Você está na página 1de 27

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS DE PROBABILIDADE

1º) O seguinte grupo de pessoas se encontra em uma sala:


► 5 rapazes com mais de 21 anos;
► 4 rapazes com menos de 21 anos;
► 6 moças com mais de 21 anos;
► 3 moças com menos de 21 anos.
Uma pessoa é escolhida ao acaso. Determine a probabilidade de que:
a) Seja uma moça ou tenha mais do que 21 anos;
b) Seja um rapaz ou tenha mais do que 21 anos;
c) Seja um rapaz ou tenha menos do que 21 anos;
d) Seja uma moça ou tenha menos do que 21 anos.

SOLUÇÃO

a) Consideremos os eventos:
A = {a pessoa é uma moça}
B = {a pessoa tem mais de 21 anos}
Devemos determinar:
p ( A ∪B )

Observando que o grupo é formado por 18 pessoas e que a escolha é ao acaso, temos:

NCF 9 NCF 11 NCF 6


p(A)= = p(B)= = p ( A ∩B ) = =
NTC 18 NTC 18 NTC 18

Assim, resulta:

9 11 6 14
p(A ∪ B) = p(A) + p(B) - p(A ∩ B) = + − = = 0,7778 (77,78%)
18 18 18 18

b) Consideremos os eventos:
A = {a pessoa é um rapaz}
B = {a pessoa tem mais de 21 anos}
Como:
NCF 9 NCF 11 NCF 5
p(A)= = p(B)= = p ( A ∩B ) = =
NTC 18 NTC 18 NTC 18

segue que:
9 11 5 15
p(A ∪ B) = p(A) + p(B) - p(A ∩ B) = + − = = 0,8333 (83,33%)
18 18 18 18

c) Consideremos os eventos:
A = {a pessoa é um rapaz}
B = {a pessoa tem menos de 21 anos}

1
Como:
NCF 9 NCF 7 NCF 4
p(A)= = p(B)= = p ( A ∩B ) = =
NTC 18 NTC 18 NTC 18

segue que:
9 7 4 12
p(A ∪ B) = p(A) + p(B) - p(A ∩ B) = + − = = 0,6667 (66,67%)
18 18 18 18

d) Consideremos os eventos:
A = {a pessoa é uma moça}
B = {a pessoa tem menos de 21 anos}
Como:
NCF 9 NCF 7 NCF 3
p(A)= = p(B)= = p ( A ∩B ) = =
NTC 18 NTC 18 NTC 18

segue que:
9 7 3 13
p(A ∪ B) = p(A) + p(B) - p(A ∩ B) = + − = = 0,7222 (72,22%)
18 18 18 18

2º) Jogam-se dois dados honestos. Consideremos os eventos:


A = {o primeiro dado aponta o número 2}
B = {a soma dos números nos dois dados é 4}
C = {os números nos dois dados são iguais}
Nestas condições pede-se determinar:
a) p (A) + p (B)
b) p (C) + p (A ∩ B)
c) p (A ∩ B ∩ C)

SOLUÇÃO

Observe inicialmente, que a espaço amostral decorrente do lançamento dos dois dados é composto
por 36 elementos, ou seja:

S = { (1,1) , (1,2), . . . , (1,6) , (2,1) , (2,2), . . . (2,6) , ..........(6,6) }

a) Notando que:
A = { (2,1) , (2,2) , (2,3) , (2,4) , (2,5) , (2,6) } e B = { (1,3) , (2,2) , (3,1) }

e sendo o espaço amostral equiprovável, segue:

NCF 6 NCF 3
p(A) = = e p(B) = =
NTC 36 NTC 36
Assim, temos:
6 3 9
p(A)+p(B) = + = = 0,25 (25%)
36 36 36

2
b) Notando que:
C = { (1,1) , (2,2) , . . . , (6,6) } e A ∩ B = { (2,2) }

segue:
NCF 6 NCF 1
p(C) = = e p ( A ∩B ) = =
NTC 36 NTC 36
e assim:

6 1 7
p ( C ) + p ( A ∩B ) = + = = 0,1944 (19,44%)
36 36 36

c) Como:
A ∩ B ∩ C = { (2,2) }

resulta que:
1
p (A ∩ B ∩ C ) = = 0,0278 (2,78%)
36

3º) De um conjunto com quatro valetes e cinco reis, são retiradas 3 três cartas, simultaneamente,
ao acaso. Qual a probabilidade de se obter:
a) 3 valetes;
b) 3 reis;
c) apenas 1 valete;
d) exatamente 2 reis;
e) no máximo 2 reis;
f) no mínimo 1 valete.

SOLUÇÃO

a) Considere o evento:
A = {obter 3 valetes}

Como a retirada é ao acaso, trata-se de um espaço equiprovável. Assim, tendo em vista que:

NCF = C 4 , 3 = 4 e NTC = C 9 , 3 = 84

podemos escrever:
NCF 4
p(A) = = = 0,0476 (4,76%)
NTC 84

b) Considere o evento:
B = {obter 3 reis}
Tendo em vista que:

NCF = C 5 , 3 = 10 e NTC = C 9 , 3 = 84

3
podemos escrever:
NCF 10
p(A) = = = 0,1190 (11,90%)
NTC 84

c) Considere o evento:
C = {obter apenas 1 valete}

Observe que obter apenas 1 valete equivale a obter 1 valete e 2 reis. Assim:

NCF = C 4 , 1 . C 5 , 2 = 4 . 10 = 40 e NTC = C 9 , 3 = 84
podemos escrever:

NCF 40
p(C) = = = 0,4762 (47,62%)
NTC 84

d) Considere o evento:
D = {obter exatamente 2 reis}

Observe que obter exatamente 2 reis equivale a obter 1 valete e 2 reis. Assim a solução do item d)
é exatamente igual a do item c).

e) Considere o evento:
E = {obter no máximo 2 reis}

Observe que obter no máximo 2 reis equivale a obter : 2 reis ou 1 rei ou nenhum rei. Assim o núme-
ro de casos favoráveis, é dado pela soma das seguintes possibilidades:
2 reis (ou seja: 2 reis e 1 valete): C 4 , 1 . C 5 , 2 = 4 . 10 = 40
1 rei (ou seja: 1 rei e 2 valetes): C 4 , 2 . C 5 , 1 = 6 . 5 = 30
nenhum rei (ou seja 3 valetes): C 4 , 3 = 4

Podemos então escrever:

NCF 40 + 30 + 4 74
p(E) = = = = 0,8810 (88,10%)
NTC 84 84

f) Considere o evento:
F= {obter no mínimo 1 valete}

Observe que obter no mínimo 1 valete equivale a obter : 1 valete ou 2 valetes ou 3 valetes Assim o
número de casos favoráveis, é dado pela soma das seguintes possibilidades:
1 valete (ou seja: 2 reis e 1 valete): C 4 , 1 . C 5 , 2 = 4 . 10 = 40
2 valetes (ou seja: 1 rei e 2 valetes): C 4 , 2 . C 5 , 1 = 6 . 5 = 30
3 valetes (ou seja nenhum rei): C 4,3 = 4

Assim a solução do item f) é idêntica à do item e).


4
4.) Dez cavalos C1, C2, ...., C10 participam de uma corrida. Sabe-se que a probabilidade do cava-
lo C5 vencer a corrida é quatro vezes maior do que a probabilidade dos cavalos C1 e C10,
que por sua vez tem probabilidade três vezes maior de vencer a corrida do que os cavalos C2,
C4, C6 e C8, que por sua vez tem probabilidade duas vezes maior de vencer a corrida do que
os cavalos C3, C7 e C9. Supondo que não há possibilidade de empate, determine qual é a pro-
babilidade do cavalo C5 vencer a corrida.

SOLUÇÃO

Vamos atribuir aos cavalos C3, C7 e C9 a probabilidade k de vencer a corrida.


Assim os cavalos C2, C4, C6 e C8 tem probabilidade 2k de vencer a corrida.
Consequentemente os cavalos C1 e C10 tem probabilidade 6k de vencer a corrida.
Finalmente o cavalo C5 tem probabilidade 24k de vencer a corrida.

Como não há possibilidade de empate, ou seja, os eventos são mutuamente exclusivos (interseção
vazia), podemos escrever:

p (S) = p (C1 ∪ C2 ∪ . . . . . ∪ C10) = p (C1) + p (C2) + . . . . . + p (C10) = 1


ou seja:
1
k + k + k + 2k + 2k + 2k + 2k + 6k + 6k + 24k = 1 ⇒ 47 k = 1 ⇒ k=
47

Assim a probabilidade do cavalo C5 vencer a corrida é dada por:

1 24
p(C5) = 24 k = 24. = = 0,5106 (51,06%)
47 47

5.) Em uma sala temos 10 rapazes e 20 moças. Metade dos rapazes e metade das moças tem olhos
castanhos. Escolhido um aluno ao acaso, qual a probabilidade de que seja uma moça ou te-
nha olhos castanhos.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:
A = {escolher uma moça ao acaso}
B = {escolher um aluno com olhos castanhos, ao acaso}

Como se trata de um espaço equiprovável, podemos escrever:

NCF 20 NCF 15 NCF 10


p(A )= = p(B)= = p(A ∩B ) = =
NTC 30 NTC 30 NTC 30

Assim:
20 15 10 25
p(A ∪ B) = p(A) + p(B) - p(A ∩ B) = + − = = 0,8333 (83,33%)
30 30 30 30

5
6.) Um número é escolhido ao acaso do conjunto: { 1 , 2 , 3 , . . . . . , 49 , 50 }. Determine a probabi
lidade de que o número escolhido seja um múltiplo de 6 ou de 8.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:

M6 = {número múltiplo de 6} = { 6 , 12 , 18 , 24 , 30 , 36 , 42 , 48 }
M8 = {número múltiplo de 8} = { 8 , 16 , 24 , 32 , 40 , 48 }

Observando que:

M6 ∩ M8 = { 24 , 48 }

podemos escrever:

8 6 2 12
p( M6 ∪ M8 ) = p( M6 ) + p( M8 ) - p( M6 ∩ M8) = + − = = 0,2400 (24%)
50 50 50 50

7.) Uma urna contém 5 bolas pretas, 4 bolas azuis e 3 bolas brancas. Três bolas são retiradas si-
multaneamente ao acaso. Determine a probabilidade de se obter:
a) três bolas pretas;
b) três bolas azuis;
c) três bolas brancas;
d) uma bola de cada cor;
e) exatamente duas bolas brancas;
f) no mínimo uma bola preta;
g) duas bolas pretas ou duas bolas azuis;
h) duas bolas pretas ou uma bola branca.

SOLUÇÃO

a) Consideremos o evento:
A = {obter 3 bolas pretas}

Como temos 5 bolas pretas na urna, que contém um total de 12 bolas, podemos escrever:

NCF = C 5 , 3 = 10 e NTC = C 12 , 3 = 220


Assim:
NCF 10
p (A) = = = 0,0455 (4,55%)
NTC 220

b) Consideremos o evento:
B = {obter 3 bolas azuis}
Assim:
NCF 4
NCF = C 4 , 3 = 4 e p (B) = = = 0,0182 (1,82%)
NTC 220

6
c) Consideremos o evento:
C = {obter 3 bolas brancas}
Assim:
NCF 1
NCF = C 3 , 3 = 1 e p (B) = = = 0,0045 (0,45%)
NTC 220

d) Consideremos o evento:
D = {obter uma bola de cada cor}
Nestas condições:
NCF 60
NCF = C 5 , 1 . C 4 , 1 . C 3 , 1 = 60 e p (B) = = = 0,2727 (27,27%)
NTC 220

e) Consideremos o evento:
E = {obter exatamente duas bolas brancas}

Observe que obter exatamente duas bolas brancas equivale a dizer que a terceira bola deve ser
preta ou azul. Assim podemos escrever
NCF 27
NCF = C 3 , 2 . C 9,1 = 27 e p (B) = = = 0,1227 (12,27%)
NTC 220

f) Consideremos o evento:
F = {obter no mínimo uma bola preta}

Observe que obter no mínimo uma bola preta equivale a obter uma ou duas ou três bolas
pretas. Assim temos:
1 bola preta (e duas de outra cor): C 5 , 1 . C 7 , 2 = 105
2 bolas preta (e uma de outra cor): C 5 , 2 . C 7 , 1 = 70
3 bolas pretas: C 5 , 3 = 10
e podemos escrever:
NCF 185
NCF = 105 + 70 + 10 = 185 e p (B) = = = 0,8409 (84,09%)
NTC 220

Este item também poderia ser resolvido da seguinte forma:

Como o único caso que não satisfaz ao problema é a ocorrência de nenhuma bola preta, pode-
mos escrever:
Nenhuma bola preta (apenas bolas brancas e azuis): C 7 , 3 = 35

Assim a ocorrência de pelo menos uma bola preta é dada por: 220 – 35 = 185, o que nos leva a
mesma solução.

7
g) Consideremos os eventos:

G1 = {obter duas bolas pretas} tal que NCFG1 = C 5 , 2 . C 7 , 1 = 70


G2 = {obter duas bolas azuis} tal que NCFG2 = C 4 , 2 . C 8 , 1 = 48

Como os eventos G1 e G2 são mutuamente exclusivos (não podem ocorrer simultaneamente), ou


seja: G1 ∩ G2 ) = Ǿ, podemos escrever:
NCFG1 NCFG2 70 48 118
p( G1 ∪ G2 ) = p(G1) + p(G2) = + = + = = 0,5364 (53,64%)
NTC NTC 220 220 220

f) Consideremos os eventos:

F1 = {obter duas bolas pretas} tal que NCFF1 = C 5 , 2 . C 7 , 1 = 70


F2 = {obter uma bola branca} tal que NCFF2 = C 3 , 1 . C 9 , 2 = 108

Como os eventos F1 e F2 não são mutuamente exclusivos (podem ocorrer simultaneamente), ou


seja: F1 ∩ F2 ) ≠ Ǿ, e como:

NCF F1 ∩ F2 = C 5 , 2 . C 3 , 1 = 30
podemos escrever:
NCFF1 NCFF2 NCFF1 ∩ F2
p( F1 ∪ F2 ) = p(F1) + p(F2) - p(F1 ∩ F2) = + −
NTC NTC NTC

70 108 30 148
p( F1 ∪ F2 ) = + − = = 0,6727 (67,27%)
220 220 220 220

8.) Em uma prova de um concurso caíram dois problemas P1 e P2. Sabe-se que 150 candidato a-
certaram o problema P1, 100 erraram o problema P2, 75 acertaram os dois problemas e 200
acertaram apenas um problema. Determine a probabilidade de que um aluno escolhido ao a-
caso não tenha acertado nenhum problema.

SOLUÇÃO

Consideremos o evento:
P1 P2 A = {o candidato não acertou nenhum problema}
Assim:
75 125
75
NCF 25
p (A) = = = 0,0833 (8,33%)
NTC 300
25

8
9.) De um total de 130 estudantes, 80 não estudam francês, 70 não estudam espanhol e 30 estu-
dam francês e espanhol. Determine a probabilidade de que um estudante escolhido ao acaso:
a) não estude nenhuma das duas línguas;
b) estude apenas uma das duas línguas.

SOLUÇÃO

y + z = 80 ⇒ y = 80 - z (1)
F E x + z = 70 ⇒ x = 70 - z (2)
x + y + z + 30 = 130 ⇒ x + y + z = 100 (3)
x 30 y
substituindo (1) e (2) em (3) resulta:
(70 – z) + (80 – z) + z = 100 ⇒ z = 50
z e consequentemente:
x = 20 e y = 30

a) Consideremos o evento: A = {o aluno não estuda nenhuma das duas línguas}

NCF z 50 50
p (A) = = = = = 0,3846 (38,46%)
NTC 130 130 130

b) Consideremos o evento: B = { o aluno estuda apenas uma das duas línguas }

NCF x + y 20 + 30 50
p (B) = = = = = 0,3846 (38,46%)
NTC 130 130 130

10.) Um colégio tem 400 alunos. Destes: 100 estudam matemática, 80 estudam física, 100 estudam
química, 20 estudam matemática, física e química, 30 estudam matemática e física, 30 estu-
tudam física e química e 50 estudam somente química. Determine a probabilidade de que um
aluno escolhido ao acaso:
a) não estude nenhuma das três matérias;
b) estude matemática e química.
SOLUÇÃO

a) Considere o evento:
A = {o aluno não estuda nenhuma matéria}
M F Assim
50 10 NCF 200
40 p (A) = = = 0,5000 (50%)
NTC 400
20 20 10
b) Considere o evento:
50
B = {o aluno estuda matemática e química}
Q 200 Assim:
NCF 40
p (B) = = = 0,1000 (10%)
NTC 400

9
11.) Em uma loteria com 50 bilhetes, 3 são premiados. Comprando-se 2 bilhetes, qual a probabili-
dade de:
a) nenhum deles ser premiado;
b) apenas um ser premiado;
c) os dois serem premiados.
SOLUÇÃO

Observe inicialmente que a compra pode ser considerada um procedimento simultâneo.

a) Consideremos o evento:
A = {nenhum dos bilhetes é premiado}

Como dos 50 bilhetes, 3 são premiados, podemos escrever:

NCF = C 47 , 2 = 1081 e NTC = C 50 , 2 = 1.225


e consequentemente:
NCF 1.081
p (A) = = = 0,8824 (88,24%)
NTC 1.225

b) Consideremos o evento:
B = {apenas um bilhete é premiado}

Observe que neste caso, o outro bilhete necessariamente não é premiado. Assim, podemos es-
crever:

NCF = C 47 , 1 . C 3 , 1 = 141 e NTC = C 50 , 2 = 1.225


e consequentemente:
NCF 141
p (B) = = = 0,1151 (11,51%)
NTC 1.225

c) Consideremos o evento:
C = {os dois bilhetes são premiados}
Como neste caso:
NCF = C 3 , 2 = 3 e NTC = C 50 , 2 = 1.225
e consequentemente:
NCF 3
p (B) = = = 0,0024 (0,24%)
NTC 1.225

12.) Dois jogadores J1 e J2 vão lançar um par de dados honestos. Eles combinam que se a soma
dos pontos for 5, o jogador J1 ganha, e, se essa soma for 8, o jogador J2 é quem ganha. Os da
dos são lançados. Sabe-se que J1 não ganhou. Qual a probabilidade de J2 ter ganho?

SOLUÇÃO
O lançamento de dois dados gera 36 possibilidades.
Como J1 não ganhou, então não ocorreu soma 5, ou seja, não ocorreram os seguintes pares de
números: {(1,4) , (2,3) , (3,2) , (4,1)}
Logo o espaço amostral se reduz a: 36 - 4 = 32 possibilidades.

10
Consideremos o evento:

J2 = {a soma dos números é 8} = {(2,6) , (3,5), (4,4), (5,3), (6,2)}

Assim, podemos escrever:


NCF 5
p (J1) = = = 0,1563 (15,63%)
NTC 32

13.) Duas cartas são retiradas sucessivamente, ao acaso, de um baralho honesto com 52 cartas. De
termine a probabilidade de ambas serem valetes. Estude o problema:
a) com reposição;
b) sem reposição.
SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:
A = {a primeira carta retirada é um valete}
B = {a segunda carta retirada é um valete}

a) Retirada com reposição


Neste caso, os eventos são estatisticamente independentes, e como temos 4 valetes no baralho,
podemos escrever:
4 4 16
p (A ∩ B) = p (A) . p (B) = . = = 0,0059 (0,59%)
52 52 2.704

b) Retirada sem reposição


Neste caso, os eventos não são estatisticamente independentes. Assim sendo, podemos escre-
ver:

4 3 12
p (A ∩ B) = p (A) . p (B / A) = . = = 0,0045 (0,45%)
52 51 2.652

14.) Determine a probabilidade de ocorrer o número 5, pelo menos uma vez, em duas jogadas con
secutivas de um dado honesto.
SOLUÇÃO

Consideremos os seguintes eventos:


A = {ocorrer o número 5 na primeira jogada do dado} ; p (A) = 1/6
B = {ocorrer o número 5 na segunda jogada do dado} ; p (B) = 1/6
C = {ocorrer o número 5 pelo menos uma vez nas duas jogadas do dado}

Observe agora que:


A = {não ocorrer o número 5 na primeira jogada do dado} e p (A) = 1 - p(A) = 1 - 1/6 = 5/6
B = {não ocorrer o número 5 na primeira jogada do dado} e p (B) = 1 - p(B) = 1 - 1/6 = 5/6

Assim, podemos escrever:


p (C) = p (A ∩ B) + p (A ∩ B) + p (A ∩ B)

11
Por outro lado, como os eventos A e B são estatisticamente independentes, podemos escrever:

p (C) = p (A) . p (B) + p(A) . p (B) + p (A) . p (B)


1 5 5 1 1 1 11
p (C) = . + . + . = = 0,3056 (30,56%)
6 6 6 6 6 6 36

Este exercício também poderia ser resolvido da seguinte forma:

Consideremos o evento C , ou seja:

C = {não ocorrer o número 5 nas duas jogadas do dado}

cuja probabilidade é:
5 5 25
p ( C ) = p (A ∩ B) = p(A) . p(B) = . =
6 6 36

Assim:
25 11
p (C) = 1 - p ( C ) = 1 - = = 0,3056 (30,56%)
36 36

15.) Uma urna contém 7 bolas vermelhas e 3 bolas brancas. Três bolas são retiradas da urna, con
secutivamente, ao acaso. Determine a probabilidade de que as duas primeiras sejam verme-
lhas e que a última seja branca. Estude o problema:
a) com reposição;
b) sem reposição.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:

V1 = {a primeira bola é vermelha}


V2 = {a segunda bola é vermelha}
B3 = {a terceira bola é branca}

a) Neste caso, como os eventos são estatisticamente independentes, temos:

7 7 3 147
p (V1 ∩ V2 ∩ B 3 ) = p (V1 ) . p (V2 ) . p (B 3 ) = . . = = 0,1470 (14,70%)
10 10 10 1000

b) Neste caso, como os eventos não são estatisticamente independentes, temos:

7 6 3 126
p (V1 ∩ V2 ∩ B 3 ) = p (V1 ) . p (V2 / V1 ) . p (B 3 / V1 ∩ V2 ) = . . = = 0,1750 (17,50%)
10 9 8 720

12
16.) Uma urna contém 8 bolas vermelhas, 3 bolas brancas e 9 bolas azuis. Extraindo-se sucessiva-
mente, ao acaso, três bolas, qual a probabilidade de se obter ao menos uma bola branca. Es-
tude o problema:
a) com reposição;
b) sem reposição.

SOLUÇÃO

Devemos observar inicialmente, que obter ao menos uma bola branca, equivale a obter uma ou
duas ou três bolas brancas.
Além disso, como não foi imposta uma ordem, no caso por exemplo, de uma bola branca, esta po-
deria ser a primeira, a segunda ou a terceira bola extraída da urna.
Assim como temos muitos casos a estudar, é preferível trabalhar com o complementar.

Consideremos os eventos:
B = {obter ao menos uma bola branca}
Bi = {obter bola branca na i-ésima extração}
assim:
B = {não obter bola branca nas três extrações}
Bi = {não obter bola branca na i-ésima extração}

Nestas condições, podemos escrever:


p (B) = p (B1 ∩ B2 ∩ B3 )

a) com reposição

Como neste caso os eventos são estatisticamente independentes, podemos escrever:


17 17 17 4.913
p (B) = p (B1 ∩ B 2 ∩ B3 ) = p (B1 ) . p (B 2 ) . p (B3 ) = . . =
20 20 20 8.000
E assim:
4.913 3.087
p (B) = 1 - p (B) = 1 - = = 0,3859 (38,59%)
8.000 8.000

b) sem reposição

Como neste caso os eventos não são estatisticamente independentes, podemos escrever:

17 16 15 4.080
p (B) = p (B1 ∩ B 2 ∩ B3 ) = p (B1 ) . p (B 2 / B1 ) . p (B3 / B1 ∩ B 2 ) = . . =
20 19 18 6.840

E assim:
4.080 2.760
p (B) = 1 - p ( B) = 1 - = = 0,4035 (40,35%)
6.840 6.840

13
17.) Três pessoas que iremos denominar P1, P2 e P3 adquiriram uma certa moléstia infecciosa.
Tendo em vista as condições físicas de cada uma, com tratamento adequado, estas pessoas
tem respectivamente 90%, 70% e 60% de probabilidade de cura. Determine a probabilidade
de:
a) todas se curarem;
b) P1 ou P2 se curarem;
c) somente P1 se curar.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:
Ci = { a pessoa Pi fica curada}
Ci = { a pessoa Pi não fica curada}
e observemos que ele são estatisticamente independentes.

a) p (C1 ∩ C 2 ∩ C 3 ) = p (C1 ) . p (C 2 ) . p (C 3 ) = 0,90 . 0,70 . 0,60 = 0,3780 (37,80%)

b) p (C1 ∪ C 2 ) = p (C1 ) + p (C 2 ) - p (C1 ∩ C 2 )


p (C1 ∪ C 2 ) = p (C1 ) + p (C 2 ) - p (C1 ) . p (C 2 )
p (C1 ∪ C 2 ) = 0,90 + 0,70 - 0,90 . 0,70 = 0,9700 (97%)

c) p (C1 ∩ C 2 ∩ C3 ) = p (C1 ) . p ( C 2 ) . p ( C3 )
Mas como:
p ( C 2 ) = 1 - p(C 2 ) = 1 - 0,70 = 0,30
p ( C3 ) = 1 - p(C 3 ) = 1 - 0,60 = 0,40
podemos escrever:
p (C1 ∩ C 2 ∩ C3 ) = 0,90 . 0,30 . 0,40 = 0,1080 (10,80%)

18.) Uma urna contém 7 bolas de igual formato, gravadas com as letras: A–A–A–C–C–R–R. As
bolas são retiradas consecutivamente, ao acaso. Determine a probabilidade de que a extração,
nos conduza a palavra: CARCARA. Estude o problema com e sem reposição.

SOLUÇÃO

a) Sem reposição

Neste caso, como os eventos não estatisticamente independentes, podemos escrever:

p (C ∩ A ∩ R ∩ C ∩ A ∩ R ∩ A) = p (C) . p (A / C) . p (R / C ∩ A) ...........p (A / C ∩ A ∩ R ∩ C ∩ A ∩ R)

2 3 2 1 2 1 1 24
p (C ∩ A ∩ R ∩ C ∩ A ∩ R ∩ A) = . . . . . . = = 0,0048 (0,48%)
7 6 5 4 3 2 1 5040

14
a) Com reposição

Neste caso, como os eventos são estatisticamente independentes, podemos escrever:

p (C ∩ A ∩ R ∩ C ∩ A ∩ R ∩ A) = p (C) . p (A) . p (R) . p (C) . p (A) . p ( R ) .p (A)


2 3 2 2 3 2 3 432
p (C ∩ A ∩ R ∩ C ∩ A ∩ R ∩ A) = . . . . . . = = 0,0005 (0,05%)
7 7 7 7 7 7 7 823.543

19.) Ao tentar abrir uma porta com um chaveiro contendo várias chaves parecidas, das quais ape
nas uma destranca a referida porta, muitas pessoas acreditam que é mínima a chance de encon-
trar a chave certa na primeira tentativa, e chegam mesmo a dizer que essa chave só vai aparecer
na última tentativa (Lei de Murphy). Para esclarecer esta questão, calcule no caso de um chavei-
ro contendo 10 chaves, a probabilidade de encontrar a chave certa:
a) na primeira tentativa;
b) após a primeira tentativa;
c) somente na última tentativa.
SOLUÇÃO

a) Consideremos o evento:
A = {encontrar a chave certa na primeira tentativa}

Como as chaves são parecidas, o espaço pode ser considerado equiprovável, e podemos escrever:
NCF 1
p (A) = = = 0,10 (10%)
NTC 10

b) Consideremos o evento:
B = {encontrar a chave certa após a primeira tentativa}

Como o evento B, é o complementar de A, podemos escrever:


1 9
p (B) = p (A) = 1 - p (A) = 1 - = = 0,90 (90%)
10 10

c) Consideremos os eventos:
N i = {não encontrar a chave certa na i-ésima tentativa}
E i = {encontrar a chave certa na i-ésima tentativa}
Observando que a escolha das chaves pode ser considerado como um processo sucessivo, sem repo-
sição, podemos escrever:

p (N1 ∩ N 2 ∩ N 3 ∩ . . . . . ∩ N 9 ∩ E10 ) = p (N1 ) . p (N 2 / N1 ) . p (N 3 / N1 ∩ N 2 ) . . . . . p (E10 / N1 ∩ . . . . . ∩ N 9 )


9 8 7 6 5 4 3 2 1 1 1
p (N1 ∩ N 2 ∩ N 3 ∩ . . . . . ∩ N 9 ∩ E 10 ) = . . . . . . . . . = = 0,10 (10%)
10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 10

Observe assim que a probabilidade de encontrar a chave na última tentativa é idêntica à de encontrá-
la na primeira tentativa.

15
20.) Lançando-se simultaneamente um dado honesto e uma moeda honesta, determine a probabi-
lidade de se obter o número 3 ou o número 5 no dado e cara na moeda.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:
A = {obter o número 3 no dado}
B = {obter o número 5 no dado}
C = {obter cara na moeda}

Como se trata de um espaço equiprovável, podemos escrever:

NCF 1 NCF 1 NCF 1


p (A) = = p (B) = = p (C) = =
NTC 6 NTC 6 NTC 2

Como os eventos A e B não podem ocorrer simultaneamente ( A ∩ B = Ǿ ), temos:

1 1 1
p (A ∪ B) = p (A) + p (B) = + =
6 6 3

Assim, como os eventos A ∪ B e C são estatisticamente independentes:

1 1 1
p ( ( A ∪ B) ∩C ) = p ( A ∪ B).p ( C ) = . = = 0,1667 (16,67%)
3 2 6

20.) Suponha as seguintes previsões para um determinado domingo:


1ª) A probabilidade do glorioso time do Corinthians vencer o São Paulo é de 85%;
2ª) A probabilidade do fraco time do Palmeiras vencer o Grêmio é de 25%;
Determine, a partir destes dados, a probabilidade de:
a) o Corinthians vencer e do Palmeiras vencer;
b) o Corinthians vencer ou do Palmeiras vencer;
c) do Corinthians não vencer e do Palmeiras não vencer;
d) do Corinthians não vencer ou do Palmeiras não vencer.
e) Corinthians vencer e do Palmeiras não vencer;
f) o Corinthians vencer ou do Palmeiras não vencer;
g) o Corinthians não vencer e do Palmeiras vencer;
h) do Corinthians não vencer ou do Palmeiras vencer;

SOLUÇÃO

Consideremos os seguintes eventos, estatisticamente independentes:


A = {o Corinthians vencer o seu jogo} e A = {o Corinthians não vencer o seu jogo}
B = {o Palmeiras vencer o seu jogo} e B = {o Palmeiras não vencer o seu jogo}

Assim, temos as seguintes probabilidades:


p ( A ) = 85% , p ( A ) = 15% , p ( B ) = 25% , p ( B ) = 75%

16
a) p ( A ∩ B ) = p ( A ) . p ( B ) = 0,85 . 0,25 = 0,2125 (21,25%)

b) p ( A ∪ B ) = p ( A ) + p ( B ) - p ( A ∩ B ) = 0,85 + 0,25 - 0,2125 = 0,8875 (88,75%)

c) p ( A ∩ B ) = p ( A ∪ B ) = 1 - p ( A ∪ B ) = 1 - 0,8875 = 0,1125 (11,25%)

d) p ( A ∪ B ) = p ( A ) + p ( B ) - p ( A ∩ B ) = 0,15 + 0,75 - 0,1125 = 0,7875 (78,75%)

ou

p ( A ∪ B ) = p ( A ∩ B ) = 1 - p ( A ∩ B ) = 1 - 0,2125 = 0,7875 (78,75%)

e) p ( A ∩ B ) = p ( A ) . p ( B ) = 0,85 . 0,75 = 0,6375 (63,75%)

f) p ( A ∪ B ) = p ( A ) + p ( B ) - p ( A ∩ B ) = 0,85 + 0,75 - 0,6375 = 0,9625 (96,25%)

g) p ( A ∩ B ) = p ( A ) . p ( B ) = 0,15 . 0,25 = 0,0375 (3,75%)

h) p ( A ∪ B ) = p ( A ) + p ( B ) - p ( A ∩ B ) = 0,15 + 0,25 - 0,0375 = 0,3625 (36,25%)

21.) João, Carlos e Roberto residem em estados brasileiros diferentes, não se conhecem e estudam
na primeira série do segundo grau. A probabilidade de João ser aprovado é de 50%, a de Paulo é
de 30% e a de Roberto é de 80%. Determine a probabilidade de:
a) apenas João ser aprovado;
b) apenas João e Roberto serem aprovados;
c) os três serem aprovados;
d) pelo menos um deles ser aprovado;
e) apenas um deles ser aprovado;
f) nenhum deles ser aprovado;
g) apenas dois deles serem aprovados;
h) pelo menos dois deles serem aprovados;
i) no máximo dois deles serem aprovados.

SOLUÇÃO

Consideremos os seguintes eventos, estatisticamente independentes:


J = {João ser aprovado} e J = {João não ser aprovado}
C = {Carlos ser aprovado} e C = {Carlos não ser aprovado}
R = {Roberto ser aprovado} e R = {Roberto não ser aprovado}

Assim, temos as seguintes probabilidades:


p ( J ) = 50% , p ( J ) = 50% , p ( C ) = 30% , p ( C ) = 70% , p ( R ) = 80% e p ( R ) = 20%

17
a) p (J ∩ C ∩ R ) = p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) = 0,50 . 0,70 . 0,20 = 0,,0700 (7%)

b) p ( J ∩ C ∩ R ) = p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) = 0,50 . 0,70 . 0,80 = 0,2800 (28%)

c) p ( J ∩ C ∩ R ) = p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) = 0,50 . 0,30 . 0,80 = 0,1200 (12%)

d) p ( J ∪ C ∪ R ) = p ( J ) + p ( C ) + p ( R ) - p ( J ∩ C ) - p ( J ∩ R ) - p ( C ∩ R ) + p ( J ∩ C ∩ R )

p (J ∪ C ∪ R) = p (J) + p (C) + p (R) - p (J) . p (C) - p (J) . p (R) - p (C) . p(R) + p (J) . p(C) . p(R)

p ( J ∪ C ∪ R ) = 0,50 + 0,30 + 0,80 - 0,50 . 0,30 - 0,50 . 0,80 - 0,30 . 0,80 - 0,50. 0,30 . 0,80

p ( J ∪ C ∪ R ) = 0,9300 (93%)

e) p ( (J ∩ C ∩ R) ∪ (J ∩ C ∩ R ) ∪ (J ∩ C ∩ R) ) = p (J ∩ C ∩ R ) + p (J ∩ C ∩ R ) + p (J ∩ C ∩ R) =

p ( J ) . p (C ) . p ( R ) + p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) + p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) =

0,50 . 0,70 . 0,20 + 0,50 . 0,30 . 0,20 + 0,50 . 0,70 . 0,80 = 0,3800 (38%)

f) p (J ∩ C ∩ R ) = p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) = 0,50 . 0,70 . 0,20 = 0,0700 (7%)

ou

p (J ∩ C ∩ R ) = p ( J ∪ C ∪ R ) = 1 - p ( J ∪ C ∪ R ) = 1 - 0,93 = 0,0700 (7%)

g) p ( (J ∩ C ∩ R) ∪ (J ∩ C ∩ R) ∪ (J ∩ C ∩ R) ) = p (J ∩ C ∩ R ) + p (J ∩ C ∩ R) + p (J ∩ C ∩ R) =

p ( J ) . p (C) . p ( R ) + p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) + p ( J ) . p (C ) . p ( R ) =

0,50 . 0,30 . 0,20 + 0,50 . 0,70 . 0,80 + 0,50 . 0,30 . 0,80 = 0,4300 (43%)

h) p ( (J ∩ C ∩ R) ∪ (J ∩ C ∩ R) ∪ (J ∩ C ∩ R) ∪ p (J ∩ C ∩ R ) ) =

( ( p (J ∩ C ∩ R ) + p (J ∩ C ∩ R) + p (J ∩ C ∩ R) ) + p ( J ∩ C ∩ R ) =

( p ( J ) . p (C) . p ( R ) + p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) + p ( J ) . p (C ) . p ( R ) ) + p ( J ) . p ( C ) . p ( R ) =

0,4300 + 0,1200 = 0,5500 (55%)

i) p ( J ∩ C ∩ R ) = 1 - p ( J ∩ C ∩ R ) = 1 - 0,1200 = 0,8800 (88%)

18
22.) Uma pesquisa realizada com 2.500 paulistanos do sexo masculino, com idades entre 18 e 30
anos, constatou que: 2.000 homens preferem mulheres bonitas (MB), 1.000 homens preferem mu-
lheres inteligentes (MI) e 250 homens não se interessam pelo assunto. Escolhido um homem ao
acaso, dentre os entrevistados, qual a probabilidade de que ele prefira uma mulher bonita e inte-
ligente?
SOLUÇÃO

Como:
y = 1.000 – x (♠)
MB MI z = 2.000 – x (●)
x + y + z + 250 = 2.500 (♣)
y
z x substituindo (♠) e (●) em (♣) resulta:
x + (1.000 – x) + (2.000 – x) + 250 = 2.500
x = 750
750
250 Assim: p (MB ∩ MI ) = = 0,30 (30%)
2.500

23.) Uma cidade com 25.000 famílias possui três redes de supermercados que iremos denominar:
SM1, SM2 e SM3. Uma pesquisa sobre a utilização das redes de supermercados por estas famí-
lias, apresentou o seguinte resultado:
SM1 SM2 SM3 SM1 e SM2 SM1 e SM3 SM2 e SM3 NENHUM
12.000 15.000 12.000 5.000 6.000 7.500 1.000
Escolhida, ao acaso, uma família da cidade, qual a probabilidade de que ela utilize as três re-
des de supermercados?

SOLUÇÃO

SM1 SM2 Observe que:


r y y = 5.000 – x (1)
s
z = 6.000 – x (2)
z x w = 7.500 – x (3)
w
r = 12.000 – ( x + y + z ) (4)
t s = 15.000 – ( x + y + w ) (5)
t = 12.000 – ( x + z + w ) (6)
1.000
SM3 x + y + z + w + r + s + t + 1.000 = 25.000 (7)

Substituindo (1) e (2) em (4) resulta:


r = 12.000 – ( x + (5.000 – x) + (6.000 – x) ) = 1.000 + x (8)
Substituindo (1) e (3) em (5) resulta:
s = 15.000 – ( x + (5.000 – x) + (7.500 – x) ) = 2.500 + x (9)
Substituindo (2) e (3) em (6) resulta:
t = 12.000 – ( x + (6.000 – x) + (7.500 – x) ) = – 1.500 + x (10)

19
Substituindo finalmente: (1) , (2) , (3) , (8) , (9) e (10) em (7) resulta:

x + (5000 – x) + (6000 – x) + (7500 – x) + (1000 + x) + (2500 + x) + (– 1500 + x) + 1000 = 25.000


x = 3.500
3.500
Assim: p (SM1 ∩ SM2 ∩ SM3) = = 0,1400 (14%)
25.000

24.) A probabilidade de ocorrer pelo menos uma vitória do fraco time do Palmeiras sobre o ma-
jestoso esquadrão do Corinthians, em um ano qualquer, é de 3%. Determine a probabilidade de
ocorrer pelo menos uma vitória do Palmeiras sobre o Corinthians, em 10 anos consecutivos.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos: VPi = {ocorrer pelo uma vitória do Palmeiras no ano “i”}
VPi = {não ocorrer nenhuma vitória do Palmeiras no ano “i”}

Assim sendo:
p ( VPi ) = 3% e p ( VPi ) = 97%

Observe que o evento “ocorrer pelo menos uma vitória do Palmeiras em 10 anos consecuti-
vos” pode ser considerado como evento complementar de “não ocorrer nenhuma vitória do Palmei-
ras em 10 anos consecutivos”, ou seja:

1 - p ( VP1 ∩ VP2 ∩ . . . ∩ VP10 ) = 1 - p ( VP1 ) . p ( VP2 ) . . . p ( VP10 ) =

1 - ( 0,97 . 0.97 . . . 0,97 ) = 1 - ( 0,97 ) 10 = 1 - 0,7374 = 0,2626 (26,26%)

25.) Um péssimo atirador, tem uma probabilidade de 30% de acertar o centro do alvo. Quantos
tiros deverão ser disparados, para que a probabilidade do atirador acertar o centro do alvo, pelo
pelo menos uma vez, seja de no mínimo 95%.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos: A i = {o atirador acerta o centro do alvo no tiro “i” }


A i = {o atirador não acerta o centro do alvo no tiro “i”}

Assim sendo:
p ( A i ) = 30% e p ( A i ) = 70%

Observe que o evento “acertar o centro do alvo pelo menos uma vez em n tiros” pode ser
considerado como o evento complementar de “não acertar o centro do alvo nenhuma vez em n ti-
ros”.
Estamos, portanto, desejando determinar o valor de “n” para o qual a probabilidade de acertar
o centro do alvo pelo menos uma vez seja de no mínimo 95%. Assim, podemos escrever:

20
1 - p ( A1 ∩ A 2 ∩ . . . ∩ A n ) = 0,95 ⇒ 1 - p ( A1 ) . p ( A 2 ) . . . p ( A n ) = 0,95 ⇒

1 - ( 0,70 . 0,70 . . . 0,70 ) = 0,95 ⇒ 1 - ( 0,70 ) n = 0,95 ⇒ ( 0,70 ) n = 0,05 ⇒

LN ( 0,05 )
LN ( 0,70) n = LN ( 0,05 ) ⇒ n . LN ( 0,70 ) = LN ( 0,05) ⇒ n = = 8,40
LN ( 0,70 )

Portanto devem ser disparados 9 tiros para que a probabilidade de acertar o centro do
alvo seja de no mínimo 95%.

26.) Considere a configuração de urnas e bo- BOLAS / URNAS U1 U2 U3


las ao lado. Escolheu-se uma urna ao acaso e PRETAS (P) 1 7 3
dela retirou-se uma bola ao acaso. BRANCAS (B) 4 2 9
a) Sabendo que a bola é branca qual a proba AMARELAS (A) 5 6 8
bilidade dela ter vindo da urna 3?
b) Sabendo que a bola é amarela qual a probabilidade dela ter vindo da urna 2?
c) Sabendo que a bola é preta qual a probabilidade dela ter vindo da urna 1?
d) Sabendo que a bola é preta qual a probabilidade dela ter vindo da urna 2?
e) Sabendo que a bola é preta qual a probabilidade dela ter vindo da urna 3?

SOLUÇÃO

p ( U1 ) = p ( U2 ) = p ( U3 ) = 1/3

a) p ( B / U1 ) = 4/10 ; p ( B / U2 ) = 2/15 ; p ( B / U3 ) = 9/20

Assim, como:
p ( U3 ) . p ( B / U3 )
p ( U3 / B ) =
p ( U1 ) . p ( B / U1 ) + p ( U2 ) . p ( B / U2 ) + p ( U3 ) . p ( B / U3 )

segue que:
1 / 3 . 9 / 20 9 / 60
p ( U3 / B ) = = = 27 / 59 = 0,4576 (45,76%)
1 / 3 . 4 / 10 + 1 / 3 . 2 / 15 + 1 / 3 . 9 / 20 59 / 180

b) p ( A / U1 ) = 5/10 ; p ( A / U2 ) = 6/15 ; p ( A / U3 ) = 8/20

Assim, como:
p ( U2 ) . p ( A / U2 )
p ( U2 / A ) =
p ( U1 ) . p ( A / U1 ) + p ( U2 ) . p ( A / U2 ) + p ( U3 ) . p ( A / U3 )

segue que:
1 / 3 . 6 / 15 6 / 45
p ( U2 / A ) = = = 24 / 78 = 0,3077 (30,77%)
1 / 3 . 5 / 10 + 1 / 3 . 6 / 15 + 1 / 3 . 8 / 20 78 / 180

21
c) p ( P / U1 ) = 1/10 ; p ( P / U2 ) = 7/15 ; p ( P / U3 ) = 3/20

Assim, como:

p ( U1 ) . p ( P / U1 )
p ( U1 / P ) =
p ( U1 ) . p ( P / U1 ) + p ( U2 ) . p ( P / U2 ) + p ( U3 ) . p ( P / U3 )

segue que:

1 / 3 .1 / 10 1 / 30
p ( U2 / A ) = = = 6 / 43 = 0,1395 (13,95%)
1 / 3 . 1 / 10 + 1 / 3 . 7 / 15 + 1 / 3 . 3 / 20 43 / 180

d) p ( P / U1 ) = 1/10 ; p ( P / U2 ) = 7/15 ; p ( P / U3 ) = 3/20

Assim, como:

p ( U2 ) . p ( P / U2 )
p ( U2 / P ) =
p ( U1 ) . p ( P / U1 ) + p ( U2 ) . p ( P / U2 ) + p ( U3 ) . p ( P / U3 )

segue que:

1 / 3 . 7 / 15 7 / 45
p ( U2 / P ) = = = 28 / 43 = 0,6512 (65,12%)
1 / 3 .1 / 10 + 1 / 3 . 7 / 15 + 1 / 3 . 3 / 20 43 / 180

e) p ( P / U1 ) = 1/10 ; p ( P / U2 ) = 7/15 ; p ( P / U3 ) = 3/20

Assim, como:

p ( U3 ) . p ( P / U3 )
p ( U3 / P ) =
p ( U1 ) . p ( P / U1 ) + p ( U2 ) . p ( P / U2 ) + p ( U3 ) . p ( P / U3 )

segue que:

1 / 3 . 3 / 20 3 / 60
p ( U3 / P ) = = = 9 / 43 = 0,2093 (20,93%)
1 / 3 .1 / 10 + 1 / 3 . 7 / 15 + 1 / 3 . 3 / 20 43 / 180

SOLUÇÃO ALTERNATIVA
Utilizando os resultados obtidos em c) e d) podemos escrever:

p ( U3 / P ) = 1 - ( 0,1395 + 0,6512 ) = 0,2093 ( 20,93%)

22
27.) Três mesas idênticas em aparência, que iremos denominar por M1, M2 e M3, possuem duas
gavetas cada uma. Sabe-se que em cada gaveta existe uma moeda e que estas moedas estão assim
distribuídas: na mesa M1 as duas gavetas tem uma moeda de ouro (Au), na mesa M2 as duas ga-
vetas tem uma moeda de prata (Ag) e a mesa M3 tem uma moeda de ouro em um gaveta e uma
de prata na outra. Escolheu-se uma mesa ao acaso e dela retirou-se uma moeda ao acaso.
a) Sabendo que a moeda é de prata, qual a probabilidade de que ela tenha vindo da mesa M2?
b) Sabendo que a moeda é de ouro, qual a probabilidade de que ela tenha vindo da mesa M3?

SOLUÇÃO

p ( M1 ) = p ( M2 ) = p ( M3 ) = 1/3

a) p ( Ag / M1 ) = 0 ; p ( Ag / M2 ) = 1 ; p ( Ag / M3 ) = 1/2

Assim, como:
p ( M2 ) . p ( Ag / M2 )
p ( M2 / Ag ) =
p ( M1 ) . p ( Ag / M1 ) + p ( M2 ) . p ( Ag / M2 ) + p ( M3 ) . p ( Ag / M3 )
segue que:
1 / 3 .1 1/ 3
p ( M2 / Ag ) = = = 2/3 = 0,6667 (66,67%)
1 / 3 . 0 + 1 / 3 .1 + 1 / 3 .1/2 3/ 6

b) p ( Au / M1 ) = 1 ; p ( Au / M2 ) = 0 ; p ( Au / M3 ) = 1/2

Assim, como:
p ( M3 ) . p ( Au / M3 )
p ( M3 / Au ) =
p ( M1 ) . p ( Au / M1 ) + p ( M2 ) . p ( Au / M2 ) + p ( M3 ) . p ( Au / M3 )
segue que:
1 / 3 .1 / 2 1/ 6
p ( M1 / Au ) = = = 1 / 3 = 0,3333 (33,33%)
1 / 3 .1 + 1 / 3 . 0 + 1 / 3 .1/2 3/ 6

28.) Três fabricas fornecem equipamentos de precisão para o laboratório de química de uma uni-
versidade. Apesar de serem aparelhos de precisão, existe uma pequena probabilidade de subes-
timação ou superestimação das medidas efetuadas, conforme nos mostra a tabela a seguir:
EQUIP. - FABRICA I EQUIP. – FABRICA II EQUIP. – FABRICA III
MEDIDA PROBABILIDADE PROBABILIDADE PROBABILIDADE
SUBESTIMA 1% 0,5% 0%
EXATA 98% 98% 99%
SUPERESTIMA 1% 1,5% 1%
As fábricas I, II e III fornecem, respectivamente, 20%, 30% e 50% dos aparelhos utilizados.
Escolhemos, ao acaso, um destes aparelhos, e perguntamos a probabilidade de:
a) fornecendo medidas exatas, ter sido fabricado em III?
b) ter sido fabricado em I sabendo que não subestima as medidas?
c) Haver superestimação de medidas?
d) Não haver subestimação de medidas?

23
SOLUÇÃO

p ( F I ) = 0,20 , p ( F II ) = 0,30 , p ( F III ) = 0,50

a) p ( EX / F I ) = 0,98 ; p ( EX / F II ) = 0,98 ; p ( EX / F III ) = 0,99

Assim, como:
p ( F III ) . p ( EX / F III )
p ( F III / EX ) =
p ( F I ) . p ( EX / F I ) + p ( F II ) . p ( EX / F II ) + p ( F III ) . p ( EX / F III )
segue que:
0,50 . 0,99 0,4950
p ( F III / EX ) = = = 0,5025 (50,25%)
0,20 . 0,98 + 0,30 . 0,98 + 0,50 . 0,99 0,9850

b) Observe que não subestimar corresponde a fornecer medidas exatas ou superestimadas.

p ( NSUB / F I ) = 0,99 ; p ( NSUB / F II ) = 0,995 ; p ( NSUB / F III ) = 1,00

Assim, como:
p ( F I ) . p ( NSUB / F I )
p ( F I / NSUB ) =
p ( F I ) . p ( NSUB / F I ) + p ( F II ) . p ( NSUB / F II ) + p ( F III ) . p ( NSUB / F III )
segue que:
0,20 . 0,99 0,1980
p ( F I / NSUP ) = = = 0,1987 (19,87%)
0,20 . 0,99 + 0,30 . 0,995 + 0,50 . 1,00 0,99965

c)
p ( SUP ) = p ( ( F I ∩ SUP ) ∪ ( F II ∩ SUP ) ∪ p ( F III ∩ SUP ) ) =

= p ( F I ∩ SUP ) + p ( F II ∩ SUP ) + p ( F III ∩ SUP ) =

= p ( F I ) . p ( SUP / F I ) + p ( F II ) . p ( SUP / F II ) + p ( F III ) . p ( SUP / F III ) =

= 0,20 . 0,01 + 0,30 . 0,015 + 0,50 . 0,01 = 0,0115 (1,15%)

d)
p ( NSUB ) = p ( ( F I ∩ NSUB ) ∪ ( F II ∩ NSUB ) ∪ p ( F III ∩ NSUB ) ) =

= p ( F I ∩ NSUB ) + p ( F II ∩ NSUB ) + p ( F III ∩ NSUB ) =

= p ( F I ) . p ( NSUB / F I ) + p ( F II ) . p ( NSUB / F II ) + p ( F III ) . p ( NSUB / F III ) =

= 0,20 . 0,99 + 0,30 . 0,995 + 0,50 . 1,00 = 0,9965 ( 99,65%)

24
29.) Considere os eventos A e B tais que: p( A ) = 0,2 , p( B ) = x e p ( A U B ) = 0,6. Deter-
mine o valor de x sabendo que os eventos são:
a) mutuamente exclusivos;
b) estatisticamente independentes.

SOLUÇÃO

a) Dizer que os eventos são estatisticamente independentes equivale a dizer que: A ∩ B = Ǿ


Assim:
p ( A ∪ B ) = p ( A ) + p ( B ) - p ( A ∩ B ) ⇒ 0,6 = 0,2 + x + 0 ⇒ x = 0,4

b) Se os eventos são estatisticamente independentes, então: p (A ∩ B) = p (A) . p (B)


Assim:

p ( A ∪B) = p ( A ) + p ( B) - p ( A ∩B) ⇒ p ( A ∪B) = p ( A ) + p ( B) - p ( A ).p ( B) ⇒

⇒ 0,6 = 0,2 + x - 0,2 . x ⇒ 0,8 . x = 0,4 ⇒ x = 0,5

30.) Em uma avenida existem três sinaleiros de trânsito, suficientemente espaçados, para que pos
sam ser considerados independentes. O primeiro fornece luz verde durante 30 segundos por mi-
nuto, o segundo fornece luz verde 40 segundos por minuto e o terceiro fornece luz verde 50 se-
gundos a cada minuto. Um motorista percorre a avenida em toda a sua extensão. Qual a probabi-
bilidade de que ele encontre:
a) todos os sinais abertos?
b) apenas um sinal fechado?
c) pelo menos um sinal fechado?
SOLUÇÃO

Sejam os eventos: S i = { o sinal “ i ” está aberto }


S i = { o sinal “ i ” está fechado }
30 40 50
Assim: p(S1) = = 0,50 , p ( S 2 ) = = 0,67 , p ( S 3 ) = = 0,83
60 60 60
e:
p ( S 1 ) = 0,50 , p ( S 2 ) = 0,33 , p ( S 3 ) = 0,17

a) p ( S1 ∩ S 2 ∩ S 3 ) = p ( S1 ) . p ( S 2 ) . p ( S3 ) = 0,50 . 0,67 . 0,83 = 0,2781 ( 27,81%)

b) p ( ( S1 ∩ S 2 ∩ S3 ) ∪ ( S1 ∩ S 2 ∩ S3 ) ∪ ( S1 ∩ S 2 ∩ S3 ) =

= p ( S1 ∩ S 2 ∩ S 3 ) + p ( S1 ∩ S 2 ∩ S 3 ) + p ( S1 ∩ S 2 ∩ S 3 ) =

= p ( S1 ) . p ( S 2 ) . p ( S 3 ) + p ( S1 ) . p ( S 2 ) . p ( S 3 ) + p ( S1 ) . p ( S 2 ) . p ( S3 ) =

= 0,50 . 0,67 . 0,83 + 0,50 . 0,33 . 0,83 + 0,50 . 0,67 . 0,17 = 0,4720 (47,20%)

25
c) Observe que o evento “pelo menos um sinal fechado” equivale ao complementar do evento “todos
os sinais abertos”. Assim podemos escrever:

p ( {pelo menos um sinal fechado} ) = 1 - p ( S1 ∩ S 2 ∩ S3 ) = 1 - 0,2781 = 0,7219 (72,19%)

31.) A URNA I contém cinco bolas brancas e quatro bolas vermelhas e a URNA II contém três bo
las brancas e duas vermelhas. Uma bola é retirada ao acaso da URNA I e colocada na URNA II.
Uma bola é então retirada ao acaso da URNA II. Determine a probabilidade de que esta bola seja
branca.

SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:
B1 = { retirar uma bola branca da URNA I }
B2 = { retirar uma bola branca da URNA II }
V1 = { retirar uma bola vermelha da URNA I }
V2 = { retirar uma bola vermelha da URNA II }
Notemos agora que o problema não impõe condições sobre a cor da bola a ser retirada da UR-
NA I. Temos assim dois casos a considerar:

B
2V
B
4B

URNA II
5B
4V
V
B
URNA I 3V
3B

URNA II

Logo a probabilidade de que a bola retirada da URNA II seja branca é dada por:

p ( ( B1 ∩ B2 ) ∪ ( V1 ∩ B2 ) ) = p ( B1 ∩ B2 ) + p ( V1 ∩ B2 ) =

5 4 4 3 32
= p ( B1 ) . p ( B2 / B1 ) + p ( V1 ) . p ( B2 / V1 ) = . + . = = 0,5926 (59,26%)
9 6 9 6 54

32.) Uma urna contém 5 bolas vermelhas e 3 bolas brancas. Uma bola é selecionada ao acaso da
urna e abandonada. Duas bolas da outra cor são então colocadas na urna. Uma segunda bola é
então selecionada da urna ao acaso. Determine a probabilidade de que:
a) a segunda bola seja vermelha;
b) as bolas selecionadas sejam da mesma cor;
c) a primeira bola seja vermelha sabendo que a segunda bola é vermelha.

26
SOLUÇÃO

Consideremos os eventos:
B1 = {a primeira bola retirada da urna é branca}
B2 = {a segunda bola retirada da urna é branca}
V1 = {a primeira bola retirada da urna é vermelha}
V2 = {a segunda bola retirada da urna é vermelha}

a) temos dois casos a considerar;

V
7V
B
2B

3B
5V
V
V
4V
5B

p ( ( V1 ∩ V2 ) ∪ ( B1 ∩ V2 ) ) = p ( V1 ∩ V2 ) + p ( B1 ∩ V2 ) =

5 4 3 7 41
= p ( V1 ) . p ( V2 / V1 ) + p ( B1 ) . p ( V2 / B1 ) = . + . = = 0,5694 (56,94%)
8 9 8 9 72

b) temos dois casos a considerar;

B
7V
B
2B

3B
5V
V
V
4V
5B

p ( ( B1 ∩ B2 ) ∪ ( V1 ∩ V2 ) ) = p ( B1 ∩ B2 ) + p ( V1 ∩ V2 ) =

3 2 5 4 26
= p ( B1 ) . p ( B2 / B1 ) + p ( V1 ) . p ( V2 / V1 ) = . + . = = 0,3611 (36,11%)
8 9 8 9 72

p ( V1 ∩ V2 ) p ( V1 ) . p ( V2 / V1 ) 5/8 . 4/9 20
c) p ( V1 / V2 ) = = = = = 0,4878 (48,78%)
p ( V2 ) p ( V2 ) 41/72 41

27