Você está na página 1de 9

TELHAS DE AÇO ZINCADO

Perfil Trapezoidal de Aço

Nas últimas décadas, os perfis trapezoidais de aço conformados a frio,


feitos de chapa de aço zincada e revestidos de material sintético,
revolucionaram, de maneira fundamental, as áreas industrial e profis-
sional da construção. A crescente necessidade de edificações com
grandes áreas levou do método de construções maciças ao de
construções leves, com estruturas com grandes vãos entre apoios. Os
perfis trapezoidais de aço representam, para o revestimento dessas
estruturas, uma excelente solução construtiva.

Os perfis trapezoidais de aço podem ser empregados em telhados,


paredes e coberturas, em grandes vãos, para o fechamento de
ambientes, nestes casos como telhas de aço, e como elemento
construtivo de sustentação de carga, nestes casos como os steeldecks.
A geometria dos perfis trapezoidais de aço, um elemento com
dobramento prismático, torna chapas de aço de pouca espessura em
um elemento de alta resistência de carga. As principais características
de alta qualidade e economicidade dos perfis trapezoidais de aço são
seu método aprimorado e automatizado de fabricação e sua facilidade
de manuseio e montagem na obra.
A Perfilor oferece uma vasta gama de perfis trapezoidais de aço na
medida exata para as mais diversas necessidades, cujas
características e possibilidades de utilização são mostradas a seguir.

Construções com Perfis de Aço Trapezoidais

Perfis de aço trapezoidais e painéis de aço perfilados são empregados


no revestimento de telhados e paredes e também como perfis para
lajes - atuando como forma e armadura a tração - e como camada
inferior de tetos (forros).
Com aproximadamente um metro de largura útil e comprimentos
definidos pelo cliente que usualmente chegam a 12 metros, as telhas de aço zincado pré-pintado se
consagraram em todo o mundo como solução leve, rápida, econômica e flexível para o revestimento de
coberturas e fachadas em edifícios industriais e comerciais e agora, uma vez reconhecido seu valor
estético e plasticidade, estão conquistando também as construções de cunho arquitetural.

PERFILOR S.A.
Rua dos Pinheiros, 498 cj. 102 - CEP: 05422-000 - São Paulo SP Brasil 1
Tel.: +55 11 3065-3400 Fax: +55 11 3065-3424
Materiais

O material básico para a fabricação de perfis trapezoidais de aço é a chapa de aço apropriada para
moldagem a frio, zincada ou zincada e pintada com revestimento orgânico.
2
O limite de alongamento desse tipo de aço deve ser, no mínimo, de 280 N/mm .
Zincagem - Aço + Zinco

A chapa de aço com zincagem por imersão a quente é uma chapa fina de alta qualidade com um
revestimento de zinco que foi aplicado através de um processo de galvanização contínua, e que adere
firmemente ao material básico, o aço. A zincagem por imersão protege a chapa de aço contra a ação da
corrosão, sendo, em conjunto com os necessários acabamentos de superfície, um excepcional fundo de
aderência para um posterior revestimento com material sintético.

No processamento de chapas tratadas com galvanização contínua, os cortes e as furações criam


forçosamente áreas que não estão mais cobertas pela camada original de zinco. No caso de elementos
construtivos feitos com chapas de aço submetidas à galvanização continua, e com espessuras de até 2
mm, essas faces de cortes, não revestidas, são protegidas da corrosão através da ação de proteção
catódica do zinco. Entre o ferro e o zinco, existe uma diferença de potencial elétrico e como o zinco é
mais eletronegativo que o metal base, a proteção galvânica continua atuando mesmo que existam
descontinuidades no revestimento. Sendo o zinco anódico, manterá sua taxa de corrosão, protegendo
catodicamente a área descoberta.

Baseado neste fato, a prática dispensa qualquer proteção suplementar para o aço exposto nos pontos
de corte das chapas zincadas com até 2 mm de espessura. Por outro lado, os produtos sacrificiais do
zinco tendem a se depositar sobre a área do ferro exposto, criando um tamponamento e reduzindo ou
até impedindo a continuidade do processo corrosivo nas áreas de corte e ou furação do material pré-
pintado.

Quando destinado a uso externo, o metal base utilizado pela Perfilor no processo de pré-pintura é o aço
zincado no Z 225 ou Z 275. A forma mais efetiva e econômica de se proteger a superfície exposta do
aço contra a corrosão é mediante um revestimento de zinco.

Revestimentos de Zinco conforme NBR7008-2003:

Tipo Peso Esp. Antiga Referência


Z80 80 5 µm (Rev. X)
Z100 100 7 µm (Rev. Z)
Z180 180 12 µm (Rev. A)
Z 225 225 16 µm (Especial)
Z 275 275 19 µm (Rev. B)
Z 350 350 23 µm (Rev. C)
Z 450 450 30 µm (Rev. D)

• Peso: revestimento em g/m² em ambas as faces, ensaio triplo.


• Esp.: espessura do revestimento em micrometros.

2
A camada de zinco em gramas por metro quadrado indica o peso do revestimento zincado, na média do
ensaio triplo, para ambas as faces da chapa. A Perfilor utiliza para as telhas pré-pintadas, chapa zincada
com um tratamento químico especificamente voltado para a linha de pintura "Coil Coating", garantindo
assim uma superfície ideal para a ancoragem do primer epóxi, base da pré-pintura utilizada pela Perfilor.

A Perfilor trabalha em estreita colaboração com a Vega do Sul, empresa também do grupo Arcelor Mittal,
e sua fornecedora de material galvanizado, atualizando a usina com os dados a respeito do
comportamento e desempenho do aço recebido, quer quanto a perfilação e dobragem das chapas, quer
quanto aos resultados da passagem pela linha de pré-pintura. Esta colaboração permitiu que ao longo
dos anos, se encontrasse a melhor relação entre a qualidade e o custo do produto final.

Revestimento com Material Orgânico - Processo de Pré-Pintura

Os perfis trapezoidais de aço zincado e pintado com material orgânico colorido, reúnem em um mesmo
produto a resistência mecânica do aço às características de proteção contra corrosão do zinco e dos
revestimentos sintéticos de alta tecnologia, às múltiplas possibilidades de coloração destes
revestimentos.

Através de um processo industrial especial de revestimento, a pré-pintura de chapas de aço, na Perfilor,


os perfis trapezoidais de aço zincado recebem uma proteção anti-corrosão de altíssima qualidade.
A chapa metálica pré-pintada é um produto de alta qualidade e é produzida por um processo contínuo
de pintura, controlado automaticamente. Ela pode ser submetida a qualquer processo de
industrialização, como corte, dobramento, puncionamento, perfilação, estampagem profunda, mantendo
intacta a qualidade do revestimento.

Uma variedade de acabamentos e cores, com diferentes níveis de brilho, testados em laboratórios sob
as condições mais severas, foram desenvolvidos visando as mais diversas aplicações, desde produtos
de uso interno como gabinetes de lavadoras e geladeiras, até telhas de aço coloridas para a construção
civil, onde o material está permanentemente exposto ao sol e à chuva. A tinta é aplicada em ambas as
faces da chapa, usando uma mesma cor ou até cores diferentes, com absoluto controle sobre o
revestimento aplicado.

Face a uma supervisão técnica acurada e à automação dos controles de sua linha de produção, a chapa
pré-pintada apresenta uma uniformidade de acabamento bastante superior a dos sistemas de pintura
tradicionais. Nos processos convencionais, a limpeza, o tratamento superficial e a pintura, são aplicados
sobre a peça já pronta. A existência de cantos, dobras e rebaixos, por exemplo, dificulta a obtenção de
uma superfície homogeneamente limpa e tratada. Pode-se observar então, uma nítida vantagem da
chapa metálica pré-pintada quando se pretende fabricar uma peça que apresenta muitos cantos e
dobras. Ao contrário da pré-pintura, o processo convencional é ineficiente nesses casos porque, quase
sempre, o revestimento não pode ser convenientemente aplicado nestas áreas.

3
Acabamento em poliéster, fluoreto de polivinilideno ou poliuretano alifático
Primer cromato epoxi
Tratamento superficial (fosfatização ou
cromatização)
Zinco ou liga Alumínio/Zinco

Aço

DIAGRAMA DE UMA CHAPA PRÉ-PINTADA

O processo de pré-pintura de uma bobina de aço compreende, basicamente, a sua passagem através
das seções de entrada, limpeza, tratamento superficial, pintura, cura e saída de uma linha contínua de
pintura, no caso, duas linhas com aproximadamente 100 metros de comprimento cada uma e
capacidade para pintar mais de 9.000 toneladas de chapas de aço por mês em conjunto.
Um rigoroso controle de qualidade é realizado durante todos os estágios do processo. Para tanto, a
empresa se vale de uma equipe técnica especializada que, respaldada por instrumentos e testes
específicos, acompanha o desenvolvimento de todo o processo, identificando prontamente qualquer
alteração que possa implicar em redução da qualidade do produto.

DIAGRAMA DA LINHA DE PRÉ-PINTURA

Na seção de entrada, onde se inicia o processo, efetua-se o desbobinamento e união sucessiva das
diversas bobinas que compõem uma mesma ordem de fabricação, o que permite trabalhar todo o
material de maneira contínua e uniforme. A limpeza da superfície metálica é realizada em quatro
estágios. Primeiramente, ambos os lados da chapa recebem aplicações por “spray” a quente de uma
solução detergente alcalina. A seguir, escovas rotativas abrasivas trabalham a superfície,
homogeneizando-a e removendo as impurezas mais aderentes. No terceiro estágio, repete-se a
aplicação da solução alcalina para, finalmente, no último estágio, promover-se, com a utilização de jatos
de água quente, a retirada total de eventuais resíduos dos estágios anteriores.

4
O tratamento propriamente dito consiste na imersão da chapa em soluções cromatizantes ou
fosfatizantes que têm a propriedade de formar sobre superfície da chapa uma camada protetora não
metálica. Evita-se, com isso, que se inicie um processo de corrosão eletrolítica sob o filme de tinta,
garantindo-se ainda, uma excelente aderência do revestimento posteriormente aplicado. O tratamento
superficial é completado pela passivação, que protege o revestimento da
ocorrência de empolamento.

Na seção de pintura e cura, inicialmente aplica-se à chapa uma pintura de


base por meio de um equipamento dotado de rolos, operado
automaticamente. Depois de curada a pintura de base em estufa de alta
temperatura e convenientemente resfriada, segue-se a aplicação, cura e
resfriamento da pintura de acabamento, também em ambas as faces e em
equipamentos e processo similares.

Na pré-pintura a espessura é homogênea e micrometricamente controlada ao longo de toda bobina. A


maioria dos processos convencionais ou semicontínuos, não permite a obtenção de películas
homogêneas, não só devido às características do processo em si, como também ao fato de que na
maioria das vezes a aplicação é feita sobre as peças já prontas.

No processo da pré-pintura as tintas utilizadas são consideradas como uma grande inovação
tecnológica, possuindo em média 65% de sólidos e altíssima resistência, flexibilidade e abrasividade. Na
maioria dos casos são utilizados primers epóxi como base e poliésteres melanínicos como acabamento

Na seção de saída, a chapa metálica, devidamente revestida, é novamente embobinada após criteriosa
inspeção de sua superfície, podendo receber, opcionalmente, a proteção de um filme provisório de
polietileno. As bobinas são então cortadas segundo o peso necessário para cada cliente.

Fabricação

Os perfis trapezoidais são fabricados a partir de bobinas de aço zincadas, através de um processo
contínuo de perfilação. Nesse método de fabricação, a bobina é desenrolada uma velocidade de até 70
m por minuto e, a seguir, ela cortada no comprimento desejado, perfilada, empilhada e, finalmente,
embalada. Desta maneira podem ser fabricados perfis trapezoidais de aço com até 20 m de com-
primento.

No processo de perfilação, a chapa de aço da bobina é


sequencialmente passada através de diversos pares rolos de aço
com formato específico que gradualmente vão moldando a chapa,
fazendo com que esta progressivamente adquira o perfil da telha ou
de outro produto encomendado.

Quase sempre, o processo de perfilação propriamente dito começa


pela parte central do perfil, para que as partes laterais de chapa,
ainda planas, possam se movimentar em direção ao centro. Com
este método de fabricação, os jogos de cilindros superiores e
inferiores moldam, cada vez mais profundamente, a chapa a ser perfilada. Com o aumento da altura do
perfil, passam a atuar sobre os flancos do perfil diferentes velocidades periféricas, causadas pelos
discos dos cilindros. Esse é um fenômeno que dificulta bastante, por exemplo, a perfilação de flancos
verticais. O formato mais apropriado para esse método de fabricação é assim, o do perfil trapezoidal.
Uma máquina roloformadeira é capaz de fabricar diversos tipos de perfis trapezoidais. Para cada
formato de perfil, é necessário um jogo de cilindros próprio que deve ser mudado toda vez que for

5
alterado o tipo de perfil. O custo relativamente alto da troca do jogo de cilindros faz com que os aspectos
econômicos tornem necessária uma determinada quantidade mínima de produção para cada tipo de
perfil. Isso, por sua vez, leva a um planejamento prévio da produção, colocando à disposíção dos
clientes uma ou duas datas de perfilação mensais para cada tipo de perfil.
Adicionalmente aos perfis trapezoidais de aço, a Perfilor fabrica também todos os arremates
necessários, tanto zincados como zincados e pré-pintados. Os arremates destinam-se à obtenção de
ligações, fechamentos e aberturas nas construções que utilizam perfis trapezoidais de aço. Esses
elementos construtivos são produzidos em dobradeira hidráulica, podendo ser fabricados com
comprimentos máximos de até 3,0 m.

Controle de Qualidade - Testes

A Perfilor mantém um rigoroso controle da qualidade durante todas as etapas do processo (pintura,
perfilação e embalagem), além do controle exercido sobre toda matéria-prima a ser utilizada na
produção das chapas e perfis pré-pintados.

Os ensaios mais importantes para o controle da qualidade da produção estão divididos em duas
categorias: imediatos e acelerados. Além destes ensaios, o
controle de qualidade da Perfilor, mantém campos para
ensaios de intemperismo natural (exposição exterior), em
quatro locais de diferentes condições ambientais: Rural,
Marítima, Industrial e Industrial/Marítima. Todos os ensaios
são normalizados e consistem em se colocar os corpos de
prova (painéis pré-pintados) em exposição exterior em
stands devidamente preparados para este fim, em ângulos
de 45º e proceder a análises regulares. Todo painel deve
estar com a face voltada para o Norte. A cada seis meses
todos os painéis são recolhidos em laboratório e analisados
quanto a aparência geral, corrosão (avanço e campo), perda de brilho, cor, calcinação, bolhas, formação
de mofo, etc.
Testes Imediatos

São testes feitos durante o processo, em amostras de toda bobina que é produzida. São eles:

• Medida de Película Seca: Feito com o auxílio de um micrômetro que é o método mais seguro e
confiável. O resultado é expresso em micrometros, que é a milésima parte do milímetro.
• Brilho: Conforme ASTM D-523-67. Para construção civil, especifica-se, na maioria dos casos, brilho
45 ± 5, medido no Glossmeter a 60º.

• Dureza à Lápis: Conforme ASTM 3363-74. Especificação: Mínimo F, máximo 2H.


• Flexibilidade: Conforme NCCA, “T Bend Test Method”, Technical Bulletin nº II -19.

• Resistência ao Impacto: Conforme ASTM D-2794-69. Especificação: nenhum destaque depois de


um impacto em 1lb x pol numericamente igual a 120 vezes a espessura do metal-base medida em
milímetros.

• Grade Plana: Conforme ABNT MB-985, com Gr O.

6
• Grade com Impacto: Idem acima, com impacto.

• Cura: Conforme NCCA, Technical Bulletin nº II-18, com cura maior que 100 fricções para poliéster e
poliéster siliconizado.

• Cor: A cor é comparada contra o padrão preestabelecido, tanto em colorímetro (Hunter-Lab), que faz
a leitura da cor através de três escalas, como visualmente em uma câmara de comparação de cores
(MC-Beth).
Testes Acelerados

Como o próprio nome indica, estes ensaios têm como objetivo acelerar o efeito dos agentes externos,
sobre o material pintado.

• Câmara Salina: Conforme ASTM B-117. Especificação: Para material zincado pré-pintado
especifica-se 1000 horas de ensaio, com bolhas menores que d2/t3 e avanço de corrosão menor
que 3/16 ““.

• Câmara de SO2: Conforme DIN 50018, com 2 litros. Especificação: Para ensaios com zincado pré-
pintado, especifica-se 5 rondas, com leve alteração de cor e ou brilho.
• Câmara de Umidade: Conforme ASTM 2247-68. Especificação: Para zincado pré-pintado,
especifica-se 240 horas de ensaio sem aparecimento de oxidação no topo do impacto, bolhas ou
avanço de corrosão.
• Meteoronógrafo (Weather-Ometer): Conforme NCCA - “Standard Method For Dewcycle” - Technical
Bulletin nº III - 7. Especifica-se para poliéster 150 cc, com queima máxima igual a 7 (conf. ASTM D
659) leve variação de cor e ou brilho.
Com estes ensaios consegue-se avaliar e acompanhar a performance real do sistema de pré-pintura em
uso pela Perfilor e dos desenvolvimentos que eventualmente se fizerem necessários. Os laboratórios do
controle da qualidade e da fábrica de tintas estão continuamente avaliando e pesquisando novos
pigmentos e resinas, colocando a Perfilor sempre ao par com o que de mais avançado se produz no
exterior e que seja também adequado às condições climáticas existentes no país.

Linha de Produtos

Telhas

LR 17: Ideal para coberturas em arco, pode ser


calandrada.

LR 25: Se usada em coberturas em arco, pode ser


calandrada.

7
LR33: Bom escoamento, também disponível em
multidobra.

LR 40 : Boa resistência mecânica, ideal para


coberturas e fachadas, disponível em multidobra.

LR 100: Grandes vãos, excelente escoamento.

Cassete 60: Para uso como revestimento interno em


coberturas ou fechamentos laterais sanduíche.

Telhas Multidobra LR 33MD ou LR 40 MD

8
Sistemas Termoacústicos

Coberturas ou fechamentos laterais compostos, compreendendo uma ou mais camadas de material


termoacústico específico, protegido perfis externos e internos de aço galvanizado, podendo contar,
quando necessário, com reforço de massa proporcionado por chapa de aço plana no entremeio. Testes
realizados e certificados pela matriz na França atestam o desempenho acústico destes sistemas.

Painéis Termilor, formados por dois perfis de aço injetados com espuma rígida de poliuretano, possuem
resistência a térmica necessária para torná-los a primeira opção na especificação de coberturas e
fachadas que proporcionem proteção contra a passagem de calor, ao mesmo tempo em que otimizam a
resistência mecânica e, consequentemente, o vão vencido pelo perfil composto. Sua face interna plana e
apenas ligeiramente nervurada dá ao lado interno da cobertura uma aparência de forro, suavizando o
ambiente.

Você também pode gostar