Você está na página 1de 19

PGSSMATR

Programa de Gestão de Segurança, Saúde e Meio Ambiente do


Trabalho Rural

REVISÃO

IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Razão Social: Fazenda Fazendeiras


CEI: 1234567890123456
Endereço: Povoado das Fazendas
Município: Fazendópolis /FZ
Arrendatário: Fazendeiro Legal
Telefone: 99999-9999
CPF: 999.999.999-99
Inscrição Estadual: 99999999.99-99
C.E.P.: 99.999-999
N.º Funcionários: 08
Ramo de Atividade: Criação de bovinos
Código CNAE: 0151 – 2/01
Grau de Risco: 03
Data: 21/01/2020

1
Sumário
Identificação da Empresa ......................................................................................................................................... 1
I – INTRODUÇÃO ........................................................................................................................................................... 5
II – MEMORIAL DA PROPRIEDADE ................................................................................................................................ 5
A – ÁREA E CASA DA SEDE. ....................................................................................................................................... 5
D – 04 RESIDÊNCIA DO CASEIRO .............................................................................................................................. 5
E – GALPÕES PARA MAQUINAS ................................................................................................................................ 5
G –ÁREA DE CURRAIS................................................................................................................................................ 6
H – ABASTECIMENTO DE ÁGUA: ............................................................................................................................... 6
III – REBANHO ............................................................................................................................................................... 6
IV – FERRAMENTAS E MATERIAIS EMPREGADOS NO TRABALHO ................................................................................ 6
V – IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS ............................................................................................................. 7
TRABALHADOR RURAL .............................................................................................................................................. 7
TRABALHADOR RURAL .............................................................................................................................................. 9
TRABALHADOR RURAL ...........................................................................................................................................11
VI - MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM IMPLANTADAS / CRONOGRAMA / MELHORIA DAS CONDIÇÕES E DO MEIO
AMBIENTE DE TRABALHO ...........................................................................................................................................12
VII – ESPECIFICAÇÕES DE EPI’S ...................................................................................................................................12
VIII – DEFINIÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE MEDICINA OCUPACIONAL ......................................................................13
A- Exames Clínicos ..........................................................................................................................................13
1- Exame Admissional: .........................................................................................................................................................................................13
2- Exame Periódico: ..............................................................................................................................................................................................14
3- Retorno ao Trabalho: .......................................................................................................................................................................................14
4- Mudança de Função: ........................................................................................................................................................................................14
5- Exame Demissional: .........................................................................................................................................................................................14

B- Exames Clínicos por Médicos Especialistas ...............................................................................................14


C- Da Conduta Sobre Aptidão ........................................................................................................................15
IX – EXAMES COMPLEMENTARES ...............................................................................................................................15
Trabalhador Rural (manejo de gado)......................................................................................................................15
Trabalhador Rural (cultivo de pastagem / milho)...................................................................................................15
Trabalhador Rural (cozinha / jardim) .....................................................................................................................16
X – RECOMENDAÇÕES ................................................................................................................................................16
XI – MONITORAMENTO ..............................................................................................................................................16
FICHA DE CONTROLE DE EPI .......................................................................................................................................18
Caixa de Primeiros Socorros: ......................................................................................................................................19

3
I – INTRODUÇÃO
O presente programa foi elaborado com base nos critérios definidos na portaria 86 do MTE de 03.03.2005 –
PGRSSMATR.
Constituem partes desse relatório: Identificação dos ambientes de trabalho; identificação dos riscos ambientais
presentes nos locais de trabalho; parecer sobre resultados das avaliações dos agentes, com base nos parâmetros
legais; informações sobre possíveis danos causados pelos agentes, à saúde dos trabalhadores; descrição das
medidas de controle existentes; proposta das medidas de controle a serem implantadas pela empresa com o
propósito de eliminar ou neutralizar os riscos existentes; definição dos exames ocupacionais incluindo
periodicidade e exames complementares.

II – MEMORIAL DA PROPRIEDADE
A propriedade é destinada à criação gado de corte da raça nelore . Ocupa uma área de 1.700 Ha, fechada com
cerca mourões de madeira e arame liso (sendo algumas áreas fechadas com cerca elétrica) com áreas separadas
para cultivo de milho e pastagem. A propriedade possui a seguinte infraestrutura:

A – ÁREA E CASA DA SEDE.

A área da sede é de aproximadamente 40.000 m². Está área é fechada com cerca e nela estão construídas: a sede,
chalés, quiosques; piscina; lagos; e galpões para máquinas e implementos.

Características do Setor:
• Área: 250,0 m2 (aproximadamente);
• Pé direito: 3 m2;
• Piso: Revestido com ladrilho cerâmico;
• Cobertura: Telhado tipo quatro águas em telhas de cerâmica assentadas sobre engradamento de
madeira;
• Fechamento: Em paredes de alvenaria rebocadas e pintadas.
• Ventilação: Natural e artificial;
• Iluminação: Natural e artificial;
• Divisão: construção com 02 pavimentos, composta de 06 suítes; cozinha, sala conjugada com copa,
dispensa; 01 sala de TV, varandas.

D – 04 RESIDÊNCIA DO CASEIRO
Características de cada casa:
• Área: 100,0 m2 (aproximadamente);
• Pé direito: 2,8 m2;
• Piso: Revestido com ladrilho cerâmico;
• Cobertura: Telhado tipo duas águas em telhas de cerâmica assentadas sobre engradamento de
madeira e forro de madeira;
• Fechamento: Em paredes de alvenaria rebocadas e pintadas.
• Ventilação: Natural e artificial;
• Iluminação: Natural e artificial;
• Divisão: 01 sala; 03 quartos; 01 cozinha; banheiro; varandas.

E – GALPÕES PARA MAQUINAS


Características:

• Área: 600 m2 (aproximadamente);

5
• Pé direito: 6 m2;
• Piso: Revestido com cimento grosso;
• Cobertura: Telhado tipo duas águas em telhas galvanizadas assentadas sobre estrutura metálica;
• Fechamento: Em paredes de alvenaria;
• Ventilação: Natural e artificial;
• Iluminação: Natural e artificial;

Maquinas Instaladas no setor:


• 02 Tratores Massey Ferguson;
• 01 Pá carregadeira
• 01 Podador de grama – elétrico;
• 01 Roçadeira costal;
• 01 Moto esmeril;
• Desintegrador de milho;
• Espalhador de calcário;
• Arados de 03 discos;
• Aplicador de calcário; semente de capim; adubo, etc.
• Forrageiras;
• 01 Plantadeira;
• 01 Lâmina para trator.
• 01 Pá para trator;
• Podador de grama motorizado.
• 01 Betoneira;
• Borracharia: Vulcanizador para remendar câmara de ar; compressor; motoesmeril; Policorte; bancada de
trabalho; soldadeira elétrica.

G –ÁREA DE CURRAIS
Área total de aproximadamente 1.500 m², dividida em 04 currais interligados para manejo do gado. Currais
totalizando aproximadamente 280 m² de área coberta.

Equipamentos para Manejo do gado:


• Tronco;
• 01 Brete;
• 01 Balança para pesar gado.
• Cabine de pulverização para aplicar defensivos no gado;

H – ABASTECIMENTO DE ÁGUA:
O abastecimento de água é constituído por poço semiartesiano, 01 caixa de água de 5.000 litros, bomba para
recalque e rede de hidráulica.

III – REBANHO
A fazenda dedica-se à criação de gado no sistema intensivo.
Plantel atual: 1.000 cabeças.

IV – FERRAMENTAS E MATERIAIS EMPREGADOS NO TRABALHO


Ferramentas:

Martelo; torquês; ferro para marcar gado; laços; seringas; agulhas, enxada, enxadão, foice, pistola automática,
bomba pulverizadora costal; roçadeira manual.

6
Materiais:
Carrapaticidas, herbicidas, vacinas, medicamento veterinários, rações, sal mineral, adubo.

V – IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS


SETOR : MANEJO DO GADO
Cargo: N. º Trabalhadores Expostos:
TRABALHADOR RURAL 05
Atividade:
- Cuidar da alimentação dos animais abastecendo os cochos com silagem em época de pouca pastagem;
- Servir ração para os animais na quantidade prescrita pelo administrador;
- Colocar sal no cocho;
- Recolher o periodicamente o gado no curral e executar os procedimentos necessários à manutenção da saúde dos animais,
procedendo inspeção para verificar se há algum ferimento;
- Proceder a aplicação de pesticida visando a prevenção de ataque de carrapatos, bernes, outros; utilizando pulverizador costal
ou aplicando o tipo puro para equinos;
- Proceder a aplicação de produto destinado ao extermínio de bicheira no animal acometido;
- Proceder a aplicação de medicamentos nos animais observando a prescrição veterinária ou agronômico. O trabalho é feito
contendo o animal no brete e executando os procedimentos;
- Fazer marcação do gado a ferro;
- Pesar gado quando necessário;
Tipo de Exposição:
(1) Habitual e permanente (2) habitual e intermitente (3) Eventual
RISCOS AMBIENTAIS:
Risco de Acidente: Quedas e Ferimentos (3)
Risco Químico: Pesticidas, herbicidas (3)
Risco Biológicos: Bactérias, vírus, protozoários; picada de animais peçonhentos. (2)
Risco Físico: Exposição a intempérie (2)
FONTES GERADORAS:
Risco de Acidente: Manejo de animais.
Risco Químico: Pesticidas, herbicidas;
Riscos Biológicos: Bactérias, vírus, protozoários, picada de animais peçonhentos.
Risco Físico: Intempérie: chuva; sol.
POSSÍVEIS TRAJETÓRIAS / MEIOS DE PROPAGAÇÃO DOS AGENTES:
Risco de Acidente: Contato.
Risco Químico: Pesticidas, herbicidas: Via aérea, contato.
Riscos Biológicos: Bactérias, vírus, protozoários; picada de animais peçonhentos.: Via aérea, contato, ingestão.
Risco Físico: Intempérie: a) sol (radiação UV); chuva: contato.
POSSÍVEIS DANOS A SAÚDE RELACIONADOS AOS RISCOS IDENTIFICADOS
Risco de Acidente: Ferimento causado no manejo ou doma dos animais; ferimento causado por ferramenta (foice, roçadeira)
Risco Químico: Aplicação de pesticidas, herbicidas: Intoxicação por contato com o produto e/ou aspiração de névoas.
Agentes Biológicos: Sarna, doenças respiratórias, leptospirose, etc.; picada de animais peçonhentos.
Risco Físico: Intempérie: a) sol (radiação UV): queimadura da pele; efeito a longo prazo: Desenvolvimento de lesões pré-malignas
(ceratoses solares) e malignas (carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanomas); formação de catarata; Riscos em
longo prazo da exposição descontrolada e repetida, resultando no desenvolvimento de modificações actínias ou dermatohelioses
(rugas, envelhecimento precoce da pele). b) Chuva: doenças respiratórias.
MEDIDAS DE CONTROLE EXISTENTES:
Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s: Botinas; luvas de raspa; boné.

7
Riscos Ambientais Resultado da Avaliação Medidas de Controle Proposta
- Não assustar o animal durante nas manobras efetuadas
Risco de Acidente: Queda para conte-lo;
Avaliação Qualitativa
Manejo de Animais; - Não realizar procedimento que cause desconforto e/ou
estresse no animal, fora do brete de contenção;
- Antes de usar ferramentas empregadas na atividade de
atividade de roçação, capina, outras, verificar se as
mesmas estão em boas condições de uso;
Risco de Acidente:
- Na operação de roçadeira mecânica, usar:
Ferimento causado por ferramentas Avaliação Qualitativa
- Óculos de proteção;
(foice, enxada, roçadeira).
- Luvas de vaqueta;
- Perneiras adequadas;
- Botinas de segurança .
- Nas atividades executas no campo, usar:
Riscos Biológicos: Animais
Avaliação Qualitativa - Botinas de segurança;
peçonhentos
- Perneiras.
- Nas atividades de tratamento (curativo ou preventivo)
de animais, usar luvas de procedimento;
Riscos Biológicos: Bactérias, vírus, - Após os procedimentos, lavar as mãos e desinfetar com
Avaliação Qualitativa
protozoários. álcool;
- Não ingerir nenhum alimento ou fumar durante os
procedimentos.
- Usar camisas com mangas longas;
Risco Físico: Intempérie: Radiação UV Avaliação Qualitativa - Boné Árabe;
- Protetor solar.
Risco Físico: Intempérie: Chuva Avaliação Qualitativa - Nos dias chuvosos, usar capa de chuva.

8
SETOR : MANUTENÇÃO DE PASTAGEM / PLANTIO
Cargo: N. º Trabalhadores Expostos:
TRABALHADOR RURAL 01
Atividade:
Preparar área para plantio de milho, a saber: aração, gradiação; plantio, adubação de cobertura; colheita de forragem para
ensilamento; Roçar pasto com roçadeira acoplada ao trator; Fazer plantio de áreas de pastagem, procedendo: aração, gradiação;
plantio, adubação; Transportar alimento para o gado (silagem) empregando carreta rebocada por trator e abastecer as cocheiras;
auxiliar no manejo do gado nos períodos de vacinação.
Tipo de Exposição:
(1) Habitual e permanente (2) habitual e intermitente (3) Eventual
RISCOS AMBIENTAIS:
Risco de Acidente: Quedas e Ferimentos (3)
Risco Químico: Pesticidas, herbicidas (3)
Risco Biológicos: Bactérias, vírus, protozoários, picada de animais peçonhentos. (2)
Risco Físico: Exposição a intempérie (2)
Risco de Acidente: Máquinas e implementos agrícolas (1)
FONTES GERADORAS:
Risco de Acidente: Manejo de animais.
Risco Químico: Pesticidas, herbicidas;
Risco Biológicos: Bactérias, vírus, protozoários, picada de animais peçonhentos.
Risco Físico: Intempérie: chuva; sol.
Risco de Acidente: Máquinas e Implementos agrícolas.
POSSÍVEIS TRAJETÓRIAS / MEIOS DE PROPAGAÇÃO DOS AGENTES:
Risco de Acidente: Contato.
Risco Químico: Pesticidas, herbicidas: Via aérea, contato.
Risco Biológicos: Bactérias, vírus, protozoários, picada de animais peçonhentos: Via aérea, contato.
Risco Físico: Intempérie: a) sol (radiação UV); chuva: contato.
Risco de Acidente: Contato
POSSÍVEIS DANOS A SAÚDE RELACIONADOS AOS RISCOS IDENTIFICADOS
Risco de Acidente: Ferimento causado no manejo ou doma dos animais; ferimento causado por ferramenta (foice, roçadeira).
Risco Químico: Aplicação de pesticidas, herbicidas: Intoxicação por contato com o produto e/ou aspiração de névoas,
Agentes biológicos: Sarna, doenças respiratórias, leptospirose, picada de animais peçonhentos.
Risco Físico: Intempérie: a) sol (radiação UV): queimadura da pele; efeito a longo prazo: - Desenvolvimento de lesões pré-
malignas (ceratoses solares) e malignas (carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanomas); formação de catarata;
Riscos em longo prazo da exposição descontrolada e repetida, resultando no desenvolvimento de modificações actínias ou
dermatohelioses (rugas, envelhecimento precoce da pele). b) Chuva: doenças respiratórias.
Risco de Acidente: Fraturas, Traumatismos, Luxações, Cortes
MEDIDAS DE CONTROLE EXISTENTES:
Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s: Botinas; luvas de raspa; boné.

9
Riscos Ambientais Resultado da Avaliação Medidas de Controle Proposta
- Não assustar o animal durante nas manobras efetuadas
Risco de Acidente: para conte-lo;
Avaliação Qualitativa
Manejo de Animais; - Não realizar procedimento que cause desconforto e/ou
estresse no animal, fora da brete de contenção;
- Antes de usar ferramentas empregadas na atividade de
atividade de roçação, capina, outras, verificar se as
mesmas estão em boas condições de uso;
Risco de Acidente: Ferimento causado por - Na operação de roçadeira mecânica, usar:
Avaliação Qualitativa
ferramentas (foice, enxada, roçadeira). - Óculos de proteção;
- Luvas de vaqueta;
- Perneiras adequadas;
- Botinas de segurança.
- Nas atividades executadas no campo, usar:
Agentes Biológicos: Animais peçonhentos Avaliação Qualitativa - Botinas de segurança;
- Perneiras.
- Nas atividades de tratamento (curativo ou preventivo)
de animais, usar luvas de procedimento;
Agentes Biológicos: Bactérias, vírus, - Após os procedimentos, lavar as mãos e desinfetar com
Avaliação Qualitativa
protozoários álcool;
- Não ingerir nenhum alimento ou fumar durante os
procedimentos.
- Usar camisas com mangas longas;
Risco Físico: Intempérie: Radiação UV Avaliação Qualitativa - Boné Árabe;
- Protetor solar.
Risco Físico: Intempérie: Chuva Avaliação Qualitativa - Nos dias chuvosos, usar capa de chuva.
- Aplicação de produtos tóxicos com pulverizador, usar:
- Boné bico de pato com capuz;
- Protetor facial;
- Blusão com gola, mangas longas;
- Calças adequadas;
- Botas de PVC;
Risco Químico: Pesticidas, agrotóxicos, - Luvas de PVC.
Avaliação Qualitativa
herbicidas.
Obs.: 1) Após cada utilização os EPI’s, devem ser lavados
com sabão de coco líquido neutro (não adicionar
amaciante ou alvejante), separados de outras roupas e
secados na sombra.
• 2) Ao final de cada dia de trabalho tomar banho completo
com água fria e sabão.
Treinamentos e orientações;
Manter manutenção das máquinas;
Risco de Acidente: Máquinas Agrícolas Avaliação Qualitativa Instruir quanto aos limites de cada máquina;
Fazer checklist antes de utilizar a máquina e sempre ao
instalar implemento.

10
SETOR : COZINHA / JARDIM
Cargo: N. º Trabalhadores Expostos:
TRABALHADOR RURAL 02
Atividade:
Fazer a limpeza da sede, chalés, quiosque e pátios. Preparar a alimentação para os donos da propriedade e convidados; lavar
roupas de cama; cuidar dos jardins.
Tipo de Exposição:
(1) Habitual e permanente (2) habitual e intermitente (3) Eventual
RISCOS AMBIENTAIS:
Risco de Acidente: Queimaduras, cortes (3)
Risco físico: Umidade (2)
Risco físico: Intempérie (sol, chuva) (2)
FONTES GERADORAS:
Risco de Acidente: Risco de queimadura no manuseio de panelas, formas, etc. ; ferimento com faca.
Risco físico: Umidade: Atividade de lavagem das instalações;
Risco físico: Intempérie: chuva; sol.
POSSÍVEIS TRAJETÓRIAS / MEIOS DE PROPAGAÇÃO DOS AGENTES:
Risco de Acidente: Contato.
Risco físico: Umidade: Contato;
Risco físico: intempérie: a) sol (radiação UV); chuva: contato.
POSSÍVEIS DANOS A SAÚDE RELACIONADOS AOS RISCOS IDENTIFICADOS
Risco de Acidente: Queimaduras causadas por temperaturas altas das panelas; ferimentos e cortes causados pelo manuseio de
facas.
Risco físico: Umidade: doenças respiratórias; desenvolvimento micoses nos pés.
Risco físico: Intempérie: a) sol (radiação UV): queimadura da pele; efeito a longo prazo: - Desenvolvimento de lesões pré-
malignas (ceratoses solares) e malignas (carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanomas); formação de catarata;
Riscos em longo prazo da exposição descontrolada e repetida, resultando no desenvolvimento de modificações actínias ou
dermatohelioses (rugas, envelhecimento precoce da pele). b) Chuva: doenças respiratórias.
MEDIDAS DE CONTROLE EXISTENTES:
Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s: calçados fechados; Botas de PV; luvas de PVC; avental de PVC; luvas antitérmicas.

Riscos Ambientais Resultado da Avaliação Medidas de Controle Proposta


- Uso de luvas antitérmicas para manusear panelas,
Risco físico: Risco de queimaduras Avaliação Qualitativa
formas, etc., contendo alimento quente.
Nas atividades de lavagem das instalações utilizar:
- Botas de PVC;
Risco físico: Umidade Avaliação Qualitativa
- Luvas de PVC;
- Avental de PVC.
- Utilizar facas em bom estado, afiadas e no método
correto.
- Não utilizar faca com movimento em direção ao corpo
ou membro;
Risco de Acidente: ferimento com faca. Avaliação Qualitativa
- Não cortar ou frutas, legumes e outros alimentos,
apoiando-os na mão. Usar a tábua de cozinha;
- Utilizar luva de malha de aço na mão que não segura a
faca.
- Usar camisas com mangas longas;
Radiação UV Avaliação Qualitativa - Chapéu com abas largas.
- Protetor solar.

11
VI - MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM IMPLANTADAS /
CRONOGRAMA / MELHORIA DAS CONDIÇÕES E DO MEIO
AMBIENTE DE TRABALHO
PLANO DE AÇÃO ANUAL
EMPRESA: Fazendinha EXERCÍCIO: 2021
METAS: IMPLANTAR PLANO DE AÇÃO, PARA ATENDER A LEGISLAÇÃO VIGENTE
Riscos Recomendações Quando Responsável
01 – Equipamentos de • Manter o fornecimento regular dos EPI’s, conforme Rotina Fazendeiro Legal
Proteção Individual – EPI’s especificação;
• Fazer o controle do fornecimento através de fichas
individuai;
• Proibir o uso de chinelos, dentro da área de
produção.
• Tornar obrigatório, o uso dos EPI’s.
02 – Acidente com • Promover treinamento para os empregados que Imediato Fazendeiro Legal
máquinas operam trator e máquinas agrícolas. Em
conformidade dom a NR-11 e NR-12.
• Fazer manutenção periódica dos tratores e
registrar no prontuário;
• Fazer troca de óleo nos períodos recomendados
pelo fabricante.
• Organizar o prontuário das máquinas.
03 – Designado da CIPATR • Nomear e treinar (curso para cipista) 01 funcionário Imediato Fazendeiro Legal
para atuar como designado da CIPATR.
04 – Promoção da saúde e • Acompanhar o cumprimento das normas de Imediato Fazendeiro Legal
da integridade física dos segurança e a implantação do PGSSMATR.
trabalhadores rurais
05 – campanhas • Ministrar palestra sobre riscos no trabalho, Julho 2020 Fazendeiro Legal
educativas de prevenção prevenção, acidentes, doenças ocupacionais e
de acidentes e doenças higiene do trabalho.
decorrentes do trabalho

VII – ESPECIFICAÇÕES DE EPI’S


Especificações do Equipamento de Proteção Individual (EPI’s)
Atividade “EPI’s” necessários
• Botinas de Segurança;
• Boné Árabe com bico;
Rotina normal
• Camisa de mangas compridas;
• Protetor Solar.
• Protetor facial;
• Luvas de vaqueta;
Operação Roçadeira Costal
• Perneiras adequadas;
• Botinas de segurança
• Boné Árabe;
• Protetor facial;
Aplicação de produtos tóxicos com • Blusão com gola, mangas longas;
pulverizador • Calças adequadas;
• Botas de PVC;
• Luvas de PVC.

12
Especificações do Equipamento de Proteção Individual (EPI’s)
Atividade “EPI’s” necessários
• Botinas de segurança;
Operação de trator • Boné Árabe;
• Protetor auricular.
Nas atividades de tratamento
• Luvas de procedimento.
(curativo ou preventivo) de
Obs. Nos dias de chuva, usar capa de PVC.
animais.
Uso de rotina: Calçados fechados;
Para manusear panelas quentes: Luvas antitérmicas;
Cozinheira
Para lavar pisos, paredes, usar: botas de PVC, avental de PVC, luvas de PVC;
Trabalho ao ar livre: Chapéu de abas largas; filtro solar.

Critérios para Implantação do Uso de EPI’s

1) Ministrar treinamento sobre o uso dos EPI’s;


2) Tornar seu uso obrigatório, através de normas escritas;
3) Sinalizar os locais de trabalho com placas informando os EPI’s necessários à proteção dos
empregados;
4) Fazer controle de fornecimento através de fichas de controle;
5) Estabelecer rotina de troca de EPI’s;
6) Orientar os trabalhadores quanto à guarda e conservação dos EPI’s.
7) Fazer inspeção periódica do uso dos EPI’s, por parte dos empregados e registrar o resultado em livro
próprio.
8) Manter arquivo das notas fiscais de compra de EPI’s.
9) Manter estoque mínimo de EPI’s, para reposição.
10) Adquirir somente EPI’s, portadores de C.A. (Certificado de Aprovação.)

Responsável pela Implantação do PGSSMATR:

_____________________________
Fazendeiro Legal - Proprietário

VIII – DEFINIÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE MEDICINA


OCUPACIONAL

A- EXAMES CLÍNICOS

1- Exame Admissional:

É a avaliação da saúde do candidato a emprego, realizada antes do início de suas atividades na


empresa. Tem por objetivo verificar a adequação de suas condições físicas e psíquicas às exigências
do cargo e do ambiente de trabalho. O atendimento clínico do candidato é realizado sempre após a
liberação dos resultados de exames complementares previstos no PGSSMATR, sejam laboratoriais ou
de imagem, bem como outros pertinentes ao cargo concorrido.

13
2- Exame Periódico:

É a avaliação clínica da saúde do empregado, por um período determinado, de acordo com o


grau de risco do cargo e da idade do empregado. Sua finalidade é detectar o desenvolvimento ou
agravamento de doença ocupacional.

a) Periodicidade:

* ANUAL: para empregados sujeitos a condições insalubres;


* ANUAL: para empregados que não sujeitos a condições insalubres, menores de 18 anos e
maiores de 45 anos;
* BIENAL: para empregados não sujeitos a condições insalubres, com idade entre 18 e 45
anos.

3- Retorno ao Trabalho:

É avaliação clínica da saúde do empregado realizada no primeiro dia da volta ao trabalho do


empregado afastado por período igual superior a 30 dias, por motivo de doença ou acidente, de
natureza ocupacional ou não, ou por licença à maternidade.

4- Mudança de Função:

É a avaliação clínica da saúde do empregado, para verificar suas condições para exercer nova
atividade de trabalho, expondo-a a uma condição ambiental, diferente daquela que estará exposto na
função anterior. É realizada antes da mudança.

5- Exame Demissional:

É a avaliação clínica de saúde do empregado, realizada antes do seu desligamento, para


verificar se o mesmo está portando alguma doença relacionada com a sua atividade laboral. Deverá
ser realizado até a data da homologação da rescisão do contrato de trabalho, desde que o último
exame ocupacional tenha ocorrido a mais de 90 dias.

B- EXAMES CLÍNICOS POR MÉDICOS ESPECIALISTAS

Os exames complementares serão realizados de acordo com os riscos ambientais aos quais se
expõe o trabalhador, previsto no PGSSMATR, ou ainda baseado na suspeita de uma patologia que
impeça o exercício da função pretendida. Caso posteriormente à admissão do candidato, durante o
exercício de sua função surja uma patologia e está represente um risco à continuidade do trabalhador
em sua função, também poderão ser solicitados a critério do médico examinador.
Na ocasião em que o médico examinador necessitar um exame complementar, para concluir
seu diagnóstico, a contratante será avisada, bem como receberá um orçamento do exame visando o
melhor custo benefício para sua execução. Tais ocasiões são incomuns, raramente são necessários,
mas tal medida é adotada visando o diagnóstico mais seguro, bem como a conduta mais sensata para
definir aptidão ou inaptidão à função.
A avaliação por um médico especialista será solicitada em casos onde houver necessidade de
diagnóstico diferencial. Tal necessidade geralmente se apresenta em exame de Retorno ao Trabalho,
pós - acidente laborativo, ou mesmo após afastamento por patologia com ou sem nexo causal com
sua função, mas que represente um risco visível para reassumir suas funções sem maiores prejuízos

14
para si. Tais situações são igualmente incomuns, mas caso se faça necessárias, procederemos ao
orçamento com o mesmo critério supracitado e entraremos em contato com a contratante.

C- DA CONDUTA SOBRE APTIDÃO

O médico examinador dará sua conduta sobre aptidão baseado na realização de sua anamnese
ocupacional, direcionada à função, bem como no exame físico e resultados de exames
complementares previstos no PGSSMATR.
Amparados pelo nosso código de ética médica, os pacientes são atendidos individualmente em
consultório próprio, contando com o sigilo que uma consulta médica deve se prestar. Confiados na
capacidade técnica dos médicos examinadores, amplamente familiarizados com os procedimentos
próprios da saúde ocupacional e com formação relevante, bem como médicos do trabalho que
executam igualmente os exames, ficam a eles delegada a conduta e o parecer sobre a aptidão do
candidato ou colaborador em questão.

IX – EXAMES COMPLEMENTARES
TRABALHADOR RURAL (MANEJO DE GADO)

PROGRAMAÇÃO TÉCNICA DOS EXAMES MÉDICOS EM SAÚDE OCUPACIONAL


AGENTES
Físico Químico Biológico Ergonômico Acidentes
Bactérias, vírus, Quedas, Ferimentos,
Possíveis Incorreções
Intempéries ND protozoários, parasitas, Máquinas e
Posturais.
animais peçonhentos Implementos Agrícolas
EXAMES COMPLEMENTARES
Tipo de Exames Exame Clínico
Parasitológico
Admissional X X
Demissional X X
Retorno ao Trabalho X X
Mudança de função X X
Periodicidade
Anual
Bienal X
A critério médico

TRABALHADOR RURAL (CULTIVO DE PASTAGEM / MILHO)

15
PROGRAMAÇÃO TÉCNICA DOS EXAMES MÉDICOS EM SAÚDE OCUPACIONAL
AGENTES
Físico Químico Biológico Ergonômico Acidentes
Bactérias, vírus, Quedas, Ferimentos,
Possíveis Incorreções
Intempéries Pesticidas, Herbicidas protozoários, parasitas, Máquinas e
Posturais.
animais peçonhentos Implementos Agrícolas
EXAMES COMPLEMENTARES

Parasitológico
Glicemia
Tipo de Exames Exame Clínico

ECG
EEG
Admissional X X X X X
Demissional X X
Retorno ao Trabalho X X
Mudança de função X X
Periodicidade
Anual
Bienal X
A critério médico X X X

TRABALHADOR RURAL (COZINHA / JARDIM)

PROGRAMAÇÃO TÉCNICA DOS EXAMES MÉDICOS EM SAÚDE OCUPACIONAL


AGENTES
Físico Químico Biológico Ergonômico Acidentes
Bactérias, vírus, Quedas, Ferimentos,
Possíveis Incorreções
Intempéries ND protozoários, parasitas, Máquinas e
Posturais.
animais peçonhentos Implementos Agrícolas
EXAMES COMPLEMENTARES
Tipo de Exames Exame Clínico
Parasitológico
Admissional X X
Demissional X X
Retorno ao Trabalho X X
Mudança de função X X
Periodicidade
Anual
Bienal X
A critério médico

X – RECOMENDAÇÕES
1) Ministrar treinamento introdutório para os novos empregados, dando-lhes ciência dos riscos presentes no
ambiente de trabalho e orientando quanto à prevenção contra riscos.
2) Manter o fornecimento regular de EPI’s.
3) Encaminhar os empregados ao serviço de Medicina do Trabalho para submeterem aos exames
ocupacionais e complementares previstos neste programa.
4) Manter o ambiente de trabalho limpo e organizado, deixando as passagens sempre desimpedidas.

XI – MONITORAMENTO

16
1) Deverá ser feito monitoramento dos agentes levantados após adoção das medidas de controle propostas
em Item V, a fim de comprovar sua eficácia.
2) Deverá ser monitorado o uso dos EPI’s por parte dos empregados através do encarregado e do gerente da
unidade, procurando verificar o índice de utilização e se estão sendo usados corretamente.
3) Deverá ser feito monitoramento biológico, através de exames especiais a serem realizados por ocasião dos
exames admissionais, periódicos e demissionais.

Divinópolis, 21 de janeiro de 2020

_____________________________
Fulaninho Júnior
Eng.º de Segurança do Trabalho
CREA: 99999/D

___________________________
Dra. Ciclaninha Araújo
Médica Coordenadora do PCMSO
CRM: 99999 | RQE: 99999.

17
FICHA DE CONTROLE DE EPI
Empregado: Função: Admissão: / /
Setor:
Termo de Compromisso: Declaro que recebi os Equipamento de proteção Individual - EPI, abaixo
relacionados, que fui treinado no método correto de sua utilização. Comprometo utilizá-los e
substituí-los quando necessário; e que estou ciente de que a recusa de sua utilização, constitui ato
de indisciplina conforme definido no artigo 482 letras “h” da CLT, implicando, portanto, em
demissão por justa causa.
(*) DESCRIÇÃO C.A. ENTREGA DEVOLUÇÃO/D ASSINATURA
/DATA ATA

(*) Anotar a marca e tipo do EPI.

18
Caixa de Primeiros Socorros:
• Pode possuir alguns itens que são necessários em situações diversas;
• Deve ser mantida sempre em lugar de fácil acesso e sob responsabilidade de pessoa previamente treinada;
• Não deve conter medicamentos.

Itens:
• Água oxigenada vol. 10
• Algodão hidrófilo;
• Ataduras de gaze;
• Ataduras de crepom;
• Bandagem;
• Bolsa para água quente/fria;
• Compressas limpas;
• Compressas de gaze estéril comum e do tipo sem adesivo;
• Curativo oclusivo;
• Esparadrapo ou fita adesiva;
• Faixa elástica (para entorses no tornozelo);
• Faixa triangular (para entorse no tornozelo ou lesões do braço);
• Frasco de soro fisiológico;
• Gaze esterilizada;
• Líquido antisséptico;
• Luvas de procedimentos;
• Máscara RCP;
• Sacos plásticos;
• Talas variadas;
• Tesoura sem ponta;
• Termômetro.

19