Você está na página 1de 3

ESCOLA MUNICIPAL JORNALISTA ALBERTO TORRES

DISCIPLINA: HISTÓRIA PROFESSOR: JOSE MANUEL FARIA


ALUNO(A): ANO: 2020 TURMAS 6º ANO
ATIVIDADES COMPLEMENTARES
TEMA: Antiga Grécia: O berço da democracia.

As cidades-Estado (polis) e a democracia

Bem vindo à Grécia Antiga. Acima podemos ver uma maquete representando um dos mais
importantes símbolos da cultura grega e de certa forma também da nossa cultura, se levarmos em
consideração que o Brasil faz parte do mundo ocidental (parte oeste do mundo). Ágora era um lugar
de encontros, debates, um lugar de convívio entre os cidadãos gregos. A cultura grega é muito rica e
vale muito você conhecer com um pouco mais de profundidade.

No ano de 2013, fomos testemunhas de diversas manifestações no Brasil que exigiam melhorias nas
condições de transporte, educação e saúde por exemplo. O povo brasileiro levantou-se do “berço
esplêndido” e passou a ser mais atuante na sua democracia? Mas o que isso significa, afinal? Quais
foram as mudanças trazidas por esse novo modelo político criado na Grécia antiga? Precisamos,
entretanto, recuperar um pouco do que certamente você já ouviu falar, mas talvez não compreenda os
conceitos para dar a devida importância.

Sabe quando alguém manda em você e não permite que a sua voz, sua opinião, seus
pensamentos sejam respeitados? Quando alguém está agindo assim não está sendo
DEMOCRÁTICO (“demo”: povo / “cracia”: poder). Ao contrário está sendo DITADOR,
AUTORITÁRIO. A democracia criada pelos gregos foi uma maneira muito inteligente de melhor
conviver em sociedade, no coletivo e impedir o autoritarismo assim como ditadores, especialmente
porque sabemos que as escolhas e gostos, da mesma forma que as maneiras de pensar e agir não são
iguais. De maneira que, ser democrático significa respeitar a vontade da maioria que vai, após
debates e exposições de argumentos, submeter as ideias aos votos . A partir da votação, o seu ponto
de vista poderá ser aceito ou não. Ser democrático também é aceitar o que a maioria decidir.

Na Grécia antiga a organização política dos lugares onde viviam as pessoas era a “pólis”,
lugar do coletivo, de muitos e depois também entendida como cidade. Só que as cidades gregas
tinham tamanha liberdade ou autonomia, diferenças entre elas que os historiadores chamaram de
Cidades-estados. Ou seja, cidades que eram quase países independentes no local onde hoje
chamamos Grécia. Atenas e Esparta eram exemplos de cidades-estados.
Imagem do Partenon, construído em Atenas, e considerado um dos mais famosos monumentos do mundo

A organização de um espaço coletivo ou espaço público, mesmo uma sala de aula, necessita
de que os que convivem no mesmo ambiente criem regras, direitos e deveres, estabeleçam o que
pode e o que não é permitido para o bem comum. Todo indivíduo, consciente ou não, é por essa
razão um indivíduo político, na medida em que o que faz ou deixa de fazer tem consequências para
os demais, para sua sociedade. Das situações mais simples como respeitar os espaços públicos não
escrevendo nas carteiras por parte dos usuários das escolas, até as mais complexas como administrá-
los sem sucatear, não fazendo reformas, reparos ou manutenções por parte dos administradores
públicos. O modo de vida urbano foi ganhando essas características e até hoje somos herdeiros, de
certa forma, dessa maneira de nos organizarmos. Por isso, para muitos historiadores e cientistas
sociais, a Grécia é o berço da civilização ocidental. Porém, precisamos usar nossa capacidade
crítica para ponderar, questionar que na Grécia nem todos eram considerados cidadãos, como as
mulheres, os escravos e os estrangeiros. O que torna a participação ou a democracia grega à época
muito limitada, porém, foi essa magnífica civilização que criou esses entre outros importantes
conceitos que fazem parte da nossa cultura ocidental.
Exercícios:

1) [...] Somente os homens livres, pai e mãe ateniense, maiores de 18 anos e nascidos na cidade eram
considerados cidadãos. As mulheres, escravos e estrangeiros não desfrutavam de nenhum tipo de participação
política [...]. Somente 10% da população participava do mundo político ateniense. [...]

Este texto descreve o sistema político da cidade de Atenas na Antiguidade conhecido como:

a) Anarquia.
b) Democracia.
c) Monarquia.
d) Oligarquia.

2) Outra importante invenção grega foi a forma de governo que eles denominaram de democracia. Segundo
este sistema de governo todos os cidadãos participavam da elaboração das leis, por meio de uma espécie de
Assembléia (Eclésia). Mulheres, crianças, escravos e estrangeiros (metecos) não podiam participar, pois não
eram considerados cidadãos. Qual o significado da palavra democracia?
a) Demos – povo, kratos – poder.
b) Demos – demônio, kratos – poder.
c) Demos – rei, kratos – poder.
d) Demos – tirano, kratos – poder.

3) Na Grécia Antiga, as principais cidades-estado foram

a) Babilônia e Atenas
b) Esparta e Roma
c) Babilônia e Esparta
d) Atenas e Esparta

4) Preencha a lacuna: A __________ foi um regime político criado e adotado em Atenas, no período
da Grécia Antiga.

a) ática
b) democracia
c) ditadura
d) monarquia

5) Sobre a pólis grega é correto afirmar:

a) Macedônia e Tebas eram as cidades mais importantes.


b) Elas não possuíam autonomia e poder.
c) Suas organizações sociais eram iguais para todas.
d) Representavam as cidades-estado da Grécia Antiga.