Você está na página 1de 2

12 PASSOS PARA DESPERTAR A CHAMA INTERNA

1. Relaxa-te. Se queres projetar, fazê-lo a partir de um estado de calma e não do estado de defesa, medo
ou apego, só através da calma, procura o momento adequado.

2. Observa-te. Observa sem juízos tudo o que há dentro de ti. Explora-te, conhece-te. Como és? Como
está mobilado, decorado o teu templo? Que tens como moveis, como formas, como organização.
Alguns podem sentir o chamado da Natureza, das flores, animais, montanhas, oceanos, outros podem
sentir o céu; outros talvez nada os defina. Se observas algo que não é autêntico, real, diz-lhe que se vá.

3. Entende. Entende, compreende como tudo se une a uma só coisa, a uma só forma, energia. Entende o
teu interior, pois aquilo que se forma desde dentro, se organiza desde dentro, dando uma única
energia. Não trates de entender desde a definição, pois isso entorpecia o trabalho final. Não posso
projetar se ao começar defino e me encasulo, me ponho dentro de uma caixa que tenha uma forma e
cor e contexto dentro de uma sociedade que já existe, se o faço assim, estou destinado ao fracasso.

4. Sente a energia. Agora que já se integraram os 3 primeiros passos, deixa que internamente se
manifeste uma energia, é infinita, eterna. Essa energia manifesta-se de muitas maneiras, mantem-te
atento. Desde a paz, a calma e o não juízo percebe a energia talvez como amor, como valentia ou talvez
como uma imensa magnitude, há muitas formas de manifestar-se, tem paciência, estás-te a conhecer,
é uma primeira referência e numa primeira referencia não podes pedir um compromisso final.

5. Dá-lhe luz. A essa energia que sentiste, que concretizaste em diversos cenários, dá-lhe um nome, dá-lhe
nascimento. Quando poes um nome – o geras, o manifestas. Nomeia-lo e será; nomeia-lo e crescerá,
poe um nome aquilo que és, poe nome a essa chama que começa a remexer no teu interior, mas não
antes que ela se manifeste e se entregue a teu interior, porque se o nomeares antes corres o risco de
nomear algo caducado e antigo que se definiu no passado e que quiçá formava parte de um
personagem obsoleto. A chama atual é uma chama nova para Ser e para Estar.

6. Deixa que cresça. Deixa que se expanda esta energia que nasceu na matéria (pensamento) que cresça.
A palavra é matéria e tu puseste-lhe nome. Podes dizer a tua nova chama nomeada: Benvinda ao
mundo da terra, e agora que ela é, deixa-a crescer. Deixa que entenda que os primeiros passos que vai
dar serão internos, como um bebé, deixa que cresça num lugar confortável, são, seguro, como é o teu
interior.

7. Deixa que se manifeste. Deixa que este pequeno bebe que nasceu no teu interior tenha uso de
ferramentas para que possa começar a dar sua opinião. Esta energia bebe é um ser sábio e antigo como
a Mãe Terra, como a criação do Universo. Deixa que este ser se manifeste, tenha espaço para falar,
pode ser escrevendo ou de outra forma que tu possas escutar. Este processo pode levar semanas,
meses, mas isso que mais dá quando o fruto que recolhes está saboroso. Deixa que este pequeno que
há começado a tomar forma te fale e explique o que veio dizer-te.
8. Poe em prática aquilo que chega do passo anterior. Que sentido tem escutar a mensagem interna, se
vais fazer ouvidos surdos, isso não é magia nem é honestidade, isso é simplesmente incoerência,
incompreensão da necessidade urgente de entender internamente. Palavras poderosas chegam ao teu
interior, escuta-las e obra em consequência, que sentido tem se assim não o fizeres.

9. Transformação do Ser. Este ser transforma-se numa energia mais coesa, um novopersonagem nasceu
dentro de ti, esse a quem puseste um nome de nascimento e que agora tem voz, já se fez grande
e já te das conta de que podes confiar nele. A esta energia nova, profunda e serena, que sabe quem é,
o que quer e até onde vai, poe-lhe de novo um nome, pois o nome de nascimento é um e o nome de
amadurecido é outro, poe-lhe um nome pensado e coeso, seguro, porque esse nome vai defini-lo e que
melhor que essa energia que nasceu em nós para dar-lhe nome.

10. Poe-lhe um nome. Poe-lhe nome ao novo personagem que nasceu em ti e deixa que pouco a pouco,
desde dar-lhe espaço para comunicar-se, desde chamar seu nome como é devido, se de a
autenticidade, se de o ultimo passo tão necessário, a fusão.

11. Fusão. Funde-te neste novo eu, identifica-te com ele por ter nascido de mais profundo e sincero de ti
mesma, nasceu como algo pequeno que não tinha assinatura , nem definição, mas se fez forte e
estável, se abriu da base de confiança e serenidade, de autoconhecimento. Estes passos foram
necessários para renascer.

12. Exteriorização. Deixa que se manifeste, deixa que seja no mundo da matéria. Transcende-lo, deixa que
se gere a magia que estavas desejando. Não será instantâneo, mas sim duradoiro, nem sempre será
simples, mas sim recompensador. Estes 12 passos vão-te trazer um caminho novo e estável, capaz de
projetar-se desde a honestidade. A magia começa pela projeção. Deixa crescer a chama interna, deixa
que ela pouco a pouco se materialize, usando ferramentas poderosas como o nome e a expressão,
como a manifestação e renasce no que a tua alma pede aos gritos, dá-lhe a oportunidade de ser tu
mesma.

Você também pode gostar