Você está na página 1de 3

CURSO: ADMINISTRAÇÃO

AVALIAÇÃO PARCIAL- AP2


DISCIPLINA: LEGISLAÇÃO TRABALHISTA
PROFESSORA: MARIA NEURILANE VIANA NOGUEIRA
PRAZO DE ENTREGA: ATÉ 30 DE NOVEMBRO DE 2020
FORMA DE ENTREGA: VIRTUAL

1) Maria de Jesus, é professora de uma Faculdade particular. Durante um semestre


ministrou aulas normalmente conforme o que foi acordado no contrato de
trabalho. Ocorre que, após esse período, a empresa não mais disponibilizou turmas
para a professora, nem tampouco pagou seus salários, deixando-a ociosa. Diante
do exposto, caracterize a conduta do empregador e enumere quais verbas
trabalhistas a professora faz jus. FUNDAMENTANDO sua resposta. (2,0 pontos):
O art 483 CLT protege o empregado em caso de não cumprimento de contrato ou
por atitudes que possam afetar o salário do mesmo por parte do empregador.
Nesses casos o empregado pode recorrer aos seus direitos de acordo com a CLR
O funcionário poderá recorrer as seguintes clausulas da CLT do art. 483:
§ 1º - O empregado poderá suspender a prestação dos serviços ou rescindir o
contrato, quando tiver de desempenhar obrigações legais, incompatíveis com a
continuação do serviço.
§ 2º - No caso de morte do empregador constituído em empresa individual, é
facultado ao empregado rescindir o contrato de trabalho.
§ 3º - Nas hipóteses das letras d e g, poderá o empregado pleitear a rescisão de seu
contrato de trabalho e o pagamento das respectivas indenizações, permanecendo
ou não no serviço até final decisão do processo. (Incluído pela Lei nº 4.825, de
5.11.1965)

2) Eduardo, Romário e Lucas, trabalham em uma empresa cuja atividade


constata exposição a um agente perigoso, sendo que Eduardo trabalha
diretamente com o transporte de material inflamável, de modo permanente,
nas dependências da empresa. Romário faz a rendição de Eduardo durante o
intervalo para alimentação e descanso e, no restante do tempo, exerce a função
de chefe de almoxarifado. Lucas também exerce a função de chefe de
almoxarifado, entretanto, no seu intervalo para alimentação pega carona com
Romário no transporte de inflamáveis, cujo trajeto dura cerca de cinco
minutos.

Diante dessa situação, com base na legislação aplicável e no entendimento


pacificado do TST, o direito ao recebimento de adicional de periculosidade é
de FUNDAMENTANDO sua resposta. (2,0 pontos):
a) Eduardo, que faz jus ao adicional de periculosidade integral; Romário, ao
proporcional ao tempo de exposição ao inflamável e Lucas não tem direito ao
referido adicional.
b) Eduardo, apenas, que lida diretamente com produtos inflamáveis em toda a
jornada de trabalho.
c) Eduardo e Romario, mas Lucas não possui qualquer direito.
d) Eduardo, que faz jus ao referido adicional e tanto Romario, quanto Lucas
devem recebê-lo de forma proporcional, tendo em vista seu grau de exposição
ao agente perigoso.

R: De acordo com a Sumula 364 do TST reconhece o direito ao adicional de


periculosidade ao empregado exposto permanentemente ou que, de forma
intermitente, se sujeita a condição de risco

3) Acerca da proteção ao trabalho da mulher analise as proposições abaixo:


FUNDAMENTANDO sua resposta. (2,0 pontos):
I) A evolução do trabalho da mulher está intimamente ligada a um momento
histórico em que esta era presumida como incapaz e precisava da anuência do
marido ou da autorização judicial para exercer atividade laborativa.
II) Atualmente, a licença a maternidade é de 120 dias para o serviço público, no
caso de crianças com até 1 ano de idade.
III) A mãe adotante tem direito a licença a maternidade que no caso de criança de
04 a 08 anos será de apenas 60 dias.
Estão corretos somente os itens:
a) I, II
b) II e III
c) I,
d) II, III,
R: Licença maternidade é garantia de toda trabalhadora do Brasil. Assim
cumprindo o resguardo médico solicitado em razão do parto, no prazo de 120
dias. Os 120 dias vale também para mães adotivas de crianças até 1 ano

4) Segundo o que assegura a CLT, sobre o contrato individual de trabalho,


segundo a CLT, assinale a alternativa incorreta. FUNDAMENTANDO sua
resposta. (2,0 pontos):

a) O contrato individual de trabalho poderá ser acordado tácita ou expressamente,


sempre por escrito e por prazo determinado ou indeterminado.

b) O contrato de trabalho por prazo determinado não poderá ser estipulado por mais
de 2 (dois) anos, observado regra contida em lei.
c) O contrato de experiência não poderá exceder de 90 (noventa) dias.

d) Considera-se como de prazo determinado o contrato de trabalho cuja vigência


dependa de termo prefixado ou da execução de serviços especificados ou ainda da
realização de certo acontecimento suscetível de previsão aproximada.

e) Considera-se por prazo indeterminado todo contrato que suceder, dentro de 6


(seis) meses, a outro contrato por prazo determinado, salvo se a expiração deste
dependeu da execução de serviços especializados ou da realização de certos
acontecimentos.

R: O contrato individual não é obrigatório a está por escrito, pode ser feito tanto
verbalmente quanto por escrito.

5) A CLT permite o pagamento do salário em utilidades, o qual é chamado de salário in


natura. Em relação a esse tipo de contrato de trabalho quais as regras aplicáveis no direito
do trabalho? FUNDAMENTANDO sua resposta. (2,0 pontos):
R: O salário de utilidades em caso algum pode ser pago com bebidas alcoólicas ou drogas
nocivas.
CLT dispõe em seu artigo 458 que qualquer prestação de salário in natura, como
requisito de contrato ou costume da empresa, seja compreendida como salario.
A CLT dispõe ainda, em seu artigo 82, limita o salario in natura em até 70% do salario
mínimo, sendo assim, garantindo 30% do salário mínimo em dinheiro
Conforme dispõe o § 3º do art. 458 da CLT, estão limitados a 20% e 25% do salário
respectivamente, a alimentação e a habitação fornecidas como salário utilidade.