Você está na página 1de 108

D E I X E A

S U A M A R C A
UM PROGRAMA
INOVADOR PARA
CONSTRUIR UMA
REPUTAÇÃO

POWERED BY
3. VAMOS NOS CONHECER?
4. SOBRE AS IRMÃS
6. O QUE VOCÊ IRÁ APRENDER NESSE CURSO?
8. O QUE É BRANDING?
16. VOCÊ É UMA MARCA
20. IMAGEM PESSOAL
24. MÉTODO DDPP
1 DIAGNÓSTICO
Ferramentas: Análise do branding pessoal, Golden Circle, Análise SWOT e Teia do Efeito
2 DEFINIÇÃO
Matriz ID
Estratégias de comunicação
3 PLANO DE AÇÃO
4 PRÁTICA

83. REPUTAÇÃO: GERENCIANDO A IMAGEM QUE VOCÊ CRIOU


Imagens pessoais bem consolidadas
Reposicionando sua imagem
Gerenciando uma crise de imagem
Crise de imagem nas redes sociais

102. RESUMO FINAL: MAIORES LIÇÕES


103. CONCLUSÃO
VAMOS
NOS
CONHECER?
Acreditamos que, para se ­conectar
com o nosso ­propósito, é ­importante
que você conheça primeiro a nossa
história e a ­trajetória que nos trouxe
até aqui.
Somos as irmãs Alcantara, ­naturais Logo em 2016, conversávamos s ­ obre
da terra do “leite quente”, Curitiba, proporcionar aos n ­ ossos ­seguidores
capital do Paraná. Começamos uma experiência ORNA em um
nossa história de e ­ mpreendedorismo espaço físico. No mesmo período,
em 2009, quando a B ­ árbara o R ­ icardo, marido da B ­ árbara, e
­fundou uma prod­u tora de vídeos seu ­a migo Emerson, tinham um
­institucionais para ­internet, a Curta, sonho de abrir uma ­ c afeteria.
e ­r ecém-­f ormadas ­i niciamos a Eles ­ c ompartilharam conosco
sociedade. esse desejo e nos d ­ espertaram
para uma ideia: ­juntos criarmos o
Em 2010 criamos o blog Tudo Orna, ­espaço ORNA CAFÉ. Em fevereiro
onde demos i­nício à p ­ rodução de 2017, ­abrimos as portas do nosso
de ­c onteúdos ­s obre moda. Neste ­p rimeiro ­Wempreendimento fora
­m o m e n t o ­d e s c o b r i m o s u m a do campo digital, que ­antes de sua
missão em ­c omum: ­c ompartilhar ­inauguração, já somava mais de 40
experiências. Aos poucos,
­ mil seguidores no ­Instagram.
­conquistamos um público ­engajado
que acolhemos como nossas Saber que nossa história p ­ oderia
­“quartas irmãs”. ajudar e inspirar o ­ utras ­p essoas
nos moveu a ir além. ­Iniciamos
Após alguns anos monetizando o aqui uma nova j­ornada: um
blog e trabalhando no m ­ ercado ­p rojeto de educação ­o nline para
de publicidade - que ­ r esultou ­e mpreendedores ­d enominado
em ­ parcerias com grandes EFEITO ORNA que envolve p ­ rodução
m arcas como Nike e Chevrolet
­ ­­ de materiais ­g ratuitos, e-books,
- c ­ onquistamos independência livros e cursos o­ nline com foco em
­financeira para irmos atrás de outro ­branding e c­ onstrução de marcas.
sonho: criar nossa própria marca. Um novo mundo se apresentou
para nós e fizemos dele mais uma
Da nossa natureza inquieta ­somada ­p ossibilidade de ­c ompartilhar
à nossa paixão por design, em 2014 nossas experiências como
nasce a ORNA, marca de bolsas e ­empreendedoras.
acessórios que carrega nosso DNA.
Em pouco tempo de vida, a ORNA Acreditamos que colaborar é maior
possibilitou uma aproximação ainda que competir. A­ creditamos que a
maior com o nosso público. ORNA é mais que uma m ­ arca, é
um movimento que propaga uma
mudança de m ­ indset em busca de
uma ­sociedade mais ­colaborativa.

4. DEIXE SUA MARCA


SOBRE
ASIRMÃS
Julia Alcantara Graduada em Design pela UTFPR, e ­ studou F
­ ashion
Design na Savannah C ­ ollege of Art in Design nos E­ stados Unidos.
­Cofundadora, mentora e diretora criativa do Grupo ORNA.

Débora Alcantara ­Graduada em Relações Públicas pela PUCPR, é


­ strategista e e
e ­ specialista em branding e p
­ osicionamento de marcas.
­Cofundadora do Grupo ORNA, no qual também comanda a criação
de conteúdo.

Bárbara Alcantara Formada em Design de Produto pela PUCPR e


­Comunicação Institucional pela UTFPR, é especialista em b
­ randing e
posicionamento de marcas. ­Cofundadora do Grupo ORNA, atua como
diretora de arte e comanda a parte de Design da ORNA.

5. DEIXE SUA MARCA


O QUE
VOCÊ VAI
APRENDER
NESSE
E-BOOK?
As empresas precisam, cada dia mais, se
preocupar com seu p ­ osicionamento nas
redes sociais. A
­ final, a internet é a nossa
maior ­aliada. Mas não são ­apenas as
­marcas físicas que devem dar atenção
ae
­ ssas mídias.

6. DEIXE SUA MARCA


SERÁ QUE VOCÊ
JÁ PAROU PARA SE ENXERGAR
COMO UMA MARCA?

Se não, esse material vai te mostrar a importância que uma boa


gestão pessoal tem sobre o seu ­desenvolvimento ­profissional. E se já
sabe da necessidade de um branding pessoal de qualidade nos seus
negócios, não tenha dúvidas de que ainda existe muito para e ­ xplorar.
Estamos presenciando uma nova era, na qual o mercado p ­ rofissional
tem passado por grandes ­transformações. Nós mesmas trabalha-
mos hoje com algo que seria inconcebível para nossos pais quando
tinham ­nossa idade.
E por isso ­precisamos estar ­atentos a ­essas ­mudanças e ­encontrar
nelas as ­oportunidades para ­construirmos nossa identidade.
O blog Tudo Orna desde o ­início, nunca foi apenas um ­veículo de
­c omunicação, mas t­ambém um canal da nossa história. Quem
­consome o c­ onteúdo que p
­ roduzimos, t­ ambém está r­ ecebendo um
pouco da ­Bárbara, da Débora e da Julia Alcantara.
A aproximação de quem somos com aquilo que compartilhamos com
nossos seguidores, torna ­ainda mais real nossos ideais e os ­objetivos
do nosso trabalho.

Nesse curso você vai ­aprender como criar uma afinidade real com os
seus clientes por meio de um branding eficaz e ­íntegro. V ­ amos juntos
definir seu propósito e ­chegar a um ­plano de ação para fazer de seu
­branding pessoal uma ­ferramenta ­transformadora.
Por meio do Método DDPP, i­nédito e totalmente a ­ utoral, você
vai traçar 4 fases ­importantes desse ­caminho: O diagnóstico, a
definição, o ­plano de ação e a ­prática. A nossa ­Matriz ID é um ­estudo
­aprofundado ­realizado por nós, para que você chegue em ­passos
simples e a ­ ssertivos na sua autodefinição.
Além disso, você vai ­entender o significado de branding, ­branding
pessoal e quais são as diferenças entre esses ­termos. ­Também
vai conhecer ­estratégias de ­comunicação com t­ eorias e d ­ esafios
­práticos. Vamos c ­ ompreender o valor da imagem p ­ essoal, a junção
entre o mundo real e o ­mundo ­digital, além de conhecer cases de
sucesso de quem soube ­aproveitar tudo o que o ­branding pessoal
pode lhes ­proporcionar.

7. DEIXE SUA MARCA


O QUE É
BRANDING?
No universo do empreendedorismo, m ­ uito se fala sobre o valor
da imagem de uma e ­ mpresa. Em 1924, empresas como G ­ eneral
Motors e a P&G (Procter & ­Gamble), começaram a propor algo
­diferente do m ­ odelo tradicional de negócios, p­ ropondo uma
gestão de marca, focado na ­especialização e diferenciação do
produto.
Essa gestão da marca foi chamada de branding, um termo do
inglês que deriva de “brand”, ou “marca”.
Para ser uma marca inesquecível, é p ­ reciso ter um bom
­branding. Esse processo ­envolve uma reunião de ­estratégias
que contribuem para a construção de uma percepção p ­ ositiva
do consumidor em relação a uma empresa. ­Quando todas essas
­estratégias são aplicadas de forma eficiente, elas p­ ossibilitam
que o público enxergue seu t­rabalho da maneira que você
­planejou.

BRANDING NÃO É AQUILO QUE VOCÊ PENSA


SOBRE SUA MARCA OU SUA IMAGEM, MAS SIM
O QUE VOCÊ PROJETA PARA O PÚBLICO.

BRANDING = É IGUAL IDENTIDADE E ESSÊNCIA

Muitas pessoas associam branding a ­ penas aos aspectos


­relacionados à identidade ­visual, como logo e slogan, mas
a gestão v ­ erdadeira de uma marca, engloba vários o ­ utros
­elementos que são fundamentais na t­ransmissão exata do
­objetiva da marca. Nós reunimos todos os elementos necessários,
no que chamamos de Nuvem do Branding, que ilustra bem essa
ideia:

9. DEIXE SUA MARCA


Todos esses elementos fazem parte da criação
do branding e devem estar bem alinhados com a
mensagem que a marca quer t­ ransmitir. Para que
exista um trabalho de branding poderoso, não basta
apenas ter um ­desses itens bens ­consolidados, mas
sim, saber h
­ armonizar todos.

Mas e se você não tiver uma marca?

O primeiro passo é começarmos a ­repensar esse


conceito de “marca”. Trabalhar em cima da sua
própria imagem é ­essencial, ­independente de você
possuir um negócio ou não. E isso é feito por meio
de um trabalho de branding pessoal.

10. DEIXE SUA MARCA


O QUE É
BRANDING
PESSOAL?
Em 1997, ouvimos pela primeira vez o termo b ­ randing
­pessoal em um artigo ­chamado The Brand Called
You, ­escrito por Tom ­Peters. O conceito foi ­abordado,
­remetendo-se a ideia de gerenciar uma m ­ arca pessoal
da mesma forma como é g ­ erenciada uma marca
­c orporativa. ­E ntão, ­quando ­f alamos de ­b randing
­pessoal ou ­personal branding ­falamos ­sobre ­fazer
a gestão da imagem ­p essoal, com o ­o bjetivo de
­construir uma ­figura de ­destaque que seja lembrada
no ­mercado.
Esse conceito é um pouco mais a ­ mplo do que apenas
um gerenciamento e ­ stratégico, já que está também
ligado com quem você é e com tudo aquilo que te
torna único. Ele r­ epresenta a maneira com a qual você
se posiciona e se ­relaciona com o mundo ao seu redor,
com as promessas que faz e com entregas que realiza
por meio de suas ações.
Um branding que transmite verdade é aquele
que pensa em todos os passos da comunicação,
que começa com a ­ l inguagem utilizada, passa
pela imagem pessoal e vai até as fotos que são
­compartilhadas nas r­ edes s ­ ociais. Todo o trabalho é
­realizado com o o ­ bjetivo de tornar a sua marca mais
­conhecida, mais desejada, mais p ­ ositiva na mente
e no coração dos seus c ­ onsumidores. E ­ le pede por
funções de investigação, ­estratégias, criações, design
e a gestão c
­ onstante da marca.
E ainda que você não tenha uma empresa, a sua
imagem faz de você uma marca.

12. DEIXE SUA MARCA


VOCÊ
É UMA
MARCA E
VAI DEIXAR
ESSA
MARCA
NO MUNDO.
POR ISSO, QUESTIONE-SE:
COMO AS OUTRAS PESSOAS
ESTÃO ME ENXERGANDO?

As estratégias de venda de um ­produto ou serviço


estão associadas a ­diversos fatores. Um dos pontos
principais é o r­ elacionamento com o público: é ele
quem deverá se identificar com a ­marca ou ­empresa a
ponto de ­querer ­consumi-la. Para criar um vínculo de
­credibilidade com o público-alvo, é ­preciso pensar no
seu branding como marca/empresa e também como
pessoa. E nosso foco estará no branding pessoal.

PERSONAL BRANDING - A SUA MARCA PESSOAL


VOCÊ
É UMA
MARCA
A noção mais importante sobre b ­ randing
­pessoal, para nós, é a sua ­consciência ­sobre si
mesmo.

O ­primeiro passo é ­entender que você é uma


­marca. Só a­ ssim você c ­ onseguirá pensar em
uma­­comunicação d ­ irecionada e estratégica.
Tratando-se de posicionamento digital, as suas
redes s
­ ociais têm que t­ ransmitir de forma bem
clara o que você faz, o que você acredita, quem
você é e o seu propósito.

Essa propagação de ideias é o que ­chamamos


de b
­ randing digital: a m
­ aneira com a qual você
se posiciona por meio de canais online.

Tudo aquilo que nós postamos, f­alamos e


­compartilhamos acaba ­representando quem
somos. Apesar da separação entre mundo
­digital e mundo real, tudo está conectado e
precisa haver coerência ­entre eles.

QUEM VOCÊ É NO AMBIENTE ONLINE TEM


QUE ESTAR ALINHADO COM QUEM VOCÊ É
NA VIDA REAL.
O branding pessoal trata exatamente de
­influenciar, ­intencionalmente, como o mundo
irá lhe perceber. Trata, ­portanto, de lhe ajudar a
construir a marca “você”.

A mensagem que você passa na vida p


­ rofissional
tem que estar alinhada com o que você é fora
dela.

17. DEIXE SUA MARCA


E POR QUE VOCÊ
PRECISA TRABALHAR ISSO?

Como um prestador de serviço ou até mesmo


para ­ingressar em uma empresa, você precisa
transmitir ou constituir atributos para agregar
­valor a sua marca ­pessoal.

Ter uma marca pessoal de ­valor ­significa ser


único, ­diferenciado, reconhecido e escolhido
como ­primeira opção na sua área de ­atuação.
Você pode até ser ­desconhecido por muitos
no mundo, mas precisa ser muito conhecido
e respeitado no seu mundo - no seu nicho ou
segmento.

O mais importante não é ser r­econhecido


mundialmente. Na ­verdade, fazer grandes
coisas é s
­ obretudo fazer algo que signifique
muito para você e que tenha impacto nos
outros.

Por isso, você necessita ter c


­ onsciência de que
todas as suas ações refletem nessa construção
da sua imagem.

18. DEIXE SUA MARCA


VOCÊ ESTÁ PRONTO PARA SER UMA
MARCA?

Branding sempre foi sobre c ­ onexão e relacionamento,


hoje essa ­conectividade entre marcas e ­pessoas está
mais do que nunca clara e em constante ­aprimoramento
e evolução. B­ randing digital é a p­ ersonalidade ­online
da ­marca, a maneira como as pessoas se sentem após
­visitarem o site ou ­interagirem nas mídias sociais.

É imprescindível cuidar da sua ­imagem pessoal em


suas redes ­sociais. As ­imagens que você ­posta e os
posts que compartilha têm i­ nfluência na forma como o
público enxerga você e o seu negócio. Sua vida pessoal
­afeta sua vida profissional e, por isso, é ­preciso pensar
na sua comunicação como um todo.

O QUE
VOCÊ FALA
NA INTERNET
É O QUE VOCÊ É.
19. DEIXE SUA MARCA
IMAGEM
PESSOAL
Sua imagem na internet não pode ser
aleatória ao seu trabalho. Se você se
posiciona como um fotógrafo, suas fotos
em suas redes precisam mostrar que
você realmente tem habilidades nessa
área. Se não, fica incoerente.

Enxergue as redes sociais como uma


oportunidade de apresentar seu tra-
balho e gerar valor, e não tenha medo
de expor suas competências e melhores
habilidades por lá! Mas, para isso, fique
atento a alguns pontos:

IMAGEM
PESSOAL
O QUE SUA REDE SOCIAL DIZ
SOBRE VOCÊ?
Sua imagem na internet não pode ser aleatória ao seu
­trabalho. Se você se posiciona como um fotógrafo, suas
fotos em suas redes precisam mostrar que você ­realmente
tem habilidades nessa área. Se não, fica ­incoerente.

Enxergue as redes sociais como uma oportunidade de


­apresentar seu trabalho e gerar valor, e não tenha medo
de expor suas c­ ompetências e melhores habilidades por lá!
Mas, para isso, fique atento a alguns ­pontos:

1 O QUE SUA REDE SOCIAL


DIZ SOBRE VOCÊ?

Esse é um aspecto por muitas v ­ ezes ignorado e não


­considerado como d ­ eterminante, mas, a verdade é que uma
imagem bem cuidada, reforça a ideia de ­profissionalismo,
­disciplina e ­sucesso. Tudo isso ­resulta em um ­diferencial,
que pode até mesmo ­evitar d ­ esgastes desnecessários.

21. DEIXE SUA MARCA


2 CONHEÇA BEM A SI
MESMO:

Quando nos conhecemos bem, ­conseguimos ­adequar


a imagem que queremos passar de uma ­ f orma
­verdadeira e coesa. Essa imagem é d ­ emonstrada desde
a roupa que ­vestimos em uma foto postada, até as
atitudes que temos nas ­interações nas redes. Conheça
bem seus gostos, seu rosto e suas expressões, ­detecte
seus pontos fortes e os use a seu ­favor. Em todo tempo
somos j­ulgados i­nconscientemente, então se c ­ onhecer
­completamente e p ­ rojetar isso de modo autêntico é
essencial.

3 CUIDE DOS SEUS


GESTOS E POSTURAS

É muito importante prestar atenção em ­detalhes como


esses, porque eles fazem uma diferença enorme. Manter
uma postura ereta, por e ­ xemplo, ao andar e sentar,
assim como andar de cabeça ­erguida, olhando para
frente, passa maior confiança, o ­ timismo e segurança
para os outros. Pode parecer algo até muito simples,
mas que faz diferença. O ­ utra atitude legal é gesticular
de modo que reforce nossa fala e passe carisma. Saber
ouvir e interagir ­cordialmente e de forma amistosa, nos
ajuda a criar bons r­ elacionamentos interpessoais.

22. DEIXE SUA MARCA


4 SAIBA SE
COMUNICAR BEM

A comunicação, nos dias de hoje, é m ­ uito i­ mportante,


vivemos tempos em que a internet facilita e ­complica
esse processo, isso porque como a ­comunicação
não é no ­“ tête-à-tête”, o que às vezes pode gerar
más i­nterpretações. E ­ ntão comunicar-se bem, com
clareza, de forma a ­ propriada e contextuada é algo
que você deve p ­ riorizar para criar uma boa imagem
pessoal.

Preste atenção nesses pontos, e ­ scolha um m


­ ercado
para se posicionar e a
­ poste n
­ isso! Faça um trabalho
de imagem pessoal tão bom a ponto de você ficar
gravado na m­ ente e no coração das ­pessoas.
Vamos te ajudar nessa!

ASSISTA AO TEDX: CRIE A SUA MARCA PESSOAL | JENNI FLINDERS


MÉTODO
DDPP
Sabemos que, em um primeiro ­momento, começar
a se assumir como marca e investir na imagem
que você ­reproduz para o mundo pode ­parecer
uma tarefa ­complicada. Por isso, te ­apresentamos
o ­método DDPP, que vai te ­ajudar a ­desmistificar
essa ideia.
O método DDPP é constituído por 4 fases que você
precisa seguir para começar a construção da sua
marca pessoal:

MÉTODO DDPP

25. DEIXE SUA MARCA


FASE 1
DIAGNÓSTICO
Você já percebeu que algumas e ­ mpresas p ­ ossuem um
nome forte no ­mercado, ­conquistam ­fácil ­reconhecimento
e a
­ cabam se ­tornando referência no nicho em que
­c omercializam produtos e prestam serviços? E isso
é muito mais comum do que parece! E não acon-
tece apenas com empresas físicas, mas também com
­pessoas.

Vamos fazer um teste simples: quando você lê esses


segmentos quais nomes vêm primeiro a sua mente?

Confira essa atividade em seu workbook

MAQUIAGEM MODELO

ATLETAS REFRIGERANTES

TECNOLOGIA APRESENTADOR

Certamente, durante a escolha de cada


categoria, um nome entre tantos outros,
ganhou maior destaque.

26. DEIXE SUA MARCA


VOCÊ JÁ PAROU PARA PENSAR O
QUE FAZ UMA MARCA SER MAIS
LEMBRADA DO QUE OUTRA?

Qual será o motivo que nos dá a ­s ensação de que


­algumas e ­ mpresas são mais incríveis que outras, a­ inda
que ­fabriquem p ­ rodutos tão ­similares e de qualidade tão
­parecida quantos a de seus concorrentes?
Isso não é questão de sorte! Nada ­acontece por ­acaso. É
tudo r­ esultado de uma boa gestão de marca - um bom
­trabalho de branding.

CONSTRUIR UMA MARCA FORTE


NA ERA DIGITAL É VITAL.
Os consumidores digitais são i­ ndependentes e a
­ creditam
na ­liberdade. Preferem ter a ­informação na ponta dos
dedos e querem ter acesso a produtos e serviços do
­mundo todo, ­podendo avaliar e ­comparar i­nteresses
­apenas com uma s ­ imples busca no Google.
O segredo é aprender a construir r­ elacionamentos e criar
vínculos reais na internet.
E o primeiro passo, é saber quem você é.

27. DEIXE SUA MARCA


COMEÇANDO MEU
DIAGNÓSTICO:
Você precisa se descobrir e estruturar o
seu ­potencial para que assim possa avaliar
­maneiras de alcançar seus objetivos. Quando
falamos de d ­ iagnóstico, falamos exatamente
de r­ ealizar a
­ valiações. Nesse caso, avaliarmos
a nós m ­ esmos.
Para isso, reunimos quatro ferramentas com as
quais você aprenderá a se autodiagnosticar.

São elas:
• Questionário do branding pessoal;
• Golden Circle;
• Análise SWOT;
• Teia do Efeito - avaliação do p
­ osicionamento
digital.

VAMOS
COMEÇAR?
28. DEIXE SUA MARCA
FERRAMENTA 01

ANÁLISE DO
BRANDING
PESSOAL
DIAGNÓSTICO DE PROJEÇÃO IMAGEM
Essas respostas são o início de uma análise que te levará
a entender seu objetivo como marca e também
a traçar de forma coerente suas possibilidades de
entrega.
Saber as respostas dessas perguntas, tornam mais claras
as formas com as quais você pode ­desenvolver
e produzir um conteúdo relevante, que tenha a sua
­identidade.
Seja honesto consigo mesmo ao r­ esponder às seguintes
questões. ­

Utilize seu workbook para responde-las

WORKBOOK

Você se enxerga como uma marca?

Qual imagem você acha que transmite,


principalmente, no campo digital?

Na sua percepção, quais atributos ou adjetivos as pessoas


usam para falar ao seu respeito?

As pessoas lembram de você pelo quê?

Como você gostaria de ser lembrado?


Quais são suas principais habilidades?
Você já é uma autoridade na sua área fora do meio digital?

Já pensou que se tornar uma autoridade no meio digital pode ser


o que está faltando para que possa alavancar sua marca pessoal?

O que você promete ao seu público?

No que os outros podem contar com


você consistentemente?

30. DEIXE SUA MARCA


Com essas respostas você deu início a uma
­autoavaliação para chegar a ­conclusão de como
se representa no mundo.
Qual imagem você realmente está t­ ransmitindo
para as outras pessoas?

Para medir isso, propomos a seguinte tarefa:

• Faça uma pesquisa de projeção de ­imagem para


descobrir quais palavras as pessoas ­associam a
você.

• Elabore uma enquete ou um questionário em sua


rede social ou no seu grupo de convívio e tente
buscar o maior número de respostas que puder! É
­exatamente o leque de respostas que trará resul-
tados mais exatos.

• Peça para as pessoas te definirem em uma­


­palavra.­

• Classifique as respostas em grupos de ­acordo


com o que você for recebendo e fique atento às
palavras que se repetem ou àquelas respostas
que você jamais pensou que teria, para entender
como as pessoas te veem.

31. DEIXE SUA MARCA


Grupo 1 - ­Palavras mais recorrentes: coloque aqui os
termos que apareceram mais de um vez.

Grupo 2 - ­ Características pessoais: coloque aqui


­palavras que têm relação com sua personalidade.

Grupo 3 - ­Características Profissionais: coloque aqui


palavras que remetem à características do âmbito
profissional.

Grupo 4 - ­Valores: coloque aqui palavras que r­ efletem


valores nos quais você acredita ou procura passar
para as pessoas.

Grupo 5 - E­ xpressões: coloque aqui mais que uma


palavra apenas, são ­ expressões que ­geralmente
estão­­
­ relacionadas às m ­ ensagens que seu p­ úblico
aprende com você. Exemplos de e
­ ­xpressões são
­“empoderamento feminino” ou “mente inquieta”.
Cada tópico significa um aspecto da sua ­imagem
que pode ser reforçado ou repensado. Por meio deste
quadro, você pode transformar resultados em ações
concretas.

Por isso, no momento de interpretar as r­ espostas que


você conseguiu com seu ­questionário, r­ eflita: quais
são seus a ­ tributos de imagem? Há c
­ oerência entre seu
­conteúdo e suas atitudes? Que atributos você quer
­reforçar? Quais deles você gostaria de ­reconsiderar?

Todas essas reflexões podem te gerar ­ótimos ­insights,


que com certeza te mostrarão grande ­p arte do
­c aminho pelo qual você precisa c ­ aminhar para
construir seu branding pessoal de forma ­eficiente.

É preciso entender que esse diagnóstico está


­relacionado não apenas com sua ­autoavaliação, mas
também, com sua capacidade de o ­ uvir os o
­ utros.
Quando você faz uma pesquisa com seu público,
deve estar preparado para se s ­ urpreender positiva e
­negativamente. E, o mais importante, deve saber usar
todos os resultados, os esperados e os não ­esperados,
para ajustar o seu p ­ osicionamento e adequar sua
comunicação.

Após recolher essas impressões, você poderá analisar


novamente:

• O que as pessoas falam sobre você?

• Elas falam de você de uma forma positiva?

• A forma como você é enxergado é a mesma que você imaginava?

33. DEIXE SUA MARCA


Vamos imaginar que sua análise tenha r­ esultado em uma
linguagem que seja “rebuscada” e o seu tom de voz seja
“rápido”. Se você não está s­ atisfeito e g
­ ostaria de mudar o
modo como as p ­ essoas p
­ ercebem esses dois aspectos em
você, é possível desenvolver ações para reconstruir essa
imagem.

Por exemplo, você gostaria de ter uma l­inguagem mais


simples e o tom de voz mais lento, para que seu p
­ úblico-alvo
possa receber melhor suas i­deias. Para isso, você deve
começar a treinar sua linguagem e o tempo que usa para
se comunicar.

MAS COMO
FAZER ISSO?
34. DEIXE SUA MARCA
Que tal assistir palestras de pessoas nas quais você
se inspira e tem como linguagem e tom de voz o seu
exemplo? Depois, você pode ­fazer ­alguns e­ xercícios
de fonoaudiologia, que ­melhorem sua dicção para
desenvolver uma fala mais lenta. Há muitos exercícios
desse tipo no Youtube, por ­exemplo.

Outra dica é cronometrar o tempo dos seus d


­ iscursos.
Fale um pouco sobre algum tema, treine sua
­apresentação de trabalho ou f­aculdade e perceba
quanto tempo você usou para ­transmitir sua ideia.
Depois, tente dobrar esse tempo, f­alando mais
­devagar. Você também pode gravar esses ­discursos
e perceber seus vícios de linguagem: notar quais
­palavras mais rebuscadas podem ser substituídas
por termos mais simples e acessíveis.

O fundamental é praticar. Apenas desse modo é que


você pode transformar uma ação em um ­hábito.

Para que você entenda melhor como fazer seu próprio


diagnóstico de projeção de i­magem, mostraremos
um exemplo prático, que ­realizamos por meio da
­ferramenta de perguntas do ­Instagram.
Criamos o questionamento “como você d ­ escreveria
a Bá/ a Dé/ a Ju em uma p ­ alavra?” e divulgamos
no Stories do Instagram do Tudo Orna. A partir dos
­resultados, foi possível ­entender como nosso ­público
nos vê e recebe a nossa imagem pessoal.

35. DEIXE SUA MARCA


Usamos o quadro disponibilizado abaixo (você
também vai encontrá-lo no seu workbook), para
classificar as palavras. Confira os resultados:
COMO VOCÊ DESCREVERIA
A BÁ EM UMA PALAVRA?

Palavras mais recorrentes:


Inspiradora: 24; Maravilhosa: 14; Inteligente:14; Autêntica: 14;
­Elegância: 13; Determinação: 11; Linda: 11; Focada: 10; Força: 10; Fofa:
9; Poder: 8; ­Plena: 7; Meiga: 7; Delicadeza: 5; Centrada: 5

Características pessoais:
Doce: 3; Fina: 3; Incrível: 3; Deusa: 3; Séria: 3; Estilo: 3; ­Maturidade:
3 Clássica: 3; Dona: 3; Iluminada: 2; Emotiva: 2; Carinhosa: 2;
­Sensibilidade: 2; Sensata: 2; Misteriosa: 2; Perfeita: 2; Criativa: 2;
Chique: 2; Alegre: 2

Características Profissionais:
Comprometida; Objetiva: 2; Responsável: 2; Corajosa: 2

Valores:
Visionária

Expressões:
Deusa do Vale; Organizadora do trio; Maravicherry; Look like a boss

37. DEIXE SUA MARCA


COMO VOCÊ DESCREVERIA
A DÉ EM UMA PALAVRA?

Palavras mais recorrentes:


Inspiradora: 24; Maravilhosa: 14; Inteligente:14; Autêntica: 14;
­Elegância: 13; Determinação: 11; Linda: 11; Focada: 10; Força: 10; Fofa:
9; Poder: 8; ­Plena: 7; Meiga: 7; Delicadeza: 5; Centrada: 5

Características pessoais:
Doce: 3; Fina: 3; Incrível: 3; Deusa: 3; Séria: 3; Estilo: 3; ­Maturidade:
3 Clássica: 3; Dona: 3; Iluminada: 2; Emotiva: 2; Carinhosa: 2;
­Sensibilidade: 2; Sensata: 2; Misteriosa: 2; Perfeita: 2; Criativa: 2;
Chique: 2; Alegre: 2

Profissionalismo:
Comprometida; Objetiva: 2; Responsável: 2; Corajosa: 2

Valores:
Visionária

Expressões:
Deusa do Vale; Organizadora do trio; Maravicherry; Look like a boss

39. DEIXE SUA MARCA


COMO VOCÊ DESCREVERIA
A JU EM UMA PALAVRA?

Palavras mais recorrentes:


Corajosa: 18; Divertida: 18; Criativa: 11; Inovadora: 8; Aventureira: 7;
Autêntica: 7; Maravilhosa: 7; Engraçada: 5; Meiga: 5; Fofa: 5

Características pessoais:
Moderna: 5; Alegre: 4; Estilosa: 4; Inspiradora: 4; Descolada:4;
Gênia: 3; Animada: 3; Brincalhona: 2; Espontânea: 2; Confiante:
2; I­luminada: 2; Jovialidade: 2; Luz:2; 2; Cosmopolita: 2; Modelo: 2;
Curiosa; ­Original;; Desbravadora; Carismática; Energética; Inter-
nacional; Destemida; Interativa; Extrovertida; ; Independente;
Contagiante; Hype;

Características Profissionais:
Antenada:3; Responsável; Referência; Visionária; Fashionista;
Dinâmica; Engajada

Valores:
Leveza: 4; Livre: 3; Autenticidade; Liberdade; Crescimento;
­Minimalista

Valores:
Bem resolvida; Girlboss; Um amor; Espírito Inovador; Alto ­Astral;
Inovadora do trio; Não dá pra ser 1 só palavra

41. DEIXE SUA MARCA


Podemos concluir, pelo menos a partir desse ­ p rimeiro
­levantamento de dados, que as p ­ alavras mais recorrentes tem
muito a dizer ­sobre o ­branding que estamos transmitindo ao
nosso ­público.
A Bá recebeu 24 ocorrências da palavra ­“inspiradora”, a Dé,
32 ­ocorrências da palavra “­ comunicativa” e a Ju recebeu 18
­ocorrências de “corajosa”. Com isso, já é possível ter uma noção
da nossa imagem ­pessoal pela perspectiva de outras pessoas,
que estão ­sempre nos acompanhando.

Mais a frente, aplicaremos esses resultados na Matriz ID, uma


ferramenta feita para auxiliar na construir da impressão que
você gostaria de transmitir às pessoas.
FERRAMENTA 02

GOLDEN
CIRCLE
DIAGNÓSTICO DO SEU PROPÓSITO
Por que algumas empresas têm mais sucesso, propõem maior
­inovação e vão exponencialmente mais longe que o­ utras? Você
acha que é somente por causa do produto que ­entregam?

O segredo dessas grandes empresas é focar na RAZÃO de


­fazerem o que fazem e guiarem seu trabalho a partir da
definição de um propósito.

Você sabe qual é seu propósito? Se não, até o final deste capítulo,
sua tarefa é descobri-lo.

O PROPÓSITO REPRESENTA A SUA RAZÃO DE SER E DE FAZER TUDO O QUE


FAZ. É O REFLEXO DO QUANTO VOCÊ COMPARTILHA OS SEUS ­OBJETIVOS E
DO QUANTO SEU PROJETO IMPACTA NA VIDA DAS PESSOAS AO SEU REDOR.

Essa é a premissa do método Golden Circle ou ­Círculo de


Ouro, um modelo de liderança que propõe uma ­perspectiva na
qual a posição de destaque das e ­ mpresas e profissionais está
­diretamente ligada com a c
­ onexão de razões.

Esse conceito foi criado pelo escritor Simon Sinek, ­baseando-se


em indícios de ordem do ­ c omportamento ­ h umano. Ele
­selecionou um assunto que pode vir a ser e ­ xtenso e complexo
e ­transformou em uma ­metodologia bem simples: um círculo
composto por três níveis.

44. DEIXE SUA MARCA


O QUÊ
Toda a organização sabe o que ela faz. São os produtos
e serviços que oferecem e vendem.

COMO
É o que diferencia a empresa e a faz ser especial e
­competitiva.

O PORQUÊ
O porquê não é sobre $$$. Isto é o resultado. É o propósito,
a causa, a crença. É a verdadeira razão da empresa
existir.
45. DEIXE SUA MARCA
Simon criou esse esquema com o objetivo de motivar um
­trabalho que vai muito além de um produto final: é um
­trabalho com ­propósito.
Ok, você sabe bem qual é a sua razão. Sabe exatamente o
porquê faz o que faz. Mas isso é tudo?
Quando você tem bem claro em sua mente o seu ­propósito,
pode parecer simples comunicá-lo, confiando apenas
na verdade de suas palavras. Mas quando o assunto é
­comunicação, a regra não é assim tão simples.
Para Simon, o segredo está em uma comunicação real,
­inspiradora e eficaz.
Vivemos na era da pós-verdade, onde precisamos ser mais
contestadores e nos posicionarmos como aqueles que
confiam “desconfiando”, pois toda informação divulgada
precisa ser mais do que verdadeira.

SOMENTE
DIZER QUE É
VERDADE NÃO É
MAIS SUFICIENTE.
46. DEIXE SUA MARCA
O Golden Circle precisa ser a base do seu discurso e da sua
forma de criar comunicação. Então, esteja super conectado
com sua crença e seu propósito para poder transparecer
para o mundo o porquê de sua existência.

Pense, aja e comunique de dentro para fora. Venda sua


razão antes de vender seu produto, isso porque as p
­ essoas
não compram o que você faz, mas o porque você faz.

Para construir sua marca pessoal não basta um trabalho


bem feito de gestão de marca. Somente isso não garante a
sua reputação. É aquela velha conversa de não existir capa
bonita que faça com que o conteúdo de um livro seja bom.
Para transformar sua imagem, você precisa ter - e mostrar -
competência naquilo que faz.

Coloque-se no mundo. Mostre o que te move, como você vive


e trabalha com isso. Só assim dará o primeiro passo para
atrair as pessoas certas, que te interessam do ponto de vista
pessoal e do ponto de vista de negócios.

O próximo passo é quebrar todos seus tabus e crenças


em relação ao Branding Pessoal. Investir no ­branding não
é maquiar fatos sobre você ou sobre aquilo que você faz.
Ao contrário: você cria destaque para si mesmo. Coloca os
­holofotes em seus pontos fortes, mostra para as pessoas do
que você é capaz e se conecta com sua ­audiência.

Quando você tenta entender quem te acompanha e cria


conteúdo a partir do que seu público precisa, isso ­significa
aprendizado. Significa ser inteligente o s ­ uficiente para
entender que, se você não se vender, ninguém mais vai fazer
isso por você.

47. DEIXE SUA MARCA


Para isso, seu posicionamento é muito importante. E,
antes de se posicionar, você precisa saber para qual
direção caminhar, entender quem você é na ­perspectiva
de outras pessoas.

A Apple é uma marca exemplo nesse ­assunto: suas


­propagandas poderiam falar como seus c ­ omputadores
são os melhores ou sobre o design único deles, mas
a marca não faz isso. A Apple vende um conceito, um
porquê, ela te vende a ideia de p
­ ensar diferente a
­ ntes de
vender um produto.

Seu objetivo não deve ser fazer negócios com todo


mundo que precisa do que você tem, o objetivo é fazer
negócios com pessoas que também acreditam no que
você acredita.

A PARTIR DE AGORA
REFLITA SOBRE QUAL É
O SEU PROPÓSITO, PARA
EXTERNALIZÁ-LO
AO MUNDO!
48. DEIXE SUA MARCA
FERRAMENTA 03

ANÁLISE DO
SWOT
DIAGNÓSTICO DAS SUAS FORÇAS
Uma outra ferramenta que vai te ajudar nesse
processo é a análise SWOT, uma matriz de
­p lanejamento criada por Albert Humphrey na
década de 60, a partir de um estudo feito com
as 500 maiores corporações norte-americanas
daquela época. Mesmo sendo c ­ riada há tanto
tempo, a Análise ainda permanece muito atual.

O NOME SWOT VEM DA JUNÇÃO DAS PALAVRAS EM INGLÊS:


STRENGTHS: FORÇAS
WEAKNESSES: FRAQUEZAS
OPPORTUNITIES: OPORTUNIDADES
THREATS: AMEAÇAS

FAÇA UMA AVALIAÇÃO


DA SUA JORNADA

Não se superestime, nem subestime!


Passe a encarar que, mesmo que esteja no começo
de um projeto, que não existem apenas pontos
­fracos, mas também muitos fortes.

50. DEIXE SUA MARCA


A partir disso, você precisa verificar se eles estão alinha-
dos com seus valores e com seu propósito. Então, pontue os
seguintes itens:

• Suas fraquezas: tudo aquilo que pode ser encarado como


um prorrogador e dificultador do seu ­progresso. Falta de
domínio em certas áreas e inseguranças ­também devem
ser levadas em conta.

• Suas forças: tudo aquilo que faz do seu trabalho único


e desejável. Fatores que favoreçam e possam chamar a
atenção do seu público. Pense em tudo aquilo que te desta-
ca e que é um plus, o que só você pode ­entregar?

• Suas oportunidades: tudo aquilo que se relaciona às


­possibilidades de atualização e manter-se inteirado da
modernidade. Pense em explorar novas tecnologias, itens
de segurança, o ambiente a sua volta.

• Suas ameaças: tudo aquilo que simboliza ­preocupações


para o seu trabalho. Fatores como concorrência, falta de
segurança, localização. Pense em como você pode driblar o
que vem de fora a seu encontro.

51. DEIXE SUA MARCA


Depois de ter esses dados em mãos, para traçar m ­ aneiras
de aperfeiçoar seu trabalho, você vai fazer um m
­ apeamento
considerando o seguinte esquema:

FORÇAS X OPORTUNIDADES: esses fatores indicam ações que


você ­precisa dar prioridade máxima.

FRAQUEZAS X OPORTUNIDADES: esses fatores representam seus


­desafios e pontos que necessitam de melhorias.

FORÇAS X AMEAÇAS: esse fatores simbolizam o caminho para


começar a traçar planos, formas de enfrentar as ameaças.

FRAQUEZAS X AMEAÇAS: esses fatores significam os pontos de


mais alto risco e vulnerabilidades. Foque em revertê-los.

Essa análise vai te ajudar a conhecer seu cenário de


atuação de forma mais profunda e compreender sua
posição em relação aos outros atuantes da sua área, além
de facilitar a antecipação de movimentos externos. Essa
análise garante maior segurança na hora da tomada de
decisões. A partir dela você estará munido para não apenas
buscar, mas entender o que é preciso para alcançar uma
melhora contínua.

52. DEIXE SUA MARCA


O que propomos é que você esteja ciente de todos
os seus prós e contras, e, acima de tudo, passe a
focar em suas FORÇAS. Seu plano de ações terá
esse diagnóstico como base da comunicação.
Elas são o seu destaque! A partir delas é que você
poderá criar estratégias assertivas de melhoria,
evidenciando e trabalhando com o que sabe e
pode oferecer de melhor.

Suas forças devem ser a ênfase na sua


­comunicação. Quando estamos cientes daquilo
em que somos bons e qualificados, c
­ onseguimos
externalizar nosso trabalho com muito mais
­eficiência.

VEJA ESSE VÍDEO PARA REFORÇAR AINDA MAIS ESSE CONCEITO :


DESCUBRA SEUS PONTOS FORTES
FERRAMENTA 04

TEIA DO
EFEITO
DIAGNÓSTICO DO SEU POSICIONAMENTO DIGITAL
A Teia do Efeito é uma ferramenta de gestão, ­criada
por nós, para diagnosticar seu negócio a partir de dois
aspectos principais: branding e ­posicionamento digital.

Aqui, vamos nos ater ao lado de posicionamento digital,


que avalia o local onde você está ­inserido ­digitalmente:
você tem um site, blog? Produz ­conteúdo? Está nas redes
sociais? Que tipos de ­estratégias usa para ­divulgar sua
marca na i­nternet? Todos esses aspectos são levados
em conta nessa avaliação que se divide oficialmente
nas seguintes fatias:

55. DEIXE SUA MARCA


PRESENÇA DIGITAL: Você possui um site? Perfil nas redes sociais? É
­indispensável que marcas tenham esses canais de comunicação.

CONTEÚDO:Você cria conteúdos novos ou somente compartilha?


Lembre-se: seu conteúdo deve ter coerência com sua razão.

ENGAJAMENTO: Seu público interage com o que você posta nas r­ edes? É
preciso gerar essa interação se interessando verdadeiramente pelas
pessoas que te seguem.

SIMPATIA: Como você se relaciona com outros profissionais do m


­ esmo
segmento que o seu? No mundo digital é f­undamental manter a
­simpatia e tratar esses profissionais como possíveis ­parceiros.

AFINIDADE: Seu público sente afinidade pelo conteúdo que sua ­marca
posta? É importante criar um laço com as pessoas, para que o
­engajamento ocorra.

CONSISTÊNCIA: Com que frequência você alimenta as redes da sua


marca? É fundamental postar com regularidade e ter consistência no
conteúdo apresentado.

CONVERSÃO: Seu conteúdo está convertendo em vendas? É preciso


monetizar com seu conteúdo digital, gerando vendas, cliques para seu
site etc.

56. DEIXE SUA MARCA


VAMOS VER COMO ISSO SE
APLICA DE FORMA PRÁTICA?

Bela Gil, hoje apresentadora e culinarista, sempre


se interessou por alimentação saudável e pela
­filosofia macrobiótica, tanto que decidiu fazer
faculdade no exterior sobre o tema. O interesse pelo
assunto c ­ resceu, e, com ele, o compartilhamento
­aumentou nas suas redes sociais. Então, o canal
GNT a ­c onvidou para comandar um programa
de culinária, que defendesse exatamente uma
­alimentação c­ onsciente e saudável.

Mais do que apenas apresentar o programa, Bela Gil


se tornou representante de um verdadeiro lifestyle,
ela soube aproveitar ao máximo essa ­oportunidade:
o programa já conta com ­diversas temporadas,
gerou 2 livros de receitas e dicas. A ­apresentadora
também conta com um canal super completo
e atualizado no YouTube, escreve colunas para
­algumas r­ evistas, ministra palestras e desenvolve
o projeto Bela Infância, que ensina crianças em
idade escolar a se alimentar melhor e combater a
­obesidade infantil. Sem falar das ­diversas p
­ arcerias
que ela já fez com marcas de alimentos e vestuário.

57. DEIXE SUA MARCA


A partir de tudo isso, analisamos o posicionamento digital
da Bela Gil e construímos sua teia, olha só:

A presença digital da Bela é excelente, ela está atuando


em todas as redes sociais e conta com um canal no
YouTube super ativo. Ela não só está presente, como
também mostra muita consistência em seu trabalho,
pois alimenta suas redes constantemente, com muito
conteúdo relevante em defesa de suas causas.

58. DEIXE SUA MARCA


Como ela mantém essa proximidade, mesmo as
pessoas que não consomem seus produtos ou
possuem os mesmos valores que ela defende,
acabam se engajando com seu conteúdo também.
Todo mundo já ouviu a famosa frase do meme “você
pode substituir X por Y”, que veio de um jargão que
Bela usava no programa. E ela levou isso numa boa,
afinal, era uma brincadeira que a tornava conhe-
cida
.
Essa é uma outra característica bem notória de
Bela, a simpatia. Não só sua pessoa, mas como em
sua relação com as outras marcas, Bela mantém
muito profissionalismo e buscar ajudar outras
marcas. Já mencionamos que ela tem parcerias
com marcas de diferentes segmentos, mas uma
parceria em questão é notória: ela assinou uma
linha de a­ limentos saudáveis com a marca Mãe
Terra, especialista nesse ramo. A marca, fundada
em 1979, apesar de vir e
­ xercendo um bom trabalho
no mercado, ainda não era consolidada. A parceria
com Bela Gil foi uns dos grandes responsáveis por
alavancar os negócios, ou seja, foi uma associação
totalmente benéfica a marca, por causa da boa
imagem de Bela.

AGORA QUE VOCÊ JÁ ENTENDEU COMO


ESSA ANÁLISE FUNCIONA, CHEGOU A
HORA DE FAZER A SUA AUTOANÁLISE DE
­POSICIONAMENTO DIGITAL.

59. DEIXE SUA MARCA


60. DEIXE SUA MARCA
FASE 2
DEFINIÇÃO
Esse é momento no qual você irá definir as ­características
formadoras da sua imagem. Para c ­ hegarmos a essa
definição, utilizaremos os d
­ iagnósticos que você realizou
na fase anterior e uma nova ferramenta: A Matriz ID.

1. MATRIZ ID

A Matriz ID foi criada a partir de um estudo ­aprofundado


realizado por nós, no qual ­identificamos que as ­pessoas
tinham muita dificuldade para ­encontrar sua i­ dentidade.
O objetivo dela, então, é te ajudar a chegar em sua
­autodefinição, através de passos simples e assertivos. O
nome “Matriz ID” vem da ideia de “identidade”.

NÃO HÁ BRANDING PESSOAL SEM


AUTOCONHECIMENTO.

Essa ferramenta inédita consiste em quatro quadrantes


com os seguintes tópicos: Brand P­ ersona, Público Alvo,
Tom de Voz/Linguagem e Big Idea.
Pegue todas as suas respostas, anotações e insights, e
vamos começar!

61. DEIXE SUA MARCA


Do latim, “perso na” significa Seu tom de voz mostra muito da
“ personagem”, enquanto “brand”
­ sua paixão, autoridade e ­d omínio
é “marca”. Em outras palavras, do assunto falado. Um pouco da sua
Brand Persona representa os papéis interpretação do mu­ndo é ­refletida
­sociais que você pode assumir de na maneira com que você usa a
acordo com as situações diárias. Por entonação das palavras para se
­exemplo, é natural se ­comportar mais ­comunicar.
­formalmente durante a ­apresentação A linguagem engloba desde a sua
de uma trabalho, e, ao voltar a falar escolha de palavras até a maneira
com amigos, assumir uma postura como você usa seu corpo e seus
mais informal. gestos para se posicionar diante das
situações e desafios da vida.
Assim, o Brand Persona é seu caráter,
seus valores e princípios através dos
olhos do seu público. É o modo como
você se relaciona com as pessoas.

Seu tom de voz mostra muito da Para chegar nessa mensagem chave, você
sua paixão, autoridade e ­d omínio irá utilizar o propósito definido no Golden
do assunto falado. Um pouco da sua Circle.
interpretação do mundo é ­refletida Uma Big Idea caminha lado a lado à Big
na maneira com que você usa a Data, que nada mais é do que o conteúdo
entonação das palavras para de do qual você tira sua inspiração. Por isso,
comunicar. é tão importante estar em constante
A linguagem engloba desde a sua pesquisa. Definindo bem sua razão e
escolha de palavras até a maneira seu público-alvo, seus olhos estarão
como você usa seu corpo e seus ­prontos para capturar qualquer fonte de
gestos para se posicionar diante das ­inspiração para sua nova grande ideia.
situações e desafios da vida. Com ela bem definida, você será capaz de
se comunicar com mais precisão. Afinal,
sua Big Idea significa aquilo que você
quer atingir através de um propósito e um
plano de ação.

62. DEIXE SUA MARCA


1. BRAND PERSONA
Por que é importante definir sua Brand Persona? Como
explicado no quadro anterior, esse tópico simboliza seu
caráter, valores e princípios. Basicamente a maneira com
a qual você se representa. Precisamos estabelecer sua
Brand Persona, pois apenas no momento em que tiver
isso claro em sua mente é que poderá estabelecer quem
é o seu público alvo. Sabendo quem você é, você saberá
com quem quer falar e quem estará interessado em te
ouvir.
Analisando os dados anteriores, estabeleça qual é o
seu campo de autoridade, a maneira como é visto, as
­características que quer reforçar e se defina.

2. PÚBLICO ALVO
Público alvo é em resumo o seu nicho e as pessoas conect-
adas aos seu interesses. Pessoas que ­compartilham
do seu propósito e de seus ideais. Tendo como base a
sua Brand Persona, defina aqui com quem você deseja
dialogar. Faixa etária, escolaridade, área de ocupação,
gênero e tipo de conteúdo.

63. DEIXE SUA MARCA


3. TOM DE VOZ/ LINGUAGEM

Com seu público alvo determinado chega o momento de


encontrar o seu tom de voz/linguagem. Pense bem, como
podemos nos comunicar de forma efetiva com alguém, se
não sabemos com quem estamos falando?
Vamos imaginar que você acaba de fazer exames de
rotina, e seu médico diz que encontrou uma ­irregularidade,
um problema que consiste em uma diminuição da
­quantidade de glóbulos vermelhos ou de hemoglobina no
sangue. Ouvindo assim, como alguém sem conhecimento
nenhum em termos técnicos, você pode pensar que está
com algo muito mais grave do que uma simples anemia.
Doença a qual ele se referia o tempo todo. Imagine então
como seria explicar isso para uma criança de seis anos
de idade? A mensagem que será propagada por você
precisar estar diretamente relacionada com quem a irá
receber.
Estude qual é a melhor maneira de falar com sua a
­ udiência.
De forma informal ou formal? De maneira ­autoritária ou
pessoal? Séria ou descontraída? Defina isso aqui.

64. DEIXE SUA MARCA


4.BIG IDEIA

A Big Idea representa uma mensagem forte a ser


passada para os consumidores. Ela pode aparecer em
um jingle, um slogan ou, na tradução literal, uma grande
ideia. É formada pela junção não somente desses três
­últimos t­ópicos, mas também de todo o diagnóstico
que ­realizamos juntos nesse livro. Agora você sabe
qual a imagem que vem transmitindo e como quer ser
­reconhecido. Você diagnosticou qual é o seu propósito,
quais são as suas forças e o seu posicionamento d ­ igital.
Sua próxima tarefa é unir todos esses dados que ­recolheu
sobre si mesmo para que eles te conduzam até sua Big
Idea.

Agora, vamos aplicar na Matriz ID os resultados que


obtivemos com a pesquisa de diagnóstico de projeção
de imagem. Lembra dela? Perguntamos ao nosso público
do Instagram como descreveriam cada uma de nós com
apenas uma palavra.
A partir desse resultado, foi possível desenvolver a Matriz
ID e, por meio dela, chegar a uma Big Idea. Para entender
melhor, confira os quadrantes da nossa Matriz abaixo.

65. DEIXE SUA MARCA


A Bá foi descrita como “fofa”, mas, também, “séria” e
“centrada” no que faz. Isso mostra um equilíbrio muito
grande entre sua personalidade e o modo como ela
encara seus compromissos no trabalho, por exemplo. Ela é
vista como uma pessoa responsável, corajosa e visionária
no que diz respeito aos seus valores, c ­ onsiderada
­comprometida e objetiva no âmbito profissional.

A palavra de maior ocorrência foi “inspiradora”, seguida


de “autêntica”. No caso da Bá, podemos estabelecer
uma relação entre esses dois termos, uma vez que a
­originalidade de uma pessoa tem um alto poder de ­inspirar
quem está ao seu redor, e ela consegue fazer isso.

De modo geral, a Bá também transmite uma grande ideia


de elegância, dada a ocorrência de palavras como “fina”,
“plena”, “elegante”, “chique”, “clássica” etc.

Podemos interpretar por meio dessas respostas que ela


é vista como um case de sucesso na área em que atua,
tornando-se assim uma figura inspiradora, uma a
­ utoridade
com relação ao seu profissionalismo. Alguém que
consegue transmitir com seriedade seus ­posicionamentos
e que ainda assim dialoga de forma empática com sua
­audiência.

66. DEIXE SUA MARCA


O público-alvo da Bá é claramente feminino, uma vez que
a maioria das respostas para a pesquisa foram dadas por
mulheres. Além disso, o foco do seu público está bastante
relacionado ao universo profissional.

Podemos perceber que grande parte das c ­ aracterísticas


vinculadas a ela estão relacionadas ao modo com qual
a Bá encara e se posiciona no meio profissional. Ela é
encarada como uma personalidade que alcançou muitos
objetivos, sobretudo devido a sua personalidade forte e
­determinada, como notamos na ocorrência das palavras:
­“determinação”, “focada” “centrada”, “inteligente”, “poder”
e “força”. Dessa forma podemos considerar que seu público
alvo são mulheres que desejam se destacar ou continuar a
ter sucesso em suas carreiras.

Ter sido descrita como “fofa” é um reflexo muito evidente


do estilo de comunicação estabelecido entre a Bá e seu
público. As palavras que comprovam esse mesmo estilo de
linguagem aparecem como “doce”, “meiga”, “carinhosa”
etc.

Ainda assim, seu tom de voz é claro ao transmitir


­“determinação”, palavra que teve 11 ocorrências, não se
desvinculando de alegria e emoção.

Tudo isso está extremamente ligado à postura assumida


pela Bá em textos, fotos, vídeos etc. A maneira com a qual
ela se impõe diante das pessoas, desde os gestos até a
maneira de direcionar o olhar, pode transmitir uma ideia
de determinação, poder, maturidade e mistério.

Então, podemos concluir que a Bá tem muita autoridade e


propriedade no que fala, mas, ao mesmo tempo, ­transmite
isso de maneira humanizada, por meio de uma visão
­sensibilizada de mundo.

67. DEIXE SUA MARCA


A partir dos dados coletados, a Bá foi citada como
­“criativa” duas vezes, e para ela criatividade é uma
­característica muito importante. Decidiu, então, com essa
análise, criar ações que a projetem como uma pessoa mais
criativa para o seu público.

Uma das ações escolhidas foi a do compartilhamento de


suas ideias e insights em todas as suas redes. A intenção
seria, então, expor seus desejos e planejamentos que
­realiza em seus projetos e também dividir dicas do que faz
para se sentir mais criativa e despertar essa possibilidade
em quem a acompanha.

“Comunicativa”, foi assim que 32 pessoas descreveram


a Dé. O que mostra muito sobre o modo pelo qual ela
­compartilha seus pensamentos e ideias com sua ­audiência.
Já que está sempre interagindo, mostrando-se empolgada
e disponível para falar sobre os a­ contecimentos da sua
vida pessoal e das suas marcas, explanando as novidades
sempre que possível e sentindo-se a vontade em ­conversar
com seu público através de lives, do youtube e dos stories
do i­nstagram. Ela se posiciona como alguém que sente
prazer em se comunicar de fato.

68. DEIXE SUA MARCA


Ela foi caracterizada como um case de “inspiração”,
palavra que se repetiu 13 vezes. Além de ser uma pessoa
“criativa”, “visionária” e “inovadora”. Essas associações
estão muito ligadas a seu posicionamento profissional,
­juntamente à sua forma de partilhar conteúdo. Uma vez
que ela está sempre transmitindo suas ideias, desejos
e ­objetivos de uma uma forma clara, enfatizando o seu
gosto por buscar novas conceitos e estudar sempre para
­atingir um trabalho único, ela passa a ser considerada
uma mente criativa e que corre atrás de inovações.

Muitos a enxergam também como alguém que ocupa


um lugar de “liderança” e “poder”. Esses termos não se
­relacionam somente ao seu posicionamento profissional,
mas também ao posicionamento perante a sociedade, sua
maneira de se portar no mundo. Sua ações transmitem
uma imagem de autoridade e facilidade em comanda.

Podemos interpretar por meio dessas respostas que ela é


vista como uma personalidade que sabe, por meio de suas,
atitudes transmitir segurança e “força”, de uma maneira
eficaz que a aproxima de seus seguidores.

O público alvo aqui também é majoritariamente ­feminino,


e possui grande interesse na ascensão e ­consolidação
profissional. A diferença é que as mulheres que se
­
­identificam com a Dé se espelham e se inspiram, ­sobretudo,
em sua habilidade comunicativa.
A ocorrência de palavras como “carismática” e
­“destemida”, evidenciam sua capacidade em incentivar
ações e m ­ udanças, uma voz que se torna amiga do seu
público ao mesmo tempo que não perde a noção de força
diante deles.
Palavras como “dinâmica, “empreendedora” e
­“empoderamento” demonstram que seu público alvo são
mulheres que desejam inspirar e difundir também os seus
ideais, que aspiram ter um poder persuasivo. Mulheres que
estão em busca de encontrar seu lugar no mundo e usar
a sua voz como inspiração e empoderamento a outros
sonhos e mulheres.

69. DEIXE SUA MARCA


“Divertida”, “confiante” e “espontânea” foram palavras que se repetiram
algumas vezes. Esses termos simbolizam juntamente com “animada” e
“extrovertida” o tom de voz adotado pela Dé. Ela procura se comunicar
(e consegue) de forma leve, esclarecedora e autêntica, com uma forma
de falar que é carregada de firmeza e convicção, ou seja, assumindo o
papel de uma autoridade nas i­nformações que partilha, mas que ainda
assim consegue assumir uma postura empática e amiga no imaginário
do seu público.

Outras características atribuídas a ela foram: “persuasiva”, “porta voz”


e “expressiva”. Isso representa sua capacidade em ­d­­emonstrar ideias
e emoções significativas. Podemos estabelecer que sua linguagem/
tom de voz está muito ligada ao seu posicionamento profissional, a sua
­habilidade de falar em nome dos ideais da sua empresa, e também
pela simbologia da persuasão que está muito atrelada ao mundo da
­liderança, e na facilidade de difundir opiniões.

A partir dos dados coletados a Dé foi citada como “antenada” uma vez.
Como a Dé é alguém que vive atrás de informações, sempre p
­ esquisando
muito, e buscando aprender coisas novas e se inspirar no que há de
melhor para produzir um conteúdo cada vez mais rico, ela percebeu a
necessidade de reforçar essa característica.

Uma das ações pensadas foi a de escrever mais artigos e textos sobre
os assuntos de maior debate na mídia, fazendo também uma c ­ uradoria
e compartilhamento para o seu público de matérias e conteúdos
­relevantes. Além de falar mais com seu público nas redes sociais (nos
stories, por exemplo) sobre as notícias que ­estiverem em alta e mostrar
seu ponto de vista sobre elas.

70. DEIXE SUA MARCA


A palavra usada para descrever a Ju por mais vezes foi
­“Corajosa”, com um total de 18 ocorrências. Podemos
concluir que um dos motivos para a formação dessa
imagem se deve ao compartilhamento do seu i­ ntercâmbio
para os Estados Unidos com seu público. Desde
essa época, ela é encarada como uma alma “livre”,
disposta a viver fora da sua zona de conforto e buscar
novas e­ xperiências. Outras ­p alavras que confirmam
essa sua imagem são: ­“cosmopolita”, “desbravadora”,
­“internacional”, “destemida” e “ independente”. Essas são
características que definem como é seu posicionamento
perante ao mundo, sua maneira de encará-lo.

Quanto à sua personalidade na hora de se comunicar, foi


descrita como “divertida”, também com 18 repetições, e
vista por muitos como “engraçada” e “fofa”. Esses termos
falam muito sobre a maneira como ela se comunica com
sua audiência, de forma próxima e que gera um s
­ entimento
de descontração e de conforto com sua presença.

Outras características atribuídas a ela como “criativa”,


“inovadora” e “autêntica” revelam como é vista no âmbito
profissional, projetando uma imagem revolucionária e
­inspiradora para seu público.

71. DEIXE SUA MARCA


O público alvo aqui também é majoritariamente f­ eminino,
e possui grande interesse por temas relacionados à moda
e ao espírito cosmopolita, pessoas que desejam viajar
o mundo, conhecer novas culturas e desbravar os seus
próprios limites. Percebe-se também que o i­nteresse
por empreendedorismo existe, mas ele vai além do
­pensamento apenas local ou nacional, expande-se para o
desejo de se fazer conhecido no mundo.

Algumas das palavras que se relacionam ao tom de


voz e linguagem são: “engraçada”, “alegre”, “animada”,
“energética”, “espontânea”, “brincalhona”, “interativa”,
“hype”, ­“extrovertida”, “contagiante” e “alto astral”. Essa
palavras remetem a um tipo de linguagem bastante
descontraído e, ao mesmo tempo, que transmite ânimo
e que contagia as pessoas. Geralmente, pessoas consid-
eradas alto astral motivam muito as pessoas ao seu redor.

Além de ser inspiração, a Julia passa ao seu público um


sentimento muito forte de aproximação, exatamente por
sua linguagem e postura serem divertidas e espontâneas,
de forma que haja uma conexão quase imediata entre ela
e seu público.

72. DEIXE SUA MARCA


A partir dos dados coletados a Ju foi citada como ­“corajosa”
18 vezes e “aventureira” 17, e seu desejo é ­reforçar ainda
mais essas características. A Ju se orgulha de seu espírito
livre e todas as oportunidade que ele ­a ­permitiu viver, por
isso quer projetá-lo para sua audiência.
Uma das ações pensadas é compartilhar mais sobre o
seu dia a dia em outros países, falar sobre experiências
que só foi capaz de viver em uma cultura diferente da sua.
Ela deseja mostrar como esse aprendizado que viagens
lhe dão nunca são tirados de você, e que é possível estar
“perto” da família mesmo a quilômetros de distância, sem
deixar de citar a nova percepção que se ganha do mundo,
e novas noções de encarar os problemas e a vida de uma
maneira geral.

ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO
PARA CONSTRUÇÃO DE
BRANDING PESSOAL
Agora que você avaliou seu ­b randing
pessoal, precisamos pensar em como
será sua comunicação a partir d
­ isso. Não
adianta construir toda uma i­dentidade
com propósito, se não soubermos p ­ assar
isso para quem nos acompanha.
Por isso, separamos aqui algumas
­estratégias de comunicação essenciais
para essa construção:

73. DEIXE SUA MARCA


1 ESCREVA DE FORMA
DIFERENTE EM CADA REDE
Cada rede social propõe um novo contexto de escrita e
­comunicação. Algumas redes possuem um tom mais informal
e divertido, outras pedem uma maior seriedade e formalidade.
Claro que o conteúdo também influencia nesse tom.
Falamos que é importante você se atentar para esse aspecto
porque, muitas vezes, algumas redes são ­integradas, por
exemplo, um post do Instagram vai direto para o Facebook.
Mas personalizar e ter esse cuidado em cada rede pode até
aumentar o seu potencial de ­engajamento.

2 FALE SOBRE SEU


DIA-A-DIA
Mostre mais do seu cotidiano, fale sobre seus gostos,
­preferências e sua rotina. Atualize suas redes sociais com
pequenos detalhes que ninguém sabe sobre você, vale falar
sobre lugares preferidos, as músicas que você mais tem
ouvido, pequenos projetos em andamento ou das pessoas que
te acompanham. Tudo isso facilita que sua audiência associe
um rosto ao trabalho que você realiza.

74. DEIXE SUA MARCA


3 USE
FOTOS
As fotos podem contar diversas histórias, seja dos seus produtos
e serviços, dos seus trabalhos, dos seus i­nteresses e de quem
você é. A fotografia é um resumo do seu jeito de olhar o mundo
e você pode usar isso como artifício para estreitar os laços com
seu público. Dá até pra mesclar textos com designer gráfico,
explore isso!
Experimente usar a fotografia de um jeito novo para você, como
uma maneira de mostrar como vê o ­mundo.

4 NOTICIE
Aproveite para ser um portal de notícias! Faça p ­ ostagens úteis
para as pessoas que te acompanham e compartilhe ­informações
que você considera relevantes. Pode falar sobre curiosidades,
blogs, artigos que você usa pra se ­inspirar e sobre as novidades
lançadas no mercado. Crie uma razão, um motivo para que as
pessoas te acompanhem.
Partilhar com sua audiência alguma notícia, artigo… algum
conteúdo relevante sobre sua área de autoridade.

75. DEIXE SUA MARCA


5 USE O
LINKEDIN

A rede social dos negócios pode ser sua melhor ­amiga na


hora de fazer networking e mostrar seu trabalho para o
­público-alvo certo. Essa plataforma é um ótimo ­espaço
para criar e compartilhar artigos sobre o tema que você
quiser, muito importante no processo da criação do
seu ­papel de autoridade em d ­ eterminados a
­ ssuntos. O
LinkedIn também p
­ ­ ossibilita a criação de grupos, que
geralmente se formam por proximidade de i­nteresses,
o que é a ­ o­
portunidade ­ perfeita para você mostrar o
seu conhecimento e oferecer ajuda para pessoas com o
­mesmo ­trabalho que você.
Comece a explorar mais dessa plataforma! Se ­cadastre lá,
depois comece a compartilhar conteúdo e se a ­ proximar
dos grupos certos para você.

Essas são pequenas atitudes que podem fazer toda


a diferença na construção da sua imagem. ­Q uando
­fundamos nosso blog Tudo Orna, lá em 2010, a m ­ aioria
dos blogs estavam concentrados no eixo Rio de ­­Janeiro
- São Paulo e, com esse fato, nos demos ­conta que ­nosso
maior ­diferencial era justamente ser um grande blog da
capital paranaense. ­Mudamos o nome no site para “Tudo
Orna - O maior blog de moda de Curitiba”, com essa
pequena ­alteração, ­quando as ­pessoas ­buscassem por
blogs na região, nós ­seríamos o primeiro nome ­referência
a ­a parecer. Foi um ­s imples detalhe, mas que gerou
­muito resultado: ainda no p ­ rimeiro ano de blog, fomos
­reconhecidas como umas das dez pessoas mais influentes
do E ­ stado do Paraná.

76. DEIXE SUA MARCA


A partir de tudo que vimos até aqui, tire um
momento para pensar ­b revemente sobre as
­seguintes situações. Com as respostas em mãos,
poderemos avançar para a próxima ­etapa da
­construção da sua marca pessoal.

TABELA DE DEFINIÇÃO
Definir qual é o seu propósito

Estabelecer uma linguagem


de comunicação (formal,
mais cool, engraçada etc)

Analisar se seu discurso está


ligado com seu propósito

Escolher palavras-chave
que te definam

Quais atitudes estão


associadas a essas
palavras?

Definir adjetivos que se


associam ao seu
trabalho

Pensar em estratégias
para reforçar sua
identidade

Analisar se sua bio do Insta-


gram está comunicando seu
propósito de maneira clara

77. DEIXE SUA MARCA


Agora estamos encaminhados para uma das etapas mais
importantes do método DDPP. É o momento ­unirmos tudo o
que aprendemos até aqui e criarmos o seu plano de ação.

PREPARADO?!
FASE 3
PLANO DE AÇÃO
Você chegou na terceira fase da nossa jornada sobre
branding pessoal. Esse é o momento de organizar os
insights que você teve até agora para colocá-los em
prática. E, para isso, você vai desenvolver seu próprio
plano de ação, uma ferramenta de gestão de tarefas
e ­administração de tempo ideal para te guiar nesse
momento.

78. DEIXE SUA MARCA


O QUE É UM PLANO DE AÇÃO E POR
QUE VOCÊ PRECISA FAZÊ-LO?

Ter um plano de ação significa estar preparado para agir.


Ele é um organizador de tarefas, para que você sempre
saiba qual seu objetivo final (sua meta) e para que tenha
em mente seu propósito. Dessa forma, vai ser mais fácil
tomar decisões, afinal, você sabe aonde quer chegar.

Um plano de ação também é um grande aliado quando o


assunto é tempo. À medida que você desenvolve o passo
a passo do seu projeto pessoal ou profissional através
de um plano bem detalhado, vai ser possível administrar
seu tempo e fazer valer cada hora do seu dia.

METODOLOGIA 5W E 2H

Desenvolvemos um plano de ação a partir do método


5W2H, criado na indústria automobilística do Japão. Ele
é muito eficaz quando o objetivo é transformar metas em
iniciativas, porque parte de perguntas simples e muito
pontuais. Você vai conseguir ter um panorama muito
claro do planejamento das suas tarefas e vai poder usar
essa metodologia como um otimizador do seu tempo.

79. DEIXE SUA MARCA


WHY

WHAT WHEN

5W 2H
HOW WHO

HOW MUCH WHERE

Os “cinco W” são: Os “dois H” são:


• What - o quê? • How - como?
• Who - quem? • How much - quanto
• When - quando? custa?
• Why - por quê?

Além do método 5W2H, nós acrescentamos ao seu ­plano de


ação mais outros dois elementos ­fundamentais:

• Riscos & soluções - identifique possíveis ­obstáculos e


desenvolva soluções prévias.

• Etapa de conclusão - apenas um checkmark para você


monitorar quais das tarefas você já conseguiu concluir.

80. DEIXE SUA MARCA


Todas as perguntas que são guia do plano de ação estão
interligadas. Por isso, fizemos um mapa mental do seu plano
de ação para que você entenda melhor como se organizar
mentalmente antes de preencher o quadro com as suas
­tarefas a cumprir.

81. DEIXE SUA MARCA


O QUE?
Essa é ação que você vai realizar. Que ação que vai
trazer
a sua meta para a realidade?

POR QUÊ?
Descreva seu objetivo em poucas palavras - tem a ver
com seu propósito e com sua meta, mas agora você
deve ser claro e sucinto quanto ao motivo dessa ação
­específica.

QUEM?
Quais são as pessoas que estarão envolvidas na real-
ização da tarefa.

COMO?
De que forma essa ação será posta em prática? Aqui vai
sua metodologia própria para realizar essa tarefa em
específico. Você pode estipular algumas tarefas princi-
pais e outras subtarefas para cumprir cada uma delas.

82. DEIXE SUA MARCA


QUANDO?

QUANDO?
ONDE?
Estipule uma data de início e um prazo para a realização
da sua tarefa.

ONDE?
Qual o lugar onde a tarefa será realizada.

QUANTO CUSTA?
Sua tarefa tem algum custo? Coloque aqui a quantidade
exata que você precisa gastar.

CONCLUÍDO?
Marque aqui se sua tarefa foi ou não concluída.

83. DEIXE SUA MARCA


Antes de criar seu próprio plano de ação, dê uma olhada
no exemplo que criamos para facilitar seu entendimento
­­ -
­construímos um plano para uma pessoa fictícia que está
­inserida no mundo da gastronomia: uma chef que já tem
seu negócio consolidado.

Mudar a gastronomia e conectar pessoas através


Razão da minha comida

Conseguir reconhecimento no Instagram e atingir


Meta 300 mil seguidores

O que? Criar conteúdo relevante para o Insta-


gram.

Por que? O Instagram é a rede mais rentável do mundo.


Além disso, conteúdo relevante cria laços e
­acrescenta conhecimento na vida das pessoas. É
o ideal para me promover como chef.

Quem? 1. Eu (própria chef, dono de uma rede de


­restaurantes, familiar, com filhos e animais de
­estimação);
2. Fotógrafo;
3. Social Mídia;

Como? - Fazer um cronograma de postagens;


- Criar planilha de postagens
- Estudar assuntos relevantes - buscar estar
­sempre atualizado;
- Tentar coisas novas (tanto em relação aos pratos
que crio como chef quanto nas redes sociais, para
interagir com o público);
- Aproximar- me do público
- Responder quantos comentários for possível.

Quando? A partir de hoje, em um ano, a meta é ter 300 mil


seguidores.

Onde? - Restaurante;
- Casa;
- Lugares inspiradores;
- Palestras sobre gastronomia.

Quanto Fotógrafo: R$ 1.500,00


custa? Social Media: R$ 1.300,00
Produtos de cuidado pessoal: =

84. DEIXE SUA MARCA


FASE 4
PLANO DE AÇÃO

Essa é a quarta fase do nosso método! Até aqui você


­descobriu qual imagem projeta e como as pessoas a
­recebem. Conheceu e aprendeu a usar 4 ferramen-
tas para diagnosticar você como marca. Definiu sua
­persona, seu público alvo, sua linguagem/tom de voz e a
sua Big Idea. Por último viu como fazer um plano de ação,
ec­ ompreendeu o porquê de sua relevância. E todo esse
caminho te trouxe até aqui. A fase mais importante para
a validação e consolidação do seu branding pessoal.
­Chegou a hora de pôr a mão na massa e fazer acontecer.

Para isso, trouxemos a proposta de algumas tarefas que


queremos que realize e que compartilhe conosco. ­Vamos
juntos acompanhar passo a passo o processo dessa
­mudança?

OBS: CASO VOCÊ NÃO TENHA IMPRESSO SUA APOSTILA OU NÃO QUERIA
RISCÁ-LA, NÓS DISPONIBILIZAMOS SEPARADAMENTE UM WORKBOOK
MENOR, SÓ COM AS ATIVIDADES EM BRANCO PARA QUE VOCÊ POSSA
­IMPRIMIR E PREENCHER LÁ! (:

85. DEIXE SUA MARCA


CONSTRUA AQUI SEU
PLANO DE AÇÃO

Razão

Meta

O que?

Por que?

Quem?

Como?

Quando?

Onde?

Quanto
custa?

86. DEIXE SUA MARCA


REPUTAÇÃO:
GERENCIANDO A IMAGEM
QUE VOCÊ CRIOU
Segundo o dicionário, reputação é a opinião do
­público em relação a uma pessoa, um grupo de
­pessoas ou uma organização. Constitui-se num
importante fator em muitos campos, tais como
negócios, comunidades online ou status social. É o
que as pessoas pensam de alguém ou algo.

Sua estratégias de branding pessoal foram


­construídas e posicionadas, e o efeito que isso vai
causar nas pessoas vai acarretar em sua reputa-
ção.

A reputação é que vai conceder a você maiores


oportunidades dentro do seu ramo e manter sua
imagem consolidada. Mas, mesmo aqueles com
boa reputação, por vezes, querem mudar a forma
como são vistos ou podem acabar diante de uma
crise de imagem que precise ser gerenciada.

Cada vez mais as pessoas procuram seguir


p essoas que agreguem algum valor, que
­
ofereçam um ­c onteúdo relevante, que some.
Quem a ­ companha nossas redes sociais já viu que
sempre c ­ ompartilhamos por lá fotos, novidades
sobre as nossas marcas, reflexões e dicas sobre
assuntos que conhecemos. Além disso, também
­compartilhamos coisas bem pessoais, como nossas
metas e ­objetivos. Mostramos como foram nossos
casamentos, a vida da Julia morando nos Estados
Unidos e a reforma da firma, por exemplo.

87. DEIXE SUA MARCA


DIVIDIMOS NOSSAS VIDAS COM O PÚBLICO PORQUE ESSA É UMA FORMA
DE PASSAR A VERDADE SOBRE QUEM SOMOS, COMO VIVEMOS E SOBRE O
TRABALHO QUE FAZEMOS.

Então, o mais importante para criar uma boa


­reputação é sempre procurar transmitir verdade
no que se faz. Quando você transmite verdade,
mostra que, antes de qualquer outra coisa, você se
­preocupa com pessoas.

1. IMAGENS PESSOAIS BEM CONSOLIDADAS

Sabemos que, para quem trabalha com a ­internet,


pode parecer mais simples conseguir pôr em
­p rática ­e stratégias de branding pessoal. Mas
através de uma autogestão bem feita, é possível
alcançar ­resultados e feitos incríveis, ­independente
da área de atuação em que você trabalha.

A sua reputação vai te tornar conhecido, não


­apenas por quem você é, mas também pelo o que
você faz. É o exemplo de pessoas como:

• Michael Jordan, o famoso jogador de basquete;


• Adele, a grande cantora;
• Mark Zuckerberg, rei das mídias sociais;
• Steve Jobs, o brilhante empresário;

88. DEIXE SUA MARCA


Mas existe todo um trabalho até essa consolidação.
Vamos ver alguns casos mais de perto?

GISELE BUNDCHEN:
A UBERMODEL
Quando Gisele Caroline Bündchen tinha apenas 13 anos, um
médico a orientou para que melhorasse sua postura. Foi em
um curso de passarela que ela encontrou a p
­ ossibilidade de
ajuda para corrigir esse problema. No curso, foi ­descoberta
por um booker e, daí pra frente, acreditamos que você já
saiba que sua carreira deu muito certo.

Hoje, é considerada a única modelo no mundo ­a ter


­alcançado notoriedade suficiente para ser considerada
uma ubermodel, uma modelo acima de todas, mais que
uma top model. E todo esse sucesso está atrelado a imagem
que Gisele construiu: seu nome não remete apenas a uma
modelo, mas sim, a uma marca.
Gisele sempre foi muito autêntica e defendeu essa
­c aracterística como ideologia. Sua imagem sempre
­expressou a concepção de que sucesso não é ter dinheiro,
mas ser fiel a quem você é. Durante toda a carreira, ela
sempre demonstrou muita simplicidade, não só no modo
com que leva a vida, mas também em sua forma de agir,
­independente da situação. Mesmo estando em todas as
capas de ­revista, Gisele sempre buscou preservar sua
vida pessoal dos tabloides e prezar pelo profissionalismo.
­Outro ponto alto foi o cuidado que teve na construção de
sua ­jornada, sempre preferindo trabalhar com agências
­profissionais e abraçar oportunidades que fossem boas
para sua carreira e ­alavancar sua imagem.

A modelo nunca vendeu somente sua profissão, e a


­consolidação da sua imagem deve-se a isso também.
Ela sempre lutou por causas sociais e ambientais, e isso
deu a ela m ­ uitas oportunidades de engajamento com
­esses assuntos. Defender essas causas mostra também
o propósito que sua marca pessoal defende e cria maior
relação com o p ­ úblico. Além de ser uma das p
­ ersonalidades
­b rasileiras mais c ­ onhecidas do mundo, sua carreira
­também conta com dois livros publicados e atuações em
filmes ­hollywoodianos, como Táxi e O Diabo Veste Prada.

Ela se encaixa exatamente no perfil que marcas e pessoas


procuram: alguém que venda algo além do que as pessoas
buscam, alguém que surpreenda.

ASSISTA A ENTREVISTA GISELE BUNDCHEN FALANDO SOBRE O


MOTIVO QUE A TORNOU UMA MARCA
GUSTAVO BORGES:
O NADADOR

O brasileiro Gustavo França Borges iniciou sua jornada no


mundo da natação com 9 anos. Ainda tão novo c ­ onquistou
sua primeira medalha em uma gincana de natação entre
escolas. Ele continuou participando de competições e
se aprimorou como atleta, ganhando destaque notório
aos 17 anos quando se tornou um atleta profissional do
Esporte Clube Pinheiros, conquistando 16 medalhas em
competições regionais e brasileiras. Isso o transformou no
maior fenômeno da natação brasileira daquela década.
Em 1991, nos Jogos Pan-Americanos de Havana, Gustavo
conquistou 5 medalhas e se consolidou ali, definitivamente,
como um dos principais atletas da história da natação
brasileira.

Ok, mas e depois disso?


Em 2004, quando se aposentou das piscinas Gustavo sabia
que possuía uma imagem boa perante o público e ainda
muito mais para oferecer. Formado também em Economia,
ele juntou todas suas habilidades e elaborou a Metodologia
Gustavo Borges de natação.

Percebam que a metodologia leva seu nome, uma r­ eferência


no nicho esportivo e sinônimo de autoridade. Isso sim é
uma bela sacada! É um nome que se vende sozinho. E deu
muito certo: hoje a empresa é referência de assessoria em
gestão aquática e atende centenas de clientes no Brasil,
além da Metodologia, Gustavo também fundou uma rede
de academias de natação, também com seu nome.

Percebemos, com sua trajetória, que seu sucesso nas


­piscinas deu a ele uma verdadeira autoridade no ramo, da
qual ele soube tirar proveito para fazer novos negócios, para
se tornar mais do que apenas um nadador. Quando você
pensa em um estabelecimento que leva o nome de alguém,
no caso dele, a Academia Gustavo Borges, a presença do
nome confere um selo de qualidade indiscutível.

O ex atleta, por exemplo, hoje em dia não é mais só ­nadador,


é juntamente empresário, palestrante e e ­ conomista.
Mas sua maior autoridade é conferida devido ao seu
­título de campeão olímpico, então para ele não era muito
­interessante mudar isso.

Mas pode ser que, durante sua trajetória, você queira


­mudar a forma como é visto. Para que isso seja possível,
­precisamos fazer um trabalho de reposicionamento de
­imagem.

ASSISTA AO DEPOIMENTO GUSTAVO BORGES CONTANDO COMO SUA


DISCIPLINA E ESPÍRITO EMPREENDEDOR FIZERAM DELE UMA MARCA
2. REPOSICIONANDO SUA IMAGEM

Quando começamos a lançar nossas marcas e


a falar mais sobre empreendedorismo e menos
sobre looks do dia e lifestyle, percebemos que
­automaticamente algumas pessoas deixaram de
nos ver como blogueiras e passaram a nos ver
mais como empreendedoras. Então, ­aproveitamos
a oportunidade para trabalhar a fundo nossa
imagem e começamos a nos posicionar como
“especialistas em criar marcas”, realizando todo
um ­reposicionamento de imagem.

Uma das estratégias que utilizamos foi em relação


aos artigos que postávamos: a Débora já escrevia
artigos e os publicava no LinkedIn e começou a
perceber um maior engajamento com os c ­ onteúdos
relacionados a empreendedorismo. Por que, então,
não utilizá-los para conquistar notoriedade e
­autoridade nesse tema, nessa rede? Começamos
a investir nisso e, ao mesmo tempo, continuamos
­­
divulgando nossas marcas e nosso trabalho, e
isso deu muito resultado: a Dé ganhou espaço na
­plataforma, aa ponto desta propor uma p ­ arceria de
divulgação dos artigos dela. Isso também nos deu
a oportunidade de trabalhar com outros negócios
diferentes e expandir nosso trabalho.

O nosso processo foi automático porque já


­queríamos ser vistas como empreendedoras e o
público nos ajudou nesse processo. Mas e quando
você quer mudar sua imagem e não sabe como?

93. DEIXE SUA MARCA


Nesse momento o que você precisa é de um
­trabalho de rebranding.

REBRANDING É EXATAMENTE UM PROCESSO BEM ELABORADO PARA


­REPOSICIONAMENTO DE UMA MARCA NO MERCADO, DENTRO DO
­BRANDING PESSOAL, ESSE PROCESSO É REALIZADO POR MEIO DA
­MUDANÇA DE ­TODOS OS ASPECTOS QUE FORMAM A SUA IDENTIDADE:
NOME, PROPÓSITO, LINGUAGEM, LOGO, IDENTIDADE VISUAL ETC.

Antes de realizar essa mudança, é importante


­avaliar se realmente precisa fazê-la. Não é um
processo tão simples, mas algumas situações
podem te dar sinais de que talvez essa seja a melhor
escolha e que chegou a hora de mudanças. Um
bom ­exemplo seria seu público estar absorvendo
sua imagem de forma negativa ou i­ncoerente, ou
quem sabe o fato do seu propósito e foco terem
mudado ou até mesmo se o seu público-alvo ter se
tornado outro.

Um caso de rebranding bem famoso é o da cantora


Lady Gaga que, com mais de nove anos de ­carreira,
tem provado sua capacidade incrível de sempre
conseguir se renovar como artista. No início, Gaga
criou uma verdadeira p ­ ersonagem em cima de seu
nome, tão autêntica que nos c ­ onfundiu quanto ao
que era real e o que era lúdico. Ganhou ­notoriedade
por seus hits, que explodiram e conquistaram
milhões de fãs, mas ficou conhecida p ­ rinc­ipalmente
por seu visual e personalidade excêntricos,
­combinados ao forte engajamento de abraçar as
causas das minorias. Ou seja, primeiro ela entregou
um propósito para todos se i­dentificarem e depois,
c onsequentemente, consumirem sua música.
­
Desde o princípio, provou que estava construindo
um branding muito estratégico e bem pensado.

94. DEIXE SUA MARCA


A imagem de Lady Gaga estava consolidada, mas chegar
ao topo não era suficiente para ela. O gerenciamento de
imagem é uma necessidade e atividade constante, como
já dissemos. E a diva pop não se viu livre de uma crise,
em 2012, a artista enfrentou sérios problemas de saúde
que culminaram em um lançamento mal planejado de
um álbum que tinha tudo para ser um ícone. A crítica caiu
pesada em cima da Gaga, fazendo com que a cantora se
encontra em um momento em que aquela personagem
criada há tempos já estava praticamente saturada. Era
hora de se reinventar.

Para Gaga, o caminho foi longo, repleto de várias


­estratégias para trazer uma imagem mais limpa e coesa
de si mesma, focando em algo bem simples e natural para
ela: mostrar sua voz - que até então não era seu artefato
mais reconhecido.
Em um primeiro momento, ela fez uma parceria com
Tony Bennett, clássico cantor de jazz que trouxe a tona
o ­potencial de voz da cantora. Uma parceria super bem
pensada: enquanto muitos buscam parcerias com outros
cantores que estão em alta, ela fez o caminho inverso e
chocou a todos pela maestria do trabalho em conjunto.
Depois disso, ainda lançou-se como atriz na série American
Horror Story e, pasmem, ganhou um Globo de Ouro pelo
papel. Esse conjunto de ações fez com que ela voltasse aos
holofotes, dessa vez, de uma forma muito bem apreciada,
que a fez, inclusive, ser convidada a performar no Super
Bowl em 2017, apenas o maior evento esportivo do mundo.

Para consolidar sua nova imagem de vez, ela lançou o


álbum “Joanne”, diferente de tudo que já tinha feito antes,
um álbum mais pessoal que trouxe à tona a mulher por trás
da personagem. Seu reposicionamento consolidou-se com
o lançamento do documentário “GaGa: Five Foot Two”, no
qual a cantora expôs sua luta contra a fibromialgia, seus
dramas sentimentais e familiares, seu processo de criação
e seu dia-a-dia, sem filtros. Ela traçou uma estratégia de
reposicionamento e consolidou-se perfeitamente.

ASSISTA AO TEASER DO DOCUMENTÁRIO DA LADY GAGA NO NETFLIX,


FALANDO SOBRE SUA TRAJETÓRIA E REPOSICIONAMENTO DE IMAGEM
MAS COMO DEFINIR A
IMAGEM QUE QUERO
PASSAR?

O primeiro passo é atentar-se ao seu propósito. Ele


continua o mesmo? Com isso bem definido, você
consegue ter um olhar estratégico sobre aquilo que
está postando e filtrar o conteúdo que c ­ ompartilha.
Lembrando que o trabalho de branding se c ­ onstitui
exatamente pelo conjunto de estratégias e
­atividades que você vai utilizar para transmitir esse
propósito e, no rebranding, isso permanece igual.

Depois disso, defina exatamente quem você é,


antes dos outros fazerem isso. Lady Gaga, por
exemplo, soube fazer isso e posicionar ­exatamente
quem ela era, antes das pessoas e da mídia
fazerem isso por ela. Isso pode ser feito através
de uma simples bio verdadeira e bem construída
no ­Instagram, de vídeos nos quais você fala quem
você é ­verdadeiramente e mostra isso. Faça com
que as pessoas não tenham dúvida de quem você é
e de que, caso surja algum boato falso sobre você,
todos tenham certeza de que é mentira.

97. DEIXE SUA MARCA


Crie sua própria publicidade. Dê motivos para as
pessoas estarem sempre falando de você e, assim,
lembrarem da sua imagem. Claro, sempre falarem
bem. Nós, por exemplo, sempre fazemos um grande
evento de tudo que lançamos e postamos, criamos
expectativa e criamos mídias que giram em torno
daquilo que queremos que comentem a nosso
respeito.

E o item mais importante: viva sua marca 24 horas


por dia. Não seja sua marca só nas redes ­sociais,
em frente aos vídeos, seja ela em qualquer lugar, a
qualquer hora. Sua marca é você, esteja a ­ linhado
com essa imagem sempre e entregue-se ­totalmente
a esse trabalho. Onde quer que você esteja, esteja
trabalhando em cima da verdade, da qualidade,
da autenticidade e da ­transparência. Esses são
os fatores que vão se refletir nas e
­ stratégias, na
­comunicação e nos detalhes dos seus produtos e
serviços.

Verdade e transparência são fatores ­obrigatórios


na hora de transmitir seu propósito e no seu
­trabalho de rebranding.

98. DEIXE SUA MARCA


3. GERENCIANDO UMA CRISE DE IMAGEM

Podemos chamar de crise qualquer contexto


humano no qual ocorre algo imprevisto, negativo
­

ou grave.
Assim como qualquer empresa, se você se ­enxerga
como marca precisa saber que está suscetível a
momentos de crise. Entre as consequências d ­ essa
crise estão a perda de credibilidade e confiança
que seu público deposita em seu trabalho, além de
­abalos na reputação, que é o bem mais valioso de
uma marca e pode ficar estremecida se uma crise
não for gerida de forma correta e ágil.

WARREN BUFFETT DIZ QUE “LEVA-SE 20 ANOS PARA C­ ONSTRUIR


UMA REPUTAÇÃO E 5 MINUTOS PARA ARRUINÁ-LA”.

99. DEIXE SUA MARCA


Em 2009 o mundo conheceu, nas Olimpíadas de Pequim,
um dos maiores atletas de todos os tempos, o nadador
americano Michael Phelps. Com oito medalhas, conquistou
o maior número de ouros olímpicos já conseguidos em uma
única edição dos jogos, além de quebrar vários recordes de
velocidade dentro da piscina.

Pouco tempo depois do feito, no mesmo ano, Michael foi


flagrado usando drogas. Patrocinadores e a Federação
de Natação dos Estados Unidos não aceitaram a notícia
de forma tranquila. Ele foi suspenso por três meses das
­piscinas e teve seu contrato (milionário) com a empresa de
cereais Kellogg’s rescindido.

E agora, como refazer a imagem do maior recordista


­olímpico da história? Phelps assumiu o erro e se desculpou
pelo que disse ter sido um “comportamento lamentável”.
O atleta também tem em seu currículo casos de alcoolismo
ao volante. Em 2014, foi preso após ser pego dirigindo
embriagado e condenado a um ano de prisão. Ele cumpriu
a pena em liberdade e precisou frequentar grupos de
autoajuda. Vale ressaltar que esse foi um momento pessoal
muito difícil para Phelps, que enfrentou uma luta contra a
depressão após as Olimpíadas de Londres, divulgando até
que iria se aposentar.

Porém, após o tratamento, ele resolveu retornar às piscinas.


Conseguiu mais seis medalhas olímpicas nos Jogos do Rio,
somando 28 na carreira. Hoje, aos 32 anos, se transformou
em um dos palestrantes mais requisitados do mundo dos
negócios e percorre o mundo falando de sua trajetória a
grandes líderes empresariais.

Ao falar abertamente sobre seus problemas com drogas,


álcool e sobre sua depressão, Phelps mostrou ao mundo
que ele não era apenas uma máquina de bater recordes,
mas um ser humano. Não ter vergonha de assumir e falar
sobre suas falhas é um dos atos mais importantes para um
bom gerenciamento de crise. Entenda que, se você é uma
pessoa pública, suas atitudes e posicionamentos serão
questionados e é preciso estar pronto para esclarecer os
fatos e, se preciso, assumir um erro.

ASSISTA AO VÍDEO FALANDO SOBRE A TRAJETÓRIA DE


DISCIPLINA DE MICHAEL PHELPS
4. CRISE DE IMAGEM NAS REDES SOCIAIS

Na Internet, tudo o que publicamos pode viralizar


em um intervalo de tempo muito curto. Cada vez
mais usuários têm acesso à rede e podem registrar
flagras em qualquer canto ou “tirar prints” da tela
no segundo em que algo é publicado, constituindo
potenciais geradores de conteúdo.

A mesma disseminação instantânea de informação


que contribui para que o jornalismo cubra notícias
em tempo real pode acabar com a credibilidade de
uma marca ou pessoa em questão de segundos.
Hoje, usamos nossas redes sociais como um cartão
de visitas. Encontramos um mundo de informações
em perfis do Facebook e Instagram, em uma
­exposição direta de imagem.

Reclamações públicas, ameaças de processo,


­divergência de opiniões... Várias consequências
­podem surgir a partir de uma postagem. Deixar de
se posicionar pode indicar falta de profissionalismo
e, no caso de 1fake news, pode demonstrar que há
veracidade no que está sendo veiculado. Rapidez
ao agir e transparência irão te ajudar a construir
uma relação de confiança com seu público e limpar
sua imagem.

1Fake news são notícias falsas sobre determinado assunto que


geralmente são espalhadas na internet.

102. DEIXE SUA MARCA


ENTÃO, COMO LIDAR COM ESSA SITUAÇÃO?
OS SEGUINTES PASSOS PODEM TE AJUDAR:

1 TER UM PLANO PARA


MINIMIZAR CRISES
Crie situações hipotéticas que poderiam culminar em uma
crise na sua imagem e a partir delas determine ações e
planos para converter essa crise, como um guia, - para
que não precise tomar decisões erradas ou precipitadas.
Se você souber o que fazer nessas horas, com um plano
pré e­ stabelecido, já vai diminuir o tempo de reversão
do ­problema. Será capaz de agir e se posicionar mais
­rapidamente.

2 RECONHEÇA O PROBLEMA
E PEÇA DESCULPAS
Se você quer ganhar a compreensão e confiança dos seus
seguidores, é preciso ter transparência. Reconhecer um
erro é muito positivo para sua imagem. Jamais use de
­ironias ou ofensas para responder uma crítica. Pessoas
reais cometem erros. Não procure criar um personagem,
mas ser autêntico.

103. DEIXE SUA MARCA


3 SEJA
RÁPIDO
Não haja de forma precipitada, mas não demore. As redes
sociais exigem velocidade de resposta. Se ainda não sabe
quais medidas tomar para resolver um problema ou uma
crise, responda que “reconhece o erro e providências estão
sendo tomadas”. Optar pelo silêncio ou negar o problema
nunca é uma boa alternativa. As pessoas vão querer te
ouvir, saber o que está acontecendo e se você está ciente
da ­situação.

4 TIRAR UMA LIÇÃO


DA SITUAÇÃO

Após resolvido o problema, é hora de sentar e analisar o


porquê daquilo ter acontecido. O teor da postagem não foi
correto? Você fez um comentário que não agradou muita
gente? Recebeu reclamações sobre seu trabalho? Como
posso melhorar?

Uma crise nas redes sociais também serve de ­aprendizado


para apontar eventuais falhas na sua estratégia de
­branding e comunicação.

104. DEIXE SUA MARCA


Ao longo desse capítulo você viu o exemplo de muitas
­pessoas que, através da sua marca pessoal, souberam
­aproveitar para fazer negócios incríveis.
O maior diferencial dessas pessoas é que elas sabiam
­exatamente quem eram e a imagem que queriam mostrar.
Você pode pensar que todo mundo sabe quem você é o
que faz. Mas você precisa encarar suas redes sociais como
um verdadeiro portfólio.

Claro, existem muitos elementos que contribuem para a


consolidação de uma imagem, mas cuidar dela e encarar
suas redes como uma vitrine, com certeza, gera maior
atração, magnetismo e passa maior credibilidade.

SUAS REDES
SÃO SUA
VITRINE.

105. DEIXE SUA MARCA


RESUMO FINAL:
MAIORES LIÇÕES
Ao longo deste livro, aprendemos muito, vamos relembrar
as maiores lições?

1. Você é uma marca e precisa se ver como tal.

2. Branding não é o que você pensa sobre a sua marca,


é como você projeta essa imagem, o que as outras
­pessoas pensam e sentem quando veem sua marca.

3. Quem você é no ambiente online tem que estar a


­ linhado
com quem você é na vida real.

4. Coerência é palavra-chave para sua marca pessoal.

5. Foque em sua razão e construa seu trabalho a partir


disso.

6. Somente dizer que é verdade não é mais suficiente.

7. Construir uma marca forte na era da internet é vital.

8. Reputação é tudo em uma carreira, é ela quem vai


conceder maiores oportunidades dentro do seu ramo e
manter sua imagem consolidada.

9. Suas redes são sua vitrine.

106. DEIXE SUA MARCA


CONCLUSÃO
Você chegou ao fim de mais uma jornada de c
­ onhecimento.
Você não está aqui por acaso. Estamos aqui juntos
buscando por novas formas de abrir nosso leque de
saberes e renovar nosso mindset.

Estamos o tempo todo cercados de grandes exemplos de


branding pessoal e, com esse curso, pudemos aumentar a
percepção do que está a nossa volta. O conteúdo que você
acabou de consumir é apenas uma fração daquilo que
queremos que você, a partir de agora, perceba que existe
ao seu redor. Você treinou seu instinto para d
­ esenvolver
um novo olhar sobre o mundo, com todas as ­ferramentas
necessárias para compreender qual o seu lugar no
universo do ­branding pessoal e como você vai conseguir
chegar onde deseja.

Quisemos mostrar que o branding pessoal está ao seu


­alcance, basta você percebê-lo e entender como usá-lo.
Ele vai se tornar palpável quando se transformar em um
­exercício diário de descobertas sobre nós mesmos e sobre
os outros.

Acreditamos que, a partir de agora, você está munido


de conhecimento para se posicionar como marca e
­manifestar o seu propósito no mundo. Por meio das tarefas
em­ étodos apresentados aqui, está em suas mãos decidir
agir e mudar a maneira que é percebido. E nunca se
esqueça: esse é um trabalho que precisa de manutenção
incessante. Continue se avaliando e reavaliando dia após
dia, entenda para quem e por que você fala. Trabalhar com
a própria marca é um processo de melhoria constante.