Você está na página 1de 2

CUBO-DE-VENTO, A Turbina Eólica Segura.

CUBO-DE-VENTO no Parque Tecnológico da Pedra Branca, JPA, Rio de Janeiro.

Padrão do vento concentrado pelas velas Vento excessivo sangrando pela elasticidade

CUBO DE VENTO é uma inovação radical brasileira que viabiliza a micro e autogeração, com
retorno muito mais rápido que qualquer alternativa, além do seu forte apelo sustentável. Nesse filme
aparece sob vento variável: https://www.dropbox.com/s/vymyvyl2t6wazzx/20130814_162851.mp4

Na área urbana os ventos são fracos, mas com rajadas fortíssimas de varias direções, o efeito
giroscópico impõe um grande fadiga mecânica ás pás das turbinas de eixo horizontal, esforço que
que castigam e rapidamente destroem essas turbinas. Pás lançadas a grandes distancias não são
raridades nesses casos.

Nas turbinas de eixo vertical os rotores de grandes dimensões tem que enfrentar o vento contra no
sentido oposto ao giro, introduzindo um esforço alternado destrutivo. Também nesse caso, quedas
1
de rotores e peças não são difíceis acontecer. É a solução definitiva para a recuperação da energia
eólica urbana, que exibe ventos mais fracos, de direção irregular, agravado por rajadas violentas e a
proximidade de pessoas e animais voadores.

Baseado na forma mais dura do universo, o diamante, que cristaliza em forma de CUBO, e no
VENTO, a mais etérea forma de energia do mundo, o CUBO-DE-VENTO, usa velas náuticas para
concentrar o vento, exibindo movimento apenas DENTRO DA TORRE CENTRAL, eliminando
qualquer risco de projeção de partes perigosas.

O ROTOR INTERNO é de duplo impulso, na entrada e na saída do ar, sempre no mesmo sentido de
giro, tornando-o insensível á variação bruscas na direção do vento.

Segurança do publico- O CUBO-DE-VENTO tem seu um rotor enclausurado no centro de uma


estrutura rígida, altamente resistente, onde nem mesmo o colapso total das partes girantes poderia
emitir peças cadentes, inaugura um novo capitulo da energia eólica urbana segura.
Segurança em vendavais- com ventos excessivos, as velas abrem elasticamente na base, sangrando
o ar e diminuindo a pressão, retornando á posição automaticamente após a diminuição do vento.
Raios- estrutura externa condutora de eletricidade forma uma ‘Gaiola de Faraday', impede danos de
raios menores, e contem pedaços do rotor que um raio mais forte libere no CUBO-DE-VENTO.
Eficiência- dentro do CUBO-DE-VENTO um sistema de placas defletoras direciona e concentra o
vento no sentido de giro do rotor e impede que o vento atinja as palhetas em sentido contrario,
aumentando grandemente a eficiência bem como eliminando esforços repetitivos em alternância.
Eixo vertical- bombas e alternadores pesados são localizados na base, facilitando a montagem.
Ruído – como o CUBO-DE-VENTO usa um rotor enclausurado, tem pequeno diâmetro e muitas
palhetas, roda sob alta pressão e velocidade, usa um perfil de palhetas otimizado para reduzir a
turbulência e melhorar a conversão em energia, os ruídos gerados são de baixa intensidade e de alta
frequência, que são mais fáceis de atenuar pelas velas têxteis, o que torna o CUBO-DE-VENTO
praticamente INAUDIVEL em plena operação, sibilando menos que o próprio fluxo do ar.
Impactos visuais – as pás das turbinas comuns produzem reflexos móveis que são indesejáveis nas
áreas residenciais, e o tamanho dessas turbinas, seu design, pás de grandes dimensões e cor visível
só fazem piorar esse impacto. As máquinas de grande porte são objetos de muita visibilidade e
interferem significativamente nas paisagens naturais; por isso podem existir restrições à sua
instalação em algumas áreas turísticas ou de beleza natural. O CUBO-DE-VENTO praticamente
não é notado por ser estático. E suas velas intensificadoras, que se constituem de um simpático e
chamativo detalhe arquitetônico lembrando náutica e sustentabilidade, não agridem a paisagem.
Animais voadores – a mortalidade de aves e morcegos por choques nas pás das turbinas comuns
recomendam a sua não instalação em áreas urbanas, áreas de reprodução, áreas de proteção
ambiental e rotas de migração de aves. É também uma irresponsabilidade ambiental de quem se
pretende anunciar como sustentável. Nesse ponto o CUBO-DE-VENTO é irrepreensível, salvando
a vida dos animais voadores.
A Turbulência Rotativa, causada pelas enormes pás de turbinas eólicas de eixo horizontal
destroem a flora em seu entorno. O CUBO-DE-VENTO é só um obstáculo, como uma arvore.
Interferência eletromagnética – as turbinas comuns embaralham as ondas de rádio, TV e celular.
A onda refletida intermitente interfere no sinal de forma difícil de filtrar, gerando uma interferência
incomoda. O CUBO-DE-VENTO, por usar um rotor enclausurado e placas defletoras de vento que
praticamente formam uma blindagem, simplesmente não provoca interferência eletromagnética

INOVATEC Inovações Tecnológicas Ltda. inovatecrj@bol.com.br

Você também pode gostar