Você está na página 1de 3

Endereço da página:

https://novaescola.org.br/plano-de-aula/3797/exploracao-de-caixas

Planos de aula / Educação Infantil / Bebês (zero a 1 ano e 6 meses)

Exploração de caixas
Por: Jéssica Ribeiro Carnevale / 19 de Dezembro de 2018

Código: EDI1_08UND04

Sobre o Plano

Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor: Jéssica Carnevale

Mentora: Keli Luca

Especialista do subgrupo etário: Ana Teresa Gavião

Campos de Experiência: O eu, o nós e o outro; Corpo, gestos e movimentos; Objetivos e códigos da Base :

(EI01EO03) Interagir com crianças da mesma faixa etária e adultos ao explorar espaços, materiais, objetos, brinquedos.
(EI01CG03) Imitar gestos e movimentos de outras crianças, adultos e animais.

(EI01EO02) Perceber as possibilidades e os limites de seu corpo nas brincadeiras e interações das quais participa.

Abordagem didática: Quando brinca, a criança sente-se convidada, e livre, para se desenvolver, expressar suas emoções e aprender. Para os bebês, esse
momento se caracteriza pelo jogo de exercícios, com repetição de ações e manipulações de objetos como fonte de satisfação e consequente formação de
hábitos. É o que Jean Piaget denomina como a atividade lúdica do período sensório-motor, que abrange os primeiros dezoitos meses de vida. Sendo assim, é
preciso incluir o brincar na rotina, organizando a seleção de objetos e propondo interações das crianças e com os professores.

Resumo
Nesta proposta, as crianças irão brincar com caixas de diversos tipos e tamanhos.

O que fazer antes?


Contextos prévios:
Para realizar esta atividade, arrecade caixas de diversos tamanhos, solicitando a doação delas à comunidade escolar. Encha algumas com jornal até
ficarem bem firmes e feche-as. Encape-as com papel colorido, para ficarem atrativas para as crianças. Elas podem utilizá-las para empilhamento,
subir, descer, se apoiar para levantar etc.

Materiais:
Caixas de diversos tamanhos - pequenas, médias e grandes (de sapato, de remédio, de produtos diversos, nas quais a criança consiga entrar etc.).

Espaços:
Esta proposta pode ser realizada na área externa da escola ou em uma sala ampla. Procure organizar as caixas de forma agrupada, para favorecer a
interação das crianças. Em um canto, coloque caixas de um mesmo tamanho juntas. Em outro canto, organize caixas de tamanhos diferentes, que
possibilitem encaixe (menores dentro das maiores, como de remédio, de creme dental e de sapato) e caixas que favoreçam o empilhamento.
Tempo sugerido:
Aproximadamente 40 minutos.

Perguntas para guiar suas observações:


Como ocorre a interação com outras crianças e adultos? (Observe atentamente que ações realizam para interagir com seus pares e adultos)
Como os bebês vivenciam as descobertas na brincadeira com as caixas? (compartilham através de olhares ou balbucios, imitam outras crianças etc.)
Quais habilidades motoras foram ampliadas na proposta? (Observe atentamente o quanto esta atividade desafia os bebês - esticar o corpo para
alcançar, engatinhar ou se arrastar)

Para incluir todos:


Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda.

Associação Nova Escola © - Todos os direitos reservados.


Plano de aula

Exploração de caixas

Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Com olhar atento às demandas,
auxilie nos deslocamentos dos bebês que não andam, incentivando a participação deles. Garanta que todos possam estar em
atividade, de acordo com preferências, ritmos e possibilidades. Disponibilize um cesto de livros conhecidos pelos bebês, para que
tenham acesso a eles quando desejarem.

O que fazer durante?


1
Convide todo o grupo para explorar o espaço organizado por você e apresente o material, dizendo que todos brincarão com as caixas doadas pela
comunidade escolar. Nesse primeiro momento, permita que os bebês interajam livremente com o espaço e com os materiais, manifestando
interesses individuais. Garanta que os bebês que ainda não se locomovem com autonomia estejam posicionados de forma a poder explorar e observar
as crianças de seu grupo. Esteja atento ao que eles fazem durante toda a exploração e aproveite para iniciar os registros em fotos e vídeos. Ao final,
faça algumas anotações sobre os aspectos mais importantes da proposta.

2
Ao perceber um pequeno grupo se formando perto de algumas caixas, se aproxime e aproveite esse momento para potencializar as interações
iniciadas pelas crianças e para validar suas iniciativas.
Possíveis ações da criança neste momento: Um bebê se aproxima de uma caixa, usa sua lateral como apoio para ficar em pé e olha sorrindo para um
amigo próximo que, correspondendo à interação, o ajuda a empurrar a caixa. Juntos, eles empurram a grande caixa pelo espaço.
Possíveis falas do professor neste momento: Que bacana! Vocês mudaram a caixa de lugar! Ela estava leve ou pesada para empurrar?

3
Ao perceber um bebê explorando alguma caixa, chame atenção de todo o grupo para essa ação e convide as outras crianças para experimentar a
brincadeira também, auxiliando aquelas que precisarem de ajuda para realizar alguns movimentos.
Convide os bebês que estiverem dentro das caixas para dar um passeio empurrando-os pelo espaço, pergunte aonde gostariam de ir passear e
brinque de faz-de-conta. Aproveite para inserir também os bebês que não se locomovem com autonomia, integrando e permitindo maior contato
das crianças.
Possíveis falas do professor neste momento: Senhor passageiro, por onde gostaria de passear?
Possíveis falas da criança neste momento: Vovó!
Enquanto fala, o professor percebe um dos bebês que senta com apoio, mas não engatinha, levantando os braços num gesto que indica seu desejo de
participar. Ele traz o bebê para a caixa junto com o colega.
Possíveis falas do professor neste momento: Gostariam de ir visitar a vovó? É pra já! Chegamos à casa da vovó! Olhe, ela fez um bolo de laranja para
a gente!

4
Convide pequenos grupos para brincar de empilhar caixas e observe quais estratégias utilizam na brincadeira, por exemplo, empilhar até sua
própria altura, empilhar para derrubar,colocar maiores na base e menores no topo etc. Intervenha a partir de suas observações sobre as explorações
corporais que fazem em interação com essas caixas, favorecendo que ampliem descobertas e interações, usando esses materiais ofertados de formas
diversas. Nesse momento eles podem: se apoiar nas caixas para tentar levantá-las, usá-las para sentar, empurrá-las, subir nelas, ampliando assim o
repertório motor e percebendo também limites corporais.
Possíveis ações da criança neste momento: Um bebê tenta empilhar caixas médias e pequenas, colocando-as uma a uma com suas próprias mãos.
Percebe que a torre cai quando coloca a quarta caixa. Depois de algumas tentativas, procura outra caixa para substituir a quarta caixa e consegue
continuar sua torre sem deixá-la cair. Por fim, demonstra satisfação com um sorriso e batendo palminhas.
Possíveis falas do professor neste momento: Nossa, que torre grande! Mostre pra gente como você fez!

Para finalizar:
Esteja atento ao tempo de interesse das crianças na proposta. Conforme for percebendo menos envolvimento por parte delas, avise que em alguns
minutos irão para a próxima atividade. Convide-as para organizar as caixas, colocando as menores dentro das maiores, incentivando a participação
de todos na organização do espaço e dos materiais, auxiliando-as no que for necessário. Tenha disponível um cesto de livros já conhecidos pelas
crianças para que, conforme forem terminando as brincadeiras e explorações, possam ocupar-se enquanto os demais terminam também.

Desdobramentos
Cole nas caixas fechadas as fotos tiradas das crianças durante a atividade de exploração. Deixe essas caixas num canto fixo da sala de referência, para
que sirvam de brinquedos do grupo, e/ou também em outros espaços da escola. Essa atividade poderá ser apresentada novamente de formas
diferenciadas e instigantes para os bebês. A partir da repetição, eles passam a concretizar esses movimentos e a se sentirem seguros para os
ampliarem numa próxima oportunidade.

Engajando as famílias
Considerando ser fundamental a parceria das famílias com a escola, faça um mural com os registros feitos por você durante a atividade,
compartilhando esse momento vivido pelas crianças na escola. Envie as caixas com as fotos delas para casa, convidando as famílias para brincar com
esse material. O mural servirá de inspiração para novas brincadeiras. Solicite que enviem registros, observações e sugestões sobre esse momento em
casa com os bebês.

Materiais complementares

Associação Nova Escola © - Todos os direitos reservados.


Plano de aula

Exploração de caixas

Apoiador Técnico

Associação Nova Escola © - Todos os direitos reservados.