Você está na página 1de 7

Qual a estrutura das Gónadas?

Trabalho realizado por Diogo Ramos, nº 6; Guilherme


Ramalho, nº 10 ; Rodrigo Casimiro, nº no âmbito da
Disciplina de Biologia, 12º ano
Introdução:
Nesta atividade pretende-se observar, com a ajuda de um microscópio,
as estruturas das gónadas e as fases da espermatogénese e oogénese.
A reprodução é muito importante para a vida de todos os seres vivos,
permitindo a continuidade das espécies. Na reprodução, gametas
femininos (oócito ll) e masculinos (espermatozoides) unem-se dando
origem a um novo ser.
A meiose é um processo de divisão celular caracterizado pela formação de
quatro células-filhas com a metade do número de cromossomos da célula-
mãe. Podemos concluir, então, que a carga cromossomial reduz-se
de 2n para n.
Espermatogénese
Espermatogénese inicia-se na puberdade e dura até ao final da vida e é
responsável pela reprodução de espermatozoides nos testículos que são
constituídos por tubos seminíferos onde ocorre a sua reprodução.
Na espermatogénese é constituída por 4 fases: Multiplicação,
Crescimento, Maturação e Diferenciação.
Fase de Multiplicação: A espermatogónias vai dividir-se por sucessivas
mitoses.
Fase de Crescimento: As espermatogónias vão aumentar de volume
devido a acumulação e síntese de substancias de reserva dando origem
aos espermatócitos l (2n).
Fase de Maturação: Os espermatócitos l dividem-se por meioses dando
origem aos espermatídios (n), ocorrendo outra segunda meiose que da
origem a 4 espermatídios.
Fase de Diferenciação: O espermatídio vai se tornar uma célula altamente
especializada onde vai perder grande parte do citoplasma, que vai ser
fagocitada pelas células de Sertoli, reorganização de organelos onde se
forma o flagelo a partir dos centríolos.
Oogénese
Os gametas femininos, oócitos ll, são formados pela oogénese. Esta
divide-se em 4 fases: Fase da Multiplicação, Fase de Crescimento, Fase de
Repouso e a Fase de Maturação.
Fase de Multiplicação: Ocorre sucessivas mitoses das oogónias(2n).
Fase de Crescimento: As células que se multiplicaram iram aumentar o seu
tamanha devido a acumulação de substancias de reserva, dando origem
aos oócitos l. Estes oócitos l ficam rodeados por folículos primordiais ( 6 a
7 milhões de folículos que acabem por degenerar restando 2 milhões).
Estes começam a primeira meiose que fica bloqueada na prófase l.
Fase de Repouso: Fase desde o nascimento até a puberdade onde restam
400 mil folículos primordiais.
Fase de Maturação: Nesta fase o oócito l que ficou bloqueado em prófase
irá continuar a meiose dando origem ao oócito ll (célula haploide).
Este processo ocorre todos os meses com a libertação de um oócito ll para
o exterior do ovário – Ovulação. Este oócito ll ainda não finalizou a meiose
e só o fará se houver fecundação, se não o oócito ll será eliminado e não
passa a óvulo.

Material:
-Microscópio ótico;
-Preparações definitivas de cortes histológicos de testículos e
ovários.

Procedimento:
1. Observar, com diferentes ampliações, as preparações;
2. Interpretar as imagens observadas.
Registo de Resultados/Discussão de Resultados:

Figura 1.1.- Corte de um testículo com ampliação 100x.


Figura 2.1- Corte de um ovário com ampliação de 400x
Fig. Espermatogénese
dfghsfdghdgfhsfghs

Você também pode gostar