Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

INSTITUTO DE FÍSICA
FÍSICA 2 EXPERIMENTAL TURMA H 1ª SEMESTRE 2019

ALUNO: André Luís Silva da Costa MATRÍCULA: 180116193


ALUNO: Ricardo Tavares Domingos MATRÍCULA: 180108760
ALUNO: Mohamad Iacer Taleb Fares MATRÍCULA: 180138022

GIROSCÓPIO- PARTE QUALITATIVA


Objetivos: Analisar as grandezas vetoriais do giroscópio e como elas afetam o seu
movimento.
Materiais:
● Giroscópio PASCO modelo ME-8960;
● Dois discos de rotação;
● Dois contrapesos de 900g;
● Um contra peso de 30g;
● Uma massa adicional de 150g;
● Um motor elétrico para aceleração do disco;
● Um conjunto com nove setas indutivas das grandezas vetoriais;
Análise qualitativa :
Análise das forças estáticas:

As grandezas que estão relacionadas ao equilíbrio são o peso do disco (PD),


peso dos contra-pesos (PC) e a normal no eixo (N). Assim pela fórmula :
N = PC + PD

Análise dos torques:


Quando a massa adicionada é fixada no ponto 1 tem as direções da forças aplicada
e do torque são direcionadas:
● Força no eixo -Z.
● Torque sai do plano.
Quando a massa é aplicada na posição 12 as direções são:
● Força no eixo -Z.
● Torque entra no plano.
Quando rotacionamos o giroscópio em torno do eixo vertical no sentido horário o
torque está na direção do eixo Z. E quando rotacionamos o giroscópio em torno do eixo
vertical no sentido anti-horário o torque está na direção do eixo -Z.

Velocidade e momento angular:


Resposta dinâmica do giroscópio a torques externos:

GIRO DO DISCO NO SENTIDO ANTI-HORÁRIO


Força aplicada na Direção e sentido do Direção e sentido da Direção de
extremidade (1) torque aplicado reação da movimento da
extremidade (12) extremidade do
vetor momento
angular

+X --Z +Z +Z

-X +Z -Z -Z

+Z +X -X -X

-Z -X +X +X

Gire o suporte -Z +Z -X
central no sentido
horário (visto de
cima)

Gire o suporte +Z -Z +X
central no sentido
anti-horário(visto de
cima)
GIRO DO DISCO NO SENTIDO HORÁRIO
Força aplicada na Direção e sentido do Direção e sentido da Direção de
extremidade (1) torque aplicado reação da movimento da
extremidade (12) extremidade do
vetor momento
angular

+X --Z -Z +Z

-X +Z +Z -Z

+Z +X +X -X

-Z -X -X +X

Gire o suporte +Z -Z +X
central no sentido
horário (visto de
cima)

Gire o suporte -Z +Z -X
central no sentido
anti-horário(visto de
cima)

Movimento de precessão:
Sentido horário com massa adicional na posição 12

● Vetor velocidade de precessão: no eixo -Z


● Peso: no eixo -Z
● Torque: no eixo +X
● Momento angular: no eixo -Y
● velocidade angular de rotação: no eixo -Y

Sentido horário com massa adicional na posição 1

● Vetor velocidade de precessão: no eixo +Z


● Peso: no eixo -Z
● Torque: no eixo -X
● Momento angular: no eixo -Y
● velocidade angular de rotação: no eixo -Y

Sentido anti-horário com massa adicional na posição 1

● Vetor velocidade de precessão: no eixo -Z


● Peso: no eixo -Z
● Torque: no eixo -X
● Momento angular: no eixo -Y
● velocidade angular de rotação: no eixo -Y

Sentido anti-horário com massa adicional na posição 12

● Vetor velocidade de precessão: no eixo +Z


● Peso: no eixo -Z
● Torque: no eixo +X
● Momento angular: no eixo +Y
● velocidade angular de rotação: no eixo +Y
Assim o grupo analisou que o movimento de precessão torna-se mais rápido quando
a velocidade de rotação do disco diminuiu.

Movimento de nutação:
Massa adicional na posição 12
Evitando torque quando inclinar giroscópio 30° equivale a imagem C da figura 4.
Quando aplicado,levemente, um torque no giroscópio na direção de sua precessão(+Z)
equivale a imagem A figura 4. O oposta da sua direção de sua precessão(+Z) equivale a A
da figura 4.
Com o aumento da velocidade angular de rotação diminui a amplitude do giroscópio,
o oposto aumenta a amplitude.
Com um ângulo inicial aumenta a amplitude, a nutação ocorre quando as forças
aplicada no eixo Z tornam-se dissipativa quando a velocidade é muito considerável ao
rotacionar o disco.

Segundo disco:
O efeito da adição de um segundo disco aumenta o momento angular se os discos
giram no mesmo sentido, se diferentes a soma dos momentos e zero.
Sem adição peso não há torque resultante e rotaciona no mesmo sentido o eixo
permanece em equilíbrio.
Quando estiver em equilíbrio e a rotação dos discos estiver em sentidos diferentes e
aplicado um torque na direção do eixo X ele rotaciona.
Quando estiver em equilíbrio em sentidos diferente e aplicando um torque na
posição 12 no eixo -Z há formação de um torque na direção +X.
GIROSCÓPIO- PARTE QUANTITATIVA

Objetivo: Calcular o momento de inércia do disco de três formas diferentes, a primeira pela
medição geométrica, a segunda pela conservação da energia mecânica e por último pelo
movimento de precessão.
1-Medição geométrica:
Tabela 1 - raio e massa do disco com seus respectivos erros.
Raio do disco 12,7 cm ± 0,05cm

Massa do disco 1744,00 g ± 0,01g

Usando os dados da tabela e usando a fórmula para o momento de inércia de um


cilindro maciço I = (M * R2 )/2 onde M é a massa do disco e R é o raio do disco. Usando a
lei de propagação de erros chegou-se na seguinte fórmula para calcular o erro do momento
de inércia do disco ΔI = [(ΔM /M ) + (2 ΔR)/R] onde ΔM é o erro da massa e ΔR é o erro do
raio do disco. Substituindo os dados nas fórmulas:

I= 0,0281290 K g * m2
ΔI= 0,0004431 K g * m2

2-Determinação do momento de inércia usando a lei de conservação da energia


mecânica:
Para determinar o momento de inércia usando o princípio da conservação da
energia mecânica foi colocado em um suporte uma massa de aproximadamente 400g e
amarrou esse suporte em uma corda que foi amarrada na posição 12 do giroscópio e
girando até deixar o peso a uma altura de 10cm acima do chão, quando a massa suspensa
for solta seu peso produzirá um torque no disco e este começará a girar com uma
velocidade angular de rotação variável até o peso encostar no chão, pois a partir desse
momento o disco girar com velocidade angular de rotação constante. Logo após a massa
tocar o chão o contador foi acionado para medir o período de rotação. O procedimento foi
repetido subindo a altura em que a massa é solta de 10cm em 10cm até chegar a altura de
80cm.
Para encontrar o momento de inércia usando esse experimento foi usado a seguinte
relação entre o inverso do quadrado do período (1/ T 2 ) em função da altura (h):

2 2
1⁄¨T = ((M * G)/2ℼ ) * (M r2 + I )

Onde M é a massa suspensa, g é a aceleração gravitacional, r é o raio da polia e I o


momento de inércia. Dessa forma, foi feito um gráfico entre o inverso do quadrado do
período em função da altura usando os dados da tabela 3 e fazendo uma regressão linear o
coeficiente angular da reta (B) será:
2
B = ((M * G)/2ℼ ) * (M r2 + I )
Tabela 2 – Massa suspensa e raio da polia com seus respectivos erros.
Massa suspensa (g) Raio da polia (mm)

409,22 ± 0,01 58,4 ± 0,05

Tabela 3 – Altura e inverso do quadrado do período.


Altura (cm) Inverso do quadrado do período ( )

10 ± 0,05 1,358 ± 0,003

20 ± 0,05 2,996 ± 0,006

30 ± 0,05 4,288 ± 0,008

40 ± 0,05 5,820 ± 0,002

50 ± 0,05 7,16 ± 0,01

60 ± 0,05 8,61 ± 0,01

70 ± 0,05 10,01 ± 0,02

80 ± 0,05 11,46 ± 0,02

Gráfico 1
Com a análise gráfica, obtivemos o coeficiente angular com o valor de:
B = 14,289 ± 0,1073477
2
Utilizando a relação B = (M * G)/2ℼ (M r2 + I ) , calculou-se o momento de inércia I, de tal
forma que:
I = 0,01282 ± 0,00011 Kg.m2
OBS: Para calcular o erro do momento de inércia, utilizou-se a relação:
2
I Δ = ΔM * (G/2ℼ2 B) + ΔB(M g)/2B 2 ℼ + ΔM r2 + Δr2M r

3-Determinação do momento de inércia usando a velocidade angular de precessão:


Para encontrar o momento de inércia usando a velocidade angular de rotação o
disco foi rotacionado com uma alta velocidade de rotação e foi adicionada em seu eixo uma
massa suspensa de aproximadamente 150g, dessa forma usando o mesmo contador do
procedimento 2 mediu-se o período de rotação do disco (T). Em seguida o com o disco
girando o giroscópio foi solto de sua posição de equilíbrio, assim produzindo um movimento
de precessão e com um cronômetro foi medido o 1/4 do período de precessão do giroscópio
(Tp). O procedimento foi repetido aumentando a massa suspenso de 50g a 50g até chegar
a aproximadamente 450g.
Com esses dados foi usado a seguinte relação para encontrar o momento de inércia:
(1/T ) * (1/T p) = (gLm)/4ℼ2 I
Onde g é a aceleração da gravidade, L é a distância do eixo de rotação até o centro
do disco e m é a massa suspensa. Com isso para encontrar o momento de inércia foi feito
um gráfico do produto do inverso do período de rotação do disco entre o inverso do período
de precessão do giroscópio em função da massa suspensa e fazendo uma regressão linear
do gráfico o coeficiente angular da reta (A) será igual a seguinte relação:

Tabela 4 – Massa suspensa, período e período de precessão.


Massa suspensa (g) Inverso do período de Inverso do período de
rotação ( precessão (

166, 53 ± 0,01 5,34 ± 0,03 0,22 ± 0,00005

228,78 ± 0,01 4,70 ± 0,02 0,42 ± 0,0002

291,84 ± 0,01 7,14 ± 0,05 0,21 ± 0,00004

359,40 ± 0,01 6,99 ± 0,05 0,27 ± 0,00007

417,10 ± 0,01 7,84 ± 0,06 0,23 ± 0,00005

466,80 ± 0,01 5,90 ± 0,03 0,40 ± 0,0002

4- Atrito nos eixos:


O aparecimento do atrito em qualquer experimento pode ser reduzido até ser
desprezado, porém quando o seu valor é característico não pode ser desprezado, sendo
assim o efeito dos atrito nos eixos Z pode interferir no movimento de nutação alterando a
amplitude do movimento, no eixo X pode interferir no movimento de precessão podendo até
aparecer nutação, já a força atrito no eixo Y pode ser benéfico pois pode ajudar a equilibrar
o giroscópio.

5- Gráfico afetado pelo efeito do atrito:


Colocando o atrito para satisfazer a conservação de energia:
mgh = 1/2 Iω2 + 1/2 mv 2 + (trabalho atrito)
A força atrito nos rolamentos do disco fará com que a inclinação da reta do gráfico
2
1/T versus h seja menor do que desprezando o atrito.
Gráfico 2 – Inverso do produto T.Tp x Massa suspensa

Com a análise gráfica, obtivemos o coeficiente angular com o valor de:


A = 0,0026799 ± 0,001179816
Utilizando a relação A = (g * L)/4ℼ2 I , calculou-se o momento de inércia I, de tal forma que:
I = 20,84156218 ± 18,397 g.m2 = 0,0208 ± 0,0184 K g * m2

OBS: Para calcular o erro do momento de inércia, utilizou-se a relação:

ΔI = (ΔLg /4Aℼ2 ) + ΔA2gL/4ℼ2 A2


Conclusão:
Com a observação do grupo pode notar que quando uma força aplicada em uma
extremidade com direção e sentido num eixo cartesiano(X ou Z), surge um vetor torque com
direção e sentido oposto da força aplicada. E como era de se esperar o vetor momento
angular terá a mesma direção do torque, porém com sentido oposto do torque. Também
com o efeito do torque aplicado o momento angular não será conservado

Com os valores do momento de inércia pré-estabelecidos podemos compará-los:


I1=(0,0281290 ± 0,0004431)Kg.m2
I2=(0,01282 ± 0,00011)Kg.m2
I3=(0,0208 ± 0,0184)Kg.m2
Assim os valores medidos (I1,I2)estão de acordo com o valor calculado(I3) com os
devidos erros considerados, com diferença percentual de:
I1//I3= 0,35 ± 0,98
I2/I3= 0,38 ± 0,99

porém não levando em conta os erros, podemos observamos que I1 foi maior que I3 , o
mesmo para I2 que é menor que I3 . Concluímos que o efeito de dois discos no giroscópio
ocasionou essa diferença, pois pode ter ocorrido que o segundo disco pode ter se afastado
na realização do experimento criando um torque adicional com o deslocamento do segundo
disco.
Os gráficos cortam a origem assim como sugere o roteiro.

Você também pode gostar