Você está na página 1de 26

 

 
 
 

12 FILMES 
para refletir sobre 
 

COMO 
LIDAMOS 
COM 
CONFLITOS 
 
 
DE PEDRO CONSORTE 
   
 
 
 
 
 
Observação sobre o filme acima:  
 
Recomendação de filme, 
especialmente para quem se 
interessa por assuntos 
relacionados a como lidar com 
sentimentos difíceis.
   
 
 

 
 
 
Observação sobre o filme acima:  
 
Indicação  de  filme  para  quem  se 
interessa  por  entender  melhor  as 
relações  de  preconceito, 
discriminação  e  racismo  no 
Brasil.  Uma  história  real 
surpreendente  que  surge  a  partir 
do  momento  que  descobrem 
alguns  tijolos  de  uma  casa  no 
interior  de  São  Paulo  que 
possuíam  a  suástica  nazista. 
Impressionante e revelador.   
 
 
   
 
Observação sobre o filme acima: 
 

 
Recomendação  de  filme  para 
quem  se  interessa  por  lidar  com 
sentimentos,  conflitos  e 
processos  de  comunicação. 
“Uma  mulher alta” é um filme que 
retrata  relações  cruas  e  difíceis 
num  cenário  pós  guerra  em 
Leningrado,  na  Rússia.  Achei 
incrível  o  efeito  da  ausência  da 
trilha  sonora  na  percepção  do 
filme.    
 
   
 
 
Observação sobre o filme acima:  
 
Indicação  de  filme  para  quem  se 
interessa  pela  vida  como  ela  é, 
por  conflitos  e  atritos  que  temos 
diariamente  e,  dependendo  de 
como  lidamos  com  eles,  podem 
escalar  e  se  transformar  em 
questões  maiores.  Gostei  muito 
do  “O  insulto”  filmaço  sobre  um 
conflito  entre  um  palestino  e  um 
libanês.    
 
 
   
Observação sobre o filme acima: 
 
Indicação  de  filme,  para  quem  se 
interessa  por  mergulhar  no  tema 
da  humanidade,  dos  resultados 
de  ditaduras  e  guerras,  e  nas 
condições  extremas  das  vidas  de 
crianças  curdas  refugiadas  em 
uma  vila  no  Iraque  na  fronteira 
com  o  Irã.  “Tartarugas  podem 
voar”  é  vida  nua  e  crua, 
realidades  que  existem  e  são 
importantes de serem lembradas. 
Gostei mucho, mas é pedrada​ .   
 
   
Observação sobre o filme acima:  
 
Recomendação  de  filme!  Para 
quem  se  interessa  pela 
Comunicação  Não  Violenta,  esse 
é  um  ótimo  exemplo  de  como 
nos  envolvemos  nas  histórias 
que  contamos  para  nós  mesmos, 
de  como,  a  partir  de alguns fatos, 
temos  um  automatismo  de  tirar 
conclusões  precipitadas.  Não 
falo  mais  nada  pra  não  dar 
spoiler!  “Culpa”  é  um  filmasso, 
dinamarquês,  semifinalista  do 
Oscar de 2019.     
 
   
Observação sobre o filme acima:  
 
Aqui  vai  mais  uma  indicação  de 
filme:  numa  perspectiva  mais 
restrita,  “37  segundos”  se  trata  da 
história  de  uma  menina  cadeirante 
e  desenhista  que  sai  em  busca  de 
desenvolver  a  própria  sexualidade, 
para  poder  ter  mais  familiaridade 
com  o  sexo  e,  assim,  conseguir  um 
emprego  numa  revista  de  histórias 
em  quadrinho  no  estilo  pornô.  Mas, 
numa  perspectiva  mais  ampla,  trata 
também  de  conflitos  humanos, 
preconceitos,  relações  de 
superproteção  e  rompimento,  tabus 
e aprendizados no processo de lidar 
com sentimentos.     
 
 
   
Observação sobre o filme acima:  
 
A  primeira  vez  que  eu  ouvi  falar  desse 
filme,  achei  que  ia  ser  bobinho,  “coisa  de 
criança”,  olha  o  preconceito.  Mas  acabei 
assistindo  e  tive  uma  das  melhores 
surpresas  cinematográficas  recentes. 
“Divertida  Mente”,  numa  perspectiva  mais 
restrita,  fala  sobre uma garota de 11 anos, 
que  muda  para  uma  nova  cidade  e  vive 
um  momento  no  qual  suas  emoções 
ficam  bastante  agitadas.  Mas,  numa 
perspectiva  mais  ampla,  fala  sobre  como 
muitas  emoções  se  manifestam  de  uma 
maneira  misturada  dentro  de  nós  e  como 
cada  emoção  tem  a  sua  importância. 
Muitas  vezes,  hierarquizamos  as 
emoções  ou  consideramos  elas  positivas 
ou  negativas,  mas  esse  filme  mostra  um 
outro olhar. Divertidamente profundo.   
 
 
Observação sobre o filme acima:  
 
Diga quem sou” é uma porrada! Tudo a 
ver  com  a  Comunicação  Não  Violenta, 
na  minha  opinião.  Numa  visão  mais 
restrita,  é  um  documentário  que  se 
concentra  na  vida  dos  irmãos  gêmeos 
Alex  e  Marcus  Lewis.  Alex  perdeu  a 
memória em um acidente de moto aos 
18 anos e seu irmão gêmeo o ajudou a 
recriar suas memórias perdidas de sua 
infância.  Mas  numa  perspectiva  mais 
ampla  fala  sobre  como  as  histórias 
que  contamos  para  nós  mesmos 
afetam  nossa  percepção  do  mundo. 
Sobre  como  a  sinceridade,  a 
honestidade  e  o  medo  de  dizer  a 
verdade  podem  afetar  nossos 
relacionamentos.    
 
 
Observação sobre o filme acima:  
 
Eu  já  tinha  visto  esse  documentário 
mas esses dias eu vi de novo e UAU. A 
simplicidade,  genialidade  e 
profundidade  são  as  principais 
características desse filme. Se trata de 
uma série de depoimentos de pessoas, 
refugiados  sírios,  veteranos  de  guerra 
dos  Estados  Unidos,  condenados  à 
pena  de  morte,  camponeses, 
aborígenes  e  ex-presidentes.  E  assim, 
com  grandeza  e  simplicidade,  nossa 
humanidade  é  revelada.  Um  daqueles 
grandes  filmes  que  não  podemos  não 
assistir!  Se  chama  HUMAN  e  tem  no 
YouTube. 
   
 
Observação sobre o filme acima:  
 
“Transtorno  Explosivo”,  numa 
perspectiva  mais  restrita,  é  a  história 
de  Benni,  uma  garota  de  nove  anos, 
pequena  mas  “perigosa”  que  não 
consegue  se  adaptar  aos  ambientes 
que  frequenta  e  acaba  se  tornando  o 
que  os  serviços  de  proteção  infantil 
chamam  de  "destruidora  de sistemas". 
Mas  ela  tem  um  sonho:  voltar  para 
casa  e  ficar  com  a  mãe.  Numa 
perspectiva  mais  ampla,  fala  sobre 
como lidamos com sentimentos, como 
lidamos  com  conflitos  e  como  os 
nossos  sistemas  sociais  e  culturais 
também  não  estão  sintonizados  com 
essas necessidades.   
Observação sobre o filme acima:  
 
“Border”  é  um  filme  que  tem  uma 
estranheza  no  ar,  um  pouco 
perturbador  e  ao  mesmo  tempo 
bonito.  Ele  revela  vários  aspectos 
da  nossa  sociedade,  principalmente 
um  sentimento  de  inadequação  e 
de  falta  de  pertencimento  que 
existe  em  muitos  de  nós. 
Recomendo  para quem se interessa 
por  questionamentos  sobre  o  que  é 
ser  humano,  como  lidamos  com 
nossos  conflitos  internos  e  como 
nossa  sociedade  não  é  um  lugar 
acolhedor  para  certos  tipos  de 
seres, vidas, corpos.   
PEDRO CONSORTE

Olá, eu sou o Pedro e, hoje em dia, eu atuo como consultor de Comunicação voltada para a
Facilitação de Grupos, Inteligência Emocional e para o Desenvolvimento Humano. Em
outras palavras, eu compartilho ideias e caminhos para as pessoas se relacionarem,
através de formas mais construtivas de se comunicar.

Currículo

Facilitador de grupos há mais de 18 anos, trabalhou em 15 países (América do Sul, América


do Norte, Europa, Ásia e África). Tem Foundation Course em Música (CCCU, Inglaterra),
Graduação em Comunicação das Artes do Corpo (PUCSP), Pós-Graduação em Pedagogia
da Cooperação e Metodologias Colaborativas (UNIP), Mestrado em Comunicação e
Semiótica (PUCSP).
É ex-performer do espetáculo internacional STOMP (Londres), co-fundador do projeto
Música do Círculo (música e conexão humana), co-fundador do Festival da Empatia
(online), fundador do coletivo Colabora Corona, é professor convidado na Pós-Graduação
em Pedagogia da Cooperação, com treinamento internacional pelo CNVC (Center for
Nonviolent Communication), e é voluntário no CVV (Centro de Valorização da Vida) que
oferece apoio emocional no Brasil inteiro.

Para mais materiais gratuitos, acesse: ​https://pedroconsortebr.wordpress.com/downloads/