Você está na página 1de 52

Definir Solicitação de Adiantamento - Cliente

Transação: OBXR IMG > financial suply chain management > Administração de caixa e liquidez >
administração de caixa > Estruturação > Níveis de operações do Razão Especial >
Cliente > Definir Solicitação de Adiantamento

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 visualizar no CM valores enviados para Cobrança (L/C).

Documentação SAP: Definir solicitação de adiantamento.


Nesta atividade IMG é possível selecionar livremente os níveis de tesouraria para as solicitações de adiantamento
que se desejar utilizar para a administração de caixa, tendo no entanto em conta determinadas convenções para
definição de nomes.

Utilizar níveis que comecem por 'F', uma vez que se trata de um lançamento FI. Como segundo caractere tem sentido
utilizar o código de razão especial, por exemplo 'FF' para o pedido de adiantamento.
Atividades: Entrar no campo níveis de administração de tesouraria o valor correspondente para o nível de
administração de tesouraria.
Outras observações: Mais informações encontram-se no guia de implementação da contabilidade.

1
Definir Outros
Transação: OBXY IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Níveis de operações do
Razão Especial > Cliente > Definir Outros

Resumo do Processo
Permitir ao usuário do sistema R/3 visualizar no CM valores enviados para Cobrança (L/C).

Documentação SAP:

Definir outros

Nesta atividade IMG é possível selecionar livremente os níveis de tesouraria para o lançamento numa conta de
cliente, que se deseje utilizar para o controlo na gestão de caixa, tendo em conta, no entanto, determinadas
convenções para a definição de nomes.

Utilizar níveis que comecem por 'F', uma vez que se trata de um lançamento FI. Como segundo caractere tem sentido
utilizar o código de razão especial, por exemplo 'FF' para o pedido de adiantamento.

Atividades

Entrar no campo níveis de administração de tesouraria o valor correspondente para o nível de administração de
tesouraria.

Outras observações

Mais informações encontram-se no guia de implementação da contabilidade.

2
Definir L/C

Transação: OBYN IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Níveis de operações do
Razão Especial > Cliente > Definir L/C

Resumo do Processo
Permitir ao usuário do sistema R/3 visualizar no CM valores enviados para Cobrança (L/C).

Documentação SAP:

Definir L/C.

Nesta atividade IMG é possível selecionar livremente os níveis de tesouraria para as L/C que se desejar utilizar para a
administração de caixa, tendo no entanto em conta determinadas convenções para definição de nomes.

Utilizar níveis que comecem por 'F', uma vez que se trata de um lançamento FI. Como segundo caractere tem sentido
utilizar o código de razão especial, por exemplo 'FF' para o pedido de adiantamento.

Atividades

Entrar no campo níveis de administração de tesouraria o valor correspondente para o nível de administração de
tesouraria.

Outras observações

Mais informações encontram-se no guia de implementação da contabilidade.

3
Definir solicitação de adiantamento - Fornecedor

Transação: OBYR IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Níveis de operações do
Razão Especial > Fornecedor > Definir solicitação de adiantamento

Resumo do Processo
Permitir ao usuário do sistema R/3 visualizar no CM as solicitações de adto.

Documentação SAP:

Definir solicitação de adiantamento


Nesta atividade IMG é possível escolher livremente os níveis de tesouraria para os pedidos de adiantamento que
desejar utilizar para o controle na gestão de caixa, respeitando, no entanto, determinadas convenções para a
definição de nomes.
Utilizar níveis que comecem por 'F', dado que se trata de um lançamento FI. Como segundo caracter tem sentido o
código de razão especial, por exemplo, 'FF' para o pedido de adiantamento.

Atividades

Entrar no campo níveis de administração de tesouraria o valor correspondente para o nível de administração da
tesouraria.

Outras observações
Mais informações encontram-se no guia de implementação da contabilidade.

Dicas
Informar nível somente para o razão especial “F”  Solicitação de Adto

4
Definir proposta da data efetiva

Transação: OT01 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Configuração > Definir proposta da data
efetiva

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3, nesta tela o sistema propõe por empresa a data valor com a mesma data de CPU,
data de entrada do documento.

Documentação SAP:

Definir proposta da data efetiva

Determinar aqui se a data do dia de entrada de itens de documento deverá ser afixada como valor proposto para a
data valor. Esta determinação é efetuada para as empresas nas quais o usuário utiliza a administração de tesouraria.

Condições

As empresas nas quais a administração de tesouraria é ativa têm que ser criadas.

Atividades:

Marcar o campo "Propor data valor", para propor a data do dia como data valor.

Dicas
Data Valor: é a data que atualiza o efetivo no CM, não importando a data de lançamento do documento.

5
Definir símbolos de origem

Transação: OT05 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Configuração > Definir símbolos de origem

Resumo do Processo
Permitir ao usuário do sistema R/3, as origens que tiverem marcadas indicam que estão atribuídas ao Status
Financeiro do dia (Efetivo), cada nível criado tem atribuído uma origem.

Documentação SAP:

Definir símbolos de origem: Neste nó, definir os símbolos de origem e atribuí-los à previsão de tesouraria à curto prazo
ou à situação financeira do dia.
O símbolo de origem subdivide os níveis de previsão de tesouraria de acordo com as fontes que o usuário alimenta
com dados. Exemplos são:

o contabilidade bancária

o contabilidade de contas pessoais

o administração de materiais

o vendas e distribuição

Atividades

1. Criar um símbolo para os dados da contabilidade bancária.

2. Criar um símbolo para os dados da contabilidade de contas pessoais.

3. Criar um símbolo para os dados da administração de materiais e outro para as vendas e distribuição.

4. Marcar o campo "Situação financeira do dia, para atribuir os dados da contabilidade bancária à situação
financeira do dia.
Não efetuar aí nenhuma entrada nas restantes fontes, uma vez que estas fornecem dados à previsão de
tesouraria a curto prazo.

Dicas
Somente marcar com X, origem BNK (contas de bancos)

6
Definir seleção de campo dependente de empresa (cliente)

Transação: OT06 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros > Controle
clientes > Definir seleção de campo dependente de empresa (cliente)

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 colocar como obrigatório o grupo de administração de tesouraria

Documentação Sap:

Definir seleção de campo dependente de empresa (cliente)

Nesta entrada de menu, efetuar o controle de tela na criação ou modificação de um cliente ao nível de empresa. O
usuário pode configurar aqui se o campo de entrada "Grupo de administração de tesouraria" independentemente do
grupo de contas dentro de uma empresa, deverá ser campo de entrada obrigatória ou facultativa.

Atividades

Se necessário, comandar, em dependência da empresa e sob o grupo de status de campo "Administração de conta", o
campo de entrada "Grupo de previsão de tesouraria" de acordo com os requisitos do usuário.

7
Definir seleção de campo dependente de atividade (cliente)

Transação: OT07 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros > Controle
clientes Definir seleção de campo dependente de atividade (cliente)

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 colocar como obrigatório o grupo de previsão de tesouraria

Documentação Sap:
Definir seleção de campo dependente de atividade (cliente)
Definir na entrada de menu "Seleção de campos Atividade", em dependência das transações para os dados do
registro mestre de clientes, quais os campos do registro mestre que:

 são ocultos
 exigem uma entrada
 estão prontos para a entrada
 são somente exibidos

Esta determinação é efetuada em relação direta com o status de campo do grupo de contas e a determinação
dependente da empresa. Através da conexão fica definido o status a ser aceite pelos campos na tela de entrada para
os dados mestre.

Opções standard
Foi efetuada uma determinação para todas as transações.

Recomendação SAP
Controlar o status de campo através dos grupos de contas. Só é adequado definir o status de campo, dependendo da
transação, em casos excecionais. Tal pode ser o caso quando, por exemplo, há campos que devem ser preenchidos e
não devem ser modificados através da transação de modificação. Isto justifica-se, por exemplo, para o campo "Conta
de reconciliação".

Atividades: Se houver campos que devam ter um status diferente em função da transação, determinar o status dos
campos para a transação desejada.

8
Definir seleção de campo dependente de empresa (fornecedor)

Transação: OT08 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros > Controle
fornecedor > Definir seleção de campo dependente de empresa (fornecedor)

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3

Documentação SAP:

Definir seleção de campo dependente de empresa (fornecedor)

Nesta entrada de menu, efetuar o controle da tela na criação ou modificação de um fornecedor a nível de empresa. O
usuário pode determinar aqui se o campo de entrada "Grupo de previsão de tesouraria", independentemente do grupo
de contas da empresa, deverá ser um campo de entrada obrigatória ou facultativa.

Atividades

Controlar, se necessário, dependente da empresa e sob o grupo de status de conta "Administração de conta", o
campo de entrada "Grupo de previsão de tesouraria", de acordo com os requisitos do usuário.

9
Definir seleção de campo dependente de atividade (fornec.)

Transação: OT09 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros > Controle
fornecedor > Definir seleção de campo dependente de atividade (fornec.)

Resumo do Processo
Permitir ao usuário do sistema R/3
Documentação SAP:
Definir seleção de campo dependente de atividade (fornec.)
Determinar na entrada de menu "Seleção de campo Atividade", dependendo da atividade para os dados mestre de
fornecedor, quais os campos do registro mestre que

o estão prontos para a entrada

o exigem uma entrada

o vão ser apagados

Esta determinação atinge, dependendo dos componentes utilizados adicionalmente,

o os dados da contabilidade (Criar e modificar)

o os dados de vendas e distribuição (Criar e modificar)

o os dados centrais (Criar e modificar)

10
A configuração aqui definida está ligada ao status do campo do grupo de contas e à determinação dependente da
sociedade. Esta interdependência permite determinar o status que os campos possuem na tela de entrada para os
dados mestre.

Opções standard

Foi efetuada uma determinação para todas as transações.

Recomendação SAP

Controlar o status de campo através dos grupos de contas. A definição do status de campo, dependendo da
transação, só se justifica em casos excepcionais. Este pode ser o caso quando, por exemplo, os campos devem ser
preenchidos e não deverão ser modificados através da transação de modificação. Isto poderá ser útil no caso do
campo "Conta de modificação”. Isto poderá ser útil no caso do campo "Conta de reconciliação".

Caso os campos devam ter um status diferente em função da transação, determinar o status dos campos para a
transação desejada.

11
Atualizar grupos de contas clientes

Transação: OT10 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros > Controle
clientes > Atualizar grupos de contas cliente

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir o campo de Grupo de Previsão tesouraria como obrigatório para os grupos
de contas de clientes que estão previstos para afetar o CM

Documentação SAP:

Atualizar grupos de contas cliente

Através do grupo de contas o usuário controla


12
o em que intervalo o número de conta tem que estar

o que campos, na criação e modificação de registros mestre, estão prontos ou têm que ser preenchidos.

Na entrada de menu "<Clientes Grupos de contas", efetuar determinações para as contas de clientes que o usuário
pretende integrar na administração de caixa.

Atividades

1. Verificar os grupos de contas de clientes

2. Se necessário, criar um ou mais grupos de contas adicionais;

Informações adicionais

Para mais informações sobre a criação de grupos de contas, consultar o guia de implementação "Contabilidade FI".

13
Atualizar grupos de contas fornecedor

Transação: OT11 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros > Controle
fornecedor > Atualizar grupos de contas fornecedor

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir o campo Grupo de Previsão de tesouraria como obrigatório para os grupos
de fornecedores que estão previstos para efetuar o CM

Documentação SAP:

Atualizar grupos de contas fornecedores


Através do grupo de contas o usuário controla

o em que intervalo o número de conta tem que estar

o que campos, na criação e modificação de registros mestre, estão prontos ou têm que ser preenchidos.

Na entrada de menu "<Fornecedores Grupos de contas", efetuar determinações para as contas de fornecedores que o
usuário pretende integrar na administração de caixa.

Atividades

1. Verificar os grupos de contas de fornecedores

2. Se necessário, criar um ou mais grupos de contas adicionais

Informações adicionais: Para mais informações sobre a criação de grupos de contas, consultar o guia de
implementação "Contabilidade FI".

14
Definir níveis de tesouraria

Transação: OT12 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Ctas. razão > Definir níveis
de tesouraria

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 criar os níveis de tesouraria

Documentação SAP:
Definir níveis de tesouraria
Determinar nesta entrada de menu um nível de previsão de tesouraria para as contas de meios de pagamento e
atribuí-las, através do correspondente símbolo de origem, à situação financeira do dia.

Através dos níveis de previsão de tesouraria é possível ver os movimentos de tesouraria na administração de caixa, de
forma a explicar os saldos iniciais e finais das contas.

De forma a tornar a exibição da situação financeira do dia mais clara, os níveis que começam com "F" ou "B" estão
reservados para a atualização automática dos lançamentos. No entanto, os avisos e os itens de planificação efetuados
manualmente são atribuídos a outros níveis.

Na exibição da situação financeira do dia é visível que, graças ao nível FO, os montantes são registrados na conta
bancária, enquanto os outros níveis refletem movimentos planejados da conta bancária, tais como avisos e
lançamentos das contas de compensação bancária, etc. Desta forma a exibição pode ser utilizada para comparação
da contabilização real com os movimentos planejados.

15
Recomendação SAP

Recomenda-se utilizar os seguintes níveis:

o F0 para contas bancárias


o F1 para clientes e fornecedores
o B1-Bn para as contas de compensação bancária
o AB para avisos confirmados
o AU para avisos não confirmados
o MP para, por exemplo, as partidas-memo

Atividades

Se necessário, verificar e modificar os níveis de previsão de tesouraria fornecidos pelo sistema.

Controle de sinal +/-

Através deste campo controla-se o sinal +/- na entrada de registros individuais de administração de tesouraria. Isto
significa:

'' - é utilizado o sinal +/- da entrada


'+' - os montantes entrados são sempre arquivados com sinal +
'-' - os montantes entrados são sempre arquivados com sinal -

Desta forma é possível, como também no caso das chaves de lançamento na contabilidade financeira, forçar entradas
positivas ou negativas através do tipo de fluxo de caixa e, com ele, através do nível de administração de tesouraria,
isto é, a entrada do sinal+/- pode ser omitida.

Símbolo de origem

O símbolo de origem divide os níveis de administração de tesouraria de acordo com as fontes que fornecem os dados
para esses níveis. O símbolo de origem pode ser livremente escolhido pelo usuário e é atribuído ou à situação
financeira do dia ou à previsão de tesouraria a curto prazo.

Exemplos para símbolos de origem:

BNK Contabilidade bancária


PSK Contabilidade de contas de clientes/fornecedores
DEV Garantia de divisas
DAR Empréstimo
WER Títulos
MAT/MMF Administração de materiais
VER/SDF Vendas e distribuição
REM Administração de bens imóveis

16
Definir grupos prev.tesouraria

Transação: OT13 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros > Definir grupos
prev.tesouraria

17
Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir os grupos de previsão de tesouraria para cada grupo de contas de clientes e
fornecedores (previsto). Os grupos são atribuídos aos clientes e fornecedores através dos respectivos cadastros. O
campo controle de Tela (CnT), quando estiver marcado com X, indicará que o nível de previsão de tesouraria será
visível nos documentos de clientes e fornecedores, conforme relação Grupo tesouraria X Nível tesouraria elencada
acima.

Documentação SAP:

Grupos de tesouraria

Utilização

No Cash Management os clientes e os fornecedores são atribuídos aos grupos MRP através de uma entrada de
registro mestre.

Definir nesta entrada de menu os grupos de previsão de tesouraria para clientes e fornecedores. Um grupo de
previsão de tesouraria representa determinadas características, tipos de comportamento ou riscos desse grupo.
Assim, o usuário pode analisar as entradas ou saídas de pagamentos em relação à probabilidade de entrada ou saída
de moeda, ao valor do montante ou ao tipo de relação comercial.

Exemplo

 A1      Fornecedores nacionais
 A2      Fornecedores estrangeiros
 A3      Fornecedores Empresas filiadas
 A4      Atacadistas
 E1      Clientes Cobrança bancária automática
 E2      Clientes nacionais
 E3      Clientes estrangeiros
 E4      Clientes Risco

A atribuição dos clientes e fornecedores a um grupo de previsão de tesouraria é efetuada através de uma entrada no
registro mestre.

Atribuir aqui, além disso, os grupos de previsão de tesouraria a um nível de previsão de tesouraria.

Atividades

1. Criar grupos de previsão de tesouraria de acordo com os requisitos do usuário.


2. Atribuir os grupos de previsão de tesouraria a um nível de previsão de tesouraria, criado pelo usuário para as suas
contas pessoais.

Nível de administração de tesouraria

O nível de administração de tesouraria é utilizado para o controle no Cash Management. São possíveis, p.ex., os
seguintes níveis:

 Partidas-memo puras na situação financeira do dia


 Partidas-memo puras na previsão de tesouraria a curto prazo
 Pedidos
 Ordens
18
 Entradas de pagamento com aviso
 Compensação de pagamento FI (entrada de cheque, saída de cheque, letra câmbio, pagamento etc.)
 Operações bancárias FI (lançamento extrato conta, resgate de cheque, pagamento de letra de câmbio etc.)

Os níveis de administração de tesouraria podem ser escolhidos livremente pelo usuário. No entanto devem ser
consideradas convenções de nomes:

Para um melhoramento da exibição da situação financeira do dia, os níveis que começam por 'F' ou 'B' devem ser
reservadas para a atualização automática nos lançamentos, devendo os níveis 'F' serem utilizados para contas
bancárias, clientes e fornecedores, e os níveis 'B' para as contas de compensação bancárias.

Exemplos:

 F0 contas bancárias
 F1 compra/venda (clientes/fornecedores)
 FW letra de câmbio
 B1 conta de compensação bancária cheque de saída
 B2 conta de compensação bancária transferência saída nacional
 B3 conta de compensação bancária transferência saída estrangeiro
 B4 conta de compensação bancária cobrança por banco
 etc.

Na exibição da situação financeira do dia resulta que se trata, através do nível F0, de montantes lançados na conta
bancária, enquanto que os outros níveis apresentam movimentos planeados da conta bancária, isto é, lançamentos na
conta de compensação bancária ou avisos registrados etc. Assim a exibição pode ser utilizada para uma comparação
plano/real.

Para a previsão de tesouraria a curto prazo devem ser reservados certos níveis para lançamentos com bloqueio de
pagamento, p.ex. todos os níveis que começam por 'X'. Através destes níveis bloqueados na previsão de tesouraria a
curto prazo é evidente que no caso dos montantes exibidos se trata de lançamentos com bloqueio de pagamento.

Observação geral em relação a contas ou grupos MRP e níveis de administração de tesouraria:

Através das contas/grupos e dos níveis é possível estabelecer duas formas de observação em relação às datas.

As contas/grupos respondem à pergunta relacionada a "qual”

 qual o cliente (importante)/fornecedor (atacadista)


 qual grupo de clientes/grupo de fornecedores
 qual conta bancária/conta de compensação bancária

Os níveis respondem à pergunta relacionada a "como"

 como veio a informação parar ao sistema (lançamento ou aviso/part.planos)


 como foi lançado (lançamento 'normal' ou operação do Razão Especial

se a informação é boa

 nos montantes do nível 'saída de transferência' é conhecida a data exata de débito da conta, no nível 'cheque
emitido' a data de débito da conta é muito mais incerta
 nos níveis que pertencem a MM e SD não só o montante como também a data MRP são mais incertos do que
nos lançamentos FI. O fornecedor pode, p. ex., somente fornecer uma quantidade parcial ou pode acontecer
um atraso no fornecimento. Além disso, os montantes de MM na previsão de tesouraria a curto prazo são
exibidos em parte sem impostos (nos pedidos falta o imposto, desde que dedutível; nas requisições de
compra geralmente falta o imposto).

Onde são atribuídos níveis de administração de tesouraria no sistema ?


Nas contas do Razão o nível é gravado no registro mestre com os dados específicos da empresa.
Para clientes e fornecedores um nível standard é gravado nos grupos MRP.
O nível standard é utilizado sempre que não seja válido um nível divergente.

Para as seguintes aplicações e operações podem ser gravados níveis divergentes :

 Partidas bloqueadas
 Operações do Razão Especial
 Ordem de pagamento
 Pedidos e requisições de compra
19
 Ordens
 Agenciamento
 Empréstimo
 Títulos
 Comércio financeiro, divisas, derivados.
 Bens Imóveis

Os níveis gravados devem ser unívocos, isto é, não devem gravar o mesmo nível para várias aplicações ou
operações. A informação sobre a situação financeira do dia ou sobre previsão de tesouraria a curto prazo pode, por
um lado, sofrer alterações, por outro lado a marca de salto destas transações para a aplicação/exibição correta
correspondente das partidas individuais pode não funcionar corretamente

Controle de tela 1

Caso o controle de tela esteja marcado, os campos data de tesouraria e nível de tesouraria estarão prontos para
entrada aquando da entrada de documentos e da modificação de documentos. Assim, é possível entrar valores
diferentes dos determinados automaticamente.

20
Definir nome da conta em tesouraria

Transação: OT16 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Definir nome da conta em
tesouraria (nomes da conta dispositiva)

Título de conta de tesouraria

Com o título de conta de tesouraria é possível substituir dentro da administração de caixa o nº da conta por um nome descritivo.
Em todas as transações e reports na administração de caixa é utilizada esta denominação em vez do nº de conta.
Esta denominação é unívoca dentro de uma empresa.

Conta bancária/conta compensação bancária (conta do Razão)

No registro mestre, a conta do Razão é atribuída através do campo "nível da administração de tesouraria" à administração de
tesouraria. Para a administração de tesouraria (situação financeira do dia) apenas têm relevância as contas do Razão relevantes
para pagamento, portanto, habitualmente

 Contas bancárias
 Contas de compensação bancária (p.ex. cheques emitidos, transferências emitidas)
 Contas de caixa

Só administração de tesouraria

Se este campo está marcado a conta indicada é vista como conta interna de administração de tesouraria para a qual não existe
registro mestre de conta do Razão. Deste modo podem ser representadas relações comerciais esporádicas com bancos na
administração de tesouraria, sem criar um registro mestre de conta do Razão para esse banco, p.ex. nos investimentos a prazo
fixo.

Conta bancária da empresa nas ordens de pagamento

Pode ser marcada uma conta por empresa. Nesta conta serão atualizadas as ordens de pagamento na administração de caixa
que foram lançadas sem os dados do banco da empresa.

(A determinação dos dados do banco da empresa é efetuada para estas ordens de pagamento no programa de pagamento F111.
Após o lançamento do pagamento, é efetuada a atualização na administração de caixa com base no documento FI e a
atualização temporária na conta aqui marcada é anulada).

21
Se necessário pode ser criada uma conta interna da administração de tesouraria e utilizá-la para a atualização destas ordens de
pagamento.

O nível para estas ordens de pagamento é determinado mediante a visão V_T036R (níveis nas ordens de pagamento). Aí tem
que existir pelo menos uma entrada adequada com coluna definida 'Nível OP', para que seja efetuada a atualização. Na
determinação de uma entrada adequada são analisadas as colunas para a chave do país e a forma de pagamento.

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 Qualquer atividade no módulo CM (transferência entre bancos, avisos diversos,
visualização do fluxo de caixa, etc...) é feita com base no titulo da conta na tesouraria, para tanto, é necessária a
associação com as respectivas contas do razão.

Documentação SAP:

Definir nome da conta em tesouraria

Nesta entrada de menu, atribuir a cada conta bancária e a cada conta de compensação bancária um nome
significativo como nome da conta em tesouraria. Em todas as funções e reports da administração de caixa é utilizada
esta denominação em vez do número de conta.

A denominação é unívoca dentro da empresa

Condições

Assegurar-se que as contas bancárias estão definidas no plano de contas e na empresa. No caso de contas bancárias
verdadeiras terá que ser gravada uma identificação bancária e uma identificação de conta, assim como terá que ser
atualizado o número externo de conta bancária.

Nota

Em casos excepcionais, pode ser útil criar uma conta em tesouraria para a qual não há registro mestre. Estas contas
deverão ser registradas no campo "NF" como Contas internas da administração da tesouraria . Assim as transações
contábeis únicas com bancos podem ser reproduzidas na administração de caixa (p. ex. empréstimo de depósito a
termo fixo), sem que para isso tenha que ser criado um registro mestre de contas do Razão.

Atividades

Selecionar um nome da conta em tesouraria para cada conta bancária e conta de compensação bancária.

Indicar, para cada conta, o número de conta do Razão.

Indicar uma denominação para cada conta.

Se necessário, assinalar as contas internas da administração da tesouraria.


Numa conta bancária é exibido automaticamente o número externo da conta bancária.

22
Atualizar estrutura

Transação: OT17 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Classificação > Atualizar estrutura

Tipo de linha

A categoria de linha serve para a distinção de entradas de grupos e níveis:

E: Nível
G: Conta ou grupo de previsão de tesouraria

Seleção p/administração caixa (p.ex. p/situação finan.dia)

Aqui devem ser entrados os níveis, as contas ou os grupos de tesouraria, os quais devem ser considerados ou excluídos na
exibição. As entradas devem ser mascaradas com um '+', para possibilitar uma entrada genérica.

É importante que a entrada coincida com o comprimento dos níveis, das contas ou dos grupos de tesouraria. Devido a isso, a
entrada para os níveis deverá ter duas posições e, em geral, dez posições para as contas. No caso de grupos de tesouraria, o
comprimento depende do respetivo Customizing (visão V_T035).

São possíveis as seguintes entradas para, p.ex., os níveis:


 'F1'
 'F+'
 '+1'
 '++'

São possíveis as seguintes entradas para, p.ex., as contas bancárias:


 '0000113100' “NÂO podem ser omitidos zeros precedentes"
 '000011310+'
 '00001131++'
 '0++01+3++0'
 '++++++++++'

São possíveis as seguintes entradas para, p.ex., os grupos de tesouraria:

 'E1' “Premissa: os grupos de tesouraria têm duas posições”


 'E+'

23
 '+1'
 '++'

A entrada de empresa e de plano de contas é opcional. A entrada pode fazer sentido, caso os nºs. de contas idênticos em
empresas/planos de conta diferentes tenham um significado diferente, e contas com significado idêntico devam ser exibidas na
situação financeira do dia em um conceito de compactação.
Exemplo:
 Conta 113100 na empresa 1 pertence ao banco X
 Conta 113100 na empresa 2 pertence ao banco Y

Para poder utilizar conceitos de compactação diferentes para o banco X e o banco Y são necessárias duas entradas.

A empresa e o plano de contas podem ser entrados de forma mascarada. Para a determinação do conceito de compactação a
utilizar (e na compensação de contas da conta de compactação), o programa retira a entrada da estrutura, a qual possui menos
mascaramentos. Não tem importância se o mascaramento é utilizado no nº de conta, na empresa ou no plano de contas. No caso
de número de mascaramento idêntico é indiferente à entrada e, por conseguinte, o conceito de compactação e a conta de
compactação que serão utilizados.

Exemplo:

Seleção Empresa Plano de contas Conceito de compactação

0000+13+00 0001 INT AAA


0000113100 0+0+ INT BBB
0000113100 0+01 IN+ CCC
00001+3100 +001 INT DDD
0000113100 EEE

Uma vez que, teoricamente, o registro de banco de dados é considerado válido por todas as 5 linhas, é indiferente se é utilizado
o conceito de compactação 'AAA', 'BBB', 'CCC' ou 'DDD', dado que em cada dessas duas linhas existem dois mascaramentos
('+'). O conceito de compactação 'EEE' não pode ser utilizado, dado que a empresa e o plano de contas que faltam são
considerados mascarados de forma completa.

A entrada do plano de contas é permitida para contas e para grupos de tesouraria e é considerada como uma delimitação para as
empresas, as quais se encontram atribuídas ao plano de contas.

No caso de entrada mascaradas deve-se considerar o comprimento do campo. O plano de contas, p.ex., é considerado válido
pela entrada mascarada '+++', mas não pela entrada '++++'.

Excluir

Caso este campo seja marcado a seleção respectiva é excluída da classificação. Neste caso, a entrada menos mascarada tem
prioridade máxima.

Exemplo

Class Tipo Seleção Exclude Conceito integração


TEST E ++ **
TEST G 0000113+++ BANCOS
TEST G 00001133++ X
TEST G 0000113300 BANCOS

Na classificação TEST são escolhidas todas as contas de 13000 até 113999 a todos os níveis. As contas de 113300 até 113399
são excluídas. 113300 é escolhido novamente. Ao todo são escolhidas: 113000 até 113300 e 113400 até 113999.
Mascaramentos podem encontrar-se no meio do campo de seleção (p.ex. 0++01+33+0).

Conceito de compactação

Com o conceito de compactação as linhas de nível e de grupos de uma estruturação podem ser resumidas para a exibição da
situação financeira do dia e da previsão de tesouraria a curto prazo. Quando não é indicado um conceito de compactação, é
criada uma linha por nível e conta ou grupo MRP.

24
Na compensação de contas os conceitos de compactação não são analizados para linhas de grupos (isto é, para as contas
bancárias envolvidas), já que para a compensação devem ser utilizadas as contas individuais. Nas linhas de nível somente pode
ser considerado um conceito de compactação. Quando há vários indicados, a exibição efetua-se através do conceito de
compactação standard '**'.

Conta de compactação para concentração de caixa

Se na compensação de contas devem ser incluídas contas transitórias, os saldos destas mesmas podem ser acumulados na
conta principal aqui definida. Deste modo a compensação de contas só se realiza através da conta principal. As contas transitórias
são assim incluídas no saldo da conta principal.

Empresa de compactação para concentração de caixa

Se uma conta de compactação for especificada, o mesmo poderá suceder para uma empresa de compactação, para que tanto a
conta como a empresa sejam convertidas.
Assim, por exemplo, é possível compactar os saldos de várias contas de diferentes empresas em uma conta principal de uma
empresa, em uma proposta de compensação.

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir as estruturas necessárias para os Fluxos de Caixa. Para cada estrutura é
definido uma descrição, uma categoria (E nível ou G grupo), uma seleção ( + + tudo ou seleciona o necessário ex.: os
níveis 01, 02) e um critério de compactação ( ** todo compactado ou aberto ex.: bancos / avisos).

Documentação SAP:

Atualizar estrutura

Esta etapa permite especificar estruturas de grupo, através das quais o usuário pode agrupar determinadas contas
bancárias e pessoais para a exibição da situação financeira do dia e a previsão de tesouraria a curto prazo

Devem-se efetuar as seguintes determinações para a

o exibição da situação financeira do dia e da previsão de tesouraria a curto prazo

 que contas o usuário pretende ver na estrutura e que contas pretende excluir
 sob que conceito de compactação deverão ser agrupadas as linhas de nível e as linhas de
 de que categoria de linha se trata, sendo "E" para nível e "G" para conta ou grupo MRP.

o para a compensação de contas

 em que conta deverão ser compactados os saldos das contas de compensação na compensação de contas.

Recomendação SAP

Tendo em vista uma exibição o mais detalhada possível, recomenda-se a seleção de todos os níveis por conceito de
classificação. Isto é obtido por meio do mascaramento ++. Não esquecer, ao entrar os números de conta, que estes
são sempre precedidos de vários zeros.

Exemplo 1: Classificação da evolução das contas bancárias

Classificação. Categ. Seleção Exclus. ConcCompact. CtaComp.


Bancos    E ++ **
Bancos    G 00001131++ Alemães
Bancos    G 0000113109 X

25
Exemplo 2: Classificação do desenvolvimento das contas pessoais

Classificação. Categoria Seleção Exclus. ConcCompact.


Pessoas    E ++ **
Pessoas    G 0000113109 Compensação
Pessoas    G 0000113209 Compensação
Pessoas    G A+ Despesas
Pessoas    G E+ Receitas

Atividades

1. Criar as estruturas de classificação.


2. Selecionar por estrutura de classificação
a) todos os níveis
b) as contas pertencentes a esses níveis, de acordo com os requisitos do usuário.
3. Indicar, para cada classificação, um conceito de compactação e, se necessário, uma conta de
compactação.

Dicas
O campo de seleção tem que ter o mesmo tamanho do Grupo previsão de tesouraria

26
Definir hierárquia e atualizar títulos

Transação: OT18 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Classificação > Definir hierarquia e
atualizar títulos

Definir hierarquia e atualizar títulos

Nesta atividade definem-se as classificações e determinam-se os títulos globais e os títulos de linhas que serão visualizados na
situação de caixa e na previsão de tesouraria a curto prazo.

Exemplo

Classificação Título título de linhas


Bancos Gestão de contas bancárias Contas bancárias

Atividades

Determinar a classificação e o título.

Estruturação: status fincanc. do dia, prev.liquidez, clearing

A estruturação determina para a situação financeira do dia, para a previsão de tesouraria a curto prazo e para a compensação
das contas bancárias, quais são os níveis e as contas ou grupos de tesouraria que devem ser escolhidos.

Tanto na situação financeira do dia como na previsão de tesouraria à curto prazo é possível determinar, como compactar os
dados na 1ª tela.

Todos os níveis a incluir entram em linhas E, e todas as contas ou grupos de tesouraria em linhas G, sendo possível o
mascaramento com '+'. Quando não é indicado um conceito de compactação, o nível, a conta ou o grupo de tesouraria são
exibidos separadamente. Se não for o caso, a exibição efetua-se na 1ª tela no conceito de compactação e pode ser estruturado
por níveis ou grupos através de seleção de linha. Existe a possibilidade de excluir níveis ou grupos.

Nos exemplos seguintes supõe-se que as contas do Razão tenham um comprimento de dez posições e os grupos de tesouraria
um comprimento de dois caracteres. O nº da conta deve indicar-se com zeros precedentes.

Exemplo 1: "CONTAS"

Todas as contas do Razão devem ser exibidas individualmente. Os níveis devem ser exibidos como total. A defininação da
exibição acontece através das entradas:
Estruturação Tipo Seleção Excl. ConComp.

CONTAS E ++
CONTAS G ++++++++++

Exemplo 2: "DREBA"

Aqui deve ser exibido o desenvolvimento de determinadas contas do Razão (113200 até 113208) como total. Todos os níveis
devem ser tomados em consideração.

Estruturação Tipo Seleção Excl. ConComp.

DREBA E ++ **
DREBA G 000011320+ DRESDNER
DREBA G 0000113209 X

27
Exemplo 3: "MOEDA"

As contas devem ser agrupadas em moeda da conta. Somente devem ser considerados os níveis F (níveis utilizados no
lançamento):

Estruturação Tipo Seleção Excl. ConComp.

Moeda E F+ **
Moeda G 0000113150 US$
Moeda G 0000113160 LIT
Moeda G 00001131++ DM
Moeda G 0000113250 US$
Moeda G 0000113260 LIT
Moeda G 00001132++ DM

Exemplo 4: "NÍVEIS"

Todas as contas devem ser estruturadas em níveis de administração de tesouraria. Devem ser excluídos os níveis de teste T+
como também as duas contas de teste 113998 e 113999.

Estruturação Tipo Seleção Excl. ConComp.

Níveis E ++
Níveis E T+ X
Níveis G ++++++++++ **
Níveis G 0000113998 X
Níveis G 0000113999 X

Exemplo 5: "PESSOAS"

Devem ser exibidos os grupos de tesouraria dos clientes e dos fornecedores e comparados com as contas de compensação dos
clientes:

Estruturação Tipo Seleção Excl ConComp.

Pessoas E ++ **
Pessoas G E+ ENTRADAS
Pessoas G A+ SAÍDAS
Pessoas G 0000113109 COMPENSAÇÕES
Pessoas G 0000113209 PENSAÇÕES

Exemplo 6: "TOTAL"

Devem ser exibidos todos os grupos de tesouraria e todas as contas:

Estruturação Tipo Seleção Excl ConComp.

TOTAL E ++ **
TOTAL G ++ PESSOAS
TOTAL G ++++++++++ BANCOS

Tanto na situação financeira do dia como na previsão de tesouraria a curto prazo é possível exibir, selecionando uma linha, os
componentes individuais (níveis/contas/grupos de tesouraria) pelas quais se compõe a linha. Nas contas, a exibição efetua-se no
título da conta de tesouraria.

No mascaramento é necessário considerar o comprimento do campo. O grupo de administração de tesouraria 'A1' pode , p.ex.,
ser mascarado com 'A+' ou '+1' ou '++', mas não com 'A++' ou '+++'. Faz sentido atribuir o mesmo comprimento a todos os grupos
de administração de tesouraria.
No caso de clientes importantes ou de fornecedores atacadistas pode ser vantajoso gravar o nº da conta como grupo de
tesouraria. Na estruturação, isto pode ser tomado em conta como segue:

Exemplo 7: "TOTAL2"

Estruturação Tipo Seleção Excl ConComp.


28
TOTAIS2 G A+ FORN
TOTAIS2 G A+++++++++ FORN
TOTAIS2 G E+ CLIEN
TOTAIS2 G E+++++++++ CLIEN
TOTAIS2 G ++++++++++ BANCOS

Na situação financeira do dia e na previsão de tesouraria a curto prazo podem ser estabelecidas várias estruturações.

Exemplo 8: "BANCO1"

Estruturação Tipo Seleção Excl ConComp.


BANCO1 E AB **
BANCO1 G 0000113100 DEUTSCHE

Exemplo 9: "BANCO2"

Estruturação Tipo Seleção Excl ConComp.


BANCO2 E AU **
BANCO2 G 0000113200 DRESDNER

Caso sejam entradas as estruturas 'BANCO1' e 'BANCO2', somente são considerados o nível AB da conta 0000113100 e o nível
AU da conta 0000113200, i.e. na entrada de várias estruturas somente são considerados os registros na seleção de dados os
quais são selecionados por, no mínimo, uma estrutura relacionada.

Nas entradas de estrutura, as quais se referem a contas ou grupos de tesouraria, podem ser entrados, opcionalmente, a empresa
e o plano de contas. A entrada pode ser executada de forma mascarada. Para mais informações consultar a atualização de
estruturas (visão V_T038) no campo 'Seleção' (ajuda F1).

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir a descrição das estruturas que serão criadas

Documentação SAP:

Definir hierarquia e atualizar títulos

Nesta atividade definem-se as classificações e determinam-se os títulos globais e os títulos de linhas que serão
visualizados na situação de caixa e na previsão de tesouraria a curto prazo.

Exemplo

Classificação Título Título de linhas


Bancos Gestão de contas bancárias Contas bancárias

Atividades

Determinar a classificação e o título.

29
Definir função de distribuição

Transação: OT19 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Definir função de distribuição

Nível de administração de tesouraria

O nível de administração de tesouraria é utilizada para o controle no Cash Management.

São possíveis, p.ex., os seguintes níveis:

 Partidas-memo puras na situação financeira do dia


 Partidas-memo puras na previsão de tesouraria a curto prazo
 Pedidos
 Ordens
 Entradas de pagamento com aviso
 Compensação de pagamento FI (entrada de cheque, saída de cheque, letra câmbio, pagamento etc.) Operações
bancárias FI (lançamento extrato conta, resgate de cheque, pagamento de letra de câmbio etc.)

Os níveis de administração de tesouraria podem ser escolhidos livremente pelo usuário. No entanto devem ser consideradas
convenções de nomes:

Para um melhoramento da exibição da situação financeira do dia, os níveis que começam por 'F' ou 'B' devem ser reservadas
para a atualização automática nos lançamentos, devendo os níveis 'F' serem utilizados para contas bancárias, clientes e
fornecedores, e os níveis 'B' para as contas de compensação bancárias

Exemplos:

 F0 contas bancárias
 F1 compra/venda (clientes/fornecedores)
 FW letra de câmbio
 B1 conta de compensação bancária cheque de saída
 B2 conta de compensação bancária transferência saída nacional
 B3 conta de compensação bancária transferência saída estrangeiro
 B4 conta de compensação bancária cobrança por banco
 etc.

Na exibição da situação financeira do dia resulta que se trata, através do nível F0, de montantes lançados na conta bancária,
enquanto que os outros níveis apresentam movimentos planeados da conta bancária, isto é, lançamentos na conta de
compensação bancária ou avisos registrados etc. Assim a exibição pode ser utilizada para uma comparação plano/real.

Para a previsão de tesouraria a curto prazo devem ser reservados certos níveis para lançamentos com bloqueio de
pagamento, p.ex. todos os níveis que começam por 'X'. Através destes níveis bloqueados na previsão de tesouraria a curto
prazo é evidente que no caso dos montantes exibidos se trata de lançamentos com bloqueio de pagamento.

Observação geral em relação a contas ou grupos MRP e níveis de administração de tesouraria:

Através das contas/grupos e dos níveis é possível estabelecer duas formas de observação em relação às datas.

As contas/grupos respondem à pergunta relacionada a "qual

30
 qual o cliente (importante)/fornecedor (atacavista)
 qual grupo de clientes/grupo de fornecedores
 qual conta bancária/conta de compensação bancária

Os níveis respondem à pergunta relacionada a "como"

 como veio a informação parar ao sistema (lançamento ou aviso/part.planos)


 como foi lançado (lançamento 'normal' ou operação do Razão Especial)
 se a informação é boa
o nos montantes do nível 'saída de transferência' é conhecida a data exata de débito da conta, no nível 'cheque
emitido' a data de débito da conta é muito mais incerta.
o nos níveis que pertencem a MM e SD não só o montante como também a data MRP são mais incertos do que
nos lançamentos FI. O fornecedor pode, p. ex., somente fornecer uma quantidade parcial ou pode acontecer um
atraso no fornecimento. Além disso, os montantes de MM na previsão de tesouraria a curto prazo são exibidos
em parte sem impostos (nos pedidos falta o imposto, desde que dedutível; nas requisições de compra
geralmente falta o imposto).

Onde são atribuidos níveis de administração de tesouraria no sistema?

Nas contas do Razão o nível é gravado no registro mestre com os dados específicos da empresa.

Para clientes e fornecedores um nível standard é gravado nos grupos MRP.

O nível standard é utilizado sempre que não seja válido um nível divergente.

Para as seguintes aplicações e operações podem ser gravados níveis divergentes:

 Partidas bloqueadas
 Operações do Razão Especial
 Ordem de pagamento
 Pedidos e requisições de compra
 Ordens
 Agenciamento
 Empréstimo
 Títulos
 Comércio financeiro, divisas, derivados
 Bens Imóveis

Os níveis gravados devem ser unívocos, isto é, não devem gravar o mesmo nível para várias aplicações ou operações. A
informação sobre a situação financeira do dia ou sobre previsão de tesouraria a curto prazo pode, por um lado, sofrer
alterações, por outro lado a marca de salto destas transações para a aplicação/exibição correta correspondente das partidas
individuais pode não funcionar corretamente.

Sinal +/-

Através de '+', '-' ou Space é indicado se a distribuição percentual deve ser efetuada após o ('+'), antes do ('-') ou no (Space).
Deste modo é possível considerar o risco na situação financeira do dia e na previsão de tesouraria a curto prazo que não pode ser
excluído na administração de tesouraria para uma data determinada.

Dias p/distrib.na previsão da status fin.d/dia/a curto prazo

Aqui são indicados os dias para a distribuição. O sinal+/- determina se os dias são adicionados ou deduzidos para a data valor ou
data MRP.

Porcent.p/distrib.no status.fin.dia/prev.tesour.curto

Aqui é indicada a porcentagem decisiva para a distribuição.

31
Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 distribuir valores (avisos) no caso de incerterza da data.

Documentação SAP:

Definir a função de distribuição

Nesta entrada de menu, o usuário pode determinar, na exibição da situação financeira do dia e na previsão de
tesouraria a curto prazo, com que porcentagem deverá ser apresentado um montante alocado num determinado
momento. Levar em linha de conta que a exatidão não poderá ser garantida por certo número de itens, por causa da
data prevista de pagamento.

Exemplo:

Na situação financeira do dia deverá ser considerado um aviso de pagamento não confirmado e exibido de acordo
com a seguinte distribuição:

 no dia previsto a 50%


 um dia depois a 30%
 um dia antes a 20%

Atividades

1. Verificar os níveis de administração de tesouraria sob o aspecto da probabilidade de recepção na data prevista.
2. Definir uma função de repartição de níveis, para os quais o usuário ignora se os respectivos itens entrarão ou sairão
no momento previsto.

32
Definir intervalos de numeração

Transação: OT20 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Tesouraria manual > Definir
intervalos de numeração

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir intervalo de numeração para os avisos

Documentação SAP:

Definir intervalos de numeração

Na entrada de menu "Intervalos de numeração", determinar um ou mais intervalos de numeração para o MRP manual.
A cada registro individual entrado manualmente, é atribuído um número do intervalo correspondente.

Atividades

Indicar o intervalo de números, através de uma chave de dois caracteres, para os registros individuais entrados
manualmente.

Dicas

Esta parametrização não é transportada, por isso tem que ser digitada nos outros Client.

33
Definir tipos de tesouraria

Transação: OT21 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Tesouraria manual >
Definir tipos de tesouraria

Barra status campo

Atual

Alterado

Atual

34
Alterado

Tipo de fluxo de caixa

O tipo de fluxo de caixa é um critério de entrada para:

 o nível de tesouraria em que é atualizado o registro individual


 a classe de arquivamento em que é arquivado o registro individual
 a determinação, se o registro individual deve expirar automaticamente por causa de uma data de vencimento, ou se deve
ficar válido até ao arquivamento
 o intervalo de numeração no qual são administrados os registros individuais
 a determinação dos campos que devem ser indicados e estar prontos para entrada na criação e modificação de registros
individuais

Nível de administração de tesouraria

O nível de administração de tesouraria é utilizado para o controle da administração de caixa.


São possíveis, p.ex., os seguintes níveis:
 Partidas-memo puras na situação de caixa
 Partidas-memo puras na previsão de tesouraria a curto prazo
 Pedidos
 Ordens
 Entradas de pagamento com aviso
 Compensação de pagamento FI (cheques recebidos, cheques a pagar, letra de câmbio, pagamento etc.)
 Operações bancárias FI (lançamento extrato conta, confirmação do banco de cheques descontados, pagamento de letra
de câmbio, etc.)
Os níveis de administração de tesouraria podem ser escolhidos livremente pelo usuário. Contudo, devem ser consideradas
convenções de nomes:

Para um melhoramento da exibição da situação de caixa, os níveis que começam por 'F' ou 'B' devem ser reservados para a
atualização automática nos lançamentos, devendo os níveis 'F' ser utilizados para contas bancárias, clientes e fornecedores e os
níveis 'B' para as contas de compensação bancárias.

Exemplos:
 F0 contas bancárias
35
 F1 compra/venda (clientes/fornecedores)
 FF solicitações de adiantamentos
 FW letra de câmbio
 B1 conta de compensação bancária de cheques emitidos
 B2 conta de compensação bancária de transferência saída nacional
 B3 conta de compensação bancária transferência saída estrangeiro
 B4 conta de compensação bancária por débito automático
 etc.

Na exibição da situação de caixa é visível, mediante o nível F0, que se trata de montantes lançados na conta bancária, enquanto
que os outros níveis apresentam movimentos planejados da conta bancária, isto é, lançamentos na conta de compensação
bancária ou avisos registrados etc. Assim, a exibição pode ser utilizada para uma comparação real/planejada.

Para a previsão de tesouraria a curto prazo devem ser reservados certos níveis para lançamentos com bloqueio de pagamento,
p.ex., todos os níveis que começam por 'X'. Mediante estes níveis bloqueados na previsão de tesouraria a curto prazo é evidente
que no caso dos montantes exibidos se trata de lançamentos com bloqueio de pagamento.

Observação geral em relação a contas ou grupos MRP e níveis de administração de tesouraria:

Mediante as contas/grupos e os níveis é possível estabelecer duas formas de observação em relação às datas.

As contas/grupos respondem à pergunta relacionada a "qual"

 qual o cliente (importante)/fornecedor (atacadista)


 qual grupo de clientes/grupo de fornecedores
 qual conta bancária/conta de compensação bancária

Os níveis respondem à pergunta relacionada a "como"


 como veio a informação parar ao sistema (lançamento ou aviso/partidas planejadas)
 como foi lançado (lançamento 'normal' ou operação do Razão Especial)
 se a informação é boa
o nos montantes do nível 'saída de transferência' é conhecida a data exata de débito da conta, no nível 'cheque
emitido' a data de débito da conta é muito mais incerta.
o nos níveis que pertencem a MM e SD não só o montante como também a data MRP são mais incertos do que
nos lançamentos FI. O fornecedor pode, p. ex., somente fornecer uma quantidade parcial ou pode acontecer um
atraso no fornecimento. Além disso, os montantes de MM na previsão de tesouraria a curto prazo são exibidos
em parte sem impostos (nos pedidos falta o imposto, desde que dedutível; nas requisições de compra
geralmente falta o imposto).

Onde são atribuídos níveis de administração de tesouraria no sistema?

Nas contas do Razão o nível standard é gravado no registro mestre com os dados específicos da empresa.

Para clientes e fornecedores um nível standard é gravado nos grupos MRP.

O nível standard é utilizado sempre que um nível divergente não seja válido.

Para as seguintes aplicações e operações podem ser gravados níveis divergentes:

 Partidas bloqueadas;
 Operações do Razão Especial;
 Ordens de pagamento;
 Pedidos e requisições de compra;
 Ordens;
 Agenciamento;
 Empréstimo;
 Títulos;
 Comércio financeiro, divisas e derivados;
 Bens imóveis;

Os níveis gravados devem ser unívocos, isto é, não devem gravar o mesmo nível para várias aplicações ou operações. A
informação sobre a situação de caixa ou sobre a previsão de tesouraria a curto prazo pode, por um lado, sofrer alterações, por
36
outro lado a marca de salto destas transações para a aplicação/exibição correta correspondente das partidas individuais pode não
funcionar corretamente.

Classe de arquivamento

Registros de tesouraria, os quais já não estão válidos, podem ser arquivados em classes de arquivo. Estes registros já não são
considerados em função do montante na administração de tesouraria, mas continuam à disposição para as análises (p.ex. qual o
valor da taxa de juros média dos depósitos a prazo nos últimos 12 meses). Os registros podem ser reativados ou utilizados como
modelo para novos registros individuais.

Vencimento automático

Caso este comutador esteja definido, os registros individuais neste tipo de fluxo de caixa ficam automaticamente inválidos devido
a uma data de vencimento. No caso contrário, os registros individuais devem ser definidos para outra classe de arquivamento ou
eliminados para que não sejam tomados em consideração.

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir os tipos de avisos, atribuindo para cada, um Nível de Previsão de
Tesouraria, Classe de Arquivamento (tempo máximo que o aviso ficará arquivado), Vencimento Automático ( o sistema
permite colocar uma data de vencimento na criação do aviso), Intervalo de Numeração e um Texto para identificação.
Cada Tipo de aviso tem uma barra de status campos onde serão indicados os campos obrigatórios, facultativos ou
ocultos na tela de criação do aviso.

Documentação SAP:

Definir tipos de tesouraria

Nesta entrada de menu, definir os tipos de fluxo de tesouraria para o MRP manual. Através do tipo de fluxo de
tesouraria, o usuário controla a entrada manual de registros manuais. Determinar, para cada tipo de fluxo de
tesouraria,

 a que nível o fluxo está atribuído


 em que classe de arquivo um registro individual será registrado, quando deixar de ser válido.
 se está prevista expiração automática
 a que intervalo de numeração o tipo de fluxo de tesouraria está atribuido
 que campos são visualizados no tipo de fluxo de tesouraria correspondente e se deverá ser efetuada uma
entrada obrigatória ou facultativa.

Determinar, também aqui, um nome significativo para cada tipo de fluxo de tesouraria a ser exibido na entrada dos
registros individuais.

Atividades

1. Criar os tipos de fluxos de tesouraria sob uma chave de dois caracteres.


2. Caracterizar cada tipo de fluxo de acordo com os requisitos do usuário
3. Determinar para cada tipo de fluxo um status de campo ( > Liquidir os status de campo).

Estas determinações têm que ser efetuadas para os dois grupos de status de campo:

 Dados gerais
 Indicações adicionais

Informações adicionais

Dicas

Foram definidos em Dados Gerais e Adicionais para os Tipos de Fluxo de Caixa F0 até FF.

37
Atualizar tempo de permanência no arquivo

Transação: OT22 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Atualizar tempo de permanência
no arquivo

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 definir o tempo de arquivamento para cada tipo de aviso. Depois de expirado o
prazo, o sistema eliminará automaticamente o aviso do banco de dados.

Documentação SAP:

Atualizar tempo de permanência no arquivo

Nesta etapa, definir, por classe de arquivamento, quantos meses um registro individual deverá permanecer no
sistema, antes de poder ser eliminado num processo de reorganização.

Atividades

Indicar, por classe de arquivo, o tempo de permanência desejado.

38
Atualizar níveis bloqueados

Transação: OT23 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Estruturação > Atualizar níveis bloqueados

Chave de bloqueio para pagamento

Chave de bloqueio, com a qual é bloqueada uma partida em aberto ou uma conta destinada aos pagamentos. A chave de
bloqueio pode ser colada da seguinte forma:

1. Nos pagamentos automáticos, o bloqueio só é eficaz, caso:


o tenha sido gravado no registro mestre ou
o tenha sido inscrito no documento.

Caso o bloqueio seja inscrito no registro mestre, serão exibidas todas as partidas em aberto dessa conta na lista de
exceção. As chaves de bloqueio '*' e '+' no registro mestre são de importância significativa.

o A chave de bloqueio * no registro mestre faz com que sejam ignoradas todas as partidas da conta nos
pagamentos automáticos.
o A chave de bloqueio + no registro mestre faz com que sejam ignoradas todas as partidas, nas quais não esteja
explicitamente indicado um meio de pagamento.
o Também a chave de bloqueio 'A' tem um significado especial: esta chave é, em geral, definida automaticamente
aquando da entrada de um adiantamento. Por essa razão, o 'A' não deve ser eliminado, nem utilizado para
outros fins.
A questão da possível definição ou eliminação da chave de bloqueio no processamento de propostas de
pagamentos depende do atributo

Modificável na proposta de pagamento da chave de bloqueio.

2. Os pagamentos manuais só serão influenciados pela chave de bloqueio no documento, caso a chave de bloqueio
tenha a indicação do atributo Bloqueado para pagamentos manuais. Uma chave de bloqueio que tenha sido definida
no registro mestre não tem influência nos pagamentos manuais. No entanto, é possível chamar à atenção para esta
situação através de configurações do sistema adequadas, p.ex. através de um aviso. Para tal, é necessário proceder à
respetiva definição da mensagem 671 da área funcional F5 em Controle de mensagens.

3. A chave de bloqueio relevante para a liberação de pagamento na contabilidade financeira tem de ter a indicação do
atributo correspondente Não Modificável.

39
Nível de previsão de tesouraria p/bloqueio de pagamento

Para os níveis de previsão de tesouraria a curto prazo pode aqui ser gravada a atribuição dos níveis bloqueados. Num
lançamento com bloqueio de pagamento não é utilizado o nível standard do grupo MRP correspondente, mas sim este nível
bloqueado. Caso não seja entrado um código de bloqueio nesta atribuição, esta entrada é válida para todos os códigos de
bloqueio.
Na previsão de tesouraria a curto prazo, os níveis bloqueados demonstram que os montantes exibidos são lançamentos com
bloqueio de pagamento. Caso o bloqueio de pagamento do montante seja posteriormente fixado, modificado ou reinicializado, a
previsão de tesouraria a curto prazo será, em consequência, corrigida.
Na execução de reorganização os registros de totais com níveis bloqueados são transferidos, isto é, não se efetua uma
compactação destes registros de totais.

Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 diferenciar bloqueios de faturas

Documentação SAP:

Atualizar níveis bloqueados

Nesta entrada de menu o usuário poderá gravar, para os níveis de previsão de tesouraria, as atribuições aos níveis
bloqueados. Num lançamento com bloqueio de pagamento é utilizado o nível bloqueado e não o nível standard do
correspondente grupo MRP.

Exemplo:

Determinar para o nível F1, que no caso de um lançamento com o bloqueio de pagamento A, seja o nível XA a ser
exibido.

Na previsão de tesouraria a curto prazo e dado os níveis bloqueados, é visível que os montantes exibidos são
lançamentos com bloqueio de pagamento.

Atividades

Criar uma chave adequada aos níveis da previsão de tesouraria a curto prazo.

40
Definir meios de pagamento e saldo mínimo

Transação: OT24 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Transações contábeis > Concentração > Definir
conta intermediária, contas transitórias e montantes

Resumo do Processo

Documentação SAP:

Definir meios de pagamento e saldo mínimo

Neste passo, você faz as seguintes colocações para cada conta bancária em concentração de caixa:

 Manter o saldo mínimo;


 Especificar o planejamento mínimo;
 Definir a conta de intermédio (se você quer a concentração de caixa para uma conta de intermédio)

Ações:

1.Especificar um saldo mínimo no qual a conta será compensada ou será preenchida. Dentro do processamento de
aviso de pagamento, você pode corrigir o saldo mínimo definido, se necessário;

2. Especificar o planejamento mínimo;

3. Definir uma conta intermediária, se necessário.

41
Determinar formulários

Transação: OT27 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Transações Contábeis > Concentração de caixa >
Determinar formulários

Resumo do Processo

Permitir ao usuário R/3 informar um formulário para a execução das transferências (RFFDIS50)

Documentação SAP:

Determinar formulários

Determinar nesta entrada de menu os formulários necessários à correspondência.

Atividades

1. Determinar os formulários para cada empresa.

2. Atribuí-los aos respectivos programas.

42
Criar grupo de status de campo

Transação: OT32 IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Dados mestre > Ctas. razão > Criar grupo de status
de campo

OBY6

43
Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3

Documentação SAP:

Criar grupo de status de campo

Nesta entrada de menu, o usuário determina os campos, na entrada da transação contábil, que estão prontos a
entrar, devem ser completados ou ocultados. No lançamento em contas de meios de pagamento tem que ser indicada
uma data valor.

Recomendação SAP

Criar um grupo de status de campo para as contas de meios de pagamento que são controladas de forma que a Data
Valor seja um campo de entrada obrigatória em "Pagamentos"

Atividades

1. Verificar se foi previamente criado um grupo de status de campo.

2. Caso contrário, criar um grupo de status de campo para as contas de meios de pagamentos.

Informações

Para mais informações sobre a criação de grupos de status de campo, consultar o guia de implementação
Contabilidade financeira FI.

44
Preparar início produtivo e estrutura de dados

Transação IMG >> FDFD

Primeiros passos para parametrizações:

1) Criar Nível de Tesouraria;


2) Criar estrutura de tesouraria;
3) Criar grupos de tesouraria;
4) Associar os grupos ao nível e às contas;
5) Adto/ e Sol. Adiantamento de Razão Especial, associá-lo ao Nível de Tesouraria e razões utilizadas.

45
46
Resumo do Processo

Permitir ao usuário do sistema R/3 marcar os campos atualizar MM e SD caso você queira levar em consideração os
valores de requisição / pedido / ordens

Documentação SAP:

Preparar início produtivo e estrutura de dados

Esta entrada de menu suporta o usuário na introdução da administração de tesouraria. Podem ser ativadas empresas
para a atualização da administração de tesouraria, sendo verificadas configurações de tabelas. Os registros mestre
de clientes e fornecedores podem ser preenchidos com os grupos de administração de tesouraria necessários à
atualização da administração de tesouraria, simplificando assim uma reestruturação parcial ou total do registro de
totais.

O programa compreende cinco áreas, podendo ser acessadas através dos botões de status:
1. Ativar empresa
2. Dados Clientes/Fornecedores
3. Estruturação de dados
4. Reconciliação de dados
5. Correção de dados

Para 1) Ativar empresa

Através da ativação de uma empresa para a administração de tesouraria é possibilitada a atualização ou planejamento
dos respectivos dados nos movimentos monetários relevantes à tesouraria. Para a atualização nas áreas de logística
MM e SD há um código suplementar por área, que tem que ser utilizado, caso os dados da logística devam ir para a
administração de tesouraria.
Na ativação são verificadas todas as configurações de tabelas necessárias e, se necessário, efetuadas.

47
Para 2) Dados Cliente/Fornecedor

Através desta função poderão ser transportados grupos de administração de tesouraria para os registros mestre de
clientes e fornecedores. Os grupos de administração de tesouraria são um critério essencial para a atualização dos
itens em aberto na administração de tesouraria. As linhas da tabela representam critérios de seleção de diferentes
grupos. A lógica é a seguinte:

Através da prioridade é fornecida uma sequência hierárquica. Isto significa: Prioridade 1 tem prioridade máxima. Este
critério é verificado anteriormente. Caso o cliente/fornecedor cumpra estes critérios, o grupo deste registro é incluído
no registro mestre.

Exemplo: (CADASTRO DE CLIENTES)

Prio. País Cond.Pag de Cond.pag.até Recl. MeioPag. Grupo HistPag.


1 BR 002F F069 ABDE CLI_01 X
2 CLI_02 X
Caso sejam válidas as condições da linha 1 para um cliente/fornecedor, ele recebe o grupo de administração de
tesouraria CLI_01 e é utilizado o código "Gravar o histórico de pagamento". Todos os outros clientes são atribuídos ao
grupo CLI_02.

Exemplo: (CADASTRO DE FORNECEDORES)

Prio. País Cond.Pag de Cond.pag.até Recl. MeioPag. Grupo HistPag


1 BR CNT FOR_50
2 FOR_51
Caso sejam válidas as condições da linha 1 para um cliente/fornecedor, ele recebe o grupo de administração de
tesouraria FOR_50 e é utilizado o código "Gravar o histórico de pagamento". Todos os outros clientes são atribuídos
ao grupo FOR_51

Favor utilizar a F1 ou F4-Ajuda para cumprir os critérios de seleção.

Para obter uma sobreposição total dos registros mestre através dos grupos de administração de tesouraria, deverá ser
indicado um esquema (de prioridade mínima), no qual se introduz um cliente/fornecedor, caso ele não corresponda a
outros esquemas.

O número de registros mestre aos quais ainda não está atribuído nenhum grupo, pode ser determinado através do
botão 'Verificar'.

Os critérios de seleção podem ser gravados localmente e lidos mais tarde, através da entrada de menu
'Download/Upload'.

Para 3) Estruturação de dados

Na entrada 'Estruturação de dados' os documentos e itens em aberto disponíveis no sistema, assim como registros
planejados e saldos de contas, podem ser transferidos para a administração de tesouraria.

De acordo com a utilização, pode ser aqui definido se a estruturação de dados deverá incorporar os dados dos
módulos de logística SD e MM, assim como negócios da agência, ou dados da administração de tesouraria. A
execução do programa correspondente de transferência é efetuada como batch-job, cujas data e hora de
planejamento podem ser indicadas. É recomendado efetuar o job de noite, já que terá que ser evitado que os
lançamentos criem uma inconsistência de dados na administração de tesouraria, durante a estruturação de dados.

Ter em consideração que os dados de administração de tesouraria serão eliminados na estruturação de dados!

Para os dados do MRP manual (Partidas planejadas, Avisos,...) é efetuada uma consulta especial, uma vez que estes
não poderão ser recuperados, caso haja uma eliminação. Se estes dados deverem permanecer, a consulta terá que
ser respondida com 'Não'.

Para 4) Conciliação de dados

Há um programa à disposição para o ajuste dos dados da administração de tesouraria, através do qual pode ser
planejado como batchjob. Para mais informações, consultar a Documentação de report correspondente.

48
Para 5) Correção de dados

No caso de ocorrer uma inconsistência de dados entre os dados da administração de tesouraria e os dados efetivos,
o usuário tem a possibilidade de evitar a reestruturação total dos dados. Dependendo da origem da inconsistência, a
reestruturação pode ser limitada a determinadas áreas. Também aqui deverá ser possibilitada a consulta de
informação mais detalhada na Documentação de report.

Transação: FDFD ou IMG > Tesouraria > Administração de caixa > Ferramentas > Preparar início produtivo e
OT29 estrutura de dados

Transação: FDFD

49
Transação: OT29

Resumo do Processo
Permitir ao usuário do sistema R/3 marcar os campos atualizar MM e SD caso você queira levar em consideração os
valores de requisição / pedido / ordens

Documentação SAP:

Preparar início produtivo e estrutura de dados

Esta entrada de menu suporta o usuário na introdução da administração de tesouraria. Podem ser ativadas empresas
para a atualização da administração de tesouraria, sendo verificadas configurações de tabelas. Os registros mestre de
clientes e fornecedores podem ser preenchidos com os grupos de administração de tesouraria necessários à
atualização da administração de tesouraria, simplificando assim uma reestruturação parcial ou total do registro de
totais.

O programa compreende cinco áreas, podendo ser acessadas através dos botões de status:
1. Ativar empresa
2. Dados Clientes / Fornecedores
3. Estruturação de dados
4. Reconciliação de dados
5. Correção de dados

1) Ativar empresa

Através da ativação de uma empresa para a administração de tesouraria é possibilitada a atualização ou


planejamento dos respectivos dados nos movimentos monetários relevantes à tesouraria. Para a atualização nas
áreas de logística MM e SD há um código suplementar por área, que tem que ser utilizado, caso os dados da logística
devam ir para a administração de tesouraria. Na ativação são verificadas todas as
configurações de tabelas necessárias e, se necessário, efetuadas.

50
2) Dados Cliente / Fornecedor

Através desta função poderão ser transportados grupos de administração de tesouraria para os registros mestre de
clientes e fornecedores. Os grupos de administração de tesouraria são um critério essencial para a atualização dos
itens em aberto na administração de tesouraria. As linhas da tabela representam critérios de seleção de diferentes
grupos.
A lógica é a seguinte: Através da prioridade é fornecida uma seqüência hierárquica.
Isto significa: Prioridade 1 tem prioridade máxima. Este critério é verificado anteriormente. Caso o cliente / fornecedor
cumpra estes critérios, o grupo deste registro é incluído no registro mestre.
Exemplo: (CADASTRO DE CLIENTES)

Prio. País Cond.Pag de Cond.pag.até Recl. MeioPag. Grupo HistPag.

1 BR 002F F069 ABDE CLI_01 X


2 CLI_02 X

Caso sejam válidas as condições da linha 1 para um cliente/fornecedor, ele recebe o grupo de administração de
tesouraria CLI_01 e é utilizado o código "Gravar o histórico de pagamento". Todos os outros clientes são atribuídos ao
grupo CLI_02.

Exemplo: (CADASTRO DE FORNECEDORES)

Prio. País Cond.Pag de Cond.pag.até Recl. MeioPag. Grupo HistPag.

1 BR CNT FOR_50
2 FOR_51

Caso sejam válidas as condições da linha 1 para um cliente/fornecedor, ele recebe o grupo de administração de
tesouraria FOR_50 e é utilizado o código "Gravar o histórico de pagamento". Todos os outros clientes são atribuídos
ao grupo FOR_51.

Favor utilizar a F1 ou F4 - Ajuda para cumprir os critérios de seleção.

Para obter uma sobreposição total dos registros mestre através dos grupos de administração de tesouraria, deverá ser
indicado um esquema (de prioridade mínima), no qual se introduz um cliente/fornecedor, caso ele não corresponda a
outros esquemas.

O número de registros mestre aos quais ainda não está atribuído nenhum grupo, pode ser determinado através do
botão 'Verificar'.

Os critérios de seleção podem ser gravados localmente e lidos mais tarde, através da entrada de menu
'Download/Upload'.

3) Estruturação de dados

Na entrada 'Estruturação de dados' os documentos e itens em aberto disponíveis no sistema, assim como registros
planejados e saldos de contas, podem ser transferidos para a administração de tesouraria.

De acordo com a utilização, pode ser aqui definido se a estruturação de dados deverá incorporar os dados dos
módulos de logística SD e MM, assim como negócios da agência, ou dados da administração de tesouraria. A
execução do programa correspondente de transferência é efetuada como batch-job, cujas data e hora de
planejamento podem ser indicadas. É recomendado efetuar o job de noite, já que terá que ser evitado que os
lançamentos criem uma inconsistência de dados na administração de tesouraria, durante a estruturação de dados.

Ter em consideração que os dados de administração de tesouraria serão eliminados na estruturação de dados!
Para os dados do MRP manual (Partidas planejadas, Avisos,...) é efetuada uma consulta especial, uma vez que estes
não poderão ser recuperados, caso haja uma eliminação. Se estes dados deverem permanecer, a consulta terá que
ser respondida com 'Não'.

4) Conciliação de dados

Há um programa à disposição para o ajuste dos dados da administração de tesouraria, através do qual pode ser
planejado como batchjob. Para mais informações, consultar a Documentação de report correspondente.

5) Correção de dados

51
No caso de ocorrer uma inconsistência de dados entre os dados da administração de tesouraria e os dados efetivos,
o usuário tem a possibilidade de evitar a reestruturação total dos dados. Dependendo da origem da inconsistência, a
reestruturação pode ser limitada a determinadas áreas. Também aqui deverá ser possibilitada a consulta de
informação mais detalhada na Documentação de report.

52