Você está na página 1de 100

O MELHOR DIA PARA UMA

BOA LEITURA É TODO DIA!


Le r é um aprendizado contínuo, um veículo eficaz de desenvolvimento inte-
lectual e oratória. 0 hábito da leitura desperta um senso crítico e, desta forma,
pode transform ar a realidade ao nosso redor. Temos tantos exemplos que a
leitura da palavra de Deus transform ou gerações, e a própria Bíblia faz
citações da bem -aventurança da busca do saber: “Antes, crescei na graça e
conhecimento de nosso Senhor Salvador Je su s Cristo” 2 Pedro 3.18
Leia também para os seus filhos, e estabeleça um vínculo afetivo importante,
que ajudará no desenvolvimento em ocional da criança e proporcionará
tempo de qualidade com os pequeninos. —‫״‬

A CPAD TEM 0 COMPROMISSO DE INCENTIVAR A LEITURA


E REAFIRMAR QUE LER É APRENDER EM CADA CAPÍTULO,
É DESCOBRIR 0 NOVO EM CADA PÁGINA.

CPAD
PROFESSOR
Lições
B íblic a s Lições do 3otrimestre de 2020 - Eurico Bergstén

Sumário
O Avivamento:
Uma Necessidade nos Dias Atuais

Lição 1
Daniel Ora Por Um Despertamento 3
Lição 2
Despertamento Espiritual - Um Milagre 10
Lição 3
0 Despertamento Renova 0 Altar 17
Lição 4
A Construção do Templo Enfrentou Oposição 24
Lição 5
Zorobabel Recomeça a Construção do Templo 31
Lição 6
Neemias Reconstrói os Muros de Jerusalém 38
Lição 7
0 Povo de Deus Deve Separarse do Mal 46
Lição 8
As Causas da Desunião Devem Ser Eliminadas 54
Lição 9
Como Vencer as Oposições à Obra de Deus 61
Lição 10
Provai se os Espíritos São de Deus 68
Lição l l
Esdras vai Jerusalém Ensinar a Palavra 76
Lição 12
Esdras e Neemias Combatem 0 Casamento Misto 83
Lição 13
A Vigilância Conserva Pura a Igreja 90

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 1


PROFESSOR Prezado(a) professor(a),
-IÇOES A nação de Israel viveu um mo­
mento de crise política, social e, prin­

Bíblicas
Publicação Trim estral da
cipalmente, espiritual. Os períodos
de angústias pelos os quais 0 povo de
Deus passou, embora fossem de dor
e sofrimento, serviram para mostrar
Casa Publicadora das Assem bléias de Deus o quanto Deus não fica indiferente
ao sofrimento do seu povo.
Presidente da Convenção Geral
das Assembléias de Deus no Brasil Nesse contexto de juízo, dor e
José Wellington Costa Junior sofrimento, Deus impele homens a
Conselho Administrativo reconstruir os muros e o templo de
José Wellington Bezerra da Costa Jerusalém, e por meio desse movi­
Diretor Executivo mento, um grande despertamento
Ronaldo Rodrigues de Souza espiritual emerge no meio do povo.
Gerente de Publicações Esse despertamento espiritual teve
Alexandre Claudino Coelho 0 estudo da Palavra de Deus como
Consultoria Doutrinária e Teológica princípio divino norteador.
Elienai Cabral
Os dias em que vivemos não são
Gerente Financeiro tão diferentes. Uma grande crise,
Josafá Franklin Santos Bomfim
gerada pela pandemia que assolou
Gerente de Produção o mundo, tem afetado economias,
Jarbas Ramires Silva
desestruturado famílias e até impe­
Gerente Comercial dido que os servos e servas de Deus
Cícero da Silva
prestem culto nos templos. É um
Gerente da Rede de Lojas momento de reconstrução.
João Batista Guilherme da Silva
Nesse sentido, estudaremos "Os
Gerente de TI
Rodrigo Sobral Fernandes Princípios Divinos em Tempos de
Crise" em que a reconstrução de Je­
Chefe de Arte & Design
Wagner de Almeida rusalém e 0 Despertamento Espiritual
do povo de Deus tornam-se exemplos
Redator
Marcelo Oliveira de Oliveira para os nossos dias.
Capa Um trimestre de Despertamento
Wagner de Almeida Espiritual!
Diagramação
Nathany Silvares José Wellington Bezerra da Costa
Presidente do Conselho Administrativo
Ronaldo Rodrigues de Souza
Diretor Executivo

Av. Brasil, 34.401 - Bangu

@CPAD
Rio de Janeiro - RJ - Cep 21852-002
Tel.: (21) 2406-7373
Fax: (21) 2406-7326
www.cpad.com.br

2 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


Lição 1
5 de Julho de 2020

Daniel Ora por


um Despertamento

Tento Áureo Verdade Prática


"Confessai as vossas culpas uns aos
outros e orai uns pelos outros, para 0 crente dedicado à oração pode
que sareis; a oração feita por um exercer influência no céu, na Terra e
justo pode muito em seus efeitos." até contra os poderes malignos.
(Tg 5.16)

LEITURA DIARIA
Segunda - Lc 1 1 .5 1 3 ‫־‬ Quinta -1 Rs 8.22-61
A certeza do atendimento à oração A comovente oração de Salomão
Terça ‫ ־‬Dt 9.8-21 S e n ta -E f 3 .1 4 2 1 ‫־‬
A oração de Moisés pelo povo A oração de Paulo pelos Efésios
Ouarta - 2 Sm 7.18-29 Sábado - Hc 3 .1 1 9 ‫־‬
Davi ora para edificar o templo Habacuque ora pelo livramento

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor B


LEITURA BIBLICA EM CLASSE
Daniel 9 . 1 2 ;6.10 ;3‫ ־‬1 7 1 9 ‫ ;־‬Esdras 1 .1 5 ‫־‬
Daniel 9 9 ‫ ־‬Então, fo i revelado o segredo a
Daniel numa visão de noite; e Daniel
‫ ־‬No ano primeiro de Dario, filho de
louvou o Deus do céu.
Assuero, da nação dos medos, o qual
fo i constituído rei sobre o reino dos E sd ra s 1
caldeus, ‫ ־‬No prim eiro ano de Ciro, rei da
- no ano primeiro do seu reinado, Pérsia (para que se cumprisse a palavra
eu, Daniel, entendí pelos livros que o do SENHOR, por boca de Jeremias),
número de anos, de que falou 0 SENHOR despertou o SENHOR o espírito de Ciro,
ao profeta Jeremias, em que haviam de rei da Pérsia, o qual fe z passar pregão
acabar as assolações de Jerusalém, era por todo 0 seu reino, como também por
de setenta anos. escrito, dizendo:

3 - E eu dirigí o meu rosto ao Senhor - Assim diz Ciro, rei da Pérsia: 0


Deus, para o buscar com oração, e SENHOR, Deus dos céus, me deu todos
rogos, e jejum, e pano de saco, e cinza. os reinos da terra; e ele me encarregou
de lhe edificar uma casa em Jerusalém,
Daniel 6 que é em Judá.
‫ ־‬Daniel, pois, quando soube que 3 ‫ ־‬Quem há entre vós, de todo o seu
a escritura estava assinada, entrou povo, seja seu Deus com ele, e suba a
em sua casa (ora, havia no seu quarto Jerusalém, que é em Judá, e edifique a
janelas abertas da banda de Jerusalém), Casa do SENHOR, Deus de Israel; ele é 0
e três vezes no dia se punha de joelhos, Deus que habita em Jerusalém.
e orava, e dava graças, diante do seu 4 - E todo aquele que ficar em alguns
Deus, como também antes costumava lugares em que andar peregrinando, os
fazer. homens do seu lugar o ajudarão com
Daniel 2 prata, e com ouro, e com fazenda, e com
gados, afora as dádivas voluntárias
7 ‫ ־‬Então, Daniel fo i para a sua casa para a Casa de Deus, que habita em
e fe z saber o caso a Hananias, Misael Jerusalém.
e Azarias, seus companheiros,
5 ‫ ־‬Então, se levantaram os chefes dos
8 ‫ ־‬para que pedissem misericórdia pais de Judá e Benjamim, e os sacerdo­
ao Deus dos céus sobre este segredo, a tes, e os levitas, com todos aqueles cujo
fim de que Daniel e seus companheiros espírito Deus despertou, para subirem
não perecessem com 0 resto dos sábios a edificar a Casa do SENHOR, que está
da Babilônia. em Jerusalém.

HINOS SUGERIDOS: 8 4 296, 577 da Harpa Cristã


OBJETIVO GERAL
Conscientizar os alunos sobre a necessidade de estudar a Palavra e orar em
busca de um despertamento, proveniente de Deus, nesses dias trabalhosos.

4 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.
Apresentar os motivos que levaram Daniel a ser despertado para a oração;
O Pontuar a resposta divina às orações de Daniel;
Φ Destacar o resultado de um despertamento proveniente de Deus.

• INTERAGINDO COM O PROFESSOR


Vamos iniciar mais um trimestre com a graça do nosso Senhor Jesus. Estudare­
mos "Os Principios Divinos em Tempos de Crise: A Reconstrução de Jerusalém
e o Avivamento Espiritual como Exemplos para os nossos Dias", um assunto
que nao pode ser negligenciado e muito menos esquecido pela Igreja do Senhor,
principalmente nos dias em que a perseguição sutil vem, deforma crescente,
abatendo sobre nós. Sempre que o povo de Deus passava por momentos difíceis,
o despertamento mostrara-se o melhor caminho para a vitória dos servos de Deus
sobre os seus inimigos. Oue o Senhor da Seara desperte sobre nós o avivamento
puro e genuino, capaz de mudar o cativeiro dos servos fiéis, fortalecendo-os na
Palavra, incentivando-os a urna vida de oração e capacitando-os a levar o arre­
pendimento a este mundo que caminha em densas trevas.
Ao introduzir a lição, apresente o comentarista deste trimestre, o saudoso
pastor Eurico Bergstén, que comentou esta lição ainda na década de 90, cujo
assunto permanece tão atual e necessário para os crentes de todas as épo­
cas. Eurico Bergstén muito contribuiu com a literatura evangélica brasileira,
sendo autor da Teologia Sistemática que leva o seu nome, bem como autor
de diversos livros e comentarista de lições bíblicas. Vale a pena citar que o
pastor fo i o comentador que teve mais comentários publicados pela CPAD, 35
ao todo. São comentários que, até hoje, continuam abençoando e edificando
vidas para a glória de Deus! É o que poderemos confirmar neste trimestre.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO d e p o is, D a n ie l g o zava de e le v a d o
conceito no reino da Babilônia.
Os crentes fiéis brilham como
a luz (Mt 5.15) e resplandecem po n to
CENTRAL
I-D A N IE L FOI DESPERTA­
no meio de uma geração cor­
DO PARA ORAR
rompida e perversa (Fp 2.15). Precisamos
Assim era Daniel. Ouando no estudar a Palavra Ao ler 0 profeta Jeremias
ano 606 a.C. foi levado cativo e orar por desper- (Jr 29.10), ele observou que
para a Babilônia (Dn 1.1-4,6), tamento espiri­ os 70 anos de cativeiro na
era ainda muito jovem, tinha tual. Babilônia estavam para findar.
cerca de 15 anos. Muitos anos Todavia, ainda não era possível
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 5
notar qualquer sinal de que alguma coisa festa para seus grandes. Estando já
estivesse acontecendo na direção de embriagado, mandou trazer os vasos
uma mudança radical (Dn 9.2). sagrad o s que o rei Nabucodonosor
Assim, Daniel começou a orar com havia trazido do Templo de Deus em
jejum, cobrindo-se de saco e cinza, em Jerusalém, e havia colocado no templo
sinal de profunda tristeza (Dn 9 .1 3 ‫ )־‬e pagão da Babilônia. Ele e todos os seus
orou com perseverança. convidados beberam vinho nestes vasos
1. Daniel vivia uma vida consagra­ santos (Dn 5.2-4).
da a Deus. Isto dava-lhe condições de Houve então uma in te rve n ção
orar. A Bíblia diz: "A oração dos retos divina. O rei viu que dedos de mão de
é o seu contentam ento" (Pv 15.8) e homem escreviam na parede, defronte do
Ele "escutará a oração dos justos" (Pv castiçal (Dn 5.5). Acabou-se a alegria da
15.29). Daniel não se misturou com o festa. Os joelhos do rei tremiam. Sábios
paganismo, e vivia conforme sua cons­ e astrólogos não puderam interpretar a
ciência, no temor do Senhor. Daniel é mensagem escrita na parede. Finalmente
considerado como um exem plo e um Daniel foi introduzido na festa (Dn 5.13)
m odelo para os crentes de todos os e interpretou o texto escrito na parede.
tempos (Dn 1.8). Entre outras coisas, estava escrito:
2. A estatura espiritual de Daniel "Dividido foi o teu reino, e deu-se aos
capacitava - 0 para enfrentar verda­ medos e aos persas" (Dn 5.28).
deiros combates em oração. Muitos "Naquela mesma noite, foi morto
crentes não conseguem servir de ajuda Belsazar, rei dos caldeus" (Dn 5.30).
decisiva com as suas orações, porque
nunca chegaram a e xp e rim e n ta r o
que significa com bater em oração, o SÍNTESE DO TÓPICO I
que significa perseverar firmemente Tudo o que aconteceu na vida de
em oração (Rm 12.12; Gl 1.30; Cl 2.1). Daniel fo i resultado de uma vida con­
Somente "visitam", de vez em quando, sagrada a Deus. Era através da oração
um culto de oração. Daniel, porém, tinha que Daniel alcançava livramento e
por hábito orar três vezes ao dia (Dn vitória contra seus inimigos.
6.10). Quando sua própria vida, bem
como a de seus amigos e a de todos os
sábios da Babilônia, estava em perigo,
Daniel alcançou o livramento e a vitória SUBSÍDIO BIBLIO LO GO )
através da oração (Dn 2.18-20). Daniel "D aniel foi um jovem hebreu da
era, portanto, experiente na vida de classe nobre, levado cativo à Babilônia
oração. por Nabucodonosor, rei do im pério.
3. Coincidindo com o período de Acerca de sua genealogia não sabemos
oração de Daniel, profundas mudanças muita coisa, apenas aquilo que é depre­
estavam para acontecer na Babilônia. 0 endido do livro que traz seu nome. Não
reino da Babilônia estava em guerra com era sacerdote, como Jeremias e Ezequiel,
medos e persas. 0 rei da Babilônia era mas era, como Isaías, da tribo de Judá e
na época Nabonido. Seu filho Belsazar provavelmente da Casa Real(cf. 1.3-6),
estava na capital, a cidade da Babilônia, isto é, da descendência de Davi.
cuidando dos assuntos administrativos Daniel foi um profeta de Deus cujos
do governo. Belsazar organizou uma temas são de alcance muito vasto. Vatici-
6 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
nou acontecimentos que ainda vão surgir tudo foi como diz a Bíblia: "Tudo muito
na história do Planeta, os quais estamos mais abundantemente além daquilo que
estudando à luz do contexto do seu pedimos ou pensamos" (Ef 3.20). Veja-
próprio livro. Ele, naquela corte, ganhou mos, pois, o que estava para acontecer:
muita celebridade. 0 primeiro aconte- a. Todos os Judeus seriam liberados
cimento pelo qual obteve influência na para voltarem a Judá, caso quisessem
corte babilónica foi a interpretação que (Ed 1.3).
deu ao sonho do rei. Ele foi, realmente, b. R eceberam p e rm issão para
um homem escolhido por Deus para tão reedificar o templo.
grande tarefa espiritual" (SILVA, Severino c. Todas as despesas da construção
Pedro. Daniel Versículo por Versículo: do Templo poderiam ser tiradas dos
As visões para esses últimos dias. 28a tributos de além do rio.
imp., Rio de Janeiro: CPAD, 2018, p.12). d. Os vasos sagrados devem ser
entregues aos cuidados de Zorobabel,
II ‫ ־‬A RESPOSTA ÀS ORAÇÕES DE nomeado governador dos judeus pelo
DANIEL rei Ciro, para serem transportados de
Daniel havia orado, lembrando-se da volta para Jerusalém (Ed 1.7).
promessa de Deus registrada pelo profeta
Jeremias: "Vos visitarei e cumprirei sobre
vós a minha boa palavra, tornando-vos a SÍNTESE DO TÓPICO II
trazer a este lugar" (Jr 29.10). A resposta divina às orações de
Com a queda do reino babilónico, Daniel incluía levantar Ciro para
e com o início do governo do rei Ciro, abençoar o seu povo, permitindo, entre
as coisas evoluíram com muita rapi- outras ações, que o povo retornasse
dez, deixando todos surpreendidos e para Judá e reconstruísse o Templo.
admirados.
1. A Bíblia relata o que realmente
aconteceu. "No primeiro ano de Ciro, rei SUBSÍDIO BÍBLICO
da Pérsia (para que se cumprisse a pala-
vra do SENHOR, por boca de Jeremias), "Oração
despertou 0 SENHOR o espírito de Ciro, A terminologia da oração é rica e
rei da Pérsia, o qual fez passar pregão variada na Bíblia Sagrada. 0 termo geral
por todo 0 seu reino, como também por hebraico é tepilla, de uma forma do verbo
escrito, dizendo: Assim diz Ciro, rei da palal: o termo grego é proseuche, onde
Pérsia: O SENHOR, Deus dos céus, me o passivo médio é proseuchomai. A ideia
deu todos os reinos da terra; e ele me básica da palavra hebraica é a intercessão,
encarregou de lhe edificar uma casa e da palavra grega é o voto, mas essa eti-
em Jerusalém , que é em Judá. Ouem mologia não é mais 0 determinante de seu
há entre vós, de todo o seu povo, seja significado. As duas palavras podem ser
seu Deus com ele, e suba a Jerusalém, usadas de forma abrangente para qualquer
que é em Judá, e edifique a Casa do tipo de solicitação, intercessão ou ação
SENHOR, Deus de Israel; ele é o Deus de graças. A oração é descrita como o ato
que habita em Jerusalém" (Ed 1 .1 3 ‫)־‬. de "invocar o nome do Senhor" desde
2. Conforme esta declaração de os dias de Sete (Gn 4.26) até a época
Ciro, estava cumprida a promessa divina em que o 'Senhor‘ se revelou como o
dada através do profeta Jeremias. Mas Salvador, Jesus Cristo ( cf. Jl 2.32, com
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 7
Rm 10.9,12,13 ). Os cristãos identificam Jesus, no caminho de Damasco, caiu por
se com aqueles que invocam seu nome terra e apenas pôde perguntar: "Quem és
(1 Co 1.2). Outras expressões do AT são Senhor?" (At 9.5). A Bíblia diz que ninguém
'suplicar' ou 'procurar o favor' de Jeová pode dizer que Jesus é o Senhor se não
( p i'el de hala, literalm ente 'tornar-se for pelo Espírito Santo (1 Co 12.3).
agradável à sua face'), 'curvar-se em b. Ciro teve uma experiência com
adoração' (shaha ), 'aproximar-se' (nagash) Deus, que é Santo. Os vasos sagrados
, 'ver' ou 'encontrar' para suplicar (paga') haviam sido roubados do Templo de
, 'implorar' (za'aq ) para reparar uma falta, Jerusalém, por Nabucodonosor, e guar­
'pedir' (sha'al), 'suplicar' ( 'athar) ou 'com­ dados no templo pagão da Babilônia
parecer perante a face do Senhor'. Além (2 Cr 36.18). Ciro era, agora, o respon­
de proseuchomoai, os autores do NT usam sável por eles, e mesmo sendo esses
os termos 'implorar' (deomai), 'solicitar' vasos muito valiosos, ele queria vo ­
(aiteo) ou simplesmente 'pedir' (erotao ) luntariamente devolvê-los (Ed 1.7-11).
quando se referem à oração. Ao contrário Assim acontece sempre em cada
de proseuchomai, essas palavras não são despertam ento verdadeiro. Quando
característicamente 'religiosas' e podem Zaqueu teve seu encontro com Jesus,
denotar pedidos dirigidos tanto aos ho­ quis devolver o que havia ganho com
mens quanto a Deus. Entre as palavras usura (Lc 19.8).
mais específicas para oração estão enty- 2.0 rei Ciro recebeu bênçãos espi­
gkano ('interceder'), proskyneo ('adorar'), rituais. 0 profeta Isaías, 200 anos antes,
e eucharisteo (dar graças)" (Dicionário
profetizou acerca de Ciro chamando-o
Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD,
de "ungido do Senhor" (Is 45.1). Isso nos
2006. p. 141 9 2 0 ‫)־‬. permite entender que o Espírito Santo
deve ter-lhe proporcionado algum a
Ill - O RESULTADO DE UM bênção espiritual. Cada Despertamento
DESPERTAMENTO PROVENIENTE DE traz bênçãos para o coração do crente.
DEUS
1 .0 rei Ciro foi despertado em seu SÍNTESE DO TÓPICO III
espírito. "Despertou 0 Senhor 0 espírito
do rei Ciro" (Ed 1.1). Talvez por meio de
O rei Ciro veio a conhecer a so-
beronia d ivin o e ver Deus como o
seu contato com Daniel é que Ciro veio
Senhor dos céus e por isso fo i muito
a conhecer a Deus, e talvez até mesmo
abençoado pelo Todo Poderoso.
o adorasse. Ciro teve uma experiência
pessoal com Deus no seu coração, e
passou a com preender as realidades
de Deus que ele antes ignorava.
SUBSÍDIO HISTÓRICO
a. Ciro passou a ver a Deus como o "[...] Ciro, um general de inteligência
SENHOR DOS CÉUS (Ed 1.2). O grande rei estratégica admirável, passou parte de
Nabucodonosor demorou a aprender esta sua vida desferindo ataques-relámpago
lição (Dn 4.30-37). Cada despertamento contra vários adversários, tanto próximos
verdadeiro faz com que o homem veja quanto distantes. Com a experiência de
a m ajestade de Deus, sentindo a sua guerra, Ciro cercou Babilônia, tornando-a
própria pequenez, o seu pecado e a sua praticamente sem resistência em 539.0
baixeza. Saulo assolava, perseguia, fazia rei Nabonido tinha o hábito de ausen­
e desfazia, mas quando se encontrou tar-se da capital, e fazia-0 até mesmo
8 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
(ou especialmente) nas comemorações viram neste decreto a bênção de Deus,
de Ano Novo, quando como de costume como cumprimento da palavra profética.
participava dos rituais tradicionais. Suas Para eles, esta libertação não era menos
ausências eram cada vez mais frequentes significativa que aquela do êxodo sob
e demoradas, de forma que o real gover­ a liderança de Moisés. Na verdade, a
no da cidade estava na mão de seu filho linguagem dos profetas, por exemplo
Belsazar. Foi este desafortunado vice-rei Isaías 40— 66, está repleta de imagens
que presenciou o colapso da nação com a do êxodo. É verdade que a maioria dos
chegada de Gubaru, o comandante persa judeus da dispersão preferiu permanecer
e governador de Gutium. Parece que em suas casas, especialm ente os que
Belsazar morreu durante ou pouco depois moravam em Babilônia, mas aqueles
do conflito, enquanto seu pai Nabonido que tinham seus olhos voltados para
foi capturado e em seguida solto condi­ o propósito eterno de Deus viram no
cionalmente. Duas semanas depois, Ciro cativeiro um instrumento de correção.
marchou triunfantemente pela cidade e E o retorno à pátria era o sinal de que
celebrou com alegria a derrota de seu rival, ainda tinham um papel redentor a de­
tornando-se o senhor absoluto do oriente. sempenhar" (MERRIL, Eugene H. História
Ciro pôs em prática uma política be­ de Israel no Antigo Testamento: o reino
neficente, permitindo a todos os exilados de sacerdotes que Deus colocou entre
o retorno para suas terras. Os judeus, as nações. 6a Ed. Rio de Janeiro: CPAD,
é claro, também estavam incluídos, e 2007, pp.503,04).

PARA REFLETIR

A respeito de "Daniel Ora por um Despertamento",


responda:
• Com quantos anos, aproximadamente, foi Daniel levado à Babilônia?
Daniel era ainda muito jovem, tinha cerca de 15 anos de idade.
• Que escritura profética levou Daniel a orar e jejuar?
A profecia de Jeremias (Jr 29.10).
• O que esta escritura dizia?
A escritura profética dizia estar chegando ao fim o cativeiro dos judeus.
• 0 que aconteceu no primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia?
0 Senhor despertou o coração deste rei em favor do povo de Judá, favore­
cendo o retorno deste à Terra Prometida.
• Cite um exemplo bíblico de um despertamento verdadeiro.
Quando Zaqueu teve o seu encontro com Jesus.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 9


"E isto digo, conhecendo 0 tempo,
que éjá hora de despertarmos do
sono; porque a nossa salvação está, 0 despertamento espiritual é uma
agora, mais perto de nós do que consequência da submissão à vontade
quando aceitamos a fé." de Deus.
(Rm 13.11)

LEITURA DIÁRIA
Segunda ‫ ־‬SI 57.8 Quinta 2 ‫ ־‬Tm 1.6
Despertando a vida de louvor Despertando 0 dom
Terça ‫ ־‬Pv8.17 Sexta ‫ ־‬Is 51.9
Despertando a vida de oração Despertando para a peleja
Q u a rta -Is 50.4 Sábado - Rm 13.11
Despertando para aprender É hora de despertar

10 L iç õ e s B íb lic a s / P r o f e s s o r Julho/Agosto/Setembro - 2020


LEITURA BIBLICA EM CLASSE
Esdras 1 .1 7 ‫ ;־‬Neemias 1.1 3 ‫־‬
Esd ras 1 espírito Deus despertou, para subirem
‫ ־‬No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia a edificar a Casa do SENHOR, que está
(para que se cumprisse a palavra do SE­ em Jerusalém.
NHOR, por boca de Jeremias), despertou 6 ‫ ־‬E todos os que habitavam nos arredo­
0 SENHOR 0 espírito de Ciro, rei da Pérsia, res lhes confortaram as mãos com objetos
o qual fez passar pregão por todo o seu de prata, e com ouro, e com fazenda, e
reino, como também por escrito, dizendo: com gados, e com coisas preciosas, afora
2 - Assim diz Ciro, rei da Pérsia: 0 SE­ tudo o que voluntariamente se deu.
NHOR, Deus dos céus, me deu todos os 7 ‫ ־‬Também o rei Ciro tirou os utensílios
reinos da terra; e ele me encarregou de da Casa do SENHOR, que Nabucodonosor
lhe edificar uma casa em Jerusalém, tinha trazido de Jerusalém e que tinha
que é em Judá. posto na casa de seus deuses.
3 - Ouem há entre vós, de todo o seu Neemias 1
povo, seja seu Deus com ele, e suba a ‫ ־‬As palavras de Neemias, filh o de
Jerusalém, que é em Judá, e edifique a Hacalias. E sucedeu no mês de quisleu,
Casa do SENHOR, Deus de Israel; ele é o no ano vigésimo, estando eu em Susã,
Deus que habita em Jerusalém. a fortaleza,
4 ‫ ־‬£ todo aquele que ficar em alguns 2 - que veio Hanani, um de meus irmãos,
lugares em que andar peregrinando, ele e alguns de Judá; e perguntei-lhes
os homens do seu lugar o ajudarão com pelos judeus que escaparam e que resta­
prata, e com ouro, e com fazenda, e com ram do cativeiro e acerca de Jerusalém.
gados, afora as dádivas voluntárias para 3 - £ disseram-me: Os restantes, que
a Casa de Deus, que habita em Jerusalém. não foram levados para o cativeiro, lá
5 - Então, se levantaram os chefes dos na província estão em grande miséria e
pais de Judá e Benjamim, e os sacerdo­ desprezo, e 0 muro de Jerusalém, fendido,
tes, e os levitas, com todos aqueles cujo e as suas portas, queimadas afogo.

HINOS SUGERIDOS: 387, 427, 432 da Harpa Cristã


OBJETIVO GERAL
Reconhecer a origem de um despertamento espiritual e suas finalidades.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

O Explicar aos alunos os objetivos dos despertamentos espirituais;


O Enumerar as finalidades do despertamento;
Φ Ilustrar que Deus cumpre com suas promessas.
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 11
• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
O decreto de Cirojá estava lavrado. Os judeus poderíam voltar à sua terra,
reerguer os muros de Jerusalém e reconstruir o Santo Templo. No entanto, a
tarefa parecia bastante difícil. A maioria dos judeus estava acomodada à vida
na Babilônia e não estava disposta a voltar à terra de Israel para executar o
plano de reconstrução. Somente o Espírito Santo poderia levantar homens
necessários ao desempenho de semelhante tarefa.
Foi exatamente isso o que aconteceu. 0 Senhor suscitou homens que não
se prendiam às coisas efêmeras desta vida, e cuja visão estava na redenção
da linhagem de Israel.
É de um despertamento semelhante que tanto precisamos nesses tempos
difíceis!

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO resultado do despertamento, e até mes­
mo sentir a operação "das virtudes do
Nesta lição iremos ver a origem
século futuro" (Hb 6.5). Mas na verdade
do despertam ento e sp iritu al e suas
nada sabemos e nada entendemos do
finalidades.
poder de Deus.
I - O DESPERTAMENTO ESPIRITUAL
EMANA DO PRÓPRIO DEUS
"No p rim e iro ano de Ciro, [...],
despertou o Senhor o Espírito de Ciro" SÍNTESE DO TÓPICO I
(Ed 1.1). Deus despertou Daniel para 0 despertamento espiritual emana
orar pelo futuro do seu povo. Todavia, de Deus, por isso Ele usa os instrumen­
não foram as orações de Daniel e nem tos que achar necessários para coope­
sua vida santificada que produziram o rarem com a sua soberana vontade.
despertamento, mas foi o próprio Deus
que fez o m ilagre do despertam ento
de Ciro (Is 26.12; 1 Co 12.6). Deus SUBSÍDIO TEOLÓGICO
usa instrum entos para coope­ PONTO
CENTRAL ”A Vontade de Deus
rarem com Ele, mas o autor do
A submissão a 0 conceito de
despertamento é Ele mesmo.
vontade de Deus quando aplicado a Deus na te­
Por isto, 0 despertamento gera o desperta-
é um m istério. As coisas hu­ ologia e na Bíblia, nem sempre
mento espiri­
manas podem ser explicadas, tual. tem a mesma conotação. Ele
p re vistas e calculadas. Mas a pode denotar toda a sua nature­
operação do Espírito Santo é diferen­ za moral incluindo seus atributos, a
te. Jesus disse: "O vento assopra onde faculdade de autodeterminação (SI 115.3;
quer, e ouves a sua voz, mas não sabes Dn 4.35), um plano pré-determ inado
donde vem, nem para onde vai; assim é como no caso de um decreto (Ef 1.9,10;
todo aquele que é nascido do Espírito" Ap 4.11 etc.), o poder para cumprir seus
(Jo 3.8). Nós, na verdade, podemos ver o planos e propósitos (Pv 21.1; Rm 9.19; 2
12 Lições Bíblicas/Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
Cr 20.6), ou a regra da vida imposta sobre no espírito do homem. Foi assim que
as criaturas racionais, isto é, a vontade Ele fez com Ciro. Embora fosse rei de
objetiva de Deus, que se pode guardar uma nação idólatra, Ciro foi despertado
(Mt 7.21; Jo 4.34; 7.17; Rm 12.2). por Deus, o qualincutiu a sua vontade
A vontade divina é a causa final de no espírito dele, dominado pelas tra­
todas as coisas. Ela é absoluta e imutável dições e pela idolatria, a fim de que
(Sl 33.11), não condicionada por nada ele cum prisse os d e síg n io s d ivin o s
além de si mesma. Todas as coisas são sua relativos ao povo de Israel, conforme
consumação: a criação e a preservação havia falado pela boca do profeta Isa-
(Sl 135.6; Jr 18.6; Ap 4.11); o governo (Pv ias, cerca de 180 anos antes (Is 44.28;
21.1; Dn 4.35); a eleição e a reprovação 4 5 .1 6 ‫) ־‬. Quando o propósito de Deus
(Rm 9.15,16; Ef 1.5 ); a morte de Cristo chegou ao conhecim ento de Ciro era
(Lc 22.42; At 2.23); a salvação (Tg 1.18); a um fato já aceito e aprovado por ele,
santificação (Fp 2.13); os sofrimentos dos e logo foi consumado. Assim, logo no
santos (1 Pe 3.17); a existência, o curso início de seu reinado, Ciro proclamou
da vida e o fim do homem (At 18.21; Rm um édito autorizando os judeus a re­
15.32; Tg 4.15); e até mesmo os menores tornarem a Jerusalém e a edificarem a
detalhes da vida (Mt 10.29). casa do Senhor "em Jerusalém, que é
Uma vez que todas as coisas encon­ em Judá" (Ed 1.2). Começava, assim, uma
tram sua causa última na vontade de Deus, restauração nacional do povo israelita.
é usual distinguir entre os aspectos efica­ 2. A restauração espiritual de
zes e permissivos da vontade de Deus. 0 Israel. Deus quer usar o homem como
aspecto eficaz da sua vontade é cumprido seu instrumento. Todavia só são usa­
de forma causai ou ativa. Não é apenas dos aqueles que cooperam com Deus,
aquilo que Deus consente, mas também aqueles que seguem a orientação divina
aquilo que Ele deseja. Por outro lado, o por livre-arbítrio. 0 homem é livre para
aspecto permissivo da vontade divina obedecer, ou não, à orientação divina.
é aquele que tem uma autorização para Por isso, nem todos os que experimen­
ocorrer através da intervenção não con­ tam um despertam ento adquirem o
trolada de criaturas racionais. A vontade mesmo progresso espiritual, porque
de Deus é revelada ao homem de várias não abrem igu alm en te seu coração
maneiras: pela palavra falada (Êx 3.14-18;para Deus, a fim de obedecer, à risca,
At 1.8); por meio de sonhos e visões (Gn à orientação divina (Pv 23.26, Dt 6.5).
41.1-32; At 16.6-10); pelo mundo natural Durante o cativeiro, o povo israelita
e pelos eventos históricos (Sl 89.9,10; Ishavia assimilado muitos dos costumes
46.10,11; 53.10); no futuro reino de Deus dos babilônios, porém havia aprendido a
(Ef 1.9,10); e pelas Sagradas Escrituras lição concernente à vontade de Deus: não
(cf. At 20.27; 1 Pe 4.17,19)" (Dicionário servir aos deuses das nações, não adorar
Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, os ídolos. Antes do exílio, Israel estava
2006. pp.2025-26). espiritualmente enfermo dos pés à cabeça
(Is 1.2-6), mas agora havia sido curado da
II-A S FINALIDADES DO idolatria para sempre. Para Israel, o sofri­
DESPERTAMENTO mento resultou no despertamento, e este,
1. A restauração nacional de Isra­
na sua restauração espiritual. A finalidade
el. Deus, quando quer realizar os seus principal de despertamento é sempre a
propósitos, pode incutir a sua vontade restauração espiritual do povo de Deus.
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 1B
Cada despertamento tem por obje­ sua política foi o decreto que permitia
tivo principal a salvação e a restauração aos judeus o retorno à sua terra. Somente
do homem. Encontramos sempre estes em um templo restaurado em Jerusalém
dois polos: A GRAÇA e O PECADO. O Yahweh poderia agir efetivamente como
Espírito Santo está sempre pronto para 0 Deus de Judá. Assim, em fiel obediência
convencer o mundo sobre "o pecado, a a Yahweh, Ciro decidiu repatriar o povo
justiça, e o juízo" (Jo 16.8,9). Vejamos: judeu. Providenciou autorizações para
a. O Espírito Santo é sempre into­ que eles voltassem e reconstruíssem a
lerante com o pecado. O Espírito Santo cidade e 0 templo para seu Deus" (MERRIL,
convenceu Saulo de que havia pecado Eugene H. História de Israel no Antigo
contra a pessoa de Jesu s (At 9.4,5). Testamento: o reino de sacerdotes que
Foi o Espírito Santo que convenceu Deus colocou entre as nações. 6a Ed. Rio
de pecado a m ulher sam aritana (Jo de Janeiro: CPAD, 2007, p.509).
4.16-19) e fez Zaqueu confessar sua
falta (Lc 19.8). O Espírito Santo torna I ll -D EU S CUMPRE AS SUAS
manifesta as coisas más (Ef 5.13,14). O PROMESSAS
profeta de lábios impuros sentiu que 1. A fidelidade de Deus em suas
perecia na presença da santidade de promessas. Pelo despertam ento que
Deus (Is 6.5). O Espírito Santo faz com Ciro recebeu, Deus cumpriu literalmente
que os crentes andem na luz (1 Jo 1.7). a sua Palavra em relação ao retorno de
b. Mas o Espírito Santo também Judá à sua terra (Jr 27.22), bem como a
aponta para Jesus como aquEle que derrota da Babilônia diante do exército
perdoa e salva (1 Jo 1.9; 2.1,2; Rm 3.25; m edo-persa, sob o comando de Ciro
2 Co 5.18-21). Este era 0 ensino nos dias da Pérsia (Jr 25.12; Is 44.28; 45.2-6).
dos apóstolos e deve continuar sendo 2. Deus renova suas promessas
nos dias de hoje, pois a Palavra de Deus de bênçãos. Em cada despertamento,
não muda, e as nossas necessidades Deus vivifica e renova as prom essas
espirituais também não (At 13.38-41; de bênçãos ao seu povo. 0 Espírito
14.15 ‫ ־‬17; 17.26-31 ). Santo revela as riquezas escondidas em
Cristo, isto é, as riquezas de glória que
Cristo ganhou na cruz do Calvário, para
SÍNTESE DO TÓPICO II dar àqueles que o servem (Rm 9.23; Ef
As finalidades do despertamento 1.18; 2.7; Fp 4.19; Cl 1.27).
envolviam as restaurações nacional e 0 Batismo no Espírito Santo é uma
espiritual de Israel. A primeira restaurou bênção que faz parte de uma nova vida
a pátria e a segunda restaurou 0 homem com Cristo (At 2.38; cf.Hb 6.1-3). No des-
da idolatria dos deuses pagãos do exílio. pertamento que operava no tempo dos
apóstolos, eles faziam questão de que
todos os convertidos recebessem esta
maravilhosa unção do alto (At 8 .1 4 1 7 ‫;־‬
SUBSÍDIO HISTÓRICO
19.1-6). Os dons espirituais também fa­
"A política de Ciro beneficiou sensi­ zem parte das bênçãos que Jesus deseja
velmente os judeus exilados em Babilônia, dar por meio do despertamento (1 Co
pois Ciro conferiu a Yahweh o mesmo 12,7-11). Deus ainda deseja despertar
respeito dado a Marduque e a outras os corações para ter fé renovada na cura
divindades. A consequência lógica de do corpo, também resultado da morte
14 Lições Bíblicas/Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
expiatória de Jesus (Is 5 3 .3 5 ‫ ;־‬Mt 8.14‫ ־‬a restauração de Israel (Dt 3 0 .1 5 ‫ )־‬e,
17; Tg 5 .1 4 1 7 ‫ ;־‬Mc 16.17,18). finalmente, o novo céu e a nova terra
3. Deus renova a fé dos abatidos.
(Is 65.17; 66.22).
Pelo despertamento, Deus cria ambiente Paulo demonstra que a "prom es­
de fé, de expectativa e de oração. 0 sa de Deus" tem a qualidade de urna
despertamento nasceu da oração, e só aliança, porque cada palavra de Deus é
poderá prosseguir se a chama da oração segura e certa, livre do legalism o e da
continuar acesa. No Antigo Testamento, dependência do esforço do homem (por
o fogo no altar de incenso não se podia exemplo, Rm 4 .1 3 1 6 ‫ ;־‬Gl 3.16 18; cf. Hb
deixar apagar (Êx 30.7,8). Do mesmo 11.40)" (Dicionário Bíblico Wycliffe.
modo, Deus quer que o fogo do Espírito Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.1611).
Santo não se apague em nossos corações,
mas, sim, que continue aceso, hoje, como
IV ‫ ־‬O DESPERTAMENTO TORNA OS
no dia do Pentecoste. Todavia, isso só
HOMENS OBEDIENTES À PALAVRA
se pode conseguir através da oração
incessante, por parte de cada um de nós. 1. O culto que foi restabelecido
em Jerusalém foi exatamente aquele
que a lei de Deus determinava (Ne
1 2 . 4 4 4 7 ‫)־‬. Não foram in tro d u zid as
SÍNTESE DO TÓPICO III novas formas de culto, nem qualquer
Deus éfiel em cumprir suas promessas mistura de doutrinas babilónicas!
dadas ao seu povo. Além de vivificar e 2. O despertamento dado pelo
renovar as suas promessas, Ele também Espírito Santo faz com que os eren-
renova a fé dos que estão abatidos. tes desejem intensamente ser fiéis
à Palavra de Deus. Paulo escreveu:
"Para que, em nós, aprendais a não ir
além do que está escrito" (1 Co 4.6). 0
SUBSÍDIO TEOLÓGICO crente despertado inclina-se a guar­
dar os estatutos de Deus até o fim (Sl
"Promessa 119.112). E esta forma de proceder,
Embora se refira ocasionalmente à esta atitude do crente, é uma das bases
palavra do homem, o uso característico para a comunhão uns com os outros.
da palavra "promessa" nas Escrituras "Com panheiro sou de todos os que
relaciona-se com o que Deus declara te temem, e dos que guardam os teus
que fará acontecer. Embora possamos preceitos" (Sl 119.63).
inferir as promessas feitas entre o Pai
e o Filho antes da criação, a primeira
grande promessa de Deus aos homens
está em Gênesis 3.15 e inaugura uma
SÍNTESE DO TÓPICO III
sucessão que, em uma crescente clareza
de detalhes desde seu anúncio, fala Um dos resultados do despertamen-
sobre a vinda do Messias-Salvador. Uma toé a obediência dos homens à Palavra.
grande variedade de promessas está Depois que houve 0 despertamento no
mais ou menos ligada, de uma forma retorno do exílio babilónico, não houve
direta, a essa grande promessa central, a introdução de qualquer mistura de
inclusive a nova aliança (Jr 31 .3 1 3 4 ‫)־‬, o cultos pagãos entre o povo de Deus.
derramamento do Espírito ( J l 2.28ss.),
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 15
SUBSÍDIO DOUTRINÁRIO as Sagradas Escrituras. Doutra forma,
continuariam no mesmo marasmo.
O que é um despertamento espiri­ Em segundo lugar, é necessário
tual? Antes de mais nada, é um retorno
buscar com redobrado favor a presença
à vontade de Deus. Todas as vezes que
de Cristo. Afirmou certa vez um teólogo
os crentes voltam aos princípios das
que a história se cala acerca dos aviva-
Sagradas Escrituras, dá-se um des-
mentos que começaram sem oração.
pertamento espiritual. Foi assim nos
Quer nos tempos bíblicos, quer nos dias
tempo de Josias e na época de Esdras.
E, o mesmo se verifica quando o povo de hoje, não pode haver avivamento sem
de Deus, hoje, predispõe-se a executar oração. É um pressuposto básico do qual
as tarefas que o Senhor lhes entrega. não podemos fugir.
Mas o que é necessário para se viver Em terceiro lugar, não podemos
um grande despertamento espiritual? perder o nosso primeiro amor. A Igreja
Em primeiro lugar, é necessário se de Éfeso, por exemplo, sofria deste mal
voltar às Sagradas Escrituras e esposar crônico. Exteriormente, não poderia haver
todos os seus princípios. Neste ponto, igreja tão ortodoxa doutrinariamente como
devem cair por terra as nossas conveniên­ aquela. No entanto, estava longe de seu
cias e comodidades. Somente a vontade primeiro amor. E, se a força do nosso amor
de Deus é que interessa. Notemos que 0 não corresponde aos primordios da nossa
grande avivamento de Josias começou fé, carecemos rogar as misericórdias do
exatam ente quando líderes do povo Senhor para que um novo despertamento
começaram a exam inar detidamente espiritual venha renovar o nosso amor.

PARA REFLETIR

A respeito de " Despertamento Espiritual


Um Milagre", responda:
• Em que ano o Senhor despertou o espírito de Ciro?
No primeiro ano do rei Ciro, da Pérsia.
• De onde emanam os despertamentos espirituais?
Do próprio Deus.
• Na obra do despertamento, quem Deus usa?
Aqueles que se colocam integralm ente à disposição de Deus.
• Como era o culto restabelecido em Jerusalém?
De acordo com a Lei de Deus.
• O que o despertamento provoca no crente?
Leva os crentes a desejarem ser mais fiéis à Palavra de Deus.

16 Lições Bíblicas/Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


Lição 3
19 de Julho de 2020

0 Despert
Renova o
« ir

Texto Áureo Verdade Prática

"Então, Elias disse a todo 0 povo:


Chegai-vos a mim. E todo 0 povo se Satanásjamais derrotará 0 crente cujo
chegou a ele; e reparou 0 altar do altar é constantemente renovado pelo
SENHOR, que estava quebrado." Espirito.
(1 Rs 18.30)

LEITURA DIARIA
Segunda ‫ ־‬Gn 8.20 Q u in ta -Jz 6 .2 5 2 7 ‫־‬
0 altar na vida de Noé 0 altar na vida de Gideão
Terça ‫ ־‬Gn 22.9 Sexta 1 ‫ ־‬Cr 21.26
0 altar na vida de Abraão 0 altar na vida de Davi
Quarta - Js 8.30 Sábado - Hb 13.10-15
0 altar na vida de Josué 0 altar na vida da Igreja

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 17


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Esdras 3.2-5,10-13
2 - E levantou-se Jesua, filh o de Joza- SENHOR, então, apresentaram-se os
daque, e seus irmãos, os sacerdotes, sacerdotes, já paramentados e com
e Zorobabel, filh o de Sealtiel, e seus trom betas, e os levita s, f ilh o s de
irmãos e edificaram o altar do Deus Asafe, com saltérios, para louvarem
de Israel, para oferecerem sobre ele ao SENHOR, conforme a instituição
holocaustos, como está escrito na Lei de Davi, rei de Israel.
de Moisés, o homem de Deus. - E cantavam a revezes, louvando e
3 ‫ ־‬E firm aram o altar sobre as suas celebrando ao SENHOR, porque é bom;
bases, porque o terror estava sobre porque a sua benignidade dura para
eles, por causa dos povos das terras; sem pre sobre Israel. E todo o povo
e ofereceram sobre ele holocaustos ju b ilo u com grande jú b ilo , quando
ao SENHOR, holocaustos de manhã louvou o SENHOR, pela fundação da
e de tarde. Casa do SENHOR.
4- E celebraram a Festa dos Taberná­ I 2- Porém muitos dos sacerdotes, e
culos, como está escrito, e ofereceram levitas, e chefes dos pais, já velhos,
que viram a prim eira casa sobre o
holocaustos de dia em dia, por ordem,
seu fundam ento, vendo perante os
conforme 0 rito, cada coisa no seu dia;
seus olhos esta casa, choraram em
5- e, depois disso, 0 holocausto contí­ altas vozes; mas muitos levantaram
nuo e os das luas novas e de todas as as vozes com jú b ilo e com alegria.
solenidades consagradas ao SENHOR,
13 - D e maneira que não discernia o
como também de qualquer que ofe­ povo as vozes de alegria das vozes do
recia oferta voluntária ao SENHOR. choro do povo; porque 0 povo jubilava
I 0 - Ouando, pois, os edificadores com tão grande jú bilo, que as vozes
lançaram os alicerces do templo do se ouviam de mui longe.

HINOS SUG ERIDO S: 1 7 ,1 0 7 ,1 4 7 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Identificar o que caracteriza o verdadeiro despertamento espiritual.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

Elucidar aos alunos o significado do altar para o Antigo Pacto;


O Entender que Cristo é o centro da nossa comunhão com Deus;
Φ Comprovar que nem todos os despertamentos de hoje têm as carac­
terísticas mencionadas de um verdadeiro despertamento.

18 L iç õ e s B íb lica s / P ro fe s s o r Julho/Agosto/Setembro - 2020


• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
A reconquista da terra de Israel não fo i tarefa fácil. Além da incompreensão
dos povos vizinhos, os líderes judaicos enfrentaram a descrença do povo. Como
agir numa hora tão difícil? Confiando nas providências de Deus, erguem-lhe
um altar e oferecem-lhe sacrifícios de acordo com o que prescreve a Lei de
Moisés. Dessa forma, mostram aos adversários que o Senhor ainda luta pelo
seu povo. Por que temer?
Às vezes, encontramo-nos nas mesmas condições. Há dificuldades por todos
os lados, avizinham -se tribulações e as angústias estão sempre presentes.
No entanto, quando erguemos o nosso altar, o Senhor começa a operar em
nosso meio.
É hora de levantar o altar!

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO 2. Todos os despertamentos ge­
nuínos começam com a restauração do
Nesta lição iremos meditar sobre
altar. Temos, na Bíblia, vários exemplos
um fato que caracteriza o verdadeiro
disto. Vejamos:
despertamento. Trata-se da necessidade
a. No tempo do profeta Elias, nos
que os homens passam a sentir de se
dias do rei Acabe. Ver o texto em 1 Rs
chegarem mais perto do altar de Deus,
1 8 .1 6 4 0 ‫־‬. No confronto com os profe­
a fim de estarem cada vez mais
perto de Deus. tas de Baal, a primeira coisa que
PONTO
CENTRAL Elias fez foi reparar o altar que
I ‫ ־‬O DESPERTAMENTO estava quebrado (1 Rs 18.30).
Cristo é o centro
CONDUZO HOMEM AO da nossa comu­ Depois sacrificou sobre ele, e
ALTAR nhão com Deus. orou a Deus. O fogo desceu
1. Os judeus sentiam a e o povo exclam o u: "Só o
necessidade do acesso a Deus Senhor é Deus, só o Senhor é
que o altar lhes proporcionava. Deus!" 0 despertamento decor­
0 propósito que traziam no coração, reu do conserto do altar.
ao retornarem do cativeiro, precisava b. Quando o piedoso rei Ezequias
ser muito firme, porque estavam rode­ assumiu o trono de Judá, já no primeiro
ados de inim igos cruéis. A Bíblia diz: ano do seu reinado ele abriu as portas
"0 terror estava sobre eles por causa da casa do Senhor e as separou (2 Cr
dos povos da terra" (Ed 3.3). Por isso 29.3). Mandou purificar o templo, tirar
mesmo, o povo sentia que precisava do fora toda a imundícia, purificar 0 altar do
acesso a Deus, através do altar. "Este holocausto que havia sido substituído
será o holocausto contínuo... perante no reinado de seu antecessor, Acaz,
o Senhor, onde vos encontrarei, para por um altar construído com modelo
falar contigo ali" (Êx 29.43). Os judeus copiado de Damasco (2 Rs 1 6 .1 0 1 2 ‫)־‬.
agora almejavam estas bênçãos através Quando então os sacerdotes sacrifica­
do altar. ram sobre o altar santificado, começou
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 19
um novo cântico na casa de Deus (2 Cr perpétuo, um favor; se n tia -se nele
29.27-28). O despertam ento levou à a m an ifestaçã o d iv in a , sig n ific a v a
separação do altar. a presença de Deus, sa n tifica v a as
c. Ouando os judeus voltaram ofertas,
do e era 0 lugar onde se realizava
cativeiro, construíram o altar sobre a comunhão dos fié is com o Senhor.
as suas antigas bases, do modo como Por tais razões o altar era respeitado"
manda a lei (Ed 3.3) e sa crificaram (CONDE, Emílio. Tesouro de Conheci­
holocaustos ao Senhor. A alegria foi mentos Bíblicos. 2a Ed. Rio de Janeiro:
grande entre os judeus, pois podiam CPAD, 1983, pp.4 5 4 6 ‫)־‬.
de novo sacrificar a Deus, e celebrar a
festa dos tabernáculos. O culto a Deus II ‫ ־‬CRISTO, O CENTRO DA NOSSA
havia recomeçado (Ed 3.4,5). COMUNHÃO COM DEUS
No tempo do Antigo Testamento
o altar era o ponto central do culto a
SÍNTESE DO TÓPICO I Deus. No tempo do Novo Testamento,
Todos os desperta mentos genuínos o sa crifício de Jesus no Gólgota é o
começam com a restauração do altar, grande acontecim ento para o qual o
por isso osjudeus sentiam a necessidade altar apontava profeticamente. Paulo
de ter acesso a Deus através de um altar escreveu à igreja em Corinto: "Prim ei­
restaurado. ramente vos entreguei o que também
recebi: que Cristo morreu por nossos
pecados, segundo as Escrituras" (1 Co
15.3). Escreveu ainda: "Porque nada me
SUBSÍDIO CULTURAL propus saber entre vós, senão a Jesus
Cristo e este crucificado" (1 Co 2.2).
0 que é o altar? "Do hebraico "Todas as coisas subsistem por ele" (Cl
,mi-
zbeach': ,sulhan'; e do grego ,thysiaste- 1.17). "Para que em tudo (Jesus) tenha
rion' (de ,thysia‫׳‬, sacrifício): e ainda do a preem inência" (Cl 1.18). "Para vós,
latim ,altare, altaría' (semelhante a ,ado- os que credes, é preciosa [...] a pedra
leo' queimar). Quase todas as pessoas principal da esquina" (1 Pe 2.7). Tudo
dessa geração têm um conceito errado isto porque Jesus, pela sua morte ex­
do verdadeiro altar no sentido genérico piatória, ganhou a redenção para todo
e prático que motivou sua existência. o mundo (Ef 1.7; 2.13-16; Rm 3 .2 3 2 5 ‫;־‬
Todos julgam, geralmente, que um altar 5.9,10; 1 Pe 1.18,19).
genuíno é a parte de um templo, de uma 1. Toda a Trindade atuou ativa­
catedral, de uma mesquita ou de uma mente na morte expiatória de Jesus:
sinagoga, reservada exclusivam ente a. 0 PAI CELESTIAL. Antes da fun­
aos pastores, aos sacerdotes ou aos dação do mundo o Pai planejou a obra
rabinos. Muitos, sem dúvida, vão sur­ redentora, com o sacrifício de seu Filho
preender-se quando lhes mostrarmos (Ef 3.6-9). Na consumação dos séculos
como a Bíblia define o sign ifca d o do enviou o seu Filho (Gl 4.4; Jo 3.16). O
altar verdadeiro e sua função. Pai participou diretamente do drama
O altar, de acordo com as Escritu­
do Gólgota (2 Co 5.19).
ras, era um lugar construído para nele b. CRISTO, 0 FILHO DE DEUS. En­
se oferecerem sacrifícios e holocaus­ tre g o u -se a si m esm o em o ferta e
tos de anim ais. Era um testem unho sacrifício (Ef 5.2; Hb 9.14). Ele levou
20 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
nossos pecados sobre o madeiro ( 1 podemos vencer o mundo (1 Jo 5.4,5).
Pe 2.24 ) e padeceu para levar-nos a Por causa do brado "Está co n ­
Deus (1 Pe 3.18). sumado!", a ju stiça de Cristo agora é
c. 0 ESPÍRITO SANTO. Ajudouoferecida
o gratuitamente àqueles que
Filho a vencer todos os obstáculos que crerem em Jesus (2 Co 5.21; Is 53.11;
se levantaram contra Ele, até chegar à Gl 2.16; At 13.39; Rm 4.22-25).
cruz. Foi pelo Espírito Eterno que Jesus d. O Espírito PENETRA todas as
ofereceu a si mesmo imaculado a Deus coisas (1 Co 2.10). A luz da glória de
(Hb 9.14). Cristo, revelada na cruz, é uma luz que
2. 0 Espírito Santo quer, pelotudo manifesta (Ef 5.13). Quando esta
despertamento, mostrar aos homens luz ilum ina o painel da nossa consci­
a grande vitória de Jesus no Gólgo- ência, como aconteceu com o profeta
ta. 0 Espírito Santo quer ilum inar o Isaías (Is 6.5-7), sentimos 0 grande peso
entendim ento dos homens para esta dos nossos pecados, e, pelo Espírito
grande realidade: “Depois de serdes Santo, somos despertados e levados
iluminados suportastes grande combate ao arrependimento.
de aflições" (Hb 10.32).
a. 0 Esp írito REV ELA ( Ef 1.17),
ilum inando os olhos do nosso enten­ SÍNTESE DO TÓPICO II
dimento para que saibamos a grandeza
de seu poder sobre nós, que manifestou No NT Cristo tornou-se 0 centro do
nossa comunhão com Deus através
em Cristo ressuscitando-o dos mortos
de sua morte expiatória, trazendo
(Ef 1.19,20). 0 Espírito Santo revelou
redenção a todos os homens. Não
a Pedro que Jesus era o Cristo, o Filho
temos mais o altar como nosso ponto
do Deus vivo (Mt 16.16,17).
central de culto a Deus como no AT.
b. 0 Espírito ENSINA as profundi­
dades do vitup ério da cruz. Quando
Jesus, na estrada de Emaús, explicava
aos seus discípulos o que as Escritu­ SUBSÍDIO TEOLÓGICO
ras escreveram sobre a sua morte, os
corações deles ardiam (Lc 24.32,45). “Sob a lei mosaica a expiação pelo
c. 0 Espírito EXPLICA o verdadeiro pecado era conseguida através da morte
significado da morte de Jesus na cruz, de uma vítim a sacrificial. 0 derrama­
sobre o infinito alcance do brado: "Está mento de seu sangue era a evidência
consumado!" (Jo 19.30). Deus confir­ de sua morte. ‘Porque a vida da carne
mou esta palavra de seu Filho, fazendo está no sangue. Eu vo-lo tenho dado
rasgar o véu de alto a baixo (Mt 27.51), sobre o altar, para fazer expiação pela
mostrando à humanidade um novo e vossa alma, porquanto é o sangue que
vivo caminho, que havia sido possível fará expiação em virtude da vida [da
pelo véu, isto é, pela carne de Jesus vítim a]' (Lv 17.11). A expiação bíblica
(Hb 10.19,20). Por meio desta vitória tem uma forma clara, e esta reconci­
os principados e potestades satânicos liação específica é efetuada pela mor
foram despojados, e Jesu s triunfou te de Jesus Cristo em sua encarnação,
sobre eles na cruz (Cl 2.15). Por isto vida, morte, ressurreição e ascensão.
temos nEle a vitória (1 Co 15.57; 2 Co Portanto, esta expiação em particular
2.14; Rm 8.37). Pela fé em Jesus Cristo, deve ser entendida em termos de sua
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 21
base e realidade específicas, ao invés fazer o público rir, chorar, jubilar, pular,
de ser com preendida em term os do bater palmas, etc. Sabem até imitar o
conceito geral. batismo no Espírito Santo, “ensinando"
0 conceito bíblico. Tanto no AT como o povo a falar em línguas! São, porém,
no NT, a necessidade de reconciliação é experiências sem nenhum poder e sem
colocada pela decisão misericordiosa, a menor reverência.
sábia e onipotente de Deus, de satisfa­ Uma de nossas igrejas sentiu-se
zer sua santidade e sua justiça, além de obrigada a orientar os irmãos acerca
cumprir seu propósito a favor do homem de um m ovim ento que fa z de suas
pecador, culpado, alienado e impotente. 0 reuniões "Shows" com apresentações
homem, em seu pecado, está obviamente de can to res "e va n g é lico s". N esses
em uma condição inapropriada para a "Sho w s" dom inam ap lau so s, vaias,
comunhão com Deus, e um destino eterno gritos, assobios, bebidas alcoólicas,
junto dele. No entanto, o homem não é jovens dançando e se requebrando de
capaz de absolver a si mesmo da culpa, modo até mesmo sensual, enquanto os
nem de se libertar da transgressão. Os "hinos" estão sendo entoados. Cuidado!
sacrifícios do AT certamente não foram Este tipo de imitação pode fazer com
criados como um meio de autoexpiação que a glória de Deus se afaste.
humana. Eles apontavam para a expiação Todo movimento feito, sem que o
oferecida pelo Senhor Jesus Cristo. Para Espírito Santo esteja na direção, não
0 cumprimento do propósito divino no pode prosperar. É como uma tartaruga
homem, existe a necessidade de um deitada de costas; movimenta os pés,
sacrifício substitutivo como a base do mas fica no mesmo lugar.
perdão, da liberação e da restituição" Mantenhamos o Espírito Santo na
(Dicionário Bíblico W ycliffe. Rio de direção. Então verem os cum prir-se a
Janeiro: CPAD, 2006. p.749). Palavra que diz: "Vão indo de força em
força" (Sl 84.7). Glória a Jesus!
Ill - CUIDADO COM AS IMITAÇÕES
Alguns dizem que nem todos os
despertamentos de hoje têm as caracte­ SÍNTESE DO TÓPICO III
rísticas que são mencionadas nesta lição.
O estudo sistemático da Bíblia é
Concordamos plenamente. Já no tempo
necessário para identificar os movi­
dos apóstolos havia "movimentos" que
mentos que não tem as características
realmente tinham "alguma aparência
do verdadeiro despertamento espiritual.
de sabedoria, em devoção voluntária,
hum ildade e em disciplina do corpo,
mas não são de valor algum, senão para
a satisfação da carne" (Cl 2.23). SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Também em nossos dias apare­
cem "movimentos" que são imitações "0 arrependimento expressa uma
baratas do verdadeiro despertamento. grande transform ação no interior do
Muitos destes movimentos empregam homem, gerando nele remorso e tris­
técn icas avançadas de dom inações teza pelo mal que praticou, levando-o
p sico ló gicas. Estes "a v iva lista s" ou a pedir perdão a Deus e im plorando
"especialistas" sabem, com suas téc­ força para viver uma nova vida. Arre­
nicas, dom inar o auditório, e podem pendimento e conversão constituem
22 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
uma só experiência, porém exprimem dimento também resulta da pregação
dois lados dela (cf. At 3.19). da Palavra de Deus (Mt 12.41). Quando
[...] 0 Espírito Santo opera o ar­ Deus m anifesta-se aos homens, estes
rependimento, aplicando-o à obra de sentem-se humilhados, quebrantados e
Cristo na vida do homem, convencen­ prontos a se arrependerem (Jó 42.5,6)"
do-o do pecado, da justiça de Cristo e (BERGSTÉN, Eurico. Teologia Sistem áti­
do juízo vindouro (Jo 16.8,9). 0 arrepen­ ca. Rio de Jan eiro: CPAD, 2013, p.168).

PARA REFLETIR

A respeito de "0 Despertamento Renova o Altar",


responda:
• 0 que caracteriza o verdadeiro despertamento?
A necessidade dos homens se aproximarem mais de Deus.
• Como começam os despertamentos espirituais genuínos?
Começam com a restauração do altar.
• Em relação ao altar, o que representa Cristo hoje para nós?
Representa o ponto central de nossa comunhão com Deus.
• Oual a atuação do Espírito Santo na morte vicária de Cristo?
0 Espírito Santo ajudou o Senhor Jesus a superar todos os obstáculos para que
a sua obra vicária se completasse no Gólgota.
• Por que devemos tomar cuidado com os falsos despertamentos?
Porque comprometem o desenvolvim ento sadio da obra de Deus.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 23


Texto Áureo Verdade Prática

"Assim, edificamos 0 muro, e todo 0


muro se cerrou até sua metade; por- 5e confiarmos verdadeiramente em
que 0 coração do povo se inclinava a Deus, venceremos todas as resistências
trabalhar." do Maligno.
(Ne 4.6)

LEITURA DIARIA
Segunda ‫ ־‬Ne 4 .1 5 ‫־‬ Quinta ‫ ־‬Ne 4.14
A oração que vence a resistência A bravura que vence a resistência
Terça - Ne 4.6 S e n ta -N e 4 .1 5 1 8 ‫־‬
0 trabalho que vence a resistência A precaução que vence a resistência
Quarta ‫ ־‬Ne 4.9 Sábado - Ne 4.18,19
A vigilância que vence a resistência A união que vence a resistência

24 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Esdras 4.7,9,11‫ ־‬13, 15,16,21-24
7 - E, nos dias de Artaxerxes, escreveu aquela foi uma cidade rebelde e danosa
Bislão, Mitredate, Tabeel e os outros aos reis e províncias e que nela houve
da sua com panhia a Artaxerxes, rei rebelião em tempos antigos; pelo que
da Pérsia; e a carta estava escrita em fo i aquela cidade destruída.
caracteres aramaicos e na língua siríaca. 6 - Nós, pois, fazemos notório ao rei
9 ‫ ־‬Então, escreveu Reum, o chanceler, que, se aquela cidade se reedificar e
e Sinsai, 0 escrivão, e os outros da sua os seus muros se restaurarem, desta
companhia: dinaítas e afarsaquitas, maneira não terás porção algum a
tarpelitas, afarsitas, arquevitas, babi- desta banda do rio.
Ionios, susanquitas, deavitas, elamitas - Agora, pois, dai ordem para que
- Este, pois, é 0 teor da carta que ao rei aqueles homens parem, afim de que
Artaxerxes lhe mandaram: Teus servos, os não se edifique aquela cidade, até que
homens daquém do rio e em tal tempo. se dê uma ordem por mim.
2 - Saiba o rei que os judeus que su­ 2 2 - E guardai-vos de cometerdes erro
biram de ti vieram a nós a Jerusalém, nisso; por que cresceria o dano para
e edificam aquela rebelde e malvada prejuízo dos reis?
cidade, e vão restaurando os seus mu­ 3 ‫ ־‬Então, depois que a cópia da carta
ros, e reparando os seus fundamentos. do rei Artaxerxes se leu perante Reum, e
3 - Agora, saiba o rei que, se aquela Sinsai, 0 escrivão, e seus companheiros,
cidade se reedificar, e os muros se apressadamente foram eles a Jerusa­
restaurarem, eles não pagarão os di­ lém, aos judeus, e os impediram à força
reitos, os tributos e as rendas; e assim de braço e com violência.
se danificará a fazenda dos reis. 24 - Então, cessou a obra da Casa
5 - para que se busque no livro das de Deus, que estava em Jerusalém, e
crônicas de teus pais, e, então, acharás cessou até ao ano segundo do reinado
no livro das crônicas e saberás que de Dario, rei da Pérsia.

HINOS SUG ERIDO S: 107, 215, 375 da Harpa Cristã


OBJETIVO GERAL
Mostrar que a nossa confiança em Deus nos faz vencer as resistências do Maligno.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.
Mostrar como se deu o lançamento dos alicerces do Templo;
O
Saber que os samaritanos se opuseram à construção do Templo;
O
Explicar a falta de resistência dos judeus;
Φ
Discorrer a respeito da reação dos samaritanos quando os judeus
© cessaram a obra.
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 25
• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Prezado(a) professor(a), na Lição deste domingo estudaremos um momento
especial na vida do povo de Deus após o exílio, a reedificação do Templo, um
lugar de adoração e comunhão com o Todo-Poderoso. 0 altar, centro do culto
judaico, já tinha sido restaurado, havia sacrifício e expiação pelo pecado
sendo oferecidos ao Senhor. Como "reino sacerdotal e povo santo", o povo
devia oferecer sacrifícios a Deus. Porém, o Templo precisa ser restaurado e a
restauração deveria ser vista como uma prioridade para eles. Então, os que
haviam voltado do cativeiro lançaram os alicerces do Templo. "Todavia, 0 povo
da terra debilitava as mãos do povo de Judá e inquietava-os no edificar" (Ed
Λ.Λ). Zorobabel, juntamente com o povo, além de trabalhar arduamente na
construção, tiveram que enfrentar inimigos externos e internos. Homens que
se infiltraram no meio dos trabalhadores, cujo único objetivo era atrapalhar e
impedir a reconstrução. Porém, os judeus sobre a liderança de Zorobabel não
se deixaram intimidar pelos adversarios. Sempre que desejamos empreender
algo em fa vo r do povo de Deus, os adversários se levantam, mas quando
confiamos no Todo-Poderoso inteiramente, recebemos forças e coragem para
lutar. Talvez, você esteja enfrentando algumas lutas, porém não desanime.
Não olhe para os inimigos e não dê atenção as suas críticas, mas continue a
olhar firmemente para Jesus e seja um vencedor.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO do templo (Ed 3.8). Todos apresentavam
muita animação para o trabalho.
O altar havia sido restaurado, a
1 .0 lançamento dos alicerces foi
Festa dos Tabernáculos celebrada, e
celebrado com uma solenidade. "[...]
o holocausto contínuo estava sendo
Os sacerdotes, já paramentados
oferecido cada dia, conforme o PONTO e com trombetas, e os levitas,
rito (Ed 3.2-4). A vida esp iri­ CENTRAL
filhos de Asafe, com saltérios,
tual dos judeus que haviam Devemos manter para louvarem ao SENHOR,
retornado do cativeiro seguia a confiança em
o que estava prescrito na Lei conform e a in stitu ição de
Deus, apesar das
de Moisés. Somente espera­ circunstâncias. Davi, rei de Israel" (Ed 3.10).
vam o momento de iniciar a Todos os que assistiram
reedificação do Templo. o lançamento dos alicerces ex­
pressaram seus sentimentos com
I - OS ALICERCES DO TEMPLO SÃO tão grande júbilo, que as suas vozes
LANÇADOS se ouviam de mui longe (Ed 3.12,13).
Depois que os m ateriais para a 2. A reedificação do Templo. A
construção do Templo chegaram, se ­ reedificação do templo foi resultado
gundo a concessão feita pelo rei Ciro da do despertam ento que veio através
Pérsia, Zorobabel e os que haviam vol­ de Ciro, rei da Pérsia (Ed 1.1,2). Con­
tado do cativeiro lançaram os alicerces vém lem brar que o despertam ento
26 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
pentecostal, que chegou ao Brasil em para o prim eiro Templo (2 Cr 2.8,9).
1911, trouxe consigo uma verdadeira Parte do dinheiro necessário para isto
renovação da doutrina da Igreja de conseguiu-se graças á concessão que
Deus, que pode ser sim bolizada pelo lhes tinha feito Ciro, rei da Pérsia. De­
templo de Deus (1 Co 3.16). A Igreja de vido à santidade da tarefa, os levitas
Deus é um MISTÉRIO (Ef 5.32), que não foram designados para supervisionar
pode ser compreendido pelo homem os trabalhadores. Jesua, ou Josué, era o
natural (1 Co 2.14). sumo sacerdote (cf. 2.2; 3.2; Zc 3.1-10).
a. O Espírito Santo quer salientar Com a colocação das últimas pedras do
que JESUS em pessoa quer edificar a sua alicerce, realizo u -se uma elaborada
Igreja (Mt 16.18), e Ele o faz conforme cerimônia. Os sacerdotes e os levitas,
a Palavra de Deus. vestidos adequadamente, tocaram suas
b. O Espírito Santo quer gerar um trombetas e seus címbalos, e os corais
sentimento de reverência pela igreja entoaram em duas vozes o Salmo 136.
do Senhor, que é a morada de Deus (Ef E o povo ju b ilo u com grande jú b ilo ,
2.22). Veja também: Êxodo 3.5; Salmos louvando ao Senhor pelo que Ele tinha
89.7; Eclesiastes 5.1. ajudado a realizar" (Comentário Bíblico
c . O Espírito Santo quer adestrar Beacon. Vol. 2. Rio de Janeiro: CPAD,
a Igreja porque ela é o instrumento da 2014, p.493).
ação de Deus aqui na terra (Ef 3.10).
Deus tem um trabalho para cada servo
seu na grande obra de evangelização II - OS SAMARITANOS OPÕEM-SE À
do mundo (Mc 13.34). CONSTRUÇÃO DO TEMPLO
1. Entre os moradores da terra
estavam os sam aritanos. Q uando
Nabucodonosor levou o reino de Judá
SÍNTESE DO TÓPICO I cativo para Babilônia, os samararitanos
Os alicerces do Templo são erguidos passaram a morar na terra. Estes eram
e o povo celebra o lançamento com descendentes de uma mistura de gente
uma reunião solene. que o rei da A ssíria tinha deslocado
para as cidades da Samaria, depois de
ele ter levado as dez tribos do Reino do
Norte em cativeiro para a Assíria (2 Rs
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO 17.23). Eram pagãos que haviam sido
ensinados acerca do Deus de Israel.
"Não foi antes da prim avera, o Assim , os sam aritanos continuavam
segundo mês (abril/maio) do segundo servindo a seus deuses, mas também
ano da sua volta, que os judeus, sob o temiam o Senhor (2 Rs 17.23-33).
comando de Zorobabel, começaram a 2. Os samaritanos tentam frustrar
tarefa de reconstruir o Templo. Nesse a construção do Templo (Ed 4.4,5). A
ínterim, houve muita coisa a ser feita. maldade dos samaritanos levou-os a en­
Era n ece ssário contratar pedreiro s viar uma carta ao rei da Pérsia contendo
carpinteiros; as pedras deveriam ser acusações mentirosas contra os judeus
cortadas e a madeira obtida nas colinas (Ed 4.12,13). O rei que recebeu aquela
do Líbano. Esta era a mesma fonte da carta não conhecia bem o assunto, e
qual Salomão obteve a matéria-prima mandou parar a obra (Ed 4.21).
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 27
os judeus se voltaram para a construção
SÍNTESE DO TÓPICO II e a decoração de suas próprias casas"
Ossamaritanos, que estavam entre (Comentário Bíblico Beacon. Vol. 2. Rio
os moradores da terra, se opõem à de Janeiro: CPAD, 2014, p.494).
construção do Templo.
Ill - COMO SE EXPLICA A FALTA DE
RESISTÊN CIA DOS JU DEUS?
1. Os judeus deveríam ter ido ao rei
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO da Pérsia para assegurar a construção.
"Ao ouvir que Jerusalém era recons­ Uma ordem dada por uma autoridade
truída e o Templo restaurado, os sarna- superior não pode ser invalidada por
rítanos e outros povos das redondezas uma autoridade inferior. A ordem de
perturbaram -se. Eles temiam que, se construir o Templo tinha sido dada pelo
permitisse que os judeus se estabele­ Deus do céu, através do rei Ciro, a maior
cessem em Jerusalém, representariam autoridade da época, que assinara o
uma ameaça à sua segurança e ao seu decreto da construção do Templo.
poder. Traiço eiram en te, pediram a 2. Os judeus deveríam ter recor­
Zorobabel e Jesua que deixassem que rido a Deus. Toda história dos judeus é
eles ajudassem a reconstruir o Templo, rica de exemplos de como Deus ajudou
alegando que eles, como os judeus, seu povo em tempos difíceis. A própria
adoravam o Deus verdadeiro. Quando
vinda dos judeus para Jerusalém era
foram rejeitados, como naturalmente
uma clara demonstração de que Deus
devem ter suposto que seriam eles
estava neste negócio.
imediatamente começaram a atrapalhar
Vejamos alguns exemplos da histó­
os judeus de todas as formas possíveis.
ria dos judeus, quando foram ajudados
Alugaram contra eles conselheiros e
pelo Senhor:
aparentemente deram uma impressão
a. Nos dias do rei Ezequias, Judá foi
enganosa sobre os ju d e u s ao rei da
Pérsia. Em todo caso, os trabalhos de cercado pelo exército do rei da Assíria
construção foram interrompidos e não que ameaçava fazer com Judá o que já
foram reiniciados até quinze anos mais havia feito com 0 reino de Israel: levá-los
tarde, durante o reinado de Dario. em cativeiro. Nesta hora de perigo, 0 rei
Muitos estudiosos pensam que a Ezequias buscou o Senhor e foi ouvido,
interrupção dos trabalhos de reconstru­ pois um anjo feriu o arraial dos assírios,
ção do Templo é um simples exemplo destruindo cento e oitenta e cinco mil
de falta de fé por parte daqueles que soldados (2 Rs 19.30; 2 Cr 32.21-22).
estavam encarregados da obra. Eles b. Nos dias do rei Jeosafá, ameaça­
tiveram a autorização de Ciro, a auto­ dos pelos amonitas e pelos moabitas, os
ridade e a bênção de Deus no início do habitantes de Judá foram convocados
empreendimento. Eles, como Neemias, pelo rei para pedirem socorro ao Senhor.
deveríam ter continuado firm es no Ver o texto em 2 Crônicas 20.1-24. Deus
trabalho apesar da oposição, e Deus guerreou por eles, e sem terem que
certam ente teria tornado p ossível a lutar, os inimigos foram desbaratados.
conclusão do trabalho, conforme haviam Os muitos exem plos da ajuda de
planejado. Com base em Ageu 1.4, parece Deus no passado deveríam ter inspirado
que durante esse período de estagnação os líderes do povo à resistência a esta
28 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
maldade dos inim igos dos judeus. que Jesus batiza seus seguidores no
3 .0 motivo da falta de resistência
Espírito Santo" (Biblia de Estudo Pen­
dos judeus era de ordem espiritual: tecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p.717).
a. ZOROBABEL, o chefe político do
povo judeu, até então, tinha confiado IV - A REAÇÃO DOS SAM ARITANOS,
em sua própria força (Zc 4.6). Quando OUANDO OS JU D EU S CESSARAM A
as suas próprias forças se esgotaram, OBRA
não teve mais condições de resistir, 1. A tristeza dos judeus. O povo
sentindo-se inteiramente desarmado em geral tinha, desde o início da cons­
diante do inimigo. trução, acompanhado o trabalho com
b. JOSUÉ, o sumo sacerdote e líder simpatia. Os judeus trabalhavam com
religioso do povo, estava com suas ves­ muito entusiasmo e com muita união.
tes manchadas (Zc 3.3). Este fato tirou O povo tinha o uvido fala r de que o
dele toda a autoridade espiritual. Diante Deus do céu estava do lado dos judeus,
do problema causado pelos inimigos, ajudando-os. E agora? Onde estava
ele não tinha fé para buscar da ajuda seu Deus?
de Deus, do Todo-poderoso, uma vez 2. A alegria dos samaritanos. Os
que 0 mistério da fé é guardado em uma inim igos dos judeus regozijavam -se
pura consciência (1 Tm 3.9). grandem ente. Certam ente os conse­
lheiros foram parabenizados pela "sábia
e competente ação". Porém o gozo de
SÍNTESE DO TÓPICO III ímpios é de pouca duração!
Os judeus não resistiram à oposição a. O gozo dos filisteus, que haviam
dos inimigos e param a reconstrução prendido Sansão, terminou em tragédia
do Templo. (Jz 16.25-31).
b. A alegria dos sacerdotes, que
alugaram Judas para trair Jesus, foi de
curta duração. Com a ressurreição de
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO Jesus, seus problem as se agravaram
"Não por força, nem por violência, (Mt 28.11-15).
mas pelo meu Espírito"(Zc 4.6). 3. O desânimo dos judeus. Os ju ­
Em bora esta m ensagem tenha deus, que tinham voltado do cativeiro
sido entregue a Zorobabel, é aplicável para construir o Templo, sentiram -se
a todos os crentes (cf. 2 Tm 3.16). Nem hum ilhados e triste s. Mas, passado
o poderio militar, nem o político, nem algum tempo, acomodaram-se com a
as forças humanas poderão efetivar a situação e não lutaram pela continuação
obra de Deus. Só conseguiremos fazer da construção do Templo. Deixaram-se
a sua obra se formos capacitados pelo dominar pelo desânimo. O desânimo
Espírito Santo. Jesus iniciou o seu mi­ é uma das mais eficazes armas usadas
nistério no poder do Espírito (Lc 4.1,18). por Satanás, contra os crentes. Lutemos
E a igreja foi revestida pelo poder do contra o desânimo, em nome de Jesus!
Espírito Santo no dia de Pentecoste a. Alguns conformaram-se, pensan­
para cum prir a grande com issão (At do que talvez ainda não era a vontade
1.18). Somente se o Espírito governar e de Deus construir o Templo (Ag 1.2).
capacitar a nossa vida, é que poderemos b. Outros aproveitaram a in te r­
cumprir a vontade de Deus. É por isso rupção da obra para dedicar-se as suas
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 29
próprias casas (Ag 1.9). Outros chegaram residentes da cidade ou da província
a faltar com as suas obrigações e sp i­ de Samaria (2 Rs 17.29). Algumas desa­
rituais, deixando de contribuir para a venças entre os residentes da Palestina
casa de Deus (Ag 1.6). média e do sul eram evidentes no pe­
c. ríodo dos juizes, mas os sentim entos
Talvez alguns judeus sinceros
e stiv e sse m tris te s, e b u scassem a foram intensificados com a formação do
Deus em oração, pedindo solução para reino do norte de Israel sob Jeroboão I.
a dificuldade, de modo que o Templo De uma forma geral, os residentes
pudesse continuar a ser construído. de Israel e os cananeus praticavam uma
mistura racial, social e religiosa.
Os descendentes dessa população
SÍNTESE DO TÓPICO IV mista desejaram ajudar Zorobabel na
A oposição dos inim igos fe z com construção do Templo, afirmando que
que os judeus abandonassem a re­ adoravam ao mesmo Deus. Mas, quan­
construção do Templo. do tiveram seu pedido negado, eles se
opuseram a construção. Depois que Nee-
mias começou a reconstruir os muros de
Jerusalém, este servo do Senhor sofreu
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO forte oposição por Sambalate, Gesém
"Os samaritanos e Tobias. Sambalate era governador de
No período do Antigo Testamento, Samaria" (Dicionário Bíblico Wycliffe.
este era um termo que se referia aos 7.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p.1748).

PARA REFLETIR

A respeito de "A Construção do Templo


Enfrentou Oposição", responda:
• Como foi feito o lançamento dos alicerces do Templo?
Com solenidade.
• De que forma podemos considerar a reedificação do Templo?
Como um resultado do reavivamento que moveu o coração do rei Ciro.
• Que povo vizinho a Israel tentou frustrar a construção do Templo?
Os samaritanos.
• Por que os judeus deveriam procurar o rei da Pérsia?
Para assegurar a construção do Templo.
• Por que os judeus deveriam ter recorrido a Deus?
Porque Deus era quem os estava dirigindo naquele negócio.

30 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


Tento Áureo Verdade Prática
"Ao vigésimo quarto dia do mês
nono, no segundo ano de Dario, veio
a palavra do SENHOR pelo minis­
tério do profeta Ageu, dizendo: [...] Sob 0 poder de Deus, a Igreja torna­
Ponde, pois, eu vos rogo, [...] desde -se imbatível no cumprimento das
0 dia em que se fundou 0 templo tarefas que Cristo lhe entregou.
do SENHOR, ponde 0 vosso coração
nestas coisas."
(Ag 2.10,18).

LEITURA DIÁRIA
Segunda ‫ ־‬Ed 5.1,2 Ouinta ‫ ־‬Ed 6.14
0 poder da palavra profética 0 poder de Deus traz prosperidade
Terça ‫ ־‬Ed 5.5 Sexta ‫ ־‬Ag 2.4
0 poder de Deus sobre os anciões 0 poder de Deus sobre o ministério
Quarta ‫ ־‬Ed 5 .1 3 1 7 ‫־‬ Sábado - Ag 2 .7 9 ‫־‬
0 poder de Deus sobre o rei Dario 0 poder de Deus sobre os recursos

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 31


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Esdras 5.1,2; Ageu 1.1 ,12; Zacarias 4.6-10
E sd ras 5 Deus, o tinha enviado; e temeu o povo
- E Ageu, profeta, e Zacarias, filho de diante do SENHOR.
Ido, profeta, profetizaram aos judeus Z a c a r ia s 4
que estavam em Judá e em Jerusalém; 6 - E respondeu e me falou, dizendo:
em nome do Deus de Israel lhes pro­ Esta é a palavra do SENHOR a Zoroba-
fetizaram. bel, dizendo: Não por força, nem por
2 -Então, se levantaram Zorobabel, filho violência, mas pelo meu Espírito, diz
de Sealtiel, e Jesua, filho de Jozadaque, o SENHOR dos Exércitos.
e começaram a edificar a Casa de Deus, 7 Ouem és tu, ó monte grande? Diante
que está em Jerusalém; e com eles os de Zorobabel, serás uma campina;
profetas de Deus, que os ajudavam. porque ele trará a primeira pedra com
Ageu 1 aclamações: Graça, graça a ela.
‫ ־‬No ano segundo do rei Dario, no 8 -E a palavra do SENHOR veio de novo
sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a mim, dizendo:
a palavra do SENHOR, pelo ministério 9 ‫ ־‬As mãos de Zorobabel têm fundado
do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de esta casa, também as suas mãos a aca­
Sealtiel, príncipe de Judá, e a Josué, filho barão, para que saibais que o SENHOR
de Jozadaque, o sumo sacerdote, dizendo: dos Exércitos me enviou a vós.
I 2 ‫ ־‬Então, ouviu Zorobabel, filho de 10 ‫ ־‬Porque quem despreza 0 dia das coisas
Sealtiel, e Josué, filho de Jozadaque, pequenas? Pois esse se alegrará, vendo o
sumo sacerdote, e todo 0 resto do povo a prumo na mão de Zorobabel‫ ׳‬são os sete
voz do SENHOR, seu Deus, e as palavras olhos do SENHOR, que discorrem por toda
do profeta Ageu, como o SENHOR, seu a terra.que discorrem por toda a terra.

HINOS SUGERIDO S: 77, 434, 44 0 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Compreender como se deu a reconstrução do Templo sobre a liderança de
Zorobabel.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

O tivar
Mostrar como Deus levantou os profetas Ageu e Zacarias para incen­
o povo a reconstruir o Templo;

O Saber que o ministério profético é uma prova da manifestação de Deus;


Φ Explicar o ministério profético a luz da Bíblia.

32 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro- 2020


• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Prezado(a) professor(a), na lição anterior (lição 4) vimos que o povo de Deus
havia dado início à obra de reconstrução do Templo. Eles fizeram um culto
de adoração ao Senhor quando as últimas pedras do alicerce foram fincadas.
Mas, logo os samaritanos e outros povos da redondeza se levantaram para
impedi-los de reconstruírem o Templo e estabelecerem Jerusalém. Eles se
sentiram ameaçados, por isso armaram traiçoeiramente emboscadas contra
o povo de Deus, atrapalhando assim a obra. Segundo o Comentário Bíblico
Beacon eles "alugaram conselheiros e aparentemente deram uma impressão
enganosa sobre os judeus ao rei da Pérsia."
Parecia que o Templo jam ais iria ser reconstruído novamente. 0 povo
estava sem fé, sem coragem e sem esperança. Ficava evidente que somente
Deus poderia ajudá-los. Então, o Senhor usou os profetas Ageu e Zacarias
para incentivar e exortar o seu povo a concluírem a sua Casa e depois de uns
18 anos, aproximadamente, a reconstrução do Templo foi concluída.

COMENTARIO
INTRODUÇÃO m o dificar a situação im posta pelos
Nesta lição, estudarem os como in im igo s, d eu -lh e uma m aravilhosa
Deus, depois de a construção do Templo mensagem de encorajamento. A men­
ter ficado parada por 15 anos, enviou sagem de Deus veio sob a forma de
socorro através do m inistério de dois uma visão que Zacarias havia recebido.
profetas, Ageu e Zacarias. Deus lhe m ostrara um ca stiça l com
sete lâmpadas, símbolo da obra de
I - DEUS SUSCITA OS
PONTO Deus. 0 óleo que as lâmpadas
PROFETAS AGEU E CENTRAL
ZACARIAS. precisavam tinha que flu ir
Os profetas que através de canos ligados a
1. Deus levantou dois
Deus levanta são
um vaso de azeite que ficava
profetas. Primeiro veio Ageu necessários para
a sua obra. acima. 0 vaso de azeite, por
(Ag 1.1), e depois levantou-se
sua vez, estava em contato
Zacarias (Zc 4.1,6). Não vieram
atendendo convite de líderes com duas oliveiras (Zc A.1 4 , 13‫) ־‬.
de Jerusalém , mas o Deus dos céus E o recado de Deus para Zo-
os enviou. Chegaram de surpresa em robabel foi: "Não por força, e nem por
Jerusalém, e ali entraram em contato violência, mas pelo meu Espírito, diz
com os dois líderes, e também com o o Senhor dos Exércitos" (Zc 4.6). As
povo judeu (Ed 5.1). Vejamos: dificuldades, que pareciam "m ontes
a. grandes"
ZO RO BABEL, o líder político , diante de Zorobabel, seriam
recebeu uma mensagem pessoal. Deus, como uma campina, uma planície (Zc
conhecedor da insuficiência espiritual 4.7). Deus ainda garantiu a Zorobabel
de Zorobabel, e sabendo que este não que as mãos dele acabariam a constru­
tinha mais nenhum vigor para tentar ção do templo (Zc 4.9).
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor BB
b. JOSUÉ, o sumo sacerdote e líder que agora reinava sobre todo o Império
esp iritu al do povo, recebeu também Persa (Ed 5.5). O rei Dario mandou que
uma mensagem pessoal. Observamos, os seus escrivães verificassem o referido
na lição passada, que ele estava com édito de Ciro e se ele havia dado ordem
vestidos sujos. A mensagem de Deus para a construção da Casa do Senhor
para ele foi de perdão e de restauração. em Jerusalém. Feita a verificação nos
Deus lhe disse que havia feito passar registos dos éditos dos reis da Pérsia,
dele toda a sua iniquidade, e que havia foi encontrada a ordem dada por Ciro,
ordenado que fosse vestido de vestes e, assim, o rei Dario confirmou a per­
novas (Zc 3.4), e que se pusesse sobre missão para a reconstrução do templo.
a sua cabeça uma mitra limpa (Zc 3.4,5). 3. O impulso espiritual dado pe­
c. O POVO recebeu também uma los profetas continuou dominando
mensagem de Deus. O profeta Ageu os construtores até à conclusão da
m ostrou ao povo que os p re ju ízo s construção. Os profetas Ageu e Zacarias
m ateriais, que haviam sofrido, eram continuavam dando a sua cooperação.
consequência da om issão frente ao "Prosperando pela profecia do profe­
dever que tinham com a Casa do Senhor ta Ageu e de Zacarias, filho de Ido; e
( Ag 1.6,9). Ageu falou-lhes do prejuízoedificaram a casa e a aperfeiçoaram
que sofre o homem que busca somente conforme 0 mandado do Deus de Israel,
a sua prosperidade material, e deixa a e conform e o mandado de Ciro, e de
casa de Deus deserta (Ag 1.4). O profetaDario, e de Artaxerxes, rei da Pérsia"
deu ao povo uma ordem estimulante: (Ed 6.14).
"S u b i o monte, e traze i m adeira, e "E acabou-se esta casa" (Ed 6.15).
edificai a casa; e dela me agradarei, e Que grande bênção! O despertamento
eu serei glorificado" (Ag 1.8). dado por Deus ao rei Ciro propagou-se
2. e agora, com a ajuda dos profetas, foi
O resultado da mensagem dos
profetas. O poder de Deus se m ani­ renovado e levado a resultado glorioso.
festou através da m ensagem destes Toda honra e glória sejam somente ao
homens de Deus. Assim, os dois líderes Senhor!
criaram coragem; e o povo, também, foi
renovado pelo impacto da mensagem.
Então Zorobabel ordenou que todos SÍNTESE DO TÓPICO I
imediatamente voltassem à construção, Os profetas Ageu e Zacarias são
"e começaram a e d ificar a casa" (Ed levantados pelo Senhor para incen­
5.2). Os profetas de Deus ficaram com tivar e exortar o povo a retornar a
eles, ajudando os líderes do povo na reconstrução do Templo.
direção do trabalho.
Quando os inimigos vieram a eles
perguntando quem havia dado ordem
para edificar a casa, responderam que
SUBSÍDIO BÍBUCO-TEOLÓGICO
a ordem havia sido dada pelo próprio "O reinicio e conclusão da constru­
rei Ciro. Os olhos do Senhor estavam ção do Templo só foi possível graças
sobre 0 seu povo e sobre a reconstrução aos m in istério s p ro fético s de Ageu
do Templo, e os inimigos não puderam e Zacarias. Suas profecias incluíram :
im p ed ir a obra até que fo sse dado (1) Ordens diretas de Deus (Ag 1.8);
conhecim ento dos fatos ao rei Dario, (2) A d ve rtê n cia s e rep reensão (Ag
34 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro- 2020
1.9-11); (3) Exortação (Ag 2.4); e (4) e passaram a ser a própria preparação
Alento mediante a promessa de bênçãos divina para o ministério (1 Co 12.4-6).
futuras. A Palavra de Deus através de Os apóstolos eram revestidos desses
Jerem ias pusera em marcha 0 in ício dons, meio d ivin o para a conversão
da reconstrução do templo; da mesma de m uitas alm as. O apóstolo Paulo,
foram , agora, a P alavra do Sen ho r enriquecido por Deus com muitos dons,
através de Ageu e Zacarias impulsionava escreveu para o evangelista Timóteo,
a conclusão da obra (Ed 6.14)" (Bíblia representante da segunda geração,
de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: uma m ensagem de exortação: "Não
CPAD, p.716)". desprezes o dom que há em ti" (1 Tm
4.14). Pouco antes de ser martirizado,
II - 0 MINISTÉRIO PROFÉTICO, UMA Paulo voltou a e screver a Tim óteo:
PROVA DA MANIFESTAÇÃO DE DEUS "Despertes o dom de Deus, que existe
Uma inesperada operação sobre­ em ti [ . . . ] 2 ) ‫ ״‬Tm 1.6).
natural, por parte de Deus, solucionou Paulo recomenda: "Procurai com
o grave problema da reconstrução do zelo os melhores dons" (1 Co 12.31) e
templo. "Procurai com zelo os dons espirituais,
1. Manifestações sobrenaturais mas principalm ente o de profetizar"
no Antigo Testam ento. Há m uitos (1 Co 14.1).
exemplos no Antigo Testamento. Vamos
mencionar apenas dois:
a. MOISÉS, 0 grande líder que Deus SÍNTESE DO TÓPICO II
levantou para lib e rta r seu povo da
escravidão do Egito, recebeu de Deus 0 ministério profético é uma prova
um preparo sobrenatural, o que lhe deu da manifestação de Deus.
muita autoridade espiritual. Com a sua
vara fazia grandes maravilhas (Êx 4.17).
b. ELIAS, o profeta de Deus, foi
revestido de autoridade sobrenatural,
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO
para ajudar Israel, que havia sido levado "Profecia
à idolatria pelas suas lideranças polí­ No Antigo Testamento, um oráculo
ticas, em particular pelo ímpio Acabe, profético ou mensagem a ser transm i­
rei de Israel nos dias de Elias. Pôde, tida ao povo era entendida como um
assim, realizar grandes m ilagres: fez 'peso' (em hebraico massa) sobre a
com que não chovesse sobre a terra alma do profeta até que ele pudesse
por três anos e meio, além de outros. pronunciá-lo (Pv 30.1 e 31.1, cf. Is 13.1;
0 ponto alto de seu m inistério foi o Hc 1.1: Zc 9.1). Também foi usada a
confronto com os profetas de Baal no palavra n'bu'a, relacionada com nabi,
monte Carmelo. Nesta ocasião, a ma­ 'profeta2) ‫ ׳‬Cr 9.29; 15.8; Ed 6.14; Ne
nifestação sobrenatural do poder de 6.7). 0 termo no Novo Testamento é a
Deus fez o povo clamar: "Só o Senhor palavra grega propheteia, que pode
é Deus!" (1 Rs 18.39). se referir-se a um atividade profética
2. Manifestações sobrenaturais no ou a 'profetizar' (Ap 11.6), ao dom de
Novo Testamento. Quando 0 Espírito foi profecia ou a profetizar (Rm 12.6; 1 Co
derramado em sua plenitude, os dons 12.10), e a declarações proféticas (Mt
espirituais começaram a entrar em ação, 13.14; 1 Ts 5.20).
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 35
Os profetas foram os primeiros de 2. O profeta na dispensação do
todos os prenunciadores e porta-voz de Novo Testamento. Entre os dons espi­
Deus. Moisés, 0 maior de todos os profe­ rituais está o dom de profetizar (1 Co
tas deveria receber a palavra diretamente 12.10) . Estaria entre as consequências
de Deus e transm iti-la a Arão, que era do derramamento do Espirito Santo que
seu porta-voz. Como Moisés deveria ser aconteceria nos últimos dias (At 2.17).
o 'deus' do Faraó, o ministério de Arão Ter algu ém o dom de p ro fe cia
demonstra perfeitamente o ministério não s ig n if ic a que se ja p ro fe ta . 0
do porta-voz. Todos aqueles que agem na term o profeta d esigna quem tem o
função de proclamar a Palavra de Deus m inistério de profeta. Este m inistério
são seus porta-vozes. É nesse sentido de profeta é um ministério da Palavra,
que 0 crente no Novo Testamento pode para 0 qual 0 ministro recebeu de Deus
profetizar, quando está diretam ente uma preparação e sp ecial do Espírito
habilitado pelo Espírito Santo" (Dicio­ profético. Lemos em Atos 21.8,9 que
nário Bíblico W ycliffe. 7.ed. Rio de Filipe tinha quatro filh a s que profe­
Janeiro: CPAD, 2010, p.1599). tizavam , e que depois de alguns dias
veio à sua casa UM PROFETA, Ágabo (At
Ill - O MINISTÉRIO DE PROFETA À 21.10) . Existe, porém, uma diferença
LUZ DA BÍBLIA importante entre o m inistério de pro­
O feta no Antigo e no Novo Testamento.
profeta exerce a função ministe­
rial, determinada por Deus. "Ninguém No A ntigo os profetas eram co n su l­
toma para si esta honra, senão o que é tados pelo povo, e transm itiam -lhe a
chamado por Deus" (Hb 5.4). resposta de Deus. Mas a Bíblia diz: "A
1. O profeta na dispensação Lei do e os Profetas duraram até João, e
Antigo Testamento. 0 profeta, além de desde então é anunciado o Reino de
transmitir a mensagem de Deus para o Deus" (Lc 16.16). No Pacto, na Nova
povo, era consultado pelo povo acerca Aliança, tem os Je su s como o ÚNICO
de assuntos espirituais e até mesmo M EDIADOR (1 Tm 2.5). É im portante
acerca de assuntos materiais. Exemplos: notar que no Novo Testam ento não
a. Em E ze q u ie l 20.2, os anciãos há um ú n ic o e x e m p lo de a lg u é m
vieram a Ezequiel para que este con­ co n su lta n d o um p ro fe ta. No Novo
sultasse o Senhor por eles; Deus, por Pacto todos temos acesso a Deus por
meio de Ezequiel, lhes respondeu que Jesus Cristo (Ef 2.18). Jesus é 0 único
por causa das suas abom inações eles m ediador (1 Tm 2.5). É, portanto, um
não receberíam respostas. erro doutrinário quando alguém , que
b. Em 1 Samuel 9.6,7, o profeta Sa- p ossu i o dom de p ro fe cia , procura
muelfoi consultado acerca das jumentas usá-lo para responder a consultas de
do pai de Saul que se haviam perdido. qualquer natureza, como casamento,
c. Em 1 Reis 14.2,3 está registrada viagens, compra de im óveis, etc. Fica
uma consulta sobre um doente, se ele neste caso faland o sozinho, porque
levantaria ou não, e 0 profeta respondeu Deus diz: "NÃO MANDEI OS PROFETAS;
da parte de Deus (1 Rs 14.4-7). TO D AVIA, ELES FORAM CORRENDO,
d. Moisés transmitia aos anciões o NÃO LH ES FALEI A ELES; TO D AVIA,
que Deus lhe falava (Êx 19.7,8). ELES PRO FETIZARAM ‫(״‬Jr 23.21).
Vemos que no Antigo Testamento É fu n d am en tal que os o breiros
o profeta era uma espécie de mediador ensinem à igreja acerca do uso correto
entre Deus e o povo. dos dons, inclusive o de profecia.
36 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setem bro- 2020
2. Linguagem figurada. Como regra
SÍNTESE DO TÓPICO III geral, as profecias do Antigo Testamento
Os profetas exercem uma função são claras e diretas, embora algumas certa­
ministerial determinada pelo Todo­ mente sejam propositadamente figuradas.
-Poderoso.. As principais. As principais razões seriam:
(a) Para transmitir de modo mais efetivo
e expressivo algum fato ou verdade (cf.
Is 66.12,13; Am 9.13), e (b) para revelar o
conhecimento de eventos futuros, de tal
SUBSIDIO BÍBUCO-TEOLÓGICO forma que não pudesse ser imaginado
"1. Proclamação direta. O profe­ pelo descrente, por um lado, e, por outro,
ta proclamava, em linguagem direta e para que só pudesse ser entendido pelo
simples, a mensagem que Deus lhe havia crente depois de um estudo cuidadoso.
dado. Ela era comunicada ,boca a boca', Deus não lança pérolas aos porcos.
como no caso de Moisés, ou através de Entretanto, geralmente as figuras de
uma visão ou sonho. Mas a mensagem retóricas são prontamente entendidas
sempre lhe era concedida através de quando examinadas sob o contexto da
uma inspiração divina direta, para que os cultura do Antigo Testamento" (Dicionário
profetas continuassem a escrever ,Assim Bíblico Wycliffe. 7.ed. Rio de Janeiro:
diz o Senhor'. CPAD, 2010, pp.1600-01).

PARA REFLETIR

A respeito de "Zorobabel Recomeça a Construção


do Templo", responda:
• Por quanto tempo esteve paralisada a construção do Templo?
Ouinze anos.
• Que profetas o Senhor levantou para animar os judeus na recons­
trução do Templo?
Ageu e Zacarias.
• Como atuava o profeta do Antigo Testamento?
No Antigo Testamento, o profeta além de transm itir a mensagem de Deus
para o povo, era consultado pelo povo acerca de assuntos espirituais e até
mesmo acerca de assuntos materiais.
• Como atuava o profeta do Novo Testamento?
Exercia o ministério da Palavra, para o qual o ministro recebeu de Deus uma
preparação especial do Espírito profético.
• Por que, hoje, não necessitamos mais consultar os profetas?
Porque possuímos a Palavra de Deus, que é a nossa única regra de fé e conduta.

2020 ‫ ־‬Julho/Agosto/Setem bro Lições Bíblicas /Professor 37


Texto Áureo Verdade Prática

"Nunca mais se ouvirá de violência


na tua terra, de desolação ou destrui­
ção, nos teus termos; mas aos teus Somente despertados, podemos ven­
muros chamarás salvação, e às tuas cer qualquer obstáculo para realizar­
portas, louvor." mos a obra de Deus.
(Is 60.18)

LEITURA DIÁRIA
Segunda - 1 Rs 6.1-38 Ouinta - At 16.25,31
Salomão, desperto, constrói o Templo Um despertamento à meia-noite
Terça ‫ ־‬Gn 1 4 .1 8 2 0 ‫־‬ S e n ta -A t 1 3 .1 1 4 ‫־‬
Abraão, desperto, entregou o dízimo Um despertamento missionário
Q u arta-Jo 4 .1 4 2 ‫־‬ Sábado-M t 25.6
0 despertamento dos samaritanos 0 despertamento final

38 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


LEITURA BIBLICA EM CLASSE

Neemias 1.12.1-9 ;4‫־‬


N e e m ia s 3 rosto, estando a cidade, o lugar dos
- As palavras de Neemias, filho de sepulcros de meus pais, assolada, e
Hacalias. E sucedeu no mês de quisleu, tendo sido consumidas as suas portas
no ano vigésimo, estando eu em Susã, afogo?
a fortaleza, - E o rei me disse: Que me pedes
2 - que veio Hanani, um de meus agora? Então, orei ao Deus dos céus
irmãos, ele e alguns de Judá; e pergun­ 5 ‫ ־‬E disse ao rei: Se é do agrado do
tei-lhes pelos judeus que escaparam rei, e se o teu servo é aceito em tua
e que restaram do cativeiro e acerca presença, peço-te que me envies a
de Jerusalém.
Judá, à cidade dos sepulcros de meus
3 - E disseram-me: Os restantes, que pais, para que eu a edifique.
não foram levados para o cativeiro, lá
6 ‫ ־‬Então, o rei me disse, estando a
na província estão em grande miséria
e desprezo, e o muro de Jerusalém, rainha assentada junto a ele: Ouanto
fendido, e as suas portas, queimadas durará a tua viagem, e quando vol­
afogo. tarás? E aprouve ao rei enviar-me,
apontando-lhe eu um certo tempo.
4 - E sucedeu que, ouvindo eu essas
palavras, assentei-me, e chorei, e 7 ‫ ־‬Disse mais ao rei: Se ao rei pare­
lamentei por alguns dias; e estive ce bem, deem-se-me cartas para os
jejuando e orando perante o Deus governadores dalém do rio, para que
dos céus. me deem passagem até que chegue
N e e m ia s 2 a Judá;
‫ ־‬Sucedeu, pois, no mês de nisã, - como também uma carta para
no ano vigésimo do rei Artaxerxes, Asafe, guarda do jardim do rei, para
que estava posto vinho diante dele, que me dê madeira para cobrir as
e eu tomei o vinho e o dei ao rei; portas do paço da casa, e para 0 muro
porém nunca, antes, estivera triste da cidade, e para a casa em que eu
diante dele. houver de entrar. E o rei mas deu,
2 - E 0 rei me disse: Por que está triste segundo a boa mão de Deus sobre
o teu rosto, pois não estás doente? mim.Deus sobre mim.
Não é isso senão tristeza de coração. 9 ‫ ־‬Então vim aos governadores dalém
Então, temi muito em grande maneira do rio, e dei-lhes as cartas do rei. E o
3 - e disse ao rei: Viva o rei para sem­ rei tinha enviado comigo chefes do
pre! Como não estaria triste o meu exército e cavaleiros.

HINOS SUGERIDOS: 77, 434, 44 0 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Mostrar que foi Deus quem despertou em Neemias o desejo de restaurar os
muros de Jerusalém.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 39


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.
^ Mostrar como Deus respondeu às orações de Neemias;
O Saber como foi a ida e a chegada de Neemias a Jerusalém;
Φ Explicar como Neemias iniciou a reconstrução dos muros;
© Compreender que o levantamento dos muros provocou grande oposição;
O Apontar como foi a inauguração solene dos muros;
© Conscientizar a respeito dos ensinos que a construção dos muros traz.

• INTERAGINDO COM O PROFESSOR


Prezodo(a) professo(a), nesta lição estudaremos a respeito da reconstrução
dos muros de Jerusalém. Veremos que Neemias foi escolhido pelo Senhor como
líder para esta grandiosa obra.
Neemias era um homem íntegro que dependía inteiramente de Deus e da sua
Palavra. Além de trabalhar arduamente na construção dos muros e portas, ele
teve que enfrentar inimigos externos e internos. Homens que se infiltraram no
meio dos trabalhadores, cujo único objetivo era atrapalhar e impedir a reforma da
cidade. Porém, Neemias não se deixou intimidar pelos adversários. Aprendemos
com o exemplo de vida deste servo de Deus que todas as vezes que desejamos
empreender algo em favor do povo de Deus, os adversários se levantam, mas
quando confiamos no Todo-Poderoso inteiramente, recebemosforças e coragem
para lutar. Deus colocou em suas mãos urna importante obra: ensinar sua Palavra.
Então, não desista diante dos desafios, dos inimigos e das dificuldades.

COMENTARIO
INTRODUÇÃO Neemias acerca da situação reinante em
Jerusalém. Esta pessoa foi Hanani, irmão
Nesta lição estudaremos como os
muros de Jerusalém foram levantados, de Neemias (Ne 1.2). Hanani contou
e como Deus levantou o homem certo como os judeus, que haviam retorna­
para executar esta obra. A obra era de do a Judá após o cativeiro, estavam
Deus, o qual, como dono da obra, pro­ em grande miséria. Muros fendidos, e
videnciou tudo que era necessário para portas queimadas a fogo, eram símbolo
a sua realização, desde a autorização de miséria e de desprezo, e faziam dos
do rei para o envio de Neemias, até os moradores da cidade vítim as fáceis de
recursos para custear a construção. assaltantes (Ne 1.3).
2. Neemias, angustiado, jejua e
I ‫ ־‬DEUS RESPONDE ÀS ORAÇÕES DE ora. Deus despertou em Neemias uma
NEEMIAS profunda angústia pela situação de seu
1. Deus envia emissário a Neemias. povo, que morava em Judá. Neemias
Deus enviou emissário para informar começou a jejuar e a orar. A oração inicial
40 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
de Neemias está registrada em Neemias síveis. Ele costuma moldar as pessoas
1.5-11. Iniciou seu período de oração com características de personalidade,
no mês de quisleu (dezembro), e Deus, experiências e treinamento de modo
que ouve as orações, fez a resposta a prepará-las para o seu ministério, e
chegar no mês de nisã (março) (Ne 2.1). essas pessoas não costumam sequer
3. Deus responde às orações de ter ideia do que Deus tem reservado
Neemias. Como resposta às orações para elas. Deus preparou e posicionou
de Neemias, Deus despertou o rei para Neemias para realizar uma dessas ta­
assumir a responsabilidade do empre­ refas ,im possíveis' da Bíblia. Neemias
endimento. Neemias era copeiro do rei. era um homem comum em uma posição
Certo dia ele apresentou-se diante do especial. Ele estava seguro na condi­
rei com semblante triste. Interrogado ção de bem -sucedido copeiro do rei
acerca do motivo de sua tristeza, Ne- Artaxerxes, da Pérsia. Neemias possuía
emias relatou a situação da cidade de pouco poder, mas grande influência.
Jerusalém e de seu povo que ali vivia Setenta anos antes, Zo ro b a b e l
(Ne 2.2-3). Por inspiração de Deus, o rei havia p lan ejado a reconstrução do
perguntou a Neemias: ‫״‬Que me pedes Tem plo de Deus. Treze anos haviam
agora?" (Ne 2.A). Neemias orou ao Deus se passado desde o retorno de Esdras
do céu para que pudesse responder ao a Jerusalém, que havia ajudado o povo
rei dentro da direção de Deus. Em um em suas necessidades espirituais. Agora
momento, Neemias teve sua chamada Neemias era necessário.
para ir a Jerusalém confirmada, e res­ Do início ao fim Neemias orou pe­
pondeu ao rei: "Peço-te que me envies dindo a ajuda de Deus. Ele nunca hesitou
a Judá, à cidade dos sepulcros de meus em pedir que Deus se lembrasse dele,
pais, para que eu a edifique" (Ne 2.5). encerrando sua autobiografia com as
4. Deus despertou o rei a atender seguintes palavras: ,Lembra-te de mim,
0 pedido de Neemias. Neemias recebeu Deus meu, para o bem'. Durante a ,im-
carta do rei dirigida aos governadores possível' tarefa, Neemias demonstrou
da região e ainda uma carta com ordem uma capacidade de liderança incomum.
para que 0 necessário para a construção Os muros ao redor de Jerusalém foram
fosse dado a Neemias. Tudo segundo reco n stru íd o s em tem po recorde, a
a boa mão de Deus sobre Neemias (Ne despeito da resistência e da oposição
2.8). Deus é verdadeiramente o Deus dos inim igos. Até mesmo os inim igos
daquilo que é im possível aos homens. de Israel admitiram, de má vontade e
com temor, que Deus estava com esses
construtores. Não apenas isto, mas Deus
SÍNTESE DO TÓPICO I trabalhou através de Neem ias para
realizar um despertamento espiritual
Temos um Deus que ouve e respon­
entre o povo judeu.
de às nossas orações.
Talvez você não tenha as h abili­
dades específicas de Neemias ou até
mesmo pense que está em uma posição
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO onde nada pode fazer para Deus; mas
"Deus trabalha por intermédio de existem duas formas através das quais
seu povo para realizar até mesmo tare­ você pode ser útil ao Senhor. Primeiro,
fas consideradas humanamente impos- seja uma pessoa que fala com Deus.
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 41
Permita que Ele entre em sua vida e planos que Deus lhe co n fiara. Sem
co m partilh e-a com Ele — suas pre­ dúvida, ele estava esperando em Deus,
ocupações, seus sentim entos e seus ao invés de precipitar-se, confiando na
sonhos. Segundo, seja uma pessoa que sua própria capacidade. Passou, então
anda com Deus. Coloque em prática a fazer uma inspeção cautelosa e cui­
aquilo que você aprende nas Escrituras dadosa nos danos causados nos muros
Sagradas. Deus pode ter uma missão pelos samaritanos e, por certo, calcular
,im possível' para realizar através de as despesas. É muito importante obser­
sua vida" (Bíblia de Estudo Aplicação var que, em vez de criticar os judeus
Pessoal. 1 . ed. Rio de Janeiro: CPAD, pelos seus problemas e tristezas, ele
1995, p.670). queria ver esses problemas como eles
viam. Daí, ele nada fala, enquanto não
II - NEEMIAS CHEGA A JERUSALÉM compreendesse a situação segundo a
(Ne 2 .7 1 1 ‫) ־‬. sua perspectiva, sentindo o que eles
1. Neemias faz levantamento da sentiam" (Bíblia de Estudo Pentecostal.
real situação dos muros. Saiu à noite 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p.731).
na companhia de poucos homens, sem
dizer a ninguém qual era seu objetivo Ill-NEEM IAS INICIA O
em Jerusalém (Ne 2 .1 2 1 6 ‫)־‬. LEVANTAMENTO DOS MUROS
2. Neemias declara sua intenção de 1.0 plano de Neemias. Ver capítulo
reedificar os muros. Tendo-se inteirado 3. Neemias dividiu a tarefa de construção
da verdadeira situação dos muros de em partes, tendo cada parte uma porta.
Jerusalém, Neemias convocou os judeus, Simultaneamente, lado a lado, haveria
os nobres, os magistrados e todos os que pessoas encarregadas de levantar 0 muro
faziam a obra, a juntos reedificarem os ao longo de toda a sua extensão, muitas
muros, para que não mais estivessem em delas edificando 0 pedaço do muro que
opróbrio, declarando-lhes como a mão ficava em frente à sua própria casa. Havia
de Deus lhe fora favorável, como tam­ também grupos encarregados de levar
bém as palavras do rei. Então disseram entulho, trazer material, etc. O coração
todos: "Levantemo-nos, e edifiquemos. do povo se inclinou a trabalhar (Ne 4.6).
E esforçaram as suas mãos para o bem" E logo já era possível notar que os muros
(Ne 2.17-18). cresciam e as roturas começavam a ser
tapadas (Ne 4.7).
2. A tática de Neemias. A tática
SÍNTESE DO TÓPICO II de Neem ias de engajar todos os ju ­
Com a bênção de Deus e a permissão deus na obra de edificação do muro é
do rei, Neemias chegou até a cidade de um exem plo muito im portante a ser
Jerusalém. seguido pelas igrejas em seu trabalho
de evangelização. Neemias tinha um
plano que aproveitava todos os que
quisessem trabalhar, d esign an d o a
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO cada um a sua função. Assim também
"Embora Neemias tivesse chegado o pastor da igreja deve, na direção do
como governador, com plena autoridade Espírito Santo, orientar os crentes a
do Império Persa, não fez nada durante entregarem-se a Deus para realizarem
três dias e nem contou a ninguém os a obra do Senhor. Trabalhar para o Se-
42 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
nhor enche o coração dos crentes de pelo Senhor, conseguiram vencer todos
grande alegria. os obstáculos que se levantaram, e tra­
3. A união dos judeus ficou ame­
balharam sem cessar até à conclusão do
açada. A p esar da boa o rganização , muro. As diferentes formas de ataque
a união necessária para a realização dos inimigos dos judeus, e como Neemias
daquela grande obra estava ameaçada. conseguiu vencê-los, será assunto da
Surgiu um problema entre os pobres e Lição 9 deste trimestre.
os ricos. Neemias tomou conhecimento 2 .0 muro foi concluído (Ne 6.15).
do problema e sabiamente o resolveu, Esta vitória teve grande repercussão.
e a obra prosseguiu. Este tópico será Até os inimigos tiveram de reconhecer
retomado na lição número 8. que "O NOSSO DEUS FIZERA ESTA OBRA‫״‬
(Ne 6.16).

SÍNTESE DO TÓPICO III


Neemias, cheio defé e coragem inicia SÍNTESE DO TÓPICO IV
o levantamento dos muros. Os inimigos se levantaram para
impedir a construção dos muros.

SUBSÍDIO BÍBUCO-TEOLÓGICO
"Neemias convocou uma assem-
SUBSÍDIO BÍBUCO-TEOLÓGICO
bleia com os líderes judeus. Ele lhes "Os inim igos do pequeno rem a­
contou como Deus o tinha convocado nescente dos ju d e u s opunham -se à
para realizar essa m issão, e como o reconstrução dos muros de Jerusalém.
Senhor tinha agido sobre o rei para Neemias e o povo foram alvos de zom­
que o ajudasse, não apenas ao dar-lhes baria, de ameaça de uso da força, de
a autoridade como governador, mas desânimo de medo. O capítulo três do
também ao tornar disponíveis a ele os livro de Neemias revela como se pode
materiais necessários para realizar o vencer a oposição à obra de Deus. (1)
trabalho. Este fervoroso apelo recebeu A zombaria foi venciada pela oração e
uma resposta rápida. Impressionados determ inação. (2) A ameaça da força
com o ze lo de N eem ias, os líd e re s foi vencida pela oração e apropriadas
judeus responderam imediatamente. medidas de segurança. (3) O desânimo
Levantemo-nos e edifiquemos. Assim, e o medo foram vencidos pela fé dos
foi preparado o cenário par aum notá­ dirigentes piedosos, pelo seu incenti­
vel feito a ser realizado" (Comentário vo" (Bíblia de Estudo Pentecostal. 1.
Bíblico Beacon. Vol. 2. Rio de Janeiro: ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p.733).
CPAD, 2014, pp.514-15).
V -O M U R O FOI SOLENEMENTE
IV - O LEVANTAMENTO DOS MUROS INAUGURADO
PROVOCOU GRANDE OPOSIÇÃO 1. Para a dedicação dos muros
1. Iniciada a edificação dos muros, foram convocados todos os levitas, a
Sambalate e Tobias indignaram-se gran­ fim de dedicarem os muros com ale­
demente, e usaram várias estratégias gria, com louvores, com canto, com
para fazerem parar a obra. Todavia, saltério, com alaúdes e com harpas (Ne
Neemias e seus liderados, ajudados 12.27). Purificaram -se os sacerdotes
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 43
e os levitas, e logo purificaram todo o vamos que o levantamento dos muros
povo, e as portas, e o muro (Ne 12.30). foi resultado de um despertamento. 0
2 .0 ato de dedicação incluiu duas
crente despertado sente urna imperiosa
procissões ao longo dos muros, as quais necessidade de conservar-se dentro dos
pararam diante da Casa de Deus, onde muros de salvação, onde ele é protegido
houve sacrifícios (Ne 12.30,38,40). A pela excelente grandeza do poder de
alegria de Jerusalém era tão grande, Deus. E pode dizer como Paulo: "Eu sei
que 0 som da festa podia ser ouvido em quem tenho crido, e estou certo
de longe (Ne 12.43). que é poderoso para guardar o meu
depósito até àquele dia" (2 Tm 1.12).
3. O muro da salvação é urna per­
SÍNTESE DO TÓPICO V manente linha divisoria entre o reino de
Deus deu a vitória ao seu povo e os Deus e o reino deste mundo. Fronteiras
murosforam solenemente inaugurados. deste mundo foram muitas vezes alte­
radas, porém a fronteira entre o reino
da Luz e o reino das Trevas continua
SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO inalterada. A Bíblia diz: "Eu, o Senhor,
"Depois do conserto dos muros, os não mudo" (Ml 3.6). O reino de Deus e
judeus se congregam junto a uma das por­ o reino deste mundo são inteiram en­
tas da cidade e ouvem Esdras lê algumas te irre co n ciliá v e is. "Que com unhão
das leis que Deus lhes dera por intermédio tem a luz com as trevas?" (2 Co 6.14).
de Moisés. Ele lê desde o amanhecer até "Ninguém pode servir [...] a Deus e a
ao meio-dia. O que ele lê possivelmente Mamom" (Mt 6.24).
são seleções dos cinco primeiros livros da O fato de o muro da salvação ser
Bíblia, ou talvez Deuteronômio, que é um uma d iv isa entre o reino de Deus e
resumo da lei. Durante ou após essa leitura, o mundo, não sig n ific a que há uma
doutores da lei andam entre a multidão "proibição" pela qual o crente não tem
'explicando o sentido, faziam que, lendo "direito" de fazer 0 que quer. O crente é
entendessem'. Talvez eles estivessem livre! Todavia, a mesma linha divisória
traduzindo a lei do hebraico, idioma em representada pelo muro da salvação,
que ela está escrita, ao aramaico, idioma passa tam bém DENTRO DO N O SSO
que os judeus aprenderam no exílio " CORAÇÃO! Por isso Paulo escreveu: "A
(Manual Bíblico Entendendo a Bíblia. 1. não ser na cruz de nosso Senhor Jesus
ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2011, p.174). Cristo, pela qual o mundo está crucifi­
cado para mim, e eu para o mundo" (Gl
VI ‫ ־‬OS MUROS TRAZEM ENSINO 6.14). E podemos, assim, fazer nossas as
SIMBÓLICO IMPORTANTE palavras de Paulo: "O que para mim era
1. A Bíblia fala da salvação como ganho, reputei-0 perda por Cristo!" (Fp
um muro. "Aos teus muros chamarás 3.7). Finalmente, a salvação transforma
salvação, e às tuas portas louvor" (Is o crente de tal forma que ele começa a
60.18). E ainda, "Uma forte cidade te­ querer aquilo que o Senhor quer, e passa
mos, a quem Deus pôs a salvação por a orar: "Seja feita a TUA vontade" (Mt
muro e antemuros" (Is 26.1). 6.10). O segredo de uma vida cheia do
2. O muro da salvação fala da Espírito Santo é: "Quem crer em mim
divina proteção que beneficia aqueles COMO DIZ A ESCRITURA, rios de água
que se abrigam dentro dele. Obser- viva correrão do seu ventre" (Jo 7.38).
44 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setem bro - 2020
PARA REFLETIR

A respeito de "Neemias Reconstrói os Muros


de Jerusalém", responda:
• Como se chamava o em issário enviado a Neemias?
Hanani.
• Como viviam os judeus que haviam voltado de Babilonia?
Viviam em grande miséria.
• Antes de iniciar a reconstrução dos muros, que fez Neemias?
Faz um levantamento minucioso e real da situação.
• Que profissão exercia Neemias na corte persa?
Profissão de copeiro.
• O que nos lembra o muro da salvação?
A proteção de que desfrutam todos aqueles que se refugiam em Cristo Jesus.

ANOTAÇÕES DO PROFESSOR

Clique aqui para fazer sua anotação

SUGESTÃO DE LEITURA

Neemias- Neemias- Uma Jornada


Paixão pela Integridade de Fé
Fidelidade e Coragem
em Tempos
de Crise

Neemias foi um homem Neemias foi um líder extra­ 0 livro do Êxodo é famoso por
de ação, dedicado, sábio e ordinário que não acreditava mostrar o início da escravidão
zeloso que se fortalecia com somente em seus conheci­ dos hebreus pelos egípcios
a oração. mentos, mas era um homem e a escolha de Moisés como
de oração e temente a Deus. libertador dos hebreus.

2020 ‫ ־‬Julho/Agosto/Setem bro Lições Bíblicas /Professor 45


Lição 7
16 de Agosto de 2020

0 Povo de Deus deve


Separar-se do MaL

"Pelo que saí do meio deles, e apar­


tai-vos, diz 0 Senhor; e não toqueis O mundanismo na Igreja corrompe os
nada imundo, e eu vos receberei." bons costumes e extingue a santidade.
(2 Co 6.17)

LEITURA DIARIA
Segunda ‫ ־‬Js 2 3 .1 1 3 ‫־‬ Quinta ‫ ־‬At 2 .4 1 4 7 ‫־‬
Separação, ordem divina O ambiente numa igreja despertada
Terça ‫ ־‬Os 7 .8 1 6 ‫־‬ Senta - Is 52.1-11
O trágico resultado da mistura O despertamento renova
Quarta ‫ ־‬Dt 28.1-13 Sábado ‫ ־‬Rm 1 3 .1 1 1 4 ‫־‬
Vida separada glorifica a Deus É tempo de despertamento

46 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setem bro - 2020


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Esdras 2 . 5 9 6 . 2 - 4 ;4.2,3 ;62‫־‬


2 .5 9 - Também estes subiram de Tel- da A ssíria , que nos m andou v ir
-Melá e Tel-Harsa, Querube, Adã e para aqui.
Imer, porém não puderam mostrar a 3 ‫ ־‬Porém Zorobabel, eJesua, e os outros
casa de seus pais e sua linhagem, se chefes dos pais de Israel lhes disseram:
de Israel eram. Não convém que vós e nós edifiquemos
- Os filhos de Delaías, os filhos de casa a nosso Deus; mas nós, sós, a edi­
Tobias, os filhos de Necoda, seiscentos ficaremos ao SENHOR, Deus de Israel,
e cinquenta e dois. como nos ordenou 0 rei Ciro, rei da Pérsia.
- E dos filh os dos sacerdotes: os 6.2 ■ f em Acmetá, no palácio que está
filhos de Habaias, os filhos de Coz, os na província de Média, se achou um
filhos de Barzilai, que tomou mulher rolo, e nele estava escrito um memorial,
dasfilhas de Barzilai, o gileadita, e que que dizia assim:
foi chamado do seu nome. 3 - No ano primeiro do rei Ciro, 0 rei Ciro
2 ‫ ־‬Estes buscaram o seu registro deu esta ordem: Com respeito à Casa de
entre os que estavam registrados nas Deus em Jerusalém, essa casa se edificará
genealogias, mas não se acharam para lugar em que se ofereçam sacrifí­
nelas; pelo que por imundos foram cios, e seusfundamentos serão firmes; a
rejeitados do sacerdócio. sua altura, de sessenta côvados, e a sua
4 .2 ‫ ־‬Chegaram-se a Zorobabel e largura, de sessenta côvados,
aos chefes dos pais e disseram-lhes: 4 ‫ ־‬com três carreiras de grandes pedras
Deixai-nos edificar convosco, porque, e uma carreira de madeira nova; e a
como vós, buscaremos a vosso Deus; despesa se fará da casa do rei.dras,
como também já lhe sacrificam os e uma carreira de madeira nova, e a
desde os dias de Esar-Hadom, rei despesa se fará da casa do rei.

HINOS SUGERIDOS: 32, 99, 44 7 da Harpa Cristã


OBJETIVO GERAL
Compreender que o relacionamento harmonioso com Deus exige a separação
do pecado e do mundanismo.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

Destacar que Deus não aceita mistura do seu povo com o mundo;

O Entender que Deus exige plena santidade do seu povo;

Ressaltar que a santidade resulta em bênçãos para o povo de Deus.

2020 ‫ ־‬Julho/Agosto/Setem bro Lições Bíblicas /Professor 47


• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Osfilhos de Judá tiveram que tomar sérias decisões para não serem absorvidos
pela cultura dos povos que ocupavam suas redondezas. Levemos em consideração
também o meio usado pelos líderes judaicos para se comprovar a filiação dos
repatriados. Se tal medida não fosse tomada, até mesmo a genealogia estaria
comprometida. Como povo de Deus, devemos manter a nossa identidade como
servos de Deus e preservar 0 nosso nome no Livro da Vida, afastando-nos de
qualquer mundanismo que possa comprometer a nossa comunhão com o Sal­
vador. Fazendo assim não seremos envergonhados no grande Dia do Cordeiro.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO do mundo. Não pode haver comunhão


da luz com as trevas.
Nesta lição iremos estudar os prepa­ A história de Israel registrava uma
rativos que os judeus fizeram para pôr os amarga experiência neste sentido. Ouan-
alicerces da nova forma de vida que eles do os Israelitas, libertados pela mão do
iniciaram em Jerusalém depois dos anos Senhor, se preparavam para ir a Canaã,
no cativeiro em Babilônia. Ali eles um grande povo de "mistura", não
viveram espalhados pelo vasto PONTO
CEN TRAL israelita, queria acompanhá-los.
território daquele reino, e agora Foi exatamente essa gente que
iriam viver uma vida comuni­ A comunhão
plena com Deus durante o trajeto pelo deserto
tária, conforme os ritos da lei. foi fonte inspiradora de mur-
exige santi-
I-SO M E N T E O S JUDEUS d a de. muração (Nm 11.4).
RETORNARIAM A JUDÁ A B íb lia diz: "E stre ita é a
porta, e apertado, o cam inho que
Para uma pessoa ser considerada leva à vida" (Mt 7.14). Não é lucro, e, sim,
apta para fazer parte do grupo que iria grave prejuízo, alguém querer facilitar
transferir-se para Jerusalém, exigia-se a entrada de "mistura de gente", dando
que desse prova de sua linhagem, que maior ênfase à QUANTIDADE do que à
provasse ser realm ente de Israel. Na QUALIDADE. Jesus disse: "Necessário
primeira triagem foram excluídas 652 vos é nascer de novo" (Jo 3.7).
pessoas. Até alguns filhos de sacerdo­
tes cujos nom es não foram achados
nos registros das genealogias, foram SÍNTESE DO TÓPICO II
rejeitados como imundos (Ed 2.59-62). Deus não aceita mistura do seu
Os judeus mestiços, nascidos de casa­ povo com o mundo.
mentos mistos, durante o cativeiro em
Babilônia, não fariam parte do grupo
de ju d e u s que reto rn ariam a Judá. SUBSÍDIO DIDÁTICO-
Somente aqueles que comprovassem
a sua ascendência puramente judaica
-PEDAGÓGICO
fariam parte daquele grupo. Deus não Para iniciar a lição desta semana é
aceita mistura do seu povo com o povo fundamental que seus alunos compre-
48 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro 2020 ‫־‬
endam qual era a significação teológica II - OS JUDEUS NÃO ACEITARAM A
da restauração da comunidade judaica. AJUDA DOS SAMARITANOS
Para lhe auxiliar nessa tarefa, leve em 1 ‫ ־‬Ouem eram os samaritanos?
conta 0 seguinte fragmento textual: Os samaritanos eram uma mistura de
"Qual era a significação teológica gente, na sua maioria de origem pagã.
da restauração da comunidade judaica, Este povo apareceu d ep o is do ano
conforme está apresentada em Esdras e 721 a.C., quando o reino de Israel foi
Neemias? Este primeiro, toma a forma de derrotado pelo exército de Sargão II e
listas genealógicas extensas (Ed 2.1-70; as dez tribos do Norte levadas cativas
8.1-14; Ne 7.5-65), cujo propósito era para a Assíria. Por ordem do rei da A s­
pelo menos duplo: (1) legitimar aqueles síria foram trazidos povos de Babel, de
que voltaram , id e n tifica n d o -o s com Cuta, de Ava, de Hamate, de Sefarvaim, e
os ancestrais tribais, e (2) demonstrar habitaram cidades de Samaria em lugar
por essa ligação que o exílio, embora dos sacerdotes; e tomaram Samaria em
traumático e terrivelmente destruidor, herança, e habitaram em suas cidades
não cortara a linhagem da promessa (2 Rs 17.24).
que originou-se em Abraão e continu­ Posteriorm ente, o rei da A ssíria
aria para sempre. Havia nestas listas enviou-lhes um sacerdote dos israelitas
as linhagens dos sacerdotes, le vitas para ensinar ao povo da terra o temor
e outros fu n cio n ário s relig io so s (Ed de Deus. Assim, os samaritanos temiam
2 .36-54 ; 8.1-14; Ne 7 .3 9 5 6 ‫) ־‬, pois o o Senhor, mas também serviam a seus
reino teo crático , com o reino de s a ­ deuses (2 Rs 17.33). Aceitaram o ensino
cerdotes, era um povo de adoradores do sacerdote israelita, mas não deixaram
que expressava a vassalagem na forma a idolatria (2 Rs 17.34-41). Representam
relacionada ao culto. muito bem uma vida na carne, da qual
As genealogias dão a entender que a idolatria é uma expressão (Gl 5.20).
a mesma nação que fora desarraigada 2. Os samaritanos ofereceram co­
tão violentamente da terra da promessa operação aos judeus. Ouando os judeus
voltaria. E ainda que não fossem as mes­ começaram a construção do Templo,
mas pessoas, eram os seus descendentes, os sam aritanos ofereceram -se para
castigados e de número muito reduzido. cooperar (Ed 4.1). Os judeus, porém,
Neemias conhecia muito bem o penhor rejeitaram firmemente a proposta (Ed
do Senhor dado a Moisés (Dt 30.2-4) que, 4.1-3). Igualm ente quando da co n s­
mesmo que 0 desobediente fosse exilado trução dos muros, a cooperação dos
nos confins da terra, Ele os ajuntaria e samaritanos foi recusada (Ne 6.2,3).
os traria de volta ao lugar habitado pelo Esta atitude é bíblica, pois a Bíblia
seu nome (Ne 1.8-10). Neemias também manda que nós devem os nos afastar
sabia que seria quase como um novo daqueles que não tem a sã doutrina (lTm
começo, pois o povo restaurado seria 6.3-5: Tt 3.10; 2J 0 10,11). Igualmente
apenas um rem anescente (nis'arim , devemos nos afastar daqueles que tem
Ne 1.3). É de tal começo humilde que uma vida irregular (2Pe 3.17; lTm 6.20­
Esdras também sabia que a comunidade 21; 2Ts 3.6,14) como também daqueles
restaurada tinha de surgir novamente que causam d iv isõ e s (Rm 16.17,18;
(Ed 9.15)" (ZUCK, Roy B. Teologia do 2 Pe 2.10,13,18; Jd 12,18,19).
Antigo Testamento. Rio de Janeiro, 3. Os sam aritanos procuraram
CPAD, 2009, p. 214). aparentar-se com os judeus. Casaram
2020 ‫ ־‬Julho/Agosto/Setem bro Lições Bíblicas /Professor 49
com as filhas dos judeus, e deram filhas Nessa função, eles tinham de modelar
aos judeus em casamento. Alguns caíram os propósitos soberanos e salvífico s
nesta armadilha (Ed 9.1,2). Este assunto divinos e mediá-los para 0 mundo. Isto
é tão sério e im portante que merece está de acordo com o tema central do
um estudo em separado, o que iremos concerto m osaico em que Israel tem
fazer na lição número 12. de assumir a responsabilidade de ser
4. Os samaritanos tornaram-seum reino sacerdotal e um povo santo
inimigos dos judeus: (Êx 19.4-6).
a. Os samaritanos invejaram os ju ­ A d em o n stração m ais clara do
deus. Antes de os judeus terem chegado caráter teocrático da com unidade foi
a Jerusalém , os sam aritanos tinham 0 com prom isso fie l ao concerto e a
uma certa liderança na região. Quando pratica dos seus termos, uma pratica
os Judeus chegaram e com eçaram a in dissoluvelm ente ligada ao sistem a
sacrificar ao único Deus verdadeiro e a de ad o ração n a cio n a l com lu g a re s
adorá-lo, então a atenção dos habitantes santos, pessoas santas e tempos san­
da região passou para os judeus, e os tos. Era Israel em adoração que melhor
Sam aritanos perderam a sua posição modelava o domínio do Senhor sobre
privilegiada, e encheram -se de inveja todos os aspectos da vida humana. Da
(Jo 11.47; 12.19). Isto sempre foi assim. mesma m aneira que a destruição do
Os fariseus tinham inveja de Jesus, os Templo e de seus ministérios sinalizava
sacerdotes tinham inveja da Igreja, etc. 0 verdadeiro começo do exílio, assim a
(At 5.17,13,45; 17.5). reconstrução e renovação dos seus mi­
b. Os samaritanos imaginaram que nistérios efetivaria o restabelecimento
se conseguissem associar-se aos judeus do povo de Deus ao papel de redenção.
gozariam do mesmo prestígio que es­ A comunidade sem adoração não tinha
tes. Ouando os judeus não aceitaram a função efetiva.
nada da parte dos samaritanos, o ódio Não é surpreendente, então, que
velado transform ou-se em inim izade o primeiro evento da vida pós-exílica
declarada. de Judá fosse a celebração da Festa
dos Tabernáculos, uma celebração que
obviam ente precedeu a reconstrução
SÍNTESE DO TÓPICO II do Templo (Ed 3.1-7). Como foi adequa­
Os samaritanos imaginaram que do que a Festa dos Tabernáculos, que
se conseguissem associar-se aos ju ­ comemorava a provisão de Deus para
o povo no deserto do Sinai, fosse agora
deus gozariam do mesmo prestígio
que estes. a ocasião de alegrar-se pelo cuidado
divino durante os 70 anos do deserto
e xílico na Babilônia. D ezesseis anos
depois, tendo se concluído a construção
SUBSÍDIO TEOLÓGICO do templo, o povo comemorou nova­
“A restauração da adoração. mente a provisão graciosa do Senhor em
O remanescente do povo era mais um grandioso e esplendoroso culto de
que apenas uma entidade étnica ou dedicação na virada do ano através da
n a c io n a l — era o povo v a ssa lo do observância da Páscoa (6.16-22)" (ZUCK,
Senhor eleito e redimido por Ele para Roy B. Teologia do Antigo Testamento.
s e r v i-L o com o lu z para as n açõ es. Rio de Janeiro, CPAD, 2009, p.214).
50 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setem bro 2020 ‫־‬
III-D E U S EXIGE SANTIDADE
DO SEU POVO SÍNTESE DO TÓPICO III
Em toda a história do povo de Deus, Deus espera que seu povo esteja
observa-se que Ele, para m anifestar­ sempre em comunhão com Ele, vivendo
-se no meio do seu povo, exige plena separado do mal.
santidade. Deus espera que seu povo
esteja sempre em comunhão com Ele,
vivendo separado do mal. SUBSÍDIO TEOLÓGICO
1. Retornando do cativeiro, Is­
rael separou-se do mal (2 Co 6.17; "Elpisateé um im perativo aoristo
7.1). Por isso a bênção de Deus os que estabelece e resume o curso que
a co m p an h o u , e e le s co n se g u ira m os cristãos devem seguir. Em vista de
co n clu ir a co n stru ção do Tem plo e nossa identidade como cristãos, nós
reco n h e ce ra m que "D E U S F IZ E R A somos os eleitos de Deus, estrangeiros
ESTA OBRA" (Ne 6.16). em nossa sociedade. Desta maneira,
2. Quando Josué se preparou para nossas esperanças, nossas expectati­
passar o Jordão, ele disse ao povo: vas, não devem estar concentradas em
"SA N TIFICA I-VO S porque amanhã nada que este mundo possa oferecer.
fará o Senhor maravilhas no meio de R iq ue za, fam a, ace itação , até m es­
vós‫( ״‬Js 3.5). mo sobrevivência — tudo isto é sem
3. 0 anjo do Senhor visita o acam­ significado quando comparado com a
pamento israelita. Antes de iniciar a herança que será nossa quando Cristo
conquista de Canaã, Josué recebeu vier. Se não esperarmos por nada aqui,
a visita de um anjo. Josué então lhe se todas as e xp e cta tiva s estiverem
perguntou: "Que diz meu Senhor ao fixa s na Segunda Vinda, então nada
seu servo?" E a resposta que recebeu que aconteça pode nos levar a agir de
foi: "Descalça os sapatos de teus pés, maneira que possa im plicar negação
porque o lugar em que estás é santo!" de nosso Senhor. ,Mas, como é santo
(Js 5.13-15). aquele que vos chamou, sede vós tam­
4. Israel é derrotado pela pequena bém santos em toda a vossa maneira
cidade de Ai. Quando Josué, com o de viver' (Cl 1.15). A santidade aqui é
rosto em terra, perguntou ao Senhor a pureza moral. Assim como a atitude
o porquê daquela derrota, o Senhor de fixar nossa esperança na graça que
respo n deu: "S A N T IF IC A I-V O S para será nossa nos fortalece para vivermos
amanhã" (Js 7.11.13). "Anátema há no na sociedade como estrangeiros, fixar
meio de vós, Israel; diante dos vossos a nossa esperança nele nos separa do
inim igos não podereis suster-vos, até poder daquelas ,concupiscências que
que tireis o anátema do meio de vós" havia em [nossa] ign o rância' (1.14)"
(Js 7.13). 0 pecado d esco b e rto , foi (RICHARDS, Lawrence O. Comentário
desarraigado, e então disse a Josué: Histórico-Cultural do Novo Testamen­
"Levanta-te e sobe a Ai. Olha que te to. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.521).
tenho dado na tua mão o rei de Ai, e
seu povo e a sua cidade, e a sua terra" IV - DEVEMOS MANTER UMA VIDA
(Js 8.1). DE SEPARAÇÃO DO MAL
Deus e xige sa n tificaçã o de seu 1. Os judeus mantiveram-se se­
povo para poder operar no meio dele. parados dos samaritanos. Se os judeus
2020 ‫ ־‬Julho/Agosto/Setem bro Lições Bíblicas /Professor 51
tivessem aberto a porta para uma união Bíblia diz: "Esta é a vontade de Deus,
com os sam aritanos, estes, provável­ a vossa santificação" (1 Ts 4.3). Já ob­
mente, ter-se-iam mostrado afáveis e servam os que santificação sign ifica
pacíficos no início, mas teriam pertur­ urna vida que se abstém das coisas
bado a união que havia entre os judeus. que não agradam a Deus, conforme a
Teriam participado do culto dos judeus, Palavra: "Apartai-vos, diz o Senhor, e
e afastado a presença do Senhor, uma não toqueis nada imundo" (2 Co 6.17),
vez que Deus não se une à idolatria. e: "Aperfeiçoando a vossa santificação
Vale a pena manter a separação com no temor de Deus" (2 Co 7.1). Devemos
o mundo. sempre muito desejar ser-lhe agradáveis
2. A Bíblia mostra exemplos de (2 Co 5.9), andando dignamente diante
servos de Deus que duvidaram se valia do Senhor, agradando-lhe em tudo (Cl
a pena manter a linha de separação 1.11), guardando seus mandamentos, e
do mal. fazendo o que é agradável à sua vista
a. 0 salm ista Asafe escreveu no (1 Jo 3.22).
Salm o 73: "Na verdade que em vão 4. Bênçãos acompanham os que
tenho purificado meu coração e lavado vivem conforme a vontade de Deus!
as minhas mãos na inocência (Sl 73.13). Deus garante, aos que assim vivem ,
Ficou profundamente perturbado, mas plena v itó ria contra os ataqu es do
Deus o ajudou a encontrar a resposta. Diabo. O crescimento espiritual deles
"Até que entrei no santuário de Deus; está garantido (Cl 1.6,10). 0 Espírito
então entendí o fim deles" (v.17). 0 Santo tem plena liberdade para atuar
salmista ficou tranquilo: "Todavia estou em suas vidas, e eles tornam -se pre­
de contínuo contigo, tu me seguraste parados para serem usados por Deus
pela minha mão direita. Guiar-m e-ás em sua obra (2 Tm 2 .1 9 2 1 ‫)־‬. E, acima
com teu conselho e depois me receberás de tudo, aqueles que vivem segundo
cm glória" (vv.23,24). Asafe entendeu a vontade de Deus, estão preparados
que valia a pena servir ao Senhor. para o arrebatamento! ALELUIA! VALE
b. Malaquias respondeu aos que A PENA VIVER NA VONTADE DE DEUS!
diziam ser in ú til se rvir o Senhor (Ml (Hb 12.15; 15.5,23).
3.15), dizendo: "[...] Há um m em orial
escrito diante dele, para os que temem
ao SENHOR e para os que se lembram SÍNTESE DO TÓPICO IV
do seu nome. E eles serão meus, diz o
Devemos andar dignamente diante
SENHOR dos Exércitos, naquele dia que
do Senhor, agradando-lhe em tudo.
farei, serão para mim particular tesouro;
poupá-los-ei como um homem poupa
a seu filho que o serve" (Ml 3.16,17).
Vale a pena servir ao Senhor! SUBSÍDIO DE VIDA CRISTÃ
3. Devem os v iv e r conform e a "Os cristãos são chamados a co­
vontade do Senhor. "Para que, no operar com os propósitos e o poder
tempo que vos resta na carne, não v i­ santificadores de Deus. Tem de haver a
vais mais segundo as concupiscências disposição de abandonar os caminhos
dos homens, mas segundo a vontade malignos e impuros; de ser separado de
de Deus" (1 Pe 4.2). Qual seria então tudo que pode im pedir o desenvolví-
a vontade de Deus para conosco? A mento da vida semelhante à de Cristo.
52 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setem bro 2020 ‫־‬
A santificação não é a separação de 0 sucesso na vida crista, em grande
um eremita ou recluso, pois Jesus se extensão, depende de nossa disposição
misturou com os pecadores. Todavia, em nos entregarm os a Deus em total
em seu caráter e padrão, Ele estava sacrifício de nós mesmos.O cristão que
'separado' dos pecadores. (Hb 7.26). 0 leva a santidade a sério é considerado
desejo do Senhor para seus seguidores um 'escravo‫ ׳‬da justiça; um 'sacrifício
é que continuem envolvidos no mundo vivo' para Deus; um utensílio doméstico
ao mesmo tempo e que permanecem puro"(Guia Cristão de Leitura da Bíblia.
livres de seus m alefícios. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p.490).

PARA REFLETIR

A respeito de " 0 Povo de Deus deve Separar-se


do Mal", responda:
• Oual a condição imposta pelos líderes israelitas para a volta dos exilados?
Que provassem ser israelitas.
• Na primeira triagem, quantos exilados foram impedidos de voltar?
Foram im pedidos de voltar 652.
• Por que os judeus não aceitaram a ajuda dos samaritanos?
Porque, como povo de Deus, não podiam se colocar sob um ju go comum
com os incrédulos.
• Por que os samaritanos procuraram se associar aos judeus?
Para poderem desfrutar do mesmo prestígio que os judeus desfrutaram no
que tange ao verdadeiro culto a Deus.
• Por que o povo de Deus não deve se misturar com os incrédulos?
Para que não percamos nossa condição como povo de Deus.

2020 ‫ ־‬Julho/Agosto/Setem bro Lições Bíblicas /Professor 53


Lição 8
23 de Agosto de 2020

As Causas da Desunião

Texto Áureo Verdade Prática

"Oh! Ouão bom e quão suave é que A união é uma força indispensável
os irmãos vivam em união!" para a Igreja. É um testemunho
diante do mundo e um estímulo para
(SI 133.1) 0 crescimento da obra de Deus.

LEITURA DIARIA
Segunda ‫ ־‬SI 133 Ouinta ‫ ־‬At 5 .1 3 1 6 ‫־‬
A desunião expulsa as bênçãos da A união engrandece a Igreja
Igreja
Sexta ■ Ne 4 .1 9 2 3 ‫־‬
T e rça -E f 4.15,16
A união é uma grande força
A desunião impede o crescimento
Sábado ‫ ־‬Ef 4 .1 1 6 ‫־‬
Q uarta-30 17.20-26
0 Espírito Santo opera a união
União, 0 caminho para a comunhão
perfeita
e o amor

54 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setem bro - 2020


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Neemias 5.1,6-12

- Foi, porém, grande 0 clamor do povo 9 ‫ ־‬Disse mais: Não é bom o quefa-
e de suas mulheres contra os judeus, zeis: Porventura, não devíeis andar
seus irmãos. no temor do nosso Deus, por causa
6 - Ouvindo eu, pois, o seu clamor e do opróbrio dos gentios, os nossos
essas palavras, muito me enfadei. inimigos?
7 - E considerei comigo mesmo no 0 - Também eu, meus irmãos e meus
meu coração; depois, pelejei com moços, a juro, lhes temos dado di­
os nobres e com os magistrados e nheiro e trigo. Deixemos este ganho.
disse-lhes: Usura tomais cada um de - Restituí-Lhes hoje, vos peço, as
seu irmão. E ajuntei contra eles um suas terras, as suas vinhas, os seus
grande ajuntamento. olivais e as suas casas, como também
8 - E disse-lhes: Nós resgatamos os o centésimo do dinheiro, do trigo, do
judeus, nossos irmãos, que foram mosto e do azeite, que vós exigis deles.
vendidos às gentes, segundo nossas 2 - Então, disseram: Restituir-lho-
posses; e vós outra vez venderieis -emos e nada procuraremos deles;
vossos irmãos ou vender-se-iam a nós? farem os assim como dizes. Então,
Então, se calaram e não acharam que chamei os sacerdotes e os f iz jurar
responder. que fariam conforme esta palavra.

HINOS SUGERIDOS: 5 0 ,1 4 5 , 42 6 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Destacar que a união é indispensável para o crescimento e sustentabilidade
da obra de Deus.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

Explicar que a união caracterizada no pe­


ríodo pós-exílio serve de referência para
a Igreja;

Expor a injustiça social que ameaçava a


união dos judeus nos tempos de Neemias;

Mostrar as medidas adotadas por Neemias


para manter o povo unido em só propósito.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 55


INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Egressos do exílio babilónico os judeus pensavam que encontrariam
uma terra que manava leite e mel. Entretanto, eis que se depararam com
uma terra prestes a devorá-los. Como se não bastasse as dificuldades
decorrentes da relação complexa com os povos vizinhos, havia também
muitas injustiças sociais e desordens que levavam 0 povo a um nível de
desunião e hostilidade. Neemiasfoi usado por Deus para levar os judeus a
manterem-se unidos em um só propósito. Semelhantemente, a Igreja nes­
tes últimos dias precisa de ministros que conduzam o rebanho do Senhor
à união e uniformidade para que a obra de Deus seja edificada e muitas
vidas possam ser salvas.

COMENTARIO
INTRODUÇÃO Todos na Igreja são aproximados uns dos
Veremos nesta lição um conflito outros, porque Cristo derrubou o muro
que surgiu entre d iferentes classe s da separação que havia entre gentios
sociais, e como o problema foi so lu ­ e judeus, tornando-os uma verdadeira
cionado. "Família de Deus" (Ef 2.12-19). Esta união
não se baseia em nacionalidade, nível
I - A UNIÃO CARACTERIZAVA OS so cial ou cultural, mas todos são UM
JU D EU S LIBERTO S DO CATIVEIRO EM CRISTO (Gl 3.28). No meio da Igreja
1. Qual era a base desta união? opera 0 Espírito Santo, 0 qual faz com que
a. Todos eram do mesmo povo, e todos se tornem um coração e uma alma
confessavam a sua fé no único Deus (At 4.32). Quando a Igreja vive cheia do
verdadeiro. 0 altar havia sido renovado, Espírito Santo, a união funciona em sua
o Templo levantado, e o culto a plenitude, e, então, ela se torna
PONTO
Deus restaurado, conform e CEN TRAL uma antessala do céu. Consi­
os ritos da lei. deremos algum as bênçãos
Cristo derrubou o
b. Todos haviam e x ­ muro da separação decorrentes da união:
perim entado o desperta- que havia entre gen­ a. Os crent
mento que se havia iniciado tios e judeus, tornan­ apoio espiritual para a sua
pelo rei Ciro. Todos haviam do-os uma verda­ vida. Muitos crentes vivem
cooperado ativamente para deira “Família cercados de pessoas que são
de Deus".
a restau ração da cid ad e de contrárias à sua fé. São alvos
Jerusalém. de críticas e de isolam ento, seja
2. Esta união entre os judeus sim­ no trabalho, na escola ou na fam ília.
boliza a união que deve haver na Igreja Que riqueza então é chegar à igreja
de Deus (Gl 6.16). Também na Igreja e encontrar o am biente fraternal e a
há m uitas coisas u nifican tes. Todos união que predomina entre os irmãos!
experim entaram o novo nascimento. Ouçamos o que diz o salmista: "Quão
Todos que nasceram de novo amam bom e quão suave é que os irm ãos
aos que são nascidos por Ele - Jesus. vivam em união..." (SI 133.1).
56 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro 2020 ‫־‬
b. Na igreja levamos as cargas uns SUBSÍDIO DIDÁTICO-
dos outros (Gl 6.2). Existem cargas que
cada um tem de levar sozinho (Gl 6.5).
-PEDAGÓGICO
Mas existem também cargas em que Para in tro d u zir esta lição é im ­
podemos ajudar uns aos outros. Que p o rtan te que vo cê co n ce itu e bem
bênção na hora de aperto, saber que bíblicam ente a palavra "comunhão" e
a igreja pode ajudar em oração! amplie o seu conceito. Para lhe auxiliar
c. A união nos fa z fo rte s. Uma nessa tarefa, juntamente com o concei­
ovelha sozinha é facilm ente arreba­ to presente na lição, leve em conta o
tada, mas quando está com o rebanho seguinte fragmento textual:
é protegida. Uma pedra sozinha, pode "Koinõnia, tendo em comum (koinos),
ser levada ou jogada, porém, quando sociedade, companheirismo', denota: a) a
e stiver edificad a dentro do muro, é parte que alguém tem em algo, partici­
mais d ifícil tirá-la (1 Pe 2.4,5). pação, companheirismo reconhecido e
d. Uma igreja que vive em união, desfrutado. É, assim, usado acerca: das
tem um testemunho maravilhoso. Jesus experiências e interesses comuns dos
disse que através dessa união 0 mundo cristãos (At 2.42; Gl 2.9); da participação
conhecería que Ele foi enviado por Deus no conhecimento do Filho de Deus (1 Co
(Jo 17.21,23; 13.35). Pela união o mun­ 1.9); do compartilhamento na realização
do conhecerá também os verdadeiros dos efeitos do sangue (ou seja, da morte)
discípulos de Jesus (Jo 13.35). de Jesus e do corpo de Jesus, conforme é
3■ Esta união é uma verdadeira exposto pelos emblemas da Ceia do Se­
força. Foi por causa da união que os nhor (1 Co 10.16); da participação no que
judeus, numericamente inferiores aos é derivado do Espírito Santo (2 Co 13.13;
seus inimigos, conseguiram construir o Fp 2.1); da participação nos sofrimentos de
Templo, e também os muros da cidade. Cristo (Fp 3.10); do compartilhamento na
Esta união é também o segredo da v i­ vida da ressurreição possuída em Cristo e,
tória da Igreja. 0 santo óleo desce da por conseguinte, do companheirismo com
cabeça do Sumo Sacerdote Jesus Cristo, 0 Pai e 0 Filho (1 Jo 1.3,6,7); negativamente,
e os crentes vivem em união (SI 133.1,2). da impossibilidade de 'comunhão' entre a
Jesus disse: "Eu dei-lhes a glória que a luz e as trevas (2 Co 6.14); b) companheiris­
mim me deste, para que sejam UM" (Jo mo manifesto em atos, os efeitos práticos
17.22). Sejamos, pois, UM; assim como do companheirismo com Deus, realizado
0 Pai, 0 Filho e o Espírito Santo são UM pelo Espírito Santo na vida dos crentes
(1 Jo 5.7). 0 autor de Eclesiastes já dizia: em resultado da fé (Fm 6), e encontrando
"0 cordão de três dobras não se quebra expressão no ministério em comum com
tão depressa" (Ec 4.12). os necessitados (Rm 15.26; 2 Co 8.4; 9.13;
Hb 13.16) e na proclamação do Evangelho
pelos dons (Fp 1.5)" (Dicionário Vine. Rio
de Janeiro: CPAD, 2002, p.485).
SÍNTESE DO TÓPICO I
0 m istério da Igreja de Cristo
formada pela união entre judeus e II - A UNIÃO ENTRE OS JUDEUS
gentios estivera em oculto desde a ESTAVA AMEAÇADA
eternidade. 1. Qual era a ameaça? Tratava-se de
uma grande injustiça social. Financeira-
2020 ‫ ־‬Julho/Agosto/Setembro L iç õ e s B íb lic a s / P r o fe s s o r 5 7
mente, a vida dos que voltaram da Babilô­ SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO
nia era bem difícil. Muitos eram obrigados
a tomar dinheiro emprestado, não só para "Pobrezas (5.1-4). Tanto as condi­
seu sustento, como também para pagar o ções de seca como altas taxas produziu
imposto do governo. Tomavam empres­ um grande aperto na agricu ltu ra. A
tado dos seus irmãos mais ricos, os quais avareza dos ricos, que emprestavam
cobravam juros altos, até mesmo com dinheiro às fam ílias desesperadas a
usura. Quando os mais pobres não conse­ juros altos e então hipotecavam as suas
guiam pagar os empréstimos tomados, os propriedades, foi a principal causa da
irmãos mais ricos executavam as dívidas, tremenda dificuldade em que muitos se
tomando as casas, as terras, e até mesmo acharam. Hoje, há muitas razões para a
os filhos e as filhas dos devedores (Ne pobreza. Porém, a avareza permanece
5.1-5). Isto foi causa de grande clamor como causa mais comum.
entre os Judeus. Este assunto chegou ao Tributos (5.4). O rei persa cobrava
conhecimento de Neemias, o qual ficou cerca de 20 milhões, em ouro, de dá-
muito enfadado (Ne 5.6). ricos (uma moeda persa), anualmente,
2. Como se explica esta grande taxas. 0 pagam ento era e xig id o
em
injustiça? em moedas de ouro ou prata que eram
a. Em primeiro lugar era uma expres­ derretidas e armazenadas em lingotes.
são de FALTA DE AMOR dos mais ricos para Quando Alexandre, 0 Grande tomou Susã,
com os mais pobres. Desta forma os mais onde Neemias havia servido Artaxerxes,
ricos pecavam contra seus irmãos mais encontrou cerca de 270 toneladas de ouro
pobres, não lhes dando o devido valor. A e 1.200 toneladas de prata! A política
Bíblia diz que cada um deve considerar privou o reino do seu dinheiro, criou a
"os outros superiores a si mesmo" (Fp 2.3), inflação, e foi, em parte, responsável pela
e que devemos suportar "uns aos outros aflição econômica da Judeia.
em amor" (Ef 4.2). Por falta de amor, os Usura (5.7). A palavra hebraica
ricos chegaram a cobrar juros com usura, massa, aparece somente em Neemias.
coisa proibida na lei (Lv 22.36; Êx 22.25). Significa impor uma sobrecarga. 0 An­
0 assunto é muito sério, porque a Bíblia tigo Testam ento proíbe cobrar juros
diz que quem peca contra o irmão, peca em empréstimos aos vizinhos pobres
contra Cristo (1 Co 8.12). (Êx 22.25-27; Lv 2 5 .3 5 3 7 ‫ ;־‬Dt 23.19,20;
b. A atitu d e dos rico s era uma 24.10-13). Essas condições estavam
expressão de DUREZA CONTRA SEUS sendo violadas" (RICHARDS, Lawrence 0.
IRMÃOS. Eles queriam ficar ainda mais Guia do Leitor da Bíblia. Rio de Janeiro:
ricos às custas da miséria de seus irmãos CPAD, 2005, p.317).
mais pobres. Não lhes importava 0 choro Ill-NEEM IAS SOLUCIONOU 0
de seus irmãos (Ne 5.1). "A opressão faz PROBLEMA
endoidecer até o sábio" (Ec 7.7). 1. Neemias convocou um grande
ajuntamento (Ne 5.8). Reuniu o povo
e lembrou a todos que os irmãos mais
SÍNTESE DO TÓPICO II
pobres estavam sendo literalm ente
A injustiça social era uma expressão escravizados. Confrontou-os com sua
da falta de amor dos mais ricos para injustiça, perguntando-lhes: "Vender-
com os mais pobres. -se-iam a nós? Então se calaram e não
acharam o que responder" (Ne 5.8).
58 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setem bro 2020 ‫־‬
2. Neem ias fe z uma proposta através do amor e do serviço. Não pode­
conciliadora. "Deixemos este ganho!" mos permitir discussões e divisões em
Restituí-lhes hoje!" (Ne 5.10,11). Nee- nossas congregações, e devemos estar
mias Inclui-se na proposta. Ele e seus unidos por um compromisso comum, não
auxiliares haviam emprestado a juro só com Jesus, mas também entre nós"
(notem bem, a juro mas não com usu­ (RICHARDS, Lawrence O. Comentário
ra!), e Neemias estava disposto a não Histórico-Cultural do Novo Testamento.
receber os juros (Ne 5.10). Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.348).
3. A proposta de Neemias foi aca­
tada. "Restituir-lho-em os, e nada pro­ IV - A PAZ VOLTOU A REINAR ENTRE
curaremos deles; faremos assim como OS JUDEUS
dizes" (Ne 5.12). Neemias fez com que 1. Surgindo um problema entre
jurassem diante dos sacerdotes que os irmãos, deve logo ser tratado com
assim fariam (Ne 5.12). Um ato sim ­ muita diligência. Quando um líder do
bólico de Neemias confirmou aquele povo for ignorante, desinteressado ou
juramento solene (Ne 5.13). negligente, o resultado poderá vir a ser
uma contaminação grave.
SÍNTESE DO TÓPICO III Faz parte das atribuições do ministro
manter a boa ordem na igreja. Ele deve
A convocação de Neemias para a enfrentar os problemas com humildade,
conciliação. imparcialidade, e com sabedoria de Deus.
N eem ias fo i neste se n tid o um
SUBSÍDIO TEOLÓGICO exemplo para os que estão à frente da
obra do Senhor. Assim como Deus fez
'"Porque, assim como o corpo é com Neemias, Ele quer fazer com seus
um e tem muitos membros, e todos os servos, hoje, isto é, Deus quer abençoar
membros, sendo muitos, são um só corpo, seus servos e confirmar as obras das
assim é Cristo também (1 Co 12.12)'. suas mãos (SI 90.17).
A frase ,assim é... também (houtos kai) 2. Problemas relacionais devem
nos alerta para o que é talvez a primeira ser tratados carinhosamente. "Bem
metáfora do Novo Testamento com a in­ aventurados os pacificadores" (Mt 5.9).
tenção de nos ajudar a entender a natureza a. A d e su n ião rep re se n ta uma
da igreja. Em Romanos, Paulo ensinou que obra da carne (Gl 5.19,20). Estas coisas
pela fé o crente une-se a Jesus em uma entristecem o Espírito Santo (Ef 4.30).
união indissolúvel. Agora, ele ensina que b. A desunião destrói a comunhão
aqueles que estão unidos a Cristo também e o amor entre os irm ãos, coisa tão
estão unidos entre si, num relacionamento preciosa na Igreja. "Andai em amor
orgânico, como aquele que existe entre como também Cristo vos amou" (Ef
os membros e órgãos do corpo. 5.2). "Quem ama a Deus, ame também
Essa imagem transmite inúmeras a seu irm ão" (1 Jo 4.21). Jesus orou:
realidades. Não podemos ser cristãos "Para que todos sejam um, como tu, ó
isolados dos outros, devemos funcionar Pai, o és em mim, e eu, em ti" (Jo 17.21).
junto com eles. Não podemos cumprir c. Finalmente devemos cultivar nos­
nossa m issão na vida separados da so testemunho diante do mundo. A união
igreja, e devemos estar suficientemente entre os crentes é o selo da estabilidade
próxim os para exercer nossos dons espiritual e da paz na Igreja (Jo 17.4).
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 59
importância de conseguir que todos se
SÍNTESE DO TÓPICO IV envolvessem no trabalho e se sentissem
parte da equipe. Ele conseguiría isso
A paz fo i mantida porque Nee-
tendo o cuidado de designar as pes­
mias enfrentou os problemas com
soas para trabalhar juntas em áreas do
humildade, imparcialidade, e com
muro que fossem perto da casa delas.
sa->bedoria de Deus.
Observe a recorrência da expressão:
'ao seu lado' no capítulo 3 (Ne 3.7,17‫־‬
25, 2 7 ,2 9 3 1 ‫)־‬. O trabalho em 'equipe'
SUBSÍDIO DE VIDA CRISTÃ garante que 'todos juntos conseguem
"A importância do trabalho em equipe m ais' (veja também 1 Co 12)" (Guia
Neemias não era adepto do 'm i­ Cristão de Leitura da Bíblia. Rio de
nistério de um homem só'. Ele sabia da Janeiro: CPAD, 2013, p.198).

PARA REFLETIR

A respeito de "As Causas da Desunião devem


der Eliminadas", responda:
• 0 que caracterizava os judeus libertos do cativeiro?
A união.
• 0 que sim bolizava a união entre os judeus que retornaram do cati
veiro e Deus?
A união que deve haver entre Jesus e a Igreja.
• 0 que estava ameaçando a união entre os judeus?
A injustiça social.
• O que representa a desunião?
A desunião representa a obra da carne.
• De acordo com a lição, o que representa a união entre os crentes?
Representa o selo da estabilidade espiritual e da paz na Igreja.

60 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


Texto Áureo Verdade Prática

"Mas em todas estas coisas somos Ouando depositamos nossa confian­


mais do que vencedores, por aquele ça em Deus, descobrimos que Ele é
que nos amou." muito maior do que todos os obstó-
(Rm 8.37) culos que encontramos.

LEITURA DIARIA
Segunda ‫ ־‬Ef 6 .1 2 1 6 ‫־‬ O uinta-A t 2 .3 7 4 7 ‫־‬
A fé, uma arma contra a oposição A vigilância, uma arma contra a
oposição
Terça-M t 7 .7 1 ‫־‬
A oração, uma arma contra a Sexta ‫ ־‬Mt 2 5 .1 1 3 ‫־‬
oposição A obra de Deus triunfará
Q uarta-A t 4 .2 3 3 2 ‫־‬ Sábado-A t 5 .3 4 4 2 ‫־‬
A união, uma arma contra a oposição A grandeza da obra de Deus

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 61


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Neemias 4.8-20; 1 João 4.4; 5.5

N e e m ia s 4 tinha dissipado o conselho deles,


8 ‫ ־‬£ ligaram-se entre si todos, para todos voltamos ao muro, cada um
virem atacar Jerusalém e para os à sua obra.
desviarem do seu intento. 6 - £ sucedeu que, desde aquele dia,
9 - Porém nós oramos ao nosso Deus metade dos meus moços trabalhava
e pusemos uma guarda contra eles, na obra, e a outra metade deles tinha
de dia e de noite, por causa deles. as lanças, os escudos, os arcos e as
couraças; e os chefes estavam por
0 ‫ ־‬Então, disse Judá: Já desfalece­ detrás de toda a casa de Judá.
ram as forças dos acarretadores, e
0 pó é muito, e nós não poderemos 7 - Os que edificavam o muro, e
edificar o muro. os que traziam as cargas, e os que
carregavam, cada um com uma mão
- Disseram, porém, os nossos fazia a obra e na outra tinha as armas.
inimigos: Nada saberão disso, nem
verão, até que entremos no meio 8 - Eos edificadores cada um trazia
deles e os matemos; assim, faremos a sua espada cingida aos lombos, e
cessar a obra. edificavam; e 0 que tocava a trombeta
estava junto comigo.
2 - E sucedeu que, vindo os judeus
que habitavam entre eles, dez vezes - E disse eu aos nobres, e aos
nos disseram que, de todos os lugares, magistrados, e ao resto do povo:
tornavam a nós. Grande e extensa é a obra, e nós
estamos apartados do muro, longe
13 - Pelo que pus guardas nos lugares uns dos outros.
baixos por detrás do muro e nos altos;
e pus 0 povo, pelas suas famílias, com !0 - No lugar onde ouvirdes 0 som da
as suas espadas, com as suas lanças buzina, ali vos ajuntareis conosco; o
e com os seus arcos. nosso Deus pelejará por nós.
4 ‫ ־‬£ olhei, e levantei-me, e disse aos 1 Jo ã o
nobres, e aos magistrados, e ao resto 4 .4 - Filhinhos, sois de Deus e já os
do povo: Não os temais; lembrai-vos tendes vencido, porque maior é o
do Senhor, grande e terrível, e pelejai que está em vós do que o que está
pelos vossos irmãos, vossos filhos, no mundo.
vossas mulheres e vossas casas. 5 .5 - Ouem é que vence o mundo,
15 - £ sucedeu que, ouvindo os nossos senão aquele que crê que Jesus é o
inimigos que já 0 sabíamos e que Deus Filho de Deus?

HINOS SUGERIDOS: 46, 305, 577 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Destacar as medidas adotadas por Neemias a fim de vencer as oposições à
realização da obra de Deus.

62 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

Ressaltar o que a Biblia afirma sobre a natureza dos ataques espirituais


à obra de Deus;
O Identificar os meios que o Inimigo utiliza para neutralizar a fé do crente;
Φ Destacar quais armas espirituais Neemias utilizou para vencer as
oposições à obra de Deus.

• INTERAGINDO COM O PROFESSOR


A lição desta semana destaca a dura resistência dos samaritanos no tocante
à reconstrução do muro de Jerusalém. Neemias enfrentou com sabedoria a
oposição daqueles que não queriam ver a obra de Deus sendo realizada. Como
se não bastasse os problemas externos, Neemias ainda teve a incumbência de
incutir ânimo no povo, levando-o a trabalhar empenhadamente em prol da
obra de Deus. Nos dias atuais, carecemos de obreiros dedicados que mesmo
sabendo que a batalha é renhida, ainda assim não recuam, mas trabalham
com esmero para que a obra de Deus seja realizada.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO tudo espiritual. Os inimigos visíveis são
meramente instrumentos dos demônios,
Na lição 7 observamos como a cons­
os quais nos atacam. Desde que
trução dos muros em Jerusalém PONTO Lúcifer caiu em pecado no céu
provocou uma dura resistência CENTRAL
e foi expulso de lá, ele tem
por parte dos samaritanos. Nes­ Jamais devemos sido 0 ADVERSÁRIO de Deus
ta lição iremos observar, mais permitir que alguma
coisa venha abalar
e de sua obra (1 Pe 5.8).
detalhadamente, as diferentes
a nossa fé, porque 2. Oual a orientação
formas dos seus ataques, e o
modo como os judeus consegui­ sem fé é impos­ que a Bíblia dá diante des­
ram vencê-los e concluir a obra.
sível agradar a ta luta? Ela diz: "Portanto
Deus. tom ai toda a arm adura de
I-Q U A L A PROCEDÊNCIA Deus, para que possais:
DESTES ATAQUES? a) RESISTIR NO DIA MAU;
1. A Bíblia revela a verdadeira força b) TENDO FEITO TUDO;
por trás destes ataques. Ela diz: "Não c) FICAR FIRMES (Ef 6.13). Vemos,
temos que lutar contra carne e sangue, assim, que a Bíblia não aconselha fugir
mas, sim, contra os principados, contra as da luta, mas sim ficar firmes, resistir, e
potestades, contra os príncipes das trevas vencer! (Tg 4.7)
deste século, contra as hostes espirituais 3. Nesta luta contra 0 mundo invisível
da maldade, nos lugares celestiais" (Ef a arma mais eficaz é afé. A Bíblia diz: "Quem
6.12). Portanto, nossa luta é antes de é que vence 0 mundo, senão aquele que crê
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 63
que Jesus é 0 Filho de Deus?" (1 Jo 5.5). Por "Paulo se refere à roupa usada pelo
isso a Bíblia aconselha: "Milita a boa milícia
soldado. Ele combina a profecia de Isaías
da fé, toma posse da vida eterna" (1 Tm sobre a armadura de Deus (Is 59.16,17) com
6.12). Pela fé experimentamos a operação 0 que se sabe sobre 0 soldado romano. Por
do Espírito Santo em nossa vida (Gl 3.2,5). baixo da armadura do soldado estava uma
Jamais devemos permitir que alguma coisa vestimenta básica para 'ficarem firmes',
venha abalar a nossa fé, porque "sem fé é de modo que a armadura (casaco e saia
impossível agradar-lhe" (Hb 11.6). Devemos de couro cobertos com placas de metal)
não temer, mas crer somente (Mc 5.38). pudesse ajustar-se por cima. Os soldados
"Não deis lugar ao Diabo!" (Ef 4.2). romanos tinham sandálias pregadas com
4. Nesta luta as armas devem tachas
ser grandes que firmavam seus pés no
espirituais (2 Co 10.4). Só as armas chão. Paulo usa a descrição para dizer que
espirituais atingem e alcançam os reais o Diabo não poderá derrubar os cristãos
inimigos, os demônios. As armas carnais se eles forem estritamente honestos,
só nos prejudicam, pois muitas vezes absolutamente justos em seus tratos e
levam -nos a dar lugar ao inimigo. não se deixarem perturbar facilmente.
Acrescente a isso uma salvação que os
capacita a viver segundo 0 padrão de Deus,
SÍN TESE DO TÓ PICO I com acesso ao que Deus disse e confiança
nEle, e o cristão estará bem protegido"
A nossa luta é antes de tudo espíritu-
(GOWER, Ralph. Novo Manual dos Usos
al, os inimigos visíveis são meramente
e Costumes dos Tempos Bíblicos. 2. ed.
instrumentos dos demônios, os quais
Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p.16).
nos atacam. No entanto, as nossas
armas também são espirituais, pois
não lutamos contra carne e sangue. II - O INIMIGO PROCURA ATINGIR A
NOSSA FÉ.
1 .0 Inimigo ataca com a arma do
SUBSÍDIO DIDÁTICO­ DESPREZO. Diziam: "que fazem estes
fracos judeus?" (Ne 4.2). De fato, em
_______ ‫ ־‬PEDAGÓGICO nós mesmos somos fracos. Paulo disse:
A aula desta semana é uma excelente "Quando estou fraco então sou forte" (2
oportunidade para que seus alunos conhe­ Co 12.9,10). Quando o crente é tentado
çam o conceito de "batalha espiritual". a se comparar com o inimigo, está em
Neste caso, à medida que você destacar a perigo! Foi esta tentação que derrubou
importância do preparo espiritual, expli­ Israel. Ouando os dez espias disseram
que quais armas a igreja dispõe para vencer "Não poderemos subir contra aquele
as adversidades que surgem para impedir povo, porque é mais forte do que nós"
o crescimento e bom funcionamento da (Nm 13.31), os israelitas recusaram-se
obra de Deus. Para tanto, pesquise na a subir, recusaram-se a dar ouvidos à
internet ou revistas e leve para a sala de mensagem de fé transmitida por Calebe,
aula imagens ou figuras que representem que dizia: "Certamente prevaleceremos
a armadura de Deus citada por Paulo em contra ela" (Nm 13.30). "0 Senhor é
Efésios 6.10-18. Sugiro para o seu estudo conosco, não os temais" (Nm 14.9).
o Novo Manual de Usos e Costumes dos 2. 0 Inimigo ataca com a arma do
Tempos Bíblicos, que trás alguns detalhes ESCÁRNIO (Ne 4.3,4; Jr 20.7; SI 79.4).
sobre a armadura de Deus: Trata-se de uma arma que os inim igos
64 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
da obra de Deus têm usado em todos 5. 0 Inimigo usa como arma a AS­
os tempos. Quando os servos de Deus TÚCIA. Os samaritanos convidaram os
sofrem escárnio, são tentados a fica­ judeus para juntos se congregarem nas
rem desanim ados. Todavia devem os aldeias; porém intentavam fazer mal a
lem brar de que isso é o que os fié is Neemias. Insistiram na proposta, mas o
sempre tiveram que suportar (Hb 11.36; convite foi repetidamente recusado por
S l 35.15,16; 44.13,1 4). Nem mesmo Neemias: "Estou fazendo uma grande
Jesus escapou do escárnio (Mt 20.19; obra, [...] não poderei descer" (Ne 6.3).
27.29,39). Ele disse: "Se cham aram 6. O Inimigo usa como arma as
Belzebu ao pai de família, quanto mais AMEAÇAS. Os inimigos dos judeus ame­
aos seus domésticos?" (Mt 10.25). Isto açaram guerrear contra eles, a fim de
faz parte da cruz que devemos aceitar espalharem medo e pânico entre 0 povo
quando seguimos a Jesus (Mt 10,38,39; de Deus. Porém, diz Neemias: "Oramos
16.24,25). Os que são carnais procuram ao nosso Deus e pusemos guarda contra
escapar do escândalo da cruz (Gl 5.11). eles!" (Ne 4.9). Os judeus não atacaram
3.0 os samaritanos, mas defenderam a sua
Inimigo chama a nossa atenção
para a imensidade da tarefa. "Vivificarão área de trabalho (Ne 4 .1 3 2 0 ‫)־‬.
dos montões de pó as pedras que foram
queimadas?" (Ne 4.2). Moisés, ao olhar
SÍN TESE DO TÓ PICO II
para a dim ensão da tarefa para qual
Deus 0 chamava, recusou-se a ir. Quando, 0 Inimigo utiliza as ferramentas do
porém, Moisés meditou na Palavra de desprezo, da mentira e do escárnio,
Deus, que Deus iria com ele (Êx 3.12), e mas é importante entender que isso
que Deus seria com a sua boca (Êx 4.12), faz parte da cruz que devemos aceitar
Moisés se animou e viu as montanhas quando seguimos a Jesus.
to rn an d o -se em cam pinas (Zc 4.7).
Quem faz a obra é Deus (Is 26.12), mas
Ele usa instrumentos, ainda que estes SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO
sejam pequenos e a tarefa seja grande! 0 caráter de Neemias revela-se ili­
4. O Inimigo usa contra nós bado
os no material escrito disponível. Ele
BOATOS e as MENTIRAS. Os sarna- foi tão dotado e talentoso como qualquer
rítanos espalhavam calúnias contra homem dos tempos pós-exílicos. Seu
Neemias, dizendo que ele planejava contagioso patriotismo era profundo e
constituir-se rei (Ne 2.19;6.5,6). Tudo intenso e levava os homens a deixar suas
isto para amedrontar os judeus e assim colheitas a fim de viajar para Jerusalém
atingi-los em sua fé em Deus. Neemias e trabalhar na reconstrução do muro.
respondeu: "De tudo que dizes, coisa Sua rígida integridade, associada a uma
nenhuma sucedeu, mas tu, do teu cora­ bondosa humildade, fazem com que ele
ção 0 inventas" (Ne 6.8). Paulo escreveu: se projete como um notável exemplo de
"T o rn an d o -n o s re co m e n d áve is em liderança leiga. Sua abnegada prática
tudo... por honra e por desonra, por de recusar qualquer recompensa pelos
infâmia e por boa fama" (2 Co 4.4-8). serviços (Ne 5.14-18) deve ter deixado
Jesus aconselhou àqueles que sofrerem uma impressão indelével nos pobres
acusações mentirosas a alegrarem-se de Jerusalém. Sua intensa fé em Deus
a exultarem, e a não atentarem para o e genuína piedade eram evidenciadas
que se fala deles (Mt 5.11,12). pelo zelo que dispensava à ética e à parte
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 65
cerimonial da religião. Acima de tudo, sua exortou aos efésios a perseverarem
devoção ao dever, sua infatigável energia em "oração e súplica no Espírito" (Ef
e determinada persistência impulsionaram 6.18) e aos colossenses ele escreveu:
um grupo de homens que nunca desistiam. "Perseverai em oração" (Cl 4.2). 0 que
Neemias era um homem de ação, não é então, perseverança em oração?
um homem que se sentava para esperar a. É impedir que alguma coisa nos
que Deus fizesse com que acontecesse estorve a orar, encontrando-nos apenas
algum evento sobrenatural. A desespe­ na oração. Precisamos de uma espécie de
rada condição de seu povo exigia, sem autodisciplina, ou de controle sobre nós
demora, que fossem tomadas medidas próprios. Marta não dispunha tempo para
extremas. Analisando sua obra como um ficar aos pés de Jesus, porque estava ocu­
todo, Neemias realmente foi um homem pada (Lc 10.38-42). Quando começamos
preparado por Deus para agir naquela a orar aparecem muitos obstáculos, mas
hora" (Dicionário Bíblico W ycliffe. Rio devemos ser vitoriosos. Temos que ter
de Janeiro: CPAD, 2006, p.1350). vitória também em nossos pensamentos,
porque 0 Inimigo quer nos impedir de orar,
fazendo-nos pensar em outras coisas.
Ill - QUAL O SEGREDO DA VITÓRIA b. É persistir em orar, ainda que o
DÈ NEEMIAS E DOS JUDEUS? Diabo procure tornar pesada e difícil a
1. Os judeus venceram porque ti­ oração. Daniel orou 21 dias, e veio a res­
nham certeza de que estavam na vontade posta! E, então, ele soube que a resposta
de Deus. Neemias disse aos seus inimi­ demorara, porque os espíritos malignos
gos: "0 Deus dos céus é o que nos fará tinham impedido a resposta (Dn 10.11­
prosperar" (Ne 2.20). Neemias sabia que 14). Jesus mostrou a mesma verdade na
o Senhor 0 havia enviado para Jerusalém, parábola sobre a viúva (Lc 18.1-6).
e que pelejava por eles. Esta certeza nos c. É orar até que venha a resposta!
guarda de precipitações (Pv 29.20), e de Devemos orar "até que..." (Is 62.8; Lc
falarmos palavras impensadas (SI 106.33; 24.49). Jesus orou três vezes sobre mesma
Ec 7.9; Pv 25.11). Podemos assim governar coisa (Mt 26.44), e Paulo também orou
o nosso espírito (Pv 16.32). três vezes, até que Deus lhe respondeu
2. Osjudeus venceram pela oração. (2 Co 12.8,9). Elias orou 7 vezes, para que
Neemias era homem de oração. Com chovesse, e choveu (1 Rs 18.43-45) E os
frequência lê-se sobre como Neemias discípulos perseveraram em oração até
orava: "Ouve, ó nosso Deus; Lembra-te que o fogo caiu (At 1.14; 2.1-4).
de mim para o bem; Lem bra-te, meu d. É uma prova de que o Espírito de
Deus, de Tobias e Sambalate" (Ne 4.4; oração opera em nós (Zc 12.10; Rm 8.26;
6.14; 13.29). Aquele que ora, coloca a Ef 6.18; Jd 20). 0 Espírito Santo ora, em
sua dificuldade diante do Senhor que nós, enquanto trabalhamos; enquanto
QUER e PODE RESOLVÊ-LA! 0 mesmo nos ocupamos de nossas tarefas diárias.
Deus que nos exortou a orar, também 0 Espírito Santo não se preocupa acerca
prometeu nos responder às orações da posição de nosso corpo, isto é, se
(Jó 22.27; SI 50.15; 46.1; Mt 7.7,8,11). estamos ajoelhados, deitados ou em
3. Devemos também orar (1 Ts 5.17). pé. Isto é 0 segredo de estarmos sempre
"Orai sem cessar..." Jesus deixou-nos o orando! Dá liberdade ao Espírito - e
mesmo ensino. Falou-nos da necessidade Ele levar-te-á para esta gloriosa vida
de perseverarm os na oração, usando de oração. Aleluia. A VITÓRIA É NOSSA,
para isso uma parábola (Lc 18.1). Paulo PELO SANGUE DE JESUS. Amém.
66 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
Em sua palavra, Ele nos fez inúmeras pro­
SÍN TESE DO TÓ PICO III messas e comprometeu-se a cumpri-las
quando as levamos a sério (por exemplo,
Neemias sabia que 0 Senhor 0 havia
2 Cr 7.14; SI 50.15; Jr 33.3). A verdadeira
enviado para Jerusalém, e que pelejava
oração começa quando começamos a
por eles. Esta certeza, acompanhada
aceitar a Deus em sua Palavra.
do compromisso com a oração foram
Jesus não só nos chama a desfrutar
importantes para que 0 servo do Senhor
suas bênçãos, mas também nos envolve
alcançasse êxito na sua missão.
em uma batalha espiritual para a qual
precisamos de uma armadura e de armas.
A oração é uma das armas (Ef 6 .1 4 2 0 ‫)־‬.
SUBSÍDIO DE VIDA CRISTÃ Observamos como ela funciona quando
0 fato é que Deus se comprometeu os cristãos primitivos, no livro de Atos,
a ouvir e responder as orações de seu reagiram aos ataques do Diabo com
povo. Somos informados uma vez após oração (4.23,24; 12.54). É por meio da
a outra — e Jesus nos lembra — que o oração que colaboramos com o Senhor na
que Deus quer fazer em nós e por nós, de execução de seus planos para o mundo.
alguma maneira, depende de pedirmos Assim, a oração não é apenas um passa­
a Ele que faça isso (Mt 7.7,8; Tg 4.2). A tempo prazeroso; ela também funciona
oração é o meio concedido por Deus de e combate" (Guia Cristão de Leitura da
admiti-lo em nossa vida e necessidades. Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p.591).

PARA REFLETIR

A respeito de "Como Vencer as Oposições


à Obra de Deus", responda:
• Oual a procedência dos ataques contra a obra de Deus?
Os ataques contra a Obra de Deus procedem do próprio Diabo.
• Como devemos enfrentar os ataques do Diabo?
Com a armadura de Deus, que são as nossas armas espirituais.
• Com que armas o Inimigo nos ataca?
O inim igo nos ataca com as armas do escarnio, do desprezo, dos boatos,
das mentiras, etc.
• Como os judeus venceram a oposição?
Pela oração.
• O que nos recomenda o apóstolo Paulo?
Que oremos sem cessar.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 67


Texto Áureo Verdade Prática

"Amados, não creiais em todo espíri­


to, mas provai se os espíritos são de
Deus, porque já muitos falsos profe­ Através dos dons espirituais, a Igreja
tas se têm levantado no mundo." discerne os espíritos enganadores.
( 1 ‫ נ‬0 4.1 )

LEITURA DIARIA
Segunda 1 ‫ ־‬Jo 4 .1 6 ‫־‬ Ouinta ‫ ־‬Êx 7 .8 1 3 ‫־‬
Nem todo espírito é de Deus Os espíritos maus imitam a Deus
Terça 1 ‫ ־‬Co 2.7-16 Sexta 1 ‫ ־‬Co 12.1-11
Devemos discernir os espíritos Os dons edificam a Igreja
Ouarta 2 ‫ ־‬Ts 2 .1 1 7 ‫־‬ Sábado 1 ‫ ־‬Co 1 4 .1 2 5 ‫־‬
Os espíritos maus são enganadores 0 dom profético é útil à Igreja

68 L iç õ e s B íb lica s / P ro fe s s o r Julho/Agosto/Setembro - 2020


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Neemias 6.10-14; 1 Tessalonicenses 5.20,21; 1 Corintios 14.29

Ne 6 3 - Pora isso o subornaram, para me


0 - E, entrando eu em casa de Se- atemorizar, e para que eu assim fizesse
maías, filh o de Delaías, o filh o de e pecasse, para que tivessem alguma
Meetabel (que estava encerrado), causa afim de me infamarem e assim
disse ele: Vamos juntamente à Casa me vituperarem.
de Deus, ao meio do templo, e fe - 14 - Lembra-te, meu Deus, de Tobias
chemos as portas do templo; porque e de Sambalate, conforme estas suas
virão matar-te; sim, de noite virão obras, e também da profetisa Noadias
matar-te. e dos mais profetas que procuraram
- Porém eu disse: Um homem, como atemorizar-me.
eu.fugiria? E quem há, como eu, que 1 T e ssa lo n ice n se s 5
entre no templo e viva? De maneira !0 - Não desprezeis as profecias.
nenhuma entrarei.
- Examinai tudo. Retende o bem.
12 - E conheci que eis que não era Deus
quem o enviara; mas essa profecia 1 Co rin tio s 14
falou contra mim, porquanto Tobias !9 ‫ ־‬Efalem dois ou três profetas, e os
e Sambalate o subornaram. outros julguem.

HINOS SUG ERIDO S: 17, 212, 432 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Levar os alunos a refletirem sobre como discernir os espíritos e julgar a
profecia.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

H Destacar o cuidado que devemos ter com os


falsos profetas;

O Ressaltar que a Bíblia revela a existência dos


falsos profetas;

Φ Salientar que devemos julgar as profecias;


© Mostrar por que devemos julgar as profecias;

O Pontuar como devemos julgar as profecias.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 69


• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Há espírito de erro atualmente. Ele se manifesta fragrantémente para de­
sestabilizar a saúde espiritual da igreja local. Por isso carecemos do auxílio do
Espírito Santo para reconhecer a verdadeira voz de Deus em diversas ocasiões
em que participarmos. Devemos estar sempre em vigilância espiritual, não
podemos ser levados pelas operações de erros, pois no mundo espiritual, isso
pode ser um prejuízo fatal com implicações graves na vida material. Portanto,
que estejamos em vigilância e oração. Que o Senhor Jesus, com o auxílio do
seu Espírito Santo, nos ajude a estar atentos e despertados.

COMENTARIO
atemorizar Neemias, dizendo que ele
INTRODUÇÃO
estava em perigo de morte, e deveria
Na lição passada estudam os as fugir para dentro do templo, para assim
diferentes form as de ataques que o salvar sua vida (Ne 6.10-14). 0 exemplo
Inimigo da obra de Deus usa para lutar deixado por Balaão prova que qualquer
contra os servos de Deus. Vamos dedicar profeta que aceita suborno, ou recebe
esta lição ao estudo de como o Inimigo dinheiro para profetizar, é um falso
ataca por meio dos falsos profetas. profeta. Devemos ter cuidado, a fim de
que os falsos profetas não encontrem
I-CU ID A D O COM OS FALSOS guarida em nossas igrejas.
PROFETAS! 2. Neemias tinha o dever de exa­
1. Os samaritanos observaram que minar a profecia recebida. E ele o
os judeus davam muito valor à palavra fazia! Em primeiro lugar, estranhou a
dos profetas. Lembravam-se dos ordem para fu gir: "Um homem
profetas Ageu e Zacarias, os PONTO como eu fugiria?" Além disso,
CENTRAL
quais profetizavam com tanta ele observou que não tinha o
graça que a construção do O discernimento
espiritual é essen-
direito de entrar no templo,
tem plo, que havia estado uma vez que não era sacerdo­
ciai para a saúde
parada por quinze anos, re­ espiritual da te. Compreendeu facilmente
começou im ediatam ente, e igreja que tudo não passava de um
continuou até a inauguração ardil de Tobias e Sambalate, para
da casa de Deus. Por ocasião da atem orizá-lo e seduzi-lo a pecar.
construção do muro, a com unicação Assim, concluído o exame da profecia,
entre ju d e u s e sam aritan o s estava Neemias pôde dizer: "Conheci que não
interrompida. Os judeus recusavam as era de Deus" (Ne 6.12).
propostas de cooperação dos samarita- 0)

nos e não aceitavam as visitas deles. Em
vista das constantes recusas das suas
ofertas de am izade, os sam aritanos
SÍNTESE DO TÓPICO I
procuraram então influ en ciá-lo s por A palavra dos profetas era valorizada
meio de profecias. Tobias e Sambalate em Judá. Nesse sentido, Neemias tinha
conseguiram subornar alguns profetas, 0 dever de examinar a profecia recebida.
entre eles a profetisa Noadias, a fim de
70 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
SUBSÍDIO DIDÁTICO- a trazer a si. O altar se fendeu, e a cinza
se derramou, como o profeta havia dito.
-PEDAGÓGICO
A pedido do rei, o profeta orou a Deus e
0 professor deve ser capaz de usar a mão lhe foi restituida sã. A ordem de
bons exemplos da própria Escritura, a Deus para o profeta era que não comesse
Palavra de Deus, para ampliar pedago- pão e nem bebesse água naquele lugar,
gicamente o sentido da lição. Para isso é e que não voltasse pelo mesmo caminho
importante que ele seja um leitor perma­ (1 Rs 13.9). Havia, porém, naquele lugar
nente das Escrituras Sagradas, a fim de um velho profeta, cujo o filho lhe contou
edificar a sua vida espiritual e acumular o que fizera o profeta vindo de Judá. O
imagens na memória para ser capaz de velho profeta foi ao encontro do homem
apanhar exem plos que sirvam como de Deus, e convidou-o para comer pão.
elementos ressonantes de aprendizado. Ante a recusa do homem de Deus, 0 velho
Por isso, relate como os apóstolos profeta argumentou que um anjo lhe ha­
discerniam as várias m anifestações via falado; ordenando que convidasse o
espirituais. Em primeiro lugar, mostre profeta de Judá a voltar, para comer pão
como o apóstolo Pedro desmascarou em sua casa (lR s 13.11-15). O homem de
Ananias e Safira. Em seguida, descreva Deus não discerniu a mentira e aceitou o
de que forma Paulo discerniu o espírito convite do velho profeta. E sucedeu que
daquela jovem adivinha. Hoje, também, quando ele estava comendo pão, Deus
devemos estar sempre atentos às várias tomou o velho profeta em profecia e
manifestações espirituais. disse: "Visto que foste rebelde à boca do
SENHOR, [...] antes, voltaste, e comeste
II - A BÍBLIA REVELA A EXISTÊNCIA pão, [...] o teu cadáver não entrará no
DOS FALSOS PROFETAS sepulcro de teus pais" (lR s 13.21,22).
1. No Antigo Testamento: Depois de ter comido pão, voltou, e no
a. O trágico exemplo relatado em caminho um leão o matou, deixando-o
1 Reis 13. Um fervoro so homem de prostrado na estrada (lR s 13.23,24). O
Deus, procedente de Judá, profetizou velho profeta o recolheu, e sepultou-o
com muita coragem advertindo o ímpio no seu sepulcro, chorando lágrimas, cer­
rei de Israel, que estava junto do altar tamente de fingimento (lR s 13.26-28).
queimando incenso. Ele disse: "Altar, b. Nos dias de Jeremias havia falsos
altar! Assim diz o SENHOR: Eis que um profetas, os quais com suas profecias
filho nascerá à casa de Davi, cujo nome combatiam a palavra que Deus havia
será Josias, o qual sacrificará sobre ti enviado a Israel, por meio de Jeremias
os sacerdotes dos altos que queimam (Jr 29.21-23).
sobre ti incenso, e ossos de homens c. Quando o rei Josafá, de Judá,
se queim arão sobre ti" (v. 2). E deu visitou o rei Acabe, de Israel, este tinha
um sinal de que aquela palavra era do um grande número de profetas que pro­
Senhor: "Eis que o altar se fenderá, e fetizavam segundo a vontade de Acabe.
a cinza [...] se derramará" (1 Rs 13.3). Então o rei Josafá perguntou: "Não há
Ouvindo o rei aquela palavra, esten­ aqui ainda algum PROFETA DO SENHOR?
deu a sua mão sobre o altar ordenando E o rei Acabe respondeu que havia o
que prendessem o homem de Deus. profeta Micaías. Os que foram buscá-lo
Todavia a mão que ele estendeu contra disseram-lhe: "Vês aqui que as palavras
o profeta secou-se, e não a podia tornar dos profetas, a uma voz, predizem coisas
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 71
boas para o rei; seja, pois, a tua palavra ela dizendo que nenhum dom lhe faltava
como a palavra de um deles, e fala bem". (1C0 1.7). O conselho bíblico para nós é:
Então disse Micaías: "O que o Senhor me "Segui o amor, e procurai com zelo os
disser isto falarei". Como Micaias profe­ dons espirituais, mas principalmente o
tizou, assim aconteceu: Acabe morreu na de profetizar" (1 Co 14.1).
batalha (1 Rs 22.5-28,3537‫)־‬. 2. O despertamento renova os
d. Ainda nos dias de Jeremias, dons.
fal­ Ouando Deus renova o dom de
sos profetas conseguiram influenciar profecia e os dons de variedade de
alguns dos sacerdotes e enganar 0 povo, línguas e interpretação, por meio de
por meio deles (Jr 5.31). Dessa maneira, um despertam ento espiritual, então
o povo desviava-se dos caminhos de se torna necessário que a igreja esteja
Deus, e recusava-se a ouvir as verda­ bem doutrinada para saber como usar
deiras anunciadas por Jeremias. Moi­ os dons espirituais, e também como se
sés, Jeremias, e Ezequiel combateram deve ju lg ar as profecias, conforme a
tenazmente os falsos profetas e seus Palavra de Deus nos orienta! (1 Ts 5.19).
ensinos heréticos (Dt 13.1-18; 18.20­ Nenhuma mensagem tida como profé­
22; Jr 23.11-32; 28.6-17; Ez 13.1-18). tica está isenta de exame por parte da
2. No Novo Testamento: igreja. Conforme o ensino do apóstolo
a. Jezabel. Jesus advertiu 0 anjo da Paulo, na referência supracitada, temos
Igreja em Tiatira, por este ter permitido o direito e o dever de julgar as profe­
que uma mulher, por nome Jezab el, cias, para ver se elas estão de acordo
falsa profetisa, ensinasse e enganasse com as Escrituras. Se não estiverem ,
os membros daquela igreja, prostituin­ são consideradas anátema, pois têm o
do-os (Ap 2.20-23). objetivo de conduzir o povo de Deus
b. A Bíblia adverte que nos últimos ao erro. Fujamos das falsas profecias
tempos aparecerão falsos profetas (Mt e dos falsos profetas.
24.11,24). O espírito do Anticristo es­
tará então operando grandemente (1 Jo
2.18; 4.2,3), e fará esses falsos profetas SÍN TESE DO TÓ PICO III
operarem sinais e prodígios de mentira, Devemos julgar a mensagem pro­
com todo engano e injustiça (2 Ts 2.9,10). f ética, pois nenhuma está isenta de
exame por parte da igreja.

SÍN TESE DO TÓ PICO II


Tanto no Antigo quanto no Novo Tes- SUBSÍDIO TEOLÓGICO
tomento, a Bíblia revela a existência de "1. Devemos exercer o nosso mi­
falsos profetas. É preciso discernimento nistério proporcionalmente à nossa fé.
espiritual para não cair no engano. 3. Devemos manter atitudes certas:
contribuir com generosidade, orientar
com diligência e ter alegria em demons­
I l l -D E V E M O S JULGAR AS trar misericórdia.
PROFECIAS 9. Em bora e xerçam o s um dom
1. Deus quer a sua Igreja revestida até à sua próxim a capacidade, tudo
com todos os dons do Espírito Santo. será fú til sem o amor. Evidentemente,
A igreja em Corinto deve ser o nosso temos apenas o conhecimento parcial,
exemplo neste sentido: Paulo dirigiu-se a e é só 0 que conseguimos compartilhar.
72 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
Os dons são dados continuam ente,
segundo nossa m edida de fé (e não SÍN TESE DO TÓ PICO IV
uma vez por todas). Os dons devem
Devemos julgar as profecias porque
ser testados; devem estar sujeitos aos a Palavra de Deus mostra que os que
mandamentos do Senhor. O enfoque profetizam são sujeitos afalha, podem
é o am adurecim ento da igreja, e não ter conhecimento prévios dos fatos
a grandeza do dom. Estas verdades ou estarem sob influência maligna.
devem nos levar à humildade, à estima
por Deus e pelo próximo e à zelosa dis­
posição de obedecer a Ele" (HORTON, V ‫ ־‬COMO DEVEMOS JULGAR AS
Stanley (Ed.) Teologia Sistemática: Uma PROFECIAS?
Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: 1. Examinando as Escrituras. Uma
CPAD, 2006, pp.477,76). profecia jamais pode estar em conflito
com a Palavra de Deus. A Palavra de
IV - POR OUE DEVEMOS JULGAR AS Deus é o PRUMO (Am 7.7,8). A Palavra
PROFECIAS? de Deus é perfeita (SI 19.7). Uma men­
1. Porque a Palavra de Deus nos sagem que estiver em desacordo com
manda julgá-las (1 Ts 5 . 1 9 1 ;21‫ ־‬Co 14.29).
a Palavra de Deus, seja ela transmitida
2. Porque os que profetizam são por quem for, até por um anjo do céu,
sujeitos a falhas. Mesmo que a men­ está reprovada e deve ser rejeitada,
sagem venha de Deus, pode acontecer pois é anátema (Gl 1.8).
que o instrumento esteja sem o fruto 2. Através do dom de discerni­
do Espírito na sua vida, e a transmissão mento de espíritos. A Bíblia diz que
da mensagem seja prejudicada por esta "O que é espiritual discerne bem tudo".
causa (1C0 13.1-3). Devem os buscar, in can savelm ente,
3. Porque pode haver conheci­ receber de Deus este dom (1 Co 2.15;
mento prévio dos fatos. Quando o que Jo 7.17; Fp 1.10; Lc 12.57).
p ro fetiza conhece os problem as da Ouando uma profecia é inspirada
pessoa para quem está profetizando, por Deus, aquele que tem discernimento
pode haver 0 perigo de que a sua opinião logo a reconhece (1 Jo 1.5). Todo aquele
pessoal venha a influenciar o conteú­ que "anda na luz, como Ele na luz está"
do da m ensagem . A Bíblia diz: "Que conhece e pratica a sua Palavra, e tem
tem a palha com o trigo?" (Jr 23.28). comunhão uns com os outros (1 Jo 1.7).
A mensagem pode ser um produto da Desse modo, o espírito de mentira não
opinião daquele que profetiza. Temos o engana com suas falsas profecias. O
na Bíblia um exemplo, quando o pro­ crente, que é uma ovelha do Senhor,
feta Natã, entregou, por conta própria, conhece sem pre a voz do seu pastor
uma "mensagem profética" ao rei Davi (Jo 10.A). A noiva conhece a voz do seu
(2Sm 7.2), porém Deus mandou que ele amado (Ct 2.8; 5.2).
corrigisse a palavra dada (2 Sm 7.4-6). 3. A profecia se conhece pelo seu
4. Existe a possibilidade de que o "sabor" (Jó 6.6,7; 12.11). Também o
"profeta", ao enunciar a "mensagem "sotaque" de quem fala, faz com que
profética", esteja sendo influenciado "o filho da terra" conheça quando um
por um espírito maligno, disseminador "estrangeiro" fala. Compare "sibolet" e
de mentiras. Lemos sobre isto em 1 Rs "chibolet" (Jz 12.6). Finalmente, os que
22.7,11,19,21-23. são perfeitos têm, em razão de costume,
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 73
os sentidos exercitados para discernir 4. Se o profeta tentasse levar os
tanto o bem como o mal (Hb 5.14). israelitas ao erro, seria considerado
imediatamente um impostor. E jamais
haveria de achar lugar entre os eleitos.
SÍN TESE DO TÓ PICO V Alguns, de fato, mostravam-se seguido­
Podemos julgar a profecia por meio res de Jeová. No entanto, não passavam
das Escrituras Sagradas e do dom de de filhos de Belial: não somente induzi­
discernimento de espíritos. ram os israelitas ao erro, como também
nos levavam à derrocada nacional.
Embora vivam os noutra dispen-
SUBSÍDIO BÍBUCO-DIDÁTICO sação, as mesmas regras continuam
Como era p o ssíve l d istin g u ir 0 válidas para aferirmos a autenticidade
verdadeiro do falso profeta no Antigo dos m ensageiros do Senhor. A fin al,
Testamento? O capítulo 8 de Deutero- como afirm a o apóstolo Paulo, tudo
nômio foi um recurso revelado por Deus quanto foi escrito, para nossa instrução
ao povo, por interm édio de Moisés, a foi escrito. Se nos dedicarmos mais ao
fim de se estabelecer algum as d ire ­ estudo das Sagradas Escrituras, não
trizes para identificar o falso profeta. serem os tão facilm ente enganados.
Podemos aprender com elas também: Infelizmente, muitas igrejas, hoje, são
1 .0 verdadeiro profeta falava ludibriadas
em porque não têm mais as
nome do Senhor dos Exércitos. Aliás, era Sagradas Escrituras como a sua única
costume dos profetas em Israel iniciar regra de fé e conduta (Texto adaptado
suas m ensagens desta forma: "Assim da revista Lições Bíblicas: Maturidade
diz o Senhor dos Exércitos". Embora Cristã, Jovem e Adultos (Professor). Rio
nem sempre os verdadeiros profetas de Janeiro, CPAD, 1993, pp.32,33).
usassem esta fórmula, esta caracteri­
zava o verdadeiro profeta. Daniel, por VI. CONCLUSÃO
exemplo, não a usou; isto, porém, não 1. Ouando as profecias são provadas,
lhe descaracteriza a profecia. o conceito e a consideração dos dons
2. As palavras enunciadas pelos pro­ espirituais são conservados. Deste modo,
fetas deveríam estar em conformidade a sã doutrina é preservada de qualquer
com a Palavra de Deus. Caso contrário, o influência e erros humanos, e o Espírito
mensageiro seria execrado da comunidade Santo tem liberdade de usar os seus servos,
de Israel. Em Isaías 8.20, lemos que todos conforme a sua soberana vontade.
deveríam se ater à Lei e ao Testemunho. 2. Quando provamos as profecias,
E, se não falassem de acordo com estas estam os em condições de co rrigir
palavras jamais veriam a alva. e doutrinar a pessoa que usou erra­
3. As profecias teriam que ter, ne­ damente o dom de profecias. Assim,
cessariamente, um cabal cumprimento. doutra vez, ele dará lugar ao Espírito
Caso contrário: seriam descaracteriza­ Santo e irá usar o dom profético de
das como palavras de Deus. Note bem: modo correto.
o cumprimento profético não poderia 3. Quando provamos as profecias
ter um cum prim ento casuístico nem recebemos as bênçãos que Deus, por
circunstancial, como acontece hoje em meio delas, quer nos dar. Ficamos com
muitas igrejas. O cumprimento deveria o bom e rejeitamos o que não veio de
ser atestado por todo o povo de Deus. Deus (lTs 5.21).
74 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
PARA REFLETIR
A respeito de "Provai se os Espíritos
são de Deus ", responda:
• 0 que os samaritanos observavam nos judeus?
Que os judeus davam valor à palavra profética.
• Oual o dever de Neemias?
Examinar, pelo crivo da Palavra de Deus, as profecias recebidas.
• 0 que acontece aos dons do Espírito Santo quando há desperta-
mento espiritual?
O despertamento renova os dons espirituais.
• Qual o primeiro passo que devemos dar ao julgar uma profecia?
Examinar as Escrituras.
• Por que o dom de discernir os espíritos é importante?
Porque nos ajuda a identificar se os espíritos procedem, ou não, de Deus.

ANOTAÇÕES DO PROFESSOR
Clique aqui para fazer sua anotação

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 75


1 Λ Λ
L i^ d u ± ±
13 de Setembro de 2020
Dia Nacional de Missões

Esdras vai a Jerusalém


Ensinar a Palavra

Texto Áureo Verdade Prática

"Eprovaram a boa palavra de Deus." A Palavra de Deus é semelhante a


uma afiada espada; é poderosa e
(Hb 6.5a) penetrante.

LEITURA DIARIA
Segunda 2 ‫ ־‬Pe 1 .1 6 2 1 ‫־‬ Quinta - Sl 1 1 9 .9 7 1 0 4 ‫־‬
A Palavra de Deus é inspirada A Palavra de Deus deve ser lembrada
Terça - 1 Rs 8 .5 4 6 1 ‫־‬ Sexta - 2 Co 9 .9 1 5 ‫־‬
A Palavra é digna de confiança A Palavra deve ser semeada
Quarta - Nm 2 3 .1 8 2 3 ‫־‬ Sábado - Ef 6.17
Deus confirma a sua Palavra A Palavra é a base da nossa vitória

76 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Esdras 8 .1 1 2 ‫־‬
- Estes, pois, são os chefes de seus 7 - e dos filhos de Elõo, Jesaías, filho
pais, com as suas genealogias, os que de Atalias, e, com ele, setenta homens;
subiram comigo de Babilônia no reinado 8 - e dos filhos de Sefatias, Zebadias,
do rei Artaxerxes: filh o de Micael, e, com ele, oitenta
2 - dos filhos de Fineias, Gérson; dos homens;
filhos de Itamar, Daniel; dos filhos de 9 - dos filhos deJoabe, Obadias, filho
Davi, Hatus; de Jeiel, e, com ele, duzentos e dezoito
3 - dos filhos de Seca nias e dos filhos homens;
de Parós, Zacarias, e com ele por ge­ 0 ‫ ־‬e dos filhos de Selomite, o filho
nealogias se contaram até cento e de Josifias, e, com ele, cento e sessenta
cinquenta homens; homens;
4 - dos filhos de Paate-Moabe, Elioenai, - e dos filhos de Bebai, Zacarias, o
filho de Zeraías, e, com ele, duzentos filho de Bebai, e, com ele, vinte e oito
homens; homens;
5 - Dos filhos de Secanias, o filho de 2 - e dos filhos de Azgade, Joana, o
Jaaziel, e com ele trezentos homens; filho de Hacatã, e, com ele, cento e dez
6 ‫ ־‬e dos filhos de Adim, Ebede, filho de homens; Filho de Hacatã, e com ele
Jônatas, e, com ele, cinquenta homens; cento e dez homens;

HINOS SUG ERIDO S: 409, 509, 545 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Mostrar a eficácia da Palavra de Deus.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

Q Discorrer sobre o envio de Esdras


por Artaxerxes a Jerusalém;

O Ressaltar que Esdras ensinou a


Palavra ao povo;

Φ Asseverar que a Palavra de Deus


deve ser ensinada ao povo;

© Elencar os resultados do ensino da


Palavra de Deus.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 77


• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
O Antigo Testamento mostra que a Lei do Senhor estava intrinsicamente
ligada a vida de todo o povo e, por isso, ela também era o elemento agluti­
nador que formava a identidade dos judeus. Assim, Esdras estava dente de
que para inidar a reconstrução religiosa do povo era necessário começar
pelo ensino da Lei do Senhor, pois sem ela não há identidade espiritual nem
moral. Atualmente, podemos afirmar que a Palavra de Deus é o elemento
central para gerar avivamento, crescimento e desenvolvimento do caráter do
cristão. Amemos a Palavra de Deus, busquemos conhecê-la!

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO a) Qualquer judeu, que assim de­
sejasse, podería acompanhar Esdras a
O grande valor do ensino da Palavra Jerusalém (v.12).
de Deus é o assunto desta lição. Vere­ b) Os que fo ssem a Je ru sa lé m
mos como o governo da Pérsia enviou poderíam levar consigo ouro e prata,
Esdras a Jerusalém , a fim de verificar voluntariamente dados pelo rei e seus
se a vida eclesiástica dos judeus estava conselheiros, ou dados como ofertas
conforme a lei de Deus. voluntárias do povo (v.15).
I - A R TAXERXES ENVIA ESDRAS c) Os vasos sagrados, que ainda
estavam na Babilônia, seriam res-
1. O judeus sob o domínio PONTO tituídos (Ed v.19)
dos Pérsas. Quando o reino da CENTRAL d) Qualquer despesa seria
Pérsia derrotou Babilônia, os A Palavra paga pelo tesouro do rei.
judeus que viviam naquele lu­ de Deus é e) Não seriam impostos aos
gar passaram automaticamente eficaz. servidores do templo: direitos,
ao dom ínio do governo persa.
Os judeus puderam logo constatar tributos, rendas (v.24).
que os persas eram mais brandos do f) Esdras poderia nomear regentes
que os babilónicos. e ju izes, para que a vida eclesiástica
2. Esdras é enviado a Jerusalém, viesse a funcionar conforme a lei de
para ensinar a lei de Deus. No seu conta­ Deus (v.25).
to com Esdras, escriba e sacerdote, o rei Esdras louvou a Deus, que tinha
ficou impressionado com 0 elevado grau inspirado o rei a fazer tudo isto, e s­
de conhecimento que Esdras possuía tendendo-lhe a beneficência perante
da lei do Deus de Israel, e quis, junto o rei (vv.27,28).
com seus sete conselheiros, enviá-lo
a Jerusalém a fim de in q u irir acerca
da situação espiritual dos residentes SÍNTESE DO TÓPICO I
ali (Ed 7.14).
3. A importante carta que o rei Ataxerxes envia Esdras a Jerusalém,
enviou com Esdras. O rei enviou com onde o líder escriba e sacerdotal tem
Esdras uma carta escrita em aramaico, o objetivo de ensinar a Lei de Deus
que está registrada em Esdras 7.12-26. ao povo.
Através desta carta o rei decretou:
78 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
SUBSÍDIO DIDÁTICO­
_______ -PEDAGÓGICO
0 povo ao ouvira
0 professor precisa tocar o cora­
ção e mente com im agens vivas que
leitura, começou a chorar
façam sentido para a vida do aluno. e a lamentarse.
Essas im agens devem brotar a partir
do conteúdo da lição. Saiba que a ima­
ginação é um instrum ento poderoso
para ap licar o ensino da Palavra de Judá. Posto a par da situação, Neemias
Deus ao coração e mente do aluno. uniu-se a Esdras na tarefa para a qual
Por isso, su gerim o s que você tome este havia sido enviado.
exemplos de líderes que atuaram para 3. Esdras ensina a Palavra ao
propagar o ensino da Lei aos rincões povo. Na festa dos tabernáculos, no
de Israel. Use histórias vivas sobre o dia p rim eiro do mês sétim o houve
Moisés, 0 homem 0 qual Deus entregou
santa co n vo cação (Lv 2 3 .3 4 ,3 5 ). O
o Decálogo. Também o juiz, sacerdote povo se ajuntou como um só homem
e profeta Samuel. Você pode encerrar diante da porta das águas (Ne 8.1), e
a construção dessas im agens com o Esdras trouxe o livro da lei. A lei de
Senhor Jesu s como a Palavra encar­
Deus foi lida ao povo desde a alva até
nada de Deus na história. 0 Pai leva ao meio-dia. Havia sido construído um
tão a sério a sua Palavra que enviou púlpito de madeira para aquele fim ,
seu Filho para encarná-la no mundo. e em pé, ao lado de Esdras, havia um
grupo de 13 auxiliares (Ne 8.4). Ainda
II - ESDRAS ENSINA A PALAVRA AO cooperava um grupo de le vitas, e o
POVO objetivo era fazer todo 0 povo entender
1. Esdras sai da Babilônia e vai a o que estava sendo lido no livro da lei
Jerusalém. Conforme a ordem do rei de Deus (Ne 8.8).
Artaxerxes, Esdras viajou para Jerusalém 4. O ensino foi maravilhoso. 0
acompanhado de um grupo de judeus, povo ao ouvir a leitura, começou a cho­
a lg u n s e m in e n tes líd e re s do povo rar e a lamentar-se. Neemias e Esdras
(Ed 8.2). Recusando a escolta m ilitar tiveram que intervir, exortando-os a
oferecida pelo rei, para garantir-lhes a que se alegrassem no Senhor, porque
segurança durante a viagem, Esdras e a alegria do Senhor é nossa força (Ne
seus companheiros preferiram confiar 8.10). 0 povo então foi comer, beber
na segurança de Deus. Assim sendo, je- e festejar, porque todos entenderam
juaram e oraram para que tivessem uma as p alavras que lh es fize ram saber
boa viagem (Ed 8.21), e Deus os ouviu (Ne 8.12).
e os guardou durante todo o trajeto.
Assim chegaram em paz a Jerusalém,
onde ofereceram holocaustos a Deus
SÍNTESE DO TÓPICO II
(Ed 8.35).
2 .0 encontro de Esdras com Nee- Esdras ensina a Palavra ao povo
mias. Ouando Esdras chegou a Jerusa­ e há um grande despertamento es­
lém encontrou Neemias, o qual vinha piritual.
sendo o líder espiritual dos judeus em
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 79
SUBSÍDIO BIBLIOGÓGICO 2. Jesus ordenou o ensino da sua
Palavra. Na GRANDE COMISSÃO Jesus
"Um dos aspe cto s m ais im p o r­ ordenou que seus discípulos ensinassem
tantes da experiên cia dos israelitas todas as nações a guardarem tudo o
no monte Sin ai fo i o de receberem que lhes tinha mandado (Mt 28.19,20).
a lei de Deus através de seu líder, 3. O apóstolo Paulo conhecia a
Moisés. A Lei Mosaica (hb. torah, que im portância do ensino da Palavra.
significa 'ensino') admite uma tríplice Vejamos: "Conjuro-te pois diante de
divisão: (a) a lei moral, que trata das Deus e do Senhor Jesus Cristo... que
regras determ inadas por Deus para pregues a palavra..." (2 Tm 4.1,2). "O
um santo viver (20.1-17); (b) a lei civil, que de mim, entre muitas testemunhas,
que trata da vida ju ríd ica e so cial de ouviste, confia-o a homens fiéis, que
Israel como nação (21.1-23.33); e (c) sejam idôneos para também ensinarem
a lei cerim onial, que trata da forma e os outros (2 Tm 2.2). "Se é ensinar, haja
do ritual da adoração ao Senhor por dedicação ao ensino (Rm 12.7).
Israel, in clu sive o sistem a sa crificia l
(2 4 .12- 3 1 .18).
[...] A lei revelava a vontade de
SÍNTESE DO TÓPICO III
Deus quanto a conduta do seu povo
(19.4-6; 20.1-17; 2 1 .1 -2 4 .8 ) e pres­ A Palavra de Deus deve ser ensi­
crevia os sacrifício s de sangue para a nada porque é ordenança de Deus,
expiação pelos seus pecados (Lv 1.5; ratificada por Jesus e confirmada
16.33). A lei não foi dada como um pelos apóstolos.
meio de salvação para os perdidos.
Ela foi destinada aos que já tinham um
relacionamento de salvação com Deus
I V - RESULTADOS DO ENSINO DA
(20.2). Antes, pela lei Deus ensinou
PALAVRA DE DEUS
ao seu povo como andar em retidão
d ian te d Ele com o seu Redentor, e 1 .0 ensino da Palavra gera temor
igu alm en te diante do seu próxim o. a Deus:
Os isra e lita s deviam obedecer à lei a) Deus falou: "Ajunta-me o povo
mediante a graça de Deus a fim de per- e os farei ouvir a minha palavra, para
severarem na fé e cultuarem também que me temam todos os dias que na
por fé, ao Senhor (Dt 28.1,2; 3 0 .1 5 ­ terra viverem " (Dt 4.10). "Guarda os
20)" (Bíblia de Estudo Pentecostal. mandamentos do Senhor para o temer"
Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.146). (Dt 8.6).
b) Pelo temor a Deus o crente se
Ill - A PALAVRA DE DEUS DEVE SER aparta do mal (Pv 3.7), se desvia do mal
ENSINADA (Pv 16.6), e aborrece o mau caminho
1. Deus ordenou que a sua Palavra (Pv 8.13).
fosse ensinada a todo o povo de sete c) Como resultado do ensino da lei
em sete anos (Dt 31.9-12). Além da nos dias de Esdras, o povo confessou
leitura da Lei de Moisés, que se fazia os seus pecados, apartou-se de deuses
a cada sábado (At 15.21), os Escritos e estranhos, adorou ao Senhor seu Deus,
os Profetas deveríam ser lidos e expli­ e com Ele fez firme concerto (Ne 9.1‫־‬
cados ao povo, em convocação solene, 3,38). A Palavra de Deus é o PODER de
a cada sete anos. Deus (Rm 1.16).
80 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
2. O ensino da Palavra implanta
normas espirituais nos crentes. Essas
normas dão forma às manifestações da Pelo conhecimento
Nova Vida naquele que se converte,
naquele que, pela operação do Espírito
podemos saber que Deus
de Deus, passa a andar nos estatutos quer que todos os homens
de Deus (Ez 36.27). Vejamos algumas
destas manifestações da nova vida:
venham ao conhecimento
a) 0 crente é honesto a toda prova da verdade.
(Rm 12.17; 2 Co 8.21; Fp 4.8; 1 Pe 1.12;
Hb 13.18).
b) 0 crente jamais mente (Is 63.8; b) Pelo conhecim ento podemos
Ef 4.25; 1 Jo 2.28). 0 crente tem o saber como agradar a Deus (2C0 5.9).
testem unho de sua co n sciên cia, no Agradar a Deus não é resultado da nossa
Espírito Santo, de que não mentiu (Rm própria força, mas o próprio Deus nos
9.1). Jesus disse: "Seja, porém, o vosso dá graça para agradá-lo.
falar: Sim, sim; não, não, porque o que
passa disso é de procedência maligna" SÍNTESE DO TÓPICO IV
(Mt 5.37).
c) 0 crente jam ais se apodera de O ensino da Palavra de Deus gera
alguma coisa que não seja dele. "Aquele temor, estabelece normas espirituais
que furtava não furte mais" (Ef 4.28). nos crentes e dá conhecimento.
Zaqueu depois de salvo queria restituir
aquilo que havia defraudado (Lc 19.8).
d) 0 crente vive uma vida moral
que é exem plo de pureza. "A p ro sti­ SUBSÍDIO BIBLIOGÓGICO
tuição e toda a im pureza nem ainda "Quando 0 povo ouviu e entendeu
se nomeie entre vós" (Ef 5.3). a Palavra de Deus, todos experim en­
e) 0 crente jam ais dá falso teste­ taram uma pro fu nd a co n vicçã o de
munho de alguém (Êx 20.16; Pv 10.18; pecado e da culpa. (1) Os trechos da
Tg 4.11). lei que continham uma clara revela­
3 .0 ensino da Palavra dá conhe­
ção da condição e sp iritu a l do povo
cimento. A igreja de Corinto foi enri­ podem ter sidos Lv 26 e Dt 28; trechos
quecida porque, pelo ensino da Palavra estes que falam da bênção ou ju ízo
de Deus, havia recebido conhecimento d iv in o , co n form e a o b e d iê n cia ou
(1 Co 1.5). Consideremos: desobediência do povo à Palavra de
a) 0 conhecim ento consolida a Deus. (2) Nos avivam entos, o choro,
força (Pv 24.3), porque pelo conheci­ quando acom panhado de profundo
mento podemos saber 0 que nos é dado arrependimento (cf. cap.9), é um sinal
gratuitamente por Deus (1 C02.12). Pelo da operação do Esp írito Santo (ver
conhecim ento da verdade podemos João 16.8 nota). Sentir tristeza pelo
alcançar plena libertação (Jo 8.32). p ecad o e a b a n d o n á -lo re su lta em
Pelo conhecim ento podem os saber perdão divin o e alegria da salvação
que Deus quer que todos os homens (ver v.10 nota; Mt 5 .4 )" (Bíblia de
venham ao conhecimento da verdade Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro:
(1 Tm 2.4). CPAD, 2006, p.743).
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 81
PARA REFLETIR

A respeito de "Esdras vai a Jerusalém Ensinar


a Palavra", responda:
• Por que Esdras foi enviado a Jerusalém?
Para ensinar a Palavra de Deus.
• Em que língua estava escrita a carta que o rei persa enviou com Esdras?
Na língua aramaica.
• Quando Esdras começou a ensinar a Palavra de Deus?
Na festa dos Tabernáculos.
• Que importante líder judaico ajudou Esdras nesta importante tarefa?
Neemias.
• De acordo com a lição, qual o primeiro resultado gerado pelo ensi­
no da Palavra de Deus?
0 tem or a Deus.

ANOTAÇÕES DO PROFESSOR

Clique aqui para fazer sua anotação

82 L iç õ e s B íb lica s / P ro fe s s o r Julho/Agosto/Setembro - 2020


Lição 12
20 de Setembro de 2020
Dia Nacional da Escola Dominical

Esdras e Neemias Combatem


0 Casamento Misto

Texto Áureo Verdade Prática

"Não vos prendais a umjugo desigual


com os infiéis; porque, que sociedade 0 lar foi instituído por Deus para ser
tem ajustiça com a injustiça? E que uma bênção, desde que seja obser­
comunhão tem a luz com as trevas?" vada a orientação divina na sua
formação.
(2 Co 6.14)

LEITURA DIARIA
Segunda ‫ ־‬Gn 2 .1 8 2 4 ‫־‬ Quinta ‫ ־‬Gn 2 4 .3 8 6 7 ‫־‬
0 casamento, uma instituição divina Um casamento aprovado por Deus
Terça ‫ ־‬Êx 3 4 .1 0 1 6 ‫ ;־‬Dt 7.3 S e x t a -C l 3.19; Tt 2.4
Deus reprova o casamento misto 0 amor, a base do casamento
Quarta ‫ ־‬Jz 1 4 .1 1 6 ‫־‬ Sábado ‫ ־‬Êx 1 2 .1 2 2 3 ‫־‬
A tragédia de um casamento misto A proteção do lar

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 83


LEITURA BIBLICA EM CLASSE

Esdras 9.1-4; Neemias 1 3 . 2 3 1 0 . 1 , 2 9 , 3 0 ;9.38 ;26‫־‬


E sd ra s 9 lhes arranque! os cabelos, e os fiz
- Acabadas, pois, essas coisas, che­ jurar por Deus, dizendo: Não dareis
garam-se a mim os príncipes, dizendo: mais vossas filhas a seus filhos e não
0 povo de Israel, e os sacerdotes, e tomareis mais suas filhas, nem para
os levitas não se têm separado dos vossos filhos nem para vós mesmos.
povos destas terras, seguindo as - Porventura, não pecou nisso
abominações dos cananeus, dos he- Salomão, rei de Israel, não havendo
teus, dos ferezeus, dos jebuseus, dos entre muitas nações rei semelhante
amonitas, dos moabitas, dos egípcios a ele, e sendo amado de seu Deus, e
e dos amorreus, pondo-o Deus rei sobre todo o Israel?
2 - porque tomaram das suas filhas E, contudo, as mulheres estranhas o
para si e para seus filhos, e assim se fizeram pecar.
misturou a semente santa com os Neem ias 9
povos destas terras, e até a mão dos 58 - E, com tudo isso, fizemos umfirme
príncipes e magistrados foi a primeira concerto e 0 escrevemos; e selaram-no
nesta transgressão. os nossos príncipes, os nossos levitas
3 - E, ouvindo eu tal coisa, rasguei a e os nossos sacerdotes.
minha veste e o meu manto, e arran-
Neem ias 10
quei os cabelos da minha cabeça e da
minha barba, e me assentei atônito. - E os que selaram foram Nee-
mias, o tirsata, filh o de Hacalias, e
4 ‫ ־‬Então, se ajuntaram a mim todos
Zedequias,
os que tremiam das palavras do Deus
de Israel, por causa da transgressão -firm em ente aderiram a seus
dos do cativeiro; porém eu mefiquei irmãos, os mais nobres de entre eles,
assentado atônito até ao sacrifício e convieram num anatema e num
da tarde. juramento, de que andariam na Lei
de Deus, que foi dada pelo ministério
Neem ias 13
de Moisés, servo de Deus; e de que
!3 ‫ ־‬Vi também, naqueles dias, judeus guardariam e cumpriríam todos os
que tinham casado com mulheres mandamentos do SENHOR, nosso
asdoditas, amonitas e moabitas. Senhor, e os seus ju ízo s e os seus
24 ‫ ־‬E seus filhos falavam meio as- estatutos;
dodita e não podiam falar judaico, 0 ‫ ־‬e que não daríamos as nossas
senão segundo a língua de cada povo. filhas aos povos da terra, nem toma­
!5 - E contendí com eles, e os amai- ríamos as filhas deles para os nossos
diçoei, e espanquei alguns deles, e filhos;

HINOS SUGERIDOS: 8 8 ,1 9 3 , 515 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Salientar o perigo das uniões ilícitas.

84 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.

Apresentar o combate de Esdras e Neemias com o casamento misto;

O Explicar o porquê de um judeu não poder se casar com urna paga;


© Destacar a sobrevivência do povo judeu;
© Aconselhar a respeito do casamento de crentes;
© Incentive a espera em Deus.
• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
O casamento constitui o elemento de unidade do povo de Deus. Por isso, o
Antigo Testamento proibia a união mista. Esta trazia uma cultura alheia a do
povo de Deus e o consequente pecado de idolatria. A Bíblia menciona a idolatria
do rei Salomão como influência clara da religião de suas esposas estrangeiras.
Contra esse perigo que Esdras e Neemias se levantam, pois a prática de casamento
mistos era comum no meio do povo. Israel não poderia ser reconstruído com o
perigo de cair novamente na idolatria e violar sua identidade como povo de
Deus. Por isso os líderes da reconstrução exortam ao povo a manter a pureza
de seus princípios espirituais outorgados pela Lei de Deus.

COMENTARIO
INTRODUÇÃO misturando a semente santa. 0 povo
começou a seguir as abominações dos
Nesta lição iremos estudar o grave povos. Ele, então, chorou, rasgou os seus
problema do casamento entre judeus e vestidos, e buscou com profunda dor a
mulheres pagãs. Veremos a enérgica ajuda de Deus, reconhecendo que
ação de Esdras e de Neem ias PONTO eles, com isto, haviam deixado
para solucionar este problema, CENTRAL
os mandamentos, violando-os,
e também o que a Palavra de A união ilícita aparentando-se com os povos
Deus diz sobre o assunto. é um perigo
espiritual.
destas abominações (Ed 9.114‫)־‬.
Na lei de Deus, aparece a 0 resultado deste movimento
ordem: "Não faças concerto com foi uma purificação e tomada de
os moradores da terra, nem tomes das atitude firme em obediência à Palavra
suas filhas para os teus filhos... (Êx 34.11­ de Deus (Ed 10.1-13).
16; Dt 7.3,4). Foi por este motivo que o
sacerdote Esdras, conforme a leitura I ‫ ־‬ESD R A S E NEEMIAS COMBATEM
da nossa lição, ficou perplexo, quando O PERIGO DO CASAM ENTO MISTO
tomou conhecim ento de que o povo, 1. A ira e a reação de Esdras. Ouan-
depois de haver voltado do exílio, tomava do Esdras foi inform ado que muitos
mulheres dos povos gentílicos em redor, judeus, morando em Judá, haviam se
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 85
casado com mulheres pagãs, ele ficou enfrentado o problema do casamento
muito angustiado. Manifestando sua misto. Vários judeus, inclusive alguns
profunda tristeza, rasgou seu vestido, sacerdotes, haviam se casado com mu­
sua capa, e arrancou os cabelos, tanto lheres estranhas. Neemias os fez jurar
de sua barba como de sua cabeça, e que não mais fariam isto (Ne 13.25).
assentou-se atônito na praça. A notícia Neemias afastou de entre os sacerdotes
da reação de Esdras espalhou-se pela e de entre os levitas aqueles que eram
cidade, e m uitos reuniram -se a ele. estranhos, e contratou novos sacerdotes
Na hora do sacrifício da tarde, Esdras e levitas para preencherem os cargos
dobrou seus joelhos diante do povo, e vagos. Um dos netos do sumo sacerdote
orou a Deus (Ed 9.6-15). E todo povo Eliasibe era genro de Sambalate, e foi
chorou com grande choro (Ed 10.1). afastado por Neemias (Ne 1 3 .2 5 3 0 ‫)־‬.
2. O efeito da atitude de Esdras
foi imediato. Secanias, um judeu bem
conhecido, e que se havia casado com SÍNTESE DO TÓPICO I
uma m ulher estranha, disse a Esdras
Esdras combateu 0 perigo da união
diante de todo o povo: "Agora, pois,
mista com contundência.
façamos concerto com 0 nosso Deus, de
que despediremos todas as mulheres e
tudo 0 que é nascido delas, conforme o
conselho do Senhor e dos que tremem SUBSÍDIO TEOLÓGICO
no mandado do nosso Deus; e faça-se "A exclusividade im plícita nesta
conforme a Lei" (Ed 10.3). Disseram a resposta ecoou repetidam ente nas
Esdras: "Levanta-te, pois, porque te advertências de Esdras e Neemias ao
pertence este negócio, e nós seremos povo remanescente para separar-se das
contigo; esforça-te" (Ed 10.4). populações circunvizinhas, sobretudo
3. O arrependimento do povo. na prática matrimonial. Esdras ouviu a
Esdras levantou-se e ajuram entou a reclamação que o povo, os sacerdotes
todos que fariam conforme as palavras e os le v ita s tinham se casado com
de Secanias. E o povo jurou! (Ed 10.5). in divíd u os das nações vizin h as d es­
Todos os que haviam retornado do crentes, uma abominação que resultou
cativeiro foram convocados, e Esdras na mistura da raça santa com os que
falou-lhes: "Vós tendes transgredido e os cercavam (Ed 9.2). Como fizeram os
casastes com mulheres estranhas [...] antepassados dessas nações séculos
fazei confissão ao SENHOR [...] apar­ antes, eles entraram na terra da pro­
tai-vos [...] das m ulheres estranhas". messa para levar as práticas más dos
E responderam todos: "Assim seja; habitantes cananeus (vv.11,12).
conform e as tuas palavras, nos con­ Esdras ficou tão indignado com este
vém fazer" (Ed 10.10-12). Sobre este desarranjo das linhas demarcatórias que
negócio foram postos que Jônatas e ordenou 0 divórcio peremptório sempre
Jazeias, auxiliados por dois levitas. Eles que houvesse casamentos mistos (Ed
receberam a incumbência de supervi­ 10). Anos mais tarde, Neemias retomou
sionar 0 encerramento definitivo destas a causa. Ordenou que os israelitas que
uniões proibidas pela lei de Deus (Ed tinham se separado das nações vizinhas
10.15,16). Antes mesmo da chegada de pagãs renovassem os votos do concerto
Esdras a Jerusalém , Neemias já havia ao Senhor (Ne 9.2) e se contivessem ,
86 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
daí em diante, de casarem -se entre Ill ‫ ־‬A SOBREVIVÊNCIA DO POVO
nacionalidades diferentes (10.28). De JUDEU
interesse especial para Neemias, foi 0 Existem judeus até os dias de hoje,
problema do casamento entre judeus porque, embora espalhados por quase
com as mulheres de Asdode, Amom e todos os países do mundo (Lc 21.24),
Moabe. Comparou essas alianças com não se misturaram com os povos, no
as de Salomão, que resultaram no fim da meio dos quais passaram a viver, con­
monarquia (Ne 13.13-27)" (ZUCK, Roy servando-se sempre separados. Este é
(Ed.). Teologia do Antigo Testamento. o resultado da obediência à orientação
Rio de Janeiro: CPAD, 2018, p.215). dada na lei divina, que inspirou outras
leis que regem os ju deus em todo o
II - POR OUE UM JUDEU NÃO DEVIA
do mundo, as quais proíbem que uma
CASAR COM UMA PAGÃ?
pessoa judia se case com uma não judia.
1. Deus havia proibido 0 casamento A preservação do povo judeu é con­
misto (Dt 7.2-4; Êx 34.16; Js 23.12,13). A siderado um milagre, quando se aliam as
desobediência a esta ordem de Deus era tremendas perseguições que sofreram
um ato de rebelião. A finalidade desta durante séculos em muitos países, como
proibição era evitar que o judeu viesse por exemplo Espanha, Polônia, Inglaterra,
a seguir a religião de sua mulher pagã. por ocasião da Segunda Guerra Mundial,
2. A história de Israel registra o nazismo na Alemanha.
vários exemplos das consequências
nefastas do casamento misto. Vejamos:
a. Salom ão, filho de Davi, rei de SÍNTESE DO TÓPICO III
Israel, o que construiu o grande Templo A preservação do povo judeu é
em Jerusalém, contaminou-se por causa considerada um milagre.
dos casamentos com mulheres pagãs. Elas
perverteram seu coração, e ele passou a
seguir os seus deuses estranhos (1 Rs 11.1­ SUBSÍDIO BIBLIOGÓGICO
9). Como consequência do seu pecado no ,"[Prometemos] que não daríamos
reino de seu filho Reoboão as dez tribos as nossas filhas aos povos da terra, nem
do Norte separaram-se, e constituíram-se tomaríamos as filhas deles para os nos­
em um reino independente sob a liderança sos filhos' (10.30), preceituava o 'firme
de Jeroboão (1 Rs 12.16-19). concerto‫׳‬. Na ocasião em que ele fora
b. Acabe, rei de Israel, casou-se firm ado, a pureza racial fora tema de
com Je zab el, princesa sidônia (1 Rs preocupação comum, e eles ,apartaram
16.31). Jezabel fortaleceu 0 culto a Baal de Israel toda mistura' (13.3), indo além
em Israel, e perseguiu os profetas de do que mandava a lei, que excluía apenas
Deus (1 Rs 18.4). amonitas e moabitas. Não obstante, 0 zelo
pela natureza do sangue israelita, e em
fazer tudo para agradar a Deus, que pre­
SÍNTESE DO TÓPICO II
sumivelmente instigara tal exclusivismo,
Deus proibiu a união mista entre os evaporara-se. Ouando Neemias retornou
judeus porque a consequência dessa a Jerusalém, encontrou lá ,judeus que
prática é nefasta conforme a história tinham casado com mulheres asdoditas,
de Israel mostra. amonitas e moabitas' (13.23). O motivo
pode ter sido a paixão, é claro, porém é
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 87
mais provável que haja sido prudência (se Isto fala de uma perfeita união entre
é que se pode chamar assim), que tinha os os cônjuges, envolvendo o corpo, a alma
olhos na oportunidade e nos casamentos e o espírito de ambos. Casando-se o
por dinheiro, prestígio ou alguma outra crente com um que não é crente, pode
forma de lucro mundano. E, em alguns naturalmente obter união de corpo e
casos, Neemias descobriu que a língua em parte de alma, mas é impossível que
falada em casa, por decisão dos pais, era haja união de espírito, pois enquanto
estrangeira. [...] (13.24). Isso enfureceu um pertence ao reino de Deus o outro
Neemias, não apenas pela quebra do é do reino das trevas (2 Co 6.14). Que
voto, mas porque as crianças seriam diferença tremenda, que abre uma bre­
incapazes de partilhar da adoração em cha muito triste na união. Ainda que o
Israel, ou aprender eficazmente a Lei; crente tenha pedido perdão a Jesus por
consequentemente, não estariam aptas a esta falta cometida, vive agora preso a
transmitir a fé aos filhos que viriam a ter,
um outro com quem não tem nenhuma
e assim estaria em risco a futura unidade união no espírito. É impossível calcular 0
espiritual da nação israelita da nação de sofrimento que uma união desta natureza
Israel" (PACKER, J. I. Paixão Pela Fidelidade:
tem causado. Também a parte não crente,
Sabedoria extraída do livro de Neemias. Rionão respeita a parte crente, pois sabe que
de Janeiro: CPAD, 2010, p.212). ele errou contra a Bíblia, amando mais o
casamento do que a Deus. Em lugar de
IV ‫ ־‬UMA PALAVRA FINAL SOBRE O ter-se estabelecido um lar cristão, uma
CASAMENTO DOS CRENTES plataforma do evangelho, aumentando,
A maior bênção que Deus deu à assim, a influência espiritual da Igreja,
humanidade foi o envio de Jesus Cristo houve um triste recuo. Um soldado de
para ser o Salvador do mundo. Mas no Cristo passou para o lado oposto. Em
sentido material, a maior bênção que lugar de um lar cristão, com uma viva
Deus dá ao ser humano é o casamento. influência sobre os filhos (2 Tm 1.4,5; At
A orientação que a Bíblia dá ao eren- 7.20,21), forma-se um lar sem definição
te quanto ao casamento é: "Efica livre espiritual. Os filhos estão desprovidos
para casar com quem quiser, contanto de ajuda espiritual (Ne 13.23,24).
que seja no Senhor" (1 Co 7.39). A Bíblia
explica em 2 Co 6.14-17 as implicações SÍNTESE DO TÓPICO IV
da expressão NO SENHOR, e cada crente
0 casamento é a união total entre
que estiver pensando em casar-se deve
um homem e uma mulher.
m editar profundam ente sobre este
texto. Que Deus guarde cada crente
de algum dia aceitar um jugo desigual SUBSÍDIO DIDÁTICO-
com um in fie l. Porque assim como o
casamento na direção do Senhor enseja
-PEDAGÓGICO
a possibilidade de uma felicidade sem Conclua a lição esclarecendo aos
limites, o casamento de um crente com alunos o princípio de unidade que o
um descrente com muita probabilidade nosso Senhor Jesus ensinou na ora­
será uma infelicidade. Casamento é uma ção sa cerd o tal de João 17.18-24. É
união total entre homem e mulher. Jesus importante ressaltar que os princípios
disse: "Não são mais dois, mas uma só eternos do Reino de Deus devem ser
carne" (Mt 19.6). ap licad o s à vida inteira. Então, por
88 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
que não aplicaríam os essa coerência do amor de um companheiro ou de uma
no casamento, uma das decisões mais companheira é natural. Lembra-te de que
importantes do futuro de uma pessoa? Deus ouve a oração. Quando Eliezer orou,
Tome exemplos bíblicos como o de pedindo que Deus mostrasse quem seria
Sansão, no livro de Juizes, e o de Saio- a noiva de Isaque, recebeu uma gloriosa
mão, no livro de 1 Reis, destacando as resposta (Gn 24.12-27). Glória a Deus! Uma
dificuldades espirituais que esses dois escolha precipitada, olhando somente
líderes passaram. As consequências de para 0 que está diante de seus olhos (1 Sm
suas escolhas foram catastróficas, não só 16.7), pode impedir que recebas aquele
para eles mesmos, mas, sobretudo, para ou aquela que Deus tem preparado para
o povo que eles representavam. Finalize ti. Entrega pois a tua vida e o teu futuro a
dizendo que em relação ao casamento, a "Deus, faz que o solitário viva em família"
decisão sempre afeta mais de uma pessoa. (SI 68.6). Deus, que trouxe a companheira
Ela traz consequência para toda a família. para Adão (Gn 2.22), poderá fazer isto por
ti. Espera pois no Senhor!
V -E S P E R A EM DEUS
Findamos este estudo sobre o ca-
sarnento misto, onde a Palavra de Deus
SÍNTESE DO TÓPICO V
é muito clara neste apelo: "Espera em Ouça este bom conselho: "Espera
Deus" (SI 27.14; 37.7). Jovem! 0 seu desejo em Deus".
de ter um lar, e experimentar a riqueza

PARA REFLETIR
A respeito de "Esdras e Neemias Combatem
o Casamento Misto ", responda:
• No tocante aos casamentos mistos, qual era a recomendação do
Senhor a Israel?
"Não faças concerto com os moradores da terra, [...] tomes mulheres das
suas filhas para os teus filhos" (Êx 34.12,16).
• Qual foi a reação de Esdras ao tomar conhecimento de que os ju ­
deus haviam se unido às mulheres pagãs em casamento?
Angustiou-se muito, rasgou as vestes e arrancou os cabelos, num sinal de
pesar pela rebeldia do povo.
• Que famoso rei de Israel comprometeu sua vida espiritual em con­
sequência de casamentos mistos?
Salomão.
• No tocante ao casamento, o que recomenda a Bíblia para o crente?
"Está livre para casar, contanto que seja no Senhor".
• Por que os casamentos mistos eram perigosos para o povo judeu?
Porque ameaçavam a fé hebraica e a própria sobrevivência do povo de Israel.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 89


Através da vigilância, a Igreja se
"E as coisas que vos digo digo-as a mantera pura e não se afastará do
todos: Vigiai." modelo traçado por Cristo, rejeitando
(Me 13.37). assim as inovações e o mundanismo
dos nossos dias.

LEITURA DIARIA
Segunda ‫ ־‬Ef 4 .1 1 6 ‫־‬ Q u in ta -Ef 2 .1 9 2 2 ‫־‬
0 padrão divino para a Igreja A Igreja é a família de Deus
Terça ‫ ־‬Mc 1 6 .1 7 2 0 ‫ ;־‬At 19.11 Sexta ‫ ־‬Ef 1 . 1 7 5 . 2 3 ;23‫־‬
Numa igreja pura Deus opera maravilhas Cristo, a cabeça da Igreja
Quarta 1 ‫ ־‬Tm 3 .1 4 1 6 ‫־‬ Sábado-SI 90.17; At 9.31
A Igreja é a coluna da verdade Deus confirma o trabalho da Igreja

90 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Mateus 25.1 ‫ ־‬13
1 ‫ ־‬Então, o Reino dos céus será seme­ 9 - Mas as prudentes responderam,
lhante a dez virgens que, tomando as suas dizendo: Não seja caso que nos falte
lâmpadas, saíram ao encontro do esposo. a nós e a vós; ide, antes, aos que o
2 - E cinco delas eram prudentes, e vendem e comprai-o para vós.
cinco, loucas. 0 - E, tendo elas ido comprá-lo, chegou
3 - As loucas, tomando as suas lampa­ 0 esposo, e as que estavam preparadas
das, não levaram azeite consigo. entraram com ele para as bodas, e
4 -Mas as prudentes levaram azeite em fechou-se a porta.
suas vasilhas, com as suas lâmpadas. - E, depois, chegaram também as
5 ‫ ־‬E, tardando 0 esposo, tosquenejaram outras virgens, dizendo: Senhor, senhor,
todas e adormeceram. abre-nos a porta!
6 ‫ ־‬Mas, à meia-noite, ouviu-se um clamor: 2 - E ele, respondendo, disse: Em
Aí vem o esposo! Saí-lhe ao encontro! verdade vos digo que vos não co­
7 -Então, todas aquelas virgens se levan­ nheço.
taram e prepararam as suas lâmpadas. 3 ‫ ־‬Vigiai, pois, porque não sabeis
8 - E as loucas disseram às prudentes: o Dia nem a hora em que 0 Filho do
Dai-nos do vosso azeite, porque as Homem há de vir.o dia nem a hora em
nossas lâmpadas se apagam. que o Filho do homem há de vir.

HINOS SUGERIDOS: 17, 8 8 ,1 4 0 da Harpa Cristã


OBJETIVO GERAL
Sinalizar a necessidade de o aluno cultivar uma vida de oração e de vigilância.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada
tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com seus respectivos subtópicos.
Q Apontar o sentido da expressão "à
meia-noite";
O Revelar que "à meia-noite" é o início
de um novo dia;
Φ Expor que "à meia-noite" é a hora das
trevas;
© Destacar que "à meia-noite" marca a
vinda do noivo;
O Ressaltar o clamor da "meia-noite"
como um brado de alerta.

2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 91


• INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Vigilância remonta a uma atenção objetiva para consigo mesmo diante de
Deus, uma consciência de passar em revista o nosso coração diante do Pai. Esse
exercício requer pureza interior, honestidade para consigo mesmo. Só consegue
fazer isso quem compreendeu profundamente as implicações do Evangelho na
vida presente e na do porvir. Assim, à luz da pessoa bendita de Jesus Cristo,
somos estimulados a vigiar em todo tempo. 0 nosso Senhor nos disse que
deveriamos ficar despertados para compreender os tempos em que vivemos e
conservar afé até que Ele venha buscar a sua noiva. Sejamos, pois, vigilantes!

COMENTARIO
INTRODUÇÃO A Bíblia diz que somos o susten­
táculo da verdade (1 Tm 3.15). Que
Chegam os à últim a lição deste grande é a nossa responsabilidade! Por
trimestre. Mais urna vez o Espírito Santo
isso Jesus mandou que trabalhem os
quer nos despertar dizendo que o tempo enquanto é dia (Jo 9.4), pois a NOITE
se abrevia (1 Co 7.29). Meditemos hoje há de vir, e então não será p o ssíve l
na parábola de Jesus, escrita em Mateus fazer mais nada!
25.1-11, onde encontramos 10 virgens
que ouviram o clamor da m eia-noite
(v.6) mas apenas cinco delas estavam SÍNTESE DO TÓPICO I
preparadas para ele. Deus nos abra os À meia-noite o dia findou, tudo o
corações para compreendermos a sua que aconteceu pertence ao passado,
Palavra, pois temos a necessidade de ao ontem.
estar devidamente preparados! Amém.
I-M EIA-NOITE: O DIA OUEJÁ
SUBSÍDIO DIDÁTICO-
PASSOU
À m eia-noite (exatam ente
-PEDAGÓGICO
PONTO
às 24 horas, o dia term inou CENTRAL Esta lição deve reproduzir
definitivam ente. Tudo o que um apelo prático para a vida
É preciso vigi­
nele aconteceu pertence ao lância para con­ espiritual dos alunos. Por isso,
passado, ao dia de ontem . servar a pureza ao introduzir esta lição, men­
Este é o sentido da expressão da Igreja. cione o quanto que o Novo Tes­
à "meia-noite". Ela nos fala de tamento é mencionado ao lado
um dia, de um período de tempo da vigilân cia espiritual. A razão
que terminou. Do ponto de vista bíblico, para isso é que a vigilancia necessária
o período de tempo ("o dia") que está não é uma questão meramente humana,
para terminar é a dispensação da Igreja mas espiritual. Necessitamos da graça de
(Rm 11.25; Lc 21.24), e no momento em Deus, da orientação do Espirito Santo e de
que Jesus arrebatar a sua Igreja fiel, este sua parceria para resistir a tudo o quanto
período haverá terminado definitiva­ pretende nos tirar do alvo, da meta do
mente. Vivemos, portanto, os últimos Reino de Deus. É preciso cultivar urna
momentos da Igreja aqui na terra. vida de oração e de vigilancia.
92 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
II-M EIA-NOITE: INÍCIO DE UM de que falou o profeta Daniel'] ocorreu
NOVO DIA em dezembro 167 a.C., quando Antíoco
Este fato diz respeito ao mundo in­ Epifânio colocou um sím bolo cultual
teiro. Aproxima-se o momento exato, a pagão no altar dos holocaustos, e de­
meia-noite, quando um novo dia vai raiar. dicou o templo de Jerusalém ao deus
Que dia será esse? 0 atalaia responde: - grego, Zeus. Mas tanto Daniel quanto
"Vem a manhã e vem também a noite" (Is Je su s viram um cum prim ento m ais
21 . 11, 12). im portante. D aniel 12.1 dá um pulo
1. A manhã começará. Um novo dia, o para a frente, para o tempo da Grande
dia da eternidade, cujo início se dará quando Tribulação, e a id e n tifica como ‘um
Jesus chamar para si aqueles que lavaram tempo de angústia, qual nunca houve,
suas vestiduras em seu precioso sangue. desde que houve nação até aquele
Esse é o dia de Jesus Cristo (1 Co 1.8; 2 Co te m p o ‫׳‬. Je su s tam bém id e n tific o u
1.14; Fp 1.6,10; 2.16). Naquele momento, aquele tempo como a ‘grande aflição'
melhor do que nunca, Jesus verá o fruto do (Mt 24.21). No mundo presente, m ui­
seu trabalho e de seu sofrimento (Is 53.11). tos crentes já estão sofrendo aflição,
Os que são do Senhor ressuscitarão e serão mas a Grande Tribulação será marcada
transformados, os vivos (1 Co 15.23), e Jesus pela ira de Deus mais do que qualquer
levará a sua Noiva para a sala das bodas, coisa que o mundo já tem conhecido,
onde a Igreja e o Cordeiro se unirão para conform e in d ica A p o ca lip se 6 -1 8 .
todo o sempre (2 Co 11.2; Ap 19.9; 21.9). Naquele período, também surgirá um
Desde já oremos e digamos: "Amém. Ora ditador mundial, o Anticristo" (HORTON,
vem, Senhor Jesus" (Ap 22.20). Stanley (Ed.) Teologia Sistemática: Uma
2. A noite vem. Quando Jesus levar Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro:
a Noiva, começará também o "dia da ira CPAD, 2006, pp.633,34).
do Cordeiro", para o mundo que rejeitou
a Jesus (Ap 6.16,17). O grande lagar da Ill-MEIA-NOITE, A HORA DE
ira de Deus será pisado sem misericórdia TREVAS
(Ap 14.9; 15.7; 16.19; 19.15). As trevas Para o povo de Deus, familiarizado
dominarão a terra (Is 8.21,22). Para os com as Escrituras, nada parece estranho
homens que não houverem dado crédito nem admirável, quando vemos trevas,
às palavras de Deus começará o dia da angústias e dificuldades, pois sabemos,
vingança, e a ira de Deus será executada pela Bíblia, que estas coisas anunciam
repentinamente, assim como foi nos dias a vinda im inente de Jesus. O “ lugar
de Noé (Gn 7.11,12; Mt 24.39). escuro" em que vivem os (2 Pe 1.18),
parece ilu m in ad o p elas prom essas
gloriosas da Palavra de Deus. As nossas
SÍNTESE DO TÓPICO II almas se consolam com as profecias,
À meia-noite é o anúncio de um pois quanto mais escura a noite, mais
novo dia, mas também a chegada da perto estamos da vinda de Jesus.
noite também. 1. A natureza sente as trevas.
Quando Jesu s morreu, o So l deixou
de brilhar e houve trevas na terra (Mt
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
27.45). Hoje, toda a natureza geme, pelas
"0 cum prim ento dessa profecia coisas que hão de sobrevir à terra (Rm
[Mt 24.15, 'abominação da desolação 8.22,23). Por isso há terremotos, peste,
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 93
fome, catástrofes de toda a ordem: A e todos juntos serão arrebatados ao encon­
Bíblia já previu tudo isto (Lc 21.11,25). tro com o Senhor nos ares (1 Ts 4.11-18;
2. Os homens sentem as trevas. A 1 Co 15.5154‫)־‬. Seremos arrebatados ao
Bíblia fala de tempos difíceis, quando céu, para não sofrermos a dor e a desgraça
o homem, em particular, será atormen­ que atingirá o mundo todo. Iremos entrar
tado por tentações de toda espécie (1 nas moradas que Jesus foi nos preparar,
Tm 4.18; 2 Tm 3.1-4). As perseguições e para as quais fomos comprados com o
à Igreja, o ódio aos crentes e a corrup­ seu precioso sangue (Ap 7.14).
ção moral, provam que já anoiteceu há
muito tempo (Lc 17.28; 21.12,16,17).
3. As nações estão em trevas. Há SÍNTESE DO TÓPICO IV
guerras e rumores de guerras (Lc 21.9; A expressão "meia-noite" denota
Mt 24.6). O perigo de guerras nucleares, a vinda infalível do Noivo.
biológicas e químicas constituem uma
sombra ameaçadora, que paira sobre
todo o mundo (Lc 21.25,26). O mundo V - O CLAMOR DA MEIA-NOITE, UM
já se preparou para a maior catástrofe BRADO DE ALERTA
todos os tempos, a Grande Tribulação "Mas à m eia-noite o uviu -se um
(Mt 24.21), e não há lugar para recuo. clamor: Aí vem o esposo"! (Mt 25.6). É
As trevas da meia-noite já chegaram. este o clamor que ouvimos em nossos
dias. Meu irmão, você está ouvindo já
este clamor? Está escutando como o
SÍNTESE DO TÓPICO III
Espírito Santo diz ao mundo e aos salvos
A expressão "meia-noite" denota que Jesus vem breve? Está atento aos
que a natureza sente as trevas e que sinais dos tempos? Está atento ao cum­
as nações estão em trevas. primento das profecias? (Lc 21.28,29;
1 Pe 1.19). Quem tem ouvid o s para
ouvir, ouça o que o Espírito diz à Igreja
IV - MEIA-NOITE A VINDA DO NOIVO (Ap 2.7). Mas aqueles que já ouviram a
Durante milênios, os salvos cantaram voz do Espírito Santo devem divulgar
e falaram da segunda vinda de Jesus, as P alavras e tern as do e van ge lh o ,
muitos crentes, que esperavam aquele enquanto houver tempo! Fomos cha­
dia, dormiram no Senhor, guardando a fé; mados por Deus para sermos atalaias,
e os que hoje vivem, esperam ansiosos e nossa função é despertar o povo! (Ez
a segunda vinda de Jesus! Mas, a partir 3.17-21; Hc 2.1-3). Temos que anunciar
da "meia-noite", ninguém mais dirá que aos hom ens que Je su s vem breve.
"Jesus virá". Pelo contrário: À meia-noite Obreiros e crentes em geral: não nos
ouvir-se-á 0 clamor de júbilo incontido que cansemos de anunciar a volta de Jesus!
encherá terra e o céu: será a Noiva excla­ Não é bastante que uma vez tenhamos
mando: "CHEGOU O NOIVO‫ !!!״‬Em Mateus sido feitos filhos da luz, e vestidos de
25.10 está escrito: "Chegou o esposo". vestes nupciais. Precisam os v ig ia r e
Naquele glorioso momento, o poder do perm anecer prontos para a vinda do
Espírito Santo operará milagres (Rm 8.11; Senhor. Por isso diz a Bíblia: "Guarda
Fp 3.21), pois os que morreram em Cristo o que tens, para que ninguém tome a
ressuscitarão com corpos gloriosos, e os tua coroa" (Ap 3.11). Os membros da
que estiverem vivos serão transformados, igreja de Filadélfia eram agradáveis a
94 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020
Deus, mas precisavam "guardar" o que se os d iscíp u lo s orassem , o Espirito
haviam recebido do Senhor, para não prevalecería sobre a carne. Por que a
serem roubados. É isso que a Palavra de oração é um recurso tão im portante
Deus nos ensina, com a ordem "Vigiai" para nos manter vigilantes? Sim, porque
(Mc 13.36,37). pela oração vivemos em comunhão com
1 .0 sono espiritual é um sinal Deus.
dos Então ficamos fortes e felizes!
últimos tempos. 0 sono pode ser causa- Sim, porque pela oração vivem os em
do, primeiramente, pela desobediência comunhão com Deus. 0 rosto de Moisés
como aconteceu a Jonas (Jn 1.6). Quando resplandecia quando tinha estado com
obedecemos a Deus, somos revestidos Deus, no monte (Εκ 34.29) Sem elhan-
do poder do Espírito Santo (At 5.32), temente, também, Estêvão (At 6.15).
para não adorm ecerm os. Também a A oração é uma arma e fic a z contra
preguiça causa sono (Pv 24.30-3 3). Satanás (Ef 6.18). Quando combatemos
Quando Davi ficou em casa, desocupa- e prevalecemos contra o nosso inimigo,
do, enquanto o seu exército combatia, permanecemos vigilantes. A oração é,
caiu em tentação (2 Sm 11.1.2). Por finalmente, 0 meio pelo qual recebemos
isso é uma bênção para o crente estar as bênçãos de Deus. A oração nos enche
muito ocupado na igreja do Senhor, de sua graça, e nos faz prontos para o
servindo-o ali! Esgotamento espiritual, grande culto nas nuvens. Que Deus
por falta de renovação, também pode nos guarde, a todos, vigilantes, a fim
causar sono. Está escrito que Abraão de podermos ver, um dia, a glória de
teve que lutar contra o sono ao pé do Deus! Estejamos atentos à nossa con-
altar (G nl5.12). Precisamos do poder duta, sempre buscando a santificação
de Deus, para ficarmos fortes e resistir e purificação, para que não apareça
a tudo, inclusive ao sono. algum a mancha em nossos vestidos,
2. Seremos guardados vigilantes, porque "qualquer que nEle tem esta
se usarmos os meios que Deus põe à esperança, purifica-se a si mesmo, como
nossa disposição. Ele nos desperta também ele é puro" (1 Jo 3.3). Assim
pela sua Palavra. Jesus despertou seus estarem os sempre preparados, e um
discípulos, falando-lhes (Mt 26.45,46). dia o veremos tal como Ele é (1J 0 3.2).
Como é preciosa a Palavra de Deus!
Quem a estuda com atenção, encontra
sem pre incentivo e despertam ento.
SÍNTESE DO TÓPICO V
Aleluia! 0 Espírito Santo nos conserva
vigilan te s e acordados. Ele é como o Se estivermos vigilantes seremos
óleo na lâmpada (Mt 25.1-8). Vive, pois, guardados do sono espiritual e dis-
uma vida, onde há inteira liberdade para cerniremos os dias.
o Espírito de Deus operar (2 Co 3.17),
e isto o conservará preparado para o
encontro com o Senhor. A oração é
outro fator de importância, para o qual
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Jesus chama a nossa atenção. Disse "A Bíblia indica dois aspectos da
Ele: "Vigiai e orai para que não entreis Segunda Vinda de Cristo. Por um lado,
em tentação" (Mt 26.41; Mc 13.33). E Ele virá como o Preservador, Libertador
acrescentou: "0 espírito está pronto, ou Protetor 'da ira vindoura' (1 Ts 1.10).
mas a carne é fraca", significando que, 'Logo, muito mais agora, sendo justifi-
2020 - Julho/Agosto/Setembro Lições Bíblicas /Professor 95
cados pelo seu sangue, seremos por ele quer dizer atualmente: "Prepara-te para
salvos da ira' (Rm 5.9). Devemos manter­ te encontrares com o teu Deus" (Am
-nos espiritualm ente vigilantes, viver 4.12). E nós devemos estar prontos a
a vida sóbria, equilibrada com domínio responder: "Já a sua Noiva se aprontou"
próprio, e usar a armadura do Evangelho: (Ap 19.7,8). Lemos em Mateus 25.7 que,
a fé, o amor e a esperança da salvação, ao ouvir o clam or da m eia-noite, as
'porque Deus não destinou para a ira, virgens começaram a preparar as suas
mas para a aquisição da salvação, por lâmpadas. Meu irmão, a tua lâmpada
nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu está preparada hoje? Que Deus permita
por nós, para que, quer vigiem os, quer que nas nossas lâmpadas, nas nossas
durmamos, vivam os uns aos outros e vidas, se cumpram as palavras de Lucas
edificai-vos uns aos outros" (HORTON, 12.35,36: "Estejam cingidos os vossos
Stanley (Ed.) Teologia Sistemática: Uma lombos, e acesas, as vossas candeias. 36
Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: E sede vós semelhantes aos homens que
CPAD, 2006, p.632). esperam o seu senhor, quando houver
de voltar das bodas, para que, quando
CONCLUSÃO vier e bater, LOGO possam abrir-lhe"
Quando 0 clamor da meia-noite for (Grifo nosso). O Espírito Santo nos está
ouvido, diz a Bíblia que o seu sentido é despertando hoje para que estejamos
o seguinte: SAÍ-LHE AO ENCONTRO! É nesta condição. Estajam os atentos e
precisamente isto que o Espírito Santo sensíveis a sua voz. Amém.

PARA REFLETIR

A respeito de "A Vigilância Conserva Pura a Igreja",


responda:
• Segundo 1 Timóteo 3.15, o que somos?
Sustentáculos da verdade.
• Por que devemos trabalhar enquanto é dia?
Porque a noite vem, quando ninguém mais poderá trabalhar.
• De acordo com a lição, o que representa a meia-noite para a Igreja?
O início de um novo dia.
• O que nos assinala o sono espiritual?
Os últimos tempos.
• Como as virgens prudentes esperaram o noivo?
Com as lâmpadas cheias de azeite.

96 Lições Bíblicas /Professor Julho/Agosto/Setembro - 2020


A PARTIR DO MOMENTO
EM Q U E O ESPIRITO SA N TO
HABITA EM NÓS, CO M EÇA
A N O SSA TRANSFORMAÇÃO
O N O SSO APERFEIÇOAMENTO
P E LA GRAÇA DIVINA.

Na vida cristã, depois da decisão pessoal


de aceitar Jesus como nosso Salvador,
não há nada tão importante quanto
Quersabermais?Leiaaqui oferecermos nossa personalidade
ao controle do Espírito Santo.
Nossas vivências e saberes
transformam quem somos.
Nossa personalidade é dinâmica,
podendo ser modificada e restaurada.
A partir do momento em que
o Espírito Santo habita em nós, começa
a nossa transformação, o nosso
aperfeiçoamento pela graça divina.
QUAL E A
SUA DOR?
Quando a dor e as dificuldades parecem esmagadoras,
podemos ficar cegos para a ajuda que as passagens
da Bíblia nos oferecem.
O sofrimento nos leva a questionamentos angustiantes, como: se
Deus é bom, por que ele permitiría essa dor em minha vida? Por
que tenho que passar por isso se sou uma pessoa boa? Será que
Deus é verdadeiramente soberano sobre acidentes
e anomalias congênitas, ou é o diabo que estabelece a agenda do
mundo? Aliás, onde a pessoa que está sofrendo por conta de um
acidente ou doença, que altera a vida, encontra
paz de espírito e um propósito para viver?
As respostas para todas essas perguntas são encontradas
na Palavra de Deus. Desde o começo da raça humana,
os que estão familiarizados com o sofrimento têm se voltado
ao caráter de Deus para encontrar justiça,
buscar discernimento, descobrir propósito, ganhar força e
esperança para continuar. Se quisermos compreender totalmente
o que é o sofrimento e o que devemos fazer com ele, precisamos
gastar tempo para escavar a Palavra de Deus.