Você está na página 1de 29

PLANO DE

INTEGRIDADE
POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL
SPO, S/N, Lote 5 - Setor Policial Sul 70.610-909 -
Brasília/DF ouvidoria@prf.gov.br

André Luiz de Almeida Mendonça


Ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública

Tercio Issami Tokano


Secretário-Executivo do Ministério da Justiça
e Segurança Pública

Cláudio Antônio de Almeida Py


Chefe da Assessoria Especial de Controle Interno
do Ministério da Justiça e Segurança Pública

Eduardo Aggio de Sá
Diretor-Geral da Polícia Rodoviária Federal

José Lopes Hott Júnior


Diretor-Executivo da Polícia Rodoviária Federal

Cíntia Regina Vasconcellos da Costa Lima


Chefe de Gabinete da Polícia Rodoviária Federal

Miriane Menegaz
Coordenadora-Geral de Controle Interno da Polícia
Rodoviária Federal

Equipe Técnica
Augusto Levi Monteiro Galindo
Ellen Rodrigues D´Andrea
Jefferson Tadeu de Sousa
João Carlos Lanzi Alcalde
Karla Cristina Rocha Botão
Kênia Pereira de Souza Versiani
Ricardo Teixeira
Selma Cezar Dias
Sérvio Túlio Borges de Andrade
Silvia Regina Borges
Thiago de Carvalho Antunes

Brasília 2020
MENSAGEM DO DIRETOR-GERAL

Um Programa de Integridade forma-se a partir de decisões e ações institu-


cionais para garantia da prevenção, detecção e remediação de fraudes e atos
de corrupção, traduzindo-se como um aparato de meios modeladores da
atuação dos agentes públicos ao interesse público.

Em sua essência, a adoção de um Programa de Integridade pressupõe a in-


tegração dos diversos subsistemas organizacionais para consolidação de um
ambiente organizacional menos propenso à incidência de desvios de condu-
ta, alinhando-se a valores, princípios e normas éticas comuns destinadas a
sustentar e priorizar a lisura na gestão da coisa pública.

Como parte do Programa de Integridade em construção na Polícia Rodoviária


Federal (PRF), o presente Plano de Integridade, como um instrumento de go-
vernança pública1, representa um importante passo para a atuação conjunta
das áreas de controle interno, correição e disciplina, ouvidoria, transparên-
cia, ética, estratégia e gestão de pessoas, e visa a redução das vulnerabilida-
des que importem em riscos à Integridade do Órgão.

Ao comprometer-se institucionalmente com os valores inerentes à Integrida-


de, a PRF, já desde sempre alinhada à ética pública, consagra-se em uma po-
sição vanguardista no combate à corrupção e à fraude, ações desalinhadas à
missão organizacional, atendendo, com isso, aos altos padrões de Integrida-
de decorrentes do disposto no ordenamento jurídico vigente, com destaque
para os recentes Decreto nº 9.203/2017 e Portaria CGU nº 57/2019.

Ao formular e publicar seu Plano de Integridade, estabelecendo cronograma


em consonância com as diretrizes do Órgão Central do Sistema de Controle
Interno do Poder Executivo Federal, esta Direção-Geral esmera-se na estrutu-
ração pronta de tal matéria, para sinalizar os valores que devem permanecer
sendo caros à Instituição.

O caminho que ora se inicia introduz duas tônicas relevantes no ecossistema


organizacional da Polícia Rodoviária Federal: a primeira é a de que a Inte-
gridade deve ser efetivamente incorporada ao cotidiano do Órgão, para que
a mudança seja tanto mais profunda quanto mais abrangente. A segunda
tônica refere-se à irreversibilidade do discurso da Integridade como prática
obrigatória, reforçando a necessidade de sua consolidação como ativo insti-
tucional essencial e indispensável.

Eduardo Aggio de Sá
Diretor-Geral

1 - Decreto nº 9.203/2017 – art. 2º, I – governança pública – conjunto de mecanismos de lide-


rança, estratégia e controle postos em prática para avaliar, direcionar e monitorar a gestão,
com vistas à condução de políticas públicas e à prestação de serviços de interesse
da sociedade.

3
SUMÁRIO

05/ ADMINISTRAÇÃO
MENSAGEM DA ALTA

06/ 07/ DE GOVERNANÇA 09/ DA ALTA ADMINISTRAÇÃO


1. INTRODUÇÃO 2. ESTRUTURA 3. COMPROMETIMENTO

DA PRF

12/ DE INTEGRIDADE 12 12/ DO PROGRAMA 15/ DE INTEGRIDADE


4. PROGRAMA E PLANO 5. FUNDAMENTOS 6. EIXOS E INSTÂNCIAS

DE INTEGRIDADE

20/ DOS RISCOS À INTE- 21/ FORTALECIMENTO 22/ CAPACITAÇÃO EM


7. GERENCIAMENTO 8. MEDIDAS PARA 9. TEMAS PARA

GRIDADE DAS INSTÂNCIAS INTEGRIDADE


RELACIONADAS À
INTEGRIDADE

23/ DE COMUNICAÇÃO 25/ MONITORAMENTO 26/


10. CANAIS E MATRIZ 11. ESTRATÉGIA DE 12. PERSPECTIVAS

PERMANENTE

28/ GLOSSÁRIO TÉCNICO 29/ IMPLEMENTAÇÃO DA METODOLOGIA GESTÃO DE RISCOS


13. APÊNDICE I – 14. APÊNDICE II – CRONOGRAMA PARA DEFINIÇÃO E

À INTEGRIDADE NA PRF

4
LISTA DE QUADROS

09/ Comprometimento da 11/


QUADRO 1. QUADRO 2.
Medidas de Integridade sob
Alta Administração responsabilidade da Alta
Administração

13/ Valores da PRF – PE 21/ Ações para fortaleci-


QUADRO 3. QUADRO 4.

2020-2028 mento das Instâncias


de Integridade da PRF

22/ Temas para capacitação 23/ Canais de comunicação para


QUADRO 5. QUADRO 6.

em Integridade em 2020 assuntos de Integridade


comunicação

24/ Matriz de Comunicação 25/ Ações de monitoramento do


QUADRO 7. QUADRO 8.

do Programa e do Plano Programa de Integridade da PRF


de Integridade da PRF

LISTA DE FIGURAS

12/ Missão, Visão e Valores da PRF – PE 2020-2028


FIGURA 1.

15/ Eixos de Integridade


FIGURA 2.

16/ Instâncias de Integridade


FIGURA 3.

5
1. INTRODUÇÃO

O presente Plano de Integridade visa difundir,


fortalecer e proteger os valores institucionais
elencados no Planejamento Estratégico da PRF
2020 – 2028, surgindo no bojo da reação que a
gestão pública tem construído junto à socieda-
de dentro de um processo de profundas modifi-
cações que a cidadania vem sofrendo no Brasil
ao longo dos últimos anos. Esse fenômeno tem
elevado o interesse do cidadão no acompanha-
mento da utilização dos recursos públicos pelos
gestores, desses exigindo cada vez mais eficiên-
cia e transparência.

Para galgar êxito nessa tarefa, este Plano con-


templa ações para identificar, classificar e tratar
eventos que possam afetar a imagem e os ob-
jetivos institucionais, possibilitando o fortaleci-
mento da Instituição perante a sociedade e as
demais partes interessadas.

Alinhada ao esforço de construção de um siste-


ma de Integridade, a PRF reforça seu compromis-
so com a cidadania, comprometendo-se a com-
bater os riscos à Integridade existentes nas suas
interações com o setor privado, a sociedade civil
e com os indivíduos, de forma a contribuir para
o aperfeiçoamento do Estado Democrático de Di-
reito e do respeito aos direitos humanos

6
2. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA DA PRF

A Polícia Rodoviária Federal é um Órgão do Po- • Promover a proteção, a valorização e o reco-


der Executivo Federal e sua missão é promover a nhecimento dos nossos profissionais;
prosperidade da Nação garantindo a segurança
pública e a mobilidade no Brasil.
A PRF, como Órgão componente da estrutura da
Para melhor desenvolver suas competências, administração pública federal, insere-se como
foi elaborado o Mapa Estratégico 2020-2028, parcela da solução aos riscos que ameaçam a
que contempla os objetivos estratégicos da PRF, Integridade pública no Brasil, alinhando-se aos
quais sejam: ditames de combate à corrupção e de dissemi-
nação de boas práticas de governança.
• Qualificar o enfrentamento à criminalidade
com uso de inteligência e tecnologia; Do ponto de vista legal, o Sistema de Controle In-
terno da Administração Pública Federal é definido
• Garantir a segurança viária nas rodovias fe- na forma da Lei nº 10.180/2001 e consoante o dis-
derais; posto no Decreto nº 3.591/2000, atuando a Secre-
taria de Controle Interno da Casa Civil em todos os
• Assegurar a mobilidade e a segurança nas Órgãos integrantes da Presidência da República e
vias federais; da Vice-Presidência da República, além de outros
determinados em legislação específica.
• Prover pronta resposta federal às demandas
de segurança do Brasil; Sob a perspectiva regulamentar, o discurso e a prá-
tica da Integridade remetem ao estabelecimento
• Aprimorar a governança, a aprendizagem, o da política de governança introduzida por força do
conhecimento e a integridade institucionais; disposto no Decreto nº 9.203/2017, que instituiu
mecanismos de liderança, estratégia e controle
• Fortalecer a comunicação, a transparência e a para avaliar, direcionar e monitorar a gestão, com
prestação de contas com foco na melhoria con- vistas à condução de políticas públicas e à melhor
tínua dos serviços e entregas; prestação de serviços à sociedade.

• Fundamentar o processo decisório em evidên- A partir do contido no mencionado Decreto, deu-


cias e orientá-lo para resultados; -se a introdução de diretrizes com o propósito
de elevar a eficiência do setor público, com base
• Ampliar a cooperação e integração nacional e nos seguintes princípios: capacidade de respos-
internacional; ta, Integridade, confiabilidade, melhoria regula-
tória, prestação de contas e responsabilidade.
• Empregar tecnologias para antecipar o futuro
e impulsionar a performance e a automação; Regulamentando o Decreto nº 9.203/2017, a Con-
troladoria-Geral da União (CGU) editou a Porta-
• Prover consciência situacional compartilhada ria nº 57/2019, alterando a Portaria nº 1.089/2018,
aos policiais e dirigentes; que estabelece orientações para que os órgãos
e as entidades da administração pública federal
• Vincular o emprego de recursos e capacidades direta, autárquica e fundacional adotem proce-
à estratégia institucional; dimentos para a estruturação, a execução e o

7
monitoramento de seus programas de Integrida-
de e dá outras providências.

Bem conduzido, o presente Plano de Integridade


importará no desenvolvimento de uma cultura
sustentável de Integridade na Polícia Rodoviária
Federal com benefícios diretos à sociedade pela
identificação da atuação institucional com os
seus valores fundamentais, contribuindo para o
atingimento das expectativas da sociedade e das
demais partes interessadas, por meio da aplica-
ção efetiva de políticas, diretrizes e códigos de
ética e de conduta, bem como do tratamento
adequado de riscos à Integridade.

Internamente, a Coordenação-Geral de Controle


Interno foi criada com o intuito de promover a
integração da PRF ao sistema de controle interno
da Administração Pública Federal, atendendo a
necessidades de melhoria dos métodos e instru-
mentos destinados a elevar o nível de eficiência
e eficácia da atuação institucional2.

Como destaque, temos a Portaria nº 333/2018, de


27 de setembro de 2018, publicada no Boletim de
Serviço Eletrônico em 27/09/2018, que instituiu
a Política de Governança, Integridade, Gestão de
Riscos e Controle Interno da Polícia Rodoviária
Federal, cujo objeto, a ser complementado por
meio do Plano de Trabalho da Coordenação-Ge-
ral de Controle Interno para o exercício de 2020,
contempla o desenvolvimento de estratégias
que respondam adequadamente às demandas
de gestão com enfoque ético, incidentes sobre o
funcionamento da Instituição.

2 - Planejamento Estratégico 2020-2028

8
3. COMPROMETIMENTO DA ALTA ADMINISTRAÇÃO

A Direção-Geral da PRF, conjuntamente com as A alta administração tem apoiado a consolida-


demais Diretorias, Corregedoria-Geral e as Su- ção da área de Integridade (Quadro 1), investin-
perintendências, tem assegurado a existência do na continuidade das ações previstas no Plano
de condições para o exercício da governança de Trabalho proposto, de acordo com as diretri-
pública, em sintonia com as diretrizes prescritas zes contidas no Planejamento Estratégico do Ór-
no Decreto nº 9.203/2017, especialmente aquela gão, em conformidade com o disposto no Plano
contida no art. 4º, inciso V: “fazer incorporar pa- Diretor PRF 2020-2021, instituído pela Portaria nº
drões elevados de conduta pela alta administra- 60, de 04 de fevereiro de 2020, da Direção-Geral.
ção para orientar o comportamento dos agentes
públicos, em consonância com as funções e as Por ser a Integridade um princípio e, também,
atribuições de seus órgãos e de suas entidades”, um mecanismo da governança pública, a adoção
assim como, na Portaria nº assim como, na Por- do Plano de Integridade pela alta administra-
taria nº 86, de 23 de março de 2020, do Ministério ção traduz-se como um importante passo para
da Justiça e Segurança Pública, que instituiu o a integração entre as áreas de controle interno,
Sistema de Governança do Ministério. ouvidoria, transparência, correição, e gestão de
pessoas. Estas áreas alinhadas contribuirão para
Dentre as ações concretas tomadas, está a cria- a ética pública, mitigando riscos.
ção da Coordenação-Geral de Controle Interno,
área responsável, dentre outras atribuições por
assessorar e subsidiar a tomada de decisão nas
áreas de controle interno, de gestão de risco, de
transparência e de Integridade da gestão.

Quadro 1: Comprometimento da Alta Administração

Processo Responsável Ação


Portaria nº 132, de 11 de outubro Institui a Ouvidoria na Polícia
de 2012, da Direção-Geral, publi- Direção-Geral Rodoviária Federal
cada no Boletim de Serviço em 11
de outubro de 2012
Portaria nº 1.038, de 18 de junho Regulamentação das ações de
de 2014, do Senhor Ministro de corregedoria preventiva - me-
Estado da Justiça Ministério da Justiça didas relacionadas ao Acompa-
nhamento Gerencial de Serviço
(AGS)
Criação da Academia Nacional Processo contínuo de capacita-
da Polícia Rodoviária Federal – Direção-Geral ção dos gestores
ANPRF, em 2014. Transformação UniPRF
em Universidade Corporativa da
PRF – UniPRF, em 2019

9
Portaria nº 320, de 22 de setembro Institui a Política de Governan-
de 2017, da Direção-Geral, publica- Direção-Geral ça, Gestão de Riscos e Controle
da no Boletim de Serviço Eletrôni- Interno da Polícia Rodoviária
co em 25 de setembro de 2017 Federal
Portaria nº 286, de agosto de 2018, Institui a Unidade de Ges-
da Direção-Geral, publicada no Direção-Geral tão de Integridade e designa
Boletim de Serviço Eletrônico em 20 servidores responsáveis pelo
de agosto de 2018 Programa
Portaria nº 333, de 27 de setembro Instituída a Política de Gover-
de 2018, da Direção-Geral, publica- nança, Integridade, Gestão de
da no Boletim de Serviço Eletrônico Direção-Geral Riscos e Controle Interno da
em 27 de setembro de 2018 Polícia Rodoviária Federal
Processo nº 08650.002843/2019-16 Corregedoria-Geral Realizado o levantamento dos
Ouvidoria eventos de risco e medidas de
Controle Interno controle de Integridade
Portaria nº 158, de 08 de julho de Constituída a Comissão de Ética
2019, da Direção-Geral, publicada Direção-Geral da PRF
em 10 de julho de 2019
Instrução Normativa nº 10, de Institui o Serviço de Informação
fevereiro de 2020, da Direção- ao Cidadão – SIC/PRF, designa
Geral, publicada no Boletim Direção-Geral a autoridade de que trata o art.
de Serviço Eletrônico em 18 de 40 da Lei nº 12.527
fevereiro de 2020

Implementadas após a criação de uma Unidade • revisão dos atos normativos internos da PRF;
de Gestão de Integridade (UGI), setor responsá-
vel por coordenar as ações de Integridade, são • elaboração e aprovação do código de con-
medidas de responsabilidade da alta adminis- duta profissional para servidores e colabora-
tração: dores da PRF;

• reestruturação do Órgão com a criação de • publicação de Relatório trimestral sobre


uma Coordenação-Geral de Controle Interno; ações de Integridade; e

• aprovação de procedimentos para a publi- • monitoramento do andamento dos Proces-


cação de atas de reuniões públicas do Comitê sos de Apuração de Responsabilidade (PAR).
de Governança e Gestão Estratégica;

• aprovação de critérios para indicação para Para cada medida tem-se o responsável, o pra-
cargos de confiança (DAS) e função de chefia zo e o status, os quais são apresentados no
para níveis de Divisão e acima; Quadro 2.

10
Quadro 2: Medidas de Integridade sob responsabilidade da Alta Administração

Medida de Integridade Responsável Prazo Status em ABR/2020


Reestruturação do Órgão
com a criação de uma Presidência da
Coordenação-Geral de República
Controle Interno (Decreto Ministério da Justiça e
nº 9.662, de 1º de janeiro Segurança Pública Nov/2019 Concluído
de 2019, alterado pelo Direção-Geral
Decreto nº 10.073, de 18
de outubro de 2019).
Aprovação de procedi-
mentos para a publica- Diretoria-Executiva
ção de atas de reuniões Coordenação-Geral de Jun/2020 Em andamento
públicas do Comitê de Controle Interno
Governança e Gestão
Estratégica.
Aprovação de critérios
para indicação para car-
gos de confiança (DAS) Presidência da
e função de chefia para República Jun/2020 Concluído
níveis de Divisão e acima
(Decreto nº 9.727, de 15
de março de 2019).
Revisão dos atos norma- Diretoria-Executiva
tivos internos da PRF. Coordenação-Geral de *** Em andamento
Análise Técnica
Elaboração e Aprovação Coordenação-Geral de
do Código de Conduta Controle Interno
profissional para servidores Comissão de Ética Dez/2020 Em andamento
e colaboradores da PRF. Corregedoria-Geral
Publicação de Relatório Direção-Geral
trimestral sobre ações de Diretoria Executiva
Integridade. Coordenação-Geral de Trimestralmente Atividade contínua
Controle Interno
Coordenação-Geral de
Comunicação Social
Monitoramento do anda- Direção-Geral
mento dos Processos de Coordenação-Geral de
Apuração de Responsabi- Controle Interno Semestralmente Atividade contínua
lidade (PAR). Corregedoria-Geral
Indicação dos agentes de Diretoria-Executiva
Integridade (Processo SEI Coordenação-Geral de Abr/2019 Concluído
nº 08650.002843/2019-16). Controle Interno

11
Destaca-se que as diversas áreas da PRF já atuam e permanecerão
atuando de forma que os seus resultados reflitam os valores subja-
centes ao Programa de Integridade e, assim sendo, contribuam para
a mudança cultural que se espera para o ambiente organizacional no
tratamento com temas referentes à fraude e à prática da corrupção.

4. PROGRAMA E PLANO DE INTEGRIDADE

A concretização do Programa de Integridade se dará por meio do


presente Plano de Integridade, que consiste em um documento
único, aprovado pela Direção-Geral e sob responsabilidade de
uma determinada área, que contém, de maneira sistêmica, um
conjunto organizado de todas as medidas que devem ser imple-
mentadas, em um período determinado de tempo, com a fina-
lidade de prevenir, detectar, punir e remediar as ocorrências de
quebra de integridade na PRF.

5. FUNDAMENTOS DO PROGRAMA
DE INTEGRIDADE
Ao formatar este Plano de Integridade, a PRF fortalece a sua mis-
são, sua visão, seus valores (Figura 1) e os objetivos estratégicos
estabelecidos no Planejamento Estratégico 2020-2028 (PE 2020-
2028).

Figura 1: Missão, Visão e Valores da PRF – PE 2020-2028

12
Dentro do Planejamento Estratégico, os valores (Integridade, res-
peito, profissionalismo, excelência, e transparência – Quadro 3)
apresentam-se como os referenciais de ética pública incidentes
sobre as ações dos agentes públicos e colaboradores no desen-
volvimento de suas atividades funcionais, sempre orientadas ao
interesse público

Quadro 3: Valores da PRF – PE 2020-2028 FONTE: Planejamento estratégico PRF (2020-2028).

VALOR DESCRITIVO (Portaria no. 174/2019/DG, de 24 de julho de 2019)

O adjetivo íntegro é utilizado para descrever uma pessoa de honra,


cuja natureza das ações transparece inocência e pureza. Quanto à etimo-
logia, a palavra Integridade tem origem no latim “integritate”, que signi-
fica a qualidade ou estado do que é íntegro ou completo. É sinônimo de
honestidade, retidão, imparcialidade. O indivíduo que é íntegro repudia
a corrupção, a malandragem e a esperteza de querer levar vantagem em
tudo. Uma instituição íntegra é aquela que valoriza e incentiva, em todos
os seus escalões, a prática da probidade, da verdade, da honestidade e
da dignidade, bem como aquela que combate com veemência a menti-
Integridade ra, a dissimulação, a hipocrisia e a fraude. A observância da Integridade
torna-se ainda mais relevante quando aplicada ao serviço público, espe-
cialmente às instituições policiais, as quais se ocupam de proteger bens
jurídicos fundamentais, constitucionalmente garantidos, como a vida, a
liberdade, o patrimônio, a segurança e a dignidade da pessoa humana.
Em suma, um órgão policial como a PRF, que existe, principalmente, para
combater os focos de desonestidade da sociedade, deve praticar e trans-
parecer Integridade em todas as suas ações, das mais simples às mais
complexas.
O respeito é um dos valores mais importantes do ser humano e tem
grande importância na interação social. Ele impede que uma pessoa te-
nha atitudes reprováveis em relação a outra. Este valor significa, para a
PRF, um sentimento positivo, que deve nortear tanto as relações entre os
servidores como a interação com a sociedade, seja na pessoa de um be-
neficiário dos serviços institucionais ou um infrator social. Como maneira
de demonstrar respeito, a cordialidade encerra em seu conteúdo as ideias

Respeito de disponibilidade, urbanidade, cortesia e franqueza, sem prejuízo à re-


tidão e à firmeza da atuação funcional, que inspira uma conduta voltada
a desenvolver relações interpessoais mais harmônicas no ambiente de
trabalho, tornando-o mais agradável e produtivo. Demonstra também um
valor contido no conceito de polícia cidadã, onde os anseios da sociedade
são colocados em um plano de relevância na dinâmica de atendimento
de tais necessidades. Assemelha-se à equidade, pois também consiste
em adaptar-se ao dispositivo legal ou a regra normativa, observando-se
critérios de justiça e igualdade. Pode-se dizer, portanto, que o respeito
reconhece a forma normativa da maneira mais justa possível, conforme
as circunstâncias, bem como considera as qualidades reais do respeitado.

13
O profissionalismo pode ser definido como a qualidade humana que,
aplicada às atividades exercidas em uma determinada profissão, demons-
tra a existência de alguns elementos que lhe são essenciais, como, por
exemplo, um elevado grau de conhecimento técnico e, simultaneamente,
um grande comprometimento com os objetivos que se busca alcançar.
Profissionalismo Entre as competências básicas que são apreciadas pelos profissionais na
PRF, destacam-se a proficiência, a disciplina, a responsabilidade, o zelo,
a pontualidade, a ética, o espírito de equipe, entre outros. O valor “pro-
fissionalismo” deve estar presente na atitude do servidor em todas as
atividades por ele desenvolvidas, de tal sorte que suas ações possam de-
monstrar para a sociedade a forma de ser e de agir de toda a instituição.
Virtude de quem manifesta senso de justiça, respeito à pessoa hu-
mana, tratando os cidadãos desiguais na medida de sua desigualdade.
Para a Polícia Rodoviária Federal, a adoção deste valor demonstra a alta
qualidade na prestação de seus serviços, atendendo e, por vezes, exce-
dendo as expectativas gerais. Também procura expressar a busca contínua
na melhoria de seus processos internos, visando à perfeita execução de
Excelência suas ações e ao pleno atingimento de seus resultados institucionais em
benefício da sociedade. A busca por essa excelência também implica tor-
narmo-nos uma instituição inovadora, que prima por ter em seus quadros
servidores cada vez mais qualificados, equipamentos modernos, soluções
de inteligência e tratamento de suas informações para gerar conhecimen-
to e apoio às decisões, fazendo com que a PRF se torne referência na área
de segurança e administração pública.
A transparência na administração pública decorre do princípio consti-
tucional da publicidade e se configura como um dos valores mais relevantes
de um Estado Democrático de Direito. Mostrando com clareza os objetivos
e o modo de ação de qualquer instituição pública, o princípio da transpa-
rência é um poderoso instrumento de controle social sobre o Estado, garan-
tindo que o serviço por ele prestado seja exercido no interesse público. O
valor transparência também se liga à ideia de moralidade na administração

Transparência pública, pois os atos praticados pela administração com correção e visando
a atender ao interesse público, não precisam ficar ocultos. A Polícia Rodo-
viária Federal reconhece a importância de adotar este valor como instru-
mento de orientação e controle de suas ações, replicando essa necessidade
para todos os seus servidores. Além de possibilitar o controle social sobre
as ações institucionais e os atos praticados pelos seus servidores, a trans-
parência também colabora para o fortalecimento da cidadania, valorizando
o cidadão a quem os serviços públicos são destinados e que custeiam a
máquina pública com seus impostos. Esse estímulo ao cidadão para acom-
panhar as ações estatais, seus resultados e custos, termina por alimentar
um círculo virtuoso, mantendo os servidores públicos mais conscientes e
atentos no exercício de seu dever público.

Seguindo as diretrizes e determinações constantes benchmarking3 utilizado durante seu desenvolvi-


nos diversos normativos já citados anteriormente, mento, vez que referido Órgão destaca-se na con-
bem como no Planejamento Estratégico da PRF, dução das ações de Integridade em todo o Execu-
este Plano de Integridade contemplou também os tivo Federal, por meio de manuais4 que amparam
princípios e diretrizes entabulados no Programa o planejamento e implementação da cultura de
de Integridade da CGU, além de ser resultado de Integridade na Administração Pública

3 - Termo em língua inglesa que significa “processo de comparação de produtos, serviços e práticas empresariais”. Do ponto de
vista da Teoria da Administração, constitui-se em técnica de gestão na qual uma empresa determina, de forma sistemática, quão
competitivos são seus processos frente aos dos concorrentes, através da comparação com outras empresas, integrantes do mes-
mo ambiente em que ela está incluída. 4 - https://www.gov.br/cgu/pt-br/acesso-a-informacao/governanca/programa-de-integri-
dade-da-cgu/arquivos/plano-de-integridade-cgu.pdf/view

14
6. EIXOS E INSTÂNCIAS DE INTEGRIDADE

Para sua efetiva implementação, o Programa de Integridade da


PRF baseia-se em quatro Eixos de Integridade distintos, na forma
do infográfico da Figura 2.

Figura 2: Eixos de Integridade

Eixos

1. Comprometimento e apoio da alta administração: a Polícia Ro-


doviária Federal consolidou esse eixo por meio de diversas me-
didas de Integridade desenvolvidas pela estrutura de governança
e pela alta administração, as quais evidenciam o seu comprome-
timento com o desenvolvimento e a melhoria contínua das me-
didas de Integridade, nos termos do Decreto nº 9.203, de 22 de
novembro de 2017, que dispõe sobre a política de governança da
administração pública federal, autárquica e fundacional.

2. Unidade responsável pela Integridade: eixo também já aperfei-


çoado na PRF, o que se deu com a criação da Coordenação-Geral
de Controle Interno, a qual possui, em sua estrutura, a Divisão de
Integridade e Gestão de Riscos (DIGR).

15
3. Análise e Avaliação de Riscos à Integridade: em fase de cons-
trução na PRF. em fase de construção na PRF. Envolve definição de
riscos à Integridade, as áreas e processos de riscos, as manifes-
tações e fatores de risco e a sua análise e identificação. Segundo
o art. 2°, inciso IV, do Decreto n° 9.203, de 2017, gestão de riscos
é “um processo de natureza permanente, estabelecido, direciona-
do e monitorado pela alta administração, que contempla as ati-
vidades de identificar, avaliar e gerenciar potenciais eventos que
possam afetar a organização”. Além disso, o mesmo Decreto, no
art. 4º, inciso VI, aponta como diretriz a necessidade de “imple-
mentar controles internos fundamentados na gestão de risco, que
privilegiará ações estratégicas de prevenção antes de processos
sancionadores”.

4. Monitoramento e melhoria contínuos: decorre do amadureci-


mento da gestão estratégica e da capacidade de correção de ru-
mos com base em meios racionais para processos decisórios.

O Plano de Integridade da PRF considera as instâncias de gestão e


controle, integrando-as para que, conjuntamente, seja potenciali-
zada a contribuição do Programa de Integridade para o ambiente
organizacional, de acordo com a Figura 3.

Figura 3: Instâncias de Integridade

16
Comissão de Ética: da execução do quadro de carreira dos servidores
A atual estrutura do sistema de gestão de ética do os registros sobre sua conduta ética para efeito de
Poder Executivo Federal contempla a Comissão de instruir e fundamentar decisões relativas a proce-
Ética Pública (CEP), em atenção ao contido nos De- dimentos próprios da carreira do servidor público;
cretos nº 1.171, de 22 de junho de 1994 e Decreto nº competindo-lhes ainda conhecer concretamente
6.029, de 1º de fevereiro de 2007, cabendo à CEP co- de imputação ou de procedimento suscetível de
ordenar, avaliar e supervisionar todo o Sistema de aplicação de censura ética, nos moldes do Decreto
Gestão da Ética Pública do Poder Executivo Federal. nº 1.171, de 22 de junho de 1994

Cada Comissão de Ética, de que tratam os men-


cionados Decretos, é integrada por três membros
titulares, escolhidos entre servidores ou emprega- Ouvidoria da PRF:
dos do seu quadro permanente e designados pelo Em funcionamento na PRF como decorrência dire-
dirigente máximo da respectiva entidade ou órgão, ta da Lei da Transparência, a Lei Complementar nº
para mandatos não coincidentes de três anos. 131, de 27 de maio de 2009, bem como da Lei de
Acesso à Informação (LAI), Lei nº 12.527/2011, con-
Por sua vez, em cada órgão ministerial ou entida- substanciada na Portaria nº 132, de 11 de outubro
de que exerça atribuições delegadas pelo poder de 2012, da Direção-Geral da PRF, que instituiu a
público deverá ser criada uma Comissão de Éti- Ouvidoria no Órgão. Atualmente as atribuições
ca, encarregada de orientar e aconselhar sobre encontram-se estruturadas na Divisão de Trans-
a ética profissional do servidor no tratamento de parência, Ouvidoria e Informação ao Cidadão da
questões que envolvam pessoas e matérias patri- Coordenação-Geral de Controle Interno.
moniais e que configurem conflitos de interesses,
competindo-lhes conhecer concretamente de im- - Lei 13.460, de 26 de junho de 2017, que dispõe
putação ou de procedimento suscetível de aplica- sobre participação, proteção e defesa dos direi-
ção de censura ética. tos do usuário dos serviços públicos da admi-
nistração pública;
Da mesma forma, a Comissão de Ética do Ministé- - Lei 13.726, de 8 de outubro de 2018, que ra-
rio da Justiça, instituída pela Portaria MJ nº 1.660, cionaliza atos e procedimentos administrativos
de 07 de agosto de 2012, tem a missão de promover dos Poderes da União, dos Estados, do Distri-
a ética no âmbito do Ministério da Justiça e Segu- to Federal e dos Municípios e institui o Selo de
rança Pública. Diante disso, busca a conscientiza- Desburocratização e Simplificação;
ção de seus agentes por meio da divulgação das
normas que disciplinam o comportamento ético- - Decreto nº 7.724, de 16 de março de 2012, que
-profissional. Ademais, tem ainda como objetivo a regulamenta a Lei nº 12.527, de 18 de novembro
apuração de eventuais desvios éticos com a apli- de 2011, que dispõe sobre o acesso a informa-
cação das sanções porventura cabíveis. ções previsto no inciso XXXIII do caput do art. 5º
, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art.
Na PRF, conforme delegado pelo Senhor Ministro 216 da Constituição.
de Estado da Justiça e Segurança Pública, por meio
da Portaria nº 608/2019, de 26 de junho de 2019, - Decreto nº 9.690, de 23 de janeiro de 2019, que
o Diretor-Geral instituiu, conforme Portaria nº altera o Decreto nº 7.724, de 16 de maio de 2012,
158/2019/DG, de 08 de julho de 2019, a comissão de que regulamenta a Lei n º 12.527, de 18 de no-
ética da PRF, com servidores do quadro, cabendo a vembro de 2011 - Lei de Acesso à Informação.
estes orientar e aconselhar sobre a ética profissio-
nal, tratar questões que envolvam pessoas e ma- - Decreto nº 9.492/2018, de 5 de setembro de
térias patrimoniais e que configurem conflitos de 2018, regulamenta a Lei nº 13.460, de 26 de
interesses, fornecer aos organismos encarregados junho de 2017 , que dispõe sobre participação,

17
proteção e defesa dos direitos do usuário dos As atividades de Ouvidoria da PRF são gerenciadas
serviços públicos da administração pública fe- pela Divisão de Ouvidoria e Transparência, área
deral, institui o Sistema de Ouvidoria do Poder integrante da estrutura da CGCI, tendo se conso-
Executivo federal, e altera o Decreto nº 8.910, de lidado como um canal destinado a intermediar o
22 de novembro de 2016, que aprova a Estrutura contato dos cidadãos, instituições e empresas para
Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Car- gerenciamento das insatisfações com os serviços
gos em Comissão e das Funções de Confiança executados ou informações prestadas, atuando
do Ministério da Transparência, Fiscalização e também para coibição de violação a direitos e
Controladoria-Geral da União. abusos de poder, visando mitigar erros, omissões,
negligências e injustiças, competindo-lhe receber,
- Instrução Normativa nº 5, de 18 de junho de tratar e responder, em linguagem acessível ao ci-
2018, da Controladoria-Geral da União, que Es- dadão, as manifestações do público externo. Nes-
tabelece orientações para a atuação das uni- te sentido, atua para garantir a participação social
dades de ouvidoria do Poder Executivo federal por meio da execução de ações em conformidade
para o exercício das competências definidas com os princípios da transparência, da eficiência,
pelos capítulos III e IV da Lei nº 13.460, de 26 de da economicidade, da efetividade, da autonomia e
junho de 2017. da isonomia, a fim de garantir o trabalho da unida-
de de forma isenta e imparcial.
- Decreto nº 9.094, de 17 de julho de 2017, re-
gulamenta dispositivos da Lei nº 13.460, de 26 No âmbito do Plano de Integridade, caberá à PRF
de junho de 2017 , dispõe sobre a simplifica- fortalecer a imagem da Ouvidoria, aproximando-a
ção do atendimento prestado aos usuários dos do efetivo PRF e da sociedade, para quebrar es-
serviços públicos, institui o Cadastro de Pesso- tereótipos negativos, fortalecendo-a como apara-
as Físicas - CPF como instrumento suficiente e to institucional disponível para preservação dos
substitutivo para a apresentação de dados do valores organizacionais, pela busca constante da
cidadão no exercício de obrigações e direitos e interação entre o comunicante e o Órgão, através
na obtenção de benefícios, ratifica a dispensa de sugestões, elogios, reclamações ou solicitações
do reconhecimento de firma e da autenticação de providências.
em documentos produzidos no País e institui a
Carta de Serviços ao Usuário.

- Portaria nº 825, de 19 de novembro de 2019, do Corregedoria-Interna5:


Ministério da Justiça e Segurança Pública, insti- Atuando na repressão de atos e omissões que
tui a Rede de Ouvidoria daquele Ministério; importem em violação à legislação relativa aos
direitos, deveres e proibições aplicáveis aos ser-
- Portaria nº 681, de 5 de dezembro de 2019, vidores públicos federais. O conjunto de atos que
institui, no âmbito do Ministério da Justiça e importem no acompanhamento gerencial do ser-
Segurança Pública, a Rede de Serviços de In- viço, com conotação mais preventiva, é atribuído
formações ao Cidadão - Rede SIC, designa a au- também à Corregedoria-Geral da PRF.
toridade de que trata o art. 40 da Lei nº 12.527;
Em sua atuação mais tradicional, a Corregedoria
- Instrução Normativa nº 10, de 18 de fevereiro da PRF opera também na instauração de Investi-
de 2020, institui, no âmbito da Polícia Rodoviá- gações Preliminares, Sindicâncias Investigativas,
ria Federal, o Serviço de Informação ao Cidadão Sindicâncias Patrimoniais e de Processos Adminis-
- SIC/PRF, designa a autoridade de que trata o trativos Disciplinares, de acordo as competências
art. 40 da Lei nº 12.527. definidas em Lei e demais normativos, sempre vi-
sando à aplicação de penas justas e pedagógicas.

5 - Com o advento da Lei Anticorrupção (Lei nº. 12.846/2013), regulamentada pelo Decreto nº 8.420/2015,a Corregedoria Interna da
PRF também atua como como Agente de Integridade no âmbito do Processo Administrativo de Responsabilização(PAR), incidente
sobre pessoas jurídicas que incorram em quaisquer das condutas previstas na Lei Anticorrupção, devendo os atos lesivos aos
processos licitatórios ser apurados e julgados conjuntamente, nos mesmos autos, aplicando-se o rito procedimental específico
previsto no âmbito do PAR.
18
As atividades de corregedoria da Polícia Rodoviá- Nesse sentido, a Coordenação-Geral de Controle
ria Federal visam prevenir a Administração de atos Interno-CGCI demonstra grande avanço institu-
ou omissões praticados por seus servidores, sejam cional, pois introduz a prática de procedimentos
eles policiais ou servidores do plano especial de importantes, como o gerenciamento de riscos,
cargos (PEC), tratando-se de Instância de Integri- esboçando uma atuação efetivamente voltada ao
dade que visa proteger a Administração Pública controle interno, o que contribui para a dissemina-
e seus agentes nas hipóteses de violação, não se ção de uma cultura de Integridade na PRF.
confundindo com as atividades de auditoria, fisca-
lização e recuperação de valores. Vale dizer que, conforme Declaração de Posiciona-
mento do IIA, a CGCI atua na 2ª linha de defesa no
Sob o aspecto da Integridade, a Corregedoria-Geral Gerenciamento Eficaz de Riscos e Controle.
da PRF opera como uma segunda frente de atua-
ção no combate aos riscos à Integridade, estando
apta a esclarecer e sancionar os desvios de con-
dutas mais graves, a partir de um enquadramento
normativo prévio para aplicação de penalidades.

Auditoria Interna: Agentes de Integridade:


Area criada recentemente na PRF, concretizada na os Agentes de Integridade serão servidores da
atuação da CGCI, tem como finalidade assessorar PRF designados pelas diversas Diretorias, bem
a Administração Superior e avaliar os processos como pelos Superintendentes nos Estados, os
de governança, gerenciamento de riscos e contro- quais representarão suas unidades, sobretudo
les internos, com o objetivo de fortalecer a ges- nas discussões, decisões, e no apoio à implemen-
tão e racionalizar as ações de controle, além de tação e ao aprimoramento do Programa de Inte-
prestar apoio aos Órgãos do Sistema de Controle gridade da PRF.
Interno do Poder Executivo Federal.
No âmbito da Sede, por meio do Processo SEI nº
Por ser uma atividade de avaliação independen- 08650.002843/2019-16, foram indicados os agentes
te dentro da PRF, destinada a verificar as ope- de Integridade das áreas finalística, ouvidoria, cor-
rações e sobre elas emitir opinião técnica, sua regedoria e controle interno.
atuação deve estar isenta de quaisquer filtros No âmbito das Superintendências, os Agentes de
intrainstitucionais, ligando-se sua atuação ne- Integridade estão distribuídos da seguintes forma:
cessariamente à alta administração, para garan- Setor de Governança e Controle Interno – SEGOV,
tia da isenção e da autonomia de seus posicio- nas Superintendências do Tipo A, Setor de Gover-
namentos e recomendações. nança, Controle Interno e Análise Técnica – SGCI,
Superintendência Tipo B, Núcleo de Governança,
Como boa medida para o aperfeiçoamento da Controle Interno e Análise Técnica – NGCI, Superin-
política de governança, a PRF deve continuar tendência Tipo C, e Núcleo de Superintendência,
amadurecendo sua área de Controle Interno – Na Superintendência do Tipo D.
Coordenação-Geral de Controle Interno. Impor-
ta que o Controle Interno possua atribuições e
autonomia suficientes para o desempenho das
suas atividades, de acordo com o modelo ditado
pelo sistema de controle interno da administra-
ção pública federal.

19
7. GERENCIAMENTO DOS RISCOS À INTEGRIDADE

A gestão de riscos é um processo de natureza per-


manente, estabelecido, direcionado e monitorado Tais componentes constarão da Matriz de riscos
pela alta administração, que contempla as ativi- a ser proposta dentro do Plano de Gestão de Ris-
dades de identificar, avaliar e gerenciar potenciais cos da PRF, juntamente com a criação da meto-
eventos que possam afetar a organização. dologia de gestão de riscos no Órgão.

Nos termos do disposto no art. 4º, VI do Decreto Por oportuno, a fundamentação da metodologia
nº 9.203, de 2017, fixa-se como diretriz aplicável de Gestão de Riscos a ser adotada na PRF segue
à governança pública: os modelos teóricos e normativos propostos pelo
Órgão de Controle Interno Federal, inclusive quan-
“[...] VI – implementar controles internos fun- to à forma de controle dos riscos à Integridade.
damentados na gestão de risco, que privile- Para o fim de delimitar o conteúdo a constar do
giará ações estratégicas de prevenção antes Plano de Trabalho para implementação da política
de processos sancionadores; [...]” de gestão de Riscos, deverão estar presentes, no
mínimo, as seguintes componentes críticas:
De acordo com o Guia Prático de Implementação
do Programa de Integridade da CGU (2018), os ris- a. Planejamento, organização e realização da
cos para a Integridade são fatores organizacionais 1ª Oficina de gerenciamento de riscos à In-
e individuais que representam vulnerabilidades tegridade, a ser desenvolvida para todos os
em normas, estruturas, políticas, processos, siste- novos agentes de Integridade de todas as Su-
mas e condutas que podem favorecer ou facilitar perintendências Regionais e Sede da PRF, de-
a ocorrência de fraudes e atos de corrupção. Esses vendo apresentar, como conteúdo mínimo, a
riscos têm efeitos negativos nos objetivos, atribui- totalidade do presente Plano de Integridade,
ções ou missão da instituição. além de conceitos relativos a governança e
controle interno, assim como explanação so-
Sendo assim, o gerenciamento de riscos à In- bre a metodologia adotada para a Gestão de
tegridade se torna indispensável para que os Riscos no Órgão;
eventos que ameacem os princípios éticos sejam
detectados e, também, para que as medidas de b. Planejamento, organização e realização
tratamento sejam estabelecidas, a fim de mitigá- da 2ª Oficina de gerenciamento de riscos à
-los, em consonância com o art. 19 do Decreto nº Integridade, a ser desenvolvida de acordo
9.203, de 2017. com o Cronograma definido na Metodologia
A Integridade somente pode ter suas variáveis de Gestão de Riscos da PRF, a ser construída
monitoradas e gerenciadas a partir da adoção de de acordo com Plano de trabalho definido no
uma metodologia para gerenciamento dos riscos, APÊNDICE II do presente Plano de Integridade.
por ser esse um dos fundamentos que possibili-
tam a sustentação do Programa de Integridade.

O presente Plano de Integridade não traz, em sua


estrutura, previsão sobre a forma de prevenção,
detecção, punição e remediação de atos, omis-
sões ou eventos que importem em violação ou
ameaça ao conjunto de princípios éticos e legais
aceitos e internalizados pelo Órgão.

20
8. MEDIDAS PARA FORTALECIMENTO DAS
INSTÂNCIAS RELACIONADAS À INTEGRIDADE

No intuito de promover a consolidação do posicionamento das


Instâncias relacionadas à Integridade, o Órgão deverá adotar
uma postura de ampla divulgação aos envolvidos no processo, de
transparência das ações a todos da instituição e de disseminação
dos normativos sobre Integridade ao público externo, com vistas
a difundir o discurso e a prática da Integridade como elementos
indispensáveis para o sucesso da PRF na sua atuação organiza-
cional.

Nesse sentido, sugerem-se, no Quadro 4, ações específicas, para


disseminação da Integridade no Órgão.

Quadro 4: Ações para fortalecimento das Instâncias de Integridade da PRF

Ação Como? Responsável


Workshop de liderança e Integri-
dade para Diretores, Coordenado- Evento interno da Coordenação-Geral
res-Gerais, Coordenadores, Chefe Coordenação-Geral de Controle Interno
de Gabinete, Diretoria Executiva, de Controle Interno
Superintendentes Regionais e
Superintendentes Executivos.
Workshop sobre Governança, Inte-
gridade, gestão de risco e contro- Coordenação-Geral
le interno para consolidação de Evento interno da de Controle Interno
conhecimentos e habilidades no Coordenação-Geral Coordenação-Geral
âmbito da Coordenação-Geral de de Controle Interno de Comunicação Social
Controle Interno.
Participação da Coordenação-
-Geral de Controle Interno em Coordenação-Geral
Encontros/ Reuniões de Superin- Ação de participação de Controle Interno
tendentes para apresentação de em evento Diretoria-Executiva
palestra a respeito de temáticas
pertinentes à Integridade.
Participação da Coordenação-
-Geral de Controle Interno em
eventos nacionais e internacio- Ação de participação Coordenação-Geral
nais sobre Integridade e gestão em evento de Controle Interno
do risco para aprimoramento da
qualidade da assessoria a ser
fornecida aos clientes internos e
à sociedade.

21
Criação da cartilha digital de Inte- Coordenação-Geral
gridade para distribuição aos ser- de Controle Interno
vidores, colaboradores e gestores. Ação de disseminação Coordenação-Geral
de Comunicação Social
Promoção do I Encontro das Ins- Coordenação-Geral
tâncias de Integridade da PRF para de Controle Interno
planejamento e harmonização das Evento de planejamento Comissão de Ética
ações de Integridade no Órgão. Corregedoria-Geral Ouvidoria

9. TEMAS PARA CAPACITAÇÃO EM INTEGRIDADE

A Integridade representa uma componente institucional, o que


demanda a construção de conhecimento, habilidades e atitudes
novas nos gestores, nos colaboradores e no conjunto composto
pela totalidade das partes interessadas, criando-se, desse modo,
as condições para o desenvolvimento da matéria na Organização.

Tendo em vista a necessidade de promover a capacitação dos ges-


tores, servidores e demais colaboradores na temática da Integri-
dade, propõe-se, no Quadro 5 uma lista de ações educativas, com
foco na melhoria, tanto da equipe gestora da Integridade na PRF
(CGCI) quanto dos públicos interno e externo, que demandarão
por aprimoramento pessoal sobre a temática da Integridade.

Quadro 5: Temas para capacitação em Integridade em 2020 – Gestão 2020-2021

Temas Objetivo Modalidade Público-alvo Responsáveis


Construir
Presencial CGCI
Governança competências Todas as áreas
fundamentais.
ou EAD UniPRF

Construir
Gestão Presencial CGCI
competências
Estratégica fundamentais.
ou EAD Todas as áreas UniPRF

Controle Construir
Presencial CGCI
Interno competências
fundamentais.
ou EAD Todas as áreas UniPRF

Construir
Presencial CGCI
competências
Gestão do Risco fundamentais.
ou EAD Todas as áreas UniPRF

22
Elevar o grau téc-
Gestão do Risco nico dos partici-
(gerencial) pantes por meio Presencial CGCI
de oficinas práticas CGCI UniPRF
(multiplicadores).
Construir
Plano de Presencial Todas as áreas CGCI
competências
Integridade fundamentais.
ou EAD UniPRF

Elevar o grau téc-


nico dos partici-
pantes por meio Presencial CGCI
Auditoria Interna
de oficinas práticas CGCI UniPRF
(multiplicadores).
Elevar o grau téc-
nico dos partici-
pantes por meio Presencial CGCI
Compliance de oficinas práticas CGCI UniPRF
(multiplicadores).

10. CANAIS E MATRIZ DE COMUNICAÇÃO

Para compor a estratégia de comunicação do Plano de Integri-


dade, relacionam-se, no Quadro 6, os canais de comunicação à
disposição dos colaboradores, servidores e do público externo
(partes interessadas), bem como os objetos que poderão ser de-
mandados pelos respectivos canais.

Quadro 6: Canais de comunicação para assuntos de Integridade comunicação

O que? Como? Quem?


Apresentação de dúvida ou con- Comissão de Ética da PRF
(Portaria nº 158, de 08 de julho de
sulta relacionada à conduta ética
etica@prf.gov.br 2019, da Direção-Geral, publicada em
de servidor da PRF. 10 de julho de 2019)

Apresentação de denúncia, Sistema Informatizado


sugestão, elogio, reclamação ou do Executivo Federal (e-OUV) Ouvidoria
solicitação de providências ou Sala da ouvidoria na Sede PRF, Coordenação-Geral
pedido de adequação de serviço andar térreo de Controle Interna
às expectativas do demandante. ouvidoria@prf.gov.br

Apresentação de denúncia
relativa a assuntos correcionais
ouvidoria@prf.gov.br Ouvidoria
(corregedoria).

23
Complementarmente, o Quadro 7 apresenta a Matriz de comuni-
cação do Programa de Integridade, contendo o detalhamento dos
meios e da forma de divulgação dos conteúdos ligados à matéria,
inclusive quanto ao contido no presente Plano de Integridade.

Quadro 7: Matriz de Comunicação do Programa e do Plano de Integridade da PRF

Ação Objetivo Meio Periodicidade Fontes de Mediador/ Entrega


Informação Responsável
Press
Divulgação Divulgar as
CGCI Release ou
sobre medidas de CGCI
SEI CGCOM boletim com
a execução Integridade CGCOM
Reuniões Trimestral Instâncias de texto leve e
das medidas estabelecidas Instâncias de
Intranet Integridade com gráficos e
de Integridade e cumpridas. Integridade
DTIC infográficos.
Colaboradores e
Avaliação Avaliar e
Instâncias de
anual do relatar o
Integridade
Programa de andamento SEI CGCI
Anual CGU Relatório
Integridade (colaboradores e Reuniões Instâncias de
Agentes de
da PRF Instâncias). Intranet Integridade
Integridade
Áreas temáticas
Colaboradores e
Divulgação
Instâncias de Atualização
de eventos de Divulgar CGCI
Integridade do Plano de
capacitação ações de Banners Conforme CGCOM
CGU Capacitação do
no âmbito do capacitação Intranet PAC, ou a Instâncias de
Agentes de Programa de
Programa de E-mail cada evento Integridade
Integridade Integridade
Integridade DTIC
Áreas temáticas
Colaboradores e
Seminário para Comunicar
Instâncias de 75% de todo
disseminação diretrizes e
Integridade o quadro
do Programa prioridades
CGU de pessoal
de Integridade previstas Seminário Anual
Agentes de nacional
da PRF no Programa CGCI
Integridade capacitado
de Integridade
Áreas temáticas
Publicar
externamente
•Plano de
o Plano de
Integridade CGCI CGCI Atualização
Divulgação Integridade
(a cada revisão) (conteúdo) CGCOM permanente da
externa do da PRF, bem Página da
Instâncias de seção de
Programa de como as medidas PRF na
•Notícias CGCOM Integridade Integridade na
Integridade de Integridade WEB
(sempre que (execução) DTIC Página da PRF
da CGU adotadas pela
necessário) na WEB
PRF, com impacto
externo.
Divulgação CGCI Atualização
Publicar, na CGCI
interna do (conteúdo) da seção de
Intranet PRF, CGCOM
Programa de A cada mês, Integridade na
evolução do Intranet Instâncias de
Integridade no mínimo CGCOM Página da PRF
Programa de Integridade
da CGU (execução) na WEB e no
Integridade DTIC
Painel PRF

24
11. ESTRATÉGIA DE MONITORAMENTO
PERMANENTE

Nos termos do disposto no art. 4º, IX, X e XI do A estratégia de monitoramento ora adotada está
Decreto nº 9.203/2017, são fixadas como diretri- focada em acompanhar as ações previstas neste
zes aplicáveis à governança pública: Plano de Integridade e aprovadas pela Alta Ad-
ministração, funcionando como Indicadores de
“[...] IX - editar e revisar atos normativos, pau- desempenho sobre os resultados atingidos du-
tando-se pelas boas práticas regulatórias e rante a implementação.
pela legitimidade, estabilidade e coerência do
ordenamento jurídico e realizando consultas Seguindo a metodologia adotada pelo Manual
públicas sempre que conveniente; de formulação do Plano de Integridade da CGU,
o monitoramento contínuo deste PI-PRF deve
X - definir formalmente as funções, as compe- incidir sobre todas as componentes da política
tências e as responsabilidades das estruturas de Integridade do Órgão, a saber: as medidas de
e dos arranjos institucionais; tratamento dos riscos à Integridade, as medidas
de fortalecimento das instâncias relacionadas à
XI - promover a comunicação aberta, voluntá- Integridade, as diretrizes e iniciativas para capa-
ria e transparente das atividades e dos resul- citação de líderes e colaboradores e a estratégia
tados da organização, de maneira a fortalecer de comunicação e reporte utilizada no âmbito do
o acesso público à informação [...]”. PI-PRF.

O Quadro 8 mostra as ações de monitoramento


Por estratégia de monitoramento contínuo enten- do Programa de Integridade da CGU, demons-
de-se o conjunto de ações destinadas à adapta- trando as diretrizes para a atuação da área res-
ção permanente do Plano de Integridade às ne- ponsável na manutenção e atualização do Plano
cessidades reais do Órgão, visando à mitigação de Integridade e seus instrumentos.
das lacunas entre as ações e medidas a serem
implementadas e o seu status de realização.

Quadro 8: Ações de monitoramento do Programa de Integridade da PRF – Gestão 2020-2021

Ações de Monitoramento Responsáveis


Chefia das diversas áreas
Avaliação sobre a execução das medidas
Unidades responsáveis/corresponsáveis pelas medi-
de Integridade previstas no Plano de
das de tratamento das Instâncias de Integridade
Integridade.
Coordenação-Geral de Controle Interno
Reavaliação Anual do Programa de Integri-
dade da PRF para atualização dos cronogra-
Coordenação-Geral de Controle Interno
mas e demais componentes críticos.
Aplicação e consolidação de pesquisa de
avaliação à Integridade da PRF, com alcance
Coordenação-Geral de Controle Interno
a todos os colaboradores e Instâncias de
Integridade do Órgão.
Revisão da Metodologia de Gestão de Riscos Coordenação-Geral de Controle Interno
da PRF.

25
12. PERSPECTIVAS

A PRF é Órgão com previsão constitucional, nos A partir da criação da Coordenação-Geral de Con-
termos do art. 144 da CF/1988, com atuação es- trole Interno, área especificamente responsável
pecífica prevista nos termos da Lei nº 9.654, de pela implementação, gestão e desenvolvimento
1998, estruturada da seguinte forma: uma car- da Integridade, da gestão dos riscos e do Contro-
reira única no cargo policial rodoviário federal le Interno na PRF, intensificou-se o movimento
e com uma carreira de apoio exclusivamente na de maturação das nossas estruturas de controle
área administrativa (PECPRF). Conta, ainda, com e gestão do risco, culminando com a publicação
colaboradores terceirizados e estagiários para próxima do presente Plano de Integridade.
cumprir a sua missão institucional e produzir os
resultados demandados pela sociedade. O atual modelo de Controle Interno estabelecido
na PRF passou por avançou significativos, sobre-
Ao longo dos últimos 20 anos, a PRF tem desen- tudo no que concerne à aderência ao contido na
volvido áreas e instrumentos destinados à nor- Lei 10.180/2001 e no Decreto nº 3.591/2000.
malização das atividades do Órgão, com destaque
para a Corregedoria, a Ouvidoria, a Comissão de
Ética e os Controles Internos, além das áreas de Para o futuro, as ações do Plano de Integridade
administração geral, logística e gestão de pessoas. da PRF priorizarão os apontamentos efetuados
pelo Tribunal de Contas da União, inclusive no
Especificamente quanto aos controles internos, o tocante à aplicação de um questionário especí-
desenvolvimento deu-se na forma de experiências fico, voltado aos gestores do nível estratégico do
de melhoria contínua dos métodos, instrumentos Órgão, o que refletirá na elevação da qualidade
e registros relativos aos atos praticados pela ad- das entregas realizadas à sociedade.
ministração e aos fatos ocorridos na gestão. Tais
controles tiveram grande aprimoramento a partir Almejando contribuir para a formação de uma li-
das recomendações e do monitoramento dos Ór- derança cada vez mais ética, apta a se posicionar
gãos de Controle Interno e Externo, de que resul- com a tenacidade necessária frente a possíveis
taram impactos positivos sobre a forma de atingir riscos à Integridade organizacional, o cenário da
os resultados planejados pelo Órgão. Integridade ao longo do exercício de 2020 focará
em decisões que contribuam para a dissemina-
O mesmo ocorreu com as demais áreas, como a ção de valores subjacentes ao combate à corrup-
gestão de pessoas, a logística e administração ção e às fraudes de qualquer natureza.
geral, que vêm sendo sistematicamente audita-
das pelos Órgãos de Controle ao longo dos últi- As mudanças culturais, econômicas e adminis-
mos anos, resultando em um aporte de prudên- trativas pelas quais o país atravessa são tam-
cia e responsabilidade para a gestão global do bém fruto da insatisfação social com os serviços
Órgão, bem como em relação a ações de Corre- públicos e com o histórico de privilégios e com
gedoria fundamentadas nas Avaliações Geren- os atos de corrupção ainda detectados na Admi-
ciais de Serviço, que aproximam os servidores
das áreas finalísticas das expectativas da gestão,
criando um ciclo virtuoso de feedback entre a
gestão e os colaboradores.

26
nistração Pública. O crescente ceticismo da opi-
nião pública a respeito do comportamento dos
administradores públicos e da classe política
nacional exige ainda ações de Integridade aptas
a efetivar práticas de austeridade ética direcio-
nadas ao combate à corrupção e aos desvios de
conduta.

O presente instrumento, além de projetar ações


voltadas ao Programa de Integridade, tem como
escopo fomentar a cultura de Integridade na
Polícia Rodoviária Federal, para que progressi-
vamente aumente a efetividade das ações ins-
titucionais, para aprimoramento das entregas
realizadas à sociedade, sobretudo os serviços
relativos à prestação de Segurança Pública com
cidadania, um dos objetivos estratégicos do Ór-
gão. Como ocorre em qualquer ambiente organi-
zacional, o maior reflexo do aumento qualitativo
da PRF será perceptível em seu capital humano,
a saber, quando houver maior identificação das
pessoas com os valores do Órgão, elevando-se
o sentimento de pertencimento organizacional
com enfoque em empreendedorismo e inovação.
Investir em uma cultura de pertencimento gera
valor para a preservação dos ativos mais caros
à Instituição, valorizando-se o capital humano
como algo intangível, mas não menos funda-
mental para o sucesso organizacional.

27
13. APÊNDICE I – GLOSSÁRIO TÉCNICO

Ações de ouvidoria: ações rea- Comissionada do Poder Execu- Medidas de Integridade: inicia-
lizadas pela Ouvidoria-Geral da tivo (FCPE), de níveis 1 a 4. tivas adotadas pela PRF para
União com vistas a possibilitar prevenção, detecção e correção
a colaboradores ou público ex- Gerenciamento de riscos à In- de atos de corrupção, fraudes,
terno o encaminhamento de tegridade: adoção de controles irregularidades e desvios éticos
denúncias, reclamações, solici- internos com o objetivo de di- e de conduta.
tações, elogios, sugestões, assim minuir o risco de corrupção e
como pedidos de acesso a in- fraudes, condutas ilegais e/ou Programa de Integridade Pú-
formações públicas produzidas antiéticas, bem como aumen- blica: medida administrativa
pela PRF, em conformidade com tar a capacidade de detecção de gestão estratégica por meio
a Lei de Acesso à Informação e remediação das irregularida- da qual se identifica, trata e ge-
(LAI). des que venham a ocorrer, com rencia, de forma sistemática, os
vistas a fornecer segurança ra- riscos de violação de Integri-
Alta administração: Ministro zoável quanto ao cumprimento dade de uma organização para
de Estado, Secretário Executivo, dos objetivos institucionais. melhoria da governança, tendo
Diretor-Geral e outras autorida- como foco principal estruturar,
des superiores, nos termos do Gestão de riscos: arquitetura reforçar, manter a cultura de
Decreto nº 9.203/2017. (princípios, objetivos, estrutu- Integridade institucional, bem
ra, competências e processo) como prevenir e combater po-
CGCI: Coordenação-Geral de necessária para se gerenciar tenciais atos de fraude e cor-
Controle Interno (ligada ao Di- riscos eficazmente. rupção que possam pedir que
retor-Executivo da PRF). a organização preste serviços
Governança Pública: conjunto de qualidade à sociedade e de
Colaborador: pessoa física que de mecanismos de liderança, forma eficiente e eficaz.
(i) tenha vínculo funcional com estratégia e controle postos em
a PRF (servidor efetivo ou tem- prática para avaliar, direcionar Risco à Integridade: evento re-
porário, requisitados, ocupan- e monitorar a gestão, com vis- lacionado à corrupção, fraudes,
tes de cargos ou funções de tas à condução de políticas pú- irregularidades e/ou desvios éti-
confiança etc.), (ii) preste ser- blicas e à prestação de serviços cos e de conduta, que possa com-
viços nas dependências físicas de interesse da sociedade (De- prometer os valores e padrões
do Órgão, mediante contrato creto nº 9.203/2017). preconizados pela Instituição e
firmado com empresa interpos- a realização de seus objetivos.
ta (serviços terceirizados) ou Integridade pública: alinha-
outro tipo de acordo congênere mento consistente e aderência Violação de Integridade: ação
(estagiário), ou (iii) atue como a valores éticos, princípios e ou omissão de um ou mais
consultor nas dependências fí- normas para garantir e prio- agentes relacionada à quebra
sicas da PRF. rizar os interesses públicos de valores e padrões preconiza-
sobre os interesses privados dos pela organização, normal-
Funções gerenciais: ocupan- no setor público (disponível mente associados à corrupção,
tes de cargo de Grupo-Direção em https://www.oecd.org/gov/ fraude, irregularidades e des-
e Assessoramento Superiores ethics/Recommendation-Pu- vios éticos e de conduta.
(DAS), de níveis 1 a 5, ou Função blic-Integrity.pdf).

28
14. APÊNDICE II – CRONOGRAMA PARA DEFINIÇÃO
E IMPLEMENTAÇÃO DA METODOLOGIA GESTÃO DE
RISCOS À INTEGRIDADE NA PRF

Cronograma para definição e Implementação da Metodologia de Gestão de Riscos


à Integridade na PRF

Etapa/Ação Prazos Área Responsável Entrega


Definição da Metodologia de Documento denominado
Gestão de Risco da PRF (Me- “Metodologia de Gestão
GR-PRF) + Entrega do Plano de de Riscos da PRF”, a ser
Trabalho para implementação Gestão publicado como Anexo de
do MeGR- PRF. 2020-2021 Portaria Normativa do Sr.
Diretor-Geral (juntamente
com Plano de Trabalho para
implementação).
Diagnóstico ambiental e insti-
tucional.
Formulação dos critérios para Gestão Coordenação-Geral
identificação dos riscos. 2020-2021 de Controle Interno

Relatório fundamentado.

Identificação dos riscos.


Análise dos riscos. Gestão
Avaliação dos riscos. 2020-2021
Priorização dos riscos.
Gestão Relatórios periódicos, con-
Início do monitoramento siste-
2020-2021 forme definido em Plano de
mático dos riscos.
Trabalho.

29

Você também pode gostar