Você está na página 1de 1

O olhar da alma é livre

Não se prende a triste realidade humana

Supera os limites, contrai a distância

É uma força, no mínimo, estranha

O olhar da alma é puro

Não julga a mancha que há na luz

E sabe que o sonho sempre conduz

A qualquer um , em qualquer direção

Quem dera eu fosse tocado pelo olhar alma

Talvez eu vivesse eternamente

Talvez eu nunca estive para sempre ausente

Talvez eu soubesse de onde vem a calma

No olhar da alma experimentamos a sinceridade

Experimentamos uma realidade tão mais nítida

Águas tão mais límpidas diante de nós mesmos

Que fica realmente difícil saber se nós sentimos medo

Ou se só sentimos a vida de verdade

Escorrer por entre os nossos dedos