Você está na página 1de 2

pcimarkpci MjgwNDowMTRkOjEyODI6YWNjMzoxOGQwOjg2YTE6ZjM1YToyZDgz:RnJpLCAwMSBKYW4gMjAyMSAyMzozNzo0NCAtMDMwMA==

Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul


Concurso Público 2008
Juiz Substituto de Carreira

Caderno da Prova Discursiva I


Enunciado e folhas para rascunho

Instruções ao candidato:
1. Você recebeu dois cadernos da Prova Discursiva I:
a) 1 (um) caderno destinado ao rascunho, contendo o enunciado da questão discursiva;
b) 1 (um) caderno destinado à resposta definitiva.
2. As páginas para rascunho são de uso opcional; portanto, sem efeito para avaliação.
3. As folhas de textos definitivos da Prova Discursiva I são o único documento válido para a avaliação
desta prova.
4. Caso este caderno ou as folhas de textos definitivos da Prova Discursiva I estejam incompletos ou
contenham qualquer defeito, o candidato deverá solicitar ao fiscal de sala que o substitua.
5. É permitida a consulta a códigos e textos legais, desde que não comentados, nem anotados ou con-
tendo acórdão ou remissão à jurisprudência, entendimento doutrinário ou súmulas e enunciados.
6. Não serão distribuídas folhas suplementares para rascunho ou para texto definitivo.
7. É proibido permanecer com aparelhos eletrônicos (pager, telefone celular, agenda eletrônica, relógio
digital, etc.) durante o período de realização da prova.
8. A duração da prova é de 5 (cinco) horas, já incluindo o tempo destinado à identificação – que será feita
no decorrer da prova – e à transcrição dos textos definitivos para as respectivas folhas.
9. Ao terminar a prova, o candidato deve chamar o fiscal mais próximo e devolver-lhe o caderno
contendo os textos definitivos da Prova Discursiva I, receber o seu documento de identidade e deixar o
local de prova.
10. O candidato poderá levar consigo este Caderno de Prova, desde que transcorrido o tempo de
4 (quatro) horas do início da prova.
11. Será anulado o texto definitivo que for escrito a lápis ou contiver identificação fora do local
apropriado.
12. Não será considerado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do
local apropriado e/ou que ultrapassar a extensão máxima de 90 (noventa) linhas.

www.pciconcursos.com.br
pcimarkpci MjgwNDowMTRkOjEyODI6YWNjMzoxOGQwOjg2YTE6ZjM1YToyZDgz:RnJpLCAwMSBKYW4gMjAyMSAyMzozNzo0NCAtMDMwMA==

Prova Discursiva I

Enunciado da Prova Discursiva I


João Carlos Silva adquiriu um lote no Jardim das Borboletas e não pagou as contribuições
mensais para a Associação que administrava o local.
A Associação foi criada 10 anos antes de João Carlos Silva adquirir seu lote e administra o es-
paço, com serviços de limpeza, portaria, segurança (com cancela na entrada do loteamento) e lazer
(há ainda uma praça interna com quadra múltipla e parque infantil) e pista para caminhada.
A Associação ingressou com ação de cobrança das contribuições pelo rito sumário, sen-
do a dívida de R$ 25 mil. Alega que são parcelas análogas às cotas condominiais, que haveria
enriquecimento sem causa de João, visto que usufrui dos serviços prestados e que a obrigação
tem natureza propter rem. Afirma que o loteamento tem guaritas, o que garante a segurança do
local, havendo autorização (a título precário) conferida pela Municipalidade (fato provado).
João Carlos, em audiência, contestou. Afirma a impropriedade do rito, pelo valor da
causa, a impossibilidade jurídica do pedido, já que, pelo artigo 5º, XX, impede que pessoas sejam
obrigadas a se associar ou a permanecerem associadas. Aduz que não tem filhos que usufruam
do parque (fato provado), deixa seu lixo na calçada (fato provado), sendo obrigação do serviço
público retirá-lo e que é contra a cancela, mesmo porque deveria ser livre o acesso às ruas que são
públicas. Por fim, acrescenta que os supostos benefícios criados pela associação já deveriam ser
oferecidos pelo Poder Público, pois inclusos no IPTU.
Analise o litígio em questão abordando, necessariamente, seus aspectos constitucionais,
administrativos, tributários, civis e processuais.

2 – TJ/MS 2008

www.pciconcursos.com.br