Você está na página 1de 58

COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Exercícios de Geometria Analítica. D) –9


Analítica. QUESTÃO 3
A soma das coordenadas do centro da
circunferência que tem raio medindo 1 u.c., que está
QUESTÃO 1 situada no primeiro quadrante e que tangencia o
A circunferência dada pela eixo dos y e a reta 4x – 3y = 0, é
equação é tangente
A) 3 u.c.
aos eixos coordenados x e y nos pontos A e B,
B) 5 u.c.
conforme a figura. O segmento é paralelo ao C) 4 u.c.
segmento e contém o centro C da D) 6 u.c.
circunferência. É correto afirmar que a área da QUESTÃO 4
região hachurada vale: Analise as assertivas e assinale a CORRETA.

a. As retas de equações y = 3x – 1 e 2x + y = 3 não


se intersectam.

b. A reta de equação y = x e o círculo definido por x2


+ y2 ≤ 1 têm dois e só dois pontos em comum.

c. Uma reta que passa pela origem e tem declive

pode ser representada pela equação y = x

d. A declividade de uma reta que contém os pontos

a) (–1,5) e (–3, 4) é dada pelo número


b)
e. A reta de equação x + y = 3 e o círculo definido
c)
por x2 + y2 ≤ 1 têm dois e só dois pontos em
d)
comum.
e)
QUESTÃO 5
QUESTÃO 2 Considere as retas r : x + 2y − 4 = 0, s : 2x + y − 5 =
A circunferência x2 + y2 + px + qy + m = 0 passa 0 e o círculo x2 + 2x + y2 − 4y = 0.
pelos pontos (–1,4), (3,4) e (3,0). Se d é a distância A reta que passa pelo centro do círculo e pela
do centro da circunferência ao ponto K(p,q), então o interseção das retas r e s é
produto m · d é igual a
a) x − 3y − 2 = 0
b) x − y − 1 = 0
A) 3
c) 2x − y − 3 = 0
B) –3 d) x + 3y − 7 = 0
e) x + 3y − 5 = 0
C) 9

1 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

E) 3.
QUESTÃO 6
Considere no plano cartesiano xy, a circunferência QUESTÃO 10
de equação (x – 2)2 + (y + 1)2 = 4 e o ponto P dado No plano cartesiano, o ponto P(1, ) pertence à
pela interseção das retas L1 : 2x – 3y + 5 = 0 e L2 : 2 2
circunferência de equação x + y – 4x = 0. A
x – 2y + 4 = 0. Então a distância do ponto P ao equação da reta que passa por P e tangencia a
centro da circunferência é: circunferência intercepta o eixo das abscissas no
ponto
(A) o dobro do raio da circunferência.
(B) igual ao raio da circunferência.
(C) a metade do raio da circunferência. A.
(D) o triplo do raio da circunferência. B. (–3, 0)
QUESTÃO 7 C. (–2, 0)

Dada a circunferência de equação x2 + y2 – 6x – D.


10y + 30 = 0, seja P seu ponto de ordenada
máxima. A soma das coordenadas de P é: E.

A 10 QUESTÃO 11
B 10,5 No plano cartesiano, os pontos (0,3) e (–1,0)
C 11 pertencem à circunferência C. Uma outra
D 11,5
E1 circunferência, de centro em (– ,4), é tangente a C
no ponto (0,3).
QUESTÃO 8 Então, o raio de C vale
Dada uma circunferência de centro C(3, 1) e raio r =
5 e, seja o ponto P(0, a), com a , é correto
afirmar. a) .
a. Se –3 < a < 5, então P é externo à circunferência.
b. Se –3 < a < 5, então P pertence à circunferência.
b) .
c. Se a = 5 ou a = –3, então P é interno à
circunferência.
d. Se a < –3 ou a > 5, então P é externo à c) .
circunferência.
e. Se a < –3 ou a > 5, então P é interno à d) .
circunferência.
e) .
QUESTÃO 9
Em um sistema Cartesiano de coordenadas, o valor
QUESTÃO 12
positivo de b tal que a reta y = x + b e tangente ao O centro da circunferência x2 + 2x + y2 = 1 pertence
círculo de equação x2 + y2 = 1 é: à reta r e esta reta é perpendicular à reta x + y = 8.
Um ponto pertencente à reta r é o ponto
A) 2.
B) 1. A) (3, 5).
B) (2, 4).
C) . C) (3, 4).
D) (5, -5).
D) .

2 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

QUESTÃO 13
Obtenha as equações das circunferências A) 6
apresentadas na figura, onde OABC é um retângulo
B) 4
de lado AO = 6 e OC = 2, e a circunferência menor
tangencia os lados do retângulo. C) 5

D) 7

E) 4

QUESTÃO 16
Sejam a circunferência λ: x2 + y2 – 2y + k = 0 e a
reta r: 3x + 4y – 19 = 0. Para que r seja tangente a
λ, k deve valer

(A) –10.
(B) –8.
(C) 0.
(D) 8.
(E) 10.

QUESTÃO 17
A) (x – 1)2 + (y – 2)2 = 1 e (x – 5)2 + (y – 1)2 = 34
Sejam A, B e C pontos de intersecção da
B) (x – 5)2 + (y – 1)2 = 1 e (x – 1)2 + (y – 3)2 = 34
circunferência x2 + y2 = 4x com as retas de equação
C) (x – 2)2 + (y – 1)2 = 3 e (x – 1)2 + (y – 6)2 = 5 y = x e y = –x. Então, a área do triângulo de vértices
D) (x – 5)2 + (y – 1)2 = 1 e (x – 3)2 + (y – 1)2 = 10 A , B e C, em u.a. (unidades de área), vale:

E) (x – 2)2 + (y + 2)2 = 1 e (x – 1)2 + (y – 3)2 = 10 A) 6 u.a.


B) 8 u.a.
QUESTÃO 14 C) 4 u.a.
Qual das seguintes retas passa pelo centro da D) 10 u.a.
circunferência x2 + y2 + 4y – 3 = 0?
E) u.a.

a) x + 2y = 4. QUESTÃO 18
b) 5x – y = 2. Sobre a reta s de equação y − 2x − 1= 0 e a
c) x + y = 0.
circunferência C de equação x2 + y2 − 2x + y − 1=
d) x – 5y = –2.
e) 2x + y = 7. 0, afirma-se:

QUESTÃO 15
Seja C o centro da circunferência de I. C tem centro no ponto .
II. s é tangente a C.
equação . Considere A e B III. s determina com o eixo das abscissas um ângulo
os pontos de interseção dessa

circunferência com a reta de equação y = x. θ tal que sen .


Nessas condições, a área do triângulo de vértices A,
B e C é igual a Para essas afirmações, pode-se garantir que é
verdadeira a alternativa

3 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

01) apenas I. 1. Os pontos de coordenadas cartesianas A(0, 2),


02) apenas II. B(2, 3) e C(4, 4) não são colineares.
03) apenas I e III.
04) apenas II e III. 2. A equação da reta que passa pelos pontos de
05) I, II e III. coordenadas cartesianas D(1, –2) e E(2, 2) é y + 6 =
4x.
QUESTÃO 19
Considere o circulo de centro O e de equação x2 + 3. Um dos pontos de intersecção da circunferência

y2 = 4 e a reta que passa pelo ponto A = (0, 6) e é (x – 3)2 + y2 = 2 com a circunferência (x – 1)2 + (y +
tangente ao círculo em um ponto B do primeiro 1)2 = 5, tem coordenadas cartesianas (2,1).
quadrante. A área do triângulo AOB é
4. A equação da reta que é paralela à reta x – 3y = –
(A) . 14 e que tangencia a circunferência (x – 2)2 + (y +
1)2 = 10 é x = 3y – 5.
(B) 6.

Assinale a alternativa correta.


(C) .
a) Somente a afirmativa 3 é verdadeira.
(D) 8. b) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.
(E) . e) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
QUESTÃO 20 QUESTÃO 22
A altura de um triângulo equilátero é igual ao
Considere o círculo x2 + y2 – r2 = 0 de raio r e a
diâmetro do círculo de equação ,
hipérbole x2 – y2 = 1. Nesse caso, pode-se afirmar
Dois dos vértices do triângulo pertencem ao eixo
das abscissas, e o outro, ao círculo. A equação da que:
reta que tem inclinação positiva e que contém um
dos lados do triângulo é: a) se r < 1, então as curvas se interceptam em
quatro pontos.
(A) . b) se r = 1, então as curvas têm quatro pontos em
comum.
(B) . c) se r = 1, as curvas se interceptam em (0, 1) e
(C) . (0, –1).

d) se r = , então as curvas se interceptam


(D) .
apenas nos pontos (3, ) e (–3, ).

(E) . e) se r > , então as curvas se interceptam em


quatro pontos.
QUESTÃO 21
Com base nos conhecimentos de geometria QUESTÃO 23
analítica, considere as seguintes afirmativas: Considere, no plano cartesiano Oxy, a
circunferência C de

equação e sejam P e Q

4 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

os pontos nos quais C tangencia os eixos Ox e Oy, que é paralela à reta x – y – 5 = 0 e que tem como
respectivamente. Seja PQR o triângulo isósceles equação

inscrito em C, de base , e com o maior


01) y = x + 4
perímetro possível.
02) y = x + 2
03) y = x – 1
Então, a área de PQR é igual a
04) y = –x + 2
05) y = –x – 1
a)
QUESTÃO 27
b) Qual a maior distância entre um ponto da

c) circunferência com equação (x – 2)2 + (y – 3)2 = 1 e


a origem do sistema de coordenadas?
d)

e) A seguir, estão esboçadas a circunferência (x – 2)2

QUESTÃO 24 + (y – 3)2 = 1 e a reta y = 3x/2, que passa pela


Dada a circunferência de origem e pelo centro da circunferência.

equação e os
pontos A = (p, –1) e B = (1,1), o valor de p para que
o centro da circunferência e os pontos A e B
estejam alinhados é:

A) 3
B) 2
C) –3
D) 4
E) –4

QUESTÃO 25
Em um sistema de coordenadas cartesianas
ortogonais, os pontos A(–2,4), B(6,–2) e C(–2,–2)
são os vértices do triângulo ABC. Qual a equação
da circunferência circunscrita a esse triângulo?

A) x2 – 12x + y2 – 16y + 100 = 0 A)


2 2
B) x – 4x + y – 2y – 95 = 0 B)
C) x2 – 4x + y2 – 4y – 92 = 0
C)
D) x2 – 4x + y2 – 4y – 17 = 0
D)
E) x2 – 4x + y2 – 2y – 20 = 0
E)
QUESTÃO 26
QUESTÃO 28
2 2
Na circunferência de equação (x – 1) + (y – 2) = 9, Sejam M e N os pontos em que a reta y = x
o ponto que tem menor abscissa pertence à reta r
intercepta a circunferência x2 + y2 – 4x – 2y + 4 = 0.

5 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Se P é um ponto desta circunferência tal que o


triângulo MNP é retângulo, então a medida da área C) .
deste triângulo, em unidade de área, é
D) .
A) 1,0.
QUESTÃO 31
B) 1,5.
Se (m, n) são as coordenadas do centro da
C) 2,0.
D) 2,5. circunferência x2 + 2 x + y2 − 6y + 7 = 0, então
QUESTÃO 29 (−3m + n) é igual a:
Um arquiteto fez o projeto de uma praça em formato
elíptico, com quadras poliesportivas, um anfiteatro e
alguns quiosques, e desenhou a planta dessa praça 01)
em um plano cartesiano, tendo o metro como a 02) 1
unidade de comprimento. 03) 0

04)
O anfiteatro, em forma de um círculo, tem um palco
05) −3
que está delimitado por um arco da circunferência
que contorna o anfiteatro e por uma corda dessa QUESTÃO 32
circunferência, situada sobre a reta cuja equação é
3x − y + 4 = 0. Sabendo-se que a equação da
2
circunferência é x2 + y − 10x − 8y + 16 = 0, é
correto afirmar que essa corda tem o comprimento
de:

a) 2m

b) m
A forma geométrica de algumas galáxias, como, por
c) 8m
exemplo, a da Via Láctea, pode ser modelada, em
d) m escala, pela seguinte construção: no sistema de
coordenadas cartesianas xOy, a espiral é formada
e) m por semicírculos cujos centros estão no eixo Ox. O
primeiro semicírculo, , construído no semiplano
y 0, tem o centro na origem e raio = 1 m,
como ilustra a figura I. O segundo semicírculo, ,
QUESTÃO 30
construído no semiplano y 0, com raio > ,
O ponto P = (x,y), cujas coordenadas x e y são
é tal que as extremidades esquerdas dos
números inteiros positivos, está sobre a
circunferência cujo centro é a origem do sistema de semicírculos e coincidem (figura II). O
semicírculo é construído no semiplano y 0,
coordenadas e o raio mede 10 m. O valor de
com raio > e com a extremidade direita desse
é
semicírculo coincidindo com a do semicírculo
(figura III). A construção da sequência , ...,
A) . de semicírculos prossegue dessa forma. Duas
maneiras distintas de serem escolhidos os raios dos
B) .

6 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

semicírculos , , ..., são definidas pelas semicírculo , será igual a 1.022 m.


condições a seguir.
• Considere que uma partícula percorra a trajetória
Condição I: o raio de cada semicírculo é igual ao da espiral construída a partir da condição II, no
raio do semicírculo anterior acrescido de 1 m; sentido horário, e que a intensidade da força
Condição II: o raio de cada semicírculo é igual ao centrífuga que atua sobre ela se mantenha
dobro do raio do semicírculo anterior. constante em toda a trajetória. Nessa situação, a
velocidade angular da partícula varia segundo a
Com base nessas informações, e considerando que
expressão , em que k é uma constante e
a unidade de medida dos eixos cartesianos é o
n 0 é um número inteiro que indica o
metro, julgue os itens que se seguem (certo ou
errado). semicírculo no qual a partícula se encontra.

• A equação da reta que passa pelos pontos de • Uma partícula que se move com velocidade
angular constante sobre a espiral construída
interseção do semicírculo com a parte positiva
segundo a condição II terá, em cada instante t, a
do eixo Ox e com a parte negativa do eixo Oy é x +
posição de sua projeção sobre o eixo Ox descrita
y = 1.
pela expressão , em que t é
• O ponto (7, 0) pertence à espiral construída de o tempo transcorrido desde o instante em que a
acordo com a condição I. partícula se encontrava no ponto inicial de e rn é
o raio do semicírculo no qual a partícula se
• Se , , , ..., forem os semicírculos
encontra no instante t.
construídos segundo a condição I, então a distância
dos centros desses semicírculos com relação à QUESTÃO 33
origem do sistema xOy será uma função crescente
de n.

• Se os semicírculos forem construídos de acordo


com a condição I, então o comprimento da espiral,
do ponto inicial de até o ponto final do
semicírculo , será igual a 66 m.

A figura I mostra um aparelho utilizado para se


• Se uma partícula percorrer a trajetória da espiral
determinar a razão carga/massa (e/m) do elétron.
construída segundo a condição I, no sentido horário,
Nesse equipamento, um feixe de elétrons produzido
com velocidade linear constante, então, na
por um canhão de elétrons é injetado em uma
passagem do primeiro semicírculo para o segundo,
região de campo magnético criado por um par de
a intensidade da aceleração radial da partícula
bobinas. Dependendo da velocidade dos elétrons e
diminuirá pela metade.
da intensidade do campo magnético, os elétrons
podem realizar um movimento circular entre as
• Os pontos (4, 0), (6, 0), (8, 0) e (10, 0) não
bobinas. Essa situação é ilustrada
pertencem à espiral construída de acordo com a
esquematicamente na figura II, que mostra a
condição II.
estrutura do canhão acelerador de elétrons e duas
trajetórias diferentes obtidas em condições distintas
• Se os semicírculos forem construídos a partir da
do aparelho, em um sistema de coordenadas
condição II, então o comprimento da espiral, do
cartesianas xOy. No canhão de elétrons, um
ponto inicial de até o ponto final do filamento incandescente aquece uma placa metálica

7 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

no cátodo, para liberar elétrons de sua superfície.


Esses elétrons são, então, acelerados em direção
ao ânodo por um potencial acelerador. Ao chegarem
ao ânodo, eles passam por uma abertura e são
ejetados do canhão para dentro da região de campo
magnético, onde o feixe se curva. O gráfico da
figura III mostra a relação entre a diferença de
potencial e a corrente elétrica do filamento do
canhão. Na figura II, os pontos P = (5, 5), Q = (10,

0), R = e S = (17, 0) têm os valores


Disponível em: <http://scienceniche.com/wp-
dados em centímetros.
content/uploads/2008/09/lhc12.jpg>.

Considerando essas informações e sabendo que a O LHC (Large Hadron Collider ou, em português,
massa e a carga do elétron são iguais a 9,1 × 10 –31 "Grande Colisor de Hadrons") traz a promessa de
–19 responder a alguns dos mais profundos mistérios da
kg e 1,6 × 10 C, respectivamente, julgue os
ciência, ao investigar as partículas mais
itens a seguir (certo ou errado). elementares da matéria e replicar fenômenos que
tiveram lugar durante o big bang, a explosão que
• A circunferência que passa pelos pontos O, P e Q teria dado origem ao Universo.
2 2 A primeira leva de prótons se deslocou por alguns
é descrita pela equação x – 10x + y = 0.
instantes quase à velocidade da luz pela estrutura
• A circunferência que passa pelos pontos O, P e Q circular de 27 quilômetros, a cerca de 100 metros
pode ser descrita pelo conjunto dos números abaixo da superfície. O momento histórico ocorreu
às 5h28min (hora de Brasília) desta quarta-feira
(10/09/2008) [...].
complexos z = x + yi, tais que , em
Disponível em: <http://agencia.fapesp.br/9407>.
que Re(z) denota a parte real do número complexo
Acesso em: 25 jul. 2011. Adaptado.
z e i é a unidade imaginária.

De acordo com as informações do texto, é correto


• Os triângulos OPQ e ORS são semelhantes.
afirmar que uma possível equação que descreve o
LHC, em um sistema de eixos coordenados
• A reta que passa pelos pontos P e Q é paralela à
cartesianos, é
reta x + y = 0.

• Considerando que corresponde à área do 01) x2 + y2 − 2x − 4y − 13,49 = 0


triângulo OPQ; , à do triângulo ORS; à da 02) x2 + y2 + 4x − 6y − 14,04 = 0
semicircunferência que passa pelos pontos O, P e
Q; e , à da semicircunferência que passa pelos 03) x2 + y2 + 2x + 6y − 19,16 = 0
pontos O, R e S, é correto afirmar que . 04) x2 + y2 − 6x − 4y − 20,64 = 0
QUESTÃO 34 05) x2 + y2 + 4x − 2y − 23,09 = 0

QUESTÃO 35
Na figura a seguir, a circunferência C1 tem raio 1 e
a circunferência C2, de centro (2,4), tem raio 2. A
reta r forma um ângulo de 30o com o eixo das

8 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

ordenadas e passa pelo centro das duas I II


circunferências. O coeficiente angular de uma reta no plano
que intercepta o eixo x no ponto P(a, 0) e o
0 0
eixo y no ponto Q(0, a) com a > 0 é um
número positivo não nulo.
Se uma reta no plano intercepta uma
circunferência, também no plano, em dois
pontos
1 1 distintos, a distância entre esta reta e o
centro da circunferência será maior ou igual
ao
raio.
Retas no plano com coeficiente angular
estritamente positivo são representadas por
2 2
equações do tipo y = f(x) com f : R →
R função crescente do 1º grau.
Se a distância entre os centros de duas
circunferências no plano for maior que a
3 3
soma de seus raios, essas circunferências
não terão pontos em comum.
Independentemente das coordenadas do
centro, circunferências no plano podem ser
Sabendo que a distância entre os pontos A e B é 4 4 descritas pela equação x2 + y2 + Ax + By +
igual a 2, as coordenadas (x0 ,y0) do centro da C = 0 para coeficientes A, B e C reais,
circunferência C1 são: devidamente escolhidos.

QUESTÃO 37
(A) No plano cartesiano, a circunferência que passa
pelos pontos A(2,0), B(0,3) e pela origem O(0,0)
intercepta a reta y = x em dois pontos. Um deles
tem coordenadas cuja soma é:
(B)
A) 5
B) 4,5
C) 4
(C) D) 3,5
E) 3
(D) QUESTÃO 38
No plano cartesiano, a curva de equação y = x2 − 2x
+ 1 intercepta o círculo de raio 1 e centro (1,1) em
(E) três pontos, A, B e C. Então, a área do triângulo
QUESTÃO 36 ABC é:
Assinale, na coluna I, as afimativas verdadeiras e,
(A) 0,5
na coluna II, as falsas.
(B) 1
Analise as afirmações a seguir e conclua.
(C) 1,5
(D) 2
(E) 2,5

9 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

QUESTÃO 39 04)
No plano cartesiano, os pontos A(1,2) e B(−2,−2)
05)
são extremidades de um diâmetro de uma
circunferência; essa circunferência intercepta o eixo QUESTÃO 43
das abscissas em dois pontos. Um deles é:
A) (4,0) A reta y = mx + n intercepta a circunferência x2 + y2
= 1 no ponto (–1,0) e em um segundo ponto
B) localizado no primeiro ou no quarto quadrante. Os
C) (3,0) valores possíveis de m situam-se, exatamente, entre

D) a) – 0,5 e 0,5.
E) (2,0) b) –1,0 e 0,0.
c) 0,0 e 1,0.
QUESTÃO 40 d) –1,0 e 1,0.
Se c é um número real positivo, a
QUESTÃO 44
equação é representada no Considerando a circunferência C de equação (x –
sistema cartesiano usual por um quadrado Q. Se Q
3)2 + (y – 4)2 = 5, avalie as seguintes afirmativas:
é circunscrito à circunferência x2 + y2 = r2, então a
I. O ponto P(4, 2) pertence a C.
relação é igual a
II. O raio de C é 5.

A) 0,5. III. A reta passa pelo centro de C.


B) 2,0.
C) 1,5. Assinale a alternativa correta.
D) 1,0.

QUESTÃO 41 a) Somente a afirmativa I é verdadeira.


A área de um quadrado inscrito na circunferência de b) Somente a afirmativa II é verdadeira.
c) As afirmativas I, II e III são verdadeiras.
equação x2 – 2y + y2 = 0 é d) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.

a) QUESTÃO 45
b) 1. Considere o triângulo, cujos vértices estão no centro

c) da circunferência S1: e na
d) 2.
interseção da circunferência S1 com a curva S2:
e)
. É correto afirmar que a
QUESTÃO 42 área, em unidade de área, deste triângulo é igual a:
A reta 3x + 4y − 6 = 0 determina na circunferência
a)
x2 + y2 − 2x − 4y + 1 = 0 uma corda MN de
comprimento igual, em u.c., a:

b)
01) 6

02)
03) 3 c)

10 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

coordenadas inteiras é

d) a) 5.
b) 6.
c) 7.
e) d) 8.
e) 9.

QUESTÃO 49
QUESTÃO 46 Determine a equação da circunferência centrada no
Considere os pontos P = (−2, −1) , Q = (0, 0) e R = vértice da parábola y = x2 − 6x + 8 e que passa
(1, 2) do plano. Sobre a circunferência que passa pelos pontos em que a parábola corta o eixo x.
por esses três pontos, é CORRETO afirmar que:
a) (x − 2)2 + (y − 4)2 = 4
o
a) seu centro está no 4 quadrante. 2 2
b) (x − 3) + (y + 1) = 2
b) é um diâmetro. c) (x − 1)2 + (y − 3)2 = 9
c) ela é tangente à reta y = 0.
d) seu centro está sobre a reta de equação y = −x. d) (x + 1)2 + (y − 3)2 =
e) ela é tangente à reta y − x + 10 = 0.
e) (x − 2)2 + (y − 3)2 = 4
QUESTÃO 47
Considere, em um sistema ortogonal de
QUESTÃO 50
No desenho a seguir, que não está em escala, a
coordenadas cartesianas, duas circunferências λ 1 e
reta y = 3x é perpendicular à reta que passa pelo
λ2, tangentes entre si, com respectivos centros ponto (2,0). O ponto de interseção dessas retas é A.
A equação da circunferência com centro em A e
C1(3, 0) e C2 (0, 3) e o raio de λ2 sendo o dobro do
tangente ao eixo x é dada por
raio de λ1. Com relação a essas circunferências,
assinale o que for correto.

01) A reta de equação x − 2y = 0 é tangente a


ambas as circunferências.
02) O eixo das abscissas é secante a ambas as
circunferências.
04) O ponto de tangência comum das

circunferências dista da origem do sistema de


coordenadas.
08) A reta de equação x + y = 3 contém o ponto de
tangência comum das circunferências.
16) A equação de λ1 é x2 + y2 − 6x + 7 = 0.

QUESTÃO 48
Construídas no mesmo sistema de coordenadas
cartesianas, as inequações x2 + y2 < 4 e y < x + 1
delimitam uma região no plano. O número de pontos
que estão no interior dessa região e possuem a)

11 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

b) a) 2,9.
b) 2,8.
c) 2,7.
c)
d) 2,6.
e) 2,5.
d)
QUESTÃO 54
QUESTÃO 51 No plano cartesiano, o ponto C(2,3) é o centro de
No plano cartesiano 0xy, a reta de equação x + y = uma circunferência que passa pelo ponto médio do
2 é tangente à circunferência C no ponto (0, 2).
segmento , em que P é o ponto de coordenadas
Além disso, o ponto (1, 0) pertence a C. Então, o
(5,7). A equação da circunferência é:
raio de C é igual a:

A 4x 2 + 4 y 2– 16 x – 24 y + 27 = 0
a) Bx2+y2–4x–6y+7=0
C 4 x 2 + 4 y 2 – 16 x – 24 y + 29 = 0
b)
2 2
Dx +y –4x–6y+8=0
c) E 4 x 2 + 4 y 2 – 16 x – 24 y + 31 = 0

d)
QUESTÃO 55
No plano cartesiano, uma circunferência tem centro
C(5, 3) e tangencia a reta de equação 3x + 4y – 12
e)
=0.
QUESTÃO 52 A equação dessa circunferência é:
No plano cartesiano, a reta tangente à
circunferência de equação x2 + y2 = 8, no ponto P a) x2 + y2 – 10x – 6y + 25= 0
de coordenadas (2, 2), intercepta a reta de equação b) x2 + y2 – 10x – 6y + 36 = 0
y = 2x no ponto: 2 2
c) x + y – 10x – 6y + 49 = 0
d) x2 + y2 +10x + 6y + 16 = 0
A 2 2
e) x + y +10x + 6y + 9 = 0
B QUESTÃO 56
No plano cartesiano, uma circunferência, cujo centro
C se encontra no segundo quadrante, tangencia os
eixos x e y. Se a distância da origem ao centro da
D circunferência é igual a 4, a equação da
circunferência é:
E

QUESTÃO 53 A x2 + y2 + (2 )x – (2 )y + 10 = 0
No plano cartesiano, há duas retas paralelas à reta
de equação 3x + 4y + 60 = 0 e que tangenciam a B x2 + y2 + (2 )x – (2 )y + 8 = 0
2 2
circunferência x + y = 4. C x2 + y2 – (2 )x + (2 )y + 10 = 0
Uma delas intercepta o eixo y no ponto de ordenada

12 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

vértices de um triângulo. A área desse triângulo é:


D x2 + y2 – (2 )x + (2 )y + 8 = 0

E x2 + y2 – 4x + 4y + 4 = 0 a) 22.
b) 24.
QUESTÃO 57 c) 25.
Num sistema cartesiano de coordenadas, a equação d) 26.
x2 − 2x + y2 + 4y = 4 descreve uma circunferência e) 28.
de centro C e raio r . A equação da reta que passa QUESTÃO 60
pelo ponto C e tem coeficiente angular igual a r é: Os pontos P = (p, 0) e Q = (0, q), com 0< q <p, são
as extremidades de um diâmetro da circunferência
a) y = 3x − 5
x2 + y2 – 8x – 6y = 0. A equação da mediatriz do
b) y = 2x − 4
c) y = 3x + 5 segmento PQ é
d) y = 2x + 4
A) 3y + 4x + 25 = 0.
QUESTÃO 58 B) 3y + 4x – 25 = 0.
Observe o círculo representado no sistema de C) 3y – 4x + 7 = 0.
coordenadas cartesianas. D) –3y + 4x + 7 = 0

QUESTÃO 61
São dados, no plano cartesiano, o ponto P de
coordenadas (3, 6) e a circunferência C de equação
(x – 1)2 + (y – 2)2 = 1. Uma reta t passa por P e é
tangente a C em um ponto Q. Então a distância
de P a Q é

a)

b)

c)

d)

e)
Uma das alternativas a seguir apresenta a equação QUESTÃO 62
desse círculo. Essa alternativa é Um círculo tangencia a reta r, como na figura a
(A) (x – 2)2 + (y – 3)2 = 10. seguir.

(B) (x + 2)2 + (y + 3)2 = 13.

(C) (x – 2)2 + (y – 3)2 =13.


(D) (x – 2)2 + y2 = 10.
(E) x2 + (y + 3)2 = 13.

QUESTÃO 59
Os pontos de interseção do círculo de equação (x –
4)2 + (y – 3)2 = 25 com os eixos coordenados são

13 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

O centro do círculo é o ponto (7, 2) e a reta r é


definida pela equação 3x – 4y + 12 = 0.
A equação do círculo é

a) (x – 7)2 + (y – 2)2 = 25.


b) (x + 7)2 + (y+2)2 = 25.
2 2
c) (x – 7) + (y + 2) = 36.
d) (x – 7)2 + (y – 2)2 = 36.

e) (x + 7)2 + (y – 2)2 = 36.

QUESTÃO 63
Uma aeronave faz sua aproximação final do destino,
quando seu comandante é informado pelo
controlador de voo que, devido ao intenso tráfego
aéreo, haverá um tempo de espera de 15 minutos
para que o pouso seja autorizado e que ele deve
permanecer em rota circular, em torno da torre de
controle do aeroporto, a 1 500 metros de altitude,
até que a autorização para o pouso seja dada. O
comandante, cônscio do tempo de espera a ser QUESTÃO 64
despendido e de que, nessas condições, a aeronave A figura a seguir mostra uma circunferência
que pilota voa a uma velocidade constante de Vc tangente ao eixo y, com centro C sobre o eixo x e
(km/h), decide realizar uma única volta em torno da diâmetro de 10 unidades.
torre de controle durante o tempo de espera para
aterrissar.
Sabendo que o aeroporto encontra-se numa planície
e tomando sua torre de controle como sendo o
ponto de origem de um sistema de coordenadas
cartesianas, determine a equação da projeção
ortogonal, sobre o solo, da circunferência que a
aeronave descreverá na altitude especificada.

14 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Determine a equação da reta s, perpendicular à reta


r, tangente à circunferência e que contém pontos
do 2º quadrante.

QUESTÃO 67
Determine uma equação da circunferência inscrita
no triângulo cujos vértices são A = (1; 1); B = (1; 7) e
C = (5; 4) no plano xOy.

QUESTÃO 68
No desenho a seguir, a reta y = ax (a > 0) e a reta
que passa por B e C são perpendiculares,
interceptando-se em A. Supondo que B é o ponto (2,
0), resolva as questões a seguir.
a) Sabendo que A = (8,4) e que r : 3y + x = 20 é a
reta que passa por A e B, calcule a área do triângulo
CAB.

b) Encontre as coordenadas do ponto D, indicado na


figura acima, no qual a reta r intercepta a
circunferência.

QUESTÃO 65
Considere a circunferência de centro C(1,0) e a reta
t que a tangencia no ponto P(0,2).

a) Determine o raio e a equação da circunferência.


a) Determine as coordenadas do ponto C em função
b) Determine a equação da reta t .
de a.
QUESTÃO 66
Considere a reta r determinada pelos pontos P e Q b) Supondo, agora, que a = 3, determine as
e a circunferência , de centro C, que passa pelo coordenadas do ponto A e a equação da
ponto A, conforme representados no plano circunferência com centro em A e tangente ao eixo
cartesiano abaixo. x.
QUESTÃO 69
São dados, no plano cartesiano de origem O, a
circunferência de equação x2 + y2 = 5 , o

ponto e a reta s que passa por P e é


paralela ao eixo y. Seja E o ponto de ordenada
positiva em que a reta s intercepta a circunferência.

Assim sendo, determine

a) a reta tangente à circunferência no ponto E.


b) o ponto de encontro das alturas do triângulo OPE.

QUESTÃO 70

15 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Seja a circunferência C de equação x2 + y2 + 6


x – 6y + 27 = 0.
Determine a abscissa e a ordenada do ponto P de C
que esteja o mais próximo possível da origem do
sistema de coordenadas cartesianas.

QUESTÃO 71
Suponha um trecho retilíneo de estrada, com um
posto rodoviário no quilômetro zero. Suponha,
também, que uma estação da guarda florestal esteja
localizada a 40 km do posto rodoviário, em linha
reta, e a 24 km de distância da estrada, conforme a
figura a seguir.

b) Pretende-se substituir as antenas atuais por uma


única antena, mais potente, a ser instalada em um
ponto da estrada, de modo que as distâncias dessa
antena ao posto rodoviário e à estação da guarda
a) Duas antenas de rádio atendem a região. A área florestal sejam iguais. Determine em que quilômetro
de cobertura da primeira antena, localizada na da estrada essa antena deve ser instalada.
estação da guarda florestal, corresponde a um
QUESTÃO 72
círculo que tangencia a estrada. O alcance da
A circunferência de centro em (2, 0) e tangente ao
segunda, instalada no posto rodoviário, atinge, sem
eixo y é interceptada pela circunferência C, definida
ultrapassar, o ponto da estrada que está mais
próximo da estação da guarda florestal. Explicite as pela equação x 2 + y 2 = 4, e pela semirreta que
duas desigualdades que definem as regiões parte da origem e faz ângulo de 30º com o eixo-x,
circulares cobertas por essas antenas, e esboce conforme a figura abaixo.
essas regiões no gráfico seguinte, identificando a
área coberta simultaneamente pelas duas antenas.

a) Determine as coordenadas do ponto P.

b) Calcule a área da região sombreada.

16 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

QUESTÃO 73 QUESTÃO 74
A figura abaixo ilustra o símbolo olímpico Calcule a distância d entre os pontos de interseção
representado em um sistema de coordenadas das circunferências com equações:
cartesianas ortogonais. x2 + y2 – 2x – 2y + 1 = 0 e x2 + y2 – 4x – 2y + 4 = 0.
Indique 4d2.

QUESTÃO 75
Considere as n retas

em que os coeficientes mi, em ordem crescente de i,


formam uma progressão aritmética de razão q > 0:
Se mi = 0 e a reta r5 tangencia a circunferência de

equação x2 + y2 = 25, determine o valor de q.

As cinco circunferências C1, C2, C3, C4 e C5 têm QUESTÃO 76


todas raios iguais a 3 cm. C3 é centrada na origem Considere as seguintes regiões do plano cartesiano
xoy:
do sistema e C1 e C5 têm os centros no eixo das
abscissas equidistantes da origem. Os centros de
C2 e C4 têm mesma ordenada negativa e situam-se e

a2 cm da origem. As circunferências C2 e

C3interceptam-se em dois pontos, sendo um deles A) Identifique e esboce graficamente a região A.


de coordenadas (−3, 0). Com relação ao exposto,
assinale a(s) alternativa(s) correta(s). B) Identifique e esboce graficamente a região B.

C) Calcule a área da região .


01) A equação reduzida da circunferência C2
QUESTÃO 77
é . Considere uma circunferência de equação
02) Os centros de C2 e C4 estão a 2 cm do
eixo das ordenadas. (x – a)2 + (y – b)2 = r2
04) O par de coordenadas de um dos pontos de
em que a e b são números reais e r é um número
interseção das circunferências C3e C4
real positivo.
é .
Sabe-se que
08) O ponto de coordenadas pertence
a uma das circunferências do símbolo olímpico. • a reta de equação y = x + 5 tangencia essa
circunferência no ponto T = (1, 6); e
• a reta de equação y = x + 3 determina, nessa
16) A circunferência C5 pode ser descrita pela circunferência, uma corda PQ de comprimento
equação x 2 −16x + y 2 + 54 = 0 .
2

17 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

DETERMINE os valores de a, b e r.

QUESTÃO 78
Em um sistema de coordenadas cartesianas
ortogonais, considere os pontos A (1, 5), B (3, 1) e C
(0, 17) . Determine

A) a equação da reta r que passa por A e B;


B) a equação da reta s que passa por C e é paralela
a r;
C) a equação da circunferência que passa por A e B
e é tangente a s.

QUESTÃO 79
Com base na figura acima, assinale a(s)
No plano cartesiano Oxy, a circunferência C tem
proposição(ões) CORRETA(S).
centro no ponto A=(–5,1) e é tangente à reta t de
equação 4x-3y-2=0 em um ponto P. Seja ainda Q o
ponto de intersecção da reta t com o eixo Ox. 01. A equação da reta que contém o segmento

é .
Assim:

02. A área do hexágono da figura, em unidades de


a) Determine as coordenadas do ponto P.
b) Escreva uma equação para a circunferência C. área, é .
c) Calcule a área do triângulo APQ.

QUESTÃO 80 04. A equação da mediatriz do segmento


O artista holandês Mauritius Cornelis Escher, que
é .
dedicou toda a sua vida às artes gráficas, criou uma
grande série de litografias impregnadas de
08. A equação da circunferência circunscrita ao
geometrismo, figurativismo e ornamentalidade.
hexágono da figura
Traduziu visualmente e de modo sugestivo
problemas matemáticos e geométricos em seus
é .
edifícios inacabados ou em suas fabulações
caracterizadas por uma relação impressionante
entre superfície e espaço. Na figura dada, Verbum 16. O apótema do hexágono da figura mede
(Terra, Céu e Águia), julho de 1942, litografia de unidades de comprimento.
autoria de M. C. Escher, tem-se o hexágono regular QUESTÃO 81
ABCDEF com lado medindo 6 unidades de 2 2
comprimento. Seja (λ) a curva x + y – 12x – 16y + 75 = 0, e os
pontos P(0, 0) e Q(12, 16).

a) Faça em seu caderno de respostas o plano


cartesiano ortogonal (x, y) e represente nele a curva
(λ) e os pontos P e Q.

b) Calcule o comprimento do menor caminho de P a


Q que não passe pela região do plano determinada
por x2 + y2 – 12x – 16y + 75 < 0.

18 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

QUESTÃO 82
Sendo r a reta no plano cartesiano representada de centro no ponto e raio é
pela equação 2x + 3y = 5, é correto afirmar: chamado de círculo de Ford e é representado por
C[p,q]. Com base no exposto, assinale o que for
(01) A reta paralela à reta r que passa pelo ponto correto.
(−3, 0) pode ser representada pela equação 2x + 3y
= −6 .

(02) A reta perpendicular à reta r que passa pela 01) A área de C[p,q] é .
origem pode ser representada pela equação −3x +
2y = 0 . 02) Nenhum círculo de Ford tangencia o eixo
das abscissas.

(04) Para cada , existe uma única 04) A equação cartesiana da circunferência que
circunferência com centro (c, 0) que é tangente à delimita C[1,2] pode ser escrita
reta r.
como .
(08) O triângulo cujos vértices são a origem e os
pontos de interseção da reta r com os eixos 08) Se dois círculos de Ford, com centros nos
pontos M e N, com M ≠ N , são tangentes no ponto
coordenados tem área igual a unidades de área. T, então, os pontos M, N e T são colineares.

(16) A imagem da reta r pela rotação de ângulo de 16) Os círculos C[1,2] e C[1,3] são tangentes entre
si.
60º, em torno do ponto , no sentido anti- QUESTÃO 85
horário, coincide com o eixo das abscissas.
O para-raios, inventado por Benjamin Franklin,
consiste de uma haste metálica pontiaguda,
(32) Dado um ponto , existem infinitas colocada a certa altura do chão e ligada com cabos
circunferências de centro (a, b) que interceptam r. elétricos a outra haste metálica, aterrada ao chão. A
região, em terra plana, protegida por esse tipo de
QUESTÃO 83 para-raios tem formato circular.
Uma circunferência de centro no ponto C(5,4) é Admita que uma região plana seja representada
tangente à reta de equação . pelo plano cartesiano e que as circunferências cujas
equações são x2 + y2 + 4x – 21 = 0 e x2 + y2 – 12x
a) Essa circunferência intercepta o eixo das
= 0 delimitam as regiões circulares R1 e R2, áreas
abscissas?
protegidas pelos para-raios P1 e P2,
b) Qual é a posição relativa do ponto P(3,2) em respectivamente.
relação a essa circunferência? Considerando as regiões de proteção de cada um
dos para-raios, identifique as afirmativas corretas:
c) Obtenha a equação da reta que passa pelo ponto
P(3,2) e é tangente a essa circunferência.
I. Uma pessoa localizada no ponto A1 = (–3, 2) está
QUESTÃO 84 protegida pelo para-raios P1.
Dados números inteiros p e q de forma que a
II. Uma pessoa localizada no ponto A2 = (3, 3) está
fração seja irredutível, e considerando um
protegida pelo para-raios P2.
sistema de coordenadas cartesianas xOy, o círculo

19 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

III. Uma pessoa localizada no ponto A3 = (1, 5) está


protegida pelos dois para-raios.
IV. Uma pessoa localizada no ponto A4 = (2, 2) não
está protegida por nenhum dos dois para-raios.
V. A área da região protegida pelo para-raios P2 é
maior do que a área da região protegida pelo para-
raios P1.

20 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

p = –2
QUESTÃO 1
B Substituindo o valor de p na terceira equação:

–6 + m = –9
m = –3
RESOLUÇÃO:
Reescrevendo a equação da circunferência, temos:
Substituindo o valor de m e p na primeira equação:

2 + 4q – 3 = –17
Portanto, a circunferência tem centro em (2,2) e raio q = –4
2.
Portanto, a equação da circunferência é:
Observando o desenho, vemos que a área
hachurada pode ser dividida em três partes: o
x2 + y2 – 2x – 4y – 3 = 0
triângulo retângulo isósceles ABC cujos lados iguais
BC e AC medem R=2, e dois setores circulares, (x – 1)2 + (y – 2)2 – 1 – 4 – 3 = 0
BCN e MCA, de 45º.
(x – 1)2 + (y – 2)2 = 8
A área do triangulo ABC é:

Logo, o centro da circunferência é o ponto (1,2), e o


ponto K = (–2, –4). Então, a distância d é:
As áreas dos setores circulares de 45º, juntas,
formam um setor de 90º, ou seja, 1/4 da
circunferência, portanto:

O produto m · d procurado é igual


A soma das áreas, é, portanto:
a .

QUESTÃO 2 QUESTÃO 3
D C

RESOLUÇÃO: RESOLUÇÃO:
De acordo com os pontos pelos quais a Se o raio da circunferência mede 1, as coordenadas
circunferência passa, tem-se: de seu centro são (1, yc):

Subtraindo a primeira equação da segunda,


encontra-se:

4p = –8

21 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

RESOLUÇÃO:
A equação da circunferência pode ser escrita da
seguinte maneira (x + 1)2 –1 + (y – 2)2 – 4 = 0, ou (x
+ 1)2 + (y – 2)2 = 5, portanto seu centro é o ponto C
(–1, 2).

A interseção entre r e s é encontrada resolvendo o


sistema:

Além disso, a distância do centro à reta 4x – 3y = 0


também é 1: Somando as duas equações, encontramos y = 1 e
depois x = 2, portanto a interseção entre as duas
retas é o ponto P = (2, 1).
O coeficiente angular da reta que contém C e P
Como y0 > 0, temos que as coordenadas do centro
são (1, 3), cuja soma é 4 u.c. é , e a equação da reta
é

QUESTÃO 4
C
QUESTÃO 6
A
RESOLUÇÃO:
a) Falsa. Resolvendo o sistema formado pelas duas
equações, conclui-se que as retas se intersectam no RESOLUÇÃO:
A partir da equação da circunferência, sabe-se que
ponto . seu centro é o ponto C = (2,–1), e seu raio é 2.
2 2
b) Falsa. O círculo definido por x + y ≤ 1, que tem
centro na origem e raio 1, tem infinitos pontos em As coordenadas do ponto P são a solução do
comum com a reta y = x. sistema formado pelas equações das duas retas
dadas, conforme o cálculo a seguir.
c) Verdadeira. Toda reta da forma y = ax + b tem
declividade a.

d) Falsa. A declividade é .
e) Falsa. A reta e o círculo não têm nenhum ponto Assim, P = (2,3) e a distância entre P e C é:
em comum.

QUESTÃO 5
Como o raio da circunferência é igual a 2, pode-se
E afirmar que a distância do ponto P ao centro da

22 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

circunferência é igual ao dobro do raio da


circunferência.

QUESTÃO 7
A

RESOLUÇÃO:
O centro da circunferência é C(3,5) e o raio é r = 2,
obtidos a partir da sua equação.
Portanto o ponto de máxima ordenada é tal que: x =
3 e y = 5 + 2 = 7, ou seja, o ponto P tem
coordenadas (3,7).

O ponto P(0, a) está sobre o eixo y. Portanto, se a <


–3 ou a > 5, P é externo à circunferência.

QUESTÃO 9
C

RESOLUÇÃO:

Solução 1:

A reta tangente, sendo da forma y = x + b, tem


coeficiente angular 1 e tangencia o círculo em um
2 2
ponto (e, f) tal que e, f ≠ 0, f = e + b e e + f = 1 (*).
Por outro lado, dado um ponto (e, f) do círculo x2 +
QUESTÃO 8 2
y = 1 com e, f ≠ 0, a reta passando pela origem e
D pelo ponto dado tem coeficiente angular f/e. Como a
tangente a um círculo por um ponto do mesmo
círculo é perpendicular ao raio que passa pelo
RESOLUÇÃO: ponto, segue que a reta tangente ao círculo no
Observe a figura: ponto (e, f) tem coeficiente angular –e/f.

Comparando os dois valores para o coeficiente


angular da tangente, obtemos e = –f, relação que

substituída em (*) fornece (e, f) =

ou . Segue agora de b = f – e > 0 que

23 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

(e, f) = , e daí b = . Assim, a reta

tangente procurada tem equação y = x + .

Solução 2:

A reta y = x + b será tangente ao círculo x2 + y2 = 1


se e só se o sistema de equações

A reta que passa pelos pontos P e C, possui

tiver uma única solução. Substituindo a expressão


para y na segunda equação, obtemos a equação de coeficiente angular igual a .
Logo, a reta que passa por P e tangencia a
segundo grau x2 + ( x + b)2 = 1, que deve então ter circunferência, é tangente a reta PC e seu
raízes iguais. Logo, seu discriminante deve ser coeficiente angular
identicamente nulo, o que nos fornece a equação será:
(2b)2 – 4 · 2(b2 – 1) = 0 , ou ainda b2 = 2. Como b >

0, temos b = . .
Então, a equação da reta tangente à
circunferência que passa pelo ponto P é
QUESTÃO 10
C
Portanto, para y = 0, temos

que , ou seja,
RESOLUÇÃO: ela intercepta o eixo das abcissas no ponto (–2, 0).
Analisando a equação da circunferência e utilizando
completamento de quadrados, temos:
QUESTÃO 11
E
. Logo, o
centro da circunferência é o ponto C (2, 0) e o raio é
igual a 2.
A partir dessas informações e das do enunciado, RESOLUÇÃO:
temos a seguinte representação: Pelo enunciado, concluímos que o segmento de reta
formado pelos pontos (0,3) e (–1,0) é uma corda da
circunferência C. Assim, a reta (mediatriz) que
passa pelo ponto médio (M) desta corda passa pelo
centro da circunferência C.
Portanto, para determinarmos a equação desta reta
mediatriz, calcularemos seu ponto médio e sua
inclinação:

24 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Um ponto pertencente à reta r é o ponto (3,4), pois 4


= 3 + 1.

e
. QUESTÃO 13
A equação da reta mediatriz será: D

RESOLUÇÃO:
Como as duas circunferências são tangentes no
Observe que o centro da circunferência maior é
ponto (0,3), temos que os seus centros e este ponto
também o centro do retângulo, portanto, o ponto (3,
são colineraes. Assim sendo, calcularemos a
1).
inclinação desta reta e sua equação:

e equação de
reta:
Logo, igualamos as duas equações e obtemos o
ponto do centro da circunferência C:

Calculamos o raio da circunferência usando o ponto


O raio R da circunferência maior é a hipotenusa de
O: (1,1) e (–1,0):
um triângulo retângulo de catetos 1 e 3. Logo:

Como a circunferência menor tangencia o retângulo,


seu raio é 1, e seu centro é o ponto (5, 1).
Portanto, as equações das circunferências são:
QUESTÃO 12 2 2 2 2
(x – 5) + (y – 1) = 1 e (x – 3) + (y – 1) = 10
C

QUESTÃO 14
RESOLUÇÃO: B
A equação da circunferência pode ser escrita
como:

. RESOLUÇÃO:
Portanto, o centro da circunferência é o ponto (-1,0). A equação da circunferência pode ser escrita como:

A reta x + y = 8 pode ser escrita como y = 8 ‒


x, portanto, tem coeficiente angular igual a ‒1. Assim, a circunferência tem centro no ponto (0, –2).
Assim, a reta r (que é perpendicular) tem coeficiente
angular igual a 1. Como r passa pelo ponto (‒1, 0), Das retas dadas, a única que passa por (0, –2) é a
sua equação é: y ‒ 0 = 1(x + 1), ou y = x + 1.

25 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

reta da alternativa B, já que, 5x – y = 2, pois 5 · 0 – C


(–2) = 2.

QUESTÃO 15 RESOLUÇÃO:
A A interseção de y = x com a circunferência será:

RESOLUÇÃO:
Completando quadrados, a equação da

circunferência fica .

Portanto, C = .

Substituindo na equação da Para y = –x, encontra-se os mesmos resultados.


circunferência, encontramos os pontos A e B: Temos, portanto, os pontos de intersecção:

y=x (0, 0) e (2, 2)


y = –x (0, 0) e (2, –2)
Assim, A = (0,0), B = eC= .A
Assim, temos o triângulo ABC, como mostra a
área do triângulo ABC é:
figura:

QUESTÃO 16
B

RESOLUÇÃO:
A equação da circunferência pode ser escrita

como . Portanto, tem A área do triângulo é


centro C = (0,1) e raio .
Para que r seja tangente a , devemos ter dC,r = R. QUESTÃO 18
Ou seja: 03

RESOLUÇÃO:
I. Comparando a equação da circunferência com a
QUESTÃO 17
forma geral x2 + y2 – 2ax – 2by + a2 + b2 – r2 = 0

26 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

(na qual a e b são as coordenadas do centro e r é o pertence ao primeiro quadrante e seu seno é
raio), temos: positivo.

–2a = –2
a=1 QUESTÃO 19
A
–2b = 1

b= = –0,5
RESOLUÇÃO:
Observemos primeiro que o raio do círculo de
II. a2 + b2 – r2 = -1
equação x2 + y2 = 22 é 2. Então, OB = 2.
r2 = 1 + 0,25 + 1 = 2,25
Em segundo lugar, observemos que o triângulo AOB
r = 1,5 é um triângulo retângulo, pois a reta AB, tangente
ao círculo, é perpendicular ao raio OB que passa
pelo ponto de tangência.
dC,s = .

Ou seja, a distância entre a reta e o centro da


circunferência é maior que o raio.

III. Sabemos que coeficiente angular da reta é a


tangente do ângulo que ela faz com o eixo
das abscissas. Uma das maneiras de descobrir o
seno de um ângulo a partir da tangente é:

Como a inclinação da reta é positiva, o ângulo Logo, pelo Teorema de Pitágoras, como OB = 2 e
AO = 6, pois o ponto A tem coordenadas A = (0, 6),

27 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

obtemos

Observemos, finalmente, que a área de um triângulo


retângulo é igual à metade do produto dos catetos.
Portanto, a área do triângulo AOB é igual

QUESTÃO 20
B
QUESTÃO 21
D
RESOLUÇÃO:
A equação é equivalente
RESOLUÇÃO:
a , ou 1. Falsa.

seja, , o que nos


permite verificar que o centro do círculo é o
Como , os pontos
ponto e que seu raio é . Consideremos, A, B e C são colineares.
na figura a seguir, a representação do círculo. 2. Verdadeira.
Sejam B e C os vértices do triângulo equilátero que A reta que passa por D(1, –2) e E(2, 2) tem
pertencem ao eixo das abscissas e A o vértice que
pertence ao círculo. Como a altura do triângulo é coeficiente angular e
igual ao diâmetro do círculo, o ponto A é o único equação
ponto do círculo cuja distância ao eixo das 3. Verdadeira.
abscissas é igual ao diâmetro do círculo. Então, A = A reta que contém os dois pontos de intersecção
(0, 3). das circunferências tem equação y = 5 – 2x:
Sendo h e l, respectivamente, a altura e o lado do

triângulo equilátero, temos que , ou Substituindo em uma das equações de


circunferência, temos:
seja, .

Logo, e .
Portanto, a reta que tem inclinação positiva e que Resolvendo a equação, encontramos:
contém um dos lados do triângulo é a reta que

passa por A e B, cuja equação é , ou Assim, as circunferências se intersectam nos pontos


(3, 2; –1, 4) e (2; 1).
seja, .
4. Verdadeira.
Primeiramente vamos encontrar a equação da reta

28 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

que passa pelo centro da circunferência (2, –1) e é


perpendicular à reta procurada. Essa reta tem
coeficiente angular igual a –3, pois a reta dada Como > 1, a correta é a alternativa E.

tem coeficiente angular :


QUESTÃO 23
D
Os pontos de intersecção dessa reta com a
circunferência são (3, –4) e (1, 2):

RESOLUÇÃO:
Da equação sabemos
que a coordenada do centro da circunferência é (2,
Logo, as retas tangentes à circunferência e
2) e que seu raio mede 2. Dessa forma, P = (2, 0) e
paralelas à reta x – 3y = –14 são:
Q = (0, 2).

QUESTÃO 22
E

RESOLUÇÃO:
A figura abaixo mostra o gráfico da hipérbole x2 – y2
=1

Portanto, a área do triângulo PQR é dada pela soma


das áreas dos três triângulos que o compõe.

QUESTÃO 24
D

RESOLUÇÃO:
Completando quadrados na equação da
Se r < 1, as curvas não se interceptam. circunferência dada, temos:
Se r = 1, as curvas se interceptam em (-1, 0) e (1, x2 + y2 + 4x – 6y + 12 = 0
0).
Se r > 1, as curvas se interceptam em quatro (x + 2)2 – 4 + (y – 3)2 – 9 + 12 = 0
pontos. 2 2
(x + 2) + (y – 3) = 1

29 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Logo, o centro da circunferência é o ponto C = (–2,


3). Raio = =5
Como condição de alinhamento de três pontos, o
determinante da matriz 3 x 3 formada Calculando o centro da circunferência (os valores
pelas abcissas (1º coluna), ordenadas (2º coluna) e podem ser obtidos apenas observando o gráfico):
uma coluna de número 1 deve ser igual a zero:

xc = =2

yc = =1

QUESTÃO 25 Obtendo a equação da circunferência:


E
(x – xc)2 + (y – yc)2 = r2
(x – 2)2 + (y – 1)2 = 25
RESOLUÇÃO:
x2 – 4x + 4 + y2 – 2y + 1 – 25 = 0
Esboçando os pontos dados em um gráfico
cartesiano é possível observar que o triângulo ABC x2 – 4x + y2 – 2y – 20 = 0
é retângulo em C e tem catetos medindo 6 e 8.

QUESTÃO 26
01

RESOLUÇÃO:
O ponto da circunferência de centro em (1, 2) que
tem a menor abcissa é o ponto (2, –2):

Sabe-se que todo triângulo retângulo inscrito em


uma circunferência tem sua hipotenusa exatamente
sobre o diâmetro dessa circunferência. Dessa
forma, a circunferência procurada tem centro no
ponto médio de AB e raio medindo metade da
hipotenusa AB.

Calculando o raio da circunferência:

AB2 = 62 + 82
AB2 = 36 + 64 = 100
AB = 10

30 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Assim, a reta r passa por (–2, 2) e tem coeficiente


angular igual a 1 (pois é paralela à reta x – y – 5 =
0):

QUESTÃO 27
B

RESOLUÇÃO:
A maior distância da origem a um ponto da
circunferência é dada pela soma da distância entre
o centro da circunferência e a origem com a medida A = 1 u.a.
do raio da circunferência. Portanto,

QUESTÃO 29
E

RESOLUÇÃO:
QUESTÃO 28 A equação da reta que contém a corda pode ser
A escrita como y = 3x + 4. Ela intercepta a
circunferência em dois pontos:

RESOLUÇÃO:
2 2
A equação da circunferência x + y – 4x – 2y + 4 =
0 pode ser reescrita na seguinte forma: (x2 – 2)2 +
(y +1)2 = 12.

Assim, a circunferência tem centro em (2, 1) e raio Assim, os pontos que delimitam a corda são (0, 4) e
1. (1, 7). Portanto, o comprimento C da corda é a
distância entre eles:
Uma vez que o triângulo MNP (destacado na figura
a seguir) é retângulo, a hipotenusa corresponde ao
dobro do raio e a altura é igual ao próprio raio, de m.
forma que a área desse triângulo é de:

QUESTÃO 30
A

RESOLUÇÃO:

31 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Se x e y são inteiros positivos, P pertence ao 1o


quadrante, 0 ≤ x ≤ 10 e 0 ≤ y ≤ 10.
A equação da circunferência descrita é x2 + y2 =

100, que implica . Como y é


inteiro entre 0 e 10, então x pode assumir os valores Assim, y = x – 1
0, 6, 8 ou 10. Assim, P pode ter coordenadas (0,10),
(6,8), (8,6) ou (10,0). • C – Pela condição I, observa-se que a espiral
intercepta a parte positiva do eixo Ox, sempre nos
números naturais ímpares. Assim, (7,0) pertence à
Para calcular , descartamos (0,10) e (10,0). espiral.
Logo,
• E – A análise das primeiras distâncias mostra que
a função não será crescente, a saber: d0 =0, d1 = 1
e d2 = 0 novamente.
QUESTÃO 31
01 • C – O comprimento de uma semicircunferência
será , assim, teremos para a espiral:

RESOLUÇÃO:
A equação da circunferência dada pode ser escrita Os raios estarão em uma progressão aritmética de r
como: = 1 cuja soma poderá ser calculada:

Então: .
Portanto, o centro da circunferência é o

ponto , onde e . • C – Como , e partindo-se da definição de


Assim,
aceleração centrípeta (radial), sabe-se que, pela
condição I, quando o raio da trajetória é dobrado,
tem-se a diminuição da aceleração radial pela
metade (velocidade linear constante).
QUESTÃO 32
ECECCCEEE • C – Os pontos da espiral que estão sobre o eixo
Ox atendo-se à condição II justificam a alternativa.
Tais pontos não são interceptados pela espiral.
Basta observar os primeiros pontos interceptados:
RESOLUÇÃO: (–5, 0) ;(–1, 0); (1, 0);(3, 0); (11, 0), ao começar-
• E – Os pontos informados correspondem aos se com o valor 1m, conforme o enunciado.
pontos (1, 0) e (0, –1). Então, fazendo uso de um
determinante, tem-se: • E – Na condição II, os raios estão em progressão
geométrica. Assim,

(soma de uma progressão geométrica de n termos,


que será dada pela fórmula a seguir).

32 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Assim, .

• E – Pela relação do movimento circular uniforme,

tem-se: .
• E – Lembrando que cos(q - p) = – cos θ. Então, se
q = t , tem-se: x(t) = r.n.cos( t - p) e x(t) = –
r.n.cos(ωt).

QUESTÃO 33
CECCC
QUESTÃO 34
01
RESOLUÇÃO:
• C – Como o ponto Q tem abcissa 10, o raio da
circunferência mede 5 cm, e o centro é o ponto RESOLUÇÃO:
(0,5). Assim, a equação da circunferência é: Uma circunferência com 27 km de comprimento
deve ter um raio tal que 2 · r · 3,14 = 27.
Assim, r deve ser próximo de 4,37.
• E – Para os pontos P e Q, a relação é válida.
Porém não pode ser aplicada ao ponto O = (0,0), Analisando cada uma das equações pelo método de
em que z = 0. completar quadrados, temos:
01) x2 + y2 − 2x − 4y − 13,49 = 0
• C – Os triângulos OPQ e ORS são retângulos por
x2 − 2x + y2 − 4y = 13,49
possuírem um dos lados sobre o diâmetro da
2 2
circunferência e um ponto pertencente a ela. Além x − 2x + 1 + y − 4y + 4 = 13,49 + 1 + 4
disso, as alturas dos dois triângulos coincidem com
(x – 1)2 + (y – 2)2 = 18,49
o centro da respectiva circunferência, o que garante
também que os dois triângulos são isósceles.
Portanto, OPQ e ORS são semelhantes. Essa seria uma circunferência de centro (1, 2) e raio

r= = 4,3.
• C – O coeficiente angular da reta que passa pelos
Como 4,3 é próximo de 4,37, essa pode ser uma
equação que descreve o LHC.
pontos P e Q é .
O coeficiente angular da reta x + y = 0, ou y = –x,
Uma vez encontrado o raio no item 01, não é
também é –1.
necessário verificar todas as equações para saber
Portanto, as retas são paralelas.
que apresentarão raios maiores do que 4,3.
Veremos como exemplo o que ocorre nos itens 02 e
•C–
03:

02) x2 + y2 + 4x − 6y − 14,04 = 0
x2 + 4x + y2 − 6y = 14,04

33 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

x2 + 4x + +4 + y2 − 6y + 9 = 14,04 + 4 + 9
(x + 2)2 + (y – 3)2 = 27,04
Assim, a distância entre o centro de C1 e o ponto Q
é 4 + 2 + 2 + 1 = 9. Portanto,
Em comparação com a equação anterior, esse raio
será claramente muito maior que 4,3.
(Aliás, como 52 = 25, esse raio será maior que 5).

03) x2 + y2 + 2x + 6y − 19,16 = 0
x2 + 2x + y2 + 6y = 19,16
x2 + 2x + 1 + y2 + 6y + 9 = 19,16 + 1 + 9

(x + 1)2 + (y + 3)2 = 29,16


QUESTÃO 36
Essa circunferência também teria um raio maior do
que o procurado.
GABARITO:
I. 2, 3 e 4
II. 0, 1
QUESTÃO 35 RESOLUÇÃO:
A 0: falsa; se a > 0, o coeficiente angular é um número
negativo não nulo.

1: falsa; se a reta intercepta a circunferência em


RESOLUÇÃO: dois pontos distintos, a distância entre esta reta e o
No triângulo formado pelos eixos x, y e a reta r, o centro da circunferência deve ser, necessariamente,
ângulo formado entre o eixo x e a reta r mede 60°. menor que o raio.
Assim, o coeficiente angular de r 2: verdadeira; se o coeficiente angular é positivo, a
é . Como a reta r passa pelo reta é crescente.
ponto (2,4), sua equação
3: verdadeira; para que duas circunferências tenham
é . pelo menos um ponto em comum, é necessário que
Na figura, considere os pontos P, Q e R: a distância máxima entre seus centros seja, no
máximo, igual à soma dos seus raios.

4: verdadeira; qualquer circunferência num plano


pode ser descrita pela equação apresentada.

QUESTÃO 37
A

RESOLUÇÃO:
O encontro da circunferência com o eixo y é B(0,3).
Logo, do centro dos eixos coordenados até B
(OB) temos 3. O ponto médio no eixo y é alinhado
No triângulo PQR:

34 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

com o centro da circunferência, então a ordenada y = 0 ou y = 1.


do centro é 1,5 (metade de 3). O encontro da
circunferência com o eixo x , sendo A(2,0), então Se y = 0, temos:
OA = 2 e a metade (ponto médio) é igual a 1. Este (x – 1)2 = 0
ponto é alinhado com o centro da circunferência, e
x–1=0
isso quer dizer a abscissa do centro é 1. Então, C é
x = 1.
(1;1,5).
A distância CB é igual ao raio:
Se y = 1, temos:
. (x – 1)2 = 1
A equação da circunferência será:
x2 – 2x + 1 = 1
. x2 – 2x = 0
Ou x2 + y2 – 2x – 2y = 0. x = 0 ou x = 2.
Se y = x é uma reta que intercepta a circunferência,
então temos um sistema: Logo, os pontos A, B e C são (1,0); (0,1) e (2,1). A
2 2 área desse triângulo será dada por:
x + y – 2x – 2y = 0
y = x.
Então:
2
2x – 5x = 0
x(2x – 5) = x' = 0 (não convém)
e
2x – 5 = 0
QUESTÃO 39
E
x= . RESOLUÇÃO:
Logo, y = .

O ponto será . A soma será = 5.

QUESTÃO 38
B

RESOLUÇÃO:
A curva especificada pode ser fatorada na forma y =
(x – 1)2. A equação da circunferência dada é (x –
Distância entre dois pontos ⇒ Este é o nosso
1) + (y – 1)2 = 1. A intersecção dessas duas
2 diâmetro: D =

funções será dada nos pontos onde y + (y – 1)2 = 1.


Resolvendo a equação: , que é a

2 raiz quadrada de = 5. Portanto, o raio


y + y – 2y + 1 = 1
da circunferência será 2,5.
y2 – y = 0 Determinar as coordenadas do ponto C:

35 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Ponto médio:
( – x). Dessa forma:

y=–( – x) ou y = + ( – x)

y= + x ou y = –x

Essas equações podem ser transpostas para os


C(–0,5; 0). eixos cartesianos e sua visualização será a
Logo, o centro da circunferência recai sobre o eixo composição na forma de um quadrado como o da
X. Para determinar as coordenadas do centro da figura. Na figura inscrita no quadrado, vemos a
circunferência no desenho, usamos Pitágoras no
circunferência de equação citada no enunciado (x2
triângulo CA’A:
(2,5)2 = 22 + x’2 + y2 = r2). Essa equação mostra uma circunferência

x’ = 1,5. com o centro na origem dos eixos coordenados.


Medindo a partir de A’ para a esquerda encontramos
o ponto C com coordenadas C (–0,5; 0), ou seja, o Coordenadas do ponto médio entre A e
ponto C está exatamente no eixo X, como vimos
anteriormente. Dessa forma, basta traçar um arco B: .
com centro em C, abertura 2,5 até o eixo X, à direita No triângulo OPB, OP é o raio do círculo inscrito,
e à esquerda, e acharemos os pontos (–3,0) e (2,0).
bem como P é o meio do lado AB. Assim:

QUESTÃO 40
D OP2 = + → OP = c
Portanto, podemos dizer que o raio do círculo

inscrito é igual a c, então, a razão = 1.


RESOLUÇÃO:

QUESTÃO 41
D

RESOLUÇÃO:
Para descobrir o raio da circunferência usaremos o
método de completar quadrados:
x2 + y2 - 2y = 0
x2 + y2 - 2y + 1 = 0 + 1
x2 + (y - 1)2 = 1

Logo, o centro dessa circunferência está no ponto


(0,1) e seu raio mede 1.

O quadrado inscrito na circunferência tem diagonal


igual ao diâmetro da circunferência, no caso 2.
|y| + |x| = , que podemos escrever como: y = ±

36 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Podemos calcular a área do quadrado a partir da RESOLUÇÃO:


diagonal, utilizando a fórmula da área do losango,
Se a reta passa pelo ponto (–1,0), temos que:
que é o produto das diagonais dividido por dois.
0 = –m + n
Como as diagonais de um quadrado são iguais,
m=n
temos:
Assim, os pontos dessa reta respeitam a condição y
= mx + m.
Os pontos da reta que interceptam a circunferência
devem respeitar x2 + (mx + m)2 = 1.
QUESTÃO 42
02 Então, temos:
x2 + m2x2 + 2m2x + m2 = 1
2 2 2
m (x + 2x + 1) = 1 – x
RESOLUÇÃO:
m2(x + 1)2 = (1 – x)(1 + x)
Os pontos M e N são os pontos de intersecção entre
a circunferência e a reta:
Como x = –1 é uma das raízes já encontradas, para
encontrar a outra raíz temos:
2
m (x + 1) = (1 – x)

2
m =

Os pontos do primeiro e do quarto quadrante têm x


> 0. Como o ponto buscado pertence à
Resolvendo a equação, encontramos: circunferência de raio 1 e centro (0,0), x também
deve ser menor que 1.
e
Assim, substituindo x por 0 e por 1 na equação
Substituindo na equação da reta, temos:
apresentada, temos que 0 < m2 < 1.
e Então, –1 < m < 1.
A distância entre os dois pontos será:
QUESTÃO 44
E

RESOLUÇÃO:
I. Verdadeira. Substituindo x por 4 e y por 2,
obtemos uma sentença verdadeira:
(4 – 3)2 + (2 – 4)2 = 12 + (–2)2 = 1 + 4 = 5.
QUESTÃO 43
D II. Falsa. Pela equação da circunferência, o raio é

igual a .
III. Verdadeira. O centro de C é o ponto (3, 4), que

37 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

de fato pertence à reta dada, pois

QUESTÃO 45
A

RESOLUÇÃO:
A circunferência S1 tem centro em (0, 0) e raio 6.

QUESTÃO 46
A intersecção das circunferências S1 e S2 pode ser
D
encontrada pelo sistema de suas equações:
I) x2 + y2 = 36
II) x2 + y2 – 16x = – 48 RESOLUÇÃO:
Seja (x – a)2 + (y – b)2 = r2 a equação da
Substituindo I em II, temos:
36 – 16x = –48 circunferência com centro C possui coordenadas (a,
–16x = –48 – 36 = –84 b) e raio r. Como P, Q e R estão sobre essa
circunferência, temos que:
=

Substituindo x em I, temos:

Substituindo a2 + b2 por r2 na primeira e terceira


equações, temos:

Subtraindo a primeira equação da segunda,


Conhecendo os 3 vértices do triângulo, podemos obtemos:
calcular sua área:

Substituindo na segunda equação:

38 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Dessa forma, seu centro está sobre a reta de Subtraindo a I da II, temos:
equação y = −x. 6x – 6y = 7 – 1
6x – 6y = 6
x–y=1
QUESTÃO 47 x=y+1
04 + 08 + 16 = 28
Substituindo x em II, temos:
(y + 1)2 + y2 – 6y = –1
RESOLUÇÃO: y2 + 2y + 1 + y2 – 6y = –1
Observe que o segmento que une os centros das
circunferências mede 2y2 – 4y + 1 + 1 = 0
2(y2 – 2y + 1) = 0
.
Como esse segmento corresponde à soma dos (y – 1)2 = 0
y–1=0
raios e r2 é o dobro de r1, então r2 = e r1 y=1

= .
Substituindo y, temos x = 1 + 1 = 2.
Com essas informações é possível concluir que:
A distância do ponto (2, 1) à origem (0, 0) será d =
A equação de λ1 é (x – 3)2 + (y – 0)2 = .
2 2
Desenvolvendo, temos x – 6x + y = –7.
08) Correto. Como o ponto encontrado é (2, 1) e 2 +
2 2 1 = 3, então é verdade que esse ponto pertence à
A equação de λ2 é (x – 0) + (y – 3) = .
reta x + y = 3.
Desenvolvendo, temos x2 + y2 – 6y = –1. 16) Correto. Como visto anteriormente, a
01) Incorreto. Para que a reta seja tangente à
equação de λ1 x2 – 6x + y2 = –7 que pode ser
circunferência, a distância do centro de cada uma
até a reta deve ser equivalente ao raio da respectiva reduzida à x2 – 6x + y2 + 7 = 0.
circunferência.
Testando a distância de C1 até a reta:
QUESTÃO 48
B
d=
Como essa distância difere de r1, a reta já não é
tangente à primeira circunferência. RESOLUÇÃO:
02) Incorreto. A circunferência λ1 tem centro em (0, A região delimitada por x2 + y2 < 4 é um círculo com
3) e raio menor que 3. Isso significa que seu ponto centro no ponto (0, 0) e raio 2.
mais baixo ainda está acima do zero. Logo, o eixo Os únicos pontos de coordenadas inteiras dessa
das abscissas não corta essa circunferência. região são os que tem x = –1, 0 ou 1 e y = –1, 0 ou
04) Correto. O ponto de encontro das duas 1.
circunferências pode ser encontrado pela resolução
do seguinte sistema: Desses pontos, os que possuem y < x + 1 são:
I) x2 – 6x + y2 = –7
Se x = –1
2 2
II) x + y – 6y = –1 y < –1 + 1
y<0

39 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

y = –1 O raio da circunferência é a distância entre o vértice


das parábolas e qualquer uma das raízes:
(apenas 1 ponto)
.
Se x = 0 A equação da circunferência é dada por:
y<0+1
y<1 .
y = –1 ou 0

(2 pontos)
QUESTÃO 50
C
Se x = 1
y<1+1
y<2
RESOLUÇÃO:
y = –1 ou y = 0 ou ainda y = 1
O coeficiente angular da reta correspondente à
equação y = 3x (ou reta r, para facilitar visualização)
(3 pontos)
é igual a +3.
Dado que as retas são perpendiculares, o
Total de pontos encontrados: 1 + 2 + 3 = 6 pontos.
coeficiente angular da segunda reta (ou reta s, para
facilitação) é dado por:
QUESTÃO 49
B

Sabendo que a reta s passa pelo ponto (2,0), a


RESOLUÇÃO:
equação que representa essa reta é dada por:
Calculando as raízes da parábola:

O ponto de intersecção das retas r e s corresponde


à solução do sistema:

As raízes são (4, 0) e (2, 0).


que é dada por:
Calculando o vértice da parábola:

Assim, o ponto A tem coordenadas e o raio

da circunferência que tangencia o eixo x é igual a


O vértice é (3, –1). , valor que corresponde a Dy.
A equação da circunferência com centro em A é,
portanto:

40 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

ponto (0, 2):

QUESTÃO 52
D

QUESTÃO 51
B RESOLUÇÃO:
(Resolução oficial)

RESOLUÇÃO: • Como o centro da circunferência é C(0, 0) e o


ponto P pertence à circunferência, o coeficiente
Seja O = (a, b) o centro da circunferência, r a reta
tangente à circunferência no ponto (0, 2) e s a reta
angular da reta CP é .
perpendicular a r que contém os pontos O e (0, 2),
conforme mostra a figura:
• A reta t tangente à circunferência é perpendicular à
reta CP, portanto seu coeficiente angular m é tal que
m · 1 = –1. Logo m = –1.

• Assim, a equação da reta t é: y – 2 = –1(x – 2), ou


seja, y = –x + 4.

• O ponto em que a reta t intercepta a reta y = 2x é

obtido a partir de: cuja solução

é e .
Como o coeficiente angular de r é -1, o coeficiente
angular de s é 1. Assim, s tem equação s: y - 2 = x. QUESTÃO 53
A distância entre o ponto O e o ponto (0, 2) é igual à
distância entre o ponto O e o ponto (1, 0): E

Como o ponto O pertence à reta s: y - 2 = x, temos a RESOLUÇÃO:


= b - 2. Portanto: Qualquer reta paralela à reta dada terá sua equação
geral na forma 3x + 4y + c = 0.
Pela equação da circunferência é possível concluir
que seu centro fica no ponto (0, 0) e seu raio é 2.
Qualquer reta que tangencie essa circunferência
será tal que a distância entre ela e o centro da
Assim, o ponto O tem coordenadas ,e circunferência seja numericamente igual ao raio.
o raio R da circunferência é a distância entre O e o Assim, pela fórmula da distância entre ponto e reta,
temos:

41 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Logo, as retas tangentes procuradas são:


r: 3x + 4y + 10 = 0 QUESTÃO 55
s: 3x + 4y – 10 = 0 A

Para encontrar o ponto em que qualquer reta cruza


o eixo y, basta substituir x por 0 na equação. Assim
temos: RESOLUÇÃO:
r: 4y + 10 = 0 Como a reta (r): 3x + 4y – 12 = 0 é tangente à
4y = –10 circunferência de centro C(5, 3), o raio (R) é a
y = –2,5 (não aparece em nenhuma alternativa) distância do ponto C à reta r. Assim:

s: 4y – 10 = 0
4y = 10
Logo, a equação da circunferência é (x –5)² + (y –3)²
y = 2,5
= 3² ⇒ x² + y² –10x – 6y + 25 = 0.

QUESTÃO 54
QUESTÃO 56
A
B

RESOLUÇÃO:
RESOLUÇÃO:
O ponto médio M do segmento é dado por:

O raio da circunferência é a distância entre os


pontos C e M:

Assim, a equação da circunferência pode ser escrita


como:

42 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Chamando de r o raio da circunferência, teremos: C = (x , y) = (2 , 3)


• Centro: C(–r, r). O raio da circunferência corresponde à hipotenusa
• Pelo teorema de Pitágoras: 42 = r2 + r2 + r2 ⇒ r do triângulo formado pelos catetos 0x, 0y e
hipotenusa r. Assim, temos:
= . r2 = (0x)2 + (0y)2
• Equação da 2 2 2
r = (2) + (3)
circunferência: , ou r2 = 13
Assim, a equação do círculo é dada por:
seja, .
(x – 2)2 + (y – 3)2 =13

QUESTÃO 57
A QUESTÃO 59
B

RESOLUÇÃO:
Organizando a equação da circunferência pelo RESOLUÇÃO:
método de completar quadrados, temos: O eixo x é uma reta de equação y = 0. Substituindo
x² – 2x + 1 – 1 + y² + 4y + 4 – 4 = 4 esse valor na equação da circunferência,
(x – 1)² – 1 + (y + 2)² – 4 = 4 encontramos os pontos de intersecção:
(x – 1)² + (y + 2)² = 4 + 4 + 1 = 9
X2 – 8x + 16 + 9 = 25 ⇒ x2 – 8x = 0 ⇒ x(x – 8) =
Logo, o centro C tem coordenadas (1, –2) e o raio r
0 ⇒ x = 0 ou x = 8.
vale 3.

Os pontos de interseção da circunferência com o


A reta procurada tem coeficiente angular 3, o que
eixo x são (0,0) e (8,0).
significa que é do tipo y = 3x + n
Analogamente, para o eixo y, temos:
Como o ponto C pertence à reta, temos:
–2 = 3 · 1 + n
2 2
n + 3 = –2 16 + y – 6y + 9 = 25 ⇒ y – 6y = 0 ⇒ y(y – 6) =
n = –2 – 3 = –5 0 ⇒ y = 0 ou y = 6.

A reta que procuramos será y = 3x – 5. Os pontos de interseção da circunferência com o


eixo y são (0,0) e (0,6).
Assim, o triângulo é retângulo de catetos 6 e 8. Sua
QUESTÃO 58 área é, portanto:
C

RESOLUÇÃO:
De acordo com a figura, o centro da circunferência
se encontra no primeiro quadrante e, portanto, deve QUESTÃO 60
apresentar coordenadas positivas e diferentes de
C
zero, o que ocorre nas alternativas A e C. Assim,
podemos deduzir que as coordenadas do centro
são:

43 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

RESOLUÇÃO:
A equação da circunferência pode ser escrita como
(x – 4)2 + (y – 3)2 = 25, portanto tem centro em
(4,3) e raio 5, conforme a figura a seguir:

As distâncias PQ e PQ' são iguais, podendo ser


Assim, ponto de intersecção com o eixo y é o
encontradas pela aplicação do teorema de Pitágoras
ponto P = (8,0), e a intersecção com o eixo x é o
em um triângulo que tem PC como hipotenusa, PQ
ponto Q = (0,6).
como um dos catetos e o outro cateto como raio da
circunferência.
A reta r, mediatriz do segmento PQ, passa pelo
Calculando PC pela fórmula da distância entre dois
centro da circunferência e é perpendicular à reta
pontos, temos:
que contém P e Q, cujo coeficiente angular
(3 – 1)² + (6 – 2)² = (PC)²
é . 2² + 4² = (PC)²
(PC)² = 20
Portanto, , e:
Calculando PQ pelo teorema de Pitágoras, temos:
(PQ)² + 1² = (PC)²
(PQ)² + 1 = 20
QUESTÃO 61 (PQ)² = 19

RESOLUÇÃO:
De acordo com a equação, essa circunferência tem QUESTÃO 62
centro no ponto C (1, 2) e tem raio 1. A
Existem duas retas que passam por P e são
tangentes à circunferência em dois pontos distintos,
Q e Q', como na figura a seguir:
RESOLUÇÃO:
O raio do círculo será a distância entre o centro e a
reta, dada por:

44 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Assim, a equação da circunferência será (x – 7)2 + y = 4 → x = 20 - 3 · 4 → x = 8 (ponto A)


y = 5 → x = 20 - 3 · 5 → x = 5 (ponto D)
(y – 2)2 = 25
Logo, o ponto D tem coordenadas (5,5).

QUESTÃO 63
D
QUESTÃO 65
GABARITO:
a) A medida do raio da circunferência é igual à
RESOLUÇÃO: distância entre os pontos C e P:
Sabe-se que 15 minutos equivalem a 1/4 hora.
.
Logo, o comprimento C da circunferência descrita
Portanto, a equação da circunferência é:
deve ser tal que:
.
b) Seja s a reta que contém o raio da circunferência.
. Como s passa pelos pontos C e P, seu coeficiente
O raio da circunferência, em função de Vc , é:
angular é .
. Portanto, a reta t, perpendicular a s, tem coeficiente
Portanto, a equação da circunferência de centro na
angular . A equação de t é:
origem e raio é:
ou .

.
QUESTÃO 66
QUESTÃO 64 GABARITO:

GABARITO:
a) Se o diâmetro da circunferência é de 10
unidades, então seu raio mede 5 unidades e o ponto
C tem coordenadas (5,0).
Como o ponto B pertence ao eixo x (y = 0) e à reta
r, temos: 3 · 0 + x = 20 x = 20. O ponto B tem
coordenadas (20,0).

Assim, a área do triângulo ABC é


unidades de área.

b) A circunferência tem equação (x - 5)2 + y2 = 25.


E a reta que a intercepta tem equação x = 20 - 3y.
Assim, substituindo a equação da reta na Inicialmente calcula-se o coeficiente angular da reta
circunferência, tem-se:
r: mr = .

Como s é perpendicular a r, tem-se que, o


coeficiente angular da reta s é:

45 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

GABARITO:
. Observe a figura:
Seja t a reta que passa por C e pelo ponto de
tangência entre as retas s e a circunferência .
Então t é paralela à reta r, mt = –1 e,
consequentemente, a equação de t é dada por:

t : y – 1 = –1 (x – 1)
t:y=2–x

A equação da circunferência é dada por:


2 2 2
(x – 1) + (y – 1) = R onde R

= é o raio de .

Portanto, a equação de é dada por: (x – 1)2 +


(y – 1)2 = 5.

Como M = , a abscissa do ponto M pode ser A reta r que contém os pontos A e C tem
encontrada substituindo-se y = 2 – x na equação equação
de . Obtém-se então:
O raio DE da circunferência, que mede d – 1, é a
(x – 1)2 + (2 – x – 1)2 = 5 → 2 (x – 1)2 = 5 → (x – distância do ponto D(d, 4) à reta r :

1)2 = →x–1= →x=1


* |3d – 15| = –3d + 15 pois d < 5.
Assim, o centro da circunferência é o ponto
o
Como M é um ponto do 2 quadrante, sua abscissa
D= , e o raio da circunferência é DE
é negativa: x = 1 – .
= .
Portanto, a equação da circunferência

Daí, éa é: .
ordenada de M.

Portanto, a equação s será dada por: QUESTÃO 68


GABARITO:
a) Uma vez que as retas são perpendiculares, o
coeficiente angular da reta que passa por B e C é –
1/a. Como essa reta passa pelo ponto (2, 0), temos
s:y=x+ 0 = (–1/a) · 2 + b, de modo que b = 2/a, e a reta é y
= –x/a + 2/a. Logo, C = (0, 2/a).

QUESTÃO 67 Resposta: O ponto C tem coordenadas (0,2/a).

46 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

b) Se a = 3, o ponto A é a interseção das retas y =


3x e y = –x/3 + 2/3. Logo, 3x = –x/3 + 2/3, ou seja, x
= 1/5. Assim, y = 3/5. Portanto,

A circunferência de centro em A e tangente ao eixo


QUESTÃO 70
x é dada por (x – 1/5)2 + (y – 3/5)2 = 9/25.
GABARITO:
Resposta: O ponto A tem coordenadas (1/5, 3/5). Completando quadrados, a equação da
Logo, a circunferência de centro em A e tangente ao circunferência pode ser escrita como:

eixo x é dada por (x – 1/5)2 + (y – 3/5)2 = 9/25.

QUESTÃO 69 Portanto, o centro da circunferência é o ponto C


GABARITO:
= , e seu raio mede 3.
a) A reta s tem equação x = 1. A intersecção dela
com a circunferência será 12 + y2 = 5 → y = 2.
Portanto, E = (1, 2).
Seja t a reta que passa pela origem e pelo ponto E.
O coeficiente angular mt de t

é
Como a reta procurada é perpendicular à reta t em

E, seu coeficiente angular é .


Portanto, a reta procurada tem

equação .
b) Seja Q o ponto de encontro das retas suportes
das alturas do triângulo OPE. A altura relativa ao
lado PE pertence ao eixo x. Logo, Q tem
coordenadas (q, 0). A reta suporte do lado OP tem Calculando-se a distância do centro da
circunferência à origem, temos:
coeficiente angular . Assim, a reta suporte da
altura relativa ao lado OP tem coeficiente

angular .
A equação da reta que contém a altura relativa ao
lado OP (que passa por E) Assim, como PO = CO – r = 6 – 3 = 3, conclui-se
que o ponto P é o ponto médio entre C e O.
é . Portanto:
Assim, a coordenada q do ponto Q pode ser
encontrada:
.

47 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

simultaneamente pelas duas antenas.


QUESTÃO 71
GABARITO: b) Queremos encontrar um ponto na forma (x, 0) tal
a) O ponto da estrada mais próximo da guarda que sua distância em relação aos pontos (0, 0) e
florestal está no (32, 24) seja a mesma. Assim, (x − 0)² + (0 − 0)² = (x
− 32)² + (0 − 24)². Reescrevendo essa equação,
quilômetro obtemos x² = x² − 64x + 1024 + 576, de modo que x
A fórmula geral de um círculo centrado em (x0, y0) e
= = 25.
com raio r é Como a
primeira antena está centrada na estação da guarda Resposta: A antena deve ser instalada no
florestal e seu sinal atinge (mas não ultrapassa) o quilômetro 25 da estrada.
ponto da estrada calculado anteriormente, temos (x0
b') Na figura a seguir, que ilustra o problema, os
, y0) = (32, 24) e r = 24. Assim, a área de cobertura pontos O, A e C representam, respectivamente, o
da primeira antena é dada posto rodoviário, a estação da guarda florestal e o
por ponto de instalação da nova antena.
Como a segunda antena está instalada no posto
rodoviário e seu sinal também alcança, sem
ultrapassar, o ponto (32, 0), temos (x0, y0) = (0, 0) e
r = 32. Logo, a área de cobertura dessa antena é
dada por
As regiões cobertas pelas antenas estão
representadas no gráfico:

Usando o teorema de Pitágoras, obtemos x² = (32 −


x)² + 24², ou seja, x² = x² − 64x + 1024 + 576. Desse

modo, x = = 25.

Resposta: A antena deve ser instalada no


quilômetro 25 da estrada.

b'’) Na figura seguinte, que ilustra o problema, os


pontos O, A e C representam, respectivamente, o
posto rodoviário, a estação da guarda florestal e o
ponto de instalação da nova antena. Da figura,

concluímos que cos( ) = . Usando, agora,


a lei dos cossenos, obtemos x² = x² + 40² −2 · 40 ·
x · cos( ), de modo que 64x = 1600. Logo, x

Resposta: As regiões de cobertura das antenas são


dadas por (x – 32)² + (y – 24)² 242 e x² + y²
32². Essas regiões estão representadas na figura
anterior. A região mais escura é aquela coberta

48 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

GABARITO:
= = 25.
a) Como o ponto P está sobre a circunferência, suas
coordenadas satisfazem (x – 2)2 + y2 = 4. Ao
mesmo tempo, por P estar sobre a semirreta, temos

y / x = tan(30°) = / 3 , ou seja, y = x /3

Voltando à primeira equação, obtemos (x – 2)2 +

(x / 3) = 4. Deste modo, x(4x / 3 − 4) = 0. Logo,


os pontos de interseção da semirreta com a
circunferência centrada em (2, 0) têm abscissas x =
Resposta: A antena deve ser instalada no 0 e x = 3. Como P é o ponto de interseção com
quilômetro 25 da estrada.
maior abscissa, concluímos que x = 3 e y = x /
b'’’) Considere o segmento OA que liga o posto 3= .
rodoviário à estação da guarda florestal. Esse
segmento pertence à reta
Resposta: Em P, x = 3 e y = .
y= x=– x. O ponto médio do segmento
OA é (16,12). Queremos encontrar um ponto na ou
forma (x, 0) que pertença à reta que é perpendicular
ao segmento AO e passa pelo ponto (16,12). Essa

reta tem coeficiente angular e é dada por (y –

12) = x – 16). Assim, tomando y = 0,


obtemos –12 · 3 = –4(x – 16). Logo, x

= = 25.

Como observamos na figura acima, o ângulo


está inscrito na circunferência de centro Q. Assim,
sua medida é igual à metade da medida do ângulo

central . Logo, o segmento de reta PQ faz um


ângulo de 60º com o eixo x.

Além disso, esse segmento mede 2. Assim, temos


Resposta: A antena deve ser instalada no sen(60º) = y/2 e cos(60º) = z/2. Desta forma, y =
quilômetro 25 da estrada. 2sen(60º) = , e x = 2 + z = 2 + 2cos(60º) = 2 + 1
= 3.
QUESTÃO 72
Resposta: Em P, x = 3 e y = .

49 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Recorrendo, então, ao triângulo OPR, que também


ou é retângulo, obtemos as coordenadas do ponto P:

y = w · sen(30º) = 2 · (1/2) = .

x = w · cos(30º) = 2 · 3 ·( /2) = 3.

Resposta: Em P, x = 3 e y =

b) A área da região sombreada corresponde a A C –


A I, em que A C é a área do círculo de raio 2 e A I é
a área da interseção dos dois círculos. Os pontos de
interseção das duas circunferências satisfazem x 2+
Aplicando a lei dos cossenos ao triângulo OQP (ver
y2 = 4 e (x – 2)2 + y2 = 4. Assim, concluímos que
figura acima), obtemos w 2 = 22 + 22 – 2 · 2 · 2 · x=1ey=±3.
cos(120º) = 22 + 22 + 2 · 2 · 2 · cos(60º) = 8 + 8 ·

(1/2) = 12. Logo, w = 2 . Usando, então, o


triângulo POR, obtemos as coordenadas do ponto
P:

y = w · sen(30º) = 2 · (1/2) = 3.

x = w · cos(30º) = 2 ·( /2) = 3.

Resposta: Em P, x = 3 e y =

ou

Como o segmento de reta que liga a origem ao


ponto de interseção no primeiro quadrante tem
comprimento 2, podemos concluir que o cosseno do
ângulo entre este segmento e o eixo x vale 1/2, de
modo que o ângulo é igual a 60º.

Como se observa na figura acima, o triângulo OPS é A figura acima indica que A I = 2(A S – A T ), onde
retângulo, pois a aresta OS é o diâmetro da
AS é a área do setor circular com ângulo de 120º, e
circunferência centrada no ponto (2, 0). Além disso,
por ser a hipotenusa do triângulo OPS, a aresta OS AT é a área do triângulo de base 2 e altura 1.

mede 4. Assim, w = 4cos(30º) = 4 /2 = 2 . Assim, A I = 2( 22 / – 1· 2 /2) = 8 /3 –

50 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

2 . Logo a área desejada é AC – AI = 22– AC é a área do círculo de raio 2. Deste modo, a


área desejada
8 /3 + 2 =4 /3 + 2 .
é
Resposta: A região sombreada tem área igual a 4
Resposta: A região sombreada tem área igual
/3 + 2 .
a .
ou

QUESTÃO 73
Seja A I a área da interseção dos dois círculos,
09
como ilustrado na figura ao lado. Dividindo A I ao
meio, na horizontal, podemos inscrever na região
resultante um triângulo equilátero de arestas iguais
RESOLUÇÃO:
01 + 08 = 09
a 2. A área desse triângulo é .
01) Verdadeira.

No triângulo amarelo: x2 + y2 = ⇒ x2 + y2

= 24 ⇒ y2 = 24 – x2

Já a área da região A P , indicada na figura, é a No triângulo azul: (x – 3)2 + y2 = 32 ⇒ x2 – 6x + 9 +


diferença entre a área de um setor circular e a área y2 = 9 ⇒
⇒ x2 – 6x + 24 – x2 = 0 ⇒ 6x =
do triângulo equilátero, ou seja,
24 ⇒ x = 4

Substituindo na primeira sentença: y2 = 24 – 42


Assim, .
⇒ y2 = 8 ⇒ y = 2
Como AI = 2AT + 4Ap , temos
. A área desejada corresponde a AC – A I, em que

51 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

Como o centro da circunferência C2 está no 3º


Substituindo em I
quadrante, seu centro é .
Assim, sua equação reduzida

é .

02) Falsa. Do item anterior, temos que os centros de


C2 e C4 estão a 4 cm do eixo das ordenadas.

04) Falsa. O ponto de interseção das


circunferências C3 e C4 cuja abscissa é 3 é (3, 0).

08) Verdadeira. A abscissa do centro da


circunferência C1 é –8, isso porque a abscissa do
centro da circunferência C2 está no ponto médio
dos centros das circunferências C3 e C1. Portanto, a
2 2
equação da circunferência C1 é (x + 8) + y = 9. Se

o ponto pertencer a uma das


circunferências, será à C1, assim: (–10 + 8)2

+ = 9 ⇒ 4 + 5 = 9, ou seja, esse ponto


pertence a uma das circunferências do símbolo Como a abscissa é a mesma temos:
olímpico.

16) Falsa. O centro da circunferência C5 é (8, 0).


Assim:
(x – 8)2 + y2 = 9 ⇒ x2 – 16x + 64 + y2 = 9 ⇒ x2 –

16x + y2 + 55 = 0.

QUESTÃO 74
GABARITO: Logo:

QUESTÃO 75
GABARITO:
Sendo mi, i = 1, 2,..., n, n 5, termos de uma

progressão aritmética de uma razão q > 0 e m1 = 0,

52 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

temos: (m1, m2, m3, m4, m5,...) = (0; q; 2q; 3q; 4q;
...).
Assim, a equação da reta r5 é da forma y = m5x +
10 ⇒ y = 4qx + 10 ⇒ 4qx – y + 10 = 0
Sabendo que a reta r5 tangencia a circunferência de
equação x2 + y2 = 25, com centro C(0; 0) e raio r =
5, resulta:

C) Como o centro do círculo é o ponto médio da


hipotenusa do triângulo retângulo B e seu raio mede
2, a região é um semicírculo de raio 2. Logo,
a sua área é igual a 2 .

QUESTÃO 77
Resposta: q > GABARITO:
Observe a figura:

QUESTÃO 76
GABARITO:
A) Pelo método de completar quadrados,
verificamos que a sentença que define a região A é

equivalente à sentença
, ou seja, A é um círculo de raio r = 2 e centro C (2,
2) .

x é a distância entre as retas y = x + 5 e y = x + 3,


ou seja, entre o ponto T(1, 6) e a reta y = x + 3.
Dessa forma:
B) A região B é a interseção de três semiplanos,
quais sejam,

. Aplicando o teorema de Pitágoras no SQC,


temos:
Portanto, B é a região limitada pelo triângulo
retângulo esboçado a seguir.

53 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

As coordenadas do centro O da circunferência


devem satisfazer simultaneamente as equações x −
2y + 4 = 0 e 6x + 8y − 51 = 0 e, portanto, O = (7 /
2,15 / 4). Como a circunferência passa por B, o
quadrado de seu raio é (3 - 7 / 2 )2 + (1 - 15 / 4)2

= . Logo, a equação da circunferência é


(x - 7 / 2)2 + (y - 15 / 4)2 = 125 / 16.

QUESTÃO 79
GABARITO:

a) 4x – 3y – 2 = 0 ⇒ 3y = 4x – 2 ⇒ y = .

Portanto, o coeficiente angular a reta t é mt = .


Observe o triângulo retângulo TEC: é raio da
Como a reta t é tangente à circunferência C no
circunferência, logo TC = 8 . Como o coeficiente ponto P, sabemos que o raio é perpendicular a essa
angular da reta y = x + 5 é 1, sabemos que seu reta nesse ponto. Logo, o coeficiente angular da reta
ângulo de inclinação mede 45º. Portanto, os demais
suporte do raio é .
ângulos internos do TEC medem 45º, o que
significa que esse triângulo é isósceles. Sendo Assim, a equação da reta é:
assim, TE = EC = 8.
y–1= (x + 5) ⇒ y = .
Portanto, a = 1 + 8 a=9eb=6–8 b = –2. Dessa forma, as coordenadas do ponto P são
obtidas por:

QUESTÃO 78
GABARITO:
A) A equação da reta r é y −1 = ((1− 5) (3 −1)) (x −
3), isto é, 2x + y − 7 = 0 . 16x – 8 = –9x – 33 ⇒ 25x = –25 ⇒ x = –1.
Substituindo esse resultado em uma das equações,
B) A equação da reta s é y −17 = ((1− 5) (3 −1)) (x − temos:
0), isto é, 2x + y −17 = 0 .
y= y = –2.
C) A circunferência que passa por A e B e é Portanto, as coordenadas do ponto P são (–1, –2).
tangente a s deve passar pelo ponto D de
interseção da reta s com a mediatriz do segmento b) O raio da circunferência C pode ser obtido por:
de reta AB. A equação da mediatriz de AB é y − (5 +
1) 2 = −1 ((1 − 5) (3 − 1)) (x − (1 + 3) 2), isto é, x −
2y + 4 = 0. As coordenadas de D devem satisfazer .
simultaneamente as equações x − 2y + 4 = 0 e 2x + Assim, uma equação para a circunferência C é (x +
y −17 = 0 e, portanto, D = (6, 5). O centro da 5)2 + (y – 1)2 = 25.
circunferência é o ponto de interseção das
mediatrizes de AB e do segmento de reta BD. A
c) A coordenada x do ponto Q é obtida tomando na
equação da mediatriz de BD é y − (5 + 1) 2 = −1 ((5
reta t, y = 0.
−1) (6 − 3)) (x − (6 + 3) 2), isto é, 6x + 8y − 51 = 0.

54 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

A equação dada passa pelo ponto (0,0). Mas o


4x – 3 · 0 – 2 = 0 ⇒ x = . triângulo formado pelos pontos A, F e a origem não
é isósceles de base AF, portanto, a mediatriz do
Portanto, Q = . segmento AF não passa pela origem. Então, a
A área do triângulo APQ pode ser obtida por: equação dada não pode ser a mediatriz de AF.

8. VERDADEIRA
A circunferência pedida tem raio 6 e centro em (6,

3 ). Portanto sua equação é:


Assim, a área do triângulo APQ é u.a. ou 6,25
u.a.

QUESTÃO 80
16. FALSA
09
O apótema do hexágono é a altura de um triãngulo

equilátero de lado 6, portanto .


RESOLUÇÃO:
01 + 08 = 09 QUESTÃO 81
1. VERDADEIRA GABARITO:
Substituindo as coordenadas do ponto A na reta a)
dada temos: x2 + y2 – 12x – 16y + 75 = 0 ⇒
⇒ x2 – 12x + 36 + y2 – 16y + 64 = –75 + 36 + 64 ⇒
⇒ (x – 6)2 + (y – 8)2 = 52
Substituindo as coordenadas do ponto F na reta
dada temos: Assim, trata-se de uma circunferência de centro (6,
8) e raio 5.

Como as duas substituições resultaram em


sentenças verdadeiras, a equação realmente
contém o segmento AF.

2. FALSA
A figura é formada por seis triângulos equiláteros de
lado 6, portanto sua área é:

4. FALSA

55 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

b)

Portanto, a menor distância mede 10 + u.c.

QUESTÃO 82
01 + 02 + 04 + 08 + 32 = 47

RESOLUÇÃO:

(01) Correto. O coeficiente angular de r é m = .


A equação 2x + 3y = –6 tem o mesmo coeficiente
angular e passa pelo ponto (–3, 0), pois:
2 · (–3) + 3 · 0 = –6.

(02) Correto. O coeficiente angular da reta dada é

O menor caminho é dado por PR + SQ + med . m2 = que é o inverso oposto do


coeficiente angular de r, então são perpendiculares.
PQ2 = ⇒ PQ = 20, Também podemos verificar que essa reta passa
como CP = CQ = 10 pela origem, pois –3 · 0 + 2 · 0 = 0.

No triângulo PRC, temos que: (04) Correto. O ponto (c, 0) dado pertence ao eixo x

e não está na reta dada, pois c ≠ . Como o ponto


cos cos = 60º está fora da reta, é possível encontrar a
circunferência pedida determinando que seu raio
Portanto, = 180º – 2 = 60º. seja a distância entre o ponto (c, 0) e a reta.

Dessa forma: (08) Correto. Calculando os pontos em que a reta


cruza os eixos, temos,

Intersecção com o eixo x:


Como PRC ~ QSC, temos que PR = QS,
assim:
2x + 3 · 0 = 5 ⇔ x =

Intersecção com o eixo y:


PR = PC × sen 60º ⇒ PR = 10 × ⇒ PR = 5
u.c.
2 · 0 + 3y = 5 ⇔ y =

Sendo assim, PR + SQ + med =5 + A área determinada por esses pontos e a origem é


um triângulo retângulo cujas medidas dos catetos
5 + .
medem e . Assim:

56 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

01) Incorreta. A área de C[p,q] é igual a:

C[p,q] = π ·r2
(16) Incorreto. O ângulo formado pela reta e o eixo x
é diferente de 60º, pois nesse caso o seu coeficiente

angular não seria e sim √3 ou –√3. Assim, uma C[p,q] = π


rotação de 60º não faria com que a reta coincidisse
com o eixo x.
C[p,q] = π
(32) Correto. Uma vez que o centro está em um
ponto da reta r, ela é um diâmetro de circunferência, C[p,q] = .
qualquer que seja o seu raio, interceptando-a duas
vezes para qualquer raio. 02) Incorreta. Como pode ser visto na fórmula dada,
o raio é igual à coordenada para a ordenada, de
forma que todo e qualquer círculo de Ford tangencia
QUESTÃO 83 o eixo das abscissas.
GABARITO:
04) Correta. A equação geral de uma circunferência
a) é igual a (x – a)2 + (y – b)2 = R2. Para os valores
Comparando o raio com a ordenada do centro da desse item, temos:
circunferência: <4
(x – 1)2 + (y – 2)2 = R2
b) Equação da
circunferência:
(x – )2 + (y – )2 =

Como P(3,2) satisfaz a equação da circunferência, o x2 + y2 – x – = .


mesmo está sobre a circunferência.
08) Correta. A reta que liga os dois centros também
contém o ponto de tangência, de forma que M, N e
P são colineares.
c) , onde (y0, x0) = (3,2) e (a,b) =
(5,4). 16) Correta. Se os dois círculos de Ford, C1[1,2] e
C2[1,3], são tangentes entre si, a soma dos raios
desses dois círculos deve ser igual à distância entre
os centros. Assim, temos:

dC1C2 = RC1 + RC2

QUESTÃO 84
04 + 08 + 16 = 28

RESOLUÇÃO:

57 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/
COMISSÃO DE VESTIBULANDOS

circunferência.

QUESTÃO 85 = ,
I - II – V valor superior ao do raio, ou seja, também não é
interior à circunferência.

RESOLUÇÃO: IV. Incorreta.


Comparando P1 e P2 com a equação da
= ,
circunferência: x2 + y2 – 2ax – 2bx + (a2 + b2 – r2) = valor inferior ao raio 5; então, está no interior da
0 circunferência.
• P1
= ,
–2a = 4; a = –2
valor menor que o raio 6; então, é interior à
–2b = 0; b = 0
circunferência.
(–2)2 + 02 – r2 = 21
r=5
V. Correta.
• P2 A2 = · 62 = 36
–2a = –12; a = 6 A1 = · 52 = 25
–2b = 0; b = 0
De fato, A2 > A1.
a2 + b2 = r2
(6)2 + (0)2 = r2
r=6

I. Correta.

, valor
inferior ao raio 5; então, é interno à circunferência.

II. Correta.

, valor inferior ao raio 6; logo, é interno à


circunferência.

III. Incorreta.

= ,
valor superior ao raio; então, não é interno à

58 | http://comissaovestibulandos.blogspot.com.br/

Você também pode gostar