Você está na página 1de 3

EXEMPLO GENERALIZADO / CIF – FISIOTERAPEUTA

FISIOTERAPIA FORENSE

Para a emissão de um Laudo/Parecer pericial não há necessidade de você adicionar


códigos “d” e “e” da CIF. Pois como se trata de uma ação transversal bem específica
de nossa atuação fisioterapêutica (dizer como se encontra a incapacidade físico-
funcional do indivíduo), não há necessidade de entrar no mérito de “atividade e
participação” da CIF.

Exemplo prático: Vamos utilizar um periciado com FRATURA DE ÚMERO,


LIMITAÇÃO DE ADM e DOR.

1º - Se localiza CÓDIGOS CID:

FRATURA DE ÚMERO – CID S42.3 Fratura da diáfise do úmero (Neste caso este
CID cabe ao médico e normalmente já vem na história do paciente)

DOR - CID M25.5 Dor articular e CID M79.6 Dor em membro (Neste caso estes CIDs
cabem também ao Fisioterapeuta, pois dor não é diagnóstico de doença, e sim
alteração na função sensorial)

2º - Se localiza códigos da CIF relacionados à Função (“b”).

LIMITAÇÃO DE ADM – CIF de Mobilidade Articular – b7100

DOR – CIF – b28016

Obs. Podem existir vários códigos. Procure achar os mais relevantes para o que o
paciente apresenta. Basta escrever (neste caso) mobilidade articular no buscador
pdf da CIF/2003 e ir procurando. O mesmo deve ser feito para dor.

3º - Se determina os qualificadores das Funções deficitárias

LIMITAÇÃO DE ADM –

Verificam-se quais movimentos são limitados, executando movimentação ativa. Por


exemplo, a Abdução e a Flexão. Na seqüência quantifica-se o percentual destes
déficits. Isto pode ser feito com goniometria ou somente observando os limites
articulares.

Por exemplo, a abdução deveria ter 180° e apresentou 90° à movimentação ativa,
isto significa um déficit de 50% de Abdução. E a flexão deveria também ter 180° e
apresentou 60°, isto significa um déficit de 67% de Flexão.
4º - Equipara-se os déficits desta Função com os Qualificadores da CIF/2003

0 NÃO há problema (nenhum, ausente, insignificante) 0-4%


1 Problema LIGEIRO (leve, pequeno, ...) 5-24%
2 Problema MODERADO (médio, regular, ...) 25-49%
3 Problema GRAVE (grande, extremo, ...) 50-95%
4 Problema COMPLETO (total, ....) 96-100%

Pela equiparação o paciente possui déficit de 50 a 95% em Abdução e em Flexão.


Isto oferece para ambos o qualificador 3.

Então, o código de comprometimento da Função Mobilidade Articular (ADM) será


b7100-3 para a Abdução e também para a Flexão.

DOR –

Para a Função Dor podemos utilizar a Escala Visual Analógica, que possui
marcadores de 0 a 10, perguntando ao paciente quanto ele refere sem a realização
de movimento provocativo. Por exemplo, ele referiu 4, que representa 40%.

Pela equiparação o paciente possui déficit de 25 a 49% para Dor. Isto oferece
qualificador 2.

Então, o código de comprometimento será b280-2 para a Função Dor.

5º - Se localiza códigos da CIF relacionados à Estrutura comprometida (“s”).

Basta escrever (neste caso) braço no buscador pdf da CIF/2003 e ir procurando.


Encontrou-se o código s73000

6º - Se determina os qualificadores da Estrutura deficitária

Primeiro qualificador
Qualificador comum com escala negativa utilizado para indicar a extensão ou
magnitude de uma deficiência:
0 NENHUMA deficiência (nenhuma, ausente, escassa…) 0-4 %
1 deficiência LIGEIRA (leve, pequena,…) 5-24 %
2 deficiência MODÉRADA (média, regular…) 25-49 %
3 deficiência GRAVE (grande, extrema…) 50-95 %
4 deficiência COMPLETA (total…) 96-100 %

Segundo qualificador
Utilizado para indicar a natureza da mudança na estrutura corporal correspondente.
0 nenhuma mudança na estrutura
1 ausência total
2 ausência parcial
3 parte adicional
4 dimensões aberrantes
5 descontinuidade
6 posição desviada
7 mudanças qualitativas na estrutura, incluindo acumulação de fluidos
8 não especificada
9 não aplicável

Terceiro qualificador
Em desenvolvimento para indicar localização
0 mais de uma região
1 direita
2 esquerda
3 ambos os lados
4 parte anterior
5 parte posterior
6 proximal
7 distal
8 não especificada
9 não aplicável

Como neste caso o CID Médico é relacionado à Fratura do Úmero direito por
exemplo. O código do primeiro qualificador tem relação com a gravidade da
deficiência que a estrutura determina, que pelo analisado (pelas funções ADM e
DOR) possuem valor 3.

O código do segundo qualificador tem relação com a natureza da alteração da


estrutura, que neste caso cabe descontinuidade (fratura), valor 5.

O código do terceiro qualificador seria em relação à posição, que por exemplo seria
à direita, valor 1.

Então, o código de comprometimento da estrutura braço seria s73000.3.5.1

Assim temos a quantificação e qualificação da incapacidade perante a CIF e a CID.

Você também pode gostar