Você está na página 1de 64

INTRODUÇÃO

Neste livro queremos mostrar o que rola por trás das duas
máscaras do T.GANG, coisas que nós gostamos de fazer,
nossas inspirações, algumas histórias que vivemos em
nossas vidas e até nosso ponto de vista sobre alguns
assuntos.
Criamos este livro para esclarecer muitas coisas que
sabemos que quem nos ouve acaba tendo curiosidade,
esperamos que com isto algumas perguntas sejam
respondidas, nós nunca nos vimos como ídolos por mais que
algumas pessoas já tenham nos chamado assim, nós apenas
queremos mostrar que não somos diferentes de quem nos
ouve, não somos especiais ou artistas, apenas somos como o
porta-voz daquele que sofre, daquele que se revoltou com o
mundo, do abusado que não pôde se defender, do humilhado
na infância, do depressivo que não enxerga mais sentido na
vida, de seus piores pensamentos, do seu lado mais sincero e
obscuro.
Este livro é dedicado a todos que nos apoiaram até aqui e
que nos ouvem, sem vocês não seríamos absolutamente
nada, estamos muito felizes de estar tendo a chance de falar
um pouco mais sobre nós.
INSPIRAÇÕES

MEPHZ:
Muita gente nos pergunta o que nos inspira para fazermos nossas letras, bom acho
que rola uma mistura enorme para que tenhamos inspirações, usamos nossos
sentimentos mais sinceros, dores que sentimos, coisas que já passamos também e
claro que usamos outras formas também como por exemplo, filmes de horror,
documentários que falam sobre assassinatos, serial killers ou até mesmo o
sobrenatural.

A gente tenta se colocar no lugar de um serial killer, de um necrófilo, tenta entrar


na mente de alguém que faz algo assim e tentar escrever como se fosse o próprio,
não nos limitamos, não nos censuramos e nem temos receio do que cantamos, pelo
contrário, a gente prefere assim mesmo, gostamos de incomodar pois afinal não é
nosso intuito que T.E.R.R.O.R. GANG se torne algo fácil e aceitável de ouvir, este é o
caminho mais rápido para que se torne moda.

Usamos alguns acontecimentos e sentimentos como no som ESCROTIDÃO do álbum


QUEM NÓS SOMOS, nele nós lembramos do que passamos com as feministas, em
como a gente gosta de ser asqueroso nas letras e também queríamos falar da
variedade de nosso público, que é algo que admiro muito, não é como um público de
uma banda de metal por exemplo aonde terão pessoas que muitas vezes só ouvem
aquele segmento, não é um público do rap que também possa só consumir as
vertentes do rap, nós temos um público que ouve punk rock, grindcore, hardcore,
gangsta rap, black metal, death metal, industrial e até mesmo o gótico, dentre os
estilos citados o que mais me sinto honrado é ter o público do black metal pois sei
que muitas vezes é um público exigente em quesito musical, seja de qualidade ou
produção, posso até estar falando besteiras, mas me baseio pelas pessoas do meio
que conheci, e também pelo fato de muitas delas nem ouvirem rap mas ouvem nosso
som.
Desenho de Felipe Moriel

É como se a gente abrisse a mente de muitos para um jeito diferente de fazer música,
claro que não me sinto alguém inovador ou que veja o T.E.R.R.O.R GANG como uma
dupla fodalhaça, sei muito bem que não somos nada perto de muitos ae só que
mesmo assim me sinto muito feliz com o que já alcançamos e o tamanho de nosso
público também, bom mas continuando sobre as inspirações, na música À SETE
PALMOS DO AMOR que faz parte também do QUEM NÓS SOMOS, eu e o KRRASKO
tentamos analisar como é o sentimento de um coveiro ou necrófilo perante à um
cadáver violado, para muitos pode ser apenas uma música satirizando um love song
mas se você analisar o tipo de pensamento de alguém que faz isso no cotidiano vai
ver que pode ser que seja desta forma que ele veja as coisas, que se sinta realmente
apaixonado, que tenha um amor que nunca teve por alguém que é vivo, é muito fácil
as pessoas julgarem as que são vistas como doentes ou excluídas, pois elas muitas
vezes tem sucesso, amor e carinho em suas vidas mas esquecem que nem sempre é
assim para os outros, e isto é o nosso som, tentar relatar o que muitas vezes as
pessoas que fazem barbaridades e assassinatos pensam mas que quase ninguém se
preocupa em analisar, muitos culpam a pessoa por isso ou aquilo só que nem sempre
vão tentar ver se no passado aquela pessoa foi abusada, humilhada ou não teve
contato com o que é chamado de amor.

Quanto aos sentimentos do passado, eu era um moleque gordinho e cheio de


espinhas que gaguejava quando uma menina se aproximava, era humilhado por
muitas inclusive tinha uma que usava uma tesoura pra cortar meu cabelo e cuspia
em mim, me chutava, como eu era muito tímido não conseguia me defender, o mais
engraçado é que com os moleques eu era totalmente inverso, batia sem dó se me
zoasse (haha), eu era o que sentava na frente e ficava desenhando quase a aula toda,
chegava em casa e ficava no quarto ouvindo ópera e lendo quadrinhos e vi que
quando você se isola, aprende a analisar melhor o comportamento da maioria, eu via
o quanto eram vazias as pessoas que necessitavam de atenção, de alguma aprovação
dos demais, que no fundo eram pessoas vazias e que afinal era melhor eu ficar
sozinho mesmo.

O que me inspira também é quando ouço algumas notícias na RÁDIO CBN ou


quando assisto algum jornal sensacionalista, pego os sensacionalistas porque parece
que eles são especialistas em mortes bizarras, atrocidades e gore !(hahaha) Já a
RÁDIO CBN eu gosto muito de ouvir pela manhã indo pro trabalho, como tenho um
cotidiano muito corrido e gosto de estar sempre atualizado, ouço ela pra me
informar ao máximo do que tá pegando no mundão e também por fazer parte de um
ritual meu que chamo das 3 coisas aprendidas, é uma parada que criei pra mim
mesmo já faz uns anos, sigo isto diariamente e funciona da seguinte forma, todo dia
devo aprender ao menos 3 coisas novas, seja conversando com alguém, vendo um
filme, a tv, ouvindo algo e se sinto que não absorvi nada durante o dia, quando
chego da faculdade eu procuro pesquisar algo na internet, não gosto de usá-la
apenas pra redes sociais e tal, tento tirar o máximo de conhecimento, eu acho que é
um ótimo exercício pra minha mente, sempre buscando evolução e um maior
intelecto, recomendo pra qualquer pessoa que busca ser mais flexível em conversas
e assuntos, criar algo assim que se torne hábito, hoje em dia já é comum isto pra
mim, dentro deste ritual eu acabo tirando muitas idéias para letras também, como
uma noite estava lendo sobre o tabuleiro OUIJA , suas regras de uso e maldições e vi
que poderíamos escrever algo em cima disto, daí surgiu a música que é encontrada
no álbum BANHO DE SANGUE.

Algo que quase ia me esquecendo é que até na pornografia encontro inspiração,


direto e reto quando estou no meu rito diário de entrar no XUXAVIDEOS (
xvideos.com), me pego pensando em uma letra que poderia fazer quando vejo
alguma cena, eu tenho a mania que acho que muitos caras devem ter e acho até
engraçado que é sempre a mesma coisa, que é abrir várias abas, deixar carregar um
monte de vídeo e tentar só gozar vendo o melhor vídeo e direto eu seguro pra não
dar uma leitada porque imagino que na outra aba possa ter um vídeo mais maneiro
que o que estou vendo e muitas vezes acabo fechando todas abas e me masturbando
com um vídeo ou foto que já tenho salvo no meu pc mesmo. ( hahahaha)

KRRASKO:
O MEPHYZTO já falou grande parte do que usamos para nos inspirarmos mas vou
falar sobre como eu particularmente me inspiro, gosto de ler muito sobre seitas,
rituais secretos, leio muito Charles Bukowski, inclusive tem uma frase que me
inspirou pra que eu tivesse a idéia para a letra da música chamada O MONSTRO que
tá no álbum QUEM NÓS SOMOS, é mais ou menos assim:
"Me sinto bem em não participar de nada. Me alegra não estar apaixonado e não
estar de bem com o mundo. Gosto de me sentir estranho a tudo..."

- Charles Bukowski.

Quando li isto veio na hora em minha mente que deveria fazer algo mais pessoal,
falando em como vejo o mundo e tudo ao redor, gosto demais do filósofo Friedrich
W. Nietzsche, meu livro preferido dele é o ASSIM FALOU ZARATRUSTA, aonde
também tem a frase que nunca esqueço que é "GOTT IST TOT " que traduzindo do
alemão é "DEUS ESTÁ MORTO".

Assim como o MEPHYZTO, também me inspiro em filmes e notícias, inclusive o


filme UM DIA DE FÚRIA foi o que me inspirou pra escrever a letra do HUMILHADO
EM BUSCA DE VINGANÇA que está no álbum O INFERNO ESTÁ NO COMANDO,
quando terminei de ver tudo logo veio na cabeça uma letra e pensei "porra imagina
que foda se vingar daquele patrão que sempre me zoou?", ae fui escrevendo
frenético e gravei no outro dia.

Tento usar ao máximo os sentimentos mais verdadeiros que habitam em mim,


transformar minhas dores e decepções em letras, escrevendo é como se eu
encontrasse minha liberdade saca? Fazer esse tipo de som me ajuda de uma forma
inacreditável e também acabo ocupando minha mente de uma outra forma, como
muitos devem já ter percebido eu sou mais ignorante e bruto quando escrevo as
músicas, diferente do caveira que acaba sendo irônico e gosta de usar um humor-
negro, às vezes acabo entrando na onda e fazendo a parada dessa forma também, é
divertido isso, não colocamos limites um no outro e nem falamos como cada um deve
fazer.

Me inspiro muito ouvindo DSBM ( Depressive Suicidal Black Metal), quando coloco
o fone e deito na cama já era, vem várias coisas na cabeça e acho que é ouvindo este
estilo que fico de frente realmente comigo mesmo, me faz avaliar tudo que faço,
como vejo e o que realmente sinto.
A NOSSA VISÃO DO
MUNDO

MEPHZ:
Eu sempre gostei muito de avaliar como a sociedade está se comportando, e claro
que cada vez mais me decepciono com isso tudo, parece não haver um real sentido
em viver, confesso que uma das únicas coisas que me motiva a continuar é o T.GANG
por ser algo que sei que faz bem não só à mim mas à muitos que nos ouvem também,
isso me deixa super feliz.

Sei lá, eu vejo pessoas almejando um carro, ter grana pra cacete, transar com o
máximo que puder, ter roupas caras e aquele desejo mesquinho de sempre se
preocupar se está agradando quem os vê, acho que esse é um erro fatal, as pessoas se
preocuparem demais com o que pensam delas e é isto que as tornam escravas de
falsas felicidades, em redes sociais sempre vejo vidas "maquiadas", tudo muito
bonito, uma galera que muitas vezes não tem uma grana alta pra gastar em tal coisa
só que a necessidade é tão grande de fazer parte de uma tendência que gastam até o
que não podem pra ter aquilo, tirarem foto e ganharem curtidas, este é o grande
jogo da parada.

Sempre leio notícias de ricos se suicidando, fazendo merdas em suas vidas, no final
muitos enxergam que a grana num é o que vai te fazer melhor que os outros, de que
adianta nego ter o maior cash quando não têm amigos de verdade e é casado com
uma vadia sanguessuga que não nutre nem um pingo de sentimento por ele?

Vejo que é como se fosse uma imensa conexão de várias coisas, as pessoas ficam mais
acéfalas e conformadas graças ao conteúdo da tv, do comportamento que têm nas
redes sociais e apps, sempre que saio vejo vários grupos de pessoas nos locais que ao
invés de curtirem a realidade e o cenário, estão preocupadas em tirar fotos legais,
sorrindo mesmo que não queira sorrir, estão em seus celulares conversando com
outros ao invés de valorizarem seus amigos e companhias.

Viramos um enorme gado, as pessoas não ligam pra busca de conhecimento, não
querem ser auto-didatas, parece que quanto mais se avança a tecnologia mais se
regride o ser humano. Tornando-nos cada vez mais folgados e preguiçosos, tipo
quando a pessoa tem um carro e qualquer lugar que vai tem que ser com ele, mesmo
que a pé seja rápido de chegar.
Desenho de Espasmo Skatepunx

Coisas simples mesmo que são abandonadas, como se ler um livro num transporte
público ao invés de ficar fechado numa porra de um celular, crianças pedirem
brinquedos de natal ao invés de pedirem um tablet ou IPHONE....

Aqui em SÃO PAULO mesmo eu observo muitas pessoas que curtem beber e sair com
amigos pra isso, mas que só saem se for na RUA AUGUSTA, AV. PAULISTA, como se
só nestes locais houvessem bebidas e diversão, e o mais engraçado que a mesma
cerveja que esta pessoa pagaria bem mais barata em seu bairro, ela prefere ir até a
AUGUSTA pra beber. Posso ser chato, ou parecer mente fechada mas simplesmente
não entendo isto.

Tantos locais aqui na minha cidade e estas pessoas só sabem ir para os mesmos, ae
você vê que não passa de um desejo de estar sendo visto em tal localidade, muito
neguinho só porque é tatuadinho, tem alargador e tal, acha que só lá é da hora
porque tem pessoas iguais à ele lá... haha que ironia, num era o mesmo que fazia
tatuagens e alargadores alegando querer ser diferente?

O mais estranho é que se você não faz parte destas tendências, nego te zoa como se
você fosse um neanderthal, você parece que não pode ter sua própria escolha e
vontade, se você num tem FACEBOOK ou WHATSAPP é como se fosse um pecado, as
pessoas só faltam fazer um pra você.

Parece que se não tiver isso você não faz parte da sociedade, se não gosta de tirar
fotos é visto como anti-social, chato e tudo mais, mas porra qual a necessidade de
todo rolê que você faz ter que tirar uma merda duma foto pra postar pros outros
aonde a pessoa tá e o que que tá fazendo?

Se tornaram um bando de escravos destas coisas, sinto pena de ver que a maioria
não sabe ter uma personalidade própria, é como se tivesse que ler um manual de
como alguém deve agir e se comportar ou vestir para que esteja tudo bem.

Se você me perguntar se eu possuo algum medo nesta vida, tenho e te respondo qual
é: REENCARNAÇÃO! Isso sim é meu maior medo, não ligo para a morte ou em como
posso morrer, mas sim em voltar pra essa merda de lugar, não dando uma de "ain,
não faço parte deste planeta", mas é que simplesmente não enxergo sentido algum
nisto tudo, você vive se matando atrás de dinheiro, paga caro em coisas que a
própria natureza lhe fornece, tem um tempo tão inexistente que até esquece de
admirar uma paisagem ou ao menos observar as coisas simples e poder se encantar
com algo, a vida é uma puta barata chamada Expectativa que obviamente seria a
parideira de uma filha chamada Decepção...

Como não possuo religião mas leio a respeito de várias então acredito em várias
teorias e outras acho que pode até ser válido, mas se existir mesmo esta parada de
reencarnação eu quero muito que eu venha na próxima vida como uma
TARTARUGA MARION, pois aí eu poderia viver mais de 100 anos sossegado sem me
preocupar com coisas imbecis e fúteis, não veria falsidades, necessidade de atenção,
ignorância e individualismo por exemplo, ou melhor poderia ser a TURRITOPSIS
NUTRICULA que é uma água-viva que é considerada como "imortal" pelo fato de ser
o único ser vivo capaz de regredir para seu estágio imaturo e recomeçar tudo de
novo, eu ficaria dando RESET eternamente. (hahaha)

Falando na visão de céu e inferno, até hoje não consigo encontrar uma resposta
sobre isto, e acho melhor assim, odeio o pensamento de se achar com razão, sendo
que não tenho nem como provar o fato de que é verdadeiro e que realmente é isto
em que devemos acreditar, pelo contrário, acho que não devemos nos prender em
uma só teoria e termos a mente aberta para novas possibilidades, mas se caso exista
tal lugar como o inferno, na minha mente é um local frio e quente ao mesmo tempo,
depende da onde você anda, mais ou menos como no livro A DIVINA COMÉDIA de
DANTE ALIGHIERI, aonde temos o RIO COCITOS, um rio feito de gelo com as
cabeças das pessoas na superfície implorando por socorro, já em outros locais se
encontram as chamas...
Quanto a idéia de paraíso, prefiro acreditar no SHAMBALLA, o paraíso do budismo
tibetano aonde se encontra escondido entres as montanhas do HIMALAIA, aonde se
encontra um cenário maravilhoso e calmo, um enorme verde único, paz realmente
atingida, este paraíso é citado também no livro HORIZONTE PERDIDO do escritor
JAMES HILTON, lá ele o chama de SHANGRI-LA. Mas uma vez também já imaginei o
paraíso e o inferno como algo que nós mesmos criamos, por exemplo, você é um
cristão que sempre imaginou o céu e que nele se encontra JESUS CRISTO, anjos
tocando harpas e tudo mais, você acredita tão fortemente, que quando morre, sua
mente cria tudo isto, como uma espécie de paraíso perfeito, já se o cara acredita em
um céu aonde é apenas um local calmo, parecido com a TERRA, mas sem a presença
da maldade, assim será. Sei lá, gosto de imaginar diversas possibilidades, também já
li num livro espírita senão me engano, que quando morremos, nem temos idéia
disto, continuamos a "viver", só que, se a pessoa foi boa enquanto estava viva, tudo a
partir daquele momento, começa a ser maravilhoso, todos sonhos que ela tinha são
realizados, sorte em praticamente tudo, já se foi ruim, coisas horríveis acontecem e
nada dá certo, sofrimento diário, achei interessante esta teoria também.

Eu já fui batizado, já fiz comunhão quando era católico, isso foi até meus 14 anos,
depois disto eu comecei a ver que haviam muitas perguntas que o próprio
cristianismo não me respondia, ou pelo menos nunca encontrei, fui conhecendo
pessoas que eram mais pecadoras e hipócritas do que muitas que não tinham
nenhuma crença religiosa, comecei a ler vários livros de filosofia e neles me
distanciei da religião, vi que não necessitava daquilo e que também no fundo, não
estava feliz dentro daquela ideologia, resolvi me libertar e para finalizar aqui, vou
deixar um pensamento de EPICURO que me fez pensar por horas, que é assim:

"Se Deus é omnipotente, omnisciente e benevolente. Então o mal não poderia


continuar existindo.
Se for omnipotente e omnisciente, então tem conhecimento de todo o mal e poder para
acabar com ele, ainda assim não o faz. Então Ele não é bom.
Se for omnipotente e benevolente, então tem poder para extingir o mal e quer fazê-lo,
pois é bom. Mas não o faz, pois não sabe quanto mal existe, e onde o mal está. Então
Ele não é omnisciente.
Se for omnisciente e bom, então sabe de todo o mal que existe e quer mudá-lo. Mas isso
elimina a possibilidade de ser omnipotente, pois se o fosse erradicava o mal.
E se Ele não for omnipotente, omnisciente e bom, então porquê chama-lo de Deus?"
- Epicuro.
Desenho de Pedro Humpreys (Baconphilia)

KRRASKO:
Bom, eu realmente já não enxergo mais salvação nessa merda de humanidade, fico
me perguntando qual é o sentido disso tudo todos o dias praticamente, se não fosse o
T.E.R.R.O.R. GANG ocupar minha mente eu já teria me matado com certeza, não
consigo confiar em mulheres, não vejo mais irmandade nas pessoas eu me isolo
totalmente, meus amigos são meus livros, pensamentos e música apenas, tenho
vontade de me mudar prum local totalmente desabitado tipo Alaska, ficar numa
floresta na África ou qualquer local que não haja tecnologias ou muitas pessoas,
quanto mais pessoas mais merda tem, muitos me questionam porque não uso celular
ou redes sociais, não uso simplesmente por ver um monte de mentes atrasadas se
preocupando com coisas fúteis e se tornando cada vez mais uns zumbis, prefiro
muito mais a realidade, o contato de verdade, sou feliz deste modo não preciso fazer
parte disto pra me sentir fazendo parte de alguma sociedade, aliás até prefiro ser
visto fora dela.
Em TATUÍ, a cidade que eu moro, não tem muita coisa e isso até me faz me sentir
bem, tô longe de várias coisas e consigo me concentrar melhor no que planejo fazer,
gosto de ficar escrevendo, ouvindo um som, vendo a natureza e já era.

Vejo vários pagando de crentes e tal mas no seu dia-a-dia são mais pecadores do que
os que se dizem ateus ou sem alguma religião específica, me pergunto como pode
seres humanos serem tão cínicos e enganarem a si mesmo, o mesmo cara que tá lá
pregando amor ao próximo e tudo mais prega também ódio ao homossexual,
prostitutas e aqueles que não creêm no que ele acredita, mas porra?! Se o Deus dele
deu o livre arbítrio por que se você não acredita no mesmo deve ser punido indo pro
inferno?

Coisas como esta que me fazem ver que não passam de formas de manipularem a
massa, se não existissem religiões nem haveriam guerras por exemplo, como
cruzadas, Palestina vs. Israel, nazistas perseguindo judeus e por aí vai....

As pessoas não acreditam nelas mesmas, a real é que precisam buscar algo para se
apoiarem ou pedirem pois não conseguem encarar o baque sozinhas, o mais
engraçado é que se fazem algo errado a culpa é do Diabo, uns dizem até serem
possuídos, e o mais irônico ainda é que você nunca vê alguém que alegue possessão
que não seja cristão, ou seja, será que você ser de outra religião ou não ser nada
deixa seu corpo fechado ?

O que mais temo não é a morte, isso daí num tem porque temer pois quero sair logo
daqui, mas o que eu temo mesmo é a reencarnação, isso eu não quero nem a pau,
voltar pra essa merda aqui? Tô fora! Na minha mente, quando morremos
simplesmente viramos uma energia pura, como se nosso corpo fosse uma prisão na
realidade e que quando atingimos o momento da morte, a energia que está presa se
liberta e você finalmente adquiri o poder total sobre o que quer fazer, seja voar, ler
mentes, teleportar, atravessar qualquer coisa, aí claro que tem o lado de quem faz
coisas erradas e maldades, o que eles virariam?
Eu imagino que você paga todas suas dívidas aqui mesmo, ou talvez em outras vidas,
daí que vêm as pessoas que nascem com deficiência física, nascem em locais de
extrema pobreza...num sei, são teorias misturadas na minha mente, porque também
tem aquele negócio, se "aqui se faz, aqui se paga" então por que haveria o inferno e o
céu se já se resolve tudo em vida mesmo? Coisas assim prefiro nem ficar pensando
muito ou ficarei mais louco ainda, espero que quando falecer eu obtenha todas as
respostas, só não quero que vire um preto total e que não haja mais nada além
daqui, não busco céu, não é isso, apenas liberdade, ter um sossego real, ficar longe
dessa merda toda, me isolar e ficar distante de tudo isso daqui.
AMOR,
COMPROMISSOS E
DESAPEGO

MEPHZ:
Agora vem o assunto que as pessoas mais me questionam, como agimos em relação
ao amor, compromissos e tudo mais, pra que tudo fique mais fácil vamos voltar ao
passado aonde eu era um cara timidão, gordo pacas, cheio de espinhas que tremia e
gaguejava quando se aproximava uma menina, nessa época eu era constantemente
zoado e humilhado e por garotas como já havia citado e isso me fazia acreditar que
talvez jamais alguma garota poderia se interessar por mim, fiz até um juramento à
mim mesmo que só daria meu primeiro beijo quando realmente eu soubesse que a
pessoa me amasse e que fosse um sentimento recíproco.

Meu primeiro amor ou sei lá se posso chamar assim, foi uma menina que eu
observava sempre no intervalo da escola quando eu tinha uns 16 anos, mas ficava
pensando como eu poderia chegar até ela até que um dia estava eu na quadra de
basquete sentado no canto fazendo um desenho e de repente alguém elogiou o que
eu estava fazendo, quando olhei pra cima quem era? A própria! Nossa! Aí eu tremi,
gaguejei e agradeci como se fosse um retardado mental, depois disto eu sempre
tentava passar na frente dela para que pelo menos um "oi" eu ouvisse dela e só isso já
me deixava feliz, até que chegou uma hora que pensei que deveria tomar algum tipo
de atitude e ela tinha que saber que eu estava interessado nela, mas como? Bom,
como um bom stalker eu a segui na saída da escola e descobri aonde ela morava, fiz o
seguinte, peguei o número da casa dela e endereço e liguei pro DISK INFORMAÇÕES
e descobri o telefone da casa dela usando o endereço, depois disso eu ligava e quando
ela atendia eu desligava porque não sabia o que dizer né?

Desenho de Kaleo Goregrind


Bom, eu resolvi apelar pruma parada bem bregona mesmo que era mandar uma
TELEMENSAGEM (hahahaha), quem diria hein? Logo o MEPHZ, todo romantizinho!
Continuando, eu mandei a telemensagem e pedi para que não me identificasse pra
ela, a pessoa do serviço me retornou e falou que ela se emocionou e que exigia saber
quem era o tal admirador secreto dela, eu respondi apenas que uma hora me
revelaria para ela.

Passaram-se meses e eu nada de me revelar, não sabia como falar isso pra garota até
que pensei em dar um presente de natal à ela e aí sim eu daria a investida de uma
vez, eu mesmo me coloquei este desafio, chega né? Tava mais que na hora de criar
coragem, pois bem, chegou a véspera e fui até a casa dela levando um presentinho
bem simples aí toquei a campainha e uma senhora atendeu, quase nem me ouvia
direito, pedi pra chamar a CAMILA, já suando e tremendo (hahaha) e ela me
respondeu que já não morava nenhuma pessoa com esse nome, que ela havia se
mudado..... aí minha casa caiu né meus amigos?!

Me senti um merda por não ter tomado uma atitude antes, chorei pacas depois com
isso, me doía de verdade e foi neste momento que eu entendi o que era amar alguém
e o pior que aprendi da forma mais dolorosa, passou isso eu resolvi que amar era
para outros não pra mim.

Com 18 anos, lá estava eu no meio do movimento PUNK, tinha uma gangzinha e


havia uma garota que eu tinha a maior afinidade só que claro, como eu me
subestimava jamais que ia imaginar que uma hora ela ficaria afim de mim, ainda
mais por ela ser considerada a mais bonita do nosso grupo, como nos tornamos
muito próximos ela já sabia que eu nunca tinha beijado e só beijaria quando alguém
me amasse e toda aquela novela e um certo dia estava na casa dela, estávamos
assistindo televisão e ele se virou do nada para mim e soltou um

"eu te amo"...Pronto! Estava desacreditando da cena e ela já estava se aproximando


do meu rosto quando vieram zilhões de pensamentos me perguntando como era
beijar, desesperado apenas coloquei na minha cabeça que era só imitar ela e já era,
que se dane!

Depois do primeiro beijo, ela me solta um "AHH NUM ACREDITO?!" Aí já imaginei


que tinha dado o pior beijo do século, já estava me imaginando recebendo o PRÊMIO
NOBEL de pior beijo da história mas não, ela vai e fala que eu beijava muito bem e
que não era possível que eu nunca havia beijado, me senti até aliviado com isto tipo
MISSION COMPLETE aparecendo na telinha do game no final da fase.

O tempo se passou e começamos a namorar, perdi minha virgindade que inclusive a


minha primeira vez foi tão rápida que eu achei que sexo era uma merda, me senti
traído por todos filmes pornôs que havia assistido, fiquei pensando "porra, sexo é
isso? Dois minutos e já era?"

Claro que eu fui melhorando o desempenho e vendo que estava errado, aí já era né?
Desembestei de vez e queria trepar toda hora que nem louco, também num era pra
menos, tantos anos no celibato e defendendo a virgindade que quando subi de level
queria mais e mais, com o tempo foram vindo as coisas chatas de ter um
relacionamento, brigas e desconfianças, era um cara totalmente submisso e aceitava
tudo que ela falava, eu tinha medo de perder ela e não ter mais chance de beijar
alguém, era um tremendo de um imbecil.

Quando iriam fazer quase dois anos e meio, abri meus olhos e vi que não valia a pena
eu me rebaixar daquela maneira e que devia buscar o que era melhor para mim, mas
quase ia me esquecendo do detalhe mais irônico da minha vida né? Ela era
FEMINISTA!!! Sim, isto mesmo que você leu meu amigo ou amiga, não está lendo
errado ( haha), quem diria né? Meu primeiro beijo foi com uma delas, logo eu que
sou tão odiado por elas hoje....
Com esta ideologia eu sofri pra valer, tudo era machismo, tudo era o homem
querendo ser dominante e eu fazia o máximo para agradá-la e tentava ser o cara
perfeito, mesmo assim parecia que sempre havia alguma coisa para implicar, até que
um dia ela veio falando que precisava confessar algo, falou que havia beijado outro
cara e que estava se sentindo mal, foi neste momento que apunhalei meu coração e
falei que estaria tudo terminado, cansei de ser o panaca que sofria pra agradar, me
calava com medo de causar o término enquanto a belezoca tava lá beijando outros.

Nos primeiros dias eu me sentia num inferno mental, passei quase um mês na
depressão chorando no quarto trancado, saí do movimento PUNK porque já tinha
visto que os caras só queriam mesmo era chapar e brigar, não tinha merda de luta
alguma naquele meio que eu andava e no fundo também não me sentia fazendo parte
daquilo.

Como direto eu vivia pelo centro da cidade, resolvi conhecer como eram os puteiros,
como funcionava este ambiente que até então para mim era um mistério e comecei
pela rua mais cogitada claro a RUA AUGUSTA, entrei e sentei num sofá, estava
rolando um som alto e fiquei observando vários caras falando com as garotas, fiquei
pensando em diversas coisas como por exemplo do que eu tinha que falar, como
tratar e como se comportar, chegou uma delas e me perguntou como eu estava, à
partir daí eu meti um FODA-SE e comecei a conversar com ela como se fosse alguém
super seguro com mulheres e com a auto-estima lá no alto e de repente vi que estava
conseguindo me sair bem, aquilo começou a virar um ritual meu pois não gostava e
não me sentia bem falando com outro tipo de mulher senão uma garota de
programa, eu as respeitava demais pelo tipo de vida que levavam, pelo
conhecimento que elas tinham sobre as ruas e sobrevivência, não eram aquelas
menininhas que eu via por aí que tem tudo na vida e só sabem reclamar ou não
sabem se virar sozinhas.

Via também que muito cara que frequentava estes locais muitas das vezes nem
queria sexo, só buscava uma companhia e eu era este cara, com o tempo eu fui
criando até umas amizades interessantes com várias, conhecia praticamente todos
puteiros do centro da cidade, seja na AUGUSTA, LIBERDADE, SÉ...

Passei praticamente cinco anos da minha vida só andando com prostitutas, tinha
amigos travestis também e não tenho vergonha de falar, não ligo pro que possam
pensar, com travestis eu também aprendi muito sobre como se virar sozinho na
madrugada. Já vi muito cara querendo passar zoando de dentro dos carros e os
travestis unidos atacando pedras e tijolos nos carros, eu via muita união e
sinceridade ali e me sentia confortável com esses tipos de pessoas.

Prostitutas me impressionavam muitas das vezes com o tamanho de seus intelectos,


tinha aquela que fazia faculdade de direito, outra que já havia viajado pela EUROPA
e que falava outros idiomas. Com elas aprendi como funcionava o jogo, como
homens eram manipulados, como elas os enganavam e tiravam proveito e também o
que gostavam que faziam com elas, aprendi até a fazer um sexo oral do jeito que elas
gostam (rá garoto!) e preferem e depois de um tempo acabei namorando novamente,
aprendi muita coisa neste segundo namoro também, mas o tempo passou e o amor
foi sumindo, quando senti que já estava me sentindo atraído por outras pessoas e
estava perdendo o tesão na minha parceira vi que era a hora de terminar, posso ser
um cara cafajeste, canalhão e desapegado mas no quesito compromisso, se eu
assumo eu sou regrado, nunca traí ninguém mas também não busco julgar quem
faça, cada um vê o mundo de uma maneira afinal.

Depois do segundo namoro eu desencanei total de compromissos e acabei tendo


relacionamentos casuais mesmo, hoje em dia vejo o quanto é difícil confiar em
alguém e se entregar, não almejo casamento nem filhos e se eu morrer sozinho não
vou morrer triste, acho que a felicidade está em mim mesmo não preciso de um
outro alguém para me sentir bem, quando as pessoas entregam a felicidade delas à
outras pessoas, quando elas se vão levam sua felicidade junto com elas e já era.

De 2013 pra cá eu me envolvia com diversas garotas, muitas mesmo. Não vou mentir
que já saí com algumas fãs do T.E.R.R.O.R. GANG, aliás acho que na real mesmo a
maioria eram elas, o tempo foi se passando e eu percebia que muitas das vezes eu me
encontrava num vazio profundo, transar é muito louco e gostoso mas não é tudo
para mim, posso conviver sem fazer sexo por um bom tempo, mas mesmo assim eu
insistia em continuar saindo e transando com várias, depois que eu gozava vinha
uma depressão enorme em mim, olhava ao redor, olhava pra dentro de mim e me
sentia um merda por enganar à mim mesmo, no fundo eu queria estar em outro
local, fazendo qualquer outra coisa mesmo que fosse sozinho.
Desenho de Mateus Garcia

Neste ano mesmo fui buscando me afastar de tudo isso, avaliei melhor minhas
atitudes e não me arrependo não de ter saído de vários esquemas, prefiro ser sincero
comigo mesmo e estar bem do que fazer algo só pra poder falar pros outros que eu
faço isso também, nem ligo pro que pensam, eu sempre acabo vendo que muitas
destas pessoas seja homem ou mulher que saem e ficam com trocentas pessoas, no
final elas simplesmente se sentem tão sozinhas que não suportam sequer um tempo
apenas com elas mesmas. As pessoas parecem ter medo da solidão, já eu não,
transformo minha solidão em minha escola, é nela que eu busco conhecimento,
estudo e aprendo melhor sobre mim mesmo.

Até no quesito masturbação eu sigo algumas doutrinas, não sei se rola com todos os
homens mas acho que com a maioria deve rolar, depois que eu gozo me sinto mal,
um sentimento ruim e uma sensação de que sexo é uma bosta, é estranho explicar
isto, claro que nem sempre é assim, mas eu fui pesquisar uma vez se era normal
sentir isto e vi que já não era de hoje essa parada, por exemplo pros gregos isto não
passa da SUCCUBUS tentando levar sua energia vital através do sêmen, acredita-se
que ela invade seus sonhos e te seduz até extrair sua energia, muitos magos e
feiticeiros de outras regiões também já escreveram sobre ela, mas não como um
demônio existente já e sim como um demônio que você mesmo cria, algo que lhe
convence de alguma forma de extrair o esperma, parece conversa de louco mas eu já
li diversas teorias sobre, como também as larvas astrais que o possuem e o
convencem de se masturbar e depois que conseguem sua energia lhe abandonam e
você fica como se tivesse sido uma vítima de possessão não entendo o motivo que fez
aquilo, sei lá, para mim faz muito sentido estas coisas, depois que aprendi a lidar
melhor com isto vi que muita coisa mudou em mim, segui até um rito hinduísta pra
me livrar das tais larvas que era atingir um ciclo lunar ( 28 dias) sem me masturbar,
para que limpasse cem por cento meu corpo destas tais larvas e posso falar com
total seriedade que senti mais disposição, mais concentração e até dormia melhor
também.
Inclusive entrei neste período de não me masturbar até terminar o livro para que eu
possa me dedicar ao máximo na escrita e me concentrar melhor também.

Mas claro que tenho uma listinha de desejos que quero realizar no quesito sexo,
quero transar com:

 Boliviana. (com uma bunda maneira, né?)

 Garota albina .( COM ESSA ME CASARIA!!)

 Japonesa que fale apenas japonês e que gemesse que nem nos HENTAI.

 Portadora de síndrome de down.( antes que me julgue, acho que estas


merecem mais carinho e amor do que qualquer outro tipo de pessoa, esta
em especial eu não faria sexo, eu faria amor porque merece o melhor
tratamento.)

 Uma cadeirante. ( pode ser sem pernas, fica melhor ainda!)

 Uma cega. ( pelo menos esta eu sei que já não seria amor à primeira
vista.)

Mas já ia me esquecendo de relatar alguns casos que já vivi também, como por
exemplo uma vez consegui realizar o desejo de transar em um necrotério, fiz isto
com uma gótica legista, numa sala com alguns defuntos mesmo, foi de outro mundo
a parada. Já saí com uma gótica também sinistrona, ela tinha uns 54 anos na época e
eu uns 20, a gente se conheceu numa festinha pegada "balada do Blade", só nego de
preto e sobretudo, nem sei como eu consegui a atenção dela, depois disto me chamou
para visitá-la algum dia na casa dela.

Claro que não podia perder esta aventura, fui até o local, quando entrei na sala dela,
o cenário já começou bem fofo, paredes pretas, velas acesas, uma gaiola com um
morcego dormindo. Esta daí ninguém podia falar que não era GÓTECA, me senti
visitando a FAMÍLIA ADDAMS naquele dia, transamos pacas, depois ela ficou
apaixonadinha, aí já mandei o papo que não tinha como rolar algo sério, não tinha
nada a ver comigo, foi apenas um lance casual, pra variar eu saí como um vilão na
história e nunca mais quis me ver.

Já me meti em várias roubadas também com esses lances de encontros pela internet,
fiquei empolgado com umas fotos de uma menina que estava conversando, já
jogando aquela pokébola pra tentar capturar a criatura né? E acabou que na hora
que fomos nos encontrar, a garota devia ter uns 180kg, sem exagero, mas quem me
conhece bem sabe que prefiro as gordinhas, gordas e até algumas obesas eu encaro,
mas o problema é que ela tinha uma barriga tipo derretida, tampando a famosa
PPK. Bom, como eu já tinha combinado de levar ela até minha casa, aceitei o desafio
e tentei abater a fera, começamos a nos beijar e até aí ia tudo muito bem, mas
quando ela deitou e íamos fazer um PAPAI E MAMÃE, eu me senti meio que nas
alturas e podem não acreditar, mas escorreguei na barriga dela com meu corpo e fui
parar na frente dela, tipo um tobogã de carne imenso, depois daquilo meu parceiro
de guerra não conseguia mais vestir a sua armadura, inventei que era o calor e que
eu não estava me sentindo muito bem, valeu a experiência. (HAHA)
Desenho de Ynara Pollux

KRRASKO:
Nesta parte aqui não tenho muito o que dizer pois sempre fui descrente deste tal
amor aí, não que eu nunca tenha me apaixonado por alguém, já tive este sentimento
dentro de mim mas com o tempo fui vendo que não era pra mim isto.

Desde jovem eu já era meio destacado e na minha, nunca fui de andar com meninas e
nem com muitos amigos, ficava ali no fundão com uma touca na cabeça e não me
importava em fazer novos contatos, nenhuma menina era afim de mim na época que
estudava, quando eu atingi os 17 anos mais ou menos que comecei a sair mais e me
envolver com umas garotas e só com uma delas que eu acabei sentindo algo mais
forte mas num durou muito, a mesma me enganava e nem me amava, a peguei
beijando outro cara na rua.
Se eu sinto vontade de transar eu acabo procurando prostitutas mesmo ou com
algumas garotas da região que tenho uma relação totalmente casual, é transar e já
era num existe nenhum tipo de sentimento, só uma parada carnal mesmo.

É engraçado que quando você se torna uma pessoa que não liga para
relacionamentos ou em conquistar alguém, é como se você observasse tudo que rola
por fora de uma enorme vitrine, eu fico só vendo quanto imbecil e otário fica
bajulando uma menina com intuito de conseguir comer ela e já era, enquanto do
outro lado tem várias que manjam já dessa jogada e simplesmente se fazem de
inocentinhas também e ficam lá sugando os metidos à pegadores, um bando de
escravo de buceta que nunca irão entender que não é se ajoelhando ou curtindo e
comentando fotos dessas meninas com decotinho que vão sair ganhando, e sim
sendo aquele que num dá uma foda pra elas e as trata indiferente, desses aí que
muitas gostam, de cara que trata mal e é grosseiro, não vou generalizar porque tem
casos e casos em todo tipo de situação, mas que vejo muito isso vejo, não adianta
tentar enganar porque no final da história a que a almeja sempre beijar o herói
acaba mesmo é querendo trepar e gozar com o vilão da história isso sim.
COISAS DO PASSADO

MEPHZ:
Talvez este será o capítulo mais longo e completo sobre mim, pois vou tentar
realmente desabafar e esclarecer tudo que já passei e senti e pode ser até que muitos
entendam melhor o motivo de escrever ou ter inspiração para o que faço. Vamos
começar desde a minha origem, para começar eu sou adotado por uma família de
noruegueses que nunca me demonstraram nenhum tipo de preconceito e
discriminação, isto eu devo ser eternamente grato à eles, mas na minha infância, na
época de escola, por eu ter uma tonalidade de pele diferente da de minha mãe,
muitos me zoavam falando que ela não era minha mãe, na minha escola haviam
muitas meninas que me chamavam de macaco ou falavam coisas relacionadas à
minha cor, e só por estes motivos que ficava me indagando sobre minha pele não ser
branca como da minha família, até que aos meus 8 anos finalmente minha mãe me
revelou e me explicou que eu havia sido entregue por outra mãe para que ela
cuidasse, na hora é complicado pruma criança assimilar isto, mas pelo menos eu me
senti aliviado de saber a verdade e nunca usei isto para tratar mal minha adotiva, e
quando achei que explicando pras crianças que não acreditavam que ela era minha
mãe, achando que não iriam mais me zoar, me enganei, aí que piorou mas nem ligava
mais para aquilo.

Todos se perguntam se uma pessoa adotiva gostaria de conhecer a mãe biológica,


mas é claro que sim, e eu pelo menos tive a chance um dia quando eu estava
arrumando uns papéis antigos em casa, achei uma carta e comecei a ler e vi que era
da minha mãe biológica para a minha adotiva, pedindo para que cuidasse bem de
mim e que sabia que eu estava em boas mãos, aí ela assinou o nome dela basicamente
com letra legível e pude identificar seu nome completo, foi aí que tive a idéia de
procurá-la no ORKUT (isto foi em 2005) e a encontrei, com certeza fiquei sem saber
como agir e conversar com ela, mas mandei um depoimento falando quem eu era e
que gostaria muito de conhecer ela um dia, até que se passaram uns dias e ela me
retornou via depoimento também falando que não acreditava que eu a havia
encontrado, como ela morava em PIAUÍ, pedi pra que me avisasse quando viesse
para SÃO PAULO, e até que então em uns meses nos conhecemos, fui até a
rodoviária e quando a vi eu comecei a tremer, uma experiência sem descrição de
sentimento, nos abraçamos forte, olhei muito em seus olhos e ela nos meus, pedi
apenas para que ela me falasse a versão real e o motivo de ter me dado à adoção, uma
vez que nunca soube disto.
Desenho de Gabriela Carvalho

Ela me explicou com todos os detalhes, era uma garota vinda do PIAUÍ para tentar a
sorte na capital de SP, mas acabou se tornando garota de programa para sobreviver
e como ela trabalhava nas ruas, para se sentir protegida de alguma forma acabou se
envolvendo com um traficante local, ela me contou que um dia ela estava em casa e
ele entrou de forma violenta e a pegou com força, ela tentou se soltar mas sem
sucesso, havia percebido que ele estava sob efeito de drogas pesadas, e então ele
basicamente a estuprou e foi assim que ela engravidou, vendo o ambiente hostil que
ela vivia, não desejava o mesmo para mim e me entregou para adoção, fui adotado
com algumas semanas de vida apenas. Foi gratificante ter esta chance de vê-la,
logicamente nunca contei para minha adotiva pois via que ela sempre tinha receio
de que eu tentasse correr atrás de meu passado.

E com meus pais adotivos a história quase que se repete, aliás fui adotado por minha
mãe ter descoberto um tumor no útero e tinha que arrancá-lo, mas voltando, meu
pai adotivo era alcoólatra e usava muita heroína, acabou falecendo quando eu tinha
apenas 7 meses de vida, praticamente cresci sem nem ao menos saber como é ter um
pai, mas sempre tive orgulho da minha mãe e de como ela é forte. Muitos vendo o
tipo de letra que faço devem imaginar que uso vários tipos de drogas né? (hahaha)
Mas não, foi por isso que contei a minha origem antes e sobre meus pais, pois foi
conhecendo estas histórias que vi que me entregar para entorpecentes só iria fazer
minha mãe sofrer novamente, não queria trazer mais problemas, resolvi me fechar
totalmente para isto, já fumei maconha pouquíssimas vezes, já cigarro nunca fumei,
bebida alcoólica não consumo nenhuma, nem ao menos no ANO NOVO, tomo aqueles
champanhes que não tem álcool saca?

Acho engraçado este mundo, as pessoas quando vêem alguém que não usam nada
parece que a enxergam como alguém que nunca viveu de verdade, já eu vejo da
seguinte forma, louco de verdade é aquele que sofre, tem problemas e ainda sim
escolhe se manter sóbrio e enfrentar as coisas com a mente sã. Mas claro que
também não julgo ninguém que use, pelo contrário, eu entendo muito bem porque
as pessoas usem estas coisas e sei que cada um tem sua forma de ver a vida. Não
trato ninguém diferente por isto, mas sempre deixo explícito que não é porque não
uso que deixo de me divertir ou coisa do tipo, única droga que acabo usando mesmo
é a CODEÍNA, não tem jeito, só uso por não ter sequelas futuras e por não me tirar
da realidade, apenas me relaxa e fico mais lento, quase que uma maconha em forma
líquida.

Como já contei, na escola era zoado por meninas e não tinha muitos amigos, então
dos meus 13 anos até mais ou menos os 16, eu vivia em casa lendo livros, vendo
documentários, desenhando enquanto ouvia MÚSICA ERUDITA ou JAZZ. Fazia da
minha solidão minha eterna fonte de conhecimento, até agradeço por ter sido um
jovem isolado pois graças à isto pude aprender muita coisa, com 16 anos eu entrei no
MOVIMENTO PUNK, tinha me interessado por sua ideologia e acabei me
envolvendo, fiz várias amizades no meio e até acabei me tornando membro de uma
gangue, os SP PUNK, mas com o tempo eu fui percebendo que eles não queriam
mudar o mundo, só queriam beber, usar umas drogas e arranjar confusão, não
sentia também uma camaradagem, sempre tinham histórias de traições e falsidades,
eu percebi que tinha que cair fora num dia que os caras que eu andavam mataram
um outro PUNK por pura besteira, várias facadas foram dadas nele.

Aos 18 eu saí e vi que não era para mim, não curtia andar com pessoas que eu não
podia contar e confiar, fora que criavam mais regras para te prender em algo do que
você se libertar, parecia mais um fascismo maquiado, não estou falando de todos o
movimento, estou falando de quem eu andava, não posso generalizar nada porque
sei que cada um enxerga e age de uma forma diferente as coisas. Mas era foda, no
fundo eu era um nerdão que só pensava em jogar um video-game, fliperama, ler
quadrinhos e ver desenhos, não queria ficar só falando de tretas, política e traições,
puta troço chato, toda hora eram os mesmos assuntos, ficava saturado, aliás me
lembro até hoje de uma briga entre PUNKS e SKINHEADS que participei que este
sim foi um momento que senti adrenalina de verdade, eram mais ou menos uns 30
do nosso lado contra uns 20 do outro, rolou bastão de baseball, correntada, facada,
porrada franca, confesso que foi uma noite aonde senti estar vivo de verdade,
violência é algo que sempre me fascinou mesmo que eu seja alguém muito calmo,
mas se for pra entrar na parada eu não hesito em ser altamente agressivo.

Voltando um pouco aos 16 anos, eu já ia me esquecendo de contar que foi nesta


época que criei minha primeira forma de ganhar uma grana para poder comprar
meus quadrinhos e comer umas besteiras nas ruas, bom, eu acabei me envolvendo
com o pessoal que tirava racha na avenida próxima de onde moro e filmava as
competições ilegais, sempre a chegada era no posto TEXACO, localizado mais ou
menos na metada desta avenida na época, e depois eu chegava em casa e com 2
vídeos-cassete eu editava a parada, era assim, um ia rolando o vídeo que gravei e no
outro eu ia apertando pause para passar as cenas que eu gostaria que cortasse do
vídeo, colocava a saída de áudio entre um intervalo e outro em um micro-system e
fazia ali a trilha sonora, depois no outro dia de encontro deles eu vendia as fitas e
acabei ficando até como mascote do bagulho e descolei altas granas ali até que um
dia a polícia acabou com tudo e não dava mais pra rolar os encontros.

Passou um tempo e não conseguia nenhum emprego, minha mãe estava muito
doente e os remédios eram caros demais, e na minha rua sempre recebia convites de
um traficante para trabalhar com ele por ele ver que eu conseguia falar com
qualquer tipo de pessoa, me adaptar aos ambientes e também por manjar um pouco
de inglês, ele queria alguém que pudesse entrar aonde ele não conseguia e foi assim
que acabei aceitando seu convite, mas disse que só venderia para os playboys e umas
patricinhas, não queria vender pro meu próprio bairro ou pessoas pobres, tipo um
ROBIN HOOD(haha até parece), bom, foi então que aprendi a preparar pedras de
crack, separar a grama da cocaína, ver quando a cannabis era boa, sempre tive
mania de estudar muito sobre algo que estava me envolvendo ou querendo me
envolver mais, então eu lia sobre drogas, químicas, pegava umas receitas e tal,
vendia em baladas, festinhas de apartamento e outras festas. Mas só subi uma grana
pra conseguir pagar o transporte pra fazer entrevistas de emprego e ajudar em casa
também, confesso que é uma parada muito tentadora, mas muito arriscada, nunca
me esqueço de uma vez que tive que levar uns kg de cocaína prum prédio
abandonado perto do MERCADO MUNICIPAL, aonde rolava umas festas fechadas de
uns riquinhos viciados, tinha até dj o bagulho, eu entrei no segundo andar e logo de
frente tinha um cara que obviamente estava sob efeito de várias drogas, sentado
num sofá todo estragado, com uma garota pelada cavalgando no pau dele, e pra mim
a menina tava praticamente morta, ela nem gemia, nem ao menos estava de olhos
abertos ali, devia ser heroína que tinha usado, tinham várias seringas largadas, pois
bem, aí entrando mais pra onde estava o movimento, vi um cara servindo a NINE
NINE ( tipo de cocaína de melhor qualidade, seu nariz não coça, os artistas ou ricos
só usam dela assim não fica na cara que você usou) na bandeja e oferecendo pro
pessoal da festinha, até que cheguei no dono da parada, pra quem eu deveria
entregar a mercadoria, o cara viu que eu nunca tinha ido lá e logo pediu pra que eu
cheirasse antes que ele pagasse pelo produto, e como eu nunca fui de usar nada eu
logo fiquei com vários pensamentos, se usava pra agradar ou encontrava outra
saída, não hesitei e disse que o que eu levava pra ele era da melhor qualidade, que
não era a primeira vez que ele comprava da gente, não tinha porque desconfiar, e
continuei firme, claro que por dentro torcendo pra que desse certo aquilo ou eu ou
ele iria virar farelo(naquele dia meu chefe tinha me entregue uma 38 porque,
segundo ele, talvez teríamos alguns problemas na festa pois poderia ter alguém a
paisana lá, já que era cheio de filhinhos de delegados ou policiais), e ele viu que eu
não estava brincando e pagou pelo produto, saí aliviado e vi que se eu entrasse de
cabeça, aquilo seria meu cotidiano e que a qualquer momento eu poderia morrer,
apenas peguei o que eu achava que seria suficiente e abandonei o tráfico.

Neste mesmo ano, acabei me tornando um contador de histórinhas infantis para


órfãos no orfanato que eu era voluntário, o mesmo que eu havia sido entregue para
adoção, descobri o endereço graças à minha mãe biológica que tinha me revelado,
achava que o mínimo era fazer minha parte, e lá conheci um garoto muito especial
chamado CHRISTIAN, ele tinha câncer e não tinha muita expectativa de vida, mas
só de vê-lo sorrir já me valia o dia, eu resolvi adotá-lo como meu filho, claro que ele
não morava comigo, mas eu ia lá visitá-lo todo final de semana, para minha família
nunca contei isto, falava que ia jogar basquete ou outras coisas, com ele aprendi a
não reclamar da vida, nem me fazer de vítima ou algo do tipo, entrando lá eu
esquecia do mundo lá fora, era como se fosse um mundo paralelo delas, pois elas
nunca podiam sair para ver como são as coisas do outro lado do muro. Depois de 3
anos que eu havia adotado ele, veio a falecer infelizmente e resolvi me afastar de lá
pois era dureza entrar no orfanato e não vê-lo correndo para me dar um abraço...

Depois disto, resolvi tentar fazer um dinheiro extra, já estava com 19 anos, e
aconteceu tudo da seguinte maneira, eu vivia em botecos pela cidade e conversava
com vários velhacos que frequentavam os locais, uns sempre me pediam uns vídeos
pornôs da internet, já que eles viam que eu sabia mexer mais e tal, até que um dia eu
percebi que aquilo poderia ser minha nova forma de fazer um CASH, comecei
vendendo em DVD's que eu criava, eles me falavam que tipo de vídeos curtiam e eu
me matava pra baixar algum filme ou algo assim, até que eu conheci a chamada
DEEP WEB, lá eu descolei várias formas de roubar umas senhas de sites pagos e
então foi daí que comecei a lucrar mais, usava os sites como espécies de catálogos de
meus produtos, apresentava e passava por e-mails para alguns ou imprimia uns
prints para quem não tinha acesso à nada. Não era um camelô, mas sim um cara que
atendia sob encomenda, vendia por GIGAS, e fiquei nesta durante uns 6 anos,
mesmo quando eu trabalhava como OFFICE-BOY, foi até melhor porque eu fazia
mais clientes ainda, desde o segurança do banco até os taxistas que eu conhecia pelas
regiões que eu passava.

Desenho de Álvaro Brandão

Mas em 2012 todo meu império que havia criado iria por água abaixo, uma noite eu
estava em um dos botecos que eu tinha meus clientes e veio um cara de jaqueta de
couro me perguntando se eu vendia CAPITÃO PLANETA, eu disse que este tipo de
material eu não vendia, o mesmo me disse que só de eu ter respondido daquela
forma eu já havia me entregado como sendo o cara que vendia os vídeos, para quem
não conhece CAPITÃO PLANETA é uma gíria usada por pedófilos, aonde a sigla C.P.
significa CHILD PORN, e ele me puxou de canto e me apresentou uma pasta com
diversos e-mails meus, várias anotações, e me explicou que ele era da POLÍCIA
FEDERAL e que estavam me investigando, segundo ele a sorte que eu dei é que ele
sempre me observou naquele local e fazia umas perguntas para meus clientes e
sempre falavam pra ele que eu não tinha nada demais, foi por isto que resolveu
abrir o jogo logo pois geralmente eles invadem sua casa e não estão nem aí, mas não
havia nada que pudesse alegar que eu vendia de fato este tipo de conteúdo, mas ele
me explicou que foi devido à muitas pessoas começarem a entrar na DEEP WEB por
curiosidade e acabavam tirando PRINTS das telas de sites indevidos, mesmo que a
pessoa não goste deste tipo de pornografia como ela conseguiria alegar que estava
vendo apenas por curiosidade? E foi daí que ele disse que a PF estava mais rígida na
caça atrás de envolvidos, bom, resumindo ele me deu um ultimato para eu parar
com aquilo pois ainda sim era ilegal e que eles estariam me rastreando, era só eu não
mexer mais com isto que tudo ficava bem.
Foi em 2012 também, lá pra DEZEMBRO que muita coisa iria mudar além disto para
mim, foi neste mês em que fui abusado sexualmente, e o pior que foi por policiais,
para ser breve foi assim, eu estava voltando para minha casa tarde da noite, e uma
viatura da ROTA me abordou e começou a me revistar, percebi que o cara estava
meio alterado, parecia que tinha cheirado, e começou a falar pro outro que estava
na viatura que eu tinha drogas e que estava provocando ele, o que era longe de ser
verdade aquilo, fui jogado praticamente pra dentro e me levaram pruma rua meio
deserta próximo da onde morava, no caminho eu pensei que estava prestes à ser
executado, me largaram no chão e começaram a me bater e espancar, eu não
reclamava pois não queria dar este gosto à eles, foi daí que resolveram abaixar
minha calça e me violarem, depois disto me deixaram por lá e simplesmente
partiram, eu fiquei ali tentando entender se era verdade ou um sonho aquilo tudo,
não podia ser real, até que então eu resolvi voltar pra casa, entrei escondido de
minha mãe, entrei no chuveiro e deixei o sangue escorrer, parecia nunca acabar
aquilo, coloquei um absorvente atrás para que segurasse um pouco do sangue, não
queria que minha mãe descobrisse isto, fui ao médico ver o que tinham me causado e
por sorte não haviam machucado nenhum órgão interno, sangrei durante um mês
basicamente sem parar, para ir ao banheiro era uma tortura, muitos me perguntam
porque não me vinguei, simplesmente pelo fato de terem me enquadrado em minha
rua e terem meu endereço, posso denunciar ou tentar fazer justiça por mim mesmo
que um dia eles poderão acabar matando minha família por isto, não ligo se eu
morrer, mas se minha mãe morrer sim, simples.

Podem não ter prejudicado meu corpo, mas minha mente foi muito danificada com
isto, comecei a ter alucinações, pesadelos lembrando aquela noite, via o cara em
todo lugar da minha casa, foi aí que vi que não podia me entregar, meditava e
enfrentava meus próprios demônios, comecei depois de uns 6 meses à lidar com
aquilo de forma natural, hoje ainda vejo algumas coisas mas não me incomoda mais,
comecei à usar até como inspirações também para minhas letras aquilo que eu vivia.

Ano passado também tive outra experiência de quase morte quando tentaram me
matar com facadas, estava andando pelo meu bairro e já era a noite, estava andando
por uma praça meio escura e de repente alguém tampa minha boca, por trás para
que evitasse gritos e com a outra mão acabou me esfaqueando umas 3 vezes, mas sem
sucesso porque por sorte eu consegui ter um reflexo de imediato e afastei o braço
dele, tive ferimentos sim mas nada profundo, depois desta cena eu o derrubei no
chão e logo vi que era um BONEHEAD WHITE POWER, o mesmo que pertencia à
uma gang que tinha jurado a nossa quando eu era PUNK de morte, nem imaginava
que um dia esses caras iriam me reconhecer ainda, mas depois que o joguei no mato,
claro que usei da violência mas não fiquei muito tempo por lá porque fiquei com
receio de que tivesse mais deles lá na espreita. Depois, eu mesmo acabei cuidando
dos ferimentos, limpando os cortes todos dias até se fecharem, foi uma adrenalina
imensa, era agir ou morrer.

Neste capítulo o KRRASKO acabou não escrevendo nada


pois achou que não tinha nada demais para contar e
compartilhar, ou simplesmente não quis falar sobre, acho
que é mais esta opção mesmo.
SOBRE FANTASMAS,
SACI E ALIENÍGENAS

MEPHZ:
Este é o tipo de assunto que eu adoro conversar, e acho que fazem parte de nossas
inspirações também, sempre busco ver documentários, ler uns relatos de pessoas
que passaram por experiências assim. Para mim, não faz sentido não existirem
fantasmas e espíritos vagantes em nosso planeta, afinal eu mesmo já presenciei
algumas coisas que não soube explicar a mim mesmo o que era, podem ter sido
coisas da minha mente também, vai saber, desde criança eu sempre curti histórias
de terror, filmes e livros sobre o tema, inclusive vou contar algo de minha infância
que deixei para este capítulo. Podem me achar louco, mas para mim foi muito real,
pois bem, eu tinha 8 anos e morava num apartamento com minha mãe, era no
décimo andar mais ou menos, e era uma época em que quase toda noite, eu colocava
um VHS do FREDDY KRUEGER, assistia várias vezes e nunca enjoava daquilo,
achava sensacional, um dia até experimentei colocar o filme sem som e meti no rádio
uma música clássica rolando, realmente aquilo foi perturbador, deu mais tempero
pro bizarro da parada, mas até que uma noite, minha mãe havia saído e iria chegar
só de madrugada, aí logicamente que eu fui colocar o filme correndo, acabei
dormindo no sofá da sala, até que acordei com um barulho na janela, parecia alguém
abrindo, no começo achei que era minha mãe que tinha voltado.

Chamei por ela e ninguém respondia, de repente ouvi um barulho de alguém


pulando pra dentro, e vinha do meu quarto isto, comecei a ficar assustado e me
levantei, fiquei olhando fixamente pra porta do meu quarto, que ficava num
corredor paralelo com a sala, o que dava uma visão de lado da entrada do meu
quarto, aí vi uma mão com garras saindo pra fora do quarto, sim meus amigos, era
ele, o FREDDY!!!! Ele saiu e ficou parado na minha frente, tudo era muito concreto,
fiquei em estado de choque, não sabia o que fazer, aí depois ele foi para a cozinha e
comecei a ouvir barulhos, como se ele riscasse as panelas com suas unhas, continuei
imóvel, me perguntava se era um sonho, até meti da velha técnica de me beliscar,
acreditando que se era um sonho eu iria acordar, e nada, aí ele volta da cozinha, me
encara e vai para meu quarto novamente, até que fecha a janela, volto para o sofá,
sentindo um tremendo calafrio e ao mesmo tempo parecia ter uma adrenalina
enorme em mim.
Minha mãe chega, não conto nada, mas ela me acha um tanto estranho, tento dormir
e acabo tendo pesadelo com ele, me perseguindo por todo o cenário, depois daquela
noite eu passei a sonhar com ele todas as vezes que dormia, até que resolvi contar
para minha mãe, fui levado ao psicólogo, contei toda minha experiência, e
obviamente não fui levado à sério, mas pelo menos ele me deu o conselho de que nos
sonhos podemos nos controlar, que era só eu enfrentar ele que tudo acabava, foi
difícil para mim, mas já havia se passado um mês tendo os mesmos sonhos, tava me
consumindo imensamente aquilo, e você acha que eu parei de ver os filmes? Não, eu
tentava resolver meu problema assistindo e tentando descobrir como eles o
venciam, como eu poderia acabar, até que resolvi seguir o conselho e quando
começou o sonho, era eu perto de uma árvore e ele distante sorrindo para mim,
chamei ele pra me pegar, e desta vez não corri dele, ele veio e quando me atacou, me
atravessou como se eu fosse um fantasma, depois comecei a rir e ele desapareceu.

Depois disto, nunca mais sonhei com ele, e acho que foi aí que comecei a gostar ainda
mais de sobrenatural, na casa atual que vivo já ouvi passos, vozes e até vultos,
acredito que nada fui eu que imaginei.

Vejo muita gente rindo quando alguém fala que acredita em SACI, CAIPORA,
CURUPIRA ou LOBISOMEM, não entendo o motivo, pois para mim não é nada
impossível isto, sempre dei credibilidade para os mais velhos e pessoas do interior,
já vi, já li e ouvi diversos relatos de pessoas que já presenciaram um deles, sempre
achei fascinante, quem dera eu um dia ver eles um dia na minha frente, não ligo se
me acham idiota de pensar nestas coisas, prefiro acreditar nisto do que em pessoas
fazendo milagres em igrejas, mar abrindo ao meio entre outras coisas, aliás, se eles
podem acreditar nestas coisas surreais, por que eu não posso acreditar nestes
personagens também? Lembro que eu tinha achado um trailer de um curta-
metragem chamado A CAIPORA, nele haviam relatos de pessoas que juravam ter
visto ela no meio do mato, mas quando estava prestes a lançar o filme, parece que
apagaram todos vestígios sobre o filme, consegui entrar em contato com uma das
pessoas que estavam envolvidas na produção, a mesma me disse que o governo que
não permitiu isto, não duvido nada que role isto diversas vezes em vários locais, do
governo interferindo, acredito em segredos guardados por eles, lá nos EUA também,
como a AREA 51, a CIA ou até mesmo a FBI, devem guardar coisas inimagináveis, e
não vejo porque não acreditar que grande parte de tecnologias avançadas, na
verdade sejam de seres alienígenas.
Já que o assunto agora é extraterrestre, não sei o que você aí que esta lendo este
livro pensa sobre, mas é uma de minhas grandes crenças. Aliás, desde meus 10 anos
eu acreditava que em 2012 os ANUNNAKIS viriam, caso não conheça sobre eles, vou
só dar uma resumida aqui e espero não me equivocar, segundo os MAIAS, eles eram
nossos criadores, seres que nos inventaram, de extrema inteligência e que em 2012,
acabaria o quinto ciclo temporal, aonde eles retornariam para fazer uma varredura,
viriam com seu planeta natal, chamado NIBIRU e daria início à um novo ciclo, uma
espécie de restauração,não só os MAIAS como os EGÍPCIOS também acreditavam
neles, existem muitos documentos, muitos desenhos que eram relacionados a seres
alienígenas, para mim antes de 2012 chegar, iria acontecer com toda certeza isto,
única coisa talvez que eu acreditasse com todo o meu coração, afinal achava o
mundão sem emoção de verdade, seria em 21 de dezembro de 2012 que finalmente eu
viveria um dia feliz aqui, não dando uma de depressivo, apenas não vejo graça nesta
rotina desgraçada que seguimos, já com uma invasão extraterrestre, aí sim ficaria
bem melhor isto, mesmo que eu morresse rapidamente, morreria muito feliz com
isto.

Vejo sempre programas que falam sobre UFO e não entra na minha mente que só
aqui haveria vida, diversas galáxias e planetas e até outras dimensões. Um filme que
vi recentemente e que me fez delirar, foi o INTERESTELAR, se caso você de teorias
sobre BURACOS NEGROS, BURACO DE MINHOCA, DIMENSÃO PARALELA e
VIAGEM NO TEMPO, este é o filme ideal, acho que um dos melhores filmes que já vi
em minha vida, tudo faz muito sentido para mim nele, lá também que encontrei
minha WAIFU ( expressão usada quando um OTAKU ( não que eu seja) se apaixona
por uma personagem 2D de animê), a menina chamada MURPH, que garota
espetacular, muito amorzinho esta menina. Acho que no fundo todo mundo tem sua
ou seu WAIFU, afinal vejo que os seres humanos estão tão complicados de se confiar
ou até mesmo de se atrair, que quando vemos um personagem que parece não ter
defeitos ou que é brilhantemente interessante, preferimos nos apaixonar por eles do
que por alguém que existe.
Desenho de Duda Caçador

KRRASKO:
Claro que eu como o MEPHYZTO, acredito em tudo isto que ele citou também, piro
demais nestas histórias, e vou contar uma experiência que vivi, isto rolou em 2006
mais ou menos, eu estava num sítio com alguns amigos aonde resolvemos explorar o
matagal ao redor, pegamos lanternas e até algumas facas, fomos para a aventura,
andamos durante horas e nada aparecia, nada de legal acontecia. Até que achamos
uma pequena casa no meio de tudo aquilo, com luzes acesas, todos concordamos em
ver isto mais de perto e quando nos aproximamos, uma velha meio descabelada
apareceu na janela toda empoeirada, nos observando, usando uma camisola bem
suja, fiquei olhando fixo para ela, senti algo estranho em mim, parecia que ela me
tocava mesmo que distante, olhei ao redor e meus amigos todos ficaram em silêncio,
e até aí foi até que simples, mas e se eu contar para vocês que voltando para o sítio, a
mesma velha apareceu e tocou um de nossos amigos no ombro e disse " o que vocês
querem comigo?", vocês acreditam???? Sim, eu estava lá e vi tudo de perto, ela
realmente parecia ter se teleportado, de repente ela sumiu novamente.

Nunca nos esquecemos deste episódio, outro acontecimento foi em minha casa
mesmo, meu avô havia falecido há uns dias e a partir então, eu ouvia uns barulhos
como se alguém estivesse mexendo nas minhas coisas, até que um dia eu estava
dormindo e acordei com ele me observando, na hora achei que era um sonho, mas
quando me levantei ele continuou lá e depois sumiu, o quarto ficou gelado, como se
a temperatura estivesse caído naquele momento.

Um momento bizarro de minha vida, era quando eu estava viciado em tomar


BENFLOGIN, caso você não conheça, é um remédio que se tomado em grande
quantidade, te causa alucinações, e naquela época eu andava muito depressivo,
tomava cerca de 30 comprimidos, via coisas realmente perturbadoras, como uma
vez que vi do lado de minha cama, um caixão aberto com um defunto dentro dele,
tudo perfeitamente detalhado, até aquele cheiro de cemitério eu senti, aquilo me
deixou arrepiado, ou quando também vi um bebêzinho no canto da sala, totalmente
desfigurado, chorando sem emitir som algum...

Acredito que as drogas têm o poder de aguçar mais ainda nosso estado de espírito,
principalmente o LSD ou o SANTO DAIME, que entram em partes de nosso cérebro
que nem ao menos temos conhecimento, eu mesmo via isso quando cheirava e estava
triste, via coisas terríveis, realmente uma BAD TRIP terrível, já usei LSD e também
tive momentos que pareciam que habitava o inferno, pessoas gritando, a parede me
comprimindo, vozes por todos os lados.
O QUE FAZEMOS
FORA A MÚSICA

MEPHZ:
Vamos lá, atualmente eu sou administrador financeiro no setor de turismo de uma
empresa de ônibus rodoviários, cuido da parte de fretamento também, entro às 8h e
saio às 18h, depois vou pra faculdade de Propaganda & Marketing, aonde saio por
volta das 22:30hs, chegando em casa finalmente quase meia-noite, mas ainda sim não
chego e vou direto pra cama. Tento entrar em nossos perfis em redes sociais para
ver as notificações e mensagens que me deixam, sempre faço o máximo para manter
contato, de final de semana faço freelance em uma editora que faz livros infantis
para crianças deficientes, cuido da arte-final dos desenhos que vão para estes livros,
realmente adoro saber que estou ajudando pessoas com casos especiais, e não há
nada melhor do que ver o sorriso de alguém que muitas vezes apenas sente dor em
sua rotina diária. Geralmente de final de semana quando saio da editora, vou para a
biblioteca de São Paulo e é lá aonde faço algumas letras, é inclusive nela que
algumas partes deste livro estão sendo escritas, vejo alguns animês, leio e estudo.
Fico lá por ser um local silencioso e sei que posso ter uma concentração maior no
que quero fazer.

Meus rolês são geralmente jogar um fliperama no centrão da cidade, comer umas
pizzas, sair pruma festa mensal que raramente deixo de ir aonde rola TRAP, CRUNK
e DIRTY SOUTH, e é justamente lá aonde deixo todos meus problemas de lado e viajo
na parada, danço a noite toda sem parar (haha). Às vezes eu dou uma de DJ em
algumas festas também, faço uma graninha extra, vendo algumas coisas por fora (aí
já não dá pra falar o que é né?) e resumindo praticamente eu não fico em casa.
Desenho de Ninha Maiden

KRRASKO:
Eu trabalho em uma empresa de monitoramento de alarmes, faço o turno da
madrugada, fico olhando prum monitor e vendo várias câmeras, nada de mais. Mas é
ali que aproveito para escrever também algumas letras quando vejo alguma brecha,
quando não estou no trabalho eu gosto de ficar lendo alguns livros, quadrinhos ou
até mesmo escrevendo alguns textos que guardo para mim. Não sou muito de sair,
mas quando saio é para botecos beber uma cerveja, conversar com uns caras mais
velhos, fico em um puteiro aonde tenho umas amigas também, talvez sejam as
únicas garotas que eu realmente goste de conversar. Tenho poucos amigos e quase
nem saio com eles, geralmente faço minhas coisas sozinho mesmo, quando vou me
encontrar com o MEPHYZTO que saímos para fazermos algo diferente.

Gosto muito de ficar em uma cadeira olhando para as estrelas em noites que estou
de folga, fico ali por horas, ouvindo um som e bebendo algo, só isto já é o suficiente,
não preciso de baladas ou de sexo para me sentir bem ou completamente feliz.
O QUE GOSTAMOS DE
VER, LER E OUVIR

MEPHZ:
Este capítulo vai ser interessante, pois irei mais afundo em meus gostos e interesses,
vamos começar então com a música que é algo que está sempre presente em minha
rotina diária, se fico no meu quarto, se escrevo algo, se desenho, tem que estar
rolando uma musiquinha pra me dar um POWER-UP! Haha! Eu gosto de ouvir vários
gêneros, vamos para a lista:
DEATH METAL, SLUDGE METAL, INDUSTRIAL METAL, DSBM, NU METAL,
GRINDCORE, GOREGRIND, THRASH METAL, VAPORWAVE, GRIME, WITCH
HOUSE, DRUM ’N’ BASS, BREAKBEAT, JAZZ, SOULFUNK, ACID HOUSE, TECHNO,
EBM, CLOUD RAP, CRUNK, DIRTY SOUTH, TRAP RAP, TRAP, CHICANO RAP,
DEVIL SHYT RAP, HORRORCORE, MOOMBAHTON, TRIP-HOP E DARK AMBIENT.
(UFA!)

Claro que como são diversos estilos, não consigo me aprofundar muito em todos,
mas são destes gêneros que busco minhas inspirações, sendo mais específico, gosto
muito de ouvir MARILYN MANSON, ele me traz muitas ideias, para este álbum novo
por exemplo, ouvi muito ele e também a PORTISHEAD, que pra mim é a rainha do
TRIP-HOP, curto ouvir muito YUNG LEAN, BRUJERIA, OBITUARY, ROB ZOMBIE,
LAMÚRIA ABISSAL, AGHAST, LIL JON, SLIM THUG, INSANE CLOWN POSSE,
GUCCI MANE, WAKA FLOCKA, e por aí vai, tem diversas coisas e isto depende do
dia, cada dia basicamente gosto de ouvir uma parada diferenciada, tem dia que
quero algo mais tranquilo como VAPORWAVE, outro quero mais FOFO como
DEATH METAL, mas não sou o tipo de pessoa que consegue ficar ouvindo toda hora
o mesmo álbum ou artista, prefiro cada dia conhecer um novo e tentar conhecer
mais sobre alguma ramificação musical.

Já na parte de leitura, como muitos que me acompanham nas redes sociais já deve
saber, adoro quadrinhos e coleciono mais mesmo as HQs do JUSTICEIRO e MILES
MORALES( ULTIMATE HOMEM-ARANHA), mas além dele tenho outros títulos
como TROPA DOS LANTERNAS VERMELHAS, DC TERROR, FRESHMEN,
YOUNGBLOOD, WILD CATS, SPAWN, CYBER FORCE, TARTARUGAS NINJA,
HULK, DARKNNESS, DESAFIADOR, JONAH HEX, TEX WILLER, LIGA DA JUSTIÇA
SOMBRIA e por aí vai...

Sempre gostei muito do ambiente que os quadrinhos trazem, você começa a ler e
parece que aquilo tudo tá rolando na sua frente, muita gente que nunca tentou ler
uma HQ tem a visão de que é algo meio infantil ou bobo, mas é muito pelo contrário,
existem histórias mais complexas que muitos filmes por aí, o que acho mais
engraçado é que mesmo que hoje em dia filmes de heróis estejam fazendo sucesso,
ainda sim os quadrinhos são vistos de uma maneira subestimada ou esteriotipada,
mas quem lê sabe o quanto é mágico e maduro seu conteúdo, muito mais realista do
que até adaptações de cinema, uma vez que eles passam por diversas censuras e
linguagem diferente.

Agora vamos para o que curto assistir que seria basicamente, DOCUMENTÁRIOS,
ANIMÊS, FILMES e VÍDEOS BIZARROS, no quesito documentário o que me
interessa são temas como o sobrenatural, teorias de conspiração, civilizações
antigas ou extintas, alienígenas, gangs de rua, psicopatas e serial killers e podem rir
mas adoro documentários sobre macacos ou formigas. Quanto a desenhos e animês,
vou falar alguns que gosto ou que já terminei de assistir, vamos pra famosa lista:

YU YU HAKUSHÔ, DRAGON BALL Z, CAVALEIROS DO ZODÍACO,


DIGIMON(novembro quero ver eles adolescentes <3), POKÉMON ( enquanto eram
somente 150, depois que aumentou eu parei) , MEDABOTS, PATLABOR, SAMURAI
X, SAKURA CARD CAPTORS( gosto memo e aí?), FLY, SAILOR MOON( tá rindo
né?), GUNSLINGER GIRLS, TOKYO TRIBE 2, SHIGURUI, SAMURAI DEEPER KYO,
KUROKO NO BASKET(tenho que terminar), SHINGEKI NO KYOJIN( sai logo a
segunda temporada!), GANGSTA., GHOST IN THE SHELL, AKIRA, DEVILMAN,
BLACK LAGOON, K-ON( ishe, se conhece vai me zoar até o último), ELFEN LIED,
GUNDAM WING, SWORD ART ONLINE( só a primeira que presta, depois o
malandro vira fada zoa a bagaça), SAMURAI WARRIORS, SHURATO, JO JO
BIZARRE ADVENTURE, KOUSETSU HYAKU MONOGATARI( meio creepy,
recomendo pra quem curte um lance bizarro e obscuro), BERSERK, NINJA SLAYER
( esse é único e muito louco, simples e maneiro), AFRO SAMURAI, THE
BOONDOCKS, TENCHI MUYO, BUCKY, SHINZO, entre outros que não vou me
lembrar...

Já outros desenhos gosto de THUNDERCATS, LABORATÓRIO DE DEXTER,


JOHNNY BRAVO, VACA E O FRANGO, REN & STIMPY, SOUTH PARK, BEAVIS
AND BUTTHEAD, OGGY E AS BARATAS, MEGA BABIES, X-MEN, LIGA DA
JUSTIÇA SEM LIMITES, X-MEN EVOLUTION, SUPER CHOQUE, LOONEY TUNES,
TOM & JERRY, PICA-PAU, DOUG, AS AVENTURAS DE TIN TIN, AS AVENTURAS
DE BABAR, AEON FLUX, AS MENINAS SUPER PODEROSAS, SAMURAI JACK, A
CASA ANIMADA, ETC.

Já seriados não sou de acompanhar nenhum praticamente, só o SENSE8 que


acompanhei ultimamente e adorei, estou ansioso pra nova temporada.

Falando em filmes, gosto muito de filmes de kung fu, filmes independentes, lado B,
trash, ação, ficção científica, qualquer coisa que retrate o espaço, galáxia, filmes
com ninjas e samurais, robôs gigantes e monstro colossais, filmes medievais
fantasiosos e de guerra também.
Desenho de Nicolly Roza
KRRASKO:
No quesito música, gosto dos seguintes estilos; DEATH METAL, BLACK METAL,
DSBM, DARK AMBIENT, DOOM METAL, DUBSTEP, RAGGA JUNGLE, KRUSTCORE,
POWERVIOLENCE, INDUSTRIAL METAL, GANGSTA RAP, BLUES E PSY-TRANCE.
Fico mais no metal, mas gosto de abrir minha mente para outros gêneros também,
eu e o MEPHYZTO trocamos alguns materiais e álbuns pra meio que um ensinar e
mostrar ao outro algo novo e que a gente possa gostar de ouvir.

Gosto de ouvir coisas tipo BEHEMOTH, DARK FUNERAL, BURZUM, MORBID


ANGEL, MAYHEM, MUDDY WATERS, JOHNNY CASH, RAMMSTEIN, PANTERA,
JUNGLE ROT, SNOOP DOGG, ICE CUBE, entre outros aí.

Geralmente quando vou escrever gosto de ouvir algum álbum bem depressivo ou
que me faça lembrar de minhas dores, aí eu revido tudo nas letras, gosto de metal
porque pra mim é uma parada bem completa, serve pra descarregar sua raiva como
também te deixar calmo ou triste...

Se for falar no que gosto de assistir, bem, acompanho algumas séries e gosto de
documentários também, curto umas paradas tipo ERAM OS DEUSES
ASTRONAUTAS, COSMOS, A VERDADE ESTÁ LÁ FORA, e por aí vai, curto uns
documentários sobre ocultismo, misticismo, magia negra, illuminati e alguns sobre
guerras e estratégias militares.

Quanto as séries gosto ou acompanho coisas como LAW & ORDER, PENNY
DREADFUL, AMERICAN HORROR STORY, SCREAM, THE BAND OF BROTHERS,
TRAILER PARK BOYS, OZ, THE FOLLOWING, entre outros que já me esqueci. Se for
falar do que leio, basicamente são livros sobre demonologia, filosofia, misantropia,
gosto muito do escritor H.P. LOVECRAFT, quem curte um horror psicológico,
recomendo fortemente ele, criador de uma das criaturas mais fantásticas na minha
opinião que é o CTHULHU, eu não costumo ver TV então gosto muito de me jogar
pros livros mesmo, leio por ano cerca de 10 livros/ano, queria ler com mais
frequência, mas o tempo é quase nulo às vezes.
APROXIMAÇÃO DOS
FÃS

MEPHZ:
Nunca me considerei um artista, um ídolo ou alguém importante que não pudesse
interagir e conversar com quem nos ouve, prefiro fazer totalmente o inverso pois
quero mostrar que nós somos iguais à todas pessoas que curtem T.GANG, que não
tem frescura nem estrelismo até porque não acho que somos algo deste patamar e
nem buscamos ser, tá maravilhoso o tipo de público que nós criamos.

Já conheci muitas pessoas que nos ouvem, já saí com diversas fãs não nego isso,
muitas me traziam histórias de vida sofridas, interessantes até, aí eu entendi os
motivos por se identificarem com nossas letras, assim como as pessoas que converso
pelo meu perfil também, tento entender o que leva as pessoas à gostarem disto. Seja
por depressão, raiva, abusos ou até mesmo esquizofrênia, sempre há uma dor no
meio de tudo isto e foi através desta experiência de conversar com o pessoal que vi
que o mundão realmente esconde muita coisa e que na sociedade escondemos de
muitos o que realmente somos.

Se não fosse nosso público e todo seu carinho, nós não estaríamos aonde estamos no
momento ou conquistado algumas coisas que já conquistamos, muitos dos nossos fãs
nos divulgam, upam músicas no YOUTUBE ou nos compartilham em redes sociais,
coisas que nem mesmo nós fazemos que é ter essa visão de divulgar para aumentar o
público, hoje em dia confesso que procuro me preocupar em participar de várias
formas de rede até mesmo para nossa facilidade de ser ouvido ou para tentar trazer
mais interação para quem nos ouve de diversas formas.

Desenho de Thainá Cristina


Não vou negar que é muito difícil tentar manter essa doutrina de conversar com
vários ouvintes, devido a minha rotina que é trabalho e faculdade, entre outras
coisas, mas entre algum intervalo ou outro eu tento fazer o máximo para tentar
manter um certo contato com as pessoas. Muitas vezes chego meia-noite em casa mas
sempre seguro o cansaço para acessar nossas contas em sites e atualizar algo ou ver
o que está acontecendo.

Uma das coisas que mais gosto e sou grato pelo T.E.R.R.O.R. GANG existir é
exatamente isto, ter a chance de conhecer diversos tipos de personalidades e
histórias, me identifico com muitas, troco experiências e até aprendo muito,
realmente faço grandes amigos nisto tudo.
CRIAÇÃO E GRAVAÇÃO

MEPHZ:
Muita gente já me perguntou como fazemos então resolvemos falar um pouco sobre
isto, a gente começa primeiramente pegando um tema, tipo "VAMOS FAZER UM
SOM SOBRE UMA FAMÍLIA PRESA NUM CATIVEIRO E A GENTE VAI NARRANDO
A PARADA?", foi com esta pergunta que fizemos a letra do FESTA NO CATIVEIRO
do álbum GORE!GORE!ALELUIA!, às vezes muitas vezes escrevemos uma palavra
para definirmos sobre o que iremos falar, bom, vou falar sobre como eu crio as
minhas letras, só lembrando que o que canto é o que eu escrevo e o que o KRRASKO
canta é letra dele, no começo eu pegava o instrumental que escolhemos e ficava
ouvindo no fone e já ia rabiscando no caderno, sempre preferia ou escrever no meu
quarto ou em um parque, algum local público que ninguém me atrapalhasse. Ficava
sussurrando as letras e escrevendo, depois mandava minha parte por e-mail pra ele,
a gente já deixava meio que combinado quantas linhas cada um iria fazer ou se
iríamos sincronizar nossas letras, esse processo dificulta mais só que gostamos de
ficar intercalando um com o outro, hoje eu não uso mais cadernos e escrevo no meu
notebook mesmo, num bloco de notas, como tenho uma rotina esmagadora no
momento o nosso álbum QUEM NÓS SOMOS eu escrevi quase todas as letras dele no
meu trabalho mesmo, abria o bloco de notas e ouvia com apenas um fone de ouvido
um pedaço do beat, depois eu fazia na minha cabeça o compasso do instrumental e
buscava de que forma eu cantaria em cima, aí depois eu ia digitando conforme via
uma brecha no trabalho.

Desenho de Forcinito
Em 2012 quando estava desempregado e com mais tempo, fazia letras diversas em
uma semana, para se ter um idéia nosso álbum de projeto paralelo que fizemos
parceria com o PARAZITA nós escrevemos tudo em 3 semanas e gravamos também,
foi tudo muito rápido, hoje já não consigo esse tempo para isso, o processo é bem
mais lento.

No processo de criação das letras às vezes vejo clipes, filmes ou documentários que
possam me inspirar à escrever, tem dias que não consigo escrever nada, se começo
tento acabar no mesmo dia porque se deixo para depois tenho medo de não
conseguir atingir o resultado esperado.

Agora falando do nosso processo de gravação, hoje em dia gravamos na CRAP


MUSIC RECORDS., criada por uma crew de mc's que admiro muito o trabalho
chamado MORLOCKZ, sem a ajuda deles a gente não iria conseguir ter gravado e
lançado muita coisa, isto foi à partir do álbum QUEM NÓS SOMOS, quem nos
acompanha já sentiu que neste álbum a gente apresenta outra qualidade de
gravação e ficamos felizes por podermos apresentar algo mais bem produzido
também.

Antes disso, em 2009 quando estávamos no começo, nós gravávamos em nossas casas
mesmo, com headset barato e computadores lentos, vários chiados e erros nas
gravações eu confesso que a gente não era muito caprichoso nisso (hahahaha), mais
pra frente já não era possível gravar em casa então começamos à gravar na casa do
LORD TAGMAN, lá também gravamos diversos sons, um álbum em especial
incrivelmente nós gravamos em um dia só no mesmo local que foi o
GORE!GORE!ALELUIA! que em especial nós gravamos no estúdio do PARAZITA que
ele havia criado na casa dele mesmo.
IDENTIDADE
SECRETA

MEPHZ:
Desde o começo eu o KRRASKO já pensávamos em manter o anonimato, nem por
termos medo do que falamos ou querer nos esconder, mas sim para fazermos algo
bem paralelo mesmo, que não houvessem pessoas conhecidas nossas enchendo nosso
saco com perguntinhas sobre isso ou aquilo.

Também por curtirmos o lance de usar o terror psicológico, acho que é muito mais
legal você fazer algo que não tenha um rosto, uma identidade revelada e graças
também à este tipo de pensamento que nos livramos de diversas denúncias e até
mesmo processos, desde 2009 quando surgimos e era época do ORKUT ainda nós já
vínhamos sendo perseguidos, claro que no começo de tudo nem sonhávamos que um
dia as pessoas nos dariam ouvidos, gostariam do que a gente faz e muito menos
teriam pessoas decorando nossas letras, para a gente isso ainda é muito surreal.

Em 2010 acho que foi quando rolou nossa primeira "encrenca" e foi aí que vimos o
quanto era importante não sermos localizados, foi quando a música O DIA-A-DIA DE
UM ESTUPRADOR foi denunciada e que tentaram aplicar a lei de ¨Art. 287 – Fazer,
publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime.¨, feministas
tentaram de várias formas nos derrubar e nos levar à prisão, mas como não haviam
conseguido nossas identidades nem localização o caso ficou no esquecimento.

Com o passar do tempo percebi que haviam pessoas querendo se passar pela gente, e
isso seria muito simples já que ninguém sabia quem éramos mesmo, foi aí que nós
entramos num acordo e que eu iria me revelar pelo menos para que não tentassem
nos forjar nada contra o T.E.R.R.O.R. GANG ou tentar ganhar mérito em cima do
nosso nome.

Foi por este motivo que me revelei, deixamos com que o KRRASKO fique cem por
cento no anonimato caso ocorra algo muito grave e precisarmos "desaparecer", pelo
menos um de nós estará totalmente seguro ou pelo menos mais difícil de ser
encontrado.

Ele se tornou um fantasma total, não falo sobre as coisas dele nem detalhes que
possam complicar também.

No meu dia-a-dia as pessoas nem imaginam que faço esse tipo de som, é engraçado
que você fica se sentindo tipo um espião ou algum super-herói com identidade civil
que não pode ser revelada, se bem que estamos mais pra vilões (haha). Minha
família também não tem conhecido disto que faço, a melhor coisa é não ter que ficar
aguentando sermões ou nego te julgando por isso ou aquilo, é dureza de entenderem
o que a gente faz.
Desenho de Gabriel Madeira

KRRASKO:
Como já foi citado, eu fico mais nas sombras da parada, como já não curto celulares
nem redes sociais para mim isso é muito natural, nunca curti muito me socializar e
não sou tão paciente e bem-humorado como o caveira, ele vive me falando sobre o
que comentam, perguntam à ele, coisas que pensam e falam, realmente eu não
serviria para dar essa atenção que o MEPHYZTO faz o máximo para dar.

O mais interessante é você fazer algo que as pessoas no seu dia-a-dia nem imaginam
que faça, o mais louco seria se um dia a gente ficasse famoso e não saberem quem é o
cara que está dando autógrafos ou sendo entrevistado, não que a gente busque fama
também, pelo contrário, preferimos ficar no underground que é o melhor lugar.
Nosso público já nos deixa muito felizes, se a parada fica muito conhecida logo o que
a gente criou perde a essência, não iria curtir ver uns playboys ouvindo nosso som
alto no carro deles, isso aqui não é para qualquer um ouvir, pelo menos esta é a
nossa visão do que fazemos.
T.E.R.R.O.R. GANG
MOST WANTED

MEPHZ:
Nós sempre sofremos perseguições diversas, denúncias e até mesmo algumas
ameaças, desde que começamos, algumas feministas nos tentavam prejudicar e nos
colocar na prisão, mas graças ao nosso anonimato ou defesas virtuais, nós sempre
conseguimos continuar em frente e não queremos parar tão cedo, já houve um caso
em que tivemos que nos afastar por praticamente um mês, foi neste ano até que
rolou isto. Não podemos falar sobre isto pois qualquer coisa que revelarmos pode
nos prejudicar para o resto de nossas vidas...

Muitas nos ameaçam de morte, já recebi ligações e mensagens falando que iriam me
matar, mas confesso que sempre me divertia com essa cena, porque eu sei muito bem
que quem quer fazer algo não fica só de ameaças fracas e nem um pouco
intimidadoras.

Desenho de Marcos
Em agosto deste ano passamos por algo que jamais imaginávamos, que foi ter que ir
até a justiça prestar depoimento em nossa defesa, tudo começou quando um site
aonde fazia apologia ao estupro e violência contra mulher chamado HOMEM DE
BEM, redirecionava para um de nossos sons, fazendo com que pessoas tomassem
conhecimento de nossos sons e claro, aumentou o número de denúncias pro nosso
lado, até o nível de entrarmos no SAFENET e HUMANIZA REDES, instituições que
pregam justiça contra crimes cibernéticos, chegando então depois de algum tempo,
uma intimação em minha casa para comparecermos a uma audiência, tínhamos 15
dias para achar um advogado, pra nossa sorte eu já tinha um contato bom
especializado em crimes na internet, passamos e repassamos o que teríamos que
dizer e o que não podíamos dizer também, quando chegou o dia de irmos ao fórum,
já estávamos cientes de que qualquer coisa poderia nos acontecer, pois bem, na
porta estavam algumas feministas gritando “FINALMENTE JUSTIÇA!”, “VÃO PRA
PRISÃO!”, entre outras coisas e elogios, nem ligamos, passamos por elas e entramos
no local. Passaram-se horas ali e nada conseguia comprovar de que o que fazíamos
era apologia e finalmente fomos absolvidos, quando saímos de lá, quem estava na
porta ainda? Isso mesmo! As feministas que tanto nos amavam, saímos acenando nos
despedindo, sorridentes e agradecendo a presença de todos com direito a
coraçãozinho com as mãos pra elas.
6 ANOS DE FOFURA

MEPHZ:
Quando você começa um projeto que nem você mesmo leva à sério é engraçado ver
que com o tempo muitas coisas podem acontecer, a gente mesmo nunca visou ser
conhecidos ou famosos, tanto que imaginávamos que nem dez pessoas nos ouviriam
e muitos menos que lançaríamos tantas músicas assim ou que durasse tantos anos.

Realmente me surpreende tudo isso e já começamos a ver que estávamos tendo um


certo espaço à partir do momento em que víamos pessoas pedindo novos sons e até
mesmo outras nos denunciando e perseguindo, a primeira surpresa foi a gente fazer
parte de uma selo independente, a BETHLEM ROYAL aonde nos sentíamos bem por
saber que não éramos os únicos a gostar daquele tipo de conteúdo nas letras.

Na época desta selo fizemos alguns contatos com uns mc's internacionais pelo
MYSPACE e fomos sentindo que na RÚSSIA, ALEMANHA, ITÁLIA, EUA e
AUSTRÁLIA a cena tinha uma estrutura e público bem maiores, que rolava shows e
clipes em alta produção desse gênero.

Eu conversava muito com pessoas da ITÁLIA e RÚSSIA e me pegava pensando em


como seria louco que aqui fosse assim também, não pelo fato de fama mas sim de
poder ter um espaço maior, ter shows mesmo que pequenos e tal, e ainda não
tínhamos um público que poderíamos dizer que já era algo que daria para
considerar grande, até hoje claro não considero, mas que este número é bem maior
do que imaginava que teríamos é e isto me deixa sem palavras.

Pessoas decorando nossas letras, postando elas e comentando, coisas assim iam se
tornando mais presentes e vimos que não éramos únicos com este péssimo gosto de
curtir o T.E.R.R.O.R. GANG ( hahaha).

Desenho de Vitor Fonck

Um ritual que tenho é uma vez por mês pesquisar no GOOGLE: "T.E.R.R.O.R. GANG
HORRORCORE" e ver o que aparece de resultado, se saímos em algum blog ou algo
do tipo, e foi num destes ritos aí que descobri que tocamos um dia numa rádio, foi
sensacional isto porque eu entrei no site e vi lá nosso som DEVOTOS DE SATAN na
playlist tocada naquele programa, pensei "porra num é possível e ainda logo este
som?!", a nossa sorte é que o site disponibilizava o áudio dos programas passados
para quem quisesse ouvir depois, baixei e fiquei adiantando ansioso para ouvir o
momento que éramos anunciados até que veio um dos caras do programa falando
que quem tinha recomendado para tocar nosso som era o TÚLIO, vocalista da banda
DFC, aí que eu desacreditei mais ainda, confesso que quase chorei e depois fui
correndo mostrar pro KRRASKO eufórico, a gente ficou que nem dois panacas
super felizes com aquilo.

Muitos fãs também me contam paradas que considero surreais como uma que me
disse que estava na fila de um evento de várias bandas de BLACK METAL e viu uns
cabeludos ouvindo nosso som e curtindo pacas a parada, pode até parecer algo
simples para muitos mas é isto que eu considero algo valioso, ver pessoas que você
nem ao menos conhece ou já viu e ela gostar de algo que você inventou.

Dentro dessa mania mensal de pesquisar na internet eu achei também uma vez um
site do JAPÃO com nossos sons postados e ainda por cima nossas letras traduzidas
para o japonês, aquilo ali foi inexplicável, atingir o outro lado do planeta com um
tipo de som que nem é divulgado quase.

Mas nível elevado mesmo foi quando eu vi na página da XPLASTIC, que para quem
não conhece é uma empresa de ALT PORN brasileira que há tempos eu acompanho e
sempre achei original a idéia deles, saindo do previsível e do comum, pois bem,
vamos dar um ALT+TAB e voltarmos no que eu dizia que era uma publicação
selecionando bandas independentes para que fossem trilha sonora em algum vídeo
deles, eu mandei o link do nosso SOUNDCLOUD e expliquei mais ou menos o que era
nosso estilo e jamais imaginei que gostariam, passaram-se uns dias e a MAYARA
MEDEIROS, a responsável me retornou uma resposta falando que estava viciada no
T.GANG e que não conseguia mais parar de ouvir, até imaginei que estava lendo
errado mas era aquilo mesmo.

Me enviou em anexo um documento para que eu autorizasse o uso de nossas criações


em suas produções e nunca me imaginei assinando um termo de autorização, tava
que parecia uma criança imbecil quando ganha aquele presente mais esperado de
natal, até que depois de um tempo nós viramos trilha de um dos episódios de um
programa delas no CANAL BRASIL chamado PORNOLÂNDIA, aí não teria como não
ficar encantando, putaria e horrorcore reunidos era a nata do tesão para mim. (ps: e
claro que me masturbei vendo a cena e ouvindo nosso som, uma experiência
maneira.)
MÃO DA MORTE

MEPHZ:
Entre 2009 e 2012 a gente fazia parte de uma selo independente( para quem não
sabe, uma selo é como uma gravadora sua só que independente, você tem sua
própria liberdade e ninguém ganha dinheiro em cima de você) chamada BETHLEM
ROYAL, nome que escolhemos por ser o mesmo do manicômio mais antigo do mundo
situado em LONDRES, nesta selo haviam o T.E.R.R.O.R. GANG, SOAREZ, TTF,
TRU3, MC ATEU, KARNIFICINNA, DEADFACE e o PARAZITA, o SOAREZ eu
conheci pelo ORKUT num depoimento que ele me mandou falando que havia
curtido nosso som que tínhamos postado numa comunidade de anti-música e me
convidou para fazermos uma selo independente, mesmo eu falando que não tinha
dinheiro para comprar os beats ele falou que isso não era problema, ele iria fazer
sem cobrar nada e foi daí que nos empolgamos mais pois não éramos só nos dois
fazendo algo daquele tipo, ele, TTF e o TRU3 eram do PARANÁ mas mesmo assim
não nos impedia de nada, íamos passando nossas partes pela internet mesmo e já
era, mas foi em 2013 que as coisas começaram a complicar pois perdi totalmente o
contato com eles, do nada eles sumiram e não tinham deixado mais rastros pela
internet, seja MYSPACE, ORKUT ou conta no YOUTUBE, realmente nada e foi neste
momento que pensei que o T.GANG teria acabado pois eu nunca soube fazer
instrumentais, fora que com isso também tinha rolado aquela mudança de ORKUT
para FACEBOOK, como no ORKUT as pessoas que nos ouviam usavam apelidos
quase sempre, quando migrei não achei ninguém praticamente e para mim nosso
público tinha desaparecido total.

Foi neste momento que reencontrei com o LORD TAGMAN, a gente conversou e eu
expliquei a situação e ele falou que não deixaria que a gente parasse e foi então que
criamos a HAND OF DEATH, nossa nova selo que no começo tinha o T.GANG, STK
DEMOGORGON e o LORD TAGMAN, depois foram entrando DEGOLATOR,
GREMILYN entre outros mais depois, isso nos trouxe de volta à vida praticamente e
comecei do zero também no FACEBOOK, e hoje vejo o quanto ajuda você ter
parceiros que fazem a mesma coisa que você usando o mesmo sentimento e tendo a
mesma visão, tem horas que eu ficava meio sem inspiração e desanimado e outros da
H.O.D. lançavam sons e quando eu ouvia parecia que já vinha algo de dentro falando
pra eu fazer algo novo também.
Desenho de Z/Orror

Enxergo a nossa selo bem mais além que isto, parece uma família mesmo porque
quando mexe com um mexe com geral, direto e reto nas redes sociais apareciam uns
loucos nos provocando ou provocando um de nós e sempre acabávamos nos
reunindo para reagir, tipo instintivamente porque ninguém chamava ninguém para
ajudar, isso que eu sempre achei o mais louco de tudo.

Ainda há membros que não conheci pessoalmente mas quero muito como o SEMDÓ,
STEAK e o PEST, esses que me aguardem porque já já vamos nos conhecer (haha). O
QUEBRA-CABEÇA ou JIGSAW foi um lance engraçado porque tudo começou
quando eu o adicionei ou ele me adicionou no FACEBOOK e ele havia falado que
adorava o T.GANG e tudo mais, até que nos tornamos grandes amigos e um dia na
minha casa ele me falou que já teve umas idéias de fazer horrorcore mas tinha meio
que um receio, dei total apoio porque eu sabia que iria mandar muito bem no
bagulho e quando ele mandou o primeiro som eu desacreditei em como aquele
malandro era bom!
Hoje na HOD alguns membros saíram mas torço pra que voltem.
A BEBIDA ROXA

MEPHZ:
Depois que lançamos o T.E.R.R.O.R. DRANK PURPLE GANG, muita gente veio me
perguntar curioso sobre esta maravilha de bebida, que caso você ainda não conhece
ou ouviu este nosso som, é uma droga composta por xarope de codeína com SPRITE,
isto mesmo, o refrigerante, e não podemos esquecer de colocar muito gelo, lá nos
EUA a codeína era consumida juntamente com cerveja nos anos 50 por cantores de
BLUES, depois em HOUSTON – TEXAS, os rappers começaram a misturar com o
refrigerante e acabou virando uma droga regional deles, começaram a escrever
letras sobre o PURPLE DRANK, idolatrando a droga, cultuando, fazendo clipes com
ambientes roxos que lembram a cor da bebida.

Aqui no Brasil é algo totalmente novo, uma vez que este xarope não é vendido ou
encontrado com facilidade em nosso país, mas eu dou um jeitinho aí e consigo
desfrutar desse elixir, quanto ao efeito, ele desacelera seus batimentos cardíacos e
deixa seu corpo meio dormente, você fica totalmente relaxado, quem fuma
maconha, recomendo tomar e fumar ao mesmo tempo que o efeito tá uma aguçada,
fica uma bela mistura entre as duas coisas.
PRA FINALIZAR

T.E.R.R.O.R. GANG:

Nós agradecemos por todo apoio de vocês e carinho,


pedimos desculpas pela demora no lançamento deste livro,
devido a alguns problemas acabou atrasando isto tudo, a
gente iria fazer um livro maior, mas para não ficar uma
leitura muito cansativa ou muito pesado para fazer
download, resolvemos ser mais diretos e deixamos as coisas
mais importantes que achamos que gostariam de saber
sobre nós, esperamos que leiam e que não se decepcionem
com o nosso conteúdo, tentamos fazer o nosso melhor e com
todo nosso carinho.

NÓS AMAMOS
TODOS VOCÊS.

Você também pode gostar