Você está na página 1de 3

Fernão Lopes, Crónica de D.

João I

1. Associe corretamente os segmentos da coluna A e da coluna B, atendendo ao estudo que


fez da obra Crónica de D. João I.

COLUNA A COLUNA B
1. a multidão, designando-se como coletiva.

2. por objetivo proteger os lisboetas dos


A. Fernão Lopes assemelha-se castelhanos.
B. O recurso às sensações permite captar 3. a cargo do Mestre de Avis.
C. A personagem principal da crónica de
4. alguns atores individuais que se destacam.
Fernão Lopes é
5. devidos aos roubos da população faminta.
D. Na crónica de Fernão Lopes há
E. O comando da defesa da cidade fica 6. a um poeta épico por optar pela narração
e eliminar a descrição.
F. O trabalho e a organização dos
7. alguns dos sacrifícios a que as populações
defensores tinha
se sujeitaram.
G. As privações provocadas pelo cerco
8. as movimentações das gentes da cidade.
castelhano são
H. A escassez de mantimentos e os preços 9. os sons produzidos pelas armas utilizadas.

exorbitantes eram 10. descritas pormenorizadamente.

11. a um repórter pelo retrato que faz dos


acontecimentos.

2. Classifique as afirmações como verdadeiras ou falsas, corrigindo estas últimas.

a) A Crónica de D. João I incide sobra a crise política de 1383-1385.


b) A redação da Crónica de D. João I, encomendada expressamente pelo rei D. Duarte,
tinha como principal objetivo o seu elogio.
c) O homicídio do Conde Andeiro – amante de D. Leonor Teles – foi planeado por causa da
sua ligação a Castela.
d) O povo apoiou Álvaro Pais no movimento revolucionário que ocorreu em 1383.
e) Todas as classes sociais apoiavam a ascensão ao trono de D. João, Mestre de Avis.
f) Como ninguém contava com o cerco de Lisboa, a fome espalhou-se rapidamente por
toda a população.
g) O sucesso da revolução deveu-se principalmente ao povo.
h) Entende-se como afirmação da consciência coletiva o facto de o povo reconhecer que os
portugueses têm uma identidade própria.

3. A expressão “E padeciam mui apertadamente…” (l.43) significa que


a. estavam muito apertados na cidade.
b. sofriam muito.
c. padeciam em silêncio.
d. eram torturados.

4. A afirmação “choravom ameude sobrelles a morte amte que os a morte privasse da vida…”
(ll.68-69) indica que as mães

a. sofriam antecipadamente a morte iminente dos filhos.


a. sabiam que os filhos iam sobreviver.
b. não conseguiam chorar.
c. se mantinham indiferentes.

5. A expressão “Toda a cidade era dada a nojo…” (l. 72) mostra que a cidade estava

a. suja.
b. abandonada.
c. triste.
d. estragada.

6. Com a afirmação “mas nom prestava comforto de pallavras, nem podia tall door seer
amanssada com nehuũas doçes rrazoões.” (ll. 78-80) o cronista mostra

a. objetivamente o sofrimento da cidade.


b. subjetivamente o medo dos rumores que circulavam.
c. a impotência das palavras face ao sofrimento.
d. claramente a força das palavras.

7. A expressão “de guisa que eram postos em cuidado de sse defemder da morte per duas
guisas.” (ll. 101-102) significa que os habitantes de Lisboa temiam

a. a fome e a vingança de Castela.


b. o rei de Castela e o Mestre de Avis.
c. a fome e o Mestre de Avis.
d. a fome e a peste.

retrato
individual 8. Preenche o texto com as palavras dadas.
multidões
quadros
Fernão Lopes é, sem dúvida, um cronista inovador para a época. Ele dá
visualismo uma visão nova dos factos históricos: uma perspetiva de conjunto. Ora
linguagem atribui importância à personagem (1) ___________________, ao seu
coletiva
carácter e à sua ação, ora dá relevo à personagem (2)
descritiva
diálogo ___________________, o povo, a (3) ____ _____________, como tantas
arraia-miúda vezes lhe chama. As movimentações populares, os diferentes grupos
força
crónicas
sociais, tudo contribui para que as suas (4)) __________________ ofereçam ao leitor
uma visão multifacetada e global dos acontecimentos e da sociedade.
Os seus escritos são ricos em (5) _____________________. A riqueza da (6) ___
______________, a minúcia (7)_____________________, o (8)_____
_______________ que estabelece com o leitor, tudo contribui para que tenhamos a
impressão que estamos a presenciar os (9) ________________ apresentados. Tão
depressa o nosso olhar é atraído pelo movimento das (10) ____________________,
como imediatamente é conquistado pela (11) _____________________ do (12)_____
______________ individual de uma personagem destacada. Os seus textos ganham,
assim, um valor literário e epocal inigualável.