Você está na página 1de 113

Ministério das Relações Exteriores

Departamento de Promoção Comercial e Investimentos


Divisão de Inteligência Comercial

Como Exportar
Equador
COLEÇÃO ESTUDOS E DOCUMENTOS DE COMÉRCIO EXTERIOR

COMO EXPORTAR

Equador
Coleção: Estudos e Documentos de Comércio Exterior

Série: Como Exportar


CEX: 241

Elaboração:
Elaboração: Ministério das Relações Exteriores – MRE
Departamento de Promoção Comercial e Investimentos – DPR
Divisão de Inteligência Comercial – DIC
Embaixada do Brasil em Quito
Setor de Promoção Comercial – SECOM

Coordenação:
Divisão de Inteligência Comercial - DIC

Distribuição:
Divisão de Inteligência Comercial - DIC

Os termos e a apresentação de matérias contidas na presente publicação não traduzem expressão


de opinião por parte do MRE sobre o status jurídico de quaisquer países, territórios, cidades ou
áreas geográficas e de suas fronteiras ou limites. Os termos “desenvolvidos” e “em desenvolvi-
mento” empregados em relação a países ou a áreas geográficas não implicam posição oficial por
parte do MRE.

Direitos reservados.

O DPR, que é titular exclusivo dos direitos de autor, permite sua reprodução parcial, desde que a
fonte seja devidamente citada.

(*) Este guia foi registrado no Escritório de Direitos Autorais da Fundação Biblioteca Nacional
(ISBN 85-98712-37-X).

O texto do presente estudo foi concluído em julho de 2015.

B823c Brasil. Ministério das Relações Exteriores. Divisão de


Inteligência Comercial.
Como Exportar: Equador / Ministério das Relações
Exteriores._Brasília: MRE, 2015.

112 p.; il._ (Coleção estudos e documentos de comércio


exterior).

1. Brasil – Comércio exterior. 2. Equador – Comércio


Exterior. I. Título. II. Série.

CDU: 339.5 (866.81)


Como Exportar EQUADOR

SUMÁRIO
INTRODUÇÃO.....................................................................................................5

Mapa da República do Equador..................................................................9

DADOS BÁSICOS..............................................................................................11

I – ASPECTOS GERAIS......................................................................................13
1. Geografia.............................................................................................. 13
2. População, centros urbanos e qualidade de vida.................................... 13
3. Organização política e administrativa.....................................................16
4. Organizações e acordos internacionais..................................................18

II – ECONOMIA, MOEDA E FINANÇAS................................................................21
1. Conjuntura econômica......................................................................... 21
2. Principais setores de atividade econômica............................................ 23
3. Moeda e finanças................................................................................. 32

III – COMÉRCIO EXTERIOR............................................................................... 37
1. Evolução recente: considerações gerais............................................... 37
2. Direção................................................................................................ 38
3. Composição........................................................................................ 43

IV – RELAÇÕES ECONÔMICAS BRASIL – EQUADOR........................................ 47


1. Intercâmbio comercial bilateral............................................................. 47
2. Balanço de pagamentos bilateral.......................................................... 52
3. Investimento estrangeiro direto............................................................. 53
4. Linhas de crédito................................................................................. 54
5. Principais acordos econômicos com o Brasil........................................ 55
6. Matriz de oportunidades....................................................................... 60

V – ACESSO AO MERCADO............................................................................. 61
1. Sistema tarifário................................................................................... 61
2. Sistema não tarifário............................................................................ 64
3. Regulamentação da importação........................................................... 65
4. Documentos e formalidades................................................................. 74

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 3


EQUADOR Como Exportar

VI – Estrutura de Comercialização........................................................77
1. Canais de distribuição..........................................................................77
2. Promoção de vendas........................................................................... 83
3. Práticas comerciais.............................................................................. 85

VII – RECOMENDAÇÕES ÀS EMPRESAS BRASILEIRAS.................................... 89

ANEXOS...........................................................................................................91
I. Endereços............................................................................................91
II. Informações sobre a ALADI................................................................108
III. Informações práticas.........................................................................108

BIBLIOGRAFIA................................................................................................111

4 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

INTRODUÇÃO
O Equador tem baseado a sua eco- naneira” e acentuou ainda mais a
nomia na produção e extração de natureza agroexportadora do país, e,
recursos naturais e na exploração ao mesmo tempo, foram sedimen-
da terra. No começo do século XX, tadas as condições de dependência.
devido à demanda internacional exis- Até a data atual (2015), a banana
tente, grandes extensões de terreno representa o principal produto de
se dedicaram ao cultivo do cacau, exportação do setor privado e da
levando o Equador a se transformar produção exportadora não petrolei-
no primeiro produtor no mundo. As ra, de acordo com a Associação de
províncias de Guayas e Los Ríos Exportadores de Banana do Equador.
foram as principais dedicadas ao É importante destacar que algumas
cultivo deste produto. Esta época é empresas estrangeiras intervêm
conhecida como “Época Cacaueira”, nos processos de comercialização,
dada a grande importância da pro- porém a produção é formada por
dução e exportação deste produto milhares de agricultores.
na economia nacional. As vendas do
cacau geraram as maiores receitas Atualmente, o Equador goza de um
por exportações da época e financia- sustentável crescimento econômico
ram significativamente o orçamento e uma melhoria das condições de
estatal. vida dos seus habitantes. Entre 2007
e 2015, o Equador é o país que mais
Posteriormente, por volta do ano de reduziu as desigualdades na Améri-
1950, por falta de abastecimento ca Latina, de acordo com a CEPAL.
de bananas no mercado mundial Também é importante recordar que
por parte de grandes empresas o Equador tem apresentado, desde
produtoras centro-americanas, o 2008, as mais altas taxas de cres-
Equador começou a dedicar grandes cimento do PIB na América Latina.
extensões de terreno a esta lavoura, O projeto econômico do Estado põe
a qual se transformou numa das em prática a mudança da matriz pro-
principais fontes de receitas do país, dutiva e a produção de artigos com
até os dias atuais. Esta segunda maior valor agregado que impliquem
época foi denominada “Época Ba- maior inovação tecnológica. A outra

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 5


EQUADOR Como Exportar

grande mudança que o Estado colo- naturais, e, desta forma, se encontra


ca em prática é a mudança da matriz condicionada pelas flutuações de
energética, que consiste em mudar preços que ocorrem no mercado
de fontes de energia não renováveis mundial. Em busca de uma econo-
para energia limpa. Isto explica a mia mais sustentável e equitativa, o
construção de várias hidrelétricas, governo do Equador trabalha para
nas quais existe participação de em- impulsionar a mudança da matriz
presas e capital brasileiro, como é o produtiva.
caso de Manduriacu.
A política comercial do Equador está
Desde o denominado retorno do de acordo com as normas da Organi-
Estado, a política econômica do país zação Mundial do Comércio sobre o
vem sendo conduzida sob a ordem livre intercâmbio de bens e serviços,
de maior produtividade e redistribui- mas, ao mesmo tempo, conta com
ção. Para isto, o Equador pretende se o Estado como o principal regulador
inserir na economia mundial median- da economia. Importações podem
te a liberalização seletiva e paulatina, ser incentivadas ou desencorajadas
com o objetivo de permitir que a mediante medidas governamentais
indústria nacional não se veja afeta- que estejam em conformidade com
da. Em seu papel de dinamizador da os objetivos contemplados no Plano
produção e regulador do mercado, o Nacional do Bom Viver.
Estado tem demonstrado intenção de
que o investimento privado tenha um As principais importações que
papel mais importante no crescimen- o Equador realiza consistem em
to econômico, como se vê pela edi- matérias-primas para fins indus-
ção do “Regulamento do Regime de triais, agrícolas, inclusive materiais
Colaboração Público-Privada”, que de construção (31% em 2014). A
abre ao setor privado a possibilidade segunda maior porcentagem de bens
de atuar em áreas até então desen- importados consiste em bens de
volvidas pelo Estado. capital destinados a fins agrícolas,
industriais e a equipamentos de
Apesar dos planos do governo, a transporte (25% em 2014). Em ter-
economia equatoriana ainda está ceiro lugar, são importados combus-
baseada na extração dos recursos tíveis e lubrificantes (24% em 2014),

6 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

e, em quarto lugar, bens de consumo em ativos produtivos de inovação e


(20% em 2014). tecnologia.

O Equador tem como o seu principal O investimento nacional e o estran-


fornecedor o continente americano, geiro, de acordo com tal corpo legal,
motivo pelo qual busca favorecer serão tratados com igualdade de
a formação de organizações de in- condições, com base no princípio da
tercâmbio comercial intra-regional, não discriminação. Os investidores
bem como a realização de acordos estrangeiros gozarão de proteção e
comerciais desta circunscrição. O seguranças plenas, da mesma forma
Plano Nacional do Bom Viver propõe, que os equatorianos.
dentro do seu objetivo, aprofundar
processos solidários e complemen- Existem muitas oportunidades para
tares de integração com a América aproveitar no Equador, país que, em
Latina e o Caribe. termos de PIB nominal a preços cor-
rentes, tem uma economia similar à
Os principais incentivos para o in- soma, por exemplo, dos mercados
vestimento direto se resumem na internos do Uruguai, do Paraguai e
redução de três pontos do Imposto da Bolívia. Os empresários brasilei-
de Renda; a exoneração do Impos- ros têm, portanto, a possibilidade
to sobre a Saída de Divisas para o de encontrar um país que goza de
financiamento externo de mais de estabilidade política, cuja economia
um ano de prazo; as deduções adi- possui níveis de crescimento impor-
cionais para o cálculo do imposto tantes e uma diretriz clara dos seto-
de renda como mecanismo para in- res mais dinâmicos.
centivar a melhoria da produtividade,
inovação e produção e coeficiente;
a dedução dos gastos incrementais
por novo emprego ou melhorias
salariais, aquisição de novos ativos
para melhorias de produtividade e
tecnologia, produção mais limpa; e
redução de 10% do Imposto de Ren-
da para o reinvestimento da utilidade

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 7


EQUADOR Como Exportar

Foto: shutterstock.com

Basílica de Voto Nacional, Quito, Equador

8 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

MAPA

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 9


EQUADOR Como Exportar

Foto: shutterstock.com
Vulcão Cotopaxi, Equador

10 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

DADOS BÁSICOS
Superfície: 256.370 km2
População: 16,03 milhões de habitantes
Densidade demográfica: 62,5 hab./km2
População economicamente ativa (2014): 7,2 milhões de habitantes
Principais cidades: Quito, Guayaquil, Cuenca, Santo Domingo, Machala,
Ambato.
Guayaquil, Manta, Machala e Esmeraldas, por serem portos marítimos, são
cidades muito importantes para o comércio exterior. Quito tem relevância
como mercado importador de manufaturas.
Moeda: Dólar norte-americano (US$).
Cotação: A moeda de livre circulação é o dólar norte-americano (US$).

PIB nominal
Ano 2012 2013 2014 2015 2016
PIB nominal (US$ bilhões) 87,62 94,47 100,76 102,66 109,76
Crescimento real do PIB % 5,22 4,64 3,64 1,89 3,63
Fonte: International Monetary Fund, World Economic Outlook Database, April 2015.

Composição do PIB (2013):

Setores de bens 44,67%


Agropecuário 7,78%
Manufatura 12,42%
Petróleo e Minas 12,60%
Outros 11,87%

Setores de serviços 50,55%


Outros 4,78%

Total do PIB 100%



Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 11
EQUADOR Como Exportar

Composição do PIB (2014) (Estimativa)

Setores produtores de bens 44,32%


Agropecuário 7,85%
Manufatura 12,67%
Petróleo e Minas 12,12%
Outros 11,69%

Setores produtores de serviços 50,99%


Outros 4,69%

Total do PIB 100%

PIB per capita (2013) US$ 5.989


PIB per capita (2014) US$ 6.286

Comércio exterior (2014)


Exportações (US$ bilhões - FOB) US$ 25,7
Importações (US$ bilhões - FOB) US$ 27,5

Intercâmbio comercial bilateral (2014)


Exportações para o Brasil (US$ milhões - FOB) US$ 142,8
Importações oriundas do Brasil (US$ milhões - FOB) US$ 822,1

12 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

I - ASPECTOS GERAIS
1. Geografia e a oeste pelo Oceano Pacífico. Tem
localização tropical e está atravessa-
Distâncias do de norte a sul pela Cordilheira dos
Andes, e de leste a oeste pela Linha
O Equador está localizado na par- do Equador.
te norte-ocidental da América do
Sul. É composto por quatro regiões Clima e pluviosidade
naturais que compreendem uma
superfície territorial de 256.370 km2. No Equador existem duas estações:
A Região Insular ou Galápagos está a seca e a chuvosa. Isto ocorre por
a mil km do litoral equatoriano. A causa da influência da localização
Região Litorânea está localizada no tropical do país, bem como pela
oeste do país, banhada pelo Oceano presença da Cordilheira dos Andes e
Pacífico. A Região Serrana está na do Oceano Pacífico. Na Região Lito-
zona central do Equador, atravessada rânea, a época seca vai desde maio
pela Cordilheira dos Andes. A Região até dezembro, e na Região Serrana,
Oriental se encontra no extremo leste desde junho até setembro.
do país e compreende o espaço da
Amazônia Equatoriana. Existem 24
províncias, distribuídas entre as qua- 2. População, centros urbanos e
tro regiões. qualidade de vida

A capital do Equador é Quito, que População


tem uma extensão de 4.215 km2.
Outras cidades importantes são Segundo estimativas do Instituto
Guayaquil, Manta, Machala, Esmeral- Nacional de Estatísticas e Censos do
das (portos); Cuenca, Ambato, San- Equador (INEC), em 2014, a popu-
to Domingo (entre as cidades mais lação do Equador era de mais de 16
populosas). milhões de habitantes.

O Equador é limitado ao norte pela


Colômbia, ao sul e leste pelo Peru,

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 13


EQUADOR Como Exportar

Centros urbanos

População dos principais centros urbanos do Equador (2014)

Cidade População
Quito 2.505.344
Guayaquil 2.560.505
Cuenca 569.416
Manta 247.463
Santo Domingo 411.009
Esmeraldas 206.298
Machala 270.047
Ambato 329,856
Fonte: Proyecciones Censales 2010-2020/ INEC, 2011

Estrutura da PEA equatoriana (2014)

Habitantes %
Agricultura, pecuária, silvicultura e pesca 1.759.060 24,45%
Comércio por atacado e varejo; reparação de 1.359.045 18,89%
veículos automóveis
Indústria manufatureira 815.859 11,34%
Construção 534.553 7,43%
Educação, saúde e serviços sociais 490.666 6,82%
Transportes, armazenagem e comunicações 423.038 5,88%
Serviços de alojamento e alimentação 392.821 5,46%
Administração pública e defesa; regimes de 315.120 4,38%
segurança social
Atividades profissionais, técnicos e administrativos 307.206 4,27%
Outros serviços 276.270 3,84%

14 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Serviço doméstico 235.980 3,28%


Comunicações e Correios 83.456 1,16%
Fornecimento de energia elétrica, gás e água 74.104 1,03%
Mediação financeira 71.226 0,99%
Exploração de minério e petróleo 56.117 0,78%
Total 7.194.521 100%
Fonte: Encuesta Nacional de Empleo, Desempleo y Subempleo de Diciembre 2014, INEC, 2014.

Principais indicadores socioeconômicos

Indicadores US$
PIB nominal (em US$ bilhões - 2014) 100,76
PIB per capita (2014) 6.286
Consumo doméstico per capita (2014) 3.746
Fonte: International Monetary Fund, World Economic Outlook Database, April 2015 e Banco
Central del Ecuador, 2014

Outros indicadores socioeconômicos

Número de receptores de rádio por cada 100 habitantes 44,4


Número de TV por cada 100 habitantes 86,2
Número de telefones fixos por cada 100 habitantes 42,4
Número de telefones móvel por cada 100 habitantes 81,7
Número de automóveis por cada 1000 habitantes 71
O consumo de aço bruto kg/per capita 129,9
O consumo de aço toneladas / habitantes 7,29
Consumo de energia elétrica KWh/habitantes 1 192
Fontes: INEC 2014, Banco Mundial 2014 y Alacero 2014

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 15


EQUADOR Como Exportar

Taxa de alfabetização População estudantil

Taxa de Nível
Valores Participa-
Circunscrição absolutos ção
alfabetização %
Nacional 93.2 Primário 2.019.099 13,93%

Região Secundário 2.013.224 13,90%


93,5 Universitário 661.293 4,57%
Amazônica
Região Costeira 93,3 Fonte: Encuesta Urbana de Empleo y De-
sempleo-INEC, 2013
Região Insular 98,7
Região Serrana 93,1
Fonte: SIISE, 2010 3. Organização política e adminis-
trativa
Em nível regional, não existem dife-
renças notáveis; entretanto, em nível Organização política
provincial, as diferenças são impor-
tantes. Existem províncias, como Pi- O Equador se organiza em forma de
chincha (96,6%), Guayas (95,1%), El república e é administrado de forma
Oro (95,5%) e Loja (94,6%) que têm descentralizada. O Estado equa-
as taxas mais altas de alfabetização, toriano conta com cinco funções:
enquanto outras províncias regis- Executiva, Legislativa, Judiciária, de
tram taxas muito menores: Manabí Transparência e Controle Social, e
(89,0%), Bolívar (82,6%), Chimbo- Eleitoral.
razo (83,8%), Cañar (88,5%), Imba-
bura (88,8%) e Cotopaxi (88,7%). As O sistema de partidos políticos é
províncias de menor taxa de alfabeti- pluripartidário. No Equador existem
zação se encontram, na sua maioria, seis partidos políticos e cinco mo-
na Região Serrana e representam vimentos políticos, todos de caráter
zonas agrárias e de população indí- nacional.
gena ou afro-equatoriana.

16 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

O Executivo está formado pela um controle eficiente do Comércio


Presidência e Vice-Presidência da Exterior que promova uma competi-
República e por quatro Secretarias ção justa nos setores econômicos,
Nacionais diretamente subordinadas: tendo como base um recurso huma-
Secretaria Nacional de Planejamento, no honesto e produtivo, uma tecno-
Secretaria Nacional da Administração logia adequada e uma melhoria per-
Pública, Secretaria Nacional de Ges- manente de serviços”. O SENAE tem
tão da Política e Secretaria Nacional sua atividade norteada pelo Código
de Comunicação. Além disso, exis- Orgânico da Produção, Comércio e
tem seis Ministérios Coordenadores Investimentos.
nos quais estão localizadas diferen-
tes pastas ministeriais ou ministé- Organização administrativa
rios, bem como secretarias.
O artigo 242 da Constituição Equa-
Os ministérios diretamente relacio- toriana reconhece a organização
nados com as atividades econômi- do território em regiões, províncias,
cas estão adscritos ao Ministério cantões e comunidades rurais, bem
Coordenador de Produção, Emprego como regimes especiais formados
e Competitividade; entre eles, o por motivos de conservação ambien-
Ministério de Comércio Exterior, tal, étnico-culturais ou populacionais.
que trata de temas de exportação e O Equador conta com vinte e qua-
investimento. A esta pasta pertence tro províncias distribuídas entre as
o Instituto de Promoção de Expor- quatro regiões existentes. A Região
tações e Investimentos do Equador Litorânea está composta por sete
(PROEQUADOR). províncias; a Região Serrana, por dez
províncias; a Região Amazônica, por
O Serviço Nacional de Aduana do seis províncias; e a Região Insular,
Equador, SENAE, é uma empresa por uma província.
estatal autônoma que aprova a con-
dição de importador de pessoas Cada província, a exceção de Ga-
físicas ou jurídicas. O SENAE busca, lápagos, é dirigida por um conselho
de acordo com a sua missão institu- provincial, presidido pelo prefeito.
cional, “impulsionar o Bom Viver da Os municípios são dirigidos por um
Sociedade Equatoriana, por meio de conselho municipal, presidido pelo

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 17


EQUADOR Como Exportar

prefeito. As comunidades rurais são (CIES); Corporação Interamericana


dirigidas por uma junta comunitária de Investimentos (CII); Conselho
cujos membros se nomeiam presi- de Cooperação Aduaneira (COA);
dente aquele que tiver obtido o maior Comissão das Nações Unidas para
número de votos populares. o Direito Mercantil Internacional
(UNCITRAL); Aliança dos Produtores
de Cacau (COPAL); Organização
4. Organizações e acordos interna- Internacional do Açúcar (OIA); Or-
cionais ganização Mundial do Café (OIC);
Organização Mundial da Propriedade
O Equador faz parte de várias orga- Intelectual (OMPI); Organização das
nizações internacionais: Organização Nações Unidas para o Desenvolvi-
das Nações Unidas (ONU) e quase mento Industrial (ONUDI); Sociedade
todas as entidades da sua ‘família’; Interamericana de Atum Tropical
Organização dos Estados America- (SIAT); Conferência das Nações Uni-
nos (OEA), Organização dos Países das para o Comércio e o Desenvolvi-
Exportadores de Petróleo (OPEP), mento (UNCTAD).
Corporação Andina de Fomento
(CAF), Banco Interamericano de De- Em temas regionais, cabe destacar a
senvolvimento (BID), Banco Mundial participação em: Comunidade Andi-
(BM), Fundo Monetário Internacional na (CAN); Associação Latino-Ameri-
(FMI); e Organização Mundial do Co- cana de Integração (ALADI); Comu-
mércio (OMC). nidade de Estados Latino-America-
nos e Caribenhos (CELAC); União de
Entre as principais organizações Nações Sul-Americanas (UNASUL);
econômicas e de comércio das cuja sede está no Equador, e Mer-
quais o Equador faz parte estão: cado Comum do Sul (MERCOSUL),
Assistência Recíproca Petroleira como Estado Associado.
Latino-Americana (ARPEL); Comitê
Especial de Consulta e Negociação Entre os últimos acordos internacio-
(CECON); Centro Internacional de nais firmados, destaca-se, no ano
Empresas Públicas de Países em de 2014, o Acordo de Cooperação
Desenvolvimento (CIEP), Conselho Equador - União Europeia que faz
Interamericano Econômico e Social parte do Acordo Multipartes União

18 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Europeia - Países Andinos. Este acordo, que é de muita transcendência, tem


como um dos seus objetivos a desoneração tarifária tanto industrial quanto
agrícola entre as partes.

Entre os acordos que envolvem o Brasil e o Equador, é de grande importân-


cia o Acordo de Complementação Econômica Nº 59 CAN - MERCOSUL. Este
acordo versa sobre a outorga de margens de preferência comercial entre os
países em questão e desoneração tarifária.

Foto: Jess Kraft / Shutterstock.com

Cuenca, Equador

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 19


EQUADOR Como Exportar

Foto: shutterstock.com
Baños de Agua Santa, Equador

20 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

II - ECONOMIA, MOEDA E FINANÇAS


1. Conjuntura econômica

Desde 2008, o Estado tem sido o motor do desenvolvimento nacional, embo-


ra a economia venha crescendo em termos significativos, o seu impulso vem
sendo debilitado gradativamente, motivo pelo qual a taxa de crescimento do
PIB dos últimos quatro anos foi cada vez menor (7,9% em 2011, 5,2% em
2012, somente 4,6% em 2013 e 3,8% em 2014). Nesses anos o preço do
petróleo se manteve, em média, na faixa de US$ 85/barril.

Desde junho de 2014, o preço do barril de petróleo nacional vem diminuindo


rapidamente, de US$ 99,3 na média, até o dia 1º de abril de 2015, em que foi
cotado a US$ 50, o que provocou, no país, problemas fiscais e de Balanço
de Pagamentos, que requerem uma imediata solução.

Entre as principais áreas de atividade que compõem o PIB do país se en-


contram os setores de manufatura, agricultura, minas e petróleo, comércio
(inclusive no setor de serviços), e construção civil.

PIB e taxas de variação

Indicador 2010 2011 2012 2013 2014


PIB (milhões de US$) 69.555 79.277 87.623 94.473 100.755
Taxa de variação a
3,53% 7.87% 5,22% 4,64% 3,64%
preços constantes
Fonte: Banco Central del Ecuador y Proecuador

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 21


EQUADOR Como Exportar

Participação do PIB (%) nos principais setores da economia

Setor 2010 2011 2012 2013 2014 (p)


Produtores de bens 43,37 46,07 45,08 44,67 44,32
Agropecuário 8,72 8,45 7,49 7,78 7,85
Manufaturado 13,40 13,04 12,70 12,42 12,67
Petróleo e minério 10,89 13,20 12,99 12,60 12,12
Construção 9,34 10,23 10,75 10,74 10,54
Outros 1,00 1,15 1,18 1,14 1,15
Produtores de
52,23 50,48 50,27 50,55 50,99
serviços
Outros 4,39 3,46 4,64 4,78 4,69
TOTAL 100 100 100 100 100
Fonte: Boletín Banco Central del Ecuador, 2014

Taxa de desemprego Inflação anual

Ano % Ano Inflação


2010 5,0 Dezembro 2010 3,33
2011 4,2 Dezembro 2011 5,41
2012 4,4 Dezembro 2012 4,16
2013 4,3 Dezembro 2013 2,70
2014 5,0 Dezembro 2014 3,67
Fonte: ENEMDU/INEC, 2014 Fonte: INEC: Ecuador en cifras

22 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Índice de preços ao consumidor em direção a uma modesta indus-


trialização, com sérias limitações de
Índice de competitividade dos produtos.
Ano preços ao
consumidor O Governo decidiu pela mudança da
Dezembro 2010 128,99 matriz produtiva para deixar de de-
pender das flutuações nos preços de
Dezembro 2011 135,97 venda de bens primários, mediante
Dezembro 2012 141,63 a consolidação de indústrias chaves
Dezembro 2013 145,46 e encadeamentos produtivos, dentro
Dezembro 2014 150,79 de cada setor considerado estra-
Fonte: INEC: Ecuador en Cifras tégico. Essa decisão implica uma
mudança da mentalidade da popu-
lação, de empresários e de burocra-
2. Principais setores de atividade tas, já que devem ser apresentados
projetos nos quais as tecnologias
A mudança da matriz produtiva da informação e a comunicação
(TIC) sejam parte fundamental, e
O Equador registra pelo menos duas não naqueles projetos tradicionais,
matrizes produtivas. A primeira, orientados a produzirem pequenos
exclusivamente agropecuária, na incrementos do valor agregado de
qual a agricultura teve uma enorme produtos agropecuários ou a realiza-
preponderância: o cacau no século rem projetos utilizando tecnologias já
XIX e a banana no século XX foram obsoletas no mundo desenvolvido.
os produtos de maior importância do
setor e representaram o vínculo do O Governo decidiu efetuar uma di-
Equador com a economia mundial. versificação produtiva, mediante o
A primeira matriz funcionou desde desenvolvimento de novos setores:
antes da Colônia e se manteve vi- florestal, biocombustíveis e pro-
gente até 1972. A segunda matriz, dutos do mar, juntamente com as
basicamente petroleira e também indústrias estratégicas de refinaria,
agropecuária, mantém-se até a data petroquímica, estaleiros, siderúrgica
de hoje e permitiu dar alguns passos e metalurgia.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 23


EQUADOR Como Exportar

Para a geração de valor agregado investimento doméstica ou necessi-


propôs-se industrializar produtos dade de joint ventures e sem que se
primários e produzir chocolate, plás- requeira nenhuma qualificação prévia
ticos, borrachas; montar veículos e ou autorização.
industrializar petróleo.
Os nove setores priorizados são:
Em relação à substituição de impor- alimentos frescos, congelados e
tações, considerou-se incentivar in- industrializados; cadeia agroflorestal
dústrias para a fabricação de produ- e produtos elaborados, metalomecâ-
tos que atualmente são importados, nica, turismo, petroquímica, energias
como por exemplo: combustíveis e renováveis, biotecnologia e software
energia, e produtos para a higiene. aplicado, indústria farmacêutica e
Relativamente ao incremento da serviços logísticos.
oferta exportável, a ideia é produzir
com qualidade cacau e outros pro- Os setores, os quais se espera que
dutos tradicionais, desenvolver a ocorra substituição de importações
energia e o turismo receptivo. são: substâncias químicas básicas;
O marco legal, dado pelo Código da sabões, detergentes, artigos de
Produção, apoia o processo produ- perfumaria; têxteis e vestimentas,
tivo nas etapas de produção, distri- couro e calçados, praguicidas e pro-
buição, intercâmbio, comércio, con- dutos de uso agropecuário; rádios,
sumo, manejo de externalidades e televisores e celulares; produtos
investimentos produtivos orientados químicos, produtos de cerâmica,
à realização do Bom Viver e outorga eletrodomésticos.
incentivos (tributários e não tributá-
rios) aos investimentos no território Agropecuário
equatoriano.
O setor agropecuário constitui um
De acordo com o Governo, existe dos setores mais importantes para
liberdade para investir sem condi- a economia do país. Segundo da-
ções ou autorizações de nenhuma dos do Banco Central do Equador, a
natureza; outorga-se tratamento participação no PIB é de 7,78% em
nacional, sem que haja requisitos 2013 e espera que em 2014 alcance
mínimos de uma porcentagem de 7,85%. A agropecuária é uma das

24 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

principais fontes de divisas para o Em relação ao cacau, o Equador é o


país: as suas exportações represen- maior exportador da região e satis-
tam 18,68% do total de exportações faz 4,2% da demanda mundial. É o
em 2013 e, até novembro de 2014, maior produtor do cacau de aroma,
representam 21,15%. que não tem cotação no mercado
mundial.
De acordo com os dados do INEC,
a superfície de manejo agropecuário Em relação à cana-de-açúcar, a pro-
(lavouras permanentes, transitórias, dução nacional foi de 7,16 milhões
e pastagens naturais e cultivadas) de tons. A produção de palmeira
no ano de 2013 foi de 7,32 milhões africana atingiu 2,32 milhões de tons
de hec. Desta quantidade, 20% em 2013. É importante destacar que
estiveram destinados a lavouras o rendimento na produção de pal-
permanentes (1,47 milhão de hec.) e meira africana sofreu uma redução
13,7% a lavouras transitórias (1mi- considerável no último ano: diminuiu
lhão de hectares). de 13,3 (Tm/Ha) para 10,5 (Tm/Ha).

Entre as lavouras permanentes, a


produção se concentra na banana,
na cana-de-açúcar, na palmeira afri-
cana e no cacau.

Dentro das exportações agropecu-


árias do Equador, a exportação da
banana constitui 50,74% em 2013
e 46,83% até novembro de 2014. É
importante ressaltar que, de acordo
com os dados da Trade Map (2015),
o Equador é o principal exportador
de banana em nível mundial ao cobrir
22,4% da demanda, que, em quan-
tidade, corresponde a 6,02 milhões
de tons.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 25


EQUADOR Como Exportar

Produtos em lavouras temporárias

Produção (em Tons) Principais províncias


Produto produtoras
2010 2011 2012 2013 (2013)
Guayas (69,96%) y Los
Arroz 1.706.193 1.477.941 1.565.535 1.516.045
Ríos (23,71%)
Milho Los Ríos (50,7%) y
868.027 830.150 1.215.193 1.042.011
seco Guayas (17,5%)
Carchi (28,2%) y Chim-
Batata 386.798 339.038 285.100 345.922
borazo (23,3%)
Fonte: Sistema de Información Nacional de Agricultura Ganadería, Acuacultura y Pesca, SI-
NAGAP 2013; ESPAC, 2013. Elaboração: ALDIR

Dentro do setor agropecuário, é importante destacar igualmente as flores or-


namentais, dado que a produção tem como objetivo principal a exportação.
Em relação ao PIB agropecuário, o cultivo de flores ornamentais atingiu a
porcentagem de 10,25% em 2013. Relativamente às exportações, em 2013
se registrou que a venda de flores contribuiu em 17,41% das exportações
agropecuárias e 14,60% até novembro de 2014.

O Equador tem a participação de 9,1% (153 mil tons) das exportações deste
tipo de produto em nível mundial, e a principal concorrência em nível regional
é a Colômbia, que tem uma participação de 14,1% (211 mil t) no mercado
mundial. É importante reconhecer que o Equador teve maior taxa de cresci-
mento anual que a Colômbia tanto em quantidade quanto em valor na expor-
tação destes produtos desde 2009 até 2013 (10% e 5%, respectivamente),
projetando-se, dessa maneira, como o maior exportador da região dentro de
alguns anos.

Quanto às importações destinadas à produção do setor agrícola é importan-


te reconhecer que existe uma tendência crescente nos últimos anos, o que
indica que este setor continua em expansão e que oferece uma excelente
oportunidade tanto para o investimento estrangeiro quanto para os negócios
de transação.

26 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Setor energético

Desde 2009, o Equador tem proposto a chamada mudança da matriz ener-


gética, que consiste em superar o modelo energético baseado nos recursos
não renováveis e passar para um modelo que tenha a energia renovável
como fundamento do seu funcionamento. Desta forma, podem ser com-
preendidos os megaprojetos estatais para a construção de oito hidrelétricas
que sejam capazes de abastecer o país e que, de acordo com os planos do
governo, até o final de 2016, possam duplicar a capacidade instalada das
hidrelétricas no país, saltando de 2.860 MW para 5.573MW. Atualmente, a
capacidade instalada elétrica, entre as fontes eólicas, hidrelétricas e térmi-
cas, é de 5.585 MW.

Dessas oito hidrelétricas, nas quais o Estado terá investido US$ 4,5 bilhões,
a primeira a ser concluída, em março de 2015, foi a de Manduriacu, que tem
capacidade de 60 MW. As outras sete, são: Coca Codo Sinclair (1.500 MW),
Sopladora (487 MW), Minas San Francisco (270 MW), Toachi-Pilatón (253
MW), Delsitanisagua (115 MW), Quijos (50 MW) e Mazar-Dúvidas (21 MW).
Quando estiverem concluídas, de acordo com os cálculos do governo, o
Equador deixará de importar cerca de US$ 1 bilhão em eletricidade por ano e
poderá, inclusive, passar a exportar eletricidade para os seus vizinhos.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 27


EQUADOR Como Exportar

Composição da produção de energia primária (kBEP)*.

Var.(%)
2010 2011 2012 2013
2013/2012
Petróleo 182.842 188.174 189.926 197.962 4
Gás Natural 8.394 8.403 9.214 9.732 6
Energia hidrelétrica 5.351 6.898 7.582 6.840 -10
Madeira 1.992 1.618 1.909 1.486 -22
Produtos de cana 2.151 2.426 2.493 2.543 2
Outros primários 2,1 2,1 1,7 36,4 2058,1
Total Primária 200.732 207.521 211.126 218.599 3,5
* Miles de barriles equivalentes de petróleo.
Fonte: Balance energético 2014, Ministerio Coordinador de Sectores Estratégicos/ MICSE,
2014

Apesar dos planos do governo, em 2015 o petróleo continua sendo a fonte


mais importante de energia do país. Segundo dados do Ministério Coordena-
dor dos Setores Estratégicos, a energia proveniente do petróleo atinge 85%
do total da energia primária produzida no país. Dessa maneira, a extração
de óleo cru no país tem sido um dos setores mais importantes da economia
equatoriana nos últimos 40 anos.

Produção e demanda de petróleo e derivados (milhões de barris)

Indicadores / Anos 2010 2011 2012 2013


Petróleo bruto
Produção nacional em campos 177,1 182,4 184,3 192,1
Demanda total 177,1 182,4 184,3 192,1
Consumo de refinarias 49,8 57,0 55,6 51,3
Exportações 122,8 105,6 112,3 124,1
Variação de existências 4,4 19,8 16,4 16,6

28 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Derivados de petróleo
Oferta de derivados 106,0 111,7 114,6 118,3
Produção nacional de derivados 61,3 70,6 71,6 69,7
Importação de derivados 44,7 41,0 43,0 48,6
Demanda de derivados 106,0 111,7 114,6 118,3
Consumo interno 80,5 82,5 85,3 90,4
Gasolina 20,4 22,4 23,6 24,9
Outros 60,0 60,1 61,7 65,4
Exportações 10,4 11,5 10,0 7,2
Variação de existências 15,1 17,6 19,3 20,8
Fonte: Boletín Anuario del Banco Central del Ecuador/BCE, 2014

Indústria

O setor manufatureiro no Equador é muito importante para a economia na-


cional, haja vista que ele gera consideráveis postos de trabalho e importan-
tes encadeamentos produtivos tanto para trás quanto para frente. A seguir
são apresentadas as taxas de variação anual da produção das principais
indústrias do país.

Produção industrial

Setores 2010 2011 2012 2013


Indústria alimentícia 9,6% 19,9% 11,1% 4,7%
Indústria têxtil 7,7% 11,8% -6,1% 9,0%
Indústria de papel 8,6% 3,0% 1,0% 12,8%
Indústria de produtos químicos, bor- -5,7% 2,2% 22,1% 2,5%
racha e plástico
Outros produtos minerais não metá- 7,4% 10,7% 14,4% 19,4%
licos
Metais comuns e de produtos deriva- 3,8% 13,4% 40,6% 7,1%
dos de metal
Fonte: Boletín Anuario del Banco Central del Ecuador/ BCE, 2014.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 29


EQUADOR Como Exportar

É importante destacar que a mudança da matriz produtiva busca impulsionar


as indústrias siderúrgicas, metalúrgicas e, principalmente, metalomecânicas
do país. As principais indústrias de metalomecânica estão localizadas nas
províncias de Pichincha, Tungurahua, Guayas, Azuay e Loja, nas quais foi se
desenvolvendo esta atividade com grande sucesso, oferecendo uma ampla
gama de produtos e serviços para as indústrias relacionadas.

Dado que o setor industrial se encontra em expansão, as importações desti-


nadas para este setor atingiram, em 2014, 17,7% do total de importações do
país e, no que se refere às matérias-primas, 21,9%.

Aquicultura

Dentro do setor da aquicultura, a pesca de camarão é uma das atividades


que possuem maior peso na economia equatoriana. Depois da banana, o
camarão é o principal produto das exportações não petroleiras, e contribui
com 7,2% das exportações do país. O Equador ocupou o terceiro lugar em
exportações de camarão em nível mundial em 2013 e satisfez 7,97% da de-
manda mundial desse mesmo ano.

Produção de camarão

Produção nacional de camarão no país


Ano Quantidade (T) Variação anual
2009 186.112 18,95%
2010 230.997 24,12%
2011 266.515 15,38%
2012 287.615 7,92%
Fonte: FAO, Departamento de Acuacultura y Pesca

30 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Turismo primeiro do mundo a receber esse


prêmio, em 1978), Cuenca, O Par-
O turismo é um setor com crescente que Nacional Sangay, a tradição da
importância para a economia equa- nacionalidade Zápara, entre outras. É
toriana. De acordo com os dados importante destacar que o Equador
do Banco Central, a contribuição conta com a maior biodiversidade
da indústria do turismo para o PIB mundial por quilômetro quadrado,
nacional é de 2,02%. A taxa da varia- dado que existem quatro regiões
ção anual média do setor é de 5,74% que incluem montanhas com neve e
e se posiciona em terceiro lugar, vulcões nos Andes, praias na Região
logo abaixo do setor da construção Litorânea, diversidade topográfica
civil e do setor energético. Em 2014, na Amazônia e ilhas vulcânicas na
entraram aproximadamente US$ 1,4 Região Insular.
bilhão de divisas a título de turismo.
A última enquete de turismo foi re-
As características geográficas e alizada em 2011 e mostrou que as
culturais do Equador transformam o cidades mais visitadas são Quito
país numa mina para a indústria do e Guayaquil; por sua vez, Cuenca,
turismo. O país possui vários sítios Galápagos e Baños aparecem como
reconhecidos pela UNESCO como preferências dos estrangeiros; e os
Patrimônios Culturais e Naturais da turistas nacionais visitam as praias
Humanidade: as Ilhas Galápagos, de General Villamil Playas, Salinas e
Quito (cujo centro histórico foi o Atacames.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 31


EQUADOR Como Exportar

3. Moeda e finanças

Moeda

A moeda de livre circulação no Equador é o dólar norte-americano (US$).


Este padrão monetário se mantém desde a sua adoção, no ano 2000.

Balanço de pagamentos e reservas internacionais - 2014

Critério US$ milhões


A. Balança Comercial -67,2
Exportações 26.604,5
Importações -26.671,7
B. Serviços -1.219,3
Lucro 2.333,9
Despesas -3.533,2
C. Renda (Líquida) -1.579,3
Lucro 118,0
Despesas -1.697,3

Despesas -1.697,3

A. Transferências unilaterais 2.264,1


B. Transações correntes (A+B+C+D) -601,7
C. Conta de capital (líquido) 66,8
D. Conta financeira (líquida) 327,6
E. Erros e omissões -217,1
F. Saldo (E+F+G+H)= Superávit(+) o déficit (-) -424,5
Fonte: Banco Central del Ecuador, Balanza de pagos analítica, 2014

32 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Evolução recente do balanço de Finanças públicas


pagamentos
As receitas do Governo Central vêm
Ano Saldo apresentando a cada ano um dinâmi-
(US$ milhões) co aumento, ao ponto que, enquanto
2009 -2.647,2 em 2009 totalizaram US$ 11,2 bi-
lhões, em 2013 totalizaram US$ 20,8
2010 -1.212,3 bilhões (em 2014 a cifra estimada é
2011 272,0 de US$ 18,9 bilhões), até chegar em
2012 -581,9 2015 com um Orçamento Geral do
2013 1845,9 Estado de US$ 36 bilhões, reduzido
Fonte: Banco Central del Ecuador, 2014 originalmente em US$ 5 bilhões.

Finanças Públicas
Reservas internacionais (em US$ bilhões)

Composição das reservas Nível total de Lucro 27,5


internacionais (12/2014) Nível total de Gastos 32,9
Pressuposto General do
Componente Valor 36,4
Estado
Posição líquida de Fonte: Ministério das Finanças, 2014.
3237,4
moeda estrangeira
Ouro 464,9
Sistema bancário
Direito Especiais de
25,9
Giro (DEG)
A supervisão e a regulação das ope-
Posição de reservas rações bancárias são exercidas pela
25,9
no FMI Superintendência de Bancos, que
Posição ALADI -21,0 tem como missão “Zelar pela segu-
Posição SUCRE 200,5 rança, estabilidade, transparência e
TOTAL 3949,1 solidez dos sistemas financeiros, de
Fonte: Boletín Banco Central del Ecuador, seguros privados e de seguridade
2015 social, mediante um eficiente e eficaz

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 33


EQUADOR Como Exportar

processo de regulação e supervisão O Sistema Financeiro do Equador


para proteger os interesses do públi- tem 26 bancos privados, 40 coo-
co e contribuir para o fortalecimento perativas de poupança e crédito, 04
do sistema econômico social, soli- associações mutualistas, 10 socie-
dário e sustentável”. Controla todas dades financeiras, 04 entidades de
as instituições financeiras públicas, bancos públicos, 04 armazéns gerais
as companhias de seguros, as ins- de depósito e 13 bancos off-shore.
tituições de seguridade social, de
serviços financeiros e as instituições As instituições financeiras públicas
de serviços auxiliares do sistema são o Banco do Estado, o Banco
financeiro. Também controla as ins- Nacional de Fomento, a Corporação
tituições do sistema financeiro priva- Financeira Nacional e o Banco do
do, como os bancos, as sociedades Instituto de Seguridade Social do
financeiras ou corporações de inves- Equador (BIESS). Também existem
timento e desenvolvimento e as as- instituições públicas de crédito,
sociações mutualistas de poupança como o Instituto de Fomento ao
e crédito para o setor habitacional. Talento Humano (antigo Instituto
Equatoriano de Crédito Educativo e
As instituições relacionadas com o Bolsas, IECE). O Banco do Estado é
sistema financeiro são o Banco Cen- a principal entidade para o financia-
tral do Equador, a Superintendência mento em investimento público.
de Bancos, a Superintendência de
Companhias e de Mercado de Valo- Entre os principais bancos privados
res. nacionais e de maior patrimônio
estão: o Banco Pichincha; Banco do
Apesar de o Equador possuir uma Pacífico; Banco Guayaquil; Produ-
moeda estrangeira de livre circula- banco; e Banco Internacional. O úni-
ção, o Banco Central do Equador é co banco estrangeiro com atuação
a entidade financeira pública que se relevante no país é o Citibank, dos
encarrega da eficiência na circulação Estados Unidos.
e disponibilização de cédulas e mo-
edas.

34 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Risco-país

Nos dos últimos anos, o indicador de risco-país no Equador tem flutuado en-
tre 500 e 800 pontos. O risco-país do Equador (EMBI) é de 667 pontos (em
18 de abril de 2015) e tem estado beirando esse valor nos últimos 30 dias,
de acordo com as informações do Banco Central do Equador.

Entre os acordos que envolvem o Brasil e o Equador, é de grande importân-


cia o Acordo de Complementação Econômica Nº 59 CAN - MERCOSUL. Este
acordo versa sobre a outorga de margens de preferência comercial entre os
países em questão e desoneração tarifária.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 35


EQUADOR Como Exportar

Foto: shutterstock.com

Quito, Equador

36 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

III - COMÉRCIO EXTERIOR


1. Evolução recente: considerações gerais

A crise financeira de 2008 em nível mundial afetou o comércio exterior do


país. Para o ano seguinte, as importações diminuíram em aproximadamente
20%, e as exportações, em 26%. Apesar disto, as importações e as expor-
tações do país (estas últimas principalmente devido ao preço do petróleo)
tiveram altas taxas de crescimento nos últimos anos. A taxa de crescimento
média anual das exportações desde 2010 até 2014 é de 13,2%, e a das im-
portações, de 13,4%.

A maior exportação do país é de petróleo bruto (54% em 2013 e 51% em


2014), e a capacidade de importação se vincula com a venda deste produto.
A alta dependência do país da venda de petróleo faz com que as baixas nos
preços gerem sérias limitações à capacidade de importação e afetem drasti-
camente a balança comercial, e vice-versa. Outras exportações importantes
são as de banana (10%), flores naturais (3%), camarão (10%) e os enlatados
de pescado (5%). Nesse mesmo ano, os principais produtos importados
e sua representatividade em relação ao montante total são: combustíveis
(24%), matérias-primas e produtos intermediários para a indústria (22%),
bens de capital para a indústria (17%) e equipamentos de transporte (7%).

Balança comercial equatoriana (US$ bilhões - FOB)

Ano Exportações Importações Saldo


2010 17,5 19,3 -1,8
2011 22,3 23,1 -0,8
2012 23,8 24,2 -0,3
2013 24,8 26,0 -1,0
2014 25,7 26,4 -0,7
Fonte: Boletín Mensual, Banco Central del Ecuador/BCE, 2015

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 37


EQUADOR Como Exportar

2. Direção

Em 2014 os produtos estrangeiros comprados pelo Equador originaram


principalmente dos EUA (31,7%). Em segundo lugar está a ALADI, com
28,3%. Dentro dos países membros da ALADI que não são membros da
Comunidade Andina (CAN), os produtos provêm principalmente do México e
do Brasil, e alcançam 12,3% e 11% do total de importações provenientes da
ALADI. Em relação aos países da CAN, a Colômbia e o Peru (8,1% e 3,8%,
respectivamente, do total) são os que enviam mais produtos para o Equador:
representam 28,5% e 13,3%, respectivamente, do total de importações pro-
venientes da ALADI. Por outro lado, a União Europeia registra 10,9% do total
de importações realizadas pelo Equador e os seus principais sócios são a
Espanha, a Alemanha e a Holanda. Cabe destacar que as importações prove-
nientes da China significam 12,9% das compras externas equatorianas e pra-
ticamente quadruplicaram de 2010 a 2014, saltando de US$ 826,6 milhões a
US$ 3,4 bilhões.

Origem das importações equatorianas (US$ milhões - FOB)

%
2010 2011 2012 2013 2014 do total
2014
Total -
19.278 23.088 24.181 25.979 26.433 100,0%
Importações
Total - América 13.310 15.339 15.201 16.237 16.529 62,5%
USA 5.390 5.782 6.507 7.534 8.388 31,7%
Mercado
Comum Centro- 97 83 86 100 97 0,4%
americano
ALADI 5.567 7.048 7.892 8.057 7.483 28,3%
México 691 823 845 911 920 3,5%
Brasil 806 889 881 831 824 3,1%
Chile 534 589 597 601 558 2,1%

38 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Argentina 529 503 443 387 472 1,8%


Outros países 572 999 1.888 1.917 1.473 5,6%
Comunidade
2.946 3.246 3.239 3.410 3.236 12,2%
Andina
Colômbia 1.950 2.142 2.122 2.219 2.134 8,1%
Peru 978 1.096 1.088 1.087 995 3,8%
Bolívia 18 8 29 104 107 0,4%
Resto da
1.746 2.426 715 545 543 2,1%
América
Total - Europa 1.895 2.460 3.103 3.048 3.126 11,8%
União Europeia 1.728 2.187 2.769 2.779 2.879 10,9%
Espanha 253 307 584 699 617 2,3%
Alemanha 452 539.406 563.933 554.818 550.887 2,1%
Reino Unido 73 138 468 328 144 0,5%
Bélgica e
283 299 312 308 382 1,4%
Luxemburgo
Holanda 124 220 201 280 461 1,7%
Itália 260 269 269 276 310 1,2%
França 85 130 156 122 133 0,5%
Outros países 197 284 215 211 264 1,0%
Associação
Europeia de 101 134 168 156 139 0,5%
Livre Comércio
Resto de
66 139 165 113 108 0,4%
Europa
Ásia 3.846 4.837 5.490 6.330 6.422 24,3%
Japão 1.438 2.130 2.609 3.270 536 2,0%
China 827 862 737 948 3.410 12,9%
Coreia do Sul 653 623 693 562 878 3,3%
Outros países 928 1222 1.452 1.550 1.395 5,3%

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 39


EQUADOR Como Exportar

África 84 142 114 15 15 0,1%


Oceania 27 28 26 31 30 0,1%
Países não
116 140 84 90 99 0,4%
declarados
Tráfico Postal
internacional e - 142 163 228 212 0,8%
correios rápidos
Fonte: Boletín Mensual del Banco Central del Ecuador/BCE, 2015

Em 2014, os principais mercados nos quais são comercializados os produ-


tos equatorianos são os EUA (43,8%), a ALADI (28,5%), a União Europeia
(11,6%) e a CAN (9,9%). Dentro dos países membros da ALADI, o Chile, o
Peru e a Colômbia são os países com maior representatividade. Cabe desta-
car que o petróleo representa aproximadamente 65% das exportações equa-
torianas para os Estados Unidos, Chile e Peru.

Destino das exportações equatorianas (US$ milhões - FOB)

%
2010 2011 2012 2013 2014 do total
2014
Total 17.490 22.322 23.765 24.848 25.732 100,0%
Total América 13.282 17.726 18.636 18.501 19.061 74,1%
EUA 6.077 9.771 10.617 11.107 11.283 43,8%
Mercado
Comum Centro- 452 563 426 389 176 0,7%
americano
ALADI 4.262 5.740 7.347 6.789 7.327 28,5%
Chile 847 1.106 1.991 2.455 2.301 8,9%
Argentina 114 89 105 143 196 0,8%
Brasil 51 90 135 130 133 0,5%
México 87 98 101 118 149 0,6%

40 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Outros
1.020 1.529 1.946 1.126 1.999 7,8%
países
Comunidade
2.142 2.814 3.069 2.816 2.550 9,9%
Andina
Peru 1.336 1.766 1.991 1.886 1.577 6,1%
Colômbia 793 1.026 1.056 907 947 3,7%
Bolívia 14 23 22 24 26 0,1%
Resto da
2.490 1.653 246 216 264 1,0%
América
Total Europa 3.030 3.613 3.392 4.071 3.970 15,4%
União Europeia 2.265 2.690 2.445 3.032 2.982 11,6%
Espanha 354 468 442 778 525 2,0%
Holanda 332 350 328 427 516 2,0%
Itália 582 582 487 420 434 1,7%
Alemanha 320 493 377 412 527 2,0%
França 204 210 237 314 314 1,2%
Bélgica e
244 265 209 239 223 0,9%
Luxemburgo
Reino Unido 84 139 164 184 178 0,7%
Outros
144 183 201 257 266 1,0%
países
Associação
Europeia de 68 84 101 109 79 0,3%
Livre Comércio
Resto da
697 839 846 929 909 3,5%
Europa
Ásia 1.095 885 1.578 2.065 2.471 9,6%
África 50 65 110 101 122 0,5%
Oceania 30 30 31 33 40 0,2%
Países não
3 3 17 77 67 0,3%
declarados
Fonte: Boletim Anuário Nº 36 Banco Central do Equador/BCE, 2015.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 41


EQUADOR Como Exportar

Em 2014 o Equador firmou um acordo comercial com a União Europeia, atu-


almente a principal compradora de produtos não petroleiros do país, motivo
pelo qual foram reduzidos os impostos para produtos desses mercados de
forma bilateral. Este acordo deverá entrar formalmente em vigor em 2016,
mas negociações paralelas realizadas simultaneamente ao acordo fazem
com que as exportações equatorianas entrem com maior facilidade neste
bloco, como ocorria e ocorre com os produtos da Colômbia e do Peru, que
já tinham firmado acordo similar com a União Europeia. Portanto, podem
existir mudanças na composição dos principais mercados europeus que
recebem produtos equatorianos e, ao mesmo tempo, também existe a pos-
sibilidade de que os países da União Europeia vendam mais produtos para o
Equador.

42 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

3. Composição

Importações totais por principais grupos de produto (US$ milhões - FOB)

%
2010 2011 2012 2013 2014 do total
2014
Total 20.591 24.286 25.197 27.064 27.515 100,00%
Combustíveis 4.380 5.407 5.643 6.303 6.684 24,3%
Máquinas
2.460 2.861 3.346 3.423 3.382 12,3%
mecânicas
Máquinas elétricas 1.986 2.211 2.273 2.702 2.536 9,2%
Automóveis 2.361 2.226 2.261 2.229 2.180 7,9%
Plásticos 865 1.064 1.047 1.138 1.199 4,2%
Produtos
792 953 982 1.026 1.086 3,9%
farmacêuticos
Ferro e aço 681 901 767 946 810 2,9%
Obras de ferro ou
475 667 713 722 796 2,9%
aço
Resíduos das
indústrias 294 383 418 504 628 2,3%
alimentares
Instrumentos de
352 478 528 571 587 2,1%
precisão
Produtos diversos
das indústrias 380 418 468 501 546 2,0%
químicas
Papel 383 430 429 408 421 1,5%
Produtos químicos
335 379 414 404 409 1,5%
orgânicos
Adubos 312 394 360 331 397 1,4%

Outros 4.535 5.514 5.548 5.856 42,1%


8.390
Fonte: UN/UNCTAD/Trademap

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 43


EQUADOR Como Exportar

As importações equatorianas são compostas principalmente por bens de


consumo e insumos para a indústria: os bens de consumo representam
20,3%, as matérias-primas para a indústria alcançam 22,7% e os bens de
capital industriais, 18,9%.

Exportações por principais grupos de produtos (US$ milhões - FOB)

%
2010 2011 2012 2013 2014 do total
2014
Total Geral 17.490 22.343 22.852 24.958 25.732 100,00%
Combustíveis 9.672 12.909 13.797 14.106 13.301 51,7%
Pescados 1.094 1.481 1.618 2.093 2.878 11,2%
Frutas 2.119 2.344 2.186 2.472 2.725 10,6%
Preparações de
604 880 1.126 1.352 1.262 4,9%
carnes
Ouro e pedras
71 134 396 480 858 3,3%
preciosas
Plantas e
611 684 776 841 802 3,1%
floricultura
Cacau 423 583 453 531 710 2,8%
Gorduras e óleos 205 390 389 306 301 1,2%
Preparações
hortícolas e de 242 249 213 236 285 1,1%
frutas
Outros 2.449 2.689 1.898 2.541 2.610 10,1%
Fonte: UN/UNCTAD/Trademap

44 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

As principais exportações do Equador são produtos primários (80,1%); e


dentro destes, o petróleo bruto representa 54% do total das exportações.
Outras exportações de produtos primários importantes são a banana (9,2%),
as flores (3,2%), o cacau (1,8%) e os camarões (7,2%).

No que tange aos produtos industrializados, que representam 18,7% do total


de exportações, destacam-se os derivados de petróleo, as manufaturas de
metais e os enlatados de pescado.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 45


EQUADOR Como Exportar

Foto: shutterstock.com

Guayaquil, Equador

46 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

IV – RELAÇÕES ECONÔMICAS BRASIL-Equador


1. Intercâmbio comercial bilateral ficativamente menores em 2009,
uma vez que, naquele ano, como
O intercâmbio bilateral entre o Brasil consequência da crise financeira
e o Equador se insere no marco do mundial de 2008, o Equador suspen-
Acordo de Complementação Econô- deu temporariamente as preferências
mica Nº 59, firmado pelos países da outorgadas no ACE Nº 59. Com o
CAN e do MERCOSUL em 2004, no restabelecimento dessas preferên-
qual se outorgam preferências tarifá- cias no primeiro trimestre de 2010,
rias recíprocas e uma abertura gra- observou-se um imenso crescimento
dativa dos mercados para assegurar das exportações (53,4%).
a soberania e o desenvolvimento das
nações. As relações e preferências Em relação às importações bra-
outorgadas entre ambos os países sileiras provenientes do Equador,
datam desde 1962, ano em que o observa-se que estas tiveram um
Equador entrou na ALALC. crescimento constante no período
observado (de US$ 41,4 milhões em
Evolução recente 2009 para US$ 142,8 milhões em
2014); entretanto, as importações
Entre 2009 e 2014, é possível ob- provenientes do Equador não são
servar que existe um importante significativas quando são compara-
superávit favorável para o Brasil das com as importações totais do
no intercâmbio bilateral de bens. A Brasil (0,06% em 2014); da mesma
tendência mostra que, desde 2010, forma, no que diz respeito às im-
existe uma diminuição constante do portações provenientes da CAN, as
superávit brasileiro, produzida pelo equatorianas são responsáveis por
significativo incremento das importa- somente 4%. Em relação às exporta-
ções e por uma leve diminuição das ções brasileiras, as que estão desti-
exportações. Desde 2010 até 2014, nadas ao Equador alcançam 0,36%
ocorreu uma redução de 26,3% no em 2014 em nível mundial, enquanto
saldo comercial do Brasil em rela- que em nível da CAN, alcançam
ção ao Equador. As exportações do 10,4%.
Brasil para o Equador foram signi-

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 47


EQUADOR Como Exportar

Intercâmbio bilateral de bens Brasil – Equador

2009 2010 2011 2012 2013 2014


A) Exportações do Brasil
638,2 978,7 933,2 898,6 820,2 822,1
(US$ milhões FOB)
Variação (%) em relação
-27,31 53,35 -4,65 -3,71 -8,72 0,23
ao ano anterior
Participação (%) no
total das exportações 0,42 0,48 0,36 0,37 0,34 0,37
brasileiras
B) Importações do Brasil
41,4 56,9 95,2 133,0 140,9 142,9
(US$ milhões FOB)
Variação (%) em relação
-2,70 37,31 67,38 39,73 5,87 1,41
ao ano anterior
Participação (%) no
total de importações 0,03 0,03 0,04 0,06 0,06 0,06
brasileiras
Saldo comercial (A-B)
596,8 921,8 838,0 765,6 679,4 679,3
(US$ milhões FOB)
Fonte: MDIC /SECEX.

Composição do intercâmbio comercial bilateral

As exportações do Brasil para o Equador têm sido principalmente de pro-


dutos manufaturados. Este tipo de produto abrange, em média, 90,4% do
total nos anos pesquisados; no entanto, observa-se que desde 2010, com
exceção do ano de 2014, tem havido uma tendência decrescente no que
tange à exportação, dado o crescimento de indústrias equatorianas, como a
metalúrgica. Também existe uma redução muito considerável em relação à
exportação de produtos semimanufaturados em 2014. No que diz respeito
às importações brasileiras, existe um crescimento constante e paralelo dos
produtos industrializados a partir de 2009.

48 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Intercâmbio bilateral / de produtos (US$ milhões- FOB)

2009 2010 2011 2012 2013 2014


Exportações 638,2 978,7 933,2 898,6 820,2 822,1
1. Produtos básicos 34,2 58,0 80,1 95,8 67,2 58,6
2.Produtos industrializados 602,3 919,0 851,0 801,7 750,7 762,0
Semimanufaturados 10,5 12,8 11,2 30,2 17,7 4,4
Manufaturados 591,8 906,2 840,0 771,5 733,1 757,6
3. Transações especiais 1,6 1,6 2,0 1,1 2,4 1,5
Importações 41,4 56,9 95,2 133,0 140,9 142,8
1. Produtos básicos 2,5 2,4 10,5 8,3 10,3 12,1
2.Produtos industrializados 38,9 51,5 84,7 124,7 130,6 130,7
Semimanufaturados 6,1 8,4 13,0 45,1 32,6 26,7
Manufaturados 32,8 43,2 71,7 79,5 98,0 104,0
3. Transações especiais - - - - - -
Fonte: MDIC / SECEX.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 49


EQUADOR Como Exportar

Nas exportações do Brasil para o Equador por principais grupos de produtos,


se destaca o crescimento das vendas externas de produtos manufaturados.
E também as vendas de ferro ou aço, de turbinas e rodas hidráulicas, bem
como dos motores e geradores elétricos, que mostram crescimento impor-
tante, justificado pelos projetos do governo de construção das grandes cen-
trais hidrelétricas, definidos no plano da mudança da matriz produtiva.

50 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Os principais grupos de produtos importados pelo Brasil provenientes do


Equador destacam-se pelo significativo crescimento na importação de pre-
parações de carne (conservas de pescados) e de pasta de cacau não de-
sengordurada. Por outro lado as compras de gorduras e óleos apresentaram
decréscimo nos últimos anos, representando em 2012, 21,8% do total das
compras e em 2014, 2,1%.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 51


EQUADOR Como Exportar

2. Balanço de pagamentos bilateral

Balanço de pagamentos Brasil - Equador (US$ mil)

2010 2011 2012 2013 2014


A. Bens e serviços. 945.560 850.525 799.967 711.794 755.717
Balança comercial 921.796 837.964 765.550 679.389 679.255
Exportações (FOB) 978.681 933.178 898.591 820.245 822.104
Importações (FOB) 56.885 95.214 133.042 140.856 142.849
Serviços 23.764 12.562 34.417 32.405 76.462
B. Transferências unilaterais -2.183 -3.490 -5.024 -2.447 -9.540
C. Transações Correntes
943.377 847.035 794.942 709.347 746.177
(A+B)
D. Movimentos de capitais -2.706 1.749 6.079 1.877 326
IED equatoriana 5.729 3.477 8.641 497 2.031
IED brasileira 8.434 1.728 2.562 -1.380 1.704
E. Total (C+D) 940.672 848.784 801.021 711.224 746.503
Fonte: Banco Central de Brasil

52 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

3. Investimento Estrangeiro Direto

Investimento Estrangeiro Direto (IED) do Brasil no Equador


(valor acumulado 2007 - 2013 – US$ mil)

Participação Quota do investimento


Atividade Valor
(%) total no setor (%)
Agricultura, silvicultura,
0,75 0,0 0,0
caça e pesca
Comércio 2.898,23 1,7 0,4
Construção 129,08 0,1 0,1
Eletricidade, gás e água 8.842,50 5,2 13,1
Exploração de minas e
136.184,41 80,2 11,5
pedreiras
Indústria manufatureira 17.914,77 10,5 1,9
Serviços coletivos,
90,39 0,1 0,1
sociais e pessoais
Serviços prestados nas
3.786,98 2,2 0,8
empresas
Transporte, armazenagem
25,94 0,0 0,0
e comunicações
Total 169.873,04 100,0 27,9
Fonte: Banco Central del Ecuador, 2014.

De acordo com dados da Superintendência de Companhias existem mais de
trinta empresas brasileiras no Equador estabelecidas como sucursais, em
2014; e entre elas existem várias construtoras que têm ou tiveram a cargo
projetos de infraestrutura, além de outras que aparecem no registro de em-
presas petroleiras e hidrelétricas.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 53


EQUADOR Como Exportar

Investimento equatoriano no Brasil financiamento pode cobrir até 60%


do investimento.
Segundo dados do Banco Central
do Brasil, em 2014 o investimento b. Apoio à exportação: O BNDES
estrangeiro equatoriano no país foi oferece financiamento para a ex-
de US$ 18,5 milhões, que é um dado portação de bens e serviços em
insignificante comparado com o in- categorias de pré-embarque e pós-
vestimento estrangeiro total do país -embarque. O crédito pode incluir
(representa somente 0,003%). um Seguro de Crédito de Exportação
com o intuito de cobrir riscos e im-
4. Linhas de crédito previstos derivados da conjuntura
política e econômica.
Linhas de crédito de bancos brasi-
leiros para a exportação e o comér- - Pré-embarque: Financiamento de
cio exterior. produção de empresas competitivas
em nível internacional, estabelecidas
O Banco Nacional de Desenvolvi- sob leis brasileiras.
mento Econômico e Social do Brasil - Post-embarque: Financiamento
(BNDES) oferece produtos e linhas para o comércio de bens e serviços
de crédito para empresas brasileiras por refinanciamento do exportador,
que desejarem exportar ou se inter- ou crédito ao comprador.
nacionalizarem.
Os instrumentos de garantia disponí-
Entre os produtos oferecidos se en- veis são os mesmos oferecidos por
contram: agências de crédito de exportação
(ECA), de maneira que facilite o
a. Apoio para internacionalização: acesso ao crédito de exportação.
Outorga um financiamento ou capi- Se for solicitado, a transação pode
talização de companhias por subs- incluir Seguro de Crédito de Expor-
crição de valores mobiliários. Este tação como garantia, que permite
apoio também pode ser solicitado a cobertura de riscos de cobertura
para investimento em construção comercial, política e extraordinários
de novas unidades, modernização e envolvidos. No Brasil, este instru-
necessidades de capital de giro. O mento é operado por empresas

54 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

privadas de seguro no curto prazo e Linhas de crédito de bancos brasi-


executados pelo Governo Federal no leiros para o Equador
longo prazo.
A outorga de créditos ao Equador
c. BNDES Exim Automático: No pri- por parte do BNDES teve como fi-
meiro semestre de 2015, o BNDES nalidade o investimento em projetos
passou a oferecer no Equador, por de infraestrutura. No ano de 2012, o
meio do Banco Pichincha, a maior Ministério das Finanças registrou um
instituição financeira do país: a linha crédito de US$ 90,2 milhões para a
de crédito “BNDES Exim Automáti- construção do Projeto Hidrelétrico
co”. Esta linha oferece financiamen- Manduriacu. Também foi assinado
tos competitivos (Libor + taxa entre um contrato de US$ 136 milhões
0,4% e 1,35%) na fase pós-embar- para o financiamento do projeto de
que, mediante desconto de cartas de irrigação Daule - Vinces.
crédito ou crédito com autorização
de desembolso direto ao exportador Em dezembro de 2014, o Equador
num prazo de até 05 anos, com pa- tinha uma dívida consolidada com
gamentos semestrais. Pelo fato de o o Brasil de US$ 325,9 milhões que
crédito ser concedido diretamente no constituem 1,9% do total da dívida
Equador pelo banco local credencia- pública externa. Atualmente, não se
do junto ao BNDES, trata-se de um registra nenhum crédito contratado
produto ágil que poderá ser muito com bancos comerciais brasileiros.
importante para o fortalecimento das
relações comerciais entre o Brasil 5. Principais acordos econômicos
e o Equador. Além de obter infor- com o Brasil
mações sobre esta linha de crédito
no BNDES, interessados também - Acordo de Complementação Eco-
podem contatar o departamento de nômica 59 – MERCOSUL - Comuni-
Bancos Empresas - Comércio Exte- dade Andina.
rior do Banco Pichincha no Equador,
por meio do Senhor Santiago Proaño Firmado em 2004 no âmbito de a
Endara (endereço de e-mail: sproa- Associação Latino-Americana de
no@pichincha.com; telefone: +593 Integração (ALADI), o Acordo de
(2) 298-1137). Complementação Econômica n. 59

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 55


EQUADOR Como Exportar

(ACE-59) é um importante marco O memorando de entendimento so-


jurídico e institucional que busca es- bre este Acordo estabelece a criação
tabelecer uma área de livre comércio da Comissão de Monitoramento do
entre o Equador e os países que, na Comércio para o seguimento das
época, eram membros plenos do atividades comerciais que ocorrerem
MERCOSUL (Argentina, Brasil, Pa- entre os dois países. Este acordo é o
raguai e Uruguai), bem como com a que maior importância tem no que se
Colômbia e a Venezuela. refere aos intercâmbios comerciais
entre o Equador e o Brasil.
Tem como objetivo estabelecer um
marco jurídico e institucional que - Oitavo Protocolo Adicional ao
sirva de contribuição para a criação Acordo de Complementação Econô-
de um espaço comercial no qual se mica 59 – MERCOSUL - Comunida-
facilite a livre circulação de bens e de Andina, com o qual a República
serviços e a formação de uma área Federativa do Brasil outorga pre-
de livre comércio entre as partes ferências tarifárias à República do
contratantes. Dada a sua importân- Equador.
cia, as preferências tarifárias esta-
belecidas pelo acordo são tratadas a Entrou em vigor no dia 16 de feve-
seguir mais detalhadamente. reiro de 2011. De acordo com este
documento, o Brasil outorga cem por
A entrada em vigor deste Acordo, cento de preferências a alguns itens
tanto para o Equador quanto para NALADISA 96. Este protocolo se en-
o Brasil, aconteceu no dia 01º de contra sob a observação da ALADI.
abril de 2005. No referido Acordo,
o Equador outorga ao Brasil pre- - Acordo Regional de abertura de
ferências tarifárias para cada uma mercados a favor do Equador AAR
das mercadorias detalhadas no do- Nº 2.
cumento e em diferentes períodos,
especificando o vencimento de cada Assinado no dia 30 de abril de 1983.
preferência e o detalhe e a vigência Este acordo estabelece a lista de
das novas preferências. produtos equatorianos que podem
entrar em outros países da Associa-

56 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

ção Latino-Americana de Integração - Acordo de Alcance Parcial para


sem nenhum gravame, especificando a liberação e a expansão do co-
as quantidades de importação para mércio intra-regional de sementes
eles. É um acordo que dá preferên- AA.AG Nº2.
cias com o benefício para o Equador
e não se estabelece de forma recí- Assinado no dia 22 de novembro de
proca. O Brasil é um dos países que 1991. Propõe a liberação do merca-
outorga ao Equador este benefício. do intra-regional de sementes para
um intercâmbio destas conservando
- Convênio entre a República Fe- as suas características de qualidade
derativa do Brasil e a República do e regulatórias, com a finalidade de os
Equador para evitar a bitributação produtores agrícolas da região terem
e prevenir a evasão tributária em acesso a elas.
relação aos impostos sobre a ren-
da. O artigo 9º do acordo propõe que as
operações de importação e expor-
Acordo assinado no dia 26 de maio tação de sementes que estiverem
de 1983. Mediante o estabelecimen- na lista comum de espécies sejam
to dos lugares nos quais os nacio- isentas de qualquer restrição não
nais do Brasil o do Equador tiverem tarifária, entre as quais se incluem
propriedades, ou onde mantiverem aquelas do tipo tributário aplicado às
relações econômicas e pessoais importações.
mais estreitas, bem como de outros
critérios, fica definido em qual lugar - Acordo regional de cooperação e
deve se declarar o imposto de renda. intercâmbio de bens nas áreas cul-
Desta forma, evita-se a bitributação tural, educacional e científica. AR.
em caso de existirem dúvidas no que CEYC Nº 07.
diz respeito ao domicílio tributário
de uma pessoa física ou jurídica ou Assinado em 1997. O acordo busca
do lugar onde estiverem localizados a formação de um mercado comum
bens imóveis de um nacional de de bens e serviços culturais com
qualquer dos dois países, levando o intuito de alcançar a cooperação
em consideração os termos que o educativa, cultural e científica entre
convênio define. os países signatários e melhorar os

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 57


EQUADOR Como Exportar

níveis de conhecimento recíproco - Acordo complementar ao acordo


entre os países da região. básico de cooperação técnica entre
o Governo da República Federativa
- Acordo marco sobre complemen- do Brasil e o Governo da República
tação energética regional entre os do Equador para a implementação
Estados-Partes do MERCOSUL e da televisão digital terrestre no
Estados associados. Equador.

Entrou em vigor no dia 26 de feve- O Acordo Básico ao qual se refe-


reiro de 2010. Trata de impulsionar re este Acordo Complementar foi
a minimização de custos por transa- firmado no dia 09 de fevereiro de
ções provenientes de operações de 1982. O Acordo Complementar en-
intercâmbio energético. Os recursos trou em vigor no dia 17 de julho de
intercambiados sob este acordo 2011. Este instrumento não se refere
seguirão uma valorização razoável, a intercâmbio comercial, embora
favorecendo a sustentabilidade e em conste nos documentos do Minis-
consonância com os acordos inter- tério do Comércio Exterior. Trata-se,
nacionais previamente adquiridos e na realidade, de um Acordo de apoio
com maior amplitude jurídica. intergovernamental e propõe a ma-
neira em que se dará apoio técnico,
Com este acordo marco, as partes especialmente na área de formação
poderão celebrar acordos especí- de recursos humanos, para a imple-
ficos em relação ao intercâmbio mentação do Projeto de Implementa-
comercial de hidrocarbonetos, à ção da Televisão Terrestre, no padrão
interconexão de redes de transmis- ISDB-T.
são elétrica, à interconexão de redes
de gasodutos e outros dutos de
hidrocarbonetos, à cooperação na
prospecção, exploração e industria-
lização dos hidrocarbonetos e fontes
de energia renováveis e energias
alternativas.

58 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

- Memorando de entendimento para - Memorando de entendimento


a promoção e a implementação entre os governos da República do
do projeto “Exportação por envios Equador e a República Federativa
postais para médias, pequenas e do Brasil em matéria de monitora-
microempresas” entre o Governo da mento do comércio, investimentos,
República Federativa do Brasil e o financiamento e cooperação.
Governo da República do Equador.
Entrou em vigor em novembro de
Entrou em vigor no dia 21 de de- 2011. Estabelece o compromisso
zembro de 2010. A adoção do entre as partes de estabelecer a Co-
projeto mencionado tem seu mar- missão de Monitoramento de Comér-
co na Agenda de Implementação cio para tratar de temas relacionados
Consensual da Iniciativa para a In- ao comércio exterior, ao intercâmbio
tegração da Infraestrutura Regional de mercadorias e serviços, aos in-
Sul-Americana (IIRSA), motivo pelo vestimentos e à cooperação, e, por
qual o memorando se refere aos meio deste organismo, dar continui-
compromissos que deverão cumprir dade às atividades estabelecidas. A
os governos do Brasil e do Equador Comissão é presidida pelos Vice-
para a implementação do projeto, -Ministros de Comércio do Brasil e
com a finalidade de possibilitar a ma- do Equador.
nutenção da cooperação com vistas
à realização deste.

- Acordo Marco Para a Promoção


ao Comércio. AAR Nº 08.

Assinado em 1997. Trata-se de um


acordo marco para a promoção do
comércio mediante a superação de
obstáculos técnicos ao comércio.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 59


EQUADOR Como Exportar

6. Matriz de oportunidades capítulo 87 (veículos e material para


vias férreas ou similares e suas par-
O mercado equatoriano está em tes; aparelhos mecânicos (inclusive
expansão e tem diversificado as eletromecânicos) de sinalização para
suas importações nos últimos anos. vias de comunicação), capítulo 15
Isto faz do Equador um excelente (gorduras e óleos animais ou vege-
mercado para a entrada de diferen- tais; produtos do seu desdobramen-
tes produtos. Entre os grupos de to; gorduras alimentícias elaboradas;
produtos, de acordo com capítulos ceras de origem animal ou vegetal),
da NCM, que têm maior potencial entre outros.
para o comércio entre o Equador e o
Brasil, cabe destacar os seguintes: Apesar de alguns destes produtos
capítulo 86 (veículos e material para terem sido afetados pelas salva-
vias férreas ou similares e suas par- guardas que foram estabelecidas
tes; aparelhos mecânicos (inclusive em março de 2015, cabe ressaltar
eletromecânicos) de sinalização que estas somente têm duração de
para vias de comunicação), capítulo 15 meses, motivo pelo qual o em-
12 (sementes e frutos oleaginosos; presário brasileiro poderá ter amplas
sementes e frutos diversos; plantas possibilidades nestes setores no mé-
industriais ou medicinais; palha e dio ou no longo prazo. Além disso,
forragens), capítulo 17 (açúcares e o Brasil e os demais membros do
artigos de confeitaria), capítulo 02 MERCOSUL devem pagar, durante a
(carnes e miudezas comestíveis), vigência das salvaguardas, menos
capítulo 23 (resíduos e desperdícios imposto de importação no Equador
das indústrias alimentares; alimentos que outros países que não contam
preparados para animais), capítulo com um acordo de preferências tari-
47 (pastas de madeira ou de outras fárias, como o ACE-59.
matérias fibrosas celulósicas, papel
ou papelão para reciclar, desperdí-
cios e descartes), capítulo 27 (com-
bustíveis minerais, óleos minerais e
produtos de sua destilação; matérias
betuminosas; ceras minerais), ca-
pítulo 88 (fundição, ferro e aço),

60 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

V - ACESSO AO MERCADO
1. Sistema tarifário peia e a renúncia aos benefícios da
ATPDEA pelos Estados Unidos.
Estrutura tarifária
O CIF é a base para o cálculo dos
O Equador utiliza o Texto Único da tributos. Ele é obtido somando o
Nomenclatura Comum de Designa- valor da mercadoria demonstrada na
ção e Codificação de Mercadorias fatura, adicionando o valor do frete
dos Países-Membros da Comunida- mais o custo do seguro. Os tributos
de Andina, denominada “NANDINA”. ao comércio exterior são direitos
tarifários, impostos estabelecidos em
As estatísticas locais de comércio leis orgânicas e ordinárias e taxas
se encontram com esta codificação, por serviços aduaneiros.
a qual se encontra em concordância
com o Sistema Harmonizado (SH). Ad-valorem (Tarifa Cobrada sobre
as Mercadorias) Imposto adminis-
O Equador assinou vários tratados trado pela Aduana do Equador. Por-
comerciais com diferentes países e centagem variável de acordo com o
estabeleceu diferentes preferências tipo de mercadoria e se aplica sobre
tarifárias. As diferentes tarifas fo- a soma do Custo, Seguro e Frete
ram negociadas principalmente no (base de cálculo da importação).
marco da CAN. Nos últimos anos as
exportações e as importações equa- Específicos - É cobrado por peso,
torianas têm sofrido uma mudança por volume ou por unidade, de acor-
estrutural importante e também do com o que mais for conveniente
foram firmados novos acordos que para o governo.
podem ser fatores de mudança nos
anos seguintes: entre os primeiros, Fodinfa - (Fundo de Desenvolvi-
cabe destacar a participação cada mento para a Infância) Imposto que
vez maior da China nas importações administra o Instituto Nacional da
e nas exportações do país; e em Criança e da Família - INFFA. Aplica-
segundo, devem ser destacados o -se 0,5% sobre a base de cálculo da
acordo firmado com a União Euro- importação.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 61


EQUADOR Como Exportar

ICE - (Imposto sobre os Consumos Com o objetivo de fortalecer o de-


Especiais) Administrado pelo SRI. senvolvimento de algumas ativida-
Porcentagem variável de acordo com des específicas e áreas do país, o
os bens e serviços que forem adqui- governo também prevê benefícios
ridos no país sejam eles de produção tributários para investimentos em
nacional ou importados (consulte na Zonas Especiais de Desenvolvimento
página do SRI: www.sri.gob.ec, link: Econômico.
Impostos).
Zonas Especiais de Desenvolvimen-
IVA - (Imposto sobre o Valor to Econômico (ZEDE)
Agregado) Administrado pelo SRI.
Corresponde a 12% sobre: Base de O Código Orgânico da Produção,
cálculo + Ad-valorem + FODINFA Comércio e Investimento (COPCI)
+ ICE. define como território aduaneiro
todo o território nacional, ou seja,
No Equador, as políticas públicas as fronteiras de ambos os territórios
nacionais na política comercial são são as mesmas. O mesmo código
estabelecidas pelo Comitê de Comér- afirma que dentro do território po-
cio Exterior (COMEX), um corpo co- dem existir exceções previstas que
legiado presidido pelo Ministério do estão de acordo com a formação de
Comércio Exterior e que tem como Zonas Especiais de Desenvolvimento
membros titulares o Ministério da Econômico (ZEDE). As ZEDE são
Agricultura, Pecuária, Aquicultura e destinos aduaneiros e deverão estar
Pesca (MAGAP), o Ministério das In- instaladas em áreas geográficas de-
dústrias e Produtividade (MIPRO), o limitadas pelo território nacional para
Ministério da Economia e Finanças e que se estabeleçam novos investi-
a Secretaria Nacional de Planejamen- mentos, com incentivos tributários,
to e Desenvolvimento (SENPLADES). simplificação de processos aduanei-
O COMEX estabelece tarifas, proibi- ros e facilidades para a realização
ções e restrições de importação e, e encadeamentos produtivos em
eventualmente, salvaguardas relati- cumprimento ao estabelecido na Lei.
vas a determinadas mercadorias.

62 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

O empresário brasileiro pode investir A maioria dos produtos (82,92%)


em ZEDE ou propor a criação de uma tem preferência de 100%, derivada
nova zona1 . principalmente do fato de que desde
janeiro de 2015, 2.908 subgrupos
Atualmente, existem duas ZEDE no (44,5% do total) das negociadas
Equador. A primeira a ser constituída neste acordo terão preferência de
foi a de Refinamento e Petroquímica 100%, o que mostra que as novas
Eloy Alfaro, em cujo interior operará condições colocam o Equador como
a Refinaria do Pacífico, em Manta, um país cheio de vantagens para o
província de Manabí. A segunda é a comércio com o Brasil. Desta manei-
Cidade do Conhecimento Yachay, lo- ra, as possibilidades que se abrem a
calizada em San Miguel de Urcuquí, partir de 2015 em diante oferecem
província de Imbabura, que contém aos empresários brasileiros múltiplas
uma universidade já em funciona- oportunidades de negócios e vanta-
mento e que foi pensada para ser um gens em relação a outros países ex-
“cluster” para atividades tecnológi- portadores para o Equador que não
cas, industriais e logísticas. contam com acordos similares.

Regime da ALADI e do ACE-59 Sistema Geral de Preferências

As tarifas do sistema de preferências Apesar das vantagens anteriormente


que regem as relações comerciais mencionadas, é necessário levar em
entre o Equador e o Brasil são as consideração que estão previstas no
que se encontram no ACE Nº59, no ACE-59 duas limitações possíveis às
marco da ALADI. É possível obser- preferências mencionadas: as limi-
var a distribuição das preferências tações que se referem à quantidade
outorgadas pelo Equador ao Brasil. de importação dentro do tratamento
especial e as que se referem ao
1 No link a seguir se encontra o guia tratamento que depende do destino
para a formação de ZEDE e os requerimentos: econômico dado ao bem importado.
http://www.indústrias.gob.ec/que-são-as-zede/.
Isto também pode ser encontrado na resolução
Os produtos que têm limitações no
SENAE-DGN-2015-0084-RE do Serviço Nacional que se refere à quantidade, na maio-
de Aduanas do Equador expedido em fevereiro ria, pertencem à seção de ‘animais
de 2015, no link http://www.aduana.gob.ec/pro/
resolutions.action.
vivos e produtos do reino animal’,

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 63


EQUADOR Como Exportar

principalmente no que tange aos pro- 2. Sistema Não Tarifário


dutos lácteos.
Normas de qualidade
Limitações que se referem à quanti-
dade de importação dentro do trata- As exportações ao país também de-
mento especial vem observar as normas de qualida-
de e regulamentos técnicos criados e
O acordo ACE Nº 59 também incor- exigidos com base na lei do Sistema
pora o mecanismo para o tratamento Equatoriano da Qualidade. Este Sis-
de diferentes produtos com alta tema tem como principal eixo o Ser-
sensibilidade com a finalidade de viço Equatoriano de Normalização,
assegurar que os países signatários organismo técnico que ainda utiliza
não vejam as suas indústrias ou a a sigla do seu antecessor: o Instituto
sua economia serem afetadas. Neste Equatoriano de Normalização (INEN).
sentido, são estabelecidos ativadores Na página http://www.normalizacion.
anuais do sistema de preferências, gob.ec/ se encontram as normas
em relação ao preço ou ao volume, técnicas, padrões de qualidade e
para produtos com altos níveis de documentos que o INEN exige na
sensibilidade, sob o mecanismo de importação de mercadorias.
“medidas especiais”.
Desde 2013, o INEN aumentou
Produtos onerados com o Imposto fortemente a criação de normas e
sobre Consumos Especiais regulamentos técnicos. De acordo
No Grupo V se determina uma tarifa com os números do próprio INEN,
específica de US$ 0,1310 por unida- em 2014 foram criadas no Equador
de nos cigarros e US$ 6,20 por litro 480 normas de qualidade, um incre-
de álcool puro nas bebidas alcoóli- mento de 236% da média de normas
cas. elaboradas em 19 anos. Além disso,
juntamente com o Ministério das
Indústrias e Produtividade, foram
oficializadas 3.776 normas técnicas.
O catálogo atual conta com 6.606
normas de qualidade INEN.

64 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Também foi elaborado um total de


103 regulamentos técnicos novos e 3. Regulamentação da importação
foram oficializados 91, o que quer di-
zer 135% mais regulamentos que os Tarifas
elaborados nos 19 anos anteriores.
O INEN também aumentou a expedi- O país mantém vigentes a codifica-
ção de certificados que atestam que ção NANDINA, derivada do Sistema
produtos nacionais e estrangeiros Harmonizado e, em geral, os níveis
cumprem as regras equatorianas. tarifários aprovados na Tarifa Exter-
Durante o ano de 2014 foram emiti- na Comum do Grupo Andino (0%
dos 48.751 certificados INEN, o que para maquinarias, equipamentos e
representa um incremento de 135% matérias-primas agropecuárias não
em relação à média dos certificados produzidas no país; medicamentos e
emitidos em 04 anos. equipamentos médicos; papel perió-
dico; 5% para matérias-primas de até
Para baixar gratuitamente as nor- segundo grau de elaboração; 10%
mas vigentes no Equador, na página para matérias-primas com graus
Web do INEN deve ser preenchido de elaboração maiores ao segundo;
um formulário, e assinalar o tipo de 15% para partes e peças e produtos
norma que se deseja pesquisar. Das semielaborados; 20% para produtos
normas internacionais NTE INEN- finais de qualquer natureza; e 40% -
-ISO, NTE INEN-ISO IEC, NTE INEN posteriormente 35% - para veículos
IEC, por direito autoral, o interessado automotores).
unicamente poderá observar um ex-
trato e o texto das normas deve ser Podem ser importados para o Equa-
adquirido no centro de informação dor, sem pagamento de tarifas nem
INEN. Tels.: + 593(02) 2501885 / restrições de nenhuma natureza, ex-
2501890, ramal 147 ou e-mail: cen- ceto as aprovadas pela OMC (como
trodeinformacion@normalizacion. as sanitárias e as de origem), os
gob.ec. produtos originários e procedentes
dos países da Comunidade Andina
(Bolívia, Colômbia e Peru), quase to-
dos os produtos do Chile, bem como
quantidades importantes, porém

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 65


EQUADOR Como Exportar

diferentes, de produtos dos países países da União Europeia. Finalmen-


do MERCOSUL, como resultado do te, existem convênios com o Chile e,
mencionado ACE-59, assinado no como já foi mencionado, o da CAN
marco da ALADI. com o MERCOSUL, que devem ser
aplicados sobre as importações.
O atual governo equatoriano, cuja De acordo com o mandato consti-
ideia é que deve ser desenvolvido tucional (Art. 306 da Constituição),
um processo de substituição de estabelece-se que o Estado propicia-
importações sobre a base da mu- rá as importações necessárias para
dança da matriz produtiva, colocou os objetivos do desenvolvimento e
em vigência uma série de medidas desencorajará aquelas que afetarem
orientadas a protegerem certas ativi- negativamente a produção nacional,
dades, como as de produção de me- a população e a natureza.
dicamentos, sapatos de couro, roupa
confeccionada, bebidas alcoólicas As importações são reguladas sob
e outras, para as quais estabeleceu o Código Orgânico da Produção,
tarifas e impostos específicos. Comércio e Investimentos (COPCI).
O código estabelece que o COMEX
Normas gerais é o ente encarregado de estabelecer
tarifas especiais ou temporárias, em
Para a importação, têm vigência pri- dependência de diferentes situações,
meiramente as normas da Organiza- como a melhoria da Balança de
ção Mundial do Comércio em relação Pagamentos. A seguir são apresen-
a bens, serviços e propriedade inte- tados detalhadamente os diferentes
lectual, nos diferentes acordos assi- regimes de importação. Neste senti-
nados em 1994 ao se criar a OMC e do, também as medidas antidumping
vigentes para o Equador desde 1996; são estabelecidas pelo COMEX.
para o comércio na Comunidade An-
dina, tem vigência o Acordo de Car- Regime de Importação
tagena de 1969 e as decisões da sua
Comissão. Por outro lado, o Acordo Existem normas específicas para:
assinado com a União Europeia sig- • Admissão Temporária para
nificará um marco legal especial a fa- Reexportação no mesmo estado
vor do comércio do Equador com os (Art. 148 COPCI);

66 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

• Admissão Temporária para Em casos de importação de merca-


Aperfeiçoamento Ativo (Art. 149 dorias que serão submetidas a um
COPCI); processo de aperfeiçoamento, como:
• Reposição de Mercadorias a) Transformação;
com Franquia Tarifária (Art. 150 b) Elaboração de novas mercadorias,
COPCI); inclusive em caso de montagem, in-
• Transformação sob controle corporação, embalagem e adaptação
aduaneiro (Art. 151 COPCI); a outras mercadorias;
• Depósito Aduaneiro (Art. 152 c) Reparação, restauração ou acon-
COPCI); dicionamento; ou
• Reimportação no mesmo d) Cumprimento de programas de
Estado (Art. 152 COPCI). empresas maquiladoras autorizados
pela autoridade competente.
Admissão Temporária para Reexpor-
tação: Isto não se aplica a mercadorias que
intervierem no processo produtivo de
Em casos que cumprirem as seguin- maneira auxiliar, tais como:
tes condições: a) Lubrificantes, combustíveis ou
a) Para a realização de exposições, qualquer outra fonte energética;
congressos e eventos análogos; b) As peças e objetos de reposição,
desenvolvimento de eventos es- quando não estiverem materialmente
portivos, artísticos, culturais, de incorporados no produto final;
difusão coletiva, científicos, e de c) Insumos ou equipamentos de es-
entretenimento público; e para a de- critório.
monstração e a promoção técnica e
comercial; Art. 135.- Garantias.- Deverá ser
b) Para uso industrial, como moldes prestada uma garantia específica
e matrizes; equivalente a cem por cento dos tri-
c) Atividades de turismo internacio- butos suspendidos por cada impor-
nal; tação a este regime especial.

Admissão Temporária para Aperfei- Isenções de pagamento de tributos:


çoamento Ativo:
Estão isentas do pagamento de to-

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 67


EQUADOR Como Exportar

dos os tributos do comércio exterior, que tiverem firmado contratos de


exceto as taxas por serviços adua- cooperação com instituições do se-
neiros, as importações para o con- tor público. Não haverá isenção de
sumo das seguintes mercadorias: impostos nas doações de veículos,
exceto quando se tratar daqueles
a. Efeitos pessoais de viajantes; necessários para usos especiais, tais
b. Utensílios e mobiliários domésti- como ambulâncias, veículos clínicos
cos e equipamentos de trabalho; ou radiológicos, carros-biblioteca,
c. Envios de socorro por catástrofes caminhões de bombeiros e similares,
naturais ou sinistros análogos a favor e sempre que a sua função for com-
de entidades do Setor Público ou de patível com a atividade da instituição
organizações privadas beneficentes beneficiária;
ou de socorro; f. Caixões ou ânforas que contiverem
d. As que importar: o Estado, as cadáveres ou restos humanos;
instituições, as empresas e os orga- g. Amostras sem valor comercial,
nismos do setor público, inclusive dentro dos limites e condições que
os governos autônomos descentra- o Serviço Nacional de Aduana do
lizados, as sociedades cujo capital Equador estabelecer;
pertença, pelo menos em 50%, a al- h. As previstas na Lei de Imunidades,
guma instituição pública, a Junta de Privilégios e Franquias Diplomáti-
Beneficência de Guayaquil e a Socie- cas, que inclui as representações e
dade de Luta Contra o Câncer (SOL- missões diplomáticas e consulares,
CA). As importações das sociedades organismos internacionais e outros
de economia mista estarão isentas organismos governamentais estran-
na porcentagem que corresponder à geiros credenciados perante o gover-
participação do setor público. no nacional;
e. Doações provenientes do exterior i. Os aparelhos médicos, ajudas
a favor das instituições do setor técnicas, ferramentas especiais,
público ou do setor privado sem fins matéria-prima para órteses e próte-
lucrativos, destinadas a cobrir ser- ses que as pessoas com deficiências
viços de salubridade, alimentação, físicas utilizam ou as pessoas jurídi-
assistência técnica, beneficência, cas encarregadas da sua proteção.
assistência médica, educação, pes- Os veículos para estas mesmas fina-
quisa científica e cultural, sempre lidades, dentro dos limites previstos

68 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

na Lei sobre Deficiências Físicas; como amostra sem valor comercial,


j. Os pacotes postais, dentro dos b) que seu objetivo seja a utilização
limites que o Regulamento estabele- em estudos de mercado, pesquisas,
cer para o presente Código, e as leis desenvolvimento, testes de labora-
e acordos internacionais dos quais o tório, ensaios ou obtenção de docu-
Equador é subscritor; mentos de controle prévio ou outros
k. Fluídos, tecidos e órgãos biológi- requisitos similares.
cos humanos para procedimentos
médicos a serem realizados con- O importador deverá apresentar a
forme a legislação aplicável para o Declaração Aduaneira Única jun-
efeito; tamente com os documentos de
l. Os objetos e peças pertencentes suporte e de acompanhamento que
ao Patrimônio Cultural do Estado im- tiverem pertinência, de acordo com
portados ou repatriados que realiza- as normas legais vigentes.
rem as instituições do Estado legal-
mente estabelecidas para o efeito; e, Pacotes Postais:
m. Desperdícios de mercadorias am-
paradas em regimes especiais que Os pacotes postais transportados a
se destruam conforme as regulações partir do exterior pelo operador pú-
do Serviço Nacional de Aduana do blico, ou pelos operadores privados
Equador. devidamente autorizados.
Serão considerados pacotes postais:
Amostras sem Valor Comercial:
a) Os Documentos impressos como:
Para casos de importação em que a livros, cartas, cartões postais, jor-
mercadoria não superar quatrocentos nais, fotografias ou qualquer outro
dólares ou três unidades por item, ou tipo de informação; conteúdos em
que entrar no país por apresentação mídias de áudio e vídeo, magnéticos,
comercial, levando em consideração eletromagnéticos, eletrônicos; que
a unidade de medida da subgrupo não estejam sujeitos a licenças, etc.,
específica da Tarifa Nacional de Im- podendo ser de natureza judicial,
portações que corresponder, e: comercial, bancária, porém desprovi-
dos de qualquer finalidade comercial
a) que seja claramente identificada e que não sejam de importação proi-

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 69


EQUADOR Como Exportar

bida; no artigo 157, estabelece as condi-


b) Os pacotes, malas ou bolsas que ções de devolução de taxas tarifárias
contiverem documentos ou artigos nos seguintes casos: as utilizadas
denominados Co-mail, ingressados em processos de transformação, as
no país pelas linhas de transporte incorporadas às mercadorias e os
internacionais pelos seus próprios recipientes sempre e quando seja
meios de transporte e para o seu uso realizada a exportação destes produ-
particular; tos.

Este tipo de mercadoria não precisa- Salvaguardas para equilibrar a balan-


rá de nenhuma Declaração Aduanei- ça de pagamentos:
ra. Também não se aplica imposto de
importação a pacotes cujo peso for Desde o dia 11 de março de 2015,
menor ou igual a 4 kg, e cujo valor de acordo com a Resolução 011-
de transação, sem considerar o frete 2015 do COMEX, entidade que tem
e o seguro, for menor ou igual a US$ a atribuição de criar salvaguardas ou
400 (quatrocentos dólares), sempre restrições à importação, está vigente
que se tratar de bens de uso para o um conjunto de sobretaxas tarifárias
destinatário e que não seja destinado que têm como objetivo evitar a saída
para a venda. de divisas do país, haja vista a queda
dos preços do petróleo e a necessi-
Drawback dade de equilibrar a balança de pa-
gamentos. A resolução terá vigência
Como mecanismo para promover de 15 meses e implica sobretaxas
a exportação do país, o Estado desde 5% até 45%, envolvendo mais
equatoriano conta com o serviço de de 2900 subgrupos. A lista completa
devolução de impostos a matérias- dos subgrupos pode ser encontrada
-primas, produtos intermediários e em: http://www.comércioexterior.
bens de capital que estejam incluídos gob.ec/wp-content/uploads/2015/03/
nos processos produtivos de bens Resoluci%C3%B3n-011-2015.pdf
exportáveis equatorianos. Excluem-se da aplicação das salva-
guardas cinco grupos de produtos,
O Código Orgânico da Produção, entre os quais estão os originários
Comércio e Investimentos (COPCI), e procedentes da Bolívia e do Pa-

70 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

raguai, alguns bens que recebem fazer que essas restrições durem
benefícios do COPCI, as compras via muito menos em grupos ou em sua
courier e os produtos que, na data da totalidade, conforme anunciou o pró-
adoção da Resolução, estavam em prio governo e já está acontecendo
trânsito no país. com algumas delas.

As tarifas das salvaguardas vão de Regulamentação específica


5% até 45% para 2961 produtos que
são considerados bens de consumo Além do SENAE, que administra a
(1431), matérias-primas (908) e aduana e informa os dados estatís-
bens de capital (622). A ideia oficial ticos sobre a importação ao Banco
é a de restringir importações por um Central do Equador (mesmo se tra-
pouco mais de 2 bilhões de dóla- tando de um produto que não pague
res e de aplicar a medida tanto aos impostos ao entrar no país), e do
países que são membros da OMC COMEX (que determina quais são as
(160, menos a Bolívia e o Paraguai) Mercadorias de Importação Proibi-
quanto aos que não são. Os tipos de da), existem várias instituições en-
bens mais afetados no valor de im- carregadas de regular as restrições
portação são: veículos automotores e medidas não tarifárias aplicadas
(25%), radio receptores e receptores às importações ou a proibição de
(25%), maquinarias para a minera- alguns produtos, emitir licenças e
ção e a construção (25%), aparelhos certificados. As principais são:
de uso doméstico e seus acessórios
e peças (25%), vestimentas, exceto - A Agência Equatoriana de Asse-
as de peleteria (15%), maquinaria guramento da Qualidade (AGRO-
de informática, peças e acessórios CALIDAD) – www.agrocalidad.gob.
(5%). ec – regula e controla, entre outros:
Inocuidade dos Alimentos, Sanidade
Apesar da previsão de vigência legal Animal, Sanidade Vegetal, Servi-
das salvaguardas por 15 meses, ços de Laboratórios. Das normas
as pressões de países da OMC, da da AGROCALIDAD, cabe ressaltar
CAN, a inconveniência nacional de a importância da Resolução Nº
manter algumas delas, ou os seus 178/2012, que trata do processo de
escassos resultados práticos, podem habilitação de estabelecimentos es-

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 71


EQUADOR Como Exportar

trangeiros interessados em exportar fortalecimento da ciência e o desen-


produtos pecuários para o Equador. volvimento institucional. O Instituto
No âmbito do processo de habilita- também emite o registro sanitário
ção, exige-se que sejam preenchidos dos produtos da sua competência.
dois anexos: o Anexo I, pelo Governo O Instituto de Patrimônio Cultural
do país (no caso, pelo Ministério da autoriza a entrada ou a saída de bens
Agricultura, Pecuária e Abastecimen- do patrimônio cultural, histórico e
to brasileiro - MAPA) da empresa ancestral.
exportadora; e o Anexo II, pelas pró-
prias empresas exportadoras. Antes - O Ministério do Ambiente controla
de realizarem os seus embarques a importação ou a exportação de
para o Equador, as empresas expor- vegetais e animais em processo de
tadoras devem verificar se o MAPA extinção.
preencheu o Anexo I do respectivo
produto (carne bovina, ovina ou suí- - O Ministério do Comércio Exterior,
na, por exemplo). diretamente ou por meio de organis-
mos autorizados, expede os certifi-
- O Conselho Nacional de Controle cados de origem para a exportação
de Substâncias Entorpecentes e de produtos nacionais e realiza o
Psicotrópicas (CONSEP) controla a controle para que os produtos do
importação de entorpecentes e subs- exterior tenham, em regra, os seus
tâncias psicotrópicas, precursores certificados de origem.
químicos e produtos químicos espe-
cíficos - www.consep.gob.ec. - O Ministério da Saúde controla a
importação de produtos farmacêuti-
- O Instituto Nacional de Higiene cos e outros, especialmente para o
e Medicina Tropical – http://www. estabelecimento de preços de venda.
saúde.gob.ec/tag/instituto-nacional-
-de-higiene-e-medicina-tropical/ - O Ministério das Indústrias e Produ-
desenvolve ações com enfoque tividade (MIPRO) – www.indústrias.
epidemiológico de prevenção e gob.ec – fomenta o desenvolvimen-
controle, buscando a inovação tec- to, fortalecimento e posicionamento
nológica que privilegie a melhoria da do setor industrial no âmbito de
saúde, a garantia ao consumidor, o serviços e comercialização de bens.

72 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Dentro do MIPRO, a Direção de De- procedimentos de comercialização


senvolvimento de Comércio emite intra-industrial; n) medidas de defesa
certificados de origem e facilita a comercial e diferimentos tarifários;
inserção dos produtos industriais e o) participação nas mesas de nego-
agroindustriais equatorianos no mer- ciação de acesso aos mercados; p)
cado, promovendo a comercialização monitoramento, seguimento e avalia-
de bens de maior valor agregado e ções permanentes de produtos sujei-
diminuindo a dependência de pro- tos a medidas comerciais; q) registro
dutos externos. As suas principais de importadores de pneus. Outra
atividades relacionadas ao comércio Direção com atuação no comércio
exterior são: a) fixação de preços exterior é a de Estudos Setoriais,
referenciais de exportação de café e que, entre outras atividades, realiza
cacau e elaborados; b) definição de estudos para promover a produção
quantidade de exportação de açúcar; nacional e o intercâmbio comercial
c) estudos de verificação de análise de produtos, desenvolve publicações
de dano dos produtos equatorianos; econômicas sobre setores prioriza-
d) concessão de licenças e controle dos e redige o boletim de informação
de importadores de produtos indus- para o investidor (custo país).
triais sujeitos a restrição; e) estudos
e relatórios de políticas de comércio - As Forças Armadas emitem per-
interno e promoção comercial na- missões para o porte de armas,
cional; f) registro de importadores munições, explosivos, acessórios,
de têxteis e calçados; g) registro de artigos para fogos de artifício, ar-
exportador de couros e peles; h) re- mas químicas, tanques e navios
gistro de importadores de matérias- de guerra, elementos radioativos,
-primas; i) registro de exportador de fusionáveis, artificiais, radioisótopos
sucatas e desperdícios de metais e máquinas geradoras de radiações
ferrosos e não ferrosos; j) registro de ionizantes.
importador de sais; k) fóruns para o
setor produtivo; l) relatórios ao CO- - O Ministério do Transporte e Obras
MEX com o objetivo de incrementar Públicas – www.obraspublicas.gob.
a produção nacional para a SEI em ec – emite licenças de importação
setores priorizados; m) resoluções de veículos para o transporte de pes-
e relatórios sobre a regulação de soas e bens, tratores, reboques, par-

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 73


EQUADOR Como Exportar

tes e acessórios – maiores informa-


ções em http://www.obraspublicas. 4. Documentos e formalidades
gob.ec/?s=importaci%C3%B3n.
a) Documentos de acompanhamen-
- O Serviço Equatoriano de Norma- to: devem ser tramitados e aprova-
lização (INEN), conforme foi men- dos antes do embarque da mercado-
cionado, é o Organismo técnico na- ria de importação. Devem ser apre-
cional, eixo principal do Sistema da sentados, física ou eletronicamente;
Qualidade no Equador, competente
em Normalização, Regulamentação b) Documentos de suporte:
Técnica e Metrologia. Na página Documento de transporte.
http://www.normalizacion.gob.ec/ Nota fiscal comercial com os seguin-
se encontram as normas técnicas, tes dados:
padrões de qualidade e documentos Data de emissão;
que o INEN exige na importação de Lugar de carga;
mercadorias, entre os quais estão: Nome e significado do exportador/
importador/destinatário;
- Formato de Solicitação de Equiva- Meios de transporte;
lência; Seguros;
Assinatura do representante da em-
- Requisitos para Trâmites de Equiva- presa exportadora;
lência de NTE e RTE; O Bill of Landing (conhecimento de
embarque);
- Declaração de conformidade do Certificado de Origem (quando for
fornecedor de acordo ao ISO IEC aplicável);
17050-1 Certificado de Conformida- Apólice de Seguro;
de de Primeira Parte Resolução Nº Certificado sanitário o fitossanitário
2014 - 007. Formulário. Declaração (se for aplicável);
de Importações por Subgrupo; A admissão das mercadorias no
Equador.
- Formulário de Declaração de Im-
portações por Subgrupo.

74 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Para realizar os trâmites de desem-


baraço de mercadorias, deve-se
contar com o serviço de um Agente
Credenciado pelo SENAE – www.
aduana.gob.ec.

A Declaração Aduaneira de Importa-


ção (DAI) será apresentada de ma-
neira eletrônica e física. O aforamen-
to pode ser físico ou documental,
com os documentos de acompanha-
mento e de suporte.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 75


EQUADOR Como Exportar

Foto: shutterstock.com

Igreja de Santa Ana em Guayaquil, Equador

76 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

VI - Estrutura de comercialização
1. Canais de distribuição to Equatoriano de Seguridade Social
pelos empresários.
Considerações gerais
O setor privado é o principal opera-
O setor público e o privado contam dor para os casos de importações.
com o impulso do governo com vis- De acordo com o Banco Central do
tas à mudança da matriz produtiva, Equador, existem 1.733 registros de
que está contemplada como um dos importadores – entre pessoas físicas
objetivos a seguir, de acordo com o e jurídicas – que importaram produ-
Plano Nacional do Bom Viver 2013 - tos provenientes do Brasil em 2014.
2017. Alguns operam como varejistas, o
que pode ser útil para a distribuição
Desde a promulgação da Constitui- de produtos de origem brasileira.
ção em 2008, o Estado é conside- Por outro lado, grandes empresas
rado o principal agente dinamizador importadoras e atacadistas costu-
da economia. O setor público busca mam ter os seus próprios serviços
o desenvolvimento de indústrias e de transporte de mercadorias. Não
manufaturas mediante a outorga de existem escritórios públicos que re-
crédito por meio de instituições fi- alizem importações. Entretanto, em-
nanceiras públicas, como a Corpora- presas públicas como a Corporação
ção Financeira Nacional, priorizando Nacional de Telecomunicações, a
setores como os de processamento PetroEquador e a Corporação Elétrica
de alimentos, biotecnologia, cadeia do Equador CELEP EP se encontram
agroflorestal, confecções e calça- neste registro.
dos, energias renováveis, indústria
farmacêutica, transporte e logística. Estrutura geral
Ao mesmo tempo, busca-se a for-
malização do emprego, o que ocorre O comércio, tanto varejista quanto
tanto pelo impulso na segurança atacadista, é o principal ramo de
social quanto por medidas como a atividade do Equador no que se re-
tipificação, como a infração pela não fere ao número de estabelecimentos
afiliação dos trabalhadores ao Institu- (54% de representação em nível na-

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 77


EQUADOR Como Exportar

cional, de acordo com cifras do INEC Os preços de vários produtos do se-


(2012). Em 2013, teve participação tor agroalimentar estão controlados
de US$ 9,8 milhões no PIB, o que para evitar a especulação, de acordo
representa 10,38% do total daquele com o previsto na Lei Orgânica de
ano, sendo a terceira atividade com Regulação e Controle do Poder de
mais alta porcentagem. Mercado. Atualmente, 46 produtos
têm este controle. Os preços podem
Dentro dos canais de distribuição, ser consultados em http://sinagap.
o setor informal tem uma significa- agricultura.gob.ec/site-map/1-pre-
tiva participação, já que em 2014 cos-de-produtos
concentrou 54,43% da população
empregada. Para este setor, a venda A importação de produtos derivados
de artigos de consumo no varejo é da soja e o controle e a liberação
a mais importante. As políticas go- das suas tarifas (de interesse para
vernamentais buscam formalizar os as importações brasileiras) estão
membros deste setor, por meio de controlados pelo Ministério de Pro-
campanhas para aumentar a quan- dutividade e Indústrias, respeitando
tidade de assegurados ao IESS e a os convênios internacionais estabe-
contratação emoldurada na lei. lecidos.

- Comércio atacadista - Comércio varejista

O comércio atacadista tem abaste- Os estabelecimentos de comércio


cimento por parte dos produtores e varejista se dedicam principalmente
dos importadores. Existe uma grande às seguintes atividades:
quantidade de comércios atacadistas
com especialização em diferentes Representatividade das atividades
produtos. Muitos deles têm contato de estabelecimentos de comércio
direto com empresas varejistas ou varejista
com consumidores finais, para os
quais os produtos chegam com cus- Os canais de distribuição no Equador
tos mais baixos que em canais de estão tradicionalmente relacionados
distribuição mais amplos, já que não com o comércio atacadista, o mes-
operam com intermediários. mo que, na sua maioria, consiste

78 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

em locais comerciais de venda de Grandes importadoras se dedicam,


produtos para consumo caseiro lo- ao mesmo tempo, ao comércio vare-
calizados em bairros, tanto em zonas jista: Corporação La Favorita, Corpo-
urbanas quanto rurais. Em 2012, ração El Rosado, Juan Eljuri, alocan-
existiam 500.217 estabelecimentos do supermercados e lojas grandes
econômicos, dos quais 232.760 se em zonas estratégicas das principais
dedicavam ao comércio varejista. cidades do país.
Nas cidades estão localizadas lojas
especializadas em venda de medica- Canais Recomendados
mentos e alimentos.
Canais indiretos
Entre as principais empresas que se
dedicam à venda varejista de me- Existem duas possibilidades do
dicamentos provenientes do Brasil, uso de canais indiretos, nas quais
estão a Econofarm-Sana Sana, Far- pode haver a presença ou não de
comed-Fybeca, Ecuafarmacias e a atacadistas e varejistas. Num canal
Associados e Farmaenlace-Medicity/ mais curto, as mercadorias vão
Farmácias Econômicas. Juntas, elas diretamente desde o produtor ou
faturaram US$ 872,7 milhões em do importador até o varejista. Em
vendas em 2013. Estas empresas se canais mais amplos, os atacadistas
encontram entre as 100 maiores do intervêm antes dos varejistas, para,
país. posteriormente, repassarem aos
consumidores finais. Os atacadistas
Para os medicamentos, existe um muitas vezes contam com meios
controle de preços de venda ao con- para distribuírem como varejistas.
sumidor final, de acordo com o regu- Isto é comum naquelas pessoas jurí-
lamento expedido pela função execu- dicas que possuem supermercados
tiva e disponível em http://www.con- em lugares estratégicos das cidades
trolsanitario.gob.ec/wp-content/uplo- do Equador.
ads/downloads/2014/09/D-0400-Re-
gulamento-para-a-Fijaci%C3%B3n- Os preços de venda ao público não
-de-Preços-de-Medicamentos-de- podem aumentar em grande propor-
-Uso-e-Consumo-Humano.pdf. ção devido a controles que existem
na economia equatoriana, especial-

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 79


EQUADOR Como Exportar

mente em relação a certas merca- Outros canais


dorias da cesta básica, produtos do
setor agroindustrial e medicamentos. - Franquias

Canais diretos Em 2010, existiam 150 franquias es-


trangeiras e 35 nacionais, no Equa-
Neste canal os intermediários não dor. As primeiras franquias foram
atuam. As mercadorias vão dire- registradas em 1967. As franquias
tamente desde o produtor até o são definidas de acordo com as con-
consumidor. Os canais diretos são dições que as partes estabelecerem,
comuns para a importação de bens já que não existe uma lei específica
de capital, utilizados em obras sob sobre o assunto. Em questão de
concessão. Muitas das empresas marcas e imagem, deve-se observar
brasileiras para as quais foram ad- o que estabelece a Lei de Proprieda-
judicadas obras mediante licitação de Intelectual.
pública estão registradas como enti-
dades importadoras de produtos do Contratação pública
Brasil.
- Características gerais da política de
Também operam os canais diretos contratação pública:
mediante a contratação de agentes
locais ou consultores por área. Estes A política nacional de contratação
profissionais têm relações traba- pública está regulada pela Lei Orgâ-
lhistas apresentadas diretamente às nica do Sistema Nacional de Con-
empresas estrangeiras e trabalham tratação Pública (e por sua lei reti-
cobrindo áreas geográficas especí- ficadora de outubro de 2013) e tem
ficas, recebendo comissões pelos o Serviço Nacional de Contratação
seus serviços. Estes agentes se Pública (SERCOP) como organismo
encarregam de encontrar compra- técnico. A tal lei estão sujeitos tanto
dores para os produtos e oferecer os fornecedores do Estado quanto as
assessoramento para o seu uso. As entidades contratantes.
comissões podem oscilar entre 1% a
10% das vendas. Para participar dos processos de
compras públicas administrados em

80 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

linha por meio do portal Compras suas formas, as telecomunicações,


Públicas (www.compraspublicas. os recursos naturais não renováveis
gob.ec), deve-se obter o Registro e a refinação de hidrocarbonetos, a
Único de Fornecedores - RUP, cujo biodiversidade e o patrimônio gené-
trâmite se realiza por meio do mes- tico, o espectro radioelétrico, a água
mo portal. Os processos de parti- e outros que o Estado considerar
cipação e seleção, bem como os necessários. Estes setores são con-
termos de referência, são públicos e siderados de reitoria, controle e ma-
podem ser verificados por qualquer nejo exclusivo do Estado. De acordo
cidadão. com o artigo 316 da Constituição,
“O Estado poderá delegar a parti-
Outro mecanismo de compras pú- cipação nos setores estratégicos e
blicas é o de Compras por Catálogo, serviços públicos a empresas mistas
pelo qual as Entidades Contratantes nas quais tiver maioria acionária […]
adquirem diretamente os bens e O Estado poderá, de forma excepcio-
serviços que os fornecedores pu- nal, delegar à iniciativa privada e à
blicarem no mencionado portal. O economia popular e solidária o exer-
Estado publicará uma lista de bens e cício destas atividades, nos casos
serviços de compra comum que es- que a Lei estabelecer”.
tiverem normalizados, e os fornece-
dores com RUP podem se inscrever Regime aduaneiro aplicável à contra-
para ofertar, apresentando os seus tação pública
preços, uma vez celebrados os con-
vênios marcos entre eles e o Instituto De acordo com a Lei Orgânica do
de Contratação Pública. Neste mo- Regime Aduaneiro, estão isentas do
delo se suprime o processo de leilão pagamento de tributos ao comércio
invertido. exterior (exceto as taxas por serviço
aduaneiro) as importações que fo-
- Setores que o Estado exclusiva- rem realizadas no regime de consu-
mente opera mo de mercadorias importadas pelo
Estado e instituições e organismos
De acordo com o artigo 313 da que constam no Cadastro de Entida-
Constituição, consideram-se setores des do Setor Público e a Sociedade
estratégicos a energia em todas as de Luta Contra o Câncer (SOLCA).

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 81


EQUADOR Como Exportar

De acordo com o artigo 87 da Lei de - Aspectos gerais das leis para licita-
Hidrocarbonetos, em consonância ções públicas internacionais
com a Lei Orgânica do Regime Adua-
neiro, está livre de imposto aduaneiro A Lei Orgânica de Regime de Contra-
a importação de equipamentos, tação Pública estabelece a criação
maquinarias, implementos e outros do Registro Único de Fornecedores,
materiais necessários para a explo- como um sistema público de infor-
ração de hidrocarbonetos, durante o mação e habilitação das pessoas
período de exploração e nos dez pri- físicas e jurídicas, nacionais e es-
meiros anos após período de explo- trangeiras, com capacidade para
ração, sempre que estes artigos não contratar de acordo com tal lei.
forem produzidos no país. A mesma Portanto, as pessoas físicas ou jurí-
liberação se aplica para a indústria dicas estrangeiras deverão cumprir
petroquímica e atividades conexas, com os requisitos de obtenção do
durante o período de construção e Registro Único de Fornecedores para
por até cinco anos, uma vez inicia- poderem participar das concessões
do. A liberação compreende cem da mesma maneira que as entidades
por cento dos impostos tarifários e nacionais.
qualquer taxa que onerar os mencio-
nados equipamentos, instrumentos e Para o caso de licitações, aplica-se
outros. um procedimento diferente ao do
leilão invertido e de compra por catá-
Não se considera nenhuma outra logo. Este se aplica para a obtenção
isenção de pagamento de tributos de bens ou serviços não normaliza-
ao comércio exterior dentro da Lei dos e para a execução de obras cujo
Orgânica de Regime Aduaneiro. Pelo orçamento referencial ultrapassar
Acordo de Cartagena, o Acordo CAN montantes especificados nos itens
– MERCOSUL e o Acordo com o Chi- 02 e 03 do artigo 48 da Lei Orgânica
le, as mercadorias procedentes dos de Contratação Pública.
países envolvidos, em alguns casos
totalmente e em outros quase total- Para processos licitatórios, deve-se
mente, estão isentos de pagamento formar a Comissão Técnica para a
de tarifas e restrições. sua tramitação e a elaboração dos
editais. A formulação dos editais,

82 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

de acordo com o Regulamento da É proibida a publicidade enganosa,


mencionada lei, não pode afetar o bem como qualquer tipo de publici-
tratamento igualitário dos licitantes e dade ou propaganda de pornografia
incentivará a participação nacional e infantil, de bebidas alcoólicas, de
local. cigarros e substâncias entorpecentes
e psicotrópicas.
2. Promoção de vendas
Lançamentos de produtos
Principais veículos de publicidade
Para a venda atacadista, é comum
No país se manejam os meios publi- a realização de convites a varejistas
citários tradicionais e os das redes para eventos nos quais se expõem
sociais. Os tradicionais devem ser as características dos produtos.
realizados levando em considera- Nestes eventos é possível contatar
ção o produto a ser promovido e o colégios profissionais, câmaras de
público-alvo. comércio ou associações de traba-
lhadores para se obter um público
Em caso de vendas varejistas, os mais especializado, bem como
meios publicitários úteis são a televi- programas especializados em meios
são, o rádio e a imprensa escrita. de comunicação, como televisão ou
rádio.
Para empresas que pretendem in-
gressar no mercado equatoriano ou Feiras e exposições
introduzir um produto, os lançamen-
tos e as formas não tradicionais de A participação em feiras também
publicidade, como as campanhas é uma boa forma de ingressar no
BTL (Below The Line), são recomen- mercado equatoriano e conhecer as
dáveis. Estas últimas consistem em suas condições. O governo e o setor
realizar anúncios mais próximos às privado organizam várias feiras espe-
pessoas, mediante a utilização de cializadas. O Equador busca realizar
efeitos visuais, atividades recreativas feiras em relação à utilização de no-
e exposições ao ar livre. vas tecnologias, empreendimento na
produção, inclusão de grupos mino-
ritários, entre outros temas.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 83


EQUADOR Como Exportar

Em 2014, empresas brasileiras para divulgar possibilidades de in-


participaram da XV Equador Oil & vestimento.
Power Trade Exhibition, da V Mostra
de Têxteis e Maquinarias e Insumos Consultora de marketing
(XPOTEX), Feira de Fornecedores ao
Setor Bananeiro (Probanano 2014 e Para serviços de assessoramento é
da ExpoAgro 2014. possível contratar empresas consul-
toras de marketing, as quais ofere-
As feiras nacionais costumam ser cem trabalhos de relações públicas,
organizadas com patrocínio do go- campanhas BTL, organização de
verno. Ao mesmo tempo, busca-se eventos e pesquisa de mercado.
a participação de outros países com
vistas à mudança da matriz produ- É de utilidade a contratação dos ser-
tiva, motivo pelo qual se propicia a viços deste tipo de consultoras, es-
participação de entidades de outros pecialmente para empresas novas no
países, cujos governos, às vezes, Equador, já que oferecem uma visão
contribuem para esta finalidade. mais integral do mercado de inte-
resse que se deseja explorar, e uma
Os produtos a serem exibidos ou promoção com maior conhecimento
degustados em feiras gozam do dos consumidores equatorianos.
Regime Aduaneiro 24 de feiras in-
ternacionais, pelo qual se autoriza o Por outro lado, existem empresas de
ingresso de mercadorias com sus- publicidade que se dedicam exclu-
pensão no pagamento de tributos por sivamente ao design de campanhas
um tempo determinado. O período em vários meios, dependendo do
de tempo em que as mercadorias mercado ao qual for direcionado o
podem se inscrever dentro deste re- produto a ser promovido.
gime aduaneiro é de quinze dias an-
tes do início do evento e quinze dias
depois de este ter sido finalizado.

A Embaixada do Brasil e a Câmara


de Comércio Equatoriano-Brasileira
também realizam reuniões e eventos

84 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

3. Práticas comerciais de Compra e Venta Internacional de


Mercadorias.
Negociações e contratos de
importação Para a realização de contratos de
importação se recomenda a utiliza-
Os contratos são celebrados em ção dos Incoterms da Câmara Inter-
castelhano. Em caso de traduções nacional de Comércio (ICC). A nego-
para outros idiomas, recomenda-se a ciação pode ser feita sobre a base de
certificação e registro em cartório. preços FOB ou CIF, dependendo dos
acordos e das preferências dos con-
As comunicações entre agentes tratantes, existindo preferência pela
comerciais e diferentes entidades base FOB.
por meio de tecnologias multimídia,
como as videoconferências, estão se A moeda utilizada para os contratos
tornando mais comuns e recomen- é, geralmente, o dólar americano. A
dáveis. modalidade habitual de pagamento
é contra entrega de bens e mediante
As negociações para a importação ordem de pagamento à vista ou de-
costumam ter início com um repre- pósitos e transferências.
sentante da empresa exportadora,
que entra em contato com agentes Designação de agentes comerciais
da empresa importadora. Combinam
os valores a serem negociados, os A Lei de Companhias menciona que
benefícios a serem recebidos por toda empresa estrangeira que realizar
cada parte e as condições de im- negócios ou contrair obrigações no
portação para, então, proceder-se Equador deverá ter um representante
à celebração do contrato, seja de legal ou um procurador para poder
representação ou de execução de um realizar os negócios e as relações
negócio específico. jurídicas necessárias. Muitas vezes
os contratos de distribuição e repre-
A celebração de contratos de negó- sentação demandam a exclusividade
cios internacionais de importação do produto, motivo pelo qual esta
tem amparo na Convenção das prática é recomendável.
Nações Unidas sobre os Contratos

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 85


EQUADOR Como Exportar

Os contratos de representação de- sociedade anônima ou sociedade de


vem compreender a descrição da economia mista.
área geográfica designada, bem
como uma delimitação de compe- Estrutura legal da empresa
tências e responsabilidades dos
agentes. Existem duas opções: a) sociedade
limitada, com no mínimo dois e no
Abertura de escritório de represen- máximo quinze sócios; tem “capital
tação comercial fechado”, com participações que
não podem ser cotadas na Bolsa de
Os escritórios de representação Valores; e b) sociedade anônima, de
deverão se estabelecer de acordo estrutura de capital aberto, dividido
com o contratado entre a empresa em ações que podem ser cotadas na
brasileira e a sua representação no Bolsa de Valores.
Equador.
Seguro de fretes
Em caso de que uma empresa es-
trangeira exerça atividades que im- O tipo de seguro contratado de-
pliquem na execução de obras públi- penderá se se chegou ou não a um
cas, prestação de serviços públicos acordo entre as partes para realizar
ou exploração de recursos naturais, um frete CIP (sigla em inglês relativa
deverá demostrar a existência legal ao pagamento do custo do frete e
em seu país de origem e a sua capa- do seguro - “Carriage and Insurance
cidade para negociar no exterior, de Paid”) ou CIF (sigla em inglês para
acordo com o artigo 415 da Lei de custo, seguro e frete).
Companhias, previamente à celebra-
ção do contrato. Existem companhias que atuam na
cobertura, com a oferta de informa-
Se a empresa brasileira desejar se ção sobre as pessoas que manejam
estabelecer como tal, deverá obser- as mercadorias e que dão recomen-
var o que estipula a Lei de Compa- dações para efetuar os fretes com
nhias, constituindo-se como empre- conhecimento dos diferentes portos
sa, seja de responsabilidade limitada, por meio dos quais vão ser transpor-
tadas.

86 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Supervisão de embarques Internacional, o Banco de Guayaquil,


entre outros, oferecem créditos para
A inspeção é realizada pelo Serviço o pagamento de importações, cujas
Nacional de Aduana do Equador, por condições estão especificadas em
meio de um técnico operador de- cada caso de contrato de crédito.
signado. Podem-se constituir como Litígios e arbitragem comercial
agentes da Aduana pessoas físicas
ou jurídicas para supervisionar a Atualmente se impulsiona o uso de
entrada e o desembaraço aduaneiro métodos alternativos de resolução de
de mercadorias. Existem também conflitos por meio de centros de me-
empresas que se dedicam à super- diação e arbitragem. Em caso de o
visão de mercadorias que requerem litígio não se resolver nesta instância,
controles de qualidade específicos. procede-se à imposição deste peran-
Financiamento de importações te o juizado correspondente.

A Corporação Financeira Nacional As decisões do Tribunal Arbitral são
oferece créditos a pessoas físicas ou de direito, a legislação aplicável será
jurídicas para a compra de matéria- a equatoriana e os laudos serão
-prima e produtos elaborados ou se- definitivos e obrigatórios para as
mielaborados que não substituam a partes. Em caso de controvérsias
produção nacional. A modalidade de por descumprimento de pagamentos
outorga deste tipo de crédito consis- derivados de um crédito, tanto pela
te em dar um prazo de um ano com parte devedora quanto pela credora,
desembolsos de até 180 dias. Re- dentro do país, as partes se subme-
quer uma garantia que cubra 125% tem à jurisdição civil. Recomenda-se
do total da linha de crédito. As taxas estipular nos contratos de aquisição
de juros são de 8,5% a 9,75%. de créditos em qual jurisdição serão
solucionadas as controvérsias. As
Os dados atualizados das taxas de práticas usuais remetem à jurisdição
juros podem ser acessados no docu- civil nacional.
mento “Informação Estatística Men-
sal” do Banco Central do Equador -
www.bce.fin.ec. Os bancos privados,
como o Banco Pichincha, o Banco

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 87


EQUADOR Como Exportar

Foto: shutterstock.com

Montanita, Equador

88 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

VII - Recomendações às Empresas Brasileiras


O Equador apresenta um grande em prática este projeto requer gran-
potencial comercial e de negócios, des investimentos e importações
haja vista que é um país com um de matérias-primas, bens de capital
mercado em expansão e uma econo- e serviços, nas quais o empresário
mia em crescimento. Neste sentido, brasileiro pode encontrar interessan-
e apesar das medidas temporárias tes possibilidades de negócio.
para a redução de importações,
principalmente de bens de consumo, Outros projetos importantes do Es-
o empresário brasileiro encontrará tado são os “Megaprojetos”, que
no país um clima de investimento e incluem a construção de grandes
comércio favorável e cheio de be- infraestruturas relacionadas, prin-
nefícios e incentivos. Com recentes cipalmente, à educação (como a
medidas governamentais para incen- Cidade do Conhecimento – Yachay),
tivar investimentos, como a relativa à energia, às rodovias, etc. Nos últi-
às parcerias público-privadas, o em- mos anos, a construção de grandes
presário brasileiro poderá se benefi- centrais hidrelétricas e de grandes
ciar das suas atividades no Equador, rodovias foi uma constante no gover-
principalmente se estas estiverem de no nacional.
acordo com os planos de desenvol-
vimento econômico idealizados pelo Informações sobre projetos nos
governo nacional. quais o empresário brasileiro pode
investir no Catálogo de Projetos de
O plano principal do governo é a Investimento 2015-2017 - http://
mudança da matriz produtiva, a qual issuu.com/sectoresestrategicos/
deve passar a produzir bens de alto docs/cata__logo_de_investimen-
valor agregado, que incluam níveis tos_de_os_se/1.
de tecnologia altos e que gerem
grandes níveis de encadeamento Entre os projetos nos quais existe
produtivo. Nesta ordem de ideias, preferência estão as indústrias bási-
as indústrias metalomecânica, me- cas (10), as hidrelétricas (3), o setor
talúrgica, robótica, automotriz, entre de elétricos (13), a mineração (44),
outras, estão incentivadas. Colocar o petróleo (23), as telecomunicações

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 89


EQUADOR Como Exportar

(1) e os bioenergéticos (2). Para a


obtenção de informações atuais so-
bre as oportunidades de vendas para
o Equador se recomenda ao empre-
sário brasileiro consultar o portal
brasilexport.gov.br e órgãos como
o Setor de Promoção Comercial da
Embaixada do Brasil em Quito.

Foto: Ksenia Ragozina / Shutterstock.com

Otavalo, Equador

90 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

ANEXOS
I. Endereços

Órgãos oficiais do Brasil

No Equador

Embaixada do Brasil no Equador


Av. Amazonas y José Arízaga, Edif. Amazonas Plaza, Piso 7
Tel.: (593 2) 2277 300
Quito
E-mail: brasemb.quito@itamaraty.gov.br / www.quito.itamaraty.gov.br

Setor de Promoção Comercial


Av. Amazonas y José Arízaga, Edif. Amazonas Plaza, Piso 7
Tel.: (593 2) 2277 300
Quito
E-mail: secom.quito@itamaraty.gov.br

Consulado do Brasil em Guayaquil


Av. Juan Tanca Marengo, km 1½ - Centro Comercial Dicentro
Tel.: (593 4) 227 7065
Guayaquil
E-mail: alberto@eurogres.com.ec / denise@eurogres.com.ec

Consulado do Brasil em Cuenca


Gil Ramírez Dávalos, 1434 e Turuhuaico
Tel.: (593 7) 408 9054
Cuenca
E-mail: coordinadora.ofc@motricentro.com.ec

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 91


EQUADOR Como Exportar

No Brasil

Departamento de Promoção Comercial e Investimentos (DPR)


Ministério das Relações Exteriores
70170-900 - Brasília – DF
Tels.: (55 61) 2030-8794 / 8793
Fax: (55 61) 2030-6735 / 8790
E-mail: dpr@itamaraty.gov.br

Departamento de Operações de Comércio Exterior (DECEX)


Praça Pio X, 54, andar 4, Sala 402
Rio de Janeiro - RJ
Tels.: (55 21) 2126 1011 / 2126 1292
www.desenvolvimento.gov.br

Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos


(ApexBrasil)
Setor Bancário Norte- SBN Quadra 2 – Lote 11
70040-020 - Brasília - DF
Tel.: (55 61) 3426 0202
Fax: (55 61) 3426 0263
www.apexbrasil.com.br

Organismos oficiais

No Equador

Presidência da República
www.presidência.gob.ec

Ministério de Coordenação da Produção, Emprego e Competitividade


www.produção.gob.ec

92 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Secretaria Nacional de Planejamento e Desenvolvimento


(SENPLADES)
www.planificacion.gob.ec

Ministério das Relações Exteriores e Mobilidade Humana


www.cancilleria.gob.ec

Ministério das Indústrias e Produtividade


www.industrias.gob.ec

Ministério da Agricultura, Pecuária, Aquicultura e Pesca


www.agricultura.gob.ec

Ministério de Coordenação dos Setores Estratégicos


www.sectoresestrategicos.gob.ec

Ministério de Recursos Naturais Não Renováveis


www.recursosnaturales.gob.ec

Ministério de Energias Renováveis e Eletricidade


www.energia.gob.ec

Ministério de Transporte e Obras Públicas


www.obraspublicas.gob.ec

Ministério de Coordenação da Política Econômica


www.politicaeconomica.gob.ec

Ministério das Finanças


www.finanças.gob.ec

Ministério de Coordenação de Desenvolvimento Social


www.desarrollosocial.gob.ec

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 93


EQUADOR Como Exportar

Ministério da Saúde
www.saúde.gob.ec

Ministério do Ambiente
www.ambiente.gob.ec

Ministério do Turismo
www.turismo.gob.ec

Comitê de Comércio Exterior (COMEX)


www.comércioexterior.gob.ec/comex/

PROEQUADOR
www.proequador.gob.ec
quito@proequador.gob.ec

Serviço Nacional de Aduana do Equador


E-mail: mesadeservicios@aduana.gob.ec
www.aduanas.gob.ec

Agência Nacional de Regulação, Controle e Vigilância Sanitária


www.controlsanitario.gob.ec

Serviço Equatoriano de Normalização (INEN)


www.normalizacion.gob.ec

Banco Central do Equador


www.bce.fin.ec

Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC)


www.equadorencifras.gob.ec

Agência Equatoriana de Asseguramento da Qualidade


do Agro (Agrocalidad)
www.agrocalidad.gob.ec
94 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012
Como Exportar EQUADOR

Serviço de Rendas Internas


www.sri.gob.ec

Superintendência de Bancos e Seguros


www.sbs.gob.ec

Superintendência de Companhias
www.supercias.gob.ec

Promotoria Geral do Estado


www.fiscalia.gob.ec

Instituto Equatoriano de Propriedade Intelectual (IEPI)


www.propiedadintelectual.gob.ec

No Brasil

Embaixada do Equador em Brasília


SHIS QL 10, Conjunto 08, Casa 01 - Lago Sul
Tels.: (55-61) 3248 5560
Fax: (55-61) 3248 1290
E-mails: eecubrasil@cancilleria.gob.ec e
embaixada.equador@solar.com.br
www.brasil.embaixada.gob.ec

Consulados equatorianos no Brasil

Brasília - DF
Tel.: 55 61 3248-5660

Campinas - SP
E-mail: vallejoperez@uol.com.br

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 95


EQUADOR Como Exportar

Porto Alegre
E-mail: quintana.ez@terrra.com.br

Recife
E-mail: consuladoequador@consulrecife.com.br

Rio de Janeiro
E-mails: conecrio@rionet.com.br e
cecuriodejaneiro@mmrree.gob.ec

São Paulo
E-mail: cecusaopaulo@mmrree.gob.ec

Escritório Comercial do PROEQUADOR no Brasil


rvillamarf@proequador.gob.ec
+ 55(11) 27691999

Principais entidades

Banco Central do Equador


www.bce.fin.ec

Superintendência de Companhias
www.supercias.gob.ec

Ministério de Coordenação da produção, Emprego e Competitividade


www.produccion.gob.ec

96 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Câmaras de comércio

Câmara de Comércio Equatoriano-Brasileira


E-mails: cebequador@uio.telconet.net / cebequador@hotmail.com

Câmara de Comércio de Quito


www.lacamaradequito.com

Câmara de Comércio de Guayaquil


www.lacamara.org

Principais bancos

Associação de Bancos Privados do Equador


http://www.asobancos.org.ec

Banco de Guayaquil
http://www.bancoguayaquil.com

Banco Pichincha
http://www.pichincha.com

Banco do Pacífico
http://www.bancodelpacifico.com

Banco Internacional
E-mail: baninteronlina@bancointernacional.com.ec
http://www.bancointernacional.com.ec

Banco Produbanco
www.produbanco.com

Banco Bolivariano
E-mail: Info@bolivariano.com
www.bolivariano.com
Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 97
EQUADOR Como Exportar

Principais feiras no Equador

Feira Organizadora Local Mês Período Informação


Agricultura e Pecuária
Cúpula http://www.
AGEAPSE, MA- Expoplaza-
Mundial da Novembro Anual expoplaza.ec/
GAP -Guayaquil
Banana ferias/
banano/
http://www.
Centro de zamoranose-
Cúpula AGEAPSE, Mu-
Exposições- cuador.com/
Mundial de nicípio de Pedro Maio Anual
-Pedro Mon- CMF_informa-
Floricultura Moncayo
cayo cion_general.
html
Ministerio de Palacio
www.expoa-
Expoagro Industrias y de Cristal- Agosto Anual
gro.ec
Productividad -Guayaquil
Centro de la
Comité Ejecuti-
Feira Mundial Feria Mundial www.expopla-
vo Feria Mundial Setembro Anual
da Banana del Banano- za.ec
del Banano
Machala
http://www.
expo-planner.
Feira de Pro- com/
vedores do Hotel Oro http://www.
Setor Bana- EXPOPLANNER Verde Ma- Março Bienal portalferias.
neiro chala com/probana-
PROBANANO no-2014-ma-
chala_21741.
htm

98 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Alimentos
Sector Ali-
menticio de la
Centro de
Expo Cámara de la www.expoali-
Exposicio- Fevereiro Anual
Alimentar Pequeña y Me- mentar.com.ec
nes-Quito
diana Industria
de Pichincha
Automóveis
Feria Auto-
motriz Expo-
mec: autos,
www.feriaex-
equipamen- Quito-Guaya-
Editmedios S.A. Agosto Anual pomec.com.
tos, peças, quil
ec
motos,
mecânica,
acessórios
Cosméticos
Centro de
Feira da Be- Convencio-
Procosméticos www.expo-
leza Guaya- nes Simón Outubro Anual
y Expoplaza guayaquil.com
quil Bolívar
Guayaquil
Aquicultura
Ministerio
Coordinador
de la Produc- Centro de
http://www.
Expopesca ción, Empleo y Convencio-
xpocorp.com/
del Pacífico Competitividad, nes Simón Setembro Anual
expopesca.
Sur MIPRO, MAGAP, Bolívar
html
Ministerio de Guayaquil
Comercio Ex-
terior

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 99


EQUADOR Como Exportar

Construção e Imobiliárias
Cámara de la
Feria Interna- Centro de www.quitofe-
Industria de la
cional Quito Exposicio- Setembro Anual riaconstruc-
Construcción
Construção nes-Quito cion.ec
Quito
Cámara de la Centro de
Habitação Industria de la Convencio- www.expopla-
Junho Anual
Guayaquil Construcción nes Simón za.com
Guayaquil Bolívar
Mi Casa
Centro de www.feria-
Clave Quito- Revista Clave-
Exposicio- Novembro Anual delavivienda.
-Feria Inmo- -Quito
nes-Quito com.ec
biliaria
Farmacêutica
Feira Inter- Centro de
nacional da Convencio- www.proecua-
PROECUADIR Agosto Anual
Indústria nes Simón dor.gob.ec
Farmacêutica Bolívar
Móveis e Madeira
CAPEIPI,
Ministerio de
Industrias y
Expo Feira Centro de
Productividad, www.capeipi.
Madeira y Exposiciones Março Anual
Cancillería, org.ec
Dsign Quito
PROECUADOR,
Prefectura de
Pichincha
Feria do Parque Bi-
www.mue-
Móvel Quito, centenario,
Inmovisión Proa Março Anual blesbienestar.
Guayaquil, Quito. Otros
com
Cuenca lugares
Centro de
Convencio-
www.expopla-
Expo Deco Expoplaza nes Simón Outubro Anual
za.com
Bolívar
Guayaquil

100 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Petróleo e Energia
Expo- http://www.hj-
-Conferencia becdachferias.
Internacional HJ Becdach CEMEXPO Setembro Anual com/ferias/
Ecuador Oil ecuador/oil-
and Power -power
http://hjbe-
cdachferias.
Expominas com/ferias/
HJ Becdach CEMEXPO Março Anual
Ecuador ecuador/
expominas-
-ecuador
Avicultura
www.engor-
mix.com/
MA-avicultura/
Seminario
eventos/ecua-
Internacional Agroeditorial
JW Marriott dor-seminario-
de Economía Publishing Setembro Anual
Quito -internacional-
para la Avi- Company
-economia-
cultura
-avicultu-
ra-t1983-info.
htm
Indústrias
Sector Metal
Mecánico Centro de www.expoin-
Expoindus-
Eléctrico y Elec- Exposiciones Agosto Anual dustrial.com.
trial Quito
trónico de la Quito ec
CAPEIPI
Moda e Têxteis
Colegio de Inge- http://www.
Expo Moda Recinto Fe-
nieros Textiles Fevereiro Anual atuntaquituris-
Atuntaqui rial-Atuntaqui
de Imbabura mo.com/

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 101


EQUADOR Como Exportar

XPOTEX: Sector Textil de


Muestra de la Cámara de la Centro de
www.xpotex.
textiles, ma- Pequeña y Me- Exposiciones Março Anual
com.ec
quinarias e diana Industria Quito
insumos de Pichincha
Hotel Hil-
Ecuador www.ecuador-
CN Modelos ton Colón Setembro Anual
FashionWeek fashion.org
Guayaquil
Livros
Ministerio de
Casa de la
Feria del Cultura y Pa- www.celibro.
Cultura de Dezembro Anual
Libro Quito trimonio del org.ec
Quito
Ecuador
Empresarial e marketing
Centro de
Ferias Inver-
Ministerio de Convencio- www.ecua-
sas de pro-
Industrias y nes Simón Agosto Anual dorindustrial.
moción de
Productividad Bolívar com
las MIPYMES
Guayaquil
Feria de Ma- Centro de
rketing y Co- Cámara Ecuato- Convencio-
www.expopla-
municación riana Americana nes Simón Setembro Anual
za.com
de Guayaquil de Comercio Bolívar
“Marketers” Guayaquil
Segurança
Feria Inter- Centro de
nacional de Convencio- www.segu-
Revista Seguri-
Seguridad nes Simón Maio Anual riexpoecuador.
dad en América
“Seguriexpo” Bolívar com
Guayaquil Guayaquil
Software
Campus Alcaldía de Qui- www.campus-
CEMEXPO Setembro Anual
Party Quito to y Movistar -party.com.ec

102 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Transporte
www.ja-
cecuador.
Asociación de
com/gallery/
Feira Expo- Empresas Au-
CEMEXPO Outubro Anual expotrans-
transporte tomotrices del
porte-2014-
Ecuador
-quito-24-
-26-octubre
Turismo
Operadores
Turísticos
Turismo CEMEXPO- www.cemex-
Nacionales y Maio Anual
Ecuador -Quito po.com.ec
Mayoristas
Internacionales
Centro de
FITE - Feira Convencio-
Internacional HoritzoGrup nes Simón Setembro Anual www.fite.info
do Turismo Bolívar-
-Guayaquil
Multisetoriais
Feria Inter- Cámara de
Recinto Ferial www.lacama-
nacional de Comercio del Outubro Anual
de Durán ra.org
Durán Guayas
Feira de Am- Ciudad de www.proam-
PROA Fevereiro Anual
bato Ambato bato.com
Fuente: PortalFerias.com

Principais organizadores

Centro de Exposições Quito


www.expoceq.ec
lvesga@expoceq.ec

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 103


EQUADOR Como Exportar

Centro de Convenções Metade do El Comercio


Mundo (CEMEXPO) www.elcomércio.com
info@cemexpo.com.ec
www.cemexpo.com.ec El Telégrafo
www.telegrafo.com.ec
HJ Becdach
info@hjbecdach.com La Hora-Quito
www.hjbedachferias.com www.lahora.com.ec

Expoplaza
info@expoplaza.ec Principais revistas
www.expoplaza.ec
Revista Vistazo, Estadio, Hogar,
Hola, Mamá, Geração 21, América
Informações sobre a participação Economia
brasileira em feiras e exposições: www.vistazo.com

Divisão de Operações de Promoção Líderes


Comercial (DOC) http://www.revistalideres.ec/
Ministério das Relações Exteriores
70170-900 Brasília - DF Dinediciones: Gestão, Mundo Di-
Tel.: (61) 2030.8531 ners, Soho
Fax: (61) 2030.6007 www.dinediciones.com
E-mail: doc@mre.gov.br

Canais de televisão
Principais meios de comunicação
TC Televisão
Jornais www.tctelevision.com

El Universo Gama TV
www.eluniverso.com www.gamatv.com.ec

104 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Ecuavisa Rivas E&R


www.ecuavisa.com mauricio.rivas@yr.com
Traffic
Teleamazonas E-mail: jriofrio@traffic.com.ec]
www.teleamazonas.com
McCann World Group
RED Telesistema RTS E-mail: mario.benavente@mccann.
www.rts.com.ec com.ec
Principais empresas consultoras de
Canal Um marketing
www.canal1tv.com
Associação Equatoriana de Marke-
ting
Emissoras de rádio www.asoecmarketing.com

Sonorama Branding Consultores


www.sonorama.com.ec www.branding.com.ec

Radio Visão Blackbox Equador Marketing Online


http://radiovision.com.ec/ www.blackbox.ec

Radio Pública AA Consulting


www.radiopublica.ec www.aaconsulting.com.ec

MK Advice
Principais agências de publicidade www.mkadvice.com

Artic Publicidade Aquisição de documentos


E-mail: diego@articpublicidad.com Os principais dados e informações
de comércio exterior no Equador são
La Facultad produzidos pelo Banco Central, pelo
E-mail: padovani@lafacultad.com Ministério do Comércio Exterior, pelo
Comitê de Comércio Exterior (CO-
MEX) e pelo Instituto de Promoção

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 105


EQUADOR Como Exportar

de Exportações (PROEQUADOR). A Marnizam Cía. Ltda.


informação é atualizada mensalmente E-mail: info@marzam-online.com
e os dados são de domínio público,
motivo pelo qual é possível acessá- Marglobal S.A.
-los nas suas páginas web. E-mail: info@marglobal.com

Naviera JCP Hnos


Companhias de transporte com o E-mail: info@grupojcp.com
Brasil
Socieport
No Equador E-mail: socieport@interactive.net.ec

Cal-vima Cía. Ltda. Tradinter


E-mail: operaçõesuio@calvima.grcal. E-mail: info@tradinter-ec.com/
com www.tradinter.com

Andinave Transoceánica Cía. Ltda.


E-mail: info@andinave.com E-mail: tclmec@trasoceanica.com.ec

Atlas Marine Atlmar


Tel.: 593 4 2 2398510 No Brasil

Blue Ocean Web S.A. CSAM Serviços Aeromarítimos Ltda.


E-mail: bowsa@bowsa.com Carico Group
marcia@csamaritima.com
Conavegori S.A.
E-mail: agorisa@intective.net.ec Companhia Libra de Navegação
(CSAV Group)
Inchcape Shipping Services ISS renata.alexandre@csavgroup.com
E-mail: issequador@iss-shipping.
com Panalpina
info.brazil@panalpina.com
Maersk do Equador S.A.
E-mail: rosi.ferrer@maersk.com

106 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Transavisa de Transoceánica Cía. Ltda. de encomendas em voos para o Bra-


E-mail: tclmec@trasoceanica.com.ec sil: US$ 85,00.
Companhias aéreas O preço se baseia na aplicação da
fórmula de IATA TACT- The Air Cargo
TAME Tariff - em que o preço se calcula de-
www.tame.com.ec pendendo das dimensões e do peso
Principais empresas de supervisão da encomenda. No Equador se aplica
um encargo adicional por combustí-
Alex Stewart (Assayers) – Equador vel, que varia de acordo com a linha
www.asaequador.com aérea escolhida.

AENOR Equador Tarifas de comunicações


www.aenorequador.com Tarifa do país em moeda local das
ligações para o Brasil
Minuto para telefone fixo ou celular:
Informações sobre fretes US$ 0,28.

Terrestres Correspondência postal


Custo da viagem por quilômetro na Custo de envio de correspondência
rodovia: US$ 0,03/km. internacional: os serviços de envio
Custo na rede ferroviária: a rede fer- de documentos por meio dos cor-
roviária do Equador somente é usada reios do Equador têm vários custos
com interesse turístico. As tarifas de dependendo de qual se contrate: até
viagem podem ser consultadas em US$ 10 pelo serviço ordinário de
http://trenequador.com/es/horarios- correio certificado, ou até US$ 45
-e-preços/ pelo serviço express.
Mais informações na página oficial
Aéreos do serviço nacional de correio - Cor-
Custo da passagem aéreo Quito - reios do Equador. www.correosdele-
São Paulo em classe econômica: quador.gob.ec
US$ 700.
Custo mínimo de envio de encomen-
das em voos internos: US $1,36.
Custo aproximado mínimo de envio

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 107


EQUADOR Como Exportar

II. Informação sobre a ALADI III. Informações práticas

Dada a extensão dos produtos que 1. Moeda: Dólar norte-americano


entram na ALADI, recomenda-se (US$).
aos empresários entrar em contato 2. Pesos e medidas: Sistema Interna-
diretamente com as entidades encar- cional: metros e quilogramas.
regadas destes temas no Equador ou 3. Fuso horário: Continental: GMT-5.
no Brasil: Ilhas Galápagos: GMT-6.
1) Divisão de Inteligência Comercial Em relação com o Brasil (Brasília,
(DIC) - Ministério das Relações Exte- Rio de Janeiro e São Paulo), a dife-
riores, em Brasília. rença é de 02 horas e, no verão, de
2) Divisão de Acesso a Mercados 03 horas.
(DACESS) - Ministério das Relações 4. Horário comercial:
Exteriores, em Brasília. Entidades governamentais: de se-
3) Departamento de Negociações In- gunda a sexta-feira, das 8h30 às
ternacionais (DEINT) - SECEX/MDIC, 16h30.
em Brasília. Comércio e lojas: de segunda a
4) Embaixada do Equador em Brasília sexta-feira, das 9h30 às 13h e das
ou qualquer consulado. 14h30 às 19h00. Aos sábados, das
5) Câmara de Comércio Equatoriano- 9h30 às 13h.
-Brasileira – CCEB, em Quito. • Empresas privadas: de segunda a
6) Diferentes câmaras de comércio sexta-feira, das 9h às 18h.
no Equador. • Centros Comerciais: de segunda a
7) Setor de Promoção Comercial da sexta-feira, das 9h30 às 20h. Aos
Embaixada do Brasil em Quito. domingos, das 10h às 19h.
• Bancos: de segunda a sexta-feira,
das 9h às 15h. Aos sábados e do-
mingos as agências bancárias aten-
dem nos centros comerciais.
5. Corrente elétrica: 110 V e 60 Hz.
6. Períodos recomendados para
viagens: Os períodos recomendados
para viagens de negócios dependem
da região e da época normal de

108 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

férias. Na Região Serrana se reco- 10. Listas de hotéis


menda que seja realiza em qualquer
mês, exceto em agosto; na Região JW Marriot Hotel Quito
Litorânea, exceto em março. www.marriot.es
7. Visto de entrada: Os brasileiros
não precisam de visto para entrarem Hotel Quito
no Equador. O período máximo de http://www.hotelquito.com.ec/esp/
estada é de 90 dias seguidos. Em
caso de ser necessário um tempo Swissotel Quito
maior dentro do país é necessária a http://www.swissotel.com/hotels/
obtenção de um visto específico em quito/
qualquer consulado equatoriano no
Brasil. Mercure Hotel Alameda Quito
8. Vacinas: o Equador não exige http://www.mercurequito.com.ec/
nenhuma vacina especial para os
brasileiros. Howard Johnson Hotel Quito
9. Aduana: Não existe uma normativa http://www.hojo.com/hotels/equador/
aduaneira especial para os estran- quito/search-results?perpage=200
geiros. As normas internacionais são
as responsáveis por regulamentar Hotel Hilton Colon
as questões de bagagem pessoal. A http://www.hiltonhotels.com/es_XM/
declaração de bens é um processo equador/hilton-colon-quito-hotel/
que pode demorar. É necessário le-
var tudo isto em consideração para Hotel Boutique Casa Gangotena
planejar as viagens. http://www.casagangotena.com/es/

Hotel Oro Verde Guayaquil


http://www.oroverdeguayaquil.com/es/

Grand Hotel Guayaquil


http://www.grandhotelguayaquil.
com/hotel/guarantee

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 109


EQUADOR Como Exportar

Hotel Ramada
http://www.hotelramada.com
Hilton Colón Guayaquil
http://www3.hilton.com/em/hotels/equador/hilton-colon-guayaquil-GYEHIHF/
index.html

Foto: shutterstock.com

Ilinizas, Andes, Equador

110 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012


Como Exportar EQUADOR

Bibliografia
1. Publicações

Banco Central do Equador. Boletim Anuário Nº36. 2014. Quito.


Banco Central do Equador. Boletim Mensal Nº 1956. 2015. Quito.
Instituto Nacional de Meteorologia e Hidrologia. Boletim Anual 2014. 2015.
Quito.
Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC).Projeções populacionais
2010 - 2050. 2012. Quito.
Instituto de Promoção de Exportações e Investimentos (PROEQUADOR).
Análise do Setor Metalomecânico. 2013. Guayaquil.
Ministério Coordenador de Setores Estratégicos. Balanço Energético 2014.
2014. Quito.
Ministério de Transporte e Obras Públicas. Distâncias entre Cidades. 2015.
Quito.
Ministério do Turismo. A experiência turística no Equador: cifras essenciais.
2011. Quito.

2. Bases de dados

Banco Central do Equador. Dados do Setor Externo.


Banco Central do Equador. Dados do Setor Real.
Banco Central do Brasil.
Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC). Enquete Nacional de
Emprego, Desemprego e Subemprego. 2014. Quito.
Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC). Enquete de condições de
vida no Equador. 2015. Quito.
Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC). Enquete de superfície e
produção agropecuária contínua. 2013. Quito.
Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC). Enquete de Comércio
Interno. 2012. Quito.
Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC). Enquete de Manufatura e
Mineração. 2012. Quito.

Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012 111


EQUADOR Como Exportar

Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC). Entradas e saídas


internacionais. 2013. Quito.
Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INEC). Enquete de Turismo. 2010.
Quito.
Ministério da Pecuária, Aquicultura e Pesca. Sistema de Informação Nacional
de Agricultura e Pecuária.
FAO, Departamento de Aquicultura e Pesca. 2015.
Ministério das Finanças. Dados de Finanças Públicas. 2014.
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).
Secretaria de Comércio Exterior (SECEX).
Trade Map, 2015.

112 Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras 2012

Você também pode gostar