Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS

CURSO DE NUTRIÇÃO

LUANA DOS ANJOS OLIVEIRA

ATIVIDADE SOBRE O FILME “O Jardineiro Fiel”

SÃO LUÍS

2016
LUANA DOS ANJOS OLIVEIRA

ATIVIDADE SOBRE O FILME “O Jardineiro Fiel”

Atividade apresentada à disciplina de


Ética aplicada a Nutrição da Universidade
Federal do Maranhão, como requisito
para a nota da 3ª Unidade, sob
orientação da Professora Mst. Elane
Viana Hortegal.

SÃO LUÍS

2016
ATIVIDADE SOBRE O FILME “O Jardineiro Fiel”

1) Qual a questão central do filme?

O filme retrata a situação de miséria que muitos sofrem na África,


conjuntamente com o envolvimento indiscutível dos interesses dos grupos
financeiros e dos laboratórios, que transformam vidas humanas em deploráveis
cobaias, tudo isso, na irresponsabilidade de lançar, o mais rápido possível,
produtos novos no mercado. O filme inicia-se com um diplomata britânico que
é transferido para trabalhar em uma região da África e junto leva uma
defensora dos direitos humanos, que conheceu durante uma palestra, e
acabou tornando-se sua esposa.
O que podemos observar no filme é uma profunda discussão quanto a
ética da pesquisa com seres humanos e principalmente até que ponto uma
pesquisa pode ser tida como ética. No filme, pelo fato das pessoas testadas
não participarem do mercado de trabalho, elas são tidas como dispensáveis e
consideradas como seres inanimados, desprovidos de sentimentos, sensações
e emoções. Assim sendo, os interesses monetários mostram-se maiores do
que a ética, levando a ciência a extremos que são maléficos. Portanto, o ponto
central está focado na questão ética da testagem de medicamentos em
seres humanos, sem a devida confirmação de seus resultados positivos,
que muitas vezes os leva a morte na esperança de cura.

2) Quais os aspectos sociais negligenciados pelo interesse


econômico predominante?

O filme traz com o principal tema a questão da pesquisa científica com


seres humanos, uma indústria farmacêutica que testa medicamentos nos
africanos, só que tal medicamento apresenta reações adversas, e nenhum
momento se tem uma preocupação em preservar vidas, tratando as pessoas
como meros objetos descartáveis. E o principal interesse, o lucro, disfarçado
através de uma ajuda a humanidade salvando vidas, e não sendo isso que
acontece.
Nota-se, ao longo do filme, são pessoas obrigadas a participarem de
uma pesquisa se quiserem ter acesso a assistência médica e receber
medicamentos. Sendo assim, a maior discussão do filme é até que ponto as
pessoas conseguem deixar de lado seus interesses pessoais em detrimento
das causas sociais, pelo bem coletivo. Desde o governo que deveria
representar a todos, às indústrias em si. O que cabe refletir é que não se
precisa estar em um país pobre para que esse tipo de situação aconteça, visto
que o filme ainda mostra que este não é um problema apenas do continente
africano, pois as indústrias envolvidas em tais situações de desrespeito para
com seres humanos têm suas sedes, predominantemente, na Europa e nos
Estados Unidos. Aqueles que, se supõe, trabalham para curar, de fato, visam
ao lucro.
 Em termos científicos, é importante que os pesquisadores sempre
tenham em mente que nenhuma vida é inferior à uma pesquisa; mesmo que o
resultado traga benefícios para mais pessoas; a vida sempre deve ser
preservada. Dessa forma, o filme traz consigo importantes reflexões acerca da
ganância e individualismo humano, atreladas ao ato científico. É necessário
identificar quando a ganância, o poder e o dinheiro tornam-se maiores do que o
propósito principal da produção de conhecimento científico.

3) Quais os princípios da bioética foram feridos neste filme,


exemplificando com cenas do filme?

 Autonomia:

Esse princípio visa respeitar a opinião do paciente, sabendo-se que todo


indivíduo tem o direito de ter opinião própria em relação a diversos assuntos.
O filme mostra africanos soro positivos que buscam tratamento e nesse
momento que as indústrias farmacêuticas entram, pois oferecem tratamento
para o HIV gratuitamente, e aproveitam para testar as drogas para o tratamento
de tuberculose, e os pacientes que não aceitassem não tinham o direito de
fazer o tratamento de HIV. Nesse aspecto, não existe dignidade no tratamento
uma vez que o africano não aceita ser cobaia, é impedido de se tratar, ou seja,
ele é forçado a participar, pois necessita do tratamento do HIV.
 Beneficência:

Priorizar o paciente, fazer não só de modo individual, mas coletivo.


Tomar decisões, ciente que essa atitude irá proporcionar mais benefícios do
que risco para o indivíduo.
Sendo assim, em comparação ao filme, os pesquisadores visavam os
interesses financeiros, reconhecimento e ascensão pessoal no que resultasse
no final da pesquisa, omitiam informações, a indústria farmacêutica que queria
a todo custo testar este tratamento para tuberculose, não se importando pelos
interesses do ser humano, em seu bem-estar e nem tão pouco nos benefícios
futuros à população. Isso é perceptível, quando o filme mostra que as grandes
empresas farmacêuticas não estão dispostas a retornar a droga para os
laboratórios e aperfeiçoá-la, pois, custaria mais tempo e dinheiro, ou seja,
levando em conta os prejuízos financeiros e não humanos.
 Não-maleficência
Princípio pautado na segurança do paciente, evitando qualquer situação
ou procedimento que possa lhe causar risco individual ou coletivo.
Fica claro que esse princípio é descumprido no filme, pois não há uma
responsabilidade com os danos previsíveis, na verdade o filme mostra
claramente que a indústria está pouco se importando com efeito colateral que
possa fazer acometer aquela população fragilizada, tratando-os como objetos,
pois o intuito é descobrir a cura da tuberculose para depois vender para países
ricos.
 Justiça
Todos os indivíduos têm o direito à saúde independente da situação
financeira, religião, raça.... A partir disso, torna-se utopia esse princípio no
filme, o ser humano faz uso de outro ser humano para interesse próprio, com
fins lucrativos.
4) No filme, qual a condição estabelecida para que os indivíduos
ingressem no estudo. Existe algum termo de consentimento? A
forma como é feito o ingresso dos indivíduos no estudo está
correta?

Em ambas as perguntas a resposta é não. Os pacientes buscam


tratamento para o HIV, é nesse momento que a indústria farmacêutica oferece
tratamento gratuitamente, e aproveitam para testar drogas para o tratamento
de tuberculose, sendo que os africanos não poderiam recusar, senão eram
privados de fazer o tratamento do HIV. Nesse contexto, é abordado diversas
questões, ferem os princípios da autonomia e liberdade, pois aquele que não
aceitasse ser cobaia não tinha o direito de fazer o tratamento e assim
acabavam sendo obrigados a se render e a fazer o tratamento.

5) A película retrata a realização de práticas em pesquisa condenáveis


do ponto de vista ético. Quais são essas práticas?

Não existe o termo de consentimento livre e esclarecido. Quando se


trata de pesquisa envolvendo seres humanos, faz-se necessário atender
exigências éticas e científicas. Deve-se, em primeiro lugar, ser claro a respeito
do tema da pesquisa, das técnicas, tecnologias, metodologias, dos indivíduos
que serão sujeitos da pesquisa. Além disso, a pesquisa deve ser direcionada
de forma que venha elevar o nível de conhecimento a respeito do que ela
pretende estudar. É fundamental que o pesquisador explique aos voluntários
de forma transparente do que se trata a pesquisa e o que acontecerá com
quem participar dela; possibilidades e riscos. E só assim, a pessoa deve ficar
livre para escolher se participa ou não.
Sendo assim, o filme retrata a omissão aos sujeitos sobre a pesquisa e
seus procedimentos e sobre os riscos e benefícios, não visa o bem-estar e os
benefícios dos pacientes, não descreve os procedimentos a serem utilizados, a
dignidade, a integridade e muito menos o interesse destes.
6) Além dos aspectos éticos da pesquisa clínica abordados no fime,
ele retrata uma dura realidade socioeconômica e a forma injusta
com que ela é imposta. Refletindo sobre a esfera social desta
população e pensando de forma global, no que representa a
Bioética, ajudar uma população desfavorecida economicamente é
uma questão de caridade ou de justiça?

Todo ser humano tem direito à saúde, independentemente da sua raça,


condição financeira, religião. Sendo tratados igualmente, sem distinção e
dignamente. Esse é um dos princípios da bioética, a justiça. Obrigação ética de
tratar cada indivíduo conforme o que é moralmente correto e adequado, de dar
a cada um o que lhe é devido. O profissional deve atuar com imparcialidade,
evitando ao máximo que aspectos sociais, culturais, religiosos, financeiros ou
outros interfiram na relação profissional-paciente. Os recursos devem ser
equilibradamente distribuídos, com o objetivo de alcançar, com melhor eficácia,
o maior número de pessoas assistidas.
Sendo assim, a maior reflexão desse filme é que devemos pensar como
cidadãos no bem coletivo que está acima de interesses particulares, as
decisões que forem tomadas pelo governo tem que ser em favor do povo e não
de uma corporação, que temos que exercer nosso censo crítico refletindo e
analisando tudo que nos é proposto, e não aceitar algo sem sermos
consultados, precisamos utilizar a comunicação como uma ferramenta para
dialogo e informação.

7) Ao longo do filme, em diversos momentos, os direitos dos sujeitos


de pesquisa foram violados. Pesquise sobre a Declaração de
Helsinki, em sua versão mais atualizada (2013) e tente identificar o
maior número possível de violações explicando como seria a forma
eticamente correta de se desenvolver esta pesquisa clínica.

Declaração de Helsinque é um conjunto de princípios éticos que regem a


pesquisa com seres humanos, esta diz também que em pesquisa clínica com
seres humanos, considerações relacionadas ao bem-estar dos seres humanos
que participarem da pesquisa devem prevalecer sobre os interesses da ciência
e sociedade. Infelizmente muitos laboratórios e financiadores de pesquisas não
seguem esta declaração e ultrapassam a barreira da ética em seus estudos em
países pobres. Logo, não existe nenhum respeito e padrão ético para a
proteção desses indivíduos, o que existe é uma desvalorização dos seres
humanos menos favorecidos. No filme, fica claro que eles priorizam o lucro, a
pesquisa é feita com seres humanos, sem nenhum consentimento, por meio de
uma “troca de favores”, fornecendo um tratamento em troca de participação em
uma pesquisa, ferindo assim, a Declaração.
Sendo assim, é preciso seguir o protocolo e padrões éticos, onde o bem-
estar dos participantes deve ser priorizado, deve-se deixar claro os
procedimentos realizados, bem como a metodologia com o devido termo de
consentimento. Além disso, ter toda uma precaução para proteger a
privacidade dos sujeitos da pesquisa, o que não é visto no filme.

Você também pode gostar