Você está na página 1de 2

História do pensamento e profissionalização do Assistente Social

Objetivo Netto (2011): analisar a gênese do SER cujo momento específico é a fase de trânsito à idade do monopólio, pois as conexões do SER profissional não se entrelaçam
à questão social, mas às suas peculiaridades no âmbito da sociedade burguesa madura e consolidada (XIX-XX).

PENSAMENTO CONSERVADOR EUROPEU (Franco-belga) SOCIOLOGIA CONSERVADORA NORTE-AMERICANA ATUALIAÇÃO DA HERANÇA CONSERVADORA

Ampliação do suporte técnico-científico


Antes, na Europa...

- Questão social redimensionada; * Ação educativa * Pensa o nós (caso, comunidade e grupo); - Visão funcionalista nos métodos e técnicas
- Filosofia neotomista; (problemas individuais) * Casos particulares em detrimento das (problemas vistos de maneira estática e mecânica)
- Formação do laicado; * Família: central estruturas (organização natural da - Respeito à personalidade, autodeterminação
- Doutrina social e Ação Católica; * Formação sociedade): “problemas sociais” - Indivíduo dotado de destino/aceitação
↓ ↓ * Filosofia social humanista cristã + técnica - Caridade, justiça e bem comum.
Reforma social Vocação social ↓
(recristianizar) (reconstrução da sociedade/ordem social) Caráter missionário com tendências tecnicistas
Primeiras (integração do indivíduo e manutenção do capitalismo)
Emergência do SER 1ª escola (SP)/2ª (RJ) Universidades católicas Fim II Guerra Mundial “vozes discordantes”
1930 1936 1937 1940 1941 1945 Desenvolvimentismo Déc. 60
___________I______________________I_______I_______I_____I______________________________________________I________________I______________I_______

Sobre o capitalismo monopolista... – intervenção Extra-econômica (Estado permeável às demandas)


↓ Welfare State
Intervenção extra-econômica “comitê executivo da burguesia” Trato proporcionado pelas políticas:
(Estado – “comitê executivo da burguesia) “coesionador social” - corrói e recupera o ethos individualista;
- Guerra imperialista: forças produtivas (redefinição do público e do “privado”)
X GIRO DA ORDEM MONOPÓLICA ↓
Relações de produção Captura dos espaços privados
Ordem monopólica (atende) (indução comportamental-indivíduo administrado)
- Salto organizacional das lutas do proletariado ↓ (consenso) (psicologização da vida social)
(Protagonismo proletário – politiza a “questão social”) Estado (patrimônio teórico-cultural – positivismo)
X ↓Políticas sociais públicas =
Reformismo integrador Refrações da questão social “Questão social”: externa às instituições da sociedade burguesa
(Protagonismo burguês – despolitiza a “questão social”) (demandas representadas) (problema moral e não estrutural)

* Assistente social: papel executivo, assalariado, cujas


Asseguram as condições adequadas ao desenvolvimento monopolista e desonera seus únicos atividades independem de sua intencionalidade, estão
beneficiados, os burgueses, por meio do trato fragmentado das problemáticas. determinadas pelos espaços sócio-ocupacionais que ocupam.
PENSAMENTO CONSERVADOR EUROPEU (Franco-belga) SOCIOLOGIA CONSERVADORA NORTE-AMERICANA ATUALIAÇÃO DA HERANÇA CONSERVADORA

Ampliação do suporte técnico-científico


Antes, na Europa...

- Questão social redimensionada; * Ação educativa * Pensa o nós (caso, comunidade e grupo); - Visão funcionalista nos métodos e técnicas
- Filosofia neotomista; (problemas individuais) * Casos particulares em detrimento das (problemas vistos de maneira estática e mecânica)
- Formação do laicado; * Família: central estruturas (organização natural da - Respeito à personalidade, autodeterminação
- Doutrina social e Ação Católica; * Formação sociedade): “problemas sociais” - Indivíduo dotado de destino/aceitação
↓ ↓ * Filosofia social humanista cristã + técnica - Caridade, justiça e bem comum.
Reforma social Vocação social ↓
(recristianizar) (reconstrução da sociedade/ordem social) Caráter missionário com tendências tecnicistas
Primeiras (integração do indivíduo e manutenção do capitalismo)
Emergência do SER 1ª escola (SP)/2ª (RJ) Universidades católicas Fim II Guerra Mundial “vozes discordantes”
1930 1936 1937 1940 1941 1945 Desenvolvimentismo Déc. 60
___________I______________________I_______I_______I_____I______________________________________________I________________I______________I_______
Relação entre o estatuto teórico do SER e sua prática...
Tese: “a ruptura com o regime do voluntariado não equivaleu à
ruptura com a subalternidade técnica a que se destinava e alocava
a força de trabalho feminina” (p. 88).
“idealmente, a profissão colocou as bases para uma peculiar intervenção
- Estatuto profissional: via demandas e por reservas próprias de forças. sobre as refrações da questão social, faticamente esta intervenção não se
- Sincretismo: “fio condutor da afirmação e do desenvolvimento do ergueu como distinta”, isto é, “nas suas resultantes, não obteve
SER como profissão, seu núcleo organizativo e sua norma de atuação” (p. 92) um coeficiente de eficácia capaz de diferenciá-la de outras práticas” (p. 100).
- fundamentos da estrutura sincrética:
A) o universo que se apresentou como eixo das demandas (sincrético); Por quê?
- trato da “questão social” que desqualifica as intervenções e padronização. 1) as condições para a intervenção;
B) o horizonte de seu exercício profissional; - Funcionalismo e estruturalismo: repertório técnico em sincronia com as
- do cotidiano (sintoniza, reproduz e sanciona essa composição, reordenando-a) regularidades sociais da ordem burguesa, é a transcrição imediata destas
C) sua modalidade específica de intervenção. ao plano do pensamento (explicam o movimento do real e garantem a
- recupera funções típicas das suas protoformas (pragmatismo, emergencial). eficácia das intervenções no plano da imediaticidade)
- matriz positivista: compatível às necessidades monopólicas (razão instrumental) - formulação e intervenção sistemática e pragmática (manipulação técnica)
 SER: buscava estabelecer fronteiras em relação às atividades
filantrópicas, basilares de suas protoformas. Pata tanto: 2) a funcionalidade do Estado.
1) Recorrer ao pensamento oriundo das ciências sociais; - Ressitua as refrações da “questão social”, mas não promove sua eversão.
2) Empenho em generalizar uma sistemática para a formação; - SER: dá continuidade à reprodução das refrações. Racionaliza recursos.
3) Esforço para produzir documentação própria; - especificidade? Uma incógnita (crise de identidade profissional)
4) Vínculo crescente das intervenções às formas de organização institucionais. – Polivalência: consequência da intervenção indiferenciada.