aprovado 12 estudos sobre a programa Mais Médicos, dizendo que o programa era uma peça
cloroquina no Brasil. Um desses estudos resultou na morte de 11 de marketing do governo e que os médicos cubanos vinham em
pessoas que estavam recebendo altas dosagens do medicamento, um “navio negreiro”. Também votou a favor do impeachment da
em Manaus. A morte dessas pessoas foi alvo de notícias presidente, em 2016. Há, no Ministério Público, uma denúncia

274 275
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

contra Mandetta, que foi investigado por suspeita de fraude em O termo hikikomori foi cunhado em 1998 pelo psicólogo
licitação, tráfico de influência e caixa dois, durante o período Tamaki Saito, em seu livro Isolamento social: uma adolescência sem
em que foi Secretário em Campo Grande, mas a acusação nunca fim, e se refere às pessoas, em sua maioria homens, que se isolam
foi apresentada. Aproximou-se de Bolsonaro quando ambos física e socialmente, ficando seis meses ou mais sem sair de casa
eram deputados e ele era vice-presidente do diretório nacional ou mesmo do quarto. Embora haja mais casos no Japão, foram
do DEM. Mais tarde, em 2019, tornou-se Ministro da Saúde do encontrados casos de hikikomoris em outros países como Estados
governo Bolsonaro – cargo do qual seria demitido após inúmeras Unidos, na Coreia do Sul e na Índia.
disputas, entre ele e o Presidente, a respeito do modo de lidar com Esta palavra pode significar tanto a pessoa que vive isolada
a pandemia do coronavírus e a crise econômica a ela associada. quanto a sua condição. Identificado inicialmente no Japão, o
fenômeno foi considerado resultante da cultura nipônica e das
Hikikomori
mudanças sociais e econômicas que o país vem sofrendo nos
#SomosTodosHikikomori. No livro Atualismo1.0, últimos anos. No entanto, o número crescente de casos, em
analisamos o fenômeno dos hikikomori, sem saber que, em um outros países, mostra que essa condição não está restrita aos
futuro próximo, nós nos aproximaríamos tanto deles. O termo, japoneses. Além de não trabalharem, não frequentarem a escola
de origem japonesa, diz respeito a pessoas, em geral jovens, que ou a universidade e nem manterem relações sociais, a maioria
se isolam em casa e mantêm relação com o mundo apenas por dos indivíduos que vive nesse tipo de isolamento apresenta
meio digital, inclusive em relação a suas compras, todas feitas algum transtorno psiquiátrico associado, como o transtorno
via on line. A Wikipedia, em inglês, os compara aos ermitões. obsessivo compulsivo (TOC). Suspeita-se de que esse problema
Uma coisa é fato: em tempos de quarentena, teríamos muito seja recorrente de algum trauma ou da pressão que muitos
a aprender com os hikikomori, sobre a vida no confinamento, sentem ao passar da adolescência para a fase adulta, mas ainda
afinal, eles já eram mestres em viver no mundo digital e em são necessários mais estudos sobre o assunto.
isolamento, antes mesmo da pandemia. Nós, impelidos pelo
Embora muitos hikikomori tenham optado pelo isolamento
momento, nos aproximamos desse grupo que, até pouco
social, com o passar o tempo eles se sentem incomodados ou
tempo, era “só” nosso objeto de estudo. E, curiosamente, ao
envergonhados com sua situação. Especialistas dizem que
nos aproximarmos do seu modo de viver, em função do que
como ainda não há um consenso na definição do fenômeno,
nos impõe o momento que vivemos, já não somos mais os
é difícil definir uma forma de tratamento. Também se estuda
estudiosos de um fenômeno distante. Somos, nós mesmos,
a influência das novas tecnologias no crescimento de casos
parte do fenômeno que estudamos. Diante disso, nosso foco
de hikikomori, pois muitos deles passam boa parte do tempo
se expande e nos perguntamos se eles (os hikikomori) estão
na frente do computador. No entanto, ainda não há estudos
tão isolados quanto imaginávamos, porque do nosso ponto de
que comprovem uma relação direta entre o uso da Internet e
vista, vivemos um paradoxo, pois nosso isolamento físico tem
o isolamento, e em muitos casos o uso de redes sociais pode
significado uma explosão de relações digitalmente mediadas.
ajudar os hikikomoris a iniciarem o contato social e saírem
De certa forma, é o isolamento social com mais interações
gradualmente dessa condição. No Japão, por exemplo, há
sociais que já presenciamos.
pessoas que trabalham como “irmãs de aluguel”, aproximando-

276 277
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

se pouco a pouco de pessoas que já estão há muito tempo programa Alô, Daisy, por 46 anos, na Rádio Nacional e participou
isoladas, para ajudá-las a voltar ao convívio social. de novelas como Geração Brasil, Paraíso Tropical e Passione, da
Rede Globo. Também foi vereadora e deputada estadual no Rio
Artistas brasileiros falecidos durante a pandemia de Janeiro. Faleceu em 07 de maio, aos 90 anos.
Durante a crise do coronavírus, o Brasil está sofrendo Sérgio Sant’Anna é um dos principais nomes da literatura
inúmeras perdas, inclusive de pessoas conhecidas nacionalmente brasileira contemporânea. Venceu vários prêmios, dentre eles o
pelos seus trabalhos. Abaixo, citamos apenas alguns dos artistas Jabuti, por O concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro, pela novela
que o Brasil perdeu até o momento para o novo coronavírus: Amazona e pelo romance Um crime delicado, tendo escrito mais de
Martinho Lutero Galati de Oliveira foi diretor-artístico do 20 livros. Faleceu em 10 de maio, aos 78 anos.
Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo, entre 2013 Algumas outras perdas devido à Covid-19 foram o artista
e 2016, e criador do Coro Luther King, que completou 50 anos plástico Abraham Palatnik, o diretor da bateria Andinho da
em 2020. Faleceu em 25 de março, aos 66 anos. Porto da Pedra, o cantor e compositor David Corrêa, o cineasta e
Naomi Munakata era regente titular do Coral Paulistano do jornalista Jesus Chediak e o sambista Nilzo Medeiros.
Theatro Municipal de São Paulo e foi, por vinte anos, regente do Outros artistas faleceram durante a crise do coronavírus,
Coro da Orquestra Sinfônica de São Paulo (Osesp). Faleceu em mas não devido a essa doença. São eles: Moraes Moreira, cantor e
26 de março, aos 64 anos. compositor, integrante do grupo Novos Baianos e do movimento
Daniel Azulay era desenhista e artista plástico, famoso tropicalista; Flávio Migliaccio, roteirista, produtor, diretor e
pela criação da “Turma do Lambe-Lambe” e seus personagens ator, famoso pela participação em novelas e no seriado infantil
que protagonizavam quadrinhos e programas de televisão. Shazan, Xerife e Cia; e Rubem Fonseca, roteirista e escritor,
Também atuava em programas de TV, ensinando o público a vencedor do prêmio Camões.
fazer brinquedos de sucata e jogos de raciocínio. Faleceu em 27
de março, aos 72 anos, vítima do novo coronavírus, enquanto Crise econômica e a pandemia
fazia tratamento para leucemia. Diante da crise econômica decorrente da pandemia da
Aldir Blanc foi escritor e compositor, fazendo diversas COVID-19, vários países adotaram políticas emergenciais
parcerias, dentre as quais se destaca a com João Bosco nas para minimizar seus efeitos socioeconômicos, e com gastos na
composições “O Mestre-sala dos mares”, “Dois pra lá, dois pra área da saúde, para atender a demanda dos infectados. Além
cá” e “O bêbado e a equilibrista”. Faleceu em 04 de maio, aos das políticas direcionadas à saúde (gastos em equipamentos
73 anos. e capacidade hospitalar), grande parte das medidas aplicadas
Ciro Pessoa foi um dos fundadores da banda Titãs, nos anos internacionalmente estão alicerçadas em transferências diretas
1980, atuando também como cantor, compositor, guitarrista de renda ou benefícios/subsídios temporários no pagamento de
e jornalista. Faleceu no dia 05 de maio em decorrência do salários, e de outras medidas para preservar emprego e renda, tais
coronavírus, enquanto fazia tratamento para câncer. como licenças remuneradas para contaminados pela COVID-19
e subsídios e créditos como auxílio às empresas.
Daisy Lúcidi era uma atriz e radialista. Comandou o

278 279
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Nos países onde os trabalhadores têm empregos formais e Na América Latina, medidas relacionadas à manutenção
direitos garantidos é mais fácil de lidar com a crise do que nos da renda também foram adotadas. A Argentina criou um
países onde há muita informalidade e desemprego. Os dados programa emergencial de renda familiar (uma parcela única de
a seguir foram retirados de um estudo recente realizado por 10 mil pesos), contemplando os indivíduos desempregados e
Débora Freire, Edson Domingues, Aline Magalhães, Thiago trabalhadores informais, para beneficiar cerca de 3,6 milhões de
Simonato e Diego Miyajima, todos eles, especialistas do Núcleo pessoas. No Chile, o governo anunciou a criação de um fundo de
de Estudos em Modelagem Econômica e Ambiental Aplicada do US$ 2 bilhões para distribuir mais recursos e criar mais empregos
Cedepla – UFMG, intitulado “Renda Básica Emergencial: uma nos setores de baixa renda. A estimativa é de que beneficie 2,6
resposta suficiente para os impactos econômicos da pandemia milhões de trabalhadores no setor informal com o programa
da COVID-19 no Brasil?” O estudo mostra como a crise está emergencial. Na Colômbia, o Ministério das Finanças anunciou
sendo administrada em diversos países. No Canadá, as pessoas um programa de transferências de renda direta para 3 milhões
que perderam renda, devido a pandemia, e que atendiam aos de famílias (160.000 pesos colombiano para cada família) que
critérios do programa emergencial receberam um benefício não fazem parte dos programas regulares de auxílio de renda
tributário de US$ 2.000 a cada 4 semanas, por até 16 semanas. familiar. No Peru, o governo fornecerá um subsídio de PEN 760
No Reino Unido, os assalariados recebem até 80% do seu salário, (US$ 224,2) para famílias em situações de pobreza ou extrema
no valor máximo de até 2.500 libras. Na Itália, foi aprovada uma pobreza, nas áreas rurais.
indenização mensal, de 600 euros, vigente desde março, para O Relatório Especial da Comissão Econômica para a
trabalhadores autônomos, trabalhadores do setor de turismo e América Latina e o Caribe (CEPAL), “The social challenge
lazer e trabalhadores agrícolas. Na Espanha, o governo planeja in times of Covid-19”, de 12 de maio de 2020, informa que a
pagar uma renda mensal básica para cerca de um milhão de pandemia chegou à América Latina e ao Caribe em um momento
famílias mais pobres do país. Alguns países discutiam adotar em que o crescimento já estava em baixa. O relatório prevê que
uma renda básica universal, ainda que temporária, caso dos em 2020 a pobreza deverá crescer em 4.4 pontos percentuais
Estados Unidos e Japão. O governo norte americano pagará comparado ao ano anterior, e a pobreza extrema pode aumentar
US$ 1.200 e adicionais de US$ 500 por criança, aos cidadãos em 2.6 pontos percentuais. Isto faz com que seja impossível
com renda anual de até US$ 75 mil. O indivíduo que possui exterminar a pobreza em todas as suas formas na região até
rendimento anual superior a US$ 99 mil receberá um auxílio 2030. No caso de um cenário onde a pandemia atinja, de forma
proporcionalmente menor. O pagamento deste auxílio será mais impactante, os países com maior probabilidade de um
feito em parcela única e isento de impostos. Este programa alto crescimento da pobreza extrema são México, Nicarágua
de renda mínima universal temporária faz parte do pacote e Equador, enquanto os países com mais chance de um alto
de estímulos à economia de US$ 2,3 trilhões (cerca de 11% crescimento da pobreza em geral são Brasil, Argentina, México e
do PIB dos EUA). No Japão, o governo anunciou que pagará Equador. A CEPAL aconselha que sejam tomadas medidas para
100.000 ienes (aproximadamente US$ 930) a cada residente. fortalecer os Estados de bem-estar social, através de políticas
Todos os cidadãos serão beneficiados, independentemente da universais, redistributivas e proteções sociais para evitar uma
nacionalidade e do nível da sua renda. “década perdida”.

280 281
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

No Brasil, são cerca de 50 milhões de pessoas que não disso, uma medida provisória suspendeu o reajuste de preços de
possuem contrato de trabalho e outros muitos são precarizados, medicamentos por 60 dias, valendo a partir do dia 1º de abril.
devido às últimas reformas. De acordo com as análises do A economista Monica de Bolle sistematizou o drama
sociólogo Ricardo Antunes, diante de um quadro de absoluta brasileiro do seguinte modo: “O Paulo Guedes está completamente
falta de proteção, os trabalhadores que sofrem a “uberização” e despreparado, neste momento, para enfrentar essa crise. A
os contratos de trabalho “intermitentes” precisam optar entre letargia e a inércia já demonstram isso. A incapacidade de largar
o desemprego e o “privilégio” de trabalhar, mesmo que seja em os dogmas ideológicos que ele tem, como o Estado mínimo, o
vários “bicos” e sem nenhum direito garantido. Para Antunes, a Estado que não pode gastar, é completamente inapropriada para
crise econômica que assolará estes trabalhadores não é causada esse momento. Hoje, dane-se o Estado mínimo, você precisa
apenas pelo vírus, pois ela vem sendo gestada há algum tempo. gastar. É preciso errar pelo lado do excesso e não para o lado da
O vírus só amplificada o problema. A medida de auxílio de renda cautela, numa crise desse tipo”.
emergencial para trabalhadores mais vulneráveis aos efeitos da
pandemia, foi aprovada pelo Congresso Nacional, e inclui, entre Trabalhadores brasileiros e a pandemia
os elegíveis ao benefício, os trabalhadores informais, autônomos, O vírus atinge de forma desigual o mercado de trabalho. Para
trabalhadores temporários, microempreendedores individuais, Frederico Guanais, chefe-adjunto do departamento de Saúde da
além de beneficiários dos programas de transferência de renda, Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico
como o Bolsa Família. O benefício de R$600 está definido por (OCDE), o “dilema” entre salvar vidas e manter empregos é falso.
três meses, podendo ser prorrogado. De acordo com o estudo Para ele, o que impacta a economia é a pandemia, não as medidas
da UFMG supracitado, a medida de 3 meses é claramente de isolamento. Segundo a economista Iriana Cadó, o Brasil já
insuficiente, dado o acúmulo de impactos negativos que têm não tinha grandes perspectivas de crescimento, mesmo antes da
sido observados e a morosidade que se espera da recuperação pandemia, devido às políticas de austeridade do governo federal.
econômica, face à crise. Assim, a manutenção do benefício, por A pandemia encontrou a economia brasileira estagnada:
um período maior, é necessária para atenuar os impactos nas já vivíamos o crescimento da pobreza, do desemprego e da
famílias mais vulneráveis e, também, é adequada para atenuar baixa geração de emprego formal, deixando negativo o saldo
impactos econômicos. dos últimos 5 anos. Desde 2014 perdemos 1,7 mil empregos
Algumas outras medidas, além do auxílio emergencial, por dia. De acordo com dados do IBGE, entre fevereiro e abril,
foram adotadas. Foi criada uma linha de crédito emergencial de o desemprego atingiu 12,8 milhões de brasileiros e houve 5
R$40 bilhões, destinadas às pequenas e médias empresas, que milhões de fechamento de postos de trabalho em relação ao
deverá ser usado, exclusivamente, para o financiamento de folhas trimestre anterior. 3,7 milhões postos de trabalhos informais
de pagamento, sendo o valor repassado direto aos empregados, foram perdidos, entre o trimestre encerrado em janeiro e o
sem passar pelo caixa das empresas. Haverá, também, uma linha trimestre encerrado em abril de 2020. Apenas 42,4 da população
de crédito de R$ 5 bilhões do BNDES, para ser utilizada em total está ocupada, o que é um número muito baixo.
capital de giro pelas micro, pequenas e médias empresas. Até o Um dos setores mais atingidos durante a pandemia
momento, esses programas não estavam funcionando bem. Além foi a economia popular urbana. As atividades realizadas

282 283
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

nas ruas, como o comércio em feiras, barracas e quiosques, até 100% com uma compensação paga pelo governo. Segundo a
dependem, essencialmente, de circulação de pessoas. Na região Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da
metropolitana de Belo Horizonte, por exemplo, os trabalhadores Economia, após esta MP e até o dia 23 de abril, 3,51 milhões de
ocupados nesse tipo de trabalho representavam, em 2018, cerca contratos foram alterados.
de 20% da força de trabalho total da cidade. Devido ao isolamento social, o número de compras
Trabalhadores informais são aqueles que estão em alguma online aumentou, e também o número de entregas. Embora
destas situações: emprego por conta própria sem CNPJ registrado; os entregadores, que atendem por meio de aplicativos, estejam
emprego no setor privado sem carteira de trabalho; emprego trabalhando mais, a pesquisa realizada pela Rede de Estudos e
doméstico sem carteira; familiar auxiliar (emprego ajudando Monitoramento da Reforma Trabalhista, que ouviu 252 pessoas
algum parente); ou empregador sem CNPJ (microempreendedores de 26 cidades, entre 13 e 20 de abril, concluiu que 60,3% dos
não registrados). Estes são os trabalhadores mais vulneráveis à entrevistados relataram uma queda em sua remuneração, em
pandemia, pois caso percam o emprego, não têm direito ao FGTS, comparação ao período anterior à pandemia. Além da diminuição
nem seguro-desemprego, nem licença médica remunerada. São na renda, 62,3% dos entregadores disseram não ter recebido
pessoas que, se não conseguem o auxílio emergencial de 600 reais nenhum apoio das empresas para evitar o contágio durante o
ou se este dinheiro não é suficiente para seu sustento, preferem trabalho.
se expor ao risco de contaminação. O trabalhadores informais De acordo com reportagem de A Pública, de 25 de maio
representam 41,1% da população economicamente ativa, isto é, de 2020, operadores de telemarketing foram incluídos entre os
38,4 milhões de pessoas, sendo 24 milhões de autônomos. Sem serviços considerados essenciais (mesmo que sua profissão não
medidas como o auxílio emergencial, o número de brasileiros seja regulamentada) e continuavam trabalhando em salas sem
vivendo com menos de meio salário mínimo poderia aumentar janelas e ao lado de colegas com sintomas de COVID-19, mesmo
entre 5,6 milhões e 9,2 milhões, de acordo com estimativas do com o risco de contágio. Em Pernambuco, até o momento da
Banco Mundial. O apoio do Estado também será necessário para reportagem, o MPT havia registrado 763 denúncias de violações
evitar o fechamento de empresas. trabalhistas relacionadas à COVID-19, sendo 6,4% relacionadas
Entre os trabalhadores formais também há insegurança. Em ao setor de telemarketing.
abril, o governo federal estimou que a pandemia teria provocado Professores das redes pública e privada também sofrem com
um aumento nos pedidos de seguro-desemprego em relação ao a ansiedade e a sobrecarga de trabalho diante da demanda por
mesmo período em 2019: cerca de 150 mil pedidos a mais. Em aulas remotas. Muitos não possuíam preparo nem infraestrutura
22 de março, foi publicada uma medida provisória, que regulou para este tipo de trabalho e, em especial na rede pública, há
o teletrabalho, a antecipação de férias e a gestão do banco de alunos que não têm a possibilidade de acessar o conteúdo ou
horas. A princípio, esta MP também permitia a suspensão de acompanhar as aulas regularmente, seja pela falta de internet
total dos contratos e salários por quatro meses, mas diante da ou pelas condições nas quais vive. Alguns professores da rede
repercussão negativa este trecho da medida foi retirado. Em 1º pública de Minas Gerais precisam enfrentar o atraso em seus
de abril, o governo editou uma nova medida provisória, na qual salários e a falta de material, enquanto os professores da rede
se permitia a redução da jornada de trabalho e dos salários em privada correm o risco de ter a carga horária e o salário reduzidos.

284 285
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

As enfermeiras (85% por cento dos trabalhadores de financeiro aos motoristas e entregadores (chamados pela
enfermagem são mulheres) e enfermeiros estão na linha de empresa de “parceiros”), contaminados pela COVID-19, a partir
frente do combate à COVID-19, e por isto estão muito expostos de uma média diária de ganhos. Em abril, estendeu o auxílio para
ao contágio. Desde o início da pandemia, o Brasil perdeu 73 motoristas em grupo de risco, isentou os motoristas de anuidade
enfermeiros e enfermeiras para a doença. A falta de equipamentos e passou a reembolsar as compras com álcool em gel, máscaras e
de proteção individual contribui para este número. luvas. Em maio, os motoristas passaram a ter que comprovar o uso
Muitos outros trabalhadores, como caixas de supermercado, de máscaras por meio de reconhecimento facial. O desrespeito a
farmacêuticos, e todos que trabalham em serviços considerados regras de segurança sanitária podem implicar em desligamento
essenciais, também estão expostos à contaminação. Os que de motoristas e usuários. Se o passageiro estiver sem máscara
podem ficar em casa temem o desemprego e a falta de renda. eles poderão, também, cancelar a corrida. Os motoristas estão
Mesmo com o auxílio emergencial de 600 reais, concedido pelo entre os mais expostos ao contágio e a pandemia serviu para
governo federal, por três meses, ou mesmo com os equipamentos mostrar, ainda mais, a vulnerabilidade da “uberização”.
de proteção, há muita insegurança em relação ao presente e ao
Mulheres e a pandemia
futuro destes trabalhadores.
Nesse período de quarentena, o número de mulheres
Outro fator que já vinha fragilizando a situação dos
assassinadas, dentro de casa, quase dobrou, no estado de São
trabalhadores brasileiros mesmo antes da pandemia era a
Paulo, em comparação ao mesmo período do ano passado,
chamada “uberização” do trabalho. “Uberização” é um nome
segundo reportagem da Folha, de 16 de abril de 2020. Alguns
popular dado aos novos modelos de contrato de trabalho através
fatores que contribuem para esse aumento são o maior consumo
de dispositivos tecnológicos de economia colaborativa ou cultura
de bebidas alcoólicas e a perda de renda das famílias, devido ao
de compartilhamento (sharing economy), inspirado pela empresa
fechamento dos comércios. Os pedidos de medidas protetivas
Uber, que trabalha tanto com transporte de pessoas quanto de
de urgência feitos por mulheres também aumentaram 29% em
comida. Em nossas reflexões sobre o atualismo consideramos
março em relação à fevereiro; da mesma forma, o número de
os motoristas um dos “heróis” dessa experiência do tempo.
prisões em flagrante, por violência contra a mulher, também
Muitos se consideram empreendedores, mas, na verdade,
aumentou de um mês para o outro. O crescimento da violência
são trabalhadores informais sem proteção legal e vínculos
contra mulher também foi percebido em outros países como
trabalhistas.
China, Itália e França. Inclusive, as marcas de cosméticos Natura
Em fevereiro, o Tribunal Superior do Trabalho, rejeitou
e Avon uniram-se na campanha #IsoladasSimSozinhasNão, para
a tese de que exista vínculo trabalhista de motoristas com o
difundir informações e auxiliar as mulheres a identificarem
Uber. Isso significa, dentre outros, a ausência de vários direitos,
relacionamentos abusivos.
como 13º salário, seguro desemprego, ausência de jornada de
Mas nem todas as notícias são ruins: durante a pandemia,
trabalho fixo e férias remuneradas. Até o momento, a empresa
algumas mulheres se destacaram pela contribuição dos seus
de aplicativo de corridas urbanas, Uber, demitiu 25% de seus
trabalhos. Uma delas é a infectologista Ho Yeh Li, coordenadora
funcionários no mundo e fechou 45 escritórios. No Brasil, a
da UTI de doenças infecciosas do Hospital das Clínicas de São
empresa anunciou, em março de 2020, que pagaria um auxílio

286 287
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Paulo, que já havia atuado durante a pandemia de H1N1, em As mulheres não estão se tornando referência apenas na
2009, e durante o surto de febre amarela em 2018. Ela nasceu medicina, mas também na política e na gestão pública. A maioria
em Taiwan, mas sua família se mudou para o Brasil quando dos países que estão respondendo à crise do novo coronavírus
era criança, fugindo de uma possível invasão chinesa. Em 3 com maior eficácia são liderados por mulheres. Na Alemanha,
de fevereiro, o diretor do Departamento de Imunizações e a chanceler Angela Merkel aumentou o fornecimento de leitos
Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Julio Croda, de UTI, equipamentos médicos e testes. Embora tenha sido
chamou-a para ir à China buscar os brasileiros que pediam a muito atingido pelo vírus, a taxa de mortalidade no país é baixa,
repatriação. Ela aceitou e, no dia 5, voou para Wuhan. Quando cerca de 1,6%. Jacinda Ardern, da Nova Zelândia, determinou
retornou, precisou ficar de quarentena, até dia 23 de fevereiro, testes em massa, fechou as fronteiras e decretou o isolamento
assim como os 58 repatriados. Dias depois, ela retomou suas desde o início da pandemia. A presidente de Taiwan, Tsai
atividades no Hospital das Clínicas. O primeiro paciente com Ingwen, se adiantou à OMS e exigiu que todas as pessoas que
coronavírus não demorou a aparecer. Graças a Ho, o HC passou regressassem de Wuhan fossem investigadas antes mesmo de a
a não entubar os pacientes precocemente, o que ajudou a pandemia ser declarada, além de apresentar medidas para evitar
evitar outras infecções. No dia 2 de abril, ela também pegou o o espalhamento do vírus. A premiê finlandesa Sanna Marin
vírus. Mesmo isolada, durante duas semanas, mas monitorada mobilizou influenciadores digitais para ajudar na conscientização
pelos colegas médicos e pela família a distância, continuou sobre o coronavírus e seu governo tem a aprovação de 85% dos
acompanhando o dia a dia do hospital e auxiliando os colegas eleitores. Na Islândia, o governo de Katrín Jakobsdóttir oferece
através do WhatsApp. testes gratuitos aos cidadãos e faz o rastreamento dos casos, o
Outras especialistas da saúde que se destacam são Marilda que evitou o fechamento de escolas.
Siqueira e Vanderlecia Ortega dos Santos, a Vanda. Marilda
Os indígenas e os negros na pandemia
Siqueira é chefe do laboratório da Fiocruz, que foi designado
pela OMS como referência para as Américas na pandemia da As comunidades indígenas da Amazônia não contam com
COVID-19. Ela também já tinha passado pelas experiências da quase nenhum apoio do governo federal, por isso apoiam-se
pandemia de H1N1 e da epidemia de SARS. Já, a Vanda, como é nas lideranças comunitárias, nas entidades indigenistas e nos
chamada pelos vizinhos, é uma técnica em enfermagem, da etnia profissionais de saúde, para lidarem com o vírus. A movimentação
Witoto, que assumiu os cuidados de 700 famílias indígenas que das pessoas, que fazem garimpo ilegal nas terras indígenas,
vivem no Parque das Tribos, em Manaus. O assentamento não também é um problema, assim como a grilagem de terras
tem eletricidade nem saneamento básico, na maioria das casas, e a exploração ilegal de madeira. De acordo com a Secretaria
e não há postos de saúde pública nas proximidades, por isso, ela Especial de Saúde Indígena (SESAI) e com a Articulação
faz visitas domiciliares paramentada apenas com avental, luvas dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), em 26/05/2020, 987
e máscara – às vezes traz na cabeça um cocar tradicional. Antes indígenas já foram infectados em 61 etnias. Até o momento,
do vírus, já havia o problema da fome, o que fez com que Vanda foram contabilizadas 125 mortes. Uma das etnia mais afetada é
criasse uma campanha nas redes sociais pedindo doações de a dos Kokama, no Amazonas.
alimentos e kits de higiene. Segundo a agência A Pública, o número de pessoas negras

288 289
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

que morreu no Brasil, em decorrência do novo vírus, quintuplicou África possui uma infraestrutura de saúde deficiente e muitas
entre os dias 11 e 26 de abril de 2020; enquanto o aumento de favelas, o que dificulta o isolamento social, além do grande
mortes entre brancos triplicou. Entre 10 de abril e 18 de maio número de trabalhadores informais. No início de maio, o Sudão
a porcentagem de mortos por covid-19 entre pretos e pardos do Sul possuía apenas 4 respiradores para uma população de
passou de 32,8% para 54,8%, de acordo com dados do Ministério 10,5 milhões de pessoas. Em Burkina Faso, eram 11 respiradores
da Saúde. Já o número de hospitalizados pretos ou pardos é de para 20,8 milhões. A situação é parecida na República Centro-
46,7%, enquanto o número de brancos hospitalizados é 51,40%. Africana, na Somália e em Serra Leoa, o que fez com que muitos
Embora o número maior de hospitalizados seja de pessoas brancas, países africanos temessem o colapso do sistema de saúde.
a mortalidade é maior entre os negros. Pretos e pardos possuem Por sorte, a catástrofe esperada não chegou, ao menos por
algumas comorbidades específicas, como a anemia falciforme, enquanto. Até 12 de maio, a Europa tinha 1,5 milhão de pessoas
mas o principal é a questão social: a aglomeração nas favelas, a infectadas, os EUA tinham mais de 1,3 milhão e a América
falta de apoio às comunidades quilombolas e a dependência do Latina, quase 250 mil, enquanto na África havia 55 mil casos
sistema público de saúde. A população negra representa os 75% confirmados e seu número de mortes por COVID-19 também é
mais pobres no país e são os que menos têm acesso à coleta de relativamente baixo, sendo de 2 mil óbitos em todo o continente
lixo, abastecimento de água e esgoto sanitário, o que dificulta (no início de maio, por exemplo, Nova York tinha dez vezes este
as ações de prevenção à contaminação. Há impacto também na número). Alguns especialistas acreditam que o (relativamente)
economia: como os empresários negros geralmente são pequenos baixo número de infectados se deve à subnotificação, enquanto
ou informais, o auxílio do governo não é suficiente. outros pensam que há alguns países que realmente tomaram
As restrições sociais, econômicas e políticas impostas às medidas drásticas em relação ao combate ao novo coronavírus.
pessoas pretas e pardas, devido ao passado escravista do Brasil, se Embora haja negacionistas, como o presidente da Tanzânia,
tornam mais ainda evidentes em momentos de crise. No entanto, que minimiza a gravidade da doença, a maior parte dos países
enquanto a população negra sofre com a grande vulnerabilidade africanos reagiu rapidamente. Ruanda foi um dos primeiros
diante da crise do novo coronavírus, Sérgio Camargo, o presidente a adotar o isolamento, fechar as fronteiras e paralisar os voos
da Fundação Palmares eleito por Bolsonaro, comemora o 13 internacionais. A Etiópia adotou medidas já em janeiro e vista
de maio relembrando a princesa Isabel como libertadora dos como um caso de sucesso hoje. A África do Sul impôs um dos
escravos, nitidamente com o objetivo de polemizar com os regimes de isolamento mais rígidos do mundo, com proibição de
movimentos negros que não veem na Lei Áurea uma lei efetiva voos comerciais e da venda de bebidas e cigarros, mas no início
para a inserção dos negros na sociedade e preferem destacar os de maio houve um relaxamento, devido à queda na economia.
verdadeiros responsáveis pela libertação - homens e mulheres Além disso, por terem experiências com outras epidemias,
negros que por ela lutaram. a população e a comunidade científica africanas reagem mais
rapidamente – durante o surto de ebola, por exemplo, muitas
A pandemia na África
pessoas deixaram o hábito de se cumprimentarem apertando as
O primeiro caso no continente foi noticiado em 14 de mãos. Outro fator que pode explicar a baixa contaminação na
fevereiro e o mundo todo temeu por uma catástrofe, já que a África é o fato de que há uma baixa circulação de pessoas entre

290 291
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

o continente e o resto do mundo. Alguns acreditam que outra Dados da pandemia na América Latina
característica que contribuiu para o baixo número de infecções O Brasil é o país com maior número de infectados e de
e mortes foi o fato de a população africana ser a mais jovem do mortos da América Latina, mas como todo o livro perpassa a
mundo; no entanto, há que se levar em conta que existem outros situação brasileira, não nos repetiremos falando mais do nosso
fatores, além da idade, que podem colaborar para um sistema próprio país aqui. Fizemos um apanhado da situação da América
imunológico mais fraco, como a desnutrição. Latina durante a pandemia, com a atualização do número de
Até 11 de maio os países africanos mais atingidos são África contaminados e óbitos à partir do site da Universidade John
do Sul, Egito, Marrocos e Argélia. Nos gráficos a seguir, pode-se Hopkins, no dia 16 de maio:
comparar a evolução do novo coronavírus na África em relação Bolívia – primeiro caso confirmado em 11 de março. O país
aos outros continentes. adotou o isolamento social e fechou as fronteiras terrestres.
Quem descumprir as medidas de prevenção ou disseminar
informações falsas sobre a COVID-19 pode ser até preso. Em
16/05/2020, o número de contaminados é de 3.577 e o número
de mortos é de 164.
Argentina – primeiro caso confirmado em 3 de março. O país
fechou as fronteiras, adotou o isolamento social e os moradores
podem sair por uma hora por dia, em caso de necessidade, mas
devem permanecer em um raio de 500 metros de suas casas.
Não é permitido fazer esportes ao ar livre e quem descumprir
as medidas pode ser preso. Em 16/05/2020, o número de
contaminados é de 7.479 e o número de mortos é de 363.
Chile – primeiro caso confirmado em 3 de março. As
fronteiras foram fechadas e a quarentena é obrigatória para
maiores de 80 anos e pessoas que venham de outros países. Foi
proibida, em todo país, a circulação entre as 22h e as 05h para
quem não tenha permissão. É obrigatório o uso de máscara no
transporte público e no privado. Em 16/05/2020, o número de
contaminados é de 39.542 e o número de mortos é de 421.
Paraguai – primeiro caso confirmado em 07 de maio. Proibida
a livre circulação. O governo recomenda o uso de máscaras e as
escolas estão fechadas até dezembro. Em 16/05/2020, o número
de contaminados é de 759 e o número de mortos é de 11.
Fonte:OurWorldInData.org
Uruguai – primeiro caso confirmado em 13 de março. As

292 293
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

fronteiras foram parcialmente fechadas e o governo pede que as Costa Rica – primeiro caso confirmado em 6 de março.
pessoas não saiam de casa sem necessidade. O uso de máscaras é As fronteiras foram fechadas, há rodízio de veículos, quem sai
obrigatório em locais com aglomeração de pessoas, como bancos para trabalhar precisa de uma credencial e o não cumprimento
e mercados. Em 16/05/2020, o número de contaminados é de das medidas pode gerar multas. Em 16/05/2020, o número de
732 e o número de mortos é de 19. contaminados é de 843 e o número de mortos é de 10.
Equador – primeiro caso confirmado em 1º de março. A livre México – primeiro caso confirmado em 28 de fevereiro. O
circulação foi proibida e é preciso um salvo-conduto para circular governo pede que a população fique voluntariamente em casa e
nas ruas. Pessoas infectadas que violem a quarentena podem as escolas estão fechadas. Estão proibidas as reuniões com mais
ser presas. Guayaquil, a cidade mais populosa do Equador, de 50 pessoas. Em 16/05/2020, o número de contaminados é de
passou por um colapso funerário. Em 16/05/2020, o número 45.032 e o número de mortos é de 4.676.
de contaminados é de 31.467 e o número de mortos é de 2.594. Guatemala – primeiro caso confirmado em 13 de março. As
Peru – primeiro caso confirmado em 6 de março. Só é fronteiras do país foram fechadas, assim como escolas e comércio
permitido sair de casa entre as 05h e as 18h e o uso de máscara não essencial. O uso de máscaras é obrigatório e sujeito à
é obrigatório. Aos domingos, ninguém pode sair. O não cobrança de multa. Em 16/05/2020, o número de contaminados
cumprimento das medidas ou a disseminação de informações é de 1.643 e o número de mortos é de 30.
falsas sobre a doença pode levar à prisão. Em 16/05/2020, o El Salvador – primeiro caso confirmado em 19 de março.
número de contaminados é de 84.495 e o número de mortos é Fronteiras foram fechadas e a quarentena é obrigatória.
de 2.392. Uma pessoa por família pode sair para fazer compras. O
Venezuela – primeiro caso confirmado em 13 de março. descumprimento das regras pode levar à prisão. Em 16/05/2020,
O governo pede que apenas uma pessoa por família saia para o número de contaminados é de 1.265 e o número de mortos é
fazer compras. É obrigatório o uso de máscara e luvas nas vias de 25.
públicas. Em 16/05/2020, o número de contaminados é de 459 Cuba – primeiro caso confirmado em 11 de março. O
e o número de mortos é de 10. governo pede que a população fique em casa voluntariamente.
Colômbia – primeiro caso confirmado em 06 de março. As Tráfego aéreo e marítimo suspensos. Em 16/05/2020, o número
fronteiras estão fechadas e o comércio não essencial também. de contaminados é de 1.862 e o número de mortos é de 79.
O descumprimento das normas pode levar à prisão. Em Haiti – primeiro caso confirmado em 19 de março. Fronteiras,
16/05/2020, o número de contaminados é de 14.216 e o número escolas, locais de culto e parques industriais fechados. Em
de mortos é de 546. 16/05/2020, o número de contaminados é de 310 e o número de
Nicarágua – primeiro caso confirmado em 18 de março. mortos é de 20.
Após ser muito criticado internacionalmente, no final de abril o República Dominicana – primeiro caso confirmado em 1º
governo passou a promover o distanciamento social e o uso de de março. Proibida a livre circulação das 17h às 06h. Escolas e
máscaras. Em 16/05/2020, o número de contaminados é de 25; comércio não essenciais estão fechados e o não cumprimento
e o número de mortos é de 8. das normas pode levar ao pagamento de multa ou prisão. Em

294 295
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

16/05/2020, o número de contaminados é de 11.739 e o número COVID-19 no país. Já a Rússia é o segundo país com maior
de mortos é de 424. número de infectados, mas possui uma baixa taxa de letalidade:
Panamá – primeiro caso confirmado em 10 de março. 0,91%. As autoridades atribuem esta baixa porcentagem ao
A quarentena é obrigatória, há revezamento entre homens e fechamento precoce das fronteiras e à quarentena obrigatória
mulheres para sair de casa e estão proibidos a venda e o consumo aos recém-chegados de viagem já no início de março. Mas muitos
de álcool. O não cumprimento das regras pode levar à prisão. Em questionam este dado, já que o número de pessoas infectadas
16/05/2020, o número de contaminados é de 9.268 e o número aumenta diariamente.
de mortos é de 266. A África do Sul adotou um bloqueio nacional em março
Honduras – primeiro caso confirmado em 11 de março. As para conter a propagação do novo coronavírus, além de fazer
fronteiras foram fechadas e a quarentena é obrigatória, assim um esforço para realizar testes em massa, mas ainda assim é
como o uso de máscaras. O não cumprimento das regras pode o país com maior número de infectados em seu continente. As
levar à prisão. Em 16/05/2020, o número de contaminados é de restrições adotadas pelo governo permitiram que o país tivesse
2.460 e o número de mortos é de 134. algum tempo para investir na infraestrutura de assistência
A conjunção entre um sistema precário de saúde e o alto médica. Em maio, as restrições começaram a ser relaxadas,
número de casos é um problema para a América Latina. O devido ao seu impacto econômico: milhões de trabalhadores
Brasil, além de ser o país mais atingido pela pandemia, parece informais sul-africanos ou desempregados estão enfrentando
ser também o país mais desorganizado em relação ao combate à dificuldades, e a pobreza e a falta de comida atingiram níveis
doença. Os governantes de Argentina e Paraguai já demonstraram mais altos.
publicamente seu receio de que a falta de coordenação brasileira A Índia, segundo país mais populoso do mundo, tem a
seja um risco para os países vizinhos. taxa de mortalidade por COVID-19 relativamente baixa. Alguns
atribuem isso às medidas rígidas de isolamento do governo,
Os países do BRICS na pandemia outros acreditam que seja o fato de a população indiana ser
Em março, o Novo Banco de Desenvolvimento aprovou uma predominantemente jovem. No entanto, a Índia parece não estar
linha de financiamento emergencial de R$ 5 bilhões para auxiliar fazendo muitos testes e, além disso, 80% das mortes no país
o governo da China no combate à COVID-19, caracterizado como (por qualquer doença) acontecem em casa, não em hospitais,
o maior empréstimo já autorizado pelo banco, na história. O e muitos dos mortos são queimados em áreas rurais, não em
banco se dispôs a considerar a concessão de ajudas semelhantes crematórios; assim, a contabilização de mortos em decorrência
aos outros países membros do BRICS. Como o livro já aborda do novo coronavírus fica mais difícil.
a situação do Brasil, trataremos brevemente da situação dos Abaixo, alguns dados sobre a situação de cada país no dia
outros países deste bloco econômico. 16 de maio segundo o site da Universidade John Hopkins:
A China declarou, no fim de abril, que a cidade de Wuhan,
onde o surto do novo coronavírus teve início, estava livre da
doença. Em meados de maio, a Comissão Nacional de Saúde da
China informou que há menos de 100 pessoas infectadas por

296 297
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Óbitos/milhão de De acordo com Gil Sevalho, o tempo epidemiológico


País População Infectados Óbitos
habitantes artificializa os fatos, retirando a historicidade individuais através
Brasil 212 milhões 233.142 15.633 74 das estatísticas e ignorando suas relações sociais. Isto pode
Rússia 146 milhões 272.043 2.537 17 ser percebido nos esforços que estão sendo feitos para que os
Índia 1,3 bilhões 90.648 2.871 2 mortos pela COVID-19 não sejam apenas mais um número, mas
tenham suas identidades e histórias de vida lembradas.
China 1,4 bilhões 84.038 4.637 3
África do Sul 59 milhões 14.355 261 4 Já Helge Jordheim chama a atenção para uma suposta
aceleração do tempo causada pela pandemia, pois algo dito por
Tempo epidêmico um cientista de manhã pode ser corrigido ao final da tarde. O
A pandemia trouxe, certamente, muitas mudanças para a que parece certo de se fazer hoje não é o mesmo de ontem e
vida de todos. A frequência ao lavar as mãos, a higienização de cada amanhã pode já não ser uma boa decisão. Mesmo a infecção tem
objeto comprado, o uso do álcool em gel e máscaras, o esforço para tempos diferentes, o que faz com que tentemos “sincronizar” a
manter-se isolado. Muitos reclamam do tédio, do tempo que não propagação do vírus em cada país – o passado de um país pode
passa. O tempo da pandemia não é marcado, como de costume, indicar o futuro de outro em relação à pandemia. Ao mesmo
pelas festas, campeonatos esportivos, comemorações coletivas e tempo, o futuro parece mais imprevisível do que nunca, e muitas
feriados; ele é marcado pela velocidade do contágio, pelo número pessoas que são obrigadas a ficar em casa podem achar que o
de óbitos, pelos períodos de quarentena, pela espera por uma tempo está estático.
vacina. E ele não é vivido da mesma forma entre os continentes, A tensão entre o tédio do confinamento e a aceleração do
países, estados, regiões, municípios, gêneros, raças e classes. tempo através do tele-trabalho, das lives e, especialmente, do
Seria hora de falarmos, também, na possibilidade de uma avanço do vírus e das novas descobertas científicas, faz com que
experiência de tempo própria da pandemia? nos sintamos um tanto desorientados. Ir à janela às 20h todos
os dias para bater palmas para os agentes de saúde; fazer orações
A maior parte do mundo adota medidas para atrasar o
todos os dias às 18h; assistir às lives parecem ser meios que as
espalhamento do vírus, como o isolamento social. Mas enquanto
pessoas encontram para conectarem-se ao tempo coletivo.
queremos que o tempo do vírus atrase, também desejamos que
o nosso tempo de confinamento voe. O tempo individual se Almanaques: história e tradição
descola um pouco do tempo coletivo. Para François Hartog, por
A Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, ao definir a palavra
exemplo, o confinamento fortaleceu, sob certo aspecto, o que
Almanaque, relata uma lenda: “[...] quase tão velha como o Mundo,
ele denomina de presentismo, especialmente devido à nossa
segundo a qual o primeiro almanaque fôra elaborado por dois
dependência da tecnologia para trabalhar e socializar à distância.
filhos de Seth, nas vésperas do Dilúvio. Conhecendo as tentações
Por outro lado, ele se pergunta se o mundo estaria vivendo um
de Deus, os dois videntes angustiaram-se ante a próxima perda de
Kairós (tempo oportuno) que, interrompendo as temporalidades
tôda a Ciência, que tão penosamente havia sido acumulada desde
de Chronos, abriria uma nova temporalidade. Mas parece que
o Paraíso. Decidiram por fim arquivar, gravando em matéria
essa espera de um novo tempo da história se tornou um lugar
imperecível, tôda a ciência que possuíam. Durante três dias e três
comum em todas as crises, desde, pelo menos, o 11 de setembro.

298 299
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

noites gravaram sobre o granito e sôbre o tejôlo o Livro de Todo-o- Na Idade Média, essas publicações ligavam-se aos
Saber, que era nada mais nada menos, que o nosso Almanaque com devocionários e, depois da invenção da imprensa, sábios,
a divisão do tempo, o nascimento do Sol, as inconstâncias da Lua, médicos e astrólogos criaram vários almanaques para difundir
a violência dos ventos e a previsão das tempestades”. suas visões de mundo. Após o século XVII, diversas publicações
Para Vera Casa Nova, em Lições de Almanaque, a palavra passaram a ser denominadas almanaques. Em geral, eram anuais
pode ter várias origens: “do oriental [...] almeneg, cálculo para e apresentavam o calendário, informações diversas e úteis.
memória; do artigo al, e do latim manachus, círculo representando No século XVIII, a astrologia perde espaço para a história e a
a linha eclíptica divida em doze partes para os doze signos [...]. ciência. Ilustrados com signos, figuras e imagens, os almanaques
[...] do céltico al, mon, aght, que significa a observação de todas as reuniam e ofereciam um saber para todos.
luas. [...]. [...] do árabe almanakh, lugar onde se manda ajoelhar Os almanaques considerados “populares” tiveram um
os camelos; [...] e, finalmente, calendário. [...]. Ainda há outra mesmo ancestral comum, o Le Grand Calendrier et Compost des
hipótese apresentada por Geneviéve Bollème: a origem na união Bergers, de 1491. O modelo desse tipo de publicação é o mais
do árabe al e do grego men – mês. [...] nas línguas orientais, antigo e o mais durável, sendo endereçado a um público
almanach significa presente de ano novo, étrennes. [...] outra essencialmente rural e camponês. Os textos sobre agricultura,
possibilidade: grego menás, lua; latim mensis; antigo indiano mas, medicina, predições meteorológicas, política, astronomia,
medir. Dessa forma, em sua origem, almanaque estaria ligado a astrologia e história eram um prolongamento do calendário. Esses
calendário lunar pela contagem do tempo e principalmente na almanaques eram estruturados a partir de quatro funções básicas:
tentativa de sua organização”. informações práticas, calendário, narração histórica e variedades.
Até o século XIX, os almanaques foram, depois da Bíblia, Desde muito tempo, esse gênero foi formado de vários
um dos principais impressos utilizados no ocidente. Dada a sua sub-gêneros que frequentemente se mesclavam de diversas
origem remota, sua larga difusão e a sua longevidade, não é fácil formas. Os almanaques endereçados a um público rural e pouco
definir esse gênero editorial. O termo almanaque é utilizado, alfabetizado – na medida em que muitas vezes os “livrinhos”
desde meados do século XVII, para designar diversas publicações eram lidos em voz alta para os menos letrados – era apenas parte
articuladas em torno do calendário. dessa tradição. Encontravam-se, a partir do fim do século XVII,
A ideia de ser um Livro de Todo-o-Saber acompanha esse almanaques para todas as classes sociais, para todos os interesses
gênero, afinal, como disse Eça de Queiroz na epígrafe, um e níveis culturais.
almanaque “contém essas verdades iniciais que a humanidade O almanaque foi um gênero suscetível de se adaptar a
necessita saber, e constantemente rememorar, para que a conteúdos e formas múltiplas. Qualificá-los de “populares” e/
sua existência, entre uma Natureza que a não favorece e a ou “eruditos” é uma prática reducionista dos usos e do próprio
não ensina, se mantenha, se regularize, e se perpetue”. Para gênero. Não sem motivo, a forma almanaque pode ser comparada
Machado de Assis, “o Tempo inventou o almanaque; compôs ao mito grego de Proteu. Na mitologia grega, esse deus marinho,
um simples livro, seco, sem margens, sem nada; tão somente os filho de Netuno e de Tétis, tinha como função guardar animais
dias, as semanas, os meses e os anos. [...]. O Tempo os imprime, do mar que pertenciam ao pai. Proteu possuía o dom da profecia,
Esperança os brocha; é toda a oficina da vida”. mas, para obtê-lo, era necessário acorrentá-lo enquanto dormia.

300 301
Almanaque da COVID-19: 150 dias para não esquecer Mateus Pereira, Mayra Marques & Valdei Araujo

Nesse instante, ele se transformava em animais, vegetais, fogo e Desde o século XVIII, o argumento fundamental de venda de
água. Caso o interessado em saber o futuro não se assustasse e alguns almanaques foi a novidade, novo almanaque para o novo
o mantivesse preso, ele retornava à forma original e respondia a ano. Essas obras insistiam enormemente na atualização. Eles
todas as questões. não estavam submetidos à tirania da atualidade, mas precisavam
A partir do contato com o campo do jornalismo, os se renovar para se perpetuar. Essas publicações se renovavam
almanaques dos tipos estatísticos, genealógicos, científicos e/ todos os anos, mas se modificavam pouco. O discurso do novo
ou enciclopédicos se tornaram, em um lento processo, obras era parte de uma estratégia comercial do gênero de sucesso e de
de referência de caráter genérico, de um único volume. Esse longa história, já que é um se trata de um gênero suscetível de
movimento ocorreu com o intuito de transformá-los em um guia se adaptar a conteúdos múltiplos e com a necessidade vital de se
de cultura geral. Além de apresentarem uma resenha do ano renovar para sobreviver.
que passou, divulgavam também informações pontuais, dados e
estatísticas de todo mundo.
Esse tipo de almanaque guarda alguns traços dos
almanaques urbanos e enciclopédicos que surgiram na França, no
século XVIII, com a publicação do Almanach Royal e o Calendário
de la Cour, ambos de 1700, destinados ao público burguês e
citadino. Essas publicações eram diferentes dos almanaques
ditos “populares”, e mesmo seus editores utilizaram diversas
estratégias para distinguir essas “novas” publicações dos
almanaques considerados “populares”.
Talvez a obra mais importante do sub-gênero de almanaques
urbanos enciclopédicos tenha sido a obra produzida na Alemanha
denominada Almanach de Gotha, cujo primeiro exemplar data
de 1763. Possivelmente, essa foi uma das publicações mais
conhecidas a disponibilizar dados do “mundo-como-um-todo”.
Era editada em francês e alemão. Progressivamente, a publicação
tornou-se uma fonte de consulta diplomática. Ela abandonou
as variedades (até 1827 há artigos desse tipo) e se especializou
na crônica do ano que passou (a partir de 1793), com os principais
eventos de vários países do mundo; nas estatísticas sobre os países
e questões geográficas mundiais (o primeiro quadro estatístico
dos principais Estados da Europa data de 1787); e nas histórias
das casas dinásticas (presente desde o primeiro número). No final
do século XIX, a publicação se especializou em genealogias.

302 303
Agradecimentos
Verônica Pereira leu e comentou o manuscrito várias vezes.
Para ela, nosso agradecimento especial. Agradecemos, também,
ao nosso revisor Luiz Prazeres mais uma vez. Rodrigo Perez
também foi uma pessoa fundamental pelos contatos e incentivo
em nosso engajamento público. Agradecemos, também,
Thiago Oshiro, Ana Mónica, Angela de Castro Gome, Claudia
Wasserman, Giberto Kaplan, Sérgio da Mata, Natália Lisboa,
Camilla Cristina, Andréa Lisly, Marcelo Abreu, Luisa Rauter,
Ana Carolina Barbosa, Fernando Nicolazzi, Tiago Nicodemo,
Pedro Afonso, Enzo Silveira, Mauro Teixeira, Jornalistas Livres,
Aloisio do Jornalistas Livres, Fábio Faversani, Fernanda Faria,
Márcia Motta, Temístocles Cezar, Wagner Geminiano, Stefania
Bartoccioni, André Luan, Fernanda Gaudino, Henrique Estrada,
Daniel Faria, Géssica Guimarães, Agnes Rissardo, Anny Jackeline
Torres, Maria da Glória, Rebeca Gontijo, Rodrigo Perez, Daniel
Pinha, Dalton Sanches, Mauro Franco, Mateus Favaro, Walderez
Ramalho, Victor Ayala, Carol Monay, Guilherme Bianchi,
Ricardo Oriá, Eliane Mourão, Carol Bahia, Júlio Bentivoglio,
Aline Magalhães, Mariana Silveira, Caroline Bauer, Marco
Antônio Silveira, Elizabete Penido, Silvia Raquel e Clécio, Maria
do Socorro Macedo, Paulo Morais, Beatrice Acciaio, Pedro
Veloso, Clarice Seixas, Adriano Meneses, Bernardo Maranhão,
Renan Siqueira, Ricardo Aquino, Bernardo Amorim, Raquel
Andrade, Giule da Mata, Nara Rubia, Mara, Marta Maia, Jardilino
e Margarete, Luciano Campos, Juliana, Breno Mendes, Luara
França, alunxs, orientandxs, ex-alunxs, ex-orientandxs, colegas
do DEHIS/UFOP e da UFOP, NEHM, ANPUH, SBTHH, e, por
fim, mas não menos importantes, aos nossos familiares.
Apoio: CAPES, CNPq, FAPEMIG e UFOP.

305
Fontes e Referências Bibliográficas
Para as fontes e referências bibliográficas deste Almanaque,
consulte o link:
https://www.academia.edu/43221245/Fontes_e_
Refer%C3%AAncias_Bibliogr%C3%A1ficas_-_Almanaque_da_
Covid-19

307
(27) 3376-0363

facebook.com/EditoraMilfontes

@editoramilfontes

Conheça mais sobre a Editora Milfontes. Acesse nosso site e descubra


as novidades que preparamos para Você.
Editora Milfontes, a cada livo uma nova descoberta!

Este livro foi composto utilizando-se as famílias tipográficas


Miniom Pro e Aramis.
É permitida a reprodução parcial desta obra, desde que citada
a fonte e que não seja para qualquer fim comercial.

EDITORA MILFONTES

Você também pode gostar