Você está na página 1de 17

APOSTILA

DE
EDUCAÇÃO FÍSICA
CURRICULAR
RECUPERAÇÃO E P5
6° ano a 3ª série do Ensino Médio

COLÉGIO SANTA MÔNICA


HEPTACAMPEÃO GERAL DO INTERCOLEGIAL
EXTRACLASSE – “ACADEMIA FAMILIAR
EDUCANDO PELO MOVIMENTO”

CCoord.Pedagógica Ed. Física e Extraclasse.

1
1ª PARTE
INTRODUÇÃO
Essa apostila tem por objetivo instrumentalizar, conscientizar, informar e
orientar aos alunos do 6º ano ao 3º ano do ensino médio, quanto aos principais assuntos
ministrados durante o ano letivo nas aulas de Ed. física. A disciplina tem uma
importância no currículo escolar bem mais ampla do que parece. E são nas aulas, que os
professores procuram dar esta consciência aos alunos.
Nesta apostila, estaremos ratificando estas informações dando um embasamento
ao que foi conversado, discutido e informado pelos professores tanto nas questões
técnicas, físicas, biológicas, culturais e sociais durante as aulas, questões estas que serão
cobradas nas provas de recuperação e P5 de Ed. Física.
Mais uma oportunidade para aqueles que por algum motivo não tiveram acesso a
essas informações, tirarem suas dúvidas e refletirem sobre a importância desta
disciplina.
Pretendemos que com esta a atividade física e a Educação física escolar tenha
um outro sentido na vida de vocês.

Vamos ao que interessa!!!!!!

EDUCAÇÃO FÍSICA
A educação física na atualidade deve ser vista como uma área do conhecimento
que trabalha com o corpo como fenômeno sócio cultural. Isso quer dizer que seus
exercícios devem ser voltados não só aos aspectos fisiológicos, mas também a
importância do auto-conhecimento corporal e suas necessidades dentro de uma
determinada sociedade. Para isso se faz necessária a transmissão de específicos
conhecimentos pisico- sociais e didáticos pedagógicos, além de uma gama de exercícios
multidisciplinares.
A criança busca o aprendizado, através da vivência das experiências, para
satisfazer seus desejos e anseios. Essa busca e satisfação desses anseios são muito
importantes para a formação de sua personalidade (André Lapierre).
É na fase escolar, que ocorre o desenvolvimento psicomotor da criança, que é
essencial para a formação de seu vocabulário motor, isto é, seus conhecimentos básicos
de si mesmo e de suas possibilidades motoras.
É o fenômeno sócio-cultural, que tem no jogo o seu vínculo cultural e na
competição o seu elemento essencial e que, nas suas diferentes formas, contribui para a
formação e aproximação dos seres humanos ao reforçar o desenvolvimento de valores
como a moral, a ética, a solidariedade, a fraternidade e a cooperação, o que o torna
um dos meios mais eficazes para a convivência humana. (TUBINO, 2005)
A Educação Física escolar, tem como meta que o aluno vivencie e interiorize os
movimentos, possibilitando a ele ter inúmeros estímulos para que no futuro possa
perceber qual o desporto, atividade física ou exercício físico que mais lhe agrada, tendo
inclusive através destas atividades iniciais a possibilidade de transferir a desenvoltura
dos movimentos para conseguir uma melhor performance seja a nível de clubes e
seleções ou simplesmente adquirir o hábito para a prática permanente da atividade física
e lazer, estimulando um convívio social perante as pessoas que o cercam no seu dia a
dia.
As aulas devem possibilitar a máxima exploração de movimentos fundamentais
para o desenvolvimento de nossos alunos.
No mundo moderno e violento de hoje, onde os avanços da tecnologia com
computadores e games de última geração deixam as crianças cada vez mais longe de
vivenciar atividades e movimentos importantes na formação e manutenção do seu
alfabeto motor. Neste sentido a escola passa a ter papel fundamental em proporcionar
2
essas atividades, além de discutir, refletir e criar nos alunos uma visão crítica em relação
à gama de atividades que são oferecidas dentro e fora da escola.
Observamos nos dias de hoje muitas informações, dicas, instruções e orientações
que muitas vezes nos conduz a práticas desportivas inadequadas. Precisamos estar
atentos se as informações que são lançadas diariamente pelos mais diversos veículos de
comunicação, buscam atender as indústrias do fitness e farmacológicas ou realmente
nos transmitem conhecimentos valiosos para que possamos ter autonomia na escolha e
execução da prática esportiva.

2ª PARTE
EDUCAÇÃO FÍSICA NO COLÉGIO SANTA MÔNICA
Vivenciar tende a ser o principal objetivo da Ed. Física curricular do CSM.
No colégio Santa Mônica, a criança do 6ª ano começa a tomar contato
paulatinamente com jogos mais estruturados, jogos pré-desporivos, jogos com regras,
definidas ou não, jogos em grupos, de cooperação e competição, procurando entender à
diferença de cada momento. O desafio é em alguns momentos um fator motivacional
importante para as aulas, porém sempre com a atuação constante do professor.
E não poderíamos deixar de resgatar algumas atividades que fizeram parte da
infância de nossos pais e avós e que são formadoras da cultura nacional. Qual deles
nunca brincou de cabra-cega, corrida de chapinha, pular corda, elástico e amarelinha,
corrida de saco, etc. Vivenciar atividades como: capoeira, atividades aquáticas, enfim
fazê-los experimentar e dar uma consciência crítica através de reflexões sobre essas
atividades.
Nas séries mais avançadas, 7ª ano, começamos a trabalhar a introdução a
algumas modalidades esportivas, mas sem visar à técnica ou o aprendizado ferrenho das
regras, mas sim de maneira lúdica. Procuramos adaptar os conhecimentos e as
atividades à faixa etária correta acompanhando a maturação cronológica e respeitando a
individualidade de cada um. Dessa forma vamos estimulando as atividades de
desenvolvimento motor: força, equilíbrio, agilidade, coordenação psicomotora,
percepção auditiva e visual, etc.
Relacionamos as atividades propostas com o cotidiano e a realidade de cada
turma e em conjunto com outras disciplinas, gerando assim um amplo conhecimento
dos esportes, das atividades esportivas dos benefícios e da aplicabilidade dessas no dia a
dia.
Tratando-se a Ed. Física de uma disciplina onde as relações inter-pessoais
estão permanentemente presentes e, nestas relações – principalmente em competições
esportivas – transparece de maneira clara os conflitos, as tensões, as contradições
sociais, os interesses antagônicos.” (Schmitt, 2002, p.18).
A Ed. física é um ambiente que nos permite experimentar, relacionarmos uns
com os outros, interagir com as questões ambientais e de saúde, onde podemos
identificar entender, aprender a lidar de uma forma ética, consciente e organizada com
as diferenças individuais e de grupo.
Nosso verdadeiro intuito é utilizar e estes conceitos, que fazem parte da
educação física contemporânea, e estão presentes em nossa vida, como princípios para
dar consciência, estimular e introduzir o gosto e o habito a pratica de atividade física
regular, formando assim cidadãos dignos e saudáveis.
Resende (2007), citando Brach, afirma que a “escola, também através das aulas
de Ed. Física tem função de fomentar a reflexão crítica sobre as atividades físicas de
lazer em relação a tempo disponível, condições ambientais e reais, vontade, prazer,
aptidão, necessidade, possibilidade, hábitos, condições mínimas sociais e culturais.
Estabelecer a reflexão sobre todas as condições para realização das atividades físicas e
saúde”.

3
PROJETOS TEMÁTICOS DA ESCOLA E TRABALHOS
A escola tem um papel fundamental na construção dos alunos enquanto cidadãos.
Os projetos e os trabalhos solicitados são de suma importância nessa construção, pois
tem como objetivo a conscientização da comunidade escolar, abordando temas atuais
que fazem parte do cotidiano e integrado com o momento vivido por nossos alunos. A
realização destes trabalhos traz os alunos, responsáveis e professores a interagir e
refletir sobre os assuntos abordados de uma forma criativa e prazerosa, promovendo um
aprendizado que fortalece a relação da família com a escola.

3ª PARTE
OS BENEFÍCIOS DA ATIVIDADE FÍSICA
De acordo com santos e Farenatti (1998), os modelos de promoção de saúde não
dão conta do ser humano em sua forma ampla e subjetiva. Há alguns anos, o conceito de
saúde era avaliado segundo a OMS (organização Mundial de Saúde), como ausência de
doenças. Ao longo dos anos muitas questões foram sendo incorporadas neste conceito.
Hoje podemos afirmar que o conceito mais utilizado embora não definitivo leva em
consideração a questão biológica, psicológica e social.
A atividade física é uma das ferramentas que possibilitam apresentar ao
indivíduo as condições para que o mesmo possa agir diante de suas reais condições para
a busca de uma melhor saúde.
O ser humano, na sua preocupação com o corpo, precisa estar alerta para o fato
de que a saúde e longevidade devem vir acompanhadas de qualidade de vida. A
atividade física é uma aliada imprescindível para alcançar uma boa forma física e sua
prática deve ser desenvolvida de uma forma prazerosa e contínua ao longo de toda vida.
A atividade física é definida como qualquer movimento corporal,
produzido pelos músculos esqueléticos, que resulte em gasto energético maior que os
níveis de repouso. (CASPERSEN et alii, 1985).
Qualquer atividade física bem orientada, se aplicada durante o período de
desenvolvimento irá contribuir de forma positiva no crescimento, basicamente por dois
motivos: primeiro, a atividade física induz a secreção de GH (hormônio do crescimento)
e segundo, a atividade física irá impor stress físico aos ossos e articulações o que na
medida certa é essencial para um bom desenvolvimento, além de estimular o melhor
funcionamento de nosso organismo.
Dentre os vários aspectos desenvolvidos pela Ed. Física, podemos citar alguns
que estão presentes em qualquer que seja a atividade:

Percepção: Percepção é a habilidade motora do indivíduo de ligar significados aos


objetos, acontecimentos e situações.
Equilíbrio: Equilíbrio é a habilidade de assumir e manter qualquer posição contra a
ação de gravidade. A continuidade do equilíbrio resulta da interação dos músculos que
trabalham para manter o corpo sobre a sua base.
Lateralidade: Lateralidade é a interiorização da noção da diferença entre direita e
esquerda. É a habilidade de controlar os dois corpos juntos ou separadamente e é à base
dos conceitos de espaço.
Imagem do Corpo: A imagem do corpo é o conceito que o indivíduo tem de seu
próprio corpo e suas partes. Tal conceito envolve o conhecimento de:
a) A estrutura física do corpo e suas partes;
b) Os movimentos e funções do corpo e de suas partes;
c) A posição do corpo e suas partes em relação umas às outras partes e aos objetos.

4
Auto-Imagem: A Auto-Imagem envolve o conceito psicológico de como a criança
percebe a si própria como pessoa. É a auto-avaliação de seu valor e mérito pessoal.
Associação Visual-Motora: A associação visual-motora diz respeito à habilidade
de integrar satisfatoriamente respostas visuais e motoras na forma de uma ação física.
Permite que o indivíduo controle os movimentos e desloque-se fácil e regularmente de
um lugar para outro.
Coordenação: Coordenação é a habilidade do corpo de integrar a ação dos músculos
de maneira a executar um movimento específico ou uma série de movimentos comuns
da melhor forma possível.

Coordenação Motora Grossa: A coordenação motora grossa resulta do


desenvolvimento do esqueleto ou dos grandes músculos para produzir o movimento
total e eficiente do corpo.
Coordenação Motora Fina: A coordenação motora fina (uso dos pequenos músculos)
é resultante do desenvolvimento dos músculos a ponto de ser possível realizar pequenos
movimentos específicos (cortar, escrever, pegar, etc.).
Movimentos de Locomoção: Movimentos de locomoção são movimentos básicos
executados quando nos deslocamos de um lugar para outro (andar, correr, pular, saltar,
arremessar, lançar, etc.).
Movimentos Uniformes: Movimentos uniformes são habilidades motoras
executadas consecutivamente por um número de vezes ou que tem continuidade por um
período de tempo.
Orientação Espacial: A orientação espacial diz respeito à habilidade de escolher
um ponto de referência para estabilizar funções e organizar objetos numa perspectiva
correta. Envolve o conhecimento do corpo e sua posição, bem como as posições das
outras pessoas e objetos em relação a um determinado corpo no espaço.
Direcionalidade: Direcionalidade é a noção de espaço fora do corpo e envolve:
a) Conhecimento das direções em relação à direita e esquerda, dentro e fora, para
cima e para baixo;
b) A projeção da pessoa no espaço;
c) A avaliação das distâncias entre os objetos.
Cinestesia: É a noção que se tem do movimento muscular e o gasto de energia ao
executarmos uma tarefa.
Os benefícios da Atividade Física vão muito além destes aspectos uma vida ativa
reduz a incidência de várias doenças, bem como a uma redução da mortalidade
cardiovascular. Em crianças e adolescentes, um maior nível de atividade física contribui
para melhorar a auto estima, o relacionamento social, o respeito às regras e aos limites,
reduzir a prevalência de obesidade e doenças respiratórias, etc. Ainda é a mais provável
certeza de que uma criança fisicamente ativa se torne um adulto também ativo.

4ª PARTE
ÉTICA NO ESPORTE
Ética significa não só adesão ao conjunto de regras escritas, mas também
compreende de igual modo, a correção de atitudes entre jogadores, treinadores, árbitros,
que devem ser encorajados a comportarem-se, em todas as situações, de forma correta.
A idéia principal da ética é a que cada um se coloque no lugar do outro e que sempre se
comporte de acordo com essa situação.
FAIR PLAY
O Fair Play significa muito mais do que um simples respeitar de regras, engloba
as noções de amizade, de respeito pelo outro, e de espírito desportivo, representa um
modo de pensar, e não simplesmente um comportamento.

5
O DESPORTISTA NO DESPORTO É SEMPRE UM VENCEDOR
O desporto é reconhecido como uma atividade cultural e social, que quando
praticado no espírito do Fair Play, não só enriquece a sociedade, como promove a
amizade entre indivíduos, grupos e países e etc. O desporto oferece a oportunidade para
a melhoria do auto-conhecimento, favorece a auto-expressão e encoraja as interações
sociais, a alegria e o divertimento.
Professor, aluno e pai formam um mesmo triângulo básico dentro do processo da
prática desportiva. A dimensão destes benefícios mostra a superação dos resultados na
prática desportiva. Os pais podem contribuir para que seus filhos vivam momentos
agradáveis, beneficiando-se de tudo aquilo que o desporto pode lhes oferecer, tanto na
sua formação como atleta como para sua formação futura de cidadão.

5ª PARTE
MODALIDADES
A partir do 8º ano, o Colégio Santa Mônica utiliza a divisão das aulas de Ed.
Física através de modalidades. Assim, as turmas deste ano em diante se dividem dentro
de diferentes modalidades para praticar a atividade física de acordo com sua
preferência. São elas:

RITMOS
Inicialmente era estimulado pelos ritmos da musicalidade ache. Com o tempo foi
evoluindo e agregando os ritmos do funk, hiphop, samba e outros.
Hoje temos a misturas destes ritmos e procuramos valorizar a intencionalidade
das músicas e dos passos.
Criar uma reflexão em relação ao que se escuta, dança no s dias de hoje e
estimular atividades de corporeidade através de passes organizados atendendo a
coreografias criativas em compasso com a musicalidade, além de trabalhar questões
motoras, sociais e de reflexões para consciência crítica.
As primeiras danças sociais, como eram chamadas as danças em casais, surgiram
no séc. XIV. Eram a base dance (1350-1550) e o pavane (1450-1650), dançadas
exclusivamente por nobres e aristocratas. Nos sécs. XIV e XVII a Inglaterra foi berço da
contradança, também só dançada pela Corte.
A popularização das danças sociais deu-se em 1820 através do Minueto,
desenvolvendo-se o cotillos e a quadrille. Já no início do séc. XIX ocorreram rápidas
transformações no estilo de dançar. O minueto e a quadrille desapareceram e a Valsa
começou a ser introduzida nos sofisticados salões de baile. Logo, a polka e, no início do
nosso século, o two-step, one-step, fox-trot e tango, também invadem os salões. A dança
social passa então a ser chamada de Ballroom Dancing.
No Brasil a dança de salão foi introduzida em 1914, quando a suíça Louise
Poças Leitão, fugindo da I Guerra Mundial, aportou em São Paulo. Ensinando valsa,
mazurca e outros ritmos tradicionais para a sociedade paulista, Madame Poças Leitão
não imaginava que iria criar uma tradição tão forte, seguida por discípulos que
continuariam a divulgar a dança de salão, entre elas o Núcleo de Dança Stella Aguiar.
No Rio de Janeiro a dança de salão cresceu nas mãos de Maria Antonietta, que,
com várias correntes de professores, fazem o nosso bolero, samba no pé e samba de
gafieira famosa no mundo todo.

MODALIDADES DE QUADRA
As atividades na quadra mudam semestralmente e variam de acordo com os
desportos de quadra mais difundidos no Brasil. Abaixo, um breve resumo de cada um
deles:

6
BASQUETE
Surgiu em Massachussets no ano de 1891, criado pelo professor James Naismith,
a pedido do diretor do Springfield College (colégio internacional da Associação Cristã
de Moços), Luther Halsey Gullick, devido ao longo e intenso inverno que tornava
impossível a prática de atividades físicas ao ar livre. As poucas opções de atividades
físicas em locais fechados se restringiam a entediantes aulas de ginástica, que pouco
estimulava aos alunos.
Pensando em como criaria este jogo, Naismith decidiu por um alvo fixo com um
grau de dificuldade, estipulando assim a cesta a 3,5m de altura. Decidiu estipular uma
bola maior que a de futebol, que quicasse com regularidade e não pudesse ser retida por
muito tempo. Rapidamente estipulou 13 regras básicas e a primeira partida oficial
ocorreu em 11 de março de 1892, no ginásio Armory Hill.
O basquete foi incluído nos Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936.
Atualmente, o esporte é praticado por mais de 300 milhões de pessoas no mundo
inteiro, nos mais de 170 países filiados à FIBA.
O Brasil foi um dos primeiros países a conhecer o esporte. Através do estudante
de artes, Augusto Shaw, que em 1884 veio da Universidade de Yale para o Mackenzie
College, em São Paulo e trouxe na bagagem a bola do esporte que tinha tido contato
durante sua faculdade.
O esporte demorou a ser aceito devido à concorrência com o futebol trazido em
1894 por Charles Miller. Mas foi aderido rapidamente pelas mulheres. A aceitação
nacional do novo esporte veio através do Professor Oscar Thompson, na Escola
Nacional de São Paulo e Henry J. Sims, então diretor de Educação Física da Associação
Cristã de Moços (ACM), do Rio de Janeiro.
O primeiro campeonato oficializado pela Liga foi em1919, com a vitória do
Flamengo.
As primeiras regras em português foram traduzidas em 1915. Nesse ano a ACM
realizou o primeiro torneio da América do Sul, com a participação de seis equipes
Atualmente o basquete internacional se encontra organizado pela FIBA - Federação
Internacional de Basquetebol. Exceto para a liga profissional de basquete dos EUA, a
NBA, que mantém regras próprias pouco diferentes das regras internacionais.
Para jogos regulamentados pela FIBA, o tempo de jogo oficial é de 40 minutos,
divididos em quatro períodos iguais de 10 minutos cada. Entre o 2º e 3º períodos, há
intervalo de 15 minutos, e invertem-se as quadras de ataque e defesa dos times.
O basquetebol em cadeira de rodas é uma modalidade bastante conhecida entre os
desportos para pessoas com necessidades especiais.
Posicionamentos técnicos: Armador ou base é como o cérebro do time. Arma as
jogadas e geralmente começa com a bola. Alas ou extremos jogam pelos cantos. A
função do ala muda bastante. Ele pode ajudar o armador, ou fazer muitas cestas. Pivôs
ou postes são, na maioria das vezes, os maiores do time. Com sua altura, pegam muitos
rebotes, fazem muitas enterradas e bandejas, e na defesa ajudam muito com os tocos.
O deslocamento só pode ser feito através de dribles (quiques), cada cesta valem 2
(dois) ou 3 (três) pontos.
As faltas são contadas coletivamente e individualmente.
O lance livre é sempre cobrado na entrada do Garrafão, zona de ataque do basquete;
Toda infração é cobrada através do lateral cobrado atrás da linha lateral.

7
FUTSAL
Criado em 1940, por jovens freqüentadores da Associação Cristã de Moços do
Uruguai e de São Paulo. Com dificuldades para encontrar campos de futebol para
divertimento em suas horas de lazer, estes improvisaram "peladas" nas quadras de
basquete e hóquei, aproveitando as traves usadas na prática desse último esporte. No
início, as "equipes" variavam em número, tendo cinco, seis e até sete jogadores.
As bolas de crina vegetal ou serragem.
Em 28 de Julho de 1954 foi fundada a Federação Metropolitana de Futebol de
Salão, atual Federação de Futebol de Salão do Estado do Rio de Janeiro, a primeira
federação estadual do Brasil, sendo Ammy de Moraes seu primeiro presidente. De
1954 aos anos 90 criaram-se diversas federações estaduais.
O jogo é realizado em uma quadra 40x20 metros, cada equipe é composta de 1
goleiro, 1 Pivô, 2 alas e 1 Parado.
O lateral é cobrado com pé, o drible faz parte do jogo onde os principais
fundamentos são: o passe, chute e recepção.
É um jogo dinâmico e muito difundido, sempre jogado com os pés onde somente
o goleiro dentro da área pode utilizar-se das mãos.
O tiro de 10 metros será sempre cobrado quando a equipe extrapolar o número
mínimo de 5 faltas coletivas. A penalidade máxima ocorrerá sempre que alguma
infração acontecer dentro da área.
As faltas e/ou infrações serão cobradas de onde aconteceram e anotadas.
2 árbitros, 1 apontador e 1 cronômetrista participam do jogo.

VÔLEI
Inventado em 9 de Fevereiro de 1895 por Willian George Morgan nos Estados
Unidos da América. (Esporte da moda – Basquetebol, criado 4 anos antes). O objetivo
de Morgan era criar um esporte de equipes sem contato físico entre os adversários de
modo a minimizar os riscos de lesão.
Em 1964 o voleibol passou a fazer parte do programa dos Jogos Olímpicos,
tendo-se mantido até à atualidade. O voleibol surgiu na América do Sul por intermédio
do Peru, no ano de 1910. O voleibol foi introduzido no Brasil por volta dos anos de
1916/1917, também pela Associação Cristã de Moços de São Paulo, do mesmo modo
que aconteceu à quase totalidade dos países que o praticam. Suas primeiras regras
somente surgiram em 1900. O voleibol é um dos esportes que mais sofreram alterações
em suas regras originais.
A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) foi criada em 16 de agosto de 1954 e
em 25 de agosto de 2003 foi inaugurado o Centro de Desenvolvimento de Voleibol -
Saquarema (Aryzão)
Posições em quadra: Atacante de meio (3) - Costumam ser os mais altos, pois
normalmente tem uma função mais forte no bloqueio. Ágeis para atacarem as chamadas
bolas rápidas. Atacante de Ponta (2 ou 4) - atacam bolas mais altas e tem uma
importância tanto no ataque, quanto na defesa. Oposto (2 ou 4 ou posições de fundo) -
joga na posição diretamente oposta ao levantador, normalmente ele é o mais
especializado em ataque no time. Levantador – É responsável pelo segundo contato com
a bola de sua equipe, preparando-a para o ataque. Varia sua posição de acordo com o
sistema de jogo, mas após o saque encaminha-se para próximo da posição 3.
O jogo é iniciado com o saque e tem com principais fundamentos o Toque,
manchete, levantamento e cortada. É jogado com 6 (seis) jogadores, em uma quadra de
18m X 9m dividido por uma rede, onde cada equipe só pode dar 3 toques na bola.
Vence o jogo a equipe que conseguir vencer 3 sets de 25 pontos.

8
HANDEBOL
O handebol é uma modalidade esportiva criada pelo alemão Karl Schelenz, em
1919. O esporte inicialmente era praticado na grama em um campo similar ao do
futebol. A área do gol com raio de 13m, o gol com 7,32m de largura por 2,44m de altura
(o mesmo usado no futebol), a bola usada é a mesma da versão em quadra e é disputado
por duas equipes de onze jogadores cada. Hoje em dia a maioria dos jogadores pratica
apenas o handebol de quadra.
O jogo faz parte dos Jogos Olímpicos deste de 1972. No início apenas as
mulheres jogavam, logo depois, os homens passaram a praticá-lo.
O handebol chegou ao Brasil em 1930 e popularizou-se em escolas e
universidades. A grande difusão do esporte em todos os estados adveio com a sua
inclusão nos III Jogos Estudantil Brasileiro realizado em Belo Horizonte - MG em julho
de 1971 como também nos Jogos Universitário Brasileiro realizado em Fortaleza-CE
em julho de 1972.
A quadra oficial mede 40 x 20 metros, são 7 jogadores: 1 goleiro, 2 pontas, 1
Piv6o e 3 armadores.
Cada jogador só pode dar 3 passos com a bola na mão;
O deslocamento deve ser feito com dribles (quicar), sempre através da parte
superior da bola;
As faltas e infrações são cobradas antes da linha dos 9m (linha tracejada);
Se algum jogador sofrer uma falta no ato do arremesso será considerado tiro de 7
metros (pênalti);
O recuo de bola para o geleiro, estando este dentro da área é considerado tiro de
7 metros
O lateral sempre deve ser cobrado com um dos pés sobre as linhas;
O gol só é validade quando arremessado de fora da área adversária;
Os principais sistemas de jogo são: 6x0, 5x1 e 4x2;
Vence o jogo a equipe que marcar o maior número de gols.

XADREZ
Xadrez é um jogo de tabuleiro de natureza recreacional e competitiva para dois
jogadores. Também conhecido como Xadrez Ocidental ou Xadrez Internacional para
diferenciá-lo seus predecessores e de outras variantes da atualidade, a forma atual do
jogo surgiu no Sudoeste da Europa na segunda metade do Século XV depois de ter
evoluído de suas antigas origens indianas. O Xadrez pertence à mesma família do
Xiangqi e do Shogi e, segundo os historiadores do enxadrismo (ou xadrezismo), todos
eles se originaram do Chaturanga, que se praticava na Índia no Século VI.
Muito embora diversos países tenham sido apontados como o berço do xadrez,
na atualidade a maioria dos pesquisadores concorda que o jogo tenha se originado na
Índia, baseando-se na prova lingüística que indica que os termos para a palavra xadrez
nas línguas portuguesa, árabe, persa, turca, grega e espanhola derivam do sânscrito
chaturanga.
O primeiro torneio moderno de enxadrismo ocorreu em Londres em 1851. O
campeão foi o alemão Adolf Anderssen, relativamente desconhecido à época, sendo
aclamado como o melhor enxadrista de sua época. O seu estilo enérgico e brilhante,
embora estrategicamente limitado, tornou-se muito popular, sendo imitado pelos outros
praticantes.
Cada um dos enxadristas, dispõe de 16 peças: oito Peões, dois Cavalos, dois
Bispos, duas Torres, um Rei e uma Dama, sendo que cada tipo de peça possui um
movimento característico.
Quando uma peça pode ser movida para uma casa em que está localizada uma
peça adversária, esta última pode ser capturada. Assim, a peça a ser jogada move-se
para a casa da peça oponente, que é então retirada do tabuleiro. O Rei é a única peça que
nunca pode ser capturada, uma vez que a partida termina quando ocorre o xeque-mate,
ou seja, a eminência da captura do Rei.
9
Notas lingüísticas: Sobre a denominação das peças, temos as seguintes
considerações de natureza lingüística: Xeque-mate é um termo que provém do persa
shāh māt, significando rei morto. Dama, originalmente denominada em persa como
farzīn (vizir) se tornou firzān em árabe, que entrou nas línguas européias nas formas
alfferza, fers, etc, sendo posteriormente substituída por Dama ou Rainha em
homenagem a uma rainha européia. Bispo, inicialmente do persa pīl significando
elefante, mas na Europa e na parte ocidental do mundo islâmico os habitantes pouco ou
mesmo nada sabiam sobre elefantes, e o nome desta peça entrou na Europa Ocidental
com o nome latim alfinus e similares, uma palavra sem nenhum outro significado (na
Espanha, por exemplo, o nome modificou-se para alfil). Alfil é na verdade o árabe Al-fill
(elefante) isso devido à tomada da península Ibérica (onde se localizam atualmente
Espanha e Portugal) pelos árabes. O nome português Bispo é uma renomeação devido à
forma convencional da peça. Na Rússia, a peça é, entretanto, ainda conhecida como
слон (elefante).

TÊNIS DE MESA
A prática do esporte no Brasil teve início com turistas ingleses que, em 1905,
começaram a implantá-lo no país. As atividades em público ocorreram,
aproximadamente, em 1912, quando foi disputado o primeiro campeonato por equipes
na cidade de São Paulo. Até então, o tênis de mesa era praticado somente em casas
particulares e clubes (CBTM, 2002 a).
As regras de jogo são discutidas e reexaminadas a cada 2 anos, em congressos,
durante os campeonatos mundiais e, de acordo com a experiência das entidades dos
países membros da ITTF, são gradativamente alteradas (Uzorinac, 2001).
A partir de 2000, o tênis de mesa apresentou grandes mudanças nas regras. A
primeira foi em relação à bolinha, que aumentou de 38 mm para 40 mm. Outras
alterações significativas foram em relação ao saque e número de sets:
O jogo inicia-se com o saque, onde Cada atleta ganhou o direito a dois saques,
mudando sempre que a soma dos pontos seja dois ou seus múltiplos.
A PARTIDA é disputada com um set a ser constituído de 11 pontos. A partida
pode ser jogada em qualquer número de sets ímpares. No caso de empate em 10 pontos,
o vencedor será o que fizer 2 pontos consecutivos primeiro.
O Objetivo de cada atleta e fazer com que o outro atleta não consiga recepcionar
e devolver a bola.
É jogado com raquetes em uma mesa de 2,74x1,525 metros, e 0,76 cm altura
separados por uma rede.
Vence quem conseguir sair vitorioso no maior número de sets.
(CBTM, 2004).
CAPOEIRA
É um misto de luta–jogo–dança e, que traz na sua essência o resgate de uma
divida histórica brasileira com nossos afro-descendentes. Por ser genuinamente
brasileira tem uma forte característica cultural que no mundo contemporâneo, vem se
perdendo e retirando das crianças a oportunidade máxima de exploração de movimentos
naturais com grande importância no desenvolvimento de nosso alfabeto motor.
A exigência de movimentos acrobáticos, estimulados por sons e cantigas
próprias favorece o desenvolvimento da musicalidade, do ritmo, desenvoltura, destreza
que estimulam a melhora da auto-estima, fatores crucial em uma sociedade de formação
anulante que muitas vezes, tira da criança e do jovem o auto-respeito, autoconfiança e a
auto-admiração: elementos fundamentais para o processo de formação global do
indivíduo.
As crianças e adolescentes adquirem melhor equilíbrio, desenvolvimento mental,
disciplina e socialização, porque reúne atividade física exigente junto com aspectos
artísticos. Ela alia movimentos de força, coordenação, destreza e equilíbrio dinâmico,
além de se caracterizar por um vigoroso exercício cardiovascular exige participação dos
grandes músculos do corpo, uma particular coordenação motora com movimentos
10
delicados e bastante rigorosos, valências físicas importantes no desenvolvimento
corporal.
Possui, ainda, um poder de socialização de rara grandeza, pois emana, através
dos grupos de combate, uma amizade solidificada através dos treinamentos.
Essa integração social e lúdica, ajuda a criança e o jovem a conviver em uma
sociedade onde a pluralidade cultural é um fator presente em todos os segmentos.
O exercício da capoeira exige participação dos grandes músculos do corpo, uma
particular coordenação motora com movimentos delicados e bastante rigorosos,
valências físicas e psíquica, fundamentais para o sucesso em qualquer desporto.

11
6ª PARTE

EFEITOS FISIOLÓGICOS
Fisiologia é do Grego physiologia < Pýisis, natureza + logos, tratado s.f.
Parte da Biologia que estuda as funções dos órgãos nos seres vivos, animais ou vegetais.
A atividade física tem reflexos diretos nos funcionamentos dos nossos órgãos.
Proporciona melhor funcionamento e consequentemente melhor resultados da funções
orgânicas.
Embora sejam muitos os efeitos fisiológicos promovidos pela atividade física
existe alguns que são importantes relacionar, para que tenhamos consciência de seus
efeitos diante de nosso organismo, são eles:

Agudos imediatos: também conhecidos como respostas, são aqueles que acontecem
imediatamente após o exercício, como: aumento da Freqüência cardíaca (FC),
Ventilação pulmonar e Sudorese.
Agudos tardios: são aqueles observados nas primeiras 24 horas que se seguem após o
exercício.
Crônicos: também conhecido como adaptações, são aqueles que resultam da exposição
freqüente às sessões de exercícios, como: hipertrofia muscular, aumento do consumo
máximo de oxigênio e redução da gordura corporal.

a) EFEITOS Antropométricos, Neuromusculares e Metabólicos:


Diminuição da gordura corporal;
Aumento da massa muscular;
Aumento da força;
Aumento da densidade óssea;
Aumento da flexibilidade.
Diminuição da freqüência cardíaca;
Aumento do Condicionamento físico;
Melhora da condição respiratória;
Diminuição da pressão arterial;
Melhora da sensibilidade a insulina.

b) EFEITOS PSICOLÓGICOS
Melhora da auto-estima;
Melhora da imagem corporal;
Diminuição do estresse e da ansiedade;
Melhora e da insônia;
Relaxamento Muscular;
Diminuição do consumo de medicamentos.

d) NA TERCEIRA IDADE
Hoje cada vez mais, ouvimos falar sobre o efeito benéfico de um estilo de vida
ativo na manutenção da capacidade funcional e da autonomia física durante o processo
de envelhecimento. Além dos benefícios citados anteriormente temos também:

Melhora da velocidade de andar;


Melhora do equilíbrio;
Aumento do nível de atividade física espontânea (levantar, sentar, etc);
Aumento ou manutenção da densidade óssea;
Ajuda no controle de doenças crônicas degenerativas;
Melhora da ingestão alimentar;
Diminuição da pressão arterial;
Melhora dos reflexos;
12
Aumento da flexibilidade;
Manutenção do peso corporal;
Melhora da mobilidade;
Diminuição do risco de doença cardiovascular.

e) NA OBESIDADE
As duas áreas mais importantes para prevenção, controle e tratamento da obesidade
são o aumento do nível de atividade física e a melhora na qualidade da alimentação.
Diminuição de gordura;
Preservação da massa muscular;
Controle da ingestão alimentar;
Redução do apetite em curto prazo;
Redução da ingestão de gordura;
Melhora da auto-estima;
Diminuição da ansiedade;
Diminuição da pressão.

f) NA HIPERTENSÃO ARTERIAL
Diminuição da freqüência cardíaca de repouso;
Diminuição da gordura corporal;
Efeito diurético (nos exercícios em meio líquido);
Aumento da massa muscular;
Aumento da força muscular;
Diminuição do estresse;
Diminuição da ansiedade.

Além dos benefícios fisiológicos da atividade física no organismo, vários


estudos mostram que existem alterações nas funções cerebrais dos indivíduos
envolvidos em atividade física regular. Esses estudos mostram que o processo cognitivo
(intelectual) é mais rápido e mais eficiente em indivíduos fisicamente ativos.

Fonte: [Vida ativa para o novo milênio] - Victor K. R. Matsudo – Revista Oxidologia
set/out: 18-24,1999

13
7ª PARTE
DICAS IMPORTANTES E SAIBA MAIS SOBRE:

HIDRATAÇÃO
Os estudos científicos comprovam que o exercício regular traz muitos benefícios à
saúde, mas as condições de calor e umidade impõem um grande desafio a prática de
atividade física. O desempenho humano reduz significadamente e o risco de
desidratação e doenças relacionadas ao calor também aumentará. Como o Brasil é um
país tropical, o calor predomina na maior parte do ano. São necessárias algumas
estratégias importantes para minimizar o impacto dessas condições em pessoas
praticantes de exercícios.
Aqui vão cinco dicas para você não ficar de molho:

1- Exercitar-se regularmente: Além de melhorar a sua aptidão, irá aumentar a sua


resistência em tolerar o estresse pelo calor.
2- Ajuste o treinamento ao meio ambiente: Quando o tempo está quente e
úmido, o exercício torna-se mais difícil e o desempenho fica comprometido.
Você deve praticar o seu exercício mais confortavelmente, reduzindo o tempo e
o esforço dedicado ao exercício.
3- Preste atenção à adaptação ao calor: A exposição gradual ao calor com
sessões de exercícios mais curtos e leves resultam em adaptações que vão fazê-
los parecer mais fáceis melhorando o seu desempenho.
4- Mantenha-se bem hidratado: Beba suficientemente antes, durante e após o
exercício.
5- Crianças, idosos e gestantes necessitam de um cuidado extra para prevenir
a desidratação e doenças provocadas pelo calor.

Fonte: Instituto Gatorade de Sport e Ciência

ALIMENTAÇÃO
A alimentação é à base da saúde e da vida. Um componente fundamental para
ter uma boa qualidade de vida. Todos precisam se alimentar e isso deve ser feito de
maneira balanceada e diversificada. A possibilidade de obter nutrientes de que o
organismo necessita depende da quantidade e da diversidade dos alimentos ingeridos.
Além disso, é necessário também manter o peso corporal, combater a
obesidade, praticar esporte, diminuir o consumo exagerado de certos alimentos entre
outros fatores.
Tendo uma alimentação equilibrada e balanceada, o indivíduo terá maior
rendimento no trabalho, esporte, estudos e na vida.
Para a elaboração de uma dieta balanceada e equilibrada necessita de diversas
variáveis. No entanto, a avaliação nutricional determina o estado nutricional do
indivíduo. Realizada através da análise da história clínica, dietética e social; dados
antropométricos (i.é, altura, peso, padrões de peso, peso por altura e padrões de
crescimento), dados bioquímicos e interações de drogas-nutrientes .

PIRÂMIDE ALIMENTAR

A Pirâmide Alimentar foi desenvolvida para uso da população em geral, como


guia para quantidades e tipos de alimentos a serem incluídos na dieta diária e ao mesmo
tempo a quantidade certa de calorias para manter o peso saudável.

14
Há seis divisões na pirâmide alimentar, cinco dos grupos representam uma fonte
principal de certos nutrientes específicos e uma variedade de vitaminas e minerais. Cada
um destes grupos de alimentos fornece um pouco, mas não todos, os nutrientes
necessários. Os alimentos de um grupo não podem substituir aqueles de outros.
NENHUM GRUPO ALIMENTAR É MAIS IMPORTANTE QUE OUTRO. Para
adquirirmos e mantermos boa saúde necessitamos consumir todos os grupos em
conjunto e equilibradamente. É aconselhável não abusar das gorduras, açúcares ou
alimentos da base da pirâmide.

A Pirâmide é dividida em grupos de alimentos e de cada grupo devemos ingerir


um determinado número de porções:

1. Gorduras (óleos, açúcares e frituras - usar raramente) devem ser ingeridos


naturalmente e está presente em vários grupos de alimentos não sendo necessário
adicioná-los. As gorduras suprem energia e ácidos graxos essenciais e promovem a
absorção das vitaminas lipossolúveis A, D, E e K;
2. Leite e derivados (como iogurte, coalhada e queijos) fornecem ao nosso organismo
principalmente proteínas e cálcio. As proteínas são importantes na construção dos
tecidos do nosso organismo e o cálcio é importante na formação dos ossos e dentes,
particularmente na fase de crescimento. Devem ser ingeridas 2-3 porções por dia » 1
porção= 1xícara de leite ou iogurte, 40 g de queijo ou 60g de queijo leve;
3. Carnes - este grupo fornece proteínas em grande quantidade. Além disso, fornece
também um mineral extremamente importante: o ferro. A falta de ferro leva a uma
doença chamada anemia. Indivíduos que não consomem carne vermelha não devem
esquecer de incluir outras formas de ferro como vegetais de folhas verdes escuras e
feijões, por exemplo. Devem ser ingeridas de 2-3 porções por dia » 1 porção= 60 a 90 g
de carne magra, ave ou peixe, ou1 ovo ou 1/3 de xícara de grãos (feijão, ervilha, soja,
lentilha, grão de bico) ;
4. Legumes e hortaliças - depois do grupo de Cereais, Massas e Pães, este é o grupo
que deve ser consumido em maior quantidade, porque fornece vitaminas e minerais
necessários para o bom funcionamento do nosso organismo. Tipos diferentes de
vegetais provém diferentes nutrientes. Por isso recomenda-se consumir uma grande
variedade dos mesmos. Devem ser consumidas cerca de 2-5 porções por dia » 1
porção=1 xícara de vegetais crus, ½ xícara de vegetais cozidos ou picados crus ou ¾ de
xícara de suco de vegetais);
5. Frutas - este grupo fornece importantes vitaminas para o funcionamento adequado
do nosso corpo. Além disso, este grupo fornece fibras que auxiliam no funcionamento
intestinal e controlando os níveis de açúcar no sangue. Escolha sempre frutas frescas
que proporcionem todo o seu potencial nutritivo. Deve-se consumir de 2-4 porções por

15
dia » 1 porção= 1 pedaço médio,½ xícara de "vitamina" ou ¾ de xícara de suco de
frutas;
6. Cereais (Pães, arroz, macarrão) localizados na base da pirâmide, fornecem a energia
de que precisamos para realizar nossas atividades diárias, como caminhar e trabalhar.
Deste grupo devem ser consumidas de 6-11 porções por dia » 1 porção= 1 fatia de pão,
30 g de cereal pronto,½ xícara de cereais cozidos, arroz ou macarrão, ou 5-6 bolachas
pequenas. O número de porções correto depende das calorias consumidas diariamente.
O número ideal das mesmas para cada indivíduo depende de seu gasto calórico
total diário, quase todos os indivíduos se enquadram no menor número de porções
médias apresentadas acima. Nenhum grupo é mais importante que o outro.
Com a atividade física, há um aumento no gasto calórico. Quanto mais intensa
for a atividade, maior será este gasto. Para uma boa nutrição necessita que o gasto seja
equilibrado com o consumo.
Uma alimentação equilibrada, que contenha o aporte calórico necessário para a
prática dos exercícios e as quantidades de nutrientes para a sua idade, fornecerá todos os
componentes necessários para um bom rendimento.

NUTRIÇÃO É SAÚDE , SAÚDE É VIDA - CUIDE DELA!!!!


FONTES: KRAUSE, Alimentos , Nutrição e Dietoterapia . Ed. ATHENEU, 9a ed. 1998.
TIRAPEGUI, Júlio. Nutrição, Fundamentos e Aspectos Atuais. Ed.
ATHENEU, 2000.
CHARLES,W. Segredos em Nutrição. Ed.ARTMED, 2000.

OBESIDADE
O principal mecanismo da obesidade é um desequilíbrio entre a formação e a
desnutrição de células adiposas (de gordura) no organismo. Todas as calorias que são
ingeridas podem ser transformadas e armazenadas sob forma de células adiposas e o que
gastamos (gasto calórico) favorece a destruição destas células. Logo, a obesidade não
significa, obrigatoriamente, que o indivíduo coma muito, significa também, que ele
gasta pouco do que consome.
A obesidade pode ser classificada por hiperfagia quando o indivíduo come muito
ou obesidade por gasto ineficiente é quando o indivíduo não faz atividade física
suficiente para queimar suas calorias.
Vários fatores podem contribuir para causar a obesidade, como doenças
endocrinológicas, alterações genéticas, ausência de atividade física, comportamento
alimentar alterado e inadequado. Algumas condições médicas e doenças também podem
levar à obesidade. Entre eles podemos citar o hipotiroidismo e a síndrome de Cushing,
que é o aumento da produção de hormônios pela glândula supra-renal, e alguns outros
desequilíbrios hormonais, mas não chegam a ser mais que 2% dos casos de obesidade.
A obesidade infantil tem aumentado em todo o mundo. No Brasil também está
ocorrendo um aumento marcante da obesidade infantil, além das possíveis complicações
clínicas da obesidade, a implicação na auto-estima infantil refletindo na rejeição pelo
grupo e no seu baixo rendimento escolar.
A vida moderna tem criado condições para o desenvolvimento da obesidade em
crianças, na medida em que são impedidas de saírem de casa (por causa da violência) e,
desta forma, deixam de correr, andar de bicicleta e de outras brincadeiras que propõem
uma atividade física.
Fonte: ABESO (2002).
Problema do excesso de peso em crianças já é identificado pelo IBGE e preocupa
especialistas do País. (Diário de Pernambuco – 30 de janeiro de 2002).

ESTEROÍDES ANABOLIZANTES
Conhecidos apenas com o nome de anabolizantes, são drogas relacionadas ao
hormônio masculino testosterona, fabricado nos testículos. Os anabolizantes possuem
16
vários usos clínicos, nos quais sua função principal é a reposição da testosterona nos
casos em que, por algum motivo patológico, tenha ocorrido um déficit.
Além desse uso médico, eles têm a propriedade de aumentar os músculos e por
esse motivo são muito procurados por atletas ou pessoas que querem melhorar a
performance e a aparência física. Segundo especialistas, o problema do abuso dessas
drogas não não só está com o atleta consagrado, mas com aquela pessoa quer melhorar
a sua performance ou para hipertrofia muscular. Esse uso estético não é médico,
portanto é ilegal e ainda acarreta problemas à saúde.
Alguns dos principais efeitos do abuso dos anabolizantes são: tremores, acne
severa, retenção de líquidos, dores nas articulações, aumento da pressão arterial, DHL
baixo (colesterol bom), icterícia e tumores no fígado. Além de correr o risco de
contaminar-se com o vírus da AIDS ou da Hepatite.
SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA DO ESPORTE (Posicionamento oficial)

PRESCRIÇÃO E RECOMENDAÇÕES
Um programa formal de atividade física deve sempre ser orientada por um
professor de Ed. Física, que é a pessoal capacitada para recomendar e prescrever os
exercícios corretos e ideais, respeitando o gosto, as condições físicas, de saúde e
individualidade do aluno.
A implantação da atividade física na infância e na adolescência deve ser
considerada como prioridade em nossa sociedade. Dessa forma, recomendamos que:

1) As pessoas procurem praticar atividade física já na infância e na adolescência,


estimulando a prática regular do exercício físico cotidiano e/ou de forma
estruturada através de modalidades desportivas, mesmo na presença de doenças,
visto que são raras as contra-indicações absolutas ao exercício físico;

2) As crianças e adolescentes que praticam atividades físicas devem priorizar seus


aspectos lúdicos sobre os de competição e evitar a prática em temperaturas
extremas;

3) A educação física escolar deve ser considerada essencial e parte indissociável do


processo global de educação das crianças e adolescentes;

Esperamos com esta apostila e com as aulas de Educação Física, termos conseguido
dar uma nova visão sobre a importância da prática habitual da Atividade Física.
Não deixe de vivenciar, praticar e treinar. Aproveito a estrutura, o espaço, as
atividades e as possibilidades que o Colégio Santa Mônica proporciona através do seu
Projeto Esportivo.

COLÉGIO SANTA MÔNICA


HEPTA CAMPEÃO GERAL DO INTERCOLEGIAL
EXTRACLASSE – “ACADEMIA FAMILIAR - EDUCANDO PELO MOVIMENTO”

17

Interesses relacionados