Você está na página 1de 16

mude SeuS

Segredos da Mente - Mude Seus Hábitos, Ano 3 - nº 4 - 2019

matérias já publicadas
Seleção das melhores
HabItoS
com a PSIcoLoGIa
Afaste a
depressão com a
reeducação
mental!

20 dicas
para uma
memÓrIa
maIS
Potente

ReeduOue Confira como a


psicologia pode ajudar

Sua mente você na conquista de


seus maiores objetivos
abertura

De dentro para fora


Pode ser que, após de um dia cheio de compromissos, desafios e cobranças, surjam algumas frustrações.
E, mesmo que de forma inconsciente, as pessoas acabam encontrando distintas formas de aliviá-las e, nem
sempre, essas medidas são positivas. Então, chega um momento em que surge a necessidade de dar um basta
nestas atitudes. Tudo isso porque, de tanto se repetirem em meio do cotidiano, elas se tornaram hábitos. E
sabemos que mudar um hábito não é moleza! A boa notícia é que a psicologia conta com diversas formas
de lidar com essas ações e oferece diversas opções interessantes para ajudar a transformar hábitos nada
saudáveis para a mente. Nesta edição, que reúne as melhores matérias da décima edição da revista Segredos
da mente, você vai aprender alguns métodos pra lá de eficientes para colocar em prática. Desejamos uma
excelente leitura!

a redação

ÍNDICe
Este produto reúne as melhores matérias publicadas na revista Segredos da Mente, edição 10

4
Mudança
15
Obras para se
interna aprofundar
Saiba como a Indicações culturais
mudança de para aprofundar seus
hábitos pode ser conhecimentos
benéfica para a
sua rotina
CAPA - ImAgem Advent/Shutterstock Images DesIgn Jamile Cury

8
Memória turbinada 12
Depressão em
Dicas fundamentais que
vão ajudar a manter a
pauta
Entenda como o
mente funcionando a
transtorno pode
todo vapor
afetar o cérebro
o começo de
uma nova era?
Imagem: Advent/Shutterstock Images

TexTo e enTrevisTas Victor SantoS/colaborador


Design joSemara naScimento
S
ituação 1: o corpo começa a reclamar, as dores e outros, em 254. Por isso, focou-se na média de
localizadas aumentam, e você se dá conta de 66 dias para automatizar o cérebro a transformar
que está sedentário há anos. suas atitudes, com margem de erro para mais ou
Situação 2: de repente, você percebe que o para menos.
último curso que fez foi há séculos, ou que já
saiu da escola/técnico/faculdade faz tempo e não voltou o cérebro como aliado
a estudar mais. Assim como “zona de conforto”, a expressão
Situação 3: você está comendo alguma guloseima bem “piloto automático” é uma das mais amaldiço-
saborosa e, do nada, se dá conta de que se alimentou adas quando tratamos de mudança de hábitos.
mal a semana inteira — e que isso está se refletindo nos “Quando persistimos em fazer a mesma coisa
quilos a mais que a balança aponta. por muito tempo, nosso cérebro não investe em
Não tem jeito: em um dado momento da vida — na criar novos circuitos de sinapses cerebrais, e nos
maioria das vezes sem que a gente queira, e de forma tornamos cada vez mais automáticos”, esclarece a
inesperada — nós temos um estalo que escancara que neurologista Vanessa Muller. “Infelizmente, agir
precisamos mudar certas atitudes e adquirir novos hábitos. no automático dá uma sensação de que é mais
As razões podem ser as mais diferentes possíveis, fácil, econômico e reconfortante”, complementa.
relacionadas ou não com as que listamos no começo Como o cérebro é a central controladora do
dessa matéria. Mas esse pensamento sorrateiro apa- corpo humano, precisamos dele na hora de esta-
rece, muitas vezes, acompanhado da desesperadora belecer essas novas prioridades de vida. E, para
situação de que simplesmente não sabemos o que fazer isso, contamos com um elemento fundamental:
para mudar esse cenário e sair da tão falada e criticada a neuroplasticidade. Trata-se da propriedade que
“zona de conforto”. esse órgão possui para formar novos neurônios,
Porém, já começamos com uma notícia animadora: só o que há não muito tempo era considerado
o fato de ter tido esse estalo já diz muita coisa. Querer impossível.
mudar é o primeiro passo. Os próximos nós apresentamos “Quando ‘ensinamos’ alguma coisa ao cérebro
a seguir, e a psicologia tem muito a nos ajudar nesse durante alguns dias, isso pode gerar mudan-
processo desafiador, complexo, e — pasme! — com- ças fisiológicas novas, que levam a alterações
pletamente viável de pôr em prática a partir de agora. anatômicas — inclusive à redução de sinapses
preexistentes ou mesmo ao estabelecimento de
Dois meses para mudar um hábito? novas”, relata Vanessa. Assim, novos neurônios
Um estudo que volta e meia chama a atenção dos são capazes de formar outros circuitos. “E no-
interessados em mente e cérebro foi desenvolvido no vos circuitos disponíveis formam novas ideias e
University College de Londres. Nele, fixou-se em 66 dias comportamentos”, conclui Martin.
o prazo necessário para o cérebro adquirir novos hábi-
tos. “Essa pesquisa representou um acréscimo de peso
ao estudo científico da mudança de hábitos”, destaca
o neurologista Martin Portner. “De acordo com o
estudo, dois aspectos são considerados fundamentais
para a gestão da mudança de hábito pelo cérebro: a
persistente repetição do hábito novo e a presença de
situações facilitadoras”, diz.
Ou seja: quer voltar a estudar inglês? Então, além de
criar um horário, instalar um local de estudo e insistir
nisso, você deve também separar os livros e deixá-los
em cima da sua mesa ou escrivaninha, criando, dessa
forma, a situação que vai facilitar para que você sente
na cadeira e mergulhe firme nos estudos. “A presença
das situações facilitadoras e as repetições permitem que
o novo hábito seja considerado consolidado quando,
ao não fazê-lo, a sua falta seja percebida”, sintetiza o
especialista.
Vale ressaltar que, no estudo indicado, alguns vo-
luntários alcançaram a mudança de hábito em 18 dias,
a psicologia entra em cena obstáculos pelo caminho
No entanto, esse processo de ‘ensinar’ o cérebro Uma das maiores dificuldades nessa trajetória rumo
a transformar certos hábitos demanda muitos ao fim da “zona de conforto” é que tem momentos que
esforços. E é especialmente nesse momento que a as coisas, simplesmente, não dão certo. Pode ser algum
psicologia pode nos ajudar. Segundo o psicólogo acontecimento inesperado ou perda, ou ainda uma falha sua.
Bayard Galvão, uma vez que a pessoa queira Mas essas situações também são contornáveis. Sofreu
mudar, “a psicologia clínica age em dois focos: uma perda terrível e está sem chão? Respire fundo, faça
entender o que gera sofrimento no paciente e uma autoavaliação e veja quais coisas vai precisar lidar
auxiliá-lo na reflexão que pode levar à superação sozinho a partir de então. E, se a dificuldade permanecer,
das causas do problema”. não hesite em procurar ajuda profissional.
Existem algumas perguntas que dá para fazer Agora, em relação ao fracasso, os especialistas reforçam
sozinho mesmo, sem a ajuda de um terapeuta, que um ponto é fundamental: ele acontece e é inevitável.
e que ajudam a guiar essa busca. “Não se envergonhe de aceitar que você não é capaz de
“Questione-se: ‘O que eu quero?’, ‘O que algo”, frisa o psicólogo Bayard Galvão.
vou ganhar com isso?’, ‘Por que isso é tão im- Então, se você está fazendo um esforço para estudar
portante para mim?’. Nesse momento, a pessoa mais, mas pulou um dia no seu cronograma de estudos,
acaba incentivada a se conectar com os seus releve e não se puna por isso. “Falhou? Errou? Admita para
valores, e começa a mudar pela emoção e não si, arranque a máscara da perfeição, peça desculpas e crie
simplesmente pela razão”, ensina a psicóloga um plano de ação para não mais errar”, resume Graziela.
e coach Graziela Vanni. “Na primeira vez, talvez você chore ou se desespere, mas
depois vai se acostumando e se acalmando até atingir a
sensações inevitáveis fase da aceitação”, diz.
Dá aquele frio na barriga imaginar-se mudan- Por fim, os profissionais enfatizam como é importante
do algum hábito. “E se der errado?”. “É muito parabenizar-se a cada etapa conquistada, por mínima que
difícil para mim”. “E se eu não conseguir?”. ela pareça. “No momento que cumpri-la, comemore,
Tudo isso pode passar pela cabeça. reforce para si mesmo que está no caminho certo e até se
Esses dilemas supercomuns acabam resul- presenteie, se possível”, sugere a psicóloga.
tando, nas palavras de Graziela, nas chamadas A cada novo hábito que você busca e atinge, seja ele
crenças limitantes. Basicamente, são pensamentos guardar menos emoções negativas dos outros, estimular
que nos boicotam na hora de se renovar. Por mais o intelecto ou praticar mais esportes, por exemplo,
trás deles, podem estar sentimentos que são a sensação é de que o peso das correrias do cotidiano se
velhos conhecidos de todos nós, como o medo torna, aos poucos, mais leve. E essa sensação de dever
e a ansiedade. cumprido, por tabela, pode ser o empurrão que falta para
A questão é que é supernormal ter medo um dia a dia mais feliz.
– aliás, sem essa qualidade, sequer teríamos
sobrevivido como humanos, pois nos coloca-
ríamos em risco a todo instante. Em relação à
ansiedade, a mesma coisa: ela é um estado de
tensão e expectativa diante de algo que ainda
não aconteceu, e que prepara todo o corpo
para encarar algum perigo. Ou seja, muito útil
quando estamos prestes a lidar com uma situação
realmente tensa. Porém, essas características
complicam nossa vida quando os supostos
perigos são imaginários — muitas vezes, são
as novidades que temos que encarar na hora de
estabelecer uma renovação nos hábitos.
“Para diminuir isso, sugiro fazer uma lista e
identificar qual é o problema. Se for um problema
real, a pessoa poderá criar soluções possíveis
e colocar ação na coisa. Se for imaginário ou
impossível de resolver, é preciso aceitar ou tirar
da cabeça”, aponta a psicóloga e coach.
7 DiCas práTiCas
Psicólogos e neurologistas listam alguns truques que vão dar o empurrão que falta para
estabelecer novos hábitos:

Primeiramente, crie uma lista bem completa de todas não tenha vergonha de pedir ajuda para conseguir
as coisas que deseja modificar em sua vida. Caso ela — inclusive orientação profissional, se estiver
fique muito grande, não tem problema: essa fase serve complicado. Invista, também, na autossugestão:
apenas para dar um norte. repita para si mesmo, todos os dias, o que é
Concentre-se para mudar um hábito de cada vez. Não necessário realizar para chegar lá.
queira realizar em uma etapa só tudo o que você listou, Tenha consciência de que o processo não vai ser
ou seja, tenha foco. “Tentar mudar muitos hábitos ao tranquilo o tempo todo. Nos momentos difíceis (que
mesmo tempo faz com que sua energia se dissipe”, sempre aparecem), insista. “É a sua persistência nos
destaca o neurologista Martin Portner. dias ruins que determina o sucesso do seu esforço”,
Na hora de escolher o que deseja transformar, pense indica o neurologista.
naquilo que vai fazer bem. Essa mudança pode trazer Por fim, uma dica fundamental. Apesar dos
mais felicidade e emoção à sua vida? esforços e alguns sacrifícios, não leve tudo tão a
Faça um levantamento de recursos. “Trata-se de ferro e fogo e tenha em mente que desvios de rota às
refletir sobre pessoas ou coisas que podem ajudar na vezes aparecem. “Use sua ginga e bom humor para
conquista da sua meta”, aponta a psicóloga e coach encarar os resultados, e tente aproveitar ao máximo
Graziela Vanni. a própria experiência da mudança”, finaliza Martin.

CONSULTORIAS Bayard Galvão, psicólogo clínico, hipnoterapeuta e palestrante, presidente do Instituto Milton H. Erickson, de São Paulo (SP);
Graziela Vanni, psicóloga especializada em terapia cognitivo-comportamental e coach; Martin Portner, neurologista e palestrante; Vanessa Müller,
neurologista e diretora médica da VTM Neurodiagnóstico, no Rio de Janeiro (RJ).
20 dicas
TuRbINAR
para

a memória
O que fazer – e o que não fazer – para
ter as lembranças sempre em mente
TexTo e eNTReVISTAS NATÁLIA NEGRETTI/COLABORADORA
DeSIgN JAMILE CURY GANDARA E kAREN zANATA/COLABORADORA

O
ritmo acelerado da vida atual acaba refle- Para não sentir tanto as influências da rotina agitada,
tindo no funcionamento do organismo, algumas atitudes fazem toda a diferença quando o assunto
acarretando alguns danos. “Estamos vivendo é qualidade de vida e saúde. Sabendo-se que a boa memória
em uma sociedade extremamente ativa e está diretamente ligada a esses dois itens, é fundamental
exigente. Isso é um dos motivos que leva buscar cuidar do corpo e da mente para levar lembranças
ao pensamento acelerado, o que acarreta inicialmente em por mais tempo.
cansaço físico e mental e prejuízos na memória”, afirma Confira, a seguir, algumas dicas para colocar em
a médica de família Cristiane Gussi Baito. prática, já!

1
Faça exercícios físicos
Exercitar-se pelo menos 30 minutos diariamente traz diversos benefícios à saúde, entre
eles, aumenta a produção de hormônios e ajuda a melhorar a circulação do sangue para
o cérebro, favorecendo seu bom funcionamento. “A liberação de endorfinas através do
exercício gera uma sensação de relaxamento físico e emocional, trazendo maior disponibilidade
do cérebro em registrar as informações e transformar em memória”, explica Cristiane.
Além da endorfina, outras substâncias são liberadas no organismo, como a BDNF (brain derived
neurotrofic factor) ou fator neurológico derivado do cérebro, uma neurotrofina presente no hipo-
campo e no córtex pré-frontal, regiões relacionadas à memória.
2
Cuide da alimentação
Um grande passo para a memória funcionar bem é o organismo estar em ordem. Para
isso, o “combustível” desta máquina perfeita precisa ser o de melhor qualidade possível.
“Alimentação leve e equilibrada é extremamente necessária para um sistema nervoso
organizado. A memória é um dos aspectos cognitivos do cérebro e, por isso, precisa de um sistema
saudável para um bom funcionamento”, afirma a médica.
São diversos os alimentos indicados para uma dieta saudável, mas, basicamente, o cardápio deve ser
rico em frutas e vegetais. Eles colaboram para a proteção das células cerebrais, pois são fonte de
substâncias antioxidantes. Além disso, peixes não podem ficar de fora, já que contêm ácidos graxos do
tipo ômega 3, uma gordura que melhora o desempenho cognitivo. O nutriente estimula a produção
de novos neurônios, participa do desenvolvimento e da manutenção do sistema nervoso e serve de
matéria-prima para a produção de substâncias protetoras do cérebro. Outra dica é o café, que por
conter cafeína ajuda a manter o cérebro em alerta, facilitando a captação de informação.
Em contrapartida, evite o excesso de carboidratos simples, como pães e massas, e açúcar. Apesar de
no início proporcionar uma sensação de euforia, o consumo acaba gerando um estado de lentidão,
prejudicando a memória.

4 5
Anote Seja organizado
Confiar na memória – por Manter em ordem os lugares
mais afiada que ela seja – em que permanece com mais
pode não ser uma boa opção, frequência, como casa, carro e
já que todos estão sujeitos a lapsos de trabalho e ter o cuidado de guardar os
esquecimento. Usar agenda (física ou objetos (óculos, carteira, celular, etc)

3
do celular) ou bloco de anotações é im- sempre nos mesmos locais ajudam no
beba água portante para marcar os compromissos funcionamento da memória.
Hidratar o corpo é outro diários e não correr o risco de deixar
item essencial para o bom passar algo importante. Porém, o ideal
funcionamento do orga- é manter os lembretes sempre à vista,
nismo. Para isso, o indicado é ingerir senão dá na mesma.
em torno de oito copos (250ml) do
líquido por dia. A carência de água
leva à desidratação, o que pode dar
a sensação de cansaço, dificultando

7
a concentração.
Faça listas
Compromissos,
compras... Seja
qual for a ativi-

6
dade, as listas são uma ajuda
Mantenha o e tanto na hora de organi-
check up em dia zar o que é para fazer. O
Acompanhar periodi- simples fato de descrevê-las

8
camente como anda a já é uma estratégia para
saúde é fundamental para saber memorização. Consuma cultura
como está funcionando seu Atividades intelectuais varia-
corpo. Ficar atento a pequenas das, como ler, ir ao cinema e
modificações na memória é fazer um curso de línguas,
essencial para prevenir maiores mantêm a mente e a memória em forma.
problemas.
9
Leia
Inclusive, a leitura é uma das melhores maneiras de estimular a
memória. Uma dica é fazer resumos do que você lê, pois, assim,
melhora sua capacidade de guardar conteúdos mentalmente.

10
Abuse de passatempos
Cruzadinha, caça-palavras, quebra-cabeça... As
opções são muitas, mas o que importa é fazer
uso de passatempos, pois desafiam a mente,
e são capazes de refinar a capacidade de atenção. O que vale
é treinar seu cérebro como se fosse um músculo!

11 12
Preste atenção busque associar
Cada tarefa realiza- Sempre que você aprender algo novo, procure ligar a alguma coisa
da merece sua total que já conheça, pois isso facilita a memorização. A dica também
atenção. Muita coisa vale para quando quiser lembrar de algum compromisso: associe
na cabeça diminui a assimilação e imagens em torno do conteúdo.
deixa passar dados que seriam rele- A técnica é chamada de regra mnemônica e é usada, principalmente, por estudantes
vantes. Identifique as prioridades do para decorar contúdo de algumas matérias. Ao associar uma informação difícil
momento e foque em sua execução, de ser memorizada a algo de mais facilidade, o cérebro cria conexões que ajudam
desligando-se do resto. E claro, a reviver as lembranças.
faça uma atividade por vez. “A dica Outro truque é associar a objetos: se você conheceu a Maria quando ela segurava
principal é focar na conversa ou um caderno, pense nela como Maria do Caderno. Parece algo engraçado, mas
leitura que está fazendo sem pensar funciona. E acredite: quanto mais absurdas forem as associações, mais fácil de se
em mais nada. Isso dará chance para lembrar delas.
seu cérebro efetivamente registrar
aquela informação”, compartilha
Cristiane.

14
Pequenas mudanças

13
Manter uma rotina é importante para a me-
Compreenda morização, porém, corre-se o risco de “cair no
Memorizar ape- automático” e fazer tudo sem pensar direito. Para
nas pela repeti- evitar esse problema, realize pequenas mudanças no seu dia a dia.
ção é um grande Por exemplo: teste um novo caminho para ir ao trabalho, conheça
erro, já que você fica sujeito aos um novo restaurante, escove os dentes com a mão que costuma
“brancos” e a esquecer tudo de não usar, etc. “Uma maneira de enrijecer e envelhecer a memória
repente. O ideal é compreender e o cérebro é fazer sempre o mesmo, da mesma maneira, mono-
o assunto e, assim, se situar em tonamente. Fazer as coisas de um jeito novo e diferente estimula
todo o conceito ao redor do que nosso cérebro, enriquece as redes neurais, gera aprendizagem e
você precisa saber sobre. fortalece a memória”, afirma o médico e psicólogo Roberto Debski.
15 16
Não se auto
medique Medite
O uso de remédios sem A meditação tem efeitos be-
prescrição médica pode néficos na melhora da con-
trazer diversos problemas à saúde, entre centração e na memorização.
eles, alguns ligados à memória. Além disso, Quem medita tem as fibras chamadas axônios,
certos medicamentos para dormir podem que funcionam como conexões entre diferen-
afetar a capacidade de memorização. Con- tes pontos do cérebro, estruturadas de forma
verse com seu médico a respeito. diferente. São essas mesmas conexões que
proporcionam um desempenho cerebral mais
ágil e que se desfazem diante de males como
Alzheimer, ou mesmo naturalmente com o
passar dos anos.

17
Cuide do ambiente
O local onde você faz suas tarefas influencia bastante
nos seus estímulos e como a memorização é feita.
Assim, procure manter um ambiente organizado,
silencioso e iluminado. Isso serve para estudos, trabalho, leitura...

18
Descanse
O bom funcionamento cerebral
depende do descanso físico e
mental. Não reservar um tempo
para relaxar diariamente e tirar umas férias acaba
gerando o cansaço mental, resultando em lapsos
de memória.

20
Rabisque
Sabe aquela mania que algu-
mas pessoas têm de rabiscar
um pedaço de papel enquan-
to escuta alguém falar, seja no telefone ou em
palestras? Trata-se de uma tática eficaz de
memorização! Estudos indicam que rabiscar

19
enquanto se recebe informações não visuais
Reviva as emoções aumenta a capacidade da memória.
Memórias ligadas à emo-
ção são mais facilmente
fixadas. As emoções posi-
tivas têm prioridade sobre as negativas em
um fenômeno chamado memória seletiva. CoNSuLToRIAS Cristiane Gussi Baito, médica de família
Por isso, sempre que possível, recorde das pós-graduada em geriatria e medicina chinesa; Roberto
Debski, médico, psicólogo e coach em programação
boas coisas que viveu, reveja fotos e remonte
neurolinguística.
os momentos mentalmente.
Destruição
interna Um transtorno que é capaz de tirar toda
a sua disposição e energia de viver exige
muita atenção e cuidados. Saiba no que se
constitui a depressão e as possibilidades
para sair desse difícil momento
TexTo vICTOR SANTOS/COLABORADOR
enTrevisTas ANDREY SEISDEDOS, NATÁLIA NEGRETTI/
COLABORADORES E RICARDO PICCINATO
Design JOSEmARA NASCImENTO

D
istúrbio presente e descrito no no que consiste?
Manual Diagnóstico e Estatístico “A depressão é um transtorno da nossa vida
de Transtornos Mentais (DSM), a emocional, e trata-se da doença mental de
depressão é aquele tipo de distúr- maior incidência no mundo, podendo ser tão
bio frequentemente tachado como grave que leva a pessoa à morte, por suicídio”,
“frescura” — até o momento em que a pessoa, resume a psiquiatra Maria Cristina De Stefano.
algum familiar ou algum amigo bem próximo, se O psiquiatra Sérgio Lima enumera alguns
vê tendo que encarar esse transtorno bem grave. de seus principais sintomas:
“A família e os mais próximos devem sempre • sentimento de tristeza;
respeitar a pessoa com esse quadro”, enfatiza o • desânimo;
psicólogo e professor Alex Machado. “Não se deve, • pessimismo
em hipótese alguma, encará-lo como 'fraqueza' • diminuição ou perda do desejo sexual
Imagens: Efili/Shutterstock Images

ou 'falta de fé'. A pessoa deprimida genuinamente • hipersônia (excessivas horas de sono ou


sofre e necessita de ajuda profissional”, relata. sonolência) ou insônia
Assim como tudo o que envolve o nosso cérebro, • perda do prazer de viver
estamos diante de um quadro complexo e difícil, • dificuldade extrema de concentração
embora plenamente recuperável. • isolamento social
Porém, uma dúvida comum é: quando
saber se esse sintomas não se constituem
numa tristeza ou estresse passageiro? “Vale
observar: quando essa sensação de tristeza
ultrapassa períodos superiores a quatro
semanas e incapacita ou interfere na capa-
cidade do indivíduo de realizar tarefas do
cotidiano, pode ser que estejamos diante de
um quadro depressivo”, pontua o psicólogo
e professor Hermínio Meneguzzi. Logo, é
importante a própria pessoa ou aqueles ao
redor repararem nesses sintomas e buscarem
ajuda (mais detalhes na próxima página).

a causa está no cérebro?


Os neurotransmissores são as substâncias
químicas que realizam as ligações entre os
neurônios de todos os sistemas cerebrais
— e, num quadro de depressão, ocorrem
modificações nos sistemas que eles gerenciam.
“Na depressão, os principais neuro-
transmissores envolvidos são a serotonina,
a adrenalina e a noradrenalina”, explica a
psiquiatra Maria Cristina De Stefano. O
neurocientista Aristides Brito comenta que
a serotonina, por exemplo, cuida da comu-
nicação entre a região do lobo frontal — o
“juiz” do nosso cérebro, qua faz as análises
morais e resolve problemas — e o sistema
límbico, que cuida das emoções. Durante a
depressão, essa ligação acaba dificultada e a
pessoa começa a ter seu estado emocional
afetado.
“Ou seja, esse transtorno acaba configura-
do como um quadro de mudanças químicas
no cérebro, mas é muito mais do que isso”,
relata Aristides. “Afinal, se relaciona com
as emoções, e elas, por sua vez, são afetadas
pelo meio ambiente, principalmente nos dias
de hoje com tanta pressão na vida moderna”. Um estudo publicado em agosto de 2016 na
revista científica Nature Genetics pode auxiliar
a genética tem culpa? a dar uma luz nessa questão. Pela primeira vez,
De acordo com os especialistas, esse foram identificadas 17 variações genéticas ligadas
transtorno é ocasionado por interações à depressão em indivíduos com ascendência
entre os fatores neurológicos, ambientais europeia — isso só havia sido observado uma
e, possivelmente, genéticos. vez, numa pesquisa com asiáticos.
“Ainda assim, temos uma limitação ao De qualquer forma, ainda que a ciência
afirmar esse determinismo genético, pois não tenha chegado a um consenso sobre a sua
sabe-se que a influência genética é resultante causa, a depressão continua atingindo milhões
de uma interação entre múltiplos genes e no mundo todo – mais especificamente, 350
não apenas um único”, comenta Aristides. milhões de pessoas. Por isso, todo cuidado é
“Existem pessoas com predisposição genética pouco, e, uma vez efetuado o diagnóstico, é
sim, mas acredito muito mais nos fatores importante ter em mente que as possibilidades
externos do que nos genéticos”, diz. para dar a volta por cima são muitas.
as PossibiliDaDes Para se recuPerar
Caso o diagnóstico da depressão tenha sido efetuado, é importante, primeiro de tudo, que a pessoa
esteja cercada de apoio de familiares e amigos.
O interessante é que existe não apenas uma, mas várias luzes no fim do túnel. Há uma lista de
possibilidades que podem dar uma força para sair dessa.

acompanhamento psiquiátrico acupuntura


“Tratam-se dos médicos especializados nas doenças De acordo com o acupunturista Rubenildo Coutinho, a
emocionais e mentais, que podem ajudar de forma técnica pode colaborar de duas formas no tratamento da
adequada a recuperação da pessoa doente”, indica a depressão.
psiquiatra Maria Cristina De Stefano. “Há o mecanismo energético, no qual se promove
São esses profissionais que receitam antidepressivos, o equilíbrio dos canais por onde a energia do corpo
que talvez sejam necessários por um tempo para transcorre, e o fisiológico, que se constitui na liberação
diminuir os sintomas mais graves e dar um alívio ao de substâncias analgésicas, anti-inflamatórias,
sofrimento. relaxantes musculares, e também uma ação moduladora
sobre as emoções e distúrbios emocionais”, indica o
Psicoterapia profissional. Tal ação auxilia contra a depressão e a
“A psicoterapia, independente da linha terapêutica, tem ansiedade porque estimula a produção dos hormônios da
sido fundamental na busca pelo autoconhecimento”, alegria e do bem-estar (serotonina e endorfina).
destaca o psiquiatra Sérgio Lima.
Assim, a associação desse método com tratamento Prática esportiva
medicamentoso pode ser muito mais eficaz na luta Todo mundo conhece os inúmeros benefícios dos esportes
contra a depressão. para a saúde do corpo e o bem-estar. Para pessoas num
quadro depressivo, essas atividades estão mais do que
Musicoterapia recomendadas. “A endorfina, produzida pela hipófise e
A especialista Maria Isabel da Penha Sinegaglia que promove no organismo efeito de bem-estar, melhora
esclarece que a musicoterapia atua de forma efetiva do humor e alegria, é liberada após atividades físicas”,
na depressão. “O método trata as causas emocionais explica o ortopedista e especialista em medicina esportiva,
com sonoridades específicas para cada indivíduo, e as Mauro Olívio Martinelli. O profissional também destaca
causas fisiológicas são tratadas com sonoridades que que, como as pessoas que se encontram nesse quadro
promovem o aumento da oxigenação no sangue — e, geralmente estão paradas e sedentárias, a dica é começar
como resultado, auxiliam para uma maior oxigenação com atividades leves e progressivamente ir aumentando
cerebral”, explica. — sempre, é claro, com acompanhamento profissional.

“A depressão é um transtorno da nossa vida


emocional, e trata-se da doença mental de maior
incidência no mundo, podendo ser tão grave que leva
a pessoa à morte, por suicídio”
Maria Cristina De Stefano, psiquiatra

CONSULTORIAS Alex Machado, professor do curso de psicologia da Faculdade Pitágoras, de Linhares (ES); Aristides Brito,
neurocientista, coach e diretor da Marca Pessoal Treinamentos, Hermínio Meneguzzi Júnior, professor do curso de Psicologia da
Faculdade Pitágoras, de Linhares (ES); Maria Cristina De Stefano, psiquiatra; Maria Isabel da Penha Sinegaglia, musicoterapeuta do
Instituto MATOBA, em Osasco (SP); Mauro Olívio Martinelli, ortopedista e especialista em medicina esportiva do Centro de Qualidade
de Vida, em São Paulo (SP); Rubenildo Coutinho, acupunturista do Centro Multidisciplinar Fluminense, no Rio de Janeiro (RJ); Sérgio
Lima, psiquiatra e diretor da Clínica Spatium, em São Paulo (SP).
Fique por dentro
Obras para você se aprofundar em TexTo RicaRdo Piccinato
design KaRen Zanata/colaboRadoRa

alguns assuntos desta edição

MeMória neuropsicologia eM Música, MenTe e


iván izquierdo ação – enTendendo educação
editora artmed (2011) a práTica Keith swanwick
clarice peres e rachel editora autêntica (2014)
Iván Izquierdo é um schlindwein-Zanini
médico e neurocientista editora Wak (2016) O reconhecido
argentino, pioneiro no especialista em
estudo da neurobiologia A neuropsicologia pode educação musical pela
da memória e do contribuir em diversas Universidade de Londres
aprendizado. Nesta áreas, como na saúde, na (Inglaterra) enfatiza a
reedição do livro, foram educação, no campo jurídico, importância da utilização
acrescentados capítulos entre outras. Nessa obra, da música e das artes em
sobre a persistência as especialistas falam geral no desenvolvimento
das memórias de longa sobre a atuação prática da da mente. Na obra, é
duração; evocação, neuropsicologia baseada apresentada uma teoria
extinção e reconsolidação academicamente. São de educação musical
das memórias, além abordadas a relação dessa por meio de uma análise
das demências. Escrita ciência com a atenção e a das bases cognitivas
de maneira clara, a memória, a criatividade, o e psicológicas da
obra consegue oferecer autismo, a neuropsicologia experiência com a música.
respostas às perguntas do idoso e as demências, O livro é especialmente
mais frequentes do a reabilitação infantil, o voltado para profissionais
Imagens: Reprodução

público em geral sobre Transtorno do Déficit de que trabalham com a


essa incrível habilidade do Atenção e Hiperatividade educação de jovens, além
cérebro humano. (TDAH), entre outros assuntos. de interessados no tema.

Segredos da EditORAS-chEFE Viviane Campos e Tais Castilho EditOR Ricardo Piccinato REdAçÃO Bruno Ribeiro, Carolina Firmino e Érika Alfaro dESign Jamile Cury e ©2019 EDITORA ALTO
Mente - Mude Josemara Nascimento EStAgiáRiOS Gabriel Jaquer, Marina Borges e Matheus Santos (Redação), Laura Alcará (Arte) imPRESSÃO GRAFILAR Gráfica ASTRAL LTDA. TODOS OS
DIREITOS RESERVADOS.
Seus Hábitos, Ano PROIBIDA A REPRODUÇÃO.
3 - nº 4 - 2019 CONSELHO João Carlos de Almeida e Pedro José Chiquito DIREÇÃO Silvino Brasolotto Junior COMERCIAL Marcelo Pelegia EDITORIAL Mara De Santi ENDEREÇOS BAURU Rua Gustavo Maciel, 19-26, CEP 17012-110, Bauru, SP. Caixa
Postal 471, CEP 17015-970, Bauru, SP. Fone (14) 3235-3878, Fax (14) 3235-3879 SÃO PAULO Alameda Vicente Pinzon, Nº 173, 4º Andar, CEP 04547-130, Vila Olímpia, São Paulo, SP. ATENDIMENTO AO LEITOR ✆ (14) 3235-3885 De
segunda à sexta, das 8h às 18h atendimento@astral.com.br Caixa Postal 471, CEP 17015-970, Bauru, SP LOJA astralshopping.com.br ANUNCIE E-mail publicidade@astral.com.br Fone (11) 3048-2900

Você também pode gostar