Você está na página 1de 27

CENTRO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICO DO AMAZONAS – CETAM

CURSO TÉCNICO EM MECATRÔNICA

COMANDO NÚMERICO COMPUTADORIZADO – CNC

FELIPE MARTINS
THIAGO AQUINO
WESLEY ARAÚJO

MANAUS/AM
2020
Ambiente de Aprendizagem onde foi realizada a Atividade Prática:
Instituto Benjamin Constant – IBC

Endereço de onde foi realizada a Atividade Prática:


Av. Ramos Ferreira, 991 - Centro, Manaus - AM, 69010-120

Ambiente de Aprendizagem: Laboratório 01

Turno: Matutino

Período de realização: 06/10/20 a 15/10/20

Relatório Técnico de Atividades Práticas 1:


Mecatrônica, apresentado como requisito parcial
para aprovação no componente curricular/Curso
Técnico em Mecatrônica.

Nota Final de Componente de Atividades Práticas:

Considerações do Instrutor da Atividade Prática - projeto integrador: Ana Emília.

MANAUS
2020
LISTA DE FIGURAS

Figura 1 Fresadora Hydrotel da Cincinnati Company..........................................................................10


Figura 2 - Coordenadas X, Y, Z e pontos de referência de uma fresadora CNC...................................11
Figura 3 - Coordenada absoluta e incremental......................................................................................12
Figura 4 - Estrutura de um bloco de programação...............................................................................12
Figura 5 - Router CNC RC0807 – Distritec..........................................................................................16
Figura 6 - CNC Hobby v2.0 – CompuSoftwareBR..............................................................................17
Figura 7 - Router CNC A6550 - JDR Projetos e componentes.............................................................18
Figura8 programação da CNC..............................................................................................................20
Figura 9 Programação da CNC.............................................................................................................20
Figura 10 opções do formato inkscap...................................................................................................21
Figura 11 Programa GRBL..................................................................................................................21
Figura 12 Drivers de DVD...................................................................................................................22
LISTA DE TABELAS

Tabela 1 Lista de caracteres mais utilizados em programação CNC.....................................................13


Tabela 2 - Instruções tipo G (preparatórias) mais utilizadas em programação CNC.............................14
Tabela 3 - Funções de miscelânea........................................................................................................15
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO.......................................................................................................7
2. JUSTIFICATIVA.....................................................................................................7
3. OBJETIVO GERAL:...............................................................................................8
4. OBJETIVOS ESPECIFICOS:..................................................................................8
5. REFERENCIAL TEÓRICO....................................................................................8
5.1. COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO (CNC).................................8
5.2. COORDENADAS E REFERÊNCIAS CNC.........................................................10
5.3. PROGRAMAÇÃO CNC.......................................................................................11
5.4. MERCADO DE CNC............................................................................................14
6. RECURSOS...........................................................................................................25
7. CRONOGRAMA...................................................................................................26
8. REFERÊNCIAS.....................................................................................................27
6

1. INTRODUÇÃO

O controle numérico (CN) é um método de controle dos movimentos de máquinas pela


interpretação direta de instruções codificadas na forma de números e letras. O sistema
interpreta os dados e gera o sinal de saída que controla os componentes da máquina.
Construída com materiais recicláveis e a ajuda do Arduíno, a CNC de drive de dvd, foca em
utilizar matérias de computadores velhos, como o drive, e transformá-lo em algo útil.
O CNC é um sistema em que um microcomputador é utilizado para controlar a
Máquina, este microcomputador é parte integrante do equipamento. O programa pode
ser preparado remotamente em sistema integrados de projeto (CAD-D) e fabricação (CAM,
CAPP), em sistemas deste tipo, o operador pode simular o programa CNC para verificar
eventuais problemas que poderiam ocorrer durante o processo real de usinagem. Também é
possível preparar o programa na própria máquina que normalmente dispõe de teclado e tela.
A CNC de drive de dvd, se limita a projetos menores como placas e entalhos menos
complexos, devido seu tamanho e equipamento, porém, o conceito e os resultados são iguais
de uma CNC de um torno mecânico, por exemplo.
Portanto, a finalidade deste trabalho foi para o desenvolvimento de um protótipo de
máquina CNC de pequeno porte e baixo custo para utilização no processo de desenhar para o
ramo gráfico.
7

2. JUSTIFICATIVA

Devido ao fato de as máquinas de CNC serem construídas por empresas que possuem
o total domínio sobre essa tecnologia, o seu modo de funcionamento e serem vendidas por
valores elevados que, muitas vezes, são inacessíveis para a maioria das pessoas, o
desenvolvimento de uma CNC acessível e de baixo custo permitiria a aquisição de um
conhecimento básico para os alunos; ampliando os recursos e possibilidades de atividades
propostas por professores de como construir uma CNC e um melhor entendimento sobre seus
componentes, sua programação, suas peças mecânicas e afins permitindo, assim, o
desenvolvimento de uma CNC mais complexa.

3. OBJETIVO GERAL:

O propósito deste trabalho é projetar, construir e implementar um sistema de comando


numérico computadorizado de baixo custo e moderno para um melhor entendimento desse
tipo de máquina. Esse sistema CNC será feito reutilizando drivers de DVD.

4. OBJETIVOS ESPECIFICOS:

Para alcançar o objetivo geral deste projeto, é importante considerar também os


seguintes pontos:
 Estudar o funcionamento das máquinas CNC de usinagem em 2D para aplicação no
projeto;
 Realizar a modelagem computacional do protótipo no software inkscap;
 Realizar a montagem do protótipo;
8

5. REFERENCIAL TEÓRICO

5.1. Comando Numérico Computadorizado (CNC)

O desenvolvimento do que seria o CN, surgiu no ano de 1945 em uma iniciativa particular
de um empresário empreendedor e criativo, o Dr. John T. Parsons, dono da empresa The John
T. Parsons Company, fabricante de componentes para aeronaves. John sentia a necessidade de
uma máquina fresadora que executasse as operações de forma automática, pois as peças
fabricadas em fresadoras demandavam muito tempo, por serem complexas e necessitarem de
grande precisão dimensional. Então Parsons adicionou acionamentos à uma fresadora,
tornando seu funcionamento automático via leitor de cartões perfurados, sistema então
denominado de Digitron (FIGUEIRA, 2003). Com a chegada dos sistemas computadorizados
na indústria e a ascensão da informática, foi possível incorporar a tecnologia do CN ao
computador, ocasionando em um sistema chamado de Comando Numérico Computadorizado
CNC, permitindo assim que sistemas de processamento adquirissem interface gráfica
(MACHADO, 1986).

A tecnologia CNC (Computer Numerical Control), é uma forma de acionamento


automática de máquinas ou dispositivos que necessitem controle de movimentos para executar
suas funções. Logo, faz-se necessário a utilização de eletrônica com processadores ou
microcontroladores em conjunto com memórias, onde o sistema de processamento recebe as
informações em linguagem própria e compila as mesmas, transformando-as em impulsos
elétricos enviados aos atuadores que executam a movimentação (PEREIRA, 2003).

Em uma CNC, os elementos que transformam os comandos enviados pelo controlador


em movimento mecânico, são de grande importância para uma correta execução do trabalho.
Eles são fundamentais para proporcionar uma maior precisão e controle dos processos
executados pelas Fresadoras CNC, esta ferramenta versátil permite a programação de peças
que, pela sua complexidade de formas, não poderiam ser fabricadas com facilidade utilizando
recursos convencionais. Dentre estes componentes, é destacado os motores (responsáveis pela
transformação de sinais elétricos em movimento), e os fusos (responsáveis pela transformação
do movimento circular para o linear) que transmitem movimento para castanha e
consequentemente à mesa ou eixo móvel da máquina. (SUH, 2008)

Em 1955, a nova tecnologia denominada pelo MIT de NC (Numeral Control) em


português Controle Numérico, foi disponibilizada para a indústria (HILLIS, 2017). Na Figura
1 pode ser verificado o protótipo desenvolvido na época, o qual possuía armários de controle
maiores que a própria máquina.
9

Figura 1 Fresadora Hydrotel da Cincinnati Company.

Fonte:http://www.lathes.co.uk/dsgfactory002/, 2018

Após a disseminação da nova tecnologia, diversos fabricantes surgiram, cada qual com
sua linguagem de programação própria, dificultando a operação de diferentes máquinas.
Então, em 1958 a EIA (Electronic Industries Association), após estudos para a padronização
da linguagem, criou um padrão chamado de EIA – 244 ou ASCII (American Standard Code
for Information Interchange) em português Código Padrão Americano para Intercâmbio de
Informações (NAVARRO, 1991).
10

5.2. Coordenadas e referências CNC

As máquinas CNC usam informações geométricas da peça inserida em um sistema de


coordenadas cartesianas. As coordenadas da máquina precisam de um referencial para poder
percorrer as dimensões da peça de forma correta. Esse referencial pode ser a coordenada
inicial da máquina ou a coordenada inicial da peça (SMID, 2008). A Figura 2 ilustra uma
fresadora CNC do tipo Router com possibilidade de movimentação em três eixos cartesianos
X, Y e Z. O (Item 2) da Figura 2 mostra a coordenada inicial da máquina que é algo intrínseco
de sua construção, e o (Item 1) representa a coordenada inicial da peça, a qual pode ser
alterada de acordo com a posição da peça.
Figura 2 - Coordenadas X, Y, Z e pontos de referência de uma fresadora CNC.

Fonte Adaptado em 13/10/2020 de Costa, 2006.

Na programação CNC, os valores de coordenadas podem ser referenciados de dois


modos distintos, sendo referencial absoluto ou incremental. No referencial absoluto, a
referência será sempre um único ponto fixo que pode ser a coordenada inicial da máquina ou
da peça. Já no referencial incremental, a referência será sempre reiniciada a cada novo
movimento, ou seja, depois de efetuar um comando de deslocamento, o novo ponto atingido
será a nova referência para as próximas coordenada (COSTA, 2006) e (SMID, 2008). A
Figura 3 apresenta uma trajetória com suas respectivas coordenadas nos modos absoluto e
incremental.
11

Figura 3 - Coordenada absoluta e incremental.

Fonte Adaptado em 13/10/2020 de Costa, 2006.

5.3. Programação CNC

Um programa CNC é uma sequência de códigos que descreve as funções que a


máquina deve desenvolver para construção da peça. O código é escrito em blocos, onde cada
bloco representa uma linha de programação. Como pode ser observado na Figura 4, os blocos
são compostos por instruções ou também chamadas de palavras que indicam a posição do
eixo, velocidade, comandos preparatórios e miscelâneas. (COSTA, 2006).

Figura 4 - Estrutura de um bloco de programação.

Fonte Adaptado em 13/10/2020 de Costa, 2006.

Já as instruções são compostas por caracteres que são os números, letras e símbolos.
Na Tabela 1 estão listados os caracteres de maior utilização em programação CN.
12

Tabela 1 Lista de caracteres mais utilizados em programação CNC.

Adaptado em 13/10/2020 de Costa, 2006.

As instruções do tipo G (preparatórias) e M (miscelâneas) são a base de um programa CNC.


As instruções G têm a função de preparar a máquina para poder executar movimentos de
maneira pré-definida e reconhecer unidades de medida, que podem ser vistos na Tabela 2.
13

Tabela 2 - Instruções tipo G (preparatórias) mais utilizadas em programação CNC.

Fonte Adaptado em 13/10/2020 de Costa, 2006.

Já as funções M, conhecidas como miscelâneas, funcionam como interruptores de


liga/desliga para controlar as funcionalidades da máquina, como ligar motor, troca de
ferramenta e outros que podem ser vistos na Tabela 3.
14

Tabela 3 - Funções de miscelânea

Fonte Adaptado em 13/10/2020 de Costa, 2006.

As instruções G podem ser divididas em modais e não modais. As funções modais são
caracterizadas por serem gravadas na memória do programa, ou seja, quando utilizadas em
um bloco de programação, os demais blocos subsequentes a utilizarão como referência, até
que uma nova instrução modal seja utilizada ou o programa seja finalizado. Nas instruções
não modais, a mesma deve ser utilizada em cada novo bloco que necessitar a instrução, não
sendo gravada em memória do programa (COSTA, 2006).
Os comandos modais mais utilizados em programação:
 G(00) Posicionamento rápido
 G(01) Interpolação linear
 G(02) Interpolação circular de sentido horário
 G(03) Interpolação circular de sentido anti-horário
 G(20) Unidade de medida em polegada
 G(21) Unidade de medida em milímetro
 G(90) Sistema de coordenadas absoluto
 G(91) Sistema de coordenadas incremental

5.4. Mercado de CNC

As máquinas CNCs são muito utilizadas em processos de corte e gravação de


diferentes industrias. Com isso, as características construtivas das máquinas disponíveis no
mercado podem variar de acordo com fabricante ou processo a que se destinam. Com o
objetivo de apresentar as principais características e comparativo de preços de venda, foram
levantados três modelos de máquinas CNCs de diferentes fabricantes, ambas desenvolvidas
para processamento de madeira, plástico e materiais macios.
15

O modelo, apresentado na Figura 5, é da fabricante Distritec, desenvolvida para


trabalhos com madeira, MDF, acrílico, resinas, PVC e materiais macios. Segundo a
fabricante, a precisão pode variar de acordo com o material, qualidade da fresa e modo de
operação, normalmente apresentando variação de 0,1 até 1mm (Distritec, 2018). A máquina
contempla a estrutura mecânica, quadro eletrônico com todo hardware de controle e motor
ferramenta (ArtSoft, 2018).
Figura 5 - Router CNC RC0807 – Distritec

Fonte: Adaptado em 13/10/2020 de Distritec, 2018


Outra máquina é a
CNC Hobby, fabricada pela
CompuSoftwareBR e desenvolvida para os segmentos de marcenaria, mecânica, artesanato,
arquitetura e outros. Os pontos mais relevantes desta máquina são a estrutura construída em
chapas de MDF e a utilização de dois motores de tração para o eixo Y, o qual recebe a maior
carga (CompuSoftware-BR, 2018). Na Figura 69 pode ser verificada a forma construtiva da
máquina e suas principais características.
16

Figura 6 - CNC Hobby v2.0 – CompuSoftwareBR

Fonte: Adaptado em 13/10/2020 de CompuSoftware-BR,2018

Por fim, a Figura X apresenta a última CNC, fabricada pela JDR projetos e
componentes, sua aplicação é voltada para usinagem de placas de circuito impresso, MDF,
compensados, madeiras em geral, acrílico, PVC, ACM, plásticos, entre outros materiais. Suas
principais características são: capacidade de usinagem de peças em 2D e 3D, ferramenta
probe para autorreferencia do eixo Z, sistema de tração por fuso trapezoidal e estrutura em
chapa de alumínio. (JDR Projetos e componentes, 2018).
17

Figura 7 - Router CNC A6550 - JDR Projetos e componentes

Fonte: Adaptado em 13/10/2020 de JDR Projetos e Componentes, 2018.

Dentre os modelos levantados, a maior diferença entre eles são: área útil de trabalho, potência
do conjunto motor driver, sistema de tração, material e forma construtiva. Os valores das duas
primeiras são bem parecidos, já a última possui um valor mais elevado devido a maior
potência dos motores e utilização de fusos trapezoidais para tração.
18

6. METODOLGIA

Para a construção da CNC foi realizada uma pesquisa na internet, onde escolheu-se um
tutorial de CNC com drivers de DVD do canal ChannelCreative
 Base:

Será feita de madeira usando o tamanho equivalente aos drives de DVD’s. com suporte

em sua parte inferior para garantir estabilidade na hora de seu funcionamento. Cada eixo

terá uma base de fixação. Os eixos X e Y realizarão os desenhos nos papéis através de

coordenadas definidas no programa. No eixo Z será acoplado a caneta. Levantará e

abaixará de acordo com o as coordenas do programa.

 ARDUINO:
A fonte do Arduino será por volta dos 12V e 1.5 A para ser suficiente para alimentar a CNC
shield. O arduino enviará sinais (pulsos) para os três drives que acionam os motores de passo
dos drivers. Os pulsos serão emitidos através do programa em linguagem G. Que
determinarão o movimento que os eixos X, Y e Z irão realizar.

 PROGRAMAÇÃO

Na programação, será utilizado o Software de desenho AutoCAD e o software INKSCAP que


trabalha na linguagem G (G code) GRBL. Será utilizado o Arduino vamos definir algumas
propriedades de sua movimentação como velocidade de cada eixo, seus limite de atuação e o
mais difícil que será fazer o cálculo que envolve bastante precisão do número de giros do
motor de passo pelo número de voltas do fuso que resultará em uma distância linear no plano
cartesiano da CNC.
Esse cálculo é de extrema precisão pois ele definirá a precisão da CNC que iremos produzir.
19

Figura8 programação da CNC

acessível em: circuitdigest.com/microcontroller-projects/arduino-cnc-machine-project-code

Figura 9 Programação da CNC

acessível em: circuitdigest.com/microcontroller-projects/arduino-cnc-machine-project-code


20

PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO

Primeiro será realizado o Desenho no programa no INKSCAP. Em seguida será importado o


desenho no formato DXF ou GCODE para o programa GRBL, após isso é só gerar o
programa. O desenho será convertido de DXF para linguagem G, que é a linguagem que toda
máquina CNC usa.

Figura 10 opções do formato inkscap

acessível em: circuitdigest.com/microcontroller-projects/arduino-cnc-machine-project-code

Figura 11 Programa GRBL

acessível em: circuitdigest.com/microcontroller-projects/arduino-cnc-machine-project-code


21

Drives de DVD :
Os drives serão de retirados de computadores antigos que não estejam funcionando, que
estejam esperando descarte dos proprietários ou comprados por um preço acessível pela
internet.

Figura 12 Drivers de DVD

Fonte próprio autor, 2020

DESTES SERÃO APROVEITADOS;

GUIAS LINEARES

Irá atuar no movimento dos eixos. Devem estar sempre limpos e lubrificados para que não
ocorra travamento na realização dos movimentos.

MOTOR DE PASSO

Irá atuar rotacionando o fuso de acordo com os sinais emitidos pelo Arduino

FUSO

Irá transmitir a força do motor de passo e realizar o movimento dos eixos. Os drives de DVD
mais indicados e que serão utilizados são os que apresentam fusos maiores, no entanto, os
com fusos menos também podem servir, causando apenas mudança no código do Arduino.
22

MONTAGEM

A montagem será uma das partes mais fáceis, porém exigirá atenção para que não tenha o
risco de ficar preso no projeto ou até mesmo queimar alguns dos componentes eletrônicos.
1. Realizar montagem da base para parafusar os drivers de dvd. É importante que estejam
bem alinhadas para aproveitar o máximo de espaço possível, pois sua área de atuação já é
bastante pequena.
2. Realizar montagem dos componentes eletrônicos.
2.1 Montagem da shield CNC sob o Arduino .
2.2 Soldagem dos cabos nos motores de passo e nos drivers. A cor dos cabos devem
corresponder a polaridade (vermelho = positivo; preto GND, verde Terra).
3. Organização dos cabos.
4. Adaptação do Arduino na base da CNC.
5. Adaptação da caneta no eixo Z
23

7. RESULTADOS ESPERADOS:

Desenvolver uma CNC de pequeno porte e baixo custo usando peças que são descartadas no
nosso cotidiano. O protótipo realizará desenhos em alta qualidade. Esperando-se que sirva
para diversas aplicações, tais como fabricação de placas eletrônicas e principalmente para que
desperte o interesse de novos estudantes para a área de desenvolvimento de novas tecnologias.
Mesmo se tratando de uma tecnologia ultrapassada.
24

8. ORÇAMENTO E MATERIAIS

MATERIAL QUANTIDADE VALOR MÉDIO


Suporte (base) para os drives de DVD. 2 0 R$
drivers de DVD-rom antigos 2 0 R$
Arduino UNO. 1 50 R$
Placa CNC shield COM 4 DRIVERS 1 25 R$
Caneta 1 1 R$
Ferro de solda e estânio 1 30 R$
Porcas e parafusos m4 28 22.40 R$
Fonte de 12 V 1 20 R$
Chave de fenda 1 0 R$
serrote 1 0 R$
TOTAL :148.4
25

9. CRONOGRAMA

OUTUBRO: (PERIODOS DA ELEBORAÇÃO DO PROJETO).

ATIVIDADES 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Definição da
temática/assunto do
projeto: X

Começo das atividades/


elaboração do
cronograma: X X

Pesquisa e
desenvolvimento do
projeto: X X X X X X X X

Definição dos objetivos


e das metas do projeto:
X X X X X

Definição da
metodologia do projeto:
X X X X X X X X X

Descrição dos
equipamentos
utilizados: X X X X X X X

Desenvolvimento dos
slides e apresentação:
X X X X X X X X

Apresentação E Defesa
Do Projeto:
X X
26

10. REFERÊNCIAS

ARTSOFT. Mach 3: Interface Gráfica controle CNC. 2018. Disponível em: . Acesso em:
13 out 2020.

COMPUSOFTWARE-BR. CNC-Router Hobby-755. 2018. Disponível em: . Acesso em: 13


out 2020.

COSTA, Éder S. Processos de Usinagem. 2006. p. 63 – 82. Apostila, Centro Federal de


Educação Tecnológica de Minas Gerais, Divinópolis, 2006. Disponível em: . Acesso em: 13
out 2020.

DISTRITEC. Router CNC RC0807. 2018. Disponível em: . Acesso em: 13 out 2020.

HILLIS, S. History of CNC Machining: How the CNC Concept Was Born. 2017.
Disponível em: < https://ww-w.cmsna.com/blog/history-of-cnc-machining-how-the-
cncconcept-was-born/>. Acesso em: 13 out 2020.

JDR PROJETOS E COMPONENTES. CNC Router - A6550. 2018. Disponível em: . Acesso
em: 13 out 2020.

MACHADO, A. Comando numérico aplicado às máquinas-ferramenta. São Paulo: Cone


Editora, 1986.

NAVARRO, H. A. Desenvolvimento de um sistema para programação comando


numérico para peças rotacionais, Dissertação de Mestrado – EESC - USP, São Carlos, SP,
1991.

PABLO A. S. Baier. Desenvolvimento de um CNC de pequeno porte. Instituto Federal de


Ciência e Tecnologia do Ceará, 2017.

PEREIRA, Athos G. Desenvolvimento e Avaliação de um Editor para Programação CN


em Centros de Usinagem. 2003. Disponível em: . Acesso em: 13 out 2020.

SUH, S. E. A. Theory and Design of CNC Systems. [S.l.]: Espanha: Editora Springer, v.
(Springer Series in Advanced Manufacturing), 2008.

SMID, Peter. CNC Programing Handbook. 3a ed. New York: Industrial Press Inc., 2008.
27

Você também pode gostar