Você está na página 1de 10

Poder Judiciário

Justiça do Trabalho
Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Ação Civil Pública Cível


0000093-88.2021.5.10.0012
PARA ACESSAR O SUMÁRIO, CLIQUE AQUI

Processo Judicial Eletrônico

Data da Autuação: 12/02/2021


Valor da causa: $1,000.00

Partes:
AUTOR: SIND DOS TRAB NA IND URB NAS ATIV DE MEIO AMB NOS ENT DE FISC E REG
DE SERV DE ENERG ELET SAN GAS E MEIO AMB NO DF
ADVOGADO: MAXIMILIANO NAGL GARCEZ
RÉU: COMPANHIA ENERGETICA DE BRASILIA
ADVOGADO: MURILO BOUZADA DE BARROS
ADVOGADO: FERNANDO JORGETO DA SILVA
RÉU: BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E SOCIAL
ADVOGADO: JORGE FERNANDO SCHETTINI BENTO DA SILVA
CUSTOS LEGIS: Ministério Público do Trabalho
PAGINA_CAPA_PROCESSO_PJE
PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA DO TRABALHO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 10ª REGIÃO
12ª Vara do Trabalho de Brasília - DF
ACPCiv 0000093-88.2021.5.10.0012
AUTOR: SIND DOS TRAB NA IND URB NAS ATIV DE MEIO AMB NOS ENT DE
FISC E REG DE SERV DE ENERG ELET SAN GAS E MEIO AMB NO DF
RÉU: COMPANHIA ENERGETICA DE BRASILIA, BANCO NACIONAL DE
DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E SOCIAL

TUTELA DE URGÊNCIA

Trata-se de pedido liminar, inaudita altera pars, requerido pelo SINDICATO DOS
TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS URBANAS, NAS ATIVIDADES DE MEIO AMBIENTE E
NOS ENTES DE FISCALIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ENERGIA ELÉTRICA,
SANEAMENTO, GÁS E MEIO AMBIENTE NO DISTRITO FEDERAL - STIU-DF em face
da COMPANHIA ENERGÉTICA DE BRASÍLIA – CEB e do BANCO NACIONAL DE
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL–BNDES. Pretende o sindicato autor
a suspensão das etapas finais de liquidação do leilão e de assinatura do contrato de compra e
venda das ações da CEB-Distribuição S.A, até que seja apresentado estudo circunstanciado a
respeito dos impactos socioeconômicos na seara trabalhista em relação aos contratos de
trabalho em vigência e aos direitos adquiridos, no qual constem as alternativas para a mitigação
de danos e garantias de proteção aos direitos dos trabalhadores, além de intimação das rés a
apresentarem as informações e documentos elencados em sua peça inicial.

Explica que o periculum in mora, ora chamado de ‘risco de dano irreparável’, é explícito, uma vez
que aguardar o desfecho regular do processo pode prejudicar de maneira irreversível diversos
trabalhadores, pois será finalizado o procedimento de privatização da companhia, com a
liquidação do leilão e a assinatura do contrato de compra e venda das ações em 04/03
/2021, conforme cronograma do BNDES, sem qualquer tipo de estudo de
impacto socioeconômico na seara trabalhista, em decorrência dos contratos de trabalho
em vigência.

Segundo a parte autora, a probabilidade do direito, denominado de fumus boni iuris, está
presente em razão de todo o arcabouço legal exposto em sua fundamentação, que incluem
marcos jurídicos nacionais e internacionais, bem como jurisprudência favorável para caso

Assinado eletronicamente por: PATRICIA GERMANO PACIFICO - Juntado em: 24/02/2021 18:32:40 - fa0e7d2
análogo, em profunda insegurança para os trabalhadores, violando-se o direito ao trabalho e à
busca do pleno emprego, o direito à informação e participação e o direito à probidade e boa-fé no
âmbito dos contratos de trabalho.

Atendendo ao pedido, foi deferido o prazo de 24 horas para manifestação sobre a tutela
requerida.

A CEB alegou que embora não tenha qualquer obrigação legal de proceder dessa forma, teve o
cuidado de criar um processo seletivo com critérios objetivos e impessoais, relacionados
exclusivamente ao histórico profissional de seus empregados, de estudo sobre aqueles
empregados que poderiam ser cedidos em atendimento às solicitações feitas por outras
empresas e órgãos públicos do Distrito Federal, além de ter implantado um Programa de
Desligamento Voluntário que ofereceu aos empregados da Companhia a oportunidade de
desligamento voluntário, mediante adesão formal e recebimento de incentivos. Afirmou que o
Sindicato autor foi convidado a participar da negociação e criação do referido Programa de
Desligamento Voluntário, tendo se recusado. Suscitou também incompetência da justiça do
trabalho, perda do objeto em razão do leilão já realizado e privatização da CEB-D concretizada.

O BNDES suscitou ilegitimidade passiva, falta de condicionante e desnecessidade de estudos de


impacto laboral.

Analiso.

Primeiramente, não está em questão a validade do procedimento de desestatização da empresa,


mas tão-somente o direito dos trabalhadores ao seu emprego e a efetividade de normas jurídicas
infraconstitucionais trabalhistas.

A empresa relatou que criou processo seletivo, aprovado pelo Ministério Público do Trabalho,
que implantou Programa de Desligamento Voluntário e que convidou o Sindicato para participar
do referido processo, contudo, não apresentou documentos comprobatórios de suas alegações,
tendo colacionado a respeito da matéria apenas um edital de seleção.

Em consulta ao link do site do BNDES disponibilizado pela parte autora (https://www.bndes.gov.br


/wps/portal/site/home/transparencia/desestatizacao/processos-em-andamento/CEB-Distribuicao-
SA), o qual traz informações sobre o processo de desestatização da empresa CEB Distribuição S.
A., há vários documentos e informações, contudo, não consta qualquer documento a demonstrar
a análise prévia, acurada e pormenorizada no tocante à repercussão nos contratos de trabalho
em vigência e aos direitos adquiridos.

De outro norte, conforme consta no cronograma de privatização disponibilizado no site do


BNDES (ID 3r9vr4f), o processo de privatização ainda não se consolidou, pois, em que pese ter

Assinado eletronicamente por: PATRICIA GERMANO PACIFICO - Juntado em: 24/02/2021 18:32:40 - fa0e7d2
havido o pregão do leilão da companhia, a liquidação do leilão e assinatura do contrato de
compra e venda das ações, além da assinatura do Termo Aditivo ao Contrato de Concessão
estão previstos para ocorrer, respectivamente, nos dias 04/03/2021 e 05/03/2021.

Persegue a parte autora direito social garantido pelos princípios constitucionais da livre iniciativa,
valores sociais do trabalho, dignidade da pessoa humana do trabalhador (arts. 1º, 6º e 170, da
CF) e também da função social da empresa e da propriedade (XXIII, art. 5º da CF):

Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e
Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem
como fundamentos:

[…]

III - a dignidade da pessoa humana;

IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;

Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o


transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à
infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

Art. 170. A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre


iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça
social, observados os seguintes princípios:

(...) VIII - busca do pleno emprego;

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se
aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à
liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

XXII - é garantido o direito de propriedade;

Os direitos adquiridos, a garantia dos contratos de trabalho e a proibição de alteração dos


contratos em prejuízo ao trabalhador, encontram-se positivados também na Consolidação das
Leis do Trabalho – CLT, vejamos:

Art. 10 -Qualquer alteração na estrutura jurídica da empresa não afetará os direitos


adquiridos por seus empregados.

Art. 448 -A mudança na propriedade ou na estrutura jurídica da empresa não afetará os


contratos de trabalho dos respectivos empregados.

Art. 468 -Nos contratos individuais de trabalho só é lícita a alteração das respectivas
condições por mútuo consentimento, e ainda assim desde que não resultem, direta ou
indiretamente, prejuízos ao empregado, sob pena de nulidade da cláusula infringente
desta garantia.

Diante desse panorama jurídico, a inércia das reclamadas em efetuar análise precedente
minuciosa e acurada dos efeitos da privatização sobre as relações de trabalho vigentes, as quais
interferem diretamente nas condições de vida de toda uma coletividade de empregados, cuja
fonte de sustento e sobrevivência depende da subsistência do emprego, revela afronta à
dignidade da pessoa humana e com ao valor do trabalho na nossa ordem social, comportamento
que vulnera de forma frontal e abrupta, preceitos básicos laborais, direitos humanos
fundamentais e normas trabalhistas asseguradas constitucionalmente.

Assinado eletronicamente por: PATRICIA GERMANO PACIFICO - Juntado em: 24/02/2021 18:32:40 - fa0e7d2
Insta, também, destacar a ausência de participação do sindicato durante o processo, a despeito
do nítido interesse básico de toda uma categoria profissional no desenrolar e no desfecho do
mesmo, diante dos reflexos evidentes e objetivos na vida de inúmeros trabalhadores. Frise-se
que não houve prova do suposto convite e da posterior recusa pela entidade sindica. No nosso
Estado Democrático de Direito, a falta de uma interlocução coletiva aberta, imbuída de um
espírito colaborativo, humano e social, deixa entrever a falta de cuidado em esfera extremamente
relevante e sensível do processo de desestatização, revelando o desinteresse quanto à causa
dos empregados, situação que vai de encontro ao postulado constitucional da função social da
empresa e ao que dispõe a Convenção nº 135, da OIT:

ARTIGO 1º

Os representantes dos trabalhadores na empresa devem ser beneficiados com uma


proteção eficiente contra quaisquer medidas que poderiam vir a prejudicá-los, inclusive o
licenciamento, e que seriam motivadas por sua qualidade ou suas atividades como
representantes dos trabalhadores, sua filiação sindical, ou participação em atividades
sindicais, conquanto ajam de acordo com as leis, convenções coletivas ou outros arranjos
convencionais vigorando.

ARTIGO 5º

Quando uma empresa contar ao mesmo tempo com representantes sindicais e


representantes eleitos, medidas adequadas deverão ser tomadas, cada vez que for
necessário, para garantir que a presença de representantes eleitos não venha a ser
utilizada para o enfraquecimento da situação dos sindicatos interessados ou de seus
representantes e para incentivar a cooperação, relativa a todas as questões pertinentes ,
entre os representantes eleitos, por uma Parte, e os sindicatos interessados e seus
representantes, por outra Parte.

Importante frisar que, em análise precária, não cabe ao Juízo o exame item por item das
insurgências suscitadas, sob pena de desvirtuamento do instituto liminar, devendo proferir
fundamentadamente a sua decisão em caráter não meritório, a fim de se garantir a plena entrega
da prestação jurisdicional.

Nesse diapasão, com amparo em princípios laborais constitucionais e com esteio em normas de
Direito Internacional, legítima a pretensão autoral em obter das reclamadas um estudo detido e
fundamentado sobre as consequências advindas e as práticas a serem adotadas na esfera
trabalhista, decorrentes do processo de privatização, tais como regras quanto à dispensa e
aproveitamento de empregados, à luz de todo arcabouço jurídico multicitado, voltado para a
proteção ao empregado e à dignidade da pessoa humana.

Ante o exposto, entendo presentes os requisitos do art. 300 do CPC, razão pela qual DEFIRO,
em ordem precária, o pedido de antecipação dos efeitos da tutela de urgência, a fim de
determinar que as reclamadas suspendam as etapas finais de liquidação do leilão e de
assinatura do contrato de compra e venda das ações da CEB -Distribuição S.A até que seja
apresentado estudo circunstanciado a respeito dos impactos socioeconômicos na seara
trabalhista em relação aos contratos de trabalho em vigência e aos direitos adquiridos, onde

Assinado eletronicamente por: PATRICIA GERMANO PACIFICO - Juntado em: 24/02/2021 18:32:40 - fa0e7d2
constem as alternativas para a mitigação de danos e garantias de proteção aos direitos dos
trabalhadores, sob pena de multa de R$ 500.000,00, no caso de descumprimento, a partir da
comprovação de ciência da presente decisão.

A suspensão deverá ser efetivada, no prazo de 24 horas, após a ciência da presente decisão.

As rés deverão apresentar no prazo de até 60 dias, sob pena de multa diária de R$ 10.000,00,
limitada a R$ 100.000,00, as seguintes informações/documentos:

1.Relação completa de empregados efetivos, terceirizados, estagiários e demais


prestadores de serviços da CEB - Distribuição S.A, diretos e indiretos, bem como suas
alocações atuais;

2.Informação precisa e objetiva sobre ter havido estudo e/ou tentativa de cessão de seus
empregados para outras empresas públicas ou órgãos da administração pública direta,
uma vez que a cessão, requisição e exercício de empregados em outros órgãos públicos é
plenamente possível e possui diversas previsões normativas (Lei Federal nº 8.112/1990;
Decreto Presidencial nº 9.144/201; Portaria nº 342/2017 do Ministério do
Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

3. Lista dos seguintes documentos: a) Relação Anual de Informações Sociais – RAIS -de
2020; b) Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED -de 2020; c)
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA -atual, de todos os locais de
trabalho; d) Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO - atual.

Frisa-se que a determinação que ora se impõe, não causará maiores prejuízos às empresas
envolvidas no processo, podendo o procedimento prosseguir livremente após o atendimento das
determinações contidas na presente decisão.

A parte autora deverá manifestar-se nos autos, a qualquer tempo, com base no princípio da
lealdade processual, informando o atendimento das determinações supramencionadas.

Intimem-se as rés para apresentação de defesa no prazo de 15 dias.

Apresentada a defesa, conceda-se vista ao autor no prazo de 15 dias.

Ato contínuo, intime-se o Ministério Público para atuar como fiscal da lei nos termos do §1º do
art. 5º da Lei nº7347/85.

Cumprido o percurso, venham-me os autos conclusos.

BRASILIA/DF, 24 de fevereiro de 2021.

PATRICIA GERMANO PACIFICO


Juíza do Trabalho Titular

Assinado eletronicamente por: PATRICIA GERMANO PACIFICO - Juntado em: 24/02/2021 18:32:40 - fa0e7d2
https://pje.trt10.jus.br/pjekz/validacao/21022414374860500000025262257?instancia=1
Número do processo: 0000093-88.2021.5.10.0012
Número do documento: 21022414374860500000025262257
PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA DO TRABALHO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 10ª REGIÃO
12ª Vara do Trabalho de Brasília - DF
ACPCiv 0000093-88.2021.5.10.0012
AUTOR: SIND DOS TRAB NA IND URB NAS ATIV DE MEIO AMB NOS ENT DE
FISC E REG DE SERV DE ENERG ELET SAN GAS E MEIO AMB NO DF
RÉU: COMPANHIA ENERGETICA DE BRASILIA, BANCO NACIONAL DE
DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E SOCIAL

CONCLUSÃO

Conclusão ao(à) Exmo(a). Juiz(a) do Trabalho feita pelo(a) servidor(a) ANDERSON LISBOA
ANDRADE FREITAS, em 22 de fevereiro de 2021.

DESPACHO

Vistos.

Em atenção aos princípios da cautela e do contraditório, este de forma ampliada, visto tratar-se
de pedido liminar, defiro o prazo improrrogável de 24 horas para manifestação sobre a tutela
requerida.

Após, conclusos os autos para decisão.

Publique-se.

BRASILIA/DF, 22 de fevereiro de 2021.

PATRICIA GERMANO PACIFICO


Juíza do Trabalho Titular

Assinado eletronicamente por: PATRICIA GERMANO PACIFICO - Juntado em: 22/02/2021 12:21:34 - e7da7c4
https://pje.trt10.jus.br/pjekz/validacao/21022211502125100000025220428?instancia=1
Número do processo: 0000093-88.2021.5.10.0012
Número do documento: 21022211502125100000025220428
PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA DO TRABALHO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 10ª REGIÃO
12ª Vara do Trabalho de Brasília - DF
ACPCiv 0000093-88.2021.5.10.0012
AUTOR: SIND DOS TRAB NA IND URB NAS ATIV DE MEIO AMB NOS ENT DE
FISC E REG DE SERV DE ENERG ELET SAN GAS E MEIO AMB NO DF
RÉU: COMPANHIA ENERGETICA DE BRASILIA, BANCO NACIONAL DE
DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E SOCIAL

TERMO DE CONCLUSÃO

Conclusão ao(à) Exmo(a). Juiz(a) do Trabalho feita pelo(a) servidor(a) BARBARA VIRGINIA
MIRANDA GONZAGA, em 17 de fevereiro de 2021.

DESPACHO

Vistos.

CONSIDERANDO a declaração pública de pandemia em relação ao novo Coronavírus pela


Organização Mundial da Saúde OMS, de 11 de março de 2020, assim como a Declaração de
Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional da OMS, de 30 de janeiro de 2020;

CONSIDERANDO a Lei no 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que dispõe sobre medidas para
enfrentamento da situação de emergência em saúde pública de importância internacional
decorrente do novo Coronavírus, bem como a Declaração de Emergência em Saúde Pública de
Importância Nacional veiculada pela Portaria no 188/GM/MS, em 4 de fevereiro de 2020;

CONSIDERANDO a aprovação pela Câmara dos Deputados da Mensagem Presidencial no 93


/2020, que reconheceu o estado de calamidade pública no Brasil;

CONSIDERANDO a natureza essencial da atividade jurisdicional e a necessidade de se


assegurarem condições mínimas para sua continuidade, compatibilizando-a com a preservação
da saúde de magistrados, agentes públicos, advogados, jurisdicionados e usuários em geral;

CONSIDERANDO que o momento de Pandemia recomenda que se evite a aglomeração de


pessoas, por razão de saúde pública, como medida para se evitar a disseminação acelerada da
enfermidade, afetando grupos de risco e criando o colapso do sistema de saúde;

CONSIDERANDO a Portaria Conjunta nº 3, de 28 de Abril de 2020, deste Regional;

DECIDO, de modo excepcional e temporário, que fica dispensada a realização de audiência


inicial nos presentes autos.

Assinado eletronicamente por: CARLOS AUGUSTO DE LIMA NOBRE - Juntado em: 17/02/2021 20:06:45 - 5e131a9
Cite-se a parte reclamada dos termos da presente reclamação trabalhista, por meio do
sistema E-Carta, para, no prazo de 15 dias, apresentar defesa escrita com os documentos que
entender necessários, a contar do 1º dia útil da efetiva notificação, nos termos do art. 774 da CLT
c/c art. 22 da Resolução 185/17 do CSJT , sob pena de revelia e confissão quanto à matéria
fática.

Após o prazo de defesa, intime-se a parte autora para réplica, no prazo de 15


dias, devendo, nesse mesmo prazo, juntar ao processo novos documentos que entenda
como indispensáveis à produção da prova material.

Após o prazo da réplica, voltem-me os autos conclusos para providências, inclusive para
a marcação de audiência de instrução, caso necessário.

Na hipótese das partes nada manifestarem acerca da prova oral ou pericial, ficará
autorizado o imediato encerramento de instrução, com abertura de prazo de 10 dias para
apresentarem razões finais escritas.

Decorrido o prazo acima, os autos deverão voltar-me conclusos para julgamento.

Registre-se que nos termos do art. 764 da CLT, as partes poderão, a qualquer tempo,
peticionar pleiteando homologação de acordo nos presentes autos, com a assinatura de
todas as partes, inclusive do(a) reclamante, formas de pagamento e/ou
parcelamento, responsabilidade previdenciárias e outras providências conciliatórias para
a análise e eventual homologação pelo Juízo.

Saliento que os advogados deverão observar, quando do peticionamento, a correta classificação


do documento (Tipo de documento), a fim de agilizar o processamento eletrônico do feito e
viabilizar a correta tramitação nos fluxos do PJE.

Publique-se.

BRASILIA/DF, 17 de fevereiro de 2021.

CARLOS AUGUSTO DE LIMA NOBRE


Juiz do Trabalho Substituto
SUMÁRIO
Documentos

Data da
Id. Documento Tipo
Assinatura

fa0e7d2 24/02/2021 18:32 Decisão Decisão

e7da7c4 22/02/2021 12:21 Despacho Despacho

5e131a9 17/02/2021 20:06 Despacho Despacho